Issuu on Google+

Aldeia de Crianças Publicação trimestral - 2º Trimestre 2009 - nº160 - Ano 40 - 1€

Dias de Sol

SOS


Internacional

60º Aniversário das Aldeias de Crianças SOS H.Kutin, Presidente SOS-Kinderdorf International

Quando a crise financeira parece omnipresente, celebrar um aniversário é um grande desafio. No entanto, estou certo de que hoje e mais do que nunca, é importante olhar para as Aldeias de Crianças SOS e ver o que conseguimos nas últimas seis décadas, para que nos foquemos no que podemos fazer no presente e prepararmo-nos para o que nos seja solicitado no futuro. Em 1949, ano da fundação, a situação económica não era melhor. Miséria, destruição material e moral, o número de crianças abandonadas era enorme, especialmente na Europa. Dadas estas condições deploráveis, Hermann Gmeiner procurou oferecer uma resposta através das Aldeias de Crianças SOS. O que aconteceu foi espectacular. Pessoas que normalmente têm muito pouco para viver, fizeram do destino das crianças, a sua missão pessoal – através de pequenos donativos que tiveram um grande impacto. Enquanto se lutava para sobreviver, as pessoas aceitaram a responsabilidade de ajudar os mais fracos da sociedade. A crise de hoje, mais uma vez chama a atenção para o facto de que devemos lutar no final, não pelo lucro em riqueza material, mas pelo crescimento em humanidade e empatia. Hermann Gmeiner e todos os que o ajudaram, eram guiados pela necessidade de criar paz e proporcionar algum sentido à vida, muito afectada pela destruição da 2ª Guerra Mundial. Hoje ainda continua a fazer sentido: construirmos um mundo de paz e justiça e continuar a acreditar na mudança, sem esquecer as condições insuportáveis sob as quais, milhões de crianças têm de crescer. Ainda temos de concentrar os nossos esforços naquilo que podemos mudar! Esta é a lição que aprendemos nas últimas seis décadas. As Aldeias de Crianças SOS têm vindo a crescer de ano para ano – desde uma Aldeia de Crianças SOS em 1949, a 500 em 2009. Desde 5 crianças que encontraram uma nova casa na Aldeia de Crianças SOS de Imst, a centenas de milhares de crianças e famílias que hoje apoiamos através das nossas instalações e programas. Desde alguns donativos e apoios, a seis milhões de amigos SOS que apoiam financeira e emocionalmente, os princípios e a nossa missão. Este é um enorme sucesso que celebramos com as nossas crianças, mães SOS e colaboradores, com os nossos amigos e benfeitores. Ao longo dos anos, o nosso trabalho foi-se tornando mais sofisticado e complexo. Hoje, as Aldeias de Crianças SOS já não se dedicam exclusivamente às crianças que não podem crescer junto às suas famílias biológicas. Agora, dá-se a mesma importância ao trabalho com as crianças que continuam a viver com as suas famílias

2


biológicas, mas que vivem em situações adversas e em perigo de serem abandonadas. Os programas de apoio básico e de fortalecimento familiar estão interligados e pretendem providenciar um lar com amor às crianças. Deveríamos de estar muito felizes por observar um decréscimo na necessidade do nosso apoio. Infelizmente, a necessidade é a mesma de sempre. Isto explica porque não devemos deixar de tentar fazer o nosso melhor para o bem estar das crianças. É inaceitável que as crianças continuem a ser abandonadas, maltratadas e vitimas de abusos, de forma a não terem a possibilidade de crescerem saudáveis ou a ir para a escola, de existirem crianças que não têm ninguém para as apoiar ou para falar com elas. Há 60 anos, que a missão das Aldeias de Crianças SOS de Hermann Gmeiner procura identificar o que as crianças necessitam, ouvi-las, criar um ambiente onde possam recuperar e desenvolver-se, a agir onde seja necessário e a apreciar os grandes e pequenos milagres que somos capazes de fazer com a vossa ajuda. Com este espirito, vamos celebrar as últimas seis décadas com a nossa grande família SOS e continuarmos a debruçar sobre a nossa visão: um lar e amor para cada criança.

A primeira Mãe SOS celebra o seu 90º aniversário No mesmo ano que as Aldeias de Crianças SOS celebram o seu 60º aniversário, Maria Weber, a primeira mulher a abraçar a missão de Mãe SOS, faz 90 anos de vida. Por coincidência, o fundador das Aldeias de Crianças SOS, Hermann Gmeiner (23 Junho de 1919;† 26 Abril de 1986), se ainda fosse vivo, tambem atingia a mesma idade, este ano. Maria Weber nasceu a 3 de Maio de 1919 em Deutschkreuz na Áustria. Depois de acabar os estudos, esta filha de agricultores, foi viver para Viena e tornou-se enfermeira numa paróquia. Antes, tinha trabalhado em Pfunds no Tirol, onde recebeu correio de Hermann Gmeiner. "Doei 3.60 shillings para a construção da Casa Natal (Haus Weihnachten). De certa forma, eu coloquei um dos blocos de fundação do edificio, no qual, em 1951, iniciei a minha actividade como Mãe SOS." Em 1957, Maria Weber mudou-se para a nova Aldeia de Crianças SOS em Hinterbrühl, perto de Viena. Naqueles tempos, era a quarta Aldeia SOS na Áustria. Desde essa data que reside nesta aldeia, na "Casa das Mães", para Mães SOS reformadas. Maria Weber foi Mãe SOS durante mais de 20 anos e retirou-se em 1977. Foi mãe de 20 crianças, com as quais ainda mantém contacto com regularidade. Além das visitas frequentes dos seus "filhos SOS", também recebe visitas de 36 netos e 20 bisnetos, que tanto lhe dá prazer. No dia 2 de Maio, celebrou a idade orgulhosa, cercada pelos membros da sua grande família.

3


Falecimento do Dr. Hansheinz Reinprecht É com grande pesar que anunciamos o falecimento do Prof. Dr. Hansheinz Reinprecht, Sócio Honorário e o primeiro Secretário Geral da SOS Kinderdorf International. Nasceu em 1925 em Klagenfurt, foi estudar alemão e obteve o doutoramento em 1949. Conheceu Hermann Gmeiner quando trabalhava como jornalista num jornal diário austríaco e começou a compartilhar a paixão dele pela ideia das Aldeias de Crianças SOS. A partir de 1955, começou a trabalhar exclusivamente para as Aldeias de Crianças SOS na Áustria. Em 1964, assumiu a posição de Secretário Geral da SOS-Kinderdorf International, no qual se manteve em funções até 1990, quando se reformou. Viajou pelo mundo com Hermann Gmeiner e ajudou a fundar e ampliar as Aldeias de Crianças SOS em muitos países. Esteve também envolvido no estabelecimento das Aldeias de Crianças SOS na Coreia do Sul e em muitos países da América Latina. Foi também um grande amigo de Portugal - com o seu apoio, foi fundada no nosso país em 1964, a Associação das Aldeias de Crianças SOS. Ainda recentemente, tivemos o privilégio da sua visita por ocasião do 40º aniversário da Aldeia de Bicesse, em Outubro de 2007.

Saudades da nossa fundadora - Tia Palmira Fez no passado dia 18 de Abril, um ano que a nossa fundadora, Dra. Palmira Cabrita Matias, nos deixou. A sua ausência, aumenta a nossa saudade. Transferia para o seu sorriso, no seu olhar azul brilhante, toda a bondade que existia no seu coração. Convertia lágrimas em sorrisos, vivendo em si a vida de todas as crianças que tanto amava. A sua memória continua viva entre nós. Até sempre Tia Palmira!

Centro Juvenil SOS - Rio Maior Em Maio terminou a 2ª fase de obras do Centro Juvenil de Rio Maior, que representou um investimento significativo, com o objectivo de melhorar as condições de vivência, conforto, estudo e lazer dos jovens que aqui se preparam para a sua autonomia, frequentando cursos de formação profissional em Santarém e Rio Maior. Foram totalmente remodeladas várias divisões: a cozinha, os quartos, a área de escritórios da equipa técnica, a rouparia e lavandaria. Foi ainda construída uma sala de convívio e lazer para os jovens e procedeu-se à pintura exterior de todo o edifício. Resta-nos desejar aos nossos jovens e colaboradores os maiores sucessos nos seus estudos e trabalho. Também na Aldeia da Guarda tivemos de reparar os telhados das 3 casas familiares mais antigas da aldeia, que estavam muito degradados. Também este foi um investimento significativo, mas agora as nossas crianças e suas mães SOS vivem com mais segurança e conforto.

4


Obrigado por abraรงar a nossa obra


Obrigado por abraçar a nossa obra

Estimado sócio, amigo, benfeitor, As consequências da crise que atravessamos, em Portugal e no mundo, também as sentimos nas Aldeias de Crianças SOS. Não só a subsistência e a educação das 120 crianças que acolhemos representa um custo elevado, como já em 2009 foi necessário proceder a investimentos significativos: obras de renovação e benfeitorias no Centro Juvenil de Rio Maior, indispensáveis para oferecer melhores condições aos jovens e colaboradores; obras de reparação dos telhados de três casas familiares na Aldeia da Guarda. Vivemos um período difícil, em que é importante a partilha e a solidariedade. A responsabilidade é grande e só com o seu contributo nos é possível levar por diante a nossa missão, para que as crianças cresçam na segurança de um lar acolhedor, com o amor de uma mãe, numa família. Sabemos que podemos contar com o seu apoio. Com o seu contributo. Obrigado.

Manuel Matias Presidente do Conselho Directivo

PS – Pode também ajudar, entregando o cupão de sócio a um(a) amigo(a), fazendo-o sócio das Aldeias de Crianças SOS. Estará a contribuir para que o sonho seja possível para muitas crianças, dando-lhes um futuro. Todos os dias. Todas as noites.


BOL. 2/09

50

100

* *Se optou por esta modalidade, por favor preencha a Autorização.

200

,

Ao fazer a transferência bancária, por favor indique o seu nome.


Recorte pelo traçejado para destacar o cupão.

Recorte pelo traçejado para destacar o cupão.

Participe nesta grande obra. Obrigado.


Seminário "Qualidade no Acolhimento" As Aldeias de Crianças SOS organizaram um seminário – “Qualidade no Acolhimento de Crianças e Jovens” – no Centro Cultural de Cascais, com o objectivo de promover a reflexão, aprofundar o trabalho em parceria e divulgar o projecto internacional “Quality4Children que resultou na compilação de um conjunto de “normas de qualidade”, orientadoras deste trabalho na Europa. A sessão de abertura foi presidida pelo Presidente das Aldeias SOS Portugal, Manuel Matias, pelo vereador da Acção Social da Câmara Municipal de Cascais, Manuel Ferreira de Andrade e pelo representante da SOS Internacional, Thomas Bauer. Reuniram-se vários especialistas nesta área, que em torno do tema desenvolveram ideias, experiências e práticas que estão no centro da abordagem da temática do acolhimento no nosso país: representante da SOS Cabo Verde, que nos falou da sua experiência e modelo de trabalho, o Prof. Carlos Poiares da Univ.Lusófona, o Pedopsiquiatra Pedro Caldeira da Silva e as Professoras Margarida Silva e Isabel Rufino, que apresentaram as suas perspectivas. Em formato de fórum, tivemos connosco, Ana Paula Reis, a CONFAP e a PSP, e também o Sr. Pe. Arsénio da Paróquia da Ramada. A jornalista Laurinda Alves, os sociólogos João Paulo Félix e António Santinha e o Professor Avelino Pinto, dinamizaram as mesas, introduzindo novas questões e conseguiram transformar uma plateia de 150 pessoas num espaço de conversa quase familiar onde todos se puderam rever como pessoas e profissionais. A Dra. Cláudia Silva, divulgou os manuais de qualidade da Segurança Social, ainda em fase de publicação, o que constituiu um privilégio, dado que ainda não tinham sido formalmente apresentados. Abordou-se o projecto DOM- Desafios; Oportunidades e Mudanças e o que se espera que este traga às instituições, no sentido de reforçar competências e garantir qualidade. Estiveram representadas diversas Instituições que falaram dos seus projectos. Muito nos honraram as presenças da Sta. Casa da Misericórdia de Lisboa, Casa Pia, Fundação CEBI, Novo Futuro, Século, Lar da Sagrada Família da Guarda e, claro, as nossas Aldeias SOS! Foram debates intensos e participados em que se levantaram questões importantes sobre qualidade e partilharam-se experiências e boas práticas. A dimensão cultural do Encontro foi dada pelos actores Custódia Gallego e João de Carvalho, na leitura de poemas alusivos ao tema , bem como o magnífico Coro infantil Vox Laci, orientado pelo Maestro Myguel de Castro. A institucionalização pode não ser a pior solução para uma criança que não está com os pais biológicos. As instituições devem apresentar um conjunto de características e condições técnicas e humanas para poderem ser uma resposta que traga dignidade e qualidade à vida destas crianças. Não se trata de encontrar “boas” ou “más” soluções, mas sim de exigir qualidade às respostas sociais sejam elas quais forem. Em representação do Presidente do Instituto da Segurança Social, Clara Guterres e o Presidente das Aldeias de Crianças SOS, Manuel Matias, encerraram os trabalhos. A todos, pelo saber e generosidade, o nosso obrigado!

5


Notícias das Aldeias Workshop de Desenvolvimento Pessoal Esta actividade teve lugar durante as férias da Páscoa onde também estiveram presentes alguns jovens da Aldeia da Guarda. Realizada com base na Educação Não-Formal, onde os participantes aprendem através de jogos e dinâmicas de grupo e individuais, de forma divertida e descontraída. Destaca-se a interactividade dos técnicos com os jovens que, ao realizarem as actividades em conjunto, venciam barreiras de modo a ficarem enquadrados com os conhecimentos transmitidos e assim, continuar o trabalho pós-formação de uma forma contínua, constante e próxima dos jovens.

Visita a Fátima Chegados a Fátima, fomos recebidos pela Dª. Bernardete. Após a recepção, visionamos um filme acerca da história dos Três Pastorinhos. Depois do almoço dirigimo-nos á Capelinha e juntos rezamos á Nossa Senhora, fizemos pedidos, Orações e entrega de flores em forma de agradecimento. Em seguida, fomos visitar as respectivas casas dos Pastorinhos. Após todas as explicações da Dª. Bernardete, deuse o lanche e voltámos para a Aldeia. Mais uma vez, agradecemos à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia que, nos cedeu o transporte.

Aprender, brincando A Nutricia, empresa que muito tem apoiado a Aldeia SOS da Guarda, celebra este ano o seu 20º aniversário. Como forma de marcar este dia importante, as crianças e jovens elaboraram variados desenhos para a ilustração de um livro. Para tal basearam-se nos 20 valores da Nutricia: Credível, Energética, Sustentável, Humana, Integra, Cuidadora, Visionária, Aglutinadora, Ágil, Empreendedora, Solidária, Conhecedora, Formadora, Dinâmica, Pioneira, Líder, Rigorosa, Preocupada, com Qualidade. Assim, pensaram em alguns heróis de banda desenhada para exemplificar cada valor, tais como o Mickey, os Simpsons, X-Men, Noddy, Nemo, entre outros. Foi uma actividade na qual todos os participantes se empregaram com grande entusiasmo e que de forma lúdico-pedagógica, os dotou de alguns novos conhecimentos.

6


Agrupamento de Escuteiros 813 Marinhas O Grupo de Escuteiros das Marinhas – Agrupamento 813, promoveram um dia de actividades no âmbito do seu 35ª aniversário. Foi um dia bastante alegre e activo, realizamos jogos, tais como: corrida de sacos, saltar à corda, puxar a corda, jogo do pau, futebol humano, entre outros. Realizamos ainda um jogo de futebol entre a Aldeia SOS Gulpilhares e o Agrupamento 813, com mais uma vitória para a Aldeia SOS. Após o megalanche oferecido por este agrupamento, no salão comunitário, ainda deu tempo para eles nos ensinarem uns acordes de viola.

Festival de Dança A 29 de Abril comemorou-se o dia Mundial de Dança, e o José Rosa da Aldeia SOS de Bicesse, entrou num pequeno festival de bailado patrocinado pelo externato “O Nicho”, escola que frequenta, o improvisado bailarino. Presenciámos momentos de puro entretenimento e o nosso “Zé” sorriu, fez vibrar a audiência e no final, foi elogiado pela sua presença em palco. Esta criança que aos 10 anos descobriu a vocação pela dança e pintura, deixou-nos de boquiaberta. Parabéns Zé, continua com garra!

Aulas de Iniciação de Surf Em parceria com a Surf Center Trainning School, durante três dias fomos aprender Surf, com qualidade e segurança, dando acesso aos utentes a uma modalidade radical, divertida e saudável, onde a natureza e o mar oferecem um desafio constante com acompanhamento rigoroso, progressivo e seguro. Para tal a escola disponibilizou o material adequado a esta fase inicial. As aulas foram ministradas por professores credenciados e com vasta experiência na modalidade. Com este programa pretendemos proporcionar aos jovens a experiência e o prazer de surfar, desenvolvendo a sua própria autonomia assim como hábitos desportivos entre os jovens, o contacto e a preservação da natureza e depararem-se com a realidade de gerir tempo e dinheiro nos transportes. Este boletim tem o apoio:

7


No estádio José Alvalade No passado mês de Abril, as crianças das Aldeias SOS tiveram a oportunidade de fazer uma visita guiada ao estádio José Alvalade. O Sporting Solidário, em colaboração com Nuno Ogando, amigo das Aldeias SOS, convidou as crianças a visitarem o estádio José Alvalade e a assistir ao jogo de futebol entre o Sporting e a Naval 1º de Maio. O dia estava agradável para visitar um dos mais bonitos estádios do nosso país. Deram uma volta pelo Alvalade XXI e pela sala de troféus! Conheceram o Liedson e o nosso embaixador SOS, João Moutinho. Os jogadores rapidamente foram cercados e acariciados pelas crianças e claro, não podiam faltar os autógrafos para mais tarde, fazer inveja aos amigos.

SOS abraça o Desporto com saúde e valores Este encontro desportivo está a ser organizado pelo Centro Juvenil SOS em Rio Maior, a realizar a 28 e 29 de Junho, com a participação de várias IPSS. Num tempo em que o comodismo, o consumismo, e o sedentarismo estão cada vez mais instaurados no nosso dia-a-dia, temos a obrigação de promover a saúde junto dos jovens. Pretendemos que sejam dois dias de apelo à prática de Desporto, à necessidade de adopção de um estilo de vida saudável e à importância de fortalecer a nossa rede social com o estabelecimento de relações inter-pessoais gratificantes. Agradecemos a todos aqueles que estão a colaborar na realização deste evento.

Neste Verão 2009, gostaria de oferecer às crianças das Aldeias SOS Cheque, incluso

Dias de Sol

Transf. bancária:

(1 dia

Millenium BCP 003300005003849595205

Nome

Sócio nº

Morada Tlf

=3€)

Cod. Postal Contribuinte nº

e-mail

Por favor preencha para que nos seja possível enviar o recibo.

Proprietário e Editor: Aldeias de Crianças SOS Fundadora: Drª. Maria do Céu Mendes Correia Directora: Drª. Maria Teresa Costa Santos Redacção e Administração: R. José Dias Coelho nº40 R/c Dto. 1300-329 LISBOA Tlf: 213 616 950

Tiragem: 14 000 exemplares Depósito Legal nº 3573/83 Nº104519 inscrição do Inst. Com. Social 9/7/76 Composto e Impresso: Gigaresma - R. Vale Formoso nº39 1900-826 LISBOA

www.aldeias-sos.org

portugal@aldeias-sos.org


boletim2T2009