Page 1

Ano 25 - 2018

Balanço dos vestibulares 2018 Tendências do Vestibular traz nesta edição a análise dos principais vestibulares de São Paulo – Fuvest, Unicamp, Vunesp e Unifesp – e do último Enem, feitas pelos professores do Etapa. São informações de grande utilidade para os estudantes que se preparam para prestar no final do ano alguns dos vestibulares mais bem elaborados e concorridos do país. Nos textos sobre as matérias – Biologia, Física, Geografia, História (incluindo Filosofia e Sociologia), Inglês, Matemática, Química, Português (e Redação) – os estudantes podem se familiarizar mais com o que os exames privilegiam em relação a contexto e conteúdo das disciplinas. É um conhecimento que lhes dará mais segurança para estabelecer um eficiente ritmo de estudo e uma eficaz estratégia de resolução das questões nos vestibulares 2019.

Questões diretas e contextualização

Principais vestibulares reduzem contextualização e ampliam número de questões diretas. Página 2

a n á l i s e D A S P R O VA S Português

matemática

biologia

Textos, base das provas

Mais técnica, mais difícil

Clássica e abrangente

Páginas 3 a 5

Prof. Heric Jose Palos química

Prof. Alexandre Borges

Prof. Caio Gadel

Páginas 6 a 8

Páginas 9 a 11

história

geografia

Provas em geral exigêntes

Com Sociologia e Filosofia

Conteúdo e diversidade

Páginas 12 a 14

Páginas 15 a 17

Páginas 18 a 20

Prof. João Pitoscio Filho inglês

Prof. Thomas Wisiak física

Ênfase no entendimento

questões clássicas, muitos conceitos

Páginas 21 a 23

Páginas 24 a 26

Prof. Breno Morita

Prof. Alexandre L. Moreno

Prof. Omar Fadil Bumirgh

Veja todas as questões em www.etapa.com.br/etaparesolve

Fuvest reduz 2ª fase a dois dias A 2ª fase da Fuvest 2019 terá dois dias de provas discursivas e não três, como nos últimos vestibulares. Essa é a principal mudança no exame de seleção da USP, aprovada pelo Conselho de Graduação da universidade. No dia 6 de janeiro de 2019 será aplicada a prova de questões de Português e Redação. No dia 7, a prova de matérias específicas para cada carreira. Nessa prova, em que até o vestibular de 2018 os candidatos resolviam 12 questões de duas ou três matérias, serão cobradas de duas a quatro matérias, a critério de cada unidade da USP. A prova geral, com 16 questões, que antes ocupava o segundo dia dessa fase, deixa de existir. A 1ª fase, prova de Conhecimentos Gerais com 90 questões de múltipla escolha, marcada para 25 de novembro, não foi modificada. Mas o número de aprovados na 1ª fase que serão convocados para a 2ª fase aumentará. Tradicionalmente, a Fuvest convocava até três candidatos por vaga, agora serão até quatro candidatos por vaga. Na Fuvest 2018, que ofereceu 8402 vagas na USP (outras 2745 ficaram reservadas à seleção pelo Sisu – Sistema de Seleção Unificada, com a nota do Enem), foram convocados para a 2ª

fase 19690 candidatos efetivos, média de 2,4 candidatos por vaga. Mantido o número de vagas a serem preenchidas pela Fuvest, pode-se prever um expressivo aumento de candidatos na 2ª fase. Outra mudança ocorrerá nas inscrições, que passam a ser em três modalidades: 1 – AC (Ampla Concorrência) – Vagas para todos os candidatos, sem exigência de pré-requisito. 2 – EP (Escola Pública) – Vagas destinadas a candidatos que fizeram o Ensino Médio em escolas públicas. 3 – PPI (Preto, Pardo e Indígena) – Vagas destinadas a candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas. Para os estudantes oriundos de escola pública a USP reservará 40% de suas vagas, por curso, considerando os ingressantes pela Fuvest e pelo Sisu. Dessa parcela, 37,5% serão destinadas a pretos, pardos e indígenas. Com essa reserva de vagas, deixa de existir o Inclusp, programa de bonificação na nota criado em 2006 para incentivar a inscrição de estudantes de escolas públicas.


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Equilíbrio entre contexto e complexidade A redução da contextualização na formulação das questões dos principais vestibulares, já observada em 2017, acentuouse em 2018, sem perda da complexidade das provas, que para serem resolvidas exigiram real conhecimento de conteúdo das disciplinas. O Prof. Edmilson Motta, coordenador do Etapa, destaca que essa progressiva mudança, mais evidente na Fuvest, é uma evolução do formato tradicional dos exames, com questões mais diretas, que não são menos complexas, cobram dos candidatos maturidade na preparação e conhecimento do conteúdo das matérias e não desviam a atenção com aspectos diversivos, os quais não contribuem para uma avaliação adequada. Ele defende a contextualização bem construída – “aquela característica de cobrar os conteúdos das disciplinas de maneira interessante, relevante e profunda, às vezes até criativa, inesperada”. Mas descarta a contextualização gratuita, que para o candidato significa perda de tempo, desviando-o dos pontos em que efetivamente tem de se concentrar.

“Matemática e Física são as matérias que mais se afastaram do modelo de contextualização injustificada. Nessas matérias, muitas vezes o formulador da questão pode querer de alguma maneira aproveitar o contexto, ou simplesmente desprezar tudo que foi dito antes e perguntar outra coisa, só remotamente ligada ao enunciado. Hoje, mesmo no Enem as questões de Matemática são mais diretas, ficando fácil o acesso do participante ao que é relevante para a resolução”. O uso disseminado de contextualização, a naturalidade com que vinha sendo empregada, impõe mais cuidado com os aspectos relativos ao tema da questão. “Às vezes tínhamos questões com uma contextualização maravilhosa, mas com uma cobrança superficial do assunto específico da disciplina. Era uma contextualização bonita, agradável... e irrelevante, em detrimento de uma cobrança de conteúdo mais cuidadosa, mais elaborada. Isso se vê cada vez menos, o que hoje se vê mais é o conteúdo específico sendo cobrado associado à capacidade de aproveitar as informações apresentadas utilizando formas e linguagens variadas".

Mais dificuldade, melhor seleção Cresceu a dificuldade nos vestibuos conceitos e tendo como motivação lares atuais? O Prof. Edmilson Motta Há 20, 25 anos as questões alguma situação relevante ali colocada avalia que sim e credita parte dessa eram bastante diretas na cobrança do para ser tratada com os conhecimentos maior complexidade ao excesso de conque o candidato tem do Ensino Médio. conteúdo, mas vieram ganhando comtextualização nos últimos anos – agora Isso valoriza o aprendizado, o conheplexidade ao longo dos anos. rumo a um equilíbrio. cimento do estudante". “Há 20, 25 anos as questões eram basNo quesito dificuldade, o Prof. Edtante diretas na cobrança do conteúdo, mas vieram ganhando milson cita ainda o contraste entre, por exemplo, a elevada complexidade ao longo dos anos. Esse foi um movimento que complexidade das questões de Matemática nas duas fases da se aprofundou com o Enem, mas tinha começado pela Vunesp, Fuvest 2018 e a inadequação da prova específica da Unifesp em cujo vestibular já havia a necessidade de o candidato tirar para selecionar os alunos da Escola Paulista de Medicina. informações do texto, do enunciado, para, junto com seu co"Para um curso concorrido como Medicina, a maior nhecimento específico, responder bem a questão". simplicidade desse exame joga as notas muito para cima. “As mudanças agora observadas são preliminares, mas re- Nas carreiras de alta concorrência a diferença do último encaminham os vestibulares para a formulação de questões classificado para o primeiro colocado é mínima. Candidatos mais diretas, cobrando conhecimentos dos conteúdos das altamente preparados, capacitados a resolver as questões disciplinas. Essas mudanças ainda não são marcantes e, na mais difíceis e até a alcançar a primeira classificação, podem verdade, não se preceitua a prevalência de um dos modelos, e perder a vaga se cometerem qualquer pequeno deslize em sim o equilíbrio que dá às provas o necessário poder de sele- uma questão fácil. Não é que ele tem condições só de passar, cionar os melhores estudantes para o Ensino Superior. Neste ele tem condição de passar em 1º lugar e eventualmente seano, por exemplo, vimos questões excelentes de História, quer é aprovado. Uma prova um pouco mais difícil tornaria Química, Geografia, com perguntas exigindo reflexão sobre a seleção melhor".

Sociologia e Filosofia: Enem, Vunesp e Unicamp Sociologia e Filosofia estão já há um tempo nos vestibulares e vale destacar que o Enem faz hoje uma cobrança equilibrada das duas disciplinas. Durante vários anos o número de questões de Sociologia foi superior ao de questões de Filosofia – quase dois para um. Agora a prova de Ciências Humanas está mais bem distribuída entre História, Geografia e Filosofia/Sociologia: praticamente um terço para História, um terço para Geografia e um terço para Sociologia e Filosofia, divididas mais ou menos igualitariamente. Ajustou-se ao que se esperava. Antes, acontecia de ter muito mais questões de Geografia ou História, e bem mais Sociologia do que Filosofia.

"Na Vunesp, diz o Prof. Edmilson Motta, Filosofia está bem consolidada e seu maior nível de dificuldade é um diferencial nas duas fases do exame. Na 2ª fase, tanto Filosofia quanto Sociologia aparecem com especificidades. Quem vai prestar esse exame precisa se preparar com cuidado porque ele exige conhecimento que não se tira da leitura do enunciado das questões e pede conhecimento de aspectos relevantes das disciplinas. Na Unicamp, Sociologia é bem atrelada a Geografia e Filosofia é bem atrelada a História. É comum ser difícil localizar as questões de Sociologia e de Filosofia, tão bem ligadas estão a História e a Geografia".

Etapa Resolve - Todas as questões dos vestibulares 2018, resolvidas, estão em www.etapa.com.br/etaparesolve PÁGINA 2

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Português – Textos, base das provas Prof. Heric Jose Palos

Nos últimos anos a prova de Português dos mais variados exames vem-se firmando como uma prova de texto. Porém, isso pode ser bastante vago, caso não entendamos o que se quer dizer. Para uma análise mais detalhada podemos considerar as provas em três aspectos: linguagem, literatura e redação. Há muito, o “gramatiquês” vem cedendo espaço às interpretações de texto e para o que se poderia chamar de “gramática aplicada”. Cobra-se dos candidatos a capacidade de ler, compreender e interpretar criticamente textos de toda natureza – literários e não literários. Os conhecimentos linguísticos são exigidos na produção e/ou no reconhecimento de textos que atendam aos requisitos de adequação, correção, coesão e coerência. Dessa forma, pressupõe-se o domínio da norma culta da língua escrita, o reconhecimento de outras variedades linguísticas e a posse de uma vivência de leituras de textos literários. No que diz respeito ao formato estão consolidados exercícios a partir de pequenos trechos para uma única questão e enunciados que contenham uma breve contextualização do assunto cobrado. Normalmente, a fonte desses textos é bastante variada: jornais, revistas, propagandas, sites etc. – textos aos quais os candidatos estão expostos no cotidiano. Vale acrescentar que estão se tornando bastante frequentes também as questões que mesclam linguagem verbal e não verbal, que exigem não só bom domínio da língua, como a capacidade de se estabelecer relações, de abstração e de observação. Em Literatura há uma expectativa de conhecimento de obras selecionadas e por que elas são as mais significativas de um período. A capacidade de interpretar e analisar textos recolhidos dessas obras e compará-los com outros de diferentes épocas e autores é mais um aspecto bastante cobrado. Além disso, em alguns exames existem leituras obrigatórias, que contemplam as mais variadas linhas e estilos literários tanto da literatura brasileira quanto da africana e da portuguesa. Os examinadores pressupõem a leitura integral das obras e, por essa razão, não são raras as questões que envolvem não apenas um fragmento de texto, mas o conjunto da obra, incluindo detalhes de personagens, tempo, espaço e contexto social. Finalmente, a prova de Redação procura verificar a capacidade que os candidatos têm de opinar, refletir, formular hipóteses voltadas à interpre-

tação de situações vazadas nos mais diferentes tipos de texto. O Enem, inclusive, exige uma proposta de resolução de problemas, para medir a capacidade de ordenamento das ideias e um posicionamento face a um tema. A Unicamp solicita duas redações confeccionadas em tipologias textuais diferentes. Em 2018, foram pedidos um discurso para ser proferido a uma plateia formada por colegas estudantes e uma dissertação sob a forma de um artigo de opinião. Em ambos houve a preocupação de orientar o redator a se preocupar com o tema, ler os textos base e contribuir com um conteúdo possível dentro dos limites de um gênero textual. A Fuvest manteve a tradição de temas mais abstratos: quais são os limites da arte? A partir dessa indagação o candidato foi convidado a discorrer sobre esse tema que balançou a opinião pública quando a exposição patrocinada pelo grupo Santander foi fechada compulsoriamente. A Vunesp normalmente opta por temas mais prosaicos, procurando verificar a opinião dos candidatos sobre uma questão social; em 2018, a partir da pergunta “O voto deveria ser facultativo no Brasil?”, apresentava-se um tema atual, cujo conteúdo está no leque de assuntos cotidianamente veiculados na grande mídia e, portanto, de fácil acesso. A Unifesp, por sua vez, seguiu – e segue – um modelo muito parecido com a Vunesp (talvez em razão até de ser a mesma fundação responsável pela elaboração dos dois exames). Propondo um questionamento (“As redes sociais estreitam os laços entre as pessoas ou as tornam egoístas?”), trouxe à baila um assunto sempre atual: as redes sociais e os laços criados entre as pessoas. A banca apresentou uma coletânea que abordou o tema sob perspectivas distintas e, portanto, auxiliou a construção do texto dissertativo-argumentativo. Excetuando a Unicamp, o gênero redacional normalmente pedido é a dissertação. O texto produzido deve estar de acordo com a norma padrão, tendo por base o domínio da língua e a versatilidade na exposição de articuladores. Esperase um texto bem elaborado, simples, correto, coeso, com uma argumentação coerente e sem propostas mirabolantes e inexequíveis de problemas comuns que precisam ser pensados ou repensados. Sempre é válido lembrar que uma boa redação é resultado de treino, leituras e boa vontade do redator.

enem Questão 30

Questão 29

Contemporaneidade e cotidiano, análise de diversas tipologias textuais TEXTO I

(SPETO, Grafite. Museu Afro Brasil, 2009.) TEXTO II - Speto

Paulo César Silva, mais conhecido como Speto, é um grafiteiro paulista envolvido com o skate e a música. O fortalecimento de sua arte ocorreu, em 1999, pela oportunidade de ver de perto as referências que trazia há tempos, ao passar por diversas cidades do Norte do Brasil em uma turnê com a banda O Rappa. (Revista Zupi, n 19. 2010.)

O grafite do artista paulista Speto, exposto no museu Afro Brasil, revela elementos da cultura brasileira reconhecidos A) na influência da expressão abstrata. B) na representação de lendas nacionais. C) na inspiração das composições musicais. D) nos traços marcados pela xilogravura nordestina. E) nos usos característicos de grafismos dos skates.

Contemporaneidade e Cotidiano Olha o meu povo nas favelas e vai perceber Daqui eu vejo uma caranga do ano Toda equipada e o tiozinho guiando Com seus filhos ao lado estão indo ao parque Eufóricos brinquedos eletrônicos Automaticamente eu imagino A molecada lá da área como é que tá Provalvelmente correndo pra lá e pra cá Jogando bola descalços nas ruas de terra É, brincam do jeito que dá [...]

Olha só aquele clube, que da hora. Olha aquela quadra, olha aquele campo, olha Olha quanta gente Tem sorveteria, cinema, piscina quente [...] Aqui não vejo nenhum clube poliesportivo Pra molecada frequentar nenhum incentivo O investimento no lazer é muito escasso O centro comunitário é um fracasso (Racionais MC’s)

A letra da canção apresenta uma realidade social quanto à distribuição distinta dos espaços de lazer que A) retrata a ausência de opções de lazer para a população de baixa renda, por falta de espaço adequado. B) ressalta a irrelevância das opções de lazer para diferentes classes sociais, que o acessam à sua maneira. C) expressa o desinteresse das classes sociais menos favorecidas economicamente pelas atividades de lazer. D) implica condições desiguais de acesso ao lazer, pela falta de infraestrutura e investimentos em equipamentos. E) aponta para o predomínio do lazer contemplativo, nas classes favorecidas economicamente; e do prático, nas menos favorecidas.

PROPOSTA DE REDAÇÃO ENEM 2017 A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 3


por t u g u ê s

v e s t i b u l ar e s

2018

fuvest – 1ª fase

unicamp – 1ª fase

Questão 72 do caderno V

Questão 13 do caderno Q

Exemplo Literatura, com Leituras Obrigatórias Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas faltas, coubeme a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Mais; não padeci a morte de dona Plácida, nem a semidemência do Quincas Borba. Somadas umas coisas e outras, qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra, e, conseguintemente, que saí quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este outro lado do mistério, acheime com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa deste capítulo de negativas: Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria. (Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas.)

Não sei por que até hoje todo o mundo diz que tinha pena dos escravos. Eu não penso assim. Acho que se fosse obrigada a trabalhar o dia inteiro não seria infeliz. Ser obrigada a ficar à toa é que seria castigo para mim. Mamãe às vezes diz que ela até deseja que eu fique preguiçosa; a minha esperteza é que a amofina. Eu então respondo: “Se eu fosse preguiçosa não sei o que seria da senhora, meu pai e meus irmãos, sem uma empregada em casa”. (Helena Morley, Minha vida de menina.)

São características dos narradores Brás Cubas e Helena, respectivamente,

A) malícia e ingenuidade. C) apatia e determinação. E) otimismo e pessimismo.

B) solidariedade e egoísmo. D) rebeldia e conformismo.

fuvest – 2ª fase Questão 1

Exemplo de leitura integral, isto é, análise da obra como um todo Durante dois anos o cortiço prosperou de dia para dia, ganhando forças, socando-se de gente. E ao lado o Miranda assustava-se, inquieto com aquela exuberância brutal de vida, aterrado defronte daquela floresta implacável que lhe crescia junto da casa (...). À noite e aos domingos ainda mais recrudescia o seu azedume, quando ele, recolhendo-se fatigado do serviço, deixava-se ficar estendido numa preguiçosa, junto à mesa da sala de jantar e ouvia, a contragosto, o grosseiro rumor que vinha da estalagem numa exalação forte de animais cansados. Não podia chegar à janela sem receber no rosto aquele bafo, quente e sensual, que o embebedava com o seu fartum de bestas no coito. (Aluísio de Azevedo, O cortiço. 14. ed. São Paulo: Ática, 1983, p. 22.) Levando em conta o excerto, bem como o texto integral do romance, é correto afirmar que A) o grosseiro rumor, a sexualidade desregrada e a exalação forte que provinham do cortiço decorriam, segundo Miranda, do abandono daquela população pelo governo. B) os termos “grosseiro rumor”, “animais”, “bestas no coito”, que fazem referência aos moradores do cortiço, funcionam como metáforas da vida pulsante dos seus habitantes. C) o nivelamento sociológico na obra O Cortiço se dá não somente entre os moradores da habitação coletiva e o seu senhorio, mas também entre eles e o vizinho Miranda. D) a presença portuguesa, exemplificada nas personagens João Romão e Miranda, não é relevante para o desenvolvimento da narrativa nem para a compreensão do sentido da obra.

Linguagem verbal e não verbal Examine a propaganda.

unicamp – 2ª fase Questão 4 Literatura africana Leia abaixo dois excertos de Terra Sonâmbula, de Mia Couto. “Muidinga não ganha convencimento. Olha a planície, tudo parece desmaiado. Naquele território, tão despido de brilho, ter razão é algo que já não dá vontade.” (...) “– Sabe, miúdo, o que vamos fazer? Você me vai ler mais desses escritos. – Mas ler agora, com esse escuro? – Acendes o fogo lá fora. – Mas, com a chuva, a lenha toda se molhou. – Então vamos acender o fogo dentro do machimbombo. Juntamos coisa de arder lá mesmo. – Podemos, tio? Não há problema? – Problema é deixar este escuro entrar na cabeça da gente. Não podemos dançar nem rir. Então vamos para dentro desses cadernos. Lá podemos cantar, divertir.” (Mia Couto, Terra Sonâmbula. Rio de Janeiro: Record, 1993, p.10 e 152.)

a) Considerando o contexto da propaganda, existe alguma relação de sentido entre a imagem estilizada dos dedos e as palavras “digital” e “diferença”? Explique. b) Sem alterar o modo verbal, reescreva o trecho “Venha para a biometria. Cadastre suas digitais.”, passando os verbos para a primeira pessoa do plural e fazendo as modificações necessárias. PROPOSTA DE REDAÇÃO FUVEST 2018 Considerando as ideias apresentadas nos textos e também outras informações que julgar pertinentes, redija uma dissertação em prosa, na qual você exponha seu ponto de vista sobre o tema: Devem existir limites para a arte? PÁGINA 4

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

a) No primeiro excerto, descreve-se a relação da personagem com o espaço narrativo. Considerando o conjunto do romance, caracterize a identidade narrativa de Muidinga em relação a esse espaço e explique por que o território era “despido de brilho”. b) No segundo excerto, o diálogo das duas personagens principais do romance aborda a questão da leitura e sua função para a situação existencial dos protagonistas. Explique o que seriam os “escritos” e “ cadernos” mencionados e por que neles os protagonistas poderiam “cantar e divertir”.


por t u g u ê s

v e s t i b u l ar e s

2018

vunesp – 1ª fase

unifesp – fase única

Questão 14

Questão 5 Figura de linguagem semântica

Exemplo de gramática aplicada “Quem perdia um escravo por fuga dava algum dinheiro a quem lho levasse.” (4o parágrafo) Na oração em que está inserido, o termo destacado é um verbo que pede A) apenas objeto direto, representado pelo vocábulo “lho”. B) objeto direto e objeto indireto, ambos representados pelo vocábulo “lho”. C) objeto direto, representado pelo vocábulo “dinheiro”, e objeto indireto, representado pelo vocábulo “lho”. D) apenas objeto indireto, representado pelo vocábulo “quem”. E) objeto direto, representado pelo vocábulo “dinheiro”, e objeto indireto, representado pelo vocábulo “quem”.

vunesp – 2ª fase Questão 25 Exemplo de questão que cobra capacidade de estabelecer relações, de abstração e de observação. Esbraseia o Ocidente na agonia

Metonímia: figura de retórica que consiste no uso de uma palavra fora do seu contexto semântico normal, por ter uma significação que tenha relação objetiva, de contiguidade [vizinhança, proximidade], material ou conceitual, com o conteúdo ou o referente ocasionalmente pensado. (Dicionário Houaiss da língua portuguesa, 2009.)

Verifica-se a ocorrência de metonímia no trecho: a) “‘São unidades de penicilina que um colega tomou para uma infecção no ouvido.’” (5º parágrafo) b) “Ia tomar a calçada quando a baioneta em riste advertiu: ‘Passe de largo’;” (3º parágrafo) c) “Tirou do bolso um caderninho e anotou qualquer coisa.” (3º parágrafo) d) “Puxa vida, telegrama com a nota de urgente, levar cinco dias de Garanhuns a Belo Horizonte!” (2º parágrafo) e) “Dizendo-se incomodado, jantou no quarto, e estranhou a camareira, que olhava para os móveis como se fossem bichos.” (4º parágrafo) Questão 15 Conhecimento de escolas literárias Nesta obra, eu quis estudar temperamentos e não caracteres. Escolhi personagens soberanamente dominadas pelos nervos e pelo sangue, desprovidas de livre-arbítrio, arrastadas a cada ato de suas vidas pelas fatalidades da própria carne. Começa-se a compreender que o meu objetivo foi acima de tudo um objetivo científico.

O sol... Aves em bandos destacados, Por céus de ouro e de púrpura raiados, Fogem... Fecha-se a pálpebra do dia...

(Émile Zola apud Alfredo Bosi. História concisa da literatura brasileira, 1994. Adaptado.)

Delineiam-se, além, da serrania Os vértices de chama aureolados,

Depreendem-se dessas considerações do escritor francês Émile Zola, a respeito de uma de suas obras, preceitos que orientam a corrente literária

E em tudo, em torno, esbatem derramados Uns tons suaves de melancolia...

A) romântica. Um mundo de vapores no ar flutua...

B) árcade.

Como uma informe nódoa, avulta e cresce

C) naturalista.

A sombra à proporção que a luz recua...

D) simbolista. E) barroca.

A natureza apática esmaece... Pouco a pouco, entre as árvores, a lua

Questão 18

Surge trêmula, trêmula... Anoitece. (Poesia completa e prosa, 1961.)

a)

Que processo o soneto de Raimundo Correia retrata?

b) A primeira estrofe do soneto é composta por três períodos simples em ordem indireta (“Esbraseia o Ocidente na agonia / O sol”; “Aves em bandos destacados, / Por céus de ouro e de púrpura raiados, / Fogem”; e “Fecha-se a pálpebra do dia”). Reescreva esses três períodos em ordem direta.

gramática aplicada “Debalde alguns oficiais, indignados, engatilhavam revólveres ao peito dos foragidos. Não havia contê-los. Passavam; corriam; corriam doudamente; corriam dos oficiais; corriam dos jagunços; e ao verem aqueles, que eram de preferência alvejados pelos últimos, caírem malferidos, não se comoviam.” (7o parágrafo) Os termos “los”, “aqueles” e “últimos” referem-se, respectivamente, a A) foragidos, foragidos e jagunços.

PROPOSTA DE REDAÇÃO VUNESP 2018 Com base nos textos apresentados e em seus próprios conhecimentos, escreva uma dissertação, empregando a norma-padrão da língua portuguesa, sobre o tema: O voto deveria ser facultativo no Brasil?

B) oficiais, jagunços e oficiais. C) oficiais, oficiais e jagunços. D) foragidos, oficiais e jagunços. E) foragidos, jagunços e oficiais. TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 5


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

MATEMÁTICA - Mais técnica, mais difícil enem

Prof. Alexandre Borges

A prova de Matemática do Enem 2017 manteve suas principais características, mas também conseguiu inovar em alguns aspectos. O estilo de questões contextualizadas, algumas envolvendo interpretação de gráficos/tabelas, continuou presente no exame, porém nota-se a presença de assuntos mais técnicos, como inequações logarítmicas, juros compostos, funções trigonométricas e noções de cônicas. O estilo de prova, com 45 testes de enunciados elaborados, com bastante informação relevante, contribui para uma dificuldade natural desse exame, mas percebe-se uma abordagem mais direta em algumas questões desta edição, com textos menos exaustivos, favorecendo o candidato para o bom entendimento do que se pedia. Em alguns casos eram exigidas capacidades Questão 160 Questão envolvendo interpretação de equação de cônicas: RARO

envolvendo cálculos aritméticos mais precisos. Os tópicos mais tradicionais, como Geometria, Combinatória/Probabilidade, Porcentagens, Razões e Proporções, Funções e Estatística também se mostraram mais exigentes que nos anos anteriores, ou seja, apesar de enunciados mais curtos, em geral a prova de Matemática foi mais difícil, confirmando a tendência observada há alguns anos de que cada vez mais a prova do Enem se aproximar dos exames de 1ª fase das universidades estaduais paulistas. Por ser a mais importante forma de acesso às universidades brasileiras, o Enem tem se especializado gradativamente em montar uma prova que exige conteúdo teórico unido à capacidade de leitura e interpretação de dados. Questão 144 Questão de juros compostos envolvendo valor presente, pouco comum nos vestibulares em geral e uma novidade no Enem

fuvest – 1ª fase A prova de Matemática da Fuvest novamente surpreendeu pelo alto grau de complexidade das suas questões, tanto na 1ª como na 2ª fase. Apesar de apresentar uma 1ª fase com enunciados precisos, muitas vezes sem qualquer contextualização, envolvendo assuntos clássicos como Geometria, Combinatória e/ou Probabilidades e Funções, quase todas as questões foram bastante exigentes, às vezes na criatividade para uma possível solução e às vezes na bagagem teórica de que o candidato deveria dispor para sua resolução. Notou-se também a presença de alguns tópicos pouco comuns na 1ª fase da Fuvest, como gráficos de funções trigonométricas e Polinômios com requintes de Números Complexos, mais comuns nos exames dissertativos de 2ª fase. Contou também com questões que envolviam mais de um assunto, como Trigonometria aplicada à Geometria, além da tradicional questão interdisciplinar, que neste ano foi dividida com Física. Recentemente, a Fuvest já se mostrava um pouco mais exigente em suas provas de Matemática da 1ª fase e na última edição conseguiu superar o ano anterior nesse quesito.

PÁGINA 6

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

Questão 33 Questão de Geometria Plana com Trigonometria, uma tendência da Fuvest HÁ várias edições


matemática

v e s t i b u l ar e s

2018

fuvest – 1ª fase Questão 32 Questão de Equações polinomiais com requintes de Números Complexos

fuvest – 2ª fase A 2ª fase da Fuvest 2018 também foi marcada pelo alto grau de exigência aos candidatos, tanto no segundo dia (prova geral) como no terceiro dia (prova específica), sempre com baixa contextualização. No segundo dia foram cobradas três questões de assuntos muito clássicos: Geometria Analítica, Geometria Plana e Combinatória/ Probabilidade, um aumento significativo quando comparado ao exame do ano anterior, quando só foi cobrada uma questão de Matemática na prova geral.

O terceiro dia foi marcado por uma prova com seis questões muito técnicas, algumas com alto grau de complexidade, envolvendo tópicos importantes do Ensino Médio, como Geometria (plana / espacial), Funções, Trigonometria, Sequências e Combinatória/Probabilidade, todas com pelo menos dois itens, o que permite o fracionamento da nota do candidato em cada uma das questões, uma delas envolvendo tópicos de Geografia, conforme mostrado a seguir.

Questão 05 Questão de Geometria Espacial envolvendo conceitos de Geografia

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 7


matemática

v e s t i b u l ar e s

unicamp O exame de Matemática da Unicamp 2018 mostrou-se bem menos exigente que a Fuvest e diminuiu a sua tradicional contextualização das questões, tanto na 1ª quanto na 2ª fase, mas continua sendo uma prova razoavelmente técnica, que necessita de conceitos teóricos. Com enunciados curtos e diretos, as provas cobraram um vasto conteúdo do Ensino Médio, como Funções, Probabilidades, Geometria Plana, Matrizes, Números Complexos, entre outros, com grau de dificuldade entre baixo e médio, principalmente na 1ª fase, prova com 14 testes, um deles interdisciplinar e todos com quatro alternativas. Uma característica marcante dos exames da 2ª fase é que as seis questões têm dois itens cada uma e, recentemente, pelo menos um deles envolve demonstração Matemática, que certamente traz alguma dificuldade a mais para grande parte dos candidatos. Alguns assuntos clássicos, como Exponenciais/Logaritmos e Geometria Espacial ficaram ausentes nessa edição, mas em ambas as fases foram cobrados outros tópicos também relevantes, como Trigonometria e Geometria Analítica.

2018

vunesp A prova de Matemática do vestibular da Vunesp é a que tem menos questões das estaduais paulistas, apenas oito testes em sua 1ª fase, sendo um deles interdisciplinar em algumas edições. Na 2ª fase, apenas três questões dissertativas, geralmente com dois itens. O grau de dificuldade das questões assemelha-se muito ao das provas recentes da Unicamp, em ambas as fases, e há questões que envolvem alguma contextualização no enunciado. Os assuntos preferidos giram em torno de Geometria (plana/espacial), Funções, Geometria analítica, entre outros. A , uma questão da 1ª fase envolvendo gráfico de função trigonométrica, algo pouco comum em seus exames recentes. Questão 89 Questão de gráfico de função trigonométrica, uma novidade criativa

Questão 21 Questão típica de 1ª fase de Unicamp, transformações em gráficos de Funções

Algumas vezes a Vunesp surpreende os candidatos com alguma questão inovadora, seja pelo tema abordado ou pela forma como o assunto é explorado. Em 2018 foi a vez da Hipérbole, que apareceu na forma de função real, mas pode ter assustado alguns candidatos no primeiro contato, como se verifica na questão a seguir. Questão 24 Hipérbole na 2ª fase, sempre uma surpresa

Questão 17 Questão de Geometria plana envolvendo demonstração em um dos itens, tradicionalmente presente na 2ª fase da Unicamp

unifesp A prova específica da Unifesp vemcom cinco questões dissertativas, todas com dois itens e contextualizadas. O grau de dificuldade da prova mais recente foi mais ameno que nos anos anteriores, com algumas questões bem acessíveis, principalmente no primeiro item, e nenhuma questão que de fato fizesse diferença na nota dos candidatos dos cursos mais concorridos, como Medicina. Os assuntos escolhidos são clássicos do Ensino Médio, como Porcentagens, Funções, Geometria, Combinatória/Probabilidades e Trigonometria, em detrimento de outros tópicos que eram bastante presente em seus exames, como Exponenciais/Logaritmos e Geometria Analítica.

Questão 19 Questão de Combinatória/Probabilidades, sempre presente nos exames da Unifesp

PÁGINA 8

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Biologia - Clássica e abrangente Prof. Caio Gadel

enem

fuvest – 1ª fase

O Enem 2017 trouxe 16 questões de Biologia na prova de Ciências da Natureza. Foram abordadas as diferentes partes da disciplina, dando ao exame uma abrangência conceitual bastante grande. No entanto, como já havia acontecido nos anos anteriores, houve predomínio de assuntos de Citologia e de Ecologia. No total, foram 5 questões de Citologia, 4 de Ecologia, 3 de Botânica, 2 de Zoofisiologia, 1 de Genética e 1 de Evolução. Enunciados simples e alternativas diretas provavelmente permitiram uma resolução mais rápida das questões. A abordagem, apesar de contextualizada, foi por vezes tradicional, conhecida de outros vestibulares, como a bioacumulação em níveis tróficos superiores. Houve também questões em que a escolha da alternativa correta dependia da interpretação de imagens e análise de experiências científicas, como na questão 98. Em termos técnicos, a prova exigiu conhecimentos básicos e fundamentais da Biologia, adequando-se à proposta – cada vez mais consolidada – de ser o grande exame nacional de acesso às universidades. Nesse aspecto, foi semelhante à prova anterior, do Enem 2016.

A 1ª fase da Fuvest teve 12 testes de Biologia, versando sobre assuntos clássicos, como, por exemplo, sistema respiratório humano, fermentação e excreção nitrogenada dos animais. Exceto por um heredograma em uma das questões, as demais não apresentaram gráficos, tabelas ou figuras para serem interpretados. Isso deixou a prova muito direta, com anunciados simples. As alternativas também foram bastante curtas. Pelas partes da Biologia, a prova foi assim distribuída: 4 questões de Botânica, 3 de Zoofisiologia, 2 de Citologia, 2 de Genética e 1 de Ecologia. Ao contrário dos anos anteriores, não houve questão abordando tópicos de Evolução. Mesmo assim, a prova se mostrou satisfatoriamente abrangente. Em relação à dificuldade técnica, a 1ª fase da Fuvest deste ano foi menos exigente que a do ano passado. Questão 44 Questão direta da Fuvest, abordando o processo de fermentação

Questão 98 O esquema presente no enunciado desTa questão era fundamental para sua resolução

fuvest – 2ª fase – 2º DIA A prova de Biologia do segundo dia da 2ª fase da Fuvest trouxe uma questão interdisciplinar com Química abordando a aclimatação fisiológica a grandes altitudes, tópico bastante comentado nas aulas de Fisiologia Humana. A outra questão tratou de cadeias e teias alimentares, assuntos fundamentais de Ecologia. Foram temas básicos, abordados com profundidade compatível com o caráter geral dessa prova. Questão 13 Questão interdisciplinar com química, abordando processos de aclimatação fisiológica A grandes altitudes

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 9


biologia

v e s t i b u l ar e s

2018

fuvest – 2ª fase – 3º DIA As seis questões de Biologia foram sobre Zoofisiologia (três questões, 50% da prova), Ecologia, Evolução e Genética (uma questão de cada). Neste ano a banca examinadora da Fuvest mesclou questões mais diretas, meramente conteudistas, com outras mais elaboradas, exigindo dos candidatos grande habilidade redacional. Apesar dos temas cobrados serem

comumente abordados em sala de aula – evolução das plantas, artrópodes, cadeias e teias alimentares, por exemplo –, as questões foram, na maioria, notavelmente mais complexas que as dos anos anteriores. A presença de figuras, heredogramas e gráficos também merece destaque. Uma prova adequada para avaliar conhecimentos específicos da disciplina.

Questão 04 DESTAQUE NA PROVA: PRESENÇA DE FIGURAS, HEREDOGRAMAS E GRÁFICOS

unicamp – 1ª FASE A prova de Biologia da 1ª fase da Unicamp foi composta por dez testes, bem distribuídos pelas partes da matéria: 3 de Zoofisiologia, 3 de Botânica, 2 de Genética, 1 de Ecologia e 1 de Evolução. Enunciados claros, diretos, facilitaram a resolução pelos candidatos. Abordou tópicos tradicionais do Ensino Médio, tais como Biologia Molecular, DST, especiação, organelas. Uma questão de Genética sobre o padrão de concha de certa espécie de moluscos cobrou os padrões de herança de forma criativa. Nesse caso, se o estudante atentasse às informações do enunciado, chegaria à resposta correta com certa tranquilidade. Algumas questões, por outro lado, não apresentaram nenhuma contextualização, cobrando somente a definição de alguns conceitos. Questão 87 Questão de genética: leitura atenta do enunciado fornece os subsídios para o estudante marcar a alternativa correta

PÁGINA 10

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

unicamp – 2ª fase Foram seis questões bastante trabalhosas, cujos enunciados apresentaram (com exceção de uma questão) gráfico, figura ou esquema para serem analisados. Houve predomínio de Citologia (3 questões, representando 50% da prova), sobretudo assuntos de Biologia Molecular. Algumas vezes, diferentes partes da Biologia foram misturadas numa mesma questão. Isso permitiu à prova cobrar uma variedade maior de assuntos do Ensino Médio. A 2ª fase da Unicamp 2018 foi, perceptivelmente, mais difícil do que no ano anterior. Questão 02 Questão da 2ª fase da Unicamp que envolve partes diferentes da biologia – zoologia e evolução. Além disso, é exigida análise de figura e de gráfico


biologia

v e s t i b u l ar e s

vunesp – 1ª fase

2018

vunesp – 2ª fase

A 1ª fase da Vunesp foi constituída por oito testes, abrangendo de forma satisfatória as diferentes partes da disciplina: Ecologia (2), Botânica (2), Zoofisiologia (2), Evolução (1) e Genética (1). Prova simples, direta e com pouca contextualização nos enunciados. Cobrou temas tradicionais dos vestibulares, como pirâmides ecológicas, teste de gravidez, ponto de compensação fótico, entre outros. Uma ressalva talvez fique por conta da questão 67 (versão 1), sobre os possíveis efeitos de desodorantes no sistema respiratório de alguns animais. O enunciado parece indicar algo não totalmente alinhado com o gabarito oficial. Muitas questões traziam figuras, fotos ou esquemas para serem interpretados.

Composta por apenas três questões, a prova de Biologia da 2ª fase da Vunesp teve enunciados diretos e claros. Com abordagens tradicionais, foram contemplados assuntos clássicos do Ensino Médio, como desequilíbrios ecológicos provocados por espécies exóticas e histologia animal. Por outro lado, uma questão de parasitoses contextualizou de forma bastante criativa a transmissão de doenças por mosquito, percevejo e pulga. As questões foram bem elaboradas, como nos anos anteriores. Questão 14 Questão criativa sobre parasitoses

Questão 67 Algumas informações do enunciado podem ter induzido ao erro do candidato

alternativa D

O enunciado cita que os sais de alumínio obstruem as glândulas sudoríparas, que são exclusivas de mamíferos. Nesse sentido, nem a barata (inseto), nem a lagartixa (réptil) seriam afetadas, sobrevivendo. Se considerarmos que o sal de alumínio afetaria também os espiráculos do sistema respiratório traqueal da barata, ela poderia morrer em virtude da falta de gás oxigênio em suas células. No entanto, o texto não dá subsídios suficientes para essa conclusão. A lagartixa, por apresentar respiração pulmonar, provavelmente sobreviveria.

unifesp A prova da Unifesp trouxe cinco questões discursivas que versaram sobre diferentes assuntos. Sistema circulatório humano, embriologia, evolução das plantas e herança genética foram temas cobrados. Tópicos importantes de Ecologia – populações e relações ecológicas – foram exigidos em uma questão que usava os tentilhões de Galápagos como contexto. Destaque também para o assunto febre amarela: o candidato precisava ter conhecimento sobre a doença, inclusive

sobre a sua transmissão silvestre. Com exceção de um heredograma, não foram apresentados esquemas, gráficos ou tabelas para serem interpretados. Os enunciados, de modo geral, não foram tão diretos, demandando dos candidatos uma leitura mais atenta. Prova equilibrada, adequada para avaliar os conhecimentos específicos dos vestibulandos.

Questão 01 Questão sobre febre amarela

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 11


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Química – Provas em geral exigentes Prof. João Pitoscio Filho Nos exames de Química da Fuvest, Vunesp, Unicamp, Unifesp e Enem nota-se o predomínio claro de questões envolvendo Físico-Química e Química Geral. Mais da metade de todas as questões desses vestibulares trataram desses dois assuntos, sendo isso uma tendência que ocorre já há algum tempo. De modo geral, as provas mantiveram o padrão e o nível de exigência das edições anteriores, mas cabe destacar que a prova da 2ª fase da Unicamp contou com questões desafiadoras e muito exigentes no tocante à interpretação dos textos e sua correlação com gráficos e tabelas.

enem

fuvest – 1ª fase

Mantendo a divisão de assuntos do ano anterior, a prova do Enem 2017 teve o predomínio de questões de Físico-Química e de Estrutura da Matéria: 75% delas abordaram esses dois assuntos. As questões envolveram temas do cotidiano, do sistema produtivo, da produção de fármacos, de química ambiental, entre outros. A interpretação dos textos das questões e a correlação com os conteúdos de Química estudados no Ensino Médio foram um ponto fundamental para o perfeito entendimento das questões.

Abordando os principais temas da Química, a prova cobrou muitos conceitos, poucos cálculos e bastante interpretação de textos. Novamente a dupla formada por Química Geral e Físico-Química tomou conta de mais da metade das questões. Um fato pitoresco foi que uma das questões abordou uma temática interdisciplinar muito interessante, envolvendo conceitos de Geografia, mais precisamente o encontro das águas oceânicas com águas fluviais e sua correlação com as diferenças de salinidade de ambas.

Questão 117

Questão 57

A cada edição, o nível das questões do Enem aumenta em dificuldade. Nesta questão, cinco conjuntos de pilhas, formado por duas pilhas cada, eram usados para acender um led. O problema era encontrar qual dos conjuntos estava montado corretamente e depois descobrir qual deles fornecia a ddp necessária para acender o referido led. Um questão muito bem formulada e de difícil interpretação por parte dos candidatos.

Uma questão extremamente criativa! Juntando conceitos de Geografia e de Química, cobra a interpretação de quatro gráficos e a correlação de três deles com as informações dadas no corpo da questão. O interessante desta questão é que não bastava ao estudante ter um bom conhecimento de Soluções/Solubilidade ou de Hidrografia, era necessário que ele juntasse ambos os conceitos para resolver o problema proposto.

RESPOSTA?

PÁGINA 12

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


QuĂ­mica

v e s t i b u l ar e s

fuvest – 2ª fase – 2º DIA A prova deste ano cobrou um único tema, Química Geral, tendo como foco o assunto Gases e Misturas Gasosas. Acompanhando a tendência do ano anterior, a prova foi adequada ao público do segundo dia, uma vez que as questþes foram diretas, bem escritas e não envolveram muitos cålculos químicos. Questão 4 Mais uma vez, no segundo dia de provas da 2ª fase, a Fuvest mescla conceitos båsicos de Matemåtica com o estudos de Gases Ideais, um tema frequente nas questþes de Química. Foi uma questão contextualizada e que usou o lançamento de aviþes em porta-aviþes para formular uma questão criativa e bem adequada ao público desse dia.

2018

fuvest – 2ÂŞ fase – 3Âş DIA Diferentemente da prova do dia anterior, a prova do terceiro dia foi marcada por questĂľes de elevada complexidade que exigiram muita atenção e profundo conhecimento dos conceitos da QuĂ­mica, mais especificamente de FĂ­sico-QuĂ­mica. Um fato relevante foi que um terço das questĂľes era de QuĂ­mica Orgânica. QuestĂŁo 3 A Fuvest inovou o modo de cobrar os Aspectos Quantitativos de uma EletrĂłlise, apresentando duas montagens, uma em sĂŠrie e outra em paralelo, de trĂŞs cubas eletrolĂ­ticas alimentadas por uma fonte de corrente contĂ­nua e monitoradas por um amperĂ­metro. O candidato tinha de escolher qual montagem FUVEST ETAPAde metal depositada num eletrodos era maior e calcular o valor a massa dessa massa. AlĂŠm do conhecimento especĂ­fico de EletrĂłlise o candidato deveria ter emQUESTĂƒO mĂŁos os conceitos bĂĄsicos de Eletricidade aprendidos na FĂ­sica. Q 03 Um estudante realizou um experimento para verificar a influĂŞncia do arranjo de cĂŠlulas eletroquĂ­micas em um circuito elĂŠtrico. Para isso, preparou 3 cĂŠlulas idĂŞnticas, cada uma contendo solução de sulfato de cobre (II) e dois eletrodos de cobre, de modo que houvesse corrosĂŁo em um eletrodo e deposição de cobre em outro. Em seguida, montou, sucessivamente, dois circuitos diferentes, conforme os Arranjos 1 e 2 ilustrados. O estudante utilizou uma fonte de tensĂŁo (F) e um amperĂ­metro (A), o qual mediu uma corrente constante de 60 mA em ambos os casos. a) Considere que a fonte foi mantida ligada, nos arranjos 1 e 2, por um mesmo perĂ­odo de tempo. Em qual dos arranjos o estudante observarĂĄ maior massa nos eletrodos em que ocorre deposição? Justifique. b) Em um outro experimento, o estudante utilizou apenas uma cĂŠlula eletroquĂ­mica, contendo 2 eletrodos cilĂ­ndricos de cobre, de 12,7 g cada um, e uma corrente constante de 60 mA. Considerando que os eletrodos estĂŁo 50 % submersos, por quanto tempo o estudante pode deixar a cĂŠlula ligada antes que toda a parte submersa do eletrodo que sofre corrosĂŁo seja consumida? Note e adote: Considere as trĂŞs cĂŠlulas eletroquĂ­micas como resistores com resistĂŞncias iguais. Massa molar do cobre: 63,5 g/mol 1 A = 1 C/s Carga elĂŠtrica de 1 mol de elĂŠtrons: 96500 C.

Resposta a) No arranjo 1, as cubas estão ligadas em sÊrie, logo a corrente serå igual a 60 mA em todas as cubas. Jå no arranjo 2, como as cubas estão ligadas em paralelo, a corrente em cada cuba serå de 20 mA. Como a massa de cobre que se deposita depende da corrente, no arranjo 1, a massa de metal depositada nos polos negativos serå maior. b) A semirreação do eletrodo Ê: – Cu(s) " Cu(2 aq)  2 e

Cålculo do tempo de eletrólise: 50 g Cu 1 mol Cu 2 mol e – 96 500 C 1s , $ $ $ $ t 12, 7 g eletrodo $ 100 g eletrodo 63, 5 g Cu 1 mol Cu 1 mol e – 60 $ 10 –3 C 14 4 4424 4 443 14 4 424 4 43 1442443 1442443 14 4424 443 porcentagem consumida

massa molar

semirreação

constante de Avogadro

corrente

, 3,2 ˜ 105 s

Fuvest-q03_Q.indd 1

09/01/2018 21

unicamp – 1ª fase Mantendo a tendência dos grandes exames vestibulares, a dupla Química Geral e Físico-Química esteve presente em mais de 75% das questþes. As questþes foram todas contextualizadas, com enunciados claros e bem escritos. Cabe ressaltar que, diferentemente do ano anterior, um terço das questþes cobrou cålculos químicos, fato pouco comum para esse exame. Questão 68

Diferentemente do ano anterior, a prova da Unicamp contou com algumas questĂľes envolvendo cĂĄlculos quĂ­micos. Um exemplo tĂ­pico disso foi essa questĂŁo que envolveu Estequiometria, na qual pedia-se para determinar a quantidade de matĂŠria que estava em excesso na mistura inicial.

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PĂ GINA 13


Química

v e s t i b u l ar e s

unicamp – 2ª fase Uma prova muito exigente! Envolvendo temas do cotidiano, combustíveis e química ambiental, foi marcada por questões longas e trabalhosas, que exigiram dos candidatos uma boa interpretação dos textos, além da análise de gráficos e tabelas. Talvez tenha sido a prova mais trabalhosa dos vestibulares paulistas que têm uma das fases com questões dissertativas. Cobrou, além dos conhecimentos de Química do Ensino Médio, uma grande habilidade em lidar com situações novas e pouco exigidas nos grandes exames. Questão 18 Com uma temática ambientalista focada na produção de CO2 pela atividade pecuária e uma comparação entre a dieta vegana e a dos “amantes de carne” (expressão usada pela banca para se referir aos consumidores que têm na carne bovina a base de sua dieta), a questão apresentava dois tipos de gráfico e pede a correlação entre os dados apresentados por eles. Uma questão muito trabalhosa ,tanto na interpretação dos dados como na elaboração da resposta.

vunesp – 1ª fase Mais uma vez, mais de metade da prova contou com questões de Físico-Química, com enunciados claros, diretos e pouca contextualização. A banca examinadora produziu uma prova de baixa complexidade, que se mostrou adequada para uma 1ª fase. Questão 73 Termoquímica é um dos assuntos mais presente nos grandes vestibulares paulistas e no Enem. A novidade é que esta questão apresenta os valores das Entalpias de Formação dos compostos utilizando gráficos, fato incomum, porém bastante interessante, pois tira o candidato de uma zona de conforto, exigindo que ele interprete as informações dadas para poder usá-las.

2018

vunesp – 2ª fase Seguindo o foco da 1ª fase, a prova teve o predomínio de questões de FísicoQuímica. Os enunciados eram claros, sem erros e muito bem escritos, possibilitando à banca examinadora uma boa avaliação dos candidatos. Uma única restrição ao conteúdo da prova – contando com apenas três questões, uma delas poderia ser de Química Geral, tema que não foi abordado nessa fase. Questão 18 Pode-se afirmar que essa seja a maneira mais tradicional de se cobrar um questão de Química Orgânica. Em um dos itens são cobrados aspectos relativos às características das moléculas orgânicas, já o outro mescla Isomeria Espacial e Solubilidade.

unifesp Mantendo o formato do ano anterior, a prova da Unifesp contou com questões diretas e claras, abordando Físico-Química e Química Orgânica. Mais uma vez, todas as questões contaram com dois itens cada e na maioria delas versaram sobre assuntos diferentes. Desde o ano passado, o pano de fundo das questões da Unifesp mudou, deixou de tratar apenas de assuntos ligados à área de Saúde. Questão 7 A questão aborda o tema Soluções de duas formas distintas. No item a é cobrada uma explicação do por que uma determinada solução é condutora; no item b pede-se que o candidato calcule a concentração molar da mesma.

Todas as respostas de Química, na íntegra, estão no site www.etapa.com.br/etaparesolve PÁGINA 14

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

História - Com Sociologia e Filosofia Prof. Thomas Wisiak

enem A prova de História do Enem 2017 trouxe maior equilíbrio na distribuição das questões entre História Geral e História do Brasil, mas seguiu a tendência de um maior número de perguntas sobre o período republicano. Neste caso, foram abordados temas clássicos como os períodos de autoritarismo político do Estado Novo e após o golpe de Estado de 1964 em contraste com o período democrático entre 1945 e 1946, exigindo bom domínio da cronologia. Em relação ao período monárquico, também foi abordado um tema clássico – a escravidão, se bem que exigindo grande habilidade na análise de imagem e capacidade de contextualização, além da política fundiária por meio da Lei de Terras de 1850, o que impôs cuidados com o vocabulário. EXEMPLO: Questão 63.

fuvest – 1ª fase Na 1ª fase da Fuvest a prova de História destacou a Era Contemporânea, exigindo domínio de conteúdo, como as artes no início do século XX – no caso, o movimento futurista e suas relações com o fascismo italiano, a política sistemática de perseguição e de campos de concentração de prisioneiros no contexto da II Guerra Mundial e a Declaração Universal dos Direitos Humanos, publicada pela ONU em 1948. No caso da História Antiga e da História Medieval as questões exigiram uma perspectiva mais abrangente e comparativa dos processos históricos. EXEMPLO: Questão 59. Questão 59

Questão 63

Na parte de História Geral o destaque foi para a Era Contemporânea, ou seja, a História mais recente, exigindo domínio de conteúdo, como o programa de recuperação econômica dos EUA após a crise de 1929, conhecido como New Deal, a ordem mundial logo após a II Guerra Mundial, baseada na noção de Direitos Humanos como um valor universal, além de aspectos das Artes no início do século XX – no caso, o movimento futurista. É importante notar a preocupação com a História da África. Neste caso tivemos uma questão sobre o papel do império do Mali em pleno século XIV, que somente uma boa interpretação do texto poderia ajudar a resolver. EXEMPLO: Questão 86. Questão 86

Seguindo outra tendência nos últimos anos, História da América e História da África marcaram presença na prova da 1ª fase da Fuvest, sendo abordados assuntos específicos do programa, como o conflito interno no Império Inca no momento da conquista espanhola da América ou então as conexões entre a descolonização na África da segunda metade do século XX e o fim do regime autoritário em Portugal conhecido como salazarismo. Chamaram atenção uma questão de História Moderna que abordou as conexões entre ciência e contexto político, exigindo muita concentração na leitura e análise das afirmações a serem julgadas corretas ou incorretas e o pequeno número de questões de História do Brasil, que se concentraram no período colonial.

fuvest – 2ª fase – 2º dia A 2ª fase da Fuvest, na prova geral, avaliou a capacidade do estudante de observar, analisar e contextualizar um mapa de São Paulo no século XIX, a habilidade em estabelecer comparações entre textos de diversos formatos e o contexto da Guerra Fria, além de um grande domínio de cronologia da história da República do Brasil, compensando a ausência dessa parte no programa na 1ª fase. EXEMPLO: Questão 10. Questão 10

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 15


história

v e s t i b u l ar e s

fuvest – 2ª fase – 3º dia No terceiro dia da 2ª fase, que traz as questões de conhecimento específico, a prova exigiu capacidade de observação de gráficos – no caso das populações indígenas na América à época da chegada dos europeus, análise de imagens e contextualização – como no caso da questão sobre Despotismo Esclarecido –, e interpretação de textos, como no caso do colonialismo britânico na Índia do século XIX e dos movimentos migratórios no Brasil dos séculos XIX e XX. Em outras palavras, para fazer uma boa prova de História o aluno deveria ter grande domínio de conteúdo e de cronologia, além de familiaridade com técnicas de análise de imagens, gráficos e interpretação de textos.

2018

vunesp – 1ª fase As questões de História da 1ª fase da Vunesp enfatizaram a parte de América, seja abordando a época da conquista europeia, seja cobrando um assunto do início do século XX – no caso, a Revolução Mexicana, com predomínio de questões de nível básico de complexidade, desde que o estudante tivesse bom domínio de conteúdo e habilidades como análise de imagens e principalmente de interpretação de textos. EXEMPLO: Questão 36. Questão 36

unicamp – 1ª fase A 1ª fase da Unicamp trouxe uma lista de questões abordando as várias partes do programa de História, dando, entretanto, ênfase para a Era Contemporânea, especialmente em relação à questão dos Direitos Humanos. Neste caso, os destaques foram: a condição feminina no século XVIII e no século XIX e o conhecido protesto dos atletas afro-americanos na Olimpíada do México de 1968, registrado em fotografia que já foi utilizada em provas de outros grandes vestibulares. EXEMPLO: Questão 56. Questão 56

De maneira geral, as questões exigiram bastante cuidado na leitura e interpretação dos enunciados para o perfeito entendimento da intenção dos exercícios, supondo um vocabulário bastante amplo por parte do estudante .

unicamp – 2ª fase Já na 2ª fase as questões de História Geral lançaram um importante olhar para o Oriente, abordando o significado social do comércio de especiarias na Europa Medieval, bem como os estereótipos construídos no Ocidente acerca dessa parte do mundo – o chamado “orientalismo”, consagrado na obra do estudioso palestino Edward Said. Também foram abordadas a concepção de arte no regime nazista e suas formas de violência. Na parte de História do Brasil a prova enfatizou aspectos sociais nos períodos colonial e monárquico, levando em conta a condição de mulheres ricas e pobres, negros e ex-escravizados, e a memória do período militar difundida na Nova República a partir do projeto Brasil: Nunca Mais. EXEMPLO: Questão 6.

vunesp – 2ª fase Na 2ª fase, curiosamente, a Vunesp mais uma vez trouxe questões sobre Idade Média, Era Contemporânea, Brasil Monárquico e Brasil Republicano, abordando temas clássicos e exigindo habilidades como interpretação de textos e gráficos, com predomínio de questões de nível médio de complexidade. Questão 03

Questão 06

Respostas da questão 03 em www.etapa.com.br/etaparesolve PÁGINA 16

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


história

v e s t i b u l ar e s

FILOSOFIA

sociologia

enem A prova de Sociologia abordou questões como a condição indígena e o fenômeno da globalização, mas também trouxe temas recorrentes como indústria cultural, gênero e política. Um bom exemplo é a atualidade da política de cotas de gênero em candidaturas partidárias. EXEMPLO: Questão 57. Questão 57

2018

enem Nos últimos cinco anos a prova de Filosofia do Enem ficou marcada por uma diversificação cada vez maior das habilidades e competências exigidas dos candidatos. Em geral, além da interpretação de textos, a prova tem exigido conhecimentos específicos em história da Filosofia, bem como familiaridade com conceitos e temas consagrados da tradição filosófica, atrelados a uma articulação com outras áreas do conhecimento, como História, Literatura etc. Entre os temas mais frequentes no Enem 2017 destacam-se a área de Ética Contemporânea (Jürgen Habermas), Filosofia Política Moderna (contratualismo e liberalismo), Epistemologia Moderna (Descartes, Locke e Hume) e alguns temas de Filosofia Antiga (Pré-socráticos, Sócrates, Platão e Aristóteles). Vale ressaltar que a prova se diferenciou um pouco dos anos anteriores por exigir maior domínio de conteúdo, independentemente dos textos apresentados. EXEMPLO: Questão 55. Questão 55

vunesp – 1ª fase Na 1ª fase da Vunesp encontramos questões relacionadas à Sociologia nos temas da construção social do conhecimento, da política e do fanatismo político, além da indústria cultural. Já na 2ª fase tivemos uma questão sobre positivismo, eurocentrismo e a construção social do conhecimento. Como sempre, a prova buscou abordar um programa de sociologia bastante diverso, percebendo-se, no entanto, a preocupação com cultura e política.

unicamp Como informado pela própria Comvest, o vestibular da Unicamp tradicionalmente relaciona questões de Sociologia à área de Geografia. Dessa forma, a questão da 1ª fase (ver abaixo) abordou o terrorismo internacional, enquanto a questão da 2ª fase lidou com a desigualdade econômica e social, além de pedir aos alunos alguma compreensão do significado do conceito de “Estado de bem-estar social”. Questão 78

unicamp No caso da Unicamp, o manual do candidato recomenda atenção às partes do programa de História que dizem respeito a História da Filosofia, sendo que a resolução das questões nos últimos anos tem dependido basicamente da interpretação de textos.

vunesp – 2ª fase A prova de Filosofia da Vunesp possui muitas características semelhantes à proposta da prova do Enem, como a diversificação de temas e a exigência de familiaridade com assuntos da História da Filosofia Ocidental. No entanto, a 2ª fase tem trazido questões que exigem mais a capacidade de articular conhecimentos específicos de Filosofia com o texto, além de estabelecer relações, geralmente de contraste, entre determinados temas e posições filosóficas. EXEMPLO de questão da Vunesp. Questão 09

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 17


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Geografia – Conteúdo e diversidade Prof. Omar Fadil Bumirgh Apesar das diversas tendências e variações de forma e conteúdo entre os exames selecionados, podemos constatar algumas características comuns, como: - uma grande abrangência do programa, pressupondo conhecimento do conteúdo referente à matéria do Ensino Fundamental e Médio; - marcante diversidade de assuntos a que se presta a disciplina de Geografia, que trata de aspectos naturais, humanos, econômicos, socioculturais, geopolíticos e ambientais; enfim, um típico exame de conhecimentos gerais; - uma tradicional divisão entre questões de Geografia do Brasil (problemas sociais e urbanos, ambientais e econômicos – agropecuária, indústria, transporte e recursos naturais fontes de energia e minérios –, além de domínios naturais, Geografia Geral (geopolítica – mundo contemporâneo –, cartografia, pedologia, geomorfologia, climatologia, geopolítica dos mares e oceanos, problemas ambientais, economia mundial – agropecuária, indústria, transportes e recursos naturais (fontes de energia e minérios), além problemas populacionais (urbanos e sociais)e Geografia Regional do mundo (Estados

Unidos, União Europeia, Rússia, Tigres Asiáticos e América Latina); - as provas, em sua maioria, apresentam o predomínio de questões de Geografia Geral e do Brasil, numa variação de 40% a 50% entre ambas, e Geografia Regional do Mundo (10%); - existência de questões de atualidade que supõem a informação sobre eventos e fatos recentes (inclusive nos meses imediatamente anteriores à prova) de âmbito nacional e internacional, tanto na política, como na questão das Coreias e do Brexit, quanto na economia e sociedade, com questões sobre a formação de blocos econômicos ou desindustrialização, e relacionadas à preservação do meio ambiente, como as sobre o Acordo de Paris; - grande número de questões que exigem do estudante a capacidade de compreensão e análise de textos, tabelas, gráficos e mapas; - as questões nos atuais vestibulares vêm privilegiando a interdisciplinaridade e temas que possam ser contextualizados. Dessa forma, mesmo temas tradicionais acabam tendo uma abordagem mais atual.

GRAU DE COMPLEXIDADE DAS PROVAS 1ª fase – ENEM, VUNESP, UNICAMP e FUVEST – compostas por questões de baixa a média complexidade. 2ª fase – VUNESP, FUVEST e UNICAMP – média a elevada complexidade.

enem Prova com questões contextualizadas, atuais e interdisciplinares , apresentando ainda baixo a médio grau de complexidade, porém muito similar aos exames dos grandes vestibulares, principalmente em Geografia Física.

Questão 80

Questão 70

Alternativa C – Os dados foram colhidos no mês de agosto, inverno no Brasil e período de atuação da massa polar sobre o território nacional, que causa chuvas frontais, principalmente ao longo do litoral. PÁGINA 18

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

Alternativa E – Moscou, cidade situada no domínio do clima temperado continental, com grande amplitude térmica anual e com maiores índices pluviométricos nos meses de verão, está representada pelo climograma indicado.


g ba e o lg ara n çf o ia

v e s t i b u l ar e s

2018

fuvest – 1ª fase A prova manteve o padrão de um exame com questões inteligentes e criativas, que exigem bom domínio dos conteúdos programáticos, capacidade de inter-relação entre os vários aspectos que compõem o

espaço geográfico para melhor compreendê-lo, capacidade de interpretar mapas, imagens e textos; enfim, uma prova dirigida aos candidatos melhor preparados. A boa capacidade redacional foi fundamental.

Questão 01 A questão sobre as coreias mostrou a importância de o aluno estar conectado com temas de atualidade, principalmente relacionados à geopolítica. Observe, na imagem noturna obtida por satélite, os limites territoriais do país A e países fronteiriços.

a) Identifique o país A e cite uma razão para o fato de esse país, comparativamente a seus fronteiriços, aparecer na imagem como se estivesse às escuras. b) Explique, citando ao menos dois argumentos de ordem geopolítica, por que os EUA e alguns países da Europa Ocidental consideram esse país uma ameaça global e regional. Respostas: a) O país identificado por A é a Coreia do Norte e não aparece com os pontos de luz na imagem obtida por satélite, caracterizando uma situação de isolamento e discrepância (socioeconômica e política) no contexto regional. b) A Coreia do Norte, situada ao norte da península, tem uma posição geográfica estratégica (Estado-tampão a uma possível hegemonia capitalista na região) entre a China, seu principal aliado, a Coreia do Sul e o arquipélago japonês. A Coreia do Norte, ainda em “estado de guerra” com a Coreia do Sul, vem promovendo o lançamento de mísseis, sendo vista como ameaça pela Coreia do Sul e pelo Japão.

Questão 06 A criatividade no uso de um esquema com o ciclo de formação das rochas, para que o aluno analisasse fatores geomorfológicos, marcou a prova da FUVEST, exigindo um bom domínio de um tema clássico de geografia física.

a) Identifique os processos formadores de rochas das fases III e VIb e cite um exemplo de rocha para cada uma dessas fases. b) Explique a relação entre uma das rochas citadas e o relevo característico dessa rocha, utilizando se de exemplo no Estado de São Paulo. Respostas: a) Os processos formadores de rochas das fases III e IV são, respectivamente, sedimentação e solidificação. Entre os exemplos de rocha temos, na fase III, o arenito e, na fase IV, o basalto. b) As rochas areníticas e basálticas constituem a base do planalto arenitobasáltico com frente de cuestas no interior do estado de São Paulo. QUESTÃO 6 – A complexidade dessa questão mostrou que somente alunos bem preparados conseguiriam sucesso na prova. Estudos sobre os megaeventos esportivos têm demonstrado seu caráter indutor de significativas transformações urbanas nas cidades que sediam os Jogos Olímpicos. Tais intervenções urbanas são realizadas a partir de investimentos financeiros na melhoria de infraestruturas e imagem dessas cidades. De modo geral, esses megaeventos articulam interesses governamentais, industriais e empresariais.

Considerando o exemplo dos Jogos Olímpicos realizados na cidade do Rio de Janeiro, atenda ao que se pede. a) Explique dois impactos dos Jogos Olímpicos na capital fluminense no que se refere à mercantilização da cidade. b) Cite dois exemplos de estratégias urbanas relacionadas aos interesses governamentais e empresariais. Respostas: a) Dois impactos relacionados com a mercantilização da cidade são a destinação de espaços ou bens públicos para a construção de instalações esportivas e a substituição de construções antigas e degradadas, junto com seus moradores, por empreendimentos culturais (privados e estatais) e empresariais, por exemplo, na região do Porto Maravilha. b) Duas estratégias urbanas são a expansão das redes de transporte, por exemplo, a expansão do metrô até a Barra da Tijuca (local das instalações esportivas) e a inauguração do BRT (Bus Rapid Transit) e do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), e a implantação de novas unidades policiais (Unidade de Polícia Pacificadora – UPP), que visavam garantir o acesso do turista aos principais pontos turísticos e ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim (Galeão).

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 19


g e o g ra f i a

v e s t i b u l ar e s

unicamp Das três, foi a mais inteligente por exigir capacidade de análise, interpretação e domínio de conteúdo, também mesclando questões clássicas e atuais. Também pesou a boa capacidade redacional. Questão 07

2018

vunesp – 2ª fase Das provas, a mais simples e eficiente em sua avaliação, apresentando também questões interdisciplinares e contextualizadas. Questão 05 Esta questão simples, de demografia, marcou a linha da prova.

A questão sobre um assunto clássico, urbanização, mostrou a importância da geografia tradicional, com uma abordagem atual.

A tira acima retrata a transformação de uma paisagem urbana associada aos processos de refuncionalização espacial e gentrificação (do inglês gentrification). a) Dê dois exemplos de refuncionalização espacial ilustrados na tira acima. b) O que é gentrificação? A partir de qual momento da urbanização mundial esse fenômeno passa a ocorrer? Respostas: a) As áreas que sofreram gentrificação viram seus antigos estabelecimentos, principalmente industriais, serem empregados para novos usos, sobretudo do Setor Terciário, com a elitização dos serviços e padrões contemporâneos de residências. b) Gentrificação é um processo de elitização e sofisticação de parcelas da área urbana, que no passado era voltada a indústrias e a moradias de população de média e baixa renda, e hoje sofre a transformação do local em uma área de novos usos, com a instalação de serviços voltados para um público de média-alta e alta renda, como, por exemplo, uma parte do bairro da Móoca, na capital paulista. As edificações são reformadas em prol de um novo padrão arquitetônico, funcionalmente voltado para o setor de serviços, mais sofisticado e sustentável. Esse processo começa a ocorrer a partir da Terceira Revolução Tecnológica.

Questão 12 Fundamental a necessidade de redação para uma questão tão atual, sobre a discussão do Welfare State (ou Estado do Bem-Estar Social). A cidade de Hamburgo, a mais rica da Europa, exibe tanto a mais alta proporção de milionários como a mais elevada incidência de beneficiários da assistência pública da Alemanha; já Nova Iorque concentra a maior quantidade de ricos do Planeta, mas também um dos maiores exércitos de pessoas sem teto e indigentes do hemisfério ocidental. Aparentemente contraditórios, esses fenômenos estão vinculados ao avanço da prosperidade econômica global – não há declínio econômico nesses países – que traz retrocesso e desarticulação do Estado de bem-estar social. (Adaptado de Loic Wacquant, Parias urbanos. Marginalidad em la ciudad a comienzos del milenio. Buenos Aires: Manancial, 2015.) a) Por que a produção da riqueza em países desenvolvidos está gerando mais pobres? Além do conflito de classes, cite outro tipo de conflito social observado em Nova Iorque que também é condicionante para a geração de pobreza. b) O que é o Estado de bem-estar social? Dê um exemplo de recuo do Estado de bem-estar social. Respostas: a) As mudanças no padrão tecnológico de produção (robotização, automação e inteligência artificial), que ocorrem principalmente nos países desenvolvidos, estão fazendo com que o número de empregos diminua, dispensando os trabalhadores menos qualificados e, portanto, mais pobres, aumentando assim a exclusão social e a desigualdade. A cidade de Nova Iorque, por estar fortemente ligada ao setor financeiro (Wall Street) e de serviços da já chamada Quarta Revolução Industrial, baseada nas atividades citadas anteriormente, está passando por um processo de gentrificação, que resulta na expulsão dessa parcela mais pobre da população, que não atingiu a qualificação necessária para ocupar os novos postos de trabalho e que vem ocupando as ruas em passeatas por moradia. b) O Estado de Bem-Estar Social também é conhecido por sua denominação em inglês, Welfare State, e serve basicamente para designar o Estado assistencial que garante padrões mínimos de educação, saúde, habitação, renda e seguridade social a todos os cidadãos. O desequilíbrio fiscal decorrente do déficit público fez com que vários governos nos anos 1980 iniciassem um processo de corte nesses gastos públicos, afetando principalmente os programas sociais que atendiam a parcela da população que mais dependia dos serviços públicos.

PÁGINA 20

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

a) Considerando os diferentes níveis de desenvolvimento socioeconômico, identifique os tipos de países correspondentes às pirâmides etárias do modelo 1 e do modelo 2. b) Cite uma causa comum aos países do modelo 1 para a mudança no número de jovens no período 2015-2050. Apresente uma consequência da alteração na proporção de idosos nos países do modelo 2 no período 1980-2015. Respostas: a) A pirâmide indicada no modelo 1 é característica da maior parte dos países não desenvolvidos em transformação socioeconômica da América Latina, Ásia e África; a do modelo 2 é típica de países considerados desenvolvidos, principalmente da Europa Ocidental e o Japão. b) A mudança no número de jovens está relacionada à diminuição das taxas de natalidade e de fecundidade. A alteração na proporção de idosos traz como consequências, por sua vez, a redução da PEA e o desequilíbrio do sistema de seguridade social.

Questão 07 A questão sobre a formação das ilhas de calor mostra a contextualização da prova com assuntos atuais.


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Inglês - Ênfase no entendimento Prof. Breno Morita

Enem, Fuvest, Unicamp, Vunesp e Unifest são exames coerentes com as competências exigidas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais em relação à língua inglesa. Todos buscam avaliar a habilidade do candidato em fazer uso da língua inglesa como instrumento de acesso a informações na prática social. Isso significa dizer que a ênfase geral dos vestibulares é avaliar a capacidade do

enem

candidato em acessar e interpretar textos que circularam nos meios de comunicação, e menos na verificação do domínio extensivo das regras da norma culta. Por esse motivo, o principal instrumento de estudo é o constante exercício de leitura, dando atenção à pluralidade de gêneros textuais, assim incluindo em seu cotidiano a competência que os exames vestibulares demandarão dele. Questão 03

A prova de Inglês do Enem consiste em cinco questões de múltipla escolha, com perguntas e respostas em português, incluindo ainda um pequeno texto introdutório que antecede a pergunta. Com um texto por questão, uma das características mais marcantes desse exame é a diversidade de gêneros textuais, contemplando tirinhas, peças relacionando imagem e texto escrito, textos de instrução, trechos de peças jornalísticas com três ou quatro parágrafos curtos, divulgação científica, excertos biográficos, pequenas cartas enviadas a jornais e até letras de música ou pequenos poemas. As perguntas são em sua maioria voltadas aos objetivos comunicacionais pontuais de determinado texto, como no caso de instruções ou cartas; ou perguntas sobre compreensão geral do texto, quer seja em pontos de ruptura argumentativa, como no caso de peças que relacionam imagem e texto escrito; quer seja em aspectos chave da argumentação textual, como no caso de artigos jornalísticos ou divulgações científicas. Tais características fazem com que a prova do Enem seja bastante exigente do ponto de vista da atenção e da abrangência do vocabulário, podendo testar desde um vocabulário mais informal, nas tirinhas e peças jornalísticas, até palavras mais rebuscadas, presentes em poesias ou textos de divulgação científica. Por isso os candidatos devem sempre estar empenhados não apenas em aumentar seu vocabulário, mas também ser capaz de reconhecer as diferentes situações de uso e seus respectivos padrões. Questão 04

fuvest – 1ª fase A prova de Inglês da Fuvest também segue a proposta de avaliar a aptidão do candidato em interpretar um texto em inglês. Ainda que no manual conste que podem ser usados textos literários, científicos, de divulgação, jornalísticos ou publicitários, os últimos anos mostraram uma predileção por textos jornalísticos. Historicamente, a 1ª fase apresenta dois textos em inglês e cinco perguntas com enunciados e respostas em português. As perguntas costumas ser direcionadas aos principais tópicos abordados pelo texto, propondo-se verificar se o candidato foi capaz de compreender os principais argumentos utilizados no texto base. Pode se perceber dois tipos recorrentes de questões, ora explorando o sentido geral do texto, ora o sentido de trechos específicos, mas sempre contemplando seus aspectos centrais. A 2ª fase é significativamente diferente da 1ª fase. Em primeiro lugar porque é uma prova dissertativa, com duas questões (cada uma com itens a e b) e um texto por questão. Segundo porque, nos últimos dois anos, os gêneros textuais utilizados não se restringiram ao jornalístico, como na 1ª fase. No último exame, por exemplo, ambas as questões usavam textos verbais e visuais. Para essa 2ª fase, além da capacidade de compreensão textual já testada na 1ª fase, é fundamental que o candidato seja capaz de identificar com precisão as informações no texto e, sobretudo, que tenha capacidade de síntese e boa redação em português. TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 21


Inglês

fuvest – 1ª fase Questões 89 - 90

v e s t i b u l ar e s

2018

unicamp O exame da Unicamp assim como o do Enem, oferece um texto para cada questão, mas explora mais questões de fundo social e assuntos interdisciplinares. No vestibular 2018, das nove perguntas baseadas em texto em inglês, duas foram interdisciplinares, uma com biologia e outra com física; e textos abordando o debate de gêneros sexuais, preconceito social contra negros e privacidade no ambiente digital. É uma prova que testa a aptidão da língua inglesa a partir de temas atuais, demandando do candidato a identificação do ponto chave na argumentação textual. Questão 35

Questão 89

Questão 90

alternativa C No texto: “[...] no free negro’s evidence will be admitted in their courts of justice“. Com isso, relata que escravos libertos não tinham os mesmos direitos que cidadãos nascidos livres.

fuvest – 2ª fase Questão 01

Questão 36

alternativa B No texto: “Social media has done so much for freedom of expression, it would be cruel if it actually leads to less social freedom for fear of having our every misstep, angry word or misbehaviour

PÁGINA 22

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


Inglês

v e s t i b u l ar e s

vunesp – 2ª fase Na Vunesp, a matéria de Inglês está presente tanto na 1ª quanto na 2ª fase. Na 1ª fasae são dez testes, geralmente com um texto mais extenso, quando comparado com os do Enem, Fuvest e Unicamp, e uma ou duas tirinhas, dependendo do tamanho do outro texto. Por ter várias questões explorando um mesmo texto, as perguntas costumam contemplar aspectos mais pontuais, não raro uma ou mais questões por parágrafo. Característica peculiar às provas da Vunesp e da Unifesp é a presença de perguntas tanto em inglês quanto em português, com as respectivas respostas na mesma língua que a pergunta; e a escolha de um único tema para toda prova de Inglês. Na da Vunesp 2018 o tema escolhido foi o cérebro e o pensamento; em 2017, o sono; e em 2016, agrotóxicos, para citar alguns exemplos. As questões costumam ter dois eixos principais: 1 – compreensão de temas específicos levantados em cada parágrafo em função do desenvolvimento geral do texto; 2 – perguntas que se preocupam com a identificação e compreensão de elementos de coesão textual, como referência pronominal, elementos de retomadas e expressões e conectores lógicos que encadeiam a ideia nova à anterior. Já a prova da 2ª fase apresenta um único texto, com quatro questões dissertativas, cada uma delas com itens a e b. Esse formato, um único texto para várias perguntas com respostas dissertativas, faz com que a prova tenha como característica perguntas mais precisas, geralmente verificando se o candidato foi capaz de compreender os principais pontos levantados pelo texto e cobrando também sua capacidade de síntese na redação das respostas.

2018

unifesp A parte de Inglês no vestibular Unifesp é composta por 15 testes e, assim como na 1ª fase da Vunesp, costuma ter um tema central. Em 2018, o tema foi vida digital, abordando as relações humanas mediadas por computadores e celulares. A prova costuma contemplar três ou quatro textos, tanto tirinhas quanto textos exclusivamente verbais. Há perguntas em português e em inglês, com as respostas sendo sempre na mesma língua da pergunta. Como é o caso dos vestibulares que optam por fazer várias perguntas sobre um mesmo texto, as perguntas são mais específicas, muitas vezes direcionadas a parágrafos específicos. Para esse exame, o candidato deve ter domínio sobre elementos de coesão textual (como pronomes e outras formas de retomada de argumentos textuais) e de conectores lógicos (como, por exemplo, but, though, even if, as long as etc.). Dentre os vestibulares aqui analisados, a prova da Unifesp, junto com a Vunesp, é uma das que mais cobram domínio da gramática inglesa e tradução de palavras e expressões específicas. Por isso, além de bom vocabulário, domínio da gramática da língua inglesa e boa compreensão da estrutura argumentativa do texto, é um importante diferencial para o candidato. Questões 32 e 33

Questão 33

Questão 32

alternativa E could have written = pode ter escrito

Questão 33

Questão 33

alternativa B Loopy = to be in a loop. Estar em “loop” significa repetir ações de maneira obsessiva.

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 23


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Física – questões clássicas, muitos conceitos Prof. Alexandre L. Moreno

enem

fuvest – 1ª fase

No Enem 2016, a participação das questões de Física na prova de Ciências da Natureza já tinha atingido a sua melhor formulação. A constante melhora na elaboração das questões ocorreu tanto na boa distribuição de assuntos pertinentes ao programa de Física do Ensino Médio como no equilíbrio entre questões conceituais e outras que exigiam algum tipo de cálculo. Outro aspecto importante tem sido a utilização da “contextualização” de maneira mais simples, com textos menores e mais diretos. No Enem 2017, além da manutenção da boa formulação das questões de Física, outro detalhe chamou muito a atenção: tivemos a prova de Física mais dificil das últimas edições. Um fator agravante foi o fato de que pela primeira vez a prova de Ciências da Natureza foi realizada juntamente com a prova de Matemática, o que produziu um aumento geral na dificuldade e uma decorrente complicação na administração do tempo para resolver a prova. Questão 111 Questão de Eletricidade que exigiu bom domínio conceitual, além de alguns cálculos

Assuntos como Energia, Potência e Ondulatória ainda apresentaram o destaque tradicional, destaque esse que vem desde o início da realização das provas do Enem. É importante destacar que diversos outros capítulos do programa estiveram presentes. Os principais assuntos de Mecânica, Eletricidade, Termologia, Óptica e Ondas marcaram presença, dando à prova um caráter bem abrangente. No Enem 2017 tivemos, sem nenhuma dúvida, as questões de Física mais exigentes e abrangentes se comparadas com todas as edições anteriores do exame. Questão 125 Questão de Cinemática bem contextualizada, que exigiu muita atenção nos conceitos e cálculos Um motorista que atende a uma chamada de celular é levado à desatenção, aumentando a possibilidade de acidentes ocorrerem em razão do aumento de seu tempo de reação. Considere dois motoristas, o primeiro atento e o segundo utilizando o celular enquanto dirige. Eles aceleram seus carros inicialmente a 1,00 m/s2. Em resposta a uma emergência freiam com uma desaceleração igual a 5,00 m/s2. O motorista atento aciona o freio à velocidade de 14m/s, enquanto o desatento, em situação análoga, leva 1,00 segundo a mais para iniciar a frenagem. Que distância o motorista desatento percorre a mais do que o motorista atento, até a parada total dos carros?

PÁGINA 24

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

O vestibular mais consolidado do país manteve a tradição de realizar excelentes questões de Física, tanto na 1ª fase como no segundo e no terceiro dia da 2ª fase. Como sempre, o programa foi cobrado de maneira extensa, percorrendo os principais assuntos de todas as grandes áreas, mantendo assim a característica de uma prova abrangente. Mais uma vez as questões apresentaram formato clássico, sem se perder em aspectos irrelevantes. Assim, com as principais características mantidas (abrangência e questões clássicas), a Fuvest consegue como sempre selecionar os candidatos mais bem preparados. Na 1ª fase ocorreu um pequeno aumento no grau de dificuldade, tanto nos conceitos físicos exigidos como nos cálculos aritméticos. Questão 06 Questão de Mecânica que envolveu vários conceitos diferentes, além de muita atenção nos cálculos


física

v e s t i b u l ar e s

fuvest – 2ª fase Assim como na 1ª fase, a 2ª fase da Fuvest 2018 apresentou aumento no grau de dificuldade. No segundo dia da 2ª fase houve a tradicional cobrança de interpretação de gráficos e de questões contextualizadas com muitas informações no “Note e adote”, como na questão que envolveu Ondas Gravitacionais. Outro detalhe importante foi a cobrança de habilidades clássicas como a marcação de forças que atuam em diversos corpos. Chamou bastante atenção a grande quantidade de cálculos, sendo que em muitos deles os resultados eram bem “quebrados”. Com certeza, o candidato que não estava bem preparado para as exigências aritméticas teve o seu resultado bastante prejudicado. Nota-se que a Fuvest está fazendo questão de cobrar tais habilidades aritméticas em todas as fases do seu vestibular; No terceiro dia da 2ª fase a prova foi bem cansativa, com grande quantidade de itens por questão. Essa quantidade de itens permite a cobrança de muitos conceitos, tornando a prova extremamente abrangente. Novamente ocorreu uma grande quantidade de cálculos e as tradicionais questões “clássicas”, aquelas a que os candidatos bem preparados já estão bem acostumados. A Fuvest 2018 foi mais uma vez um vestibular de alta qualidade.

2018

unicamp – 1ª fase Na 1ª fase da Unicamp 2018, assim como nas edições anteriores, houve predomínio das questões envolvendo o conhecimento de conceitos de Mecânica. Em geral as questões apresentaram baixa complexidade, cobrando conceitos simples e poucos cálculos. Foi bastante exigida a capacidade do candidato transformar unidades de medidas. A contextualização, que sempre esteve presente nas provas da Unicamp, apareceu de forma mais direta, produzindo enunciados menores e de fácil interpretação. Questão 45 Questão clássica envolvendo a transformação de energia térmica em elétrica. Era necessário muito cuidado com a utilização de diversas unidades de medidas

Questão 02 Questão com assuntos de Mecânica e Eletricidade, bem equilibrada na cobrança de conceitos e na realização de cálculos

unicamp – 2ª fase A 2ª fase da Unicamp 2018 surpreendeu um pouco pelo fato de ter ocorrido uma redução no grau de complexidade da prova. Tal fato chamou a atenção, já que nas edições anteriores o grau de dificuldade da prova foi de médio a alto. Com uma distribuição clássica de assuntos, a Mecânica apareceu em metade das questões, cobrando conceitos bem tradicionais, como a marcação de forças que atuam em corpos distintos. Questão 09 Questão de Mecânica bem abrangente e com conceitos clássicos como a necessidade da marcação das forças em cada corpo

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 25


física

v e s t i b u l ar e s

vunesp A Vunesp 2018 manteve a tradição de realizar um vestibular mais simples e direto, se comparado com a Fuvest e a Unicamp, por exemplo. Tanto na 1ª como na 2ª fase, as questões de Física foram clássicas e com cálculos simples. A contextualização não foi uma característica marcante da prova, tornando os enunciados menores. As questões, como sempre, foram bem elaboradas e bem tradicionais. Questão 19

2018

unifesp As cinco questões de Física do vestibular de 2018 da Unifesp cobriram conceitos importantes do programa, com enunciados bem elaborados e uma contextualização adequada. Assim como em 2017, o grau de dificuldade não foi tão elevado. Este fato impõe um problema para candidatos de carreiras muito disputadas, como Medicina, forçando-os à necessidade de praticamente “gabaritar” a prova. Todas as questões foram bem tradicionais e não exigiram cálculos muito complicados. Questão 14

Questão abrangente exigindo conceitos de Dinâmica, Cinemática e Mecânica dos Fluidos

Questão de Óptica Geométrica bem tradicional e com cálculos simples

Questão 82 Questão muito tradicional de Eletricidade envolvendo um circuito elétrico simples

Questão 15 Questão de Eletricidade bastante simples, contendo conceitos básicos e extremamente conhecidos pelos candidatos bem preparados

PÁGINA 26

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018


ba l a n ç o

v e s t i b u l ar e s

2018

Enem aumenta tempo de Exatas O Enem 2018 ampliou para cinco horas a duração da prova de Matemática e Ciências da Natureza, o que provavelmente reduzirá bastante o problema dos candidatos em concluir a resolução das questões por falta de tempo suficiente. O Prof. Edmilson Motta, coordenador do Etapa, diz que “no Enem 2017, apesar de haver claro cuidado na elaboração da prova, especialmente de Matemática, com enunciados menores e mais diretos, o número significativo de questões envolvendo manipulação algébrica e aritmética, além de alguns textos mais longos em Ciências da Natureza – Física, Química e Biologia –, com análise de gráficos e de esquemas, o tempo se mostrou inadequado”. As quatro horas e meia da prova de Ciências não foram suficientes para solucionar as questões. "Houve uma queda nas notas de bons candidatos, com consequências como, por exemplo, estudantes com médias boas não conseguirem se candidatar ao curso de Medicina Pinheiros, nas vagas reservadas ao Sisu, porque não atingiram a nota mínima exigida, 700, em uma das provas ou em ambas. O aumento de meia hora na prova de Matemática e Ciências da Natureza é uma mudança muito boa, que vai

ITA 2019 será em duas fases O ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica, de São José dos Campos, mudou o formato de seu vestibular 2019, desdobrando-o em duas fases. A 1ª fase está marcada para 23 de novembro (sexta-feira) e a prova, com testes de múltipla escolha e quatro horas de duração, terá 60 questões de Física, Português, Inglês, Matemática e Química (12 questões de cada disciplina). Os classificados na 1ª fase serão convocados para as provas discursivas e a Redação da 2ª fase, nos dias 10 e 11 de dezembro, cada uma também com duração de quatro horas No primeiro dia, uma segunda-feira, a prova será composta por 10 questões de Matemática e 10 de Química. No segundo dia, terça-feira, a prova terá 10 questões discursivas de Física e a Redação, No último vestibular o ITA ofereceu 110 vagas e teve 11135 candidatos.

Calendário dos vestibulares 2019 Fuvest

Tel.: (011) 2187.1000 Apoio Editorial Equipe Pedagógica do ETAPA Educacional Editor Responsável Henrique Nunes MTb 9573 Editor de Arte Adriano Emanuel Rodrigues

1ª fase 25/11/2018 Conhecimentos Gerais – 90 questões

2ª fase

6/1/2019 – Português (10 questões) e Redação 7/1/2019 – Prova de matérias prioritárias (duas a quatro) de cada carreira (12 questões) 2ª fase

Unicamp

1ª fase 18/11/ 2018 Conhecimentos Gerais – 90 questões

13/1/2019 – 1º dia: Redação (dois textos) Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa (6 questões) 14/1/2019 – 2º dia: Matemática, História e Geografia (6 questões de cada matéria) 15/1/2019 – 3º dia: Física, Química e Biologia (6 questões de cada matéria) 2ª fase

Vunesp

1ª fase 15/11/2018 Conhecimentos Gerais – 90 questões

16/12/2018 – 1º dia: 12 questões relativas à área de Ciências Humanas e suas tecnologias (elementos de História, Geografia e Filosofia) e 12 questões relativas à área de Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias (elementos de Biologia, Química, Física e Matemática) 17/12/2018 – 2º dia: Redação e 12 questões de Linguagens e Códigos (elementos de Língua Portuguesa e Literatura, Língua Inglesa, Educação Física e Arte)

ITA

Publicação da Gráfica Editora Guteplan Redação: Rua Vergueiro, 1987

tornar mais viável chegar a essa pontuação”. Ele ressalta ainda a importância dessa ampliação com o exemplo de Matemática, prova que exige muito tempo para solucionar as questões e na qual a quantidade de acertos é bastante variada. "As notas ficam bem espaçadas, tem desde o 300, para quem zera a prova, até perto de 1000, para quem totaliza. Para ter uma nota 700 é preciso acertar pouco mais da metade das questões". Outro ponto que o Prof. Edmilson Motta destaca no exame do Enem refere-se à prova que desde o ano passado juntou no primeiro domingo Linguagens, História, Geografia, Filosofia e Sociologia, mais a Redação. "Ficou um pouco pesada para os candidatos por conta da necessidade grande de leitura, com muitos textos nos enunciados da quase totalidade das questões. Apesar disso, como a prova teve cinco horas e meia de duração, em geral os participantes saíram confiantes em um bom resultado". O Enem 2018 manterá o formato do último exame, que foi aplicado em dois domingos sucessivos e não em dois dias seguidos, como antes.

Unifesp

Enem

1ª fase 23/11/2018 60 questões testes de Matemática, Química, Física, Português e Inglês 1ª fase Nota do Enem

2ª fase 10/12/2018 – Matemática e Química 11/12/2018 – Física e Redação 2ª fase Para 6 cursos: Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Biologia, Química, Física e Matemática

1º domingo 4 de novembro

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Ciências Humanas e suas Tecnologias Redação

2º domingo 11 de novembro

Ciências da Natureza e suas Tecnologias Matemática e suas Tecnologias TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

PÁGINA 27


ba l a n ç o

PÁGINA 28

TENDÊNCIAS DO VESTIBULAR – 2018

v e s t i b u l ar e s

2018

Tendências do Vestibular - Maio 2018  

Balanço dos vestibulares 2018

Tendências do Vestibular - Maio 2018  

Balanço dos vestibulares 2018

Advertisement