Page 1

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

JORNAL ASERGHC

Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição

É cada vez mais necessária a mobilização de todos para defendermos nossos direitos e enfrentarmos os governos e gestores. Valmor Almeida Guedes - presidente da ASERGHC

aserghc.com.br /aserghc STÉFANO MARIOTTO DE MOURA

PÁGS. 4 E 5

Acordo Interno fica! Nenhum direto a menos PÁG. 3

CHARGE BLOG RUDI

PÁG. 2

Confira também nesta edição:

Somos todos iguais! J ustiça exige eleição democrática para Conselho de Administraçã o

Eleição para o conselho de administração ....................................... PÁG. 2

Esporte Escolinha de Futebol da ASERGHC vence 44º Campeonato Praiano de Arambaré

COMUNICAÇÃO ASERGHC

PÁG. 8

Com a Palavra: Valmor Almeida Guedes Nenhum direito a menos! Greve Geral dia 28 de abril.

Como podem retirar nossos direitos se estão envolvidos em corrupção? ....................................... PÁG. 6

Assédio moral no trabalho ....................................... PÁG. 7


2

JORNAL ASERGHC

Com a palavra:

Valmor Almeida Guedes, presidente da ASERGHC

Vivemos um período muito di ícil no Brasil. A solução do governo federal e estadual para a instabilidade econômica tem sido cortar gastos com o funcionalismo, saúde, educação e segurança. Ainda no inal do ano passado, o governo ilegítimo de Temer e seus aliados corruptos do Congresso aprovaram uma proposta de emenda constitucional que permite cada vez menos investimento nestas áreas sociais. Para piorar ainda mais a vida dos brasileiros, já aprovaram a Lei da Terceirização e querem aprovar as Reformas da Previdência e a Trabalhista. Com a desculpa de “acertar as contas públicas”, tentam nos convencer de que as Reformas são boas. Ora, um funcionário que precisa trabalhar a vida inteira e tal- vez não atinja o tempo mínimo para se aposentar, isso se conseguir não ser demitido ou terceirizado, enxerga de longe que essas Reformas não consertam nada. Querem que trabalhemos quietos e sigamos pobres até morrer! No Grupo Hospitalar Conceição a situação também é de retirada de direitos. Nossa mobilização será fundamental para enfrentar esses ataques. Temos que intensiicar a organização nos nossos setores, para garantir a renovação de TODO nosso acordo interno. Nas últimas semanas, a diretoria do GHC já retirou, de forma completamente autoritária, a Licença Capacitação e Férias Prêmio dos funcionários e o nosso ValeAlimentação, bene ício básico e importante para milhares de famílias, está ameaçado. É cada vez mais necessária a mobilização de todos para defendermos nossos direitos e enfrentarmos os governos e gestores. Nós, que garantimos a saúde pública no Brasil, devemos nos juntar aos trabalhadores da educação, do transporte e trabalhadores de todas as categorias. Por isso, a convocação de uma grande Greve Geral, no dia 28 de abril, servirá para a população demonstrar sua indignação e fazer frear os ataques aos nossos direitos, disfarçados de reformas. Vamos parar o país! Nenhum direito a menos!

Também assinam este editorial: Luis Fernando Tavares (vice-presidente), Cátia Santos (vice-presidente), Vera Mengue (vice-presidente), Carine Fernandes (primeira secretária), Janaína Rodrigues (segunda secretária), Anália Silva (primeira tesoureira), Carlos Alberto Oliveira (segundo tesoureiro), Adriana Guimarães (diretora sócio recreativo cultural), Arnaldo Dornelles (diretor de esportes) Graziela Palma (diretora de comunicação e divulgação), José Inácio Freitas da Silva (diretor de benefícios), Mariza Gomes de Matos (diretora do patrimônio), Rudi Caldeira (diretor sindical), Marli Alves da Silva (diretora da saúde do trabalhador), José Antônio Souza da Silva (coletivo de gênero, raça e diversidade) e Cândido Brasil (coletivo para promoção cultural).

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

Somos todos iguais! Justiça exige eleição democrática para Conselho de Administraçã o

Mais uma vez a mobilizaçã o dos trabalhadores em defesa da democracia sindical venceu. A 4ª Vara do Trabalho de Porto Alegre decidiu interromper o processo eleitoral que restringia a candidatura de trabalhadores que nã o possuem nıv́el superior e representantes sindicais para representar a categoria de funcioná rios no Conselho de Administraçã o, no Hospital Nossa Senhora da Conceiçã o. A justiça classi icou a tentativa de elitizar e discriminar a participaçã o dos funcioná rios como “ato antissindical”, e entendeu que qualquer trabalhador tem direito a se candidatar ao Conselho, destacando o princı-́ pio da igualdade ao impedir que té cnicos que nã o possuem formaçã o superior sejam candidatos.

Esta vitó ria judicial é importante para todo o movimento sindical brasileiro, pois enfrentou as restriçõ es burocrá ticas que a lei 13.303/ 2016 tenta impor. Uma nova disputa com oportunidades iguais possibilitará que mais colegas trabalhadores participem da eleiçã o do Conselho de forma igualitá ria. Abaixo a discriminaçã o dos trabalhadores! Exigimos tratamento justo e igualitá rio! ASERGHC na luta!

A decisã o valoriza o tempo dedicado e o esforço das funcioná rias e funcioná rios das organizaçõ es sindicais dedicados em prol da atividade coletiva. Foi dado o prazo de 20 dias para o GHC realizar um novo processo eleitoral, sob pena de multa, caso nã o cumpra a orientaçã o da justiça.

Trata-se de ato antissindical, que além de impedir que empregados de nível médio participem da Eleição de Representante dos Empregados no Conselho de Administração ainda proíbe a indicação de pessoa que exerça cargo em organização sindical. Parece haver uma presunção de que tal pessoa se desviará de suas atribuições, sendo ela representante dos interesses dos empregados da empresa, que são diretamente impactados pelas decisões estratégicas do referido Conselho. Ademais, observa-se afronta direta ao princípio da igualdade ao impedir que técnicos que não possuem formação superior estejam impedidos de participar.

Expediente 28 DE ABRIL, GREVE GERAL! PARALISAÇÃO EM TODAS AS UNIDADES DE TRABALHO DO GHC.

Jornal da Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição Rua Marco Pólo, 93 Cristo Redentor CEP 91.350-280 Porto Alegre/RS Contatos: (51) 3019-3285 aserghc@aserghc.com.br

Presidente Valmor Almeida Guedes Coordenadora Graziela Machado Palma Jornalista Responsável Júlia Matos - Reg. Prof. 0018574 Jornalista Nathália Bittencurt Projeto Gráfico e Diagramação Afrânio Scolaro


Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

JORNAL ASERGHC

3

Sobrecarga de trabalho gera doenças

ASERGHC - 41 anos

Por Rudi Caldeira, diretor da pasta Sindical da ASERGHC

Para relembrar a nossa história

E alarmante o dé icit de pessoal nas equipes do Grupo Hospitalar Conceiçã o. E quase uma unanimidade entre os setores do grupo a reclamaçã o de sobrecarga de trabalho por falta de pessoal que tem provocado afastamentos de funcioná rios para tratamento da saú de. O perıo ́ do de fé rias somado a imensa falta de organizaçã o da gestã o, sã o elementos que contribuem para o aumento do absenteıśmo e, consequentemente, a uma carga de trabalho ainda mais desumana. Um ciclo vicioso que prejudica duplamente os trabalhadores, pois, por mais irô nico e absurdo que pareça, os atestados apresentados (absenteıśmo) é cobrado da equipe quando da avaliaçã o coletiva, baixando a nota e prejudicando a todos. Um dimensionamento de pessoal justo e isento, com crité rios transparentes, apontando para uma real adequaçã o do quadro e o aumento de vagas efetivas que cubra a demanda, se faz urgente dentro de nossa instituiçã o.

A situaçã o está se agravando, mas parece divertir a quem gerencia ou quem governa, quem apenas sabe apontar para a necessidade de ajuste das contas pú blicas, demonstrando pouco se importar com o produto inal dentro da á rea da saú de, que sã o as Vidas Humanas. Quantas destas vidas ainda teremos que perder por falta de pessoal? Nã o podemos andar na contramã o do aumento populacional. E a vida de quem cuida, nã o vale nada? Exigimos respeito!

No dia 29 de maio de 1976, um grupo de funcioná rios do Grupo Hospitalar Conceiçã o (GHC), sentindo a necessidade de unir e integrar a equipe de colaboradores, e de suprir carê ncias assistenciais, fundou a Associaçã o dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceiçã o (ASERGHC). Nesse perıo ́ do, inú meras atividades culturais e esportivas foram realizadas, o que contribuiu de fato com a integraçã o do grupo. Em 1986, a ASERGHC já apresentava um forte espıŕito de categoria entre os funcioná rios, o que estimulou-os a se organizarem por setores em defesa de condiçõ es dignas de trabalho e de melhores salá rios. Iniciava-se, assim, um ciclo de independê ncia e autonomia da ASERGHC em relaçã o ao GHC. Devido à omissã o do sindicato majoritá rio, em 1987 a associaçã o assumiu corajosamente o papel de levar adiante as reivindicaçõ es dos funcioná rios. Desde sua fundaçã o, a ASERGHC foi marcada por inú meras di iculdades, como a criaçã o de uma associaçã o alternativa com a intençã o de dividir os trabalhadores. Em 2000, foi iniciado o processo de uni icaçã o das duas associaçõ es e, hoje, a associaçã o é ú nica, forte e representativa, mantendo vivo o espıŕito de uniã o e de luta, mote fundamental desde o seu princıp ́ io.

CHARGE BLOG RUDI

Hoje aproximadamente 10% do quadro de pessoal está afastado, e deste total, estima-se que em torno de

40% está afastado há mais de quatro anos. Com o crescente cená rio de desemprego, é inadmissıv́el que o governo peque propositadamente em repor trabalhadores, trazendo riscos à assistê ncia, criando situaçõ es de di iculdade de acesso da populaçã o aos serviços de saú de. No GHC, Processos seletivos sã o abertos visando apenas a necessidade de funcioná rios temporá rios, que nã o atendem à s reais necessidades, pois o processo de reposiçã o é lento e sobrecarrega ainda mais os escassos funcioná rios efetivos que acabam por agregar a atribuiçã o de treinamento.

A ASERGHC tem realizado atividades de integraçã o, protestos, assembleias e lutas em defesa dos interesses dos trabalhadores do GHC. Nunca perdendo de vista a qualidade da saú de, sua gratuidade e cará ter pú blico. Este é seu maior compromisso!

Se você quer fazer a diferença, faça parte da ASERGHC!

Data Horário

Festa de

Aniversário

Local Animação Valor

02 de junho de 2017 21h Casa do Gaúcho * Banda Áudio Mix R$ 20,00 › sócios R$ 25,00 › não-sócios

* Endereço: Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia) Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 301 Centro - Porto Alegre/RS


4

JORNAL ASERGHC

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

Acordo interno fica!

Arlindo Ritter, presidente do Sindisaú de.

PARTICIPE DAS COMISSÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA FORTALECER O MOVIMENTO. CONVOQUE SEU LOCAL DE TRABALHO E VENHA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS!

A diretoria do GHC, atravé s de medidas autoritá rias e irresponsá veis, retirou duas conquistas dos trabalhadores, as Fé rias Prê mio e a Licença Capacitaçã o. A decisã o está em vigor desde o dia 1º de abril e atingiu todos os funcioná rios do grupo. As negociaçõ es entre a ASERGHC, os sindicatos e a direçã o do grupo ainda estã o em aberto. As entidades que representam os trabalhadores nã o aceitam que qualquer item seja retirado do acordo! A ASERGHC, em conjunto com 14 sindicatos, vem construindo desde o dia 22 de fevereiro, assembleias gerais e atos para mobilizar os trabalhadores a reagirem à altura dos cortes. Mais do que nunca, a crise inanceira e polıt́ica envolvendo a direçã o do GHC nã o podem servir de desculpas para que sejam retirados direitos bá sicos. Nossa luta é por direitos iguais e somente a uniã o dos trabalhadores será capaz de barrar este retrocesso. Em assembleia, no dia 23 de março, os sindicatos e a ASERGHC organizaram uma vigıĺia em frente ao pré dio administrativo do GHC, antes da reuniã o com a comissã o de negociaçã o do grupo. Nesta ocasiã o, a direçã o nã o

apresentou nenhuma proposta o icial para o reajuste do vale alimentaçã o e apenas reiterou a retirada unilateral dos outros dois itens (fé rias-prê mio e licença capacitaçã o). Apesar das manobras da direçã o do Grupo Hospitalar Conceiçã o, que cancelou de ú ltima hora a reuniã o que estava marcada para o dia 12 de abril na tentativa de barrar e desmobilizar as categorias, mais de 800 trabalhadores compareceram na vigıĺia e a na assembleia organizada na ú ltima semana. De forma unâ nime, os trabalhadores decidiram pela formaçã o de comissõ es de mobilizaçã o para fortalecer o movimento em prol do acordo interno; mobilizaçã o em todas as unidades do GHC no dia 25 de abril das 11h à s 14h e encaminhamentos para a adesã o à greve geral do dia 28 de abril, convocada em todo paıś. Mais do que a permanência de todos os itens do nosso acordo é necessário lutar pelo reajuste do vale-alimentação, com os valores reais de reparação das perdas dos anos anteriores. Também é necessário buscar igualdade com os valores praticados em outras empresas ligadas ao Governo Federal.

COMUNICAÇÃO ASERGHC

Valmor Guedes, presidente da ASERGHC.

COMUNICAÇÃO ASERGHC

COMUNICAÇÃO ASERGHC

Vamos à luta pelos nossos direitos


Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

JORNAL ASERGHC

5

28 DE ABRIL, GREVE GERAL! PARALISAÇÃO EM TODAS AS UNIDADES DE TRABALHO DO GHC.

JOANA GABE

JOANA GABE

Nenhum direito a menos

STÉFANO MARIOTTO DE MOURA

AÇÕES EM PROL DO ACORDO INTERNO: NO DIA 25 DE ABRIL, DAS 11H ÀS 14H, EM TODAS UNIDADES GHC.


6

JORNAL ASERGHC

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

Como podem retirar nossos direitos... ... se estão completamente envolvidos em corrupção?

Você sabe quais Lojas e Serviços são Conveniados à ASERGHC? Confira aqui:

• Agafarma • Altamar Calçados Ltda. • Ateliê Fuxiko Arts • FBD Informática • HN Modas • JCV Travel Viagens e Turismo • Loja do Enfermeiro • Malhas da Serra • Murano Bijoux • Odonto Center - RS • Ortho Saúde Clínica Odontológica • Popularmed Farmácias • Redlar - Alvorada

Mais uma notıćia de corrupçã o atinge o paıś. Apó s a publicaçã o da lista o icial do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) e da divulgaçã o do teor das delaçõ es, veio a pú blico a citaçã o do nome de Ibanez Filter, atual diretor Administrativo e Financeiro do Grupo Hospitalar Conceiçã o (GHC). Segundo a rá dio Gaú cha, em maté ria do dia 13 de abril, o esquema envolvendo a extensã o da linha do Trensurb foi alvo de trê s pedidos de pagamentos de propina entre 2008 e 2009: um de Padilha; um de Maia, Arildo e Kasper; e outro de Paulo Bernardo. Juntos, eles teriam recebido R$ 3,45 milhõ es da construtora. As cobranças ocorreram a partir do inı́cio das obras, que enfrentaram restriçõ es do Tribunal de Contas da Uniã o (TCU). Conforme o site da rá dio Gaú cha, “os pagamentos foram feitos para o codinome Bicuira, do deputado Eliseu Padilha, em sete parcelas, no total de R$ 1.490.000,00 até 2010. O percentual da propina foi de 1% sobre a parte deles no contrato", disse Benecdito. "Os pagamentos dos gaú chos, Padilha, Marco Maia, Marco Arildo e Kasper, foram todos equacionados atravé s do doleiro Tonico", relatou o dirigente aos investigadores. Lana també m detalhou a forma como o dinheiro teria chegado a Padilha. Segundo ele, o peemedebista o procurou para cobrar o pagamento de 1% sobre o valor da obra, com o argumento de que ele teve participaçã o nas tratativas que viabilizaram o empreendimento, licitado em 2001. No perı́odo, Padilha era ministro dos Transportes do governo Fernando Henrique.

O delator Lana a irmou que o gaúcho indicou uma pessoa que trabalhava com ele para receber os valores, identi icada por "Ibanez". "No caso do Eliseu Padilha, não era eu, mas o Nilton que entregava para uma pessoa de nome Ibanez, que trabalhava com ele (Padilha), no escritório político dele", revelou Lana. Trata-se de Ibanez Filter, atual diretor Administrativo e Financeiro do Grupo Hospitalar Conceição (GHC). Ibanez se tornou diretor do grupo através de indicação política do ilegítimo presidente Michel Temer em junho de 2016, com uma cerimônia de posse feita às escuras durante uma madrugada de sábado.

A ampliaçã o do Trensurb já é alvo de investigaçã o do Ministé rio Pú blico Federal desde 2011, por suspeita de superfaturamento na obra, cujo inıćio em 2001 tinha um orçamento de R$ 270 milhõ es. Quando a ampliaçã o foi concluıd ́ a, em 2014, o custo inal icou em R$ 953 milhõ es, depois de aditivos contratuais. Procurado pela Zero Hora, Ibanez nã o quis comentar a citaçã o ao seu nome. Até quando a diretoria do GHC icará escondida, sem prestar esclarecimentos para a populaçã o e principalmente aos quase 10 MIL trabalhadores do GHC? Nó s nã o podemos aceitar calados, que gestores ilegıt́imos e envolvidos em denú ncias de corrupçã o retirem nossos direitos conquistados com muita luta. Fonte: Rá dio Gaú cha e Zero Hora

• Rosa do Mar • Spadari Shoes • Studio L’Beauty • Meridien Clube • Integrare Clínica Dentária • Nepo Odontologia Especializada

COLEGAS, NOS DIAS 25 E 28 DE ABRIL, VAMOS MOSTRAR A ELES QUE OS TRABALHADORES MERECEM RESPEITO E ESTÃO DE OLHO VIVO!


Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

JORNAL ASERGHC

Assédio moral no trabalho

Jiu Jitsu

Apoio: Marli Alves da Silva, diretora da pasta Saú de do Trabalhador

A arte da defesa não-violenta.

O assé dio repetitivo e de longa duraçã o interfere na vida do trabalhador e trabalhadora de modo dire-

to, comprometendo sua identidade, dignidade e relaçõ es afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saú de fıśica e mental. O assé dio moral é um problema da sociedade atual e infelizmente está presente na realidade do GHC. E preciso lutar para implementar polıt́icas de prevençã o nos setores e em todos os hospitais do grupo. “O assédio moral no trabalho é qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, comportamento, atitude) que atente, por sua repetição ou sistematização, contra a dignidade ou integridade psíquica ou ísica de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima de trabalho.” Marie-France Hirigoyen

Os três mais recorrentes

TIPOS DE ASSÉDIO

1

O assédio moral vertical descendente, muito comum nas empresas, é caracterizado quando o agressor é um superior hierárquico e a vítima é submetida às suas ordens, como por exemplo, o enfermeiro e o técnico de enfermagem ou o nutricionista e o técnico de nutrição.

2

Já o assédio moral vertical ascendente, embora seja raro, ocorre quando um funcionário hierarquicamente inferior assedia seu superior. Exemplo: técnico de enfermermagem e enfermeiro ou atendente de nutrição e técnico de nutrição.

3

SHUTTERSTOCK

O assé dio moral é a exposiçã o, repetitiva e prolongada dos trabalhadores a situaçõ es humilhantes e/ou constrangedoras durante o exercıćio de suas funçõ es. Pode ocorrer em qualquer ambiente de trabalho e tem consequê ncias graves na vida do trabalhador. Os ataques psicoló gicos dirigidos de forma continuada podem causar diversas doenças mentais e fıśicas que acabam prejudicando a saú de. A violê ncia, verbal ou fıśica, é frequentemente usada como instrumento de dominaçã o e o assé dio moral é o re lexo de uma relaçã o assimé trica de poder.

7

O assédio moral horizontal caracteriza-se como aquele praticado entre trabalhadores hierarquicamente iguais, não havendo qualquer relação de subordinação entre eles, como por exemplo, técnico de enfermagem e técnico de enfermagem ou higienizador e higienizador. A homofobia, o preconceito racial e religioso são modelos de desencadeadores do assédio moral horizontal.

O Jiu Jitsu é uma arte marcial milenar criada como técnica para que o menor sobreponha o maior mediante o uso da alavanca e não de força pura. A ASERGHC oferece aulas dessa técnica aos sócios e seus dependentes, de todas as idades e gêneros. O professor, Vitor Siqueira Tim, é faixa preta em 3º grau, e o instrutor, Elton de Souza Martins, é faixa rocha. Eles são responsáveis pelos treinos de kimono, às terças e sextas, e de submissão (defesa pessoal e MMA), às quintas-feiras, sempre das 19h30 às 21h, na sede social da Aserghc (Rua Marco Pólo, 93). As inscrições podem ser realizadas nas secretarias da associação ou nos locais e horários dos treinos. Participe!

.......................................................

Serviço: Aulas de Jiu Jitsu, às terças, quintas e sextas, das 19h30 às 21h, na Sede Social da ASERGHC.


8

JORNAL ASERGHC

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Nú mero III

Escolinha da ASERGHC é campeã no Campeonato Praiano

COMUNICAÇÃO ASERGHC

COMUNICAÇÃO ASERGHC

COMUNICAÇÃO ASERGHC

Times da Escolinha de Futebol da ASERGHC vencem o 44º Campeonato Praiano de Arambaré

Os times da Escolinha de Futebol da ASERGHC subiram no pódio em três categorias do 44º campeonato Praiano de Arambaré. Os jogadores das categorias Sub-13 e Sub-15 foram campeões, e a categoria Sub-17 conquistou o 3º lugar. O treinamento dos times vitoriosos é feito pelo Professor Cristiano, e o acompanhamento contínuo do incentivo ao Esporte é coordenado pelo diretor de esportes Arnaldo Dornelles (Baggio). A fase classi icató ria do campeonato foi disputada por cinco times de cada uma das categorias no inıćio de fevereiro em Arambaré . Os jogos decisivos aconteceram na rodada inal no dia 19 de março. A 44ª ediçã o do torneio contou com jovens das cidades de Arambaré , Camaquã , Porto Alegre e Tapes. Parabé ns aos nossos campeõ es!

IV Taça União

Time Veterano

Con ira os resultados!

Proibido para menores de 45 anos

A quarta ediçã o da Taça Uniã o Diante da demanda dos pró aconteceu no dia 25 de março, na prios atletas, surgiu o time de futebol Sede Campestre da ASERGHC em voltado para jogadores acima dos 45 Viamã o. Participaram as escolas de anos, os veteranos. Segundo Baggio, futebol do Sesc de Porto Alegre, Boca diretor da pasta de esportes da Juniors, unidade Canoas, Minuano e a ASERGHC, o time já conta com mais pró pria ASERGHC. Na Sub-11, Boca de 40 atletas e o principal objetivo é a Juniors venceu o Sesc, por 2 x 1, nos integraçã o entre os associados. Os vepê naltis. Na decisã o de terceiro colo- teranos já jogaram em 4 amistosos cado, o Minuano venceu a ASERGHC com times de outros locais e pretenpor 3 x 1. Na decisã o da Sub-13, o time dem participar de diferentes campeoda ASERGHC venceu o Minuano por natos no estado. Os treinos aconte4 x 3 e na decisã o do terceiro lugar, e cem aos sá bados, na Sede Campestre, o Boca venceu por 2×0 o Sesc. para os associados acima de 45 anos.

Profile for estudioscolaro

JORNAL ASERGHC  

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Número III

JORNAL ASERGHC  

Porto Alegre/RS, Abril de 2017 - Ano II - Número III

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded