Page 1

X. SUB-CAPÍTULO

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

1\\


E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

T r abal ho F i nal de G r ad uação a p r e s e n ta d o c o m o pa r t e d a s e x i g ê n c i a s pa r a o b t e n ç ã o d o t í t u l o d e A r q u i t e t o e U r b a n i s ta d o c u r s o d e A r q u i t e t u r a e U r b a n i s m o d a Fa c u l d a d e d e A r t e s P l á s t i c a s d a F u n d a ç ã o A r m a n d o Á lva r e s Penteado.

C A M I L A N O G U E I R A PA I VA

O R I E N TA D O R : F R A N C I S C O B A R R O S

S Ã O PA U L O , 2 0 1 3 .


T r abal ho F i nal de G r ad uação a p r e s e n ta d o c o m o pa r t e d a s e x i g ê n c i a s pa r a o b t e n ç ã o d o t í t u l o d e A r q u i t e t o e U r b a n i s ta d o c u r s o d e A r q u i t e t u r a e U r b a n i s m o d a Fa c u l d a d e d e A r t e s P l á s t i c a s d a F u n d a ç ã o A r m a n d o Á lva r e s Penteado.

A P R O VA D A E M : _ _ _ D E _ _ _ _ _ _ _ D E _ _ _ .

BANCA EXAMINAD ORA:

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

________________________________ P r o f. O r i e n ta d o r F r a n c i s c o B a r r o s

________________________________ Examinador(a):

________________________________ Examinador(a):


D e d i c o e s t e t r a b a l h o à c i d a d e d e va r g i n h a , à s s u a s m a n i f e s t a ç õ e s e m e m ó r i a s c u lt u r a i s .


AGRADECIMENTOS

Agradeço primeiramente ao meu orientador, professor Francisco Barros, pela dedicação, paciência e atenção tornando cada atendimento uma verdadeira aula de arquitetura. Aos professores Luis Octavio de Faria e Silva e Luis Andrade de Mattos Dias que me guiaram para a execução deste trabalho. A dedicação, disposição e apoio da Arquiteta da prefeitura de Varginha Flávia Pimenta de Pádua Zolini, que me ofereceu todo o suporte no início do projeto, com a obtenção das plantas, leis e história da cidade. A pedagoga Madalena Paoli por toda atenção e tempo dedicado para revisão deste trabalho. Ao meu namorado Andre, por toda paciência e incentivo durante toda esta etapa da minha vida. E principalmente aos meus queridos pais, Cleber e Liliana, por me proporcionarem a oportunidade de estudar arquitetura em São Paulo, dando-me todo apoio e compreensão durante esses cinco anos de estudo e toda confiança em mim depositada. Eles foram os verdadeiros responsáveis por todas as conquistas realizadas até os dias de hoje. E a todos que contribuíram direta ou indiretamente para a elaboração deste projeto, o meu muito obrigado!


RESUMO

O objetivo desta pesquisa é a elaboração de um projeto de arquitetura e urbanismo com ideias e alternativas de aproveitamento de uma área não urbanizada, situada no meio da malha urbana, transformando-a em um espaço que possa otimizar integração, sustentabilidade e melhor qualidade de vida a seus ocupantes. Após análise da região e entrevistas com diversas entidades foi constatada a necessidade da projeção e idealização desta área para que possa atender as necessidades sociais e culturais da atual e futura geração da cidade de Varginha. Assim, é nítida a convicção de que algo tem que ser modificado e repensado, surgindo a ideia aliada à criatividade do presente Projeto: projeção de um Parque Urbano, com reativação da antiga linha de trem e implantação de um edifício de caráter cultural, a Estação Cidadania.

Pa l a v r a s - c h a v e : A r q u i t e t u r a U r b a n i s m o - P r o j e t o – Pa r q u e


ABSTRACT

The objective of this research is working up of an architecture and town planning project, with ideas of good use of a not built up area situated downtown, turning into an optimized space of integration, sustentability,and a better standart of living.After analyzing the area and interviewing several bodies, it was established the need of planning and devising it, to grant social and cultural necessities for the present and future generation of Varginha city. Consequently, is clear the conviction that something has to be modified and rethought, causing to arise an allied idea to creativity of the present project: Projecting of an Urban Park, reactivating the antique railway line and implanting a cultural building, The Citizenship Station.

Pa l a v r a s - c h a v e : A R C H I T E C T U R E U r b a n i s M - P R O J E C T – PA R k


L I S TA D E F I G U R A S

Figura 1 Figura 2 Figura 3 Figura 4 Figura 5 Figura 6 Figura 7 Figura 8 Figura 9 Figura 10 Figura 11 Figura 12 Figura 13 Figura 14 Figura 15 Figura 16 Figura 17 Figura 18 Figura 19 Figura 20 Figura 21 Figura 22 Figura 23 Figura 24 Figura 25 Figura 26 Figura 27 Figura 28 Figura 29

Localização de Varginha em Minas Gerais............................................................................ 17 Avenida Rio Branco na década de 40................................................................................... 18 Rua Direita (Presidente Antônio Carlos) / Agenor Zambotti................................................ 20 Antiga estação, 1930 / Cedida por Afonso H. P. de Carvalho................................................ 22 Inauguração na nova estação. / Cedida por Afonso H. P. de Carvalho.................................... 23 Vista Aérea da Estação Ferroviária / Agenor Zambotti........................................................... 24 Estação atualmente / Acervo pessoal..................................................................................... 24 Vista aérea da Estação / Acervo pessoal................................................................................. 24 Secretaria da educação e cultura / Acervo pessoal.................................................................. 27 Museu municipal de Varginha / Acervo pessoal..................................................................... 28 Teatro Capitólio / Acervo pessoal......................................................................................... 29 02 Jornal Sul de Minas........................................................................................................ 31 12 Hospital Regional........................................................................................................... 31 05 Camara Municipal.......................................................................................................... 31 04 Palacete Villa Dona Vica (Antigo Fórum)........................................................................ 31 11 Escola estadual Afonso Pena............................................................................................ 31 Quinta da Boa Música ........................................................................................................ 32 Seresta Primo Trombini ...................................................................................................... 33 Festival Nacional da Canção ............................................................................................... 33 Imagem do parque.............................................................................................................. 37 Planta do parque.................................................................................................................. 38 Pespectiva explodida do parque............................................................................................ 38 Foto do parque 1................................................................................................................. 39 Foto do parque 2 ................................................................................................................ 39 Foto do parque 3 / gardenvisit.com...................................................................................... 39 Visão geral do Instituto ....................................................................................................... 40 Mapa do parque.................................................................................................................. 41 Planta térrea........................................................................................................................ 43 Planta da cobertura.............................................................................................................. 43

L I S TA D E m a pa s Mapa 1 Mapa 2 Mapa 3 Mapa 4 Mapa 5 Mapa 6 Mapa 7 Mapa 8 Mapa 9 Mapa 10

Localização da linha do trem............................................................................................... 25 Identificação dos patrimônios históricos............................................................................... 30 Identificação da área vazia.................................................................................................... 55 Local de implantação do parque........................................................................................... 56 Identificação das ligações Leste-Oeste.................................................................................. 59 Identificação das novas ruas................................................................................................. 61 Zoneamento....................................................................................................................... 63 Identificação das paradas do VLT......................................................................................... 65 Fluxo de pessoas................................................................................................................. 67 Implantação....................................................................................................................... 69

Figura 30 Figura 31 Figura 32 Figura 33 Figura 34 Figura 35 Figura 36 Figura 37 Figura 38 Figura 39 Figura 40 Figura 41 Figura 42 Figura 43 Figura 44 Figura 45 Figura 46 Figura 47 Figura 48 Figura 49 Figura 50 Figura 51 Figura 52 Figura 53 Figura 54 Figura 55 Figura 56 Figura 57

Elevação sudeste ................................................................................................................. 44 Corte BB............................................................................................................................ 44 Corte AA........................................................................................................................... 44 Foto do edifício................................................................................................................... 45 Foto praça superior.............................................................................................................. 45 Foto circulação.................................................................................................................... 45 Foto 1 do projeto ................................................................................................................ 46 Foto 2 do projeto................................................................................................................. 47 Implantação ....................................................................................................................... 48 Pavimento térreo ................................................................................................................ 49 Pavimento bloco pedagógico................................................................................................ 49 Pavimento alojamentos........................................................................................................ 49 Pavimento esportes, lazer, manutenção e apoio..................................................................... 49 Croqui ............................................................................................................................... 50 Corte Longitudinal ............................................................................................................ 50 Corte Transversal 1............................................................................................................. 51 Corte Transversal 2............................................................................................................. 51 Maquete Eletrônica............................................................................................................. 51 Corte Transversal 3............................................................................................................. 51 Mapa de Varginha............................................................................................................... 54 01 Local do espaço de eventos.............................................................................................. 62 02 Local do centro esportivo................................................................................................ 62 03 Local da habitação social................................................................................................. 62 04 Local do espaço cultural.................................................................................................. 62 Corte esquemático.............................................................................................................. 64 Croqui dos blocos............................................................................................................... 72 Croqui do corte esquemático............................................................................................... 77 Croqui da malha estrutural.................................................................................................. 78


SUMÁRIO

_ I N T R O D U Ç Ã O 14 1_ A CIDADE

16

1 . 1 _ H I S T Ó R I C O 17 1 . 2 _ O T R E M 22 1 . 3 _ A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

2_ REFERÊNCIAS 2.1_ 2.2_ 2.3_ 2.4_

36

P A R C D E L A V I L L E T T E 37 I N S T I T U T O I N H O T I M E C E N T R O E D U C A T I V O B U R L E M A R X 40 P L A T A F O R M A D A S A R T E S E D A C U LT U R A 4 6 E S C O L A S U P E R I O R D E C O N S E R VA Ç Ã O A M B I E N T A L E S U S T E N T A B I L I D A D E

3_ O PROJETO 3.1_ 3.2_ 3.3_ 3.4_ 3.5_ 3.6 _

26

52

P R O P O S T A E J U S T I F I C A T I VA O P A R Q U E 54 O V LT 64 A E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A 66 P E R S P E C T I VA S 80 C O N S I D E R A Ç Õ E S F I N A I S 86

_ B I B L I O G R A F I A 88

53

48


INTRODUÇÃO

I N T R O D U Ç Ã O

A

idealização do presente projeto justifi-

e o de participar, tomando como partida os proble-

ca-se pela observância da inexistência

mas reais, para que, refletindo sobre eles, articular

de um local apropriado para a realiza-

o desenvolvimento e a solução do problema detec-

ção de manifestações e eventos cultu-

tado. Assim, pela ação-reflexão-ação, possam pro-

rais, sendo utilizados praças e espaços públicos.

mover transformações na realidade ambiental que investigam, de maneira sustentável e inovadora. “A

O objetivo é oferecer à população de Varginha,

pesquisa –ação tem como ponto de partida a arti-

localizada no sul de Minas Gerais, um projeto in-

culação entre a produção de conhecimentos para a

tegrador: parque, edifício cultural, estação de trem,

conscientização dos sujeitos e solução de problemas

resgatando o passado com a reativação da antiga li-

socialmente significativos” (THIOLLENT,2000).

nha férrea; área de lazer e cultural.

Os procedimentos metodológicos utilizados são a entrevista, a observação, a investigação sobre refe-

//14

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

A modalidade de pesquisa utilizada é a pes-

rências arquitetônicas e análise da área urbana em

quisa-ação, trazendo duplo sentido: o de pesquisar

estudo, zoneamento do parque, elaboração do pro-


INTRODUÇÃO

grama do edifício e volumetria.

do projeto arquitetônico da Estação Cidadania, com seus programas, definições e caracterizações; por úl-

O trabalho é desenvolvido em três capítulos. O

timo as Considerações Finais.

primeiro trata-se de uma retrospectiva histórica da cidade, a importância da linha de trem, seus benefícios e consequências para a região; abordagem dos aspectos sociais e culturais existentes. O segundo capítulo apresenta as referências arquitetônicas a partir de imagens, informações, análises de dados coletados. O terceiro capítulo expõe o Projeto do Parque, situando sua localização, estudos dos fluxos e potenciais, zoneamento e propostas urbanísticas no seu entorno; apresentação do projeto de implantação do VLT e seus benefícios para a cidade; abordagem

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

15\\


1. A CIDADE

A C I D A D E

//16

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1.1 histórico

1. 1. HISTÓRICO

A

Cidade de Varginha está localizada no sul do estado de Minas Gerais. É reconhecida pelo grande potencial de crescimento, pela presença de grandes

indústrias e pela força do agronegócio. Conta com uma localização privilegiada e estratégica, estando às margens do lago de Furnas, e ao mesmo tempo, equidistante às três principais capitais do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Está a 15 km da Rodovia Fernão Dias, principal rodovia do estado.

Figura 1

Localização de Varginha em Minas Gerais Fonte : Wikipedia

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

17\\


1. A CIDADE

A

cidade surgiu em 1785 a partir da

primeiras escolas públicas e a cadeia. O núcleo os-

construção de uma pequena capela na

tentava cerca de trezentos imóveis, que se estendiam

rota das tropas de muares, provenien-

pela Avenida Rio Branco, pela antiga Rua da Chapa

tes de São Paulo que transportavam

(Wenceslau Braz), Direita (Presidente Antônio Car-

toda espécie de mercadorias em demanda da Vila

los), São Pedro (Delfim Moreira) e também pelas

de Campanha da Princesa da Beira, atual cidade de

praças São Sebastião, Largo Pretório (Praça D. Pe-

Campanha. Ao redor dessa capela foram surgindo

dro II) e Lardo da Matriz.

outras construções destinadas ao descanso dos viajantes. Este nascente povoado recebeu o nome de Espírito Santo das Catanduvas em 1806. Em 1850 foi elevada à freguesia, com o nome de Varginha. Neste momento a cidade experimenta o primeiro surto desenvolvimentista com a construção dos primeiros prédios públicos, como as duas

//18

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

Figura 2

Avenida Rio Branco na

década de 40 Fonte : Prefeitura de Varginha


1.1 HISTÓRICO

Através da Lei n. 2950 de 7 de outubro de 1882, a

cionamento da linha férrea na cidade, em 1892. A

um empréstimo no valor de 2.500 contos de réis, o

Vila de Varginha foi elevada à categoria de cidade, e

cidade recebia as primeiras empresas e o movimento

equivalente a cem fazendas. Isto possibilitou a terra-

confirmada pela Lei Estadual n. 2 de 14 de setembro

era intenso. Nesta época foram feitas as primeiras

planagem e reestruturação completa da cidade, com

de 1891.

obras de calçamento e a iluminação pública de gás

o asfaltamento das principais ruas, iniciando em de-

acetileno e postes de metal.

finitivo o processo de urbanização.

ocorreu com o fim da escravatura. Para substituir a

Economicamente o município teve, no início, como

Neste período surgem importantes instituições para

mão de obra escrava, foi firmado um acordo com

atividade importante, a cultura da cana de açúcar.

Varginha: os colégios Marista e Santos Anjos, o Ban-

a Itália, onde vários imigrantes deslocam-se para o

Mas foi o café a maior riqueza do município, que

co do Brasil, o Hospital Regional do Sul de Minas e

Brasil e em 1888 a cidade de Varginha recebeu a

desde 1885, teve boa acolhida e fator determinante

a Associação Comercial.

maior leva de imigrantes, 1.020 no total. Além da

da ocupação e em arquiteturas locais.

O segundo boom desenvolvimentista da cidade

Com a crise de 1929, a crise do café no Brasil é acen-

maioria Italiana, também vieram portugueses, espanhóis, turcos e alemães. O principal impulso dos

Aos poucos o perfil da economia agrícola vai ceden-

tuada, provocando um retardamento no crescimen-

imigrantes ocorreu inicialmente na agricultura. As

do espaço, ainda de forma tímida, para a indústria.

to da cidade. Apesar das dificuldades o café continua

duas culturas significativas eram cana-de-açúcar e

Em 1925 Varginha recebe a visita do presidente do

como importante propulsor da economia local e em

café. O terceiro momento relevante do desenvolvi-

estado, Antônio Carlos Ribeiro de Andrada que

1933 o Município conquista o 19º lugar no Estado

mento de Varginha acontece com o início do fun-

impulsiona intensamente o progresso da cidade com

em produção de café e o 6º lugar com as indústrias

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

19\\


1. A CIDADE

manufatureiras do café moído. Com o tempo, a indústria cafeeira (beneficiamento e exportação) ultrapassa a produção (lavoura) na cidade. Em 1965 inicia-se a era do ensino superior, com a implantação da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras. Nos anos seguintes são criadas a Faculdade de Direito de Varginha, Faculdade de Ciências Contábeis e de Administração, Faculdade de Engenharia Mecânica e a Fepesmig, que se tornou, posteriormente, Centro Universitário do Sul de Minas. Mais recentemente se instalaram a Unifenas e a Unifal. Na década de 70 inicia-se o processo moderno de industrialização da cidade. Nessa época se instalaram os centros de educação profissional do SESI, SENAI, SENAC e, mais tarde, SEBRAE. Nas décadas seguintes, essas instituições garantiram a forFigura 3

//20

Rua Direita (Presidente Antônio Carlos) / Agenor Zambotti

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

Fonte : www.memoriasdevarginha.com


1.1 HISTÓRICO

mação de mão de obra qualificada, o que ocorre até hoje. O potencial de uma cidade não é determinado pelo número de habitantes, e sim pela capacidade de atrair mais investimentos e riquezas para oferecer melhor qualidade de vida. Isso se mede por indicadores como segurança, oportunidade de emprego, educação, lazer e pelos serviços sociais prestados à sociedade. Varginha possui, atualmente, um parque industrial e uma rede de saúde de destaque, e a principal rede de serviços públicos do Sul de Minas. Em 2011, a cidade foi apontada pela revista Veja como uma das melhores cidades médias do Brasil para se viver e investir.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

21\\


1. A CIDADE

1. 2 O TREM

O

primeiro trem de ferro chegou a Var-

gociar com a cidade de Elói Mendes, a Companhia

ginha em 28 de maio de 1892 mu-

resolveu aceitar a sugestão dos varginhenses.

dando a história e o progresso da cidade e região. A Estrada de Ferro

O ramal interligava a malha ferroviária do Sul de

Muzambinho (ou Minas-Rio) não deveria passar

Minas e seguia até o ramal de Tuyuti onde encontra-

por Varginha, porém os latifundiários do município

va a Rede ferroviária Mogiana. Esta ligação trouxe

de Elói Mendes rejeitavam a passagem da Estrada de

grande impulso para a cidade, estimulado pelo trans-

Ferro por suas terras, alegando que o Trem de Ferro

porte de passageiros e cargas.

iria por fogo nos pastos e nas matas, espantando e adoecendo os animais.

Em 1962 foi desativado o trecho Varginha-Tuyuti devido às enchentes da represa de furnas, passando

Figura 4

Antiga estação, 1930

/ Cedida por Afonso H. P. de

Diante desta situação a cidade de Varginha propôs a

a operar somente o ramal Varginha-Três Corações

Carvalho

Diretoria da Companhia à modificação do traçado o

com transporte de cargas entre Angra dos Reis e

Fonte : www.estacoesferroviarias.com.br

que possibilitaria a passagem do Trem pela cidade,

Varginha, isso porque o Moinho Sul Mineiro S.A.

visando os benefícios que isto traria ao futuro desen-

(empresa situada em Varginha) possui um depósito

volvimento da região. Como não conseguiram ne-

de grãos de trigo no Porto de Angra que era trans-

//22

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1.2 O TREM

portado até Varginha através de vagões da rede ferro-

a convergir toda sua vida comercial para Varginha.

viária. Hoje em dia, o trecho que passa pelo município de Varginha, encontra-se totalmente desativado.

O trem trouxe inúmeros benefícios para o desen-

A primeira estação de manobras funcionava em um

volvimento da cidade, porém, como toda estrada de

vagão que com o tempo foi se tornando obsoleta e

ferro, esta se tornou uma barreira física para o mu-

não comportava mais o desenvolvimento da cidade.

nicípio, dividindo-o em duas partes. Eram comuns

Com isso, foi construído, no mesmo local, o prédio

os termos “abaixo da linha” e “acima da linha” para

da estação que temos hoje, inaugurado em 25 de ju-

designar os “dois lados da cidade”. “Acima da li-

nho de 1934.

nha” era considerado como “lado bom” onde as pessoas da alta sociedade deveriam morar e “abaixo

Varginha sempre apresentou um forte caráter comer-

da linha” era considerado como um lugar periféri-

cial e com a passagem da via férrea a cidade passou

co. E esta situação é notada até hoje, com uma clara

a ocupar o primeiro lugar entre as demais cidades

distinção entre as duas partes.

Figura 5

Inauguração na nova estação.

/ Cedida por Afonso H. P. de Carvalho Fonte : www.estacoesferroviarias.com.br

comerciais de Minas Gerais. Neste momento começam a ser construídas novas ruas, praças, edifícios e estradas. Os lugares vizinhos, como São João Nepomuceno, Cachoeira, Pontal e outros, começaram

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

23\\


1. A CIDADE

Figura 6

//24

Figura 8

Estação atualmente / Acervo pessoal

Figura 7

Vista aérea da Estação / Acervo pessoal

Vista Aérea da Estação Ferroviária / Agenor Zambotti

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 1.2 O TREM

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 25\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


1. A CIDADE

1. 3 ATIVIDADES SOCIAIS E CULTURAIS

A

cidade de Varginha apresenta diversas atividades culturais e sociais, porém são movimentos que ocorrem de forma isolada, sem integração entre eles

e com a sociedade. As principais edificações, eventos culturais e ações sociais que se destacam na cidade pela importância e relevância, cujo conhecimento contribuíram para melhor desenvolvimento deste projeto estão relacionadas a seguir.

//26

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1 . 3 A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

E D I F I C A Ç Õ E S

// Secretaria da Educação e Cultura/Biblioteca Municipal. A secretaria da Educação e Cultura e a Biblioteca Municipal funcionam hoje no edifício onde funcionava a Estação Ferroviária, construída em 1934, na Praça Matheus Tavares, centro da cidade. Atualmente a propriedade pertence ao município e é um imóvel tombado.

C U L T U R A I S Figura 9

Secretaria da educação e cultura / Acervo pessoal

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

27\\


1. A CIDADE

// Museu Municipal de Varginha. O edifício localizado na Praça Matheus Tavares, em frente à Estação Ferroviária, foi construído em 1920 para ser sede do Banco do Brasil, local onde funcionava o coração comercial da cidade. Com dois pavimentos a edificação aliou o estilo neoclássico ao eclético e atualmente é sede do Museu municipal de Varginha e pertence à memória cultural da cidade.

Figura 10 Museu municipal de Varginha / Acervo pessoal

//28

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1 . 3 A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

// TEATRO CAPITÓLIO. O Teatro Capitólio, localizado na Avenida Presidente Antônio Carlos, no centro de Varginha, foi inaugurado em 1927, com elementos decorativos na fachada e interior característicos do período eclético, realizados por um artista italiano. O imóvel, tombado como patrimônio histórico municipal, encontra-se fechado para reformas depois que uma forte chuva derrubou parte do telhado em janeiro deste ano. O Foyer foi reaberto para exposição de dois artistas plásticos em abril. O Foyer Aurélia Rubião sempre foi improvisado para receber exposições de artistas regionais e feiras de artesanato.

Figura 11 Teatro Capitólio / Acervo pessoal

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

29\\


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 1. A CIDADE

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

// Patrim么nio Hist贸rico da Cidade

//30

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


1 . 3 A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

1 - Estação Ferroviária 2 - Jornal Sul de Minas 3 - Museu Municipal de Varginha 4 - Palacete Villa Dona Vica (Antigo Fórum) 5 - Câmara Municipal 6 - Antiga Residência Dona Vica Frota 7 - Praca Dom Pedro II – Jardim do Sapo 8 - Antiga Cadeia Pública / Delegacia de Polícia 9 - Escola Estadual Brasil 10 - Teatro Capitólio 11 - Escola Estadual Afonso Pena 12 - Hospital Regional 13 - Parque Novo Horizonte 14 - Parque Zoobotânico Dr. Marcio Frota 15 - Parque Centenário 16 - Parque Florestal São Francisco de Assis

Figura 12 02 Jornal Sul de Minas

Figura 13 12 Hospital Regional

Figura 14 04 Palacete Villa Dona Vica (Antigo Fórum)

Figura 15 05 Camara Municipal

Figura 16 11 Escola estadual Afonso Pena

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

31\\


1. A CIDADE

E V E N T O S

// QUINTA DA BOA MÚSICA. Semanalmente ocorre a Quinta da Boa Música, na qual uma banda regional se apresenta na antiga Estação Ferroviária, onde hoje está instalada a Secretaria da Educação e Cultura. Este evento começou de forma improvisada e acabou ganhando grande

C U L T U R A I S

dimensão para a cidade. Atualmente conta com uma pequena infraestrutura de barracas de alimentos e bebidas que são montadas no dia do evento, próximas aos trilhos, em frente à estação, juntamente com a disposição de algumas cadeiras. A própria plataforma de embarque da estação transformou-se no palco.

Figura 17 Quinta da Boa Música Fonte : blog do Madeira

//32

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1 . 3 A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

// SERESTA PRIMO TROMBINI. Outro evento de grande destaque para a cidade é a Seresta na Praça, que existe desde a década de 50 e ocorre aos domingos. Em 2009 a Seresta Primo Trombini ganhou o prêmio de melhor projeto cultural do país para a terceira idade, uma homenagem

Figura 18 Seresta Primo Trombini Fonte : blog do Madeira

do Ministério da Cultura.

// FESTIVAIS. A cidade conta com festivais anuais de dança, teatro, cinema e poesia, com destaque para o Festival Viola de Todos os Cantos e o Festival da Canção. Porém esses eventos não são bem divulgados além de não possuírem uma infraestrutura adequada para acontecerem. Figura 19 Festival Nacional da Canção Fonte : http://www.festivalnacionaldacancao.com.br

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

33\\


1. A CIDADE

A Ç Õ E S s o c i a i s

// CLUBE DA AMIZADE.

Outra atividade desenvolvida pelo Clube da Amizade é os artesanatos realizados por garotas adolescen-

O clube da Amizade foi implantado em 2009 pelo

tes. Estes artesanatos estão à venda em uma pequena

Centro de Desenvolvimento da Criança e Adoles-

loja dentro da residência e parte do lucro vão para as

cente (CDCA) em parceria com a Secretaria Mu-

garotas que realizam o trabalho. Este tipo de projeto

nicipal de Habitação e Desenvolvimento Social

é essencial para a sociedade, pois oferece oportuni-

(Sehad). Está localizado na antiga residência Dona

dade aos jovens, impedindo que estes acabem indo

Vica Frota, na Praça Governador Valadares, e atual-

para as drogas e criminalidade.

mente o imóvel é tombado como patrimônio histórico municipal.

Como a instituição esta improvisada em uma antiga residência tombada, o local não é adequado para a

A instituição desenvolve um trabalho voltado à ter-

realização dos trabalhos. As salas acabam sendo mui-

ceira idade, propondo atividades de alongamento,

to pequenas limitando o numero de pessoas que par-

hidroginástica, capoeira e oficinas de dança, coral,

ticipam das atividades.

música, musicoterapia, artesanato jogos e informática.

//34

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


1 . 3 A T I V I D A D E S S O C I A I S E C U LT U R A I S

// NUCAP.

produção da violência.

O Nucap – Núcleo de Capacitação para a Paz é uma

Um dos pontos apresentados pela Ângela Mara To-

entidade “direcionada para a recuperação de depen-

ledo, coordenadora do núcleo, é a falta de atividades

dentes químicos e pessoas envolvidas em qualquer

para os jovens o que acaba levando-os ao envolvi-

tipo de violência, atua nas ações e iniciativas que vi-

mento com substancias ilícitas.

sam à reinserção social e econômica de reeducados e de ruas respectivas famílias, na implementação da justiça restaurativa e mediação de conflitos e na pedagogia do perdão e reconciliação”. A instituição foi criada em 2010 e em 2012 recebeu o 1º lugar no Prêmio Innovare com o projeto “Mães que cuidam”, que apresenta a iniciativa de promover o convívio dos filhos com as mães que estão presas, fazendo com que o dano causado com a prisão seja reestabelecido em favor da família, impedindo a re-

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

35\\


2. REFErências

R F R C

//36

E E Ê N I A S

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 1 PA R C D E L A V I L L E T T E

2.1 PARC DE LA VILLETTE

O

Parc de La Villette em Paris, projeta-

passagens pelo parque. A ideia e a projeção deste

do pelo arquiteto suíço Bernard Ts-

trabalho visam a oferecer à população Varginhense

chumi em 1982. É o maior parque da

espaços apropriados para as manifestações artísticas,

cidade e possui a segunda maior área

culturais, sociais e de lazer.

verde. Ele é um ícone do desconstrutivismo arquitetônico e abriga, em 25 hectares, edificações públicas voltadas à Ciência e à Música: o Cité dês Sciences ET de L´industrie (Museu de Tecnologia e Ciência) e Le Gèode (Museu da Música). A ideia principal

Figura 20 Imagem do parque

foi criar um parque que representasse o século XXI.

Fonte : cite-sciences

A escolha deste projeto justifica-se pela relevância social abrangente, cuja referência foi inspirada no “Parc de La Villette,” em Paris, inserido em um contexto urbano, abrigando edificações de caráter cultural, que se conectam através de caminhos ou

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

37\\


2. REFErências

Figura 21 Planta do parque Fonte : hedesignatedsketcher.com

Figura 22 Pespectiva explodida do parque Fonte : archdaily

//38

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 1 PA R C D E L A V I L L E T T E

Figura 23 Foto do parque 1 Fonte : japaraomoleskine.com

Figura 24 Foto do parque 2 Fonte : flickriver.com

Figura 25 Foto do parque 3 / gardenvisit.com Fonte : gardenvisit.com

E S T A Ç Ăƒ O C I D A D A N I A

39\\


2. REFErências

2.2 Inst. Inhotim & C.e. Burle Marx

O

Instituto Inhotim esta localizado em Brumadinho (Minas Gerais). Foi idealizado pelo empresário Bernardo Paz em meados da década de 1980.

Era uma propriedade particular que foi se transformando com o tempo até tornar-se um grande espaço cultural, com a construção de edificações destinadas a receber obras de arte e aberto ao público em 2006. O Instituto um complexo museológico, sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina.

Figura 26 Visão geral do Instituto Fonte : Arquitetos Associados

//40

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 2 I N S T. I N H OT I M E C . E . B U R L E M A R X

A área de visitação do Inhotim corresponde a 96,87 ha constituídos por uma sequência não linear de pavilhões em meio a um parque ambiental com a presença de jardins, galerias, edificações, fragmentos de mata e lagos. Suas ações incluem, além da arte contemporânea e do meio ambiente, iniciativas nas áreas de pesquisa e educação. O Instituto Inhotim abriga o Centro Educativo Burle Marx, que recebe este nome devido à visita

Figura 27 Mapa do parque Fonte : Instituto Inhotim

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

41\\


2. REFErências

do paisagista Burle Marx em 1984 que apresentou

sobre um grande espelho d’água. A integração entre

tivo Burle Marx foi bastante explorado no edifício

algumas sugestões e colaborações para os jardins.

a arquitetura e o paisagismo ocorre tanto no percur-

projetado, através dos terraços transitáveis formando

so pela praça elevada quanto na circulação entre os

uma extensão do parque, proporcionando um ca-

O projeto do Centro Educativo pertence aos arqui-

diferentes programas do edifício feita por varandas,

minho agradável em contato com a natureza; e as

tetos associados Alexandre Brasil e Paula Zasnicoff

espaço de convívio e contemplação. O programa

circulações externas formadas por varandas ao redor

com o objetivo de potencializar o caráter formador e

compreende biblioteca, museu, auditório, ateliers e

das salas de aula e oficinas, reforçando a integração

a vocação educacional de suas atividades. O progra-

área de estudo.

com o parque e, ao mesmo tempo, formando uma proteção solar ao edifício.

ma atende a todas as atividades de educação desenvolvida em torno do acervo e das exposições além

O Instituto Inhotim e o Centro Educativo Burle

de funcionar como um equipamento da comunida-

Marx são de grande importância para o desenvolvi-

de do entorno, oferecendo programas de formação e

mento do projeto. A idealização de um parque com

qualificação profissional em áreas nas quais o Insti-

a presença de uma edificação de caráter cultural e

tuto Inhotim atua.

educacional, com um programa abrangente formado por salas de aula, oficinas, biblioteca e auditório,

O Centro educacional possui 1705m² de área inseri-

além de diversos pavilhões para exposição orientou a

do como um edifício ponte sobre o lago, formando

definição do programa do atual projeto. Além disso,

uma grande praça elevada em sua cobertura, inserida

o partido arquitetônico adotado no Centro Educa-

//42

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 2 I N S T. I N H OT I M E C . E . B U R L E M A R X

Figura 28 Planta térrea

Figura 29 Planta da cobertura

Fonte : Arquitetos Associados

Fonte : Arquitetos Associados

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

43\\


2. REFErências

Figura 30 Elevação sudeste Fonte : Arquitetos Associados

Figura 31 Corte BB Fonte : Arquitetos Associados

Figura 32 Corte AA Fonte : Arquitetos Associados

//44

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 2 I N S T. I N H OT I M E C . E . B U R L E M A R X

Figura 34 Foto praça superior Fonte : Arquitetos Associados

Figura 33 Foto do edifício Fonte : Arquitetos Associados

Figura 35 Foto circulação Fonte : Arquitetos Associados

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

45\\


2. REFErências

2.3 Plataforma das Artes & da Cultura

e

ste edifício, esta localizado na cidade de Guimarães, em Portugal e foi projetado pelo escritório Pitágoras Arquitectos e concluído em 2012. O

intuito foi transformar o antigo Mercado Municipal em um espaço multifuncional dedicado às atividades artísticas, culturais e econômico-sociais. O projeto concretizou-se com a com a recuperação desta área da cidade promovendo a reintegração física e funcional da malha urbana. Figura 36 Foto 1 do projeto Fonte : archdaily

//46

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 3 P L A T A F O R M A D A S A R T E S E D A C U LT U R A

O edifício existente foi recuperado, manten-

nadas à instalação de atividades relacionadas

do seus materiais e texturas, modificando so-

com a indústria criativa;

mente seu interior. O novo edifício assume uma linguagem radicalmente diferente con-

- Ateliers Emergentes de Apoio à Criativi-

trastando com o Mercado, caracterizando-se

dade, constituídos por espaços de trabalho

por uma sucessão de volumes, cheios e vazios.

destinado a jovens criadores que pretendem desenvolver projetos temporários.

O programa é funcional, definido por um conceito claro e objetivo, dividindo-se em

O conhecimento da funcionalidade do pro-

três setores:

grama do Centro Internacional das artes José Guimarães, em Portugal, com seus setores de

Figura 37 Foto 2 do projeto Fonte : p3.publico.pt

- O Centro de Arte, que abrange espaços para

Artes, Laboratórios e Ateliers, foi essencial

exposições temporárias e permanentes, e lo-

para a definição do programa do atual pro-

cais destinado a atividades complementares

jeto, com assimilação e aproveitamento das

como apresentações e espetáculos;

ideias, aliadas à criatividade.

- Os Laboratórios Criativos com áreas desti-

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

47\\


2. REFErências

2.4 Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade

e

sta escola foi projetada pelo escritório Gesto Arquitetura e está localizada na cidade de Nazaré Paulista, estado de São Paulo. A preocupação com

os recursos do planeta esteve presente na essência e conceituação técnica do projeto, com o objetivo de diminuir o impacto ambiental. Os desníveis acentuados no terreno fizeram com que se adotasse um eixo transversal para a disposição dos blocos de edificações.

Figura 38 Implantação Fonte : Gesto Arquitetura

//48

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


2 . 4 E s c o l a S u p e r i o r d e C o n s e r va ç ã o A m b i e n ta l e S u s t e n ta b i l i d a d e

Figura 39 Pavimento térreo

Figura 40 Pavimento bloco

Figura 41 Pavimento alojamentos

pedagógico Fonte : Gesto Arquitetura

Fonte : Gesto Arquitetura

Figura 42 Pavimento esportes, lazer, manutenção e apoio

Fonte : Gesto Arquitetura

Fonte : Gesto Arquitetura

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

49\\


2. REFErências

Através da análise e estudo deste projeto de arquitetura, do terreno com a mesma semelhança, apresentando acentuado declive, as ideias compiladas servirão de base e modelo integrado para a estruturação O projeto é composto por três blocos de atuação,

do projeto em desenvolvimento, sendo uma das so-

em estrutura de madeira, que se articulam através de

luções formais. Acrescentam-se ainda os benefícios

circulações verticais. O primeiro bloco destina-se as atividades de esportes, lazer, manutenção e apoio. O segundo bloco situa a área da educação, com salas de

Figura 43 Croqui Fonte : Gesto Arquitetura

aula e laboratórios. O terceiro bloco é destinado aos alojamentos. O modelo de projeto une comunidades, fauna, flora, política, cujos arquitetos mentores procuraram integrar comunidades empobrecidas à paisagem local, voltados à conservação da biodiversidade. Dedica à pesquisa, educação ambiental, restauração de habitat e sustentabilidade.

Figura 44 Corte Longitudinal Fonte : Gesto Arquitetura

//50

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

socioeconômicos, conservação da paisagem, envolvimento comunitário e desenvolvimento sustentável.


2 . 4 E s c o l a S u p e r i o r d e C o n s e r va ç ã o A m b i e n ta l e S u s t e n ta b i l i d a d e

Figura 45 Corte Transversal 1

Figura 46 Corte Transversal 2

Figura 47 Corte Transversal 3

Fonte : Gesto Arquitetura

Fonte : Gesto Arquitetura

Fonte : Gesto Arquitetura

Figura 48 Maquete Eletrônica Fonte : Gesto Arquitetura

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

51\\


3. O PROJETO

O P R O J E T O

//52

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 1 P R O P O S T A E J U S T I F I C A T I VA

3.1 PROPOSTA E JUSTIFICATIVA

A

ideia do projeto de Trabalho Final de

cultural e social.

Diante desta situação surge a ideia de reativar esta linha, promovendo um novo transporte urbano,

Graduação – TFG ser em Varginha deve-se ao fato da naturalidade, forte

A criação do Parque Urbano tem como objetivo

mais acessível à população, o VLT- veículo leve so-

ligação com a área verde e da vivência

apropriar-se de uma grande área, não urbanizada

bre trilhos, que fará a interligação de grande parte

de toda transformação urbana ocorrida na cidade. A

(cerca de 2,5 km lineares) dividindo-a física e social-

da cidade.

partir do curso de arquitetura e urbanismo o olhar

mente para transformá-la em um espaço público de

se torna mais crítico, o que permite compreender as

lazer e convivência, integrando a comunidade, com

Após a definição do Parque e da implantação do

carências e potenciais da região. O projeto iniciou-

a valorização da biodiversidade, melhoria da quali-

VLT será feito um zoneamento dentro do Parque,

se a partir do interesse em beneficiar a cidade, através

dade de vida das pessoas, e, consequentemente, o

com observância da legislação ambiental, com apro-

de um estudo cuidadoso e aprofundado, com iden-

desenvolvimento local sustentável, aliado à conser-

veitamento da área verde, contemplando a sustenta-

tificação das carências, necessidades da região, assim

vação da natureza. A implantação do Parque impli-

bilidade e atribuições futuras para o desenvolvimen-

como das características da área para implantação do

cou na intervenção urbanística da área e seu entor-

to da área. Dentre todas as diretrizes a escolha recaiu

projeto. Deste estudo e reflexão surge a ideia de se

no, com criação de novas ruas e pontes.

sobre a implantação de uma edificação voltada à arte e cultura, com caráter social para ser executada

ter um local destinado a integração, lazer e cultura. Com isso foram definidas as diretrizes básicas do

Na área onde será implantado o Parque existe a an-

como projeto arquitetônico. Este edifício recebe o

projeto: de um Parque, reativação da antiga linha de

tiga linha de trem, que atravessa praticamente toda

nome de Estação Cidadania, por ser uma das esta-

trem com a criação de um novo transporte público

a cidade na direção norte-sul, passando pelo centro

ções de parada do VLT e beneficiar as classes sociais

e implantação de uma edificação de caráter artístico,

da cidade e próximo aos principais pontos culturais.

do município.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

53\\


3. O PROJETO

3.2 O PARQUE

- LO CALIZAÇÃO Logo nos primeiros estudos sobre a cidade de Varginha foi verificado uma grande área vazia no meio da malha urbana o que chamou bastante atenção.

Figura 49 Mapa de Varginha Fonte : Google Maps

//54

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 2 O PA R Q U E

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 55\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3. O PROJETO

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

//56


3 . 2 O PA R Q U E

Nesta área encontra-se parte da antiga estrada de ferro e diversos córregos e ribeirões o que a caracteriza como uma zona de preservação ambiental. Além disso, apresenta uma topografia bastante acidentada. Todos esses fatores dificultaram a ocupação dessa área que acabou se tornando um divisor para a cidade. Essa divisão é observada tanto fisicamente como socialmente. O lado oeste é mais valorizado e formado por bairros mais antigos e tradicionais, com exceção de uma pequena faixa próxima à linha do trem que é uma área de caráter popular, com construções em estado precário. Já o lado leste apresenta uma ocupação mais recente de caráter popular.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

57\\


3. O PROJETO

Observa-se que por esta área verde, de aproximadamente 2,5km, existem poucas ligações leste-oeste, aumentando ainda mais a divisão. 1 - Rua Orminda Vasconcelos 2 - Rua Francisco Faraco 3 - Avenida Celina Otoni

//58

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 2 O PA R Q U E

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

59\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

- CONCEITO

E PA R T I D O

- DIRETRIZES

Avenida Francisco Navarro; 3 - Extensão da Rua José Balbino Ribeiro, ligando

Diante da situação de uma grande área verde não ur-

Devido à dimensão do Parque houve a necessidade

-a a Rua Francisco Faraco;

banizada, situada em meio à malha no meio da ma-

de algumas intervenções urbanísticas para tornar o

4 - Extensão da Rua Tocantins, até a Rua José Clau-

lha urbana, que divide a cidade física e socialmente,

projeto viável.

dio Ferreira, fechando o trajeto perimetral ao parque.

surge a ideia de urbaniza-la e transforma-la em um espaço público, de lazer e convivência para todas as

Primeiramente temos como proposta a criação de

classes sociais. Por isso a implantação de um Parque

travessias entre as partes leste-oeste:

Urbano. 1 - Alargamento de um trecho da Alameda do Café seguindo de uma nova avenida, que passará por dentro do parque, chegando até a Avenida Celina Ferreira Ottoni; 2 - Extensão da Rua Francisco Faraco, ligando-a a

//60

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 2 O PA R Q U E

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

61\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

Após a criação e melhoria das travessias é proposto um zoneamento da região de forma a traçar diretrizes futuras para o desenvolvimento da área atribuindo atividades a determinados locais. Para o zoneamento foram levantadas as necessidades da cidade e para cada região do Parque foi atribuída uma função.

Figura 50 01 Local do espaço de eventos

Figura 51 02 Local do centro esportivo

Figura 52 03 Local da habitação social

3 - Habitação Social Esta área foi destinada a habitação de interesse social, por estar inserida em uma área residencial e por já existirem projetos de novos loteamentos em execução no local. Com isso a comunicação desta área (lado oeste) com o lado leste será intensificada, Além disso, é uma área de grandes dimen- Na cidade já existe um centro esportivo, a pois no lado leste temos uma grande consões, com a presença de poucos vizinhos Semelc, localizada na região norte da cida- centração de habitações com o mesmo caresidenciais, sendo na maior parte indús- de, perto da extremidade norte da linha do ráter. trem. Como este novo centro esportivo fitrias e armazéns. cara na extremidade sul da linha, terá uma boa integração através deste novo meio de transporte, que irá interligar os dois centros esportivos através do VLT, proporcionando um caminho agradável por dentro do novo Parque Urbano e da cidade. 1 - Espaço de Eventos Esta área foi destinada para o projeto de um espaço para receber grandes eventos, devido à facilidade de acesso, por estar próximo à entrada da cidade e por ter hotéis próximos.

//62

2 - Centro Esportivo Esta área foi escolhida para implantação de um centro esportivo, pois esta região apresenta uma carência de equipamentos esportivos e uma demanda muito grande devido aos bairros em seu entorno.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

Figura 53 04 Local do espaço cultural

4 - Espaço cultural Esta área ficou definida como um local para abranger a cultura, pois terá um intenso fluxo de pessoas tanto na direção leste-oeste, quanto pela direção norte sul, formada pelo transporte através do VLT, pela ciclovia implantada e pelos caminhos por dentro do parque.


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 2 O PA R Q U E

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

63\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

3.3 O VLT

- LO CALIZAÇÃO A implantação do VLT (veículo leve sobre trilhos) irá seguir o traçado da antiga linha de trem, que se inicia no extremo sul da cidade, próximo ao Rio Verde, chegando até a parte norte da cidade, no Bairro da Vila Paiva.

- CONCEITO

E PA R T I D O

A sigla VLT refere-se a um Veículo Leve sobre Trilhos, que é um pequeno trem urbano movido à eletricidade. Seu tamanho permite que sua estrutura de trilhos se encaixe no meio urbano existente. O VLT em Varginha será implantado na linha férrea existente, circulando por um grande trecho da cidade, partilhando o espaço com o restante do tráfego. Existirão paragens frequentes e elementares, formadas por pequenos estações ou “pontos de paradas”. Por toda a extensão da linha férrea será implantada uma ciclovia, que acompanhará o trajeto percorrido pelo VLT, proporcionando uma nova opção de esporte, lazer e transporte à cidade.

//64

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

Figura 54 Corte esquemático


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 3 O V LT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 65\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

3.4 a estação cidadania

- LO CALIZAÇÃO A escolha do local onde seria implantado o edifício de caráter cultural foi definida a partir da analise dos fluxos de pessoas. No local onde pudesse existir o maior deslocamento de pessoas por dentro do parque seria implantado o edifício para que a população pudesse conviver com a Arte diariamente, de forma natural e prazerosa. Temos dois principais eixos de fluxo de pessoas, o eixo leste-oeste, formado pelo deslocamento de pessoas entre os bairros, e eixo norte-sul, formado pela integração de toda a cidade com o parque, através do VLT e da ciclovia.

//66

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

67\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

A partir desta análise foi definido que a Plataforma

transporte. Além do VLT, terá a ciclovia, que acom-

Cultural estará localizada entre as ruas José Balbino

panhará todo o seu trajeto, formando uma nova ma-

Ribeiro e Doutor José Biscaro. O acesso principal

neira de se locomover pela cidade e acessar a Estação

será pela Rua José Balbino Ribeiro que será esten-

Cidadania.

dida até a Rua Francisco Faraco, através do plano de diretrizes para implantação do parque citado ante-

O edifício contará com acessos secundários, forma-

riormente, promovendo a interligação do local com

dos por caminhos pelo parque e por um estaciona-

as principais vias da cidade.

mento na Rua Doutor José Biscaro, que será interligado à Estação Cidadania através de uma passarela.

Próximo a Rua José Balbino Ribeiro passa a linha férrea onde será instalado o VLT, com uma de suas estações de paradas localizada próxima ao conjunto do edifício projetado, proporcionando uma facilidade de acesso por toda a cidade através deste meio de

//68

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT 3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

69\\

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT


3. O PROJETO

- CONCEITO A escolha de projetar um espaço cultural, voltado à

como pintura, escultura... Além de contar com uma

sões artísticas e sociais, teremos o VLT que passará

ampla biblioteca, espaços para exposição, espaços

por grande parte da cidade, inclusive próximos aos

para eventos e um anfiteatro.

locais onde são desenvolvidas muitas dessas atividades, interligando todos esses locais e dando vida não

arte e à cultura, deve-se aos estudos realizados sobre a cidade, o local de implantação do edifício e seu

Muitas entidades sociais, como a Nucap e o Clu-

só à Estação Cidadania mais também ao novo Par-

entorno no início do desenvolvimento deste traba-

be da Amizade, poderão ter parte de suas atividades

que Urbano.

lho de graduação. As entrevistas com os responsáveis

transferidas para a Estação Cidadania, que disponi-

pela Secretaria da Cultura, Prefeitura e entidades de

bilizará de uma excelente estrutura para a realização

Como a escolha do local foi baseada nos possíveis

caráter social, como o Clube da Amizade e a Nu-

de diversos trabalhos. O intuito é poder reunir na

fluxos de pessoas pelo parque, foi definido que o

cap foram essenciais para a tomada de decisão. As-

Estação Cidadania os diversos tipos de expressões

projeto seria uma ligação (leste-oeste) entre os dois

sim surge a Estação Cidadania, um local onde serão

artísticas e sociais existentes na cidade, promovendo

lados intensificando o fluxo nesta direção promo-

desenvolvidas atividades educativas, tanto teóricas

a convivência e despertando o interesse pela arte.

vendo uma maior integração entre as partes.

Para intensificar a convivência entre todas as expres-

Um lago foi projetado na parte mais baixa e pla-

como práticas, abrangendo várias expressões artísticas, como dança, música, teatro, atividades manuais

//70

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

na, por onde já existe um ribeirão. Este lago busca

Para promover a ligação Leste-Oeste foi criada uma

acompanhar ao máximo as curvas de nível, evitando

passarela passando por cima do lago que se inicia na

grandes movimentações de terra, necessitando ape-

Rua Doutor José Biscaro (lado leste) chegando ao

nas a criação de uma barreira de contenção para sua

edifício da Estação Cidadania que fará a ligação até

formação.

a Rua José Balbino Ribeiro (lado oeste). O pedestre que estiver atravessando o parque por esse trajeto

O projeto do Edifício estará localizado na parte oes-

poderá chegar até o lado oeste subindo as escadarias

te do Parque, na Rua José Balbino Ribeiro, próxi-

externas através dos terraços em contato com a na-

mo à linha do trem, contando com uma parada de

tureza, ou através das circulações verticais passando

do VLT no local. A escolha desta posição foi feita

por dentro do edifício.

pela facilidade de acesso formado principalmente pela extensão da Rua José Balbino Ribeiro e da Rua Francisco Farato interligando o local com importantes avenidas da cidade.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

71\\


3. O PROJETO

- Memorial

descritivo _ Programa arquitetônico

O programa da Plataforma das Artes e da Criatividade é consequência da análise da região, levando com consideração as necessidades da mesma. O programa foi dividido em 4 blocos:

Figura 55 Croqui dos blocos

//72

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

Bloco 01 – Centro de Artes e Literatura

Bloco 02 – Ateliers de Apoio à criatividade

- Banheiros - Administração:

- Oficina de Madeira

• Secretaria e Recepção

• Controle

- Oficina de Metal

• Sala da Administração

• Administração da biblioteca

- Sala conjunta para máquinas das Oficinas de Ma-

• Sala da Coordenação

• Catalogação e Restauro

deira e Metal

• Sala do Setor Técnico e Social

• Videoteca

- Sala conjunta para material das Oficinas de Ma-

• Sala da Gerência

• Área Infantil

deira e Metal

• Sala de Reunião

• Espaços para leitura e estudo

- Oficina de Cerâmica

• Copa

- Atelier de Corte e Costura

• Arquivo

- Atelier de Pintura e Desenho

• Banheiro

- Biblioteca

- Área para exposições • Sala para administração das exposições - Banheiros

- Atelier de Joalheria - Arquivo - Almoxarifado - Sala de descanso com café - Enfermaria - Sala de professores

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

73\\


3. O PROJETO

Bloco 03 - Laboratórios criativos e educacionais

Bloco 04 - Centro de Arte e Eventos

- Cozinha única para Café do Anfiteatro e Café do Terraço

- 06 Salas de Aula

- Espaço para eventos:

- 02 Salas de dança

• 3 salas flexíveis

- 02 Salas de Música

• Cozinha de banquete

- Sala de Informática

• Depósito de Móveis

- Sala Multimídia (projeção de vídeo)

• Administração

- Laboratório de Fotografia com sala de Revelação

• Foyer integrado com área para exposições

- Estúdio Fotográfico

- Área para exposições

- Depósito

- Restaurante

- Banheiros

- Cozinha Restaurante - Bilheteria - Anfiteatro • Camarim coletivo • Camarim Individual - Café do Anfiteatro - Café do Terraço

//74

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

- Memorial

d e s c r i t i v o _ Pa r t i d o a r q u i t e t ô n i c o

O partido arquitetônico surge com a escolha do lo-

O edifício acomoda-se pelo terreno, através de

Todos os blocos apresentam varandas que minimi-

cal para a implantação do projeto. A área definida

quatro blocos, que vão se interligando por circula-

zam a incidência solar diretamente na edificação.

apresenta um declive bastante acentuado, cerca de

ções verticais, formadas por duas torres de escadas

35 metros, motivo pelo qual necessita de uma aná-

e elevadores. A primeira torre interliga os blocos

Os blocos 02 e 03, além de apresentarem varandas

lise criteriosa do terreno, para projetar a edificação

01( Centro de Artes e Literatura), 02 (Ateliers de

em toda a sua extensão, também possuem pátios in-

com o maior aproveitamento da topografia.

Apoio à Criatividade) e 03 (Laboratórios Criativos

ternos, formados por vazios, que permitem o conta-

e Educacionais). Já a segunda torre faz a comunica-

to visual com a vegetação do parque proporcionando

A Plataforma Cultural é entendida como uma nova

ção entre os blocos 02 (Ateliers de Apoio à Criativi-

um clima agradável através da ventilação cruzada.

travessia leste-oeste, que ocorre como um grande

dade), 03 (Laboratórios Criativos e Educacionais) e

passeio que visa à integração da natureza do parque

04 (Centro de Artes e Eventos). A disposição destes

com o projeto do edifício. Esta travessia é feita par-

blocos foi pensada de forma a ocorrer a menor in-

tindo de uma passarela (que parte do lado leste), pas-

terferência possível no terreno, formando terraços

sando por cima do lago projetado, chegando até um

e deques, interligados por escadarias externas, que

deque que levará ao edifício.

proporcionam um caminho agradável em contato com a natureza.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

75\\


3. O PROJETO

- Memorial

teca, área para crianças e administração com espaço

também com a parte administrativa, sala de profes-

destinado à catalogação e restauro. Este pavimento

sores, sala de descanso, enfermaria e almoxarifado.

O projeto foi concebido na configuração de quatro

possui um deque para leitura e apreciação da natu-

Este pavimento conta com um deque de descanso

blocos dispostos na declividade do terreno.

reza.

integrado ao parque.

O primeiro bloco terá acesso diretamente pelo par-

O pavimento 03 é a cobertura do Bloco 01. Neste

O bloco 03 é onde estão os Ateliers de Apoio à Cria-

que ou pela passarela que chegará até um estaciona-

pavimento temos espelhos d’água e jardins, junta-

tividade, formado pelas salas de aula, dança, músi-

mento com acesso pela Rua Doutor José Bíscaro.

mente com um deque, formando uma extensão do

ca, informática, multimídia... ao redor dos pátios

Este bloco irá abrigar o Centro de Artes e Literatura.

lago e do parque para o edifício.

centrais no pavimento 06. O sétimo pavimento é a

descritivo _ BLOCOS

cobertura do terceiro bloco que liga-se ao foyer do

No térreo, com acesso pelo parque, teremos um terraço para realização de atividades externas, com

Logo acima se inicia o bloco 02, formado pelos Ate-

teatro localizado no bloco 04. É esta cobertura tran-

vista para o lago.

liers de Apoio á Criatividade, que são locais para a

sitável que faz o acesso para cadeirantes ao teatro.

realização de trabalhos manuais em madeira, teci-

Nesta cobertura temos um café, que serve tanto ao

O primeiro pavimento terá um espaço para exposi-

do, cerâmica... Este bloco é formado pelo quarto

foyer do teatro quanto diretamente à cobertura.

ções com uma pequena sala destinada à administra-

pavimento e por cobertura transitável (quinto pavi-

ção. Logo acima, no segundo pavimento situa-se a

mento). O programa desenvolve-se no quarto pavi-

O Bloco 04 irá abrigar o Centro de Artes e Eventos,

biblioteca, com espaços de estudo e leitura, video-

mento ao redor dos pátios centrais, com as oficinas e

com atividades que demandam facilidade de acesso

//76

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

ao público e necessidade de infraestrutura de estacionamento. Contará com um estacionamento projetado para 200 vagas, com acesso pela Rua José Balbino Ribeiro. Neste bloco temos o teatro que acontece a partir do sétimo pavimento, como citado anteriormente e no oitavo pavimento temos centro de eventos, formados por 3 salas flexíveis com toda a infraestrutura de serviços: cozinha de banquete, depósito de móveis e administração. Neste pavimento também terá um restaurante, bilheteria do teatro e um grande foyer com espaços para exposições que servirá tanto ao teatro quanto às salas de evento.

Figura 56 Croqui do corte esquemático

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

77\\


3. O PROJETO

- Memorial

descritivo _ ESTRUTURA

Toda a estruturação do projeto do edifício Estação Cidadania foi concebida em estrutura metálica, como uma analogia á linha do ter, por ser leve, com pouco impacto ambiental, pré-fabricada e de rápida montagem. A malha estrutural do projeto foi concebida por vãos de 10 em 10 metros em um sentido, e no outro vãos que variam entre 5, 7,5 e 10 metros e balanços de 5 metros. Para isso foram adoradas vigas de perfil soldado, VS 550 x 100 (55 x 30 cm) e pilares da série CS 500 x 233 (50 x 50 cm). Como a estrutura não admitia contraventamentos foi adotado o sistema estrutural engastado, impedindo a movimentação da estrutura.

//78

Figura 57 Croqui da malha estrutural

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 4 E S TA Ç Ã 0 C I D A D A N I A

O bloco 04 apresenta vãos maiores para acomodar o Teatro e as Salas de Eventos. Para vencer estes vãos de 20 metros foi adotada uma treliça metálica, de 1,20 metros de altura. Foi adotada a laje alveolar de concreto pré-fabricada com 25 cm de espessura. A passarela foi concedida através de uma grande treliça metálica, com 2,75 m de altura, apoiada em dois pilares de concreto.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

79\\


3. O PROJETO

3.5 PERSPECTIVAS

//80

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 5 p e r s p e c t i va s

E S T A Ç Ăƒ O C I D A D A N I A

81\\


3. O PROJETO

//82

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 5 p e r s p e c t i va s

E S T A Ç Ăƒ O C I D A D A N I A

83\\


3. O PROJETO

//84

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3 . 5 p e r s p e c t i va s

E S T A Ç Ăƒ O C I D A D A N I A

85\\


3. O PROJETO

C O N S I D E R A Ç Õ E S F I N A I S

//86

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


3.6 C O N S I D E R AÇ Õ ES F I N A I S

3.6 CONSIDERAÇÕES FNAIS

A

pretensão do presente estudo foi de

Literatura, Ateliês de Apoio à Criatividade, Labora-

apresentar um projeto urbanístico e

tórios, Centro de Eventos; Parque, Estação Cidada-

arquitetônico para a cidade de Var-

nia, com implantação de veículo leve sobre trilhos,

ginha, criativo e inovador, capaz de

num só complexo integrador. É um projeto capaz

oferecer à população ambientes integradores para a

de proporcionar aos usuários e visitantes uma gama

manifestação das Artes e Cultura.

de atrações e atividades, desde que as condições favoráveis ao seu desenvolvimento estejam presentes;

Para isso foi necessário realizar uma retrospectiva

também para os programadores de eventos, músicos,

histórica da cidade, como processo de crescimento,

um espaço para manifestação de sua música, arte e

industrialização, educação, transporte férreo, edi-

cultura.

ficações, eventos culturais, instituições sociais para maior conhecimento do contexto atual. Conhecer o

Projetos são investimentos a longo prazo e

passado histórico para entender o momento presen-

exige organização, método, responsabilidade, com-

te. Baseia-se em referências a projetos vistos e ob-

prometimento para que se transforme em realidade.

servados de outros países, que nutre a ideia e reforça

Pretendo aliar teoria (projeto) à prática (realização).

a criatividade. E, finalmente expõe as propostas e

Um ideal que se tornará realidade, através do empe-

justificativas para edificação do Centro de Artes e

nho e dedicação.

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A

87\\


BIBLIOGRAFIA

B B G F

I L I O R A I A

DIAS, Luís Andrade de Mattos. Estruturas de aço: conceito, técnicas e linguagem. São Paulo: Zigurate Editora, 1997. 297p. http://www.archdaily.com.br/74167/plataformadas-artes-e-da-criatividade-centro-internacionaldas-artes-jose-de-guimaraes-pitagoras-arquitectos/ jm_plataformaartes_181/ <acesso outubro 2012> http://arquitetemos.blogspot.com.br/2012/03/ parc-de-la-villette-bernard-tschumi.html <acesso outubro 2012> http://www.blogdomadeira.com <acesso abril 2013> http://concursosdeprojeto.org/2009/09/08/ce-

//88

E S T A Ç Ã O C I D A D A N I A


BIBLIOGRAFIA

burlemarx-inhotim/

outubro 2012>

http://www.varginhaonline.com.br <acesso abril 2013>

www.estacoesferroviarias.com.br <acesso setembro

http://www.memoriasdevarginha.com <acesso abril

2012>

2013>

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/

www.nucapvarginha.org <acesso abril 2013>

http://www.villette.com <acesso outubro 2012>

noticia/2013/04/foyer-do-theatro-capitolio-ereaberto-com-exposicoes-de-artes.html <acesso

http://www.portalcidade.com.br/sites/

abril 2013>

memoriadevarginha/artistas/musica.htm <acesso abril 2013>

http://www.inhotim.org.br <acesso outubro 2012> http://p3.publico.pt/cultura/arquitectura/4569/ http://www.maisvarginha.com.br/vgaimovel_

plataforma-das-artes-e-finalista-de-concurso-

estacaoferroviaria.asp <acesso setembro 2012>

mundial-de-arquitectura <acesso abril 2013>

http://mdc.arq.br/2009/10/02/centro-educativo-

http://www.varginha.mg.gov.br <acesso agosto

burle-marx-inhotim-brumadinho-mg/# <acesso

2012>

E S T A Ă&#x2021; Ă&#x192; O C I D A D A N I A

89\\


SV DESIGN & Estúdio Caetê - Camila Paiva TCC  

Projeto gráfico de criação e diagramação, para Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - da arquiteta Camila Paiva, formada na Fundação Armando...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you