Issuu on Google+

SEU ESPORTE É VENCER Administradora, mãe, esposa, triatleta, Patrícia Barros só entra em uma prova para dar o melhor de si e geralmente subir ao pódio

Fotos Guto Gonçalves Texto Yara Achôa

E13


“Tenha determinação. Abrace a vida com paixão, perca com classe e vença com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante.”


©Copyright 2014 by Yara Achôa e Guto Gonçalves

Realização

São Paulo - SP www.estudio13.com.br


APRESENTAÇÃO Administradora de agronegócios, Patrícia Barros trabalha duro de 10 a 12 horas por dia, gerencia a casa, se dedica ao marido e aos dois filhos. E ainda encontra tempo para treinar triathlon, esporte que descobriu há 13 anos. “Lembro de uma de minhas primeiras competições, no Triathlon Internacional de Santos. Terminei dizendo que não queria mais. Dois dias depois, porém, já estava fazendo minha próxima inscrição. Virou paixão!” Focada, dedicada, competitiva, ela se entrega aos treinamentos com toda a energia e colhe os louros nas provas. “Só entro para dar o melhor de mim e buscar o pódio”.


Patrícia Barros

Nascida em uma família esportista – o pai era nadador –, praticar atividade física sempre foi natural para Patrícia Barros, 41 anos, hoje administradora de agronegócios e triatleta amadora das mais fortes. “Era como ir à escola”, diz. Começou com a natação bem cedo e, aos quatro anos, participou de sua primeira competição. “Desde pequena eu já tinha essa ideia de ir para ganhar”. Depois experimentou outras modalidades como vôlei, aeróbica artística de competição e mountain bike. E como já nadava e pedalava bem, na juventude uma amiga sugeriu o triathlon. “O problema era que eu não conseguia correr muito. Em alguns momentos achava que seria impossível, pois não aguentava três quilômetros. Me questionava como iria conseguir vencer as distâncias das provas. Encarei como um desafio e passei a me dedicar mais à corrida, treinando de quatro a cinco vezes por semana. A evolução foi rápida, porém fiquei um bom tempo me aperfeiçoando para só depois tomar coragem e competir na modalidade”.


A estreia em uma competição se deu em 2004, aos 30 anos, em uma prova de short triathlon (750 m de natação, 20 km de bike e 5 km corrida), em Espírito Santo do Pinhal (SP). “Meu objetivo era apenas cruzar a linha de chegada, mas foi nesse evento que descobri minha grande habilidade para equalizar essas três modalidades”. Resultado: Patrícia foi campeã geral e subiu ao pódio pela primeira vez. “Acho que ali fiz a melhor natação da minha vida. Isso porque, pouco antes da largada, o organizador me deixou com medo dizendo que às vezes apareciam jacarés no lago”, conta, rindo. No mês seguinte, ela conseguiu repetir a façanha na 4ª Etapa do Troféu Brasil (distância short) em Santos (SP), ocupando novamente o lugar mais alto do pódio. E não parou mais.


“Quando comecei no triathlon eu não conseguia correr muito. Mas encarei como um grande desafio e passei a me dedicar mais à modalidade. E a evolução foi rápida!”


Definitivamente, seu negócio era o triathlon. Acumulando bons resultados, chegou a pensar em se tornar profissional. “Em 2006 estava no auge: fui campeã panamericana (distância olímpica) e campeã brasileira (short) na minha categoria, entre outras conquistas. E na época haviam poucas profissionais, como Carla Moreno, Mariana Ohata e Fernanda Keller. Pelos meus tempos, poderia estar entre elas”, analisa.


Já com 32 anos, estabilizada em sua profissão e com uma filha (Ana Maria), ao refletir sobre o quanto o esporte em nível profissional poderia trazer frutos e benefícios, ela optou por ser “a melhor amadora”!


Patrícia Barros sempre deu o melhor de si em todas as competições das quais participou. Aqui estão seus principais resultados: Ano

Evento (distância)

Local

2004

Copa Brasil Fit de Triathlon (short)

Espírito Sto do Pinhal (SP)

Troféu Brasil 4ª etapa (short)

Santos (SP)

1h14’48”

Campeã

14° Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h44’

8º lugar

Troféu Brasil 1ª Etapa (short)

Santos (SP)

1h15’19”

3º lugar

Troféu Brasil 2ª Etapa (short)

São Paulo (SP)

1h24’21”

Vice-campeã

Troféu Brasil 3ª Etapa (short)

Goiânia (GO)

1h16’27”

3º lugar

Troféu Brasil 4ª Etapa (short)

Belo Horizonte (MG)

1h22’04”

3º lugar

Troféu Brasil 5ª Etapa (short)

Santos (SP)

1h11’29”

3º lugar

Troféu Brasil 6ª Etapa (short)

São Paulo (SP)

1h19’23”

Vice-campeã

Troféu Brasil Última Etapa (short)

Santos (SP)

1h12’19”

3º lugar

15º Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h30’10”

3º lugar

2005

2006

Tempo

Classificação Campeã geral

Tripaulista 1ª Etapa (short)

São Carlos (SP)

Campeonato Brasileiro (olímpico)

João Pessoa (PB)

2h32’

Campeã 3º lugar

Panamericano de Triathlon (olímpico)

Brasília (DF)

2h33’04”

Campeã

Campeonato Brasileiro (short)

Fortaleza (CE)

Campeã

Campeonato Brasileiro (short)

Fortaleza (CE)

Vice-campeã geral

Troféu Brasil 1ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h42’50”

Campeã

Troféu Brasil 3ª Etapa (olímpico)

Goiânia (GO)

2h36’20”

Campeã

Troféu Brasil 5ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h20’08”

Campeã

Troféu Brasil 6ª Etapa (olímpico)

São Paulo (SP)

2h31’50”

Campeã

Troféu Brasil Última Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h33’58”

Campeã

Troféu Brasil - Campeonato (olímpico)

Campeã

Ranking Fed. Paulista de Triathlon (olímpico)

Campeã


Ano

Evento (distância)

Local

Tempo

Classificação

2007

16° Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h23’48”

3º lugar

2h24’30”

Troféu Brasil - 1ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

Bunge Triathlon Anual - 1ª Etapa (olímpico)

Itirapina (SP)

Campeonato Brasileiro de Triathlon (short)

Salvador (BA)

1h20’57” 1h20’57”

Campeã Campeã geral Vice-campeã geral

Campeonato Brasileiro de Triathlon (short)

Salvador (BA)

II Sprint Triathlon Dambha Fed. Paulista (short)

São Carlos (SP)

3º lugar geral

Campeã

II Sprint Triathlon Dambha Fed. Paulista (short)

São Carlos (SP)

Campeã

Campeonato Brasileiro de Triathlon (olímpico)

Vitória (ES)

2h31’14”

Vice-campeã

Troféu Brasil 5ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h32’07”

3º lugar geral

Troféu Brasil 5ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h32’07”

Campeã

RBK Premier Short Dist - Última Etapa (short)

Pirassununga (SP)

1h29’

Campeã geral

RBK Premier Short Dist - Última etapa (short)

Pirassununga (SP)

1h29”

Campeã

Troféu Brasil Última Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h27’32”

Campeã

Troféu Brasil Campeonato (olímpico)

Vice-campeã

Ranking Fed. Paulista de Triathlon (olímpico)

Campeã

Ranking Fed. Paulista de Triathlon (short)

Campeã

Ranking CBTRI (olímpico)

Vice-Campeã

Ranking CBTRI (short)

Campeã


“Analisando meus resultados você pode ver o tamanho do meu amor pelo esporte e o quanto me dedico!” Ano

Evento (distância)

Local

Tempo

Classificação

2008

17° Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h29’51”

Campeã

Troféu Brasil 1ª Etapa (olímpico)

Santos (SP)

2h18’

Campeã

Troféu Brasil 2ª Etapa (olímpico)

São Paulo (SP)

2h41’55”

Vice-campeã

RBK Premier Short Distance 2ª Etapa (short)

Ubatuba (SP)

1h07’38”

3º lugar geral

RBK Premier Short Distance 2ª Etapa (short)

Ubatuba (SP)

1h07’38”

Campeã

RBK Premier Long Distance 3ª Etapa (long)

Rio de Janeiro (RJ)

5h07’

Vice-campeã

RBK Premier Long Distance Última Etapa (long)

Pirassununga

5h19’

Campeã

Long Distance Campeonato (long) 2009

2010

2011

2012

2013

2014

RBK Premier Long Distance 1ª Etapa (long)

Campeã Caiobá (PR)

5h18’

Vice-campeã

RBK Premier Long Distance 2ª Etapa (long)

Ubatuba (SP)

5h31’

Campeã

RBK Premier Long Distance Última Etapa (long)

Pirassununga (SP)

5h10’

3º lugar

RBK Premier Short Dist Última Etapa (short)

Pirassununga

1h27’

Vice-campeã

20° Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h27’

3º lugar

Maratona Internacional de Porto Alegre

Porto Alegre (RS)

3h51’

9º lugar

Maratona Internacional de São Paulo

São Paulo (SP)

4h20’

28º lugar

38ª Maratona de Berlim

Berlim (Alemanha)

3h38’

129º lugar geral

Cross Triathlon de Rifaina (olímpico)

Rifaina (SP)

3h21’27”

Campeã geral

Long Distance Pirassununga (long)

Pirassununga (SP)

4h54’

4º lugar

Long Distance Pirassununga (long)

Pirassununga (SP)

4h54’

Campeã geral

14° Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h19’

Campeã

Gravidez

GP Extreme (long)

São Carlos (SP)

4h45’

Vice-campeã

Long Distance 1ª Etapa

Caiobá (PR)

4h44’

Campeã

Tri Rex Challenge (long)

Broa (SP)

4h51’

Campeã geral

Ironman Brasil (ironman)

Florianópolis (SC)

10h43’

Vice-campeã

Mundial Longa Distância (long)

Vitoria-Gasteiz (Espanha)

7h42’

4º lugar

Long Distance Última Etapa

Pirassununga (SP)

4h57

Vice-campeã

Ironman 70.3 Panamá (long)

Panamá (PN)

5h30’

3º lugar

Mundial 70.3 Las Vegas (long)

Las Vegas (EUA)

Classificada

Campeonato Brasileiro Longa Distância (long)

Fortaleza (CE)

Campeã

GP Extreme (long)

São Carlos (SP)

Campeã

Mundial Longa Distancia - ITU (long)

Belfort (França)

Não terminou

Mundial 70.3 Las Vegas (long)

Las Vegas (EUA)

5h30’

Top 20

RBK Premier Short Distance Última Etapa (short)

Pirassununga (SP)

1h17’

2º lugar geral elite

Troféu Brasil (olímpico)

Santos (SP)

2h21’

1º lugar geral amador

23º Internacional de Santos (olímpico)

Santos (SP)

2h07

Campeã


Ironman, uma grande conquista

Como um grande projeto em uma empresa, Patrícia Barros focou e treinou muito para o Ironman Brasil 2012. “Fui muito bem acompanhada por meus técnicos e nutricionista. Tudo foi muito organizado. Planejamos, executamos, colhemos dados e fizemos a programação para o grande dia. Meu objetivo era obter a primeira colocação, garantindo a vaga para o Mundial no Havaí (única em minha categoria). Fiz 10h43’ e conquistei o segundo lugar. O Ironman é um evento diferenciado, são muitas horas de prova. Eu estava o tempo todo focada e muito bem. Ser vice, cruzar a linha de chegada, subir ao pódio foi algo indescritível. Me senti a pessoa mais realizada do mundo, pois cumpri todo o planejamento e, mesmo não conseguindo a desejada vaga, me senti uma grande campeã”, conta. Agora, em 2014, a atleta mira novamente na prova, em busca da sonhada participação no Mundial no Havaí. “Por quase seis meses eu abro mão de quase tudo na vida para me dedicar aos treinos para um Ironman. E ali, naquelas dez horas e pouco, eu só fico pensando em fazer bonito. Na verdade é uma mistura de sentimentos: sinto medo, dor, euforia e busco a vitória”.


“Subi ao pódio em quase todas as provas que disputei desde 2004 até hoje.”


Dia a dia corrido Patrícia Barros começa sua rotina às cinco da manhã. Para se manter no topo como amadora de alta performance treina sete vezes na semana, as vezes em dois periodos. Como administradora de agronegócios, cumpre jornada de 10 a 12 horas diretas. Não bastasse, gerencia a casa e dá atenção ao marido, Fábio, e aos dois filhos, Ana Maria, de 21 anos, e João Antônio, de 3. “É uma loucura. Tem horas que nem sei de onde tiro tantas horas no dia. Felizmente meu marido também é triatleta e me ajuda para que tudo saia o melhor possível”. Organização e equilíbrio são básicos para que as coisas sigam no eixo. “Acho que o grande segredo é ser disciplinada e dedicada, fazendo tudo com muito amor e dividindo o tempo de forma coerente”.


“Nunca vou esquecer a conquista do Panamericano de Triathlon, em 2006, em Brasília. Fui a única brasileira no pódio e me emocionei ao ser aplaudida por atletas profissionais.”


“Conheci meu marido, Fábio, por meio de amigos do esporte em comum. E tudo começou porque ele duvidou que eu tivesse corrido a São Silvestre. Em tempo: completei a São Silvestre em 1h12’47”, em 2006.”

“Envolvo meus filhos no meu esporte. A Ana sempre foi minha companheira, me ajudando em treinos e provas. O João já foi me receber na chegada no Ironman. Quando estresso por algum motivo, eles me falam: ‘por favor mãe, vai teinar...’”

“Meu maior prazer em ser uma atleta é ter amigos verdadeiros. O esporte nos coloca em situações de imensa cumplicidade, viramos uma grande família.”


“Adoro a música Born to be wild. O Fábio diz que realmente nasci para ser selvagem!”


“Antes das provas, gosto de mentalizar: IMAGINE com toda sua mente, ACREDITE com todo seu coração, CONQUISTE com todo seu potencial!”


Mundial de Longa Distância, na França: aprendizado Desde que começou no esporte, Patrícia Barros sempre cruzou a linha de chegada. A única vez que isso não aconteceu foi em 2013, no Mundial de Longa Distância, em Belfort, França. “Chovia e fazia muito frio, uns cinco graus. Tive hipotermia e desmaiei na saída da bike. Quando acordei estava na enfermaria. Sempre fui para as competições muito segura e com tudo bem calculado. Desta vez tive de fazer uma análise, ver onde foi que eu errei. Foi um grande aprendizado”.


Texto, fotos e edição Yara Achôa e Guto Gonçalves Realização Estúdio13 www.estudio13.com.br Tel. (11) 2478-1029 | (11) 99722-1505


Patrícia Barros: nascida em uma família esportis-

ta, praticar atividade física sempre esteve em seu cotidiano. Ela começou com a natação – e as competições – bem cedo. Experimentou também vôlei, aeróbica artística e mountain bike. Até que descobriu o triathlon, sua grande paixão. Hoje, aos 41 anos, é uma das mais fortes amadora da modalidade!


SEU ESPORTE É VENCER – PATRÍCIA BARROS, TRIATLETA