Page 1

Edição 01 Novembro / Dezembro 2009 www.alom.com.br

BELEZA DELIVERY A ARTE DO ATENDIMENTO EM DOMICÍLIO


EXPEDIENTE A Revista Estética & Negócios é uma publicação bimestral, 100% digital, 100% gratuita, desenvolvida pela Álom Comunicação em Negócios.

Diretora Thais Cavalcanti esteticaenegocios@alom.com.br

Jornalismo e Revisão Madalena Almeida madalena.mozi@uol.com.br Revista Digital News Flip www.newsflip.com.br Comercial - Patricia Teixeira comercial.esteticaenegocios@alom.com.br Atendimento ao Leitor assinante.esteticaenegocios@alom.com.br

Projeto Gráfico e Webdesign Irene Asato Ruiz www.ireneruiz.com Tecnologia da Informação Ivan Carlos de Almeida www.icarlos.net Site www.alom.com.br Contato 11 3731-6704

Redação redacao.esteticaenegocios@alom.com.br Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização escrita. Artigos e colunas não representam necessariamente a opinião da revista e são de total responsabilidade de seus autores. As imagens dos artigos e matérias foram cedidas pelos respectivos colunistas e entrevistados. As imagens ilustrativas são provenientes de banco de imagens. 02 | Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09


Participe de nossos canais de comunicação na internet e mantenhase atualizado sobre as novidades da publicação, comente os artigos e matérias e envie suas sugestões.

http://esteticanegocios.wordpress.com No Blog da Revista Estética & Negócios você encontrará um resumo dos artigos da publicação e poderá comentar os assuntos e sugerir temas.

http://www.twitter.com/esteticanegocio Siga-nos no Twitter e fique por dentro das novidades da revista e links para assuntos interessantes na web

Comunidade Revista Estética & Negócios Na Comunidade da Revista Estética & Negócios no Orkut você participa dos fóruns de discussão sobre os temas da revista e envia sugestões


EDITORIAL

É com grande felicidade que apresento a Revista Estética & Negócios.

A primeira revista sobre gestão de negócios e carreira no mundo da beleza e estética 100% digital e 100% gratuita. A Revista Estética & Negócios chega para acrescentar muito mais informações de negócios no meio da estética, com matérias sobre diversos pontos de vista de gestão, e também oferecendo informações sobre a manutenção da carreira do profissional do setor. Bimestralmente, você, leitor, saberá quando uma nova edição estará no ar. Basta solicitar sua assinatura gratuita em nosso site. Poderá utilizar os recursos de interatividade, acessando os vídeos e links. Agradeço a todos que colaboraram com esta primeira edição e a todos que estão torcendo pelo sucesso da publicação. Em especial, aos colunistas que contribuíram com conteúdo de alta qualidade, aos entrevistados pela atenção e disponibilidade, aos anunciantes que confiaram suas marcas no patrocínio do projeto, aos milhares de assinantes que acreditam na ideia central da publicação, as muitas parcerias formadas nesses poucos meses de trabalho, e a equipe de colaboradores, que se dedicou ao máximo na execução de todas as peças de divulgação, website, comercial, jornalismo e tecnologia da informação. Espero que aproveitem ao máximo e fiquem à vontade para nos enviar seus comentários por e-mail, para que possamos sempre melhorar e oferecer um veículo de informação de alta qualidade. Um super abraço!

Thais Cavalcanti


SUMÁRIO 06

Gestão de Negócios Recomeçar

Por Eduardo Fleming

10

Marketing Marketing Olfativo nos centros de beleza e bem-estar

Por Luciana Prazeres

16

Gestão Financeira Como aumentar o lucro na sua clínica de beleza?

Por Aline Cabral

21 22

Nesta Edição Guia de Fornecedores Lançamento

Internacional Talento Brasileiro em Dubai

Por Madalena Almeida

26

Capa Atendimento em Domicílio

Por Madalena Almeida

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 05


Gestão de Negócios

RECOMEÇAR As sociedades formadas entre um administrador e um profissional técnico são as mais bem-vindas. A sinergia desses talentos faz com que o negócio seja alavancado da forma positiva.

Por Eduardo Fleming

Q

uantas clínicas de estética, salões de beleza e institutos de depila-

ção que ao longo do tempo ficaram “velhos”, obsoletos e sofreram as consequências da decadência: perda de profissionais para a concorrência, redução do movimento das clientes cada vez mais exigentes e em busca de novidades, obsolescência dos equipamentos, diminuição dos ganhos e da margem de lucro dos serviços. Por fim, são vendidos muito baratos e, nas mãos de novos proprietários, são repaginados, renovados e logo voltam a faturar muito bem.

O que os novos proprietários fizeram? Eles investiram no negócio e bus-

caram o retorno desse investimento em um tempo predeterminado.

E por que os antigos donos não conseguiram fazer o mesmo? Por quê

eles mesmos não reformaram a empresa e se mantiveram no mercado?

06 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Gestão de Negócios

A resposta é que esses antigos donos não fizeram nenhum planejamen-

to, não se organizaram, não estabeleceram metas nem gerenciaram os recursos humanos e materiais de que dispunham de forma adequada. E mesmo, no fundo do poço, ainda assim não buscaram ajuda profissional de consultores e órgãos de apoio, tais como Senac, sindicatos etc.

O mercado observa atualmente a entrada, de forma irreversível, de ad-

ministradores e empreendedores no mercado de beleza. Todos eles atraídos por um segmento que cresceu em média 10% ao ano nos últimos 15 anos e mais que dobrou nesse período.

E no setor de beleza, em especial, as empresas prestadoras de serviços

precisavam que essas pessoas – empreendedoras, organizadas, sistemáticas e disciplinadas – assumissem essas companhias para retirar do profissional téc

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 07


Gestão de Negócios nico a tarefa ingrata de administrar, seja ele um esteticista, um cabeleireiro, ou outro profissional do mercado, que, por natureza, é criativo, inovador, pouco convencional, comunicativo e voltado para o universo técnico ou artístico.

Em especial, as sociedades formadas entre um administrador e um pro-

fissional técnico são as mais bem-vindas, pois, nesse caso, a sinergia desses talentos faz com que o negócio seja alavancado da forma mais positiva possível.

As características necessárias a esses administradores são liderança, ca-

pacidade de gerenciar conflitos, visão analítica, de mercado e de negócio, além de conhecimentos sobre gestão de pessoal, de estoques e de capital. Noções sobre as legislações trabalhista, sanitarista, tributária e de relações de consumo também são imprescindíveis.

É um trabalho de “formiguinha”, mas que, com persistência e tenaci-

dade, fará que com que essas empresas de estética e beleza se destaquem com excelência entre as demais. Comente sobre este artigo em nosso blog: http://esteticanegocios.wordpress.com/

Eduardo Fleming é Consultor de Empresas e desenvolve consultoria especializada para salões de beleza e clínicas de estética. E-mail: eduardo.fleming@gmail.com http://www.graces.com.br

08 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Marketing

MARKETING OLFATIVO NOS CENTROS DE BELEZA E BEM-ESTAR Trabalhar com Marketing Olfativo não é uma arte difícil, desde que sejam empregadas as ferramentas adequadas. Por Luciana Prazeres

Q

uem já não entrou em um lugar e sentiu um cheiro agradável, ou

desagradável, e não foi levado a algum momento muito marcante de sua vida. Quando falamos de clientes na área da beleza, devemos sempre atendê-los nos cinco sentidos. O que seria isso?

Visão

Quando deixamos o espaço preparado para todos os clientes se sentirem

em casa. Seja esse apelo estimulado por banner, móveis, flores, cores e etc.

Paladar

Quando oferecemos um café, um chá bem aromático antes ou durante o

seu atendimento.

10 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Marketing

Audição

Quando deixamos uma música tranquila, seja para relaxar, ou até mais

agitada para deixar o ambiente mais jovial. Tudo dependendo da proposta de trabalho.

Tato

Quando entramos em contato com esse cliente, seja em tratamentos

facial, corporal ou até capilar.

Olfato

Entra exatamente no que estou tratando neste artigo, pois o olfato des-

perta os outros sentidos. Com o cheiro, conseguimos atingir uma área do cérebro chamada sistema límbico, que é relacionada com as memórias emocional e hereditária.

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 11


Marketing

O óleo essencial tem uma abrangência terapêutica, pois atua em todas

as esferas existentes, desde as mais densas no corpo físico até as sutis, na aura e estrutura psicológica do ser. Tem ação sobre o corpo por diferentes vias: fisiológicas/psicológicas e energéticas.

Com o Marketing Olfativo, você começa o relacionamento com o cliente,

buscando criar uma identidade, uma personalidade para o seu negócio, e valorizando a marca, que dificilmente sairá da mente das pessoas. Hoje em dia, nos Estados Unidos, Europa e em alguns países asiáticos têm-se usado muito o poder olfativo para personalizar roupas, produtos cosméticos, itens de cama e banho, de festas, entre muitas outras.

Então por que não fazer isso para seu cliente? Preparar seu espaço para

ficar personalizado? Criar a sua marca olfativa?

Atualmente, é possível encontrar no mercado produtos diferenciados

que ajudam a se trabalhar com o olfato. Mas para que tenhamos o efeito terapêutico que desejamos para esse trabalho, devemos usar óleos essenciais (e não aromas). Portanto, busque um profissional qualificado para desenvolvê-lo, a fim de que a escolha seja adequada para seus clientes e também para o funcionário.

Por exemplo, a Lavanda é um óleo com o qual trabalhamos a ansiedade,

as pessoas estressadas, entre outras finalidades. Indicamos para locais que tenham pessoas que são muito ativas ou ansiosas, clientes que queiram ser atendidas rapidamente e indivíduos estressados ao extremo. Esse óleo tem efeito calmante e, ao mesmo tempo, pode dar a sensação de liberdade, frescor e relaxamento.

É bem apropriado para colocarmos em uma recepção, claro, juntamente

com um blend (uma combinação de óleos essenciais), onde será formada a sua

12 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Marketing Marca Olfativa.

Para colocar esse aroma em um ambiente de trabalho, devemos tam-

bém fazer um estudo do profissional que irá atuar nesse espaço e da proposta que se tem para essa área, de modo a preparar um blend que fique agradável para o cliente que entra no local e também quem trabalha constantemente nesse espaço.

Por exemplo, ao usarmos o apelo visual como a chave para a compra por

impulso, o olfato é a maçaneta e a fechadura para que se reforce esse apelo. E para que isso seja efetivo é necessário um profissional qualificado que entenda de óleos essenciais para essa finalidade.

O que esse profissional irá fazer para constituir sua Marca Olfativa?

Essa marca não deve ser trocada, pois representará sua empresa. Esse

consultor irá fazer um questionário para conhecer melhor o seu público- alvo, frequência, perfil dos funcionários, quais atividades irão ser efetuadas nesse local que será aromatizado.

Sempre falo para meus clientes da grande diferença entre óleo essencial

e fragrância aromática. Óleo essencial tem efeitos terapêuticos, pois o aroma que é inalado é absorvido pelo cérebro. A diferença é que a fragrância é um cheiro sintético e não tem efeito terapêutico nenhum. Sua finalidade é somente dar cheiro ao ambiente.

Então quais seriam as finalidades terapêuticas? Vou citar algumas delas: Lavanda – antiestresse, calmante; Yang Lang – estimulante, calmante; Citronela - repelente, insegurança;

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 13


Marketing Junípero - antiestresse, auxilia a memória; Eucalipto – refrescância; Gerânio – autoestima; Tea tree - limpeza; Laranja - estimula alegria.

Temos hoje uma gama de óleos essenciais muito grande. São mais de 40

tipos. A criação da sua logomarca olfativa depende exclusivamente de você, a fim de que possa criar o diferencial necessário para atuar em nosso mercado, que está cada dia mais competitivo. Trabalhar com Marketing Olfativo não é uma arte difícil, desde que sejam empregadas as ferramentas adequadas.

Comente sobre este artigo em nosso blog: http://esteticanegocios.wordpress.com/

Luciana Cristina Prazeres Silva é Diretora da Studio Ônix, Consultora para clínicas de estéticas e aperfeiçoamentos na beleza, Terapeuta Aromática, Esteticista facial e corporal, Hair Dresser e Docente do Senac Mogi Guaçu (SP). E-mail: silvaelima@hotmail.com

14 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Gestão Financeira

COMO AUMENTAR O LUCRO NA SUA CLÍNICA DE BELEZA? Simplesmente, sorria! “Sorria. O sorriso ajuda-nos a descobrir motivos de alegria a nossa volta. Nossa alegria contagia os outros e a vida fica melhor.”

E

Por Aline Cabral

xistem vários pontos importantes que precisam ser analisados ao

se iniciar ou mesmo prosseguir um negócio, mas nem sempre tais pontos são considerados ou revisados pelos proprietários. É por isso que muitas empresas não alcançam o sucesso e a tal sonhada “lucratividade”.

Antes de destacarmos esses aspectos importantes, veremos o que sig-

nifica lucratividade. Resumidamente, é o que “sobra” ou “resta” depois de se retirar todos os custos, impostos da empresas, entre outras despesas, sejam elas diretas e indiretas.

Por exemplo, uma empresa fatura R$ 16.000,00, dos quais R$ 13.000,00

são despesas. Nesse caso, o lucro é R$ 3.000,00. Na verdade, devemos analisar todas essas despesas uma a uma, cuidando para não nos esquecermos de

16 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Gestão Financeira

nenhum detalhe, pois qualquer “esquecimento” será prejudicial para o nosso lucro.

Infelizmente, não é o que acontece, pois muitos proprietários, antes de

analisar seus custos, gastam desnecessariamente o dinheiro da empresa com contas particulares e supérfluos. Dessa forma, ao fazerem o fechamento do mês, o dinheiro faturado pela empresa não cobre todas as despesas, que fica cada vez mais no vermelho.

Durante minha experiência, trabalhando em salão de beleza, presenciei

e analisei várias situações desagradáveis de gerenciamento de custos, profissionais e equipe. Geralmente, os profissionais são excelentes, mas o gerenciamento é péssimo. Não os culpo, pois é humanamente impossível associar tantos afazeres com o gerenciamento do seu estabelecimento.

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 17


Gestão Financeira

É por isso que mesmo sendo empresas pequenas ou autônomas, neces-

sitamos de um eficiente software para nos auxiliar nessa tarefa, pois nem sempre podemos contratar um gerente ou um consultor para analisar nosso negócio. Um programa adequado poderá nos ajudar a colocar em ordem a empresa, verificando o que realmente acontece e qual a melhor maneira de aproveitarmos o que temos para aumentar a lucratividade.

Vocês devem estar se perguntando: “- Ué? Mas cadê a fórmula para aumentar a lucratividade?”

Não existe nenhuma fórmula mágica, mas sim um jeito simples, orga-

nizado e criativo para driblarmos o terrível fracasso. E isso, meus amigos, só depende de nós mesmos, do tempo que dedicamos para colocarmos em prática todos os conhecimentos de gerenciamento que podemos adquirir em cursos, livros e mesmo na internet, que nos auxilia sobre o assunto. Afinal, ninguém nasceu sabendo, portanto, temos de nos aperfeiçoar cada dia mais sobre o nosso negócio. Se precisarem de alguma dica, me coloco à disposição: basta me enviar um e-mail ou postar suas dúvidas aqui.

Temos de sempre fazer o melhor, pois a nossa profissão é doação! Para

depois colhermos os resultados.

O marketing principal é o nosso: pessoal preparado, qualidade de serviço

e resultado! Com esses três requisitos simples podemos fidelizar nossos clientes e darmos um passo para o $UCE$$O!

Precisamos resgatar o marketing “arroz com feijão”, ou seja, o marketing

mais simples e objetivo, que, na maioria das vezes, nos esquecemos de praticar. São eles:

1

Telefonarmos sempre para os clientes para sabermos se ficou sa-

18 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Gestão Financeira tisfeito com nossos serviços e, caso a resposta seja negativa, precisamos ser humildes e perguntar qual foi a razão da crítica. Se possível, é interessante convidarmos esse cliente para remarcar um horário “especial”, na tentativa de revertermos a situação.

2

Ter sempre anotado os contatos de seus clientes: telefone, endereço, e-

mail, data de aniversário, profissão, último dia em que esteve na clínica, tratamento feitos, entre outras informações importantes.

3

Sempre que possível, devemos usar estratégias de marketing para recu-

perar os clientes que não frequentam mais a clínica, não se esquecendo dos mais fiéis. Por isso, é importante mantermos todos os dados deles. Dessa forma, poderemos desenvolver estratégias de marketing “acessíveis” e simples, como, por exemplo: telefonemas desejando um “Feliz Aniversário”; “Feliz Dia das Mães”; “Feliz Natal”, enfim, usarmos as datas comemorativas. Se possível, presenteie seus clientes com algum “mimo”, a fim de que eles se sintam motivados a frequentar novamente sua clínica.

4

Faça propagandas. Lembre-se: “ Quem não é visto, não é lembrado”. Rea-

valie métodos que realmente dão resultados para sua clínica, sejam eles: rádio, tevê, anúncios, folder, faixas, enfim, cada região pede uma determinada mídia. Pesquise com alguns anunciantes e pergunte qual o verdadeiro retorno que eles têm com esses canais. Assim é mais fácil avaliar a relação custo x benefício desse investimento.

5

Aparência é tudo. Não importa se você tem uma clínica simples ou mais

moderna, precisa sempre estar com uma boa aparência, penteada, maquiada,

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 19


Gestão Financeira bem vestida e o principal: se manter sempre sorridente e simpática. Lembre-se: nossos clientes desejam ser como somos. Por isso, devemos estar impecáveis sempre. Também não se esqueça do ambiente de trabalho, que deve estar sempre limpo e organizado.

6

É fundamental separarmos o dinheiro da empresa (clínica) de nossas despe-

sas pessoais. Muitas pessoas fracassam por não saberem administrar corretamente esses dois fatores. Dessa forma, precisamos saber qual é a receita da empresa e qual é a sua parte. Para isso, é necessário fazermos uma tabela com os custos mensais, custos fixos e variáveis. Posteriormente, falaremos também sobre o Ponto do Equilíbrio de nossa empresa, a fim de obtermos os melhores resultados com a nossa equipe. Aguardem!

Espero que com essas dicas simples, vocês possam obter muita lucrativi-

dade e alcançar seus objetivos e sonhos. Comente sobre este artigo em nosso blog: http://esteticanegocios.wordpress.com/

Aline Cabral é Esteticista e Consultora para Clínicas de Estética e Salões de Beleza. E-mail: alinecabral0501@gmail.com

20 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


LANÇAMENTO Purangy Nova empresa brasileira de biocosméticos Purangy, que significa beleza (puran) em tupi-guarani, é uma nova marca de biocosméticos comercializada pelo sistema de venda direta, que conta com um portfolio de 31 itens, entre produtos capilares, tratamentos corporais, deocolônias e maquiagens. Todos os produtos são dermatologicamente testados, desenvolvidos com fórmulas à base de ingredientes e ativos botânicos extraídos de forma sustentável. As embalagens são feitas de PET 100% recicláveis e não são feitos testes em animais. Informações : www.purangy.com.br

GUIA DE FORNECEDORES Consultoria

Produtos

Aline Cabral Consultoria alinecabral0501@gmail.com

Cosméticos Gabuchy www.gabuchy.com.br

Luciana Prazeres Consultoria silvaelima@hotmail.com

Produtos em Geral DB Clean www.dbclean.com.br

Eduardo Fleming Consultoria eduardo.fleming@gmail.com

Móveis Brudine www.brudine.com.br

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 21


Internacional

TALENTO BRASILEIRO EM

DUBAI

Há dois anos morando em Dubai, a brasileira

Juliana Estanislau descobriu as áreas de estética e beleza como uma opção de carreira promissora naquele país. Mas quem pensa que é fácil ser bem-sucedido fora do Brasil, a esteticista garante que é preciso muita força de vontade, paciência e seriedade para se construir uma trajetória de sucesso.

Por Madalena Almeida

22 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Internacional

D

ubai é famosa pelos seus cartões-postais exuberantes e por ser um

pólo turístico de luxo e de glamour. Mas também é um lugar de oportunidades, especialmente nas áreas da estética e beleza.

É o que garante Rita Juliana Estanislau Sampaio, essa brasileira de 24 anos

que há dois anos mora no local. Dubai é um dos sete emirados que compõem um país chamado Emirados Árabes Unidos, sendo o mais rico deles.

Juliana, que vivia antes em São Paulo, fazia faculdade e atuava como se-

cretária presidencial, quando o marido recebeu uma proposta para trabalhar em Dubai.

Mas antes de se mudar para aquele país, Juliana queria ter uma ocupa-

ção que lhe proporcionasse ganhos financeiros e lhe trouxesse também realização pessoal. Foi então que percebeu uma carência na região de serviços ligados à estética e beleza.

“Descobri que em Dubai quase não há brasileiras atuando no ramo de

estética, e o preço desses serviços nos salões é exorbitante. Assim, fiz vários cursos nessa área. Frequentava as escolas dia e noite e consegui quatro diplomas”, revela.

Já em Dubai, Juliana tratou de fazer sua clientela. Apresentada a um gru-

po de esposas de pilotos da companhia aérea Emirates, ela iniciou uma carreira de sucesso. “A partir daí, surgiram outras brasileiras, esposas de estrangeiros, de jogadores de futebol, de árabes etc. Em pouco tempo, eu já estava com uma clientela cativa”, conta.

Atualmente, Juliana trabalha com tratamentos capilares diversos (apli-

cação de queratina, escova progressiva, hidratações etc.), além de tratamentos em estética corporal e facial (massagens, esfoliações, banho de lua, limpeza de pele, entre outros).

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 23


Internacional

Segundo Juliana, sua rotina é bastante atribulada. A brasileira trabalha

sozinha para atender todas as suas clientes. Além disso, recentemente, ela descobriu a maternidade. Seu primeiro filho, Aaron, tem dois meses e toma grande parte de seu tempo. Por isso, ela precisou diminuir um pouco o ritmo. Atendimento em domicílios

Normalmente, Juliana, que mora em uma região chamada Discovery

Gardens, faz os atendimentos em domicílios. Sua rotina envolve até 13 horas de trabalho por dia. “Em Dubai, existem muitos salões, spas etc., mas o serviço, em linhas gerais, é superfraco. A mão-de-obra é muito barata e as esteticistas vêm, a maioria, das Filipinas e da Índia, sem muitos conhecimentos técnicos. Por isso, o salário é bem baixo. Daí a opção de atender em domicílio, que traz melhores ganhos financeiros”, conta.

Por outro lado, Juliana explica que ser autônomo é considerada uma

prática informal de trabalho em Dubai. Segundo ela, para poder atuar nessa área naquele país, a pessoa precisa montar um salão e abrir uma empresa. “Eles obrigam a ter uma sede física e um sócio local. O problema é que para usar o nome da pessoa no país, temos de pagar um valor muito alto, o que acaba inviabilizando o negócio. Sem contar a porcentagem do faturamento que precisamos também pagar a esse sócio somente por usar seu nome. Por essa razão, optei por trabalhar por conta, atendendo nas casas de brasileiras, nas mansões das árabes etc.”, esclarece Juliana.

De acordo com Juliana, o perfil dos clientes também é bem diferente

dos frequentadores de salões brasileiros. “Em Dubai, por mais que o serviço seja ruim, os clientes exigem um lugar glamouroso e luxuoso. Uma curiosidade é que se costuma sempre a chamar as clientes de madames e os homens de senhores, não importando a idade que tenham”, acrescenta.

Outra curiosidade da área é que os salões apresentam um layout mais

24 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Internacional fechado, não sendo possível visualizar seu interior quando se está do lado de fora. “Em alguns lugares, os proprietários colocam até um lençol preto, que impede qualquer um de olhar o que há internamente. Também não é permitida a entrada de homens em salões ou spas. Para eles, existem os formatos com atendimento exclusivos”, declara. Realização pessoal

Para Juliana, a qualidade de vida no país é a melhor que ela já viu. “Morei

também na Europa, e a qualidade de vida não chega nem aos pés da de Dubai.

E os clientes gastam muito com beleza. Para se ter ideia, um tratamento

para alisar o cabelo, que lembra um pouco a nossa escova progressiva no Brasil, custa em média 4 mil Dhs (Dirham, a moeda local), que equivale a cerca de R$ 2 mil. Os salões faturam demais, em função da mão-de-obra barata, e são deslumbrantes”, relata.

De acordo com ela, apesar de tanta ostentação, o custo de vida em Dubai

não é exorbitante. “Aqui, a pessoa pode comprar aquele carro último tipo que tanto sonhou ou outros bens que sempre quis. Tudo é livre de impostos. Mas a moradia é realmente um absurdo”, explica.

Para quem se animou com a trajetória de Juliana, ela dá um recado. Se-

gundo a brasileira, a área de beleza em Dubai é promissora, especialmente pelo lado financeiro. Mas existem muitas dificuldades, principalmente no âmbito legal.

“Na área de beleza, os profissionais brasileiros são muito bem vistos.

Mas é preciso muita força de vontade e muito trabalho. Posso dizer que atuar nesse mercado foi a minha melhor escolha. Nunca pensei que daria tão certo. Na verdade, os brasileiros, quando exercem a profissão com ética e seriedade, têm ocupação garantida e não param de trabalhar”, garante Juliana. Comente sobre este artigo em nosso blog: http://esteticanegocios.wordpress.com/

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 25


Capa

ATENDIMENTO EM DOMICÍLIO UMA MODALIDADE DE TRABALHO QUE PODE ALAVANCAR SUA CARREIRA Desde os primórdios, há registros de pessoas que já prestavam serviços em domicílio. Essa modalidade de trabalho atravessou os tempos e, hoje, é a opção de carreira de muitos profissionais das áreas de estética e beleza, que descobriram nesse sistema uma forma mais lucrativa e gratificante de exercer seu talento.

Por Madalena Almeida

26 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Capa

A

correria do mundo moderno impôs diversas mudanças no estilo

de vida das pessoas. A falta de tempo, o trânsito caótico, especialmente nos grandes centros, entre outros fatores, são sempre as principais justificativas para que deixemos de realizar várias atividades, seja nas áreas pessoal, profissional e familiar. Diante dessa realidade, é comum buscarmos soluções que facilitem nossas vidas e tragam comodidade, conforto e bem-estar.

Para atender às necessidades desse público, uma tendência que ganha

força em diversos segmentos é o atendimento em domicílio, especialmente no setor de serviços. Nas áreas de estética e beleza também não é diferente. Cada vez mais, os clientes preferem esse tipo de atendimento, a fim de ter um serviço mais personalizado e diferenciado nos horários em que lhes for mais

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 27


Capa

“Meu objetivo é me especializar em diversos serviços nas áreas de beleza e estética. Dessa forma, aumento meu leque de serviços e cativo os clientes” Alice Augusto

conveniente, sem precisar enfrentar trânsito e salões e clínicas com agendas lotadas.

Por outro lado, essa modalidade de trabalho vem ao encontro dos anseios

dos profissionais desse setor, que diante da forte concorrência, acabam descobrindo no atendimento em domicílio uma forma de ter maior independência financeira, além do fato de não precisarem ficar vinculados a patrões ou empresas.

“É vantajoso o profissional poder fazer seus horários de trabalho, formar

seu preço, ter recebimento integral e poder agir com autonomia de conhecimento técnico. Já o cliente tem como vantagem a completa comodidade, pois não precisa sair do seu ambiente, sem contar o atendimento personalizado”, explica Denise Baptista Ramos, esteticista e consultoria nessa área.

Por outro lado, nem sempre atender em domicílio é a primeira opção do

profissional. A maior parte começa atendendo amigos, familiares etc. Posteriormente, descobrem que essa modalidade pode ser uma boa oportunidade de carreira.

28 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Capa

Segundo a consultora, para ser bem-sucedido nesse campo, o “caminho

das pedras” é a profissionalização e a diversificação de serviços, de modo a oferecer um amplo pacote de opções e mais comodidade ao cliente, que, por sua vez, terá um atendimento de qualidade e completo sem sair de casa.

Esse é o caso da esteticista facial Alice Emilia Guedes Augusto, que atua

há apenas cinco meses nessa área, mas já descobriu uma maneira de fidelizar os clientes e aumentar sua receita.

“Além dos tratamentos tradicionais de rosto, agrego outras possibili-

dades, como, por exemplo, massagens nos pés e mãos, alongamento de cílios, maquiagem definitiva, sem contar a venda de produtos afins, como cosméticos, perfumes, maquiagem, lingerie etc. Meu objetivo é me especializar em diversos serviços nas áreas de beleza e estética. Dessa forma, aumento meu leque de serviços e cativo os clientes”, revela Alice.

Entretanto, além de oferecer o “algo a mais”, Alice lembra que o profis-

sional não deve se esquecer de que quando ao cliente opta pelo atendimento em domicílio, ele quer algo diferenciado. Portanto, atenção, presteza, educa

“Procuro fazer diversos cursos para estar sempre inovando e proporcionando aos clientes um melhor tratamento. Mesmo porque tenho clientes de diversas idades, desde muito jovens até os mais idosos” Bruna Vidal

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 29


Capa “Não existe uma regularidade. Muitas vezes, não sei a quantidade de clientes que vou ter no mês. Por isso, é necessário fazer planejamento e realizar um bom trabalho, a fim de ter muitas indicações” Danielle Ribeiro

ção, disponibilidade de horários etc. são atitudes fundamentais para os profissionais que desejam ter sucesso nessa área.

Bruna Vidal Mangini, esteticista que atua há quase dois anos nesse mer-

cado, também procura inovar no atendimento, oferecendo sempre novidades para os clientes.

“Por mais que você esteja dentro da casa da pessoa, levando comodi-

dade, ninguém gosta de rotina. Dessa forma, procuro fazer diversos cursos para estar sempre inovando e proporcionando aos clientes um melhor tratamento. Mesmo porque tenho clientes de diversas idades, desde muito jovens até os mais idosos”, conta Bruna. Rentabilidade maior

A possibilidade de ter maiores ganhos financeiros foi uma das razões que

motivaram a esteticista Danielle de Oliveira Ribeiro a investir no atendimento em domicílio. Graduada em Estética e Cosmetologia, ela trabalha há dois e meio nessa área.

Segundo Danielle, seus ganhos chegam a ser 60% maiores do que a re-

30 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Capa muneração que receberia se estivesse empregada em uma clínica ou salão. Para formar seu preço, geralmente, ela pesquisa os valores praticados por algumas clínicas e cobra um pouco menos.

Por outro lado, Danielle diz que embora ofereça maior lucratividade, o

atendimento em domicílio é um trabalho inseguro. “Não existe uma regularidade. Muitas vezes, não sei a quantidade de clientes que vou ter no mês. Por isso, é necessário fazer planejamento e realizar um bom trabalho, a fim de ter muitas indicações”, explica.

Em relação ao preço dos serviços, a consultora Denise Baptista diz ser

realmente importante que o profissional faça sempre uma pesquisa de mercado. A pessoa precisa também calcular seus custos fixos: a mão-de-obra, os produtos e aparelhagem utilizados, combustível/condução etc. “Ganhar mais não é bem o termo. O que o profissional vai receber é integral, ou seja, não há percentagem para dividir com o estabelecimento. Mas seu ganho é incerto, pois ele não trabalha com carteira assinada e não recebe o piso da categoria profissional”, lembra.

“Na venda de serviços ou de produtos, procurar explorar as necessidades do cliente e também aquelas que ainda não foram demonstradas por ele é uma visão estratégica.” Denise Baptista

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 31


Capa

Para calcular seu preço, a esteticista Alice Augusto leva em conta os cus-

tos dos materiais, mais os gastos e o percentual de lucro. “Meu preço é igual ao de alguns salões e mais barato do o que algumas clínicas. Se eu trabalhasse fixo em alguma empresa, teria de pagar em média 30% do valor recebido pelo serviço aos salões”, confirma.

O fato é que para quem trabalha com atendimento em domicílio, a in-

certeza financeira aliada também à dificuldade na divulgação dos serviços prestados são fatores que, muitas vezes, levam muitos empreendedores a abandonarem essa modalidade de trabalho.

“O problema é que muitos profissionais oferecem serviços limitados,

até porque o próprio cliente não tem em casa uma infraestrutura adequada. Fidelizar o cliente é um desafio do grande ao pequeno empreendedor. Visar qualidade dos serviços e novidades e manter preços competitivos são estratégias que geram resultados. Aliados a isso, podemos destacar o atendimento de cordialidade, a simpatia, a compreensão, a responsabilidade e a postura profissional”, analisa a consultora Denise.

Ela lembra que, nesse sistema de trabalho, a divulgação dos serviços cos-

tuma ocorrer, na maior parte das vezes, no boca a boca. Para a consultora, o próprio serviço acaba também sendo uma divulgação. Por isso, estabelecer uma boa rede de contatos é fundamental. Entretanto, o profissional não pode contar somente com o networking. É necessário identificar outras possibilidades para divulgação de seus serviços.

Com o advento da tecnologia, utilizar a internet e redes de relaciona-

mento pode ser uma boa estratégia. Entretanto, é preciso tomar alguns cuidados na escolha dos sites para divulgação, certificando-se de que se trata de portais seguros e confiáveis, a fim de evitar aborrecimentos. “Recentemente, fiz um anúncio em um site gratuito, falando sobre meu trabalho e dos trata-

32 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


Capa mentos que realizo, mas recebi algumas ligações indesejadas. Por isso, é preciso cuidado também na forma como a pessoa irá fazer a divulgação e com o conteúdo do anúncio”, alerta Bruna.

Segundo Denise Baptista, deixar alguns cartões com o cliente para que

ele indique o profissional, enviar mala direta, representar alguma empresa de cosméticos, onde haja demonstração de produtos e serviços ou combinar uma reunião demonstrativa no ambiente do cliente, onde seja possível convidar as pessoas amigas e criar possibilidades de vendas, são sim opções que podem trazer resultados positivos. Atendimento limitado?

Outra preocupação que o profissional deve ter quando opta por trab-

alhar em domicílio é de lembrar que os custos com renovação e manutenção de seus aparelhos/equipamentos passam a ser por sua conta. “As despesas acabam sendo maiores, pois os custos com produtos e aparelhos são todos nossos”, lembra Bruna Mangini.

Além disso, por atuar, na maior parte das vezes, sozinho, gerenciar a

agenda para atender um maior número de clientes com qualidade e pontualidade é outro desafio desse profissional, que tem de trabalhar, inclusive, aos finais de semana.

“Acredito que se o profissional souber se organizar é possível atender to-

dos os clientes. Como sou funcionária de uma clínica na parte da tarde, aproveito as manhãs para atender clientes em domicílio. Minha rotina, normalmente, é de segunda a sexta, mas se o cliente quiser o serviço nos finais de semana, eu faço o atendimento normalmente. Afinal, uma das vantagens para o cliente é justamente o fato de ter disponibilidade do profissional no momento em que lhe for mais conveniente”, analisa Danielle Ribeiro.

Já Bruna Mangini, que também atende meio período em uma clínica,

Estética & Negócios - edição n• 01 - Nov/Dez 09 | 33


Capa diz que para dar conta da agenda, em muitas ocasiões, trabalha de segunda a segunda. “Geralmente, tratamentos estéticos são mais longos, o que faz o profissional permanecer mais tempo com esse cliente e limitar sua agenda. Particularmente, gosto de trabalhar com pós-operatório, que é um serviço que será finalizado mais rapidamente, permitindo que eu não fique limitada e possa abrir a agenda para novos horários e novos clientes em um espaço de tempo mais curto”, avalia Bruna.

Apesar de lucrativo, a maior parte dos profissionais que faz atendimento

em domicílio tem planos de montar uma clínica própria. Enquanto não realizam esse sonho, a melhor estratégia é mesmo ampliar conhecimentos e investir em aprimoramento.

“Comecei agora na área, mas pretendo me especializar em todo atendi-

mento que possa embelezar o rosto da mulher. Tudo no começo é muito difícil. Exige cautela, paciência e muita perseverança, mas acredito no sucesso dessa carreira e em um futuro promissor”, acrescenta Alice Augusto.

Bruna e Danielle também pretendem ter seu próprio negócio futura-

mente. Entretanto, elas estão conscientes de que ter uma empresa exige muitas outras responsabilidades e conhecimentos na área de gestão.

“A moderna noção de estética trabalha com conceito de beleza aliado à

saúde e à qualidade de vida. É uma atitude de bem viver. A beleza deve ser um conjunto de cuidados para que o resultado seja harmonioso. Na venda de serviços ou de produtos, procurar explorar as necessidades do cliente e também aquelas que ainda não foram demonstradas por ele é uma visão estratégica. O profissional dessa área, hoje, deve ser multidisciplinar e, além de lidar com tecnologias sofisticadas, deve acompanhar a produção de conhecimento no setor, ou seja, buscar sua contínua atualização sempre”, destaca a consultora Denise. Comente sobre este artigo em nosso blog: http://esteticanegocios.wordpress.com/ 34 | Estética & Negócios- edição n• 01 - Nov/Dez 09


A Revista Estética & Negócios tem como principal objetivo prover informação de qualidade, gratuitamente e colaborar com a preservação do meio ambiente. Faça parte do grupo de milhares de assinantes do Brasil e Exterior e solicite sua assinatura gratuitamente em nosso site

www.alom.com.br/estetica/

Ed01_JanFev10  

Revista Digital sobre Gestão de Clínicas de Estética e Salão de Beleza.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you