Issuu on Google+

Uma grande mudanรงa no Natal

Clรกudia Chen, nยบ 10, 6ยบ F


Na manh達 de Natal, passava pela rua uma menina pobre chamada Rita. Tinha olhos azuis, cabelos castanhos despenteados e magra.


Era uma menina simpĂĄtica e humilde. Passava pela rua quando, sem querer, foi contra alguĂŠm. Ao olhar, viu uma menina com cabelos castanhos e encaracolados, olhos azuis e muito luxuosa.


- Desculpe, não a tinha visto. – desculpou-se a Rita com medo. - Não me viu? - gritou a rapariga. - Sou alta e brilhante, e não me viu? - Desculpe, é verdade que não vi. Mas quem é você? - Eu sou a rapariga mais rica deste lugar, Joana Miranda. – respondeu-lhe com muito mau génio.


- Joana Miranda?! – exclamou a Rita. - Joana Miranda é a filha do presidente de América que vem aqui passar o Natal. – disse um homem alto, forte, careca e com cara de poucos amigos.


- E tu? Quem és? – perguntou a Joana com maus modos. - Eu chamo-me Rita Miranda. Mas não tenho pai e a minha mãe disse que o apelido dele é Miranda.


O criado do presidente, ficou espantado ao ouvir o nome Rita Miranda. Relembrou-se de qualquer coisa de quando era mais novo. O criado, convidou a Rita para sua casa o que deixou a Joana surpreendida. Ela desejava que aquela pobre fosse embora.


- Porque a convidou? Eu não quero pessoas que me enervam em casa. – resmungou em voz alta, a Joana, gritando ao criado. O criado não ligou nenhuma importância ao que ela dizia e levou a Rita a casa. Quando chegou o presidente reparou em alguma coisa na Rita, que lhe parecia familiar.


- Ó pai… - ia protestar a Joana. - Cala-te Joana. – ralhou o pai. – Filipe, arranja um quarto para a menina. Olá, como se chama? - Olá, eu chamo-me Rita Miranda. – respondeu com simpatia a Rita. - A sério? Quer passar o Natal aqui? – perguntou o presidente, que era pai da Joana.


- Não, obrigada. Vou passar o Natal com a minha mãe. – foi a resposta dela. - Não faz mal, também é para convidar a sua mãe! Onde vivem? - Vivemos na casinha de madeira em frente da pastelaria. - Então que o Filipe vá buscar a sua mãe!


A Rita sem querer deixou cair as chaves de casa ao chão. Então foi apanhá-las. Quando apanhava, no pescoço da menina apareceu uma marca de nascença. O que deixou o presidente contente. - Rita tu és… tu és… sim! És a minha filha que era bebezinha, quando me separei da tua mãe e que levei a Joana! – exclamou o presidente.


- Como pode ser? – disse a Rita duvidosa. - Tenho provas – e ao dizer isso mostrou, no seu pescoço, uma marca de nascença e uma foto da família. – Agora já acreditas? - Tu és o meu pai! Sim! Então a Joana… - A Joana é a tua irmã mais velha. – disse o presidente.


Entretanto, na porta apareceu a mãe da Rita. Trazido pelo Filipe. - Sim minhas filhas! Vocês são minhas filhas! – exclamou a mãe. - Então, nós somos uma família! – disse a Joana. Nessa noite de Natal comeram a ceia todos juntos. E assim, foi uma grande mudança no dia de Natal!


uma grande mudança