Issuu on Google+

A Missão dos Duendes

Maria João Carvalho, nº 18 Pedro Henriques, nº 21 Pedro Oliveira, nº 22 Tiago Manuel Ferreira, nº 25


Certo dia, no Polo Norte, na casa do Pai Natal, estavam todos felizes e atarefados menos o próprio Pai Natal que estava com uma grande constipação.


Estava a aproximar-se o Natal e o Pai Natal não sabia o que fazer em relação à entrega de prendas, porque ainda estava doente.


Decidiu ent茫o chamar os duendes e entregou-lhes a tarefa de distribuir as prendas pela cidade. Os duendes aceitaram o pedido, e foram logo preparar o tren贸 e as renas.


Nessa mesma noite, partiram na missĂŁo. Na cidade entregaram as prendas todas, mas ainda faltava uma casa e estavam a ficar sem tempo.


O problema era que a casa onde eles iam entrar nĂŁo tinha chaminĂŠ, entĂŁo tiveram que entrar pela porta.


Foram devagar atĂŠ ao pinheiro e pousaram as prendas, mas o fio das luzes de Natal prendeuse no pĂŠ de um dos duendes e o pinheiro caiu. Quando caiu, as luzes estouraram e fizeram uma grande barulheira.


Logo os habitantes da casa foram ver o que se passava. Rapidamente, os duendes começaram a correr em direção à porta, mas esta fechou-se e então um dos duendes disse: -Malta, não vamos conseguir abrir a porta a tempo, vamos ter que passar pelo meio!


EntĂŁo foram contra a porta e conseguiram abri-la, mas fizeram muito barulho. SaĂ­ram a correr e subiram a parede daquela casa com umas escadas que tinham trazido no trenĂł.


Levantaram voo e foram de novo para o Pólo Norte, porque já tinham concluído a sua missão. Quando o Pai Natal viu os duendes, decidiu fazer uma festa com eles. Havia bebidas, petiscos e as deliciosas bolachas do Pai Natal.


Finalmente, estavam todos felizes e contentes outra vez.


a missão dos duendes