Issuu on Google+

A Equipa de Elite

Luís Miguel de Lima Guedes 6ºB nº17


Era uma vez um pequeno duende chamado Storm, que vivia no Pólo Norte. Ele media cerca de noventa centímetros e o seu pai era o chefe da Fábrica de Brinquedos do Pai Natal.


A missão dos duendes era muito importante, tinham de entrar nas casas uma a uma, entregar os presentes e voltar ao Pólo Norte sem ninguém reparar. No Natal de 2012, o Storm foi chamado para a sua primeira missão.


O Pai Natal nomeou-o sub-chefe da Equipa de Elite do Pai Natal (EEPN), que era a melhor equipa de estafetas do Pai Natal. A sua missão era a mais difícil, pois tinham de entrar nas casas das crianças que ficavam acordadas à espera de ver a magia do Natal acontecer, enquanto que as outras equipas ficavam com as casas das crianças dorminhocas.


-“Agente Storm chamado à Central”- repetia o assistente do Pai Natal pelo microfone“Alarme Vermelho para a Equipa de Elite do Pai Natal”.


Storm saiu do seu quarto a correr e encontrou o seu chefe, Looper. Foram juntos atĂŠ ao gabinete do Pai Natal e encontraram os outros 200 membros da EEPN.


-Temos um problema muito grave,- disse o Pai Natal quando todos os membros estavam sentados à volta da sua enorme secretária-há um grupo de rapazes em Manchester que está a colocar minuciosamente armadilhas em casa para vos apanhar.


- Nós estamos habituados- disse um duende do fundo da secretária. -Mas estes miúdos têm materiais bonsalarmou o Pai Natal- se ficam presos numa armadilha, só de manhã é que eles vos tiram. Agora vão-se preparar, porque amanhã à noite já é Natal.


Foram todos treinar para o ginásio, depois foram jantar e às 10:15h já estavam todos na cama, pois o dia seguinte ia ser duro. - Manhã de Natal! Manhã de Natal!- berrou o despertador às 06:30h.


Dez minutos depois, todos os duendes da EEPN estavam a carregar as prendas, silenciosamente, para não acordarem os duendes das outras equipas. Todas as prendas estavam no trenó às 11:50h.


Como a cantina para o almoço só abria à 01:00h, eles foram ao computador do Pai Natal, para verem as armadilhas usadas pelos miúdos de Manchester. O Pai Natal encontrouos e mandou-os almoçar.


- Mas a cantina nรฃo estรก aberta!- reclamaram. - Eu jรก a mandei abrir. Cabisbaixos foram almoรงar. Comeram uma sopa, ovos estrelados, uma fatia de pizza, bacon e uma peรงa de fruta no fim.


À noite, entraram no trenó da equipa e entregaram as prendas sem problema. Quando chegaram à casa em Manchester Storm e Looper entraram pela chaminé, e desviaram-se de uma rede quando chegaram à lareira.


Looper pousou dez prendas debaixo da árvore de Natal, e ao tentarem voltar a subir pela chaminé, repararam que estava um “pitbull” a dormir perto deles.


Ficaram calados, mas infelizmente, Looper (que era alérgico ao pelo de cão), espirrou. O cão acordou e eles tiveram de partir uma janela para fugirem.


Depois, regressaram à Central e beberam um chocolate quente, enquanto aguardavam pela chegada do Pai Natal. Ele chegou às duas da manhã, e feliz, toda a equipa da EEPN lhe contou a história.


a equipa de elite