Issuu on Google+

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP_B - 1 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A1 -

%HermesFileInfo:A-1:20090306:

● Edição de

1h40

o estado de s. paulo SEXTA-FEIRA

SP, RJ, MG, PR e SC: R$ 2,50. Demais Estados: ver tabela na página A2.

JULIO MESQUITA (1891-1927) DIRETOR:

RUY MESQUITA

6 de março de 2009 --ANO 130. Nº 42143

Estadosnão terão verba do pacote habitacional Ogoverno federal não pretende transferirpara prefeiturase governos estaduais verbas a serem destinadas ao programa de moradias populares, com prestações mensais subsidiadas de até R$ 20. Estados e municípios também querem capitalizar a iniciativa, visando à eleição de 2010. O Planalto, porém, defende parceria entre a Caixa Econômica Federal e a iniciativa privada, para encurtar o prazo de implementação do programa. ● PÁG. B4

Lula defende aumento de gasto CELSO JUNIOR/AE

●●● O presidente Lula disse a empresários que o governo não pretende fazer economia para enfrentar a crise. A saída, para ele, é investir “com ousadia”. ● PÁG. B3

MUDANÇA NO PODER – No Planalto, funcionário de transportadora leva quadros: palácio será fechado para reforma e Lula despachará no Centro Cultural Banco do Brasil. ● PÁG. A10

IMPOSTODERENDA ●● Todos os cuidados a serem tomados para não cair na malha fina. ● CARLINHOS

Governo desiste de privatizar aeroportos

GUIA ESPECIAL

Proposta de abertura do capital da Infraero também é engavetada O governo abandonou a promessa de privatizar aeroportos e abrir o capital da Infraero – anunciada várias vezes pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, como decisão oficial. A mudança de rumo foi sinalizada ontem, com a contratação, pelo BNDES, de uma consulto-

ria para realizar estudos técnicos sobre a reestruturação da Infraero – estatal que administra 67 aeroportos. A previsão de conclusão dos estudos é maio de 2010, ano de campanhaeleitoral,épocaemquedificilmente alguma privatização será levada adiante. O presi-

dentedoBNDES, LucianoCoutinho, atribuiu a mudança de posição do governo à crise financeira mundial, que alimenta incertezas quanto à viabilidade de captar dinheiro privado para a gestão de aeroportos como o de Viracopos e o do Galeão. “Neste momento, infeliz-

RIO: ENTREGUES PELO TRÁFICO

mente, o horizonte é difícil”, disse Coutinho. Já o presidentedaInfraero,brigadeiro Cleonilson Nicácio da Silva, afirmou que a abertura de capital da empresa é uma ideia que só poderá ser colocada em prática “num futuro, mais a longo prazo”. ● PÁG. B1

Aborto em menina de 9 anos leva a excomunhão

FABIO MOTTA/AE

Oarcebispo deOlinda e Recife, d. José Cardoso Sobrinho, anunciou a excomunhão da equipemédicaquefezoaborto dos gêmeos de uma menina de 9 anos, estuprada pelo padrasto. A mãe dela também foi excomungada. “Essa é a lei da Igreja, colocar em primeiro lugar a lei de Deus”, explicou d. José. O ministro JoséGomesTemporão(Saúde) afirmou que a decisão é “lamentável”. ● PÁG. A18

●●● Os suspeitos de terem atirado um casal de encosta na Avenida Niemeyer, depois de assaltá-

NOTAS E INFORMAÇÕES

Sem solução à vista ●●● O quadro da crise é mais complexo do que o governo brasileiro admite. A ação anticíclica terá de ser mais calibrada, com mais investimentos, mais apoio à exportação e menos gastos correntes. ● PÁG. A3

7 8 9 10 11 12

lo, são apresentados no Rio; após o crime, eles foram espancados e entregues à polícia pelos trafican-

Tempo: CAPITAL

32º

MÁX.

● PÁG. C2

22º

MÍN.

Frente fria provoca aumento de nuvens e temporal à tarde.

tes da favela da Rocinha, que queriam evitar operação policial para buscar os assaltantes. ● PÁG. C6

ESPORTES

São Paulo vence na Libertadores ●● O São Paulo bateu o Amé-

Hoje: 204 páginas A. 1º caderno: 20 ● B. Economia: 16 ● C. Metrópole: 8 ● D. Caderno2: 12 ● Guia: 116 ● E. Esportes: 4 ● H. Guia IR 2009: 12 ● CC. Construção: 12 ● Cl. Classificados: 4 (226 anúncios)

rica de Cali por 3 a 1, na Colômbia, e assumiu a liderança do grupo 4 da Libertadores. No Corinthians, Ronaldo pede para ser titular contra o Palmeiras. ● PÁGS. E1 e E2

Milton Hatoum Ele não vivia assim ●● Hoje ele é ator e ganha fortuna,mas fui euquelhe ensinei a amar. ● PÁG. D12

Nelson Motta Bombaim é aqui ●● Sempre que vejo Cami-

nho das Índias penso nos nossos políticos. ● PÁG. D6

Guia Bares da Augusta ●● Cinco

endereços que valem a balada.

Tasso quer prévias e diz que ‘política não tem fila’ O senador tucano Tasso Jereissati (CE) avalia, em entrevista ao Estado, que o PSDB deverá realizar prévias para escolher o candidato à Presidência em 2010. Indagado se a vez agora não seria do governador José Serra (SP), Tasso cita o caso dosEstadosUnidos,ondeBarack Obama se tornou candidato do Partido Democrata à Casa Branca após vencer as prévias de virada. “Política não tem fila. Tem acordo ou voto”, afirma o senador. ● PÁG. A8

Ex-adjunto da Segurança contrariou parecer técnico Lauro Malheiros Neto, ex-secretário adjunto da Segurança Pública de São Paulo, contrariou parecer da assessoria jurídica da pasta, ao reintegrar na Polícia Civil três investigadoresdemitidospor extorsão. Malheiros é acusado de cobrar R$ 100mil de cadaum para promover a reintegração. O ex-secretárioatribuiasdenúncias apoliciais que ficaram insatisfeitos commudançasocorridas na cúpula da instituição. ● PÁG. C1

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 2 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A2 -

%HermesFileInfo:A-2:20090306:

A2 ESPAÇO ABERTO

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

O ESTADO DE S. PAULO Publicação da S.A. O ESTADO DE S. PAULO Av. Eng. Caetano Álvares, 55 - CEP 02598-900 ● São Paulo - SP ● Caixa Postal 2439 CEP 01060-970-SP Tel. 3856-2122 (PABX) Fax Nº (011) 3856-2940

Classificados por telefone: 3855-2001 Vendas de assinaturas: Capital: 3950-9000 Demais localidades: 0800-014-9000 Central de atendimento ao leitor: 3856-5400 - falecom.estado@grupoestado.com.br

Central de atendimento ao assinante Capital: 3959-8500 Demais localidades: 0800-014-77-20 www.assinante.estadao.com.br Central de atendimento ao jornaleiro: 0800-011-00-94 - www.jornaleironline.com.br Central de atendimentos às agências de publicidade: 3856-2531 - cia@estado.com.br

Expansãodaenergia trafeganacontramão

Odesafio deDilma

WashingtonNovaes

AldoFornazieri

Parece inacreditável, mas não é. Como noticiou este jornal (27/2), embora seja um dos países com maior possibilidade de ter uma matriz energética relativamente limpa e renovável, o Brasil “recorre à energia suja” em seu Plano Decenal de Expansão de Energia. Dos 55 mil MW de nova potência previstos nesse documento, nada menos que 20,8 mil MW (quase 40%) virá de fontes térmicas, aí incluídas as usinas a gás, carvão, diesel, óleo combustível ou biomassa, além das nucleares; até 2017 serão 68 novas unidades movidas a combustíveis fósseis, com 15,44 mil MW; e as emissões na área passarão de 14,43 milhões de toneladas anuais para 39,3 milhões de toneladas – na hora em que o mundo, assustado com as mudanças climáticas, esperneia em toda parte para reduzir as emissões. Não por acaso, o plano de expansão fez pipocarem críticas de toda parte, que exigem mais prazo de discussão e mudança de critérios – das organizações não-governamentais; do coordenador do Fórum Brasileiro do Clima, profes-

O Brasil prefere recorrer à ‘energia suja’ a desenvolver uma matriz limpa sor Pinguelli Rosa (“estamos na contramão da História”); da exministra Marina Silva; do especialista em energia professor Célio Berman, da USP; da secretária do Clima no Ministério do Meio Ambiente; e de várias outras personalidades. Mesmo com a implantação das usinas do Rio Madeira, já em curso, e de Belo Monte (Rio Xingu), a participação das hidrelétricas na matriz energética cairá de 85,9% para 75,9% com a expansão da potência instalada, dos atuais cerca de 100 mil MW para 154,7 mil MW (mais 28,9 mil MW em 71 usinas hidrelétricas), e com investimentos de R$ 181 bilhões no setor elétrico em dez anos. E tudo isso no momento em que especialistas e o Tribunal de Contas da União dizem que o Brasil perde pelo menos 17% da energia que gera, principalmente nas linhas de transmissão e distribuição. É inevitável que diante desse quadro e desses números a memória dê um salto de quase 20 anos para trás, quando foi contratado pela Eletrobrás – para analisar o plano decenal de expansão, que previa mais do que dobrar a potência instalada, chegar a mais de 100 mil MW – um consultor do Banco Mundial, Howard Geller. Este opinou que o plano não fazia sentido: a demanda não cresceria tanto (em dezembro de 2008 o consumo efetivo não precisou nem de 50 mil MW médios) e

para atender ao eventual aumento do consumo seria muito mais barato investir em redução/eliminação das perdas do que na construção de novas usinas (como seria ainda hoje). Claro que seu parecer foi jogado no fundo de uma gaveta. Agora, de certa forma, repete-se o quadro. Argumenta o Ministério de Minas e Energia que o consumo per capita no País aumentará 45% até 2017. E pretende atendê-lo em boa parte com “energia suja”, como mostraram vários depoimentos na recente audiência pública promovida pelo Ministério Público Federal para debate do Plano Decenal, segundo o relato das organizações não-governamentais (www.fboms.org.br). A procuradora Sandra Cureau, por exemplo, mostrou a interferência de 15 das novas unidades hidrelétricas em unidades de conservação e terras indígenas, o número de pessoas afetadas pelos 71 projetos nessa área (cerca de 90 mil), o aumento das emissões de gases nessas usinas (178%) e o quadro preocupante: enquanto as usinas eólicas passarão de 0,3 para 0,9% da potência instalada e as biomassas passarão a responder por 2,7% (hoje, 1%), as usinas térmicas aumentarão sua participação de 0,95 para 5,7% (mais de 500%) – quando mostrou este jornal (1º/1) que os ventos poderiam atender a pelo menos 60% de todo o consumo nacional de energia, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), já que em mais de 71 mil km2 do território nacional a velocidade dos ventos é adequada. Não por acaso, Europa, Ásia e Estados Unidos estão investindo pesadamente nessa área (42% da nova geração nos EUA) e na energia solar. Na audiência pública mencionada, perguntou o professor Célio Berman, da USP: energia para que e para quem se planeja? A seu ver, grande parte da expansão, principalmente com as hidrelétricas amazônicas, destina-se a atender ao mercado internacional, não a necessidades internas (já que grande parte do consumo ficará por conta das exportadoras de eletrointensivos – alumínio e gusa, especialmente; esse setor já responde por cerca de 30% de todo o consumo de energia no País, com altos subsídios, pagos pela sociedade toda). “Temos que redefinir o padrão de produção e consumo”, disse ele. “É uma hipocrisia dos países ricos quererem impor esses padrões” (segundo os relatórios do Pnud/ ONU, esses países transferem esse tipo de produção que não lhes convém para outros países, que arcam com os custos ambientais e sociais, sem nenhuma compensação). E, na sua opinião, no caso do atual Plano Decenal, não se deve ir em frente sem ouvir a sociedade e as uni-

FÓRUM DOS LEITORES Respeitoà Justiça

Insegurançapública

Com referência à entrevista do governador cassado do Maranhão, Jackson Lago, ao jornalista Wilson Lima, publicada na edição de ontem (A7) sob o título Lago atribui cassação à influência de Sarney, rechaço a insinuação levantada pelo entrevistado de que tenha exercido qualquer tipo de influência sobre o Tribunal Superior Eleitoral, no processo que conduziu à sua cassação. Ninguém melhor do que os ministros dos Tribunais Superiores sabe de meu absoluto respeito à soberania e à independência da Justiça. As insinuações do governador cassado são, ainda, ofensivas e injuriosas aos juízes, por elas alcançados em sua honra, dignidade e decoro.

As denúncias de venda de cargos e sentenças na Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo demonstram quão ruim é a administração do governador José Serra nessa área. Esse descaso vai trazer sérias complicações a seu futuro político. Vamos torcer para que Serra acorde e mude radicalmente essa situação.

JOSÉ SARNEY, presidente do Senado

afeierabend@hotmail.com

Brasília

São Paulo

FRANCISCO CARLOS MARTINS BORGES frankmartins@hotmail.com

Campinas

Como pode a polícia do Rio receber de presente dos traficantes os assaltantes do casal empurrado de penhasco na Avenida Niemeyer? É a desmoralização geral.

ANTONIO FEIERABEND

versidades. Na mesma direção se manifestou o professor Carlos Vainer, da UFRJ, para quem o Plano Decenal “mostra uma opção política: a submissão ao mercado”, inclusive o dos países desenvolvidos – enquanto “aumenta nossa pegada ecológica”. Críticas semelhantes, em outros fóruns, vieram do pesquisador Philip Fearnside (Instituto de Pesquisas da Amazônia), que demonstra a emissão de gases pelos reservatórios de hidrelétricas, os problemas com abertura e pavimentação de rodovias na Amazônia, a falta de “transversalidade” nas políticas governamentais. Do bispo dom Erwin Krautler (“é um crime enorme o que se está pretendendo fazer com a Hidrelétrica de Belo Monte”). Dos especialistas em energia Joaquim Francisco de Carvalho e Ildo Sauer, principalmente quanto à implantação de usinas nucleares e movidas a carvão – deixando de lado as eólicas. Por tudo isso e muito mais, não faz sentido que o Plano Decenal de Expansão de Energia seja levado adiante pelo governo federal nos ternos em que está. A sociedade e o saber técnico precisam ser respeitados. ●

O mundo vive um acentuado paradoxo: por um lado, estão aí as avassaladoras determinações das estruturas econômicas globais, que tornam relativas e enfraquecem as soberanias nacionais; por outro, a contrapartida dessas determinações está a exigir a presença de líderes políticos fortes para resgatar e operar as autonomias estatais. No mundo globalizado, os Estados nacionais precisam internacionalizar-se de forma quase desesperadora. Terão mais facilidade de triunfar aqueles que contam com líderes fortes e competentes no leme do governo. Governantes que não possuem força política própria tendem ao fracasso. O ex-presidente George W. Bush, por falta de força política própria, fracassou e arrastou para a crise o Estado norte-americano. Há que notar ainda que, nas sociedades complexas e fragmentadas do nosso tempo, o ponto de concentração do que ainda se pode chamar de unidade nacional depende, de forma extraordinária, da capacidade de representação simbólica de um presidente da República ou de um primeiro-ministro. Barack Obama, neste momento inicial, e Lula, há mais de seis anos, são exemplos positivos dessa excepcional capacida-

Washington Novaes é jornalista E-mail: wlrnovaes@uol.com.br

SINAIS PARTICULARES LOREDANO

Partido do Movimento Democrático Brasileiro

Preços venda avulsa: SP, RJ, MG, PR e SC: R$ 2,50 (segunda a sábado) e R$ 4,00 (domingo). DF: R$ 2,50 (segunda a sábado) e R$ 4,00 (domingo). ES, RS, GO e MT: R$ 3,20 (segunda a sábado) e R$ 5,80 (domingo). MS: R$ 3,20 (segunda a sábado) e R$ 4,20 (domingo). BA, SE, PE, TO e AL: R$ 4,00 (segunda a sábado) e R$ 6,00 (domingo). AM, RR, CE, MA, PI, RN, PA, PB, AC e RO: R$ 4,50 (segunda a sábado) e R$ 7,20 (domingo)

de de representação simbólica do sentimento nacional. No Brasil, seja quem for o futuro presidente, não será uma tarefa fácil substituir o atual. Lula lastreou sua liderança na reorganização do movimento sindical, na construção de movimentos sociais, na viabilização de um partido socialmente organizado, em cinco candidaturas presidenciais e em milhares de eventos políticos por todo o Brasil ao longo dos anos. Se há alguém que possua força política própria junto ao eleitorado, trata-se do presidente Lula. É sabido que, por se constituir também de uma natureza simbólica, a força política própria de um líder é intransferível. O líder pode, sim, em determinadas circunstâncias, quase sempre excepcionais, emprestar seu apoio para a ascensão de alguém que lhe seja próximo ou por ele ungido. Trata-se daquilo que se poderia chamar de “fabricação” de uma nova liderança ou de um governante. “Fabricação” porque este novo governante não enraíza a sua força política num processo próprio e socialmente orgânico de ascensão, mas na força alheia e nas estruturas institucionais de poder. Nos dias de hoje, a “fabricação” de um governante é facilitada pelo marketing e pelos meios de comunicação de massa. O fenômeno não é novo. Um dos primeiros a explorá-lo teoricamente foi Maquiavel. A tese do autor de O Príncipe é a de que aquele que ascende ao poder pelo seu próprio valor e capacidade (virtù) terá facilidade de se manter e de governar bem o Estado. Já aquele que ascende pela fortuna (sorte) ou pela força de outro terá dificuldade de governar. Esta segunda premissa vale tanto para os políticos que são negligentes e incompetentes quanto para os dotados de capacidade e audácia. César Bórgia, que ascendeu ao poder graças à força de seu pai, o papa Alexandre VI, é um exemplo de líder competente que fracassou por não ter uma estrutura própria de poder e de liderança. Quem não tem força política própria enfrentará vicissitudes para combater, para manobrar, para unir e para comandar. Claro que há exceções em tudo isso. A história recente ratifica, por inúmeros exemplos, a tese de Maquiavel. Governantes que chegaram ao poder pela sorte (acaso) ou pela força de outro líder tiveram enorme dificuldade para governar: George W. Bush chegou ao poder pela fraude e pela força do pai; Celso Pitta, pela força de Paulo Maluf; José Sarney, pela morte de Tancredo Neves; Itamar Franco, pela renúncia de Fernando Collor de Mello; e Cristina Kirchner, pela liderança do marido. Collor de Mello, que se

viabilizou no próprio contexto da eleição, foi um epifenômeno e também fracassou. Em países com representação política fragmentada e com forças dispersas, como é o caso do Brasil, já é difícil governar em condições normais. É precisamente nos momentos de crise que os governantes carentes de força política própria enfrentam os maiores perigos. Nesses momentos, os grupos políticos, pelo seu egoísmo inerente, tendem a exasperar interesses, potencializando a fragmentação e a corrupção. O desfecho dessas conjunturas são crises de governabilidade. A candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República está inscrita no mesmo dilema proposto por Maquiavel. Com bom preparo técnico e experiência gerencial, carece, no entanto, de força e liderança política próprias. Isto, em si, não é um empecilho para vencer uma eleição, mas pode gerar significativas dificuldades para governar. No governo, a capacidade de comando (virtù) deve presidir a capacidade téc-

Sua candidatura carece de força e de liderança política próprias nica. A capacidade de comando político não se adquire apenas pelos livros ou nos bancos escolares, mas, principalmente, pela experimentação prática. Para que Dilma chegue à disputa presidencial com este problema parcialmente resolvido, ela, o PT e o presidente Lula terão de encontrar um caminho que viabilize um processo de sua legitimação política e de dotação de força própria junto ao eleitorado. A democracia norte-americana, com seu mecanismo de prévias partidárias, é extraordinária nesse sentido. Obama, líder novo no cenário nacional, legitimou-se por si mesmo no processo de prévias. Soube perceber e interpretar a ocasião. Nos termos postos neste artigo, os possíveis candidatos da oposição – José Serra e Aécio Neves – estão em condições mais adequadas para concorrer. Ambos são governadores. Serra foi prefeito, deputado e senador e Aécio foi presidente da Câmara dos Deputados. Para superar seu passivo em liderança própria, além de encontrar um processo legitimador junto ao eleitorado, Dilma terá de correr contra o tempo, já que falta pouco mais de um ano para as eleições. ● Aldo Fornazieri é diretor acadêmico da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP)

ENDEREÇO

FAX:

E-MAIL:

Avenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900

(11) 3856-2920

forum@grupoestado.com.br

Vitóriadomal Assim se faz política no meu país: quando um político denuncia abusos que ocorrem na esfera “política”, no caso, o PMDB, destitui-se o denunciante e pronto! Foi o caso do senador Jarbas Vasconcelos (PE), que denunciou que a maioria dos integrantes do seu partido “quer mesmo é a corrupção” e por isso foi destituído da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo “líder” Renan Calheiros (AL). Por falar em Renan – lembram? –, é aquele que, dentre umas e outras, num passado não muito distante, foi acusado de: 1) Ter despesas pessoais (pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha fora do casamento)

Acordão pagas por um lobista da Mendes Júnior; 2) ter utilizado “laranjas” na compra de duas emissoras de rádio em Alagoas; 3) venda superfaturada de uma fábrica da família Calheiros por R$ 27 milhões, quando não valia mais de R$ 10 milhões, etc., etc... É a vitória de goleada do mal sobre o bem! JOSÉ CARLOS ALVES jc_alves@uol.com.br

São Paulo

Lembram-se da anedota sobre o homem que é avisado de que sua mulher o trai, no sofá da sala, e ele resolve vender o sofá? Assim é o PMDB, que, aborrecido com as declarações do senador Jarbas Vasconcelos sobre corrupção no partido, resolveu tirá-lo da CCJ.

“Ah, bom! Agora podemos continuar como sempre, sem medo de sermos acusados, porque ele já foi embora.” Tiraram o sofá da sala! Solução fácil... Que tristeza. MARCOS R. POUGY marcoslaly@gmail.com

São Paulo

Devemos elogiar a coragem de homens como o senador Jarbas Vasconcelos, que dá voz aos anseios dos brasileiros que querem ver renascer as virtudes morais da Nação, soterradas pelo corporativismo político, com um governo à altura de sua grandeza. Chega de Renans e Sarneys!

MÔNICA A. GUGLIELMI nicabate@yahoo.com.br

São Paulo

Com o apoio de Lulla, que lavou as mãos, Sarney foi eleito presidente do Senado e agora, estarrecidos, somos informados de que fazia parte do acordão eleger o Collorido para presidir a Comissão de Infraestrutura. Daqui a pouco, quando surgirem os escândalos a respeito das verbas do Orçamento destinadas às obras do PAC e de pacotes que ainda nem saíram do papel, como o da habitação, Lulla dirá que não sabia de nada... CLEIDE SILVA cleidesilva007@estadao.com.br

São Paulo

Tolerância Sarney, Renan e agora Collor, pode? Não, não pode, ninguém merece. A verdade disse o senador

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 3 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A3 -

%HermesFileInfo:A-3:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

NOTAS E INFORMAÇÕES INFORMAÇÕES A3 A3 NOTAS E

Fundado em 1875

Conselho de Administração

Opinião

Informação

Administração e Negócios

Julio Mesquita (1891-1927) Julio de Mesquita Filho (1927-1969) Francisco Mesquita (1927-1969) Luiz Carlos Mesquita (1952-1970) José Vieira de Carvalho Mesquita (1959-1988) Julio de Mesquita Neto (1969-1996) Luiz Vieira de Carvalho Mesquita (1959-1997) Américo de Campos (1875-1884) Nestor Rangel Pestana (1927-1933) Plínio Barreto (1927-1958)

Presidente Aurélio de Almeida Prado Cidade

Diretor de Opinião: Ruy Mesquita Editor Responsável: Antonio Carlos Pereira

Diretor de Conteúdo: Ricardo Gandour Editor-Chefe Responsável: Roberto Gazzi

Diretor Superintendente: Célio Virginio dos Santos Filho Diretor de Mercado Jornais: Odmar Almeida Filho Diretor de Operações: Rubens Prata Jr.

Membros Fernão Lara Mesquita Francisco Mesquita Neto Júlio César Mesquita Patricia Maria Mesquita Roberto C. Mesquita

NOTAS & INFORMAÇÕES

Sem solução à vista uem quisesse um hambúrguer em Nova York, nesta quinta-feira, não conseguiria comprá-lo com uma ação do Citigroup, celebrado, em tempos melhores, como a mais poderosa organização financeira do mundo. Em dezembro de 2006, o papel chegou a valer US$ 57,00. Nesta semana, foi vendido a US$ 0,97 no pregão nova-iorquino, juntamente com outras ações de bancos oferecidas em condições superpromocionais. Mas não caíram só os papéis do setor financeiro. Em todo o mundo os índices das bolsas foram ladeira abaixo, depois de uma breve animação na quarta-feira, quando se falava de um pacote chinês de mais de 1 trilhão de dólares. Mas nenhuma novidade concreta foi anunciada em Pequim. O programa de US$ 585 bilhões, novamente citado pelo primeiro-ministro Wen Jiabao, era bem conhecido e já não causava excitação nos mercados. Em contrapartida, novas notícias negativas continuavam a acumular-se, reforçando, em quase todo o mundo, a expectativa de uma crise profunda e sem previsão de encerramento. Sinais de otimismo quase irrestrito, só em Brasília, no círculo presidencial.

Q

Na quinta-feira, enquanto a ação do Citigroup furava para baixo a barreira de US$ 1, bolsas europeias fechavam com grandes quedas – 4,51% em Madri, 5,02% em Frankfurt, 5,85% em Milão, 3,18% em Londres e 3,96% em Paris. Horas antes, o Banco Central Europeu (BCE) havia baixado de 2% para 1,5% o juro básico da zona do euro. O Banco da Inglaterra (BoE) havia cortado a taxa de 1% para 0,5% e ainda anunciara a disposição de injetar no mercado, nos próximos três meses, 75 bilhões de libras (cerca de US$ 105 bilhões) por meio da compra de títulos públicos em circulação. Além de acionar mais uma vez o instrumento mais comum de política monetária, a taxa de juros, o BoE decidiu, portanto, recorrer à simples emissão de dinheiro, em mais um esforço para reativar os negócios. O uso de dois instrumentos ao mesmo tempo dá uma boa ideia de como as autoridades monetárias inglesas vêm o estado da economia. Os sinais de recessão na Inglaterra e na zona do euro são inequívocos e a crise não cede, apesar das fortes intervenções nos mercados,

Mais um governador cassado ela segunda vez em quatro meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato de um governador de Estado vitorioso no pleito de 2006, determinando a sua substituição pelo segundo mais votado na disputa. Correm no TSE processos visando outros seis governadores (e seus vices) – do Amapá, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins. Resultam de recursos apresentados pelas coligações derrotadas nas urnas contra a sua diplomação. (No caso de Sergipe, a sigla impetrante, o PTB, se desinteressou da ação para cassar o reeleito Marcelo Déda, do PT.) Descontadas as peculiaridades de cada caso, a acusação de fundo é a mesma: abuso de poder e uso das administrações estaduais para a conquista de votos. Em português corrente, corrupção eleitoral. Em novembro, o TSE destituiu o paraibano Cássio Rodrigues da Cunha Lima, do PSDB, por ter promovido a distribuição a eleitores de 35 mil cheques nominais, emitidos por uma fundação, acompanhados da mensagem: “Esse é um presente do governador. Lembrese dele.” Na madrugada da quarta-feira, a Corte aprovou o afastamento do maranhense Jackson Lago, do PDT, acusado, entre outras coisas, de se beneficiar de um esquema montado pelo seu antecessor e aliado José Reinaldo Tavares, incluindo transferências ilegais a 156 municípios, distribuição de combustível, assinatura de convênios com entidade fantasma e construção de casas na periferia de São Luís em tro-

P

ca de votos, além da omissão de dados na prestação de contas da campanha. Por motivos óbvios, muitos políticos criticam a “judicialização da política, que contraria a vontade do eleitor”, e a suposta “tentação do messianismo” a que estaria sucumbindo a Justiça Eleitoral. “Daqui a pouco quem vai escolher governador vai ser o Ministério Público e a Justiça. Cassação é coisa muito grave para virar rotina”, protesta, por exemplo, o senador cearense Tasso Jereissati, do PSDB, esquecido, talvez, de que a sua agremiação nasceu da repulsa

Punir a compra de votos é muito saudável, mas deve ser mais rápida ao fisiologismo e à mentalidade do “quebrei o Estado, mas fiz meu sucessor”. A rotina que precisa ser quebrada é a da coexistência dos piores e mais arcaicos costumes políticos com um sistema eleitoral avançado, com cadastros informatizados de eleitores e urnas eletrônicas. “Depois da segurança do voto”, argumentava em 2002 o então presidente do TSE, Nelson Jobim, “chegou a vez da validade do voto”, com o combate à contaminação das preferências eleitorais mediante o uso da máquina administrativa e de outros recursos de poder – compra de votos, em suma. Para isso, combinaram-se dois movimentos na esfera da sociedade e das instituições. O primeiro foi a decisiva mudança na legislação eleitoral proporcionada pela mobilização cí-

vica capitaneada pela CNBB em torno da consigna “Voto não tem preço, tem consequências”. A campanha, com mais de 1 milhão de assinaturas, desaguou em 1999 na aprovação da primeira lei de iniciativa popular, incorporando à Lei Eleitoral o artigo 41-A. O texto pune com a cassação do registro ou do diploma quem “doar, oferecer, prometer ou entregar ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza”. O segundo movimento – que tira o sono dos doadores, ofertantes e promitentes – é a disposição da Justiça Eleitoral de ir às últimas na punição aos corruptores comprovados. Lamentavelmente, a lentidão dos processos, desde o recebimento das denúncias até a sentença final, é incompatível com o zelo pela integridade da disputa eleitoral. Cassam-se governantes quando já cumpriram pelo menos a metade dos seus mandatos. E não é só. Chicanas jurídicas deram a Cunha Lima uma sobrevida de três meses no cargo. Jackson Lago também permanecerá na função até o julgamento do último dos recursos que apresentar contra a cassação. Ainda assim, é inquestionável a função pedagógica das punições. O simples fato de oito dos governadores da safra 2006 terem sido levados às barras do TSE deve inibir boa parte dos políticos que, de outro modo, partiriam na próxima rodada para a compra de votos por se achar fora do alcance da lei.

tanto para ajuda aos bancos quanto para socorro a indústrias em dificuldades. Nos Estados Unidos, o banco central (Federal Reserve, Fed) havia divulgado na quarta-feira seu livro bege, um panorama econômico produzido periodicamente. O diagnóstico não trouxe nenhuma boa notícia. Em janeiro e fevereiro, segundo o relatório, “a piora foi generalizada, com exceção de alguns setores, como o de produção de alimentos básicos e a indústria farmacêutica”. A projeção mais otimista continua sendo aquela apresentada há poucos dias pelo presidente do Fed, Ben Bernanke: poderá haver alguma recuperação a partir do fim do ano ou do começo de 2010, mas essa hipótese é condicionada a melhoras no setor financeiro e à eficácia dos estímulos fiscais propostos pelo Executivo. Ao mesmo tempo, a consultoria ADP/Macroeconomic Advisers divulgava sua pesquisa nacional de emprego, baseada em dados de 500 mil empresas. Segundo o levantamento, 697 mil postos de trabalho foram fechados pelo setor privado em fevereiro. Em janeiro, haviam sido

demitidos 614 mil. Os números do governo devem sair hoje. As pesquisas da ADP são em geral uma boa antecipação das estatísticas oficiais. A alegada decepção com a China pode ter sido exagerada, tanto quanto o otimismo exibido pelos investidores na quarta-feira. Se o governo chinês conseguir executar o programa de US$ 585 bilhões, com ênfase em obras, estímulo ao consumo e auxílio às famílias pobres, dará uma boa contribuição à economia mundial. A China voltou a importar grandes volumes de matérias-primas e isso é um bom sinal. A meta oficial de expansão de 8% pode ser muito ambiciosa, mas, de toda forma, um crescimento na faixa de 6% já será apreciável. Na vizinhança do Brasil o quadro é ruim. Os sul-americanos dependem principalmente da exportação de primários. Alguns preços podem continuar favoráveis, mas o comércio desses países vai diminuir. O quadro é mais complexo do que o governo brasileiro admite. A ação anticíclica, para dar certo e não comprometer as contas fiscais e as contas externas, terá de ser mais calibrada, com mais investimentos, mais apoio à exportação e menos gastos correntes.

Aliança espúria vitória do senador Fernando Collor (PTBAL) sobre a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), na conquista da presidência de uma das mais importantes Comissões do Senado – a da Infraestrutura, que examina questões ligadas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), maior trunfo político e eleitoral do governo Lula –, causou indignação e revolta nos que viram nisso manobra desleal do PMDB, rompendo a proporcionalidade regimental da representação dos partidos. O senador Aloizio Mercadante, por exemplo, depois de um azedo bate-boca com o líder peemedebista Renan Calheiros (AL), desabafou: “Foi uma aliança espúria que interferiu no direito legítimo e democrático do PT.” Não que isso tenha deixado de ocorrer, mas o fato é que “aliança espúria” é a própria estrutura de sustentação político-parlamentar do governo federal, montada à custa do mais fisiológico toma-lá-dá-cá. Quando se imaginaria, há poucos anos, que Sarney, Collor e Lula acabariam politicamente amalgamados em torno da força agregadora de Renan? O fato de o Partido dos Trabalhadores (PT) ter sido fragorosamente derrotado pelo próprio Planalto, de sua combativa ex-líder ter sido desalojada por manobra conduzida por quem ela defendera, com ênfase solidária (e solitária) em 2007 – quando Renan renunciou à presidência do Senado para não ser cassado –, de o expresidente Collor ter recebido os mais rasgados elogios do ministro das Relações Institucio-

A

nais, José Múcio Monteiro, homem da maior confiança do presidente Lula, tudo isso fica em segundo plano como subproduto do nível ético que prevalece em certos círculos políticos, tão bem descritos nos recentes pronunciamentos do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Nesse quadro, o Senado tem sofrido um desgaste de imagem não comparável a qualquer outro período de sua existência. E que melhor símbolo haveria, para demonstrar isso, do que o ressurgimento triunfante do ex-presidente Fernando Collor de Mello, nas circunstâncias em que se deu?

A nova ‘imagem’ do Senado, sob a égide do designer Renan Calheiros Tudo isso são componentes do imbróglio que tem impedido a Casa de iniciar seu funcionamento neste ano – já entrado março, nada foi discutido ou votado –, resultante dos “acertos” – feitos e não cumpridos – para garantir a eleição de Sarney para presidir o Senado. Quando o ex-presidente (da República e do próprio Senado) José Sarney resolveu entrar na disputa pela direção da Casa, causou a ruptura do acordo anteriormente celebrado entre seu partido, o PMDB, e o PT, em torno do apoio ao candidato petista Tião Viana (AC). Ao mesmo tempo, deixou a ver navios (afundados no Planalto) seu correligionário Garibaldi Alves Filho (PMDBRN), que nem tivera tempo de usar os cinco ternos novos

ATENÇÃO: As cartas devem ser enviadas com assinatura, identificação, endereço e telefone do remetente e poderão ser resumidas.

Leia mais cartas http://www.estadao.com.br/opiniao/opi_forumleitores,0.htm

O Estado se reserva o direito de selecioná-las para publicação. Correspondência sem identificação completa será desconsiderada.

Cristovam Buarque, é uma casa de tolerância, tudo se tolera se for para o bem do bolso... deles. MARIA NORMA DE ANDRADE silbernorm@terra.com.br

Catanduva

E quem vai substituir o PC Farias na ajuda ao Collor para a “distribuição” dos fartos recursos que serão aprovados na Comissão de Infraestrutura?

ALOYSIO BELLO aloysiobello@uol.com.br

São Paulo

Elesincomodam... A 22 meses do fim do mandato, Lula vai precisar rezar muito a padim Cícero para suportar o PMDB! Tão logo o Planalto negou a administração do fundo Real Grandeza

Triste constatação na política brasileira: até as moscas são as mesmas” AlvaroLuizDevecz mustdevecz@uol.com.br SãoPaulo

idiotas e corruptos, antes de chegar ao poder? Agora só lhes resta cantar aquela musiquinha: “Um ex-presidente incomoda muita gente, dois ex-presidentes incomodam, incomodam muito mais...” PAULO PANOSSIAN paulopanossian@hotmail.com

Santos

ao partidão de Sarney & Cia., o PT, ou melhor, Ideli Salvatti perdeu a presidência da Comissão de Infraestrutura para Collor, com o apoio explícito do PMDB do Renan das Alagoas. Lula que se cuide! Nesta reta final de sua gestão, vai sofrer nas mãos desses oportunistas, sempre ávidos por cargos públicos, de preferência com orçamentos volumosos. Quem mandou essa gente do PT, por décadas, xingar todos os políticos de

Sempreosmesmos Collor de volta à cena, Sarney novamente presidindo o Senado e Renan dando as cartas na Casa. Todos lá presentes por nossa vontade, pelo nosso voto. Confirmase uma frase dita por Pelé há duas décadas: o brasileiro não sabe votar. E acrescento: não ouviram o conselho de Eça de Queiroz, que disse que os políticos e as fraldas devem ser trocados frequen-

temente, e pela mesma razão.

Delaçãopremiada

HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHO

Com a demissão do diretor-geral do Senado (4/3, A7), abre-se uma grande oportunidade de mudar o jeito de fazer política no País. Símbolo da politicagem (entrou pela janela, tem patrimônio incompatível e inúmeras denúncias a serem investigadas), esse cidadão é um arquivo ambulante, devendo ser investigado a fundo e beneficiado pela temível e tão criticada delação premiada. Brasília tremerá...

hlffilho@hotmail.com

São Paulo

O que falta acontecer em Brasília? Quando Collor foi eleito senador, fui sufocado por inúmeros artigos que tinham a mesma mensagem: o brasileiro em geral e o alagoano em particular não sabem votar. E agora que o mesmo Collor foi eleito para presidir a Comissão de Infraestrutura por seus pares, quer dizer, então, que os senadores também são ignorantes? Do jeito que a coisa vai, para o lugar do esquecido Agaciel Maia vão acabar nomeando Fernandinho Beira-Mar diretor do Senado.

ROBERTO ARANHA rcao@globo.com

São Paulo

comprados para exercer a presidência da Casa – cargo em que até surpreendentemente estava se saindo bem, demonstrando alguma independência em relação ao governo –, ninguém, em sã consciência, julgava que o senador maranhense do Amapá impunha sua candidatura apenas pelo prestígio obtido junto a seus pares, em sua longa carreira política. Em obediência à franciscana tradição do “é dando que se recebe”, sabia-se muito bem que estavam sendo transacionadas as barganhas que levariam à vitória de Sarney. Mas é claro que, especialmente numa Casa Legislativa onde não há novatos na política – antes pelo contrário – as cobranças dos acertos haveriam de vir, e fortes. Como houve mais promessas de cargos na Mesa e nas 11 Comissões temáticas do Senado do que a quantidade real desses cargos, alguns senadores e bancadas partidárias, que apoiaram Sarney em troca das promessas, sobraram. E veio o pandemônio, pois no Senado não vigora o costume de se deixar barato o prometido e não cumprido. Logo de saída, “rifou-se” o senador Garibaldi Alves Filho, a quem havia sido prometida a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos – para dá-la ao PT –, sendo-lhe oferecida, como prêmio de consolação, a Comissão Mista de Orçamento. Mas ele rejeitou o arranjo: “Estou me sentindo como marido traído, sou o último a saber.” Não estava sozinho nessa incômoda posição, como viria a constatar a ex-líder do PT Ideli Salvatti, atropelada pelo rolo compressor dirigido por Renan Calheiros, o novo condestável do Senado.

MARCOS JOSÉ DE FREITAS E SILVA marcosjfreitas@uol.com.br

São Paulo

Greveirresponsável A manifestação ocorrida na terça-feira, em que ficou prejudicada a entrega dos jornais Folha de S.Paulo e Estadão na zona sul, foi

um ato irresponsável. Está na nossa Constituição o direito da greve, todos os trabalhadores têm o direito de reivindicar melhorias de trabalho. O que não pode é um determinado sindicato querer agregar novos filiados prejudicando outra categoria (banca de jornais) e, acima de tudo, tirar o direito à informação. Pois muitos leitores ficaram sem receber seus jornais em casa e sem poder comprá-los nas bancas. Repudiamos essa atitude de qualquer que seja o sindicato. Lutar por melhores salários, sim, mas sem prejudicar o cidadão, tirando-lhe o direito à informação e o direito de ir e vir. RICARDO L. CARMO, vice-presidente do Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revistas de São Paulo ricardo@sindjorsp.org.br

São Paulo

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 4 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A4 -

%HermesFileInfo:A-4:20090306:

A4

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Lula não vê surpresa para PT com vitória de Collor

NACIONAL

Votos são os mesmos de Sarney, diz presidente, que sugere fazer do caso ‘uma bela salada’ q PÁG.A7

OPERAÇÃO RAPINA 3

INVESTIGAÇÃO

PF prende prefeitos acusados de desviar dinheiro da saúde no MA

STJ quebra sigilo bancário de conselheiro do TCE

Segundo investigação, grupo teria causado rombo de R$ 30 milhões nos cofres públicos Wilson Lima ESPECIAL PARA O ESTADO SÃO LUÍS

A Polícia Federal prendeu ontem 24 pessoas envolvidas em umesquema defraudes emcontratos públicos nas áreas de saúde e educação, que agiam em três cidades do interior do Maranhão. A quadrilha, desmantelada na operação batizada de Rapina 3, era formada por empresários, prefeitos, secretários municipais, servidores e dois escritórios de contabilidade. Durante um ano e meio de investigações, os agentes apuraram desvio de R$ 30 milhões dos cofres públicos. A operação da PF atingiu três municípios onde as fraudes teriam ocorrido – Imperatriz, Ribamar Fiquene e Senador La Rocque – e também a capital, São Luís. Ao todo, foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região 27 mandados de prisão e 38 mandados de busca e apreensão de notas fiscais, computadores e outros equipamentos. De acordo com o superintendente da PF no Maranhão, Fernando Segóvia, dos R$ 30 milhões desviados durante o período da apuração, R$ 15 milhões eram de recursos federais. O esquema criminoso, segundo a apuração, tinha como base as prefeituras de RibamarFiquene e Senador La Rocque. Nessas administrações, segundo Segóvia, os integrantes do grupo fraudavam licitações e balancetes contábeis, utilizando notas fiscais frias de empresas de fachada para encobrir o desvio de recursos públicos. Os alvos dos desfalques eram convênios, fundos e planos assinados entre os dois municípios e a União.

Para prestar contas, gestores simulariam licitações Segundo a PF, próximo da época de prestação de contas para o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o gestor público simulava pedidos de licitação, que eram rapidamente autorizados pelo prefeito, com parecerfavoráveldo assessor jurídico do município. Toda documentação necessária era pre-

FRASE

BALANÇO

Fernando Segóvia Superintendente da PF no Maranhão

Terceira fase

“Era montado todo um esquema com o uso de laranjas para justificar o gasto do dinheiro. Eram empresas de fachada”

Passo a passo do esquema

parada em escritórios de contabilidade em Imperatriz e repassada para as prefeituras de Ribamar Fiquene e de Senador La Rocque. Para finalizar a fraude, os gestores públicos envolvidos, incluindo os secretários de Educação e Saúde, atestavam o recebimento dos produtos e as mediçõesdos serviçossupostamente prestados para a liberação dos recursos pela União. “Era montado todo um esquema com o uso de laranjas para justificar o gasto do dinheiro. Eram empresas de fachada”, explicou Segóvia. NOTAS FRIAS

De acordo com o superintendente da PF no Maranhão, os responsáveis pelo esquema chegavam a recrutar pessoas em bairros pobres que “emprestavam” seus documentos para que fossem abertas empresas. “Eles montavam a empresa, pegavam as pessoas em diversos lugares, prometendo algumas vantagens, e emprestavam delas o CPF e a identidade. Assim, era montada a empresa que, na realidade, nunca chegou a existir. Elas eram apenas registradas e, daí, era iniciada a expedição de notas fiscais frias”, explicou Segóvia. O delegado Pedro Roberto Meireles Lopes, que está conduzindo as investigações, afirmou que o inquérito deverá ser concluído nos próximos 15 dias, para ser encaminhado ao Ministério Público Federal. Os envolvidos devem ser denunciados por crimes como falsificação de documento público, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, peculato, emprego irregular de verbas públicas, formaçãode quadrilha, fraude em licitações e lavagem de dinheiro. DESDOBRAMENTO

A Operação Rapina 3 foi realizada em conjunto com a Controladoria-Geral da União e

Investigações tiveram como ponto de partida empresas de fachada e seus colaboradores e escritórios de assessoria

Documentação

Operação Rapina III da PF desarticula quadrilha que desviava verbas públicas no Maranhão

1

Próximo à época de prestação de contas ao TCE, o gestor público simulava pedido de licitação

Pedido de licitação

2

O pedido era logo autorizado pelo prefeito, com parecer favorável do assessor jurídico do município

Autorização

São Luís

3

Toda documentação necessária era preparada em escritórios de contabilidade de Imperatriz para os municípios de Ribamar Fiquene e de Senador La Rocque

MARANHÃO Atuação da quadrilha: Senador La Rocque

Gestores públicos

4

Os gestores públicos (normalmente secretários de Educação e Saúde) atestavam o recebimento dos produtos e as medições necessárias para a liberação dos recursos federais

Ribamar Fiquene

Os acusados

Investigação da PF

Empresários, prefeitos, políticos, secretários municipais, membros das comissões de licitação e contadores, além de dois escritórios de assessoria, integravam o esquema

A Operação Rapina III é um desdobramento das Operações Rapina I (2007) e Rapina II (2008), que desarticularam esquemas de desvio de recursos públicos por meio de fraudes em licitações em diversos municípios maranhenses

Números R$ 30 milhões

38 mandados

é o total de recursos públicos movimentados pela quadrilha

R$ 15 milhões

é o total de recursos federais movimentados entre 2007 e o começo de 2008

de busca expedidos

200 policiais 27 mandados de prisão foram expedidos

24 pessoas foram presas

FONTE: PF

contou com um efetivo de 200 policiais federais e 30 analistas da CGU. A ação é um desdobramento das operações Rapina 1 e Rapina 2, realizadas em 2007 e 2008, respectivamente. A PF estima que o esquema desbaratado nas duas primeiras operações foi responsável por uma sangria de aproximadamente

federais e 30 analistas da Controladoria-Geral da União participaram da operação INFOGRÁFICO: RUBENS PAIVA/AE

R$ 1 bilhão nos cofres públicos. Na Rapina 1 foram presas 104 pessoas em 14 municípios dos Estados do Maranhão e Piauí. Elas também eram acusadas de integrar uma quadrilha especializadaem desviarrecursos federais, por meio de fraudes em licitações. Entre os presos, estavam oito prefeitos

maranhenses, das cidades de Tuntum, Axixá, Araioses, São Luiz Gonzaga, Urbano Santos, Governador Newton Bello, Nina Rodrigues e Paulo Ramos. Na Operação Rapina 2, foram detidas mais 13 pessoas, incluindo dois prefeitos maranhenses, de Marajá do Sena e Novo do Maranhão. ●

Este ano já houve 25 ações contra o crime organizado Total de presos pela PF no primeiro bimestre, incluindo operação de ontem, é de 275 pessoas Roberto Almeida

A Operação Rapina 3 é a 25ª ação de combate ao crime organizado deflagrada pela Polícia Federal somente em 2009.O total de presos pela corporação neste primeiro bimestre chegou a 275 pessoas, entre elas servidores públicos. A primeira ação deflagrada pela PF em 2009 foi a Operação Visconde, nos dias 7, 8 e 9 de janeiro. O objetivo era desarticular uma quadrilha especializada na fabricação e comercialização ilegal de armas de fogo e munições, que atuava na Grande São Paulo. As primeiras prisões foram em flagrante: 4 suspeitos de participar da organização criminosa. Desde então, os federais desencadearam operações que vão do combate ao tráfico internacional de pessoas e de

drogas, passando por fraudes previdenciárias até a repressão da pesca ilegal no período da piracema em terras indígenas ou rinhas de canários em Fortaleza. Para ações internacionais, a PF já contou em 2009 com a ajuda da Polícia Federal da Suíça para conter o aliciamento de mulheresbrasileiras. O resultado dessa operação, intitulada Abrantes, foi a prisão de seis pessoas – cinco no Estado de Goiás e uma na Suíça. O caso, porém, foi uma exceção. O maior número de operações até agora tevecomo objetivo combater o tráfico de entorpecentes, coibindo tanto remessasinterestaduais como internacionais. Duas delas – Fragata e São José – tiveram como foco específico a cidade paranaense de Foz do Iguaçu e a chamada re-

Juíza indiciada vira desembargadora Indiciada por corrupção e formação de quadrilha, a juíza Ângela Maria Catão Alves, da 11.ª Vara Federal de Belo Horizonte, foi promovida anteontem a desembargadora do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região. O resultado da sessão foi unânime: 19 votos a 0. Ângela foi investigada pela Polícia Federal durante a Operação Pasárgada, deflagrada em abril de 2008. Na ocasião, foram presos 17 prefeitos além de um juiz federal. O objetivo era pôr fim a um suposto esquema irregular de

liberação de verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Segundo os federais, a magistrada tinha estreito relacionamento com membros da suposta organização criminosa. Ela teria negociado vantagens pessoais com um gerente da Caixa Econômica Federal, considerado o braço financeiro do grupo. Procurada, a juíza não quis se manifestar sobre a promoção. O presidente do TRF1, Jirair Aram Meguerian, também disse que não vai comentar o assunto. ● R.A.

gião da tríplice fronteira, com Paraguai e Argentina. As ações de combate às drogas também chegaram às regiões Norte e Nordeste.

Foram operações como a Própolis, que objetivou reprimir o tráfico em apenas uma cidade, Picos, no Piauí. E como a Catingueira, que teve como

●● ●

foco a destruição de plantações de maconha na cidade de Salgueiro, em Pernambuco, às margens do Rio São Francisco. CORRUPÇÃO

Casos de corrupção, como o desvendado na Rapina 3, têm sido menos frequentes entre as operações da PF. A Operação Espantalho, deflagrada no dia 2 de fevereiro, coibiu supostas fraudes previdenciárias contra o INSS no sul da Bahia. Já na Operação Harpia, desencadeada dia 29 de janeiro, agentes cumpriram sete mandadosde busca e apreensão, expedidos pelo Tribunal Regional da 1ª Região, no município piauiense de Cocal. Foram presos um ex-prefeito e seu assessor por desvio de verbas públicas destinadas ao custeio da educação na cidade. ●

Fausto Macedo

OSuperiorTribunaldeJustiça (STJ)decretou a quebra do sigilo bancário do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Eduardo Bittencourt Carvalho, alvode investigaçãosobreevasão de divisas, lavagem de dinheiroeenriquecimentoilícito. A abertura das contas do conselheiro foi ordenada pela ministra Laurita Vaz, do STJ, que, no início do ano, já havia determinado a quebra de seu sigilo fiscal relativo aos últimos cinco exercícios. No dia 27 de fevereiro, o Banco Central enviou ofício nº 15/09 ao STJ com documentos referentes à movimentação bancária e financeira de Bittencourt. No dia 25, ofício do Citibank chegou à corte. Ontem,emSãoPaulo,aPolícia Federal tomou o depoimento de Cassiana Bittencourt, filha do conselheiro. Ela foi ouvida na Delegacia de Combate a Crimes Financeiros, onde tramita inquéritoda PFaberto por ordemda ministra Laurita. Bittencourt também havia sido intimado pela PF, mas seu advogado, Paulo Sérgio Santo André, entregou uma petição por meio da qual juntou declarações já prestadas por ele anteriormente. No documento, Bittencourt reafirma que “não tem e nunca teve contas no exterior”. Insistiu na versão de que a origem das denúncias é uma pendência litigiosa que trava com a ex-mulher. “O dr. Bittencourt já prestou depoimento na PolíciaFederal,hoje (ontem)ratificamos”, disse o advogado.

Bittencourt sustenta que ‘não tem e nunca teve contas no exterior’ APFtambéminvestigasupostas doações de veículos de luxo que teriam sido feitas por uma empreiteira ao conselheiro em troca da aprovação de contratos com o governo. A Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo pediu ao STJ “cópia das provas” já reunidas sobre o conselheiro. O compartilhamento já vem sendo executado desde o início da investigação. Os procuradores do Ministério Público Estadual que rastreiam Bittencourt repassaram ao STJ depoimentos sobreacondutadoex-presidente do Tribunal de Contas. A procuradoria conduz sigilosamente procedimento decarátercivilcontraBittencourt, por improbidade administrativa,erequereujudicialmente acesso aos dados bancários e tributários do conselheiro. Mas esse pedido foi negado pela 1ª Vara da Fazenda Públicadacapital.Contraessa decisão, o Ministério Público Estadual recorreu com agravo ao Tribunal de Justiça. A decisão está nas mãos dodesembargadorOscildLima Júnior, da 11ª Câmara de Direito Público. “Confiamos na isenção da Justiça”, declarou o advogado Paulo Santo André. “O que tinha de esclarecer o dr. Bittencourt já esclareceu. Ele não tem contas no exterior,nuncateve contabancária lá fora. Estou tranquilo quanto ao desfecho dessa apuração. Posso assegurar que o patrimônio dele é compatível e condizente com seus rendimentos como servidor público.” ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 6 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A6 -

%HermesFileInfo:A-6:20090306:

A6 NACIONAL

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

DORA KRAMER dora.kramer@grupoestado.com.br

Um dia a Casa cai

JUDICIÁRIO

STF definirá regra para substituir políticos cassados TSE vem determinando posse do segundo colocado quando governador perde mandato, mas ação do PSDB reivindica realização de novas eleições Mariângela Gallucci

A avaliação é do Palácio do Planalto: para bom andamento dos projetos do PAC no Senado é ótimo ter Fernando Collor na presidência da Comissão de Infraestrutura; trabalhará mais afinado com a ministra Dilma Rousseff, que a líder do PT na Casa, Ideli Salvatti, derrotada na disputa. Para o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, a escolha de Collor “veio em boa hora”. Resta esclarecer “boa” para quê. Tirando a clara descortesia para com a fidelíssima Ideli – cuja eleição, depreende-se, teria vindo em mau momento – tudo o mais é obscuro naquela declaração. Sob a ótica da harmonia na base governista, a comemoração do ministro Múcio alimenta o dissenso; do ponto de vista do respeito às formalidades, revela apreço pelo atropelo do regimento e avaliza o critério de distribuição de sesmarias; sob o aspecto das relações com o Executivo, os vários exemplos do uso pragmático que o PMDB faz de cargos estratégicos não justificam celebrações no Planalto, presa fácil da chantagem. Fernando Collor é do PTB, partido do ministro Múcio (eis!), mas foi feito presidente da comissão por Renan Calheiros, líder do PMDB, que assim não apenas pagou o voto em José Sarney para a presidência do Senado como assegurou a presença de um preposto na comissão das obras que são também o slogan da sucessão presidencial. Tal cenário pode por ser considerado como algo próximo de uma “boa hora” para o governo? Depende de quem analisa; se aliado, adversário ou usuário. A situação, na percepção de um correligionário, o senador Aloizio Mercadante, é resumida em duas palavras: “aliança espúria”. Um espanto. Não que o PT se assuste com essas coisas. Já viu, e participou, de piores. A própria Ideli Salvatti transitou com bastante desenvoltura na área quando integrou a tropa em defesa do direito de Renan Calheiros ter despesas pessoais pagas por um lobista, afrontar o decoro para se manter na presidência do Senado e apresentar documentos fraudulentos aos seus pares. Em matéria de alianças espúrias, atropelo de regras, malversação da boa-fé pública e espertezas ignominiosas não há querubins no Parlamento. Mas, nunca antes desde a opção preferencial do presidente Luiz Inácio da Silva pelo PMDB ao molde do cheque em branco para uso ilimitado, se ouvira uma desqualificação tão explícita do PT ao fiador da governabilidade petista. Contrariando posições do presidente da República, que, pelo jeito desabrido de seu ministro das Relações Institucionais, vê tudo com muita naturalidade, inclusive o retorno da República de Alagoas ao topo. Renan Calheiros sempre mereceu dele a presunção da inocência contra todas as evidências e Fernando Collor, recebido em palácio, ganhou de Lula a certeza de que faria um “mandato extraordinário”. O presidente segue no papel de equilibrista, mas seus dois sustentáculos partidários se afastam já sem pejo de disfarçar. Na Bahia, quase vão aos tapas; em São Paulo é certo que brincarão o carnaval de 2010 separados; no Rio Grande do Sul são como água e óleo; no Rio de Janeiro o governador Sérgio Cabral ri e o PT local não acha a menor graça. Engalfinharam-se pela presidência do Senado e agora brigam por causa de Fernando Collor de Mello, cuja presença em cena fala por si. Tanto quanto a imagem do ex-diretor-geral Agaciel Maia sendo carregado em triunfo na despedida, depois de revelada a posse de patrimônio incompatível com sua renda. Abstraindo-se as manobras para elegê-lo, nada há de especial no fato de Collor presidir uma comissão. É senador, foi recebido com homenagens por seus pares, em tese pode até presidir a Casa. Ele não é causa, é consequência da degradação geral dos costumes. Quando Lula justifica a escolha de Collor por ser fruto do acordo que elegeu Sarney, usa a própria régua. Se é normal escancarar o aparelho de Estado em troca de votos no Congresso, natural que se distribuam o comando de comissões de trabalho no Parlamento pelo mesmo critério. Quem pode o mais, pode o menos.

BRASÍLIA

Com a abertura da temporada decassaçãodeacusadosdeirregularidades na eleição de 2006, se intensificam as pressões para que o Judiciário mude a regra de substituição dos governadores queperdem o mandato por supostos abusos e compra de votos. Pelo entendimento atual do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que em 15 dias cassou o tucano Cássio Cunha Lima (Paraíba) e o pedetista Jackson Lago(Maranhão),quando ogovernador cassado foi eleito no segundo turno, quem deve tomar posse no seu lugar é o segundo colocado. Conforme os críticos, essa interpretação permite que o perdedor ganhe o mandato “no tapetão”. Háum movimento paraque o Judiciário, nesses casos, determine a realização de uma nova eleição – direta, se a cassação ocorrer nos dois primeiros anos de governo, e indireta, se for nos dois últimos. As dúvidas deverão ser dirimidas em breve pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Desde 22 de novembro passado, dois

Líderes veem risco de 3º turno Líderes partidários no Congresso ficaram apreensivos com as cassações de mandatos de governadores e prefeitos e temem que a prática acabe se transformando em uma espécie de “terceiro turno” das eleições. Parlamentares da base aliada do governo Lula e de oposição argumentam que hoje, diante dos processos, governadores e prefeitos eleitos não têm segurança jurídica no início dos governos. “Enquanto não mudar o atual sistema que está aí, não se fizer uma reforma política, mudar a cultura, eles vão viver sempre no

cargo como se fossem interinos, até que a Justiça Eleitoral julgue os processos”, disse o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), que foi relator da proposta de reforma política derrubada há dois anos na Câmara. Para o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio Neto (AM), está ocorrendo “uma certa judicialização” a ponto de a Justiça eleitoral, em menos de um mês, determinar a cassação do mandato dos governadores da Paraíba, o tucano Cássio Cunha Lima, e do Maranhão, Jackson Lago (PDT).

dias após o TSE ter dado a primeiradecisãofavorávelàcassação do mandato do então governador da Paraíba, tramita no STF uma ação na qual o PSDB contesta a posse do segundo colocado nos casos de perda de mandato. O partido sustenta a tese de que, se a maioria dos votos é anulada, deve ser realizada uma nova eleição. O PSDB alega que a ação tem o objetivo de defender “a pró-

pria essência da democracia, da soberania popular e do respeito à vontade da maioria”. Segundo o partido, numa disputa com dois candidatos, como ocorrenosegundoturno,oescolhido é quem tem a preferência da maioria do eleitorado. Nessa votação, também fica registrada “a repulsa da maioria ao candidato derrotado”. Mas, pelas regras atuais, apesar de a maioria não ter escolhido o derrota-

●● ●

● EUGÊNIA LOPES

GILSON TEIXEIRA/SECOM–4/3/2009

Como diria o observador sagaz: as coisas dão certo até que começam a dar errado

Fogo inimigo

O governador de Minas, Aécio Neves, obviamente não é fiador da ladina ofensiva deflagrada por gente que se diz sua aliada, contra posições críticas ou meramente não engajadas à sua candidatura a presidente. Certamente Aécio não avaliza a voz corrente da difamação contra quem se dispõe a analisar criticamente seus movimentos políticos. Movido por provincianismo, sabujice, amizade pessoal ou afinidade de resultados, esse pessoal causa mais dano ao governador que qualquer disputa partidária ou noticiário severo. Aécio notabiliza-se pela habilidade e fidalguia no trato. É por isso reconhecido. Mas se não desautorizá-los o quanto antes, seus áulicos terminarão por construir dele uma imagem negativa, obrigando-o a pagar publicamente a conta de urdidas executadas, por ora, sob a proteção do anonimato. ●

do, ele assumirá o governo para substituir o cassado. “Legitimidade para o exercício de cargo eletivo só se obtém com voto depositado em urna. Vulnerademorteoprincípiodemocrático qualquer solução que, ao cabo, importe o exercício de cargo eletivo pelo candidato refugado nas urnas”, sustenta o PSDB na ação. O relator da ação no STF, ministro Ricardo Lewandowski, num primeiro momento determinou o arquivamento, por entender que ela tinha o objetivo de manter Cunha Lima no governo. Mas o PSDB recorreu e a ação será decidida pelo plenário do tribunal. Atualmente, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, analisa o assunto. Ele emitirá um parecer que poderá ou não ser seguido pelo STF. Durante o julgamento no TSE em que Jackson Lago foi cassado, Lewandowski, que é ministro substituto no tribunal, ressaltou que não estava adiantandosuaposiçãosobreorecurso do PSDB ao acatar a tese de que Roseana Sarney, segunda colocada em 2006, deveria ser empossadanolugardogovernador do Maranhão. ●

NO RITMO - A ordem do governador, segundo auxiliares, é não se abalar com a cassação e manter normalmente as atividades da gestão

Lago despacha e Roseana já monta equipe Governador viajará para o interior do MA e aliado da senadora vai a Brasília Clarissa Oliveira SÃO LUÍS ENVIADA ESPECIAL

Enquanto o governador cassado do Maranhão, Jackson Lago (PDT), tenta manter uma rotina normal no Palácio dos Leões, sede da administração estadual, a senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) nem sequer deve esperar a confirmação da cassação para dar início à montagem de sua equipe de governo. Impedida de viajar por se prepararpara uma cirurgia a que será submetida ainda este mês, a senadora vai conversar no início da semana que vem com aliados em Brasília, para começar a discutir os nomes que pretende instalar na

administração estadual. “Vamos começar a discutir desdejá a composição do governo. Independentemente de ela não poder assumir de imediato, é preciso garantir que o governo esteja pronto assim que forem julgados os últimos recursos”, afirmou o líder da oposição a Lago no Estado, deputado estadual Ricardo Murad (PMDB). Aliado dos Sarney, ele embarca para a capital federal entre segunda e terça-feira. RECURSOS

Apesar de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)ter decidido anteontem pela cassação de Lago, Roseana só será confirmadagovernadora após se esgotarem as possibilidades de recur-

FRASE

Ricardo Murad Deputado estadual “Vamos começar a discutir desde já a composição do governo. É preciso garantir que o governo esteja pronto assim que forem julgados os últimos recursos”

so. Lago, enquanto isso, permanece no posto. Ontem, o governador passou praticamente todo o dia no palácio, onde manteve compromissos que já estavam previstos na agenda. Pela manhã, reuniu-se com representantes da Caixa Econômica Federal. À tarde, auxiliares do governador confirmaram um encontro

Cassação pelo TSE divide opinião de eleitores nas ruas SÃO LUÍS

Apenas dois dias após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter cassado o governador do Maranhão, Jackson Lago, eleitoressedividiramquantoàdeci-

são. “Eu vejo isso com muita tristeza. Fico revoltada de pensar que votei nele para passar essa vergonha”, contou a comerciária Deusa Nina Rodrigues, de 55 anos. “Isso tudo foi uma armação que fizeram para

com o prefeito da capital, João Castelo (PSDB). A ordem de Lago, segundo auxiliares, é manter o andamento normal das atividades. Mas ele próprio deve ficar longe de São Luís nos próximos dias. O governador planeja seguir entre hoje à noite e amanhã para o interior para promover um dos programas de sua gestão. Enquanto isso, a defesa de Lago aguarda a divulgação do acórdão do Tribunal Superior Eleitoral para tentar recorrer da decisão. “Nossa certeza de que essa cassação é infundada foi compartilhada por uma parcela dos ministros que participaram do julgamento”, afirmou o advogado Daniel Leite. ●

ele”, afirmou o fotógrafo Manuel Francisco, 50. Nas ruas da capital, nada de faixas ou manifestações. Aliados da senadora Roseana Sarney mostraram cautela. Comemoração, só quando ela chegar à cidade. ● C.O.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 7 - 06/03/09

A7 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:A-7:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

NACIONAL A7 NACIONAL A7

CONGRESSO

ARQUIVOS

Eleição de Collor não deveria surpreender PT, afirma Lula

Planalto libera para consultas documentos do extinto CSN Leonencio Nossa BRASÍLIA

Para ele, partido teria direito a cargo se regra fosse seguida desde o início, o não que ocorreu DIDA SAMPAIO/AE–3/3/2009

Tânia Monteiro BRASÍLIA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro que vai precisar redobrar as atenções do governo em relação ao Senado,depois daderrotadasenadora Ideli Salvatti (PT-SC) para o ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), na disputa pelo comando da Comissão de Infraestrutura do Senado. Em entrevista ao Estado, Lula disse que todo o processo desde a eleição de José Sarney (PMDB-AP) para a presidência da Casa foi uma lição. “Primeiro, o que o PMDB fez foi cumprir o acordo que tinha com o Collor e os votos que elegeram o Collor foram os votos queelegeramoSarney”,comentou.“Nãovejoissocomosurpresa não. O PT tinha direito, se a proporcionalidade tivesse sido respeitada desde o começo. Não foi. Vivendo e aprendendo. É fazer disso uma boa salada.” Lula afirmou não acreditar que a derrota do PT, a segunda em menos de um mês, depois que Tião Viana (AC) perdeu a eleiçãoparaapresidênciadoSenado para Sarney, vá trazer maiores fissuras para a base aliada e aumentar as dificuldades de aprovação de projetos na Casa. Mas indicou que vai ter de trabalhar muito para manter unidos os partidos que apoiam o Planalto. RACHA

Alémdoabalona basegovernista,aeleição deCollorpara apre-

Mercadante quer prazo para cargo de confiança Uma resolução do Tribunal de Contas da União, que estipula como seis anos o prazo máximo para o exercício contínuo da mesma função de confiança, servirá como munição para o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), tentar limitar a permanência do diretor-geral da Casa. Mercadante quer aproveitar a saída de Agaciel Maia, depois de 14 anos no posto, para apresentar a proposta, que enfrenta resistência no Senado. ● A.P.S.

●● ●

DADOS – Sarney: ‘Colocaremos todas as informações necessárias para dar maior transparência possível’

sidência da Comissão de Infraestrutura separou ainda mais o PSDB do DEM no Senado. Nos bastidores, os tucanosavaliamquea parceria nunca mais será a mesma. A aliança do DEM com o PMDB de Renan Calheiros (AL) e o PTB de Collor expôs divergências de prática política, levando parte do PSDB a fechar politicamente com PT,PDTe PSB.“Estamosincomodados com as práticas políticas que só estão destruindo a imagem do Senado”, disse o tucano Tasso Jereissati (CE). Ele ressalvou, porém, que a aproximação do PSDB com PT não deve se refletir nas votações, já que são adversários. ● COLABOROU CIDA FONTES

Senado vai detalhar gasto com verba indenizatória Ana Paula Scinocca BRASÍLIA

Desgastadopelacrisequeenvolveu o ex-diretor Agaciel Maia, o Senado resolveu, com atraso em relação à Câmara, pôr na internet os gastos detalhados dos 81 senadores com a verba indenizatória. Mensalmente, eles têm direito a R$ 15 mil para gastos administrativos em seus Estados (despesas com combustíveis, gráfica e hospedagem). A decisão foi tomada ontem em

reunião da Mesa Diretora e comunicada pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). Segundoele,aexemplodaCâmara, a divulgação no Senado vai incluir os dados do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) das empresas mencionadasnasnotasfiscaisapresentadas para justificar o uso da verba. Valores das despesas e o número da nota fiscal também deverão estar na prestação de contas. “Vamos seguir no mesmo lado, fazer que a Câmara

procedeu. Colocaremos todas as informações necessárias para dar maior transparência possível”, afirmou. A divulgação, porém, não será retroativa. Em abril, estarão disponíveis os gastos realizados pelos senadores em março. Sarney avisou que vai conversar com o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), sobre a proposta de incorporar o valor da verba indenizatória aos salários. ●

Multimídia mostra quanto custam os parlamentares brasileiros

www.estadao.com.br/e/a7

O Planalto entregou ontem ao ArquivoPúblicoNacionalumlote de nove livros com atas manuscritas e datilografadas de reuniões do extinto Conselho de Segurança Nacional (CSN), que abrangem um período de mais de 50 anos. O acervo estará acessível ao público em duas semanas nas sedes do arquivo no Rio de Janeiro e em Brasília. O CSN, criado formalmente pela Constituição de 1937, era um órgão consultivo do presidente da República que se tornou ainda mais temido durante o regime militar (1964-1985), pordiscutircassaçãodemandatos e diretrizes da guerra contra adversários do governo. São três mil páginas com histórias de novembro de 1934 a meados de 1988, como as reuniões que decidiram a entrada do Brasil na Segunda Guerra, as relações conturbadas com a Argentina durante as ditaduras Vargas e Perón e a fase do regime militar instalado com o golpe contra Goulart em 1964. Antes de entregar os documentos, uma comissão do governo formada por militares e diplomatas decidiu que 416 linhas deverão ter tarja preta. “Não é uma censura política, mas uma censura de relações internacionais”, disse o general Jorge Armando Félix, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência. Félix disse que expressões “ofensivas” e “jocosas” contra instituições, países e pessoas nãotêm interesse histórico, por isso deverão continuar sigilosas. A preocupação é não criar atritos com os vizinhos, especialmente os argentinos. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 8 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A8 -

%HermesFileInfo:A-8:20090306:

A8 NACIONAL

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Entrevista Tasso Jereissati: senador (PSDB-CE)

‘Políticanão temfila. Éacordo ou voto’ SERGIO DUTTI/AE–27/10/2005

Senador tucano elogia Serra e Aécio mas diz que, se não houver consenso, o partido terá de promover prévias Julia Duailibi

O senador tucano Tasso Jereissati (CE) avalia que seu partido não terá saída e deverá realizar prévias para a escolha do candidato do PSDB que concorrerá à Presidência em 2010. Isso ser for mantida a atual conjuntura, com dois précandidatos da legenda postulantes à disputa: os governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas, Aécio Neves. “Se não tiver acordo, não temos saída, a não ser promover as prévias. Elas são absolutamente necessárias e fundamentais. Eu digo com a experiência de quem já participou de outros processos de escolha para a Presidência da República, sem que fossem mais abertos e participativos. E digo: não dá certo”, declarou o senador ao Estado. Em 2002, Tasso era pré-candidato à disputa pelo Planalto, mas foi Serra quem ficou com a indicação. Ele se manteve distante da campanha e foi acusado por tucanos de atuar em favor de Ciro Gomes, adversário de Serra. Para Tasso, o caminho de escolha não é pela cúpula partidária. “Não dá certo, não fica uma coisa legítima”, disse o senador, que teceu elogios aos dois governadores, mas tergiversou quando questionado sobre sua preferência. Indagado a respeito da tese de que política tem vez, e que esse seria o momento de Serra, declarou: “Política não tem fila. Tem acordo ou voto.” Citou Barack Obama, presidente dos EUA, que ganhou a eleição após vencer de virada as primárias democratas. Abaixo, a entrevista.

do para ter, através da maioria parlamentar, cargos estratégicos do ponto de vista político e financeiro.

ra para realizar prévias. Temos total condições de realizálas. Mas é claro que tem gente que não quer a prévia.

Só o PMDB age assim?

Não é tradição do partido.

Não, é importante dizer que não é só o PMDB. O PMDB só faz isso porque tem a aquiescência do Executivo. Essa rede se espalhou por todo o sistema de poder do País, principalmente pelas prefeituras. E o governo Lula é conivente. Ele montou um sistema de poder, em que a sua sustentação parlamentar é feita com base nisso aí, nesse tipo de permuta. É baseado puramente no toma-lá-dá-cá. Dentro da organização que eles fizeram, que me parece única no mundo, deixaram de se interessar em ter a Presidência, mas querem o poder do presidente, seja qual for o eleito.

Não é tradição do partido mesmo. A tradição do partido é o que chamávamos de reunião de cardeais. Reuniam 10 ou 12 e chegavam a conclusões, mas isso era quando o PSDB era pequeno. Agora não. Somos grande, com gente nova, que não tem aquela cultura dos cardeais. E a maioria dos cardeais desapareceu, infelizmente. A quantidade de gente nova que não conviveu com essa cultura, que não aceita esse tipo de solução, é muito maior. Então não dá mais para o partido, em situação de disputa, resolver por acordos de cúpulas. Mas não é perigoso rachar?

Por isso que é a discussão é saudável até certo ponto. Até o ponto de não levar a divergências mais profundas. Nós temos aí o exemplo recente dos Estados Unidos, da Hillary (Clinton) com o Obama, que foi muito saudável para o partido.

Mas ainda assim todos querem se aliar ao PMDB, inclusive o partido do senhor.

Aí você entra na reforma política. O PMDB é fundamental por causa do tempo de TV, porque monta um esquema de prefeitos realmente muito capilarizado pelo País e também porque vira a maioria congressual por causa desse ciclo vicioso. Aí é fundamental para governar.

Muitos tucanos defendem a tese de que política tem vez e que agora seria a vez de Serra.

Política não tem fila. Tem acordo ou voto. Aí vou voltar ao Obama.

O sr. acha que o PSDB será capaz de atrair o PMDB em 2010?

O PMDB vai com quem estiver na frente. Hoje está com poder, instalado até o último dia. Aí vai ver o que está com mais chance. Apesar de que isso não é importante para eles, porque terminada a eleição eles passam a ser fundamentais. Já deixou de ser importante estar junto. Na primeira eleição do Lula, não o apoiaram, nem na primeira do FHC. Apostaram errado. Apostaram em quem estava no poder. Depois migraram para o poder no primeiro dia.

O PMDB é corrupto?

Como o sr. vê a discussão no PSDB para a escolha do candidato em 2010?

Acho que a grande maioria do PMDB, que tem homens ilustres, claro, é hoje formada por organizações que se especializaram não mais em atingir a Presidência, mas em conseguir cargos que deem poder e recursos. É um partido volta-

Essa discussão interna é saudável até certo ponto. Tenho a convicção de que não ocorrerá, em função dessa disputa interna, nenhum tipo de defecção futura, e nós temos a felicidade de ter dois grandes candidatos. Se não tiver acordo, não te-

Quem o sr. acha que seria o melhor candidato?

VANTAGEM – ‘Nós temos muita sorte de ter dois candidatos muito bem preparados para ser presidente’

FRASES “Essa discussão interna é saudável até certo ponto. Tenho a convicção de que não ocorrerá, em função dessa disputa interna, nenhum tipo de defecção futura” “Não é tradição (prévias). A tradição é o que chamávamos de reunião de cardeais. Reuniam 10 ou 12 e chegavam a conclusões, mas isso era quando o PSDB era pequeno. Agora somos grande, com gente nova, que não tem aquela cultura dos cardeais”

Em evento com prefeitos, Aécio faz críticas a Lula Governador aponta ‘absoluto descaso’ da gestão federal em relação à malha rodoviária de Minas WELLINGTON PEDRO/IMPRENSA MG

Eduardo Kattah BELO HORIZONTE

O governador de Minas Gerais, AécioNeves(PSDB),cobrouontem do governo federal investimentos em rodovias federais queligamseismunicípiosnoVale do Jequitinhonha e região norte do Estado. Em solenidade com prefeitos, Aécio disse que a marca que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá deixar nessa área é a de “absoluto descaso” com as regiões mais pobres. Omineiroassinouaautorização para o início de obras de asfaltamentoemestradasdeacesso a 12 municípios mineiros, localizadosnasregiõesnorte evales do Rio Doce, Jequitinhonha eMucuri– umtotal de327quilômetros de extensão e investimentos de R$ 230 milhões. As ações fazem parte do Programa Estadual de Pavimentação de Acessos Rodoviários (Proacesso), lançado em 2004 e que até o ano passado consumiu, segundo o governo, R$ 1,4 bilhão. Do total de 225 municípios deMinasque,naépoca,nãopossuíam ligação por asfalto, seis são ligados por trechos sob a responsabilidadedogoverno federal. Eles somam 175,1 quilômetros e a previsão é que a obra custe R$ 300 milhões. O governador disse que, nos

mos saída, a não ser promover as prévias. Senão elas são absolutamente necessárias e fundamentais. Eu digo com a experiência de quem já participou de outros processos de escolha para a Presidência sem que fossem mais abertos e participativos. E digo: não dá certo.

sentem participantes da escolha. Não é bom. Se tiver um acordo e se chegar a um consenso em que o partido se sinta confortável, tudo bem. Mas não havendo, havendo realmente disputa, a prévia é a única maneira de solucionar isso. Não é pela cúpula.

O sr. se refere às escolhas de 2002 (Serra) e 2006 (Geraldo Alckmin)?

Tucanos riem quando se fala em prévias, alegando que o PSDB nem estrutura tem.

Sim. Não dá certo, é complicado, não fica uma coisa legítima. As pessoas não se sentem envolvidas no processo, não se

Não vejo por que dar risada. Quando fui presidente do PSDB (em 2006), fiz um trabalho grande e montei uma estrutu-

próximos meses, todas as 219 cidades, cujas estradas são de responsabilidade do Estado, estarão com as obras em andamento. “Não é possível que a marca que o governo federal queira deixar na área viária em Minas Gerais seja essa de absoluto descaso para com as nossas regiões mais pobres.” Ele afirmou que conversou com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, e propôs que o governo transfira os trechos e os recursos necessários para o Estado. “Não é justo penalizarmos seis municípios.” Foiasegundaveznestasemana que o governador reuniuprefeitos noPaláciodaLiberdade. Na terça-feira, chefes de 35 municípios confirmaram adesão a um programa de ações de desenvolvimento econômico e social

Presidente ataca FHC e defende o ProUni

“TORCIDA” CÂMARA – Aécio e Aníbal: descontentes devem acatar decisão, diz

Com Aníbal, prega união ●● ● O governador Aécio Neves recebeu para um almoço ontem o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (SP), e defendeu que a bancada do partido se una e estabeleça uma “estratégia de enfrentamento no Congresso”. Aécio disse que os descontentes com a recondução de Aníbal à liderança devem acatar a decisão da maioria. A bancada mineira apoiou a reeleição do deputado. “Acho que o PSDB é um partido que, por mais que deva respeitar as postulações individuais, e elas são legítimas, no momento em

que se toma uma decisão, devese acatá-la”, disse. “Agora é a hora de nós termos uma estratégia de enfrentamento no Congresso. Qual é a agenda que o PSDB deve apresentar na Câmara? Isso é que é importante. O resto, nesse momento, é irrelevante.” Aníbal repetiu a avaliação de que a escolha do candidato tucano à Presidência poderá ser feita por meio de uma prévia, se “for necessária”. “O importante é que a gente caminhe de forma convergente, espírito aberto, ampliando o diálogo com a sociedade.” ● E.K.

Os dois são. Nós temos muita sorte de ter dois candidatos muito bem preparados para ser presidente, para ser uma liderança. Os dois têm a experiência de comandar Estados grandes. Isso é um problema, mas é uma sorte também.

Como ocorreu na solenidade anterior, ontem o porta-voz dos prefeitos deu tom político ao evento. José João Oliveira (PDT), prefeito de Francisco Badaró, disse que ele e os colegas estavam “na torcida” pela “caminhada” de Aécio. “Para que muito em breve possamos fazer ecoar por todo País que temos um governador capaz defazerpelosirmãosdo Nordestedo Brasil, da Amazônia e demais regiões pobres o que tem sido feito pelo Jequitinhonha, Mucuri, norte de Minas e demais municípios desteEstado”, discursouOliveira. Na disputa pela vaga de presidenciável tucano em 2010, Aécio anunciou que fará viagens pelo Brasil. ●

E uma chapa puro-sangue?

Acho que a gente tem condições até de pensar nisso. O sr. citou o processo de 2002, quando perdeu a indicação para Serra. Ficou alguma rusga?

Comigo? Zero. Nenhuma. As pessoas acham que eu não me dou bem com Serra, mas eu me dou muito bem. O problema é que temos até uma relação muito franca. Às vezes, ele diz coisas que eu não gosto, e eu também, o que é bom. ●

Em discurso, Lula acusa antecessor de ter inviabilizado escolas técnicas Wilson Tosta ENVIADO ESPECIAL CABO FRIO

Em mais um discurso de ataque a seus opositores, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou ontem as elites brasileiras de se incomodarem mais com a melhoria das condições de vida dos pobres do que com a miséria. Ao discursar na inauguração simultânea de três campi de instituições federais de ensino técnico em Cabo Frio, Volta Redonda e Duque de Caxias, no EstadodoRio,Lulatambémdisparou contra os tucanos e parte da esquerda. Opresidente acusouogoverno Fernando Henrique Cardoso de ter inviabilizado a criação de novas escolas técnicas federais. “Em 1998, o ministro da Educação mandou o Congresso fazer uma lei tirando do governo federal a responsabilidade de fazer escolas técnicas”, disse, referindo-se a Paulo Renato Souza, que comandou a pasta no governo tucano. Segundo ele, foi necessário que a União firmasse convênios com prefeituras e ONGs para dar andamento ao projeto. “Na teoria, é tudo muito bonito. Mas acontece que a maioria das prefeituras, sobretudo as menores, não tinha recursos para fazer escolas técnicas.”

FRASE

Luiz Inácio Lula da Silva Presidente “É exatamente o presidente que não teve oportunidade de estudar que está fazendo as escolas que os que estudaram não fizeram”

Lula criticou parte do movimento estudantil que se opôs ao ProUni – programa federal de bolsaspara carentesemuniversidadesprivadas.“QuandocriamosoProUni,umgrupodeestudantes do Brasil, normalmente ligados à elite brasileira, começou a fazer discurso de que a gente ia privatizar a educação no Brasil”, afirmou. “Sabe por quê? No Brasil tem um tipo de genteque,seestá comendo, não fica com bronca se o outropedir comida para ele. Eles ficam com bronca se o outro estiver na outra mesa, comendo a mesma comida deles, porque eles acham que só eles têm direito.” Em seguida, fez um autoelogio: “É exatamente o presidente que não teve oportunidade de estudar que está fazendo as escolas que aqueles que estudaram não fizeram.” No evento, o governador Sérgio Cabral (PMDB) foi vaiado e atribuiu o protesto a adeptos do prefeito de Nova Iguaçu, o petista Lindbergh Farias. ●

ESCALAPB

PB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 9 - 06/03/09

A9 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:A-9:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

NACIONAL A9 NACIONAL A9

PARTIDOS NILTON FUKUDA/AE

De olho em 2010, Dilma vai a missa de padre Marcelo Diante de cerca de 15 mil fiéis, ministra e pré-candidata à Presidência cantou, bateu palmas e leu trecho da Bíblia CONVIDADA - Dilma (à dir.) foi apresentada como ‘alguém muito importante’ durante a celebração

Julia Duailibi

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, participou na noite de ontem, como convidada especial, de missa celebrada pelo padre Marcelo Rossi, no Santuário do Terço Bizantino, em São Paulo. O local, na zona sul paulista, concentra milhares de pessoasduranteosencontrosreligiosos e é conhecido como ponto obrigatório de políticos em campanha eleitoral. Para uma plateia de cerca de 15 mil pessoas, segundo os organizadores da missa, e em cima de um palco onde estavaopadreMarcelo,a ministra cantou, bateu palmas, foi molhada no rosto e no cabelo por água benta e chegou a demonstrar certo enfado depois de quase duas horas de missa. Batizada e educada na religião católica, como costuma dizer, Dilma rezou, mas preferiu não comungar. Usando novamente óculos, a ministra não despertou a curiosidade dos fiéis, basicamente mulheres, que estavam mais empenhadas em cantar e rezar. Ela foi apresentada pelo bispo de Santo Amaro, dom Fernando Figueiredo,como“alguémmuito importante”, mas recebeu apenas aplausos protocolares. Logo depois Dilma foi ao púlpito e leu um trecho da Bíblia, o Livro de Ester. “Põe em meus lábios um discurso atraente quando eu estiver diante do leão e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices, e livra-nos da mão dos nossos inimigos”, leu Dilma, que recebeu terços da mãe de padre Marcelo para levar a Brasília. A pedido do presidente LuizInácio Lula da Silva,que aposta em Dilma para sucedê-lo, a ministra tem procurado viajar mais e participar de eventos populares. No eventodeontem, dasdezpessoas com as quais o Estado conversou, nove desconheciam a ministra Dilma. “Não é o Ronaldinho que vemaí?”,perguntouadomésticaNeuza daSilva, 42.Informada de que se tratava de uma ministra de Lula, ela completou: “Política? Estou fora.”Voluntáriasque trabalham no santuário também nãosabiamquemeraaministra. “Dilma? Quem é?”, perguntou a aposentada Guiomar Siqueira, 71. “Ah, agora que você falou acho que sei quemé.Elaapareceu na televisão”, completou a manicure Maria Conceição, 49. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

A10-A11 -

Produto: ESTADO - BR_C - 10 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

Produto: ESTADO - BR_C - 10 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A10-A11 -

%HermesFileInfo:A-10:20090306:

A10 NACIONAL

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

NACIONAL A11

DIPLOMACIA

TERRAS

PeloBrasil

Obama e Lula devem discutir Cuba e Venezuela

Promotora cobra desocupações já

ALAGOAS

Reunião será dia 14, em pleno fim de semana, notícia que foi recebida como sinal de deferência ao Brasil

Ela ameaça processar procurador-geral e secretário Carlos Mendes ESPECIAL PARA O ESTADO BELÉM

A promotora da Vara Agrária de Castanhal, região nordeste do Pará, Ana Maria Magalhães Carvalho, encaminhou ontem ao procurador-geral do Estado, José Ibrahim Rocha, e ao secretário de Segurança Pública, GeraldoAraújo,recomendaçãopara que cumpram imediatamente todas as liminares de reintegração de posse de fazendas invadidas pelo Movimento dos Sem-Terra (MST) e outros grupos similares em 30 áreas na rodovia Belém-Brasília. Ela ameaça Rocha e Araújo comaçõescriminaisecivis,caso

nãosejaobedecida.Adecisãofoi tomada depois de a promotora fazer vistoria em várias fazendasinvadidas e constatar que os sem-terra e os “sem-tora” estão derrubandoflorestasinteiraspara produção de carvão. Ela não gostou das declarações de Araújo, a uma emissora de TV, de que o princípio de quandoecomocumprirosmandados expedidos pela Justiça “atende à conveniência, à oportunidade do Estado”. Para ela, o secretárioassumiu“posturaantidemocrática e equivocada em relaçãoaosprincípiosrepublicanos e atentatória à regra constitucional”. Segundoapromotora,osecretário deixa de disponibilizar as

forças policiais necessárias ao cumprimento das ordens do Judiciário porque, “ao seu juízo de valor”,omomentonãoatende“à conveniência do governo”. Araújofoi procurado pelo Estado, mas sua assessoria informouqueelenãopodiacomentar ocaso, pois estava no interior do Pará, onde não há sinal de celular.OjornalistaEmanoelVilaça, assessordosecretário,disseque todasasliminaresserãocumpridas, mas é necessário um plano para a retirada dos invasores. “Anopassado,somentenafazenda São Marcos, em Parauapebas, foram gastos 15 dias de operaçãodaPolíciaMilitareR$1milhão”,disse.Rocha,emboraprocurado,nãoquissemanifestar. ●

Assembleia elege seu novo comando Depoisdemuita polêmica,a AssembleiadeAlagoas finalmenteelegeu seu novocomando,para obiênio 2009/2010.O deputadoFernandoToledo(PSDB) éo novopresidenteda Casa. Semadversário,ele foieleito com18votosdos 24deputadospresentes à sessão.Os seisdeputados deoposição nãoconseguiram número suficienteparacompor uma chapaparaenfrentar Toledo.

“Precisamos fazer muito a fim de recuperar nossos indicadores sociais precários e até dramáticos. Estamos aqui para isso, arregaçando as mangas” Teotônio Vilela Filho, governador de Alagoas

Patricia Campos Mello

RORAIMA

CORRESPONDENTE WASHINGTON

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva será recebido pelo colega Barack Obama na Casa Branca em pleno sábado, dia 14 de março. Originalmente, a visita estava marcada para três dias depois, mas houve um problema de agenda, obrigando a mudança. Nomeiodiplomático,foiconsiderada uma deferência ao Brasil o fato de a visita ter sido remarcada para um sábado. Ao todo, o presidente Lula vai seencontrartrêsvezescomObama em pouco mais de um mês – Washington, em 14 de março; Londres, em 2 de abril, na reunião do G-20; Trinidad Tobago, entre os dias 17 e 19 de abril, na Cúpula das Américas. ArelaçãoconflituosadosEstados Unidos com a Venezuela e com Cuba será um dos temas do encontro entre os dois presidentes, na Casa Branca. Emconversamantidaanteontemà noite,por telefone,Lula sugeriu ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, levar a Obama essas dificuldades. A proposta foi aceita. A informação foi dada peloprópriopresidentevenezuelano, em entrevista concedida ontem em Caracas, e também confirmada por assessores do Palácio do Planalto. REAVALIAÇÃO

Desde a vitória de Obama, Lula jádefendia o debatesobre os países que mantêm relação conflituosa com os EUA. Em conversas por telefone, no ano passado e neste ano, Lula pediu que Obama reavaliasse as relações de seu país com a América Latina. O presidente brasileiro já pediu publicamente que os Estados Unidos reavaliem embargo econômico imposto a Cuba, uma das agendas mais delicadas para os americanos na região. Assessores do Planalto observam que, desde o governo do expresidente George W. Bush, Lula vem sendo tratado pelos Estados Unidos como um interlocutor importante na região. ●

Raposa Serra do Sol volta à pauta do STF

Protógenes pede ajuda à Casa Branca

Caiadoexige dadosde ONGs ligadasaoMST

e Protógenes Queiroz para Barack Obama: “Contamos com a sua vigilância e com o seu apoio para que os processos de avaliação e divulgação dos dados contidos nos 12 discos rígidos em poder da CIA não sejam obstruídos.” Em carta ao presidente, o delegado da Operação Satiagraha diz que os HDs foram apreendidos na casa de Daniel Dantas, a quem chama de “bangster” e enviados aos EUA para perícia. Alega que a abertura dos dados revelará “esquemas de corrupção no Brasil com reflexos no seu país”. Cita Martin Luther King: “Justiça atrasada é justiça negada.” ●

D

Luciana Nunes Leal BRASÍLIA

O líder do DEM na Câmara, RonaldoCaiado(GO),encaminhou ontem ao Ministério do DesenvolvimentoAgrário pedido de informações sobre repasses do governo a ONGs que teriam ligação com o Movimento dos Sem-Terra (MST). O deputado apresentou uma lista de nove instituições que tiveram os repasses aumentadosde 2006emdiante, depois da conclusão da CPI da Terra, em comparação com o período entre 2003 e 2005. Ele mostrou, também, quatro ONGs que perderam recursos depois de serem investigadas. O ministério alegou, via assessoria, que firma convênios com diversas instituições e a proximidade com o MST não é critério para aprovar convênio, mas sim os projetos encaminhados. ●

Fausto Macedo SÃO PAULO

COLABOROU LEONENCIO NOSSA

PALÁCIO DO PLANALTO

Exército vai supervisionar obra Lula vai despachar no Centro Cultural Banco do Brasil CELSO JUNIOR/AE

Oministro Marco Aurélio Mellodeve apresentarna próximaquarta-feira, seu votona ação quediscute a demarcaçãodareserva indígenaRaposa Serra doSol. Emdezembro, a sessãodo SupremoTribunalFederal (STF)foisuspensa com8 votosfavoráveisàdemarcaçãocontínua dareserva. AlémdoministroMarcoAurélio,faltamvotar Celso de Melloe GilmarMendes. RONDÔNIA

Justiça Eleitoral cassa 3 vereadores AJustiça Eleitoral deRondôniacassouo mandatodos vereadoresIsaúRaimundo daFonseca eReinaldo PereiradeAndrade,ambos deJiParaná,eEdilson Cavalcante Procópio,de SãoMiguel do Guaporé.Adecisão foitomadapela 30.ª ZonaEleitoral de Ji-Paranádiantedadenúncia decompradevotosnas eleiçõesde2008, apresentada peloMinistérioPúblicoEleitoral.Caberecurso. SÃO PAULO

Supremo derruba sequestro de verba OgovernodeSãoPauloconseguiuderrubarnoSTFdecisãodoTribunaldeJustiça quedeclararasequestrode verbasparapagamentode precatório.DecisãodoTJ consideroudesnecessário emitirnovoprecatóriopara pagarsaldodoprecatório original,porinadimplênciado Estado,epermitiasequestro deverba.OjuízodoTJfoirejeitadopeloministroJoaquim Barbosa,relatordarecurso. DISTRITO FEDERAL

Mulheres pleiteiam anistia política Asmulheresqueenfrentarama ditaduramilitarserão lembradas,hoje,noatoMemóriasdofeminino: vivências,resistênciaeprotagonismonaslutaspordemocracia, às9horas noSalãoNegrodo MinistériodaJustiça.Um totalde17pessoas, amaioria mulheres,teráseuspedidos deanistiajulgadospor um grupoespecialdeconselheirasdaComissãodeAnistia doMinistério daJustiça. RIO GRANDE DO NORTE

Prefeito acusado de coagir testemunhas MUDANÇA – Carregadores de empresa terceirizada começam a retirar móveis do Palácio do Planalto BRASÍLIA

Diante da burocracia, o governo decidiu chamar o Exército para coordenar a reforma do Palácio doPlanalto.Adecisãofoitomada depois da tentativa frustrada de contratar uma empresa privada parafazeroserviço.Naterça-feira, a comissão de licitação do palácio cancelou processo de esco-

lha da empresa que faria a obra. Não está descartada a participação de empresas nas obras, mastodaa supervisão estarásob responsabilidade dos militares. Ainda neste mês, o Planalto será fechado para a primeira reformaestruturaldesdesuainauguração, em 1960. O gabinetedo presidente Lula será transferido após o dia 16 para o Centro Cultural

Banco do Brasil (CCBB), a cerca de 5 quilômetros da Praça dosTrêsPoderes.DilmaRousseff (Casa Civil) e Franklin Martins(ComunicaçãoSocial) são os únicos ministros que vão despachar no CCBB. Ontem, um caminhão de uma empresa terceirizada fazia a mudança de assessores. ● TÂNIA MONTEIRO e LEONENCIO NOSSA

Acusadodecompradevotos edepressionar testemunhas aprestar depoimentosfalsos àJustiça Eleitoral,o prefeito deMacau,FlávioVieira Veras,deveresponderaprocessocriminal.OprocessotramitanoTribunal RegionalFederalda 5ªRegião –nacondiçãodeprefeito,Veras tem foroprivilegiado.Secondenado,ele pode teruma penade reclusãodeum aoito anos, maismulta.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 12 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A12 -

%HermesFileInfo:A-12:20090306:

A12

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

INTERNACIONAL

ONGs alertam que milhões morrerão de fome no Sudão Organizações foram expulsas do país após pedido de prisão contra o presidente Bashir q PÁG.14

AMÉRICA LATINA

Expurgados cubanos admitem ‘erros’ Em cartas semelhantes, ex-chanceler e ex-vice-presidente renunciam a cargos no governo e no PC e juram lealdade a Fidel ALEJANDRO ERNESTO/EFE

HAVANA

Afastados de seus cargos na segunda-feira,CarlosLage,ex-secretário executivo do Conselho de Ministros de Cuba, e Felipe Pérez Roque, ex-chanceler do país, renunciaram a todos os postos que ainda ocupavam no governo e no Partido Comunista. Em cartas endereçadas ao presidente Raúl Castro na terça-feira e publicadas ontem nos jornais Granma e Juventude Rebelde,os doisdisseramreconhecer seus “erros” e admitiram “total responsabilidade” por eles.Ostextos,porém,não especificam quais foram os “erros”. Os documentos foram divulgados dois dias depois de o líder cubano Fidel Castro ter justificado a ampla reformulação do gabinete feita por seu irmão e acusadoos dois, indiretamente, de excesso de “ambição” e conduta“indigna”.Raúl nomeouoito nove ministros e fundiu quatro ministérios em dois. O texto de ambas as cartas, embora usem palavras diferentes, tem o mesmo teor e segue um padrão idêntico. No primeiroparágrafooslíderesapresentam a renúncia, em seguida admitemos “erros”e, nofinal,reafirmam sua lealdade à revolução, a Fidel e a Raúl. “Reconheço os erros cometidos e assumo a responsabilidade”, diz a carta de Lage. “Reconheço plenamente que cometi erros (...) assumo minha total responsabilidadepor eles”,afirma a carta de Pérez Roque, que começa com um “Querido Raúl”. O reformista Lage, de 57 anos, responsável pela política econômicaparacombater acrisedosanos90,renunciouàvicepresidência do Conselho de Estado, a integrar o Birô Político e oComitêCentral do PartidoComunista, assim como à cadeira de deputado. No texto enviado a Raúl, diz que continuará servindo à revolução “em meu novo posto de trabalho”, sem citar onde passará a trabalhar. PérezRoque,de44 anos,considerado mentor da política externa que tirou Cuba do isolamento nos últimos anos, renunciou à sua vaga no Conselho de Estado, no Comitê Central do PC e à cadeira de deputado. Há dez anos como chanceler, ele era o único funcionário do alto escalão a ter nascido após a Revolução Cubana, de 1959. Lage e Pérez Roque, integrantes da chamada “ala jovem” do regime, foram muito próximosaFideleestiveramco-

Reforma esquenta debate sobre sucessão HAVANA

MEA-CULPA - Cartas de Carlos Lage e Pérez Roque publicadas no ‘Granma’, órgão do PC cubano: ambos assumem ‘erros’, sem especificar quais

tados como possíveis sucessores do líder quando ele renunciou ao poder, em 2008. Desde que foram afastados, Lage e Pérez Roque têm evitado aparecer em público. Apenas na terça-feira alguns jornalistas viram Lage junto a seu sucessor, o general José Amado Guerra, no palácio do governo. MOTIVOS

Apesar da publicação das cartas, muitos cubanos ainda se perguntam quais foram os reais motivos do afastamento. “Parece um novela, com capítu-

los e subtramas”, afirmou um estudante universitário em Havana,quepediuanonimato.“Temos o direito de saber quais foramesseserros,sóassimentenderemos toda a história.” “Custa-me entender porque eu tinha Lage e Felipe em um pedestal”,diz a aposentadaMaría López. “Foram homens que acumularam méritos e pareciam dedicados à revolução.” A referência de Fidel em seu artigo a “inimigos externos” alimentou ainda mais especulações. “Talvez seja algum caso de corrupção, mas não acho

que Lage tenha traído o governo”, disse Juan Carlos Hernández, aposentado, que trabalhou para Lage quando ele era ainda um líder estudantil.

1999 É nomeado ministro das Relações Exteriores

● AFP e REUTERS

1993 Torna-se vicepresidente do Conselho de Estado, atuando como um primeiro-ministro

1991 Torna-se membro do Comitê Central do PC e, um ano depois, vira secretário pessoal de Fidel PERTO DE FIDEL

Ascensão e queda

1986 É eleito deputado da Assembleia Nacional

Com carreiras parecidas, políticos de grande poder em Cuba são afastados repentinamente do governo

Felipe Pérez Roque Engenheiro eletricista, 44 anos

1982 Aos 17 anos, é eleito presidente da Federação de Estudantes do Ensino Médio; seis anos depois, preside a FEU

ELEIÇÃO

1980 Entra para o Comitê Central do PC e para o Grupo de Apoio ao ComandanteChefe, diretamente ligado a Fidel

PODER MÁXIMO

1992 Entra para o Conselho de Estado CONSOLIDAÇÃO

1986 É nomeado integrante do Birô Político do PC; quatro anos depois, é chamado por Fidel ao Conselho de Ministros para combater a crise econômica

1976 É eleito deputado da Assembleia Nacional

2009 SEGUNDA-FEIRA:

Raúl reforma gabinete; os dois são destituídos TERÇA-FEIRA:

Fidel faz crítica indireta, chamando “alguns ministros” de ambiciosos e indignos

LIDERANÇA ESTUDANTIL

Carlos Lage Médico pediatra, 57 anos

QUINTA-FEIRA:

1969 Entra na faculdade e logo se torna presidente da Federação dos Estudantes Universitários (FEU)

Em carta, Roque e Lage admitem “erros” e renunciam a todos os outros cargos, incluindo às cadeiras de deputado QUEDA INFOGRÁFICO/AE

Processo de expurgo é parecido em regimes duros Figuras em ascensão desaparecem após admissão de ‘erros’

Magnoli,emreferênciaaosjulgamentos soviéticos da década de 30, que limparam a cúpula da URSS de opositores ao ditador JosefStalin.Ritualmente,osacusados–figuraspopularesdoregime – diziam-se culpados e eram condenadosàmorte.Assim,Stalin assegurou seu poder total. ‘DAZIBAO’

DIVULGAÇÃO-21/11/1980

Roberto Simon

Um nome em ascensão dentro do regime acaba expurgado com grande alarde, acusado de trair a revolução. Em seguida, o “traidor” vema público e, estranhamente, confirma as acusações ao anunciar o fim de sua carreiranopartido.Eassimacaba sua existência na história da revolução. O roteiro do afastamento do chanceler Felipe PérezRoqueedosecretárioexecutivo do Conselho de Ministros Carlos Lage não parece novo e poderia ser encarado como um processoinerenteasistemasrevolucionários. O expurgo e seus rituais, afirmam especialistas, seriam uma constante na história de regimes de partido único. Diferentemente de Cuba, os exemplos soviético e maoista

‘CAMARILHA DOS 4’ – Jiang Qing, viúva de Mao (dir.), no banco dos réus

envolveram milhões de mortes eculminaramemsistemastotalitários.A análise da disputa pelo poder, entretanto, pode reve-

lar semelhanças. “O paralelo com os processos de Moscou é óbvio”, afirma o sociólogo e geógrafo Demétrio

A Revolução Cultural chinesa tambémusou amplamenteoexpurgocomoinstrumentodedisputa dentro do PC. Para derrotar seus opositores, entre eles o futuro líder Deng Xiaoping, Mao Tsé-tung conseguiu seduzir as massas e monopolizar o processo revolucionário. Depois da morte de Mao, foi a vez de Deng isolar todas as figuras que pudessem ser associada ao ex-líder. Sua viúva, Jiang Qing – a “Madame Mao” – e o restanteda“camarilhados quatro”, que comandou a Revolução Cultural, foram sentenciados à morte em julgamentos transmitidos à população. A autocrítica feita por expurgados chineses chegou a ganhar uma denominação própria: “Dazibao”. Nos regimes de outros países asiáticos, como Laos e Vietnã, o expurgo

O afastamento de dois dos mais destacados políticos jovens de Cuba deixa mais dúvidas do que nunca quanto a quem conduzirá o país quando os irmãos Castro e seus contemporâneos de cabelos grisalhos morrerem. O presidente Raúl Castro está com 77 anos. Seu braço direito, escolhido a dedo, José Ramón Ventura, tem um anomenos.E nãohásucessores óbvios da próxima geração entre os funcionários – na maior parte obscuros – do Partido Comunista, entre os militares e os burocratas que repentinamente foram promovidos esta semana na maior reformulação no alto escalão da cúpula cubana em décadas. Vários dos possíveis herdeiros dos irmãos Castro foram postos de lado, morreram ou ficaram velhos demais para serem algo mais do que líderes tapa-buraco. As duas possibilidades mais recentes eram justamente os que foram afastados – o chanceler Felipe Pérez Roque,de43anos,eovice-presidente Carlos Lage, de 57. “Um congresso do Partido Comunista a realizar-se este ano poderá trazer à luz futuros sucessores – talvez entre os militares cubanos –, mas, por enquanto, a saída de Lage deixa Cuba sem um claro candidato futuro à presidência”, afirmou o economistaedissidentecubanoOscar Espinosa Chepe.

também foi recorrente. O caso cubano não foge à regra. Possível sucessor de Fidel Castro, o herói da Baía dos Porcos e líder militar em Angola, Arnaldo Ochoa, estranhamente admitiu a acusação de tráfico de drogas à ele imputada – que levou à sua execução. Em 1999, foi a vez do chanceler Roberto Robaina deixar o círculo de poder, reconhecendo ter cometido “erros políticos e éticos”. A falta de clareza nas regras de sucessão desses governos converteria a disputa pelo poder em “tramoias palacianas”, diz Magnoli, algo inerente a todos os governos revolucionários desde a França de 1789. Publicamente, acusações de traição, aliança com o inimigo ou corrupção buscam justificar a manobra à população. Ohistoriadorda PUC-SP Antônio Pedro Tota também vê semelhanças entre vários casos, mas pede cautela com generalizações. Para ele, a “repetição de padrões históricos é limitada” e, no caso cubano, poderia esconderparticularidadesdoregime.“Éimpossível, por exemplo, entender a revolução de Fidel semconsideraraculturaeocontexto latino e caribenho”, diz. ●

Filho de Raúl poderia ser escolhido como sucessor O fortalecimento do Exército no alto escalão do governo eleva o cacife do general Ulises Rosales del Toro, de 67 anos. Ex-ministro do Açúcar,DelToroassumiuemnovembro o posto vacante de ministrodaAgricultura.Embora seja bem conhecidos dos cubanos, Del Toro é comedido o bastante para evitar a ira de Castro por ser muito ambicioso. ParaosociólogoJaime Suchlicki, da Universidade de Miami, outra figura a se observar é Ramiro Váldez, de 76anos,umradicalque poderia ser uma eventual solução de compromisso entre o Exército e seus líderes revolucionários – civil, ele lutou ao lado dos irmãos Castro e Che Guevara na Revolução de1959 e detém o título honorário de “comandante”. Valdez foi sondado para substituir Rivero Torres na vicepresidência de Gabinete, na segunda-feira. A escritora Anna Maria Bardach acha que uma alternativa para a presidência pode ser o filho de Raúl Castro, Alejandro, conselheiro do pai e funcionário do Ministério do Interior. “Se tivesse que apostar, seria na família de Raúl”, disse ela. ● AP

Os 50 anos da Revolução Cubana: especial traz vídeo, fotos, análise

www.estadao.com.br/e/a12

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 13 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A13 -

%HermesFileInfo:A-13:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

INTERNACIONAL A13 INTERNACIONAL A13

AMÉRICA LATINA

Chávez dá posse a comando militar renovado Presidente venezuelano diz que Forças Armadas retomam ‘caminho da revolução socialista’ CARACAS

O presidente da Venezuela, HugoChávez, deu posse ontem aos quatro novos comandantes da ForçaArmadaNacionalBolivariana (FANB), anunciando que os militares “retomaram” o caminho da “revolução socialista” na Venezuela. As mudanças incluem o comando do Exército e da Aeronáutica, além da Milícia Bolivariana Nacional e do Centro Estratégico Operacional. “Vamos transformar a Vene-

zuelanumapotênciamoral,econômica, tecnológica e social; e umapotência verdadeiranecessita ter Forças Armadas potentes”,disseopresidentevenezuelano na cerimônia realizada no Forte Los Caribes, no Estado de Cojedes, região centro-oeste da Venezuela. Esta semana, Chávez já havia nomeado temporariamente o atual vice-presidente, Ramón Carrizález,parachefiaroMinistério da Defesa. Emumadesuasprimeirasdeclarações, Carrizález arreme-

Líder intervém em terras de empresa irlandesa O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou ontem a intervenção de 1,5 mil hectares de terras da filial da multinacional irlandesa Smurfit Kappa, que produz papel. Uma propriedade de “1,5 mil hectares” onde se “planta eucalipto sofreu intervenção ontem”, no âmbito da “revolução agrária” e socialista em curso na Venezuela, disse Chá-

●● ●

vez. O anúncio foi feito durante um ato oficial, no qual ele também anunciou a desapropriação de outro terreno, com “2.237 hectares”, no município Simón Planas, no Estado de Lara (oeste). O ministro de Obras Públicas e Habitação, Diosdado Cabello, disse que nas terras da Smurfit é plantado um tipo específico de madeira que só traz benefícios aos pro-

prietários da empresa, que opera na Venezuela desde 1954. Na quarta-feira, Chávez anunciou a expropriação de uma beneficiadora de arroz, filial da empresa americana Cargill, acusada de boicotar a venda de arroz branco, cujo preço é controlado. Ele também ameaçou expropriar a Polar, a maior produtora de alimentos da Venezuela. ● EFE

teu contra o ministro da Defesa daColômbia, Juan ManuelSantos, chamando-o de “personagem sinistro”, de “infinita arrogância”. A declaração foi feita em resposta a uma entrevista de Santos, na qual ele dizia que qualquer ataque colombiano a guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), “mesmo que eles não se encontrem dentro” das fronteiras da Colômbia, seria “um ato de legítima defesa”. A declaração foi recebida como uma ameaça velada tanto pela Venezuela quanto pelo Equador. O presidente colombiano, Álvaro Uribe, chamou a atenção de Santos e disse que ele deveria tomar mais cuidado com suas declarações. ● EFE E AFP

DIPLOMACIA FRANCOIS LENOIR/REUTERS

Otan decide retomar relações com Rússia

Artigo

A atuação globalizante dos EUA Gilles Lapouge*

C

Medida busca intensificar apoio de Moscou à aliança no Afeganistão ESFORÇO DIPLOMÁTICO – Hillary em reunião em Bruxelas: proposta para discutir violência no Afeganistão BRUXELAS

Chanceleres da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) reunidos em Bruxelas, na Bélgica, decidiram ontem retomar as relações formais da aliança com a Rússia na esperança de conseguir mais apoio de Moscou em sua batalha para estabilizar o Afeganistão. Os laços entre as partes foram suspensos em agosto, após a ofensiva do Kremlin na Geórgia. “A Rússia é um importante interlocutor mundial e não se relacionar com ela não é uma opção”, afirmou o secretáriogeral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer. Segundo ele, a próxima reunião do Conselho OtanRússia deve ocorrer depois de uma reunião da aliança marcada para os dias 3 e 4. O Kremlin recebeu bem a notícia, afirmando que era uma “ação promissora” em termos de estabilidade e segurança no Afeganistão. “Essa decisão é positiva”, disse o embaixador russo na Otan, Dmitri Rogozin. Antes da reunião da Otan, a Rússia havia dito que permitiria o trânsito de materiais do Exército americano para o Afeganistão. A aliança vem enfrentando constantes ataques de militantes às suas rotas de abastecimento no Paquistão e espera que a ajuda russa se expanda para o tráfego aéreo de suprimentos na região. Para obter o acordo, os chanceleres tiveram de vencer a dura oposição da Lituânia, uma das ex-repúblicas soviéticas, que considerou a decisão “prematura”. O representante do país na Otan ainda afirmou que seria mais prudente encorajar a Rússia a ser mais “cooperativa” antes de retomar os laços com o Kremlin. NOVA FASE

Antes do anúncio, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, havia pedido uma nova fase das relações da aliança com Moscou, mas com a ressalva de que as portasda organização deveriam continuar abertas para a Geórgia e Ucrânia – adesão à qual o Kremlin se opõe. Hillary ainda disse que chegou o momento de explorar um “novo começo” com o governo russo. “Temos de encontrar maneiras de trabalhar construtivamente com a Rússia nas áreas que compartilhamos interesses em comum”, disse a secretária Segundo ela, os russos poderiam ajudar no plano de estabilização do Afeganistão, além de contribuir para temas como o controle de armas e as questões referentes ao Irã e à Co-

COOPERAÇÃO ● Interesses comuns: Rússia e

Washington convidará Irã para cúpula regional

Otan poderiam intensificar ajuda na estabilização do Afeganistão

●● ●

● Divergências: Moscou é contra a

adesão da Geórgia e da Ucrânia à aliança

reia do Norte. Hillary assegurou que os EUA estão comprometidos a reforçar a aliança transatlântica e impulsionar uma “Europa forte”. Ela dará continuidade à estratégia do governo do presidente Barack Obama de se reaproximar da Rússia hoje ao se encontrar com o chanceler russo, Seguei Lavrov, em Genebra. ● AP, AFP, EFE E REUTERS

oncluída sua viagem pelo Oriente Médio,HillaryClinton desembarcou ontem em Bruxelas, onde se reuniu com seus homólogos da Otan. Amanhã, segue para Genebra, onde se encontrará com o chanceler russo, Serguei Lavrov. Nada é por acaso esse programa. Os americanos perseguemtrêsobjetivos,aparentementediscordantes,masligados. Em primeiro lugar, deixarclaroqueosEUAdeBarack Obama, contrariamente a George W. Bush, respeitam seus aliados, especialmente a Europa. Segundo, tornar a Otan mais dinâmica. E por último, reencontrar o caminho etalvezaamizadedeMoscou. É o capítulo russo que predomina. Desde que assumiu o cargo, Obama tem tranquilizado Moscou. E deve acabar com a desavença provocada pelainvasãodaGeórgia,ordenada pelo presidente Dmitri Medvedev. Já está sendo anunciada uma sessão extraordinária Otan-Rússia, cujos trabalhos foram paralisados pelos 26 países aliados, para condenar a intervenção russa na Geórgia. Obamaenviouumacartaa Medvedevemfevereiro. Oassunto: resolver o psicodrama do escudo antimíssil, que os EUA querem instalar no Leste Europeu e deixou os russos “enlouquecidos”. Na carta, Obama explicou que os EUA buscam se proteger do Irã. Acrescentou que, se a Rússia se dispuser a trabalhar com Washington, isso poderá forçar os iranianos a serem mais sensatos. No caso, o escudo já não seria necessário. Os russosresponderamvagamente, mas não fecharam a porta. Os americanos querem igualmente fortalecer a Otan. Éisso que vai dar brilho à reunião de cúpula marcada para oiníciodeabrilemEstrasburgo. A França provavelmente anunciaráseuretornoàaliança, após meio século de desavença. Serão acolhidos novos membros? Sem dúvida, a Albânia. A Croácia, talvez. Por outro lado, Ucrânia e Geórgiacontinuarãobatendo na porta. E ela não será aberta. Qual a razão? Porque essesdoispaísesestãonaantessala da Rússia. Aceitar seu ingresso na Otan alimentaria a impressão de “cerco” que os russos estão sentindo. Aliás, foi para impedir a entrada da Geórgia na Otan que a Rússia lançou sua violenta operação contra o país no ano passado. É cedo para um prognósticosobre a diplomacia de Obama.Maselaédegrandevisão, preocupada com os equilíbrios e interações que se formam entre as grandes zonas domundoenoâmbitodecada uma dessas zonas. ●

O governo do presidente americano, Barack Obama, pretende convidar o Irã para uma conferência internacional sobre o Afeganistão planejada para o fim do mês em um local ainda a ser determinado. O anúncio foi feito pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, durante a reunião de ontem dos chanceleres da Otan em Bruxelas, na Bélgica. “Se essa reunião acontecer, é esperado que o Irã seja convidado por ser vizinho do Afeganistão”, disse Hillary. De acordo com a chefe da diplomacia americana, a reunião deve ocorrer no

dia 31. “No Afeganistão e no Paquistão temos uma ameaça comum, um desafio comum e uma responsabilidade comum”, afirmou Hillary, lembrando que Obama se comprometeu a enviar 17 mil soldados a mais para o Afeganistão. “É um jeito de reunir todas as partes interessadas.” Desde sua posse, em janeiro, o presidente americano vem dando sinais de uma possível reaproximação do Irã, país com o qual Washington não mantém relações diplomáticas desde 1979. “Devemos aumentar nossa ajuda ao desenvolvimento, contribuir na formação e no reforço do Exér-

cito e da polícia afegã para que assumam a responsabilidade da segurança dos afegãos", ressaltou a secretária de Estado. A declaração de Hillary recebeu forte apoio do chanceler francês, Bernard Kouchner, que disse esperar a confirmação da presença de Teerã no encontro. O secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer, afirmou que todos os ministros presentes em Bruxelas concordaram que é necessário dar um enfoque regional à crise, além de oferecer um esforço civil mais coordenado e mobilizar mais tropas de segurança. ● AFP, EFE E REUTERS

* Giles Lapouge é correspondente em Paris

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 14 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A14 -

%HermesFileInfo:A-14:20090306:

A14 INTERNACIONAL

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

NoMundo

ÁFRICA

Milhões passarão fome, alertam ONGs expulsas do Sudão ONU pede que Cartum reconsidere medida, uma represália à ordem de prisão contra presidente PHILLIP DILL/EFE

Jamil Chade CORRESPONDENTE GENEBRA

As organizações não-governamentais que foram expulsas do Sudão alertam que milhões de pessoas podem passar fome sem a ajuda internacional. Ontem, o governo sudanês disse que estava cassando as licenças de mais de dez entidade por causa de indícios de que elas tenham passado informações sobre o país para os serviçossecretos dos EUA, Europa e para o Tribunal Penal Internacional. Na quarta-feira, o tribunal, com sede em Haia, emitiu uma ordem internacional de prisão contra o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, acusado de crimes contra a humanidade e crimesdeguerraporcausa doconflito na região de Darfur, que deixou 300 mil mortos e 2,7 milhões de refugiados desde 2003, segundo a ONU. A expulsão das ONGs terá umimpactodireto sobreos projetos humanitários da ONU e é vista como uma retaliação indireta do Sudão contra a organização. Várias entidades, entre elas a Oxfam e a Care, pediram ontem que o Sudão reveja sua posição. O secretário-geral da ONU,BanKi-moon,tambémpediu a Cartum que continue a cooperar com as organizações. Segundo a ONU, 4,7 milhões de pessoas no Sudão dependem de ajuda internacional para se alimentar. Metade do trabalho de distribuição dos alimentos e remédios da ONU era feita por meio das ONGs expulsas. O vice-ministro de Justiça do Sudão, Abdoldaem Mohameain Ali Zomrawi, disse que a expulsãodas ONGs nãoresultará “necessariamente em uma falta de alimentos”. Cartum afirma que está investigando “dezenas” de ONGs por passar informações para o tribunal.Nosescritóriosdeenti-

EUA

Obama reformará saúde até fim do ano O presidente dos EUA, Barack Obama, apresentou ontem a ambiciosa proposta de ampliar a cobertura do sistema de saúde pública a todos os americanos. “Desta vez é diferente”, disse Obama, reconhecendo que várias projetos semelhantes já fracassaram. “Desta vez não podemos discutir se todos os americanos têm direito a cuidados médicos de qualidade e baratos”, afirmou durante reunião com deputados, especialistas, associações e representantes dos laboratórios. “A única questão é como.” Segundo o último censo, 46 milhões de americanos – o que representa 15% da população – não têm nenhuma cobertura médica. Segundo o presidente, a reforma deve ser desenhada até o fim do ano. ÍNDIA

Objetos de Gandhi serão repatriados

ALERTA – Presidente Bashir (C) é saudado em Cartum por partidários: vice-ministro diz que prisão do presidente causará ‘banho de sangue’

Decisão do TPI inquieta Brasil O governo brasileiro teme que a ordem de prisão do presidente do Sudão, Omar al-Bashir, reacenda conflitos internos potencialmente mais graves que o de Darfur. A decisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) causou inquietação em Brasília. No Itamaraty, prevalece a avaliação de que o tribunal desconsiderou a complexidade do quadro político do Sudão e, ao determinar a prisão de Bashir, expôs o país ao risco de retomada de uma violenta guerra civil. O conflito em Darfur tem motivação étnica e tribal, e surgiu

com o processo de desertificação da região, no início da década. Por enquanto, o Itamaraty silencia sobre o caso. De um lado, o País – única nação latino-americana que tem uma embaixada no Sudão – sempre foi entusiasta do fortalecimento do TPI. De outro, não poderá se manter omisso às críticas dos países africanos e árabes – que se opõem à condenação – por causa da prioridade dada à diplomacia brasileira a essas regiões e do objetivo de alçar o Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU. ● DENISE CHRISPIM MARIN

dadescomoMédicosSemFronteiras(MSF)eAçãocontraaFome, carros foram apreendidos, assimcomo computadorese arquivos. Os funcionários dessas

entidades receberam 24 horas para deixar a região de Darfur, no oeste do país e voltar a Cartum, de onde partirão no fim de semana.

●● ●

Para o governo sudanês, a MSF é uma das entidades que divulgou “provas falsas” sobre o Sudão às autoridades estrangeiras. A entidade rejeitou a acusação. “É um absurdo que estejamos sendo acusados disso”, afirmou o diretor de Operações da de MSF, Arjan Hehenkamp. MANDADO DE PRISÃO

Ovice-ministrodaJustiçasudanês, Abdoldaem Mohameain Ali Zomrawi, advertiu ontem que qualquer tentativa da ONU de fazer cumprir o mandado de prisão contra Bashir causará um “banho de sangue” no Sudão e a provável desintegração do país. “A decisão manda um recado totalmente errado aos rebeldes para que não se sentem à mesa de negociações. Assim, nunca teremos paz. Obviamente, não atenderemos ao pedido de entregar o presidente Bashir”,afirmou emuma entre-

vista coletiva em Genebra. Segundo ele, o tribunal não tem poderes no Sudão e o governo de Cartum está fazendo o possível para encontrar os responsáveis pelos crimes dos últimos anos. “Portanto, não precisamos de uma corte internacional”, disse Zomrawi. Ontem, em uma declaração inesperada, o próprio presidente da AssembleiaGeral da ONU, Miguel d’Escoto Brockmann, criticou o TPIeinsinuouqueoex-presidente americano George W. Bush também deveria ser indiciado. Um dos motivos para a criação do TPI foi o de garantir que indivíduos responsáveis por crimes contra a humanidade fossem julgados, se a Justiça de seus países não os julgasse. Essa seriaaformadeevitar queditaduras possam ficar impunes diante de crimes. ●

Um indiano arrematou ontem por US$ 1,8 milhão, em um leilão de Nova York, objetos pessoais que pertenceram ao líder Mahatma Gandhi e prometeu doá-los ao seu país. O vendedor tentou cancelar o leilão dos pertences – um óculos, sandálias, relógio, um pote e um prato – depois que Nova Délhi protestou, afirmando que os objetos fazem parte de sua história e devem ficar em um museu indiano. “Estou certo que todos ficarão felizes em saber que esses itens voltarão para casa”, disse V.J. Mallya, comprador do lote. “Nunca imaginei que isso fosse causar tanta controvérsia”, disse exproprietário das peças, James Otis. “Espero que tenhamos alcançado um resultado que seria aprovado por Gandhi.” ORIENTE MÉDIO

AHMAD GHARABLI/AFP

‘Violem as mulheres, matem as crianças’ Desertor do Exército sudanês relata horror dos ataques contra a população civil de Darfur LONDRES

Os métodos de combate usados pelas forças do governo do Sudão e pelas milícias árabes apoiadasporCartum contra tribos da região do Darfur são uma coleção completa de quase todos os crimes que podem

ser praticados numa guerra – estupros, pilhagem, destruição de residências, deslocamentos populacionais forçados e assassinatos. As atrocidades aparecem no relato de um militar desertor do Exércitosudanês, identificado pelo jornal britânico The

Guardian apenas como Kajabier, de 34 anos. Ele descreveu os crimes cometidos por ele e por um batalhão de outros 400 militares em abril de 2003, em diversos vilarejos de Darfur, na fronteira entre o Chade e o Sudão. “Não deixem sobreviven-

tes”,foi a ordem dada pelo coronel Samir Jaja a seus homens. “Estuprem as mulheres, matemascrianças. Nãodeixemnada para trás.” Depois de desertar, Kajabier fugiu do Sudão e passou a denunciar o governo. “Meu povo está sofrendo e eu quero uma resposta do mundo”, disse. Depoisdoataque deabril,Kajabier disse ter-se recusado a participar de novas ofensivas. Comocastigo pela insubordinação, foi torturado. Ele diz que é impossível precisar o número de vítimas desses ataques, mas conta que, em alguns dos vilarejos, havia maisde 500 casas.SegundoKajabier, os vilarejos de Ber Tawilae Sani Koro, em Darfur, estão abandonadas até hoje. PESADELOS

A violência contra civis não era cometida apenas pelas forças do governo, mas também pela milícia janjaweed (“diabo montado no cavalo”, em árabe), apoiada por Cartum. “Nós cercávamos os vilarejos e os janjaweed vinham logo atrás, em camelos e a cavalo, e caçavam os que fingiam estar dormindo depois de nosso ataque”, contou Kajabier. “Nós começávamos queimando as cabanas, uma por uma. Depois, atirávamos.Poucas pessoas escapavam.” O militar desertor afirma que até hoje tem pesadelos com os ataques lançados em Darfur. Kajabier também diz que só consegue dormir sob efeito de medicamentos. Segundo ele, as imagens mais difíceis de ser esquecidas sãosasqueenvolvemcrimes sexuais contra crianças. “Isso ficará comigo para sempre”, dis-

ATAQUES

Kajabier Militar desertor “Começávamos queimando as cabanas, uma por uma. Cercávamos os vilarejos e os janjaweed vinham logo atrás, em camelos e a cavalo, e caçavam os que fingiam estar dormindo depois do nosso ataque”

se Kajabier. Estima-seque 300mil pessoas morreram e 2,7 milhões foram obrigadas a deixar suas casas desde o início do conflito na região do Darfur, em 2003. Organizações de defesa dos direitos humanos acusam o governo sudanês de ter apoiado as milícias que cometeram crimes contra a humanidade e crimes de guerra em larga escala durante o conflito de Darfur. OcasodeDarfuréumreflexo recente das inúmeras guerras civis, golpes de Estado e revoltas populares que têmdominado oSudãodesde os anos 50. Além de disputas étnicas e tribais, o conflito atual também é influenciado pela luta pelo acesso à água. Mesmo antes de 2003, os janjaweeds, tribos nômades de Darfur, já vinham invadindo propriedades na região que tinham maior acesso à água e melhores pastos. ● REUTERS e THE GUARDIAN

Confira o histórico dos conflitos no Sudão, em 50 anos de guerras civis

www.estadao.com.br/e/a14

Palestino faz ataque com retroescavadeira Um palestino dirigindo uma retroescavadeira levantou ontem um carro da polícia e jogou-o contra um ônibus em Jerusalém (foto). Os dois policiais que estavam no carro sofreram ferimentos leves. O palestino que lançou o ataque foi alvejado e morto em seguida. Como o ônibus estava vazio, ninguém mais ficou ferido. Esse foi o terceiro incidente do gênero no último ano. O portavoz da polícia, Micky Rosenfeld, identificou o palestino como Mar’i al-Rdaidah, de 26 anos, morador de Jerusalém Oriental. Ainda não se sabe se Al-Rdaidah era membro de algum grupo terrorista. Segundo o governo de Israel, foi encontrada dentro da retroescavadeira uma cópia do Alcorão. GUERRA SEM FIM

Atentado mata 13 e fere 57 no Iraque Um atentado com uma caminhonete-bomba deixou pelo menos 13 mortos e 57 feridos ontem em um mercado nas proximidades da cidade iraquiana de Hillah, ao sul de Bagdá. O ataque ocorreu em um dos dias mais movimentados do comércio local. O mercado onde ocorreu a explosão foi palco de vários atentados terroristas após a invasão americana no Iraque em março de 2003. No momento do atentado, comerciantes estavam reunidos para vender gado e outros animais. De acordo com fontes policiais e hospitalares, a maioria dos mortos é de civis e muitos dos feridos estão em estado grave. Elas alertam que o número de mortos pode aumentar.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 18 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A18 -

%HermesFileInfo:A-18:20090306:

A18

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

VIDA&

Seca faz Amazônia se tornar emissora de CO2

Em 1.ª votação, Unesp faz mudanças no vestibular

Se forte estiagem for frequente, floresta pode se tornar fonte permanente de emissão q PÁG.A18

Prova seria feita em 2 fases, em novembro e dezembro, e divisão por disciplinas cairia q PÁG.A18

POLÊMICA

Equipe que fez aborto em menina de 9 anos e a mãe são excomungadas Garota tinha sido estuprada pelo padrasto; por interferência de arcebispo, ela teve de ser transferida de hospital CLEMILSON CAMPOS/JC IMAGEM

REPERCUSSÃO

Angela Lacerda RECIFE

Depois do aborto a que foi submetidaumameninade9anosestuprada pelo padrasto e grávida degêmeos,todaaequipemédica que participou do procedimento e a mãe da criança, que o autorizou, foram excomungadas da Igreja Católica. O anúncio da excomunhão, feito pelo arcebispo deOlindaeRecife,d.JoséCardoso Sobrinho, provocou polêmica.DoisministrosdeEstadofizeram críticas à atitude do religioso. José Gomes Temporão, titular da Saúde, considerou a excomunhão “lamentável”. Carlos Minc, do Meio Ambiente, declarou que estava “revoltado”. Profissionais de saúde que viraramalvodasançãoeclesiástica disseramontemquenãoestãoarrependidos. “Graças a Deus estou no rol dos excomungados”, disse a diretora do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), Fátima Maia. Católica, eladisse ter agidocomodiretoradeuminstitutodereferêncianoEstadoparaatendimentoà mulher vítima de violência sexual, mas pessoalmente também não tem nenhum arrependimento. “Abomino a violência e teria feito tudo novamente. O Cisam fez e vai continuar fazendo, estamos qualificados para esse tipo de atendimento há 16 anos.” Católicodebatismo,nãopraticante, o gerente médico do Cisam, Sérgio Cabral, um dos que participaram da interrupção da gravidez de 15 semanas da criança,frisou não ter nenhumproblema de consciência. “Estou cumprindo um trabalhoperante a população pobre de Pernambuco que só tem o Sistema Único de Saúde para resolver seus problemas.” O médico preferiu não comentar a excomunhão da Igreja. CoordenadoradoGrupoCurumim,umaONGquetrabalhacom reprodução feminina e integra o Fórum de Mulheres de Pernambuco,PaulaVianacriticouaberta-

D. José Cardoso Arcebispo do Recife “O padrasto cometeu um delito gravíssimo, mas, de acordo com o Direito Canônico, não é passível de excomunhão automática. O aborto é mais grave ainda”

José Gomes Temporão Ministro da Saúde “Está na lei. Em caso de risco de vida da gestante ou gravidez resultado de estupro, o aborto pode ser permitido. O resto é opinião da Igreja”

Carlos Minc Ministro do Meio Ambiente “Essa menina já teve um trauma grande. A Igreja, em vez de ajudar, criou uma questão a mais. É a criminalização da vítima”

Fátima Maia Diretora do Centro de Saúde “Graças a Deus estou no rol dos excomungados”

D. Antônio Dias Duarte Bispo auxiliar do Rio “A Igreja é tão misericordiosa que a excomunhão não se aplica a quem afirmar que não conhecia essa lei do Direito Canônico” EXCLUSÃO AUTOMÁTICA – Para d. José Cardoso, arcebispo de Olinda e Recife, crime de estupro é ‘gravíssimo’, mas aborto é mais grave ainda

CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO X CÓDIGO PENAL O que diz o Direito Canônico ● Quem provoca aborto incorre em excomunhão automática, não podendo receber sacramentos (eucaristia e crisma, por exemplo) até a sanção ser levantada

● A mulher poderá não incorrer

em excomunhão por se encontrar em situações atenuantes – ser criança, estar sob forte perturbação emocional, atuar sob coação ou desconhecimento não culpável da gravidade do ato

● Bispos têm autoridade para reti-

“Soucatólicaemesintoexcomungada com muito orgulho”, diz a coordenadora da ONG SOS Corpo,TacianaGouveia.Comoela,logo após o anúncio da excomunhão,pessoasligadasamovimentosfeministasedelutapelosdireitosreprodutivosreagiram.“D.José está de costas para a realidade há muito”, diz Taciana. “Esse caso é um retrato da miséria brasileira em todos os sentidos.” Segundo o bispo auxiliar do RiodeJaneiro,d.AntônioAugusto Dias Duarte, a repercussão do caso criou um mal-entendido so-

O que diz o Código Penal ● Não pune o aborto praticado por

rar a excomunhão. Em muitas dioceses, padres também podem

● A Igreja Católica incluiu o aborto

provocado no rol dos pecados que

médico em caso de risco de vida para a mãe ou estupro

mente o arcebispo. “Assusta achar que a vida de uma menina vale menos que o pensamento de um religioso fundamentalista”, disse. “Todos os procedimentos

foramfeitoscombasenalei”,lembrou,referindo-seaoestuproeao risco de vida que a menina corria pelaimaturidadedeseuaparelho reprodutivo. De acordo com a di-

retora do Cisam, a criança poderiaterrupturadeútero,hemorragia e bebês prematuros, além de risco de diabete, hipertensão, eclâmpsia e de se tornar estéril.

‘Esse caso é um retrato da miséria brasileira’, diz diretora de ONG Emilio Sant’Anna

implicam excomunhão automática por entender que é um crime contra a vida especialmente grave, pois atenta contra um ser humano indefeso

breoprocesso.Emcasosdeaborto, explica que a sanção é imediata, mas não significa que essas pessoas serão punidas. “Ao contrário do Código Penal e Civil, no Direito Canônico a ignorância da lei não é punida.” Segundo ele, os familiares e médicos que auxiliaram no aborto serão chamados pelaIgrejae,sedisseremque não tinham conhecimento da lei eclesiástica, não serão punidos. Ontem,a menina passou a manhã brincando com bonecas. Ela não sabe que engravidou nem quesofreuaborto,segundoadiretorado Cisam,Fátima Maia. “Ela achava que tinha verme”, disse.

CPI DA PEDOFILIA

O deputado paraense Luiz Sefer (DEM)disseontemnaCPIdaPedofilia, do Senado, ter sido vítima de “armação” de uma criança, S.B.G, que dos 9 aos 13 anos morou na casa dele e o acusa de abuso sexual. “Essa menina sofria desvio de conduta, não era mais virgem, não queria estudar e era mentirosa contumaz”, afirmou Sefer. E acusou a menina de ter mantido relações sexuais com ummenorde 5 anos, netode uma empregada dele, contaminando-o com doença venérea. OsenadorMagnoMaltaapontoucontradiçõesquantoàguarda

damenoreàs acusaçõesfeitas contra ela. “Estamos falando de uma criança, mas o sr. pintou a garota como uma bandida,umamarginal”,atacouosenador José Nery (PSOL-PA). Duasoutrascrianças,trazidas do interior do Pará, também moraram com o deputado, mas ele disse que ambas não conseguiram se adaptar. J., uma delas, disse ter ficado grávidadeSeferaumadelegada, mas negou a acusação em depoimento. Ele disse que deu dinheiro à garota e cuidou da saúde da mãe dela. João Carlos Carepa, irmão da governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, ingressou com pedido de habeas-corpus para nãodepor.Éacusadodemolestarumagarotade11anos, filha de prima da mulher dele. ●

A gravidez da menina, que mora em Alagoinha (227 km do Recife), foi descoberta no último dia 25. Ela sentia dores na barriga, tonturas e enjoos e foi levada pela mãe,de 39 anos,a umaclínica na cidade vizinha de Pesqueira. No dia seguinte, o padrasto, de23anos,foi presoapósconfessar que abusava da menina havia três anos e também tinha estuprado a irmã mais velha, de 14 anos, que tem deficiência física. AmeninafoilevadaparaoInstitutoMaternoInfantildePernambuco (Imip), na capital, onde seria submetida ao aborto. D. José interveio,faloucomadireçãoeconseguiu que oinstituto suspendes-

se o procedimento. A paciente foi então transferida para o Cisam. Hádoisanos,d.Joségeroupolêmica ao tratar da distribuição dapíluladodiaseguintenocarnaval,alegandoqueométodoéabortivo,enãocontraceptivo.Aarquidiocesepediu a suspensão dadistribuição, mas não teve sucesso. RIO GRANDE DO SUL

Uma menina de 11 anos grávida do pai adotivo está internada em um hospital em Tenente Portela (RS).Agestaçãocompletou7meses. A polícia pediu a prisão preventivadopaiadotivo,umpedreiro de 51 anos. ● COLABORARAM SOLANGE SPIGLIATTI E LÍGIA FORMENTI

ENTREVISTA

D. José Cardoso Sobrinho: arcebispo

‘O que ocorre com os abortos é um holocausto silencioso’ D. José Cardoso Sobrinho destaca não ter o poder de excomungar, porque a penalidade é automática. No entanto, defende a posição.

mundo inteiro condenam o Holocausto que matou 6 milhões de judeus. O que ocorre (com os abortos) é um holocausto silencioso.

Por que a excomunhão não pode ser ampliada para o padrasto? O padrasto cometeu um delito gravíssimo, mas tal delito, de acordo com o Direito Canônico, não é passível de excomunhão automática. O aborto é mais grave ainda.

Há perdão para excomungados? Não existe pecado sem perdão.

O que o levou a divulgar a excomunhão neste caso? É um caso concreto. A Igreja e o

Como o sr. responde às críticas, inclusive do ministro da Saúde? Se o ministro ou outra pessoa possa ter entendimento diferente da Igreja e acha que é lícito suprimir a vida de um inocente para salvar a vida de outra pessoa, a Igreja diz não. Não é lícito. ● A.L.

COLABOROU CARLOS MENDES

EmFoco AMBIENTE

ESPAÇO

A partir de junho, País banirá 13 agrotóxicos

Sonda Kepler parte em busca de ‘Terras’

Treze agrotóxicos – oito deles já proibidos pela União Europeia – deverão ser banidos do País a partir de junho, afirmaram ontem os ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Saúde, José Gomes Temporão. Os 13 agrotóxicos são usados na fabricação de 130 produtos. Na lista estão herbicidas, fungicidas e inseticidas.

A Nasa (agência espacial dos Estados Unidos) confirmou para o início da madrugada de amanhã o lançamento da sonda Kepler, que por três anos e meio vai explorar o espaço em busca de planetas com condições semelhantes às da Terra de abrigar vida. A partida de Cabo Canaveral, no Estado da Flórida, está prevista para as 0h49 de amanhã. ● EFE

AFP

DOIS CORAÇÕES

ração foi colocado no lado direito do peito e se liga ao órgão original pela veia cava e artérias O paciente de 53 anos que paspulmonar e aorta. Segundo o sou a viver com dois corações cirurgião cardíaco Alfredo Fioapós um transplante incomum relli, responsável pelo transplanrealizado no Instituto do Coração te, o homem segue em estado (Incor), anteontem, continua em crítico, porém estável. “Esse não estado grave e – segundo os médi- é um tipo de transplante de roticos – tem 50% de chances de na, é uma situação de exceção”, sobreviver. Na quarta-feira, o pa- diz o médico. “Ele continua em ciente recebeu um novo órgão estado grave e as próximas 72 para auxiliar o coração “antigo” a horas serão fundamentais para exercer sua função. O “novo” co- avaliar sua recuperação.”

Paciente tem 50% de chance de sobreviver

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 19 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

A19 -

%HermesFileInfo:A-19:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

VIDA& A19 VIDA& A19

CLIMA

ENSINO SUPERIOR

Seca transforma floresta em fonte de gás carbônico

Unesp aprova mudanças no vestibular

Estudo de campo na Amazônia mostra que mais árvores morreram na estiagem de 2005; emissão de CO2 foi igual à de combustíveis nos EUA

Para vigorar, medida ainda tem de passar pelo Conselho de Ensino

PETER VAN DER STEEN/DIVULGAÇÃO

Renata Cafardo

EVAPOTRANSPIRAÇÃO – Floresta amanhece coberta de névoa na Amazônia; ciclos de carbono e água estão intimamente ligados nos trópicos

Herton Escobar

Asecade2005,quefezdesaparecer rios inteiros na Amazônia, tambémmatoumilhões deárvores de sede, desencadeando umaliberaçãodebilhõesdetoneladas de gás carbônico paraa atmosfera,segundoumestudopublicado hoje na revista Science. Comisso,aflorestainverteumomentaneamente seu papel: em vez de absorver, passou a emitir dióxidode carbono(CO2),oprincipal gás envolvido no aquecimento global. Se secas como essa tornarem-se mais frequentes no futuro – como preveem váriosmodelosclimáticos–,aAmazônia poderá se transformar em uma fonte permanente de emissão, alertam os cientistas. A seca de 2005 foi uma das mais intensas dos últimos cem anos na Amazônia, causada por um aquecimento das águas do Atlântico Norte. O estudo, que envolveucientistasde41instituições em 15 países (incluindo vários brasileiros), é o primeiro a calcular o impacto da estiagem sobre o balanço de carbono da floresta, por meio de medições diretas no campo. Os pesquisa-

EM LONDRES

Michael Jackson anuncia últimos shows

dores mediram a variação no crescimento da vegetação e no número de árvores mortas em 55 pontos da Amazônia, comparado à média dos últimos 25 anos.Descobriramque,porcausa da seca, mais árvores morreram e aquelas que ficaram vivas cresceram mais devagar. O impacto disso tudo – a somadocarbonoque deixoudeser absorvido pelo crescimento reduzido, mais o carbono liberado pela decomposição das árvores mortas – será um acréscimo de aproximadamente 5,5 bilhões de toneladas de CO2 na atmosfera, segundo o autor principal do trabalho, Oliver Phillips. É quase o mesmo que os Estados Unidos emitiram pela queima de combustíveis fósseis naquele ano (5,75 bilhões de toneladas). Até 2005, na média dos 25 anos anteriores – desde que medições periódicas começaram a ser feitas pela Rede Amazônica de Inventários Florestais (Rainfor),responsável peloestudo –,a Amazônia funcionou como um sorvedouro de carbono, retirando da atmosfera cerca de 1,65 bilhão de toneladas de CO2 por ano. Os cientistas medem isso

MEMÓRIA

Barrosinho, da Banda Black Rio, morre aos 65 anos

STEFAN WERMUTH/REUTERS

RIO

REAPARIÇÃO – Poucas palavras LONDRES

Michael Jackson, o autointitulado “rei do pop”, anunciou ontem, diante da imprensa mundial e de centenas de fãs na plateia, que fará suas últimas apresentações na capital inglesa. Serão pelo menos dez shows, a partir de 8 de julho, na O2 Arena, um estádio com capacidade para 20 mil pessoas. “Essas serão minhas últimas apresentações em Londres”, disse o artista de 50 anos. “Cantarei as canções que os fãs querem ouvir.” Jackson também afirmou que “essa é a última entrada em cena, antes de abaixarem as cortinas”. “Quando digo que isso é tudo, quero dizer que isso é tudo”, ressaltou. ● REUTERS

O trompetista Barrosinho morreuontem, no Rio, aos 65 anos. Estava internado no Hospital Pedro Ernesto havia 20 dias por causa de um problema na perna direita, que começou com uma infecção no tecido subcutâneo e evoluiu para uma trombose. Ele teve falência múltipla dos órgãos durante a madrugada. O corpo foi sepultado ontem mesmo no cemitério São João Batista. José Carlos Barroso foi um dos fundadores, na décadade 70,da Banda BlackRio, grupo carioca de soul music que fez enorme sucesso por “abrasileirar” o gênero, por meiodamistura deritmosdiversos. O músico era natural de Campos, no norte fluminense, e veio para o Rio tocar em big bands nos anos 60. Ele era multi-instrumentista e dava aulas de trompete, guitarra, teclado, flauta e saxofone. Barroso lançou seu último disco no fim de 2007, o elogiado Praça dos Músicos – 20 anos de Maracatamba. Barrosinho definia sua maracatamba como “um espaço aberto para a expressãomusical maislivre”,e não uma mera mistura de maracatu com samba. Seu último show foi em julho de 2008. ● ROBERTA PENNAFORT

via acréscimo de biomassa, o que significa que a floresta “engordou” durante esse período, ao ritmo de quase uma tonelada porhectare/ano.Masasecafuncionou como um ano de regime forçado, em que a floresta perdeu mais “calorias” (moléculas de carbono) do que consumiu. A área mais afetada foi o sudoeste da Amazônia, na região do Acre. O principal problema foi a mortalidade elevada de árvores. Ainda assim, alguém que caminhasse pelas florestas dificilmente notaria a diferença.

Árvores que mais sofreram foram as espécies menores, menos resistentes “Visualmente, o impacto é muitosutil”,disse Phillipsao Estado. “Por causa do tamanho da Amazônia, porém, mesmo um impacto pequeno na vegetação pode ter um impacto grande no balançodecarbono”,completou o cientista, da Universidade de Leeds, Inglaterra. O carbono é

ingrediente básico da matériaorgânica.Quando afloresta ganha biomassa (engorda), ela acumula carbono. Quando perde biomassa (emagrece), perde carbono. Os cientistas ressaltam que a emissão das árvores mortas não é instantânea. “Esse carbono não vai direto para a atmosfera”, explica o biólogo brasileiro Luiz Aragão, da Universidade de Oxford. “A árvore morre, entra em decomposição e o carbono é liberado aolongo do tempo.” Segundo ele, poderá levar até uma década para que o impacto total da seca seja “sentido” na atmosfera. Ainda é possível que a floresta recupere esse carbono “perdido”, se houver um acréscimo de biomassa nos próximos anos. Mas isso não altera a mensagem principal do estudo: de que condições de seca podem inverter o papel da floresta no balanço de carbono. Segundo os cientistas, 2005 foi uma amostra de como a Amazônia poderá se comportar num clima mais seco e quente no futuro. ●

AUniversidadeEstadualPaulista (Unesp) aprovou ontem, em primeira votação, mudanças no seu vestibular a partir deste ano. A prova passará a ser feita em duas fases, uma em novembro e outra em dezembro. Além disso, as questões deixarão de ser divididasemmatérias,valorizandoa interdisciplinaridade, tendência registrada também na Fuvest. Segundo o documento aprovado pela Câmara Central de GraduaçãodaUnesp,asprovas– tanto da primeira fase como da nova segunda fase – serão divididasemtrês“conjuntosnucleadores”.Odocumentosegueparavotação,quedeveocorrernaspróximas duas semanas, no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. OprimeiroconjuntoseráLinguagens,CódigosesuasTecnologias,queabrangeasáreasdeportuguês, língua estrangeira, educação física, arte e informática. O segundo se chamará Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias, com questões de matemática,física,químicaebiologia. O último bloco, Ciências HumanasesuasTecnologias,incluirá as tradicionais história e geografia, mas terá ainda sociologia,antropologia,políticaefilosofia, disciplinas normalmente não cobradas nos vestibulares. “São áreas que já fazem parte do currículodoensinomédio,porisso têm de estar na prova também”, disse ao Estado a pró-reitora de Graduação da Unesp, Sheila Zambello de Pinho. A Unesp é única entre as universidadesestaduaisdeSãoPaulo que ainda realiza o exame em umasóetapa.Aprovafoifeitano anopassadopor74.976candidatos, que concorreram a 6.374 vagas em 18 cidades do Estado. Atualmente, o vestibular é feito em três dias seguidos, o primeiro com 84 questões de múltipla escolha, o segundo com 25 perguntasdissertativasdeáreasrelacionadas ao curso escolhido e outras 10 somente de português no último dia, além da redação. No novo modelo, a primeira

Movimento pede cotas raciais em protesto na USP A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo foi ocupada no fim da tarde de ontem por cerca de 50 pessoas, integrantes de um recém-lançado movimento pela inclusão do negro no ensino superior. Formado por dissidentes da rede de cursinhos pré-vestibulares Educafro, os manifestantes permaneceram por 75 minutos na instituição, em referência aos 75 anos da fundação da USP. Em seguida, ocuparam uma parte da Avenida Doutor Arnaldo, seguindo em direção à Avenida Paulista e ao vão do Masp. Eles pedem que a USP adote cotas raciais no vestibular. ●

●● ●

fase terá 90 questões. A segunda terá 18 questões de todas as disciplinas (também com a divisão apenas por conjuntos) e a redação. O número de perguntas nas duas fases é o mesmo que a Fuvest pretende adotar neste ano, se for aprovado o documentocommudançasnaprova proposto pela Universidade de São Paulo (USP), como mostrou com exclusividade o Estado na segunda-feira. Segundo Sheila, a criação da segundafasedo exame permitirá que as questões dissertativassejamcorrigidas maiscriteriosamente. Os pontos das duas etapas serão considerados na contabilidade da nota. A coordenadora do Curso e Colégio Objetivo, Vera Lúcia da CostaAntunes,aprovaasalterações. “A proposta da Unesp segueatendênciadoExameNacional do Ensino Médio e de outros vestibulares que privilegiam a capacidade de leitura e de relacionar conhecimentos”, afirma. “Issoéótimo.Fazcomqueoensino médio tenha mais cuidado na formaçãointerdisciplinarecrítica dos alunos.” ● COLABOROU ALEXANDRE GONÇALVES

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 1 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B1 -

%HermesFileInfo:B-1:20090306:

O ESTADO DE S. PAULO

B

SEXTA-FEIRA 6 DE MARÇO DE 2009

ECONOMIA ANTONIO MILENA/AE–26/1/2007

MARCIO FERNANDES/AE–29/5/2007

INCLUI CLASSIFICADOS

&NEGÓCIOS

FABRIZIO COSTANTINI/THE NEW YORK TIMES

Sem repasse Estados e municípios são excluídos do plano de habitação

Constitucionalidade Bancos vão ao STF contra correção da poupança

Quase quebrada Nos EUA, GM admite que pode pedir concordata

q PÁG. B4

q PÁG. B7

q PÁG. B15

INFRAESTRUTURA

Governo engaveta proposta de privatização dos aeroportos do País Apesar da decisão, ministro Nelson Jobim admite que concessões de Viracopos e Galeão possam sair este ano SERGIO DUTTI/AE

Tânia Monteiro Isabel Sobral BRASÍLIA

O governo abandonou a promessa de privatização da Infraeroe dosaeroportosbrasileiros. Sinais da mudança de rumo foram dados ontem na cerimônia de anúncio de contratação de uma consultoria, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES),pararealizarestudostécnicosparareestruturaçãodaInfraero – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária. Porém, horas antes, em entrevista, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, ainda admitia a possibilidade de que possa haver concessão de aeroportos para a iniciativa privada. Há dois anos, a abertura de capital da Infraero vem sendo

7 8 9 10 11 12

discutida.Aprevisão deconclusãodos estudos émaio do próximoano,quando acampanhapela sucessão no Planalto estará nasruas–períodoemquedificilmenteumassuntocomoprivatização iria adiante. Com isso, estaria adiada também a ideia de concessões dos aeroportos de Viracopos, em Campinas, e Galeão, no Rio, como havia anunciado Jobim e pressionava o governador do Rio, Sérgio Cabral. Também está fora da discussão,porora,aconstruçãodoterceiro aeroporto de São Paulo. Ao ser indagado ontem se a privatização dos aeroportos vai ocorrer ainda este ano, Jobim respondeu:“Creioquesim, porque as informações que eu tenho é de que a formatação dessas concessões de aeroportos está sendo definida pela Anac (Agência Nacional da Aviação

Civil)”. Segundo Jobim, ainda existemproblemasjurídicospara as concessões porque alguns dos aeroportos operados pela Infraero, na verdade, não pertencem à empresa. Também em entrevista, o presidente da Infraero, brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva, assegurou que “não haverá privatização” da empresa. “O que se está pensando é na abertura de capital” – mas, ressalvou, “num futuro, mais a longo prazo”. O brigadeiro acentuou que a Infraero tem capacidade de administrar os 67 aeroportos doPaís“com amaiorcompetência” porque é “uma das mais eficientes empresas de administração de aeroportos do mundo”. Disse ainda que “o desejo da Infraero é se transformar em empresa de economia mista, nos padrões mais modernos

de governança corporativa”. SegundoopresidentedaInfraero, a concessão de aeroportos à iniciativa privada “não está decidida”. E emendou: “Ela apenas foi sugerida pelo comitê de desestatização”. O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, atribuiu à crise mundial a mudança da posição do governo. Ele acrescentou que a situação de mercado de capitais mudou de forma dramática desde setembro do ano passado, e por isso é difícil fazer um prognóstico sobre a emissão de ações da empresa. “O que temos de fazer agora é trabalhar para aperfeiçoar ao máximo e fortalecer a estrutura, a eficiênciaagestãoea governança da Infraero, para prepará-la para o momento oportuno.” ● TAXATIVO – ‘Não haverá privatização’, diz Cleonilson Nicácio, da Infraero

† Mais informações, pág. B3

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 2 - 06/03/09

B2 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-2:20090306:

B2 ECONOMIA

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

CELSO MING celso.ming@grupoestado.com.br

Quem pode e quem não pode EVARISTO SA/AFP–3/3/2009

presidente Lula tem uma política truncada e seletiva em pelo menosduasáreas:no comércio exterior e na chamada política industrial. Nesta crise, com toda razão, o presidente Lula assumiu um discursofortecontraoprotecionismo comercial que vai tomandocorpoemtodomundo.Nareunião de cúpula do Grupo dos 20 (G-20), realizada em novembro, Lula conseguiu arrancar dos chefes de Estado um consenso emtornodaretomada,aindaem 2008, das negociações da RodadaDohapelaliberaçãodocomércio. A iniciativa não foi adiante até por falta de tempo para isso; os governantes dos países ricos estavam mais empenhados em apagar incêndios. Depois disso, coerente com a

O

posição assumida, Lula passou a investir contra o protecionismo dos países ricos, a começar pelodosEstadosUnidos,queseguem barrando a entrada de produtos brasileiros em seu mercado. Ainda ontem, na reuniãodoConselhode Desenvolvimento Econômico e Social, o presidente não poupou muniçãocontraoquechamoude“vale tudo protecionista”. Mas, na prática, a teoria é outraseoprotecionismovierdaArgentina. Eles podem tudo contra o produto brasileiro. Podem imporbarreirasnão-tarifárias;epodem abrir à vontade processos dedumpingcontraprodutosbrasileiros, como acaba de acontecer com o setor de cutelaria. E, agora, os argentinos também não vêm encontrando resistência significativa no Itamaraty

Econômicas

LULA – Seletividade

quandopreparamlegislaçãoque vaiimporcotas(limitesquantitativos) na entrada de aparelhos domésticos, calçados e têxteis. Enquanto isso, o produto asiáticodeitaerolanocomércioargentino, sem o produto brasileiro. Fácilentenderqueessaseletividade incompreensível desmoraliza não só o discurso antiprotecionista do presidente Lula;

desmoraliza qualquer atitude prática. Com que força o governo brasileiro poderá prosseguir com suas denúncias na OMC ou fora dela contra as práticas desleaisdospaísesricosseamesma regra não vale para vizinhos? Empolíticaindustrialacontece algo parecido. A indústria automobilística–tãoqueridapelos sindicalistas brasileiros porque foi lá que as coisas começaram – tem tudo ou quase tudo o que quer:recursosgenerososdoBNDES; financiamento especial do Banco do Brasil nas vendas ao consumidor; crédito de ICMS de alguns governos estaduais; e o corte de IPI, que ao final de março tem uma probabilidade de 50% de ser renovado, conformegaranteoministrodoDesenvolvimento, Miguel Jorge. E, no entanto, as montadoras

americanas que operam no Brasil estiveram entre as empresas estrangeiras que mais remeteramrecursosparasuasmatrizes emDetroitpara reforçarseucaixa. O governo Lula parece ignorar que esses favores pouco ou quasenadavêmcontribuindopara defender o emprego no Brasil. Ajudam,sim,aadiaropiorparao setor lá nos Estados Unidos. Convém pontuar: não há nada de especialmente errado em ser seletivo em política industrial. Ao contrário, a seletividade é inerente a toda política industrial. No entanto, fica difícil entenderoscritériosdessaseletividade montada para garantir o emprego, ante a maior vulnerabilidade de outros setores da economia, caso da pequena e média empresa, do setor de calçados e de produtos têxteis. ●

Confira AFUNDANDO Cotações das ações do Citigroup EM DÓLARES 60

53,01

18/DEZ./06

50 40 30

1,02

20

ONTEM

10 0

2007

2008

FONTE: BROADCAST

2009 INFOGRÁFICO/AE

Perto do pó – As ações do Citigroup fecharam ontem na Bolsa de Nova York a US$ 1,02. Mas chegaram a ser negociadas a US$ 0,97. Em pouco mais de dois anos valiam US$ 53. Lembra-te, banco, que és pó e em pó te hás de tornar.

Opinião

IMPACIÊNCIA ARGENTINA

Reação do Brasil a protecionismo irrita Cristina ● A ameaça brasileira de denunciar a Argentina à Organização Mundial de Comércio (OMC) por protecionismo provoca insatisfação no governo e entre empresários e trabalhadores argentinos. Por causa desse malestar, a presidente Cristina Kirchner pode até cancelar a viagem a São Paulo agendada pa-

ra o dia 20, a convite da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), onde também se encontraria com o presidente Lula. A presidente, seus ministros e funcionários da área comercial estão irritados com as acusações do Itamaraty e do Ministério do Desenvolvimento sobre o protecionismo argentino.

TRIBUTOS

À DERIVA

Governo pode vetar MP com Mega Refis

20%

● O ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse que o governo usará seu poder de veto se o Congresso alterar a MP 449. O relator Tadeu Filippelli (PMDB-DF) criou no seu parecer um Mega Refis ao permitir o parcelamento de débitos tributários em até 20 anos com direito a redução de multas, encargos e juros. O projeto original do governo só previa parcelar dívidas de pequeno valor em até 60 meses.

54%

Foia forte queda da produção industrialda Espanha em janeiro em relação ao mesmo mês do ano anterior. Emdezembro, a queda foi de 20% e em novembro, 15%

Foiquanto despencou a produção de carros em janeiro. A queda na demanda global atingiu em cheio o setor automobilístico, um dos principais exportadores da Espanha

“A política comercial do Brasil tem sido prejudicada pelas divergências com a Argentina, quer seja na Rodada Doha ou nos acordos bilaterais”

●●●

Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína

VAREJO

ENERGIA RENOVÁVEL

Comércio recua 3,8% em janeiro

Bird libera US$ 1,3 bi para projetos no País

● Pelo quarto mês consecutivo, o faturamento real do comércio varejista em janeiro caiu em relação ao mesmo período de 2008 na região Metropolitana de São Paulo. O recuo foi de 3,8% na comparação com janeiro do ano passado, segundo a Federação do Comércio do Estado de São Paulo. Em cinco dos oito segmentos pesquisados houve queda nas vendas. As maiores retrações ocorreram no comércio de móveis (-20%), automóveis (-13%) e eletrodomésticos e eletrônicos(11,1%). As vendas dos supermercados, que respondem por mais de um terço da receita do varejo, cresceram 3,5% no período.

● O Banco Mundial (Bird) aprovou ontem a liberação de US$ 1,3 bilhão para financiar projetos de preservação ambiental no Brasil. A primeira parte do recurso, US$ 800 milhões, será liberada imediatamente. O dinheiro será destinado a planos de conservação de florestas, gerenciamento de recursos hídricos e produção de energia renovável. “O governo brasileiro tem trabalhado para desenvolver e implementar políticas públicas de sustentabilidade que assegurem crescimento econômico sem prejuízo da biodiversidade”, informou o Ministério da Fazenda em nota. Esse é o primeiro de dois empréstimos para a área ambiental ao País.

Entalo argentino Rogério L. Furquim Werneck*

om o agravamento da crise econômica mundial, as exportações de países emergentes estão desabando. Da Ásia à América Latina, a contração da demanda externa,queatingiutantoasexportações de commodities como as de produtos manufaturados mais elaborados, vem impondo sérias dificuldades à condução da política econômica. Na Argentina, o problema vem assumindo proporções dramáticas. À queda da demanda mundial vieram se somar os efeitos adversos da pior seca enfrentada pelopaís em quasemeioséculoe da desastrosa política do governo com relação às exportações. A seca, severa e prolongada, teve impacto devastador sobre as províncias de Buenos Aires, Córdoba, Santa Fé, Entre Ríos, Tucumán,ChacoeFormosa.Teme-sequeacontraçãonaprodução de grãos possa chegar a mais de 25%. No caso do trigo, a cerca de 50%. Combinadacom a forte queda de preços de grãos observadadesdemeadosdoano

C

passado, essa contração deverá imporreduçãosubstancialdareceita de exportações agrícolas do país em 2009. Mas as dificuldades não param por aí. Não obstante a adversidade do quadro, as exportações de grãos continuam sendopesadamentetributadas.Sobre a soja, a retenção fiscal permanece em 35%. Há oito meses, quando o produto chegou a ser cotado a US$ 600 a tonelada, essa retenção, por mais irracional e canhestra que já fosse, aindapodia servistacomoumaforma de confisco dos fartos excedentes gerados pelos produtores mais eficientes de soja. Hoje, com o produto cotado a pouco mais de US$ 300, já não é possível dar à retenção qualquer conotação de taxação da abundância.O que agora se tem é um triste esquema de tributação da penúria, que já tornou inviável a cultura da soja nas regiões mais distantes do porto de Buenos Aires. A manutenção das retenções fiscais em condições tão adversas e a constatação de que parte substancial da produção de grãos vem sendo estocada, e não exportada, fizeram recrudescer mais uma vez a tensão nas relações entre o governo e os produtoresrurais.Há poucos dias,com ocampo argentino novamente à beira da conflagra-

ção, a grande especulação dos jornais de Buenos Aires era se o governo de fato levaria adiante a ameaça de estatizar o comércio exterior de grãos. O que se temia era a recriação de um órgãosimilaraovelhoIapi(Instituto Argentino para la Promoción delIntercambio),ummonstrengo peronista do pós-guerra, que centralizava a aquisição de produtos agropecuários exportáveis, assegurava que tais produtos tivessem preços internos e externos diferentes, determinava os “excedentes exportáveis” e administrava a extração fiscal sobre exportações. Na terça-feira, em reunião com representantes do setor agropecuário, o governo adotou postura mais conciliatória e deu mostras de que, pelo menos por agora, teria abandonado a ideia deestatizaçãodocomércioexterior. Mas o simples fato de que essa ideia estapafúrdia esteja sendo séria e intensamente debatida na mídia argentina dá a exata medida do grau de descalabro que atingiu a gestão da política econômica no país. Oqueagorasediscute éoque terá feito o governo recuar. O que se aventa é que, a seis meses das eleições legislativas, o casal Kirchnerconstatouqueoacirramento do conflito com o campo poderia pôr em risco a precária e minguante maioria que agora

temnoCongresso,especialmentenoSenado,ondesuperaaoposição por apenas três cadeiras. Mas os gestos conciliadores estão longe de configurar mudança da política com relação às exportações.Tendoemvistaadelicadeza do quadro fiscal, que combina perda de arrecadação, expansão desmesurada do dispêndio público e dificuldade de emissãodedívida,ogovernoalega não ter condições de abrir mão da receita proveniente da tributação das exportações. O que se vislumbra, portanto, é que o fantástico potencial daeconomiaargentinacomobase exportadora de produtos agropecuários permaneça entravado por políticas equivocadas, exatamente quando poderia estar sendo mobilizado para atenuar o impacto que a crise mundial vem tendo sobre o país. Eébomteremmentequeasdificuldades não estão restritas às exportações de grãos. É triste que esteja sendo prognosticado que, ao fim de seus dois governos,ocasalKirchnerteráconseguido o prodígio de converter a Argentinanumpaísimportador de carne. ●

*Rogério L. Furquim Werneck, economista, doutor pela Universidade Harvard, é professor titular do Departamento de Economia da PUC-Rio

Os dilemas para o equilíbrio financeiro resultado do Tesouro em janeiro indicou as dificuldades que o governo terá para fechar o ano com superávit primário de 3,8% do PIB. Não se sabe como evoluirá a receita, que já apresentou forte queda no primeiro mês,as medidas anticíclicas aumentam as despesas e, finalmente, não se pode estimar o valor do PIB em 2009, de modo que também não se conhece a relação Dívida/PIB. Pode-se, pois, entender a preocupação do governo, que anteontem promoveu reunião para avaliar como será possível fechar as contas. Ao que consta, na reunião do presidente da República com os ministros da Fazenda e do

O

Planejamento, foram examinadas diversas soluções para sair doimpasse,semmodificarameta da relação Dívida/PIB, que se pretende manter em 35%: a redução do superávit primário, o adiamento dos reajustes salariais do funcionalismo e a diminuição da taxa Selic. Ao que parece nenhuma delas permitiria voltar ao equilíbrio desejado. O superávit primário de 3,8% ou 3,3% do PIB pode ser reduzido, usando a queda já autorizada de 0,5% do PIB para o Plano Piloto de Investimentos (PPI), e poderia ser ainda menor, algo em torno de 2% do PIB. Mas não

se pode esquecer que o objetivo do superávit primário é pagar uma parte dos juros vencendo em 2009. Se não são pagos, são acrescidos à dívida interna, que então cresce mesmo sem a emissão de títulos – ou seja, a redução do superávit primário aumenta a dívida. Uma outra solução seria adiar os aumentos salariais e as despesas de reestruturação de carreiras, que somam cerca de R$ 28 bilhões no ano. Isso seria contrário à legislação em vigor e exigiria, provavelmente, a edição de uma medida provisória, cuja aprovação seria problemática,especialmentele-

vando em conta que parte dessa despesa já foi realizada. Uma terceira solução seria reduzir a taxa Selic, o que depende de decisão do Comitê de Política Monetária. Um trabalho do Ipea calcula que uma redução da média anual da taxa Selic para 10,32% representaria economia de R$ 26,3 bilhões aoTesouro,partindodo pressuposto de que com essa redução os investidores continuariam comprando títulos prefixados, o que não é seguro... De qualquer maneira, será difícil manter a relação Dívida /PIB em 35%, sem o que, há risco de se perder a confiança dos investidores. A única solução é cortar fundo os gastos, mas Lula considera que essa não é uma resposta para a crise...●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 3 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B3 -

%HermesFileInfo:B-3:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

ECONOMIA B3 ECONOMIA B3

INFRAESTRUTURA

MP questionadecisão daAnacnoRio Inquérito vai apurar efeitos do aumento no número de voos do Aeroporto Santos Dumont, decidido na terça-feira Alberto Komatsu RIO

O Ministério Público (MP) do Estado do Rio instaurou ontem inquérito civil para apurar os efeitos da ampliação de voos no Aeroporto Santos Dumont, com a abertura para voos nacionais decidida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na terça-feira. O inquérito vai apurar se o aumento de tráfego aéreo amplia a poluição sonora e se pode haver impacto viário nas proximidades. “A ampliação do tráfego aéreo no Santos Dumont só será permitida pelo MP se as condições demonstrarem que não haverá prejuízo para a população e para o meio ambiente”,

afirmou o procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes, por meio do comunicado. Ele garante que “o carioca pode ficar tranquilo quanto a possíveis transtornos”. O MP informou que o impacto sonoro e viário vai ser analisado na região central do Rio e em bairros próximos ao aeroporto. O ministério também vai notificar a Anac, a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET-Rio) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e o Instituto Estadual de Meio Ambiente (Inea) para apurar se a licença ambiental do Santos Dumont está realmente vencida, conforme disse o governador do Rio, Sérgio Cabral, após a decisão da Anac.

A polêmica criada em torno do Aeroporto Santos Dumont ganhou ontem novos contornos políticos. O deputado federal Marcelo Itagiba (PMDBRJ) atacou diretamente o governador Sérgio Cabral (também do PMDB). Para ele, a oposição do governo do Rio à abertura do Santos Dumont para voos nacionais esconde interesse pessoal do governador de não atrapalhar a privatização do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim. Itagiba, apesar de pertencer ao mesmo partido político de Cabral, lhe faz oposição no Rio. “A posição do governador é a de um menino mimado. Não é uma posição republicana. Está contrariando os interesses de

quem vem e sai do Rio. Eu sou contra a privatização dos aeroportos do País”, afirmou Itagiba, acrescentando que vai liderar uma corrente contra a privatização do Galeão. Cabral informou que não comentaria uma declaração do ex-secretário de Segurança Pública do governo de Rosinha Matheus (também do PMDB). Namanhã deontem, ogovernador voltou a dizer que a abertura do Santos Dumont vai esvaziar o Galeão, o que prejudicaria a realização da Copa do Mundo de Futebol de 2014 e a candidatura do Rio a sede das Olimpíadas de 2016. Logo após a decisão da Anac, ele ameaçou fazer retaliações, como a não renovação da licença ambien-

FRASES

Cláudio Lopes Procurador-geral de Justiça do Rio “A ampliação do tráfego aéreo no Santos Dumont só será permitida se as condições demonstrarem que não haverá prejuízo para a população e para o meio ambiente” “O carioca pode ficar tranquilo quanto a possíveis transtornos”

tal do aeroporto, vencida há um ano. Outro revés seria o aumento do ICMS cobrado sobre o combustível dos aviões. Na quarta-feira, Cabral

amenizou a discussão e se disse favorável à abertura do Santos Dumont para voos em cidades médias. A Secretaria de Estado do Ambiente informou ontem que deu início à avaliação para definir se haverá a renovação da licença ambiental, conhecida tecnicamente como de instalação. Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) fizeram ontem uma vistoria no Santos Dumont. O dados serão confrontados com a licença de instalação concedida em 2004. Cabral chegou a afirmar que a decisão da Anac foi um favorecimento para a Azul Linhas Aéreas, que quer iniciar voos do Santos Dumont para o Aeroporto Internacional de Viracopos, em abril. ●

GASTOS PÚBLICOS RICARDO STUCKERT/EFE

Lula descarta corte de gastos contra a crise Trabalhador não deve pagar pela crise com arrocho, diz presidente Ribamar Oliveira BRASÍLIA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que a crise financeira internacional não será vencida com o contingenciamento das verbas orçamentárias, com o corte de gastos ou com o corte de salários, mas com ousadia, com investimentos e com disponibilidade de crédito. “Nós não teremos medo de dizer em alto e bom som: tudo o que tem que acontecer nessa crise, não é o presidente da República se trancar em seu gabinete, os ministros resolverem fazer contingenciamento cada vez maior, cada vez gastar menos, cortar salários, em nome de que a gente vai vencer a crise. Não”, afirmou o presidente Lula, durante discurso na abertura de um seminário realizado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). “Nós iremos vencê-la diferentemente de outras crises. Essa é com investimentos, é com ousadia, é com coragem, é disponibilizando crédito.” Lula chegou a dizer aos participantes do seminário – empresários, em sua maioria – que não lhe pedissem “para fazer com que os trabalhadores paguem a crise outra vez, arrochando os salários”.

‘Vale-tudo financeiro não pode virar vale-tudo protecionista’ O presidente afirmou que “agora é a hora da gente aproveitar essa crise para fazer o que nós não tivemos coragem de fazer nos últimos 20 anos”. Lula não chegou a explicitar que coisas seriam essas, mas insinuou que elas envolvem gastos públicos. “Nós não temos problemas de déficit público, pois o País está totalmente equilibrado”, afirmou.

As palavras de Lula mostram que a área econômica está seguindo orientação do presidente quando estuda reduzir o superávit primário de 3,8% para até 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB), conforme o Estado antecipou na quarta-feira. Como a crise derrubou a receita tributária, a área econômica acredita que somente com a redução do superávit primário o governo poderá manter os investimentos públicos e pagar as despesas decorrentes do aumento de 12% do salário mínimo e dos reajustes ao funcionalismo concedidos no ano passado. CONTRADIÇÃO

Em seu discurso no seminário, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi contraditório quando tratou da questão fiscal. Inicialmente, o ministro disse que “se enganam aqueles que acham que iremos enfraquecer a política fiscal”. Segundo Mantega, o governo vai cortar gastos correntes para poder compensar a queda nas receitas derivada da crise econômica. Depois, disse que com o acúmulo de solidez fiscal nos últimos anos, o Brasil pode adotar uma política fiscal anticíclica. O presidente Lula voltou ontem a defender a estatização das instituições bancárias pelos países desenvolvidos, como forma de resolver a crise financeira e restabelecer o crédito internacional. Lula criticou ainda a volta do protecionismo comercial em vários países. “Não podemos passar do vale-tudo financeiro, que jogou o planeta na situação atual, para um vale-tudo protecionista, que certamente nos jogaria numa crise ainda pior do que aquela que resultou na 2ª Guerra”, disse. ● COLABOROU FABIO GRANER

ESTATIZAÇÃO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a empresários que os países ricos devem estatizar os bancos quebrados

Metadesuperávit primário serámantida, diz Mantega Em reunião com empresários, ministro garante que os 3,8% do PIB continuarão a ser o objetivo do governo Renata Veríssimo Adriana Fernandes BRASÍLIA

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,disseontem aum grupo de empresários que pretende manter em 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) a meta de superávit primário (economia para pagamento de juros) para este ano. “O ministro disse que não existe possibilidade de redução do superávit primário”, relatouopresidentedaAssociação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Paulo Godoy, um dos participantes da reunião de Mantega com o Grupo de AcompanhamentodeCrise(GAC),noMinistério da Fazenda. Conforme informou o Estado no início desta semana, o governo estuda a possibilidade de diminuir o superávit primário comoformade manteros investimentos públicos, diante da queda da arrecadação. A decisãodeveseranunciadanopróximo dia 20. Na reunião, o ministro disse ainda, segundo relato

FRASES

Armando Monteiro Neto Presidente da CNI “Em todos os setores, o crédito não chega, ou não chega de maneira suficiente”

José Carlos Martins Vice-presidente da CBIC “Quem mais sofre com a falta de crédito é a pequena e média empresa”

Paulo Godoy Presidente da Abdib “O ministro disse que não existe nenhum debate e nenhuma possibilidade de redução do superávit primário”

dos empresários, que o governo deve anunciar um corte importante nos gastos de custeio. Os cortes virão para ajudar a manter os investimentos públicos, necessários para evitar um aprofundamento da crise econômica. Diante das dificuldades en-

frentadas pelas empresas por causa retração econômica, Mantega prometeu ainda estudar em 48 horas pedido dos empresários para que o cartão do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES), pelo qual pequenas e médias empresas podem tomar até R$ 500 mil, possa ser usado para financiar pagamento de tributos e de insumos, como energia elétrica, por um período de três a quatro meses. O governo vai estudar a viabilidade legal e pode submeter a medida àaprovação do ConselhoMonetário Nacional (CMN).

Ministro promete estudar uso de cartão do BNDES para pagar tributo A exemplo das duas primeirasreuniõesdoGrupode AcompanhamentodaCrise,asdificuldades de acesso ao crédito e o alto custo do dinheiro tomaram

boa parte da reunião realizada ontem no Ministério da Fazenda. “Em todos os setores, o crédito não chega, ou não chega de maneira suficiente”, afirmou o presidente da Confederação Nacionaldaindústria(CNI),Armando Monteiro Neto. Segundo ele, a utilização do cartão do BNDES para pagar impostos ajudaria a manter as empresas adimplentes, além de ser um mecanismo inteligente do ponto de vista da arrecadação. O vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, argumentou que o cartão BNDES é uma forma eficiente e menos burocrática de as empresas, principalmente as micro e pequenas, terem acesso a crédito mais barato, de 1% ao mês. “Quem mais sofre com a falta de crédito é a pequena e média empresa. A grande empresa consegue se defender”, disse Martins. Segundo o presidente da CBIC, o setor da construção tem 100 mil empresas e, desse total, 90% têm até 19 funcionários. O governo também ficou de estudar uma maneira de dar melhor efetividade às linhas de crédito já existentes, como, por exemplo, a do Progeren (Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda), do BNDES. Os empresários reclamaram que os bancos não querem emprestar com recursos do BNDES porque têm juros mais baixos. ●

PB

ESCALAPB Produto: ESTADO - BR_C - 4 - 06/03/09

COR

ESCALACOR

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B4 -

%HermesFileInfo:B-4:20090306:

B4 ECONOMIA

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

IMÓVEIS ANTONIO MILENA/AE–13/6/2007

Estadosnão terãoverba dehabitação doPlanalto Ideia é fazer parceria entre Caixa e construtoras para acelerar processo Vera Rosa Lu Aiko Otta BRASÍLIA

O governo não quer transferir para companhias municipais e estaduaisdehabitação odinheiro a ser destinado ao programa de moradias populares – com lançamento previsto para este mês –, mas enfrenta pressão de governadores e prefeitos. O argumento do Planalto para defender a parceria direta entre a Caixa e a iniciativa privada é que o Programa de Aceleração doCrescimento(PAC)escancarou as dificuldades relativas às obras e não se pode repetir o mesmo erro. O problema é que Estados e municípiostambém queremcapitalizar politicamente o pacote, às vésperas das eleições de 2010. Na avaliação do governo, se o setor público ficar responsável pelas obras, as casas não serão entregues antes de três anos. Motivo: a burocracia exige uma etapa de longos prazos envolvendo desapropriação e compradeterreno,licitaçãopara projetos, licenciamento ambiental e concorrência.

FRASES

Lair Krähenbühl Secretário de Habitação de São Paulo “O programa deve beneficiar todos os atores. Os Estados que já têm projetos prontos e aprovados devem ter a sua cota, já que isso dará mais celeridade ao processo”

Roberto Requião Governador do Paraná “Lula não pode sair licitando casas no País inteiro”

Cálculos da equipe econômica indicam que esse prazo pode cair pela metade se o programa for entregue à iniciativa privada e os Estados ajudarem a respaldar as licenças ambientais. “Nosso objetivo é encurtar as fasesqueesticamoprocessoentre a construção e a entrega das chaves”, disse a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que se reuniu na terça-feira com os governadores José Serra (SP), Aécio Neves (MG), Sérgio Cabral (RJ) e Roberto Requião (PR).

NOVA POLÊMICA - Impasse para fechar pacote habitacional está agora na participação dos Estados

Pacote custará R$ 70 bilhões, diz Mantega

Favorita do presidente Lula para sua própria sucessão, Dilma não vê impasses para o lançamento do programa, embora Serra e Aécio – os dois pré-candidatos do PSDB ao Planalto – tenham algumas divergências: acham, por exemplo, que podemerguer moradiasmaisrapidamente do que as construtoras. Em conversas reservadas, auxiliares de Lula admitem que pode haver algum tipo de concessãopolíticaparaadoçaraboca dos governadores. Serra, Aécio e Requião afirmam ter projetos praticamente prontos. Com esse argumento, juram que as obras podem ser aceleradas se a União transferir o dinheiro para as companhias de habitação. A meta do governo é contratar a construção de 1 milhão de casas popularesaté2010.Oplanoprevêprestações mensais simbólicas, de R$ 15 a R$ 20, para famílias que ganham até três salários mínimos (R$ 1.395) e o mutuário só começará a pagar quando estiver morando no imóvel. “Isso é correto, porque pessoas nessa faixa de renda não conseguem pagar o serviço de moradia”, afirmou o secretário de Habitação de São Paulo, Lair Krähenbühl. Na opinião do secretário, que participa das reuniões com Dilma, o pacote tem muitos méritos, mas ainda precisa de reparos. “O programa deve beneficiar todos os atores. Os Estados que já têm projetos prontos e aprovados devem ter a sua cota, já que isso dará mais celeridade ao processo”, disse. ParaAécio,a propostasósairá do papel se for desburocratizada. “A União precisa ter a generosidade de compartilhar esse esforço com os Estados”, insistiu. “Criar esse plano só será razoável se aproveitarmos a capacidade ociosa das companhiasdehabitação,quetêmprojetos avançados e não possuem recursos para tocar as obras.” Requião, por sua vez, garantiu que tem condições de entregar 100 mil moradias. “Lula não pode sair licitando casas no País inteiro”, provocou. ●

Governo teme ‘gargalo’ na burocracia da Caixa BRASÍLIA

Desse total, cerca de R$ 40 bilhões serão subsídios a famílias pobres BRASÍLIA

O pacote da habitação custará R$ 70 bilhões, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega, segundo relatou um dos participantes da reunião com os empresários que fazem parte do Grupo de Acompanhamento da Crise (GAC). Ele acrescentou que o valor é suficiente para 1,2 milhão de casas e que as medidas deverão ser anunciadas entre 17 e 18 de março. Desse montante, cerca de R$ 40 bilhões deverão ser subsídios, segundo informaram técnicos. Com esse dinheiro, o governo quitará parte do valor do imóvel, o que permitirá ao mutuário pagar uma prestação mais barata. O dinheiro, a ser desembolsado ao longo do contrato de financiamento, que será de 20 ou 30 anos, sairá dos cofres do Tesouro e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Desse valor, aproximadamenteR$8bilhõesserãogastos com famílias com renda de até três salários mínimos (R$ 1.395,00). Graças ao subsídio, elas poderão pagar prestações de valor simbólico, na faixa de R$ 15 a R$ 20. Elastambémserãodispensadas de pagar o seguro do financiamento, que normalmente é cobrado junto com a prestação.Ogovernopretendeconstruir cerca de 200mil mil casas paraatender a essa parcela da população. Do total de 1 milhão de casas, 600 mil serão destinadas a mutuários com renda familiar entre três e cinco salários mínimos (R$ 2.325,00). Esses também contarão comsubsídios,masaspresta-

ções terão valor um pouco maior. Para o grupo com renda de até 10 salários mínimos, haverá 200 mil casas. Além do subsídio, que será inversamente proporcional à renda,asfamílias na faixa até 10 salários mínimos contarão com o Fundo Garantidor. Esse fundo terá cerca de R$ 500 milhões do Tesouro Nacional e bancará as prestações dos mutuários que ficarem desempregados. Os mutuários com renda até três salários mínimos poderão suspender o pagamento das prestações por até 36 meses, mas terão de quitá-las ao final do contrato. Para a faixa de até cinco salários, o Fundo honrará até 24 meses e para o grupo até 10 mínimos, 12 meses.

Governo estuda uso do FGTS para abater prestações mensalmente O Fundo Garantidor é visto pelogovernocomoa melhorforma de convencer os bancos a conceder financiamentos habitacionaisaprofissionaisautônomos, como taxistas e vendedores. Eles têm dificuldade de comprovar a renda e normalmente não contam com o apoio do sistema financeiro. Emboraasmedidasemanálisepriorizema populaçãodebaixa renda, a classe média também será beneficiada. O limite do valor dos imóveis que podem ser pagos com o FGTS do mutuário deverá passar dos atuais R$ 350 mil para R$ 500 mil. Está em estudo também a possibilidadedeoFGTSpoderserutilizado mensalmente para abater prestações. ● L.A.O., V.R. e ADRIANA FERNANDES

Às vésperas do lançamento do pacote da habitação, surgiu uma preocupação no governo: a capacidade de a Caixa Econômica Federal dar vazão aos novos pedidos de financiamento. O temor é que o banco se transforme num “gargalo” que atrase o iníciodas obrase dê munição àoposiçãoparacriticara lentidãodoprograma.Nesse caso, seria um tiro no pé da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que pretendecolherosdividendospolíticos da casa própria barata em sua campanha à Presidência da República. Problemas operacionais da Caixa ocuparam quase todo tempo da reunião de Dilma com empresários da construção civil na terça-feira. O vice-presidente da Câmara Brasileira da Construção Civil (CBIC), José Carlos Martins, observou que o banco precisa avaliar os imóveis um a um para conceder o empréstimo. Cada análise demora cerca de 180 dias. É um ritmo muito lento diante do objetivo do governo, que é contratar a construção de 1 milhão de moradias até 2010. A CBIC propôs avaliações conjuntas dos imóveis. Os governadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas GeraiseParaná,quesereuniram com Dilma esta semana, também questionaram se a Caixaserácapazdeoperacionalizar o pacote. A avaliação é que o banco atua de forma burocrática, como o antigo Banco Nacional da Habitação (BNH). Para auxiliar a Caixa na tarefa de atender à demanda por novos financiamentos, o governo quer que o Banco do Brasil passe a atuar nesse segmento. O governo deverá contar também com a atuação da Nossa Caixa, recémadquiridapelo Banco doBrasil. ● L.A.O. e V.R.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 5 - 06/03/09

B5 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-5:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

ECONOMIA B5 ECONOMIA B5

ATIVIDADE ECONÔMICA

Recuperação judicial cresce 297% Falta de crédito leva 135 empresas a suspender pagamentos no 1º bimestre, ante 34 no mesmo período de 2008 NAS ALTURAS

Marcelo Rehder

Asfixiadas pela falta de crédito, 135empresas entraramcompedido de recuperação judicial no primeiro bimestre em todo o País. O número supera em 297% o registrado em janeiro e fevereiro de 2008, quando apenas 34 empresas tinham apresentado esse tipo de pedido a seus credores. Os dados são de um levantamentodivulgadoontempelaSerasa Experian. Em fevereiro, o número de pedidos teve queda de 17,5%, porque o mês teve menos dias úteis que janeiro. O levantamento também revelou crescimentode 473% naquantidade de pedidos atendidos no período.Nosdoisprimeirosmeses de 2009 houve 86 registros, ante 15 nos mesmos meses do ano passado. Segundo Carlos Henrique de Almeida, assessor econômicodaSerasa,ospedidosderecuperação judicial apresentados nos últimos meses vieram de grandes e médias empresas que têm enfrentado dificuldades financeiras crescentes desde outubro, em razão dos efeitos da crise financeira mundial. De lá para cá, o crédito ficou escasso no mercado doméstico e no exterior, os juros subiram, osprazosde financiamentoficaram mais curtos e os bancos passaram a ser ainda mais seletivos na concessão de crédito. “As empresas que vieram ao longo de 2007 e 2008 tomando cada vez mais empréstimos para financiar seus investimentos,tiveramdereversuasestratégiase enfrentarqueda daprodução e da demanda, o que teve forte impacto no fluxo de caixa”, explicou Almeida. “Além disso,a inadimplênciadoconsu-

Evolução do número de pedidos de recuperação judicial no País 1.º bimestre

80

297%

70

135

60 50

34

40

2008

61 2009

30 20 10 0

J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N DJ F 2006

2007

FONTE: SERASA

FRASES

Carlos Henrique de Almeida assessor da Serasa “A inadimplência do consumidor afetou a rentabilidade das empresas menos capitalizadas” “O mercado de crédito ainda não voltou ao normal, o que sinaliza dificuldades pela frente”

midortambémafetoua rentabilidade das empresas menos capitalizadas.” Para ele, a tendência é de um primeirosemestreaindadedificuldades para as empresas. As estatísticas de crédito referentes a janeiro, divulgadas pelo Banco Central, mostram que o valordasoperações definanciamento às empresas caiu 1,9% em relação a dezembro. Já para apessoafísica,ocréditoaumentou 1,4% no período. “O mercado de crédito ainda não voltou aonormal,oque sinaliza dificul-

2008

2009 INFOGRÁFICO/AE

dades pela frente.” Essa tendência é reforçadapelomovimentonosescritóriosde advocaciaespecializados em recuperação judicial. Para o advogado Sergio Emerenciano, do escritório Emerenciano,BaggioeAssociados, a demanda por esse tipo de serviço deve continuar em alta. Nos próximos dias, o escritório do qual Emerenciano é sócio deverá apresentarpedidoderecuperação judicial em nome de mais um frigorífico. Com este, serão sete os frigoríficos quejáfizeramessetipodepedido. A empresa, cujo nome não foi divulgado, tem sede no interior paulista e deve algo em torno de R$ 40 milhões. “O problema é a falta decapitalde giro”,dizoadvogado. “As empresas investirampesado,combasenocrédito bancário, e viram esse crédito ser cortado de uma hora para outra.” ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 6 - 06/03/09

B6 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-6:20090306:

B6 ECONOMIA

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

FINANÇAS SERGIO DUTTI/AE–4/2/2009

Governo vai criar fundo garantidor para empréstimos Objetivo é pressionar a queda do spread bancário, ao reduzir o risco de inadimplência das operações Adriana Fernandes Fabio Graner BRASÍLIA

O governo vai criar um fundo garantidor para funcionar como seguro contra inadimplência das operações de crédito, principalmente para os médios e pequenos bancos. Essa é uma das medidas que o governo deve adotar em mais uma tentativa de reduzir o spread (margem entre o custo de captação dos bancos e a taxa cobrada dos clientes) e o custo dos financiamentos bancários. No entendimento do governo, ao diminuir o risco das operações, o fundo vai permitir que os bancos reduzam o spread. DeacordocomestudosdaFederação dos Bancos (Febraban), 38% do spread se devem ao custo da inadimplência. O fundo garantidor será formado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Tesouro Nacional, dos bancos e dosprópriostomadoresdosempréstimos bancários, nos quais seria embutida uma taxa com essa finalidade. As informações foram dadas a empresários que participaram ontem de reunião do Grupo de Acompanhamento da Crise, criado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Na reunião, o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, informou que os bancos terão de bancar 10% dos recursos necessários para criar o fundo. CRUZADA

Sem ter obtido sucesso até agora na queda de braço que trava com as instituições financeiras, Mantega quer ainda articular uma “cruzada” nacional, envolvendo inclusive parlamentares, contra o spread alto e em prol do aumento do crédito, o que poderia tirar mais rapidamente o Brasil da crise. Nas próximas semanas, Mantega deve apresentar um estudo sobre as causas dos spreads elevados, junto com as propostas de medidas para reduzir esse custo. O Ministério da Fazenda pretende anunciar conjuntamente as medidas, in-

Ministério da Fazenda pode propor incentivo para spread baixo clusive asdecaráter legislativo. Para isso, Mantega já começou a conversar com parlamentares para angariar apoio nas votações. Uma das propostas que ganham espaço é a de atrelar a oferta de crédito e a queda de spreadaosdepósitos compulsórios que os bancos são obrigados a manter no BC. O banco “campeão” de spread baixo, ou queatingisse uma determinada meta de oferta de crédito, receberia um alívio no compulsório. Os técnicos avaliam que a adoção desse incentivo seria complexa, mas a avaliação no Ministério Fazenda é de que o Banco Central tem de utilizar instrumentos mais poderosos para forçar a queda dos spreads.“Éumduploincentivoeconômico, pois os bancos, para fazer jus a esse dinheiro, teriam que reduzir juros. E com a liberação do compulsório teriam mais dinheiro para emprestar”, disse uma fonte do governo. A equipe econômica também estuda uma forma de destravar o redesconto (linha de empréstimo que o BC pode usar para financiar instituições financeiras), que continua sem utilização por causa de restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal. Essa preocupação foi apresentada anteontem aos senadores do grupo de acompa-

nhamento da crise do Senado. O problema dificulta a recuperação da capacidade de empréstimo de bancos pequenos e médios. Segundo o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), o ministro Mantega se comprometeu a apresentar o estudo aos parlamentares num prazo de 10 dias. CADASTRO

Na reunião de ontem, o presidente da Federação Brasileira

de Bancos (Febraban), Fabio Barbosa, cobrou do governo a aprovação do projeto do cadastropositivo, de bons pagadores. Mantega informou que o governo pode baixar medida provisória criando o cadastro, caso a Câmaranãoaprovelogooprojeto.Segundofontes,avotaçãoestá travada, em parte, por causa do lobby dos cartórios, que querem incluir no projeto obrigaçõesquevãoampliarsuasreceitas. ●

FUNDO – Informações foram dadas a empresários na reunião do Grupo de Acompanhamento da Crise

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 7 - 06/03/09

B7 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-7:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

ECONOMIA B7 ECONOMIA B7

FINANÇAS

Bancos vão ao STF contra correção da poupança Instituições dizem que cumpriram leis que implementaram planos econômicos MARCIO FERNANDES/AE–29/5/2007

BRIGA BILIONÁRIA

Leandro Modé

Os bancos entraram ontem com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que os planos econômicos Cruzado, Bresser, Verão, Collor I e Collor II sejam considerados constitucionais. Na prática, eles tentam evitar o pagamento da correção dos saldos das cadernetas de poupança nos períodos em que esses planos foram implementados. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), há cerca de 550 mil ações na Justiça pedindo a alteração do indexador que corrige as aplicações em poupança. No caso do Plano Verão (1989), por exemplo, uma medida provisória determinou

R$ 170

bilhões é o valor potencial do desembolso dos bancos com a mudança dos indexadores que corrigem a caderneta de poupança. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidorcontesta o cálculo

550

mil ações já deram entrada na Justiça. Segundo os bancos, é impossível calcular quantas pessoas tentam obter a correção porque muitas dessas ações são coletivas

20

anos é o prazo que esse tipo de reclamação leva para prescrever

FILA – Milhares de pessoas foram à Justiça pedir ressarcimento

que o rendimento deveria seguir a remuneração das Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), não mais o Índice de Preço ao Consumidor (IPC). Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec),aadoção daMPfez arentabilidade ser de 22,35% no mês de janeiro de 1989. Nas contas daentidade,oporcentualcorreto seria de 42,72%. Nos outros planos, os problemas são semelhantes. Como o prazo para que esse tipo de ação prescreva é de 20 anos, milhares de reclamações começaram a pipocar, sobretudo a partir de 2006, exatas duas décadas depois da implementação do Plano Cruzado. A maioria das ações julgadas em primeira instância foi ganha pelos reclamantes, o que levou os bancos a se mobilizar. Nas contas da Febraban, o desembolso total com essas causas pode chegar a R$ 170 bilhões,valorque écontestadopelo Idec. “Há dois argumentos contra essa alegação. O primeiro deles é que os bancos nunca pagariam tudo de uma só vez e apenas 15% das pessoas recorreram à Justiça”, disse a gerente

jurídica do Idec, Karina Grou. “Emsegundo lugar, mesmoque tivessem de arcar com todo esse valor, teriam dinheiro suficiente oriundo dos lucros anuais que registram.” TRÂMITE

O STF já definiu que o ministro Celso de Mello será o relator da ação–protocoladacomo ArguiçãodeDescumprimentodePreceito Fundamental (ADPF) pela Confederação Nacional do Sistema Financeiro (Consif). O ministro pedirá pareceres da Advocacia Geral da União (AGU) e da Procuradoria Geral da República (PGR). Como o pedido dos bancos é de liminar, Mello deve levar o tema ao plenário antes mesmo de receber os pareceres. O STF só vai decidir sobre o mérito depois de definir se concede ou não a liminar. Segundo Karina, do Idec, o julgamento do mérito pode levar anos. Mas, se o pedido de liminar for aceito, interromperá todos os processos que estão em andamento. Entreosadvogadoscontratados pelos bancos para a causa está o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. ●

Meirelles diz que queda de taxa de juro é responsável Ribamar Oliveira BRASÍLIA

O presidente do Banco Central,HenriqueMeirelles, reagiu ontem aos insistentes apelos para uma queda mais rápida dos juros, que partiramdeintegrantesdoConselhodeDesenvolvimento Econômico e Social (CDES), dizendo que a redução da taxa precisa ser feita com responsabilidade. “E responsabilidade significa que essa queda tem que ser feita na medida do possível”, afirmou. Durante sua exposição no seminário sobre o desenvolvimento,realizado ontempelo CDES, Meirelles apresentou vários gráficos e tabelas que mostravam as vantagens comparativas do Brasil em relação a outros países, no enfrentamento da crise. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, Jorge Nazareno,disse ter estranhado o fato de Meirelles não ter apresentado um gráfico comparando os juros do Brasil com a de outras nações. “Veríamos que temos a maior taxa de juro do mundo”, afirmou Nazareno, que é membro do CDES. Ele foi aplaudido pelos presentes. AempresáriaLuizaTrajano, dona do Magazine Luiza, também pediu que Meirelles desse uma boa notícia aos integrantes do CDES. “Eu sei que tem o problema do spread, que é muito alto no Brasil, mas ministro Meirelles só abaixar a taxa (Selic) já iriamelhorarparatodomundo”, disse Luiza Trajano. Emresposta,Meirelles argumentou que todas as vantagenscomparativasdo Brasil em relação a outros países e todos os bons resultados da economia dos últimos anos foram conseguidos com responsabilidade: “Os resultados dos últimos anos foram sem paralelos na história recente do Brasil. Houve aumento expressivo da massa salarial, criação de emprego, inflação controlada e crescimento de 5% da economia. Tudo que se conseguiu no Brasil, nesse período, foi com responsabilidade”. SEGUNDA FASE

Meirelles disse ontem que a crise entrará agora em sua “segunda fase”, que afetará maisospaísesemdesenvolvimento. Ele explicou que, na primeirafasedacrise,osbancos internacionais concentraram os seus empréstimos nos seus próprios países, pressionados pelos governos locais, e cortaram as linhas de empréstimos aos demais países.Essa escassez de crédito internacional está causando problemas a vários países emergentes, explicou Meirelles. ● COLABOROU LEONENCIO NOSSA

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B8-B9 -

Produto: ESTADO - BR - 8 - 06/03/09

Produto: ESTADO - BR - 8 - 06/03/09

B8-B9 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-8:20090306:

B8 ECONOMIA

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

TRABALHO

INTERNACIONAL ESTEVAM SCUOTEGUAZZA/AAN

TRT mantém suspensão de demissões na Embraer Justiça determinou que liminar será mantida até o próximo dia 13 EMPREGO DE VOLTA – Demitidos protestaram enquanto audiência de conciliação ocorria em Campinas

Tatiana Fávaro CAMPINAS

OpresidentedoTribunalRegional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva, determinou ontem a manutenção da liminar concedida no último dia 27, para suspensão das demissões dos 4,2 mil funcionários da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer). Os efeitos da liminar valerão até o próximo dia 13, quando haverá uma segunda audiência de conciliação entre advogados da Embraer e representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Força Sindical e Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas). Até o dia 13, a Embraer deverá, em tese, pagar os dias dos trabalhadores, de acordo com o juiz. “A prorrogação da liminar, enquanto vigente, importa no cumprimento dos direitos trabalhistas. Evidentemente, a solução final é o mérito que será decidido posteriormente”, afirmouopresidentedo TRT. Sotero da Silva disse acreditar em uma negociação, ainda que não

ECONOMIA B9

seja pela reintegração dos funcionários. “Há outros tipos de saída. Não quero antecipar nada pra que as partes encontrem essa solução”, afirmou. Na próxima segunda-feira, às 15 horas, o presidente do TRT recebe os advogados da companhia e representantes dos trabalhadores em uma reunião informal em seu gabinete para uma nova negociação.

Em nota, empresa afirma que recorreu da decisão do juiz do TRT Houve impasse na negociaçãoquedurouaproximadamente três horas na sede do TRT, no Centro de Campinas, ontem. Oobjetivo erachegaraumacordo sobre as demissões de 20% do efetivo, no dia 19. O sindicato propunha a reintegração dos demitidos. Um dos cinco advogados da empresa presentes na audiência Newton dos Anjos informou que as dispensas são irreversíveis,queos funcionários

Governo estuda medidas para aviação regional O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que o governo estuda o fortalecimento da aviação regional como forma de reativar a fabricação de aviões e fortelecer a Embraer. “Estou marcando com a Anac, e o Jobim (ministro Nelson Jobim, da Defesa) está preparando proposta para discutir aviação regional no Brasil. Tá na hora de ter aviação regional forte. Isso pode ser ajuda muito grande para a indústria, mesmo com avião para passageiro”, disse o presidente, ao ‘Estado’, após

falar por telefone com o presidente do Conselho Administrativo da Embraer, Maurício Botelho. Na conversa com Botelho, segundo Lula, ficou claro que não há como reverter as mais de 4 mil demissões anunciadas pela empresa. “Eu não diria reverter, até porque empresa só poderá reverter se tiver encomenda. Mas há chance de um negócio”, declarou o presidente, sem querer revelar os termos da conversa com Botelho. “Ele certamente está ligando agora para o Frederico (Fleury

Curado, atual presidente da Embraer) com as sugestões que dei. Vamos ver”, prosseguiu Lula, insistindo que “não podia” contar o que conversaram . Lula confirmou, porém, a inclusão no orçamento de recursos para construção de aviões C-390, de transporte, que substituirão os Hércules usados pela Aeronáutica, para serem usados no transporte de carga e tropa e no reabastecimento em voo. Segundo ele, não será uma compra aleatória da Força Aérea. ● TÂNIA MONTEIRO

já receberam seus haveres rescisórios,aguardamahomologação e que a companhia está disposta a ouvir outras alternativasparabeneficiar os funcionários demitidos. Osrepresentantesdosindicato e das centrais sindicais criticaram a postura da empresa e disseram que a decisão só dificultará oavanço da negociação. “Se a empresa disser que não vai readmitir os funcionários a

tendência é o tribunal julgar isso”, afirmou o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira daSilva.OadvogadodoSindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Aristeu Pinto Neto, disse que os trabalhadores não aceitam redução de jornada com redução de salário. De acordo com o coordenador nacional da Conlutas, José Maria de Almeida, dados divulgadosnositedacompanhiaindi-

cam que não seriam necessários cortes de funcionários. “A dívida consolidada (da Embraer) até agora é de R$ 177 milhões, que foram aplicados em derivativos. A empresa de avião, em vez de pegar os recursosdo BNDES e a rentabilidade que teve nesse período e aplicar na produção de aviões e desenvolvimento de tecnologia, aplicouemderivativos”,afirmouAlmeida.“Euesperoque sejacoin-

●● ●

DANIEL ROLAND/AP

cidência,masaempresavaieconomizar no período de um ano, demitindo 4,2 mil trabalhadores, em torno de R$ 180 milhões,é oque elaperdeu demercado derivativos”, disse. Entre os dados apresentados à Justiça estão os R$ 50 milhões em bonificação para executivos da companhia previstos para o período entre maio de 2008 e abril de 2009. “Se esses R$ 50 milhões forem cancelados, salvam o emprego de mil trabalhadores. Se metade do lucro que a empresa está pagando para seus acionistas for transferida para pagar os salários dos trabalhadores, salva o emprego do restante dos demitidos. Então há plenas condições, mantendo a lucratividade da empresa, de manter todos os empregados”, disse Almeida. Os advogados da Embraer não quiseram dar entrevista após a audiência. Por meio de assessoria de imprensa, a empresa informou que recorreu dadecisãodojuizdoTRTemantém seu posicionamento divulgado em comunicado oficial, no dia 27, quando o tribunal concedeua liminar.Na nota, acompanhia informou que realizou as dispensas rigorosamente de acordo com os preceitos e normas legais, reiterou “profundo respeitoaos funcionáriosquetiveram seus contratos de trabalho rescindidos, mas novamente enfatiza a necessidade de se ajustar à drástica redução de demanda por aeronaves em todo o mundo”. Do lado de fora do tribunal, trabalhadores protestaram. “Passei por uma avaliação de competência dias antes de ser demitido e me disseram que minha conduta estava de acordo com as necessidades da companhia. Foi mais que uma surpresa, foi uma decepção”, afirmou oex-funcionárioGeraldodeMoraes, que trabalhou 20 anos na empresa. Ele e outros funcionáriosdaEmbraercumpriramjornadas com uma hora a mais de trabalho para compensar o feriado de carnaval quando, sem saber, já estariam demitidos. ●

Contra crise, China faz ‘busca enérgica’ por novos mercados

BC europeu reduz juros ao nível mais baixo da história

Cláudia Trevisan CORRESPONDENTE PEQUIM

Banco da Inglaterra também anunciou novo corte das taxas de juros e início de programa de compra de ativos Andrei Netto CORRESPONDENTE PARIS

O Banco Central Europeu (BCE) reduziu ontem em 0,5 ponto porcentual sua taxa básica de juros, agora estabelecida em 1,5% anuais. O nível é inédito nos 10 anos de existência da instituiçãoque regulaa moedaúnica.O corteanunciado pelaautoridade monetária dos 15 países da zona euro foi precedido, horas antes, de uma nova redução, também de meio ponto, na taxa de juros do Banco da Inglaterra (BoE), que controla a libra esterlina. Seu índice agora é de 0,5% ao ano – o mais baixo da história. A decisão da autoridade monetária da zona euro era a esperada pelo mercado financeiro e pela maior parte dos governos da União Europeia. O corte é o quarto realizado pelo BCE desde outubro, após a falência do banco de investimentos americano Lehman Brothers. Desde então, o índice caiu de 4,25% para 2% em janeiro. Em fevereiro, mesmo com o aprofundamento da recessão nos 27 países, não houve alterações.Àépoca,a posturaaumentou o tom das críticas em relação à gestão conservadora do presidente da instituição, JeanClaudeTrichet. Ontem, seu dis-

PIB da UE caiu 1,5% no 4º tri O Produto Interno Bruto (PIB) da União Europeia e da zona euro recuou 1,5% no último trimestre de 2008 em relação ao anterior – o pior desde 1999, quando a moeda única passou a circular. Segundo o Escritório de Estatística das Comunidades Europeias (Eurostat), a recessão vem se acelerando há nove meses. A queda nas exportações e nos investimentos diretos na economia influenciou o recuo. Em relação ao mesmo período do ano anterior, a queda foi de 1,3%, tanto

●● ●

na zona euro, quanto na UE. Em termos nacionais, as piores contrações ocorreram na Estônia (-4,2%), na Suécia (-2,4%), na Alemanha e Eslováquia (-2,1%) e Portugal (-2%). Entre 22 países que apresentaram seus dados, apenas Polônia e Eslováquia cresceram: 0,3% e 2,1%, respectivamente. De acordo com a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o pior da crise tem sido verificado neste primeiro trimestre de 2009 na Europa. ● A.N. EM QUEDA – Trichet, presidente do BCE, não descarta novos cortes

curso foi diferente. Após a reuniãodo comitêdepolítica monetária, realizada em Frankfurt, o banqueiro francês confirmou queoBCEpodecontinuar reduzindo sua taxa básica. “Em função dos fatos, dos números, se certos riscos se materializarem, eu não excluo que as taxas sejam alteradas e possam cair ainda mais”, afirmou. “Nós não decidimos excluir esta hipótese por antecedência. É absolutamente claro que não.” Com a retomada da trajetória de baixa dos juros, o BCE se alinha às autoridades monetárias das principais economias em crise, como a dos EUA e a do Japão,

cujas taxas vêm decrescendo. Dentro dessa linha de ação, também ontem, o Banco da Inglaterra voltou a reduzir os jurosem0,5pontoporcentual,para 0,5% ao ano – nível mais baixo desde a criação da instituição,em1694.Emoutubropassado, a taxa praticada pelo BoE era de 5%. O BoE também disse que comprará 75 bilhões de libras em ativos para aumentar a base monetária e estimular a economia. A maioria das compras será de bônus do governo britânico (gilts) de vencimentos médio e longo. Essa política já foi usada pelo

Japão no início da década e visa encorajar os bancos a concederem empréstimos para consumidores e empresários. As dúvidas no mercado agora são até onde o Banco Central Europeu está disposto a ir no corte dos juros na zona euro. Em janeiro, Trichet havia descartado a taxa zero, para a qual caminham instituições como o Federal Reserve (Fed, o banco central americano). “Até onde o BCE deve ir é uma questão em aberto no seio da instituição. Talvez não chegue a zero, porque haveria um certo número de efeitos negativos”, explicou o economista Laurent Bilke, ex-

membro da instituição, hoje analista da consultoria Nomura. “Podemos imaginar que a autoridade monetária reduza suas taxas a algo entre 0,5% e 1%, um valor que já seria inédito.” O BCE também reviu as previsões de crescimento da economia para 2009. Segundo Trichet, a zona euro enfrentará uma recessão que oscilará entre -2,2% e -3,2%. A previsão anterior era de -0,5%. Em 2010, o prognóstico é de que os países devem registrar algo entre 0,7% e -0,7%, e não 1%, como o BCE imaginava em dezembro. ●

Apesar de o alvo principal do pacote do governo ser o aumento da demanda interna, Pequim anunciou ontem que usará todas as medidas fiscais e tributárias aceitas internacionalmente para garantir a expansão de suasexportações,incluindoofinanciamento e a “busca enérgica” por novos mercados. A previsão do governo apresentada ontem ao Congresso Nacional do Povo é a de que o volume total do comércio internacional do país (exportações e importações) cresça 8% em 2009. Como a Organização MundialdoComércio(OMC)espera retração de 3% do indicador no mesmo período, a meta chinesa levará a um aumento substancial da fatia do país nas exportações e importações globais – caso seja atingida. No discurso que realizou na abertura da sessão anual do Congresso na manhã de ontem, o primeiro-ministro Wen Jiabao afirmou que o governo vai continuar a se empenhar para garantirocrescimentoconstante das vendas externas do país. “Aomesmo tempoemque enfatizamosa importânciadeestimular a demanda doméstica, nós não podemos poupar esforços na promoção das exportações”, afirmou Jiabao, que fixou em 8% a meta de expansão da economia para este ano. Jiabao apresentou aos quase 3.000 representantes reunidos noGrandePaláciodoPovodetalhes do pacote de 4 trilhões de yuans (US$ 586 bilhões) divulgado em novembro e frustrou a expectativa de que anunciaria investimentos adicionais. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 10 - 06/03/09

B10 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-10:20090306:

B10 ECONOMIA

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Imposto de Renda

TRIBUTOS

Contribuinteaguarda regrasobreIRdeférias Fisco vai definir norma para anos anteriores, mas trabalhador já pode reaver imposto pago em 2008 no formulário da declaração de 2009 MARCIO FERNANDES/AE–25/2/2009

dos como isentos e a empresa não, ele pode cair na malha fina, pois os dados não vão bater”, diz o tributarista Samir Choaib. Após conferir no holerite ovalorrecebidopelos diasde fériasvendidas,ocontribuinte deve declarar esse valor no campo “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” do formulário 2009. Se for apresentar a declaração na versão completa, recomenda-se que informe o valor na linha “Outros”, com a especificação “Solução de Divergência01/09”.Naversãosimplificada, basta informar o valor como rendimento isento e não tributável, pois o formulário não tem espaço para especificações.

Andrea Vialli

Os contribuintes que quiserem pedir ressarcimento à Receita Federal pelo Imposto de Renda sobreosdezdiasdefériasvendidos nos últimos cinco anos terãodeaguardarainstruçãonormativa do Fisco, que deve sair nos próximos dias, para saber como proceder. A orientação anterior, que não vale mais, era queocontribuintefizessedeclarações retificadoras referentes aoano-base que desejasserecuperar o imposto. Nestasemana, a Receita confirmou um parecer da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacionaldefinindoque odireitoa reaver o imposto vale para os últimos cinco anos e não só a partir de 2006, como havia sido divulgado. Para a advogada tributarista Elisabeth Libertuci, o parecer é correto. “O contribuinte tem o direito de resgatar qualquer direito de crédito retroativo aos últimos cinco anos”, diz. DECLARAÇÃO 2009

Noentanto, o trabalhador já pode reaver o imposto pago sobre as férias vendidas em 2008, no formulário de declaração de 2009. Antes, ele deve se certificar de que o informe de rendimentos fornecido pela empresa para a qual trabalha já traz o valor como isento. Caso não conste, é preciso solicitar outro informe corrigido. “Esse ponto é importante porque se o contribuinte declarar os dez dias de férias vendi-

RESGATE – Contribuinte tem direito aos últimos 5 anos, diz Libertuci

E-MAIL FALSO

COMO RECUPERAR O IR DAS FÉRIAS VENDIDAS ● Na declaração de 2009, referente ao ano-base 2008, verifique, no informe de rendimentos entregue pela empresa, se o valor das férias vendidas já consta como isento. Caso não conste, solicite outro informe, já corrigido ● Confira no holerite o valor exato

recebido pela venda das férias ● No formulário simplificado da

declaração de 2009, informe o valor no campo “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Não são necessárias maiores especificações, pois o formulário não permite

● Caso apresente o formulário

completo da declaração, informe o valor das férias vendidas na linha “Outros”, com a especificação “Solução de Divergência 01/09” ● No caso de recuperar o imposto pago pelas férias vendidas nos anos de 2007, 2006, 2005, 2004 e 2003, é preciso aguardar Instrução Normativa da Receita sobre como o contribuinte deve proceder ● Esqueça a recomendação ante-

rior da Receita Federal, de fazer declarações retificadoras sobre o ano-base em que vendeu as férias

A Receita alertou os contribuintessobre a circulação de um e-mail falso divulgando a atualização do programa para declaração do Imposto de Renda 2009. Quem receber e-mailcomoessedeveapagálo imediatamente. ●

GUIA ESPECIAL ●● Veja mais informações

sobre como fazer a declaração do Imposto de Renda no Guia Especial IR 2009, que circula na edição de hoje do Estado. Saiba os cuidados para evitar problemas na hora de acertar as contas com o Leão

Para a declaração de 2009 ano base 2008 tenho que declarar a venda de 1/4 de um apartamento que recebi em doação e que se encontrava em usufruto. Esta venda é tributada? Repito, recebi 25% de tal apartamento como doação. O valor declarado por ocasião da doação foi de R$ 9.118,37 e a venda em 2008 foi no valor de R$ 35.000,00 (estes os valores que correspondem aos meus 25% do imóvel. Resposta: Pelo que entendi, em

2008 você vendeu imóvel em que era proprietário de 25%, tendo recebido o valor total de R$ 35.000,00. A alienação é considerada de pequeno valor, razão de não haver tributação sobre o ganho de R$ 25.881,63 (RIR/99, art.122 e IN 599/08). Um filho com problemas emocionais desde a infância, com curso superior, sem rendimento próprio, proprietário, por doação, de um apartamento avaliado em R$ 53.000,00 e parte de uma casa em R$ 41.271,00 precisa fazer declaração? Se positivo, como ficam os Planos de Saúde e de Previdência e outras despesas pagas por mim? Ele sempre entrou como dependente. Resposta: É preciso saber o va-

lor que consta na escritura de doação do apartamento e de parte da casa, dado ser irrelevante o valor de avaliação dos bens. O filho está obrigado a apresentar declaração de ajuste até o próximo dia 30 de abril no caso de o valor da doação (somados os dois bens) superar R$ 80 mil. Somente pode ser considerado dependente se for incapacitado física ou mentalmente para o trabalho, situação sujeita à comprovação, no caso de fiscalização. As despesas pagas por você aos Planos de Saúde e Previdência apenas podem ser abatidas se o filho constar como dependente. Assumindo que a incapacidade para o trabalho possa ser comprovada

em caso de questionamento do Fisco, imóveis dele devem ser informados na sua declaração de bens, com a menção de que são de propriedade do dependente incapaz, situação em que devem ser preenchidas as colunas “Situação em 31/12/1007 e 31/12/200” com o mesmo valor que os imóveis constam na escritura de doação. Se ele não se enquadrar na previsão de incapaz, deverá apresentar declaração em separado e os os gastos com saúde não poderão ser deduzidos. Uma parente, com dupla cidadania (brasileira e americana), mora nos EUA há 40 anos, proprietária de 1/3 de uma casa avaliada em R$ 33.147,00 (sua parte) e com aplicação financeira em torno de R$ 140.000,00. Ela precisa fazer declaração? Onecy Granja Resposta: O parente é conside-

rado não residente para fins fiscais, razão pela qual não deve apresentar declaração. É recomendável a pesquisa periódica da situação cadastral das pessoas físicas residentes no exterior que mantêm bens e/ou aplicações no Brasil. Constatada pendência de regularização, verifique a Instrução Normativa 864/2008. † As respostas são da tributarista Elisabeth Lewandowski Libertuci, da Libertuci Advogados Associados. As dúvidas podem ser enviadas até o dia 9/04, pelo e-mail: imposto.renda@grupoestado.com.br; ou por carta para O Estado de S. Paulo, Editoria de Economia, Coluna Imposto de Renda, Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6º andar, CEP 02598-900, São Paulo.

Veja questões já respondidas no portal

www.estadao.com.br/e/ir

Jorge defende atrelar redução do IPI à garantia de emprego Hoje é mais fácil indústria aceitar acordo, diz ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior SERGIO DUTTI/AE–18/11/2008

Fabio Graner BRASÍLIA

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, defendeu ontem, nas negociaçõesparaumaeventualprorrogação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para veículos, a exigência de que as montadoras preservem de empregos no setor. Foi a primeira manifestação aberta de um integrante do alto escalão do governo em favor de atrelar obenefíciotributárioaocompromisso das empresas de não demitir funcionários. “Pessoalmente, avalio que se pode fazer uma vinculaçãodamedidacommanutenção de empregos. Creio que não haveria problema para a indústria sobre isso. Hoje é bem mais fácil a indústria aceitar um acordo desse tipo porque houve recuperação do setor. Seria natural que o governo colocasse isso na mesa”, afirmou Miguel Jorge. A vinculação entre incentivo e empregos está sendo avaliadatambémpelo Minis-

IPI – Jorge é contra desconto

tério da Fazenda. A medida é defendida ainda pelo presidente da Central ÚnicadeTrabalhadores(CUT),Artur Henrique Silva Santos. O sindicalista afirmou que não foi,atéagora, chamadopara nenhuma negociação sobre o assuntoelembrouque,quandodecidiu reduzir o IPI pela primeira vez, o governo, apesar dos apelos dos trabalhadores, não impôs essa cláusula às montadoras. Depois da trapalhada e do mal-estarcausadopela divulga-

ção de uma nota dizendo que o governo tinha decidido não prorrogar o IPI mais baixo dos carros, que vence em 31 de março, Miguel Jorge, ontem foi menos enfático. “Por enquanto, a medida vai até 31 de março. O futuro a Deus pertence”, disse ele. “É muito cedo para anunciar uma prorrogação”, acrescentou. O ministro destacou que a eventual continuidade do benefício será decidida após análise dos efeitos do mesmo. “Não se podedarcomocertaaprorrogação da redução do IPI. A chance é de 50% para cada lado”, afirmou Jorge, se diz pessoalmente contra a prorrogação do desconto no imposto. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sintetizou o drama do governo diante das notícias da provável prorrogação do benefício tributário e dos desmentidos posteriores. “Isso é o tipo da decisão que a gente não pode brincar. Se eu anuncio que não vou prorrogar, faço corrida aos carros. Se falo que vou prorrogar, faço parada (na compra de carros)”, disse Lula ao Estado. ● COLABORARAM TÂNIA MONTEIRO E ADRIANA FERNANDES

ESCALAPB Produto: ESTADO - BR_C - 11 - 06/03/09

PB

COR

ESCALACOR

B11 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:B-11:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

B11 B11

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 12 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B12 -

%HermesFileInfo:B-12:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

B12 ECONOMIA

MERCADOS CENÁRIO FINANCEIRO

Bovespa retoma queda e dólar sobe Mercado local reage ao tombo das ações em NY, causado pelo temor com bancos dos EUA e a General Motors na. O governo chinês frustrou as expectativas de que anunciaria uma ampliação do pacote de estímulo econômico, de US$ 585 bilhões, no primeiro dia do Congresso Nacional do Povo. Como os indicadores da Europa e dos EUA não mostraram sinal de reversão do quadro recessivo, o Banco Central Europeu e o Banco da Inglater-

Claudia Violante Silvana Rocha Alessandra Taraborelli

O receio com o futuro de grandes bancos e empresas norteamericanos, como Citigroup e a montadora General Motors, voltou a deteriorar os mercados, ontem, em meio à decepção dos investidores com a Chi-

ra voltaram a cortar os juros, ambos em 0,50 ponto porcentual. A taxa básica do BCE caiu para 1,5% e a taxa britânica, para 0,50%, o menor patamar da história do Reino Unido. Em Wall Street, as ações do Citigroup recuaram abaixo de US$ 1 na sessão pela 1ª vez, e terminaram a US$ 1,02. Sobre o futuro da GM, a Casa

Branca renovou seu compro- Bolsas caem em meio à decepção com China misso de trabalhar para rees- EM PORCENTAGEM FTSE-100 (PONTOS) DOW JONES NY (PONTOS) truturar a indústria automotiva dos EUA. As bolsas em No38.391 6.874 3.632 va York caíram mais de 4%. No Brasil, a Bovespa teve declínio menor, de 2,69%, para 37.368,93 pontos. O dólar subiu 0,34%, a R$ 2,380 no bal3.529 cão. E o juro de janeiro de 2010 caiu a 10,59%.● 5H 6H 7H 8H 9H 10H 11H 12H 13H 14H 0

-1

Descriminação Lote Padrão Direitos e Recibos Fundos e Certificados Mercado a Termo Opções de Compra Mercado Fracionário Total Geral

Quantidade de Títulos 2.531.017.900 1.462.789.400 98.500 4.324.460 252.428.700 1.943.155 4.607.196.453

Negócios 180.423 237 80 748 69.573 7.061 258.605

Ações mais Negociadas À vista Empresas Petrobrás Vale R Doce Itaubanco Vale R Doce Petrobrás

pontos

valor (R$ mil) 638.725 566.753 196.823 144.369 138.774

especificações PN PNA N1 PN ED N1 ON N1 ON

abertura mínimo máximo fechamento médio

ações

38.391 36.973 38.391 37.368 37.434

altas baixas estáveis não negociadas total

Bolsa

pontos 5.757 5.562 5.757 5.620 5.627

Part. nº total 90,49 0,01 0,11 2,48 6,21 0,11 100,00

Bolsa de SP

IBX 50 abertura mínimo máximo fechamento médio

part. nº Valor total em R$ 54,94 3.112.131.348,00 31,75 197.407,00 0,00 3.851.519,00 0,09 85.329.333,93 5,48 213.717.861,00 0,04 3.872.626,86 100,00 3.439.288.478,88

altas baixas estáveis não negociadas total

EM PONTOS

ações 8 42 0 0 50

10 55 1 0 66

37.368

39.500

2,69%

39.000 38.500 38.000 37.500 37.000 36.500 36.000

26/2

IBX 100 abertura mínimo máximo fechamento médio

pontos 12.893 12.478 12.893 12.602 12.615

altas baixas estáveis não negociadas total

ações 17 80 3 0 100

6,7 3,4 3,2 3,1 1,8

n

Gafisa ON Cyrela Realt ON Duratex PN Ambev PN Rossi Resid ON

Gol PN Embraer ON V C P PN Gerdau Met PN Aracruz PNB

2/3

3

4

5

Índices da Bolsa

Maiores altas e baixas

n

27

8,8 7,3 7,3 7,1 7,1

Índices

Pontos

Dia% Mês% Ano%

Ibovespa IBRX 50 IBRX 100 ISE – Sustentabilidade ITEL – Telecom IEE – Energia Elétrica INDX – Setor Industrial IGC – Governança ITAG – Tag Along Ibovespa Fut.Fev. (BM&F)

37.368,93 5.620,76 12.602,65 1.052,55 1.019,12 15.656,71 4.747,86 3.524,35 4.348,17 38.050,00

-2,69 -2,39 -2,26 -1,97 -2,17 -1,22 -3,05 -2,64 -2,27 -2,06

AÇÃO DO DIA

FRASE

Embraer cai 7,35% com decisão do TRT

Fábio Silveira

-2,13 -1,77 -1,97 -3,36 -4,82 -3,14 -4,58 -2,15 -2,65 -1,42

-0,48 1,34 0,50 -11,19 -0,37 2,39 -10,53 -4,67 -8,76 0,26

Sócio-diretor da RC Consultores ao AE Broadcast Ao Vivo “A economia do Brasil andará de lado em 2009. E 2010 poderá ser o pior ano para o País, porque chegou tarde no processo de crise”

Embraer ON caiu 7,35%. O Tribunal Regional do Trabalhodeterminouquea suspensão das 4.270 demissões da Embraer seja prorrogada até13demarço,quandoacontece uma nova audiência de conciliação.

Negócios Realizados ( COTAÇÕES EM R$ LOTE DE MIL ) Títulos Embratel Par Embratel Par Pro Metalurg Tectoy Tectoy Teka Telebrás Telebrás Tupy Tupy Varig Transp

ON PN PNB ON PN PN ON ES PN ES ON PN PN

nº de negócios 1 3 9 62 21 4 17 83 7 1 2

quant. de títulos 100.000 500.000 52.300.000 927.100.000 371.500.000 6.000.000 76.300.000 855.300.000 1.800.000 100.000 200.000

abert. 8,58 8,60 0,16 0,07 0,06 0,30 0,39 0,30 13,00 14,00 3,53

mín. 8,58 8,60 0,16 0,07 0,06 0,30 0,38 0,30 12,50 14,00 3,53

aberturas máx. méd. 8,58 8,58 8,60 8,60 0,20 0,17 0,08 0,07 0,07 0,07 0,30 0,30 0,40 0,39 0,31 0,30 13,00 12,61 14,00 14,00 3,53 3,53

últm. var.fech. 8,58 +0,7 8,60 0,17 +6,3 0,07 -12,5 0,07 +16,7 0,30 -3,2 0,39 0,31 +3,3 12,50 -10,7 14,00 3,53 +0,6

últimas compra venda 8,12 9,00 8,21 8,80 0,16 0,18 0,07 0,08 0,06 0,07 0,30 0,33 0,38 0,39 0,30 0,31 12,10 12,80 7,00 14,00 3,53 4,00

Negócios Realizados ( COTAÇÕES EM R$ POR AÇÃO) Títulos Abc Brasil Abnote Abyara Aços Vill Aes Elpa Aes Tietê Aes Tietê Agra Incorp Agrenco Alfa Financ Alfa Holding Alfa Holding Alfa Holding Alfa Invest Alfa Invest All Amer Lat All Amer Lat All Amer Lat Amazônia Ambev Ambev Amil Anhanguera Aracruz Aracruz Arthur Lange B2w Varejo Banestes Banestes Banrisul Banrisul Battistella Bematech Bicbanco Bmf Bovespa Bombril Br Malls Par Bradesco Bradesco Bradespar Bradespar Brascan Res Brasil Brasil T Par Brasil T Par Brasil Telec Brasil Telec Brasilagro Bráskem Bráskem Brasmotor Cc Des Imob Ccr Rodovias Ceb Celesc Cemar Cemepe Cemig Cemig Cesp Cesp Cia Hering Clarion Cobrasma Coelce Comgás Comgás Confab Copasa Copel Cosan Cosan Ltd Cosern Coteminas Cpfl Energia Cr2

PN ON ON ON ON ON PN ON DR3 PN ON PNA PNB ON PN ON PN UNT ON ON PN ON UNT ON PNB PN ON ON PN PNA PNB PN ON PN ON PN ON ON PN ON PN ON ON ON PN ON PN ON ON PNA PN ON ON ON PNB ON PN ON PN ON PNB ON PN PN PNA ON PNA PN ON PNB ON DR3 ON PN ON ON

N2 NM NM

NM

N2 N2 N2

NM N2 N1 N1 NM EJ EJ N1 N1 NM N1 NM NM ED N1 ED N1 N1 N1 NM ED NM N1 N1 N1 N1 NM N1 N1 NM NM N2 MB N1 N1 N1 N1 NM INT

N1 I08 NM N1 NM

ED NM NM

nº de negócios

quant. de títulos

abert.

mín.

máx.

aberturas méd.

108 43 67 40 8 156 694 70 3.353 1 1 1 1 11 2 1 7 2.611 55 118 1.378 192 25 13 2.080 1 1.023 49 2 2 235 18 61 192 4.100 3 46 106 4.799 3 2.015 108 3.566 338 322 3 428 6 23 1.091 11 52 736 1 151 9 5 152 2.606 3 829 1 1 71 14 2 304 163 241 1.684 631 2 1 13 957 7

124.700 42.300 57.000 122.000 42.700 170.100 461.800 146.500 37.455.300 100 800 200 1.300 65.300 300 100 1.200 3.479.200 381.000 40.000 412.200 238.300 334.400 78.200 10.577.000 100 229.900 14.000 13.700 700 560.500 90.300 93.700 384.600 7.582.400 700 56.800 85.500 5.034.900 400 1.637.600 154.700 3.465.700 137.500 147.500 300 225.800 1.000.500 11.000 678.000 15.000 68.100 391.700 100 19.900 3.000 14.200 108.400 1.011.800 6.300 756.000 300 100 3.580.000 22.000 1.900 63.600 320.000 178.800 759.200 1.119.500 400 600 50.300 369.700 27.900

4,31 10,50 1,76 0,49 23,70 14,30 16,60 1,46 0,47 2,32 3,50 3,50 3,45 6,50 5,97 2,98 1,40 8,09 0,60 76,97 91,55 6,14 10,84 12,60 1,53 3,50 20,30 8,52 8,37 5,60 5,30 0,31 6,48 3,63 6,18 3,62 11,66 17,22 20,29 20,00 22,40 1,88 13,51 60,03 14,01 57,16 11,26 5,30 5,30 4,65 0,55 2,22 21,90 18,00 31,10 6,84 0,62 23,26 31,60 11,11 13,16 6,29 19,00 0,08 21,75 27,00 30,45 4,44 19,64 21,41 9,50 6,21 8,60 3,42 28,90 3,16

4,31 10,20 1,66 0,47 23,70 14,07 16,18 1,40 0,29 2,32 3,50 3,50 3,45 6,50 5,96 2,98 1,31 7,79 0,59 76,97 91,18 5,58 10,61 12,50 1,44 3,50 20,01 8,20 8,37 5,60 5,27 0,29 6,20 3,60 6,08 3,62 11,60 17,12 20,05 20,00 21,53 1,83 13,22 60,03 13,90 57,16 11,06 5,30 5,00 4,53 0,53 2,16 21,50 18,00 31,10 6,84 0,62 22,90 31,32 11,00 13,16 6,29 19,00 0,06 21,50 27,00 29,81 4,27 19,46 21,18 9,25 6,21 8,60 3,25 28,73 3,15

4,40 10,50 1,76 0,49 23,90 14,49 17,12 1,46 0,48 2,32 3,50 3,50 3,45 6,50 5,97 2,98 1,40 8,16 0,61 80,00 94,89 6,14 10,84 12,60 1,53 3,50 20,69 8,52 8,49 5,60 5,42 0,31 6,48 3,66 6,34 3,62 11,81 17,59 20,70 20,00 22,79 1,88 13,66 60,29 14,36 59,49 11,38 5,30 5,30 4,69 0,55 2,24 22,27 18,00 31,96 7,10 0,62 23,35 32,10 11,12 13,74 6,29 19,00 0,08 21,75 27,00 30,45 4,44 20,00 21,89 9,85 6,22 8,60 3,42 29,49 3,16

4,37 10,31 1,70 0,47 23,84 14,26 16,65 1,42 0,36 2,32 3,50 3,50 3,45 6,50 5,97 2,98 1,33 7,92 0,60 78,37 93,45 5,79 10,77 12,53 1,48 3,50 20,36 8,31 8,48 5,60 5,32 0,30 6,30 3,62 6,19 3,62 11,74 17,28 20,42 20,00 22,02 1,86 13,38 60,21 14,02 58,50 11,20 5,30 5,15 4,63 0,54 2,19 21,97 18,00 31,69 6,96 0,62 23,05 31,58 11,11 13,49 6,29 19,00 0,07 21,74 27,00 30,05 4,30 19,65 21,56 9,52 6,22 8,60 3,30 28,96 3,15

últimas últm. var.fech. compra venda 4,40 10,30 1,67 0,48 23,80 14,16 16,36 1,40 0,36 2,32 3,50 3,50 3,45 6,50 5,96 2,98 1,38 7,85 0,59 80,00 94,89 5,70 10,80 12,59 1,44 3,50 20,30 8,20 8,49 5,60 5,40 0,29 6,25 3,60 6,13 3,62 11,70 17,59 20,40 20,00 21,90 1,87 13,31 60,25 13,95 59,49 11,15 5,30 5,20 4,65 0,53 2,18 21,50 18,00 31,40 7,10 0,62 23,35 31,55 11,12 13,31 6,29 19,00 0,06 21,50 27,00 30,00 4,29 19,50 21,49 9,76 6,22 8,60 3,25 28,80 3,15

-1,9 -5,6 -2,0 -2,2 -1,1 -3,4 -14,3 -3,7 -0,6 -1,4 -1,4 -0,7 +2,8 +1,5 -4,3 +3,6 +3,1 -5,0 -0,7 -1,3 -7,1 -12,3 -2,6 -2,1 +4,4 +1,8 -0,9 -3,3 -3,5 -1,6 -2,4 +0,6 -2,1 -0,1 -2,1 -6,5 -5,9 -0,5 -3,9 +0,1 -2,1 -2,3 -2,8 -10,2 -1,3 -3,6 -4,8 -1,8 -0,8 +3,0 -4,6 -2,7 -1,3 +0,1 -1,6 -0,2 +5,6 -14,3 -1,1 -1,2 -4,2 -1,3 -2,2 +0,6 -4,7 +0,1 -3,0 -3,0 -3,1

4,37 10,01 1,67 0,47 21,00 14,05 16,33 1,40 0,36 2,32 3,40 3,50 3,01 6,30 5,96 2,51 1,26 7,81 0,59 79,50 93,01 5,69 10,65 12,50 1,43 2,98 20,20 8,19 7,62 5,60 5,30 0,28 6,17 3,60 6,13 3,41 11,45 17,31 20,40 20,00 21,65 1,85 13,30 60,17 13,93 56,00 11,10 5,05 4,98 4,63 0,53 2,16 21,49 18,00 31,40 6,90 0,61 23,00 31,33 11,01 13,31 5,95 13,00 0,06 21,50 0,01 29,92 4,28 19,00 21,26 9,61 6,12 7,89 3,25 28,72 3,16

4,40 10,25 1,70 0,48 23,80 14,18 16,36 1,43 0,37 2,40 3,70 3,99 6,50 6,10 2,70 1,37 7,85 0,60 80,00 94,89 5,70 10,80 12,59 1,44 3,98 20,30 8,35 8,39 6,47 5,40 0,30 6,25 3,62 6,14 3,60 11,70 17,59 20,45 21,20 21,90 1,87 13,31 60,25 13,95 59,49 11,15 5,50 5,20 4,65 0,55 2,18 21,50 18,50 31,82 7,09 0,63 23,35 31,55 11,43 13,32 6,00 22,00 0,07 21,75 27,00 30,18 4,29 19,50 21,49 9,76 6,53 8,60 3,30 28,80 3,25

Cremer Cruzeiro Sul Csu Cardsyst Cyre Com-ccp Cyrela Realt DHB Dasa Daycoval Doc Imbituba Drogasil Dufrybras Duratex Duratex Ecodiesel Elektro Eletrobrás Eletrobrás Eletropar Eletropaulo Emae Embraer Energias Br Energisa Equatorial Estacio Part Estrela Eternit Even Eztec Fer Heringer Ferbasa Fibam Forja Taurus Fosfertil Gafisa Gazola Generalshopp Gerdau Gerdau Gerdau Met Gerdau Met Gol Gp Invest Gpc Part Gradiente Grazziotin Grendene Guarani Guararapes Guararapes Gvt Holding Helbor Hercules Hoteis Othon Hypermarcas Ideiasnet Ienergia Ienergia Iguatemi Inds Romi Indusval Inepar Inepar Tel Inpar S/A Iochp-maxion Ishares Bova Ishares Smal Itaubanco Itaubanco Itausa Itausa Itautec J B Duarte J B Duarte Jbs Jereissati Jhsf Part João Fortes Karsten Kepler Weber Klabin S/A Klabinsegall Kroton Laep Le Lis Blanc Light S/A Lix Da Cunha Llx Log Localiza Log-in Lojas Americ Lojas Americ Lojas Renner Lopes Brasil Lupatech M G Poliest M.diasbranco Magnesita Sa Mangels Indl Marcopolo Marcopolo Marfrig Marisa Medial Saude Merc Brasil Merc Invest Metal Iguacu Metal Leve Metalfrio Metisa Minerva Minupar Mmx Miner Mont Aranha Mpx Energia Mrv Multiplan Mundial Natura Net Nossa Caixa Odontoprev Ogx Petróleo Ohl Brasil P.Açúcar-cbd Panamericano Parana Paranapanema Patagonia Pdg Realt Perdigão S/A Petrobrás Petrobrás Pibb Pine Plascar Part Porto Seguro Portobello Positivo Inf Profarma Pronor Providencia Quattor Petr Randon Part Randon Part Rasip Agro Recrusul Redecard Renar Rodobensimob Rossi Resid Sabesp Sadia S/A Sadia S/A Santanense Santanense Santos Brp Sao Carlos Sao Martinho Saraiva Livr Satipel Schulz Seb Sid Nacional Slc Agrícola Sofisa Sondotecnica Souza Cruz Springs Sul America Sultepa Suzano Papel Tam S/A Tarpon Tecel S Jose Tecnisa Tecnosolo Tegma Tekno Telemar Telemar Telemar N L Telemar N L Telemig Part Telesp Telesp Tenda Terna Part Tex Renaux Tim Part S/A Tim Part S/A Totvs Tractebel Tran Paulist Triunfo Part Ultrapar Unibanco Unibanco Unibanco Unipar Uol Usiminas Usiminas VCP Vale R Doce Vale R Doce Vivo Vivo Weg Whirlpool Wiest Wilson Sons

ON PN ON ON ON PN ON PN PN ON DR3 ON PN ON PN ON PNB ON PNB PN ON ON PN ON ON PN ON ON ON ON PN PN PN PN ON PN ON ON PN ON PN PN DR3 ON ON PN ON ON ON PN ON ON PN PN ON ON ON PNA ON ON PN PN ON ON ON CI CI ON PN ON PN ON ON PN ON PN ON ON PN ON PN ON UNT DR3 ON ON PN ON ON ON ON PN ON ON ON ON ON ON PN ON PN ON ON ON PN PN PN PN ON PN ON ON ON ON ON ON ON PN ON PN ON ON ON ON PN PN PN ON DR3 ON ON ON PN CI PN ON ON ON ON ON PNA ON PN ON PN PN PN ON ON ON ON ON ON PN ON PN UNT ON ON PN ON PN UNT ON ON PN PNA ON ON UNT PN PNA PN DR3 PN ON PN ON PN ON PN ON PNA PN ON PN ON UNT PN ON PN ON ON PN ON PN ON PN UNT PNB PN ON PNA PN ON PNA ON PN ON PN PN DR3

NM N1 NM NM NM

2 29 11 1 2.033 1 NM 224 ES N1 9 10 NM 8 32 EDJ N1 4 EDJ N1 1.220 NM 143 2 N1 828 N1 1.128 1 N2 738 6 NM 3.629 NM 339 1 NM 107 NM 33 518 ED NM 32 NM 17 NM 20 NM 131 20 4 INT 5 360 NM 2.273 8 NM 1 ED N1 384 ED N1 9.849 ED N1 17 ED N1 2.207 N2 1.879 34 1 8 3 NM 11 NM 49 4 1 NM 538 NM 9 79 118 NM 29 NM 23 359 62 NM 42 NM 71 N1 5 12 39 NM 14 NM 128 54 2 ED N1 11 ED N1 7.546 ED N1 2 ED N1 5.000 2 10 27 NM 1.162 21 NM 6 7 20 151 N1 839 NM 302 N2 14 99 NM 2 NM 395 2 NM 305 NM 421 NM 189 10 INT 1.863 INT NM 1.838 NM 62 NM 54 11 NM 4 NM 59 N1 6 N2 6 N2 71 NM 233 NM 12 NM 512 4 19 2 8 NM 9 1 NM 64 12 NM 994 2 NM 22 NM 453 N2 58 15 EDJ NM 2.252 N2 866 NM 207 NM 155 NM 188 NM 16 N1 657 N1 39 N1 34 N1 54 2 NM 350 NM 1.119 4.239 17.813 24 N1 15 31 NM 189 NM 7 NM 222 NM 14 1 NM 42 2 N1 1 N1 255 4 10 NM 1.805 NM 1 NM 8 NM 910 NM 1.171 N1 3 N1 1.389 4 9 N2 7 NM 1 NM 29 N2 36 NM 3 20 N2 18 5.598 NM 472 N2 17 2 707 NM 10 N2 107 2 INT N1 427 N2 1.110 24 1 NM 78 1 NM 7 5 211 797 3 262 37 49 388 NM 60 N2 7 8 471 1.649 NM 27 NM 520 N1 704 NM 20 N1 825 ED N1 25 ED N1 4 ED N1 3.729 N1 64 N2 37 N1 1.591 N1 6.233 N1 2.814 N1 5.006 N1 17.755 2 2.212 NM 697 13 162 2

37.368 6.594

-2 -3

-4

-5

Bovespa: fechamento do dia 5/3/2009 Resumo das Operações Realizadas

IBOVESPA (PONTOS)

15H

16H

17H

18H

No mundo 1.900 21.800 24.600 100 1.811.300 800 147.100 15.800 24.000 43.200 10.600 5.000 641.600 392.300 200 400.400 707.300 100 425.400 6.100 2.234.400 244.700 100 118.400 395.300 1.982.200 27.500 115.800 7.400 90.100 17.500 700 1.000 318.300 2.210.500 2.000 200 158.600 6.626.500 3.100 823.200 1.028.400 85.600 700 2.000 2.300 19.400 53.600 26.300 100 392.200 3.900 252.000 1.740.000 33.200 31.100 5.007.000 902.000 23.300 305.000 1.600 3.500 156.900 89.600 123.300 88.500 200 6.600 9.063.900 1.800 8.323.700 200 116.000 595.000 1.330.300 244.000 2.100 31.800 25.700 2.343.900 1.297.200 491.400 5.500 675.000 3.100 126.500 8.400 2.743.600 291.800 731.600 13.000 1.531.500 929.500 327.600 32.000 230.000 260.200 77.700 1.000 3.100 204.700 100.000 558.800 1.620.300 1.900 47.000 1.500 3.000 2.900 500 124.200 4.500 2.546.500 300 5.400 266.900 208.400 29.300 809.700 672.100 82.100 41.500 53.300 60.500 298.000 124.900 53.100 81.300 1.800 539.900 483.100 4.295.200 24.513.900 9.800 19.100 17.400 223.600 1.200 235.600 10.200 100 229.700 200 100 600.200 700 3.800 994.400 300 51.100 1.300.400 355.200 1.500 2.278.500 1.500 8.900 19.100 10.000 15.200 56.800 25.800 5.000 9.900 2.723.800 448.500 350.000 200 185.800 1.300 29.400 2.000 172.800 385.600 48.500 10.000 23.200 500 7.400 500 93.300 313.200 300 74.100 32.100 17.400 115.700 172.000 10.800 12.000 275.800 2.697.000 95.400 522.700 248.600 20.500 731.700 23.500 1.800 4.768.700 837.600 139.200 411.700 4.029.500 1.396.800 4.618.500 20.863.400 200 658.900 475.400 10.000 516.000 200

7,49 5,71 3,10 5,99 6,99 22,39 23,50 4,44 0,98 9,20 16,03 11,10 12,25 0,81 15,50 24,65 23,05 43,00 29,69 9,23 6,20 22,99 6,44 13,00 12,25 0,48 5,29 2,00 2,07 3,83 6,00 24,99 3,61 14,23 8,73 2,30 1,89 9,90 12,35 15,00 16,35 9,47 5,99 0,63 2,21 6,35 11,30 2,05 15,51 15,50 25,00 2,89 0,20 0,27 13,61 1,75 0,31 0,21 13,00 6,30 5,54 12,86 0,21 1,62 10,50 37,84 22,50 18,97 21,50 10,20 6,75 28,80 0,04 0,04 4,53 0,57 1,81 2,26 7,24 0,14 2,81 1,28 8,25 0,41 3,10 24,99 3,13 1,19 7,95 6,70 4,91 5,61 13,95 6,65 21,99 0,08 17,90 5,70 4,80 2,80 2,85 6,99 3,50 6,22 8,11 0,28 0,30 14,20 6,99 19,99 1,69 4,31 2,93 71,89 165,00 10,00 14,61 1,39 20,79 14,66 69,61 23,35 566,00 13,20 28,91 2,90 4,05 2,43 18,00 10,50 26,74 31,92 25,80 56,00 5,48 0,92 11,01 0,91 6,64 4,87 1,10 2,61 8,07 5,00 5,25 0,48 4,15 24,15 2,85 8,50 3,30 22,40 4,85 2,72 2,10 2,13 7,40 10,50 9,70 13,40 3,95 14,69 8,50 31,99 14,08 3,56 20,00 46,60 2,96 19,81 3,54 10,00 15,22 11,60 0,30 2,80 0,48 5,80 61,02 33,51 28,00 51,00 45,69 45,00 34,90 42,55 1,50 20,02 0,27 6,18 3,28 43,75 17,43 44,40 1,19 55,70 16,10 6,25 12,25 0,58 7,25 24,40 25,00 10,37 31,34 27,12 35,00 36,30 11,39 2,20 0,64 10,80

7,49 5,71 3,03 5,99 6,76 22,39 23,01 4,39 0,98 9,15 16,03 11,09 12,21 0,77 15,50 24,39 22,71 43,00 29,11 9,06 5,80 22,31 6,44 12,75 12,00 0,40 4,99 1,97 2,06 3,72 5,98 24,99 3,60 13,76 8,52 2,12 1,89 9,50 11,95 14,50 15,76 8,82 5,80 0,63 2,12 6,35 11,20 1,99 15,51 15,50 24,68 2,89 0,20 0,23 13,61 1,72 0,25 0,19 12,40 6,30 5,50 12,85 0,20 1,61 10,34 36,91 22,34 18,65 21,21 10,00 6,65 28,50 0,04 0,04 4,42 0,55 1,78 2,25 6,99 0,14 2,69 1,14 8,15 0,38 3,10 24,75 3,13 1,15 7,70 6,50 4,85 5,49 13,95 6,40 21,01 0,07 17,90 5,61 4,55 2,80 2,80 6,43 3,45 5,40 8,11 0,28 0,29 13,71 6,75 19,99 1,63 4,30 2,81 71,89 163,36 9,56 14,21 1,38 20,15 14,30 69,60 22,61 563,00 13,08 28,61 2,81 3,70 2,38 18,00 9,51 25,93 31,70 25,62 55,12 5,40 0,91 10,80 0,91 6,45 4,76 1,10 2,59 8,07 5,00 5,25 0,47 4,00 23,65 2,85 8,35 3,17 22,11 4,71 2,64 2,10 2,12 7,05 10,50 9,36 13,06 3,95 13,95 8,26 30,75 13,30 3,50 20,00 46,50 2,96 19,36 3,54 9,71 14,30 11,25 0,30 2,70 0,48 5,70 61,00 33,01 27,73 47,00 45,43 44,85 34,30 41,94 1,45 20,01 0,27 5,90 3,10 43,45 17,30 43,60 1,19 55,20 15,19 6,08 12,09 0,58 7,15 23,43 24,77 9,71 30,70 26,67 35,00 35,00 10,90 2,20 0,64 10,80

7,49 6,05 3,10 5,99 7,34 22,39 24,41 4,44 1,01 9,20 16,49 11,10 12,80 0,81 15,50 25,00 23,30 43,00 29,91 9,23 6,27 23,20 6,44 13,10 12,50 0,54 5,29 2,00 2,16 4,00 6,10 25,50 3,61 14,80 9,36 2,30 1,89 9,90 12,40 15,00 16,37 9,80 6,00 0,63 2,25 6,35 11,60 2,05 15,87 15,50 25,50 2,90 0,25 0,28 13,95 1,81 0,34 0,23 13,00 6,40 5,54 13,37 0,23 1,63 10,50 38,00 22,50 19,00 22,07 10,20 6,91 28,80 0,05 0,05 4,57 0,59 1,81 2,35 7,49 0,15 2,85 1,28 8,50 0,41 3,25 25,11 3,13 1,22 8,10 6,89 5,05 5,64 14,45 6,70 22,00 0,08 17,90 5,80 4,80 2,90 2,88 6,99 3,53 6,22 8,59 0,32 0,30 14,48 7,29 19,99 1,69 4,50 2,93 71,89 170,99 10,00 14,61 1,39 21,02 14,94 69,79 23,90 592,99 13,50 29,50 2,92 4,05 2,43 18,02 10,50 26,74 33,09 26,65 56,70 5,54 0,94 11,01 0,97 6,69 5,00 1,10 2,65 8,07 5,00 5,49 0,48 4,15 24,69 2,85 8,55 3,53 23,19 4,85 2,73 2,10 2,19 7,40 10,50 9,70 13,40 4,03 14,69 8,80 32,39 14,18 3,60 20,00 47,47 3,04 19,81 3,54 10,05 15,23 11,60 0,30 2,81 0,48 5,80 64,50 34,20 28,60 51,00 46,19 45,10 35,23 43,65 1,50 20,70 0,28 6,30 3,29 44,00 17,60 45,91 1,21 56,77 16,20 6,25 12,60 0,59 7,25 24,49 25,42 10,48 32,14 27,75 35,70 36,72 11,39 2,20 0,71 10,85

7,49 5,94 3,06 5,99 6,98 22,39 23,71 4,41 1,00 9,18 16,26 11,10 12,57 0,79 15,50 24,67 22,96 43,00 29,76 9,19 6,02 22,80 6,44 12,86 12,27 0,47 5,03 1,99 2,10 3,85 6,01 25,06 3,60 14,14 8,85 2,17 1,89 9,60 12,14 14,74 16,05 9,06 5,95 0,63 2,18 6,35 11,21 2,01 15,52 15,50 24,94 2,89 0,22 0,26 13,84 1,76 0,30 0,21 12,62 6,35 5,54 13,03 0,21 1,62 10,39 37,30 22,42 18,87 21,72 10,11 6,82 28,65 0,04 0,05 4,48 0,56 1,80 2,30 7,01 0,14 2,74 1,18 8,19 0,40 3,10 24,89 3,13 1,19 7,78 6,67 4,90 5,58 14,28 6,49 21,39 0,08 17,90 5,73 4,63 2,84 2,85 6,67 3,50 5,66 8,34 0,30 0,30 13,85 6,89 19,99 1,66 4,45 2,85 71,89 165,87 9,80 14,45 1,39 20,60 14,52 69,64 23,00 571,79 13,20 29,04 2,87 3,78 2,41 18,02 9,88 26,16 32,31 26,06 55,67 5,49 0,92 10,91 0,97 6,61 4,86 1,10 2,60 8,07 5,00 5,38 0,48 4,10 24,13 2,85 8,50 3,33 22,48 4,75 2,68 2,10 2,14 7,16 10,50 9,55 13,27 3,95 14,16 8,46 31,58 13,70 3,50 20,00 46,94 3,00 19,61 3,54 9,87 14,63 11,48 0,30 2,72 0,48 5,75 61,72 33,85 28,05 49,53 45,74 45,01 34,84 42,47 1,47 20,05 0,27 6,05 3,16 43,65 17,46 44,63 1,20 55,78 15,39 6,10 12,37 0,59 7,19 23,73 25,01 9,98 31,26 27,16 35,35 35,54 11,05 2,20 0,67 10,83

7,49 6,05 3,03 5,99 7,34 22,39 24,00 4,39 1,01 9,19 16,25 11,10 12,80 0,77 15,50 24,55 22,88 43,00 29,80 9,23 5,80 22,65 6,44 12,90 12,50 0,41 5,00 1,99 2,13 3,85 5,98 25,50 3,60 14,27 9,36 2,12 1,89 9,51 12,00 14,53 15,80 8,94 5,80 0,63 2,24 6,35 11,20 2,02 15,70 15,50 24,98 2,89 0,23 0,23 13,75 1,81 0,25 0,19 12,50 6,40 5,54 13,37 0,20 1,63 10,34 37,30 22,34 18,98 22,00 10,00 6,90 28,50 0,05 0,05 4,42 0,55 1,81 2,35 6,99 0,15 2,72 1,15 8,38 0,39 3,25 24,80 3,13 1,18 7,71 6,70 4,85 5,50 14,00 6,40 21,30 0,08 17,90 5,80 4,55 2,90 2,82 6,69 3,45 5,60 8,59 0,30 0,29 13,71 7,29 19,99 1,67 4,50 2,86 71,89 165,00 9,80 14,30 1,38 20,15 14,52 69,71 23,90 574,00 13,39 28,74 2,87 3,88 2,42 18,02 10,35 26,15 32,10 26,00 55,12 5,51 0,91 10,90 0,97 6,55 4,89 1,10 2,59 8,07 5,00 5,35 0,48 4,00 23,71 2,85 8,40 3,45 22,51 4,71 2,64 2,10 2,12 7,05 10,50 9,55 13,14 4,03 13,95 8,26 31,20 13,51 3,50 20,00 47,00 3,00 19,50 3,54 10,00 14,43 11,25 0,30 2,80 0,48 5,78 61,05 34,20 28,00 50,60 45,50 45,10 34,74 42,54 1,47 20,70 0,28 5,95 3,15 43,75 17,30 43,60 1,21 56,25 16,20 6,11 12,60 0,59 7,25 23,77 24,96 9,72 31,22 27,20 35,70 35,10 10,91 2,20 0,66 10,85

7,40 7,49 +1,7 5,96 6,05 -5,0 3,03 3,20 +0,7 5,65 5,99 +3,4 7,30 7,34 -0,3 20,33 22,40 - 24,00 24,10 -2,4 4,37 4,42 -1,0 0,96 1,01 -1,1 8,61 9,19 -1,5 15,86 16,25 11,00 12,00 +3,2 12,60 12,80 -3,8 0,77 0,78 +10,9 12,55 15,50 -2,0 24,55 24,60 -1,5 22,80 22,88 -2,7 42,60 45,00 +0,3 29,50 29,80 +1,9 9,06 9,21 -7,3 5,80 5,82 -1,6 22,65 22,80 +2,2 6,35 6,44 -0,8 12,76 12,90 +0,1 12,50 12,88 +2,5 0,40 0,41 -1,0 4,99 5,00 -1,5 1,91 1,99 +0,5 2,07 2,13 +0,5 3,79 3,85 -2,0 5,95 5,99 +6,3 24,00 25,90 -0,3 3,53 3,60 -0,9 14,03 14,27 +6,7 9,25 9,36 -7,0 2,12 2,28 -5,5 1,80 2,00 -4,8 9,51 9,55 -6,3 12,00 12,02 -3,1 14,01 14,59 -7,1 15,80 15,91 -8,8 8,92 8,94 -3,3 5,80 5,84 -3,1 0,63 0,74 -0,4 2,12 2,24 6,00 6,35 -3,0 11,15 11,20 -1,9 2,00 2,02 -1,8 15,07 15,70 +0,3 14,50 15,50 -3,9 24,90 24,98 +3,2 2,80 2,89 +21,1 0,22 0,24 -14,8 0,23 0,24 -1,7 13,53 13,80 +0,6 1,73 1,81 -13,8 0,25 0,26 -9,5 0,19 0,21 -3,8 12,30 12,50 -0,8 6,30 6,45 -0,2 5,38 5,55 -0,1 12,76 13,39 0,19 0,20 +0,6 1,61 1,63 -2,5 10,31 10,34 -3,9 36,95 37,30 -0,8 22,00 26,10 -1,5 18,31 18,99 -0,7 21,95 22,00 -2,0 9,15 11,90 -0,7 6,89 6,90 +5,4 20,01 28,99 0,04 0,05 0,04 0,05 -4,3 4,42 4,44 -5,2 0,55 0,57 1,77 1,81 -2,1 2,25 2,35 -3,5 6,86 7,00 +7,1 0,14 0,15 -3,9 2,71 2,72 -8,7 1,15 1,17 +0,1 8,12 8,38 -2,5 0,38 0,39 +0,3 3,10 3,20 -1,0 24,80 25,12 -0,6 2,62 3,00 -3,3 1,16 1,18 -5,4 7,71 7,79 6,70 6,78 -4,3 4,85 4,92 -2,7 5,49 5,50 -2,1 14,00 14,17 -3,0 6,40 6,54 -4,1 21,30 21,50 +14,3 0,07 0,08 +2,3 17,54 17,80 -0,9 5,66 5,80 -1,5 4,54 4,80 -2,4 2,78 2,90 -0,4 2,80 2,82 -3,0 6,69 6,73 -1,4 3,45 3,53 -12,2 5,59 5,60 8,11 8,63 +7,1 0,28 0,30 0,28 0,29 -8,5 13,71 14,48 -0,8 4,30 7,30 +2,5 15,00 20,00 -0,6 1,65 1,67 -0,9 4,50 4,54 -2,7 2,85 2,86 +1,8 68,01 71,99 -1,8 165,00 169,00 -2,8 9,70 9,80 -4,4 14,30 14,50 -0,7 1,33 1,38 -3,1 20,12 20,15 -2,6 14,46 14,52 -0,1 69,71 69,80 -0,4 23,00 23,90 -1,9 566,00 574,00 +1,4 13,07 13,39 -2,9 28,74 29,06 -1,7 2,82 2,89 -5,4 3,71 3,88 -3,2 2,38 2,42 +2,3 17,90 18,43 +0,5 9,93 10,36 -2,8 26,15 26,20 -1,3 31,92 32,10 -1,4 25,90 26,00 -3,5 55,12 56,00 -0,4 5,36 5,51 0,90 0,91 -2,7 10,87 10,90 -1,0 0,96 0,97 -3,7 6,46 6,55 -2,0 4,85 4,89 0,99 1,12 -2,3 2,58 2,64 +11,8 6,90 8,09 4,10 5,10 +1,9 5,35 5,40 0,47 0,48 -3,6 3,91 4,15 -4,2 23,71 23,96 2,10 2,85 -2,3 8,31 8,49 +1,8 3,45 3,48 -1,3 22,22 22,51 -3,5 4,55 4,80 -4,0 2,64 2,65 -5,0 2,07 2,19 -0,5 2,12 2,34 -5,5 7,05 7,19 +0,5 9,71 10,50 -2,5 9,50 9,65 -1,9 13,05 13,14 +0,8 3,90 4,03 -3,7 13,00 13,95 -4,0 8,26 8,35 -6,3 31,16 31,20 -4,2 13,50 13,51 -3,6 3,50 3,60 -5,7 20,00 24,90 - 46,63 47,18 -1,6 2,82 3,00 -1,6 19,35 19,50 +0,6 3,42 3,55 -0,1 9,80 10,00 -6,5 14,33 14,43 -13,5 11,25 11,50 0,21 0,40 +2,6 2,72 2,81 0,45 0,48 -2,0 5,60 5,78 -6,1 56,60 64,88 +0,6 33,10 34,20 -1,8 28,00 28,12 -7,8 45,00 54,88 -2,4 45,50 45,87 +0,3 45,00 45,10 -0,2 34,36 34,74 -0,6 41,87 42,54 -3,3 1,46 1,47 +3,4 20,50 20,70 0,27 0,28 -3,6 5,95 5,97 -3,1 3,12 3,15 -1,0 42,58 43,75 -0,9 17,30 17,45 -4,1 43,60 43,70 -0,8 1,21 1,25 -2,5 56,25 56,49 14,65 19,17 -1,5 6,11 6,25 +0,1 12,47 12,60 +1,7 0,58 0,59 -2,0 7,17 7,25 -6,8 23,66 23,77 -6,2 24,96 24,98 -7,3 9,72 9,86 -4,5 31,22 31,25 -3,9 27,13 27,20 -5,6 - 35,70 -3,3 35,10 35,27 -3,1 10,91 11,00 -2,7 2,20 2,38 +6,5 0,65 0,66 10,55 10,85 FONTE: BOVESPA

Ações na China sobem mesmo sem pacote Apesar de Pequim ter frustrado a expectativa de expansão do pacote de estímulo econômico anunciado no final de 2008, as bolsas da China fecharam em alta ontem, com investidores mantendo a esperança de nova proposta de gastos públicos. O índice Xangai Composto subiu 1%, para 2.221,08 pontos, e o Shenzhen Composto avançou 0,5%, para 719,01 pontos.

Juros 10 anos EUA* 30500

2,8179 5,79%

30000

29500

29000

28500

28800 28000

26/2

27

Índice de fechamento Variação (%)

4

EUA T-NOTE 10a

2,81785

EUA T-bond 30a

3,49905

-16,19

EUA T-note 2 a

0,89090

-23,36

Libor Euro 1º

1,98688

Libor Libra 1ª

2,33000

6.594,44

-4,09

-9,30

-6,63

-23,93

1.299,59

-4,00

-8,83

-5,68

682,55

-4,25

-10,77 -7,15

15.425,52

-3,34

-3,91

-3,47

-8,00

3.529,86

-3,18

-8,29

-7,84

-19,64

3.695,49

-5,02

-3,92

-3,86

-23,17

2.569,63

-3,96

-4,72

-4,92

-20,13

7.433,,49

1,95

-0,37

-1,78

-16,10

12.211,24

-0,97

-6,10

-4,69

-15,13

6,63

21,18

2.221,10

1,05

0,66

11.172,00

-5,39

-10,58 -10,81

-25,99

7.025,90

-4,51

-6,47

-7,81

-23,60

5

EMBI (Emerging Markets Bond Index) é calculado pelo Banco J. P.Morgan

Taxa (%)

Pontos Diário Semanal Mensal Anual

! ! NY-Nasdaq ! NY-SP500 ! ADR B Titan ! Londres ! Frankfurt ! Paris n Tóquio ! Hong Kong n Xangai ! Milão ! Madri ! Latibex ! Lisboa ! México ! Buenos Aires ! Cingapura

3

Risco país

Juros externos

Bolsas internacionais

NY-D Jones

2/3

*Cotação da taxa até as 18hs

Libor Iene 1 ª

0,96650

Libor Dólar 1ª

2,13625

Pontos

Var. (%)

Brasil 456 6,29 Embi+ 689 3,30 Argentina 1.812 4,44 México 423 6,82 Rússia 683 2,71 Latim 716 3,32

Commodities Petróleo/Nymex-Abr./09 Petróleo/Brent-Abr./09

Cotação

Variação (%)

US$ 43,61 US$ 43,80

-3,90 -5,03

Metais (Mercado em Londres) 1.950,10

-1,91

1,90

0,39

10,60

5.748,94

-1,20

-1,75

-4,24

-9,58

17.365,90

-2,58

-4,59

-2,18

-22,54

954,81

-5,03

-6,31

-6,33

-11,56

1.518,64

-1,66

-6,07

-4,78

-14,23

Em dólares por tonelada Preço à vista para contratos trimestrais (mercado futuro) Produto

Dia anterior

Ontem

Produto

Ontem

Dia anterior

.

Chumbo 1.184,00 1.180,00 3.680,00 3.745,00 1.321,00 1.357,00 Cobre Estanho 10.900,00 10.950,00 Alumínio Níquel 9.825,00 10.025,00 Prata Mai. 13,120 12,915 Zinco 1.243,00 1.205,00

Moedas e índices Dólar (em R$) 19/2 20/2 25/2 26/2 27/2 2/3 3/3 4/3 5/3

Comercial Compra Venda 2,349 2,351 2,389 2,387 2,375 2,373 2,344 2,342 2,371 2,369 2,443 2,441 2,412 2,410 2,372 2,370 2,378 2,380

Paralelo Compra Venda 2,270 2,480 2,300 2,500 2,260 2,460 2,230 2,470 2,320 2,500 2,340 2,490 2,310 2,490 2,360 2,460

Dólar americano

US$ 1/NY -

Dólar australiano

1,5679 1,9669

2,2141 0,6588

Dólar canadense

1,2909

1,6194

1,8229 0,5424

Euro moeda Franco suíço

0,7971 1,1710 1,4690 97,94 122,87

1,1257 0,3349 1,6536 0,4920 138,11 41,15

Iene japonês

2,380

2,460

0,34%

2,440 2,420 2,400 2,380 2,360 2,340

26/2

27

2/3

3

4

5

Câmbio (Ontem, em R$)

Moedas Moedas

Dólar

EM REAIS

1 euro/ 1 libra/ R$ 1/ Europa Londres Brasil 1,2545 1,4122 0,4202

Libra esterlina

0,7081 0,8884

Peso argentino

3,6230

-

Peso chileno

609,75 764,93

Rublo russo

35,818 44,934 50,580 15,050

4,5451

5,1162

0,2975 1,5223

861,06 256,20

Moeda Dólar Dólar australiano Dólar canadense Euro Franco suíço Iene Libra inglesa Peso argentino Peso chileno Rublo Yuan

Banco Central Compra Venda 2,2814 2,3822 1,5162 1,5175 1,8451 1,8465 2,9865 2,9880 2,0343 2,0359 0,0242 0,0242 3,3626 3,3645 0,6569 0,6577 0,0039 0,0039 0,0663 0,0664 0,3481 0,3482

As moedas na vertical: valor de compra sobre as demais

Outros indicadores (ontem) Fecham.

Ouro (o Grama - R$) Dólar Paralelo (R$) Dólar Turismo (R$) Dólar Comercial (R$) CDB - 30/20(%) CDI Capital de Giro Hot Money Global 40

69,301 2,460 2,493 2,380 11,75 12,62 15,76 1,92 121,75

Var. Var. Var. dia % Mês% Ano%

0,44 -1,00 8,37 -1,20 -0,40 0,82 0,12 0,12 0,93 0,34 0,38 1,93 0,78 -7,04 -12,05 0,00 0,00 -7,00 -3,67 0,51 -12,88 -1,03 14,97 9,71 -0,45 -1,02 -6,85

FALÊNCIAS ● São Paulo

Pedidos ajuizados ontem no Tribunal de Justiça de São Paulo. ● Falências

Nos termos provimento CSM CXC/84, informamos que ontem não houve pedido de falência na Comarca da Capital-SP. Diretoria Técnica de Distribuição Cível Tribunal de Justiça SP - Capital

DI-Over Data 19/2 20/2 25/2 26/2 27/2 2/3 3/3 4/3 5/3

dia 0,0472 0,0472 0,0472 0,0472 0,0507 0,0471 0,0472 0,0472 0,0472

Acumulado no mês no ano 0,6627 1,7124 0,7102 1,7604 0,7577 1,8084 0,8052 1,8564 0,8563 1,9080 0,0471 1,9596 0,0943 2,0042 0,1416 2,0523 0,1888 2,1004

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 13 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B13 -

%HermesFileInfo:B-13:20090306:

ECONOMIA B13 ECONOMIA B13

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

MERCADOS Agronegócios: Açúcar segue outros mercados e cai forte

Segundoanalistas,oaçúcarvoltou a acompanhar o desempenho de outros ativos em dia nervoso nos mercados financeiros. Apesar disso, o açúcar têm se comportado melhor do que outras commodities. O déficit na produção e a crescente pressão sobre os estoques mundiais limitam o potencial de queda.

O preço do açúcar tipo demerara sofreu forte queda ontem na bolsa ICE Futures US, em Nova York. O contrato mais negociado, com vencimento em maio, fechou o pregão cotado a 12,83 cents/lb, com perda de 3,24%.

Cotações do açúcar em NY*

Cotação fech. em cents e decimais à negócios

13,80

12,83

13,60

3,24%

13,40 13,20

Milho - por ‘Bushel’ de 56 libras peso

Soja - por ‘Bushel’ de 60 libras peso

Mar. Mai. Jul. Set.

Mar. Mai. Jul. Ago.

349,25 358,50 367,75 376,25

862,50 852,00 851,25 837,50

Trigo - em cents por bushel de 60 libras-peso

13,00

12,60

2/3

3

4

5

Farelo de soja em dólares por toneladas

Mar. Mai. Jul. Ago.

268,80 261,30 258,00 253,50

Óleo de soja - cents por libra-peso

Mar. 551,25 Mai. 504,00 Set. 572,00 Jul. 515,00 Dez. 527,00 Mar./10 589,50 Ago.

Mar. Mai. Jul.

12,80

27

Suco de laranja (Nova York) em cents, por libra-peso.

Bolsa de Chicago (Cereais)

14,00

26/2

Cotações da soja em Chicago*

Commodities agrícolas

EM CENTS DE US$/LIBRA-PESO (Uma libra-peso equivale a 0,45 kg)

30,44 30,71 31,03 31,19

Mar. Mai. Jul. Set.

73,50 72,60 74,65 77,25

Açucar (Nova York) (em cents por libra-peso).

Café (Nova York) (em cents por libra-peso).

Mai. Ago. Out. Dez. Mar./10

Mar. Mai. Jul. Set. Dez.

Algodão

Mar. Mai. Jul. Out. Jan./10

Nova York – em cents por libra-peso

Cacau - (Londres - em libras esterlinas por tonelada)

Mar. Mai. Jul.

Mar. Mai. Jul.

40,19 41,38 42,54

12,83 13,14 13,60 13,90 14,32

(Londres) (em dólares por tonelada)

381,50 379,10 377,00 380,70 384,70

1.823 Set. 1.756 Dez. 1.706 Mar./10

EM US$/BUSHEL (Bushel de soja igual 27,2154 kg)

(Londres) (Em dólares por tonelada)

106,55 108,70 110,95 113,25 119,00

87500

1.516 1.511 1.520 1.534 1.550

87000

Cacau - (Nova York – em dólares por tonelada)

85000

1.680 Mar. 1.645 Mai. 1.621 Jul.

Mar. Mai. Jul. Set. Nov.

2.655 Set. 2.570 Dez. 2.563 Mar./10

BMF

86000 85500

2.558 2.550 2.530

84500 84000

26/2

DO DIA 5/3/2009 Volume geral Contratos Num. de

Contratos

Part.

Sistema Pregao

em Aberto Negócios Negociados

Volume

%

Vencto.

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Preço

Ajuste

CNI: Milho

4.906

19

73

701.095 0,00% MAR09

319

13

20,70 20,70 20,70 20,70

20,90

BGI: Boi Gordo

25.951 1.042

5.212

127.046.000 0,13% MAI09

3.186

60

21,43

21,50

SOJ: Soja

11.247

38

155

3.202.263 0,00%

DDI: Cupom Cambial 1.131.641

1

6.000

713.348.700 0,72%

21,43 21,50 21,50

Boi Gordo

DOL: Dólar Comerc

1.533.703 11.025 340.300 33.130.220.000 33,57%

(contrato = 330@; cotação = R$/@)

IDI: Índice IDI

2.017.867

Mercado Futuro Preço

Ajuste

10.192.370 19.113 1.239.719 98.702.110.000 100,00% MAR09

247

20

76,30 76,30 76,30 76,30

76,41

Indicador Cepea/ESalq (Campinas)

ABR09

140

1

73,50 73,50 73,50 73,50

73,50

MAI09

5.420

4.427

73,65 72,56 73,65 72,56

72,71

JUN09

115

4

74,45 74,22 74,45 74,22

74,22

JUL09

742

6

77,00 77,00 77,00 77,00

77,00

42 108.959

OZ1: Ouro 250g

37.024

6.608.478 0,01%

88.391 2.523.030.000 2,56%

7

144

2.484.616 0,00%

Açúcar (contrato = 270 sacas; cotação = US$/saca) Mercado Futuro Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

JUL09

Vencto.

AGO09

Aberto

150

0

0,00

Preço

0,00 0,00

Ajuste

0,00

16,25

Café Arábica

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

797

209

Preço

78,30 77,60 78,38 77,60

77,60 78,00

SET09

944

39

78,65 78,00 78,79 78,00

OUT09

6.191

494

79,20 78,70 79,20 78,76

78,80

NOV09

824

10

79,25 79,00 79,25 79,00

79,06

DEZ09

10

2

79,50 79,50 79,50 79,50

78,80

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

MAR09

1.361

1

113,10 113,10 113,10 113,10

MAI09

1.597

17

117,00 117,00 117,00 117,00

JUL09

200

0

0,00

Preço

0,00 0,00

Ajuste Vencto.

20,62

--

PREÇO MÉDIO 261,13 258,50 241,60 251,67 247,00

R$/Arroba, a prazo REGIÃO Araçatuba (SP) Barretos (SP) Bauru/Marília (SP) Campo Grande (MT) Cuiabá (MT) Dourados (MT) Goiânia (GO) Presidente Prudente (SP) Noroeste do Paraná (PR) Triângulo Mineiro

Contr.

Contr. Preço de

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Preço

113,20 ABR09

811

0

0,00

0,00 0,00

Último Preço

Ajuste

0,00

20,20

PREÇO MÉDIO 79,58 79,67 80,45 70,32 68,50 72,00 71,72 80,18 78,00 71,65

MÍNIMA MÁXIMA ------68,00 -72,00 69,00 -72,00 --78,00 -71,65 78,00 71,65 -A PRAZO 79,54 MÉDIA 79,12 633,48 629,91

117,90 MAI09

6.833

83

19,60

19,25 19,60 19,42

19,42

122,00 JUN09

895

72

19,10

19,10 19,30 19,30

19,30

126,70 SET09

25

0

0,00

0,00 0,00

0,00

19,06

MAI10

40

0

0,00

0,00 0,00

0,00

18,02

JUL11

25.991

125

11,240 11,170 11,240 11,170

78.272,29 AB80 253.500,00

37.100

5.811

8,00

5,85

8,00

5,85

OUT11

18.951

0

0,000 0,000 0,000 0,000

76.048,98 AB84 253.600,00

88.300

3.106

5,00

0,53

5,00

0,53 0,01

11.311

1.044 127,60 124,95 127,80 126,70

DEZ09

3.825

26 129,50 129,50 130,00 130,00

130,85

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abacate Fortuna A .......................Cx K 23,00/25,00 Fucks A ...........................Cx K 18,00/20,00 Avocado A ...........................Cxt 15,73/17,78 Quintal A ..........................Cx K 19,70/22,11 Abacaxi Havaí A Graúdo ...........Cem 339,19/372,99 Havaí B Médio ...........Cem 266,21/300,00 Havaí C Miúdo .............Cem 207,01/227,01 Pérola A Graúdo .........Cem 447,63/497,30 Pérola B Médio ............Cem 349,51/398,10 Pérola C Miúdo ............Cem 251,87/300,19 Acerola Fresca ................................Cxt 10,00/12,00 Ameixa Leticia Calibre 4 ....................Kg 3,50/3,70 Leticia Calibre 3 ....................Kg 2,80/3,00 Leticia Calibre 2 ....................Kg 2,00/2,30 Atemóia 8/10 Frutos .........................Cxt 17,56/19,12 12 Frutos ............................Cxt 14,52/15,52 15 Frutos ............................Cxt 12,04/13,04 Ameixa Estrang. Argentina ................................Kg 3,48/3,78 Banana Terra .......................................Kg 1,34/1,44 Maçã .......................................Kg 2,06/2,24 Ouro ........................................Kg 2,14/2,20 Prata Mg ..................................Kg 1,53/1,73 Prata Sp ..................................Kg 1,39/1,55 Nanica Climat. ........................Kg 0,70/0,78 Cajú A .......................................Eng 16,02/17,24 B .........................................Eng 13,16/14,28 Caqui Fuyu A ...................................Kg 3,65/3,99 Fuyu B ...................................Kg 2,90/3,27 Fuyu C ....................................Kg 2,18/2,56 Rama Forte A .........................Kg 1,85/1,99 Rama Forte B .........................Kg 1,52/1,63 Rama Forte C ..........................Kg 1,18/1,33 Taubate A ...............................Kg 1,60/1,70 Giombo A ...............................Kg 3,09/3,38 Giombo B ................................Kg 2,45/2,77 Giombo C .................................Kg 1,89/2,16 Carámbola .................................................Cxt 7,01/8,01 Coco Verde ..............................................Cem 5,51/5,97 Figo A ...........................................Cxt 4,84/5,76 B .............................................Cxt 3,15/3,75 Figo Da India A ..........................................Cxt 5,00/6,00 B ...........................................Cxt 3,00/4,00 Fruta Do Conde 9/10 Frutos ........................Cxt 20,65/22,14 12 Frutos ............................Cxt 17,50/18,50 15 Frutos ............................Cxt 15,06/16,06 18 Frutos ............................Cxt 12,23/13,30 Goiaba Vermelha 9 Frutos ................Cxt 6,46/7,46 Vermelha 12 Frutos ..............Cxt 6,46/7,46 Vermelha 15 Frutos ..............Cxt 6,46/7,46 Vermelha 18 Frutos ...............Cxt 4,01/4,67 Branca 9 Frutos ....................Cxt 4,01/4,58 Branca 12 Frutos ....................Cxt 4,01/4,58 Branca 15 Frutos ....................Cxt 4,01/4,58 Branca 18 Frutos ...................Cxt 2,45/2,88 Jaca ................................................Kg 0,90/1,00 Kiwi Estrang. Itáliano ...............................Cxt 41,59/45,40 Kiwi Nacional ............................................Cxt 23,96/28,27 Laranja Baia A (7/10 Dz) .............Cx M 35,91/40,91 Baia B (11/13 Dz) ..........Cx M 25,24/30,24 Baia C (14/15 Dz) ..........Cx M 18,29/20,37 Lima A (10/13 Dz) .........Cx M 35,55/40,29 Lima B (14/15 Dz) ..........Cx M 25,71/30,49 Lima C (18/21 Dz) ..........Cx M 18,69/20,77 Pera A (10/13 Dz) ...........Cx M 25,05/26,15 Pera B (14/15 Dz) ..........Cx M 20,87/21,87 Pera C (18/21 Dz) ...........Cx M 16,72/17,72 Seleta A (8/10 Dz) .........Cx M 25,34/26,53 Seleta B (11/13 Dz) .........Cx M 20,54/21,63 Seleta C (18/21 Dz) ........Cx M 15,98/17,00 Lima Pérsia A (9/10 Dz) .........Cx M 64,56/69,56 Pérsia B (13/15 Dz) .......Cx M 49,56/54,56 Pérsia C (18/24 Dz) .......Cx M 34,56/39,56 Limão Taiti A (21/27 Dz) ............Cx M 19,67/21,13 Taiti B (32/38 Dz) ..........Cx M 15,20/16,67 Taiti C (40/45 Dz) ...........Cx M 11,12/12,40

Boi Gordo

0,00

SET09

Frutas

--

MÍNIMA MÁXIMA 257,00 265,00 255,00 238,00 260,00 250,00 245,00 245,00 255,00 252,00 ---

262,22

Indicador Cepea/ESalq (SP)

Mercado Futuro

Vencto.

R$ 150,00 a R$ 143,01/Cem

MÍNIMA MÁXIMA 15,50 17,00 16,00 17,50 17,00 18,55 16,90 17,30 10,51 11,00 17,50 19,26 15,50 18,00 16,00 17,50

R$/Saca de 60 kg REGIÃO Cerrado (MG) Sul de Minas Gerais Noroeste do Paraná (PR) Zona da Mata (MG) Garça (SP)

(contrato = 27 toneladas; cotação = US$/60 Kg)

Mercado Futuro

--

Café Arábica Tipo 6 duro p/ melhor

Soja

(contrato = 100 sacas; cotação = US$/saca)

--

PREÇO MÉDIO 16,17 16,39 17,78 17,04 10,76 18,72 17,09 16,90

REGIÃO Mogiana (SP) Norte do Paraná Passo Fundo (RS) Sudoeste do Paraná Sorriso (MT) Chapecó (SC) Rio Verde (GO) Triângulo Mineiro

194.316 4.257

Vencto.

44,80

R$/Saca de 60 kg

5.235.710 2.682 690.485 62.195.460.000 63,01%

Total Pregão

Indicador Cepea/ESalq (PR)

À VISTA 78,53

Indicador do Boi Gordo ESalq-BMF-R$/cabeça Indicador do Bezerro ESalq-BMF-R$/cabeça

631,05

BM&F DERIVATIVOS

Cupom Cambial (contrato = US$50.000,00; cotação = taxa de juro) Mercado Futuro Vencto.

ABR09

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Ajuste

0,00

99.422,85

0,00

Preço

275.283

0

0,00 0,00

MAI09

82.180

6.000

3,50

3,50

3,50

3,50

99.337,75

JUN09

50.090

0

0,00

0,00 0,00

0,00

99.194,98

JUL09

115.812

0

0,00

0,00 0,00

0,00

99.010,17

OUT09

91.925

0

0,00

0,00 0,00

0,00

98.251,93

JAN10

106.729

0

0,00

0,00 0,00

0,00

97.208,10

ABR10

41.890

0

0,00

0,00 0,00

0,00

96.076,86

JUL10

51.195

0

0,00

0,00 0,00

0,00

94.918,76

OUT10

34.155

0

0,00

0,00 0,00

0,00

93.685,35

JAN11

41.770

0

0,00

0,00 0,00

0,00

92.520,85

ABR11

15.716

0

0,00

0,00 0,00

0,00

91.390,60

JUL11

29.255

0

0,00

0,00 0,00

0,00

90.281,32

OUT11

12.754

0

0,00

0,00 0,00

0,00

89.110,81

11,420 11,210 11,430 11,240

74.052,22 AB85 253.700,00

80.326

221

0,01

0,01

0,01

ABR12

11.861

600

11,350 11,350 11,400 11,400

71.849,00 AB86 253.800,00

78.904

520

0,01

0,01

0,01

0,01

JUL12

9.694

0

0,000 0,000 0,000 0,000

69.771,46 AB87 253.900,00

68.100

476

0,01

0,01

0,01

0,01

67.623,67 JU9R 259.800,00 65.632,72 JU9S 260.300,00

1.000

500 175,00 175,00 175,00

175,00

62.700

2.500 42,00 35,00 42,00

35,00

113.300 12.500 65,00 50,00 65,00

50,00

JAN12

669.025 102.975

OUT12

15.014

0

0,000 0,000 0,000 0,000

JAN13

45.308

1.995

11,770 11,650 11,770 11,670

JAN14

47.701

1.160

12,100 11,930 12,120 11,940

JAN15

14.205

50

12,180 12,180 12,180 12,180

JAN16

4.585

50 12,280 12,280 12,280 12,280

45.740,12

JAN17

81.336

1.220 12,300 12,200 12,400 12,200

40.698,61

58.115,99 JU9T 260.100,00 51.484,39 JU9X 259.600,00

1.000

500 335,00 335,00 335,00

Ibovespa Mercado Futuro

(contrato = US$50.000,00; cotação = R$/US$1.000,00)

Vencto.

Mercado Futuro Contr.

Contr. Preço de

Preço

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Ajuste

ABR09

451.861 269.075 2.415,0 2.390,52.423,0 2.416,0 2.398,0310

MAI09

24.320

215 2.430,0 2.418,0 2.440, 2.440,0 2.416,7610

JUN09

21.675

900 2.435,0 2.435,0 2.438, 2.435, 2.433,0730

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Ajuste

107.855

64.621 38.050 37.450 38.550 38.055

37.702

JUN09

5.690

850 39.000 38.50039.000 38.500

38.278

DEZ09

4.790

120 41.100 41.000 41.100 41.000

39.955

Ouro (contrato = 250g; cotação = R$/g)

JUL09

63.060

40 2.457,0 2.457, 2.457, 2.457,0 2.449,0530

SET09

2.760

200 2.490,0 2.490,0 2.490, 2.490,0 2.478,4480

Mercado Disponível

Mercado Futuro

OUT09

12.645

200 2.502,0 2.502,0 2.502, 2.502,0 2.492,6040

Núm.

Contr.

Preço de

NOV09

2.505

270 2.517,0 2.517,0 2.517,0 2.517,0 2.503,9570

Negoc.

Negoc.

Abertura

JAN10

36.506

2.340 2.526,0 2.526,02.526,0 2.526,0 2.526,8130 7

Vencto.

Contr. Preço de

Aberto

Preço

Preço

Último

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

ABR09

(contrato = R$100.000,00; cotação = Taxa) Contr.

144

Preço

Preço Último

Mínimo Máximo

Var.

Preço

Ptos.

68,200 68,200 69,800 69,301 0,301

Preço

Ajuste

ABR09

979.212

114.340

11,820 11,800 11,870 11,820

99.160,73

MAI09

285.011

5.360

11,680 11,660 11,680 11,670

98.307,64

Índice IDI

JUN09

94.048

7.935

11,390 11,370 11,390 11,370

97.508,21

JUL09

653.612 106.660

11,200 11,150 11,220 11,170

96.691,51

(contrato = preço de exercício x R$1,00; cotação = (contrato = cotação a futuro x R$50,00; pontos do índice) cotação = pontos do índice) Mercado de Opções S/Disponível - Compra Mercado Futuro

OUT09

330.355

41.385 10,830 10,760 10,850 10,760

94.274,56

JAN10

1.340.491

212.775 10,670 10,590 10,710 10,590

92.009,91

ABR10

63.954

500 10,680 10,610 10,680 10,610

JUL10

208.731

OUT10

41.934

JAN11

256.203

75.210

ABR11

19.062

665

16.235

335,00

(contrato = cotação a futuro x R$1,00; cotação = pontos do índice)

Dólar Comercial

Vencto.

DI de 1 Dia

IPCA

Preço

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Exerc.

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

85.073,32 JA8D 274.000,00

7.700

200 390,00390,00 390,00

390,00 ABR09

0

0

11,120 10,910 11,120 10,930

82.742,36 JA9H 274.500,00

9.600

200 315,00 315,00 315,00

315,00 MAI09

0

0

0,000 0,000 0,000 0,000

2.939,838

11,110 11,080 11,120 11,100

80.435,47 AB8G 253.400,00

500

2.500 58,00 58,00 58,00

10,710 10,670 10,800 10,670

1.245 10,800 10,800 10,870 10,830

89.781,81 87.501,38

ChuchuExtraAA

MÍNIMA MÁXIMA 41,00 46,50 42,00 46,00 42,14 43,50 37,00 40,00 37,50 40,50 36,00 38,00

PREÇO MÉDIO 43,34 43,31 42,98 38,59 39,32 37,00

REGIÃO Norte do Paraná Ponta Grossa (PR) Passo Fundo (RS) Rio Verde (GO) Triângulo Mineiro Rondonópolis (MT)

● Em alta

cocoVerde

Milho Semi-Duro ao produtor

DI1: DI de 1 dia

IND: Ibovespa

● Em baixa

R$/Saca de 60 kg

Mercado Futuro

Commodity

Série

Preço

Vencto.

Contr.

Contr. Preço de

Preço

Último

Aberto

Negoc. Abertura Mínimo Máximo

Preço

Preço

Ajuste

0,000 0,000 0,000 0,000

2.932,009

58,00

R$ 17,40 a R$ 27,14Cx/Kg

Maçã Estrang. Red Del 80-163 Frutos ..........Kg 3,44/3,71 Granny Smith 80-162 Frutos .Kg 3,50/3,87 Maçã Nacional Fuji 80-150 Frutos ................Kg 3,87/4,14 Fuji 163-175 Frutos ..............Kg 3,27/3,54 Gala 80-150 Frutos .............Kg 2,30/2,46 Gala 163-175 Frutos ............Kg 1,88/2,08 Golden 80-150 Frutos ..........Kg 2,60/2,70 Golden 163-175 Frutos .........Kg 2,40/2,50 Mamão Formosa A .............................Kg 1,71/1,84 Formosa B .............................Kg 1,41/1,54 Havaí 12 Frutos ....................Kg 2,46/2,67 Havaí 15 Frutos ...................Kg 2,48/2,69 Havaí 18 Frutos ....................Kg 2,46/2,69 Havaí 21 Frutos .....................Kg 2,16/2,29 Havaí 24/28 Frutos ...............Kg 1,87/1,99 Manga Hadem 9 Frutos ...................Kg 5,40/5,82 Hadem 12 Frutos ................Kg 5,34/5,80 Hadem 15 Frutos .................Kg 3,87/4,30 Hadem 18 Frutos .................Kg 2,59/3,00 Palmer 9 Frutos ...................Kg 2,85/3,06 Palmer 12 Frutos .................Kg 2,86/3,08 Palmer 15 Frutos .................Kg 2,31/2,59 Palmer 18 Frutos .................Kg 1,78/2,00 Tommy Atkins 12 Frutos .....Kg 2,34/2,56 Tommy Atkins 15 Frutos ......Kg 1,91/2,09 Tommy Atkins 18 Frutos ......Kg 1,50/1,66 Maracujá Azedo A ........................Cx K 41,51/44,46 Azedo B ........................Cx K 34,44/37,31 Azedo C .......................Cx K 27,70/30,06 Doce 8 Frutos ...................Cxt 8,66/10,66 Doce 10 Frutos ..................Cxt 8,66/10,66 Doce 12 Frutos ....................Cxt 5,66/6,66 Doce 15 Frutos ....................Cxt 3,66/4,66 Melância Redon/Comprida Graúda ....Kg 1,10/1,20 Redon/Comprida Média .....Kg 0,90/1,00 Redon/Comprida Miúda ....Kg 0,70/0,80 Melão Amarelo 6/7 Frutos ........Cx 23,26/24,60 Amarelo 8/9 Frutos ........Cx 23,26/24,60 Amarelo 10/11 Frutos .......Cx 20,38/21,51 Amarelo 12/14 Frutos .......Cx 17,21/18,44 Mexerica Rio A ............................Cx M 45,00/50,00 Rio B ............................Cx M 35,00/40,00 Rio C ............................Cx M 28,00/30,00 Morango Comum (4 Cumb/2 Cam) Cxt 8,63/10,07 Caminho Real (4 Cumb/2 Cam) .Cxt 10,00/12,00 Nectarina Estr. Argentina .............................Kg 3,48/3,72 Pera Estrang. Danjou ...........................Cx P 58,97/65,23 Pack's Triumph ............Cx P 60,00/65,00 Red Bartelet ................Cx P 60,00/65,00 William's .......................Cx P 60,90/65,90 Rocha .............................Cx P 55,13/60,13 Pêssego Estran. Argentino .............................Kg 3,62/3,89 Quincam ..........................................Cxt 10,18/12,18 Roma ........................................Cxt 18,00/20,00 Tangerina Cravo A (10/12 Dz) .....Cx M 39,33/44,33 Cravo B (13/15 Dz) .....Cx M 29,33/34,33 Cravo C (18/21 Dz) ......Cx M 21,29/24,33 Murcot A (8/10 Dz) .....Cx M 57,00/62,00 Murcot B (11/12 Dz) ....Cx M 45,00/50,00 Murcot C (13/15 Dz) ..Cx M 33,00/38,00 Poncam A (8/10 Dz) ....Cx M 62,01/67,01 Poncam B (11/12 Dz) ...Cx M 46,36/51,36 Poncam C (13/15 Dz) ..Cx M 33,89/38,15 Uva Niagara Extra A .....................Kg 3,59/3,81 Niagara Extra ......................Kg 3,07/3,27 Niagara Especial ..................Kg 2,49/2,80 Itália Extra A .........................Kg 3,50/3,73 Itália Extra ............................Kg 3,00/3,24 Itália Especial ......................Kg 2,43/2,72 Isabel Extra ..........................Kg 1,80/2,00 Brasil Extra A .......................Kg 4,12/4,39 Brasil Extra ..........................Kg 3,36/3,76 Brasil Especial ......................Kg 2,69/2,89 Rubi Extra A ........................Kg 3,53/3,90 Rubi Extra ............................Kg 2,93/3,13 Rubi Especial ........................Kg 2,46/2,72 Benitaka ................................Kg 3,70/4,16 Red Globe ............................Kg 3,68/3,88 Uva Estrang. Moscatel ..............................Kg 5,07/5,57 Thompson ...........................Kg 5,03/5,50 Red Globe ............................Kg 3,80/4,08

Nº índice

Variação % No dia

No mês No ano

20/2 3.908,245931 -0,091666 0,690483 2,618886 25/2 3.911,598820 0,085790 0,776865 2,706923 26/2 3.923,579638 0,306290 1,085534 3,021504 27/2 3.932,437634 0,225763 1,313748 3,254088 2/3 3.937,105000 0,118689 0,118689 3,376639 3/3 3.937,681514 0,014643 0,133349 3,39177 4/3 3.935,080867 -0,066045 0,06216 3,323492 5/3 3.942,305188 0,1835588 0,250927 3,513181

Indicadores Unid.

Taxa selic - atraso*

TR/poupança

Data

Período

Valor

Unid.

Out./00 UFIR 1,0641 FGTS UFESP 2009 15,85 TR UFM-SP 2009 92,35 TJLP Jan. a Mar. 21,67 SELIC UPC Seg.Desem. Março 870,01 CDI

Período

%

Fevereiro

0,4311 0,1438 6,25 0,86 0,85

Março Jan. a Mar. Fevereiro Fevereiro

INPC (IBGE) IGP-M (FGV) IGP-DI (FGV) IPA- DI (FGV) IPC-DI(FGV)

. IPC (FIPE)

0,0590 0,0501 0,0416 0,0416 0,0416 0,0656 0,0791 0,1107 0,0908 0,1729 0,0871 0,0871 0,1204 0,1438 0,1729 0,1641 0,1480

0,00327686 0,00278268 0,00231066 0,00231066 0,00231066 0,00364332 0,00439280 0,00614679 0,00504228 0,00959772 0,00653188 0,00653188 0,00573005 0,00653188 0,00751118 0,00712919 0,00643023

0,8194 0,8105 0,7919 0,7919 0,7919 0,8361 0,8597 0,9016 0,8715 0,9943 0,8678 0,8678 0,91114 0,9550 0,9943 0,9754 0,9592

19/3 20/3 21/3 22/3 23/3 24/3 25/3 26/3 27/3 28/3 -

0,5593 0,5504 0,5418 0,5418 0,5418 0,5659 0,5795 0,6113 0,5913 0,6738 -

Jan.

Fev.

0,64 -0,44 0,26 0,01 -0,33 0,83 0,46

0,27

ICV (DIEESE) 0,69 ICVM ORDEM 0,58 IPCA (IBGE) 0,48 IPCA-E (IBGE) CUB(Sinduscon)* 0,21 INCC (FGV) 0,33 IPCE (PINI) 0,15 IPA-M (FGV) -0,95 0,20 *Nova série em março/2007

Março 0,1438 0,6445

No ano 12meses 0,64 -0,18 0,01 -0,33 0,83

6,43 7,86 8,05 8,27 5,93

0,74

6,19

0,69 0,58 0,48 6,10 0,21 0,33 0,15 -0,75

5,90 6,25 5,84 6,10 11,11 11,82 13,78 7,97

TR 1º/3 Poup. 1º/4

Mês de vencimento Março/08

INSS - mês de competência: Fevereiro

Juro Mês de Juro Mar./09(%)* vencimento Mar./09(%)* 12,16

Setembro

Abril

11,26

Outubro

5,05

Maio

10,38

Novembro

4,03

Junho

9,42

Dezembro

2,91

Julho

8,35

Janeiro/09

1,86

Agosto

7,33

Fevereiro

1,00

*Incide sobre o valor nominal do débito. Há, ainda, multa de 0,33% ao dia, limitada a 20% sobre o valor nominal.

1º/4 2/4 3/4 4/4

0,6445 0,6738 0,6649 0,6487

Ano % 12 meses % 0,37 1,84 2,62 8,13

Reajuste do aluguel (Março/09)

O piso salarial tem três faixas , R$ 450, R$ 475 e R$ 505, de acordo com a atividade profissional (a lista das atividades por faixa está na Lei estadual nº 12.967, de 29 de abril de 2008) e não se aplica a trabalhadores que têm piso definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho nem a servidores públicos, aposentados e pensionistas

Salário mínimo (Março)

R$ 465,00

IGP-M (FGV)

1,0786

IPCA (IBGE)

-

IGP-DI (FGV)

-

INPC (IBGE)

-

Imposto de renda na fonte

1,0619

ICV (DIEESE)

-

Base de cálculo (R$)

IPC (FIPE)

OBS.: Fatores válidos para contratos cujo último reajuste ocorreu há um ano.

Fator da TR Dia 1º/3 2/3 3/3 4/3 5/3

6,23

Salário regional paulista

TR/Poupança (Mês)

Inflação % Índices

19/2 20/2 21/2 22/2 23/2 24/2 25/2 26/2 27/2 28/2 1ºa29/3 1ºa30/3 1ºa31/3 1º/3 2/3 3/3 4/3

Fator Dia Fator 0,01198348 6/3 0,01210345 0,01197262 7/3 0,01203228 0,01204141 8/3 0,01204417 0,01216586 9/3 0,01197108 0,01216673 10/3 0,01211770 Somente pagamento no vencimento

3

4

5

Legumes

Verduras

Diversos

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abóbora Japonesa .................................Kg 1,02/1,07 Seca ........................................Kg 1,03/1,13 Moranga ................................Kg 0,66/0,73 Paulista .................................Sc 14,16/15,16 Abobrinha Brasileira Extra Aa ..........Cx K 13,85/15,94 Brasileira Extra A ..............Cx K 9,63/11,07 Brasileira Extra ...................Cx K 6,47/7,47 Italiana Extra Aa .............Cx K 25,47/28,85 Italiana Extra A ...............Cx K 17,66/19,99 Italiana Extra .....................Cx K 13,12/15,25 Alcachofra Graúda ...................................Cb 1,90/2,00 Média .....................................Cb 1,60/1,70 Miúda ......................................Cb 1,30/1,40 Batata Doce Amarela Extra Aa ...........Cx K 24,46/26,94 Amarela Extra A .............Cx K 18,65/21,08 Amarela Extra ...................Cx K 13,09/15,15 Rosada Extra Aa ..............Cx K 20,21/22,21 Rosada Extra A .................Cx K 15,41/17,54 Rosada Extra ...................Cx K 10,75/12,62 Berinjela Conserva Extra ..............Cx K 22,00/25,00 Conserva Especial ..........Cx K 18,00/20,00 Conserva Primeira .........Cx K 12,00/15,00 Japonesa Extra ..............Cx K 25,00/30,00 Japonesa Especial .........Cx K 18,00/20,00 Japonesa Primeira ..........Cx K 12,00/15,00 Extra Aa ............................Cx K 15,77/17,82 Extra A .............................Cx K 11,00/12,72 Extra ....................................Cx K 7,57/8,57 Beterraba Extra Aa ..........................Cx K 30,63/33,94 Extra A ...........................Cx K 23,68/26,77 Extra .................................Cx K 17,57/19,65 Cará Extra A ............................Cx K 25,41/29,48 Extra .................................Cx K 17,93/21,03 Cenoura Extra Aa ...................................Kg 1,82/2,01 Extra A ....................................Kg 1,45/1,63 Extra .........................................Kg 1,08/1,19 Chuchu Extra Aa ...........................Cx K 23,76/27,14 Extra A ............................Cx K 17,40/19,40 Extra .................................Cx K 11,66/13,86 Cogumelo (250 Gramas) .......................Pct 2,33/2,46 Ervilha Torta Extra Aa .............Cx K 106,32/116,32 Torta Extra A ....................Cx K 84,15/94,15 Torta Extra ......................Cx K 64,10/71,98 Feijão Corado Extra ...............................Cx K 35,00/40,00 Especial .........................Cx K 25,00/30,00 Gengibre .........................................Cx K 53,07/59,57 Inhame Extra A .............................Cx K 27,91/31,22 Extra ................................Cx K 21,23/24,03 Especial ...........................Cx K 15,53/17,70 Jilo Redondo Extra Aa ..........Cx K 33,10/37,42 Redondo Extra A ............Cx K 24,74/28,55 Redondo Extra .................Cx K 18,31/20,46 Mandioca Graúda .............................Cx K 18,39/19,59 Média ..............................Cx K 14,39/15,59 Miúda ...............................Cx K 10,59/11,59 Mandioquinha Extra Aaa .................................Kg 1,64/1,77 Extra Aa ...................................Kg 1,35/1,46 Extra A ....................................Kg 1,06/1,16 Maxixe ...........................................Cx K 14,31/17,56 Pepino Caipira Extra Aa .............Cx K 18,38/20,38 Caipira Extra A .................Cx K 13,46/15,49 Caipira Extra ....................Cx K 9,39/10,49 Comum Extra Aa .............Cx K 14,03/15,79 Comum Extra A .................Cx K 10,11/11,22 Comum Extra .....................Cx K 7,32/8,37 Japonês Extra Aa ...........Cx K 42,94/47,53 Japonês Extra A ..............Cx K 31,57/36,16 Japonês Extra ..................Cx K 21,95/24,78 Pimenta * Vermelha Extra Aa .......Cx K 24,36/28,01 * Vermelha Extra A ........Cx K 17,85/20,00 Cambuci Extra Aa ...........Cx K 13,03/15,77 Cambuci Extra A ...............Cx K 9,51/10,77 Verde Americana Extra Aa Cx K 16,47/18,73 Verde Americana Extra A .Cx K 11,69/13,71 Verde Americana Extra ......Cx K 8,23/9,23 Pimentão Verde Extra Aa ..................Cx K 11,46/12,71 Verde Extra A ......................Cx K 8,77/9,87 Verde Extra ........................Cx K 6,06/7,06 Vermelho Extra Aa ..........Cx K 20,12/22,33 Vermelho Extra A ............Cx K 15,52/17,35 Vermelho Extra ..................Cx K 12,17/13,61 Amarelo Extra Aa ...........Cx K 22,23/26,49 Quiabo Liso Extra Aa ...................Cx K 29,46/33,17 Liso Extra A ....................Cx K 23,39/25,60 Liso Extra .........................Cx K 17,83/20,27 Tomate Maduro Extra Aa ....................Kg 2,33/2,51 Maduro Extra A .....................Kg 1,89/2,05 Maduro Extra ..........................Kg 1,51/1,66 Salada Extra Aa .....................Kg 2,30/2,49 Salada Extra A ........................Kg 1,92/2,06 Salada Extra ............................Kg 1,59/1,74 Caqui Extra Aa .......................Kg 2,25/2,50 Cereja Extra Aa ......................Kg 2,25/2,50 Vagem Macarrão Curta Extra Aa Cx K 56,27/61,52 Macarrão Curta Extra A .Cx K 43,37/50,41 Macarrão Curta Extra .....Cx K 31,04/35,39 Manteiga Extra Aa .........Cx K 35,00/40,00 Manteiga Extra A ...........Cx K 25,00/30,00 Manteiga Extra ..............Cx K 17,00/20,00

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Acelga Extra ................................Eng 24,36/26,36 Especial ...........................Eng 18,99/21,19 Primeira ...........................Eng 13,99/16,60 Agrião Extra ................................Eng 27,87/29,87 Especial ..........................Eng 22,36/24,18 Primeira ...........................Eng 17,98/19,80 Alface Americana Extra .............Eng 20,13/21,57 Americana Especial ..........Eng 16,60/18,41 Americana Primeira .........Eng 11,58/14,18 Crespa Extra ....................Eng 17,92/19,85 Crespa Especial ................Eng 12,99/15,10 Crespa Primeira ...............Eng 9,23/10,89 Romana ..........................Eng 18,00/20,00 Lisa Extra ........................Eng 18,31/20,00 Lisa Especial ....................Eng 13,39/15,64 Lisa Primeira .....................Eng 9,40/11,27 Alho Porro Extra .................................Dzmc 7,54/8,08 Especial ..........................Dzmc 5,39/5,90 Primeira ............................Dzmc 3,51/3,86 Almeirão Extra .............................Dzmc 15,00/18,00 Especial .......................Dzmc 11,00/12,00 Primeira .........................Dzmc 9,00/10,00 Pão De Açúcar Extra ..Dzmc 23,00/25,00 Pão De Açúcar Especial Dzmc 17,80/19,80 Pão De Açúcar Primeira ..Dzmc 12,13/15,00 Aspargo ..............................................Mc 6,00/7,00 Beterraba C/Fol Extra .................................Eng 17,94/19,94 Especial ...........................Eng 14,01/15,28 Primeira ............................Eng 10,55/12,10 Brócolos Extra ............................Dzmc 36,57/40,29 Especial ......................Dzmc 24,29/28,08 Ninja .................................Eng 19,13/22,83 Catalonha .......................................Dzmc 13,05/15,56 Cebolinha Extra ..............................Dzmc 11,66/12,34 Especial .........................Dzmc 9,58/10,39 Primeira ............................Dzmc 6,94/7,61 Cenoura C/Folha Extra .................................Eng 15,04/16,40 Especial ...........................Eng 11,69/12,88 Primeira .............................Eng 9,14/10,33 Chicória ........................................Dzmc 12,71/15,27 Coentro Extra ............................Dzmc 29,49/33,44 Especial ......................Dzmc 20,24/24,49 Couve Extra ..............................Dzmc 14,51/15,90 Especial ........................Dzmc 10,62/11,73 Primeira ...........................Dzmc 7,26/8,26 Bruxelas Extra .....................Pct 2,13/2,25 Couve Flor Extra ................................Eng 21,99/23,70 Especial ............................Eng 17,75/19,51 Primeira ............................Eng 12,76/15,15 Erva Doce Extra ............................Dzmc 20,84/23,64 Especial ........................Dzmc 16,14/18,05 Primeira .........................Dzmc 11,87/13,72 Escarola Extra .................................Eng 20,19/22,01 Especial ...........................Eng 16,00/17,84 Primeira ...........................Eng 12,06/14,08 Espinafre Extra ............................Dzmc 20,42/22,05 Especial .........................Dzmc 16,61/18,17 Primeira ........................Dzmc 12,47/14,43 Hortelã ...............................................Mc 2,23/2,86 Louro ...............................................Mc 2,14/3,00 Milho Verde Extra ......................................Sc 6,80/7,69 Especial ................................Sc 4,80/5,69 Primeira ................................Sc 3,05/3,69 Moiashi ...............................................Pct 1,68/1,80 Mostarda ......................................Dzmc 18,34/20,85 Nabo Extra ....................................Mc 9,18/10,42 Especial ...............................Mc 6,94/7,94 Primeira ................................Mc 4,82/5,82 Orégano ..............................................Mc 2,30/2,64 Palmito Pupunha .................................Pc 7,71/8,71 Rabanete Extra ............................Dzmc 26,74/28,68 Especial .......................Dzmc 19,53/22,27 Primeira ........................Dzmc 14,56/17,44 Repolho Liso Extra ..........................Eng 8,95/10,93 Roxo Extra ......................Eng 24,30/26,30 Rúcula ......................................Dzmc 23,58/25,58 Salsa ............................................Mc 10,14/12,46 Salsão Branco/Verde Extra ....Dzmc 27,78/31,33 Branco/Verde Especial Dzmc 20,18/23,75 Branco/Verde Primeira .Dzmc 13,17/16,53 Manjericão ...............................................Mç 2,13/2,46 Alface Crespa Hidropônica ..........Eng 15,54/17,77 Lisa Hidropônica ..............Eng 15,54/17,77 Mimosa Hidropônica .......Eng 15,54/17,77 Romana Hidropônica ......Eng 14,79/17,09 Agrião Hidropônico ...................Eng 18,00/20,00 Escarola Hidropônica .....................Eng 18,14/20,14 Rúcula Hidropônica ....................Eng 31,44/35,49

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Alho Tipo 7 .....................................Kg 5,16/5,64 Tipo 6 ....................................Kg 4,34/4,69 Tipo 5 .....................................Kg 3,57/4,05 Alho Estrang. Argentino Tipo 7 .....................Kg 5,21/5,51 Argentino Tipo 6 ....................Kg 4,51/5,00 Argentino Tipo 5 .....................Kg 3,81/4,01 Chines ...................................Kg 3,60/3,80 Amendoim Com Casca .........................Sc 51,19/52,19 S/Casca .............................Sc 57,82/59,76 Batata Comum Especial ...................Kg 0,98/1,08 Comum 1a./2a. ....................Kg 0,48/0,58 Comum Especialzinha ..........Kg 0,48/0,58 Benef.comum Especial ............Kg 1,11/1,21 Benef.comum 1a./2a. ............Kg 0,51/0,61 Benef.comum Especialzinha Kg 0,52/0,61 Benef.lisa Especial ................Kg 1,30/1,40 Canjica .................................................Kg 1,40/1,50 Cebola Rio Gde Do Sul Graúda ..........Kg 1,14/1,22 Rio Gde Do Sul Média ............Kg 1,14/1,22 Rio Gde Do Sul Miúda ..........Kg 0,94/1,04 Roxa Graúda ...........................Kg 1,20/1,25 Roxa Média ............................Kg 1,20/1,25 Roxa Miúda ............................Kg 1,00/1,10 Sta Catarina Graúda ...............Kg 1,10/1,20 Sta Catarina Média ................Kg 1,10/1,20 Sta Catarina Miúda ...............Kg 0,90/1,00 Cebola Estrang. Argentina Graúda ...................Kg 1,20/1,25 Argentina Média .....................Kg 1,20/1,25 Argentina Miúda .....................Kg 1,00/1,10 Coco Seco ...........................................Sc 28,56/30,00 M.pipoca Estran ...........................................Sc 48,50/50,00 Milho Pipoca ............................................Sc 51,00/52,00 Ovos Branco Extra ....................Cx 54,05/55,05 Branco Grande ..................Cx 52,51/53,51 Branco Grande Embalado ....Bd 4,61/5,00 Branco Médio ...................Cx 49,37/50,37 Branco Pequeno ................Cx 44,22/45,22 Branco Extra Embalado ......Bd 5,50/6,00 Vermelho Extra ...................Cx 57,10/58,10 Vermelho A .......................Cx 54,27/55,27 Vermelho B .......................Cx 51,22/52,22 Codorna ..................................Cx 1,78/1,88

Fundos:

Suas contas: IRF-M

2/3

CEAGESP

Soja ao produtor

(contrato = 27 T; cotação = R$/60Kg)

27

*Contrato de março/2009

FÍSICO

Milho

1,90%

86500

*Contrato de maio/09

COTAÇÕES AGROPECUÁRIAS

8,5200

Alíquota

Parcela a deduzir Até 1.434,59 Isento – De 1.434,60 até 2.150,00 107,59 7,5 De 2.150,01 até 2.866,70 15 268,84 De 2.866,71 até 3.582,00 22,5 483,84 Acima de 3.582,00 27,5 662,94 Deduções: R$ 144,20 por dependente; pensão alimentícia integral; contribuição ao INSS. Aposentado com 65 anos ou mais tem direito a uma dedução extra de R$ 1.434,59 no benefício recebido da previdência pública ou privada.

Trabalhador assalariado e doméstica* Alíquota Salário de contribuição Até 965,67 8,00% De 965,68 até 1.609,45 9,00% De 1.609,46 até 3.218,90 11,00% * Empregador 12,00% Obs.:Válida para salários pagos a partir de 1º de fevereiro de 2009. Autônomo Alíquota A pagar (R$) Base R$ De 465,00 até 3.218,90 20% De 93,00 até 643,78 Códigos conforme periodicidade:

http://aeinvestimentos.com.br/cotacoes_especiais/fundos.shtm

Renda Fixa Pat. Líquido

Nomes

Em 4/3 R$

Valor da Cota

No Dia 4/3

No Mês até 4/3

No Ano até 4/3

Taxa Adm.

8,5196880 9,2210971 6,4399660 7,5603780 10,6414781 2,1539140 1176,5450840

0,05 0,04 0,04 0,04 0,04 0,05 0,05

0,14 0,2 0,13 0,13 0,14 0,14 0,19

2,06 2,20 1,97 1,89 1,82 2,01 2,380

0,10 0 0,60 1,10 1,00 0,40

1,0838070 62,9189471 1,1134510 18,6218158 3,9625593 2,6110150 2,0471495

-0,42 -0,03 -0,10 -0,20 0,05 -0,03 0,07

0,43 0,36 0,35 0,34 0,32 0,3 0,27

7,53 3,83 3,33 5,07 2,34 2,46 2,43

0 ND 0 0,06 0,12 ND 0

Em 4/3 R$

No Dia 4/3

No Mês até 4/3

No Ano até 4/3

Taxa Adm.

4794,4882800 39,2480601 101,6003640 2,4529023 1,7751660

0,05 -0,26 -0,03 -0,32 -0,06

0,14 -0,15 0,06 -0,19 -0,01

2,23 4,23 2,89 4,08 1,37

ND 0,03 0,10 0,05 0

0,7042226 11,0295970 7,7257080 0,7367588 6,2962150

4,36 2,28 2,04 2,97 5,24

2,28 1,4 0,67 0,67 0,56

3,43 5,20 0,83 -0,58 2,33

0,25 1,00 2,00 4,00 1,50

Em 4/3 R$

No Dia 4/3

No Mês até 4/3

No Ano até 4/3

Taxa Adm.

7,0217350 65,2524960 3,3472935 10,8012887 17,6124790

0,05 0,05 0,05 0,05 0,05

0,15 0,2 0,2 0,19 0,19

2,04 2,19 2,21 2,18 2,09

1,00 0 0 0,15 0,15

134,2505530 101,8230230 125,5165570 11,0912836 80,8656220

0,05 0,05 0,05 0,05 0,05

0,22 0,21 0,21 0,21 0,21

2,22 1,82 2,21 2,37 2,20

0,50 1,00 ND 0,20 0,60

Os Maiores por Patrimônio Caixa FI Master RF L Prazo* Bram FI RF Caixa FIC Personal RF L Prazo* Caixa FIC Executivo RF L Prazo* BB R Fixa Lp 50 Mil FICFI* Caixa FIC Especial RF L Prazo* Itaú Francês Renda Fixa FI

29.313.286.498,62 11.359.077.265,12 10.727.985.266,65 9.171.426.586,78 7.289.944.056,48 6.508.846.573,02 5.441.310.677,00

Os Maiores por Rentabilidade Mensal

1007 1104

mensal trimestral

1120 1147

mensal trimestral

Multimercado Com Renda Variável

Facultativo

1406 1457 1503 1554 1600 1651

mensal trimestral mensal trimestral mensal trimestral

**Autônomo (plano simplificado) Base R$ Alíquota A pagar(R$) 465,00 11% 51,15 **Contribuinte individual que trabalha por conta própria (antigo autonômo), sem relação de trabalho com empresa ou equiparada. Código – Individuais: 1163, mensal; 1180, trimestral. Facultativos: 1473, mensal; 1490, trimestral ● Vencimento dia 16/3. Para pagto. com atraso, multa de mora, calculada à taxa de 0,33%, por dia de atraso. ● A multa será calculada a partir do primeiro dia após o vencimento do prazo previsto para o pagto. da contribuição até o dia em que ocorrer o seu pagamento. ● O percentual de multa a ser aplicado fica limitado a 20%, mais taxa Selic

IPVA Em Março pode ser paga a cota única sem desconto ou a terceira parcela de 3. Os vencimentos variam de acordo com o número final da placa do veículo. Dia

Final

Dia

Final

Dia

Final

11 12 13 16

1 2 3 4

17 18 19 20

5 6 7 8

26 27 -

9 0 -

Rent. Acumulada

Em 4/3 R$

Empresários, autônomos e equiparados Autônomos e equiparados com dedução de 45% na contribuição

Doméstico

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abrotea Grande ..................................Kg 4,00/4,50 Média ...................................Kg 2,50/3,00 Pequena ................................Kg 1,75/2,00 Bagre A.salgada ...............................................Kg 3,00/3,50 Berbigão Limpo .................................Kg 11,00/12,00 Betarra ................................................Kg 2,25/2,50 Bonito ................................................Kg 2,25/2,50 Cacão Congelada Grande ...............Kg 6,00/7,00 Raia .......................................Kg 1,75/2,00 Viola .....................................Kg 2,50/3,00 Camarão Ferro Segunda ....................Kg 9,00/10,00 Ferro Terceira ......................Kg 6,50/8,00 Cascote .................................................Kg 1,25/1,50 Cavalinha Grande ....................................Kg 1,10/1,25 Corvina Grande ..................................Kg 4,50/5,00 Média ...................................Kg 3,50/4,00 Pequena ...............................Kg 2,50/3,00 Curimbata Grande ...................................Kg 4,25/4,50 Espada Grande ...................................Kg 2,25/2,50 Manjuba ...............................................Kg 3,50/4,00 Merluza ...............................................Kg 9,00/9,50 Mistura ...............................................Kg 0,90/1,00 Salmão Grande ..............................Kg 21,00/22,00 Pargo Grande ................................Kg 9,00/10,00 Médio ...................................Kg 5,00/6,00 Pequeno ...............................Kg 3,50/4,00 Pescada Grande ..................................Kg 7,00/8,00 Média ...................................Kg 5,00/6,00 Pequena ...............................Kg 3,50/4,00 Goete Grande .......................Kg 2,75/3,00 Goete Média ..........................Kg 2,25/2,50 Goete Pequena ......................Kg 1,75/2,00 Maria Mole Grande ..............Kg 4,00/4,50 Maria Mole Média ................Kg 3,00/3,50 Maria Mole Pequena .............Kg 2,25/2,50 Tortinha ................................Kg 2,25/2,50 Polvo Grande ...............................Kg 14,00/15,00 Robalo ...........................................Kg 18,00/20,00 Sardinha Fresca Grande .......................Kg 1,25/1,50 Serra Grande ..................................Kg 4,50/5,00 Tainha Grande ..................................Kg 5,00/6,00 Tilápia ...............................................Kg 3,50/4,00

Cotação completa dos Fundos em

Unibanco Master FI R Fixa Ima B 5+ Benefit FI RF Credito Privado* Unibanco Master FI R Fixa IRF M Sul América FI RF Sul Energia FI RF Mapfre Seg Privado I Fundo Invest R Fixa Radica* Bradesco FI R Fixa Mega III

Especial

Pescado

43.814.755,08 120.812.446,92 50.188.860,79 400.290.911,20 113.313.465,20 575.564.737,72 243.420.870,86

Pat. Líquido

Nomes

Em 4/3 R$

Valor da Cota

Rent. Acumulada

Os Maiores por Patrimônio Safra Global FI Mult Cred PrIV* FI Multimerc Júpiter Sistel* Fenix Multimercado FI* Select 1 FIC FI Multi. Prev.* FIC FI Multim Petros Credito Privado*

5.676.148.793,86 5.617.309.127,74 4.381.298.031,00 3.165.458.585,00 2.475.056.912,81

Os Maiores por Rentabilidade Mensal FI Multimerc Four Seasons* Mb Multimerc L.prazo FIF* Ca Estruturado V 90 FI Multimerc* Slw Suporte FI Multimerc* Itaú Private Estru II Multi Cred PrIV FI*

18.069.120,15 113.627,55 1.198.550,58 890.476,41 13.156.206,97

Referenciado DI Pat. Líquido

Nomes

Em 4/3 R$

Valor da Cota

Rent. Acumulada

Os Maiores por Patrimônio BB Top DI FI Refer DI Lp* Itaú Referenciado DI FI Bram FI Refer DI Rubi HSBC FI Referenciado DI Lp Itaú Soberano Refer DI Lp FI

17.007.623.649,22 14.928.268.009,00 12.251.075.228,07 7.834.256.177,71 7.468.699.948,00

Os Maiores por Rentabilidade Mensal Safra Institucional DI FI Ref Cred PrIV Safra Max DI FIC FI Ref Cred PrIV K2 II FIC FI Ref Santander FIC FI Yield Ref DI Cred PrIV Safra Market DI FIC Ref Credito Privado

1.204.011.985,25 7.677.643,76 36.486.381,97 42.000.978,64 635.851.654,43

*Esses fundos indicam a cota de abertura de ontem, mas os dados sobre rentabilidade e patrimônio líquido referem-se ao dia 5/3.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 14 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B14 -

%HermesFileInfo:B-14:20090306:

B14

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

CLASSIFICADOS O ESTADO DE S.PAULO

7

Para anunciar (11) 3855 2001

classificados SÃO PAULO

3 4 DORMITÓRIOS OU MAIS

JD AMÉRICA R$850.000 Próx. Clube Paulistano 200m2 au, 4 stes, 4 vgs. c/ piscina Creci 17158J - AP 112178

VENDEM-SE

3 CASAS 3 ZONA SUL

☎(11)2198-3111

VENDEM-SE

3 APARTAMENTOS 3 ZONA SUL

3 FLATS AEROPORTO R$60.000 Flats a partir deste valor para compra e venda em toda SP, 1a3 dts e cob.dentro/fora do pool. Especializada desde 1988.

JD EUROPA Ed. Mansão Tucumã Jto, clube pinh. 4 stes. 05 vgs. Permuta CRECI 17.158J - AP114784

☎(11)2198-3111

JD PAULISTA R$599.000 Neoclássico, 4 ds c/ ste. Floreira. Lazer c/ piscina. 2 vgs, ensol Creci 17158J - AP112317

☎(11)2198-3111

JD PAULISTA

AV PAULISTA

PQ IPÊ 167m² ac, 3 dorms (1ste), c/armários, qt.empregada. Jardim c/ churrasqueira R$280mil Ref. C10005 F.3761-5959 Detalhes:

☎(11)3167-2233

R$730.000 113m a.u 02 dorm. sendo 01 ste,02 vg.lazer total Loft duplex CRECI 17.158J - AP 11591

☎(11)2198-3111

MORUMBI R$120.000 Prontos financiados p/Construtora ou Caixa. 56m² á. útil. www.apartamentofacil.com.br

☎(11)3884-3322

BARUERI No Centro. Temos 4 Lojas. Vendo c/ locação. Oportunidade ☎ (11) 3718-0244 hc 9851-2180 Nico

3 TERRENOS ALPHAVILLE 01 Excelente Terreno em Condomínio Residencial. 879m². Plano. Próx. à Portaria. Oportunidade Imperdível. Cód.364205 F:4134-8444. www. coelhodafonseca.com.br

MORUMBI R$ 407.920, 4dorms, 138m a. priv, varanda, lazer. Ótimo local. R. Iubatinga, 77 - Creci: 346-J.

☎(11)3167-2233

REAL PARQUE R$750.000 Ruy Ohtake 300m² A.U., 4 dorms, 2 stes, armários. 4 vgs. CRECI 17.158J - AP115077

☎(11)2198-3111 VL CLEMENTINO

4dorms, 4gars, andar alto, lazer completo. Tratar c/propr ☎55756485 hc/5051-0745 Valdo/Luiza

3 COMERCIAIS 3 ZONA SUL

ALPHAVILLE 12 MORUMBI 414 a.c., 580 a.t. Ótima casa p/ escritório Precisa modernizar. CRECI 17.158J - CA47907

☎(11)2198-3111 VL MORAES

Excelente Terreno Plano com 658m². Aceita Permuta Total por Apartamento ou Comercial em São Paulo. Cód.356084 F:41348444. www.coelhodafonseca.com. br

☎(11)3884-3322

MORUMBI Cob. c/piscina, 3dorms, 140m²au entr. Dez/09 R$434.647,00. Entrada R$15.770. Creci 346J

☎(11)3744-7004

MORUMBI Apto 70m²a.u., 01 e 02 vgs. Entrega dez/09. R$234.944,00. Entr. R$8.524 (Unid.54I). ☎37447004. www.maxhauss.eu - Creci 346J.

R$650.000 200 mts/4 dorm/3 vagas/ótimo local CRECI 17.158J - AP 114942

☎(11)2198-3111

APARTAMENTOS 3 ZONA

OESTE

3 2 DORMITÓRIOS BUTANTÃ R$170.000 Novo, 2dorms, 1ste + dep priv, 2vgs, 67 m a.priv. lazer. Rua Fco Valente, 173 Creci346J

☎(11)3782-2424

R$ 239.240, 2 dorms, 1 ste, 2 vgs, lazer, novo, ótima localização - R. Santo Irineu, 775. Creci: 346-J.

☎(11)3167-2233

3 3 DORMITÓRIOS ALTO BOA VISTA Nobre! R: São José, 100m², 3 dorms c/ 1 suíte. Totalmente novo, 1 vaga, lazer. Apenas R$253 mil. Tratar ☎(11)5054-5200hor. com. Visite nosso site www.roex.com.br

Apto 2 dorms, lazer total, R$90. 000 + financiamento. ☎ (11)7837-6951 / 5572-6506.

R$201.900 Novo 3dorms(suíte),+ dep. priv. 2vgs. 75,24m a. priv.Cond. c/ lazer.entr abril/2010 Use o FGTS Tel. 3167-2233

R$ 281.000, 3 ds.(1 ste), 91,6 m2, 2 vgas, Lazer. R. Abrahão Miguel do Carmo x Av. do Café. www.itaplan. com.br - F: 5016-1424

JABAQUARA R$ 281.000, 3 dorms.(1 suíte), amplo terraço, lazer completo, 2 vagas, facilitado. Creci 346- J.

☎(11)3167-2233

JARDINS 950mil V.Hugo, 3ds, 2st, 3vg. Neocl, novo, pto p/morar. Coz.plan, arms. CRECI 17158J AP115136

☎(11)2198-3111

MOEMA Ótimo Custo-Benefício. Cobertura com 230m² Úteis. Reformada. 3 Dts. Sendo 1Suíte. Lareira. Piscina Privativa. Churrasqueira. 3 Vagas. ZM-2 Cód.324343 F:3169-8000. www.coelhodafonseca.com.br

PERDIZES Andar alto, 88m², 3ds, 1 ste, var. c/ churr., 2vgs + depós., lazer compl. Localiz. privilegiada. Excelente oport., Creci 73447. Tratar Luís. ☎(11)9699-8238/ 4508-8507

VL ROMANA Único na região, vista maravilhosa and alto, 120m², 3stes/4ds, 3vgs., lazer diferenciado, varanda c/ churr., nunca habit.. Excel. oportunidade. Creci 71660. Tr. Vânia. ☎(11)9900-2291/ 4508-8507

3

4 DORMITÓRIOS OU MAIS

PINHEIROS R$600.000 193m² A.U., 3vgs 4ds, 2sts, armár., cond. baixo Lazer compl. CRECI 17.158J - AP111058

R$600.000 Rua dos Ingleses, 230m², 3 dts, ste, 2 vgs Oportunidade. CRECI 17.158J - AP 114962

☎(11)2198-3111

SAÚDE R$ 239.240, 3 dorms.(1 ste), 2vgs, cond. c/ lazer. Novo, ótimo local. R. Santo Irineu, 775. F: 3167-2233 www.itaplan.com.br - Creci 346-J.

SAÚDE Apto 3 ds, 1 suíte, closet, 3 vagas, 112m², cond. baixo, px metrô. ☎(11)8673-6171 / 3473-2688.

Aluga-se casa comercial, c/ armários, 900m², garagem p/ 12 carros, 6suítes, 3livengs grandes e + várias salas, 3 cozinhas, 10 banheiros, pisc., elevador, ideal p/ clínica, falar c/ Paula ou Tereza ☎(11)5071-3350/ 8284-2827 1 ZAP id. CT43905G

GRANDE S.PAULO

Apto 70m²a.u. Entrega dez/09. R$226.486, 10º and. 1A - ent. facilitada. www.maxhaus.eu Creci 346J

☎(11)2076-3617

MOOCA

Próx. ao Shop Anália Franco, a partir de 70m²a.u. R$226.486, 10º and. 1A - entr. facilitada. Entrega Dez/ 09. ☎ 2076-3617 - Creci 346J

MOOCA R$205.810 ou R$440, mensais, Use FGTS 3d(1st), terraço, 1/2 vg, laz club Creci 346J itaplan.com.br

☎(11)3167-2233

S B DO CAMPO R$ 132.120, 2 dorms. (1 suíte), terraço, 62m2 área privativa, cond. com lazer. Fone: 9441-3317 Creci: 346-J.

LESTE

TATUAPÉ Salões, c/ várias metragens. Direto c/ propr. ☎ (11)2296-6169/ 2293-9879 hc (Aceito Corretores)

ALPHAVILLE TAMBORÉ

09/10 Flex valor a partir de R$ 27.890,00. ☎ 2144-3000

3 FORD FIESTA 1.0

307 GRIFFE 07/08 preto. Impecável! (19)9767-6797/(19)3534-8900

3 TOYOTA FIELDER 05/05 Preta, 1.8, completa, couro, CD, rodas, automática. IPVA pg Integral, 50 mkms. R$38 mil. Particular ☎(11)5548-4809

3VOLKSWAGEN R$4.200 81/81 muito conservado, rodas liga, cinza. doc ok, (11)7352-6872/(11)2641-8886

SAVEIRO SUPER SURF R$ 132.120, 2 dorms. 1 ste, terraço, 62m2 a. priv. Al. Dom Pedro de Alcântara, 775 - Creci: 346-J.

☎(11)3167-2233 VENDEM-SE E ALUGAM-SE

3

COMERCIAIS

R$25.500 04/05 1.6 flex, ú.d., 38mkm, prata, completa (-) ar, cap. marit, prot. caç. IPVA tot. pago.☎ (12)9715-0990/(12)3865-1174

CAMINHÕES E ÔNIBUS

33

GUARULHOS Centro, vd salas/andar, 40 a 758m², 16vgs, facilit 8434-6326.

OSASCO Salão 560m² + 80m² de mezanino, frente 16m, ótimo p/ loja de móveis, roupas, tintas e igrejas. Dr. Oliveira. ☎ (11)9960-3000. ☎(11)3681-3000 Creci 16.900.

SANTANA PARNAÍBA

3 APTOS/CASAS

08/09 ELX, Kit Attractive III (ar+ dh+ve+te+ rodas). Cód. 75344 á vista R$ 39.290,. F: 2144-3000

FUSCA

S B DO CAMPO

VL MARIANA

VENDEM-SE

JD ANÁLIA FRANCO

3 APTOS/CASAS

R$2.000 sala (13)3234-9169

R$205.810 ou R$440, mensais. Use seu FGTS 2dts, 1st, terraço, 1 ou 2 vgs, lz clube, Creci 346J ☎2081-0890 itaplan.com.br

3 3 DORMITÓRIOS

VENDEM-SE

PARAÍSO

APARTAMENTOS 3 ZONA

Pássaros. 150m², 3 suítes, escritório, 3 vagas. Fora de rota. R$480 mil. Tratar ☎(11)5054-5200hc Visite nosso site: www.roex.com.br

MORRO DOS INGLESES

MOEMA

PALIO WEEK 1.4

3 PEUGEOT

3 COMERCIAIS 3 ZONA SUL

08/09 Flex, p. metálica + ar condicionado. Cód. 74773 à vista R$ 27.990,00. ☎ 2144-3000

R$10.650 97/98 gasolina. ☎ (11) 5031-5414 Tratar c/ Bete

R$2.600 3dorms., 2 vgs, 110m² á.ú., em condom. 7.000m² de lazer compl. Direto c/propr (13)3273-3933/(11)9251-7624

APARTAMENTOS 3 ZONA

JD ANÁLIA FRANCO

MOEMA

Cond. Fech. c/ infra-estrut. total!! Lotes a partir de 900m² em 48 meses s/ juros. F: 4616-9048/ 4612-2599 Veja mais detalhes:

PARAÍSO

☎(11)2198-3111

3 2 DORMITÓRIOS

Linda cobertura duplex, 185m², 3 dorms c/ 1 suíte, living c/ terraço, piscina, churr., 2 vgs. Apenas R$420mil. ☎(11)5054-5200hc Visite nosso site www.roex.com.br

TERRENOS

RAPOSO TAVARES

Impecável, 120m², 4 wcs, copa, coz., próx. ao metrô. ☎(11)55735308 / 8202-2256 c/ Sérgio.

LESTE

MOEMA

3

ALUGAM-SE

CONCEIÇÃO

PALIO FIRE

SIENA FIRE

3 3 DORMITÓRIOS 3 3 DORMITÓRIOS BUTANTÃ

3 FIAT

08/09 Dualogic á partir de R$ 53.990,00,.☎ 2144-3000

AEROPORTO

☎(11)3094-1044

R$69.000 05/05 Cab. Dupla, top, prata, sto antonio, cap. marítima, protetor caçamba, estribo, 4 pneus novos, ú. dono, 110.000km. ☎(11) 5571-6830 /(14)8112-1820.

LINEA

GRANJA VIANA

Vende-se Excelente Galpão com 1.194m² AT. 984m² AU. Pé-Direito com 12m. Ótimo Acabamento. Cód.390057 F:4134-8444. www. coelhodafonseca.com.br

MB 1620 02/02 truck. Ót.estado. Entr. + dív. ou ac. troca p/báu 3/4, acima de 2002. Tratar ☎(11)7887-9704/ (11)4891-1317/ ID 9*34457

OPORTUNIDADES

33

3 ANIMAIS E AVES TRAILER HALLEY R$33.000,00 Novo! Para 6 animais, luxo, c/ bagageiro e toldo. Ac. auto (+ou -) valor. ☎ (11)84150949 / 3938-6015 c/ Getúlio

3 TERRENOS ITAPEVI Terreno 760m², 20mt.frente e 20mt.fundo, local privilegiado. Tratar c/propr. (11)4168-5425 Júlio

Terap/Tântrica ☎5573-7324

MASSAGEM TÂNTRICA

3 CLÍNICA TERAPÊUTICA E ESTÉTICA

ALAIDE MASSAG. CLÁSSICA Form.Senac 9292-7299 Bl.Vista

E 3 EMPRESAS PARTES SOCIAS

RELAX/ACOMPANHANTES

ANGEL LOIRAÇA BB GRANDE S.fartos! (at meu flat) 9680-4757

BUFFET - ZONA SUL

ANNA LOIRA OLH.AZUIS 25A.

Terapia utiliza energia sexual, cura revitaliza e relaxa. M/Fem. ☎ 3774-0898 site www.ciadoser.org

Vendo c/ excel. localiz., c/ carteira de clientes. Dir.prop (11)88597068 ou di.namen@hotmail.com

C/Marq. biquini. (11) 7672-4864

MASSOTERAPEUTAS

CASA NOTURNA PENHA/SP

ART PRIVÊ GAROTAS A.NÍVEL

Anti-stress, relaxante! 5539-4179

3 COMUNICADOS ABANDONO DE EMPREGO Conforme Artigo 482 Letra I da CLT, convocamos o Sr. Aloisio Barbosa dos Santos, portador da C.T.P.S. nº057640 série 0013AL, a retornar ao trabalho imediatamente. O não comparecimento caracterizará Abandono de Emprego. (Dalkia Ambiental Ltda).

ABANDONO EMPREGO Conforme Artigo 482 Letra I da CLT, convocamos a Sra. Carolina de Carvalho Monteiro, portadora da C.T.P.S. nº 3534 série 238, a retornar ao trabalho no prazo de 24hs. O não comparecimento caracterizará Abandono de Emprego. (Dalkia Ambiental Ltda). Conforme artigo 482, letra I da CLT, convocamos a sra Lucia de Souza Caetano, portadora da CTPS. 084496, série 00342/SP, a comparecer ao trabalho no prazo de 3 dias. O não comparecimento será caracterizado Abandono de emprego. Taboão Cabelereiros Ltda.

ABANDONO DE EMPREGO Conforme artigo 482, letra I da CLT, convocamos a sra Ivoneide Rodrigues Barbosa, portadora da CTPS. 091095, série 00180/SP, a comparecer ao trabalho no prazo de 3 dias. O não comparecimento será caracterizado Abandono de emprego. Plaza Cabelereiros Ltda. Conforme artigo 482, letra I da CLT, convocamos o sr. Odair José Moura, portador da CTPS:85459, série 00226/SP, a comparecer ao trabalho no prazo de 3 dias. O não comparecimento será caracterizado Abandono de Emprego. Conserve Soluções Elétricas e Hidráulica Ltda.

ABONDONO DE EMPREGO Conforme artigo 482, letra I da CLT, convocamos A sra Régia Maria Penha Cavalcanti de Oliveira, portadora da CTPS. 63441, série 0012 PI, a comparecer ao trabalho no prazo de 3 dias. O não comparecimento será caracterizado Abandono de emprego. Ferrarezi Cabelereiros Ltda.

COMUNICADO A empresa Spal Indústria Brasileria de Bebidas SA, estabelecida a Rua Lima Barreto, 375 Cambuci São Paulo SP CNPJ: 61.186.888/ 0021-37 IE 105.289.348.119, comunica o extravio dos doctos referentes ao mês de Janeiro e Fevereiro de 2009: Notas Fiscais Série 2 nºs 241847, 240176, 240005, 260069, 265105, 278569.

COMUNICADO Comunicamos nos termos da Portaria CAT 17/2006, o extravio da 1ª via da Nota Fiscal nº 002228, modelo 01, emitida no dia 14/ 01/2009, pelo contribuinte “Opção Industrial e Comercial de Produtos Promocionais Lltda-ME” , CNPJ – 05.118.826/0001-73, Inscrição Estadual 116.400.078. 118, que estava devidamente preenchida. Publicado por: Art Services Soluções & Logistica S/A

COMUNICADO

Cota de Sociedade , casa com capacidade para 1000 pessoas Bar / Cozinha / Iluminação / Som / Palco / Camarim / Telão. Funcionando inaugurada a 30 Dias. Contato : Cristiano - ☎ (11) 7866-5521 /9934-8601.

PASSA-SE O PONTO VAREJÃO C/ QUITANDA

ANY LOIRA OLHOS AZUIS R$300,00 Universit 3129-7435 www.artprive.com.br Metrô Praça Árvore f 3459-0349/ 3459-5950

AZUMA ORIENTAL

BIA E CRIS MASS BEIJ0 GRG Banho língua sacanag 50711949

BIANCA MESTIÇA LINDA

Equipe alto nível, instalações 5*. Discreto, todos C.C, c/manobrista. A melhor da Zona Sul! Ligue: ☎(11)5533-5030 / 5561-0126

A BOA OPÇÃO! Privê e American Bar. Paraíso. Das 11 hs as 2 hs. Taxa míninma R$ 40,00 dia. Fone: 3057-2015 www.banzaiclub.com.br

A YELLOW ROSE Lindas massag.Classe AA p/exec. CC/estac, A.Lapa(11)3641-4501

ABBÓBORA

SORVET. / LANCHONETE

A melhor clínica de Moema. Alto Padrão, atend. personalizado ☎(11)5092-5787/ 5092-4168

BRUNO E SABRINA O + BELO

R$350.000,00 Rua Augusta, localiz. privileg. Potencial mín. mov R$60mil/mês . Aluguel bx. Linda. Bom p/ 3 sócios. Recém inaugur. ☎(11)3256-5457/9292-3294

Casal de Swing SP 117619-2337

ABELLY/FERNANDA MASSAG

3 ESOTERISMO AMOR AOS SEUS PÉS!!! C/ 27anos de experiência, trago ela mansa e apaixonada mesmo que esteja com outro.Venha ver p/ crer 100%garantido (11)2225-3736

CAPTU EXUBERANTE/OFURÕ Massag. 7094-4874sab,dom e fer

G E R E N T E FATURAMENTO

18 Belas massagistas. Apresentação pessoal. Promoção 4 hands (11)5181-8000/(11)5183-9603

Hospital admite c/ urgência e experiência. Enviar Currículo para email: vagas.hospital@gmail.com

$200 mod 1,70 11/8597-5259 www.cleidemassagem.com.br

DANY & MELISSA GATAS compl s/fresc mor cp definid loira linda +amigas c/c 3253-1711 Jds

DELPHINE TRAVESTI JARDINS

☎(11) 8822-3939 e 3482-1329 EDUARDO MOD. 1,86 ALT.

Moreno olh. verd. (11)8694-1232

ELAINE 25A “MÃOS DE FADA” $80, massag p/Srºs 5531-0986 Prostática R$ 150 ☎ 9911-0124

Da Marca Rohden / Engecass Produção de Vapor = 5.000 kg/ Hora Fabricação – 08/1993 Modelo – RM 5000. Contato – Osmar ☎(91)3250-3166 / 8873-0129.

GABI-1,85M ATIVÍSSIMA 24H

CENTRO DE USINAGEM

Só elas. R$300/24H 8997-3044

Relax.local/dom 3463-9455 Val

CAMILA TERAPEUTA

GERENTE INDL (M/F) Sólidos conhecimentos em indústria cerâmica ( pisos), disponibilidade p/ trabalhar no interior de São Paulo. C.V para e-mail: gerceramica@hotmail.com

massag c/prazer (11)3262-3368

CLINICA CARIBE A maior e+ completa d SP Planejado p/seu relax! Lindas Garotas. Segurança e muito+ px Av Paulista (ac.tdos cart)V.site 3085-4747

CLÍNICA MAYTREIA

’’ A To p d a s C l í n i c a s ’’ . ☎ ☎(11)2219-2865/2061-2011

CLÍNICA SAIGON loc vip nova equipe exc nível relax e prazer garantido 2ª/sáb 16h às 4 madr. 5561-0031/ 5536-3537

CLÍNICA SHORI Lindas massag., loc. discr., a.nível. Confira site! 38628669. Pompéia

GABRIELLA “MASSAGISTA”

CLINICA TOKIO 5071-5808

GAROTO ALTO NÍVEL GAROTOS MASTER BOYS 24H Privê! Hotel/Mot(11) 2977-4474

Orientais,Mestiç,loiras2276-6749 Danceteria Shows Reservados Labirinto Cinema, p/Adeptos e Inic. Al. dos Pamaris 160 Moema F:(11) 5531-4067 Consulte nosso site!!

350t, 4 col., duplo efeito, mesa 1. 000x1.200mm, aber t. mín. 400mm, abert. máx. 1.200mm, marca Piratininga.☎ (15)32661005/9777-5443/ 9781-4253.

lindo!☎(11)8521-1056 Liberal

DANIELA -BOA MASSAGEM

HELENA 40A. MOLECA

Aclimação e Santana 7167-4557

Ant.stress p/Srºs bom gosto ☎(11)8995-9903

DOUTORA OYAMA

C/Massagem! ☎ 3151-5042

JÚ GORDINHA 11 89979365 Jeito meigo bonita de rosto.

Luxo e requinte. Desde 1970, e mais inigualável do que nunca!

☎5572-2498/7286

ELLEN MASSAGEM

C/ carinho ☎ (11)3262-3640

RMC FER EM QUEIMA DE ESTOQUE

JÚLIA NINFETINHA 18 ANOS adoro namorar 5572-2459 C/C

Tubos, vigas, cantoneiras etc. com o melhor preço . Aberto a negociação. (19)7850-2498

GISELE E AMIGAS

KELLY LOIRA MOD.1.70 $200

Equipe renovada, super gatas. Casa de alto nível, suítes climatizadas, ambiente discreto. Brooklin

600 FULL 2007 Completa, Volvo 800HP. Oportunidade única. Part. (11)8497-0005

L A N C H A CABRASMAR 32’

76206654,86184668,98135244

LINDA BRUNETT ALTO NIVEL Com Ofurõ! ☎ 9514-1042

ISABELLA TERAPY ZEN

Linda Mulata b. dot. loc. discr.

Ayurv./corporal/relax 3284.6877

MARIAH CONVIDA !!!

MASSAG TAILANDESA VIP

Com nova equipe /2009 mestiça, loira, mulata, prazer sem pressa fones 3031-2689 ou 3031-3257

P/exec.alto nív.5084-8890

Safado,Gostoso e Dotadíssimo!!!

DECLARAÇÃO Á PRAÇA

ACOMPANHANTE *****

ativa/pass adoro dominar venha ser meu escravo 5573-6565 C/C

POLYNA POLAK D‘SUL U$750 43a. White, White!☎ 7166-4130

RAISSA LAPA

Você acima de 40a☎3875-6743

ROSÂNGELA COROA MASS. SANDRA MULHERÃO SARADA

3 RELAX ACOMPANHANTES

SANDRO - MASS.? ELE/ELA

Turbinada cab longos 5536.3537

Relax.Melhor ☎(11)3759-0921

AC HARUMI JAPONESINHA

THAIS FOGOSA + 5 AMIGAS

DECLARAÇÃO À PRAÇA

ALAN PASSIVO C/ MASSAG.

ADA 45A P/SRS. Massagista! Hot/Mot 6657-6476

ADRYELLA TRAVESTÍ Atendo em meu Apto 9210-9833

AKEMI JAPONESINHA Discreta e Sensual,alto nível At. flat. (11) 3869-3545 / 8398-0695.

Ajinomoto Interamericana Industria e Comercio Ltda., CNPJ 46. 377.636/0001-58, I.E. 109.324. 245.111, situada a Rua Joaquim Távora 541 – Vila Mariana / SP, comunica o extravio da 1ª., 3ª. e 4ª. via das Notas Fiscais de Saída Nr. 103687 e 103688, emitidas em 04.02.2009

Moema c/estac. (11)9657-8822

DECLARAÇÃO À PRAÇA

Lábios de Mel, furacâo na cama, tarada no A. Realizo taras/fantasias H/m/loc/swing. 5594-6919

ALICE.... F:(11) 7070-8077 19a. Linda !! Tx.150. à domicilio

ALINE COROA SAFADINHA! enlouqueça de prazer 3287.2380

ALO DISK SEXO DELÍRIO 24H Inf. grátis delire! (11) 3224-8435

AMANDA INDIA 18A

AMIGAS LIBERAIS Venha relaxar! 3482-2489

ANA ALEMÃ TODA PEL. 24HS S. gigantes, at. só. 11 8825-3860

ANA E YURI UNIVERS.LINDAS

DECLARAÇÃO À PRAÇA

Insaciáveis apto.(11)3207-9684

Klockner Pentaplast do Brasil LTDA, CNPJ 59.201.087/0003-70, IE 278.142.152.111 comunica o extravio dos Formulários de NF de nºs 4379, 4380, 4381 e 4382.

ANDRÉ P/ ELE/CASAIS c/ fotos e local (11)7029-1627

STYLUS EXECUTIVE Massagens, Saunas, Américan bar. Pré/C.C,estac. c/manobrista,Lapa

☎(11)3865-2144 EMPREGOS

33

at. minha res.11 3034-6087 Pinh

VITÓRIA COROA CARINHOSA

M É D I C O D O TRABALHO/CLÍNICO M/F Clínica/Lapa p/ exames médicos internos/externos horários flexíveis. Enviar C.V para e-mail medicilapa@yahoo.com.br

MÉDICO(A) PSIQUIATRA Assist.(2vgs)sal.R$3.700 (CLT). Vgs p/ Plant.(Aut.).Casa Saúde S.João de Deus.c/Vanessa (11)39041993- CV:sp.casa@ohbrasil.org.br

MÉDICOS (AS) Clínico geral, Cirurgião, Pediatra. Plantão 12hs.. R$620 líq. em Barueri(11)3306-6167/3306-6168

3O OPERADOR(A) FACTORING C/ exp, c/ carteira de clientes. Enviar CV:guia.tec@terra.com.br

3R REPRESENTANTE COML C/ exp. em vendas de peças aut o m o t i va s . c o m i s s ã o 1 0 % . ☎ (11)4656-2605 ou e-mail: vagnerbarreto@uol.com.br

3S SUPERVISOR(A) CAFETERIA C/ experiência p/ trabalhar no Centro. Casa do Pão de Queijo. CV rdoalimentos@hotmail.com

3T T R A D U TO R E S ( A S ) INGLÊS/ PORTUGUÊS Free-lance. Baixar arquivo zip no site ftp://200.171.91.79

3V VENDEDORES

TAMI MESTIÇA EXÓTICA Safadinha. Loucura na cama.garg, prof.An.girat.Labios d mel.C/taras e fantasias At Casal 5585-3095

Linda modelo loira univ p/eventos viagens momentos inesquecíveis! c/foto e local Jardins 7107-6868

Alto padrão. equipe renovada, estac. Discreto. Imperdível! Visite site (11)5084-3344/ 5539-0447

rapaz discreto 30a. ☎9736-4561

ABELE LOIRAS MASSAGENS

Marcelo Hanasi Youssef comunica o extravio no dia 28/02/09 da CNH,Cartão Crédito American Express e Habibi Comércio Importação e Exportação Ltda cnpj 10. 397.570/0001-10 comunica o extravio de 2 folhas de cheque Banco Bradesco ag. 2272-1 c.c 18400-4 nºs 000005 e 000006 e cartão de Crédito Bradesco Visa Empresarial. Conforme BO nº 1519 de 2009 27º DP SP.

ONNA

RAFAELA MASSAGEM

Parque Morumbi. Tratar c/ proprietário. ☎ (11) 4345-4082/

Linda s/ decepção. 3105-9065

☎(11)5543-8287

LIZ TRAVESTI 11 8350-2515

MARIO **(11)6607-6851**

3M

CLUB DE SWING

GUSTAVO 26A BELO DOT

IARA LINDA... R$ 300

3A AUXILIAR ADM M/F. C/ exp, p/ Factoring. Enviar CV:guia.tec@terra.com.br

Empresa de Tecnologia com sede em São Paulo, ampliando seu setor de vendas de sistemas e equipamentos de segurança (câmeras, alarmes) procura bons vendedores(as) não necessita conhecimento técnico. F:(11)3061-3276.

43a O.compl, mass.ativ Bjo grego, banh líng p/Sres! 11/9427.4120

3 RELAX/CLÍNICAS

A AAA VIP EMBASSY R. Estados Unidos 113 - próx. Ibirapuera. Discrição e requinte 2ª/ 6ª 11 às 4h Sáb/dom 11 às 22h (11)3885-5956/3051-3290

A ABIGFRANCEBEL ESTILO E CLASSE!! 1º Mundo. Tudo em um só lugar... Homens finos se cuidam aqui!! Massagens Anti-stress, Depilação, Limp/pele, Cabel, Drenagem Linf, Reflexol., Podologia, Hidro,Saunas e Bronzeamento c/profissionais qualificadas, além de modernas salas de atend c/várias opções, Galeria/fotos informatizada, “caffeteria”, Cyber,SLTV, Jd Inv, Big estac fech/ Coberto c/manobs, todos C.C,Taxis etc. The best in Brazil!! Site francebel. 2ª/6ª 11/22 sab 11/20hs. Campo Belo-Aerop. “ Dia do Noivo com promoções! “

☎(11)5533-6955 A ADVANCE VIP VIP Massagens Orientais. Equipe quente classe A.Luxo e requinte Site. Cartões ☎(11)3758-6672

empregos

Aviso aos anunciantes

" De acordo com o art. 5º da CF/88 c/c art. 373-A da CLT, não é permitido anúncio de emprego no qual haja referência quanto ao sexo, idade, cor, situação familiar, ou qualquer palavra que possa ser interpretada como

1 A A ACTIVA DETETIVES Investigações Conjugais Empresariais(11)3259-7758/3259-4826

A G. L Í D E R Investigações de Alto Padrão. (11)3872-5461 - Sigilo Total. Av. Pompéia, 1818 - Perdizes - SP

D E

CLAUDIA COROA

Multiorgástica p/ele(a)89794513 10 anos experiência 3276.2903

3G

Prostática. 9385-9392. StaCruz

PRENSA HIDRÁULICA

3 NÁUTICA

Admite-se engenheiro químico com experiência comprovada em composto de PVC. Enviar currículos para R. Sebastião da Silva, 110 – Campinas/SP-CEP 13050-436 aos cuidados de Alessandra.

BROOKLIN MASSAGEM

Ela mestiça, ele dotadíssimo. Trio/ voyer, iniciante.☎(11)7312-8007

ERIKA MASSAGEM

☎(19)3838-1605

ENGENHEIRO (A) QUÍMICO

CASAL LINDO

Cpo sarado mass atv c/bj grg e algo mais(11)3101-7977 8498-6991

3 MATÉRIAS PRIMAS

3E

ANTI STRESS MASS-JARDINS

Búzios, Tarô, traz a pessoa amada em 7 dias, ☎ (11) 2772-0991

☎(11)4543-6400

M/F.Casa Saúde S.João de Deus na Z.Oeste. Vanessa (11)3904-1993 CV para: sp.casa@ohbrasil.org.br

Terapia tântrica. 7682-4224

COROA MALÚ 40A. AFROD.

Romi discovery 1250 ano 2002

DEFICIENTES

ALICIA MASSAGISTA

VÓ MARIA SALOMÉ

CALDEIRA

3D

nova ekip ninfetas casadas coroas ativa/passiva Ac Cart. 5531-0581

CLEIDE 9265-8433 PARAÍSO

E 3 MÁQUINAS MOTORES

De imóveis, p/ região Oeste -Vila São Francisco. Interessados enviar C.V p/ vilmagaldino@uol.com.br

CASA DAS NINFET. BROOKLIN

Trago a pessoa amada em 3 dias. Consultas c/ Mãe Vitória. ☎(11)2304-7022

De chocolate, grande oportunidade. R$ 100 mil aceito proposta. ☎ (11)8674-3864/ 2239-5581

CORRETOR (A)

Completís.7351-4027. Moema

BÚZIOS E CARTAS

QUIOSQUE SHOPPING D

AKI - ESPAÇO THERAPY

3C

www.akitherapy.com massagem p/ o seu prazer! 3051-3769 Paraíso

CELYNNE GATA+LINDA DE SP

3 FRANQUIA

Terapêutas formadas.6602.7280

226 anúncios

CAROL LOIRA BRONZE

e algo+at sozinha 11/2773-3425

3 DETETIVES

A AERO CONGONHAS

Mulata/loira orl total 3284-7981

BRUNA E MICHELLY *****

JAZIGO

O Complexo Hospitalar do Mandaqui torna público que requereu na CETESB (Compania de Tecnologia de Saneamento Ambiental) de forma concomitante, a Licença Prévia e a Licença de Instalação p/ a obra de reforma e ampliação do pavilhão Miguel Pereira, situado à R. Voluntários da Pátria, 4301 Bairro do Mandaqui - S.Paulo - SP

RELAX/CLÍNICAS

Sensual ninfetinha 3031-2689

Germano Claro Simões Machado, portador do RG 32.817.399-X SP CPF:295.172.238-97, declara o roubo dos seguintes documentos: CPF, CNH, Cópia do RG e documentos do automóvel Celta placa DBX 5819 e cartão débito Banco do Brasil, conforme B.O n° 1031/ 2009, emitido em 03/03/2009. O mesmo declara ainda que não se responsabiliza pelo uso indevido dos mesmos.São Paulo, 05/ 03/2009.

A empresa Nova Aliança Embalagens Ltda,com CNPJ nº 02.799. 388/0001-68 e I.E.nº 672.163. 338.112 comunica que foram extraviadas em 26/05/2003as NF’s de nº 186 a 833 de Mod. 1 conforme AIDF 9244 autorizada em 05/05/2003 todas em branco.

1 página

Desde 89, loc em Av coml em Araraquara, ót clientela, bom fat. (16) 3337-2007/8113-4049

3 OUTRAS OPORTUNIDADES

EXTRAVIO

3EMPREGOS

BIA ATIVA TÂNTRICA

Com algo mais 5536-3537

A Adria Alimentos do Brasil Ltda, inscrita no CNPJ 51.423.747/ 0010-84 e IE 636.014.140.118, localizada na R.São Francisco, 531-Centro-SCSul-SP comunica o extravio das 1ª,3ª e 4ªs vias das notas fiscais 236124 e 236125 09/01/08

3OPORTUNIDADES

A oriental de Moema a.nível, sls clim.Todos cc. Estac. 5531-4499

PATRÍCIA MULATA 22 ANOS

COMUNICADO ROUBO

3AUTOS

A CLÍNICA OISHII

e prostática! (11)9247-8187

.com.br

os classificados do Estadão na internet

3IMOVEIS

C/mass.p/execs.(11)8680-2832

Vende-se, c/ 2 motores MWM Sprint, 6cil., diesel, turbo intercooler de 200HP cada, c/ 700hs. Casco 100%, estado geral 90%. Lancha se encontra em Belém-PA. Oportunidade R$130mil. (91)3250-3326/(91)8873-0125

Graal Serviços e informações ltda -ME, CNPJ 08.585.304/0001-70 ICCM 3.604.712-0, Rua sérgio leite de camargo, 110, CEP 02141010 Vl.Sabrina-São Paulo/SP, comunica o extravio dos talões NF de série A 001 a 012 usadas e 013 a 100 em branco.

LICENÇA CETESB

ALPHAVILLE Linda Residência de Esquina em Condomínio Tranqüilo. 500m²AT. 4Suítes. Sauna. Piscina. Churrasq. Estuda Permuta por Menor Valor. Cód. 359474 F: 4134-8444.www. coelhodafonseca.com.br

ESPAÇO UCHOA MASSAGEM

ABANDONO DE EMPREGO

09/09 1.4, valor a partir de R$ 37.990,00. ☎ 2144-3000

FLATS

POMPÉIA SAÚDE

AUTOS

IDEA ELX

SUL

R$700 + cond.+ IPTU. Aluguel de Flats de 1 a 3dts e cobs. Em qq. flat de SP. Com e sem mobília. Empresa Especializada Desde 1988.

6 alqs, 10 alqs, 24 alqs, 30 alqs, 65 alqs, 280 alqs, 502 alqs. Creci 66515 ☎ (14) 3881-0939 h.c.

☎(11)4191-8670

3 APARTAMENTOS 3 ZONA 3

E FAZENDAS BOTUCATU - SP

R$14.000 01/01 MPi, ótimo estado, doc. ok c/ manual. (11)9105-4892/9820-7032.

ALUGAM-SE

VL MARIANA

3 TERRAS

FIORINO IE 1.5

Vendo prédio 700m² á.c. Oportunidade p/ Investimento! Tratar ☎(11)7115-4549 /5058-2514.

CLINICA TERAP/ESTÉTICA

ABANDONO DE EMPREGO

S10 EXECUTIVE

MORUMBI R$171.000 a vista ou financiado pela construtora. 2p/ andar. Lazer total. www.pateomorumbi.com.br

PROPRIEDADES RURAIS

3 CHEVROLET

VENDEM-SE

Próx. ao metrô, 2 dorms, 51m² a. priv., entrada + financ. Use seu FGTS R.Claudio Milano 501 - Creci 346-J.

MOEMA

VENDEM-SE E ALUGAM-SE

Casas, aptos, terrenos, chácaras, sítios, fazendas, p/comercial/ indl. (11)9265-1032/(11)9753-6226 /(11) 3308-8133 - Creci: 30981

☎(11)2198-3111

CAPÃO REDONDO

☎(11)2198-3111

JUNDIAÍ - SP

Condon. fech. Galpão 2.630mts, escritório. Restaur., fitness. Seg. loc. CRECI 17.158J - CA 49192

R$ 407.920, 3 suítes, 138 m2 a. priv, ampla varanda, 2 vgas,+ dep. priv. Melhor ponto do Morumbi. F: 3501-1875 - www.itaplan.com.br

R$900.000 Novo,alto,160m2,lazer 2 dts, 2stes, 3vgs Px.Paulista e Metro CRECI 17.158J - AP114521

R$500.000 Km.38 Anhanguera. Casa térrea, c/ pisc., cond. fechad o . Tr a t a r d i r e t o c / p r o p r. ☎(11)9607-5712/ 5572-4622

ALPHAVILLE

MORUMBI

JD AMÉRICA

JORDANÉSIA

3 COMERCIAIS

OESTE

Próx. Estr. M.Boi Mirim, 2dorms, 51,75m² a.priv., pequena entrada + financ. caixa, use seu FGTS ☎5897-2199 Creci 346-J.

3 APTOS/CASAS

Imóvel Comercial/Residencial em Excelente Localização. 3 Salas. Estacionamento com 20 Vgs. ZM2 Cód. 315605 F: 3677-5000. www.coelhodafonseca.com.br

APARTAMENTOS 3 ZONA

CAMPO LIMPO

INTERIOR E OUTRAS LOCALIDADES

VENDEM-SE

JD S BENTO

Maravilhosa Cobertura Triplex na Melhor Localização do Bairro. 700m² Úteis. 4 Suítes. Piscina. 4 Vagas. Depósito. Vale Conhecer. ZM-2 Cód.324387 F:3745-6000. www.coelhodafonseca.com.br

3 2 DORMITÓRIOS

Residência Clássica com Acabto. de Luxo. 600m² AC. 750m² AT. 4Suítes com Armários. Lazer com Salão de Festas e Ampla Piscina. Cód. 391332 F: 4134-8444.www. coelhodafonseca.com.br

☎(11)2198-3111

☎(11)2198-3111

☎(11)3885-0846

ALPHAVILLE

Térrea, 500m² a.c., 875m² a.t., 4 stes 4 vgs. Oportunidade. CRECI 17.158J - CA48246

Ed. Varam 4sts, escr Sls alto, helip. 8 vgs + vagas, laz seg. A. padrão. Creci 17158J AP115530

Compra, venda e locação. Todos os Flats de São Paulo/ Capital. Site: www.soflatsnet.com.br

VD

JD LEONOR

MORUMBI

☎(11)3094-1044

ALPHA/TAMBORÉ

Acesse:

3IMOVEIS

fator discriminatório, salvo quando a natureza da atividade, pública e notoriamente, assim o exigir."

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 15 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B15 -

%HermesFileInfo:B-15:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

NEGÓCIOS

B15 B15

Governo terá pacote de ajuda a usinas de álcool

Luiz Cezar Fernandes compra Dresdner Brasil

BNDES vai liberar R$ 2,5 bilhões para serem usados na estocagem de etanol q PÁG.B16

Ex-dono do Pactual fecha, com o sócio Eugênio Hollanda, operação de aquisição do banco q PÁG.B16

AUTOMÓVEIS

CELULOSE REBECCA COOK/REUTERS–17/2/2009

VCP compra participação da família Safra na Aracruz

GM admite que pode recorrer à concordata Auditores dizem ter dúvidas sobre capacidade de sobrevivência do grupo DETROIT

Os auditores da General Motorsdisseramter“dúvidassubstanciais” quanto à capacidade de sobrevivência da combalida montadora, e a empresa admitiu que pode precisar de proteção contra falências se não puser em prática um imenso plano de reestruturação. A montadora revelou essas preocupações ontem, em um relatório anual entregue à SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos. “As recorrentes perdas da corporação, provenientes das operações, do déficit dos acionistas e da inabilidade de gerar um fluxo de dinheiro suficiente para cumprir suas obrigações e manter suas atividades lançam dúvidas substanciais quanto à sua capacidade de continuar existindoenquanto negócio viável”,escreveramnorelatório os auditores da empresa Deloitte & Touche.

Prazo para acordos com sindicato e credores se encerra no fim do mês A GM também revelou ontem que o seu presidente, Rick Wagoner, recebeu um pacote de pagamento no valor de US$ 14,9milhões em2008,apesar de US$11,9milhõesdasuaremuneração teremsido oferecidos sob a forma de títulos e opções cujo valor caiu para US$ 682 mil devido à desvalorização das ações da empresa. As ações da GM, que perderam 87% do seu valor em 2008, caíram 15,5% ontem na Bolsa de

Nova York, fechando o pregão cotadas a R$ 1,86. A montadora recebeu US$ 13,4 bilhões em empréstimos federais enquanto tenta sobreviver ao pior cenário nas vendas de automóveis em 27 anos. Ela pede ao governo um total de US$ 30 bilhões em empréstimos. Durante os últimos três anos, a empresa acumulou perdas de US$ 82 bilhões, incluindo US$ 30,9 bilhões em 2008. LIMITE

A GM enfrenta a data limite de 31 de março para estabelecer acordos de concessão com os credoreseosindicatodostrabalhadores do setor para mostrar ao governo que a empresa pode se tornar viável novamente. No dia17defevereiro,a GMsubmeteu seu plano de reestruturaçãoaoDepartamento doTesouro, prevendo a demissão de 47 mil trabalhadores em todo o mundo até o final do ano e o fechamentodeoutras cincofábricas americanas. A GM afirmou no relatório queoseufuturodependedaexecução bem-sucedida do plano. “Se fracassarmos por algum motivo, não seremos capazes de continuar funcionando, e pode ser que sejamos obrigados a procurar ajuda num pedido de reestruturação financeira sob o código americano de falências”, afirmou a montadora de Detroit no seu relatório anual. Orelatório expunha a grande dependência da GM em relação ao volume das vendas de automóveis, que caiu rapidamente no ano passado. “Não há garantia de recuperação para o mercado automotivo global, e nem de que ele não sofrerá outro significativo declínio.” Mas Harlan Platt, professor

REMUNERAÇÃO – Desvalorização das ações da empresa derrubou o salário do presidente Rick Wagoner

da Universidade Northeastern, emBoston,quelecionasobrereviravoltas corporativas, disse queaspreocupaçõesdosauditores não significam que a GM esteja à caminho da concordata. Eleafirmou que osauditores estão apenas confirmando aquilo que o mundo todo já sabe. “Uma empresa que tomou emprestados US$ 13,4 bilhões e pediu por bilhões adicionais em todo o mundo obviamente está

PETROQUÍMICA

passando por dificuldades.” Platt afirmou que as concessões do sindicato e a reestruturação da dívida detalhada nos termos dos empréstimos do governo, além das medidas de reestruturação adotadas pela própria GM, que incluem o abandono de marcas não lucrativas, farão da empresa um organismo novamente saudável assim que as vendas de carros se recuperarem dos baixos pa-

tamares atuais. As vendas de automóveis nos EUA caíram em fevereiro, atingindo o seu menor nível desde dezembro de 1981. Noanopassado, asmontadoras venderam 13,2 milhões de veículos nos EUA, cerca de 3 milhões a menos do que os 16,1 milhões vendidos em 2007.Para esteano, asprevisões são de vendas de 10 milhões de veículos. ● AP

TELEFONIA

BEBIDAS

Câmbio dá prejuízo à Braskem Oi fecha ano com No acumulado do ano, perda chegou a R$ 2,5 bilhões André Magnabosco Paulo Justus

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas da América Latina, registrou um prejuízo líquido de R$ 2,492 bilhõesem 2008,enquanto noano anteriorhaviaregistrado umlucro líquido de R$ 682 milhões. No último trimestre do ano passado, as perdas foram de R$ 2,108 bilhões, o pior resultado da companhia para o último trimestre de um ano desde a sua criação, em 2002. De acordo com a petroquímica, a variação cambial de 32% foi a principal responsável pelo prejuízo. A valorização do dólar frente ao real teve um impacto de R$ 2,6 bilhões nas contas da Braskem. Atualmente, 74% da dívida da empresa é em dólar. “Trata-se de uma dívida de onze anos que não reflete a receita futura, também gerada em dólar”, disse o presidente da empresa, Bernardo Gradin. O executivo ressaltou que o caixa de R$ 3 bilhões da Braskem é suficiente para pa-

NÚMEROS

R$ 2,492

bilhões foi o prejuízo da Braskem em 2008, enquanto em 2007 havia lucrado R$ 682 milhões

R$ 2,108

bilhões foram as perdas apenas no quarto trimestre, o pior resultado para o período desde a criação da empresa

R$ 23

bilhões foi a receita líquida do grupo, queda de 3% em relação a 2007

gar um ano e meio de compromissos relativos à dívida. A receita bruta consolidada do grupo no ano passado foi de R$ 23 bilhões, valor 3% menor que o registrado em 2007. De acordo com uma avaliação da corretora Fator, a queda da receita foi ocasionada pela redução dos volumes produzidos no quarto trimestre, tanto para o mercado interno quanto para o externo.

A partir de novembro, a Braskem reduziu o nível de produção diante da redução da demanda, principalmente no mercado internacional. Em dezembro e janeiro, a companhia chegou a operar com 55% da capacidade. De acordocom Gradin,as linhas foram retomadas e estão hoje em 90% da capacidade. CRESCIMENTO

Apesar da crise, a Braskem projeta um crescimento de 3% a 5% das vendas de resinas termoplásticas em 2009. “Com o dólar mais forte, nos tornamos mais competitivos”, disse. Ele destacou que a crise cria uma oportunidade de internacionalização da Braskem, por causa existência de empresas com problemas financeiros que poderiam ser adquiridas. Mas,mesmocomessaprojeção,aBraskemprevêinvestimentos de R$ 909 milhões em 2009, menos da metade dos R$ 2,279 bilhões investidos no ano passado. ●

queda de 50,2% no lucro Daniele Carvalho RIO

A Oi fechou 2008 com lucro líquidodeR$1,2bilhão,50,2%menos que o registrado em 2007. No quarto trimestre, o tombo foi ainda maior: lucro de R$ 77,5 milhões, 91,2% inferior ao de igual período de 2007 e o menor dosúltimoscinco anos.Os motivos alegados, porém, foram positivos: o saldo caiu por causa dos investimentos. Odesempenhofoiafetadopela aquisição da Amazônia Celular, gastos com o processo da Brasil Telecom e a entrada da empresa em São Paulo. Ao fim de dezembro, a dívida líquida da empresa era próxima de R$ 9,8 bilhões, ante R$ 2,7 bilhões do fim de 2007.

A Votorantim Celulose e Papel (VCP) anunciou ontem que fechou o acordo para a compra da participação de 28% da família Safra na Aracruz Celulose, passando a deter, com isso, uma participação de 84% na empresa. O negócio era esperado desde janeiro, quando a VCP, que já tinha uma participação de 28% na Aracruz, comprou outros 28% que estavam nas mãos das famílias Lorentzen, Almeida Braga e Moreira Salles, em um negócio de R$ 2,7 bilhões. À época, a VCP divulgou seu interesse na compra também da participação dos Safra – que ficaram com um prazo de 90 dias para decidir se venderiam as ações. Pelos valores divulgados em janeiro, a compra da fatia dos Safra na Aracruz deve girar também em torno de R$ 2,7 bilhões. A liquidação da operação vai ocorrer, segundo comunicado da VCP, até o fim do mês de abril. Para levar a cabo essas operações, a VCP conta com a ajuda do BNDES, que pode desembolsar até R$ 2,4 bilhões e ficar com até 26% da nova empresa criada com a fusão entre VCP e Aracruz. Essa nova companhia terá cerca de 15 mil funcionários, faturamento estimado para este ano de mais de R$ 7 bilhões e uma participação de 27% no mercado de celulose da América do Norte e de 44% no mercado europeu. A compra da Aracruz pela VCP, anunciada pela primeira vezemsetembro,estevebastante ameaçada pelas perdas bilionárias com derivativos sofridas tanto pela Aracruz (US$ 2,1 bilhões) quanto pelo grupo Votorantim (R$ 2,2 bilhões). Com as perdas, a Aracruz perdeu valor de mercado e o preço acertado para a compra das ações acabou ficando alto demais. E a Votorantim, por sua vez, ficou em uma situação delicada para fechar uma operação cara como a fusão entre a VCP e a Aracruz. A situação mudou de figura em janeiro, quando a Aracruz conseguiu fechar um acordo com os bancos credores para o pagamento das suas perdas. À essa altura, a Votorantim já estava também em uma situação bem mais confortável. Havia embolsado R$ 4,8 bilhões com a venda das empresas de biotecnologia Alellyx e Canavialis e de uma participação de 49,9% no Banco Votorantim. ●

Na avaliação do balanço, a Oi anunciou que pretende continuar investindo pesado. Serão entre R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões em 2009, a maior parte (60%) destinada a projetos de telefonia fixa e acesso à banda larga. O restante,emtelefoniamóvel.Paralevantarosrecursos,a empresa planeja captar de R$ 4 bilhões a R$ 4,5 bilhões. Odiretorfinanceirodaempresa, Alex Zornig, disse que ascaptaçõesservirãoparalevantarrecursos paraa finalização da aquisição da BrT e para tocar o plano de investimentos. “Temos de fazer as ofertas públicas de ações aos minoritários da BrT e os investimentos que anunciamos”, disse. ●

AmBev tem aumento de 8,6% no ganho O lucro líquido da AmBev caiu 14,8% no quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2007, ficando em R$ 964,5 milhões. No acumulado do ano, o lucro cresceu 8,6%, atingindo R$ 3,06 bilhões. A receita líquida fechou o ano em R$ 20,9 bilhões, um aumento de 6,4%. A principal razão para a queda no último trimestre, segundo o gerente de Relação com Investidores da companhia, MichaelFindlay, foioajuste contábilparaenquadramentonasnovas normas para companhias abertas da CVM.“Sem mudanças como o expurgo da variação cambial, que não pode mais impactarnolucro,houve aumento de 16% no resultado do trimestre”, diz. ● MARILI RIBEIRO

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 16 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

B16 -

%HermesFileInfo:B-16:20090306:

B16 NEGÓCIOS

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

FINANCIAMENTO

BANCOS

Governo vai socorrer usinas de álcool com R$ 2,5 bilhões

Dresdner oficializa venda no Brasil para ex-Pactual

Dinheiro, que virá do BNDES, será usado para a estocagem do etanol durante a safra BETO BARATA/AE -10/5/2007

AGRONEGÓCIOS Fabíola Salvador BRASÍLIA

Àsvésperasdoperíododeincrementodocorte e moagemdasafra de cana, o governo decidiu socorrer o setor sucroalcooleiro com a liberação de R$ 2,5 bilhõesemrecursosdo BancoNacionaldeDesenvolvimentoEconômico e Social (BNDES) para a estocagem de etanol. Ao anunciar a retomada da política de estoque, adotada pelo governo por quatro anos consecutivos até a safra 2005/06, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, lembrou das dificuldades enfrentadas atualmente pelo setor sucroalcooleiro. “Eles não tinham recursos e nemcréditoparacarregar estoques”, disse. A principal característica do programade estocageméaretirada de parte da produção do mercado no período de safra, quando os preços tendem a cair, e a venda do produto estocado para pagamento do empréstimo durante o período de ofertamenor,quandoaexpectativa é de preços mais altos. Aentressafradacanaé nocomeço do ano, período de vencimentodoscontratos.Apósacertar a liberação numa reunião, anteontem, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro garantiu que os recursos

OPERAÇÃO DE AJUDA – De acordo com Reinhold Stephanes, setor não tinha recursos nem crédito para carregar os estoques excedentes

NÚMEROS

5

bilhões de litros de álcool poderão ser estocados durante a safra com os recursos que serão liberados pelo governo para as usinas

R$ 1,3

bilhão para reforçar o capital de giro das cooperativas do setor também podem ser liberados, mas esses recursos ainda estão sendo discutidos no governo

estarão disponíveis nos bancos em maio. GARANTIAS

A estimativa é que o montante possibilite a estocagem de 5 bilhões de litros de álcool – cerca de 17% da produção de 28 bilhões de litros prevista para este ano. As usinas terão de apresentaropróprioálcoolcomo garantiadofinanciamento,quedeve ter taxa de juro de 10% ao ano, informou Stephanes. O encargo financeiro ainda não foi fixado pelo governo.

Definida a política de liberação de recursos para estocagem de álcool, o ministro disse que continuam as negociações para aporte adicional de R$ 1,3 bilhão para capital de giro das cooperativas. NareuniãocomLula,Stephanestambémacertouamanutenção, na próxima safra, da exigibilidadebancária dosempréstimos para o setor rural. Depois do agravamento da crise financeira internacional, em setembro do ano passado, o governoalterouaregradaexigi-

bilidadepara garantirrecursos para o setor agrícola. Nosdepósitosàvista,aexigibilidade passou de 25% para 30%. Nos depósitos a prazo, a obrigatoriedade de aplicação no crédito rural subiu de 65% para 70%. A mudança valeria até 30 de junho de 2009,masserá estendida para a próxima safra. Stephanes disse que o governo também decidiu que o orçamento para subvenção do seguro rural, de R$ 272 milhões, será recomposto. ●

O alemão Dresdner Bank anunciou ontem oficialmente a venda da sua unidade brasileira para a holding MTTG, dos sócios Luiz Cezar Fernandes, fundador do Pactual, e Eugênio Holanda, dono da Tetto Habitação, uma gestora de créditos imobiliários. O valor do negócio não foi revelado, mas as estimativas são de que gire entre US$ 90 milhões e US$ 110 milhões. A transação ainda está sujeita à aprovação do Banco Central. A aquisição marca o retorno de Fernandes ao mercado financeiro, dez anos após ter perdido o banco Pactual para seus quatro sócios. O agora novamente banqueiro vinha criando ovelhas e administrando uma pequena empresa de telefonia via internet em Petrópolis (RJ), e já havia dito, na semana passada, que a compra do Dresdner era a oportunidade de dar a volta por cima. “Esse é o momento ideal para se montar um banco de investimentos, desde que não se traga esqueletos do passado”, disse. Desde que deixou o Pactual Fernandes vinha tentando retornar ao mercado financeiro. Chegou a montar um banco de investimentos, o Invixx, em sociedade com o ex-embaixador Jório Dauster. Mas o negócio não deu certo, e os sócios encerraram as atividades em menos de um ano. A venda da unidade brasileira faz parte dos planos de reestruturação global do Dresdner Bank, que foi recentemente adquirido pelo também alemão Commerzbank.Segundocomunicado, a transação no Brasil é parte da “revisão global das atividades do Dresdner antes da integração completa entre os dois bancos”. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 1 - 06/03/09

C1 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:C-1:20090306:

O ESTADO DE S. PAULO

C

SEXTA-FEIRA 6 DE MARÇO DE 2009

METRÓPOLE FABIO MOTTA/AE

MARCIO FERNANDES/AE

PAULO LIEBERT/AE

Sequestro no Rio Bando foi agredido e delatado por traficantes

Poluição SP teve só 41 dias com boa qualidade do ar em 2008

Novo regente Yan Tortelier abre a temporada e Osesp já planeja o futuro

q PÁG. C6

q PÁG. C8

q PÁG. C7

INVESTIGAÇÃO

Reintegraçãodepoliciaisacusados deextorsãofoifeitasemprovas Ex-secretário havia assinado demissão 4 meses antes e, posteriormente, ignorou pareceres técnicos contrários q PÁG. C3

7 8 9 10 11 12

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 2 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C2 -

%HermesFileInfo:C-2:20090306:

C2 CIDADES/METRÓPOLE POR SERGIO NEVES/AE

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

São Paulo Reclama:

PONTE TRANSBUGIO FOI CRIADA NO ZOO DE SP PARA QUE ANIMAIS ATRAVESSEM A AV. MIGUEL ESTÉFANO, NA ZONA SUL

Cena dantesca No dia 6 de fevereiro, entre 22h30 e 23h15, na Estação de Caieiras, vi cinco ou seis seguranças da CPTM empurrando um homem para expulsá-lo. Pelo que eu escutei, ele estava dormindo no chão ou no banco. Com ele estavam um casal e uma mulher com uma criança de no máximo um ano – todos vestidos de forma humilde. Eles xingavam o homem que respondia com palavras de baixo calão. Um deles disse que não permitiria que ele embarcasse ali. De repente, os seguranças foram pegálo e, acuado, esse senhor me abraçou para se proteger. Enquanto tentavam agarrálo, o responsável pela estação, acredito eu, pediu para os seguranças pararem e se jogou no meio do grupo. O usuário continuou impedido de embarcar e bastante nervoso ameaçava os seguranças que o intimidavam. Sou professor e usuário da CPTM há pelo menos 40 anos. Os funcionários sempre demonstraram pouco

Parque da Aclimação Como cidadã de São Paulo quero expressar a minha indignação quanto à situação do lago do Parque da Aclimação. É com absoluto descaso que o governo e a Prefeitura lidam com assuntos como preservação, meio ambiente, natureza e ecologia. Na hora das eleições, todos sabem prometer muito bem. Mas depois se esquecem. Disseram que no fim de semana deveria ser concluída a reforma provisória do vertedouro! Desse jeito, “provisório”, vai acontecer de novo. Simplesmente porque não se importam nem sequer com a saúde dos frequentadores do parque, já que o lodo que ali ficou oferecia risco de transmitir leptospirose, hepatite e doenças provocadas por bactérias. E o que será da vida dos animais que dependem daquele lago? Espero que a atitude dos governantes comece a mudar, pois eles têm deveres a cumprir, sim! MARCELA BADOLATTO

São Paulo

Desmentido Sou assinante da TVA digital e há mais de 20 dias não consigo ver nenhum canal pois há interrupções contínuas de sinal. O técnico disse, após faltar em várias visitas agendadas, que o problema era com o decodificador, mas não poderia trocá-lo porque não há outro tipo de aparelho. FERNANDO DE O. GERIBELLO

São Paulo

Adhelaine Marques, do Relacionamento com o Assinante TVA, informa que contatou o leitor para esclarecer sobre os proce-

tato para lidar com o público. Esquecem-se de que é o passageiro quem sustenta o sistema. Uma empresa como essa denigre a imagem do governo do Estado. Só não fiz uma denúncia no Batalhão da Polícia Militar próximo por eu depender do metrô para voltar para casa e estar perto do horário de seu fechamento. Mesmo assim procurarei registrar, por via legal, o fato, pois o sistema

Homem é agredido em estação de trem por seguranças da CPTM de segurança deve ter as imagens registradas. CARLOS EDUARDO ORTIZ

São Paulo

A CPTM esclarece que, após apuração dos fatos, concluiu que os vigilantes não agiram de acordo com os padrões de atendimento exigidos pela empresa e foram afastados, definitivamente, da prestação de serviço da companhia.

dimentos técnicos adotados. Diz que o cliente confirmou que os sinais de todos os canais estão de acordo com os padrões de qualidade TVA após visita técnica e que concederam crédito referente ao período sem sinal. O leitor contesta: A TVA falta com a verdade ao informar que já creditou o que me é devido legalmente, ou seja, mais de 27 dias sem sinal.

Mais do mesmo Sou solidário à leitora sra. Lílian Aparecida C. Sonnemaker, que, em 3 de março, expôs seu desespero com relação à Telefônica na resolução dos problemas dos seus consumidores. Desde março do ano passado tento desligar uma linha que estava ativada em um imóvel que desocupei. Em novembro, cobraram a conta dessa linha, sob a ameaça de colocar meu nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). As atendentes sempre “vão estar passando” a solicitação, mas, depois de horas ao telefone, ninguém resolve nada. É necessário que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o governo, o Ministério das Comunicações, o Congresso, enfim, alguma instituição cobre pelos abusos dessa empresa e dote o Estado de São Paulo de concorrentes na telefonia fixa. JOSÉ RENATO T. DE C. CARVALHO

São Paulo

Rodovia dos Tamoios Prezado governador José Serra, decorridos exatos dois anos de mandato, não se vê qualquer indício da obra de duplicação da Rodovia dos Tamoios, que , inclusive, fora promessa de campanha. ALCIDES FERRARI NETO

São Paulo

As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

Onde se informar >Corpo

de Bombeiros 193 ou www.ccb.polmil.sp.gov.br >Polícia Militar 190 ou www. polmil.sp.gov.br >Polícia Civil 197 ou www.policia-civ.sp.gov.br >Disque-Denúncia 181 (SP) ou (011) 3272-7373 >SPTrans 0800-7710118 informações sobre bilhete único e cartão fidelidade >Itinerário de ônibus 156 >Defesa Civil 199 ou pelo

Loterias >concurso 04325 04/3/09

QUINA > concurso 2.023

1º Prêmio

78.324

R$ 250.000,00

Quina (Acumulou)

R$ 1.447.193,53

2º Prêmio

44.241

R$ 25.000,00

3º Prêmio

60.300

R$ 20.000,00

Quadra (272)

R$ 1.997,48

4º Prêmio

08.003

R$ 12.500,00

Terno (10.686)

R$ 67,79

5º Prêmio

12.205

R$ 10.810,00

DUPLA SENA > concurso 739 03/3/09 Sena (1) R$ 559.352,86

08

09

10

17

Sena (2) Quina (40) Quadra (1.686)

04

08

35

39

R$ 63.660,87 R$ 2.122,03 R$ 50,35

10

12

28

31

04

15

28

05/3/09

43

LOTOFÁCIL > concurso 406

MEGA SENA > concurso 1.053

04/3/09

Sena (1)

R$ 1.629.650,34

Quina (112)

R$ 7.898,82

20 acertos (Acumulou)

Quadra (4.385) R$ 201,75

80

05/3/09

Dois apostadores acertaram as 15 dezenas e cada um vai receber R$ 810.235,41

01

02

04

05

07

08

09

10

11

16

17

21

22

23

24

15

27

34

42

49

53

R$ 64,9 milhões Maior prêmio pago pela Mega Sena desde seu primeiro sorteio

LOTOMANIA > concurso 911

04/3/09

R$ 2.184.309,77

12

14

20

24

31

37

45

46

48

52

53

62

64

74

76

79

80

83

86

00

SERVIÇO O Estado publica diariamente as loterias. Fique atento ao número e à data de realização dos sorteios

RODÍZIO Não podem circular hoje, no centro expandido, das 7 às 10 horas e das 17 às 20 horas, carros e caminhões com placas de finais 9 e 0

Há um século

Atenção. O quadro abaixo não deve ser usado para a conferência oficial das loterias. Dependendo do horário dos sorteios e do fechamento da edição, alguns resultados podem estar defasados. Confira os resultados oficiais nos sites www.caixa.gov.br e www.nossacaixa.com.br

FEDERAL

site www.defesacivil.gov.br >Procon 151 >Sabesp 195 ou pelo site www. sabesp.com.br >Eletropaulo 0800-7272196 ou www.eletropaulo.com.br >Comgás 08000-110197 ou pelo site www.comgas.com.br

6 de março de

1909 SABBADO

(Bello Horizone) A fabrica de tecidos de Barbacena está assentando seus novos machinismos vindos da Inglaterra e que serão movidos a electricidade.

●●●

(Roma) Foi inaugurada uma nova aldea sobre o Monte Aspromonte, á pequena distancia do lugar onde, em 1862, Garibaldi foi ferido pelas tropas regias, que queriam impedir a marcha dos garibaldinos sobre Roma. Essa aldea foi batizada com o nome de Nova Santa Eufemia, pois está abrigando os sobreviventes da cidade de Santa Eufemia, destruída pelo terremoto de 28 de dezembro.

●●●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 3 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C3 -

%HermesFileInfo:C-3:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CIDADES/METRÓPOLE C3 CIDADES/METRÓPOLE C3

INVESTIGAÇÃO

Malheiros ignorou parecer técnico Corregedoria gravou ‘acerto’ feito por agentes que foram reintegrados; acusação era de achacar ladrões de carga VIDAL CAVALCANTE/AE – 2/1/2007

Bruno Tavares Marcelo Godoy

O primeiro processo administrativo sob suspeita obtido pelo Ministério Público Estadual (MPE) mostra que o então secretário adjunto da Segurança Pública Lauro Malheiros Neto reintegrouàPolícia Civiltrêsinvestigadores do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) demitidos por extorsão sem nova prova quejustificassearevisãodoprocesso e contrariando o parecer da assessoria jurídica da pasta. Quatro meses antes, o próprio adjuntohaviaassinado ademissão dos policiais. O Estado teve acesso à cópia do processo administrativo (PA). As duas decisões de Malheiros Neto – contra e a favor dos policiais – foram tomadas em nomedo titular dapasta, RonaldoBretasMarzagão.Osinvestigadores eram acusados de exigir R$ 100 mil para não autuar em flagrante cinco homens surpreendidos em dezembro de 2001com umacarreta e umcarro roubados. Além da denúncia

feita pela mulher de um dos envolvidos, a Corregedoria da Polícia Civil gravou o que seria um “acerto” entre ela e um dos policiais do Deic – “Pega o dinheiro, marcacomoseuadvogadoamanhã, aqui, e traz pra gente”, orienta um dos investigadores. Depois de serem demitidos “a bem do serviço público”, em 11 de janeiro, os policiais entraram com pedido de revisão. Em 5 de abril, a procuradora Telma MariaPerez Garcia,daassessoriajurídicada SegurançaPública, deu parecer contrário aos policiais,dizendoque: “Não merece acolhida (o recurso), já que suas razões nada acresceram ao apurado nos autos”. Sobre a gravação da Corregedoria, ela diz: “não foi o único fator determinante da condenação, mas apresentainegávelvalorprobatório”. Em 2 de maio, Malheiros Neto absolveu e reintegrou os policiais, alegando que “reexaminado todo o processado, constato a ausência de fundamento suficiente para a manutenção do ato demissório”. Segundo delação feita pelo investigador Augusto Pena, pi-

O EX-SECRETÁRIO MALHEIROS – Decisão revista, quatro meses depois

vô do escândalo que derrubou Malheiros Neto em maio, cada investigador demitido teve de pagar R$ 100 mil para voltar à polícia. A forma como eles foram reintegrados se junta ao DVD divulgado pelo Estado, no qual o sócio e primo de Malheiros Neto, o advogado Celso Augusto Hentscholer Valente, diz que “esse negócio de PA é tudo baboseira. Ele (Lauro) decide... É um carimbo e um risco e já era”. A defesa de Malheiros Neto e Valente nega as acusações. AscópiasdoPAforamrepassadas ao Grupo de Atuação EspecialeCombateaoCrimeorganizado (Gaeco) do MPE pelo delegadoGersonCarvalho,quecomandava a investigação do caso até ser removido do cargo de diretor da Divisão de Apurações Preliminares da Corregedoria da Polícia Civil – a substituição ocorreu há uma semana. Antes de cair, Carvalho havia pedido a abertura de inquérito policial sobre o caso. Segundo denúnciade Pena, a propina para Malheiros Neto seria entregue no gabinete do adjunto. Isso só não ocorreu porque Ma-

lheiros Neto achou que o pacote com R$ 300 mil poderia despertar suspeitas. Malheiros Neto era homem de confiança de Marzagão. Anteontem, ao saber da existência de DVD em que Valente supostamente venderia cargos e sentenças em PAs, Marzagão defendeu o ex-adjunto. “Nunca soube nada a respeito dele. Ele vem de uma família de juristas ilustres. Vamos aguardar o que mostram os fatos.” ●

nador. Contudo, muitos não entendem que o cargo que ocupam não lhes pertence, uma vez que é um cargo público. Quando são substituídos, tomam isso pelo lado pessoal e tentam culpar alguém. Daí surgem os mais absurdos fatos e situações criadas para o fim de atacar quem eles creem que os prejudicou. Ainda tomados por tal mesquinha e infundada vaidade passam a denegrir desmedidamente a honra de seus supostos ofensores, como forma de uma imaginária vingança, mas se esquecem de que a maior atingida é a própria Instituição Policial.

armação, criada com o fim de me atingir. Isso porque, em um pequeno exercício de raciocínio, não é difícil concluir que alguém que procure um advogado e com ele se consulte munido de uma câmera oculta não tem outra intenção senão a de criar uma situação, evidentemente, agindo de má-fé.

Clique agora

TV Estadão: vídeos mostram as negociações Entenda quem é quem e o que é negociado Íntegra da entrevista com Lauro Malheiros Neto www.estadao.com.br/e/c3

Entrevista Lauro Malheiros Neto: ex-secretário adjunto da Segurança Pública de SP

Ex-secretárioacreditaem‘armação’ criadacomofimdeatingi-lo Advogado diz que seu primo, flagrado em negociações, é pessoa ‘idônea’ e que só soube do DVD pela imprensa O ex-secretário adjunto da Segurança Lauro Malheiros Neto afirmou que seu primo e sócio, o advogado Celso Augusto Hentscholer Valente, é pessoa “idônea” e acredita que ele foi vítima de uma armação criada com o fim de atingi-lo. Eis trechos de sua entrevista por escrito ao Estado. Quando o sr. tomou conhecimento da existência desse DVD?

Tomei ciência pela imprensa da existência de um DVD que teria sido entregue ao Ministério Público, pois até agora não tive acesso às acusações feitas contra mim. Fiquei ciente do teor de tal DVD pela imprensa, apesar de apenas serem veiculados alguns trechos de tal gravação. Nada posso dizer a respeito do teor do DVD tendo em vista que

trechos são incapazes de revelar a situação em seu todo. De qualquer forma, desconheço o ocorrido, mesmo porque, ao assumir o cargo de secretário adjunto, me desliguei por completo da advocacia, pela incompatibilidade das funções e para exercer com plenitude meu cargo, uma vez que, em razão da complexidade da pasta, meu tempo era tomado integralmente. Praticamente deixei de lado até minha família, minha vida particular, em razão de tal dedicação. Foi ameaçado ou chantageado por alguém a respeito da gravação?

Sobre esse assunto entendo que devo responder primeiramente ao Ministério Público. Acredita que essa gravação tenha relação com as mudanças que o senhor promoveu na Polícia Civil?

De vez por todas, vamos deixar bem claro que mudanças na cúpula da Polícia não foram promovidas por mim, pelo Dr. Marzagão, pelo delegado-geral, nem

por qualquer outro de forma isolada. Faz parte do serviço público a rotatividade dos servidores nas mais diversas funções atinentes ao cargo, nesse caso, atinentes à função policial. Com a mudança da Delegacia-Geral, houve uma mudança da forma de gestão, pois cada um tem seu estilo próprio. O Conselho da Polícia Civil, tido como a cúpula da polícia, é formado pelos diretores dos Departamentos, tendo como presidente o delegado-geral. Tal conselho tem como função, dentre outras, auxiliar o delegado-geral nas diretrizes da administração da instituição. É óbvio que, com a mudança do delegado-geral, alguns membros do conselho são mudados. Mas são mudados não por serem melhores ou piores que aqueles que os sucedem, mas sim como forma de adequar ao estilo de cada gestão. Tais mudanças não são decididas de forma pessoal, mas sim analisadas e submetidas ao crivo da secretaria e, ao final, do senhor gover-

Arcebispo apoia campanha de delegados A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo se reuniu anteontem com o arcebispo de São Paulo, d. Odilo Scherer, em busca de apoio para sua campanha em nome da moralidade na Segurança Pública. O cardeal manifestou apoio à iniciativa do presidente da associação, delegado Sérgio Roque, que estava acompanhado por seu colega da Polícia Federal, Protógenes Queiroz. A Campanha da Fraternidade deste ano tem como lema “A paz é fruto da Justiça”. O encontro do cardeal com os policiais durou duas horas. Na próxima sexta-feira, os delegados farão um ato diante da Secretaria da Segurança Pública, no centro. Na Assembleia Legislativa, a bancada do PT e o deputado major Olímpio Gomes (PV) pediram a criação de uma CPI da corrupção. ● B.T. e M.G.

●● ●

No ano passado, o senhor disse ao Estado que o doutor Valente era pessoa idônea. Continua com essa opinião?

Até prova em contrário, sim. Além de nossa relação de parentesco, Celso Valente e eu cursamos a faculdade de Direito e nos formamos mais ou menos na mesma época. Posso dizer que é um dedicado e idôneo profissional, pois ao longo da advocacia já trabalhei com ele em alguns casos e pude ver o profissional que é. O senhor acredita que o doutor Valente possa ter usado o seu nome para obter algum tipo de vantagem?

Acredito que o Dr. Celso tenha sido vítima de uma repugnante

Por que o sr. Pena o acusa?

Eu também realmente gostaria de saber. Nada fiz a ele que pudesse desencadear tais acusações contra mim. Não entendo o motivo que o levou a criar e imputar tais inverídicos fatos contra mim. Ele cria e imputa fatos a mim que eu sequer tenho ideia do que se trata. Imputa-me relacionamento com pessoas que sequer conheço. Creio que ele está sofrendo alguma pressão ou sendo maliciosamente orientado por alguém. Não tenho a menor ideia porque ele está fazendo isso, tendo em vista que sempre prontamente o assisti e o ajudei como advogado com a maior presteza e lisura. Falando em acusações, até hoje não sei na realidade do que venho sendo acusado, senão pelas notícias veiculadas pela imprensa, haja vista que não respondo a qualquer processo e nunca fui ouvido a respeito, mesmo já tendo me colocado à disposição do Ministério Público. ● M.G. e B.T.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR - 5 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C5 -

%HermesFileInfo:C-5:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CIDADES/METRÓPOLE C5 CIDADES/METRÓPOLE C5

DIPLOMACIA

TRÂNSITO

Paidegarotoemdisputaagradece aHillaryno‘LarryKingLive’

Emissão de CNHs ainda não está normalizada

David Goldman, que luta pela guarda do filho, falou ao programa, um dos mais vistos dos EUA ERALDO PERES/AP

A disputa travada entre o americano David Goldman e o advogado carioca João Paulo Lins e Silva pela guarda de S.G., de 8 anos, chegou a um dos programas de maior audiência dos Estados Unidos. Larry King, que comanda o Larry King Live, da CNN, entrevistou Goldman e um tio de sua ex-mulher Bruna Bianchi, Helvécio Ribeiro, na noite de anteontem. As entrevistasforamretransmitidasontem no Brasil às 7 horas pela CNN International. Ocaso já foi tema de entrevista do programaDateline, daNBC,edereportagem do New York Times. Goldman acusou a família de Bruna de impedi-lo de visitar o filho,alegouquetribunaisbrasileiros desrespeitam o Tratado deHaia –quedeterminaacustódia de criança sequestrada ao pai separado dofilho –e agradeceu a intervenção da secretária de Estado americana, Hillary Clinton. “Só queria agradecer, estou muito grato por ela estar me ajudando. Ela sabe que isso é justo, entende o que é justo e se preocupa com as crianças e com os direitos dos pais de teremao seulado sua própriacarne e sangue.” Ribeiro, por sua vez, colocou em xeque o amor de Goldman pelofilho.Dissequeopaibiológico nunca se interessou pelo garoto,que vivedesde os 4 anos na Lagoa, zona sul do Rio. Em 21 de agostode2008,amãedeS.morreu após o parto de Chiara, filha de Lins e Silva. Goldman, então, reacendeu a briga pela guarda, já travada nas Justiças brasileira e americana. ApósamortedeBruna,Goldman contou que foi surpreendido com uma ação de Lins e Silva. “Obtivemos o direito de visita, mas, quando eu deveria trazer meu filho para casa, descobrimos que esse homem não entrou com o pedido judicial de custódia, mas com um pedido de remoção de meu nome da certidão de nascimento de S.,

BATALHA JURÍDICA – Goldman (à direita), em fevereiro, ao chegar ao Brasil com o congressista Christopher Smith: luta começou em 2004

FRASES

David Goldman Pai do menino S. “Obtivemos o direito de visita, mas, na primeira vez em que eu deveria trazer meu filho para casa, descobrimos que esse homem (Lins e Silva) não entrou com o pedido judicial de custódia, mas de remoção de meu nome da certidão de nascimento de S.” “Ela (Hillary) sabe que isso é justo, e se preocupa com as crianças e com os direitos dos pais de terem ao seu lado sua própria carne e sangue”

que nasceu em Red Bank, Nova Jersey. Ele ganhou a guarda provisória”, contou Goldman. Goldmandisse aKingque,logo após o sequestro, conseguiu falar com o filho. “Falei com todos (da família de Bruna), quando ainda estavam tentando me convencer a ir até lá (Brasil) e a cair na cilada dessa batalha pela custódia.” Goldman disse, na entrevista,queostribunais brasileiros admitem o descumprimento do Tratado de Haia. “Em primeira instância, eles ficaram com S. por um ano. Então, foi declarado que ‘bem, você sabe, ele foi levado ilegalmente e deveria ser devolvido, mas ago-

ra ele está numa situação estável com a sua mãe’. Foram juízes brasileiros que reconheceram que o menino ficou com a mãe de modo ilegal.” Ribeiro disse a King que não questiona o direito do pai biológico, mas afirmou que a custódia deve, sim, ficar com Lins e Silva. “O fato é que para ser pai é preciso mais do que doar o DNA. Paternidade não é fazer filmes caseiros e tirar fotos, é fazer sacrifícios. É sustentar o próprio filho, estar presente. E, enquanto Bruna estava viva, Goldman não fez isso.” Ao apresentador, o tio de Bruna colocou em dúvida o sentimento do

pai biológico. “Acho que é muito fácil você dizer que ama alguém, mas você precisa agir de modo a mostrá-lo.” Ao vivo nos Estados Unidos, Ribeiro fez uma defesa do amor que Lins e Silva sente pelo menino. “S. sabe perfeitamente que ele (Lins e Silva) não é seu pai biológico, mas o chama de papai. S. sabeque Goldmané seupaibiológico.” Para provar, Ribeiro revelou que S. costuma conversar com Goldman e sua avó, que vivem nos Estados Unidos. “Portanto, ele sabe perfeitamente a diferença. Ele sabe quem é quem.” ●

dois especialistas internacionais contratados para a ajudar na transição (o americano HenryFogeleoinglêsTimothyWalker) e pelo diretor executivo da Osesp, Marcelo Lopes. Não há, no entanto, definição quanto à dataem que o comitêanunciará suas escolhas. “Serão eles a recomendar ao conselho um nome, mas os procedimentos que devem pautar a procura do novo diretor artístico ainda serão definidos”, disse Fernando Henrique em encontro com a imprensa na Sala São Paulo. “O certo é que maestros serão considerados a partirdeagora e todosaqueles convidados para reger a orquestra estarão sendo avaliados”, completou. O contrato do maestro John Neschling, que acumulava as funções de diretor artístico e regente titular, terminaria nofim de 2010. Até lá, omaestro francêsYanPascalTortelierserá o regente titular interino. Já a direção artística ficará a cargo dos especialistas estrangeiros e de Marcelo Lopes.

Também presentes, tanto Fogel quanto Walker desmentiram a informação de queoidealparaa Osespseria ter dois profissionais e não apenas um como diretor e maestro.“Não háum modelo ideal”, disse Walker. “Quando se pergunta quem manda, essa é a pergunta errada. Uma orquestra dá certo quando não dá para saber ao certodequeméaúltimapalavra, quando existe uma parceria”, emendou Fogel. Já o vice-presidente do conselho, o banqueiro Pedro Moreira Salles, foi mais categórico. “Nossa função é promover a institucionalização da orquestra, o que significa que uma só pessoa não pode ter todo o poder. Se isso acontecer, estaremos voltando de onde viemos. Seria umerro.” O ex-presidente concorda. “Nada de fulanizar a orquestra.”Masosmembrosdoconselho não quiseram adiantar qual acreditam ser o perfil do novo diretor. ●

CULTURA

Osesp inicia processo para escolher maestro e diretor FHC avisa que não se pode ‘fulanizar’ a orquestra PAULO LIEBERT/AE

João Luiz Sampaio

A Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) anunciou na tarde de ontem a formação do comitê que será responsável pela escolha do novo diretor artístico do grupo, cargo deixado vago pelo maestro John Neschling, demitido no início do ano. Segundo o presidente do Conselho de Administração da fundação, o expresidente da República Fernando Henrique Cardoso, o comitê será formado por dois membros do conselho (Persio Arida e Luiz Schwarcz), dois músicos (Darrin Coleman Milling e outro a ser definido),

ENCONTRO – FHC, Fogel e Walker (dir.) não quiseram adiantar perfis

Naiana Oscar

Um problema no sistema de dados do Departamento de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) deixou suspensa por mais um dia a emissão de CNHs na capital.Oserviçonãoestásendorealizado desde sexta-feira passada,quandooDepartamentoNacionaldeTrânsitodesligouabasededadosparafazerumaatualização. A previsão inicial era de que a emissão voltaria ao normal na madrugada de segunda-feira. Depois, foi anunciado que anteontem, às 14h, o serviço estaria ativo, o que não aconteceu. O primeiro prazo não foi cumprido porque os técnicos, em Brasília, tiveram “imprevistos”, segundo a Assessoria de Imprensa do Denatran. Agora, o problema é na base de dados do Detran-SP, operadapelaCompanhiadeProcessamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp). Em nota divulgada ontem pela manhã, o Detran informou que o sistema voltaria “ao longo do dia”, mas até o fim do expediente do órgão,às 17h,oserviçocontinuava suspenso na sede, nos postos do Poupatempo na capital e nos Ciretrans, em outros municípios. Anteontem, o Detran havia informado, erroneamente, que o sistema estava normalizado. Outros Detrans do País, como o do Estado do Rio, da Bahia e do Distrito Federal também tiveram problemas. Segundo a Assessoria de Imprensa do Denatran, o serviço foi concluído às14hdequarta-feirae que,desde então, qualquer interrupção doserviçodeCNHéresponsabilidade do departamento estadual. “Estamos trabalhando há dois anos na atualização da base de dados. Se há problema, é porque o Detran não conseguiu se adequar a tempo.” No Detran-SP é possível fazer o cadastramento para dar entrada no pedido do documento porque esse registro, por enquanto,estásendofeitonosistema estadual. Os outros serviços estão parados. Nos postos do Poupatempo ninguém deixou de ser atendido por conta do desligamento do sistema. O que mudou foi o prazo de entrega da habilitação. No Poupatempo, é possível substituir a permissão para dirigir, fazer a segunda via ou renovar a carteira. Normalmente, o prazo para retirada do documento é de até quatro horas.Comimprevistonaatualização da basede dados, o prazo foi ampliado para até quatro dias úteis a partir da data em que o sistema voltar ao normal. Diariamente, são atendidas cerca de 1,7 mil pessoas nos postos da capital com esses objetivos. Desde sexta-feira, o Denatran está passando os dados da antiga Base de Identificação Nacional de Condutores (Binco) para a nova base – chamada de “Binco Ampliada”. Essa mudança, segundo o departamento, vai permitir que todas as informaçõesreferentes ao condutor estejam acessíveis aos órgãos estaduais de trânsito e ao Denatran simultaneamente. Com a nova base será possível ter acesso ao histórico do condutor, com informações, por exemplo, sobre onde ele realizou os exames médicos, as aulas teóricas e quem foram seus instrutores. ●

TRANSPORTES

Secretariaelaboracontratoemergencial paramanterradares,‘porprecaução’ Renato Machado Eduardo Reina

A Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) afirmou ontem que está elaborando “por precaução” contratos emergenciais para manter a aplicaçãodemultasporradares fixos na cidade de São Paulo. Anteontem, uma liminar do Tribunal de Justiça (TJ) barrou pela segunda vez em seis meses a instalaçãodessetipodeequipamen-

to e o uso dos já posicionados parafiscalizarotrânsito.Adecisão – assinada pelo presidente da Seção de Direito Público do TJ, desembargador Antônio Carlos Viana Santos – será publicadanaedição dehoje doDiário Oficial de Justiça e, por isso, passa a valer a partir de agora. A SMT afirmou que ainda não foi notificada da decisão, informação refutada pelo TJ. Comapublicaçãodaliminar,estão suspensas as multas aplicadaspelos 97 radares fixos quejá

estão instalados – eram previstos 175 – e as pessoas autuadas podemrecorrernaJuntaAdministrativa de Recurso de Infrações (Jari). No entanto, a CompanhiadeEngenharia deTráfego (CET) informou que os radares fixos continuam a registrar as infrações. Além disso, a CET possuioutros309radaresdeoutros modelos que operam sem nenhuma obstrução judicial. A decisão de anteontem é resultado de umaação movidapela empresa Politran Tecnologia

eSistemasparabarrarumalicitação para a colocação de 175 radares fixos. A empresa, que saiuderrotadanoprocesso,afirma que as vencedoras foram favorecidas por falhas no edital. A Politran conseguiu uma liminarem outubro do anopassado. No entanto, ela foi reformada em dezembro pela 10ª Câmara deDireitoPúblicodoTJ.Durante esse intervalo, a SMT realizou um contrato de emergência para manter o serviço com as mesmas empresas que haviam vencido a licitação em questão. Como a liminar de anteontem é resultado de um recurso especial, a Prefeitura, se quiser recorrer, terá de fazer junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 6 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C6 -

%HermesFileInfo:C-6:20090306:

C6 CIDADES/METRÓPOLE

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

+ 9

CRIME ORGANIZADO

Quadrilharoubafábrica demunição e armas Pelo menos 10 bandidos invadem a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), na Grande São Paulo, levam 20 fuzis e 70 mil projéteis e fogem José Dacauaziliquá Josmar Jozino

Umaquadrilhaformadaporpelo menosdezcriminososinvadiuontem à noite o Centro Tático de Treinamento (CTT), integrante daCompanhia BrasileiradeCartuchos (CBC), fabricante de armas de alta potência para treinamentode tiro,emRibeirão Pires, na Grande São Paulo. O bando ficou três dias num terreno perto esperandoomomentodeinvadir o local. Os bandidos portavam pistolas e entraram na empresa pelos fundos do terreno onde também fica o prédio principal da CBC. Segundo a Polícia Militar, foram levados pelos menos 20 fuzis e 70 mil projéteis. Há suspeitas de que os criminosos sejam integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). “Não chegaram a entrar naCBC.Aindanãotemosolevantamentodo que foi roubado. Mas posso garantir que os ladrões levaramarmasdealtapotência,como fuzis, para treinamento de tiro”, afirmou o delegado-seccional de Santo André, Luiz Carlos do Santos, que também responde por Ribeirão Pires.

Preso acusado de fabricar armas para o PCC A polícia prendeu no início da noite de ontem José Ricardo Areas, de 43 anos, acusado de fabricar armas para o Primeiro Comando da Capital (PCC). Na casa dele, em São Miguel Paulista, zona leste, foram apreendidas seis metralhadoras caseiras inacabadas, uma metralhadora industrial de calibre 9 mm e duas espingardas, além de munição. Policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG) da 5ª Delegacia Seccional (Leste) chegaram ao endereço ao investigar um

menor detido no 24º DP (Ermelino Matarazzo) com um fuzil e uma espingarda calibre 12 artesanal. Ele disse à polícia que as armas eram de dois homens conhecidos como Fabiano e Branco. Segundo a polícia, o infrator afirmou que esses homens eram integrantes do PCC e encomendavam as armas com Areas. O adolescente também revelou o endereço do armeiro. Às 18h de ontem, policiais do SIG, comandados pelo delegado titular Marco Antonio Bernardino Santos, fo-

ram à casa do acusado. Um policial se apresentou como Branco e outro com Fabiano. Eles disseram: “Viemos buscar a metralhadora encomendada”. Sem perceber que os dois homens eram investigadores, Areas afirmou: “A arma ainda não está pronta”. Depois disso, ele recebeu voz de prisão. Segundo o delegado, Areas também é integrante do PCC, já cumpriu 10 anos de prisão e estava em liberdade condicional. ● J.J.

Eram 20 horas quando parte da quadrilha entrou pelo matagal e dominou o único vigia do CTT, cujo nome não foi divulgado.Eleteveospésemãosamarradoscomcordasefoitrancadonuma sala durante uma hora e 35 minutos. Os criminosos foram às prateleiras e recolheram todo o armamento e a munição. Sabese que a quadrilha utilizou pelo menosumaFiorinobrancanafuga, por volta das 21h30.

Umatestemunhaavisou aPolícia Militar. Os policiais foram até a empresa e libertaram o refém. Segundo a polícia, os ladrões tinham um alvo concreto: levaramarmamentopesado,normalmente utilizado para os treinamentosdeelitedasPolíciasCivil, Militar e Federal, além do Exército. OhelicópteroÁguia daPMfoi acionado para as buscas. Até o fim da noite, havia informações

desencontradas sobre perseguições e tiroteios na região. Única fábrica de munições doBrasil,aCBCvende50%da produçãoparaoexterior.Mas a quantidade exata de mercadoriaproduzida ésigilosa.Em 2002, 230 mil cápsulas de munição da companhia foram roubadas quando eram levadasparaBeloHorizonteeposteriormente recuperadas pela Divisão Antissequestro. ●

●● ●

POR JF DIORIO/AE

Policiais atiram em vendedor de shopping

JUSTIÇA

Foragidopoderá recorreremprocesso Decisão tomada ontem pelo STF reconheceu o direito de réu desaparecido durante o processoe atépreso quefugiu de recorrer à Justiça contra condenações. Num dos casos julgados, o réu ficou foragido durante todo o curso do processocriminal,nãotendooTJ analisadoaapelaçãoemrazão darevelia.Ocorrequeoartigo 524doCódigodeProcessoPenal, que impedia tal recurso, foi revogado no ano passado. SALVADOR

Suspeitos de fraude, coronéis são presos A Secretaria da Segurança Pública da Bahia anunciou na tarde de ontem que foram presos três coronéis da PolíciaMilitar, acusados de fraude na licitação para a compra de 200 carros, comprados no ano passado. Segundo primeiras informações, entreospresosestáJorgeRibeirodeSantana,comandante-geral da Polícia Militar da Bahia entre janeiro de 2003 e agosto do ano passado. MANAUS

PF descarta explosão de cilindro de drogas O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes,descartouontemquea explosão de um cilindro com drogas tenha sido a causa do acidente na semana passada na sede de Manaus. Três peritos morreram. Sete peritos de Brasíliatrabalhamcomahipótesedeacidentedetrabalho. A suspeitadocilindrosurgiuporque testemunhas viram peritos trabalhando com o objeto. Atentado não foi descartado. NOVO HAMBURGO

MPE do RS denuncia 59 policiais militares O Ministério Público do Rio Grande do Sul denunciou 59 PMs do 3º Batalhão de Novo Hamburgo, uma policial civil e dez pessoas por formação de quadrilha, roubo, posse de entorpecentes. A investigação do assassinato do policial José Luís da Rosa, em setembrode 2007,porumcolega, levou à rede. Segundo o MPE, os acusados participavam ou encobriam crimes.

O vendedor de roupas do Shopping Morumbi André Luiz de Souza, de 29 anos, foi confundido com um ladrão e acabou baleado por homens do Grupo de Operações Especiais (GOE). Mesmo deitado de bruços no chão e dizendo ser trabalhador, o rapaz recebeu um tiro na panturrilha direita e na coxa esquerda. O episódio aconteceu na madrugada de terça-feira, quando Souza pegou um táxi no Shopping Morumbi e foi abordado por homens do GOE. Segundo Souza, os policiais atiraram no carro. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que um dos policiais foi afastado provisoriamente.

CORREÇÃO O Drops Bar, citado no ‘Guia’ de hoje, fica na R. dos Ingleses, 182, Bela Vista, 25034486; www.dropsbar.com.br.

RIO

Quadrilha que jogou casal foi espancada em favela Pedro Dantas RIO

Traficantes da Favela da Rocinha,nazonasul doRio,espancaram e expulsaram os quatro assaltantes que roubaram e jogaramda encosta da Avenida Niemeyer o empresário Marcelo Viana, de 43 anos, e namorada dele,a publicitária PaulaBarreto,de31, namadrugadadequarta-feira. Os bandidos foram entregues à polícia pelos próprios traficantes, que queriam evitar uma busca aos assaltantes. Alexandre Oliveira, de 19 anos, foi punido com um tiro na mão direita e o português Antonio Manuel Ribeiro, de 33, com um tiro na perna esquerda. Thiago Apolinário dos Santos, o TH, e Wilson da Silva, o Beiçola, também foram surrados no alto da favela. Todos têm passagens por roubo e furto. Policiaisacreditamqueasurrafoimotivadaporqueosbandidos “assinaram” o crime ao abandonar o Audi do empresário na favela. Segundo os agentes,elessónãoforammortospara evitar uma operação policial deresgatedos corpos.“Ostraficantes souberam pela imprensa que haveria uma grande operação policial na Rocinha para localizar os quatro e decidiram entregá-los para evitar”, disse a delegadaadjuntada14ª Delegacia do Leblon, Leila Goulart. UmaligaçãoanônimaaoDisque-Denúncia, pouco antes das 19 horas, avisou que o bando estava sendo torturado. Meia hora depois, três deles foram encontrados na Estrada da Gávea por policiais com pertences da vítima.Alexandreconseguiupegar uma van e foi preso no Hospital Miguel Couto, na Gávea. Adelegada dizqueinvestigará o espancamento, mas que os próprios assaltantes negam que os traficantes tenham sido os autores. “Eles atuavam havia cerca de três meses na zona sul e na Barra da Tijuca (zona oeste), mas não com tráfico.” Os quatro foram indiciados por tentativade latrocínio, e podem pegar até 25 anos de prisão. “Não fiquem colocando que foi vagabundo que espancou a gente. Vai nos prejudicar. Apanhamos da comunidade”, disse Beiçola à imprensa. TH chegou a afirmar que tinha sido espancadopelafamília, masdeuaversãode Beiçola. Adupla foi apontada nos depoimentos dos comparsas como responsável por empurrar o casal. ●

publicar anúncio fúnebre: Balcão Iguatemi – Shopping Iguatemi 1a - 04, tel.: 3815-3523 / fax: 3814-0120 – Atendimento: de 2.ª a sábado, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20 horas. Falecimentos Para Balcão Limão – Av. Prof. Celestino Bourroul, 100, tel.: 3856-2139 / 3857-4611 / fax: 3856-2852 – Atendimento: de 2.ª a 6.ª das 9 às 19 horas. Para notícia de falecimento/missa: fax (0xx11) 3856-2560 Alzbeta (Elizabeth) Horovitz Dia 5, aos 85 anos. Filha do sr. Josef Klein e de d. Sala Klein, era viúva do sr. Ludvik Horovitz. Deixa os filhos Josef Horovitz e Sonia Helena Najman. Deixa ainda netos e bisnetos. O enterro será realizado hoje, às 11 horas, no Cemitério Israelita do Butantã. Manife Jorge Tacla Ontem, aos 85 anos. Viuva do dr. Michel B. S. Tacla, deixa filhos, genros, netos e a irmã Jamila Jorge. Solidade Avelino dos Santos Silva Dia 2, aos 88 anos. Deixa filhos e netos. O enterro realizou-se no dia seguinte, no Cemitério Memorial Parque Paulista. Terezinha Maritan Guimarães Aos 74 anos. Casada com o sr. Mario Machado Guimarães, deixa seis filhos. O enterro realizou-se no Cemitério e Crematório Metropolitano Primaveras. Maria Isidoria da Silva Dia 3, aos 59 anos. Deixa irmãos, marido e filhos. O enterro realizou-se no Cemitério Memorial Paque Paulista. Maria Alves Silva Aos 56 anos. Filha do sr. Inácio Alves Siqueira e de d. Tereza Américo de Carvalho, era casada com o sr. Romão Maciel Silva. Deixa filhos. O enterro realizou-se no Cemitério Parque dos Girassóis. Sandra Falcioni Sanchez Cox Aos 53 anos. Advogada, era casada com o sr. George Ely Cox. Era irmã de d. Ana Maria, casada com o sr. Gianpaulo Baglioni, e d. Mirella, casada com o sr. Claudio Ranzini.

Ten. Cel. PM Roberto Octavio Marinho de Azevedo Dia 3, aos 87 anos. Cirurgião dentista, era casado em primeiras núpcias com d. Maria Apparecida dos Santos Marinho, falecida e, em segundas, com d. Lucia Barbosa Marinho de Azevedo. Deixa filhos e netos. O enterro realizou-se no mesmo dia, no Cemitério São Paulo. A missa de sétimo dia será celebrada no dia 11 (quarta-feira), às 11 horas, na Igreja de São José, na Rua Dinamarca, 32, Jardim Europa. Raimundo Castelo Branco Dia 5, aos 85 anos. Era filho do sr. Raimundo Lopes Castelo Branco e de d. Sofia castelo Branco, era casado com d. Carolina. Deixa os filhos Regina, Maria, Lineu, Maria Lucia e Raimundo. A cerimônia de cremação foi realizada ontem, à tarde, no Cemitério e Crematório Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. Carlos Vieira de Campos Dia 4, aos 79 anos. Deixa mulher, irmãos e filhos. O corpo foi trasladado para o Crematório Memorial Paulista. Jodis Torigoe Aos 62 anos. Casado com d. Takako Torigoe, deixa três filhos. O enterro realizouse no Cemitério Jardim parque dos Ipês. Washington Pereira de Lima Dia 28. Deixa mãe, irmãos, mulher e filhos. O enterro realizou-se no Cemitério Memoirla Parque Paulista. MISSAS Jalva Pereira Barretto Hoje, às 11 horas, na Igreja Nossa Se-

nhora do Brasil, na Avenida Brasil, Jardim América (7º dia). Naíma Miguel Elias Hoje, às 18h30, na Igreja de São Gabriel, na Avenida São Gabriel, 108, Jardim Paulista (1º aniversário). Elza P. S. Cardoso de Almeida Dia 7, às 12 horas, na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Rua Honório Líbero, 100, Jardim Paulistano (7º dia). Josephina (Filhinha) Laurino Monteiro Dia 7, às 15 horas, na Igreja São José, na Rua Dinamarca, 32, Jardim Europa (30º dia). Juliana Granero Dia 7, às 17 horas, na Catedral Metropolitana de Brasília (32º aniversário). Missa rezada anualmente pela Turma de 2000 da Faculdade de Direito da USP. Amélia Merege Simões Dia 8, às 10h30, na Catedral Metropolitana Ortodoxa, na Rua Vergueiro, 1.515, Paraíso (7º dia). Sandra Falcioni Sanchez Cox Dia 9, às 11 horas, na Paróquia São José, na Rua Dinamarca, 32, Jardim Europa (em memória). Maria de Lourdes Lissandrello Dia 10, às 18 horas, na Paróquia Nossa Senhora da Esperança, na Avenida dos Eucaliptos, 572, Moema (7º dia). Dr. Innocêncio Medina Garcia Hoje, às 19 horas, no Santuário da Paróquia São Francisco de Assis, no Largo São Francisco, 133, Centro (7º dia). Foi diretor da Associação dos Procuradores Autárquicos do Estado de São Paulo - APAESP.

Roberto Luis Joppert Hoje, às 11 horas, na Igreja São José, na Rua Dinamarca, 32, Jardim Europa (em memória). Ubirajara Keutnedjian Filho Hoje, às 12 horas, na Igreja São José, na Rua Dinamarca, 32, Jardim Europa (30º dia). Carlos Waldemar Vailati Hoje, às 19 horas, na Paróquia São Dimas, na Rua Domingos Fernandes, 588, Vila Nova Conceição (7º dia). Darcilio de Castro Rangel Dia 7, às 10 horas, na Capela do Cemitério de Vila Euclides, em São Bernardo do Campo (2º aniversário). João Paulo Rocha de Assis Moura Dia 7, às 11 horas, na Capela da PUCSP, na Rua Monte Alegre, 948, Perdizes (7º dia). Rudiney Farias Martins Dia 7, às 12 horas, na Igreja São Gabriel, na Avenida São Gabriel, 108, Jardim Paulista (30º aniversário). Britvalde dos Santos Silva Dia 7, às 12 horas, na Capela Nossa Senhora do Bom Conselho, no Colégio São Luiz, na Rua Haddock Lobo, 400, Cerqueira César (7º dia). Paulo Prado Sampaio Dia 7, às 17 horas, na Paróquia São Bento, na Rua Santo Américo, 357, Morumbi (15º dia). Caio de Almeida Queiroz Junior Dia 7, às 18 horas, na Paróquia São Dimas, Vila Nova Conceição, na Rua Domingos Fernandes, 588, na altura do nº 900 da Avenida Santo Amaro (7º dia).

Odail Caproni Dia 8, às 9 horas, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Rua Barão da Passagem, 971, Vila Leopoldina (7º dia). Wilson Lopes Cardoso Dia 8, às 12 horas, na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Rua Honório Líbero, 100, Jardim Paulistano (7º dia). Manoel Cassiano da Rocha Dia 8, às 16h30, na Igreja de São Judas Tadeu, na Avenida Jabaquara, 2.682, Jabaquara (7º dia). Juarez Alves Cyrino Dia 8, às 17 horas, na Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, na Avenida Pompéia, 1.214, Vila Pompéia (7º dia). Elias Rueder Dia 8, às 18 horas, no Santuário Nossa Senhora de Fátima, na Rua Darwin, Alto da Boa Vista, Santo Amaro (4º aniversário). John de Souza Dantas Forbes Dia 10, às 12h30, na Igreja Nossa Senhora do Brasil, na Avenida Brasil, Jardim América. * CEMITÉRIO ISRAELITA DO BUTANTÃ Sima Schor Dia 8, às 10h30 - Q 182 - Sep 124 - S B (Matzeiva). Lea Gampel Dia 8, às 10h30 - Q 393 - Sep 114 - S R (Matzeiva). Necha M. Gedanken Dia 8, às 11 hs - Q 324 - Sep 48 - S O (Matzeiva).

Josif Blatt Dia 8, às 11hs - Q 344 - Sep 178 - S (Matzeiva). Ivoni Broncher Dia 8, às 11 hs - Q 404 - Sep 82 - S (Matzeiva). Ruy George Fischer Dia 8, às 11 hs - Q 407 - Sep 68 - S (Matzeiva). Miguel Siegel Dia 8, às 11h30 - Q 45 - Sep 78 - S (Matzeiva). Nahum Fichmann Dia 8, às 11h30 - Q 345 - Sep 72 - S (Matzeiva). Peter Hirschbruch Dia 8, às 11h30 - Q 391 - Sep 110 - S (Matzeiva). Victor David Benveniste Dia 8, às 12 hs - Q 402 - Sep 111 - S (Matzeiva). Rosa Lea C. Dazcal Dia 8, às 11 hs - Q 403 - Sep 20 - S (Shloshim). Rubens Gruc Dia 8, às 11 hs - Q 378 - Sep 49 - S (Shloshim). Jaime B. Y. Shaul Dia 8, às 11 hs - Q 330 - Sep 83 - S (Shloshim). CEMITÉRIO ISRAELITA DO EMBU Raquel Boruchowski Dia 8, às 9h30 - Q 17 - Sep 121 - S (Shloshim). Willy Wurmbrand Dia 8, às 10h30 - Q 13 - Sep 09 - S (Shloshim).

O R R D O R R R R O

B B

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 7 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C7 -

%HermesFileInfo:C-7:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CIDADES/METRÓPOLE C7 CIDADES/METRÓPOLE C7

DIPLOMACIA

TRANSPORTES

Pai de S. agradece a Hillary no ‘Larry King’

Haverá contrato emergencial para radares

David Goldman, que luta pela guarda do filho, falou ao programa, um dos mais vistos dos EUA; tio da ex-mulher também deu entrevista

Por ‘precaução’, secretaria cria meios de manter aplicação de multas

ERALDO PERES/AP

Renato Machado Eduardo Reina

A Secretaria Municipal dos Transportes(SMT)afirmouontem que está elaborando “por precaução”contratosemergenciais para manter a aplicação de multas por radares fixos na cidade de São Paulo. Anteontem, uma liminar do Tribunal de Justiça (TJ) barrou pela segundavezemseis mesesainstalação desse tipo de equipamento e o uso dos já posicionados parafiscalizarotrânsito.Adecisão – assinada pelo presidente da Seção de Direito Público do TJ, desembargador Antônio Carlos Viana Santos – será publicadanaedição dehoje doDiário Oficial de Justiça e, por isso, passa a valer a partir de agora. A SMT afirmou que ainda não foi notificada da decisão, informação refutada pelo TJ. Comapublicaçãodaliminar,estão suspensas as multas aplicadaspelos 97 radares fixos quejá estão instalados – eram previstos 175 – e as pessoas autuadas podemrecorrernaJuntaAdministrativa de Recurso de Infra-

ções (Jari). No entanto, a CompanhiadeEngenharia deTráfego (CET) informou que os radares fixos continuam a registrar as infrações. Além disso, a CET possuioutros309radaresdeoutros modelos que operam sem nenhuma obstrução judicial. A decisão de anteontem é resultado de umaação movidapela empresa Politran Tecnologia eSistemasparabarrarumalicitação para a colocação de 175 radares fixos. A empresa, que saiuderrotadanoprocesso,afirma que as vencedoras foram favorecidas por falhas no edital. A Politran conseguiu uma liminarem outubro do anopassado. No entanto, ela foi reformada em dezembro pela 10ª Câmara deDireitoPúblicodoTJ.Durante esse intervalo, a SMT realizou um contrato de emergência para manter o serviço com as mesmas empresas que haviam vencido a licitação em questão. Como a liminar de anteontem é resultado de um recurso especial, a Prefeitura, se quiser recorrer, terá de fazer junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. ●

Emissão de CNHs não foi normalizada Até ontem, não havia previsão para volta do sistema, parado há 1 semana Naiana Oscar

BATALHA JURÍDICA – Goldman (à direita), em fevereiro, ao chegar ao Brasil com o congressista Christopher Smith: luta começou em 2004

A disputa travada entre o americano David Goldman e o advogado carioca João Paulo Lins e Silva pela guarda de S.G., de 8 anos, chegou a um dos programas de maior audiência dos Estados Unidos. Larry King, que comanda o Larry King Live, da CNN, entrevistou Goldman e um tio de sua ex-mulher Bruna Bianchi, Helvécio Ribeiro, na noite de anteontem. As entrevistasforamretransmitidasontem no Brasil às 7 horas pela CNN International. Ocaso já foi tema de entrevista do programaDateline, daNBC,edereportagem do New York Times. Goldman acusou a família de Bruna de impedi-lo de visitar o filho,alegouquetribunaisbrasileiros desrespeitam o Tratado deHaia –quedeterminaacustódia de criança sequestrada ao pai separado dofilho –e agradeceu a intervenção da secretária de Estado americana, Hillary Clinton. “Só queria agradecer, estou muito grato por ela estar me ajudando. Ela sabe que isso é justo e se preocupa com as crianças e com os direitos dos pais de terem ao seu lado sua própria carne e sangue.”

FRASES

David Goldman Pai do menino S. “Obtivemos o direito de visita, mas, na primeira vez em que eu deveria trazer meu filho para casa, descobrimos que esse homem (Lins e Silva) não entrou com o pedido judicial de custódia, mas de remoção de meu nome da certidão de nascimento de S.” “Ela (Hillary) sabe que isso é justo, e se preocupa com as crianças e com os direitos dos pais de terem ao seu lado sua própria carne e sangue”

Ribeiro, por sua vez, colocou em xeque o amor de Goldman pelofilho.Dissequeopaibiológico nunca se interessou pelo garoto,que vivedesde os 4 anos na Lagoa, zona sul do Rio. Em 21 de agostode2008,amãedeS.morreu após o parto de Chiara, filha de Lins e Silva. Goldman, então, reacendeu a briga pela guarda, já travada nas Justiças brasileira e americana. ApósamortedeBruna,Goldman contou que foi surpreendi-

do com uma ação de Lins e Silva. “Obtivemos o direito de visita, mas, quando eu deveria trazer meu filho para casa, descobrimos que esse homem não entrou com o pedido judicial de custódia, mas com um pedido de remoção de meu nome da certidão de nascimento de S., que nasceu em Red Bank, Nova Jersey. Ele ganhou a guarda provisória”, contou Goldman. Goldmandisse aKingque,logo após o sequestro, conseguiu falar com o filho. “Falei com todos (da família de Bruna), quando ainda estavam tentando me convencer a ir até lá (Brasil) e a cair na cilada dessa batalha pela custódia.” Goldman disse, na entrevista,queostribunais brasileiros admitem o descumprimento do Tratado de Haia. “Em primeira instância, eles ficaram com S. por um ano. Então, foi declarado que ‘bem, você sabe, ele foi levado ilegalmente e deveria ser devolvido, mas agora ele está numa situação estável com a sua mãe’. Foram juízes brasileiros que reconheceram que o menino ficou com a mãe de modo ilegal.” Ribeiro disse a King que não

questionaodireito dopaibiológico, mas afirmou que a custódia deve, sim, ficar com Lins e Silva. “O fato é que para ser pai é preciso mais do que doar o DNA. Paternidade não é fazer filmes caseiros e tirar fotos, é fazer sacrifícios. É sustentar o próprio filho, estar presente. E, enquanto Bruna estava viva, Goldman não fez isso.” Ao apresentador, o tio de Bruna colocou em dúvida o sentimento do pai biológico. “Acho que é muito fácil você dizer que ama alguém, mas você precisa agir de modo a mostrá-lo.” Ao vivo nos Estados Unidos, Ribeiro fez uma defesa do amor que Lins e Silva sente pelo menino. “S. sabe perfeitamente que ele (Lins e Silva) não é seu pai biológico, mas o chama de papai. S. sabeque Goldmané seupaibiológico.” Para provar, Ribeiro revelou que S. costuma conversar com Goldman e sua avó, que vivem nos Estados Unidos. “Portanto, ele sabe perfeitamente a diferença. Ele sabe quem é quem.” ●

Um problema no sistema de dadosdoDepartamentodeTrânsitodeSãoPaulo(Detran-SP)deixou suspensa por mais um dia a emissão de CNHs na capital. O serviçonãoestásendorealizado desdesexta-feirapassada,quando o Departamento Nacional de Trânsito desligou a base de dados para fazer uma atualização. A previsão inicial era de que a emissão voltaria ao normal na madrugada de segunda-feira. Depois, foi anunciado que anteontem, às 14h, o serviço estaria ativo, o que não aconteceu. O primeiro prazo não foi cumprido porque os técnicos, em Brasília, tiveram “imprevistos”, segundo a Assessoria de Imprensa do Denatran. Agora, o problema é na base de dados do Detran-SP, operadapelaCompanhiadeProcessamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp). Em nota divulgada ontem pela manhã, o Detran informou que o sistema voltaria “ao longo do dia”, mas até o fim do expediente do órgão, às 17h, o serviço continuava suspenso. O departamento voltou a prometer para hoje a regularização do serviço. Outros Detrans do País, como o do Estado do Rio, da Bahia e do Distrito Federal, também tiveram problemas. Segundo a Assessoria de Imprensa do Denatran, o trabalho foi concluído

às 14h de quarta e agora qualquer interrupção do serviço de CNH é de responsabilidade do departamento estadual. “Estamos trabalhando há dois anos na atualização da base de dados. Se há problema, é porque o Detran não conseguiu se adequar a tempo.” No Detran-SP é possível fazer o cadastramento para dar entrada no pedido do documento porque esse registro, por enquanto,estásendofeitonosistema estadual. Os outros serviços estão parados. Nos postos do Poupatempo ninguém deixou de ser atendido por conta do desligamento do sistema. O que mudou foi o prazo de entrega da habilitação–dequatrohoraspara até quatro dias úteis, a partir dadata em queosistema voltar. Desde sexta-feira, o Denatran está passando os dados da antiga Base de Identificação Nacional de Condutores (Binco) para a nova base – chamada de “Binco Ampliada”. Essa mudança, segundo o departamento, vai permitir que todas as informaçõesreferentes ao condutor estejam acessíveis aos órgãos estaduais de trânsito e ao Denatran simultaneamente. Com a nova base será possível ter acesso ao histórico do condutor, com informações, por exemplo, sobre onde ele realizou os exames médicos, as aulas teóricas e quem foram os seus instrutores. ●

CULTURA

Osespiniciaescolhademaestroediretor; Tortelierfoiovacionadonaestreia João Luiz Sampaio

A Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) anunciou na tarde de ontem a formação do comitê responsável pela escolha do novo diretor artístico do grupo, cargo deixado vago pelo maestro John Neschling, demitidonoiníciodoano.Segundo o presidente do Conselho de Administração da fundação, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o comi-

tê será formado por dois membros do conselho (Persio Arida e Luiz Schwarcz), dois músicos (Darrin Coleman Milling e outro a ser definido), dois especialistas internacionais(oamericanoHenry Fogel e o inglês Timothy Walker) e pelo diretor executivo da Osesp, Marcelo Lopes. Não há, no entanto, data para o comitê anunciar suas escolhas. “Os procedimentos que devempautaraprocuradonovodiretorartísticoaindaserãodefinidos”, disse Fernando Henrique.

“Maestros serão considerados a partir de agora e todos os convidados para reger a orquestra estarão sendo avaliados”, completou. O contrato de John Neschling, que acumulava as funções de diretor artístico e regente titular, terminaria no fim de 2010. Até lá, o maestro francês Yan Pascal Tortelier será o regente titular interino. A direção artística ficará a cargo dos especialistasestrangeirosedeMarcelo Lopes. Tambémpresentes,tantoFo-

gel quanto Walker desmentiram queoidealseriaterdoisprofissionais e não apenas um como diretore maestro.“Nãoháummodelo ideal”, disse Walker. O vicepresidente do conselho, o banqueiro Pedro Moreira Salles, foi maiscategórico.“Nossafunçãoé promover a institucionalização da orquestra, o que significa que uma só pessoa não pode ter todo opoder.Seriaumerro.”Oex-presidente concorda. “Nada de fulanizar a orquestra.” Yan Pascoal Tortelier foi ovacionado ontem em sua estreia na Osesp. Após sua interpretação dasVariaçõesEnigma,deEdward Elgar, ele recebeu aplausos de pé daplateiadaSalaSãoPaulo.Ogovernador José Serra, desafeto de Neschling, não compareceu. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP - 8 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

C8 -

%HermesFileInfo:C-8:20090306:

C8 CIDADES/METRÓPOLE

TUTTY

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Tutty Vasques escreve todos os dias no portal Estadao.com.br, de terça a sábado neste caderno e aos domingos no caderno Aliás

HUMOR

Ciscar é humano!

FREUD EXPLICA ● O meio-campista Douglas, do

Corinthians, passou o dia de ontem tentando entender por que não passou aquela bola pro Ronaldo, sozinho, na cara do gol. Perdeu a chance de coprotagonizar em todo o mundo o primeiro abraço do Fenômeno na sua volta ao futebol. Será que foi justo por isso?!

res de conjugar a expressão! Magoa muito mais dizer que alguém cisca pro alto ou fora do penico, quando não no ventilador, por exemplo. A cultura funk também não faz cerimônia com o verbo no hit Cisca Que Eu Jogo o Milho, do Bonde do Ratão, com a Gaiola das Popozudas. Mas é sem dúvida no Congresso que essa maneira de ver o mundo a partir do galinheiro ganhou mais adeptos. A maioria dos parlamentares, como diria o ex-presidente Collor em tom de homenagem, quando não cisca na entrada, cisca na saída. ●

fora o topete que Aloizio Mercadante usa como bigode, o que mais irritou Fernando Collor nas últimas 48 horas foi a expressão “cisca pra frente”, a ele atribuída em reportagem do site da revista Época. O expresidente, como se sabe, disse que a senadora Ideli Salvatti “cisca pra dentro”. Cá pra nós, nem precisa ser especialista no assunto para perceber que são coisas diferentes, ainda que não necessariamente distintas na tênue fronteira entre o elogio e a ofensa. Há, decerto, maneiras pio-

A

● Calma!

● Saideira

TécnicosdaSabesppedemaospaulistanosqueevitemexcessosnoconsumodeágua,masorodíziodebanhos nãoestá nosplanosdacompanhiade abastecimento.Por enquanto,não!

Entreouvido num boteco da Vila Mariana: “Collor, Ronaldo, Michael Jackson...Tá todo mundo voltando, meu!” ● Agenda positiva

● Contatos imediatos

O ministro Guido Mantega está “vendo sinais de melhora”. É bom conferir se não são aquelas bolas luminosas que o Zeca Pagodinho viu da varanda de sua casa no final do ano passado.

Precisa ver o lado bom em tudo isso que aí está: José Sarney, por exemplo, corre o risco de entrar para a história como o presidente do Senado que fez o País sentir saudades de Garibaldi Alves. Bem-feito! ● A que ponto chegamos

● Perder ou perder!

A classe média acaba de produzir nova pérola do comportamento humano: moradores de uma rua de Botafogo, no Rio, retiraram do poste faixa de protesto contra a violência no bairro, alertados para o risco de desvalorização de seus imóveis em decorrência da manifestação. Pode?

SÉRIO!!! ● Hillary Clinton adorou

essa sua última estada na Cisjordânia.

A revista americana Esquire elegeu o príncipe Charles como homem mais elegante do mundo. É mais um duro golpe na autoestima masculina. ● Contagem regressiva

Falta uma semana para Michel Temer assumir a Presidência da República em exercício. ●

ILUSTRAÇÃO: CIDO GONÇALVES

CLIMA JOSE LUIS DA CONCEIÇÃO/AE–15/6/2007

Só 41 dias tiveram ar adequado em 2008 Um terço do ano apresentou índices alarmantes de poluentes Fernanda Aranda

Temperaturas estão 6 graus acima da média em SP Lais Cattassini

PERIGO – A concentração de ozônio, um dos poluentes mais nocivos, é frequente em dias quentes

SAÚDE

Os efeitos da poluição

O ar impuro não só pode provocar bronquite como até causar derrame

Medição da qualidade QUALIDADE

BOA

0 mg

REGULAR

50 mg

INADEQUADA

100 mg

200 mg

PÉSSIMA

300 mg MAIS DE 300 mg

NÚMEROS

JORNAL DA TARDE

Dos 366 dias do ano passado (bissexto), apenas 41 tiveram qualidade do ar considerada totalmente boa na Região Metropolitana de São Paulo. No restante de 2008, 89% dos dias, ao menos uma das 22 estações de medição da Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental (Cetesb) registrou concentração de poluentes acima do limite seguro para a saúde, o que indica exposição a doenças gravescomo enfarte,derrame, diabetes e infertilidade. Para chegar ao diagnóstico, a reportagem analisou os boletins diários de qualidade do ar de 2008 disponíveis no site da Cetesb. Foram acumuladas 8.344 medições. Um terço (35,84%) apresentou índices alarmantes para monóxido de carbono, partículas inaláveis e ozônio (O3). O O3, um dos poluentes mais nocivos, é mais frequente em dias quentes, como os desta semana, afirma o engenheiro ambientalAlfredSzwarc. Aformação do gás se dá a partir do encontro de hidrocarbonetos com óxidodenitrogênio, uniãofacilitada pela alta temperatura. “O ozônio é difícil de ser combatido”, diz o engenheiro.

325

dias tiveram pelo menos uma estação com qualidade do ar ruim em São Paulo

41

dias

22 mg

SEGUNDO PESQUISAS, COM A PARTIR DE DE CONCENTRAÇÃO DE POLUENTES NO AR, O CORPO HUMANO JÁ SOFRE OS EFEITOS DA POLUIÇÃO

O caminho da poluição no corpo humano

tiveram medição totalmente boa

1 A pessoa inala quantidade

89%

2 Os gases tóxicos estimulam o

do ano registrou qualidade do ar regular, inadequada ou ruim

8.344

medições foram feitas e um terço (35,84%) apresentou índices alarmantes para monóxido de carbono, partículas inaláveis e ozônio, conforme a Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Ambiental

10

mg/m3 é o padrão de emissão de poluentes considerado máximo pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Em São Paulo, alcançou-se 30 mg/m3; no Rio, 24 mg/m3; em Porto Alegre: 22 mg/m3; em Belo Horizonte: 22 mg/m3; em Curitiba: 20 mg/m3 e no Recife: 13 mg/m3

Doenças relacionadas à exposição de poluentes

2

Derrame Incapacidade mental Estresse

excessiva de poluentes

1

sistema nervoso. Por causa do estímulo, ocorre a liberação da adrenalina

Sinusite

3 Coração e pulmão reagem

Câncer na tireóide

ao hormônio como mecanismo de defesa

4 Por causa disso, o coração dispara e os batimentos ficam acelerados

5 Com a aceleração

Faringite

3 4 5 6

Asma Bronquite Angina Enfarte Doenças isquêmicas

constante (mais de 100 batimentos por minuto), o coração não consegue voltar a um ritmo padronizado, o que caracteriza a arritmia

Diabetes

6 A arritmia pode

desencadear paradas cardíacas ou morte súbita

Infertilidade ILUSTRAÇÃO: FARRELL INFOGRÁFICO: DANIEL RODA/AE

Os melhores dias se concentram em janeiro, quando frota de SP cai 40% Especialistas fazem coro ao citarqueosveículossãoosgrandes responsáveis pela má qualidade do ar. Prova disso é que dos 41 dias totalmente bons, 17 ocorreram em sábados ou domingos, dias em que a circulaçãodecarrosdiminui. Além disso, 10 destes dias estão concentrados em janeiro, mês de férias, em que a frota cai 40%. MORTES

Pesquisas mostram que doençasagravadaspelapoluiçãomatam20 pessoas por dia na Grande São Paulo. “Já temos prova de que a exposição à poluição piora doenças respiratórias, cardiovasculares e dos siste-

mas reprodutivo e endócrino”, afirma o pediatra Alfésio Braga, da Universidade SantoAmaro.“Outrasinvestigações estão em curso, como a relação dos poluentes e a diminuição da capacidade cognitiva.” A cada novo estudo, o inventário das doenças relacionadas aos poluentes tem novo integrante. Nas contas do Laboratório de Poluição da USP,em2000,eramoitomortes diárias, número que cresceu para 12 em 2006 e chegou às 20 atuais. “Infelizmente, a saúde ainda não é balizador das políticas públicas”, afirma o coordenador do laboratório, Paulo Saldiva. Saldiva diz que atestar que, em um ano, menos de doismesestiveramaqualidade do ar aprovada por todas as estações é ainda mais preocupante diante dos padrões de qualidade adotados pela Cetesb. “Este padrão é extremamente permissivo. Até quando o ar é considerado bom faz mal à saúde”, diz. ● COLABOROU FÁBIO MAZZITELLs

‘Nemtodosrespiraramarruim’ Para técnica da Cetesb, houve avanço contra poluição Todo ano, a Cetesb prepara um relatório sobre a qualidade do ar, com base nos levantamentos. A publicação oficial só deve ficar pronta no fim do ano. Os dados são submetidos a filtros de qualidade, por isso podem ser diferentes dos levantados pela reportagem. Segundo a técnica da Divisão de Qualidade do Ar da Cetesb Maria Helena Martins, o fato de apenas 41 dias do ano terem registro de ar bom em todas as estações não significa que em todos os outros a qualidade do ar foi ruim. “Temos 22 estações na região, e o fato de nem todas registrarem qualidade boa não significa que no restante dos dias todas as pessoas respiraram ar ruim. Se na estação que fica na beira da Avenida Bandeirantes está ruim e todas as outras estão boas, pode ser um resultado

que não reflete a situação real.” Ainda segundo o levantamento feito pela reportagem, no ano passado 35,84% das 8.344 medições registraram qualidade regular, inadequada ou má. Em 2007, o índice foi ainda maior, de 36,9%. “Estamos em uma região onde moram 17 milhõesdepessoas,estãocadastrados 8 milhões de veículos, existem 2 mil indústrias de alto potencial poluidor. Dentro deste contexto, os dados nos mostram que já avançamos bastante, mas que, sem dúvida, precisamos avançar mais ainda”, diz a técnica. “Temos trabalhado para isso. Mas é sempre bom lembrar que as pessoas também podem colaborar. Evitar o uso do carro em situações desnecessárias, adotar o método de carona, tudo isso também contribui.”

Anteontem, os ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e das Cidades, Márcio Fortes,sereuniramparaavaliar a adoção da inspeção veicular em todo País. Um estudopreliminardaUSPjáatestou que a emissão de poluentes não é exclusiva de São Paulo e que o índice já é alto em outras quatro capitais: Rio, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife. Areuniãoteveaparticipação do presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alfredo Peres. Segundo a assessoria da pasta, foi acordado que uma resolução ou decreto que estabeleça a inspeção deve sair ainda neste ano. O Código de Trânsito Brasileiro já prevê a prática, mas não define os mecanismosparaa adoção. ●

Durante esta semana de calor intenso, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou em São Paulo temperaturas 6˚C acima da média do mês. Na capital, os dias tiveram temperaturas médias de 33˚C, quando o esperado era de 27˚C. Asmadrugadastambémtêmsido mais quentes. A média de 18 ˚C prevista para o mês foi superada pelo registro de temperaturas acima dos 22˚C. Ontem, por volta das 15 horas, o instituto registrou 32,7˚C no Mirante de Santana, zona norte. E a umidade diminuiu. Por volta das 16h, o Inmet registrou umidade relativa do ar de 37%. O índice está dentro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), mas levou a Secretaria Nacional da Defesa Civil a emitir alerta ao Estado de São Paulo. Segundo meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergên-

Umidade relativa diminui e CGE pede para se evitar exercício ao ar livre cias, a baixa umidade do ar ajudaa diminuir a sensação de desconforto causada pelo calor. Mesmo assim, a recomendação é para que as pessoas evitem realizar exercícios físicos ao ar livre, principalmente nos horários de maior incidência solar. Segundo a Climatempo, um cicloneextratropicalque seformou entre o Uruguai e o Rio Grande do Sul, associado a uma frentefria, avançapeloSule,hoje,provocaventos fortese grandesondaspelacostasulesudeste. Segundo a empresa de meteorologia,asondaspodemchegar a 2 metros em praias do Rio GrandedoSuledeSantaCatarina. Em São Paulo e no Rio, o fim de semana terá ondas que podem chegar a 1,5 metro. A Climatempo informou que a frente fria que chega ao litoral paulista hoje vai aumentar as condições de chuva na capital a partir da tarde. “Pode até chover forte em algumas áreas do Estado,comoaGrandeSãoPaulo, mas a temperatura continua altacomonos últimos dias”, avisa a meteorologista Josélia Pegorim.Nofimdesemana,afrente fria passa pelo litoral do Rio, seafastandoparaomar.“Asensação de calor será grande no fim de semana.” ● COLABORARAM FABIO M. MICHEL e FABIANA MARCHEZI

serviços&

Tintas: O verde continua sendo destaque nas pesquisas de cores ● PÁG. 10

Materiais: Lançamentosem revestimentos para piscina inspirados na natureza ● PÁG. 8

construção O ESTADO DE S.PAULO

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

MARCIO FERNANDES/AE

Paraterar puroemcasa A qualidade do ar em ambientes domésticos e de trabalho pode ser pior que a de fora. Aprenda como mantê-lo limpo e saudável. PÁGs. 6 e 7

Cc4 I construção I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Construção orienta ILUSTRAÇÃO: CARLINHOS

Acesse os classificados do Estado na internet:

agenda

● CURSO – No Sinduscon-SP. “Gestãode Empreiteiros na ConstruçãoCivil”. Com apresentaçõesconceituais e aplicaçãode exercícios com dinâmicas em equipe. Dia 9 de março, das 8h30 às 17hs, na sede do Sinduscon-SP. Preço: de R$ 210 a R$ 330. Informações:(011) 3334-5600.

www.estadao.com.br/zap

índices

0,41% IPC-reparo no domicílio índice de varejo, mede inflação e é baseado em pesquisa feita na Grande São Paulo EM PORCENTAGEM – QUADRISSEMANA

0,70 ● SEMINÁRIO – “Estruturas

de Concreto – Tendências, Projetos e Execução”, promovido pela Editora Pini. Dia 11 de março, das 9hs às 17 hs, em São Paulo. Apresenta os avanços tecnológicos na produção de edificações e as tendências mundiais. Mais informações: (011) 2173-2474. ● ILUMINAÇÃO – Golden

Épossívellimpar otelhado? Wagner Venesiano São Paulo (SP) O leitor pergunta se existe algum produto capaz de retirar a fuligem e o limo das telhas, que no seu telhado são portuguesasda cor bege. O arquiteto Donni Fernandes diz que a camada de limo não é apenas feia. “Ela cria uma camada de umidade sobre as telhas que impede que o materialrespireadequadamente e prejudica o confortoambiental da sua edificação”, avisa. Ele aconselha fazer uma lavagem com um produto dotipolimpa-telha,disponí-

vel no mercado, utilizando máquina de alta pressão. Primeiro aplique o produto diluído em água comumavassouraouescova, para soltar sujeira. Só depois jogue água. “O ideal é aplicar um impermeabilizante ou seladoradepois, o que aumenta a durabilidade das telhas”, diz. O arquiteto recomenda o uso de equipamentos de proteção e depranchas,evitandopisar diretamente sobre as telhas. “Elas estarão escorregadias e molhadas, podendoquebrarcomfacilidade”, explica. Existem no mercado empresas especializadas em limpeza de telhados. ●

● OConstrução esclarecedúvidasarespeitodereformas,obras, mão-de-obraoumateriais.Bastaenviaraquestãoporcartaouemail (construcao.estado@grupoestado.com.br),comnomeeendereço.

Plus oferece gratuitamente o curso “Iluminação para Eletricistas”, voltado para técnicos e demais profissionais que atuam na área. Dia 11 de março, das 14hs às 18h, no Centro de Treinamento da empresa (rua Visconde de Parnaíba n˚ 2568 - Belenzinho - São Paulo/SP). Informações: (011) 2122-6696.

● MINERAÇÃO – XV Encon-

trode MineradoreseConsumidores – presente e futuro, uma visão dos órgãos públicos e do setor privado. Dias 11 e 12 de março, no prédio do IPT, em São Paulo. Promoção: Associação Brasileira de Cerâmica. Informaçaões: (011) 3768-7101.

0,52 0,53*

0,41

4.ª

1.ª

JANEIRO

FEVEREIRO

3.ª

2.ª

*Acumulado do mês INFOGRÁFICO/AE

FONTE: FIPE

0,39% Sinapi referente ao mês de janeiro, mede o custo médio do m² construído no Brasil. Calculado pelo IBGE em convênio com a CAIXA EM PORCENTAGEM – MENSAL

0,95

● ENERGIA SOLAR – Curso

OUT.

ensinaa construir um Aquecedor Solar de Baixo Custo (ASBC) com materiais de construção disponíveis no mercado. Capacita o aluno em projeto, manufatura e instalação. Dia 10 de março, das 9hs às 21hs. Preço:R$ 160. Local: Ipen, na CidadeUniversitária da USP, em São Paulo. Informações: (011)3039-8317, site www.sociedadedosol.org.br

2008

0,81

NOV.

0,62 DEZ.

0,39 JAN. 2009

INFOGRÁFICO/AE

FONTE: IBGE

0,42% CUB relativo a fevereiro, mede a variação dos custos da indústria da construção. EM PORCENTAGEM – MENSAL

● COMPÓSITOS – 1º Encon-

● RESÍDUOS – curso “Gestão

tro regional da Associação Brasileira de Materiais Compósitos (Abmaco). A programação inclui um seminário sobre compósitos e um curso técnico. Dia 11 de março, das 8hs às 18hs, em Porto Alegre (RS). Preço: R$ 200 a R$ 300 (seminário) e R$ 200 a R$ 300 (curso). Informações: (11) 3719-0098.

de Resíduos da Construção”. Informaecapacita paraoexercício da responsabilidade no manejo e destinação dos resíduos gerados pelas obras. Apresentação: Elcio Duduchi Careli . Dia 10 de março, das 8h30 às 17h30, na sede do Sinduscon-SP. Preço: de R$ 210 a R$ 330. Informações: (011) 3334-5600.

0,42 0,21

0,21 0,04

NOV.

DEZ.

2008 FONTE: SINDUSCON – SP

JAN.

FEV.

2009 INFOGRÁFICO/AE

ENDEREÇO Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, Bairro do Limão, São Paulo (SP), CEP 02598-900 TELEFONES (0--11) 3856-2911 e 3856-2066 (FAX)

● Capa: Dutos de distribuição de ar condicionado e refrigerado na

biblioteca da Faculdade de Mecânica da USP. FOTO: MARCIO FERNANDES/AE

PUBLICIDADE (0--11) 3856-2262, 3856-2930 E-MAIL construcao.estado@grupoestado.com.br

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

Cc6 I construção I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Oarinterior podeser maispoluído queodefora

CC06-CC07 -

30% 20% 10% 5% 2%

Estudos da OMS indicam que materiais utilizados na construção e agentes externos se acumulam nos ambientes

Produto: EST_SUPL2 - CONSTRUÇÃO - 6 - 06/03/09

5%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

95%

98%

100%

Lilian Primi

2%

O ESTADO DE S.PAULO

● Sexta-feira, 6 de Março de 2009

I construção I Cc7

Capa

40%

50%

60%

70%

80%

90%

95%

98%

100%

%HermesFileInfo:Cc-6:20090306:

O ar de ambientes fechados, ao contrário do senso comum, pode estar mais poluído do que o de fora, mesmo em uma grande metrópole como São Paulo. A poluição do ar interiorganhouimportânciaapartirdaconstataçãopelaOrganização Mundial da Saúde que 2,4% da carga global de doenças no mundo é provocada por ela. Considerando que as pessoas passam em média 90% do seu tempo em locais fechados, é importante conhecer os riscos a que estamos expostos e como reduzi-los. “O número de atendimentos médicos, o uso de desfibrilador e a ocorrência de enfartos na cidade de São Paulo aumentam muito no inverno”, diz Gustavo Silveira Graudenz, pós-doutor em Imunologia Clínica e Alergia pela Faculdade de Medicina da USP. Segundo ele, porque as pessoas tendem a fechar os ambientes. “Sem ventilação, os agentes poluentes se acumulam”, explica. Segundo dados daOMS,apoluiçãointeriorpode ser até dez vezes maior do que a externa. Graudenz conta que estudos realizados na

USP indicam que 25% dos moradores da cidade sofrem de rinite alérgica em razão da poluição do ar. PRODUÇÃO PRÓPRIA

Não são apenas agentes externos – poeira, fuligem, bactérias, fungos e vírus – que poluem o ar das residências ou do ambiente de trabalho, emboraessessejam osque provocam os maiores danos à saúde humana segundo Graudenz. Os materiais de que a casa é feita, ou com os quais é limpa, tambémemitem agentes nocivos ao homem no ambiente. “Depois da pintura, por exemplo, é preciso esperar pelo menos duas semanas para ocupar o local, principalmente se for tinta a óleo”, alerta o imunologista. “Nos edifícios novos, a poluição por compostosorgânicosvoláteis é importante”, diz Eduardo Dantas, engenheiromecânico especializado em refrigeração e ar condicionado. Os sintomas mais comuns são mal estar geral, dores de cabeça, irritabilidade e baixa concentração, o que gera faltasno trabalho e queda de produtividade. “Há ainda casos de desencadeamento de alergias, ou de hipersensibilidade a determinadas substâncias e, em situações extremas, câncer”, conta Dantas. A primeira recomendação parareduzir os níveis depoluição é abrir as janelas. ●

QUALIDADE DO AR INTERIOR

Fontes de poluição nas edificações Amianto

Está banido, mas a maioria das casas ainda tem algo com ele (telhas,materiais de isolamento, tintas texturizadas e lajotas de assoalho) – Classificado pela American Conference of Governmental Industrial Hygienenists (ACGIH) como A1

Os danos provocados à saúde dos moradores ou funcionários depende do tempo de exposição e do perfil de cada um. Idosos, crianças e pessoas imunodeficientes são mais sucetíveis

Bifenil policlorinatado (PCB)

Revestimentos de cabos elétricos, vedações, tintas e acabamentos para pisos de madeira

Formaldeído

Madeira prensada, prateleiras, mobília, tecidos que não amassam, adesivos e tintas. Classificado pela ACGIH como substância SEM e A2

Contaminantes biológicos

artrópodes (baratas, ácaros e outros insetos): liberam proteínas alergênicas que para pessoas sensíveis são altamente danosas, podendo induzir o alérgico a uma crise. l fungos (principalmente aspergillus fumigatus, comum na poeira de obra): extremamente danoso a pessoas com sistema imunológico comprometido, podendo causar a aspergilose. l vírus: parasita que depende de um ser vivo (hospedeiro) para se proliferar. A contaminação é de pessoa para pessoa, porém em ambientes com baixa taxa de renovação do ar a concentração do vírus pode aumentar e facilitar o contágio

Contaminação

Doenças

80

2,7

por cento da exposição da maioria das pessoas a pesticidas acontece em ambientes fechados, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.

por cento da cargo global de doença é responsabilidade da poluição do ar interior, segundo o relatório de 2002 a respeito da saúde do mundo, divulgado pela OMS

Medições

Hábitos

12

90

pesticidas tiveram níveis mensuráveis detectados no ar interior, segundo dados da entidade norte-americana Environmental Protection Agency (EPA)

por cento do seu tempo é o período médio que uma pessoa que vive em ambientes urbanos e trabalha na indústria ou em prestação de serviços passa em locais fechados.

Dinheiro

Prejuízo 1

US$ 14

US$ 75

bilhões éaeconomiaanualnosEUA comreduçãodedoençasrespiratórias

mil é o custo de uma vida perdida por exposição a MPT no México

Lucro

Prejuízo 2

US$ 4

US$ 7,7

bilhões foram ganhos reduzindo casos de alergia e asma nos EUA

mil é o custo da morte prematura em São Paulo (1989)

Economia

Prejuízo 3

US$ 30

US$ 35

bilhões foram economizados com a redução da SED nos EUA

mil é o custo da morte prematura estimado para Cubatão

l

Produtos domésticos Tintas,

Monóxido de carbono

Geralmente concentrado em ambientes com elevada concentração de pessoas. Produz mal estar, por provocar letargia, dor de cabeça e irritabilidade (sensação de ar pesado)

Combustão

Lareiras, fogões a lenha etc. emitem grande quantidade de material particulado, que são prejudiciais porque emitem grande quantidade de partículas inaláveis (menos de 10 µm), entre outras substâncias. l Fogões a gás e aquecedores a gás com má ventilação: permite o aumento da concentração de CO e NO2 l

vernizes e produtos de limpeza contêm produtos químicos orgânicos liberados durante o uso e a armazenagem. O grande problema destes produtos é que formam um coquetel de substâncias danosas, podendo ser produtos sensibilizantes, COV Compostos Orgânicos Voláteis, formaldeídos e outros. A exposição a estes produtos pode provocar manifestações alérgicas, ou desenvolver nos indivíduos sensibilidade a certas substâncias, com possibilidade de agravamento sério INFOGRÁFICO: RUBENS PAIVA/AE

GLOSSÁRIO ● SEM - Sensibilizante – Em um

local de trabalho, a exposição a agentes sensibilizantes ocorre por via respiratória e cutânea ou conjuntiva e pode provocar reações adversas no tecido das vias respiratórias, pele e conjuntivas. ● A2 - Carcinogênico Humano Suspeito– a notaçãoé usada principalmente quando há evidência limitada de carcinogenicidade no homem e evidência suficiente nas experiências em animais com relevâncias para seres humanos. ● A1 - Carcinogênico Humano Confirmado – O agente é carcino-

gênicopara o ser humano, com base em evidências de estudos epidemiológicos. ● MPT – materiais particulados totais ● CO - gás asfixiante. ● NO2 - gás irritante das mucosas (olhos e nasais) Informações: A partir de 24 de abril serárealizado o Curso Disciplinar de Qualidade do Ar e Poluição em Ambientes Interiores na Poli/USP. Fone: 0800 726 0660

Síndrome dosEdifícios Doentes A disseminação de materiais sintéticos na construção de edifícios, o aumento no número de trabalhadores e a automação do trabalho e, consequentemente, do estresse contribuem para agravar os danos à saúde. As doenças relacionadas com a qualidade do ar de interiores foram classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como Síndrome dos Edifícios Doentes (SED). “Grandes edifícios exigem o condicionamento do ar, pois não se consegue controlar a temperatura apenas com a ventilação natural. O problema é como ele é feito”, alerta o engenheiro eletrotécnico Celso Simões Alexandre, diretor-presidente da TroxBrasil, fabricante de equipamentos para refrigeração. No início, a preocupação era exclusivamente com refrigeração. Hoje, o conceito mudou. “Atualmente se busca controle da temperatura e da umidade, além da pureza do ar”, diz o diretor. Isso implica a adoção de filtros eficientes e o aumento da taxa de renovação do ar. “Antes se pensava na renovação apenas para reduzir o nível de odores humanos. Hoje é essencial para garantir o conforto e a salubridade do ambiente”, diz o engenheiro Eduardo Dantas. A taxa média de renovação é de 20% do ar que circula em um ambiente. “Esses 20% vindos de fora são misturados ao que veio do ambiente, tudo é filtrado, refrigerado e devolvido”, explica o engenheiro mecânico Arlindo Tribess, professor da Escola Politécnica da USP. A taxa de renovação pode variar em função da quantida●●

de de pessoas que ocupam o local e também do tipo de atividade. Tribes explica que os sistemas de ar condicionado domésticos não permitem a renovação do ar. “Ele apenas retira o ar do ambiente e devolve ar refrigerado. Nessa situação, é preciso abrir o ambiente para a troca do ar.” MANUTENÇÃO

Para residências unifamiliares, Tribes recomenda dar prioridade à ventilação natural. Ele aconselha abrir janelas ou entradas de ar nas faces onde sopram os ventos dominantes, que na cidade de São Paulo são as faces Norte e Leste. “Na minha casa consigo controlar a temperatura e o conforto interno com uma única janela, que está na face Leste”, ensina. O uso de plantas também pode ajudar a melhorar a qualidade do ar. “Não é por acaso que as pessoas colocam espada-de-são-jorge ou pimenteiras quando sentem o ambiente ‘pesado’. Plantas absorvem o excesso de CO2 e as carnudas transpiram muito pouco”, ensina o médico Gustavo Silveira Graudenz, da USP. Quando isso não é possível, o essencial, além do correto dimensionamento, é a manutenção dos sistemas. “Filtro bom não pode ser lavado. É descartável”, avisa Alexandre. Dantas conta que, em agosto do ano passado, foi publicada uma nova norma de qualidade de filtros de ar condicionado. “A maioria usa telas de naylon, que não filtra absolutamente nada”, avisa. ● L.P.

Cc8 I construção I Sexta-feira, 6de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Acesse os classificados do Estado na internet:

www.estadao.com.br/zap

Materiais

Lançamentospara revestirapiscina DIVULGAÇÃO

ADESIVO

notas HIDRÁULICA

Actaris envia conta de água por meio de SMS Novo sistema para medição automática de água, o WaterMind fica diretamente ligado ao medidor e remete, via SMS uma vez ao dia, mensagem para o servidor com as leituras. Ele avisa quando há mudança do padrão de consumo.

Unifix apresenta linha de vedantes MS A linha de vedantes de polímeros MS serve para fixação de juntas no segmento industrial e automotivo, além de facilitar aplicações do tipo “faça você mesmo”. Aderem alumínio, bronze, aço, vidro, granito, mármore, pedras naturais e madeira. Depois de utilizado, o MS também pode ser pintado, oferecendo alta resistência à água, ao clima e ao envelhecimento.

LOUÇA SANITÁRIA

Incepa apresenta linha diferenciada NOVAS OPÇÕES – cores recentes do vinil buscam tons da natureza, como verde água e cores cruas

Empresas investem em diferenciais como cores inspiradas na natureza e design que lembra o fundo do mar As empresas de revestimento para piscinas anunciam seus lançamentos, neste verão, que priorizam paginações coloridas e ligadas à natureza. A estação favorece atividades ao ar livre e ambiente descontraído. “Há muito tempo esperávamos por estampas em tons diferentes do azul. Os clientes sempre nos pediam, mas no vinil não existiam”, conta a arquiteta Karina Winter, que já criou projetos de piscina com vinil vermelho desenvolvido com exclusividade pela Sibrape, usado na piscina da Casa Cor Interior 2007. Entre os novos modelos de estampas, o verde água segue uma tendência européia segundo a arquiteta e é uma novidade nas piscinas de vinil. A Estampa Green, decorada em pastilhas,pode também embelezar espelhos d´água e spas.

Com o vinil texturizado, que apresenta relevo, o toque passa uma sensação de pastilha de vidro. O segundo modelo, Estampa Mosaico Korman, tem cores cruas e aparece como uma opção natural para o ambiente de lazer. A estampa forma um mesclado de cores cruas colorindo mosaicos. “A tendência é usar matérias naturais, portanto, apostamos nessestons”, explicam os arquitetos Carina, Ieda e Silvio Korman,que propuserama tonalidade à Sibrape. A empresa também criou uma nova versão da linha Retrô, estampa de pastilhas de vidro coloridas em tons de azul mesclados com amarelo e vermelho, que agora volta em tons mais escuros de azul, uma preferência dos arquitetos. “É ideal para clientes que queiraminovarcom apenas alguns detalhes”, explica a arquiteta Karina Winter. A coleção de estampas da Sibrape tem quase 30modelos diferentes, divididos nas linhas Clean, Praia, Azulejo, Mosaico e Pastilha. Segundo a em-

presa, uma piscina de vinil pode ser construída em 30 diasse não ocorrerem grandes imprevistos. COMO O FUNDO DO MAR

Na linha de revestimentos cerâmicos, a Lepri lança pastilhas decoradas, encontradas nas linhas reta e paper. Com design personalizado e trabalhado manualmente, remete ao fundo do mar, com desenhos de peixes, estrelas -domar, tartarugas, caracóis e cavalos marinhos. Além de resistentes, são ecologicamente corretas, pois são produzidas a partir da reciclagem de lâmpadas fluorescentes. Estão disponíveis nos formatos 3x3 e 5x5 cm, em mais de dez cores. A linha Paper tem formato irregular que lembra um pedacinho de papel rasgado. Sua aparência remete ao trabalho manual e é própria para ambientes modernos. Já a linha Reta apresenta formato clássico, destacando a intensidade das cores.●

ILUMINAÇÃO

A linha Eros é um conjunto de louças sanitárias com design funcional, prático e moderno. Destaque para o lavatório comcolunasuspensae toalheiro de metal acoplado. Prática e moderna, a peça é ideal para banheiros espaçosos.

Osram lança lâmpada halógena A halógena Energy Saver, além de produzir luz igual à incandescente com gasto 30% menor de energia, tem formato e a base de rosca iguais às das lâmpadas comuns. Uma halógenatem vidaútilduasvezes maior do que as incandescentes. Preço: R$ 5,00. NEGÓCIOS

REVESTIMENTOS

CNEC abre escritório em Buenos Aires

NGK lança linha Gran Primitive na Revestir

Empresa de serviços de engenhariadogrupoCamargo Corrêa, A CNEC inaugurou este mêsseuprimeiroescritório internacional. Além de prospectarnovosnegóciosna Argentina, a sede portenha vai realizar os Estudos de Inventário do Potencial Hidrelétrico do RioUruguai,notrechodefronteira com o Brasil, para a construção do Complexo Hidrelétrico Binacional “Garabi”.

A linha combina cores e texturas irregulares e é comercializada no segmento de alto padrão com a marca Super NGK. A série traz nove cores e texturas originais inspiradas da linha Gran, como a aparência de pedra e bordas irregulares. A aplicação pode ser feita em qualquer ambiente, interno ou externo, pisos e paredes e em composição com outros materiais.

Cc10 I construção I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Acesse os classificados do Estado na internet:

www.estadao.com.br/zap

Tintas

Legislação

Fabricantedivulgatendências decorespara2009

Entraemvigor leiquelimita quantidadede chumbonatinta

DIVULGAÇÃO

Nova paleta, definida com base em tendências culturais e artísticas mundiais, privilegia tons da natureza A Suvinil apresenta a sua cartela de cores para 2009, que segue tendências de comportamentomundiais.Sãotrêstemas, profundamente marcados pelo verde, a cor central em todas as pesquisas de cores para os próximos dois anos. A cartela da Suvinil está divida em três grupos, ou temas: Eco-Tecno, Use & Abuse e Soy Loco Por Ti... E as cores, em cinco famílias. “Apostar em uma das tonalidades em alta aumenta a sensação de renovação que uma nova pintura pode proporcionar”, afirma Fernanda Dall'Orto, gerente da marca. Outra vantagem está na facilidade de combinar o ambiente com móveis, pisos, objetos de decoração e até mesmo com o carro, já que toda a indústria segue as mesmas tendências. TEMAS

O Eco-Tecno coloca a naturezaemum ambientede altatecnologia. Os tons reunidos nesse tema são neutros, como marrons e cinza, vermelho intenso, amarelos em tons de mostarda e mel, azuis tecnológicos,verdeamareladoe,principalmente, o verde azulado, que é a cor chave para representar este tema. O Use & Abuse rompe com as regras de estética e confere beleza ao que já foi parte da história. Em clima descontraído, a palheta tem vermelhos, amarelos, verdes, azuis e o neutro rosado, para equilibrar. O vermelho alaranjado representa o tema.

USE E ABUSE – tema da cartela de cores 2009 da Suvinil é a base da decoração deste ambiente

SoyLoco PorTi... representa o clima vibrante da América do Sul, que ganha cada vez maisespaço nomundo. Alegre e intenso, traz vermelhos, verdes, azuis e, com destaque, o amarelo canário, uma novidade também na indústria têxtil em diversos acabamentos. Além dos temas, a cartela de cores divide os tons em cinco famílias. Os vermelhos estão marcantes e intensos. O tom alaranjado ganha destaque e a aposta desse grupo é o equilíbrio entre vermelho e alaranjado.No grupodos amarelos, os tons estão mais cre-

mosos e influenciados por alaranjados e verdes, com nuances de mel e mostarda. O grupo é representado pelo amarelo canário. Os verdes representam a natureza. Os verdes oliva e da floresta aparecem ao lado de verdes“fendi”,maistecnológicos, como o verde azulado, essência deste grupo. Já os azuis continuam ganhando pinceladas violetas e seus tons caminham numa nova atmosfera aquosa até alcançarem cores intensas e com personalidade. A referência é o azul petróleo. Osneutrospodem serorgâ-

nicos – como terra, tronco, bambue linho – ou frios, que estão mais ricos e opacos comainterferênciatecnológica do cinza. O marrom é uma grande aposta para 2009. Todas as cores citadas estão disponíveis no sistema SelfColor e nos leques Suvinil nos diversos pontos de venda. Para testá-las, os consumidores podem usar o ColorTest, produto oferecido em embalagens de 202,5 ml, quantidade suficiente para o teste em 1 m². ●

Entrou em vigor no início de fevereiro, a Lei nº 11.762, que fixa o limite máximo de chumbo – 0,06% em peso – permitido na fabricação de tintas imobiliáriasedeusoinfantileescolar,vernizesemateriaissimilares. Esse limite será determinado por meio de ensaio em laboratório, em conformidade comasnormastécnicasnacionaisouinternacionais.AAssociação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) alerta que, com isso, fica proibida a importação de tintas que estejam fora desse padrão. “Já tínhamos uma autorregulamentação em relação ao uso do pigmento de chumbo nas tintas imobiliárias, seguida pelas nossas associadas,. Por isso, apoiamos o projeto de lei desde o início”, diz o presidente executivo da Abrafati, Dilson Ferreira. Produtosquesuperemoporcentual definido estarão sujeitos a penalidades que incluem apreensão e multa equivalente ao valor da mercadoria. Estão excluídos da norma materiaisderevestimentousados em equipamentos agrícolas e industriais, tratamento anticorrosivo à base de pintura, sinalização de trânsito e de segurança, veículos, aviões, embarcações e vagões de transporte ferroviário, artes gráficas, eletrodomésticos e produção artística. Osfabricantestêm atéoinício do próximo mês de agosto para comercializar o seu estoque.Ficamexcluídasdarestrição produtos importados ou com processo de importação iniciado antes da vigênai da lei. A Abrafati i nforma estar à disposição dos fabricantes para orientação técnica. A íntegra da lei está no endereço: www.jusbrasil.com.br/legislacao/56847/lei-n-11762-de-1-deagosto-de-2008. ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 1 - 06/03/09

D1-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-1:20090306:

O ESTADO DE S. PAULO

SEXTA-FEIRA,6DEMARÇO DE 2009 ANOXXIII,NÚMERO7.619

EFEITOS DO SUPERSIMPLES NA PRODUÇÃO TEATRAL.PÁG. 3

JOSÉ PATRÍCIO/AE

SOScultura QUEM VAI TOMAR UMA ATITUDE? – Notícia do pacote anticrise foi adiantada ao Estado por Alfredo Manevy, ministro interino da Cultura, que esteve em São Paulo esta semana para anúncio dos investimentos de um instituto

Patrocinadores fogem da Lei Rouanet, governos têm verbas contingenciadas e eventos importantes são cancelados: um pacote emergencial pode sair do MinC JANETE LONGO/AE

Jotabê Medeiros

A exemplo das montadoras de automóveis, seguradoras e dos bancos americanos, socorridos peloseugoverno,oMinistérioda Cultura brasileiro está trabalhandonumpacoteanticrise,tentandoamenizaroimpactodaturbulência econômica na cultura nacional.Anotíciadopacoteanticrise foi adiantada ao Estado porAlfredoManevy,ministrointerino da Cultura, que esteve em São Paulo esta semana para anúncio dos investimentos de um instituto cultural (o ministro Juca Ferreira está fora do País). “A gente está preparando isso. Um pacote de medidas, no campo cultural, que tenha um efeito anticíclico em relação à economia. Incluirá reformas de espaços culturais, que geram construção civil, ampliação do parque exibidor cinematográfico e tudo o que for apresentado e gerar um impacto na economia, com interface no campo cultural. O presidente Lula já sinalizou que está disposto a incorporar o investimento estratégico esteano.Eagenteestápreparando o pacote”, disse Manevy. O sistema de financiamento da cultura no País está perto da asfixia.ALeiRouanet,maiormecanismo de fomento federal, enfrentadesistênciasdepatrocinadores importantes desde o final do ano passado. A verba investida decorre de renúncia fiscal – ou seja: as empresas usam dinheiro do seu Imposto de Renda queseriapagoàReceitaFederal. Mas, para ter dinheiro no caixa em tempos incertos, patrocinadores importantes estão cancelando compromissos pré-agendadoscomprodutoresculturais. “Já é sabido, desde o fm do ano passado, que as empresas, semcapitaldegiro,ouparamanter liquidez (mesmo não precisando botar a mão no bolso, porqueérenúnciafiscal),mesmoassim estão cortando patrocínios que já estavam anunciados”, admitiuManevy.“Então,aexpecta7 8 9 10 11 12

Depoimento JOSÉ PATRÍCIO/AE

●● “O impacto econômico na nossa profissão é permanente. Não é área que disponha de sistema de financiamento perene, não tem sistema sustentável, não há essa filosofia. Temos imenso público consumidor potencial, mas que não está preparado para consumir cultura. A crise é conjunto de fatores. Nosso esforço sempre é criar a obra e também seu consumidor. Se o País investisse em Educação, estaríamos em outro patamar. Não estamos piores do que sempre estivemos. O mundo está mudando, e talvez seja a hora de adotar nova postura, de se reposicionar.”

Alguns indicadores que apontam para um refluxo da atividade cultural e do seu financiamento no País em 2009: OTIM FESTIVAL EO PRÊMIO TIMDE MÚSICA foram“descontinuados”,

eufemismo usado pelo seu patrocinador, para dizer que não serão realizados em 2009. A18.ª EDIÇÃODO FESTIVALDECURITIBA, tradicionalevento do calendá-

ESTHER GÓES, ATRIZ ITAÚ CULTURAL – Entidade continua investindo, diz Eduardo Saron

tivadoministérioéconclamaras empresas para confirmarem seu compromisso com a cultura num momento de crise, porque nummomentodebonançaétranquilo. O patrimônio simbólico que os artistas e produtores culturais passam para as empresas éenorme.Asmarcas,avisibilidade.Nummomentodecrise,émomento de as empresas afirmarem esse compromisso.” O cenário é desanimador. A maior estatal em investimentos culturais, a Petrobrás, está retirando verbas de patrocínios (para festivais de teatro e até para escolas de samba, como a Viradouro, que perdeu R$ 7 milhões). Outras estatais estão cautelosas – estão entre as seis maiores patrocinadoras do País (Petrobrás, Banco do Brasil e Eletrobrás), que representam quase 40% do total das 500 maiores empresas brasileiras. Governos municipais, como o de São Paulo, contingenciam verbas para a área, comprometendo programas (a verba para a Virada Cultural, este ano, foi cortada em 30%). No governo estadual,oorçamento daSecre-

taria de Estado da Cultura será um pouco menor este ano, R$ 534 milhões, ante R$ 540 milhões em 2008. Outro problema que pode agravar tudo é o próprio orçamento do Ministério da Cultura, que foi contingenciado (teve recursos retidos) em cerca de 75%, a exemplo de todos os ministérios federais. Se for efetivamente cortado o orçamento direto, que tinha crescido cerca de 20%

REFORMA DE CENTROS CULTURAIS E NOVOS CINEMAS ENTRAM NO PACOTE em relação a 2008 (foi destinado R$1,2bilhãoaoMinC),oministério perderá a capacidade de fazer investimentos este ano. OMinistério achaque amedida ainda não atingiu projetos e programas da pasta. “No começo do ano, os ministérios ainda não estão executando. Então essa liberação, naverdade, vai permitirqueosprojetostalcomoes-

tão desenhados sejam executados: o Mais Cultura, os editais, todoscomoscronogramastalcomo foram desenhados. A gente não sentiu ainda o impacto no nosso orçamento.” Acautela nãoinibiu aindatodos os grandes patrocinadores que se utilizam da Lei Rouanet. No início desta semana, o Itaú Culturalinformouquevaiinvestir cerca de R$ 40 milhões em 2009, ante R$ 37,5 milhões no ano passado. “Temos mantido um crescimento progressivo do investimento, usando sempre o princípio da contrapartida – ou seja: não é só dinheiro da lei, mas também dinheiro do banco”, diz Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. Segundo Manevy, há uma retração sensível na área, que ainda não é sentida em estatísticas mas é diariamente levada ao governo por produtores e artistas. Ele aposta no pacote para inverter a tendência. “Se esse pacote impactar na geração de empregoseocupaçãodasáreasquesão delicadas, o governo será plenamente favorável. A crise também é uma oportunidade. Se o

FUGADEPATROCÍNIO JÁAFETAEVENTOSDO CALENDÁRIONOPAÍS

Brasil investir em educação e cultura nesse momento, a oportunidade de sair reposicionado da crise é maior, em termosdecapacitação,treinamento, capacidade de lidar comproblemasdacontemporaneidade, é investimento estratégico. E o governo reconhece que isso é relevante. Tantoqueoorçamentodoministério tem crescido significativamente”. Manevy diz que não é possível medir ainda o tamanho da crise na cultura, e que isso só será possível “mais pelo meio do ano”, prevê. “Mas é notório, pelo que nos chega por meio das conversas, da maneira como os produtores passama procuraro Ministériocomprojetosqueestavam predefinidos com patrocinadores e não vão mais ser patrocinados. Então a gente estásemobilizandocomasestatais, com o setor privado, paraquemantenhamocompromisso. Não faz sentido tirar da cultura porque não vai impactar efetivamente as contas das empresas.” ●

rio de artes cênicas do País, entre 17 e 29 de março, perdeu cerca de R$ 350 mil do patrocínio da Petrobras, que vinha contribuindo regularmente com o evento. Seu orçamento total é de cerca de R$ 3 milhões. AVIRADA CULTURAL, um dos principais eventos do calendário de São Paulo, foi cortada em um terço em sua edição 2009, devido ao contingenciamento de 33% na verba da Secretaria Municipal da Cultura (outras áreas também sofreram cortes). Marcada para os dias 2 e 3 de maio, a Virada terá neste ano R$ 4,5 milhões (em 2008, foram R$ 6 milhões gastos em 800 atrações e 26 palcos só no centro da cidade. Por conta disso, não haverá programação no Parque D. Pedro e na Avenida Rio Branco. GOVERNODO ESTADODE SÃOPAULO

diminuiu em R$ 6 milhões o orçamento da sua Secretaria da Cultura para 2009. OGOVERNO FEDERAL contingenciou em 75% o orçamento do Ministério da Cultura. O ministério mantém a confiança em um descontigenciamento significativo desse quantia. “Nosso orçamento é muito pequeno para contribuir num processo generalizado. Tirar da gente é impactar muito a gente, e ajudar muito pouco no contingenciamento. Nosso orçamento chega a um bilhão”, diz Alfredo Manevy, ministro interino. ● J.M.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR_A - 2 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

D2-BR/SP -

%HermesFileInfo:D-2:20090306:

D2 CADERNO 2

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Direto Da Fonte

Colaboração

Sonia Racy

Produção

Doris Bicudo doris.bicudo@grupoestado.com.br Gabriel Manzano Filho gabriel.manzanofilho@grupoestado.com.br Pedro Venceslau pedro.venceslau@grupoestado.com.br Marília Neustein e Elaine Friedenreich

/diretodafonte

O direito de levantar a taça Lula já deu orientação aos seus ministros. Pelo que se apurou ontem no Planalto, o presidente não vai deixar de prestigiar os governadores em seu programa habitacional de um milhão de casas.

Adivinhe quem vem para palestrar. Ninguém menos que Nouriel Roubini, o “Sr. Apocalipse”, que vai contar para uma fechadíssima platéia paulistana, na quarta-feira, para onde estará indo a crise financeira mundial em 2009.

Mas tampouco vai deixar tudo na mãos deles – para o bem ou para o mal. O plano é fazer parcerias com Estados e municípios, dividindo tarefas e utilizando infraestruturas locais. Uma outra perna do pacote prevê o financiamento direto da CEF às empresas.

Traz a tiracolo o colega Frederic Mishkin, que participa do FOMC – o Copom do Fed americano – e dá aulas na Columbia School of Business.

Lula admite, como lhe fizeram saber alguns governadores, que a União não tem que inventar novas regras. Mas também acha que não convém deixá-los com um rojão político nas mãos.

O imigrante

Afinal, todos os que ele convidou a conversar são candidatos a alguma coisa.

Palanque de risco

E já avisou: se puder, monta acampamento no Rio.

Lula avisou que não vai. E Serra, também convidado, é bem capaz de aparecer.

Naomi Campbell elegeu o sertão brasileiro para ser clicada para a exposição da Pirelli. Que abre na quarta-feira, no Masp.

Os anfitriões? Persio Arida e André Esteves, da BTG.

Tariq Aziz, chanceler do Iraque nos tempos de Saddam Hussein, quer morar no Brasil. Grande amigo dos exportadores brasileiros, nos seus áureos tempos, ele foi absolvido em um primeiro processo, em Bagdá, e pode estar livre até o fim do ano.

Dilma Rousseff vai ter que se virar sozinha em São Bernardo, semana que vem, em seminário no Sindicato dos Metalurgicos.

GUI PAGANINI

A voz do apocalipse

LUCIANA PREZIA

●● Francesca Altério dançou ao som do Simply Red. Na quarta.

LUCIANA PREZIA

Na FRente

alegria, alegria

● A mineira Larissa Mattos e a búlgara Irina Kodin representarão o Brasil na YouTube Symphony Orchestra. Foram selecionadaspelaInternet para compor a concorrida orquestra do site. Com apresentação nos dias 12 e 15 de abril no Carnegie Hall, em Nova York.

Gal Costa comemora cantando os 40 anos de seu primeiro LP. Pelo Dia Internacional da Mulher, fará show montado em uma jangada. Sábado, em Salvador.

O peso da ausência

DEBBY GRAM

Marcelo Déda, próximo governador a ser julgado pelo TSE, esteve com Lula na terça, em Brasília. Extra-oficialmente, calcularam as chances do governador petista de ficar no cargo .

Assim, cheia de plumas, Harley Vieira Newton estampa o primeiro número da revista da BoBô.

●● Arieta Corrêa e Rodrigo Veronese, no show do Credicard Hall.

●Daniel,ocantor,vaicomemorar sua estreia como ator global fazendo pocket show, na festa de lançamento de Paraíso. Domingo, noMoinho São Paulo.

É que, se ele cair, assume seu lugar o ex-governador João Alves Filho, do DEM. Ou seja: em 2010, esse palanque pode ser dos tucanos.

Conexão perdida

NELSON PEIXOTO

Quem tem o celular de Gisele Bündchen está apreensivo. Desde que foi alardeado seu casamento, a supermodelo desligou o telefone.

Fernando Henrique Cardoso e o ex-presidente peruano Alejandro Toledo debatem hoje, no Hilton, a democracia no continente. Com painéis do Banco Mundial, do BID e outras instituições internacionais.

NELSON PEIXOTO

● Uma exposição de Mira SchendeliráocuparsaladoMoMA, em Nova York. Em abril.

Liberado pelo médico, um dos pais da música concreta, o francês Pierre Henry, vem ao Brasil pela primeira vez, como ilustre convidado do Ano da França no Brasil.

● Estreia hoje, no Teatro Sérgio Cardoso, a peça 2º d. pedro 2º, do grupo brasileiro Les Commédiens Tropicales. ●Empresários brasileiros e americanos abriram em São Paulo a Câmara de Comércio Brasil-EUA da Flórida. Presidida por Samir Choaib.

E quer um show ao ar livre em uma obra de Niemeyer.

PARIS É UMA FESTA Portugal é aqui Depois da Bahia, a cadeia Tivoli inaugura até o fim do mês seu segundo hotel brasileiro. Na alameda Santos.

U-lalá! Taís Araújo e Priscila Fantin começam temporada de imersão em Paris. Vão se aperfeiçoar na língua pátria de Molière.

●Vincente Cassel, que não deu as caras por aqui no carnaval,é aimagemdo novoperfume da casa Yves Saint Laurent. ● Depois de viver Bentinho, em Capitu, Michel Melamed voltaaopalcocomoseuHomemúsica. Hoje, no Sesc Consolação.

Concreto duplo Democracia 2009

●Barbie, a cinquentona enxuta, será homenageada pelo Shopping Cidade Jardim. Com exposição composta de exemplares raros da boneca. Vestida por Dior e Givenchy, entre outros. A partir de segunda.

●● Patrícia Barros e ●● Helena Bordon foi conferir o crooner Louie Austen. Quarta, na Disco.

Marcos Campos, na performance do austríaco.

● Quem diria. The Fat Duck, um dos melhores restaurantes do mundo,foi fechadotemporariamente, em Londres. O menu degustação não caiu lá muito bem em alguns clientes.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 3 - 06/03/09

D3-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-3:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CADERNO D3 CADERNO 22 D3

Política Cultural Polêmica:

Volta ao Simples é assunto de cultura Funarte pressiona MinC para tentar reverter decisão da Receita, que triplicou os impostos das produtoras culturais do País JANETE LONGO/AE

ra”, levou ao MinC todas as mensagens de repúdio à medida, recebidas no site da entidade (www.funarte.gov.br), o que será repassado ao Ministério do Planejamento. Na primeira reunião ministerial do ano, em 2 de fevereiro, o ministro Juca Ferreira levou a gravidade do caso ao presidente Lula, que o autorizou a buscar uma solução, em conjunto com a Fazenda, Planejamento e Casa Civil. No MinC, há expectativa de que a lei seja revista. A Lei128, chamada de Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, é um ajuste da Lei 123/6 e era aguardada ansiosamente pelos microempresários do País. É vantajosa para alguns setores, como por exemplo, os escritórios contábeis, que passaram a pagar menos impostos. Regulamenta, ainda, a figura do “microempreendedor individual” – costureiras e sapateiros, por exemplo – que ficam isentos de impostos. Seu efeito negativo para a Cultura, portanto, é de

Patrícia Villalba

EnquantooMinistériodaCultura planeja seu “pacote anticrise”, produtores culturais, especialmente da área de artes cênicas,pressionamaFundaçãoNacional de Artes (Funarte) para tentar reverter o efeito bomba da Lei Complementar 128. Sancionada pelo presidente Lula em19 de dezembro –uma sextafeira, último dia do calendário legislativo–comomedidaemergencial para conter os efeitos da crise em diversos setores, a lei excluiu as produtoras culturais do Supersimples, aumentando sua carga tributária. “O impacto na nossa área não foi previsto e, para nós, foi mesmo uma surpresa”, disse ontem ao Estado o presidente da Funarte, Sérgio Mamberti. OSupersimplesé umprogramaquereduzosimpostosdemicro e pequenas empresas. Desde o ano passado e até a assinatura da Lei 128, era um direito também dos produtores culturais que, excluídos do sistema, agora terão de pagar entre 16% e 22% sobre o valor dos projetos – antes, esse percentual ficava ente 4,5% e 16%. A medida que atinge as produtoras audiovisuais, de artes cênicas, escolas de arte e os produtores culturais em geral causou indignação no setor. Um abaixo-assinado, com 207 nomes, foi enviado à Funarte, e por meio dele os agentes culturais questionam a medida, chamam a atenção para a falta de diálogo e cobram uma solução urgente. Outro abaixo-assinado, organizado pelo Instituto Pensarte e endereçado ao governo federal e ao Congresso, já tem mais de 1.500 assinaturas (http://www.petitiononline. com/ip9s1234/petition.html).

PELAS NOVAS REGRAS, PROJETOS CULTURAIS TERÃO DE PAGAR DE 16% A 22% DE IMPOSTOS CULATRA - Mamberti: fragilidade da Cultura não foi levada em conta

A situação é considerada especialmente grave pelos agentes culturais quando se leva em conta, ainda, a provável redução de patrocínios culturais por meio das leis de incentivo à Cultura, que são atrelados aos lucrosdasempresas– quantomenor o lucro, menor volume de recursosdisponíveisparainvestimento por meio da Lei Rouanet. “Essa decisão (de excluir as produtoras do Supersimples) foi tomada como uma medida

emergencial, por isso não houve tempo de fazer uma consulta à classe. O governo analisou o quadro geral das empresas que seriam atingidas pela crise, com mais atenção às que têm folha de pagamento grande”, observou Mamberti. “O critério foi esse. Nas ações emergenciais, é o tipo de coisa que pode acontecer mesmo.” O presidente da Funarte informou ainda que, “como ator e militante da causa da cultu-

causar espanto aos produtores. Até agora, a Receita Federal não se pronunciou sobre por quemudouasprodutoras culturais de tabela. Na avaliação de Mamberti, nessa situação de emergência, o governo não levou em conta o fato de que a produção cultural doPaíséfundamentadanaatuação de pequenas e médias produtoras. “Foi lamentável o que aconteceu.Masissonãoquerdizer que a área cultural foi negli-

cenciada. Nosso setor tem mais visibilidade, mas com certeza há outras empresas pequenas, de outros setores por aí, que também vão sofrer por isso.” Segundo dados do MinC, a área cultural abriga 5% das empresas do País (mais de 153 mil empresas), que empregam 1,17 milhão de pessoas. Mamberti diz que o MinC aguarda a volta

de Juca Ferreira, que está em viagem ao exterior, para continuar a articulação. “A solução é vista com urgência, mas não é algo simples de se resolver e que não caminha conforme a nossa ansiedade”, anotou. “Esperamos o ministro, que poderá, quem sabe, ter alguma resposta mais contundente na semana que vem.” ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 4 - 06/03/09

D4-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-4:20090306:

D4 CADERNO 2

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Cinema Estreia: FOTOS: J.F. DIORIO/AE

Um Brasil interiorano e ingênuo É a saga de O Menino da Porteira, sucesso dos anos 70, em nova versão Luiz Zanin Oricchio

O diretor Jeremias Moreira Filho não esconde de ninguém que o estímulo para a refilmagem de OMeninodaPorteiraveiodogrande sucesso popular de 2 Filhos de Francisco, até esta semana o recordista desde a retomada do cinemabrasileiro, com5,3 milhões deespectadores(acabadesersuperado por Se Eu Fosse Você 2). “O êxito do filme de Breno Silveira, baseado na história da dupla sertanejaZezéDiCamargoeLuciano, mostrou que havia um vácuo no mercado brasileiro”, diz. Um “nicho”, segundo os mercadólogose,nocaso,muitoespecífico – o dos filmes ambientados no interior, na zona rural, com sua cultura própria e atrativos contrastantes com valores e imagens do universo urbano. Jeremias tem prática na coisa.Édoramo.EleéomesmodiretordaprimeiraversãodeOMenino da Porteira, de 1976, visto por 4,5 milhões de espectadores, em cifrasoficiais.MasJeremiasprecisa:“MuitospagantesnãoentraramnacontabilidadefinaldaEmbrafilme (na verdade, o órgão que apurava os números era o Concine).Acreditoquetenhaultrapassado 7 milhões de espectadores, mas não há como provar.” Ofatoéqueaprimeiraversão do filme foi um grande sucesso, um daqueles êxitos do interior que, se acreditava, fossem coisasdopassadoatésurgir2Filhos de Francisco. Na primeira versão de O Menino da Porteira o mocinho, o boiadeiro Diogo, era vivido por Sérgio Reis. Agora, revive na pele do cantor Daniel. Já seu oponente, o truculento Major, era Joffre Soares, e agora é interpretado por José de Abreu. O papel da mocinha, Maria José Viana na primeira versão, agora é de Vanessa Giácomo. Esses personagens articulam uma trama simples ambientada no Brasil rural dos anos 50. Diogo é o vaqueiro caladão que

conduz boiadas pelo interior. EmOuroFinoreinaodespótico Major Batista, que impõe seu preço ao gado dos pequenos criadores. Estes tentam uma aliança para negociar seusboisdiretamenteeassim escaparao controledoMajor. O enredo romântico corre porcontadapaixãoentreDiogo e Juliana (Vanessa Giácomo), enteada do Major. O fio narrativopassapelafigurado menino da porteira, Rodrigo, filhodepequenoscriadoreslocais e título da música-tema do filme, o clássico sertanejo de Luizinho e Teddy Vieira.

HERÓI É VIVIDO PELO CANTOR DANIEL, ESTREANDO COMO ATOR Essaahistóriabastanteesquemática que entra em cartaz em 270 salas do País e tentarepetirosucessode30anos atrás. O filme é bem produzido e conta com fotografia de um bamba no assunto, Pedro Farkas, que busca a paleta interiorana de um artista como Almeida Júnior para compor algumas cenas como se fossempinturas.OprodutorMoracy do Val (que também produziu o primeiro filme) entusiasma-se com o visual: “Eu queria isso mesmo, pradarias imensas, como as de John Ford, que imortalizou MonumentValley comseus filmes.” Claro, é bom parar por aqui com comparações, mas é verdade que o visual de Meninoda Porteira muitas vezes surpreende pela beleza e impacto, em especial em cenas de boiada – “E como é difícil dirigir boi...”, suspira Jeremias Moreira. Só que ninguém vai ao cinema para ver fotografia bonita ou bois em disparada. Para atrair público, o galã é fundamental. Por isso, conta Jeremias, a escolha recaiu sobre Daniel desde que o projeto começou a ficar em pé. A falta de experiência não intimidou o cantor: “Tive um bom treinamento de ator e, afinal, tudo isso que vocês veem no filme é o meu mundo e nele estão todas as minhas referências, gado, cavalo, campo.” ●

PREMIÈRE – O Cine São José de Brotas, restaurado pelo cantor Daniel (acima, com projetor de 1957, e com Sérgio Reis, o primeiro boiadeiro)

Em Brotas, sertanejo revive auge de cinemas do interior Cantor restaura sala de cinema e a reinaugura com próprio filme Jotabê Medeiros ENVIADO ESPECIAL BROTAS

O rapaz era do interior e tinha dinheiro. Podia ter gastado tudo com uma frota de picapes Hillux (cheias de adesivos ‘Barretesão’ no para-choques) oucom um novo rebanho de gado Nelore. Mas José Daniel Camillo, nacionalmente conhecido como o cantor Daniel,de41anos,preferiuinvestir suas economias num projeto de respeito: recuperar o cinema abandonado de sua cidade natal, Brotas (a 235 km de São Paulo). Foi assim que, na noite de quarta-feira, a cidade de Brotas parou para a reinauguração do revigorado Cine São José, numa festa glamourosa que teve holofote, limusine, tapete vermelho, vinhofrisanteeaspresençasfulgurantes da apresentadora Xuxa, dos cantores Alexandre Pires,SérgioReiseLuciano(dadu-

pla Zezé Di Camargo & Luciano), entre outros. Todos ali para apremièredeOMeninodaPorteira, estrelado por Daniel, Vanessa Giácomo e José de Abreu. “Acho que é a primeira vez que alguém inaugura seu próprio cinema com um filme no qualéoprotagonista”,ponderou o radialista José Ferreira, contratado para animar a noitada. Mais de mil pessoas, cerca de 5% da população da cidade, estavam na avenida, apupando os convidados,quechegavamescoltados por viaturas da PM. Entre oscidadãoscomuns,aemocionada viúva Maria Inês Gomes Costa,de70anos,quecostumavanamorarnaquelecinemacomomarido, Paulo, enquanto Mazzaropi dominava a tela grande. “Fui muito feliz ali”, apontou Maria Inês,espremidaentreas“carpetbaggers” de Brotas (Carpetbaggers era o nome que davam nos anos 40 às garotas que se espre-

miamnasgradesàesperadasestrelas do Oscar em Hollywood). Daniel comprou o edifício do Cine São José há dois anos. O cantor chegou com o dinheiro pouco antes dos bispos da Igreja Universal, que queriam mais um templo, e arrematou a sala deserta, inaugurada em 4 de abril de 1956 e sem atividade havia mais de 20 anos. “Coincidência ou não, o cinema chama São José. E, na minha família, todo mundo é José”, disse Daniel, que revelou que burlou a lei quando garoto e assistiu escondido naquela sala, detrás da cortina, ao filme pornô A Mulher e o Cavalo. O cantor não quis saber de leis de incentivo nem de verbas federais, municipais ou estaduais. Bancou tudo do próprio bolso, e não revela nem debaixo de espora quanto gastou – mas algumas tias e parentes foram dando dicas ao Estado de quan-

to poderia ter sido o desembolso: mais de R$ 5 milhões. Como artista, Daniel bateu diversas vezesamarcade1 milhãodediscos vendidos, a primeira com o parceiro João Paulo, morto num acidente de carro em 1997. Calor de 35 graus em Brotas e o simpático Alexandre Pires com terno de risca de giz e a Xuxa de capinha tipo gabardine. “Tem tudo para ser um novo 2 Filhos de Francisco”, arriscou o cantor Luciano (cuja história foi contada naquele filme), após a sessãodofilme.“OBrasilnãopode viver apenas de uma ou duas grandes bilheterias a cada sete anos. Tem de fazer mais filmes populares de qualidade”. Sérgio Reis, que viveu o mesmo papel de Daniel na primeira versão do filme, em 1987, brincou: “Bacana que vocês resolveram refazer o filme.Maspodiamtermechamado, pelo menos para ser o avô do Menino da Porteira”. Mármore nas escadarias, pastilhas coloridas nas colunas, um antigo projetor de 1957 tornado monumento no grande salão. O cinema de Daniel é um luxo. “Não gosto da música dele, mas foi uma coisa muito boa o que o Daniel fez para a cidade”, dizobrotenseWaener Pedro de Oliveira,administradoraposentadode teatros, olhando a movimentação da porta. ●

Excesso de beleza prejudica E o diálogo do diretor com o western impõe limites Crítica LUIZCARLOS MERTEN

Háumacomparaçãoinevitável com O Menino da Porteira, e não é ofilme antigo, feito pelo próprio diretor Jeremias Moreira Filho, há 32 anos. Afinal, o Menino original fez sucesso de público, mas não a ponto de marcar a história do cinema nacional. Pertence a uma outra era, quando a relação do público com o cinema era outra, mais calorosa. O parâmetro do novo Menino talvez seja 2 Filhos de Francisco e isso podeser injusto. Ofilme de Breno Silveira não era apenas, até o começo da semana, o maior êxito de público da Retomada – agora substituído por Se Eu Fosse Você 2, de Daniel Filho –, como também um filme de uma brasilidade muito forte, numa vertente popularque trabalhaosertanejo e o caipira com rigor.

Embora BrenoSilveira fosse fotógrafo– de Carlota Joaquina, de Carla Camurati, marco zero da Retomada –, Francisco evitava ao máximo o clichê do filme bonito. Essa é a primeira cilada em que caem Moreira Filho e o diretor de fotografia Pedro Farkas. O personagem do menino tanto poderá encantar como irritar – faz caras e bocas, força a empatia, até porque sua perda vai ser o grande motor para o desfecho. O próprio romance, entre o personagem de Daniel e a ‘cabocla’ Vanessa Giácomo, é um dos menos tórridos do cinema brasileiro recente. Talvez isso tenha a ver com uma influência do diretor. Moreira Filho dialoga com o western, gênero que, no passado, era visto como o cinema norteamericano por excelência. Mocinhos de westerns, você sabe, sempre viveram na estrada. O arquétipo de todos eles, Shane, de Os Brutos Também Amam, de George Stevens, também chega e parte sem deitar raízes e, menos ainda, prender-se à mulher. O aspecto mais interessante

é a oposição entre o herói e o coronel, um diferencial do primeiro filme (e uma atualização da questão agrária no País). José de Abreu cria um coronel jeca que funcionaria melhor sem os excessos do ator. A cena emblemática, a mais ambiciosa, é quando Daniel canta Disparada, deGeraldo Vandré. “Porque gado a gente marca, tange, ferra, engorda e mata/ Mas com genteé diferente.”A montagem paralela da cena resume a crítica (social) do diretor. Moreira Filho é tão generoso que dá vontade ser generoso com ele, mas o filme não ajuda. A narrativa é truncada, o melodrama é frágil, as interpretações, de maneira geral, pouco convincentes. ● Serviço ● O Menino da Porteira (Brasil/2009, 84 min.) – Drama. Dir. de Jeremias Moreira Filho. Livre. Cotação: Regular

Veja o trailer de O Menino da Porteira

http://www.estadao.com.br/e/d4

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 5 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

D5-BR/SP -

%HermesFileInfo:D-5:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CADERNO D5 CADERNO 22 D5

Cinema Estreias: REUTERS

“Eu precisava descobrir como era a sua alma” Frank Langella explica como criou Nixon, que impressionou até o verdadeiro Frost Ubiratan Brasil NOVA YORK

ENTREVISTA – Sheen e Langella, respectivamente como Frost e Nixon: duelo sensacional entre atores com cenas que beiram a perfeição

Nixon, elo entre as obras de Howard e Snyder Ex-presidente faz a ponte entre Frost/Nixon e Watchmen, que misturam TV e quadrinhos e realidade e ficção para retraçar a história dos Estados Unidos Luiz Carlos Merten

Há um elo que une Watchmen, de Zack Snyder, e Frost/Nixon, deRonHoward,duasdasprincipais estreias de hoje nos cinemas de São Paulo. Há uma terceira grande estreia e é Quem Quer Ser Um Milionário?, de Danny Boyle, vencedor de oito Oscars, incluindo melhor filme e direção, na recente premiação da Academia de Hollywood. MasWatchmeneFrost/Nixoninteressammais, neste momento. O elo é o ex-presidente Richard Milhous Nixon, um dos mais polêmicos da história dos EUA. Em1975,pressionadopeloclamor produzido pelas denúncias deseuenvolvimentonocasoWatergate,NixonrenunciouàPresidência, para evitar o impeachment.Frost/Nixoncomeçajustamente com a renúncia. Nixon abandonou a Casa Branca, mas nãoadmitiusuaculpanempediu desculpas ao povo norte-americano. O jornalista britânico David Frost farejou o que seria a grande matéria – uma entrevista, na TV, em que Nixon, encurralado,abririaenfimaguardapara falar sobre Watergate. O fato ocorreu, a história é real, mas,

como volta e meia ocorre nas ficções do diretor Howard, a realidade é mais complexa e intervém de forma inesperada. Em Apollo 13, os astronautas norte-americanosficamsemrumo no espaço e o que seria uma tragédia vira um relato de segunda chance. Em Frost/Nixon, quem começa a se sentir encurralado é o jornalista, não o expresidente, um político ladino que tira proveito de sua imagem de estadista. Chega o momento em que Frost, sozinho na noite, avalia o que parece sua derrota e até desmoralização profissional. É quandotoca o telefone. Do outro lado da linha, Nixon.O telefonemaocorreu de fato? O próprio ex-presidente faz a pergunta a Frost. Pode ser licença poética, ou dramatúrgica, do roteirista Perter Morgan, mas funciona admiravelmente, como ponto de inversão. O duelo entre os atores Michael Sheen e Frank Langella é sensacional e Langella, como Nixon, consegue ser mais nixoniano do que o ex-presidente. Pode ser outra licença do roteirista, mas o desfecho, quando ele, tenso, abandona o local da entrevista e trava aquele curto

diálogo com a dona do cão a quem acaricia, beira a perfeição. Richard Milhous Nixon, cãosem dono?Um outroNixon, interpretado por Robert Wisden, aparece em Watchmen. O filme de Zack Snyder, diretor de Madrugada dos Mortos e 300, baseia-se na graphic novel de Alan Moore e Dave Gibbons. Moore é um dos personagens mais excêntricos dos quadrinhos, recluso como o lendário J.D. Salinger, de O Apanhador no Campo de Centeio. O próprio Moore, que cria quadrinhos como romances, declarou certa vez que considerava Watchmen ‘intrinsicamente infilmável’ e TerryGilliam,queacalentoudurante anos o sonho de adaptar a graphic novel, desistiu porque achava que, menos de cinco horase meia deduração,equivaleriam a uma diluição do original. A versão de Zack Snyder tem 2h40. Como em A Liga dos Heróis,éahistóriadeumafraternidade de super-heróis, que, logo no começo, estão dispersos ou sendo dizimados. A ação passa-senosanos70,sobapresidênciadeNixon.Ossuper-heróishaviam adquirido tal poder que sua atividade foi regulamenta-

Heróis decadentes e visual de impacto em Watchmen Filme de Zack Snyder enfileira um rosário de ideias confusas DIVULGAÇÃO

Luiz Zanin Oricchio

Como o diretor é Zack Snyder (o mesmo de 300) já se antevia que provavelmente Watchmen teria grande impacto visual. E, nesse quesito, a adaptação para a tela da história em quadrinhos de Alan Moore não decepciona. Há mesmo sequências de tirar o fôlego, a começar pela primeira, que abre o filme com impacto e autoridade. Vejam e confiram. Watchmen se desenvolve numa distopia (e de que outra maneira imaginar Nixon no poder por cinco mandatos consecutivos?), na qual permanece a ameaça da guerra nuclear e os ponteirosdotal relógio dameianoite se aproximam de maneira alarmante. Nesse ambiente, um dos super-heróis, o Comediante (Jeffrey Dean Morgan) é assassinado e seus colegas resolvem deixar a aposentadoria para investigar o crime. É curioso observar como,

DISTOPIA – O diretor Zack Snyder e seu “Nixon” (Robert Wisden)

em Snyder,se cruzam as necessidades de produzir um bom blockbuster e as de veicular algumas ideias que tem em mente. Duas exigências em nada incompatíveis,por mais quese diga que o grande público não quer pensar enquanto come pipocas e delira com o que vê na tela. De modo que o visual de forteimpacto nãoencobre aqui-

lo que o filme teria de mais pretensioso, no bom sentido do termo: levar a uma reflexão sobre o mundo contemporâneo, ainda que a história se passe em meados dos anos 80. Entre essas boas ideias, que vêm da própria graphic novel, diga-se, está a de de super-heróis decaídos, viciosos, dos quais o lúbrico Comediante é

da pelo Congresso dos EUA. É nesse quadro que se tece a intriga. Quem está liquidando os Watchmen, e por quê? A trama complicada envolve heróis que perderam o bonde da história. São amarguradosesolitários.Nixon,mentiroso contumaz, é o presidente – sugestivamente com um narizdePinóquio.Alguémestá tentando evitar oapocalipse atômico – ainda havia a URSS – e selando um acordo de paz, mas há um alto preço a pagar. Watchmen mostra o mundo como poderia ter sido,apartirdaGuerradoVietnã. Nixon é peça fundamental. O visual, como sempre em se tratando de Zack Snyder, impressiona e é o máximo que se pode elogiar. ● Serviço ● Frost/Nixon (Frost/Nixon, EUA/Reino Unido, 2008, 122 min.) – Drama. Dir. Ron Howard. 14 anos. Cotação: Bom

Veja trailer de Frost/Nixon no site

http://www.estadao.com.br/e/d5a

apenas a versão mais caricata. De certa maneira, eles fazem lembrar os semideuses da mitologiagrega. Serespoderosos, mas nunca perfeitos, sucumbem à vaidade, à ambição, à luta pelo poder, ao vício. São humanos, demasiado humanos, parapensar no Nietzsche popular e meio simplório que deve habitar a cabeça de Snyder. Esse ideário parece um bocado confuso, se formos analisar o filme a sério. Parece não haver problemas em matarmilhões depessoaspara manter um certo equilíbrio de poder, como verá o espectador. Mas chamá-lo depoliticamenteirresponsável seria dar a essas tramas soltas e pouco orgânicas uma colher de chá que elas não merecem. Em termos de entretenimento, vale por alguns bons momentos. Convém não queimar muitos neurônios com ele. ● Serviço ● Watchmen – O Filme (Watchmen, EUA/2009, 163 min.) – Ação. Dir. Zack Snyder. 19 anos. Cotação: Regular

Trailer de Watchmen – O Filme

www.estadao.com.br/e/d5b

Ron Howard pediu que a equipe e o elenco de Frost/Nixon tratasse o ator Frank Langella por ‘Senhor Presidente’ mesmo na folga de gravação entre as cenas – a intenção era que ele jamais abandonasse o espírito do personagem. Tamanho cuidado buscava ressaltar o trabalho minimalista de Langella, que compõe a figura do ex-presidente Richard Nixon com apenas algumas expressões. “Eu não pretendia impressionar ninguém, queria apenas representar um homem falível como somos todos”, contou ele. Ao contrário de seu colega Michael Sheen, que interpreta um personagem ainda vivo (o jornalista David Frost), Langella baseou-se em imagens de arquivo e impressões que guardou de Nixon. Assim, se repete em alguns momentos o famoso gesto do ex-presidente de levantar os braços com dois dedos esticados em V, ressaltando seu curto pescoço, o ator não precisou de um nariz postiço, como o fez Anthony Hopkins, em Nixon, que Oliver Stone dirigiu em 1995. “Parti de um pressuposto básico: descobrir como era sua alma, como funcionava sua mente. Em uma história, não interpretamos um serial killer ou um músico, mas uma pessoa que tem esse título. Daí a necessidade de se ir mais a fundo.”

ATÉ NAS FOLGAS DE GRAVAÇÃO ELE ERA CHAMADO DE “SENHOR PRESIDENTE” Ator com vasta carreira iniciada nos anos 1960, Langella confessou sua surpresa diante do desafio de interpretar Nixon, no teatro e no cinema. “Ele certamente foi a pessoa mais fascinante que já tive a oportunidade de representar”, garante. “Fiquei obcecado por sua história, por seus demônios pessoais. Nixon era um político irascível, dono de um humor que mudava rapidamente e, por conta disso, revelador de todas as suas idiossincrasias – ao contrário do que acontece hoje, quando a política é dominada por figuras pasteurizadas.” A caracterização, de fato, foi construída por detalhes. O

cabelo grisalho levemente ondulado, por exemplo, ou a voz rosnada, dita em tom baixo. Mas é pelo olhar que Langella revela a alma de seu personagem – desde o esgueirar debochado e interessado em dinheiro com que observa Frost no início da entrevista até a súplica escancarada por um perdão com que finaliza a conversa. O próprio David Frost confessou estar impressionado com o trabalho de Langella. “Ele não se parece com Nixon, mas, ao vê-lo, você sente estar diante de Nixon”, disse o jornalista à imprensa inglesa. “Langella transcende.” A transição do palco para o cinema também foi uma experiência particular. Langella lembrou que, no teatro, a luta pela busca do personagem era diária. “Depois de um tempo, adquiri um ritmo muito particular com o qual eu ocupava o palco de forma quase instintiva”, disse. “Diante das câmeras, porém, surgiu a oportunidade para experimentar novos elementos.” A mesma sensação foi desfrutada por Michael Sheen no papel de David Frost. Ele, no entanto, sentiu um progresso em seu trabalho quando interpretou para o cinema. “No teatro, você cria situações, como fingir que está viajando em um avião. Já diante da câmera, você está, de fato, dentro de um.” Interpretar um personagem real e ainda vivo impôs uma série de responsabilidades. Se há alguma vantagem em dispor de elementos que ajudam na composição, ao mesmo tempo há o risco de se criar uma caricatura. “Se eu interpretasse David Frost como um homem excessivamente competente, eu quebraria o suspense. Assim, especialmente seus erros, suas fraquezas tinham de estar presentes.” Já o largo período em que dividiu a história com Langella, no palco e para a tela grande, foi desafiante. “Durante 18 meses, em quase todos os dias, contávamos essa história juntos. Como era algo que sempre surgia com frescor, já não importava mais se interpretássemos para a plateia de um teatro ou diante de uma câmera e uma equipe de filmagem. A faísca sempre surgia e incendiava nossa encenação.” ● O repórter viajou a convite da Paramount

UMAHQMAIORDOQUEOSEUTEMPO ●● Hoje em dia, quando mesmo a

crítica aos super-heróis costuma ser clichê, a lição de Watchmen continua intacta. Quando imaginou a série Watchmen, em 1986, o escritor inglês Alan Moore estava não só desafiando uma convenção como usando a mitologia do herói como pretexto para reinterpretar a moralidade humana. Seu esforço foi reconhecido em todos os quadrantes (a revista Time incluiu a HQ entre os cem maiores romances do século). Usando narrativas simultâneas, metalinguagem, recursos simbólicos em cascata, o autor e seu parceiro, o desenhista Dave Gibbons, deram ao gênero um estofo único. Os heróis aposentados com mentalidade de homem médio americano, ou com tino comercial digno de um Maddof, rein-

ventaram o gênero. Num mundo onde um vigilante quase psicopata é a única força moral incorruptível, o que resta? Ou, como dizia o slogan do gibi: Quem vigia os vigilantes? ● JOTABÊ MEDEIROS

PB

ESCALAPB Produto: CADERNO_2 - BR - 6 - 06/03/09

COR

ESCALACOR

D6-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-6:20090306:

D6 CADERNO 2

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Visuais Evento:

Feira de arte tem Van Gogh à venda

Nelson Motta

A Tefaf – Feira Européia de Belas Artes, que começa dia 13, oferece tela do holandês por € 25 milhões DIVULGAÇÃO

Antonio Gonçalves Filho

Uma tela pintada por VanGogh em1889,quandoestavainternado no hospital de Saint-Paul, poucos meses depois de cortar a orelha e ferir Gauguin com uma navalha, é uma das obras raras à venda na 22ª edição da Feira Europeia de Belas Artes (Tefaf), que começa no dia 13 em Maastricht, Holanda. A tela, que mostra um cipreste e outrasárvores do jardimdo hospital , está numa coleção particular suíça há quase meio século e, desde 1963, quando o atual proprietário a comprou, só foi vista em três ocasiões nas duas décadas seguintes. Ela está à venda por € 25 milhões. Van Gogh é uma das muitas estrelas dessa que é considerada a mais prestigiada entre as feiras de arte do mundo. Este ano a Tefaf vai contar com a participação de 239 dos principais marchands internacionais, oferecendo ao público obras que fazem parte do acer-

vo de grandes museus, galerias e coleções privadas. Não só impressionistas como Van Gogh como mestres antigos – um dos destaques é o holandês Roeland Savery (1576-1639)–, vanguardistas (Man Ray) e até o papa da arte pop (Andy Warhol) disputam espaço na feira, cujos expositores vão apresentarobrasmodernase antiguidades avaliadas em US$ 1 bilhão. Mais de 73 mil pessoas visitaram a feira no ano passado, entre eles dois grupos da China continental. Na ocasião, o aeroporto Maastrich-Aachen registrou um congestionamento do tráfego aéreo com 220 jatos particulares pousando durante o evento, que atraiu curadores de 165 museus de 18 países, entre eles o Louvre, a National Gallery e o Metropolitan de Nova York. Compreensível. Tudo o que é vendido na feira passa pelas mãos de 25 comitês com 155 experts, que atestam a autenticidade e garantem a origem das obras.

RARIDADE – Tela mostra clínica em Saint-Rémy e foi pintada em 1889

Sabe-se, por exemplo, queateladeVanGogh,OParque do Hospital Saint-Paul, pintada entre setembro e outubro de 1889, estava pendurada na parede do quarto usado como estúdio por Van Goghdurantesuapermanência na clínica de Saint-Rémy. Ele passou um ano em tratamento e matou-se com um tiro no peito dois meses depois de deixá-la. Há uma aquarela que retrata o quarto em que a tela à venda aparece ao lado direito da janela. O óleo está sendo vendido pela Dickinson, uma conhecida firma com escritórios em Londres e Nova York. Este ano se espera na Tefaf a visita de novos colecionadores de economias emergentes. Além de telas, esculturas (de uma estátua egípcia avaliada em quase € 3 milhões a Giacometti), joias e manuscritos, a Tefaf anuncia este ano uma seção de design contemporâneo. ●

Bombaim éaqui ●●● Além de grande divertimento com as histórias de Gloria Perez, os cenários deslumbrantes e a cultura indiana, toda vez que assisto a Caminho das Índias penso nos políticos brasileiros. Eu sempre penso neles. Ah, como eles adorariam que aqui houvesse um sistema de castas com 50 milhões de dalits, de intocáveis – os excluídos dos excluídos. Para lutar por seus direitos e ganhar seus votos. Quantas ONGs, com dinheiro público, os dalits teriam no Brasil? A bolsa-dalit seria imediatamente instituída, seriam criadas cotas para dalits em universidades, serviços públicos e até em empresas privadas. Para os dalits indianos, o Brasil seria o paraíso. E não haveria novela de Gloria Perez. Uma parte dos nossos políticos seria da casta dos xátrias, que nasceram dos braços de Brahma, como os militares e os governantes; outra dos vaixás, que saíram das pernas do criador, como os comerciantes e agricultores; ou dos sudras, que saíram dos pés do deus como operários e camponeses; raros seriam brâmanes, como sacerdotes, filósofos e professores, que saíram da boca de Brahma. Os companheiros dalits seriam apenas a poeira sob os pés de Lula, epa!, de Brahma. Não da cerveja, do deus. Aqui, dalits unidos jamais seriam vencidos. A organização familiar indiana, com filhos e netos morando com o patriarca, que tem autoridade absoluta, deve dar água na boca de nossos políticos. Principalmente porque o nepotismo na Índia é a regra, família trabalha com a família: caixa único. Outro objeto de desejo deve ser a tradição de casamentos arranjados e negociados pelas famílias, em bens e em dinheiro vivo, que não chega a ser novidade na política brasileira, mas poderia ser usada de forma mais prática, em alianças eleitorais legais, à prova de TRE. Casamento por amor é coisa de novela. Mas os políticos que seguem Caminho das Índias devem tomar cuidado. Alguns podem se impressionar com as crenças hinduístas na reencarnação, no carma de cada um, e serem acometidos por pesadelos em que acordam como um chacal, uma hiena ou uma ratazana, zanzando pelo plenário, de paletó e gravata. Hare baba ! ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 7 - 06/03/09

D7-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-7:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CADERNO D7 CADERNO 22 D7

Visuais Exposição:

MoMA abre alas para produção latina Com retrospectiva, filmes, peças de design e publicação de livro, museu nova-iorquino dá especial destaque à arte brasileira REPRODUÇÃO

Tonica Chagas ESPECIAL PARA O ESTADO NOVA YORK

Entre as exposições especiais que vai exibir este ano, o Museum of Modern Art (MoMA), em Nova York, sublinha seu empenhocomaartelatino-americanaapresentando,apartirde5de abril, a primeira grande retrospectiva realizada nos Estados Unidossobreotrabalhodabrasileira Mira Schendel (1919-1988) e do argentino León Ferrari. A produção artística brasileira também será destaque no MoMA este ano com uma linha de produtos de design que começa a ser vendida em maio na loja do museu, a sétima edição do festival de filmes Premiere Brazil, em julho, e a publicação de uma antologia do crítico de arte e historiador Mário Pedrosa. Com cerca de 150 mil peças individuaisemseu acervo,oMoMAcontacomaproximadamente3.800obrasdelatino-americanos. O museu vem colecionando trabalhos de artistas da América Latina, sistematicamente, desde os primeiros anos depois desuafundação,segundosalientou seu diretor, Glenn Lowry, na terça-feira, numa reunião com a imprensa para anunciar a programação deste ano. Em 1931, a segunda individual exibida pelo MoMA,depois dade Matisse, foi dedicada ao mexicano Diego Rivera, lembrou Lowry. Reunindo perto de 200 obras, Tangled Alphabets: León Ferrariand Mira Schendel éa primeira retrospectiva paralela de dois artistas latinos produzida pelomuseu.“Emboratenhaaintenção de justapor os temas comuns na obra dos dois, a exposiçãoéumaretrospectivacompleta da carreira de cada um”, afirmaLuisPérez-Oramas,curador

MIRA SCHENDEL – Obra de 1967

de arte latino-americana do MoMA e organizador da exposição. Trabalhando separadamente em países vizinhos, na segunda metade do século 20, Ferrari e Mira criaram obras que se baseiamfundamentalmentenalinguagem. Tangled Alphabets vai traçar a evolução de ambos e suas práticas desde o fim da décadade50atéosúltimosanosda de 80, no caso de Mira, e até 2007, no caso de Ferrari, que está com 88 anos de idade. DESIGN E CINEMA

A partir de maio, como parte da série Destination: Design, que apresenta produção de designers de diferentes partes do mundo, as três lojas do MoMA em Nova York e as lojas online que o museu tem para os mercados americano, japonês e coreano vão oferecer uma coleção com mais de 70 produtos brasileiros. “O Brasil, hoje, é um centro florescente de design, com uma diversidade tremenda e inspiração única”, elogia Kathy Thornton-Bias, gerente-geral de vendas a varejo do museu. Entre os objetos escolhidos para representar o design brasileiro estão cerâmicas geométricas de Kimi Nii,joiasfeitasporManaBernardes com plástico de garrafas re-

ciclado, uma tigela de feltro inspirada em sushi criada pelos irmãos Campana, além de peças criadas pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha e pela designer de moda Jussara Lee. Em julho, na sua tradicional parceria com o Festival do Rio, o MoMA vira o centro do cinema brasileiro em Nova York, com duas semanas de exibição de filmes nacionais recentes. A edição deste ano do Premiere Brazilvaiapresentarumaretrospectiva do documentarista Eduardo Coutinho, abrindo com Jogo de Cena, lançado no ano passado.OfestivaldesteanofazhomenagemaVilla-Lobos,comaapresentação de O Descobrimento do Brasil,dirigidoem1937porHumberto Mauro e que tem trilha do compositor.AprogramaçãoaindaincluiCinemaFalado,queCaetano Veloso fez em 1986. Numa série de projetos focalizando a América Latina, o museu deve publicar ainda este ano uma antologia com textos de Mário Pedrosa (1900-1981) traduzidospelaprimeiravezparaoinglês.Pedrosa, queé considerado o iniciador da crítica de arte moderna brasileira, cobriu os movimentos artísticos brasileirosmaisimportantesdoséculo passado, desde as primeiras manifestações da arte moderna,efoiumdosprincipaisincentivadores dos neoconcretos Lygia Clark, Hélio Oiticica e Lygia Pape.O livroestá sendoeditado pelo curador Paulo Herkenhoff epela ex-embaixadoraVeraPedrosa, filha do crítico. Este ano ainda, expandindo seu engajamento com as artes visuais latino-americanas, o MoMA vai apresentar um festival de cinema ibero-americano,emnovembro,e uma exposição focalizando 20 anos de carreira do multimídia mexicano

Gabriel Orozco, que será aberta em dezembro. Essas iniciativas refletem a importância do público latino-americano para o museu nova-iorquino. Segundo Glenn Lowry, no ano passa-

do o México ficou em oitavo lugar entre os países que mais mandam visitantes ao MoMA e o Brasil, em 12º. Em visitas ao website do museu, os brasileiros ficaram na quinta posição. ●

PB

ESCALAPB Produto: CADERNO_2 - BR - 8 - 06/03/09

COR

ESCALACOR

D8-BR/SP -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:D-8:20090306:

D8 CADERNO 2

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Teatro Estreias:

Monólogo une ficção e realidade Em Ele Precisa Começar, ator e autor Felipe Rocha compartilha com o público os delírios do processo de criação da escrita FOTOS DIVULGAÇÃO

Ubiratan Brasil

Duranteuma excursão internacional com a Cia. dos Atores, do diretor Enrique Diaz, o ator Felipe Rocha decidiu utilizar bem seu tempo livre – em vez de passeios desinteressantes, preferiu realizar um desejo antigo e escrever uma peça. O resultado foi um monólogo, Ele Precisa Começar, que estreia hoje no Espaço Beta do Sesc Consolação, depois de uma temporada de sucesso no Rio. O enredo é engenhoso: um homem de 35 anos, fechado em um quarto de hotel, durante uma segunda-feira de folga, decide começar uma narrativa ficcional. Como não tem nada planejado, escolhe a si mesmo e ao seu quarto de hotel como pontode partidapara sua história. “Ou seja, é um ator que se dirige à plateia para informar

que um dramaturgo logo vai escrever uma história a ser encenada por ele”, conta Rocha. “Mas tudo o que ele conta como sendo um plano futuro já é interpretado no presente.” A metalinguagem permite que o processo de criação seja compartilhado com a plateia. Mais: devoto de uma escrita delirante, Felipe Rocha, queinterpreta o único papel, promove a mistura entre ficção e realidade, com o ator confundindo-se com o autor. “Aproveito as várias camadas da narrativa para tratar especialmente do teatro e o processo da imaginação”, conta ele que, fiel à tradição do humor iconoclasta, permite que o texto una saltos de paraquedas e instalações de artecontemporânea, mafiosos romenos e super-heróis, canções românticas e estratégias performáticas de vanguarda.

Quando trabalhava no texto, Rocha conta que não pensava emserointérprete.Mas,aodividir a direção com Alex Cassal, percebeuquea dupla função seria benéfica. Afinal, o processo de ensaio permitia que o ator descobrisse os entraves do texto e propusesse a troca certa de verbos e substantivos, sem que o autor entrasse em depressão. Ele Precisa Começar é justamente a primeira frase dita pelo ator, iniciando uma viagem cujas intenções foram aprovadas pela maioria da plateia carioca. “O tom é intimista, convidativo,epedeumaaceitaçãoplena do público”, conta Rocha, já promissor como dramaturgo. ●

PARAQUEDISTA – Em cena, ele flerta ainda com mafiosos romenos, super-heróis e canções românticas

Sobre a impossibilidade de conhecer a História Em 2.º Dom Pedro 2.º grupo provoca espectador a refletir sobre a multiplicidade de versões do passado Beth Néspoli

Eles já haviam adotado narrativa duvidosa e irônica para falar doreinado ded. Pedro IemChalaça, peça que teve como ponto de partida o livro homônimo de José Roberto Torero, mas acabou sendo construída a partir de pesquisa histórica. Pois essa é também a matéria de 2º D. Pedro 2º, que estreia hoje no Teatro Sérgio Cardoso.

Mas ninguém espere repeteco, mesmo que Chalaça tenha tido ótima recepção de público. “A abordagem temática é muito distinta e a construção cênica mais ainda”, garante Carlos Canhameiros, ator fundador da companhia, criada em 2005 em Campinas, dentro da Unicamp. “Desta vez o foco não é a História, mas os historiadores e a diversidade de pontos de vista sobre um mesmo fato”, diz Ca-

VERSÕES – 2.º D. Pedro 2.º provocação com mosaico de pontos de vista

nhameiro. “Como ele governou por 49 anos, há material demais sobre essa figura e as contradições são também muitas. Por exemplo, um historiador é capaz de defini-lo como medíocre, é essa a palavra, enquanto outro o coloca entre os melhores governantes do mundo.” Esse mosaico de visões levou o grupo a usar radicalmente o recurso daprojeçãoemvídeo,tantogravada quando em tempo real.

Serviço ● Ele Precisa Começar. Sesc Consolação – Espaço Beta. R. Dr. Vila Nova, 245, tel. 32343000. 5.ª e 6.ª, 21 horas. R$ 20

“Não por mera pirotecnia ou moda, a linguagem surgiu no processo.” Apoiados pelo Fomento, o grupo agregou jovens que acompanharam o processo de criação e acabaram criando seu próprio espetáculo, Somos de Feitos, a partir de indagações sobre o que é ser brasileiro. ● Serviço ● 2º D. Pedro 2º. 85 min. 14 anos. sex. 21h30; sab. 21 hs; dom. 19h. Estreia hoje. Até 26/4 ● Somos de Feitos. 60min. 12 anos. quar. e quin. 21h. Estreia quar. Até 30/4 ● Sala Paschoal Carlos Magno, Teatro Sérgio Cardoso. (144 lug.) Rua Rui Barbosa, 153, tel. 3288-0136. R$ 20,00

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 9 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

D9-BR/SP -

%HermesFileInfo:D-9:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

CADERNO D9 CADERNO 22 D9

Tevê DIVULGAÇÃO

Cuatro Cabezas Crescimento:

Muito além do CQC

entrelinhas

Produtora aumenta equipe e formatos Julia Contier

Crise?Nãopara a produtoraargentina Cuatro Cabezas, que chegou ao Brasil no início de 2008 com 25 pessoas na produção de Custe o Que Custar, da Band,ehojesevêcom70funcionários,quatroformatos emproduçãonoBrasile amudança para uma sede muito maior. Além do sucesso do CQC, a Band vai estrear as série E-24 (reality em um hospital) e A Liga (mistode jornalismocom humor).Outranovidadedaprodutora é um reality show para o canal pago Discovery. “Esterealityfalasobreocomportamento de uma família e vai ter a ajuda de um consultor,

que terá o papel de resolver os dramas da casa”, conta o coordenador de projetos da Cuatro Cabezas, Diego Barredo. O formato, que lembra Supernanny, ainda não tem nome definido e nem data de estreia. Entre as novidades também está a troca de diretor do CQC. Sai Barredo, que viroucoordenador, entra Juan José Buezas – que trabalhava na versão argentina da atração. E a Cuatro Cabezas comemora a produção de 2008: dez produtos para a TV, entre eles, o Rally MTV, Projeto 48, para o TNT, e o História Secreta, para o History Channel.●

4h40 Tecendo O Saber 5h10 Novo Telecurso Ensino Fundamental 5h30 Novo Telecurso Ensino Médio 5h45 TelecursoTec 6h00 Tecendo O Saber 6h30 TelecursoTec 6h45 Novo Telecurso Ensino Fundamental 7h00 Novo Telecurso Ensino Médio 7h15 TelecursoTec 7h30 Educação E Trabalho 8h00 VilaSésamo 8h30 LittlePeople/Kipper 8h45 Caillou 9h00 VilaSésamo 9h30 ORedondo Mundo De Olie 10h00 Cocoricó 10h30 AsAventuras De Piggley Winks 11h00 Pinky Dinky Doo 11h15 Os Sete Monstrinhos 11h30 Zoboomafoo 12h00 Arthur 12h30 Pé Na Rua 12h45 VivaPitágoras/OsGrandes Cavaleiros 13h00 Portal Do Intercâmbio 13h30 Castelo Rá-Tim-Bum 14h00 OPequeno George 14h30 AsAventuras De Piggley Winks 15h00 Os Amigos Da Miss Spider 15h15 Os Sete Monstrinhos 15h30 VilaSésamo 16h00 Os Camundongos Aventureiros 16h30 Cocoricó 17h00 Pinky Dinky Doo 17h15 JimNo Mundo Da Lua 17h30 Cyberchase 18h00 Arthur 18h15 Castelo Rá-Tim-Bum 18h45 Pé Na Rua 19h00 NinguémMerece 19h30 Balanço Social 20h00 Alto-Falante 21h00 JornalDa Cultura (av) 21h40 Metrópolis 22h10 Provocações – Ernesto Rodrigues 22h40 Doctv –Preto Contra Branco 23h40 Divercine 1h30 Zoom 2h30 RepórterEco 3h00 JornalDa Cultura 3h40 Tal E Qual

SBT (4) 6h00 7h00 8h00 9h00 12h45 13h15 13h45 14h15 14h45 16h30 18h30 19h15 20h00 21h15 22h00 23h00 1h00 1h45 2h30 4h30 5h30

Jornaldo SBT I Jornaldo SBT II Carrossel Animado Bom Dia & Cia Série- Chaves Série- Chapolin Série- Um Maluco No Pedaço Série- Eu, A Patroa E As Crianças CinemaEm Casa– A Malandrinha OlhaVocê Série- As Visões Da Raven Série- Eu, A Patroa E As Crianças 10Anos Mais Jovem (estréia) Sbt Brasil Revelação TelaDe Sucessos Tempestade JornalDo Sbt Tele Seriados I - Série: Without A Trace/ Desaparecidos Tele Seriados II - Série: Moonlight Tele Seriados III - Série: Six Feet Under A Sete Palmos Chaves

GLOBO (5) 5h05 TelecursoEducação Básica - Tecendo o Saber 5h20 TelecursoProfis. 5h40 TelecursoEnsino Médio 5h55 TelecursoEnsino Fundamental 6h10 GloboRural 6h30 Bom Dia SãoPaulo 7h15 Bom Dia Brasil 8h04 Radar 8h07 Mais Você 9h30 GloboNotícia I

Até a Globo está impressionada com a audiência de Senhora do Destino. Na terça, a reprise registrou média de 22 pontos.

●●●

A estreia de Ronaldo nos gramados pelo Corinthians, anteontem, rendeu à Globo média de 30 pontos. Foi o maior índices dos jogos exibidos às quartas-feiras na emissora este ano. A média dos jogos no horário costuma ser 24 pontos.

●●●

●●● Em abril, o Vídeo Show passará a ser apresentado também fora do estúdio. A ideia é levar os apresentadores para as ruas, e aproveitar – ainda mais – as dependências do Projac.

Os primeiros convidados da temporada 2009 do Casseta são Luciano Huck e Angélica.

●●●

A gana de ver Ronaldo em campo era tanta, que a Globo simplesmente parou de exibir a partida para dar close no jogador se preparando para entrar. ●●●

Entre amigas

O SporTV leva ao ar amanhã, às 23h30, especial em homenagem a volta de Ronaldo.

●●●

Nos bastidores, só risadas. Na bancada, Hebe, entrevistada de Gaby em especial do Dia Internacional da Mulher, falou sobre a saudades dos já que morreram, das brigas com Silvio Santos, da paixão por Roberto Carlos... Precisa mais? No ar domingo, às 22 h, no GNT. ●●●

●●●

As gêmeas do nado sincro-

Márcio Garcia anda tão apático como Bahuan em Caminho das Índias, que cabe a Lima Duarte, na pele do pai adotivo Shankar, explicar ao público as atitudes do filho em relação a Maya (Juliana Paes). Lima é quase uma legenda.

●●●

Cultura:2182-3000;SBT:3236-0111;Globo:3131-2500;Record:2184-4000;RedeTV!:3306-1000;CNT:(41)2169-7250/7465;Gazeta:3170-5747/5757;Band:3131-1313; MTV: 3874-3505; Record News: 2184-4000; Rede Brasil: 2578-6000; Rede Vida: (17)3355-8432. As informações e alterações são de responsabilidade dos canais.

guia de tv CULTURA (2)

nizado, Bia e Branca, renovaram contrato com a MTV até o final do ano. A dupla apresentará um quadro sobre esportes no Scrap MTV.

9h33 11h35 12h00 12h45 13h15 13h45 14h30 15h55 17h40 17h44 18h15 19h15 19h20 20h15 20h50 22h00 22h25 23h10 1h10 1h42 1h44 3h15

TV Globinho Os Simpsons SPTV- 1ª Edição GloboEsporte JornalHoje VídeoShow Valea Pena Ver de Novo – Senhora do Destino Sessão da Tarde – Volcano – A Fúria GloboNotícia II Malhação Negócioda China SPTV- 2ª Edição Três Irmãs JornalNacional Caminho dasÍndias BigBrother Brasil 9 GloboRepórter Festivalde Sucessos – Refém do Silêncio Jornalda Globo Fórmula 1– 2009 Prison Break Intercine –Jerry Maguire A Grande Virada/Era Uma Vez no México

RECORD (7) 6h45 8h00 9h10 13h00 14h30 15h30 16h30 17h15 18h15 20h00 20h45 21h45 22h45 23h45 0h30 1h00

SãoPaulo No Ar FalaBrasil Hoje Em Dia Balanço Geral ProgramaDa Tarde PicaPau Todo Mundo Odeia OChris ProvaDe Amor Sp Record JornalDa Record Os Mutantes Chamas Da Vida Câmera Record CSILas Vegas Tudoa Ver Prog. IURD

REDE TV! (9) 5h00 IgrejaMundial Do Poder De Deus 8h30 LeituraDinâmica–Primeira Edição 9h00 Bom Dia Mulher 11h40 Imbra 11h45 Pokemon 12h30 ParceriaPublicidade 13h00 IgrejaUniversal Do Reino De Deus 14h00 Imbra 14h05 A Tarde É Sua 16h55 Imbra 17h00 IgrejaDa Graça, Nosso Programa 18h00 Pokémon 19h00 Chaotic 19h20 Notícias Das 7 19h50 Tv Fama 21h10 Redetvnews 22h00 Pânico Na Tv - Reprise 0h00 Leitura Dinâmica 0h30 ProgAmaury Jr 2h00 Superpapo 2h30 IgrejaDa GraçaNosso Lar

GAZETA (11) 6h00 IgrejaUniversal Do Reino De Deus 8h00 BestshopTv 8h30 Gazeta Imóveis 9h00 Gazeta Shopping 9h40 Gazeta Motors 10h00 BestshopTv 11h00 Gazeta News 11h10 Pra Você 13h10 Tv Culinária 14h00 Mulheres 17h50 Gazeta News 18h00 Gazeta Esportiva 19h00 JornalDa Gazeta 20h00 IgrejaUniversal Do Reino De Deus 22h00 Gazeta Motors 22h15 PapoDe Amigos 23h45 Gazeta Imóveis 0h15 BestshopTV

BANDEIRANTES (13) 7h00 8h00 10h00 11h28 11h30 13h10 13h40 14h30 15h00 15h45 16h30 17h50 19h20

Primeiro Jornal Bem Família Márcia Que Fim Levou? JogoAberto SãoPaulo Acontece Rex FamíliaDinossauros OMundo Perdido UmaEscolinhaMuitoLouca Márcia Brasil Urgente JornalDa Band

20h15 21h00 21h50 22h15 0h15 1h00 2h00

UmaEscolinhaMuitoLouca Showda Fé MrBean TerraNativa Jornalda Noite A Noite é uma Criança Espaço Vida Vitoriosa

REDE 21 (21) 6h00 IgrejaMundial 22h00 Doc.21 Notícias 0h00 IgrejaMundial

CNT (26) 5h00 9h00 9h30 10h00 10h30 12h30 14h00 15h00 16h00 17h00 19h20 20h00 22h00 22h30 23h30 0h00

Igrejada Graça CristoVive Variedades Fonteda Vida Variedades Notícias & Mais OCaminho Antigo Variedades Vitóriaem Cristo OPoder Sobrenatural da Fé Sonhos e Caramelos Turminhada Graça/ Show da Fé CNTJornal (av) SOS Sexo e Outros Segredos Radar 1001Noites

MTV (32) 7h00 9h00 10h00 11h00 12h00 14h00 15h00 16h00 18h00 19h00 19h30 19h45 20h00 21h00 21h30 22h00 22h30

MTV Lab Clássicos MTV Lab Now MTV Lab TocaAí MTV Lab Rádio MTV Lab ao Cubo MTV Lab Freak MTV Lab Disk MTV Lab Listas MTV na Rua SAPMTV Gordo Shop MTV Scrap MTV MTV Lab TocaAí Descarga MTV Notícias de Verão Fudêncio ShowMTV

22h00 23h00 23h30 0h00 0h45 1h15

TV SÉCULO 21 (58) 6h00 6h30 6h40 6h45 7h15 7h20 7h30 7h45 8h30 8h45 9h15 9h30 12h00 12h15 12h45 13h00 14h00 14h30 17h00 17h30 17h45 18h00 19h55 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00 22h30 23h45 0h00

7h00 MissanaBasílica Santuário de Nazaré (av) 7h45 MãeMaria 8h00 Filhosdo PaiEterno 8h25 OSanto do Dia 8h30 Momentode Fé 9h00 Missade Aparecida (av) 10h00 Filhosdo PaiEterno 10h30 Com Muito Amor 11h00 Hora de Brincar 11h55 Terço Bizantino 12h00O Terço/Dolorosos 12h30 JCTV 13h00 Caminhosda Comunidade 14h00 Hora de Brincar 15h00 MedalhãoPersa (av) 17h00 Filhosdo PaiEterno 17h30 Encontro com Cristo 17h50 Terço Bizantino 18h20 OPão Nosso 19h00 Momentos de Reflexão 20h00 Ateliê na TV 21h30 Filhosdo PaiEterno 22h00 TribunaIndependente (av) 23h30 Brasil, é Isso 23h55 Terço Bizantino

RECORD NEWS (42) 9h00 10h00 10h30 11h00 11h30 12h00 12h30 13h00 13h30 14h00 15h00 15h30 16h10 16h40 17h00 17h30 18h00 18h30 19h00 20h00 20h30 21h00

Página 1 ArquivoRecord Zapping Hora News Mistérios Do Corpo Mundo Meio-Dia Record News Nordeste Direto De Salvador BbcRecord Esporte Record News Direto Do Rio De Janeiro Direto Da Redação Aldeia News Record News Paulista Direto De Araraquara Mulheres Em Foco Hora News Zapping Record News Sul Esporte Record News Esporte Record News Hora News EconomiaE Negócios SelvagemAo Extremo Record News Brasil

OTerço AssociaçãoPrecisadeVocê A Palavrade Deus Renovaçãoem Ação Palavras que não Passam EuCreio Diáriode Oração Santa Missa Meu Senhore Meu Deus Coraçãode Criança Disk Shop VocêPode ser Feliz AssociaçãoPrecisadeVocê SéculoNews Disk Shop Século21Esporte Disk Shop Mulher.com Coraçãode Criança Meu Senhore Meu Deus Oraçãoda Tarde Caminhosda Fé Palavras que Não Passam AssociaçãoPrecisadeVocê Igrejano Brasil Renovaçãoem Ação SobriedadeSim OndeDeus Chora Cidadaniano Ar In-Dependente Madrugada de Bênçãos

REDE BRASIL (59) 6h00 7h00 7h30 8h00 9h00 11h00 12h00 12h15 12h30 12h45

REDE VIDA (34)

Entrevista Record Música Câmera Record News Brasília AoVivo JornalDa Record Hora News Mistérios Do Corpo

13h55 14h00 14h30 15h00 15h30 18h00 19h00 19h30 20h00 21h00 22h00 23h35 0h35 1h35 3h15 3h45 4h45

Sintonia AsCrônicas deNárnia A FamíliaAddams Melhor com Você ManhãCriança ProgramaAlessandra Scatena Pica-Pau A Pantera Cor-de-Rosa Plásticanatural Lois& Clark - As Novas Aventuras do Super Homem A Pantera Cor-de-Rosa A Feiticeira Jeannieé um Gênio Infomercial A Tarde é Show Sintonia RedeBrasil Notícia Agente86 Miami Vice SuperSéries: MacGyver CineRede Brasil Adrenalina GaleriaVip Missão Impossível Sucessos noCinema – Os Chefões ProgBeto Ferreira Jacques Costeau A Feiticeira

TV PAGA AN. PLANET 12h00 OMelhor da América do Sul 13h00 Kandula:Nascido em Cativeiro 14h00 AnimalPlanet ao Extremo: Supercães 15h00 Superveterinários- Ep. 6 15h30 Outback:Resgate na Austrália 16h00 AsTravessias de Corwin Especial - Ep.4 17h00 Kandula:Nascido em Cativeiro 18h00 OMelhor da América do Sul 19h00 Vida de Macaco 19h30 Vida de Macaco 20h00 AnimalPlanet ao Extremo Supercães 21h00 TerritórioSelvagem - Ep. 2 22h00 África Revelada - Ep. 1

AXN 12h00 14h30 15h00 16h00 17h00 18h00 19h00 20h00 21h00 22h00

A Identidade Bourne AXN FLIX C.S.I.NY LaweOrder:CriminalIntent LaweOrder:CriminalIntent C.S.I. Lost In Plain Sight TheDead Zone Nem Tudoé oQue Parece

BANDSPORTS 8h30 VôleiFeminino:Liga dos Campeões da Europa. Pesaro x Bergamo 10h30 Beting & Beting. (av) 11h15 Futebol: Copa da França. Lille x Lyon 13h00 BandsportsNews 1ª Edição. (av) 14h00 PorDentro da Bola. (av) 16h30 Futebol: Campeonato Alemão. Schalke 04 x Colonia. (av) 18h30 BandsportsAdventure 19h30 BandsportsNews 2ª Edição. Ao vivo 20h00 Basquete Masculino: Liga Espanhola. Valencia x Unicaja 22h30 Automobilismo: Fórmula Truck 23h00 BandsportsNews 3ª Edição. Ao vivo 0h00 PokerAfter Dark

CARTOON 12h00 AsTerríveis Aventuras de Billy e Mandy 12h30 Ben10 13h00 Johnny Test 13h30 Bakugan 14h00 AsMeninas Superpodero sas Geração Z 14h30 ONovo Pica-Pau 15h00 AsTerríveis Aventuras de Billy e Mandy 18h00 OEspetacular Homem Aranha 18h15 Thumb Wrestling Federation: TWF 18h30 Os Sábados Secretos 19h00 Star Wars: Clone Wars 19h30 Star Wars: Clone Wars 20h00 Cinemania 23h00 Star Wars: Clone Wars 23h30 Star Wars: Clone Wars 0h00 Ben10 0h30 Johnny Test

C.BRASIL 12h00Filme - Outra Cidade, Uma 13h00 Pianistas Brasileiras Antonietta Rudge - O Êxtase em Movimento 14h00 ClipeBrasil 15h00 Encontro Marcado - Almir Chediak 15h30 Curtana Tela - A Plenos Pulmões 15h44 Curtana Tela - Árvorecasca, A 16h00 Zoombido- Moska e Léo Jaime 16h30 Filme- O Velho, A História de Luiz Carlos Prestes 18h30 Olharda História Etnografia da Amizade 20h00 Terceiro Sinal - Tána Rua 20h30 CurtanaTela-HoradoGalo, A 20h46 Curtana Tela -Nada Consta 21h00 Curtana Tela - Morango com Limão 21h16 Curtana Tela - Quando Jorge Foi à Guerra 21h30 OSom do Vinil - Galos de Briga - João Bosco 22h00 Sessão Interativa Apresentação Simone Zuccolotto

CINEMAX 12h45 Férias Em Alto Astral 14h30 LoucademiaDe Polícia 7: Missão Moscou 16h00 OOriente... Próximo 17h45 A Mão Assassina 19h30 Novo No Pedaço 21h05 Especial"piaf - Um Hino Ao Amor" 21h30 TheHollywood Reporter 4 22h00 Efeito Borboleta 2 23h45 Nenhum Corpo É Perfeito

DISCOVERY 12h00 Mythbusters:OsCaçadores de Mitos 13h00 Comoé Possível? 13h30 OSegredo dasCoisas 14h00 ChinaSelvagem: Território do Panda 15h00 À Prova deTudo: Cardápio do Bear 16h00 À Prova deTudo: O Essencial 17h00 ÓvniNazista 18h00 Megaconstruções:Metrô de Nova Iorque

19h00 ChinaSelvagem: Além da Muralha 20h00 OMundo Futuro: A Vida Futura na Terra 21h00 GrandesDestruições - Ep. 11 21h30 GrandesDestruições - Ep. 12 22h00 Caçadoresde Tempestades 2008 - Ep. 2

DISNEY CHANNEL 12h00 Zack& Cody:Gêmeos em Ação 12h30 Art Attackda Disney 13h00 Art Attackda Disney 13h30 Os Padrinhos Mágicos 14h00 Art Attackda Disney 14h30 Hora do Recreio 15h00 AsAventuras de Brandy e Sr. Bigodes da Disney 15h30 Disney - Os Substitutos 16h00 George, o Rei da Floresta 16h30 A Nova Escola do Imperador da Disney 17h00 JakeLong da Disney, O Dragão Ocidental 17h30 Zapping Zone 18h00 Hannah Montana 18h30 Zack& Cody:Gêmeos a Bordo 19h00 Disney Os Feiticeiros de Waverly Place 19h30 Disney – Phineas e Ferb 20h00 CampRock (Rock Along) 22h00 HighSchool Musical (Sing Along)

ESPN BRASIL 9h00 9h30 10h00 12h00 14h00 16h00 16h30 18h30 20h00 21h00 21h30 22h00 23h00 0h00

Planeta Expn: Surfe 2009 PorDentro Do Vôlei PontapéInicial - (av) Bate-Bola:1ª Edição - (av) CopaDo Brasil (R) -VtFluminense /Rj x Nacional /PB PréviaDo Campeonato Inglês CampeonatoItaliano De Vôlei Masculino Montichiari x Trentino Bate-Bola:2ª Edição - (av) FutebolNo Mundo: Raio-X Do Futebol Interna cional PorDentro Do Vôlei PréviaDo Campeonato Inglês FutebolNo Mundo: Raio-X Do Futebol Internacional Sportscenter -Ao Vivo PontapéInicial

EUROCHANNEL 11h00 13h00 15h00 16h00 16h30 18h00 20h00 20h30

VovôAmava Rita Hayworth OImperio do Tigre - Parte 1 Os Ultimos Fantasmas Eurocurtas EtienneDaho & Friends OQue e a vida? New MusicEurope ColecaoArtistas:Francisco Goya 21h00 Eurofestival 21h30 Eurocurtas 22h00 PequenosAssassinatosem Familia - Ep. 1

FILM & ART 12h00 OViolino e oTambor 14h00 Arts& Minds Episódio264 14h30 Lendas do Jazz - 12 Os Hammond B3 15h00 TheSessions Katie Melua 16h00 Art Star Episódio6 17h00 Assassinato noExpresso Oriente 19h00 OViolino e oTambor 21h00 Arts& Minds Episódio264 21h30 Lendas do Jazz - 12 Os Hammond B3 22h00 TheSessions Katie Melua 23h00 Art Star Episódio6

FOX 12h00 13h00 14h00 16h00 18h00 18h30 19h00 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00

Bones Lipstick Jungle Tudoem Família TudoPela Fama Os Simpsons Os Simpsons One Tree Hill Os Simpsons Os Simpsons Os Simpsons Os Simpsons Garfield2

GNT

12h00 EmCasacomJamieOliverVerduras de Inverno 12h30 TheAssociates -DeMuitos, Um 13h30 Alternativa:Saúde-Comida 14h00 Superbonita- Beleza Brasileira - Especial Verão 14h30 GNT Fashion - Ronaldo Fraga, Marc Jacobs, calça jeans 15h00 Nigella Express Maravilhas do meio da semana 15h30 ModaExplícita - Prog.4 16h00 TheOprah Winfrey Show 17h00 Mulheres no CinemaAcordo e Traição 19h00 Quero Ser Sexyde novo Programa 6 19h30 Superbonita- Forma e Prazer 20h00 TheOprah Winfrey Show 21h00 Cozinhar é Simples, com G. Garvin - Lanches Para um Dia de Jogo 21h30 À Procura da Perfeição Programa 2 22h00 Superbonita 22h30 Naked Fashion 23h00 Fashion TV 23h30 Dilemas de Irene - Roupas: Socorro, não tenho roupa!

HBO 12h45 LarryTheCableGuy:Health Inspector 14h20 EuSouALenda:PorTrásDa História 14h35 Efeito Dominó 16h10 Em Nome Do Rei 18h30 A Liga Em Ação 19h05 Os Invasores Da Cidade Perdida 21h00 Em Terapia 21h30 A Hora Do Rush 3 23h15 Sem Reservas

JETIX 12h00 12h30 13h00 13h30 14h00 14h30 15h00 17h00 17h30 18h00 18h30 19h00 19h30 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00

Os Padrinhos Mágicos Os Padrinhos Mágicos Pucca Pucca Os Padrinhos Mágicos Os Padrinhos Mágicos Os Três Mosqueteiros MinhaFamília Mágica Yin Yang Yo Os Padrinhos Mágicos Pucca Os Padrinhos Mágicos Dinossauro Rei Combo Niños Yin Yang Yo Pucca Os Padrinhos Mágicos Pucca

MAX PRIME 11h30 13h15 14h45 16h30 18h25 20h15 20h30 22h15

RelíquiaEsquecida OCavaleiro De Gotham OTerrível Segredo Pumpkinhead 4 - Maldição Sangrenta OGrande Golpe MakingOf Chicas Guapas Max Prime Máscara Negra2 Sultões Do Sul

MGM 10h30 Clean Slate 12h35 Uma festa no ar 14h25 Uma Famíliaem Pé de Guerra 16h25 Hipnosedo Amor 18h10 Medo de Escuro 19h55 ORelógio dePandora 22h00 Uma Turma do Barulho

MULTISHOW 12h15 12h30 13h00 13h30 14h00 14h30 15h00 16h00 16h30 17h00 17h30 18h00 18h30 18h55 19h00 20h55 21h15

News Sound TheHills Tribos Cilada Reclame BigBrother Brasil 9 - A Eliminação PorTrás da Fama Bastidores Conexões Urbanas BigBrother Brasil 9 Horário Alternativo Básico Cybernet ClipeZero Km TVZ As5 Melhores do Dia VaiPra Onde?

21h45 22h15 22h45 23h15

PorTrás da Fama Profiles BigBrother Brasil 9 - (av) Pensa Nisso

NAT. GEOGRAPHIC 12h00 12h30 13h00 13h30 14h00 15h00 16h00 17h00 18h00 18h30 19h00 20h00 21h00 22h00 23h00

Loucuras da Ciência Loucuras da Ciência Amantesda Culinária Amantesda Culinária Exploradores: ZahiHawass Guardiõesda Natureza ObrasIncríveis No Coraçãoda Selva Explorandoo Mundo VocêSabia? Guepardos: Sobrevivência em Família SumôInfantil Rivais Rivais ObrasIncríveis

PEOPLE + ARTS 12h00 13h00 15h00 15h30 16h00 17h00 17h30 18h00 19h00 20h00 21h00 21h30 22h00

Miami Ink - Ep.10 Lendas da Paixão Lendas da Paixão - Parte 2 Rumoao Estrelato: Nicolas Cage Testemunha Silenciosa DisqueEmergência - Ep. 13 DisqueEmergência: Não me Deixe AmericanChopper - Ep. 17 Vídeos Incríveis- Ep. 11 Extreme Makeover: Reconstrução Total: Família Pope DisqueEmergência - Ep. 14 DisqueEmergência - Ep. 10 Falcão Negro emPerigo

SONY 12h00 13h00 14h00 15h00 16h00 17h00 17h30 18h00 18h30 19h00 20h00 20h30 21h00 21h30 22h00

Grey'sAnatomy Desperate Housewives EliStone Ugly Betty Beverly Hills That'70s Show Scrubs Will e Grace EverybodyLoves Raymond Grey'sAnatomy TheGame EverybodyHates Chris 'TilDeath According to Jim OPequenino

SPORTV 9h30 Redação Sportv(av) 14h00 Arena Sportv(av) 16h00 Zonade Impacto Mundial de Skate Vertical (av) 17h00 Superliga de Futsal Semifinal (av) 18h45 Superliga de Futsal Semifinal (av) 20h30 Sportvtá na Área (av) 21h00 Superliga Masculina Florianópolis x Cruzeiro (av) 23h00 Pisando na Bola (in.) 23h30 SportvNews (av)

TCM 12h00 Magnum 13h00 Dallas 14h00 TCM Afternoon 1-A Viúva Alegre 15h50 TCM Afternoon 2Pistoleiros do Entardecer 17h30 TCMAfternoon3-Limitede Segurança 19h30 Magnum 20h30 OAgente 86 21h00 Chaparral 22h00 TCM Special I - O Estranho Sem Nome 23h50 TCM Special II - Matar ou Morrer

TELECINE ACTION 12h20 14h05 16h15 18h15 20h10

Blowback- Anjo Da Morte Rocky Ii - A Revanche PrimeiraGrandeDescida,A Marcada Pelo Crime MassacreDaSerraElétrica, O 22h00 PerigoReal E Imediato

TELECINE CULT 11h55 14h00 16h00 17h45

Último Golpe, O Barquero Amor Invencível Seqüestro De Patty Hearst, O

19h40 2046 - Os Segredos Do Amor 22h00 Salve-me QuemPuder

TELECINE LIGHT 11h30 13h10 14h50 16h30 18h00

Verão Para Amar, Um Caminho Para El Dorado, O Férias De Mr. Bean, As Garfield- O Filme Turma Divertida, Uma: A Caminho De Casa 20h00 Em Defesa Do Amor 22h00 Com A Bola Toda 23h45 DiárioDe BridgetJones, O

TELECINE PIPOCA 12h05 Meu Último Desejo 13h55 OndeOs Fracos Não Têm Vez 16h10 Golpe Perfeito 18h00 MoçaComBrincoDePérola 19h55 Corridas Clandestinas 22h00 Amor Não Tira Férias, O

TELECINE PREMIUM 12h45 14h25 16h15 18h05 20h15 22h00 23h35

PesadelosDo Passado BailaComigo Número9 Anjo De Pedra,O ViagemA Darjeeling Awake - A Vida Por Um Fio Tropa De Elite

TNT 12h30 13h00 15h00 17h30 19h30 22h00 0h35

Hollywood One on One Um Maluco No Golfe A Lendado Golfe OEscorpião Rei Diáriode uma Paixão Diários de Motocicleta Dirty Dancing 2 - Noites de Havana

TV RÁ TIM BUM 12h00 12h30 13h05 13h35 13h50 14h00 14h30 14h35 15h00 15h05 15h10 15h20 15h25 15h30 16h00 16h30 17h00 17h35 17h50 17h55 18h00 18h15 18h20 18h45 18h50 19h20 19h25 19h30 20h20 20h55 21h00 21h15 21h30 22h00

Rá Tim Bum Castelo Rá Tim Bum IlhaRá Tim Bum Agoraé Sua Vez TchibumTv Dango Balango PasseioAnimal Glub Glub Esporte Clube Rá Tim Bum Os Reciclados Sua Língua De Onde Vem? Os Caça Livros Duplo Cocoricó Baúde Histórias VilaSésamo Rá Tim Bum AgoraÉ Sua Vez OQue eu Vou Ser Quando Crescer PasseioAnimal Cocoricó SomNaCaixaComODjCão Baúde Histórias Showdo Dj Cão Glub Glub Os Reciclados Pequenos Cientistas IlhaRá Tim Bum Castelo Rá Tim Bum Os Caça Livros Qualé Bicho? Cocoricó VilaSésamo FaixaEspecial - Fui Criança Também!: Pé Na Rua

UN. CHANNEL 12h30 13h00 14h00 16h00 18h00 18h30 19h00 20h00 21h00 22h00

MedicalDetectives LaweOrder2ªTemp.Ep.20 Ultravioleta Resident Evil - Hóspede Maldito MedicalDetectives MedicalDetectives Law e Order: SVU Heroes Heroes OHomem sem Sombra

WARNER 12h00 12h30 13h00 13h30 14h00 16h00 17h00 19h00 19h30 20h00 20h30 21h00 23h00

Two and a Half Men Twoand a Half Men Friends Friends CapitãoCorelli Smallville Mulher-Gato Twoand a Half Men Twoand a Half Men Friends Friends Velozese Furiosos BatmanBegins

filmes DIVULGAÇÃO

O spaghetti western de Gordon Douglas Luiz Carlos Merten

Um dos grandes diretores pouco valorizados de Hollywood – era considerado ‘artesão’ –, Gordon Douglas deixou sua marca emfilmes dediversos gêneros, em especial na ficção científica (O Mundo em Perigo) e no western (Rio Conchos e O Revólver de Um Desconhecido/ Chuka). Em 1970, ele fez sua últimaincursão pelobangue-bangue com Barquero!, às 14 horas no Telecine Cult. Os críticos caíram matando, porque Douglas teria incorporado a violência do spaghetti western. Não só a violência – o barqueiro que enfrenta bando selvagem numa cidadezinha da feronteira mexicana é Lee Van Cleef, que fez carreira na Itália. Hoje, é possível avaliar melhor o filme – e o diálogo que Douglas propõe entre Segio Leone e Sam Peckinpah, dois grandes (como ele) do gênero. ●

A Malandrinha 14h45 no SBT (Curly Sue). EUA, 1991. Direção de John Hughes, com James Belushi, Kelly Lynch, Alisan Porter, John Getz, Fred Dalton Thompson, Branscombe Richmond, Steven Carell. Malandro adota garotinha, que incorpora a seus golpes. Entra em cena uma advogada que vai colocar os dois na linha. Mistura de romance e comédia familiar do diretor Hughes, que Rubens Ewald Filho, em seu Dicionário de Cineastas, define como ‘Spielberg das comédias sobre jovens’. Além de filmes como Gatinhas e Gatões e O Clube dos 5, Hughes produziu a série Esqueceram de Mim. Seu cinema é de fórmula e a verdade é que a fórmula, aqui, não funciona. Reprise, colorido, 101 min.

Volcano: A Fúria 15h55 na Globo (Volcano). EUA, 1997. Direção de Mick Jackson, com Tommy Lee Jones, Anne Heche, Don Cheadle, Gaby Hoffmann, Keith David, John Corbett. Tommy Lee Jones faz o xerife que se une à cientista Anne Heche para garantir a ordem – e impedir uma tragédia maior – quando vulcão subterrâneo inicia uma erupção em Los Angeles. Não de todo ruim, como disaster movie. Ao contrário

Richard Gale, com Kerr Smith, Lochlyn Munro, Angela Featherstone. Embora o título brasileiro seja o mesmo do thriller com Jason Statham, de 2006, a história aqui não tem nada a ver (e o outro filme é melhor). Amigos que voltam para casa, de carro, após participar de uma convenção médica, param num bar de beira de estrada. Atraídos para um cilada por garçonete amante de policial corrupto, a dupla vira alvo de uma caçada humana que envolve o FBI e a mídia. Kerr Smith, que faz o protagonista, é também protagonista da nova versão, em 3D, de O Dia dos Namorados Macabro. Inédito, colorido, 86 min.

Refém do Silêncio FERRARA – Diretor de Os Chefões

das produções do gênero que, nos anos 70, uma época de crise institucional – Guerra do Vietnã, escândalo de Watergate, etc. –, celebravam as forças de repressão como mantenedoras da organização social, os novos filmes do gênero celebram mais a tecnologia, na prevenção (e superação) dos problemas. Reprise, colorido, 102 min.

Adrenalina 22 h na Rede Brasil (Pressure). EUA, 2001. Direção de

23h10 na Globo (Don’t Say a Word). EUA, 2001. Direção de Gary Fleder, com Michael Douglas, Sean Bean, Brittany Murphy, Skye Mccole Bartusiak, Guy Torry, Jennifer Esposito. Michael Douglas faz psiquiatra cuja filha foi sequestrada. Para tentar descobrir onde está a garota, e com quem, ele só dispõe de uma pista – outra garota, interna num instituto psiquiátrico, onde vive em mutismo absoluto. Agora, o herói tem menos de um dia para uma terapia de choque, resgatando a paciente de seu silêncio para poder agir. Embora seja cinema de fórmula, o thriller do diretor Fleder é bem

narrado e envolvente, estrelado por um Michael Douglas em plena forma. Reprise, colorido, 113 min.

Tempestade 23h15 no SBT (Hard Rain). Inglaterra/Nova Zelândia/Japão/França/Dinamarca/ EUA, 1997. Direção de Mikael Salomon, com Morgan Freeman, Christian Slater, Minnie Driver, Randy Quaid, Betty White, Edward Asner, Richard Dysart. Quadrilha tenta arrancar de policial o segredo de onde está o carroforte que o bando procura. Tudo ocorre no quadro de uma cidade em crise, que está sendo engolida pelas águas de uma represa inundada pela chuva (a ‘hard rain’ do título original). Elenco, cenários, tudo impressiona, mas no limite o filme é bem banal, por força de uma direção que não reinventa roteiro à base de clichês. Um aspecto curioso é a quantidade de países envolvida na produção – seis! Reprise, colorido, 106 min.

Os Chefões 1h35 na Rede Brasil (The Funeral). EUA, 1996. Direção de Abel Ferrara, com Christopher Walken, Chris Penn, Annabella Sciorra, Isabella Rossellini, Vincent Gallo, Benicio Del Toro, Gretchen Moll. Christopher Walken e Chris Penn

são chefões do crime, nos anos 30, que respondem com violência ao assassinato de seu irmão mais jovem, um ardoroso comunista que tombou vítima de suas convicções sociais e políticas. Um filme de gângsteres de fundo tão ostensivamente ideológico não é frequente na produção de Hollywood. Ponto a favor do diretor. Também vale observar que, embora tenha duas presenças femininas destacadas (Annabella Sciorra e Isabella Rossellini), Ferrara fez um filme de opressiva atmosfera masculina. A necessidade que os homens têm de secretar suas emoções para parecer ‘machos’ cria cenas intensas, que podem até chocar. Reprise, colorido, 96 min.

Intercine 3h15 na Globo A emissora exibe o preferido do público entre Jerry Maguire – A Grande Virada, de Jerry Maguire, com Tom Cruise, Cuba Gooding Jr. e Renée Zellweger, sobre agente esportivo que perde todos os clientes, menos um, e ganha ajuda de mãe solteira para sair do buraco em que sua vida se transformou; e Era Uma Vez no México, de Robert Rodriguez, com Antonio Banderas, Salma Hayek, Johnny Depp, Eva Mendes, Willem Dafoe e Mickey Rourke, sobre mercenário que caça narcotraficante cujo projeto é matar o presidente mexicano. ● L.C.M.

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 10 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

D10-BR/SP -

%HermesFileInfo:D-10:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

As mudanças de rumo sinalizam os detalhes que as conversas entusiastas não levaram em conta. Esta parte do caminho não é a mais agradável de todas, porém é muito importante, porque faz os ajustes necessários à realização.

Suas razões não são tão válidas como em outros tempos, porque tudo mudou, as pessoas com quem você se relaciona mudaram e, também, sua própria alma não é mais aquela, de outros tempos. Aproveite, complete sua renovação agora.

GÊMEOS 21-5 a 20-6

Você achava que ia ser moleza coordenar as pessoas para todas agirem em conjunto, mas agora já deu para perceber que não é assim. Contudo, as perspectivas tumultuadas são o bom sinal de que tudo corre de acordo com os planos.

VIRGEM 23-8 a 22-9

Bons relacionamentos são perdidos a todo momento por causa de diferenças ligadas a assuntos materiais. Para você, um panorama desses não aconteceria pela primeira vez, mas pelo menos esta poderia ser a última, não lhe parece?

Sudoku Para jogar: preencha com números de 1 a 9 os quadrados pequenos, as linhas verticais e horizontais. Não repita números.

Nível Difícil

3

6 1

8

AQUÁRIO 21-1 a 19-2

Seduzir é, de muitas formas, mentir também. Seduzir é mentir porque como há segundas e terceiras intenções, todas as palavras e razões se dirigem a elas, não se reduzindo apenas aos elogios ou à beleza dos gestos.

1 7 8 6

5 6 5

PEIXES 20-2 a 20-3

2

3 4 2

As inúmeras oportunidades que foram deixadas para trás, ao longo do caminho, reaparecem com força total. O problema, a partir de agora, não será a falta do que fazer, mas o que fazer, dentre tantas oportunidades disponíveis.

9

5 1 8

8 9

Solução

As facilidades são gostosas, as dificuldades são estressantes. Evidentemente, ninguém prefere as dificuldades. Porém, na prática, a alma humana só consegue evoluir e melhorar através da boa administração das dificuldades.

CAPRICÓRNIO 22-12 a 20-1

Reconsidere tudo, é necessário revitalizar os ideais que guiaram seus passos até aqui e agora. Pode ser que este momento de reconsideração não tenha estado em seus planos, mas é importante conceder um bom tempo a ele.

5 3 4 8 1 2 9 7 6

LEÃO 22-7 a 22-8

TOURO 21-4 a 20-5

SAGITÁRIO 22-11 a 21-12

Quando você se decepcionar com os resultados materiais, ou quando a perspectiva desses começarem a diminuir, supere o mais rapidamente possível o enfado que isso causar, percebendo que assim você valorizará tudo com mais tino.

cado nos Estados Unidos Junot Díaz cancelou sua vinda para a Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip. Segundo sua agente, Nicole Aragi, ele está com a agenda lotada desde o recebimento do Pulitzer, no ano passado, pela obra A Vida Breve e Bizarra de Oscar Wao, que a editora Record lança em maio. Díaz desmarcou também compromissos programados para a Polônia e na Palestina, neste ano. Continuam confirmados para a Festa o português António Lobo Antunes, o britânico Simon Schama, o mexicano CarlosFuenteseairlandesaAnne Enright. A Flip ocorre entre 1º e 5 de julho, em Paraty.

6000300

Rever os planos é importante, mesmo que seja para afirmá-los. Rever os planos é o tema da atualidade, especialmente de hoje. Por isso, aceite com naturalidade os eventuais contratempos que obriguem você a rever seus planos.

●●● Oescritor dominicanoradi-

9 6 1 7 4 3 2 5 8

CÂNCER 21-6 a 21-7

Todas as dificuldades que aparecerem serão resultado direto da falta de um ideal maior, ou da fraca vontade de assumir que esse ideal seja mesmo maior do que meramente ganhar mais dinheiro. Dinheiro é bom, ideal é maior e melhor.

8 2 7 6 5 9 3 1 4

ÁRIES 21-3 a 20-4

Morreram ontem o diretor italiano Salvatore Samperi e o roteiristanorte-americanoHorton Foote. Samperi, de 64 anos, ficou famoso por filmes como Obrigado, Tia e Malícia, em 1967 e 73, nos quais forneceu papéis de grande voltagem erótica a Lisa Gastoni e Laura Antonelli. Horton Foote, de 92 anos, ganhouduasvezesoOscarderoteiro, a primeira pela adaptação de To Kill a Mockingbird, romance de Harper Lee, que virou O Sol É para Todos, de Robert Mulligan, e a segunda, por A Força doCarinho, de Bruce Beresford. Segundo o The New York Times, ele era “a grande voz americana. Falava de sua região, mas era também universal”. EFE

●●●

ESCORPIÃO 23-10 a 21-11

6 4 5 2 3 1 8 9 7

Data estelar: Vênus começa a retrogradar, Marte e Netuno estão em conjunção; a Lua cresce no signo de Câncer. Enquanto isso, aqui na Terra é importante que nossa humanidade reconheça sua ignorância e as terríveis consequências de fingir que está no controle de tudo que acontece, porém ainda mais importante é reconhecer que o caminho da superação é praticável, muito mais simples do que parece, mas que requer uma dose enorme de boa vontade, de firmeza e de persistência na correção. Superar o magnetismo que nos atrai para dentro do fingimento é o desafio, mudando o polo de atração para outro mundo, além deste que nos confina num aspecto bem menor do que merecemos. Fazer o melhor que pudermos com nossa básica ignorância é a atitude da boa vontade, já que, assim, deixaríamos de cobrar de nossos semelhantes o que nem sequer nós mesmos poderíamos realizar.

JunotDíaz cancelasua vindaàFlip

7 1 9 5 6 8 4 3 2

Reconhecimentobásico

Samperie HortonFoote saemdecena

2 8 3 4 9 7 1 6 5

Astral

LITERATURA

3 5 6 9 2 4 7 8 1

E-MAIL: astro@o-quiroga.com

MEMÓRIA

1 7 2 3 8 6 5 4 9

QUIROGA

O que antes parecia lógico e perfeito, a partir de agora não o parecerá mais e tudo terá de ser reconsiderado. Isso provocará algumas demoras inesperadas, mas encare-as com flexibilidade e boa vontade, porque vêm por bem.

Notas & Breves

LIBRA 23-9 a 22-10

4 9 8 1 7 5 6 2 3

D10 CADERNO 2

9

3 5

4

Aos domingos, as seções Quiroga, Humor, Sudoku e Palavras Cruzadas são publicadas no caderno ‘TV & Lazer’

HUMOR

PALAVRAS CRUZADAS

Frank & Ernest Bob Thaves

SOLUÇÃO ANTERIOR B T

I C

Minduim Charles M. Schulz Z C

A R R E M E S S O D E P E S O

A B A D I A C I N E S U M

R E V S I F R A U R I S E E B A I G O C I L O D O E G P I S C D R O B U S

M L I A D O M B B C I O O A C G C A O R T H V I Ç O S D E A L D I I A D O R R O I A A N D V R O A N N E S P E L U T I V E L

O melhor de Calvin Bill Watterson

Recruta Zero Mort Walker

© Revistas COQUETEL — www.coquetel.com.br

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS Arte de Machado de Assis e Jorge Amado

Furiosa; irada (?) da Raposa, a concentração do E. C. Cruzeiro (fut.)

Agitar; fazer tremer

Compõe o júri (?) Tornado, ator

Forma melódica hindu

(?) de fuzilamento, local de execução de prisioneiros Ponto turístico de Salvador

Contribuir; concorrer Revolta irrompida no Pará em 1835 Modalidade oposta ao "crawl" Taxa de (?), item de Censo Atitude exigida a parlamentares Claude (?), pintor francês

Conto, em inglês Vinho de uso medicinal

Loja que avia receitas oftálmicas

Cartel do petróleo (sigla)

Ave mitológica Mal-(?): incômodo Ampère (símbolo) Maga; feiticeira

Betume natural Apenas Veículo aéreo usado em resgates

Émile (?), escritor francês

Símbolo do anseio de voar (Mit.)

Entidade mantida pela CNI (sigla)

Peixe de patês Capital européia onde morreu Cervantes

A base do iogurte

A

Altar-(?), mesa do santuário da igreja

Turma da Mônica Mauricio de Sousa

U

Chuva, em inglês

Cortar (árvore)

Radiano (símbolo)

V 64 Tina Turner, cantora Comum; vulgar A 19ª letra grega Expressão da emotividade humana 3/tau. 4/enol — raga — rain — tale — zola. 5/monet. 9/cabanagem.

BANCO

T

"(?) César!", saudação romana

Antigo Testamento (abrev.)

M

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: CADERNO_2 - BR - 12 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

D12-BR/SP -

%HermesFileInfo:D-12:20090306:

D12 CADERNO 2

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

Milton hatoum

q

q

q

q

q

q

q

segunda-feira MATTHEW SHIRTS

terça-feira ARNALDO JABOR

quarta-feira ROBERTO DAMATTA

quinta-feira LUIS FERNANDO VERISSIMO

sexta-feira MILTON HATOUM

sábado MARCELO RUBENS PAIVA

domingo VERISSIMO

LÚCIA GUIMARÃES

IGNÁCIO DE LOYOLA BRANDÃO

ADRIANA FALCÃO

JOÃO UBALDO RIBEIRO DANIEL PIZA

Quandonosconhecemos, elenãoviviaassim... CIDO GONÇALVES

Agora dizem que ele comprou um apartamento em Miami e viaja para lá três vezes por ano, mas quando nos conhecemos, ele não vivia assim. Lembro que aos domingos passeávamos no Jardim da Luz, ele gostava de ver os passarinhos empoeirados, imitava os pássaros que nem uma criança, ele queria voar mais alto que as aves, mas ainda não tinha asas. Depois nós caminhávamos até a antiga rodoviária. Ele admirava a cobertura da estação, aquele céu artificial com gomos de plástico coloridos, o céu que abrigava pessoastristesepobres.EleaindamechamavadeLinda, euoferecia a ele uma esfirra, um pastel de carne, meu ex-namorado não tinha onde cair morto. Um biscateiro bonito, isso ele era. Aí fez um teste para ator de TV e se saiu bem. Bem? O que digo? Ele se saiu maravilhosamente bem. Ele e minha melhor amiga, que agora é atriz, ou se diz atriz. Hoje, os dois atores ganham uma fortuna, e eu continuo em sala de aula, lecionando matemáticaajovensquenãosa-

bem calcular a raiz quadrada de 16, não sabem sequer somar a idade dos pais. Muitos não têmpainemmãe,ounemconheceram os pais. Ninguém sabe matemática, mas todos querem ganhar dinheiro. E o que faz a fama? Meu ex-namorado trocou nosso amor pela tela de TV e ficou mais famoso que um político; ele, que nunca foi de rir, agora dá risada por qualquer coisa, qualquer besteira, comoseomundofosseumagargalhada sem-fim. Ele não me chama mais de Linda, e sim de Lindalvina, meu nome. Ele quis queeuconhecesseoapartamento que comprou na Casa Verde. Foi minha única visita, ele mal conversou comigo, só falava nos tapetes, na decoração, na banheira,nastorneirasque imitam cisnes dourados. Você precisava ver o apartamento: todo atapetado, a sala entupida de móveis laqueados, com figuras deelefantesemacacoseserpentes,horríveispromeugosto.Cada foto do galã deve valer uma fortuna, nem assim ele me ajuda, porque agora vive em outro

mundo. Agora sou uma amiga distante e não o vejo mais. Ou não sou mais nada e só tenho notícias dele quando encontro amigos que me dizem: Ele está em Palm Beach. Ou: Ele apare-

ceu na capa de tal revista, vai fazer o papel de bandido ou de garanhãoemtalnovelaouseriado. Mas esse ator, o bandido ou garanhãoquebrilhanatela,morou comigo nos fundos de uma

casaem Diadema, um quarto-esala onde as baratas nos visitavam e eu, não ele, as matava. Você deve pensar que tudo isso é ressentimento de mulher abandonada. Pode ser. Mas só assimconsigorecordaressahistória, porque nem todas as lembranças são boas. Se ele ler sua crônica, vai se reconhecer. Não é preciso citar o nome dele. O meunome,sim.Paraqueelesaiba que o galã de hoje foi o vendedordesonhosnaPraçadaRepública, ou na Sé, onde ele distribuía um panfleto horroroso sobre o futuro de cada pessoa que enganava: O teu destino é cheio de alegrias admiráveis, mas nem tudo que reluz é ouro... Para que ele saiba que no nosso quarto ele pendurava a foto da mãe dele quando fazíamos amor; e que ele se julgava um artista de cinema antes de ser o péssimo ator de dramalhões vulgares. Quando eu o conheci, ele me escrevia cartas de amor, cartas mal escritas, o que não é demérito no nosso pobre país; então eu o estimulei a ler bons livros, porque ele só lia livros

que falavam de sonhos grandiosos, receitas para se dar bem, conselhos para se tornar um líder; lia também biografias de cães e gatos famosos. Eu dei a ele livros de crônicas de Rubem Braga e Lima Barreto, e ele ficou deslumbrado; depois dei uma novela de Tolstoi e umaantologia de contos de Machado, que eleadorou. Demoravaumasemanaparaler umconto, uma crônica, mas lia. Às vezes lia em voz alta, em pé no nosso quarto; lia devagar, quase soletrando, mas que voz! Depois decorava frases e parágrafos inteiros, uma memória de gravador. E por um momento pensei que ele ia se salvar da banalidade deste mundo em que vivemos, mas foi engolido ou seduzido pela fama e ambição. Se ele se lembra de tudo isso? Acho que sim. Por via das dúvidas, escreva na sua crônicaque ele foium péssimo amante nas nossas primeiras noites; escreva também que fui eu que lhe ensinei a amar. Ele nunca vai se esquecer disso, porque era o que mais o atormentava. ●

Música Shows: FOTOS DIVULGAÇÃO

Dose tripla de bom rock instrumental

1.

Primeiro disco de Campos e Traldi preza pelo mix do erudito com o popular

Pata de Elefante, Gasolines e Macaco Bong se apresentam hoje em São Paulo

GERARDO LAZZARI/DIVULGAÇÃO

Livia Deodato

2.

Lauro Lisboa Garcia

Seja em (mau) português ou em (pior) inglês, o ponto mais fraco das bandas de rock brasileiro dosanos 90para cá são as letras. SemumCazuza,umRenatoRusso ou um Antonio Cícero equivalentes, essa geração que pouco ounada lê (livros,obviamente,lixovirtualnãoconta),consequentemente, não raciocina e não temoquedizer.Aindigênciapoética não é exclusiva de um gênero musical específico, mas no caso do rock uma boa alternativa (não a solução) tem sido o rock instrumental, que já se configuracomofortetendênciadestadécada,paralelamenteaofolkderivativo. Vai daí que três bandas que se apresentam hoje na cidade – a porto-alegrense Pata de Elefante, a cuiabana Macaco Bong e a paulistana Gasolines – são exemplares de como se expressar com inteligência, garra e bom humor, sem palavras. E uma cena nacional vem se configurando, com bandas instrumentais bacanas, além das três em questão, como Retrofoguetes (Bahia), Hurtmold, Chimpanzé Club Trio e The Dead Rocks (São Paulo), Burro Morto (Paraíba), Fóssil (Ceará), La Pupuña (Pará), cada uma no seu estilo. Guitarra, baixoebateriasãoosinstrumentos básicos que a maioria dessas bandas independentes tem à mão,paramostraressaforçaexpressiva com boa música. Oselaborados álbuns daPata, do Macaco e do Gasolines lançadosem2008sãoabasedosshows dehoje.UmOlhonoFósforo,Outro na Fagulha (da Pata) e Artista Igual Pedreiro (do Macaco) saíram pela Monstro Records; Pura Veneta (Gasolines), pela Baratos Afins. No caso do Macaco, que também é convidada da Pata no domingo, no Itaú Cultural, a gui-

tarra é a voz da banda. “Então, tem muita melodia”, diz o baixista Ney Hugo, que forma o trio comBrunoKaypy(guitarraeviolão)eYnaiãBenthroldo(bateria). “Muitas das melodias que Bruno compõeéemcimadereferências de instrumentos de sopro, como osaxdeCharlieParker”,observa Ney. Apesar das faixas longas, o que livra a banda de certas convenções da música instrumental é o fato de evitar “aquelas passagens longas de virtuosismo”. “A pegada é mesmo do rock, tocandobastantepesado,comaguitarra muito na frente.” Formada por Gustavo Telles (bateria), Gabriel Guedes e Daniel Mossmann (guitarras, baixos e violões), a Pata de Elefante é se destaca na cena do rock instrumental. Com o ótimo segundo CD, melodioso, dançante, bem-humorado, a banda se firma como a mais cativante do gênero. “Nossas influências são de bandas de rock com vocal dos anos 60 e 70 e compositores de trilhas de filmes, como Ennio Morricone,Henry Mancini,mas principalmente de música pop”, diz Gustavo. “Com isso, a gente acaba fazendo ‘canções’ instrumentais, acessíveis às pessoas.” Gustavoacreditaque,emtorno da música instrumental – “por deixar a interpretação em aberto e propiciar ao ouvinte uma certa viagem mais livre” –, talvez esteja se formando um “movimento oportuno” para compensar“afalta dequalidade e criatividade quanto às letras”. Ale Kanashiro, guitarrista e compositordoGasolines,concorda com ele nesse ponto e no fato de que com ou sem letra, o que não dá para suportar é música malfeita. “Na real, o mais importanteéamelodia.Aletrapodeser atéruim,masseamúsicaforboa, as pessoas gostam, a comunicação é mais fácil, direta”, diz Ale.

Duo Paticumpá vai além das baquetas de ‘Jedi’

3.

1. Os gaúchos da Pata de Elefante 2. Os paulistanos do Gasolines 3. O Macaco Bong, de Cuiabá, que divide o palco com a Pata

A banda existe desde 1993 e seusintegrantes–FabioBarbosa (bateria), Juliano Camargo (baixo) e Ricardo Granata (percussãoe guitarra), além de Ale – têm outras atividades e tocam por diletantismo. A base de seu som é a surf music, mas surgem outras referências. O CD Pura Veneta tem também música tradicional turca(UskaDara),homenagema Bola Sete e uma adaptação de Tico-Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu. Ou seja, o que der na “veneta”, vem pra se divertir. ●

Serviço ● Pata de Elefante e Macaco Bong. Inferno Club (500 lug.). Rua Augusta, 501, tel. 3120-4140. Hoje, 23 h. R$ 10 (lista@infernoclub.com.br) e R$ 15 (porta). Itaú Cultual (247 lug.). Av. Paulista, 149, 2168-1777. Dom., 20 h. Grátis (ingressos distribuídos com meia hora de antecedência) ● Gasolines. Choperia do Sesc Pompeia (800 lug.). Rua Clélia, 93, 3871-7700. Hoje, 21 h. R$ 4 a R$ 16

O breu toma conta do Auditório Ibirapuera,doispares de baquetas surgem luminosas. Gritos na plateia, que antecedem uma sinfonia ritmada de percussão. O número apresentado há dois anosfez tantosucesso que oDuo Paticumpá,compostoporCesar Traldi e Cleber Campos, incluiu o vídeo desta apresentação no primeirodiscoquelançamneste fim de semana – e no mesmo localondeasbaquetasnoestilo‘Jedi’, de Star Wars, fizeram crianças e adultos aplaudirem de pé. Os músicos, que se conheceram no curso de bacharelado de percussão erudita da Unicamp, reuniramumasériedecomposições que vêm trabalhando desde aquele tempo para, agora, apresentá-las em uma única compilação. O álbum possui setefaixasinstrumentaisde,nomínimo, cinco minutos cada uma (alémdovídeo),comumasonoridade deliciosa, que faz uso de marimbas, trompete, saxofone, contrabaixo, violão e bateria, graçasaosconvidadosespeciais que, inclusive, participam dos shows de hoje e amanhã. Daniela Cervetto (percussão), Tibô Delor (contrabaixo), Rubinho Antunes (trompete), Vitor Mateus (violão), Danilo Penteado (contrabaixo) e Carolina Cervetto (saxofone) acompanham o duo formado em 2005 e que já levou sua inventiva música até para a Croácia e Eslovênia. “Convidamos todos eles a fim de incorporar os novos timbres e tessituras que iam surgindo da mescla dos instrumentos”, diz Cleber. Das oito composições do álbum de estreia, que leva o nome onomatopeico do duo, apenas duas foram ‘emprestadas’ de outros autores. Cantiga de Violeiro, de Luiz D’Anunciação, e A Message to a Friend, de Ney Rosauro, foram escolhidas por Cleber e Cesar por seu acento tipicamente brasileiro, o baião. “A nossa proposta, desde o iní-

COREOGRAFIA – Feita com as mãos

cio, é conciliar a música erudita com a de influência folclórica especialmente brasileira”, relata Cleber. Com a licença de adicionarem instrumentos que tornassem a composição ainda mais vívida – no caso da música de Ney Rosauro, por exemplo, originalmente composta para vibrafone ou sax e marimba, o duo somou trompete, contrabaixo e bateria. Nos shows deste fim de semana,ClebereCesaraindavãomostrar duas músicas que não foram incluídasnonovodisco:Afta-Stuba, de Mark Ford, e Musique de Tables, do belga Thierry de Mey, cuja composição foi pensada como uma coreografia de bailarinos, só que feita com as mãos. “Propõe um outro olhar sobre a percussão, pois além do som expõe o movimento realizado para a execução da música.” A única pessoa que até agora não gostou dessa história foi o passageiro do aviãoqueestava sentadonafrentedeCleber,emumaviagemàEspanha há pouco mais de um ano. Ele se irritou com a ‘coreografia’ que era ensaiada na mesinha. ● Serviço ● Auditório Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/n.º, portão 2, tel. 3629-1014. Hoje e amanhã, às 21 horas. R$ 30

Veja vídeo das baquetas luminosas em

http://www.estadao.com.br/e/d12

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP_B - 1 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

E1 -

%HermesFileInfo:E-1:20090306:

E

O ESTADO DE S. PAULO

SEXTA-FEIRA 6 DE MARÇO DE 2009

ESPORTES JAIME SALDARRIAGA/REUTERS

EVELSON DE FREITAS /AE

JARO MUÑOZ/EFE

Festa tricolor Borges marca e São Paulo vence a 1.ª na Libertadores

Nada de autógrafo Luxemburgo pede que atletas não idolatrem Ronaldo

Novo rumo Hamilton bateu ontem. Neste ano, F-1 terá novas regras

q PÁG. E2

q PÁG. E3

q PÁG. E4

CAMPEONATO PAULISTA

Ronaldo pede para ser titular Corintiano diz que definição cabe ao técnico, mas afirma que prefere sair jogando: ‘É complicado entrar no 2.º tempo’ DANIEL AUGUSTO JR/FOTO ARENA

ITUMBIARA

Ronaldogostoutantodos27 minutosemcampodiantedoItumbiara que até já planeja começar jogando o clássico diante do Palmeiras, domingo, em Presidente Prudente. Ontem, no Hotel Beira-Rio, em Itumbiara, o Fenômeno falou sobre seu retorno aos campos, de sua volta por cima na carreira, da balada da semana passada e, num discurso que mais parecia um apelo a Mano Menezes, lembrou dos grandes jogos da carreira. “Primeiro, a emoção de voltar foi inexplicável. Tive umano duro demais, com muitas incertezas, dificuldades, e consegui dar a volta por cima mais uma vez. Para mim já venci a batalha. Voltei a jogar e estou aí agora para reconquistar meu espaço”, começou. Depois, falou do jogo com o arquirrival. “Clássico é clássico em todo lugar do mundo. É o jogo mais excitante da temporada. Já disputei grandes jogos, Cruzeiro x Atlético-MG, PSV x Ajax, Barcelona x Real Madrid, Internazionale x Milan. Mas ontem (quarta-feira) estávamos pensando só no Itumbiara. De agoraemdiante,começamos apensarnoPalmeiras,namelhormaneira de vencê-lo”, disse. Com Ronaldo em campo desde o início? “Se depender de mim, sim, masnão depende. Estou à disposição do Mano e é ele quem vai decidir”, disse. “Mas é muito melhor começar jogando. A concentração é outra, o estímulo também, no mesmo ritmo dos outros. É complicado entrar no segundo tempo, com os jogadores a 100 por hora. No primeiro pique você fica abafado, a pernas incham rápido.” Em Itumbiara, Ronaldo se reencontrou com o pentacampeão Denilson. No clássico, veránovamenteozagueiroEdmilson e o goleiro Marcos. Ao defensor, fez até uma previsão. “O Edmilson é um grande amigo, um grande companheiro e vai ter dificuldades como eu vou ter”, previu, evitando fazer prognósticos para o jogo. “Sei que será uma festa muito grande para quem gosta de futebol.” Sobremarcargols, principalmente em um clássico, foi burocrático.“Falar demim é falarde gols. Vivo deles. E um clássico

O QUE ELE DISSE

Ronaldo atacante do Corinthians “Clássico é clássico em todo lugar do mundo, é o jogo mais excitante da temporada. Já disputei Cruzeiro x Atlético, PSV x Ajax, Barcelona x Real Madrid, Internazionale x Milan. Mas ontem (quarta-feira) estávamos pensando só no Itumbiara. De agora em diante, começamos a pensar no Palmeiras, na melhor maneira de vencê-lo” “Se depender de mim, começo o jogo. Estou à disposição do Mano e é ele quem decide. Mas é muito melhor começar jogando. A concentração é outra, o estímulo também. É complicado entrar no segundo tempo, com os jogadores a 100 por hora.” “Lógico que não estaria 100%, sei que preciso emagrecer um pouquinho, mas vamos ver como. O porcentual de gordura já está baixo, talvez tenha de perder músculos” “Quero ser o jogador de antes, voltar a ser rápido, veloz, e arriscar driblar os zagueiros e a ganhar dele na velocidade” BOM HUMOR – Ronaldo brinca ao falar sobre estreia e admite que precisa emagrecer um pouco ainda: ‘Talvez eu tenha de perder músculos’

motiva muito, mas ainda temos treino hoje (ontem) amanhã (hoje) e há a escalação. E ainda temos o ano inteiro pela frente.” O Fenômeno admitiu o que todos viram: está fora de forma. “Lógico que não estaria 100%. Sei que preciso emagrecer um pouquinho, mas vamos ver como. O porcentual de gordura já está baixo, talvez tenha de perder músculos.” Mas garantiu aos críticos que não volta paraser apenasmais um.“Quero ser o jogador de antes, voltaraserrápido,veloz,earriscar driblar os zagueiros e ganhar deles na velocidade”, acredita,tambémcitandoposicionamento e tempo de bola. “Tudo eu vou recuperar, só preciso de um tempo. Estou feliz com a evolução. As últimas três semanas foram fantásticas”, festejou. ●

Mano Menezes e comissão técnica comemoram: ganharam um garçom FENÔMENO EM NÚMEROS

Marcel Rizzo ENVIADO ESPECIAL ITUMBIARA

27 minutos

A análise da comissão técnica sobre os primeiros passos de Ronaldo no retorno ao futebol depois de mais de um ano é a de que fez o que era esperado. Jogou 27 minutos, não exagerou nos piques, tentou alguns dribles, mas começou a mostrar o que deve ser o novo Ronaldo: um excelente garçom. “Para a primeira movimentação está bom.Esperávamosque elesaísse cansado, já que treinar contra um time de garotos é bem diferente. Ele driblou, passou,

de presença em campo

11 passes certos e uma assistência para Douglas

22 toques na bola deu contra o Itumbiara

0 chute a gol em sua partida de estreia

‘Agora, quero falar do que faço em campo’

correu.Emostrouquetemleituradiferenciadadasjogadas.Essapode sersua novacaracterística”, avaliou Mano Menezes. Se esteve longe de marcar gol, Ronaldo passou perto de dar uma assistência. Em um passe que deixou Douglas livre na pequena área, o camisa 10 acabou chutando para fora. Um pouco antes, Douglas havia evitado passar para Ronaldo, que ficaria na cara do gol. “Achei que dava para chutar”, sedefendeu.Esta poderiater sido sua única finalização, já que saiu de campo sem dar um chute a gol. Foram 11 passes, todos certos, e ao final da partida, Ro-

naldo ofegava bastante, acima do normal para um atleta. “Era claro queele ficariacansado,poisfoiseuprimeiro grande esforço em muito tempo. Ele tem que ir com calma, jogando cada vez mais. Em cinco, seis jogos, se mantiver a preparação física, conseguirá jogar uma partida inteira”, definiu o preparador Walmir Cruz. No planejamento da comissão, Ronaldo ainda continua no banco contra o Palmeiras. É bemprovável queentre porcercademeia hora,até mesmoporque o jogo terá patrocinador especial da rede de cartões Visa. Sua presença é pré-requisito. ●

TV Estadão: a estreia do Fenômeno Especiais: quiz e história do clássico

www.estadao.com.br/e/e1

POR MARCELO XIMENEZ/AE

Atacante admite erros fora, mas prefere ser lembrado por seus gols Ronaldo assumiu ontem que errouao irpara abalada emPresidentePrudente.Oatacantechegou à concentração às 5h30 da manhã, irritando o técnico Mano Menezes. O ato causou a demissão do diretor Antônio Carlos. “Nesse episódio, ataque a pedra primeiro quem nunca chegoutarde ou faltouaotrabalho. O resto é tudo bobagem. Já leveimeupuxãodeorelha,jápaguei pela minha indisciplina e acabou. Ponto final.” Pela indisciplina, Ronaldo levou multa de 10% do valor de seu salário – pouco mais de R$ 50 mil – e teve de se desculpar com Mano Menezes e com o elenco. Fez antes mesmo do jogo diante do Marília e ganhou voto de confiança de todos no grupo. “Agora, é seguir traba7 8 9 10 11 12

Mundo destaca a volta do astro

FOTOS: REPRODUÇÃO

ITUMBIARA

O retorno de Ronaldo ganhou ontem espaço nos principais jornais mundiais, site do Milan e também da Fifa. Jogadores também comentaram sua volta. Na Itália, a “Gazzetta Dello Sport” trouxe: “Ronaldo volta, mas ainda sem ser o Fenômeno.” O “Marca”, da Espanha, frisou a forma

●● ●

física. “Ronaldo estreia no Corinthians com alguns quilos a mais.” Ainda enfatiza uma frase do atacante. “Não paro por aqui.” O Milan desejou sorte ao jogador em seu site. Guti, do Real Madrid, falou que o futebol sentia falta de Ronaldo e a Fifa registrou o retorno do craque.” ●

lhando forte. E ver as pessoas falando dos meus jogos, dos meus gols, do que faço dentro de campo”, afirmou. Com 15 anos dedicados ao futebol europeu, Ronaldo apenas fez um apelo para queas coisas fossemmais organizadas no País. Ele ficou bastanteassustado,comofrisou, com tantos repórteres, fotógrafos e cinegrafistas correndo em sua direção no jogo em Itumbiara. “Minha vontade era de chorar. Quando vi aquele monte de gente correndo, quis virar para o outro lado e também sair correndo”, arrancou gargalhadas. Ronaldo prometeu que vai atender todos os jornalistas, mas pediu mais organização. “Essas coisas erradas daqui são todas vistas na Europa.” ●

Expectativa de casa cheia ●●● Palmeiras x Corinthians deve bater o recorde de público do Paulista (mais de 33 mil pagantes de São Paulo x Corinthians). Até ontem, 30 mil ingressos foram vendidos. A carga de 44.414 aumentou para 45.914. Os corintianos quase esgotaram os bilhetes no Parque São Jorge (foto).

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP_B - 2 - 06/03/09

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

E2 -

%HermesFileInfo:E-2:20090306:

E2 ESPORTES

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

FUTEBOL FERNANDO VERGARA/AP

São Paulo: boa vitória em Cali

Mário Sérgio: ‘De nada serviu a campanha’ Bruno Deiro Fábio Hecico

Equipe faz 3 a 1 no América e ganha pela 1.ª vez nesta Libertadores AMÉRICA DE CALI

1

Paraquemviajoupara aColômbia preocupado, o São Paulo teve uma boa surpresa: não encontrou dificuldades para conseguir sua primeira vitória na Taça Libertadores ao derrotar por3 a 1 ofracoAmérica de Cali. A decepcionante estreia na competição – empate por 1 a 1 diantedoIndependienteMedellín, no Morumbi – ficou para trás. Agora, o São Paulo é líder do Grupo 4, com quatro pontos. O uruguaio Defensor, próximo adversário são-paulino, tem o mesmo número de pontos, mas saldo de gols inferior. A anunciada pressão do América de Cali não deu as caras.Atéporquemalhaviacomeçado a partida e o placar já mostrava 1 a 0 para os visitantes – era o início da vitória tricolor que, em nenhum momento, foi ameaçada. Ainda assim, o time colombiano mostrou que tem uma linhaofensiva rápida– ao contrário de sua defesa. Lentos, os zagueirosViáfaraeTavimaperderam Washington de vista. E o camisa 9 fez dois gols idênticos: recebeu lançamentos de Jorge Wagner – para o primeiro gol, aos 2 minutos – e de Hernanes – para o segundo gol, aos 27 – para ganhar fácil dos defensores na corrida. Finalizou sozinho à frente do fraco goleiro Mesa. A repetição do lance no segundo gol do atacante são-paulino levou Viáfara à loucura: o zagueiro partiu para cima de Mesa.

SÃO PAULO

3

AMERIC A

Amanda Romanelli

Gols: Washington aos 2 e aos 27 minutos do primeiro tempo; Borges aos 4 e Cortes aos 39 minutos do segundo tempo. América de Cali: Mesa; Angulo, Viáfara, Tavima e Vélez; Arango, Valencia, Chara e Cortes; Ramos e Otálvaro (Parra). Técnico: Diego Umaña. São Paulo: Rogério Ceni; Renato Silva, André Dias e Miranda; Zé Luís, Jean, Hernanes, Jorge Wágner e Júnior César; Borges e Washington (Dagoberto). Técnico: Muricy Ramalho. Juiz: Héctor Baldassi (ARG). Cartão amarelo: Renato Silva, Zé Luís e Vélez. Renda: Não divulgada. Público: Não divulgado. Local: Estádio Pascual Guerrero, em Cali.

Ambos discutiram. Durante o primeiro tempo, o São Paulo sofreu poucas ameaças,especialmentenasbolasparadas, com destaque para os chutes do volante Valencia. Mas Rogério Ceni, que fez sua primeira partida na Libertadores de 2009, garantiu o 2 a 0 até o fim do primeiro tempo. Nasegundaetapa, um desesperado América tentava reagir. Mas levou um duro golpe: Mesa falhou e espalmou a bola para dentro da pequena área. Borges, bem posicionado, não perdoou e fez o 3º gol, aos 4. Tranquilos com o resultado, osbrasileiroscomeçaramacontrolar a posse de bola. No fim,os colombianos ainda conseguiramdescontar, com Cortes,aos 39. Sem ameaçar, entretanto, o retornodeumaliviadoSão Paulo para o Brasil. ●

NOITE DE OPORTUNISMO – Washington fez os dois primeiros gols da vitória do São Paulo, ontem, na Colômbia

rado uma espécie de patinho feio dos grandes do futebol paulista pela TV Globo? Marcelo Teixeira, presidente do clube e também da Comissão do Clube dos13quenegocia osdireitos televisivos das competições, não concorda. Ele explica por que a emissora não exibe os jogos do Santos na televisão aberta, optando por programá-los para o canal fechado e pay-per-view, por interesses comerciais. “Segundo a Globo, o Santos é um excelente produto, porque tem a maior parte de sua torcida em uma faixa economicamente ativa. Prova disso é que anteriormente éramos os campeões de vendas no pay-perview.Atentaaomercado,adireção da Globo optou por colocar mais nossos jogos na Sportv para aumentar a venda de assinaturas de canal fechado, uma vez que a emissora não mais atua sozinha neste setor, tendo concorrentes muito fortes. E ter o Santos como um produto nesse ramo de atividade era um plus a mais para aumentar o número

Preterido na Globo, Santos vira o rei da tevê fechada Teixeira diz que time dá boa audiência e atrai assinantes MAURICIO DE SOUZA/AE-3/3/2009

Sanches Filho ESPECIAL PARA O ESTADO SANTOS

O torcedor santista se queixa de que os jogos de seu time no Campeonato Paulista, na Copa do Brasil e no Brasileiro quase nunca são mostrados em canal aberto pela Globo. Das suas 19 partidasdaprimeirafasedo Estadual – 10 na Vila Belmiro e 9 fora –, 12 serão exibidas pela Sportv e apenas quatro pela televisão aberta, sendo que dessas, três em clássicos contra Palmeiras, São Paulo e Corinthians – o outro será contra o Barueri.OSantosseriaconside-

EXPECTATIVA– Neymar tem boa chance de estrear no time titular amanhã

EXPLICAÇÕES

Marcelo Teixeira presidente do Santos “Segundo a Globo, o Santos é um excelente produto, porque tem a maior parte de sua torcida em uma faixa economicamente ativa. Atenta ao mercado, a direção da Globo optou por colocar mais nossos jogos na Sportv para aumentar a venda de assinaturas de canal fechado”

de assinantes”, argumentou Teixeira. O dirigente alega que não se trata de relegar o Santos a um plano inferior, mas sim uma estratégia da Globo, que pôs o clube como campeão de transmissões no canal fechado (Sportv) em 2008. A emissora confirmou as declarações de Teixeira. Ontem o atacante Neymar, de 17 anos, treinou entre os titulares no segundo tempo e, amanhã, pode ser a supresa contra o Oeste. ●

A diretoria da Portuguesa mostrou mais uma vez ontem falta dejogodecintura. Depoisdedemitir Estevam Soares após um único jogo no Campeonato Paulista, agora bateu cabeça para informar que Mário Sérgio não fazia mais parte dos planos. Os dirigentes não tiveram coragem de encarar o treinador e de iraovestiário após a eliminação na Copa do Brasil, no Canindé. Sobrou para o supervisor Albino Henrique ligar, ontem, para seu agente, Bruno Paiva, e comunicar a saída. “Qualquertécnicocomnúmeros como eu num clube, seria ovacionado. Foram cinco vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas (na primeira, o treinador tinha acabado de assumir o clube). Mas no meu caso, a campanha de nada serviu”, lamentou o técnico. Os dirigentes gostariam que Mário Sérgio pedisse demissão paraevitaropagamentodamulta. Não conseguiram e terão de arcar com os salários do treinador até dezembro. Na terça-feira,háumareuniãoagendadaentre os dirigentes e o advogado do técnico, Marcelo Robalinho. “Não tinha a menor possibilidadedeeupedirdemissão”,garantiuMário Sérgioao Estado, ainda na hora do almoço, em sua casa, em São Roque, quando ainda aguardava um comunicado oficial. “Vi pelos jornais e sitesqueestoudemitido,mas ninguém me comunicou. Não me considero fora e amanhã (hoje) estarei normalmente no clube”, chegou a dizer. O ex-comandante luso negou atrito entre ele e os jogadores. Assumiu, apenas, o problema comomeiaFellypeGabriel, provável pivô de sua queda. “Ele me procurou e pediu para não fazer mais parte do grupo. Eu acatei. Mas entre mim e os outrosjogadores, tudoestava normal”, disse. Após a demissão, o meia foi reintegrado e ontem voltou a treinar no Canindé. Demitido, Mário Sérgio não abrirá mão de cláusulas do contrato. “Vou sair normalmente, sem criar atrito com ninguém, mas a Portuguesa terá de cumprircomsuasobrigações”,enfatizou, descartando fazer acordo e abrir mão da multa. “Tive algumas sondagens de clubes da Primeira Divisão e não saí, justamente para não pagá-la.” O preparador físico Flávio Trevisanassume, interinamente, o comando da Portuguesa. RODADA DO PAULISTA

O São Caetano recebe o Ituano noABC, hoje,às20h30, na abertura da 12ª rodada, em duelo diretopela9ªposição.Com15pontos, o time de Itu tem 1 a mais que o Azulão, que caiu para o 10º lugar ao perder para o Botafogo no sábado por 2 a 1. ●

Boleiros

ANTERO GRECO

q

q

q

q

q

q

q

SEGUNDA-FEIRA

TERÇA-FEIRA

QUARTA-FEIRA

QUINTA-FEIRA

SEXTA-FEIRA

SÁBADO

DOMINGO

PAULO CALÇADE

LUIZ ZANIN

DANIEL PIZA

NANDO REIS

ANTERO GRECO

MARCOS CAETANO

UGO GIORGETTI

antero.greco@grupoestado.com.br

Agoraéavez doFenômeno “Vai, Gorducho!” O grito veio de apartamento qualquer, no prédio em que moro, no Sumaré, reduto de palestrinos. Provavelmente foi um corintiano que se empolgou ao ver, na beira do gramado de Itumbiara, Ronaldo pronto para entrar em campo e mandar para escanteio mais um ano e tanto de angústia. Talvez tenha sido só reação animada de quem curte futebol e celebrou o novo retorno do astro, mesmo com a camisa de um “inimigo”.

A origem do incentivo meio gaiatoé detalhe. Na noiteabafadade quarta-feira, vidradasnas imagens na televisão, o que milhõesdepessoasesperavam era a volta de um jogador que marcousua época –pelos golscertamente, e muito pelas batalhas travadascontracontusõessempreconsideradas definitivaspara o encerramento da carreira. A torcida era pelo Fenômeno, não pelo Corinthians, e isso ficou claro pra mim também no breve trajeto de casa para a

ESPN, onde há década e meia cometo comentários, me divirto todas as noites com as risadas do Paulo Amigão Soares e ainda recebo por isso. Dava para ouvir urros de alegria cada vezqueoRonaldopegavana bolaexingamentoscabeludoscontra Douglas e Boquita, que não o serviram em jogadas com chance de resultar em gol. Atéossegurançasdaemissoraestavamhipnotizadospelojogo, um olho na tela outro na portaria.Quer dizer,cativados pelo jogo não, mas pela presença do rapaz visivelmente encorpado, lento,semritmo,masquecarrega carisma indiscutível. O importante era acompanhar as investidas do Fenômeno pra cima dazagadoItumbiara.Seidepalmeirense que torceu pra que fi-

zesse gol. Talvez por solidariedade pelos períodos de incertezadoídolo,talvezporqueébonito ver em campo quem sabe jogar. Talvez porque se criou tanta expectativa em torno desse mais recente retorno que não dá para fugir do envolvimento. Mas Ronaldo jogou de fato? Sim e não. Entrar em campo foi uma vitória da persistência, da força de vontade, da medicina e disciplinas afins, da paciência. Nãofoi nenhumanovidadepara Ronaldo, que havia passado por situação semelhante em 2000 e em 2002, depois de fraturas, rupturasdeligamentosedeoperações no joelho. De qualquer forma, superou a apreensão que o acompanhou por muitas noites, em longas sessões de fisioterapia, no trabalho de recu-

peração. Por isso, dá para dizer sem vacilar que Ronaldo jogou. Jogoutambémcomesembola. Em três ou quatro lances, despontou o talento extraordinário, em passes sem grande pretensão, mas precisos. De

Ronaldo já entrou em campo. Com o tempo, reaparecerá também o craque quebra, mostrou senso de colocação ao ficar livre de marcação nos lances em que Boquita e Douglasforam fominhas. “Mais fominhas do que o Gordinho”, comentou o Andrezinho, câmera abusado e corintiano doente.

Só por esses lampejos já valeu a estreia – para ele, para o Corinthians. Ronaldo enfim estava em campo – eis o que interessa. Falta agora o Fenômeno – o fora-de-série que desequilibrou, que aterrorizou adversários mundo afora. Esse talvez demoreumpoucomaispararessurgir–vaidependerdasequênciadeapresentaçõesquesuportaredaconstânciaparaaprimorarofísico.Nãoesperoosarranques da época de Cruzeiro, PSV e Barcelona. Esses se foram com o tempo, com a idade, com as contusões. Mas Ronaldo meia-boca ainda é melhor do que muito jogador boca inteira. Não sou tiete dele, mas, comoamantedo futebol, façocoro com a voz que ecoou dentro da noite: “Vai, Gorducho!” ●

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - BR_C - 3 - 06/03/09

E3 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:E-3:20090306:

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S. PAULO

ESPORTES E3 ESPORTES E3

CAMPEONATO PAULISTA

ASTROS EM CAMPO

É proibido idolatrar Ronaldo

Bryant e Marta batem bola em LA HECTOR MATA/AP

Luxemburgo veta palmeirenses de fazer festa para o astro corintiano no clássico de domingo EVELSON DE FREITAS/AE

Daniel Akstein Batista

Ainda abalado pela derrota para o Colo Colo por 3 a 1, na terçafeira, o Palmeiras voltou ontem aos treinos com a missão de explicar os desastres na Taça Libertadores e, principalmente, falar sobre o adversário que vai encontrarpelafrentenodomingo, pelo Campeonato Paulista: o Corinthians de Ronaldo. Os palmeirenses fazem questão de deixar bem claro que vão enfrentar em Presidente Prudente o Corinthians, e não apenas o atacante. E Vanderlei Luxemburgo fez um pedido aos jogadores, principalmente àqueles que viam e torciam pelo Fenômeno em campo. “A idolatria tem de ficar de fora”, avisou. “Vai ser uma novidade para os jogadores que nunca jogaram com o Ronaldo. Mas ali dentro (de campo) é prato de comida. O Ronaldo quer comer e nossos zagueiros têm de entender que precisam comer o Ronaldo.” Oelencopalmeirensefezodever de casa na quarta-feira e assistiu à vitória corintiana sobre o Itumbiara no retorno do Ronaldo.“Fiqueicontentepelavolta dele”, admitiu Luxemburgo. “Ele estava meio fora de sintonia no banco, querendo chutar, entrar...”, disse o treinador. “É legal ele jogar contra a gente, mas o clássico não muda nada por sua presença.” Ozagueiro Edmílson,companheiro de Ronaldo na vitoriosa campanha da seleção brasileira no Mundial de 2002, também ficou feliz pelo amigo retomar a alegria no futebol. Só não sabe se vai marcar o amigo logo no primeiro tempo do jogo ou depois do intervalo. “Temos de estar preparados para as duas situações”, declarou o atleta, que

ESTRELAS – Unidos pelo soccer LOS ANGELES

Kobe Bryant nunca escondeu sua paixão pelo futebol – algo ainda raro entre os americanos. Por sua proximidade com o esporte, o ala-armador do Los AngelesLakersfoichamadopara apresentar a atacante Marta à torcida do Los Angeles Sol, equipeque abrasileiradefenderá na Liga Americana. Kobe e Marta bateram bola no Home Depot Center, estádio em que o Sol mandará suas partidas. ●

Omelhor na TV PREOCUPAÇÃO – Fabinho Capixaba, Edmílson e Danilo, zagueiros do Palmeiras, acreditam que terão trabalho contra Ronaldo

Marcos está fora do clássico O goleiro Marcos não se recuperou de uma lesão na coxa direita e está fora do clássico contra o Corinthians. Bruno segue como titular. Apesar da confiança no jovem goleiro, Vanderlei Luxemburgo preferia contar com o experiente arqueiro no jogo contra o Corinthians. “Todos veem o Marcos como campeão do mundo. O Marcos tem uma marca, assim como o Rogério Ceni. Não tenho

●● ●

críticas ao Bruno, mas quero que ele (Marcos) volte logo.” O pentacampeão mundial se machucou na partida contra o Guarani, semana passada, e não atuou contra o Colo Colo na terça-feira. Apesar de ter levado três gols, Bruno segue em alta com Luxemburgo. “Ele está aqui há tanto tempo, tudo é questão de oportunidade. Não acho que precise de outro goleiro experiente.” ● D.A.B.

nãoescondeofatodeoFenômeno ainda estar longe das melhores condições físicas. “O Ronaldoé umjogadorqueestavamuito tempo parado. Sabemos que demoraparaelevoltar, temdificuldades”, disse. “E a gente tem de se preocupar com o Corinthians, não só com o Ronaldo.” Em campo, o atacante corintiano pode ficar um pouco mais tranquilo. Não haverá marcaçãoespecialsobreele.“Não gosto de fazer isso. Mas, se ele jogar, com certeza haverá uma presença forte ali”, comentou Luxemburgo.

VOLTA POR CIMA

Avitória no clássicoseráfundamentalparamelhoraroastral do time, após a derrota na Libertadores. Edmílson confirma que o clima no Palestra não é dos melhores. “Estamos com a auto-estima bastante tocada, mas nãodesanimados. Foi um choque grande (o revés) e que sirva de lição para nós.” Luxemburgo também espera que os atletas dêem a volta por cima. “Toda essa pressão é ótima para mostrar o crescimento deles.” ●

● 7horas Copa Davis

SporTV2 ● 16h30 CampeonatoAlemão

Schalke04x Colonia- BandSports ● 17horas Superliga deFutsal

Semifinal- SporTV ● 20h30CampeonatoPaulista SãoCaetanoxItuano

Pay-per-view ● 20 horas Novo Basquete Brasil

Saldanhax Minas- SporTV2 ● 21horas Superliga Masculina

Florianópolisx Cruzeiro- SporTV ● 22horas Novo Basquete Brasil Cetaf– Vila VelhaxFlamengo

SporTV2

● 22horas Basquete NBA

BostonCelticsx ClevelandCavaliers

SporTV Obs. : Programaçãofornecidapelas TVs

PB

ESCALAPB

COR

ESCALACOR

Produto: ESTADO - SP_B - 4 - 06/03/09

E4 -

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:E-4:20090306:

E4 ESPORTES

SEXTA-FEIRA, 6 DE MARÇO DE 2009 O ESTADO DE S.PAULO

JogoRápido

FÓRMULA 1

Mudanças no Mundial: vencedor ganhará 12 pontos Essa será uma das alterações que devem entrar em vigor a partir do dia 29, na Austrália CRISTINA QUICLER /AFP

TAÇA DAVIS

Nadal x Djokovic é o duelo mais esperado O grupo mundial da Davis estreia hoje com a participação de metade dos principais tenistas. Neste ano, o torneio passa a valer pontos individuais, mas tops como Federer e Murray, contundidos, estão fora. O principal entre os 8 duelos reúne Espanha e Sérvia, com Nadal x Djokovic. O confronto, que teria início hoje, só começará amanhã por causa dos fortes ventos na Espanha. ATLETISMO

Asafa Powell vence com marca discreta

NOS PNEUS – O campeão do mundo Lewis Hamilton, da McLaren, completou apenas metade da quilometragem dos adversários, ontem, em Jerez. Errou e acabou batendo

PROPOSTAS

Livio Oricchio

Asvitóriasdevemsermais valorizadas. Foi o que apurou a pesquisa realizada pela associação das equipes (Fota) com fãs da Fórmula 1 no mundo todo. Os representantesdostimesreunidos ontem, em Genebra, anunciaram que a partir do campeonato que começará no dia 29, na Austrália – as equipes treinaram ontem na Espanha (ver abaixo) –, ovencedor passa a somar 12 pontos, em vez de 10, o 2.º colocado, 9 (era 8) e o 3.º, 7 (6). As demais posições continuam com a mesma pontuação. A mudança precisa ser aprovada pelo Conselho da FIA.

● Nova pontuação – 1.º – 12 (em vez de 10), 2.º - 9 (8) e 3.º - 7 (6). As demais colocações permanecem iguais: 4.º (5 pontos), 5.º (4 ), 6.º (3), 7.º (2) e 8.º (1) ● Testes – A Associação de Equipes é contra a proibição de testes durante o campeonato. Propõe 50% dos 30 mil km de 2008

Bernie Ecclestone, promotor do Mundial, desejava definir o campeão através do sistema de medalhas. Quem tivesse mais de ouro, destinadas aos vencedores, ficaria com o títu-

lo. A Fota não chegou ao extremo de Ecclestone, mas deu maior peso ao primeiro lugar nas provas. Como se trata de uma proposta que reflete a unanimidade dos interesses das escuderias e provém dos fãs, provavelmente a Fia irá homologála.É dúvidaseMax Mosley,presidente da FIA, vai aceitar a redução de apenas 50% nos testes, este ano, em relação a 2008 (30 mil quilômetros). Mosley simplesmenteosproibiudurante o campeonato. Mas as alterações desejadas pela Fota para vigorar a partir de 2010 são mais amplas, como revelarpara ostelespectadores bem mais dados, por exemplo a

ENTREVISTA

Ron Dennis: sócio e diretor da McLaren

‘Precisávamostomardecisõeshistóricas’ CORRESPONDENTE GENEBRA

Um dos homens mais poderosos da F-1, Ron Dennis, admite que a “crise é a maior” já vista por ele no esporte e que a modalidade precisa ser sustentável. “Precisávamos tomar decisões históricas e o corte de gastos que estamos propondo é histórico”, afirmou. Em entrevista ao Estado, Dennis rejeita qualquer tentativa de padronizar as escuderias da F-1 e de dar o mesmo motor e condições a todos. O dono de 15% das ações do McLaren Group foi por anos o chefe da equipe nos circuitos. Para muitos, ele foi o artífice da transformação da escuderia e agora da insistência de um corte profundo nos gastos. Por quer cotar 50% de custos?

DENIS BALIBOUSE /REUTERS

Jamil Chade

que propusemos é histórico.

DENNIS – ‘É a maior crise que já vi’

Há possibilidade de a F-1 se transformar em modelo de competição como nos EUA, onde as equipes correm basicamente com os mesmos carros? Isso está totalmente descartado, não seria mais F-1. Precisamos manter as características.

Estamos vivendo séria crise. É a maior que já vi. Todos os setores em todo o mundo tiveram as rendas afetadas. Mas, nesse esporte, nós somos os investidores. E os cortes de gastos que estamos propondo são os maiores já negociados pela modalidade. Mas a resposta não é simples. Não se trata apenas de cortar custos. Isso não bastaria. Temos de aumentar o apelo da F-1. Precisávamos tomar decisões históricas e o corte de gastos

E como fazer isso em crise? Temos plano claro do que pode ser a F-1 nos próximos anos, com estabilidade, compromisso dos construtores de que ficarão até 2012 e regras para atrair mais gente. Queremos atingir o público que hoje não é o mais entusiasmado com a F-1. E fazer uma F-1 sustentável. Talvez tenhamos ido longe demais e agora precisamos pôr de novo os pés na terra. ●

quantidade de gasolina no carro, atribuir pontos para a equipe mais rápida no pit stop e reduçãodascorridasde305quilômetros para 250 ou no máximo 1h40min em vez de 2 horas. Na área de redução de custos a Fota quer uma revolução. Já este ano o uso do túnel de vento está limitado e em 2010 cada partedo carropoderá ser modificada determinado e reduzido número de vezes. Os pilotos terãodireito,já este ano,a 8motores e seu desenvolvimento está congelado. As caixas de câmbio serão as mesmas de 2010 a 2012 ecadapilotopoderáusar nomáximo quatro câmbios por ano. Outra importante medida é a

padronização de componentes. O sistema de recuperação de energia (Kers) será fornecido por uma empresa contratada pela FIA, como a atual central de gerenciamento eletrônico. Mais: o freio será homologado e não permitido modificá-lo, bem como o sistema de telemetria e rádio. O objetivo da Fota, dentre outros, é incentivar a criação de novos times. ●

O forte vento em Melbourne impediu o ex-recordista mundial dos 100 m rasos, o jamaicano Asafa Powell, de se aproximar dos 9s69 cravados pelo seu compatriota, Usain Bolt, atual recordista. Com o tempo de 10s23, Powell venceu o Grand Prix australiano, mas não deu mostras de que tem condições de voltar a ser o homem mais rápido do mundo. BATE-BOCA

“Seu futebol é uma m...”

“E você é feio!” Diálogo entre o atacante Cristiano Ronaldo, do Manchester United, e o zagueiro Steven Taylor, do Newcastle, no intervalo do jogo vencido por 2 a 1 pela

equipe do melhor do mundo

COPA DO BRASIL

Flu e Botafogo: vitória e classificação Opine: a mudança na pontuação; Veja mais fotos dos treinos da F-1

www.estadao.com.br/e/formula1

Tudo oficial agora: Brawn GP terá Barrichello e Button Faltava apenas o anúncio oficial. E o novo proprietário da equipe Honda de Fórmula 1, o engenheiro inglês Ross Brawn, o fez ontem à meia noite da Inglaterra(21 horas de Brasília e 9 horas de sexta-feira em Tóquio). Além de informar que assume a organização, Brawn confirmouospilotos,RubensBarrichello e Jenson Button, e o novo nome: Brawn GP. Bernie Ecclestone não autorizou, como nocasodaescuderianorte-americana que estuda entrar na competição, o uso do nome F-1. O anúncio representa o fim de uma história cheia de nuançasquecomeçoudia5dedezembro,quandoosjaponesesdecidiram interromper as atividades de sua equipe de F-1. Desde então, falou-se de tudo. O que de fato ocorreu foi o repasse de 100% da equipe a Ross Brawn.

“Os últimos quatro meses foram extremamente desafiadores”,disseoagora dirigente, que também confirmou a Mercedes como fornecedora do motor. Hoje a Brawn GP faz o primeiro treino em Silverstone. De segunda a quinta-feira testará com as demais equipes em Barcelona. A Brawn GP estenderá seus ensaios depoisemJerezdelaFrontera, na Espanha, por três dias. E em Jerez terminou ontemopenúltimoteste da prétemporada. Nick Heidfeld (BMW) foi 1º, 1min20s052 (123 voltas),Kimi Raikkonen (Ferrari), 2º, 1min20s414 (112), enquanto Lewis Hamilton, da McLaren, teve de abandonar o teste depois de bater nos pneus na 59ª volta. Marcou o 3º melhor tempo, 1min21s272. ●

tenha potencial a ser desenvolvido. Ele sabe que isso é possível porque acompanhou a concepção desse novo carro sob a orientação de Ross Brawn. Rubinho nunca preparou seu adeus à F-1 porque estava decidido a lutar contra isso. Ele achou divertido o que Schumacher lhe disse por telefone logo após uma corrida do ano passado: “Rubens, assisti pela TV enquanto pescava e fumava meus charutos e pensei em você, que deveria fazer a mesma coisa em vezde lutarpara andaremdécimo.” Se a Honda tivesse continuado normalmente com sua equipe, provavelmente o caminho seria mesmo os charutos de que ele também gosta, mas o golfe em lugar da pescaria. A virada começou com o abandono

oficial da montadora japonesa aindaemdezembro.Oquepoderia até acelerar o encerramento da carreira acabou ajudando. A demora nas negociações que originaram a nova equipe, impedindoque onovocarro fos-

O Fluminense, que ontem apresentou Fred, venceu o Nacional-PB por 3 a 0, no Rio, e garantiu vaga na 2.ª fase da Copa do Brasil, em que enfrentará Águia de Marabá ou AméricaMG. O Botafogo fez 2 a 0 no Dom Pedro, no Gama, e agora pega o Americano-RJ, que bateu o Santa Cruz por 4 a 2. O Paraná perdeu do Mixto-MT (2 a 1), mas avançou nos pênaltis. NÚMERO

R$ 538 mil é a multa para Ashley Cole, do Chelsea, por dirigir bêbado NATAÇÃO

César Cielo: 22s08 na 1.ª final do ano César Cielo foi bem em sua primeira final do ano nos 50 metros livre. O nadador ficou em terceiro lugar na disputa das 50 metros livre do Grand Prix de Austin, Texas – 22s08. Os dois primeiros foram seus companheiros de equipe da Auburns University, o francês Fred Bousquet (21s44), seguido de George Bovell, de Trinidad e Tobago (22s01).

Grand Prix

REGINALDO LEME

Dogolfeà Fórmula1 E Rubinho Barrichello está de volta ao lugar de onde nunca saiu de fato. É no que dá escrever colunas de automobilismo tentando entender o que vai se passandonosbastidores duranteum período pré-campeonato. Eu e o mundo da Fórmula 1, que já tínhamos como muito provável o encerramento da carreira do mais experiente piloto da F-1, fomos surpreendidos – no meu caso, alegre surpresa – com a virada na situação. Em respeito a Rubinho e à carreira

dele, eu apenas aguardava uma definição oficial. Ainda em Cingapura, três corridas antes de terminar o campeonato, o próprioRubinho me contouquehavia cobrado de Ross Brawn uma definição e tinha ouvido do chefe que estava difícil convencer os japoneses. Depois disso, Barrichello manteve-semuitotranquilo,como alguém que, apesar da vontade de continuar na F-1, tinha deixado o destino nas mãos de quem viesse a tomar a decisão

por saber que nada mais poderia fazer. Desfez a estrutura que tinha para cuidar de seus negócios no Brasil e foi viver a vida. Passou as férias jogando golfe,enquantosedizia,nosbastidoresdoautomobilismobrasileiro, que ele tinha intenção de se tornar sócio de uma equipe deStockCareprepararsuaprópria entrada na categoria em 2010.Eranaturalquesepensasse assim, embora eu quisesse muito que Rubinho tivesse mais um ano no Mundial, não para voltar a andar na frente, o que não será tarefa fácil com um carro que só vai fazer quatro dias de testes antes de estrear. Mas para poder fazer o bom trabalho queum piloto técnico como ele tem competência para fazer, desde que o carro

Rubinho não preparou o adeus porque sempre se viu no grid em 2009 se para a pista, e mais a aprovação das novas regras proibindo treinos durante o ano determinaram a decisão de Ross Brawn,ex-diretor técnico daFerrari, e agora comandante da Brawn GP (pelo nome do time já se

vê o quanto ele apita). Do jeito que as coisas caminharam, tudo conspirou a favor de Barrichello. Um grande lance de sorte de quem sempre fugiu do rótulo de azarado que tentaram lhe impor. Pormais algum tempo, o golfe perde um amador de handicap 11 em plena evolução. A Fórmula 1 mantém o seu piloto de maior longevidade. São 267 GPs (o número varia em algumas estatísticas), 65.056 quilômetros de corridas, sendo 3.517 na liderança, 9 vitórias, 62 pódios, 530 pontos conquistados. Nesta classificação de pontuação, ele é o sétimo da história, um ponto atrás de Kimi Raikkonen e cinco atrás de David Coulthard, que já encerrou a carreira. ●

Férias: recupere imposto retido sobre venda de 1/3 em 2008 ● PÁG. 6

Dependentes: mais exigências na informação de renda e despesas ● PÁG. 8

Prazo: entrega deve ser feita até 30 de abril e multa mínima por atraso é de R$ 165,74 ● PÁG. 11

GUIA IR2009 O ESTADO DE S.PAULO

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Como escaparda malhafina Todos os cuidados para evitar problemas na hora de acertar as contas com o Leão PÁG. 9

ILUSTRAÇÃO: CARLINHOS

2 I GUIA IR 2009 I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Obrigatoriedade

Vejasevocêprecisa entregaradeclaração EDUARDO NICOLAU/AE

Quem recebeu em 2008 mais de R$ 16.473,72 precisa declarar. Mas há outras condições que obrigam a entrega AexpectativadaReceitaFederal é receber este ano 25 milhões de declarações, 3,5% a mais que em 2008, quando foram entregues 24,2 milhões – 23,9 milhões pela internet e 300 mil nos Correios, em formulário. O prazo de entrega vai até 30 de abril. A principal condição que obriga a entrega é ter recebido em 2008 rendimento tributável na declaração (salário, aposentadoria, aluguel, pensão, por exemplo) acima de R$ 16.473,72. Mas essa é apenas umadas condiçõesparaentrega(veja quadro ao lado).Basta que ele se enquadre em pelo menosumadassituaçõeselencadaspelaReceita paraquetenhadefazeroenvio.Porexemplo, se sacou do FGTS valor acima de R$ 40 mil ou tem um imóvel de valor superior a R$ 80 mil está obrigado. Quem for considerado dependente na declaração de outra pessoa não precisa declarar, mesmo que se enquadre

PREPARE-SE - “Separe documentos necessários”, diz Domingos

em algum item que torne a entrega obrigatória. Mesmo que não se encaixe em nenhuma das condições que tornam a entrega obrigatória, o contribuinte pode apresentar a declaração, se quiser. Nesse caso, há vantagem em declarar se a pessoa teveem algummêsde2008 retenção na fonte e tem agora direito a restituição. O diretor executivo da Confirp Contabilidade, Richard Domingos, orienta o contribuinte a juntar a papelada e fazer a declaração o quanto antes. “Quem entregar o material com antecedência recebe-

Listadepapéisaseparar paraopreenchimento VejaalistaelaboradapelaConfirp Contabilidade dos principais documentos que devem ser separados para fazer a declaração. “Apósaentrega,essesdocumentos, juntamente com cópia da declaração, deverão ser guardados por pelo menos seisanos,pois poderãosersoli-

citados a qualquer momento pela Receita Federal, para prestação de conta”, alerta Richard Domingos, da Confirp. ● Cópia da declaração entregue em 2008, referente a 2007 ●Informes de rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores ●Informes de rendimentos

rá sua restituição antes, e, em caso de problemas, o contribuinte terá tempo para resolvê-los, evitando a necessidade derealizar umadeclaração retificadora, depois do prazo de entrega.” Este ano, ao abrir o programa, o contribuinte terá duas opções: declaração de ajuste anualou declaração de final de espólio. Isso ocorre porque a Receita unificou o período de entrega das declarações de final de espólio(feitasemnome decontribuintes falecidos cuja partilha chegou ao final) com a de ajuste anual. ●

de salários, pró-labore, distribuiçãodelucros,aluguéis,aposentadorias, etc. ● Outros rendimentos: informações e documentos rendas recebidas em 2008, como herança, doações, indenizações por ação, resgate do FGTS ●Documentos comprobatórios de venda ou de compra de bens em 2008 ●Documentos comprobatórios de dívidas assumidas em 2008 ● Dadosdacontabancáriapararestituiçãooudébito dascotas

QUEM DECLARA Precisaapresentar a declaração de ajuste anual o contribuinte residenteno Brasil que estiver em uma ou mais das situações abaixo. Dependentes, mesmo que se enquadrem, estão dispensados se forem relacionados em declaração de um titular

cooperativa, ou como titular de empresa individual. Está dispensado da apresentação quem teve participação em sociedade por ações de capital aberto ou cooperativa cujo valor de constituiçãoou aquisição tenha sido inferior a R$ 5 mil

● Rendimentos tributáveis: recebeu em 2008 um total de rendimentos tributáveis na declaração superior a R$ 16.473,72. Entre esses rendimentos estão os provenientes de trabalho assalariado ou autônomo, aposentadoria ou pensão, resgates de planos de previdênciaprivada, pró-labore, aluguel comercial ou residencial

● Vendade bens:obteve, emqualquer mês de 2008, ganho de capital na alienação de bens (como imóveis) ou direitos sujeito à incidência do imposto

● Outros rendimentos: recebeu em 2008 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamentena fonte cujasoma foi superior a R$ 40 mil. Incluemse nesses rendimentos aviso prévio indenizado, 13º salário, venda de 1/3 das férias, prêmios, FGTS, indenização por acidente de trabalho, lucro na alienação de bens ou direitos, rendimento de poupança e outras aplicações financeiras, dividendos, doação, herança, etc.) ● Bens: teve a posse ou a proprie-

dade,em 31/12/2008,de bens ou direitos, inclusive de terra nua, de valor total superior a R$ 80 mil ● Participação em empresa:parti-

cipou em qualquer mês de 2008 do quadro societário de empresa como sócio ou acionista, ou de

● Livro-caixa (autônomo) ● Darfs de Carnê-leão ● Controle de compra e venda

deações,comaapuraçãomensal de imposto ● Darfs de imposto recolhido sobre ganho em renda variável ●Recibos de pagamentos de plano de saúde e de despesas médicas e odontológicas em geral (com CPF ou CNPJ do emissor) ●Comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora) ● Comprovante de pagamento

● Bolsa de Valores: realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas em qualquer mêsde 2008 ● Atividade rural: obteve, com a atividade, receita bruta superior a R$ 82.368,60 ou pretenda compensar nesta declaração ou nas futuras prejuízos de anos anteriores a 2008 ou de 2008 ● Residente no Brasil: passou à condiçãode residente no Brasil em qualquer mês de 2008 e nessa condição se encontrava em 31/12/2008 ● Venda e compra de imóvel: optou pela isenção do Imposto de Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda foi ou será destinado à aquisição de imóveis residenciais no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda

de previdência oficial e privada (com CNPJ da empresa emissora) ●Recibos de doações efetuadas ●Recibos de contribuição previdenciária patronal contendo número do NIT (ou PIS, se for esse o número do cadastro) do doméstico ●Recibos de pagamentos de prestação de bens como imóvel e carro ● Todos os documentos acima referentes a dependentes ● Número do CPF de dependentes acima de 18 anos. ●

O ESTADO DE S.PAULO

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

I GUIA IR 2009 I 3

Novidades

Receitafazcercoadependentes A principal novidade nesta declaração são exigências relacionadasa dependentes. AReceita quer que o contribuinte vincule as despesas relacionadas ao seu responsável, ou seja, com ele próprio ou dependente. “Em alguns casos, vai dar trabalho ao contribuinte ter esses valores discriminados e dificultar a dedução. Na falta da informação, a recomendação é lançar a despesa em nome do contribuinte para evitar a não dedutibilidade”, diz a tributarista Elisabeth Libertuci, do escritório Libertuci Advogados Associados. O mesmo é exigido para os rendimentos tributáveis que os dependentes receberam de pessoas físicas. Até 2008, não

seidentificavaresponsável para as despesas e apenas a renda tributável que o dependente recebia de pessoa jurídica precisava ser detalhada. A Receita colocou a ficha de Dependentes logo no início da declaração. Isso permite que ela vincule o preenchimento das fichas seguintes às informações da ficha Dependentes. Ao declarar pela internet o contribuinte saberá também se tem pendência com o Fisco ou a Previdência. Elisabeth orienta o contribuinte a requerer uma certidão negativa e corrigir eventuais pendências antes da entrega da declaração. Veja outras novidades no quadro ao lado.●

NOVAS REGRAS EM 2009 ● Dependentes: a Receita passa a exigirmaior detalhamento de despesas e rendimentos tributáveis de dependentes considerados ● Formulárioeletrônico: osmode-

los completo e simplificado foram unificados e a opção de envio de um ou de outro é feita no final ● Cota: o débito automático vale para a cota única ou a 1ª cota, desde que a declaração siga até 31 de março. A partir dessa data a opção só vale a partir da 2ª cota

● Prazo: o horário limite para entrega via internet no último dia foi estendido para as 24 horas

do contribuinte com o Fisco ou com a Previdência e orientação para a regularização

● Educação: o limite individual de dedução com educação subiu para R$ 2.592,29

● Custo: o custo de entrega do formulário nos Correios subiu de R$ 3,50 para R$ 4

● Dívidas: dívidas no valor acima de R$ 5 mil assumidas em 2008 e extintas em 2008 também precisam ser informadas

● Antecipação: após a entrega, o contribuinte pode antecipar o pagamento das cotas com envio de retificadora,desde que envie declaração retificadora com a nova opção

● Férias: assalariado que vendeu férias em 2008 pode compensar o IR retido

● Recibo: a informação do núme-

ro do recibo da declaração de 2008 deixa de ser obrigatória

● Regularização: o recibo de entrega informará eventual dívida

● Espólio: o período de entrega de declaração final de espólio passa a ser o mesmo da declaração das pessoasfísicas ( até 30 de abril)

4 I GUIA IR 2009 I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Preenchimento

Baixeeinstale oformulário eoReceitanet

Formulárioagoraéúnico NILTON FUKUDA / AE

Não há mais um modelo para a declaração completa e outro para a simplificada. A opção é no final da declaração A Receita Federal unificou este ano os dois formulários eletrônicos que existiam, o completo e o simplificado. O modelo adotado segue o padrão da declaração completa e o contribuinte faz a opção pela melhor forma de tributação no final do preenchimento: contabilizando todas as despesas legais dedutíveis (completa) ou utilizando o desconto padrão de20% dosrendimentostributáveis limitado a R$ 12.194,86 (simplificada). Aopçãopelatributaçãocorreta proporciona economia, com aumento da restituição ou redução do imposto a pagar. “O contribuinte deve in-

ORIENTAÇÃO – “Observe comparação do programa”, diz Garcia

formar todos os dados necessários e no final observar a comparação dos dois modelos que o próprio sistema faz”, diz Edino Garcia, coordenador editorial da IOB. Mesmo na opção de envio dadeclaraçãosimplificada, todos os dados informados no

Receita restringe uso de formulários de papel Para entrega da declaração via internet ou disquete, é preciso baixar do site da Receita (www.receita.fazenda.gov. br)oProgramaGeradordaDeclaração (PDG). Via internet, é preciso ainda baixar o Receitanet, o programa de envio. Os disquetes (pouco usados) podem ser entregues em agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, no horário normal de expediente. Em ambos os casos o recibo de entrega será gerado no momento do envio. A entrega de formulário só podeser feitanas agênciasdos Correios. O custo é de R$ 4 (ano passado foi de R$ 3,50). O contribuinte, nesse caso, deve levar uma cópia da declaração, para que ela receba o ca-

rimbo de recibo. No quadro ao lado, estão as condições que tornam a entrega da declaração pela internet ou em disquete obrigatória. O formulário de papel não poderá também ser usado por quem tem mais de três dependentes, mais de três fontes pagadoras pessoa jurídica, mais decinco pagamentosarelacionar ou mais de cinco bens a indicar, entre imóveis, carro e aplicações financeiras. A proibição se deve à falta de linhas para o preenchimento. A Receita Federal prevê que, caso o número de linhas disponibilizadas nos respectivos quadros do formulário seja insuficiente, o contribuinte deve apresentar a declaração em meio magnético. ●

preenchimento serão gravados no arquivo-declaração e transmitidos para a Receita. Para ter direitoàs deduções legais o contribuinte precisa informar os valores na ficha dePagamentose DoaçõesEfetuados. É preciso informar nome e CPF ou CNPJ do benefi-

ciárioeguardaroscomprovantes de pagamento por cinco anos. Entre as deduções permitidas estão gastos com saúde, despesas com educação até o limite deR$2.592,29paraocontribuinte e para cada um de seus dependentes, a parcela de R$ 1.655,88 por dependente, os depósitos em planos de previdência privada até o limite de 12% da renda tributável, os pagamentos de pensão alimentícia, a contribuiçãoaoINSS tanto do titular e de dependentes com renda como a patronal, feita em nome de domésticos, além de incentivos fiscais. Natributaçãosimplificada, todas as deduções permitidassãosubstituídaspelo desconto de 20% da renda, com o limite de R$ 12.194,86, sem a necessidade de comprovação. ●

OProgramaGeradordaDeclaração (PDG) para preenchimento e o Receitanet para envio estão disponíveis no site da Receita Federal - www.receita.fazenda.gov.br. Na página inicial, clique em “Download dosprogramasparaaDeclaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2009”. OPÇÕES

Há opções para Windows, Linux, MAC e Solaris e outros sistemas operacionais. Salve o programa em uma área do seucomputador.Retorne àpágina inicial e baixe o programa de envio – clique em “Acesso aos demais conteúdos da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2009” e depois em “Download do Programa ReceitanetJava 2009.01”.Salve em uma área da máquina. Instale os dois programas. ●

SÓ PELA INTERNET Condições que obrigam a entrega pela internet ● Tributáveis: recebimento de rendimentos tributáveis na declaração superiores a R$ 100 mil

● Lucro: obtenção em qualquer mêsde 2008 de lucro sujeito a imposto na venda de bens ou direitos ● Bolsa: realização de operações

em bolsas

dadedução decontribuição patronal ao INSS na condição de empregador doméstico ● Doações: doações a partidos políticos, comitês financeiros e candidatos a cargos eletivos

● Isentos: recebimento de

rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma supere R$ 100 mil ●Pessoa física: recebimento de

rendimentos de pessoas físicas oudoexteriortributáveis nadeclaração (aluguel, por exemplo) ● Dependentes: inclusão de dependentes que tenham recebido rendimentos tributáveis ou não ● Sócio: participação em qualquer mês de 2008 do quadro societário de empresa, como sócio ou acionista, ou de cooperativa, ou como titular de empresa individual

●Atividade rural: obtenção de

receita bruta superior a R$ 82.368,60 ou intenção de compensar nesta declaração ou nas futuras prejuízos em 2008 ou em anos anteriores ● Ganho de capital: opção pela

isenção do imposto sobre ganho de capital na venda de imóvel residencial cujo produto da venda sejadestinado à aquisição de imóvel residencial no País no prazo de 180 dias ● Livro caixa: intenção de benefi-

ciar-se da dedução de despesas do livro-caixa (autônomos) ● INSS: intenção de beneficiar-se

● Exterior: compensação de imposto pago no exterior ● Prazo: entrega de declaração original fora do prazo (após 30 de abril) ● Retificação: entrega de declaração retificadora, a qualquer tempo ● Espólio: entrega de declaração relativa a espólio ● Informações extras:necessidade de dar informações que ultrapassem o número de linhas dos respectivos quadros dos formulários, por exemplo, ter mais de três dependentes

CYANMAGENTAAMARELOPRETO

6 I GUIA IR 2009 I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

80% 70%

O ESTADO DE S. PAULO

O ESTADO DE S.PAULO

CompenseIRretidosobrefériasvendidas Receita reconhece decisões da Justiça e permite declaração do valor como isento e compensação do imposto O assalariado que vendeu dez dias das férias à empresa em 2008 pode compensar o imposto retido na fonte nesta declaração. “A Receita

reconheceu a cobrança indevida e autorizou as empresas a incluir a verba como ‘rendimento isento e não tributável’ nos informes entregues aos funcionários relativos ao ano-base 2008”, explica a advogada Tatiana Batista Malatesta, do escritório Galvão, Malatesta, Dal Molin e Calado Advogados Associados. O primeiro cuidado é

checar se o informe da empresa inclui o valor como isento. Se não, é preciso solicitar novo informe, corrigido. “A empresa precisa retificar também a informação repassada à Receita, pois os dados precisam bater para que a declaração não caia em malha fina”, diz Tatiana. O entendimento de que a cobrança é indevida existe

desde 2006. Antonio Carlos Bordin, sócio-diretor da Assessor-Bordin Consultores explica que recolhimentos sobre essa verba em 2006 e 2007 podem ser recuperados com apresentação de declaração retificadora. “É preciso obter da empresa o informe corrigido e que a empresa retifique sua declaração desses anos.” “Para reaver o imposto

retido em 2004 e 2005, é preciso entrar com ação contra a Receita”, explica Tatiana. “O contribuinte pode provar com holerites que houve a retenção, sem depender de declaração retificadora da empresa.” Quanto a imposto sobre essa verba anterior a 2004, o entendimento é de que o direito de reclamação prescreveu (o prazo é de cinco anos).●

H6-H7 -

2%

5%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

Rendimentotributável recebidodepessoajurídica Na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica, o contribuinte informa o total recebido de empresascomou semvínculoempregatício (ver quadro abaixo), de órgãos de previdência oficial, de instituições de previdência privada, entre outras, com nome e CNPJ. O assalariado de pessoa física também dá as in-

formações nessa ficha. O imposto retido na fonte, o 13º líquido de IR e a contribuição previdenciáriaoficialtambém são informados nesse campo. Os dados serão cruzados com as da Declaração de Imposto Retido na Fonte (Dirf) da empresa ou instituição. Se houverdivergência,a declaração cai em malha fina.●

O QUE INCLUI ● Salários, com ou sem

vínculo empregatício com pessoa jurídica. Também declara o salário nesta ficha o trabalhador que presta serviçosa pessoas físicas ● Proventos de aposentadoria

recebidos de órgão oficial (federal, estadual, municipal) ● Pensão recebida de órgão

oficial(federal, estadual, municipal) ● Benefício ou resgate conta

de previdência privada sujeito a ajuste na declaração anual

Aposentado tem isenção extra Contribuintes com 65 anos ou mais em 31/12/ 2008 têm direito a uma isenção adicional de R$ 1.372,81 por mês sobre benefício de previdência oficial ou privada. Para quem completou 65 anos em 2008, a isenção vale a partir do mês do aniversário. Para quem recebe um benefício basta seguir os dados do informe enviado pelo órgão ou entidade. Para quem recebe mais de um benefício, a isenção mensal vale para a soma dos benefícios e não para cada um. a) Para cada mês deve-se somar as aposentadorias recebidas e deduzir R$ 1.372,81 – a diferença positiva é o valor tributável naquele mês. b) Some essas diferenças positivas (valores tributáveis) mensais.

Produto: EST_SUPL1 - ESPECIAL - 6 - 06/03/09

5%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

95%

98%

100%

●● ●

2%

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

I GUIA IR 2009 I 7

Renda

90%

95%

98%

100%

%HermesFileInfo:H-6:20090306:

O total constitui rendimentos tributáveis recebidos de pessoas jurídicas e poderá ser dividido a seu critério entre suas fontes pagadoras. c) Multiplique R$ 1.372,81 pelo número de meses que teve direito à isenção e informe o valor, acrescido das isenções de 13º salário, como rendimento isento e não tributável. O fato de o segurado ser incluído como dependente não altera o direito à isenção na declaração do titular. Valor inferior à parcela isenta de rendimentos de aposentadoria recebida em determinado mês não pode ser compensada com valor superior à parcela isenta recebida em outro mês, pois as sobras não são transferíveis. ●

● Aluguel recebido de pessoa jurídica

Rendimentotributável recebidodepessoafísica A novidade na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Físicas ou do Exterior é a obrigatoriedade de declarar separadamente valor obtido por dependentes. Quem recebeu esse tipo de rendimento em 2008 – aluguel residencial ou pensão alimentícia, por exemplo (ver quadro) - está obrigado a declarar via internet ou em disquete. No formulário não há espaço para a discriminação desse tipo de rendimento. Com isso, a informação do rendimento é feito em bases mensais e a Re-

ceitapode detectar sonegação do Carnê-leão – imposto mensal obrigatório sobre rendimentos recebidos de pessoas físicas e do exterior. O valor mensal é tributado se acima de R$ 1.372,81 em 2008. O imposto é calculado pela tabela progressiva e venceu no último dia útil do mês seguinte ao do fato gerador. Essa também é a ficha preenchida por autônomos, que podem deduzir despesas do livro-caixa, dependentes, pensãoalimentícia paga econtribuição ao INSS. ●

Rendimentos isentos Ainda que isentos, estes rendimentos podem, se superiores a R$ 40 mil, tornar a entrega da declaração obrigatória A novidade este ano é a inclusão do valor da venda de dez dias das férias como isento e não tributável. Até 2008, era tributável. Isso permite que o assalariado compense o imposto retido sobre essa verba em 2008. A informação correta da natureza desse valor deve constar do informe de renda fornecido pela empresa. Os rendimentos desta ficha tornam a entrega da declaração obrigatória se, somados aos Rendimentos de Tributação Exclusiva (ler abaixo), ultrapassaram R$ 40 mil em 2008. Uma dúvida frequente diz respeito a doações em dinheiro. Na legislação

federal, as doações são isentas. O beneficiário informa nesta ficha a doação recebida. Já o doador informa a doação feita em Pagamentos e Doações Efetuados. Na legislação dos Estados, a doação é tributada, com isenção variável (em São Paulo, a isenção anual entre as mesmas partes é de 2.500 Ufesp – R$ 37.200, em 2008). A informação do CPF do beneficiário pelo doador é exigida e facilita cruzamento de dados entre os Fiscos federal e estaduais. Entram nesta ficha aposentadoria e pensão recebida por portador de moléstia grave, como aids, cardiopatia grave, cegueira, osteíte deformante, doença de Parkinson, fibrose cística, esclerose múltipla, espôndilo artrose anquilosante, hanseníase, hepatopatia ou nefropatia grave, câncer, paralisia irreversível e incapacitante e tuberculose. ●

O QUE INCLUI ● O valor correspondente aos

dez dias das férias vendidos por assalariados à empresa

decorrido desde o ano de aquisição até 1988) ● Lucros e dividendos recebidos

● Bolsa de estudo e pesquisa,

desdeque não representevantagem ao doador

● Parcela isenta corresponden-

● Capital das apólices de seguro ou pecúlio pagopor morte, prêmio de seguro restituído e pecúlio recebido de previdência privada em decorrência de morte ou invalidez permanente

● Parcela isenta de proventos

te à atividade rural

de aposentadoria, reserva remunerada, reforma e pensão de declarantescom 65 anos ou mais ● Proventos de aposentadoria

● Indenizações por rescisão de

contratode trabalho, inclusive a título de PDV

ou reforma motivados por doença grave ● Aposentadoria ou reforma

● FGTS: o valor do saque de

por acidente em serviço

FGTS ● Rendimentos de poupança ● Lucro na alienação de bens e

direitos de pequeno valor (até R$ 35 mil por mês) ● Lucro obtido na alienação do

único imóvel do contribuinte por até R$ 440 mil

● Rendimentos de sócio ou titu-

lar de micro ou pequena empresa optante pelo Simples, exceto pró-labore, aluguéis e serviços prestados ●Transferências patrimoniais

● Lucro na venda de imóvel resi-

dencial para aquisição de outro imóvel residencial em até 180 dias

em doações, heranças edissolução da sociedade conjugal ou da unidade familiar ● Lucro com venda de ações no

● Valor referente à redução do

ganho de capital (5% por ano

mercado à vista por valor de até R$ 20 mil/mês

Rendimentossujeitosatributaçãoexclusivaedefinitiva

● Pró-labore recebido por

sóciosde empresas ● Bolsa de estudo que importe em contraprestação de serviço ● Residência médica ou

estágio remunerado em hospitais,laboratórios, centro de pesquisa ● Benefícios indiretos pagos

por empresas a funcionários, tais como despesas de supermercado e cartão de crédito, anuidade escolar do próprio contribuinte ou de seus dependentes,despesas com aluguel de imóveis e com veículos de uso particular

O QUE INCLUI ● Honorários de autônomos: médico,dentista, engenheiro, advogado, veterinário, professor, economista, contador, jornalista, pintor, escultor, escritor, leiloeiro ● Aluguel, excluídos encargos,

como impostos, taxas e emolumentos,despesas pagas para cobrança ou recebimento do rendimento e despesas de condomínio, desde que o ônus tenha sido exclusivamente do locador

ca, mesmo que o pagamento tenha sido feito por meio de pessoa jurídica ● Direitos autorais de obras artís-

ticas, didáticas, científicas, urbanísticas, projetos técnicos de construção, instalação ou equipamento

● Importâncias em dinheiro a

● Exploração individual de contratos de empreitada de trabalho, como trabalho arquitetônico, topográfico, de terraplenagem e de construção

título de pensões ou alimentos, em cumprimento de decisão judicial, acordo ou escrituração públi-

● Juros: recebidos de empréstimos concedidos a pessoa física

Na ficha Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva devem ser informados os rendimentos que já foram tributados por ocasião do recebimento, masnão estãomais sujeitos a recálculo do imposto na declaração de ajuste anual (ver quadro ao lado). Aretençãodo impostoocorreu no momento do pagamentoda renda,pelo próprioagente pagador, como sobre 13º salário e aplicações financeiras derendafixa, ou orecolhimento ficou a cargo do contribuinte, caso do imposto incidente sobre lucro obtido na venda de imóvel ou de ações, por exemplo. O vencimento do imposto

ocorreu no último dia útil do mês seguinte ao da obtenção do rendimento. Caso o imposto não tenha sido recolhido, convém fazer a regularização antes da entrega da declaração. Esses rendimentos serão apenas informados e muitos deles são transportados para essaficha apartirdopreenchimento de outras. Sea soma desses rendimentos com os rendimentos isentosenãotributáveisisentos ultrapassar R$ 40 mil, o contribuinte está obrigado a entregar a declaração, ainda que não tenha obtido rendimento tributável na declaração acima de R$ 16.473,72. ●

O QUE INCLUI ● 13º salário

● Prêmios em dinheiro ou bens obtido sem loterias ou sorteios

● Ganhos de capital na aliena-

ção de bens ou direitos ● Ganhos de capital na

alienação de bens, direitos e aplicações financeiras adquiridos em moeda estrangeira ● Ganhos de capital na aliena-

ção de moeda estrangeira ● Ganhos líquidos em renda variável (ações) ● Rendimentos de aplicações financeiras (valores líquidos)

Como o casal decide a forma de declarar

● Benefícios líquidos resultantes da amortização antecipada, mediante sorteio, dos títulos de capitalização ● Juros pagos ou creditados a titular, sócio ou acionista de pessoa jurídica, a título de remuneraçãodo capital próprio ● Benefícios recebidos e contribuições resgatadas de planos de previdência privada pelo regime de tributação exclusiva na fonte

O contribuinte casado pode apresentar declaração em separado ou em conjunto com o cônjuge. Financeiramente, quando ambos têm renda tributável, ou o casal obtém rendimentos de bens comuns (como aluguel), o melhor é declarar em separado. Mas convém simular as duas formas e comparar os resultados. As vantagens da declaração em separado são: a isençãoda tabela seráaproveitada duasvezes;aseparaçãoderendimentos pode proporcionar imposto por alíquota menor; no modelo simplificado, cada cônjuge terá o desconto de até 20% da renda com limite de R$ 12.194,86 (em conjunto, o desconto é aplicado uma vez sobre o mesmo total da renda). Além disso, a indicação de dependentes e seus respectivos gastos de saúde pode ser feita em uma ou outra declaração. Na declaração em separado, cada cônjuge informa o total dos rendimentos próprios e 50% dos rendimentos produzidospelosbenscomuns, compensando 50% do imposto pago ou retido, independentemente de qual dos cônjuges tenha sofrido a retenção ou efetuado o recolhimento. O casal tem a opção de um dos cônjuges incluir na sua declaração seus rendimentos próprios e o totaldosrendimentosproduzidos pelos bens comuns. Os dependentes comuns não podem constar nas declarações de ambos. Dados da declaração do cônjuge precisam constar da declaração do outro. Nadeclaração em conjunto, a apresentação é feita em nomedeumdoscônjuges, abrangendo todos os rendimentos e bens. Ela é vantajosa quando um dos cônjuges não teve rendimentostributáveisou,quando os teve, possui valores elevados em deduções de despesas médicas em seu nome.●

8 I GUIA IR 2009 I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

PREENCHIMENTO

Informarnúmerodoreciboémaisseguro MARCIO FERNANDES/AE

Esteano,ocontribuintenãoestáobrigadoainformaronúmero do recibo da declaração de 2008. A inclusão é opcional. “Ainda assim, convém lançar o dado, porque evita-se o risco deser vítima defraude”,orienta Edino Garcia, coordenador editorial da IOB. “Quem tem o número deve informá-lo”,concordaElisabeth Libertuci, do escritório Libertuci Advogados Associados. Mas ela sossega quem não guardou o dado. “Não é algo tão sério deixar de informar esse código, ele é apenas

um controle, se ocorrer alguma situação de fraude a Receitatemprocedimentosqueprotegem o contribuinte.” Joaquim Adir, supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda, explicou em fevereiro, ao divulgar as regras da declaração deste ano, que a Receita pediu o dado em 2008 porque esperava que as pessoas o tivessem. “Isso não aconteceu.” Para contornar o problema, a Receita colocou em seu site um aplicativo de consulta que “não tinha segurança total”, segundo Adir. “O

GARANTIA - “Informação reduz risco de fraude”, diz Elisabeth

documento sem o número do recibo é menos seguro porque, em tese, outra pessoa poderia obter os dados de um contribuinte e declarar em seu nome”, explicou. “O problema de segurança passa a ser do contribuinte”, alerta Adir. “Se duas declarações forem enviadas em nome de um contribuinte, uma com número do recibo e outra sem, será priorizada pela Receita aquela que traz o número.” A informação do dado coloca o contribuinte mais à frente na fila das restituições. O processamento pela Receita vai darprioridadeaessasdeclarações em relação àquelas que também chegarem pela internet, mas sem o código. ●

Oquemudaparaosdependentes INSS da Este ano, com relação aos dependentes,ocontribuinte terá de listar em ficha separada nãosó osrendimentos tributáveisqueelesreceberamdepessoasjurídicas (comojáocorria em2008), mastambém osrendimentos que receberam de pessoas físicas. As despesas pelas quais eles foram responsáveis também precisam estar identificadas na ficha de Pagamentos Efetuados. Além disso, a Receita mudou a ficha Dependentes de lugar - agora ela é a primeira a ser preenchida após a identificação do contribuinte. Isso porque a Receita quer que essa ficha seja preenchida antes da outras, de modo a permitir sua vinculação a informações das fichas seguintes. O contribuinte está obrigado a informar o CPF de todos os dependentes maiores de 18 anos. A inclusão de cada dependente permite no modelo completo o abatimento de R$ 1.655,88,alémdasdespesasdedutíveis. Em contrapartida, se o dependente tiver rendimentos, estes devem ser somados ao do titular da declaração. Essa é uma condição que muitas vezestornadesvantajosa ainclusão de dependentes. ●

Previdência doméstica privada

QUEM PODE SER INCLUÍDO ● Cônjuge ou companheiro(a)

com filho ou que viva há mais de cincoanos com o declarante ● Filho(a) ou enteado(a) até 21 anos ● Filho(a) ou enteado(a) de qualquer idade se incapacitado para o trabalho ● Filho(a) ou enteado(a) universitário ou quecurse escolatécnica de até 24 anos de idade ● Pais, avós ou bisavós que receberam em 2008 rendimentos tributáveis ou não até o limite de R$ 16.473,72 ● Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) sem arrimo dos pais até 21 anos de quem o contribuinte tenha a guarda

● Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) incapaz de qualquer idade de quem o contribuinte tenha a guarda judicial ● Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) até 24 anos se universitário ou na escola técnica de quem o contribuinte tenha a guarda ● Sogro(a) sem rendimentos ou que recebeu rendimentos tributáveis ou não até R$ 16.473,72 em 2008, desde que o titular entregue declaração em conjunto com o cônjuge ● Menor pobre até 21 anos que o contribuinte crie e do qual detenha a guarda judicial ● Pessoa incapaz da qual o contribuinte seja tutor ou curador

O declarante que mantém doméstica,jardineiro,caseiro, etc. com registro em carteiraeoptapelomodelocompleto pode deduzir a contribuição patronal à Previdência(12%dosalário)doimposto devido. O limite é de R$ 651,40 por declaração. A dedução vale para apenasumdoméstico por período. Só são aceitos dois ou mais se eles não tiverem trabalhadoao mesmo tempo na residência. O valor é informadoemPagamentoseDoações Efetuados, no respectivo código. Tenha em mãos nomee nºdeinscriçãodo doméstico (NIT ou PIS). ●

Confira a orientação do sóciodiretor da Assessor-Bordin Consultores, Antonio Carlos Bordin: PGBL,Fapi eplano deprevidência fechado: lance o totalde depósitos feitosem 2008 na ficha de Pagamentos e Doações Efetuados (não lance nenhum valor na Declaração de Bens). Há o benefício de dedução dos depósitos até 12% dos rendimentos tributáveis. VGBL: informe na Declaração de Bens. Na coluna 31/12/2007 vai o total de depósitos até essa data. Em 31/12/2008, vai o valor da coluna 31/12/2007 acrescido de depósitos em 2008. ●

O que listar na ficha de pagamentos Na ficha Pagamentos e Doações Efetuados a novidade é a obrigatoriedade de informar o responsável em cada despesa relacionada, se o próprio contribuinte ou se o dependente. Nesta ficha, precisam ser listadas despesas dedutíveis e também uma série de outras não dedutí-

●● ●

veis. As doações em dinheiro ou de bens também devem ser informadas nessa ficha pelo doador. A falta de informação de pagamentos sujeita o contribuinte a multa de 20% do valor não declarado. Outra novidade é a informação de doações políticas a candidatos e partidos. ●

Planodesaúdedafamília Por regra específica da Receita, a despesa total da família pode ser deduzida na declaração do titular, desde que os dependentes entreguem a declaração completa e não incluam a mesma despesa como dedução. Caso os dependentes entregassemasimplificadahave-

ria, por causa do desconto padrão, uso duplo da dedução – pelo titular e pelo dependente -, o que não é permitido. Se o titular repartir a despesa, usandona sua declaração apenas a parte dele próprio, os dependentes podem declarar da forma mais conveniente. ●

O ESTADO DE S.PAULO

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

I GUIA IR 2009 I 9

Deduções

Cuidadosparanão cairnamalhafina DIVULGAÇÃO

NÚMEROS

Na pressa, muitos contribuintes cometem erros primários que podem atrasar o imposto a restituir “A culpa de cair na malha fina é na maioria das vezes do próprio contribuinte.” O alerta é de Antonio Carlos Bordin, sócio-diretor da Assessor-BordinConsultores. “No afã de receber rápido a restituição, o contribuintecometeerros primários, como não informar rendimentos cujos informes não recebeu ou de dependentes, confundir códigos de despesas, digitar valor errado de recibos.” ElereforçaqueaReceitaFederal do Brasil é uma das mais informatizadasdomundo,portanto, preparada para fazer

40%

das declarações retidas em 2008 ficaram na malha por apresentaremomissão de rendimentos

35%

das declarações pegas na malha fina em 2008 apresentaram divergênciano valor de rendimentos no confronto com a declaração da fontepagadora LISTA - Bordin alerta sobre erros

cruzamentos de declarações. “Por isso as estatísticas mostram que das declarações que caíramemmalhafina40%ficaram retidas porque o titular omitiu renda recebida e 35% porque o valor declarado divergiu do informado pela fonte pagadora”, alerta Bordin.

Despesasquepodem abaterovalordoimposto As deduções de despesas médicas são as que costumam dar mais problemas. Muitas vezes, a declaração é retida por apresentar elevados valores de despesas dessa natureza num ano em que o contribuinte de fato enfrentou problemas de saúde. “A Receita não conta nessa área com um sistema centralizado de dados”,dizEdinoGarcia,coordenador editorial da IOB. Por isso, ela estabelece parâmetros de gastos e separa em malha fina para posterior análise as declarações que extrapolam o parâmetro. “Os fiscais poderão concluir pela sua liberação ou pela necessidade de convocar o titular a apresen-

tar os comprovantes”, ele diz. As despesas do contribuinte e seus dependentes que vão gerardeduçãodevem estarlistadas na ficha de Pagamentos eDoaçõesEfetuados,comocódigo correto. Deduções relativas a dependente exige que ele conste na declaração. Algumas despesas podem ser deduzidas integralmente, como pagamentos a médicos, dentistas, planos de saúde, hospitais, etc.; para outras, há limite, como pagamentos a escolas (ver quadro). Despesas com instrução de portadores de deficiência física ou mental são declaradas como médicas, sem limite, se pagas a entidades especializadas.●

Abaixo, o consultor lista os problemas mais comuns em declarações retidas: ● Nãoinformarrendimentorecebido,comoumaluguel,ouinformarvalordiferentedorecebido. ● Informar despesas médicas inexistentes.

●Indicar dependentes que apresentamdeclaração emseparado. ● Deduzir despesa médica com cirurgia plástica de finalidade estética. ●Não informar operações em bolsa de valores. A Receita possui um mecanismo de “dedo-duro”: as corretoras recolhem na fonte um imposto mínimo sobre lucro de clientes nessas operações e com base nisso a Receita sabe que o contribuinte negociou ações. ● Omitirpensãoalimentíciarecebida pelo titular ou dependenteesonegarCarnê-leãosobre o valor. A omissão é pega porque o contribuinte que paga abate esse valor integralmente na sua declaração. ● Apresentar sinais exteriores de riqueza inconsistentes, como imóveis e aplicações incompatíveis com a renda ● Apresentar rendimentos incompatíveis com movimentação financeira. O governo perdeu a CPMF, mas continua fazendo esse controle por meio da Dimof, elaborada pelas instituiçõesfinanceiras.“Ogoverno sabe quem movimenta mais de R$ 5 mil por semestre”, diz Bordin.

● Apresentar rendimentos in-

compatíveis com movimentação em cartão de crédito. “As administradoras entregam ao governo todos os meses a Decred, uma declaração que lista clientes com despesas acima de R$ 5 mil por mês, por bandeira”, explica Bordin. ● Informar doações inexistentesemdinheiro,comopropósito de promover acerto na declaraçãodeterceiros. AReceita pode pedir comprovantes da transação, como extrato bancário. ● Informar venda de imóvel porvalor diferente do declarado no cartório, para evitar ou reduzirimposto sobre oganho de capital. Os cartórios são obrigadosaenviara DOIaogoverno, com dados de todos os negócios. Além disso, a declaração do comprador, se trouxer o valor correto, pode expor a sonegação. ● Omitir ou alterar valores de alugueladministradopor imobiliária e de transações imobiliárias. As imobiliárias estão obrigadas a enviar ao governo a Dimob, declaração onde listam dados dessas atividades, com valores e nome e CPF de clientes. ●

DEDUÇÕES 1)Despesas abatidas integralmente dos rendimentos tributáveis: ● Previdência social oficial: o total recolhido no ano é informado no documento entregue pelo empregador,nocaso deassalariados. A contribuição facultativa ao INSS paga pelo declarante em nome de dependente sem renda, como o cônjuge, não pode ser deduzida ● Pensão alimentícia: todas as despesaspagas em cumprimento de decisão ou acordo judicial homologado e também escrituração pública ● Despesas médicas: gastos com tratamento próprio e de dependentes e com alimentandos em cumprimento de decisão judicial, inclusive por escrituração pública. Incluem-se gastos com médi-

cos, dentistas, psicólogos, hospitais, exames laboratoriais e serviçosderadiologia eaparelhosortopédicose dentários, entre outros ‘● Livro-caixa: gastos escriturados por autônomos relativos à remuneraçãode terceiros com vínculo empregatício e encargos; emolumentos e despesas de custeio necessárias à percepção da receita e à manutenção da fonte produtora

2) Despesas abatidas com limite dos rendimentos tributáveis: ● Previdência privada: a contribuição é dedutível até 12% dos rendimentos tributáveis (vale somente para quem contribuir também a uma previdência oficial) ● Gastos com instrução:com a do contribuinte, dos dependentes e

de alimentandos legais, restritos a creches, unidades de ensino pré-escolar, fundamental, médio euniversitário, curso de especialização ou profissionalizante, até o limite individual de R$ 2.592,29 ●Dependente: R$ 1.655,88 por

pessoa 3) Despesas abatidas com limitediretamente do imposto apurado: ● Contribuição patronal ao INSS em nome do empregado doméstico: o limite é de R$ 651,40, independentemente de o valorrecolhido ser maior. Permitido para um doméstico apenas ● Incentivos: doações a fundos controladospelos Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescentes. O limite é de 6% do IR

10 I GUIA IR 2009 I Sexta-feira, 6 de Março de 2009

O ESTADO DE S. PAULO

Bens e Direitos

Relacioneoseupatrimônio NILTON FUKUDA / AE-15/10/2008

Aplicações financeiras, saldo de conta corrente, negócios com imóveis, carro. Tudo entra neste campo da declaração AfichadeBens eDireitosmostraopatrimôniodocontribuinte e de seus dependentes (imóveis, carros, aplicações, conta corrente,participaçãoemempresas, etc. ) em 31/12/2007 e 31/12/2008. A variação patrimonial percebida tem de ser compatível com os rendimentos informados, para que a declaração não apresente inconsistência e caia em malha fina, alerta o coordenador editorial da IOB, Edino Garcia. Aprimeira preocupaçãodeve ser dar baixa de bens vendidos e entrada de bens adquiridos. Não é preciso relacionar bens móveis, exceto carro, de valor inferior a R$ 5 mil. Já para aplicações financeiras o limite é bem menor: só está dispensada a informação de apli-

BOLSA - Opção obriga entrega

cação e conta corrente com saldo unitário de até R$ 140. Muitos contribuintes consideramdefasadoovalordeimóvel em suas declarações. A atualização, no entanto, não é permitida, exceto por realização de benfeitorias que possam ser comprovadas com notas fiscais e recibos, se houver uma convocação da Receita. Os bens tiveram seus valores atualizados pela última vez

em 1996; os adquiridos depois permanecem na declaração pelo custo de aquisição. Veja como declarar imóveis e carro em reportagens nesta página. Ossaldosbancários emconta corrente e aplicações, como caderneta e fundos de investimento, devem ser informados de acordo com informe de rendimentosenviadopelainstituição. Saldos unitários inferiores a R$ 140 em 31/12/2008 não precisam ser relacionados. Ações são informadas pelo custo de aquisição, e não pela cotação em 31/12/2008. Ações com custo de aquisição de até R$ 1 mil não precisam ser relacionadas. O rendimento de caderneta e o lucro com venda de ações por valor de até R$ 20 mil/mês são isentos. O rendimento de outras aplicações vai em Rendimentos Sujeitos à TributaçãoExclusiva.Setevelucrotributável com ações em qualquer mês do ano, o contribuinte deve preencher o demonstrativo de Renda Variável. ●

Informenegócioscomimóveis COMPRA À VISTA EM 2008

A aquisição entra na Declaração de Bens, com o código do tipo de imóvel. No quadro Discriminação, informe endereço, valor da aquisição, nome e CPF/CNPJ do vendedor, data do negócio e forma de pagamento. Deixe a coluna 31/12/2007 em branco e informeovalordaaquisiçãonacoluna 31/12/2008. COMPRA FINANCIADA EM 2008

A aquisição deve ser informada na Declaração de Bens , com o código do tipo de imóvel.No quadro Discriminação, informe endereço do imóvel, nome e CPF/CNPJ do vendedor, condições do financiamento com construtora e/ou

agente financeiro e data do negócio. Deixe a coluna 31/12/2007 em branco e informetotalpago em2008na coluna 31/12/2008. Não informe saldo devedor na ficha de Dívidas em caso de financiamento bancário. COMPRA FINANCIADA ANTES DE 2008

Repita a discriminação do bem feita na declaração de 2008(ano-base2007).Nacoluna 31/12/2007, repita o valor da coluna 31/12/2007 da declaraçãoanterior.Aessevalorsome pagamentos ao banco ou à construtora em 2008 e informe novo total em 31/12/2008. Não informe o saldo devedor combanco na fichade Dívidas.

VENDA EM 2008

Éprecisodarbaixanadeclaraçãodebens, comdadosdavenda e do comprador (nome, CPFouCNPJ)echecarse houve lucro tributável (diferença positiva entre valor da venda e valor constante na declaração). Há isenção do lucro na venda do imóvel por pequeno valor (até R$ 35 mil); do único imóvel por até R$ 440 mil, se o contribuintenãotiverfeito outra venda nos últimos cinco anos; de imóvel residencial, desde que, no prazo de 180 diasda venda, ovendedorapliqueo recurso obtido na aquisição de outro imóvel residencial. Acaba também ficando isento imóvel adquirido antes de 1969, por causa do desconto

Dívidas ●● ● Devem ser informados em Dívidas os débitos com bancos (crédito pessoal, cheque especial), financeiras, outras empresas e pessoas físicas de valor igual ou superior a R$ 5 mil. A novidade é que o contribuinte deve informar até mesmo dívidas assumidas e quitadas em 2008. Até o ano passado, era preciso informar apenas as pendências no dia 31 de dezembro do ano-base. O contribuinte não deve informar saldo devedor de financiamento do SFH ou similar. Mas cabe informar débitos que o comprador de imóvel, por exemplo, tenha com o vendedor pessoa física ou que o contribuinte tenha com um parente. ●

de5% porano do lucroobtidocom vendade imóveladquirido até 1988. Fora dessas condições, o lucro é tributável (alíquota de 15%). O imposto venceu no último dia útil do mês seguinte ao da venda. O cálculo deve ser feito no programa GanhodeCapital 2008(downloadnositewww.receita.fazenda.gov.br),de ondeoresultado é importado para a declaração. Em caso de isenção,olucroentranadeclaração como rendimento isento. Caso o vendedor financie parte do valor ao comprador pessoa física, ele deve dar essa informação na declaração de bens, com o código referente a empréstimo a pessoa física, considerando como saldo em 31/12/2008 o valor que lhe era devido naquela data. ●

Asvárias formasde declararo carro Toda compra de carro precisa ser informada na Declaração de Bens. Na coluna Discriminação, informe marca, modelo, ano e placa do veículo, nome e CPF ou CNPJ do vendedor, data e valor do négocio. Veja: COMPRA À VISTA

Deixe a coluna 31/12/2007 em branco e informe o valor da compra em 31/12/2008. FINANCIAMENTO

Na coluna Discriminação, inclua além dos dados acima o agente financeiro e condições do financiamento. Bem financiado em 2008: deixe a coluna 31/12/2007 em branco e informe o total pago com entrada e prestação em 31/12/2008. Financiamento feito antes de 2008: informe em 31/12/2007 o total pago até essa data e em 31/12/2008 o total pago até 31/12/2007acrescidodospagamentos em 2008. Não informe saldo devedor em Dívidas. CONSÓRCIO

Bem recebido em 2008: informar no código 95, em 31/12/2007, o valor constante na declaração de 2008. Não preencher a coluna 31/12/2008.Nocódigoespecífico do bem, informar na coluna Discriminação os dados do bem e do consórcio. Deixar em branco a coluna 31/12/2007. Na coluna 31/12/2008, informar o valor declarado em 31//12/2007 sob o código 95 acrescido dos valores pagos em 2008. Consórcio não contemplado: informar o código 95 e os dados do consórcio na coluna Discriminação. Repetir em 31/12/2007 o valor de 2008. Em 31/12/2008 vaio valor declarado em 31/12/ 2007 mais os pagamentos em 2008. ●

O ESTADO DE S.PAULO

Sexta-feira, 6 de Março de 2009

I GUIA IR 2009 I 11

Entrega

Acompanhesuadeclaração BETO BARATA/ AE-1/8/2008

Contribuinte pode verificar no site da Receita se declaração tem problema, retificar e sair da malha fina O contribuinte tem prazo até 30 de abril para apresentar suadeclaração.Ohorário limite nessa data depende da forma de entrega. Pela internet, o encerramento será às 24 horas (horário de Brasília). Em disquete, a entrega precisa ser feita dentro do horário de expediente das agências do BancodoBrasiledaCaixaEconômica Federal. Em formulários, no horário de funcionamento normal das agências dos Correios. O preço do formulário é R$ 4. Na entrega pela internet ou emdisquete, ocontribuinte receberá um recibo com número. No caso de formulário, o contribuinte precisa apresentaruma cópiaparacarimbode protocolo. Guardar o número do recibo é importante porque com ele será possível acompa-

FORA DA MALHA - Adir orienta contribuinte a consultar extrato

TABELA DE CÁLCULO

Exercício de 2009 (ano-base 2008) Base de cálculo Até R$ 16.473,72 De R$ 16.473,73 a R$ 32.919,00 Acima de R$ 32.919,00

Parcela a deduzir -.R$ 2.471,06 R$ 6.585,93

FONTE: RECEITA FEDERAL

nhar o processamento da declaração por meio do extrato simplificado e dar maior segurança à declaração de 2010. É muito importante que o contribuinte consulte o extratosimplificadonositewww.re-

Débitoautomáticovale para1ªcotaeúnica No pagamento do imposto, uma novidade este ano é a possibilidade de incluir em débito automático também a 1ª cota ou a cota única. A facilidade, no entanto,exige antecipação da entrega da declaração até 31 de março. O débito só ocorrerá em 30 de abril. Para declarações entregues a partir de 1º de abril é permitido débito automático apenas da 2ª cota em diante. A 1ª ou a cota única deve ser quitada com Darf (código 0211)emitido pelopróprio programa. O contribuinte pode parcelar o imposto de valor supe-

Alíquota Isento 15% 27,5%

rior a R$ 100. O parcelamento é em até oito cotas, com valor mínimo cada de R$ 50. A 1ª cota vence em 30 de abril, sem acréscimo, mesmo que o contribuinte entregue a declaração antes. As seguintes vencem no último dia útil dos meses subsequentes e devem ser atualizadas pela taxa Selic mais 1%. Para quem tem saldo disponível é mais interessante quitar o imposto à vista. Em caso de atraso, a multa é de 0,33% ao dia, limitada a 20%, mais correção pela taxa Selic.●

ceita.fazenda.gov.br. O serviço indica se a declaração foi ou nãoprocessada,secaiuemmalha fina e qual o problema. Se o contribuinte reconhecer a divergência, pode corrigir o dadocomoenvio deuma retifica-

doraeretirar,assim,suadeclaração da malha. Segundoosupervisornacional do Programa do Imposto de Renda, Joaquim Adir, as consultas ao extrato simplificado possibilitaram redução de 24,6% do número de declarações em malha fina no ano passado foram 479 mil declarações retidas em 2007 e 361 mil em 2008. Adir avaliou que, com a consulta ao extrato, milhares de contribuintes puderam retificar declarações e, assim, sair da malha fina. Após o envio da declaração, é importante fazer uma cópia em CD e outra impressa e guardar junto com os comprovantes utilizados no preenchimento. “Tudo deve ser guardado até 2014”, alerta Edino Garcia, coordenador editorial daIOB.OprazoqueaReceita tem para chamar o contribuinteaapresentarcomprovantes é de 5 anos, mas, segundoEdino,elesócomeça a contar em 2010. ●

e-CPFenºdorecibo adiantamrestituição Têm prioridade na restituição do imposto os contribuintes com 60 anos ou mais e aqueles que declaram pela internet. No fim da fila ficam os declarantes em formulário. Entre os que entregam pela internet (a quase totalidade), recebe primeiro quem entrega primeiro, mas este ano mais dois fatores deverão influenciar a ordem da fila: serão processadas primeiro as declarações de contribuintes que entregarem com certificação digital (e-CPF) e aqueles que informarem o número do recibo da declaração de 2008.

As restituições serão feitas em sete lotes, de junho a dezembro, no dia 15 de cada mês. O 1º lote deverá ser composto em sua quasetotalidade pelas restituições dos idosos. A consulta ao lote de restituição fica disponível por volta do dia 10 do mês. O valor é restituído na conta bancária indicada pelo contribuinte e é corrigidopela taxa Selic acumulada desde maio mais 1%. A correção costuma superar o rendimento de aplicações financeiras oferecidas pelo mercado. ●

Como retificar osdados O contribuinte pode enviar uma declaração retificadora a qualquer momento. Até 30 de abril, a retificadora pode ser feita em modelo diferente da original. Após essa data, não é permitido trocar a opção. Quando há restituição, a dica é fazer a reapresentação o mais rápido possível, porque retificar significa ter de entrar de novo na fila da restituição. Para retificar, o contribuinte deve abrir a original e, na ficha de identificação, selecionar a opção. É obrigatório informar o número do recibo da declaração original. Aretificadorateránovo númerode recibo e só pode ser apresentada pela internet ou em disquete. Este ano a Receita passa a exigir a entrega de retificadora também nos casos em que o contribuinte quer antecipar, parcialou integralmente,oimposto a pagar.●

Evitemulta poratraso A entrega da declaração de 2008 pode ser feita a qualquer tempo após 30 de abril, porém, com multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido. Os encargos se aplicam também a declaração que não resulte em imposto devido. O programa emite o Darf a ser recolhido. Se não for paga, a multa será deduzida com multa e juros da restituição nas declarações com esse direito. Se houver imposto a pagar, o valor não poderá ser parcelado. Declarações em atraso só podem ser entregues pela internet ou em disquete.●


Estadão - O Estado de São Paulo