Page 1


Imagina a praia. Cortada ao meio por coisas tão diferentes, mas tão próximas. Imagina a areia, cheia de grãos finos e pequenos, ao logo da costa. Olha para a areia, igual, mas tão diferente. Alguns grãos, ficam ao pé do muro, abrigados do vento, não querendo ir mais além. Há ainda aqueles grãos que apesar do mar, longe estar, querem viajar, ser levados pelas suas doces e fortes rajadas. Há muitos tipos de grãos, á medida que da espuma dos aproximamos. Aí, encontramos aqueles, sem medo à indiferença e lutadores quando é descriminação. Aqueles que querem ir, querem sair e conhecer outras coisas. Por mais assustadores e longínquas que estejam. Uns partem, outros ficam á espera da sua vez, na esperança, de saber notícias, ou mesmo na fantasia que voltem. Quando partem, mais distantes ficam, sem saber o paradeiro, um do outro, no meio do oceano imenso. E mesmo assim, ouvem os silvos do vento, lá em cima, e mesmo as correntes azuis da água, com boas ou más aragens. Mas no pensamento corre os bons momentos que passaram, a confiança que compartilharam, está sempre guardada, e disponível para mais. Isto é o meu pensamento, um grão de areia, numa praia á beira-mar, no mundo desconhecido, para ir á descoberta, no qual, aconteça o que acontecer, estarei sempre aqui, assim como um amigo deve estar.

Este livro é dedicado a todas as pessoas, que acordam de manhã e vêm o sol mesmo quando está nevoeiro.


Ao olharmos para trás, o tempo brinca com a resistência das memórias de todas as cortinas que tentamos fechar. O lugar que transforma-mos com o tempo é nada mais nada menos que a nossa mente num absoluto conforto de sobrevivência, ao adaptarmos o lugar ao nosso dia-a-dia estamos desta forma a adquirir conhecimento, a isto chamamos evolução. No espaço todas as projecções postas sobre o espírito, tornam-se sentimentos dos quais tiramos partidos para a aprendizagem e conforto, em muitos deles entramos numa cápsula absolutamente resistente, da qual muitos ficam grande parte do tempo e da qual muitos outros lutam para sair e “sobreviver”, chamamos a isto vida. Como uma música, os movimentos oscilam de cima para baixo e de baixo para cima, mantendo poucas vezes a mesma posição tal como um corpo em descobrimento, tal como a mente de uma criança, isto é a infância. Deste modo entendemos que tudo se torna adversário em relação ao nosso consentimento, quanto mais dependemos de algo, menor nos tornamos, nada é comum à comunidade pois tudo é diferente de indivíduo para indivíduo, as perspectivas não são iguais. Nada de novo pode ser novo quando tudo o que é novo afinal já existia, no entanto tudo o que é novo é como se não existisse pois, apesar de já existir, só agora o descobrimos. A melhor maneira de obter respostas é não nos esforçarmos a obtê-las, a reflexão é o melhor método para encontrar soluções.


A amizade é um sentimento?

Esta avaliação pode ser feita para você medir tanto o seu grau de amizade como o grau de amizade do seu amigo (neste caso, responda as questões como se fosse ele). Quando recebes um presente caro, o teu amigo fica: a) Feliz por estares feliz b) Faz um sorriso amarelo c) Aparece com algo semelhante passado poucos dias Quando pedes um favor ao teu amigo, ele: a) Vai a correr ajudar-te b) Disfarça e muda de assunto c) Apresenta-te uma desculpa e acaba por “não poder“ ajudá-lo Quando estás com um problema o teu amigo reage: a) Preocupado, e dando-te concelhos como se estivesse também a viver o problema. b) Ouvindo apenas c) Com indiferença Quando você e o seu amigo discutem, a reacção dele é? a) Fica chateado, dá um tempo e depois vai ter consigo e conversa sobre o assunto. b) Fala tudo o que pensa sem papas na língua, ignorando a sua razão. c) Fica de mau humor, e espera que você lhe peça desculpas. Quem fala mais de si próprio, e conta mais segredos? a) Você e o seu amigo b) Você c) O seu amigo RESULTADO: Mais A- Têm um grande amigo, vale a pena cultivar esta amizade. Mais B- É uma amizade indiferente, pode vir a crescer ou a desmoronar-se. Mais C- Fuja deste tipo de amizades, ou então estabelece apenas uma relação informal sem partilhar confidências.


Amizade

sem

confiança

amizade,

na

amizade

mentiras verdadeiras

nem

não não

traições. amizades

sinceridade

para

tudo,

verdadeiras

amizades

é há

Nas há nas quando

existe distância os amigos não se separam; continuam a confiar e a acreditar.

Por vezes temos fazes na vida em que estamos a andar e vemos as nossas pegadas e as de um amigo ao nosso lado, mas nas fazes mais difíceis ao olharmos para o chão apercebemo-nos que só temos duas pegadas e perguntamo-nos porque nos deixaram sozinhos, ai percebemos que não estávamos só


E o que é um amigo? Um amigo é estar unido, ser amigo é amar, ser amigo é ter alguém ao nosso lado todos os dias, não só quando nos convêm, mas sim sempre… e a amizade é isso mesmo, a confiança entregue na inocência de nós, mesmo

pedindo

inconscientemente

ajuda para todos os nossos problemas, é uma hipótese de entregar um sorriso e fazer sorrir quem gostamos...

A amizade define-se pela confiança e cumplicidade entre as pessoas, quando se ajudam sem pedir nada em troca, que estão nos momentos difíceis quando mais se precisa.


Vive, conta piadas sem piada. Goza contigo mesmo. Embebeda-te. Diz asneiras. Diz às pessoas que as odeias, ou que as amas e acreditas no para sempre.

Vai ter com a pessoa que amas e diz-lhe que sem ela a tua vida não seria igual, agradece a todos os que te têm feito bem e dá um xuto no cu a quem te quer mal, vive cada dia como

se fosse o último, pois amanha tudo pode ir embora, como uma leve pena que voa com o vento,


Mostra com todos os sentimentos que tens quem são os teus verdadeiros amigos e da lhes provas que confias neles.

Aproveita, não percas tempo, amanhã tudo pode mudar, tudo pode ser diferente, vá, força.

Tu não tens 7 vidas, tudo pode desaparecer e tu não mostraste/disseste aquilo que sentes, não fizeste aquilo que queres.


Antoine de Saint-Exupéry

Mas com tanto que ela é, de que nos serve ela? Para chorarmos e culpabilizarmo-nos por algo que não tive-mos culpa ou por algo que nos deu a apreender? Todos os erros que cometemos, são lições de vida, e em toda a vida, a vida, nos vai trazer lições de vida sem cometermos erros alguns. Estar infeliz não é solução, e como diz Charles Chaplin:

Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a colocar-se em primeiro lugar não é egoísmo. Para qualquer escolha segue-se alguma consequência, vontades efémeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder para aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar para o resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.


A tristeza é um mar sem fundo, é um universo no qual conseguimos ver um fim, é uma natureza surreal á natural natureza, a tristeza é uma terra de um campo, onde não crescem mais flores, onde não crescem mais árvores, a tristeza é quem para o sorriso, um sorriso é uma luz para tantos outros, a tristeza é uma lâmpada sem força para o caminho da vida.


Amor não significa o que normalmente entendemos como tal. O amor comum é um simples fingimento; há algo oculto por trás dele. O verdadeiro amor é um fenómeno totalmente diferente. O amor comum é exigente, o verdadeiro amor é partilha. Nada conhece de imposição; só a alegria da dádiva. O amor comum vive de aparências. O verdadeiro amor é autêntico; simplesmente, é. O amor comum é quase doentio, adocicado, escorre, é o que chama-mos de “amorzinho”. É enjoativo, nauseante. O verdadeiro amor é alimento, fortalece a alma. Enquanto que o amor comum só alimenta o seu ego – não o seu verdadeiro eu mas o seu ilusório, mas o autêntico alimenta o verdadeiro.

Se lançar-mos amor a tudo o que nos rodeia, e isto significa distribuir o que temos, repartindo não o fazendo como se fosse um dever, pois se o fizermos como um dever toda a alegria e a recompensa de o fazer-mos vai desaparecer, não podemos sentir que é como uma obrigação devemos amar-nos a nós em primeiro lugar. Por vezes pensamos que se nos amar-mos apenas a nós próprios estamos a ser egoístas mas a verdade é que para amar-mos os outros e tudo o que á na Terra devemos em primeiro lugar conseguir lançar o amor para dentro do nosso ser.


O ódio é a acumulação de energias negativas por algum motivo, ou por vezes apenas porque nos dá prazer fazê-lo. Quando alguém nos provoca, quando não conseguimos fazer o bem o que queremos, quando um amigo nos magoa, quando falhamos ou algo nos falha a nós.

Esta reacção deve-se à função de defesa do nosso sistema nervoso. E a defesa perante as situações, varia de pessoa para pessoa, há quem lute e odeie. Para o ultrapassar, é necessário um

estudo

pessoal

de

consciência própria, analisar o porquê e como o ultrapassar, não cedendo.

Devemos lembrar-nos de coisas que nos fazem felizes, das pessoas que nos fazem felizes, e se estivermos sozinhos bem… então deve-mos pensar na sorte que temos por estar vivos, por comermos e por, ainda, ter força para pensar em tudo isto. A maior força está dentro de nós, um sorriso transmite-se. Se nos concentrarmos em coisas más depois de nos responsabilizarmos por tudo, vai levar-nos a ataques de raiva, choro, má disposição (a nível físico e psicológico), cansaço físico e procura de alternativas como a violência, drogas, etc. Hoje em dia por mais medicação que seja possível usar, ou por mais médicos que tenha-mos a única cura está na nossa força de vontade e autonomia perante a resolução desta problemática.


Analisando a situação presente e incidindo sobre uma solução adequada é talvez o melhor método para controlar a raiva. Procure honestamente entender por razão uma determinada pessoa se comportou de uma maneira especial, o que lhe causou raiva. Definitivamente, essa pessoa teria um forte motivo para a sua acção. Uma vez que descubra a razão a sua raiva pode diminuir ou até desaparecer completamente. Se você perceber que expressar sua raiva que nem sempre consegue o que você pretende, então se torna mais fácil o controle da raiva. Evite pensamentos negativos e emoções, tanto quanto possível. Deve desenvolver atitudes positivas.

Se uma pessoa o irritou, tente ter uma discussão franca. A comunicação directa diminui a força da raiva. Dar a outra pessoa uma audição do paciente é tentar corrigir o erro. O erro pode ser da sua parte ou da parte da outra pessoa, mas falar sobre isso abertamente normalmente resolve o problema. Praticando humor e saindo do ambiente actual são outros métodos eficazes de lidar com a raiva. Se você fizer um esforço sincero, o controlo da raiva é bastante simples.


A raiva é um sentimento de protesto, insegurança, timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que as pessoas demonstram quando se sentem ameaçadas. Por vezes a raiva deve-se ao passado de uma pessoa, quando em crianças fomos mal tratados, ou punidos, existe uma tendência para nos mantermos alertas para certas ameaças. Estudos provam que quem se irrita com mais frequência têm uma maior possibilidade de vir a sofrer de enfartes.

O que fazer para controlar a raiva? Técnicas O que fazer para controlar a raiva? Técnicas de relaxamento * Problema, abordagem, e resolução * Método de reestruturação cognitiva * Melhorar a comunicação * Voltando ao humor * Mudar o actual ambiente. de relaxamento * Problema, abordagem, e resolução * Método de reestruturação cognitiva * Melhorar a comunicação * Voltando ao humor * Mudar o actual ambiente.


Você lida bem com a raiva? Se usada com inteligência, a emoção pode ser um óptimo instrumento de autoconhecimento e crescimento profissional. Faça o teste extraído do livro. “Tenha Calma”, de Vera Martins, e descubra como você encara o sentimento.

1) Quando preciso fazer meu trabalho e faltam informações, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

2 ) Em relação ao trabalho, eu: 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

3 ) Quando não sou envolvido em uma decisão que me afeta ou que afeta o meu trabalho, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso


4) Quando não tenho clareza sobre os objetivos que preciso atingir, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

5) Quando algum colega nega cooperação no trabalho, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

6) Quando um colega trai minha confiança, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

7) Quando levo a culpa por um erro que não cometi, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso


8 ) Quando se esquecem de me convocar para uma reunião importante, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

9 ) Quando percebo que fui manipulado por alguém do trabalho, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

10 ) Quando estou triste e preocupado com alguém de minha família e meu gestor não leva em conta meus sentimentos e só me cobra resultados, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

11 ) Quando alguém faz uma crítica a meu trabalho, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso


12 ) Quando alguém usa informações que eu coletei em benefício próprio, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

13 ) Quando alguém da empresa mente para mim, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

14 ) Quando percebo que meu trabalho não é reconhecido, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

15 ) Quando sinto que a empresa não investe em mim como eu gostaria, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso


16 ) Quando alguém se apropria de uma ideia minha, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

17 ) Quando alguém não cumpre o que prometeu, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

18 ) Quando alguém contraria a minha vontade, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

19 ) Quando alguém questiona a veracidade das minhas palavras, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso


20 ) Quando alguém do trabalho diz que vai me aconselhar mas acaba me criticando, eu 1.

Não sinto nenhuma emoção negativa

2.

Fico irritado

3.

Sinto uma raiva controlada

4.

Sinto muita raiva

5.

Fico furioso

Resultado do teste: Mais respostas A Você está isento da emoção de raiva e se sente bem resolvido nessas situações. Pode ser que, por ter passado por experiências como essas no passado, você já sabe como agir hoje ou que, simplesmente, se sinta confortável.

Mais respostas B

Ficar irritado é normal. Se você consegue se sentir confortável apesar da irritação, está administrando bem as emoções negativas.

Mais respostas C

Seu emocional é muito estimulado no ambiente de trabalho. Se você se sentir confortável com esse sentimento, saiba que ainda está controlando bem suas emoções.

Mais respostas D

Você está lidando com muitas situações que estimulam a sua raiva. Tome cuidado, pois o sentimento mal administrado pode fazer com que você fique vulnerável. Avalie seus pensamentos no momento de raiva: você sente que estão indo contra seus princípios? Esta é uma raiva justa ou é desnecessária? As respostas a estas perguntas o ajudarão a entender o motivo do seu sentimento – primeiro passo para quem quer aprender a lidar bem com a raiva.

Mais respostas E

A intensidade de sua raiva pode deixá-lo vulnerável a ponto de perder o controle da situação. Repense sua atitude e se esforce para conseguir se acalmar quando a ira aparecer.


Se ela continua a discutir com a mãe para estar com ele, se ele continua a chorar por ela. É não saber se ela está feliz, e ao Tu podias ficar no quarto e ela na sala, sem se verem, mas sabiam-se lá. Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer

o tornozelo

dói. Um estalo, um soco,

um

pontapé,

doem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói o cancro, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é a saudade. Saudade de um irmão que

mora

longe,

saudade

de

o

meu

decimo

aniversário,

saudade do pai que morreu,

do

amigo

imaginário que nunca existiu,

saudade

de

uma cidade, saudade de nós mesmo, que o tempo

não

perdoa.

Doem estas saudades todas. Mas a saudade mais

dolorosa

é

a

saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e

até

da

consentida.

ausência

Tu

podias

ir

para

a

mesmo

perguntar

a

mais magro, se ela está

treino,

Saudade

onde. Tu podias ficar o dia sem vê-la, ela sem te

os

querer saber se ele está mais bonita.

sabiam-se

todos

amigos por isso...É não

faculdade e ela para o mas

tempo

é

não

saber

mesmo! Não saber o que

sabiam-se

fazer com os dias que

amanhã. Contudo, quando

ficaram mais compridos.

o amor de um acaba, ou

Não

ver,

mas

torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que

saber

como

encontrar tarefas que lhe

ninguém sabe como deter.

cessem o pensamento, não

Não saber mais se ela

saber

ainda se arrepia com os

lágrimas diante de uma

beijos que ele lhe dá no pescoço. Não saber se

como

frear

as

música triste, não saber

ele continua a usar o

como vencer a dor de um

perfume que ela lhe deu.

silêncio

que

preenche.

Saudade

Não saber se ela ainda usa os anéis que ele lhe

nada é

ofereceu. Não saber se

nunca mais saber de quem

ele foi estudar

se ama, e ainda assim

como

prometeu. Não saber se ela tem comido bem, se ele

tem

assistido

às

aulas na faculdade, Não saber

se

ela

a

fotografia dele antes de dormir, não saber se ela continua

a

dizer

as

amigas que o ama, se ele continua

a

dizer

aos

amigos que só vive para ela.

doer. Saudade é isso que eu

estive

a

sentir

enquanto escrevia. E o que tu provavelmente estarás a

sentir

depois

de

acabares de ler.

Diogo Correia


A imaginação é a ausência do pensamento, e de sentidos, é um sonho que sonhamos acordados e por vezes a dormir, é uma criação e descoberta de novos e variados dados nas cores. São assas transformadas em vento, pois não a podemos controlar, é tão forte e imensamente grande ao ponto de nunca sabermos onde nos vai levar, não têm limites

Num mundo gigante, todos nós somos anões, apesar de tudo o que temos só há uma coisa que conseguimos

transformar

no

mesmo tamanho que o mundo: a imaginação. A imaginação não é um estado de espírito, nem um estado psicológico proporcionado por qualquer sentimento causado pelas circunstâncias da vida.


Os limites são algo que só serve para pararmos de crescer, uma pessoa inteligente não necessita d e limites, uma criança não necessita limites, uma pessoa esperta necessita de limites para se tornar inteligente. Nestes casos a imaginação é proporcional, têm vários graus.

Na infância a imaginação é um pouco mais criativa é um vento mais colorido e mais forte que qualquer vendaval, imaginemos um tufão rodopiando em vez da direita para a esquerda, e da esquerda para a direita, vamos imagina-lo a rodopiar de cima para cima, assim é a imaginação de uma criança é uma ilustração estrondosa, uma pintura magnifica e tão abstracta que está sempre a mudar e só ela a consegue perceber.


O amar, o gostar, ou apenas a pequena paixoneta ou a atracção trazem consigo o sentimento mais duro de suportar: o ciúme. Podem falar da dor que a nossa pessoa amada nos deixa quando nos magoa, a falta de estar com ela por dias e noites a fio, mas nunca a sensação de sermos deixados de parte pela pessoa que nos é querida. Saber que está com outra pessoa, a falar, a rir, a desenvolver uma relação, e nós ali, parados, sabendo do que se passa. Podemos deixar passar, mas o ciúme nunca vai embora. Podemos resolver o problema, uma, duas três vezes, mas vai estar sempre lá. O ciúme, o fogo ardente e doloroso que nos consome por dentro, desabando-se em lágrimas e gritos de manifestação. Parece que ninguém compreende. Ninguém compreende a dor dos outros, apesar de a sentir. O olhar, a conversa, o sorriso, tudo pode significar algo, para quem está com o ciúme em seu poder. Não se pode controlar o sofrimento que vem daí, apenas, viver com ele.


E Tu? COMO REAGES COM AS SITUAÇÕES? 1- Tu estás a passear a pé por um caminho. O que vês á tua volta? a) Uma floresta escura, com enormes árvores, que impedem até a passagem dos raios de sol. b) Um campo de milho, debaixo de um céu fantástico c) Montanhas grandes, cobertas por árvores bem verdes 2- Em qual objecto tu tropeçarias? a) Um espelho b) Um anel c) Uma garrafa 3- Você pegaria qualquer um deles? a) sim b) não 4- Seguindo pela mesma trilha, tu tinhas que atravessar um pedaço cheio de água. O que seria? a) Um limpo, claro e sereno lago b) Uma ruidosa cachoeira c) Um borbulhante riacho 5- No meio da caminhada, tu vês uma chave dentro da água. Como é que ela é? a) Normal, de uma casa b) Uma bonita chave antiga c) Bem pequena, de cadeado 6- Depois de passar pela água, tu continuas andando e, logo á frente, vês uma casa. De que estilo? a) Uma mansão à la Hollywood b) Uma cabana com um gramado bem aparado c) Um lindo castelo em ruínas 7- O que é que tu fazes? a) Entras b) Olhas pela janela c) Não te interessa 8- De repente algo cruza o teu caminho e assusta-te. O que é? a) Um urso b) Um mágico c) Um gnomo 9- Agora, você chega a um muro com uma porta e dá uma espiada no buraco da fechadura. O que vê do outro lado ? a) Um jardim maravilhoso b) Uma lagoa no meio do deserto c) Uma praia com ruidosas ondas


RESULTADOS: 1) A VIDA COMO VOCÊ A VÊ a) A floresta indica que tu vais fundo nas coisas que queres, sabes identificar os teus objectivos e conciliar as tuas metas, porém és quieto(a), calmo(a) e cauteloso(a). Todos os que te conhecem o (a) acham-te interessante e não se cansam de elogiar o teu ar misterioso, já que, por nada neste mundo, mostra o teu verdadeiro eu logo de cara. Sabe ser um bom ouvinte. b) O campo de milho indica que tu és brilhante, sociável, amável, brincalhão (ã). Fazes amigos com facilidade e raramente te sentes sozinho(a). Aonde quer que vás, és sempre o centro das atenções e , por isso, sente-te feliz e divertes-te, digamos, até com uma certa facilidade . c) Caso tenhas escolhido as montanhas, é sinal de que tu és prático(a), tens senso de justiça, pé no chão e conquistas as pessoas pela tua honestidade. Uma prova disso é que a tua atitude quando alguém pede ajuda a resolver um problema. Antes de tomar qualquer partido, ouves as partes envolvidas.


2 ) A PESSOA DOS SEUS SONHOS: a) A escolha do espelho mostra que você não acredita que " pólos opostos se atraem" , quando isto é em relação ao amor, e que, só vai sossegar quando encontrar a sua "alma gêmea" , a pessoa que tenha os mesmos ideais seus. Nada mais justo. Só que é bom olhar um pouco mais a sua volta, porque de repente a pessoa perfeita para você pode ser alguém que normalmente você não olharia duas vezes. b) A escolha do anel significa que você coloca os sentimentos acima de qualquer outra coisa na vida, até de seu amor próprio. Romântico(a), acredita em amor eterno, e rima "amor com dor". Mesmo quando está sofrendo e sendo rejeitado(a), continua acreditando que a pessoa um dia vai descobrir que te ama. No seu projeto de vida, embora não admita, quer que seu parceiro(a) cuide de você e supra suas carências. c) Se escolheu a garrafa você é ambicioso(a), inteligente, prático(a)e quer um companheiro(a) que ajude e batalhe ao seu lado, mais do que, amor,paixão, busca companheirismo e um parceiro(a) esperto(a), disposto(a), colaborador(a). Dos chamados " moscas mortas", prefere manter distância.

3) VOCE QUER UM COMPROMISSO SÉRIO? a) Se respondeu sim, você não vê a hora de encontrar a pessoa certa, ou estando com alguém não tem problemas em se envolver. b) Se respondeu não, tem outras prioridades, pelo menos por enquanto.


4) LIMITES DA PAIXÃO a) O lago reflecte seu desejo de querer se ver livre de relacionamentos superficiais. Porém, só quando encontrar alguém muito especial, é que vai mergulhar de cabeça. b) A cachoeira revela que você gosta de conquistar, esbanjar seu charme e saber que as pessoas se apaixonam facilmente por você, mesmo que para você logo tudo perca a graça. Mas sempre aparece alguém novo, aliás, muito natural. c) O que um riacho é capaz de fazer, não? Você vive apaixonado(a), e sempre por alguém diferente. Você é movido à paixões e emoções intensas, passional. Não dá outra: está sempre com uma pessoa diferente e sempre jurando que encontrou o amor de sua vida.

5) FUTURO BRILHANTE a) Se viu a chave de uma casa, você tem uma vontade secreta de abrir novos horizontes na sua vida, só não sabe que rumo seguir. b) Se viu a chave antiga, mostra que você tem garra e uma vontade ilimitada de aprender tudo o que puder e que vai atrás e luta por seus objectivos. c) Ver a chave do cadeado significa que, você acredita na sua intuição para ajudá-lo(a) a encontrar um caminho, fora do comum, que te abrirá as portas do sucesso.


6) QUEM É QUE NÃO TEM AMBIÇÃO ? a) Escolher a mansão, quer dizer que você possui vários objectivos na vida, e muito legais. Além disso, se esforça para ser o (a) melhor em tudo que faz e sente-se atraído(a) por actividades que dão chance de expressar sua criatividade. b) A cabana é a visão de uma pessoa realista sobre seu próprio futuro e que tem os pés firmemente plantados no chão. E provavelmente vencerá em qualquer actividade usando o esforço próprio. c) Caso tenha achado o castelo mais simpático, é porque ainda não conseguiu decifrar muito bem o que deseja para o amanhã. Enquanto isso, para não se desapontar , caso alguma coisa dê errado, prefere sonhar com o que vai fazer com o dinheiro todo que irá ganhar, quando ficar milionário.

7- QUANDO O SUCESSO CHEGAR a) Entrar na casa é ter confiança em tudo o que faz, sabendo que existe sempre a possibilidade de erro ou acerto. Sendo assim, nada consegue atrapalhar seu caminho. b) Se você olhou pela janela, é porque tem medo de falhar, e, por isso, desiste de tudo, sem ao menos ter tentado. c) Caso não tenha se interessado, é porque você se contenta com coisas simples e prefere não correr atrás do sucesso.


8- MEDO DE QUE ? a) Para você, que escolheu o urso, depender de alguém é a coisa pior que pode te acontecer na vida. Na sua opinião, uma pessoa alcança a felicidade a partir do momento em que estiver pronta para andar com os próprios pés. b) Através do mágico, você demonstra o receio que tem com as situações que estão fora do seu controle. Porém, para aliviar tamanha tensão, procura ajuda com um poderoso gurú e explicações sobrenaturais para seus problemas pessoais. c) O gnomo é o retrato de uma pessoa preocupada com que os outros vão pensar dela, como os outros vão reagir se disser ou fizer coisas que elas não gostam ou aprovam. Afinal por que tanto medo de não ser aceito(a)?

9- SEU EU MAIS PROFUNDO a) Escolhendo o jardim, você provou que é maduro(a), honesto(a), sensível e dono(a) de uma inteligência privilegiada. Não é a toa que todos confiam em você de olhos fechados. b) Se escolheu a lagoa, ela apenas reforça a sua necessidade de ter seu próprio espaço, até para se isolar quando sente que as coisas não andam lá como tinha planejado. Chegará um dia em que você descobrirá que compartilhar os sentimentos com alguém de sua confiança poderá ajudá-lo(a) a ficar melhor. c) A praia é a escolha de quem é apaixonado(a) pela vida, nada convencional, com opiniões próprias, e nem um pingo de receio de defendê-las e mudá-las , se for preciso.

Sentimentos  

Trabalho de Área de Projecto

Advertisement