Issuu on Google+

R E V I S T A d iri g i d a e G R A T U I T A A G O S T O E S E T E M B R O 2 012 - E D . 2 5

www.41delivery.com.br

Paleta de Cabrito Assada


issue #25


41 mag

รndice

46

54

48

Destino Moscou

38

Cafeteria

42

Boulangerie

44

Novidade

50

Cerveja

52

Vinhos

56

Aconteceu Arraiรก

58

Night Life Biriri

60

Night Life Festinha Sertaneja

62

Aconteceu Kharina

Aconteceu Top Festas

Brooklyn Coffee Shop

40

Receita do Chef 41 mag

37


cafeteria

por Carlos Eduardo da Costa, do Kaffe-Kantate <cafe@41delivery.com.br>

Como o coração degusta uma xícara

de espresso... M uitas pessoas me pedem para ensiná-las a degustar café e, sem pensar muito, logo respondo: degustar aprende-se degustando! Afinal, todas as percepções de sabor se desenvolvem com a prática.

PhotoXpress.com

Os que já me conhecem sabem que prefiro usar o sentimento à técnica, tanto para a aprendizagem como para o ensino. Por isso, nada mais lógico que explorarmos nossos sentidos

38

41 mag

para o aprendizado. As ferramentas para uma análise sensorial estão todas instaladas em cada um de nós, basta sabermos usar. Basta sabermos sentir.

O primeiro passo é preparar nossas papilas gustativas para receber o ouro líquido. Uma pequena dose de água gaseificada é o ideal. Com a xícara de espresso servida, começamos então com o aspecto visual: o café deve estar com uma crema – textura na superfície, espessa, consistente e de coloração âmbar, às vezes tigrada. O que contribuirá para este fim é o que chamamos de quatro emes: moagem do grão, máquina de espresso, mão do barista e a mistura (blend). Eu ainda acrescento o quinto eme: momento em que se está apreciando a xícara, pois sei que há bons cafés em momentos ruins, assim como cafés ruins em bons momentos. E isso faz toda a diferença.

Beleza, aroma, sabor e momento! É do que precisamos para degustar um bom café espresso!

Após o aspecto visual, o aroma é o que deve ser observado. O aroma sempre deve ser agradável e remeter a outros aromas que, pela nostalgia provocada, causem sensações. As sensações de conforto, saudade e paixão certamente estarão presentes nos melhores cafés. E chega o momento da prova. O sabor, a percepção na própria boca, não é o principal, mas o que sacia o desejo despertado pela beleza enxergada, pelo perfume sentido. No sabor, devemos buscar a maior relação do que vimos e do que sentimos, completando os sentidos, ou seja, aquela sensação que construímos não pode ser destruída no primeiro gole, mas mantida no escorrer da xícara pela boca. E, para encerrarmos a degustação, temos ainda o after-taste. Neste estágio, cabe a nós percebermos o quanto o café foi agradável e o quanto permanece em nossa boca e em nossa memória. Se após uma refeição eu comer uma sobremesa, peço um café antes, para abrir o apetite, e outro após, pois sei que os bons cafés deixam um gosto tão agradável que o mais doce mel estragaria.


issue #25


receita do chef

por Sonia Evangelista, do Fadanelli <receita@41delivery.com.br>

Paleta de Cabrito Assada INGREDIENTES

MOdo de preparo

 00 g cebola 5 • 4 dentes de alho • 230 g cenoura • 250 g salsão • 200 g folhas de alho-poró • 250 g abacaxi • 300 mL molho inglês • 300 mL vinho tinto seco • 200 mL cerveja preta • Sal e pimenta preta a gosto

Cortar todos os ingredientes grosseiramente. Em um recipiente grande, coloque a paleta de cabrito inteira, em seguida adicione todo o tempero já cortado dentro da paleta, acompanhado do molho inglês, da cerveja preta e do vinho tinto seco. Adicione sal e pimenta a gosto. Deixe a paleta marinando por aproximadamente cinco horas. Depois, leve ao forno, com temperatura de 70 graus, e asse por aproximadamente quatro horas. Verifique de tempos em tempos, perfurando a carne com um garfo e regando com o próprio molho, até sentir que está bem macia. Para finalizar, nos últimos dez minutos, asse a paleta numa salamandra, para dar brilho e um pouco de crocância à carne. Sirva com batatas coradas, brócolis puxado com alho e tagliarini na manteiga.

Acompanhamentos Brócolis • Batatas • Tagliarini • Alho picado •

go que ocupei durante dois anos. Hoje, quem faz esse papel é ela, que tem talento de sobra para isso.

›› 41D: Quando vocês começaram a trabalhar juntos? Beto: Quando eu entrei na cozinha do Fadanelli, a Soninha já era uma das cozinheiras há bastante tempo. Na verdade, boa parte do que eu sei hoje, aprendi trabalhando ao lado da Soninha no fogão. Depois eu viajei, busquei novidades fora e voltei para comandar a cozinha do Fadanelli, car-

40

41 mag

41D: O Beto diz que você o ensinou. Você acha que ele também a ensinou? Soninha: Acho que mais do que ter trazido novidades de fora, o Beto faz um papel de pai dentro da cozinha. Ele vibra com aquilo, é motivador estar do lado dele. O Beto investe na formação da equipe e sonha muito com o sucesso individual das pessoas. Mas tem horas que dá medo: quando ele acha que o prato não está benfeito, ele fecha a mão e bate que nem louco em cima da bancada, parece que baixa o santo! 41D: Por que escolheram cozinhar? Beto: Quando eu tinha uns 18 anos,

meu pai começou a me obrigar. Ele dizia: “Beto, se quiser tocar o restaurante, tem que ir para a cozinha. O coração é ali.” Soninha: Comecei porque precisava trabalhar. A primeira vaga que eu achei foi dentro de um restaurante, e aqui estou desde então. Hoje, nem penso em outra profissão. Eu amo o que eu faço. 41D: Consideram-se apaixonados por comer e cozinhar? Beto: Eu tenho tantas outras paixões que não me considero, mas quem me conhece desmente. Dizem que eu sou um tarado por comida e cozinha. Soninha: Sim. Desde que entrei nesse mundo gastronômico, minha paixão pelo assunto só aumentou.


41 mag

41


por Edgar Donato <boulangerie@41delivery.com.br>

PhotoXpress.com

Boulangerie

O pão, o fermento

e suas fermentações

42

41 mag


O QUE SE SUPÕE Doze mil anos são suficientes para que um destrambelhado tenha esquecido de guardar na sua caverna grãos que eram esmagados com pedra contra pedra. Daí vem a chuva e molha. O tempo passa e a coisa estraga, azeda, como se costuma falar. Em realidade o que aconteceu foi o início do processo de fermentação. Ao ser levado para uma pedra quente da fogueira, como faziam todos os povos primitivos, perceberam que estavam comendo uma gororoba mais leve do que usualmente comiam. Alguns milhares de anos foram suficientes para que esse fato desse início ao uso de pães fermentados.

O PÃO NA ANTIGUIDADE Surgiu há cerca de 12 mil anos na região da Mesopotâmia, juntamente com o cultivo do trigo, que inicialmente era apenas mastigado. Só depois ele passou a ser triturado com pedras e transformado em farinha. Os primeiros pães eram bem diferentes dos atuais:

achatados, duros e secos, não podiam ser comidos logo depois de prontos porque eram muitos amargos. Chegou à Europa em 250 a.C. e, com a expansão do Império Romano, o hábito de consumir pão foi muito difundido. No século 17, a França destaca-se como centro mundial de fabricação de pães, desenvolvendo técnicas aprimoradas de panificação.

O PÃO NO BRASIL Popularizou-se depois do século 19. Até então, o brasileiro consumia, em grandes quantidades, a farinha de mandioca e o biju, apesar de já conhecer o pão de trigo desde a chegada dos colonizadores portugueses. Com a vinda dos italianos para o Brasil, no início do século 20, a atividade de panificação expandiu-se, e o produto passou a ser essencial na mesa do brasileiro.

FERMENTO E FERMENTAÇÕES O fermento é um ser vivo. Ele não é do reino vegetal ou animal, mas um fungo.

Ele é adicionado à farinha no seu estado de hibernação e por meio de umidade e temperatura apropriadas as células do fermento alimentam-se de açúcar e multiplicam-se. Uma massa de pão pronta para ir ao forno contém milhões de células. As pequenas partículas encontradas em um pacote de fermento seco não são células mas um aglomerado delas misturadas com dextrose (açúcar de milho) ou amido. À medida que as células se alimentam, expelem gás carbônico (CO2) e álcool. O gás expande-se através da massa e é capturado pela estrutura formada pelo glúten que se forma quando amassado. O álcool e outras substâncias interferem no sabor da massa. Muito se pode dizer sobre esse tema, mas, como dizia a dona Benta, essa é uma história que fica para outra vez.

Com a vinda dos italianos para o Brasil, no início do século 20, a atividade de panificação expandiu-se, e o produto passou a ser essencial na mesa do brasileiro.

41 mag

43


alta novidade : Hot Spot

por Manu Buffara, do Restaurante Manu <novidade@41delivery.com.br>

RELEITURAS DE CLÁSSICOS VIRAM TENDÊNCIAS NO MERCADO GASTRONÔMICO

T

odo mundo já deve ter ouvido falar em releituras de pratos tradicionais. Mas o que é releitura de pratos? Apesar de parecer complicada, ela é muito simples e trata da desconstrução de uma receita original. A releitura só é feita com preparos clássicos, pois não conseguimos promover a releitura perfeita de pratos contemporâneos. O famoso PF preparado pelo chef Alex Atala! A moqueca com alta tecnologia, do Felipe Bronze! O picadinho, da premiada chef Roberta Sudbrack! Nossa cozinha brasileira está cada dia mais em alta e chegou a hora de valorizar nossa culinária, nossa comidinha do dia a dia, de cada canto do Brasil. A cozinha típica ganhou diversas releituras e vem à mesa com uma nova cara e assinaturas de grandes nomes da culinária nacional. Está cada vez mais fácil usar ingredientes brasileiros. A oferta está maior e o transporte entre Norte, Nordeste e Sul melhorou consideravelmente nesses últimos anos. O uso de ingredientes nacionais com novas técnicas vai se tornando um hit nas cozinhas de alta gastronomia.

44

41 mag

Bife acebolado e galeto assado “cool” Se antigamente era bacana sair para comer gastronomia internacional, hoje é mais descolado sair para saborear, por exemplo, um bife acebolado, o galeto assado, o arroz com feijão e a farofa. Este foi o conceito criado pelo chef Alex Atala, no restaurante Dalva e Dito, em São Paulo. O restaurante é totalmente dedicado à gastronomia brasileira, serve almoço executivo com aquele típico almoço do dia a dia, mas processados de forma diferenciada. “Você não precisa bater uma carne, pode servir uma de qualidade superior, e por aí vai”, conta o chef. A gastronomia brasileira está passando por um momento surpreendente, observando que a alta cozinha não precisa de coisas complicadas, e sim de produtos usados nos seus melhores meses. Temos uma quantidade de produtos sensacional, que vai desde itens indígenas aos produtos que nossa miscigenação cultural nos trouxe. Agora, com grandes nomes de chefs brasileiros no mercado mundial, o Brasil vive este momento maravilhoso, em que a valorização da nossa cultura está em alta.

Quando você entrar em algum restaurante e em seu cardápio se lê “releitura”, prove, a experiência será extremamente válida.


issue #25


destino

por Marcelo Maia <destino@41delivery.com.br>

moscou P

or quase meio século Moscou foi, juntamente com Washington, a cidade protagonista do cenário político mundial. Foi o centro das atenções durante a Guerra Fria e muito antes disso ela foi objeto de intenso desejo de Napoleão e Hitler. A cidade dos muros vermelhos por trás da cortina de ferro ainda soa enigmática e com ar assustador para muitos, mas revela a seus visitantes atrações icônicas e realmente deslumbrantes. Para um lugar que permaneceu praticamente fechado ao turismo durante décadas como consequência da Guerra Fria, a capital da Rússia tem a capacidade de surpreender os visitantes imediatamente após a chegada. Do aeroporto ao centro da cidade, as largas avenidas misturam-se com as construções históricas da Moscou comunista e os prédios modernos da nova Moscou capitalista. Um trânsito frenético, bares, cassinos e uma infinidade de letreiros com inscrições no enigmático alfabeto cirílico nos dão as boas-vindas, estamos na Rússia. A história da cidade remonta ao século 12, quando a cidade foi oficialmente fundada com o nome que perdura até hoje. Desde então ela passou pelas mãos de diversas dinastias e povos, como os mongóis e os tártaros. Deixou de ser a capital do Império Russo com a fundação de sua maior rival, São Petersburgo, por Pedro, o Grande, em 1712, voltando a ser a capital apenas em 1918 após a Revolução Russa e a instauração do comunismo.

46

41 mag

Para o turista comum, tudo gira em torno do Kremlin, talvez o maior símbolo do poder soviético da capital. Das torres de suas ameaçadoras muralhas aos domos dourados de suas belas igrejas, definitivamente essa é a atração número um da cidade. Junto a ela está a ampla e não menos imponente Praça Vermelha, cujo ponto principal é a extravagante Catedral de São Basílio, com suas cúpulas coloridas que mais parecem doces vindos diretos de contos infantis. Atualmente com uma população de mais de 10 milhões de habitantes, Moscou, além de ser a capital russa, é considerada também uma das três maiores metrópoles da Europa e está entre as maiores do mundo. Quem deseja visitá-la deve levar em consideração o clima da cidade, que é muito severo durante os quase intermináveis meses de inverno, quando as Kremlin

temperaturas caem e as nevascas assolam a cidade e seus moradores com temperaturas que vão até os -30 °C. É só nos meses da primavera e do verão que a cidade volta a ter uma cara mais amigável e convidativa à visita e quando as temperaturas ficam na média dos agradáveis 19 °C. Para circular pela cidade é recomendável que o turista utilize a fascinante rede de metrôs da cidade, que são uma atração turística à parte por si só. Estas estações foram feitas no auge do comunismo e da Guerra Fria e eram símbolos de poder e ostentação do governo soviético. Algumas possuem gigantescos lustres de cristal, vitrais e afrescos que só são vistos em palácios de tão luxuosos que são. Por outro lado, caso você fique um pouco receoso em andar de metrô, Moscou é uma cidade excelente para passeios a pé e extremamente fácil de se locomover, claro que se o clima permitir.


Catedral de São Basílio

Teatro Bolshoi

Alguns dos principais pontos de interesse turístico da cidade são: Kremlin: Testemunha dos quase 1.200 anos de história da cidade e atual residência oficial do presidente da Rússia, o Kremlin é uma espécie de complexo de galerias, museus e catedrais com peças que retratam a história da cidade e do país. Com cerca de 30 hectares, esta “minicidade” dentro de Moscou é sem dúvida imperdível e pode ser avistada de longe. Destaques para o Palácio do Arsenal, um museu com peças históricas de valor incalculável, e para os ovos de Fabergé. Praça Vermelha: É a praça central de Moscou e de toda a Rússia, conhecida pelos desfiles militares durante a era da União Soviética. A praça separa o Kremlin do bairro histórico de Kitai-gorod. As ruas mais importantes de Moscou partem da praça em várias direções, prolongando-se em rodovias para fora da cidade.

Mausoléu de Lenin: Lenin foi o principal responsável pela Revolução Russa e o consequente fim da era dos czares. É neste mausoléu que seu corpo se encontra embalsamado. Catedral de São Basílio: Conhecida mundialmente por suas características cúpulas multicoloridas, a Catedral de São Basílio teve sua construção ordenada pelo czar Ivan, o Terrível, para comemorar a conquista de Kazan, realizada entre 1555 e 1561. Esta catedral é para muitos russos o maior símbolo de tudo aquilo que representa a nação. Se houver a oportunidade, a visitação interna também vale a pena. Teatro Bolshoi: Sede do maior e mais prestigiado balé do mundo, o Ballet Bolshoi. Em estilo neoclássico, o edifício do Teatro Bolshoi impressiona por sua beleza e grandiosidade. Ini-

cialmente inaugurado em 1825, ele foi reinaugurado em outubro de 2011 após anos de reforma que consumiram mais de 650 milhões de dólares. Caso haja a oportunidade de assistir a algum espetáculo, certamente você não se arrependerá. Arbat: É uma rua apenas para pedestres bem no centro de Moscou que data do século 15 e é tida como uma das mais antigas do país. Antigamente era a rua mais chique e aristocrata de Moscou, porém hoje em dia ela fervilha com seu comércio local, bares, restaurantes e lojinhas de artesanato. Geralmente as primeiras coisas que vêm à nossa cabeça quando pensamos em Moscou ou na Rússia de uma forma geral são a política, o frio, o caviar e a vodca, mas engana-se quem pensa que a cidade é apenas isso.

41 mag

47


bares

<bares@41delivery.com.br>

Brooklyn Trajano Reis

D

esde 2010, o Brooklyn Coffee Shop é um jeito diferente de se encontrar e se divertir em Curitiba, ali no centro histórico e descolado da cidade. Mais que um endereço, são opções deliciosas para comer. Mais que isso: é o melhor café brasileiro, um dos melhores do mundo (primeiro lugar do Cup of Excellence), preparado com perfeição, além de uma seleção respeitável de bebidas, incluindo cervejas especiais e vinhos selecionados.

48

41 mag

E, como o sucesso tem sido grande, a família agora aumentou: vem aí o Brooklyn Sandwich Shop – o sanduíche que é top. Em breve, na Vicente Machado, entregando sanduíches e outros quitutes do Batel ao São Francisco. A partir de agora, a qualidade e o estilo Brooklyn Coffee Shop/Brooklyn Sandwich Shop também têm delivery e vão até você. Confira ao lado as opções para matar sua fome ou vontade de comer. Peça já e aproveite.

Brooklyn Coffee Shop Rua Trajano Reis, 389 – São Francisco Curitiba – PR – 80510-220 Tel.: (41) 3618-0388 E-mail: brooklyncoffeeshop@gmail.com www.google.com/profiles/brooklyncoffeeshop www.brooklyncoffeeshop.com.br


Brooklyn Trajano Reis

Brooklyn Vicente Machado

Brooklyn Vicente Machado

Brooklyn Trajano Reis 41 mag

49


cerveja

por Douglas Salvador, sócio-fundador do Clube do Malte <cerveja@41delivery.com.br>

Quem disse que o lugar de cerveja é só no boteco?

Q

uando um amigo te convida para tomar uma, qual a primeira coisa que você imagina? Não sei para você, mas para mim a imagem é a de um bom boteco com mesas velhas, garçons engraçados e vários petiscos gordurosos. Nada contra isso, bem pelo contrário, um bom boteco com uma boa conversa pode ser insubstituível. Mas uma coisa que eu aprecio nas cervejas especiais é que elas nos proporcionam outras formas de beber e se divertir. São experiências que apresento abaixo a todos os amantes da cerveja.

1. Noites Temáticas São eventos nos quais o protagonista é a cerveja especial. Podem ser jantares harmonizados ou palestras de cerveja, geralmente guiadas por um beer sommelier que apresenta os rótulos e suge-

50

41 mag

re harmonizações entre a bebida e pratos finos. Quer uma dica, acesse o blog do Daniel Wolff (mestre-cervejeiro. com) e acompanhe a sua programação.

2. Beer Trips São viagens pra lá de divertidas em que, além de conhecer lugares maravilhosos, os amantes da cerveja ainda conseguem beber na fonte das mais conhecidas cervejarias do mundo na Bélgica, na República Tcheca, na Alemanha, na Inglaterra e por aí afora.

3. Eventos São eventos muito legais nos quais todo o cenário cervejeiro se encontra para beber, comer e conversar – cervejarias, bares de cerveja e homebrewers. Fique atento. Depois do Beer Day, Curitiba vai ter mais uma edição do Wiki Bier que ocorre no dia 1º de setembro de 2012, no Marumby Expo Center.

4. Cerveja por Assinatura Você deve assinar a Veja, a Playboy, a Gazeta do Povo ou qualquer outra revista do seu interesse, não? Mas você sabia que também pode assinar cervejas especiais? Essa é a proposta do Beer Pack (beerpack.com.br), um clube de assinaturas em que os clientes recebem todos os meses uma seleção de cervejas nacionais e importadas acompanhadas de um teste de degustação que auxilia e ensina os cliente a degustar as cervejas. E, o mais legal: o Beer Pack ainda pode vir com um copo colecionável ou um acompanhamento gourmet. Bom, as sugestões estão aí. Escolha a que mais te agrada e cheers!


issue #25


vinhos

por Fabio Carnielli <vinho@41delivery.com.br>

Adquirindo um

Vinho

(parte 1)

Q

uando o vinho é considerado excepcional ou quando é ordinário? Quando o preço está justo e quando não vale a pena? E, acima de tudo, o que é este tal de vinho fino? Sem contar que alguns não são tão finos assim. Como ser capaz de reconhecer cada tipo de vinho e, principalmente, como ser capaz de escolher o tipo de vinho ideal para o que eu preciso? Saber comprar um bom vinho para cada ocasião não é dádiva de anos de estudos adquiridos por um especialista, mas também precisa de um pouco de estudo para conhecer basicamente regiões e países produtores. O primeiro passo na hora da compra é saber ler um rótulo, nele estão informações básicas para que possamos conhecer o vinho que está na garrafa, como, por exemplo: país, região produtora, tipos de uva ou denominação de origem, safra e graduação alcoólica. Com estas informações, você pode descobrir características básicas do vinho:

52

41 mag


PhotoXpress.com

País Cada país produtor pode manter características culturais e legislativas que dão ao vinho traços únicos. Principalmente no Velho Mundo (Europa). Nos outros países produtores, o vinho é elaborado de uma forma mais globalizada. Países como Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Chile ou Argentina são mais livres para criar, pois não mantêm o peso da tradição e as leis de produção ainda não estão bem definidas, mas também mantêm características únicas baseadas no estilo de vinificação, variedades de uvas usadas nos vinhos de mais expressão, além de características de solo e clima de cada país ou região. Quando você começa a degustar vinhos de um determinado país, vai começar a perceber que, independente da vinícola, os vinhos tendem a ser parecidos no que se diz respeito a sabor e aromas. Estilos de regiões famosas como Bordeaux, Champagne, Vale do Rhone fazem escola no mundo todo. Bordeaux, com a Cabernet Sauvignon e

Merlot, suas principais uvas tintas, foi copiada no mundo todo. Hoje porém as uvas europeias estão totalmente adaptadas a localidades como Chile, Califórnia, África do Sul, Argentina, Austrália, Nova Zelândia e Uruguai e há variedades que produzem de modo ímpar em cada região. Como a Malbec

As denominações de origem falam sobre a alma do vinho e regulamentam todo o processo de fabricação. na Argentina, a Carménère e a Cabernet Sauvignon no Chile, a Syrah do Vale do Rhone, que na Austrália é chamada de Shiraz, a Sauvignon Blanc na Nova Zelândia, a Pinot Noir e a Merlot na Califórnia. No caso da maioria dos

vinhos europeus, nós não encontramos tipos de uva, e sim as denominações de origem. Muito mais do que revelar apenas o tipo de uva ou de uvas de que o vinho é feito ou a localidade de onde o vinho vem, as denominações de origem falam sobre a alma do vinho e na verdade regulamentam todo o processo de fabricação do vinho desde o plantio e colheita das uvas até o engarrafamento e rotulagem. Por mais que os produtores sejam diferentes, a tipicidade da denominação vai ser respeitada e o vinho vai seguir um estilo único de acordo com as características dos vinhos sob aquela ou esta denominação de origem. Busque conhecer os estilos de vinhos (leves, encorpados, brancos, espumantes, doces, secos, amadeirados...), para que suas aquisições sejam mais compatíveis com o seu gosto. Lembrando sempre que o melhor vinho do mundo é aquele do qual a gente gosta!

Um brinde a todos! 41 mag

53


aconteceu

Top Festas <aconteceu@41delivery.com.br>

Lançamento ToP Festa 2012

1 3

2 4

5

8

N

o dia 13 de julho, a publisher Cintia Peixoto recebeu cliente, parceiros e amigos para brindar o lançamento da nova edição da revista TOP FESTAS 2012. O lançamento aconteceu na casa noturna Lique e teve a gastronomia assinada pela Kaori Catering.

54

41 mag

Fotos Luizo Cavet

6 7

(1) Mesa de doces de Lia Drews (2) Paulo Freitas e Cintia Peixoto (3) Juan Parada e Alice Duarte (4) Paulo Bonet, Nadyesda Almeida e Stefano Bonet (5) Marcos Slaviero (6) Iraisi Gehring (7) Beto Bravo, Priscila Cadore Nobre, Ricardo Guerra e Patricia Ribas (8) Fernanda Petter


issue #25


aconteceu

Arraiรก <aconteceu@41delivery.com.br>

1 2

Fotos Natasha Bagatoli e Luizo Cavet

3 4

5 6

O

quarto Arraiรก Beneficente dos amigos aconteceu dia 30 de junho no Clube Concรณrdia! Foi um sucesso! Confira as fotos!

56

41 mag

(1) Camila Trombini (2) F abricio Greca e Laura Kubrusly (3) Ivo Roveda e Adriele Guimarรฃes (4) Gabriela Natel (5) Maria Julia Canรงado e Carolina Nacli (6) Mariane Fontoura, Sheila Justen e Roberta Busato


issue #25


night life

por Marquinhos Slaviero <night@41delivery.com.br>

Biriri noite preta S

em dúvida uma das melhores noites no ano foi o Biriri que aconteceu na Lique no dia 12 de julho, com Preta Gil e Heleninha Bordon, sócia da marca 284 Brasil! Confira quem passou por lá!

1 2

3 4

5 6

9 (1) Juan Moraes, Flavia Oliveira, Preta Gil, Marcos Slaviero e Ale Leprevost (2) Henrique Domakoski e Luanna Toniolo (3) Poliana Souza e Saulo Furlan (4) Preta Gil (5) Thay Goes e Enrico Milani (6) Fabricio Fumagalli e Maria Francisca Accioly (7) Helena Bordon (8) Bebel Lazzarotto e Caio Castro (9) Helena Bordon e Marcos Slaviero (10) Andre Varassin e Antonella Tha

10

58

41 mag

Fotos Natasha Bagatoli

7 8


issue #25


night life

por Marquinhos Slaviero <night@41delivery.com.br>

A Festinha sertaneja 1 2

3

5 4

8

A

Festinha Sertaneja foi um sucesso! Quatrocentos vips selecionados a dedo curtiram uma superfesta na boate do Hotel Bourbon no dia 27/7! Confira quem passou pela edição da festa!

60

41 mag

Fotos Luizo Cavet

6 7

(1) Roberto Nunes e Ale Leprevost (2) Mounif Tacla e Fernanda Mascarello (3) Luisa Wisniewski e Paulinha Domachowski (4) Ana Locks de Pauli, Mariana Canfield e Carlla Alberton (5) Marcos e Fabricio Slaviero (6) Fabrício Maggi e Mariana Canfield (7) Rafael Ghignone e Flavia Andrade (8) Gabriela Zanetti e Bianca Abagge


issue #25


aconteceu

Kharina <aconteceu@41delivery.com.br>

Do espaço ao cardápio:



Kharina reinaugura loja do Batel 1 2

3 4

5

6 7

M

enu conta com opções assinadas dos chefs de cuisine Rachid Cury Neto e Alexandre Bressaneli. O Kharina, tradicional rede de alimentação de Curitiba, está de cara nova. O grupo reinaugurou, no dia 10 de julho, a nova loja do Batel, totalmente reformulada. Dentre as novidades apresentadas estão investimentos na modernização dos equipamentos, ampliação da cozinha e do cardápio, e adequação da loja às determinações do Selo Green Kitchen.

62

41 mag

(1) Nova fachada do Kharina (2) Rachid Cury Neto, Rachid Cury Filho, Vinicius Abreu e Kharina Cury (3) Nova decoração interna (4) Rachid Cury e Beto Richa (5) Beto Richa, Kharina Cury, Rachid Cury Neto e Vinicius Abreu (6) Suzana Todeschini, Amanda Todeschini, Leila Cury, Tatiana Todeschini (7) Luiz Groff e Rachid Cury


issue #25


serviços

Feiras <serviço@41delivery.com.br>

FEIRAS NOTURNAS TERÇA-FEIRA

QUARTA-FEIRA

QUINTA-FEIRA

SEXTA-FEIRA

Feira do Batel (Av. Iguaçu) R. Alexandre Gutierrez (entre a Av. Iguaçu e a Av. Silva Jardim) Batel

Feira do Hugo Lange R. Dez. Rodrigo Otávio (entre a R. Augusto Stresser e a R. Dep. Carneiro de Campos) Hugo Lange

Feira do Água Verde R. Prof. Brasílio Ovídio da Costa (entre a Av. Rep. Argentina e a R. Guararapes) Água Verde

Feira do Champagnat Pç. da Ucrânia (entre a R. Pe. Agostinho e a R. Pe. Anchieta) Bigorrilho

Feira do Cabral R. Belém (entre a R. Chichorro Júnior e a R. dos Funcionários) Cabral

Feira do S. Francisco Pç. Garibaldi (esquina com a R. Dr. Muricy – Relógio das Flores) S. Francisco

Feira do Juvevê Av. Anita Garibaldi (entre a R. Campos Sales e a Av. João Gualberto) Juvevê Feira de Santa Felicidade Pç. São Marcos (em frente ao Terminal de Santa Felicidade) Sta. Felicidade

São realizadas nove feiras semanais

Feira do Alto da Glória R. Ivo Leão (entre a R. Dr. Zamenhof e a R. Nicolau Maeder) Alto da Glória

de terça a sexta-feira no horário das 17 às 21 horas. Nas feiras noturnas, além dos produtos das feiras livres, o consumidor encontra também comidas típicas regionais e internacionais, ou seja, comidas baiana, mineira, japonesa, francesa, polonesa, ucraniana, belga, italiana, portuguesa, chilena, etc. Telefone (41) 3350-3861 Ramal: 3861 E-mail <smab@smab.curitiba.pr.gov.br>

FEIRAS orgânicas Passeio Público – sábados, das 7 às 12 h – Acesso pelos portões da Rua Presidente Faria; Jardim Botânico – sábados, das 7 às 12 h – Rua Dr. Jorge Mayer - Praça Itália, ao lado da igreja; Praça do Expedicionário – quartas, das 7 às 12 h – Rua Saldanha da Gama (Praça do Avião); Praça do Japão – quintas, das 7 às 12 h – Av. República Argentina com Av. Sete de Setembro; Emater – feira mista, orgânico e convencional – quartas, das 7 às 12 h – Rua da Bandeira, em frente à Emater; Seminário – terças, das 7 às 12 h – Rua João Argemiro de Loyola; Cabral – Praça São Paulo da Cruz (Igreja do Cabral) – quintas, das 7 às 12 h – Av. Paraná, esquina com a Rua Bom Jesus; Praça da Ucrânia – sábados, das 7 às 12 h – Av. Cândido Hartmann, esquina com as Ruas Pe. Anchieta e Capitão Souza Franco; Santa Felicidade – Praça Piazza São Marcos – sábados, das 7 às 12 h – Via Vêneto, em frente à Rua da Cidadania de Santa Felicidade; Mercado Municipal – Setor Mercado de Orgânicos – segundas, das 7 às 14 h, terça a sábado, das 7 às 18 h – Rua da Paz nº 608.

FEIRAS gastronômicas quinta-FEIRA

sexta-FEIRA

sábado

Feira do Tarumã Av. Humberto de A. Castelo Branco (esquina com R. Gottlieb Rosenau) Cristo Rei

Feira do Capão Raso Largo Pe. Albino Vicco (entre a Av. Winston Churchill e R. Pedro Gusso) Capão Raso

Feira do Batel R. Carneiro Lobo (entre Av. Visconde de Guarapuava e R. Gonçalves Dias) Batel

Feira Vegetariana Pç. 29 de Março. Mercês O horário das feiras gastronômicas é das 17 às 22 horas, independente do local ou dos dias da semana.

FEIRA de Antiguidades de Curitiba Praça Espanha – Batel Soho – horário de funcionamento: todos os sábados das 10 às 17 horas.

64

41 mag


issue #25


serviços

Precisou, achou

›› EMERGÊNCIAS

›› CENTRAIS DE TÁXI

›› COMPANHIAS TELEFÔNICAS

Siate (ambulância/bombeiros): 193 Capital: 3022-2222 / 0800 600 6666 Samu: 192 Curitiba: 3376-7676 / 0800 41 4646 Sanepar (água/esgoto): 115 / 3330-7714 Faixa Vermelha: 3262-6262 / BPTRAN: 3281-1616 0800 41 4141 Copel (energia elétrica): 0800 5100116 Paraná: 3275-7575 / 0800 41 4747 DER (Dep. de Estradas e Rodagem): Sereia: 3346-4646 / 0800 41 5252 3304-8000 Taxitel: 3353-5353 Detran: 3361-1212 /0800 643737 Teletáxi: 3257-5757 / 3275-7575 / Diretran / Urbs: 156 0800 41 4747 Defesa Civil: 199 Guarda Municipal: 153 ›› SERVIÇOS Juizado de Menores: 3222-7561 Auxílio à lista telefônica: 102 Polícia Civil: 197 Disque-Cinema: 3315-1414 Serviço de Atendimento ao Turista (1º Dist.): Disque-Turismo Municipal: 3352-8000 3233-0700 Disque-Turismo Estadual: 3254-1516 Polícia Federal: 3360-7500 ECT (Empresa de Correios Telégrafos): Imigração/passaporte: 3360-7626 / 0800 5700100 3360-7674 Prefeitura Municipal (serviços): 156 Polícia Militar: 190 Instituto Municipal de Turismo: Polícia Rodoviária Estadual: 198 / 3250-7728 / Fax: 3250-7724 3342-7111 Procon: 0800 411512 Polícia Rodoviária Federal: 191 Hora Certa: 130 Delegacia Polícia Rodoviária Federal: Despertador Automático: 134 3267-4446 Remoções 24 horas - UTI Móvel, Aérea, ›› OPERADORAS PEDÁGIO (problemas com drogas ou psiquiátricos): Caminhos do Paraná: 0800 421 010 3257-3336 / 3566-6400 Econorte: 0800 400 1551 SOS Criança: 156 Autopista Litoral Sul: 0800 7251 1771 IML: 3281-5602 Ecovia: 0800 410 277 Rodonorte: 0800 421 500 Rodovia das Cataratas: 0800 450 277 Viapar: 0800 442 727

66

41 mag

›› TRANSPORTE Aeroclube Bacacheri: 3256-3003 Aeroporto Bacacheri: 3256-1441 Aeroporto Internacional Afonso Pena: 3381-1515 ALL - América Latina Logística (trem carga): 2141-7555 Ônibus (itinerários/sugestões/ reclamações): 156 / 3320-3000 Rodoferroviária: 3320-3000 Serra Verde Express (trem passageiros): 3888-3488 Viapar: 0800 601 6001

A 41 Delivery é uma publicação de NWT COMUNICAÇÃO. Rua Fernando Simas, 252, Batel, Curitiba. CEP 80430-190 – Tel.: 41 3027-7610. As matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da 41 Delivery. Preços e itens da revista podem sofrer alterações. Foto Capa Gui Klaime Fadanelli - Chef Sonia Evangelista www.41delivery.com.br

REVISTA DIRIGIDA E GRATUITA A G O S T O E S E T E M B R O 2 012 - E D . 2 5

41 Delivery ­ANO 4 ­Ed. 25 - Agosto e Setembro de 2012 Publisher Newton Gomes Rocha Neto <41delivery@41delivery.com.br> Comercial <contato@41delivery.com.br> • 41 3027-7610 Diretor de Arte Newton Gomes Rocha Neto Projeto gráfico e diagramação Eduardo Y Inoue Design anúncios <arte@41delivery.com.br> Revisão João Batista Ribeiro Colunas Café Carlos Eduardo da Costa Receita do Chef Sonia Evangelista Boulangerie Edgar Donato Novidade Manu Buffara Destino Marcelo Maia Cerveja Douglas Salvador Vinhos Fabio Carnielli Night Life A Festinha Sertaneja e Biriri por Marquinhos Slaviero Aconteceu Top Festas, Arraiá dos Amigos e Kharina Críticas e sugestões <  41delivery@41delivery.com.br>

OI: 1057 Embratel: 0800 902100 Anatel: 1331 GVT: 0800 0522525 / 0800 0520102 Telefonia celular Brasil Telecom: 1053 Telefonia celular Claro: 1052 Telefonia celular Tim: 1056 Telefonia celular Vivo: 1058 Nextel: 1050

Paleta de Cabrito Assada


issue #25


41delivery-ed25