Issuu on Google+

REVIS TA d iri g id a e G RAT U ITA J U N H O E J U L H O 2 012 - E D . 24

www.41delivery.com.br

Boeuf Bourguignone

capa.indd 1

6/19/12 4:54 PM


issue #24


41 MAG

ÍNDICE

46

56

48

Destino

38

Cafeteria

42

Boulangerie

44

Novidade

50

Cerveja

52

Vinhos

58

Night Life Marcos Slaviero

60

Aconteceu Restaurante

62

Aconteceu Brasil Sabor

64

Serviços – Precisou, achou

Night Life Tite

Bares WS

40

Receita do chef 41 MAG

37


por Carlos Eduardo da Costa, do Kaffe-Kantate <cafe@41delivery.com.br>

Devaneios de um

S

coffeeholic

obre a paixão e o amor, há quem diga que a paixão é explosiva, ardente e queima, mas tem vida curta, enquanto o amor é longânime, paciente, tolerante e eterno. Bom, mas e se o que sinto por essa morena me faz explodir o coração, sinto o palpitar imediato ao seu toque, a pele arrepia com seu perfume, e seu gosto, doce em meus lábios, queima na medida em que percorre minhas veias.

Certamente, o que sinto é paixão! Mas e se o meu desejo é desde o acordar até o anoitecer, que calmamente a degusto com os olhos e com a boca, entre umas conversas e outras, e que, mesmo se não estiver quente, a aceito para aquecê-la em minhas próprias mãos.

38

41 MAG

Certamente o que sinto é também amor. E como não amar apaixonadamente aquela que me aquece nos dias frios, e nos quentes mata a sede; que me acorda todas as manhãs e à noite pede que eu não feche meus olhos só para não passar sozinha o resto das horas; aquela que me anima em dias tristes e nos alegres me faz compartilhar; aquela que na riqueza me acompanha em todos os lugares ao seu melhor estilo, mas na pobreza me ensina a amá-la de várias outras formas. Pela beleza de sua natureza e pelos prazeres que me proporciona, prometo amar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, respeitando-te e sendo fiel em todos os dias da minha vida, até que a morte nos separe. À melhor bebida do mundo: café!

PhotoXpress.com

CAFETERIA


issue #24


RECEITA DO CHEF

por Kika Marder, do Sel et Sucre <receita@41delivery.com.br>

BOEUF BOURGUIGNON INGREDIENTES

MODO DE PREPARO

 00 g de alcatra limpa 9 e cortada em cubos • 4 cebolas picadas finamente • 225 mL de vinho tinto seco • 6 cenouras cortadas em cubos • 4 dentes de alho picados • ramo de alecrim • 200 g de salsão picado em cubos • azeite de oliva • sal • pimenta • 500 mL de caldo de carne • 100 g de batatinhas com casca

Refogue os legumes no azeite de oliva, junte os cubos de carne de deixe dourar. Acrescente o vinho tinho, cubra com o caldo de carne e deixe cozinhar por 1h30 em fogo médio ou até a carne ficar macia. Tempere com sal, pimenta e alecrim picado. Espere esfriar e desfie a carne.

Doure as batatinhas em azeite de oliva e tempere com sal e pimenta, molho de agrião, 1 cebola, 2 dentes de alho, 1 maço de agrião, 400 mL de creme de leite fresco, sal, pimenta. Doure a cebola e o alho, acrescente as folhas de agrião, o creme de leite de deixe ferver. Tempere com sal e pimenta. Bata no liquidificador e está pronto para servir. No prato, coloque o molho por baixo, a carne desfiada e as batatinhas ao redor. Sirva imediatamente.

›› 41 Delivery: Como surgiu seu interesse pela cozinha? Kika Marder: Desde pequena vendo minha vó cozinhar. Sempre gostei de assistir e comer as comidas que ela preparava com o maior carinho para mim. 41D: Quem foi sua maior influência para isso? KM: Minha avó materna. 41D: Porque escolheu cozinhar? KM: Porque para mim cozinhar não é um trabalho, é uma paixão, uma filosofia de vida. 41D: Considera-se apaixonada por comer e cozinhar? KM: Claro! Adoro comer bem, programo minhas viagens de acordo com a cultura gastronômica do país que irei visitar.

40

41 MAG


41 MAG

41


BOULANGERIE

por Edgar Donato <boulangerie@41delivery.com.br>

UM POUCO DE HISTÓRIA E CURIOSIDADES MILÊNIOS Já lá se vão seis mil anos desde que um nosso ancestral descuidado derrubasse grãos esmagados e molhados sobre uma pedra quente de uma fogueira. O resultado é alguma coisa intragável para os dias atuais, mas maravilhoso na época. De descuido em descuido, um outro alguém esquece essa gororoba de água e grãos esmagados em um canto e descobre depois de alguns dias uma coisa azeda e borbulhante que hoje chamamos de massa fermentada. Daí para frente foi rapidinho. Alguns milênios e já estávamos dominando as técnicas da panificação.

SÉCULOS Deixemos os milênios e vamos falar de séculos. Os últimos cinco ou seis dos europeus. Época na qual grupos de pessoas viviam juntas em áreas chamadas aldeias ou vilas, cozinhando sobre o fogo das madeiras. E o pão? Esse era preparado em casa, mas levado para assar em fornos de pedra que toda aldeia possuía. Eram os chamados fornos comunais. Cada família tinha o direito de assar o seu pão, uma vez por semana. Isso

42

41 MAG

determinou o tamanho e a modelagem. Grandes e redondos. Mas cada fornada continha pães de um grande número de famílias. E então, na saída do forno, qual é o meu? Simples, assim que o pão estivesse na hora de entrar no forno, era só pegar uma lâmina e fazer cortes que formavam símbolos identificadores. De lá para cá as aldeias foram crescendo, juntando-se, formando cidades cada vez maiores para abrigar uma população que até hoje não parou de crescer. O forno comunitário caiu em desuso com a evolução da fogueira que virou fogão e forno, que do cozinhar com as estrelas foi para dentro das casas. As receitas de família foram se perdendo a partir do momento em que seus integrantes deixaram de trabalhar no campo que estava a dois passos de suas casas, para irem trabalhar nas cidades cada vez mais distantes. O cozinhar e o assar passou então de uma atividade diária, para uma atividade que depende do tempo disponível. No meio disso tudo tem a revolução industrial que mudou dramaticamente o viver. Tínhamos dado um pulo dos

milênios para os séculos. Agora damos outro dos séculos para as décadas.

DÉCADAS O movimento da alimentação orgânica começa em meados da década de 70. Alastra-se nos anos 80 e se estabelece e se desenvolve da década de 90 aos nossos dias. Na esteira do orgânico, ou apenas uma coincidência, alguns artesãos nos Estados Unidos começam uma peregrinação na Europa, principalmente França, Itália e Alemanha. Vão para descobrir onde estão os padeiros artesãos descendentes de inúmeras gerações que nos dias de hoje produzem um pão como 500 anos atrás. São os conquistadores de conhecimento da antiga panificação, na Europa Central do século 15 aos nossos dias, percorrendo o caminho inverso de Colombo, Cabral, Maurício de Nassau...

A PROPAGAÇÃO A descoberta, a convivência com a troca de experiências, é levada para a América. Esse material é codificado de forma científica com receitas que se tornam fórmulas, processos que passam a ser explicados à luz da física, da química e da matemática. Em seguida


PhotoXpress.com

livros são escritos com essa nova abordagem e começam a aparecer no mercado em meados da década de 90. São livros fundamentais para entendermos o que é e como fazer um pão artesanal. Como expoentes do renascimento desse novo velho pão, temos o Peter Reinhart, Daniel Leader, Joe Ortiz, Ciril Hitz, Nancy Silverton...

BRASIL A fabricação do pão artesanal em terras tupiniquins é muito falada mas pouco praticada. E, como nas aldeias medievais, começamos a encontrá-lo aqui e ali em pequenos espaços de conhecimento dos iniciados, que prezam a casca escura, o miolo denso, o sabor das longas fermentações, as farinhas complexas, contrapondo-se ao pão branquinho, fofinho e com sabor de nada.

MUNDO As observações acima no tópico Brasil não são uma exclusividade nossa. A descrição que bem vale para o pãozinho francês aplica-se em qualquer canto do planeta. Viva a globalização. Não se pode pretender que a humanidade na sua totalidade volte como no passado a consumir pães artesanais. Somos hoje uma população mundial de 7 bilhões de pessoas que precisam ser alimentadas, e não é o pão artesanal levando de dois a três dias para ficar pronto que vai alimentá-las. O número gigantesco demanda produções da mesma ordem, o que nos leva a perseguir cada vez mais a utilização de máquinas cada vez maiores e velozes.

MANADA E SAUDOSISMO Somos nesse planeta uma grande manada, e nele existem, e sempre existirão, pessoas que procuram dela

escapar. São essas pessoas que sempre irão justificar a existência de um alfaiate que tem um caderno com as medidas de seus clientes, o sapateiro com a forma de ½ ponto para aquele pé um pouquinho diferente do outro ao lado, do doce ainda feito em tacho de cobre nos cafundós de uma cidadezinha e, óbvio, o padeiro assando um pão feito com fermento natural, farinhas sem branqueamentos em aditivos, bem devagar e se, a vizinhança permitir, assá-lo no piso de pedra ou tijolo de um forno a lenha. Ai!!! Até a próxima, e que a benção do padeiro “que o seu pão sempre cresça” acompanhe todo aquele que ao retirar um pão do forno, crescido, com uma casca marrom-avermelhado e um aroma despertador de lembranças, vive um instante de felicidade suprema. 41 MAG

43


ALTA NOVIDADE : HOT SPOT

por Manu Buffara, do Restaurante Manu <novidade@41delivery.com.br>

CUMARU OU VANILLA TONKA U

ma árvore de grande porte, que é encontrada em alguns lugares da América Central e ao norte da América do Sul, em toda a Amazônia brasileira. Sua semente foi uma grande descoberta para a gastronomia. Também conhecida como fava tonka ou tonka bean, é lisa e dura, de cor roxa-escura. Tem de 5 a 7 cm de comprimento por 3 cm de diâmetro. As sementes de cumaru, conhecidas internacionalmente como fava tonka, são da nossa região amazônica. Além do Brasil, elas também podem ser encontradas no Peru, no Equador, na Colômbia, no Suriname e nas Ilhas Seychelles. Muito usadas em perfumaria, cosméticos, medicina e também na gastronomia. São superaromáticas, com um sabor levemente adocicado muito semelhante à baunilha, tem um toque de café, amêndoas, canela, imagine tudo isso junto... Nossa vanilla brasileira. Um produto que está na moda em toda a Europa e 100% da nossa terra. Usado na gastronomia, para substituir a vanilla em cremes, sorvetes, bolos, caldas, salsas, temperos para carnes, saladas, etc...

44

41 MAG

SORVETE DE CUMARU INGREDIENTES 600 mL de creme de leite fresco 135 g de açúcar • 5 gemas • 0,5 g de cumaru no microplane • •

Bater o açúcar com gema, até ficar bem liso. Depois coloque o creme de leite para ferver, acrescente a gemada e o cumaru. Leve ao banho-maria e deixe por mais ou menos uma hora. Retire e coloque na sorveteira. Sirva com sonho quente de doce de leite caseiro.


issue #24


DESTINO

por Marcelo Maia <destino@41delivery.com.br>

A

msterdã é sem a menor sombra de dúvidas uma das cidades mais descoladas do mundo. Anualmente milhões de turistas a visitam em busca de seus atrativos culturais, históricos e, como não mencionar também, em busca dos tão famosos coffee shops e do não menos famoso Red Light District. De qualquer maneira, enganam-se aqueles que pensam que a cidade é um antro de drogas e prostituição. A verdade é que é difícil definir exatamente onde reside o charme ou o encanto principal de Amsterdã. Talvez ele esteja em seus canais ou em seus prédios de fachadas coloridas construídos durante o século 17. Ou talvez em suas pequenas embarcações que servem de moradia a tanta gente ou ainda na liberalidade cultural e sexual que há décadas deixou de ser novidade por aqui. Ou quem sabe a razão principal é o fato de a cidade estar construída abaixo do nível do mar, ou talvez pelos seus famosos pintores, ou pelo papel fundamental que o país teve na histó-

46

41 MAG

ria da Europa como um todo. É difícil defini-la, porém é fácil entender o fascínio que ela exerce em muita gente.

meses quentes de verão a população flutuante da cidade chega a alcançar incríveis 1,1 milhão de habitantes.

Apesar de ser considerada uma cidade pequena em comparação às principais capitais europeias, Amsterdã proporcionalmente tem mais a oferecer a seus visitantes que a maioria das outras capitais do continente. Sua história remonta ao século 13, quando pescadores que viviam isolados ao longo do Rio Amstel fundaram um vilarejo que depois viria a ser uma cidade. Porém foi apenas durante o século 17, chamado de século de ouro, que a cidade alcançou todo o seu esplendor vindo a se tornar desde então e até os dias atuais uma das principais e mais importantes cidades do mundo. Durante estes anos foram fundadas as Companhias das Índias Ocidentais e Orientais e o país estendeu seu território até o Brasil, para se ter uma ideia.

Graças a seus inúmeros canais, Amsterdã ganhou o apelido de Veneza do Norte. Lá tudo está perto e é fácil chegar a qualquer lugar, mesmo porque o terreno é absolutamente plano, tornando as caminhadas ainda mais agradáveis. Entre os moradores, a bicicleta é o meio de transporte preferencial, e faixas destinadas às bicicletas, demarcadas em todas as ruas, devem ser levadas a sério para evitar acidentes. Para distâncias um pouco maiores, os bondes são a melhor opção. E, para os turistas, um passeio pelos canais é um programa imperdível, pois permite percorrer praticamente todo o coração da cidade e apreciá-la a partir de um ângulo privilegiado.

Atualmente Amsterdã possui uma população de quase 800.000 habitantes segundo senso de 2009, porém nos

Amsterdã possui um dos maiores centros históricos da Europa, com mais ou menos 7 mil construções históricas registradas. O padrão urbanístico não mudou desde o século 19, muito disso


por não ter sofrido sérios danos durante a Segunda Guerra Mundial. Os melhores meses para se visitar a cidade vão de maio a outubro, quando as temperaturas giram na casa dos 25 graus Celsius e a vida urbana do munícipio florece novamente após os meses de inverno, que são geralmente frios e quando as temperaturas abaixo de zero são comuns podendo muitas vezes nevar na cidade.

Vista aérea da cidade

AS PRINCIPAIS ATRAÇÕES TURÍSTICAS DA CIDADE SÃO: Rijksmuseum • Dam Square É a principal e maior praça da cidade; ponto de encontro de locais e turistas, ela pode ser um ponto de partida ideal para queles que querem visitar a região a pé ou de bicicleta. De lá é possível uma visita à antiga catedral da cidade fundada no século 15, a Nieuwe Kerk, e ao Koninklijk Paleis, o Palácio Real da coroa holandesa.

Rijksmuseum É o maior museu de arte da Holanda e um dos mais importantes. Só o edifício do museu já vale a visita. Abriga coleções de renomados pintores holandeses como Rembrandt e Veermer. •

Van Gogh Museum Tido como a principal atração turística da cidade, este enorme prédio abriga a maior coleção de pinturas daquele que é tido por muitos como o maior pintor da história. A exposição é apresentada em ordem cronológica, o que facilita e muito a percepção por parte do visitante da evolução do pintor no decorrer de sua vida. •

• Casa de Anne Frank Esta casa e museu é onde a menina judia se escondeu durante dois anos

no sótão com a família até serem descobertos pelo exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial. É, talvez, um dos museus mais peculiares de toda a Europa por retratar e nos fazer pensar como o desejo de viver leva as pessoas a sobreviverem nas condições mais adversas por tanto tempo. Além de museus históricos e culturais, a cidade oferece alguns outros museus que fogem um pouco do tradicional, mas que nem por isso deixam de ser interessantes, tais como: • The Hash Marihuana & Hemp Museum É claro que não poderia faltar em Amsterdã um museu dedicado à maconha, com enfoque histórico, medicinal, religioso e cultural.

The Heineken Museum & Experience Este museu conta tudo sobre a história da maior marca de cerveja do mundo. Das primeiras campanhas publicitárias às etapas da fabricação da cerveja. No fim do tour o visitante pode desgustar uma cerveja no local além de comprar diversos tipos de suvenires da marca. •

41 MAG

47


<bares@41delivery.com.br>

Fotos Fabiano Hugen Esnarriaga

BARES

DIVERSÃO EM

NOVO TOM A

WS Brazil abriu suas portas como a primeira casa de samba, pagode e rock samba do cantor Thiaguinho, ex-vocalista do Exaltasamba, em sociedade com o Grupo Wood´s, que possui casas noturnas em São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Localizada no Batel (Al. Dr. Carlos de Carvalho, 1.330), região privilegiada da cidade, a WS já nasce sendo a casa mais sofisticada do segmento no país, oferecendo a melhor música, com os melhores serviços, em ambientes que combinam conforto, elegância e muita brasilidade.  

48

41 MAG


Com capacidade para 700 pessoas, a WS é completa. Na parte da balada, a casa recebe as melhores bandas do país – já tendo recebido Inimigos da HP, Sambô e Thiaguinho. Para os amantes do happy hour, há também o Boteco WS. Com deque, o espaço tem transmissão de futebol, lutas e outros esportes, petiscos típicos e chope da melhor qualidade, servido de forma diferenciada. A arquitetura e o projeto visual da WS foram desenvolvidos, respectivamente, pelo curitibano Fernando Yoshikawa e pelo paulista Charles Abdou, dois profissionais de grande renome no mercado nacional. Mais informações pelo site: www.wsbrazil.com.br ou pelo (41) 3054-8787.

41 MAG

49


por Douglas Salvador, sócio-fundador do Clube do Malte <cerveja@41delivery.com.br>

PhotoXpress.com

CERVEJA

NESSE INVERNO VOCÊ VAI DE CERVEJA OU VINHO?

O

inverno está chegando. E junto com ele aquela vontade de comer sopas, assistir a um filminho debaixo do cobertor e dormir um pouco mais pela manhã.

Como já temos mais de mil diferentes rótulos disponíveis para compra no Brasil, vou deixar algumas dicas para ajudar na sua experiência.

A TEMPERATURA Sirva em temperaturas mais elevadas para poder sentir a riqueza de aromas e sabores e, principalmente, todo o aquecimento do álcool.

OS ESTILOS Muitas pessoas também escolhem a estação para reunir os amigos e fazer um bom jantar nas típicas noites frias e úmidas de Curitiba. Pois saiba você que a cerveja, bebida símbolo do verão, também pode ser apreciada no inverno sem o menor pudor.  Vale lembrar que as cervejas surgiram em lugares tipicamente frios e que os europeus já fazem isso há mais de mil anos.  Mas assim como você escolhe vinhos diferentes para o verão e para o inverno, também precisa fazer o mesmo com a sua cerveja especial.

50

41 MAG

Procure os estilos mais complexos, com maior teor alcoólico e corpo mais licoroso. O álcool aumenta a sensação de aquecimento, o que cai muito bem com a ocasião. Algumas dicas de estilos que não costumam falhar: Doppelbocks, Barley Wines, Imperial Stouts e Old Ales.

COPOS As cervejas mais complexas em aroma pedem copos com a boca mais larga. Caso você não tenha um copo especial, uma boa taça de vinho pode resolver o seu problema. Agora é com você. Experimente um inverno diferente e conte-nos como foi a sua experiência com as cervejas. Saúde!


issue #24


VINHOS

por Fabio Carnielli <vinho@41delivery.com.br>

VINHOS

PORTUGUESES

(PARTE 2)

CONTINUAMOS FALANDO DA GRANDE DIVERSIDADE VINÍCOLA QUE É PORTUGAL E HOJE VAMOS APRESENTAR AS CARACTERÍSTICAS DE ALGUMAS DAS MAIS FAMOSAS REGIÕES DESTE PAÍS IBÉRICO

DOURO O Douro é a mais antiga região demarcada do mundo, conhecida pela notável qualidade dos seus vinhos e pelo famoso Vinho do Porto, o vinho generoso que esteve na origem desta demarcação, ordenada em 1756 pelo Marquês de Pombal. O Douro localiza-se no nordeste de Portugal, rodeado pelas serras do Marão e de Montemuro. A maioria das plantações é feita em socalcos talhados nas encostas dos vales ao longo do Rio Douro e seus afluentes. Os solos são essencialmente de xisto embora, em algumas zonas, exista também granito. Mesmo particularmente difíceis de trabalhar, estes solos são benéficos para a longevidade das vinhas e permitem mostos concentrados de açúcar e cor. As vinhas do Douro criam uma paisagem magnífica reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade desde 2001. Entre as diversas castas cultivadas destacam-se a Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinto Cão e Tinta Roriz.

MINHO O Minho é a maior região vitícola portuguesa e situa-se no noroeste de Portugal, limitada a norte pelo Rio Minho e a oeste pelo Oceano Atlântico. Aí produzem-se vinhos de acidez e fres-

52

41 MAG

cura características, das denominações de origem Vinho Verde DOC e Vinho Regional Minho. O Minho é uma região rica em recursos hídricos, com um clima ameno e úmido de influência atlântica. A cultura da vinha no Minho remonta à época romana com vestígios de uma das mais antigas formas de condução da vinha: a “vinha de enforcado” ou “uveira”, em que as videiras são plantadas junto a uma árvore e crescem apoiadas nos seus ramos. No entanto, a maioria das novas explorações opta por métodos modernos de condução. Nesta região destacam-se as castas brancas, sendo as mais reconhecidas e utilizadas as: Alvarinho (a principal variedade), Loureiro, Trajadura, Avesso, Azal e Arinto, aqui conhecida como Pedernã.

DÃO A região do Dão situa-se na Beira Alta, no centro-norte de Portugal, protegida dos ventos pelas serras do Caramulo, Montemuro, Buçaco e Estrela (famoso queijo da Serra da Estrela). As vinhas situam-se entre os 400 e os 700 metros de altitude, em planaltos de solos xistosos e graníticos de pouca profundidade, onde abundam os pinhais, produzindo vinhos encorpados com elevada capacidade de envelhecimento em garrafa.

Em 1908, tornou-se na segunda região demarcada portuguesa. Com a entrada de Portugal na CE, em 1986, as vinhas passaram por um processo de reestruturação, com novas técnicas vinícolas e escolha de castas apropriadas. O Dão apresenta uma grande diversidade de castas, entre as quais as tintas Touriga Nacional, Alfrocheiro, Jaen e Tinta Roriz, e Encruzado, Bical, Cercial, Malvasia Fina e Verdelho nos brancos.

BAIRRADA Apesar da produção de vinho existir desde o século décimo, foi no século 19 que se transformou numa região produtora de vinhos de qualidade tintos, brancos e espumantes. A casta Baga é a variedade tinta dominante na região. Cultivada nos solos argilosos, origina vinhos carregados de cor e muito ricos em taninos, que lhes dão elevada longevidade. Nas castas brancas, plantadas nos solos arenosos da região, destacam-se as castas Bical e Fernão Pires, na região denominada Maria Gomes, que origina vinhos brancos delicados e aromáticos. Os espumantes naturais da região são muito utilizados para acompanhar a cozinha local, como o tradicional Leitão da Bairrada. Recentemente, foi permitido na região DOC da Bairrada plantar castas internacionais, como Cabernet Sauvignon,


PhotoXpress.com

Syrah, Merlot e Pinot Noir, que partilham os terrenos com as castas nacionais.

ALENTEJO O Alentejo é uma das maiores regiões vinícolas de Portugal, com cerca de 22.000 hectares, correspondendo a dez por cento do total de vinha de Portugal. Região quente e seca ao sul, é dominada por extensas planícies de solos pobres. As muitas horas de sol e as temperaturas muito elevadas no verão permitem a maturação perfeita das uvas, mas também exigem a rega da vinha. Nos anos 1980 o Alentejo foi palco de uma vasta modernização da produção vitivinícola, com inúmeros investimentos, novos produtores e cooperativas, resultando na demarcação oficial da região em 1988 e no reconhecimento internacional dos vinhos alentejanos. Nos vinhos alentejanos pontuam as castas Trincadeira, Aragonez, Castelão e Alicante Bouschet, resultando em tintos encorpados, ricos em taninos e aromas a frutos silvestres. As castas brancas são a Roupeiro, a Antão Vaz e a Arinto, resultando em vinhos brancos geralmente suaves, com aromas a frutos tropicais. A região está subdividida em oito sub-regiões nas quais se produzem vinhos

DOC: Reguengos, Borba, Redondo, Vidigueira, Évora, Granja-Amareleja, Portalegre e Moura. Apresenta também uma elevada produção de Vinho Regional, que permite a inclusão de outras castas, como Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Syrah ou Chardonnay.

plantadas nas encostas de origem vulcânica. A casta Tinta Mole é a mais plantada, contudo também existem castas mais raras como a Sercial, a Boal, a Malvasia e Verdelho que conferem quatro níveis de doçura ao vinho (doce, meio doce, meio seco e seco).

MADEIRA

SETÚBAL

A Ilha da Madeira, situada no Oceano Atlântico, a oeste da costa africana, ficou famosa pelo Vinho da Madeira, vinho generoso muito aromático mencionado por Shakespeare e que chegou a ser usado como perfume nas cortes europeias. A produção de vinho na Madeira remonta à época do descobrimento da ilha, em 1419. As primeiras castas, como a Malvasia, chegaram à ilha por ordem do Infante D. Henrique, importadas de Cândia, capital de Creta. Mais tarde foram introduzidas outras como a Tinta Negra Mole, a Sercial, a Boal e a Verdelho. A produção de vinho foi estimulada pela necessidade de abastecer os navios nas rotas atlânticas entre a Europa, o Novo Mundo e a Índia. Transportados em navios, os barris ficavam sujeitos a grandes variações de temperatura, pelo que os vinhos eram fortificados para resistir à viagem,

A península de Setúbal, que usufrui de um clima misto subtropical e mediterrânico, influenciado pela proximidade do mar, dos Rios Tejo e Sado e da Serra da Arrábida, tem uma tradição vinícola que remonta ao intenso comércio romano da região. É conhecida pelos vinhos generosos Moscatel de Setúbal, produzidos de castas moscatel, por vinhos tintos de cor intensa e aroma cheio onde se destaca a casta Periquita e por vinhos brancos elegantes, elaborados com predominância da casta Fernão Pires, que exibem um aroma frutado. A região, que reúne as DOCs Sétubal e Palmela foi demarcada em 1907/1908.

A Denominação de Origem Madeira é constituída por cerca de 450 hectares de vinha, de castas tintas e brancas,

Na sua próxima garrafa de vinho, deixe-se seduzir por um vinho português e descubra vinhos fantásticos que vão desde espumantes finos e delicados a vinhos encorpados e fortificados, que chegam aqui no Brasil com ótima relação preço x qualidade e que surpreende os mais exigentes paladades. 41 MAG

53


NIGHT LIFE

<night@41delivery.com.br>

O DÉBUT DA FESTA

À FANTASIA DO TITE

56

41 MAG

3

4

5 6

7

8 9

(1) Panorama geral da festa (2) Os anfitriões Ale Rauen e Tite Clausi da badalada Festa à Fantasia, que acaba de fazer seu début no Trésor Eventos. O evento, realizado por Prime e Clown Eventos, movimentou Curitiba no último sábado (3) Simone Siqueira e Dayana Friedrich (4) Carla Manoel Brisa (5) Eliane Mezzare (6) Jennefer Siatkovski (7) Gisele Canonio (8) Isabela Braga (9) O diretor da Prime, Mac Lóvio Solek, e sua esposa Taiana Solek

Fotos Gustavo Garrett

D

uendes, fadas, princesas, bruxas, palhaços, anjos e outros seres estiveram reunidos no último sábado, dia 26 de maio, no Trésor Eventos para conferir o début da festa à fantasia mais badalada de Curitiba. Em sua 15ª edição, a Festa à Fantasia do Tite trouxe muitas surpresas e inovações, entre elas, transportou o público para um espaço futurista. Alto-astral e muita gente bonita marcou presença, garantindo, mais uma vez, o sucesso do evento que teve assinatura da Clown Eventos e da Prime, apresentação do energético Burn e patrocínios da Coca-Cola e da Heineken. O line-up das duas pistas foi formado por grandes destaques da e-music nacional e internacional, entre eles, o duo britânico Hoxton Whores, a diva das pick-ups Ale Rauen, Fabiano Tamburus, o projeto Baldmen, que tem à frente Tite Clausi e Mario Deluca, Jeje x Stephan, L Ferrari x Paulo Moraes, Daniel Costa x Biel, Felipe Desiderati x Diego Lima, Michel Godoy x Luka e Rogerio Animal x Alex Dias e o VJ Toshiro, que comandaram as pistas até o amanhecer.

1 2


issue #24


NIGHT LIFE

por Marquinhos Slavieiro <night@41delivery.com.br>

EVENTO CARMIM BY MARQUINHOS

N

1 2

o dia 10 de maio, Marquinhos Slaviero promoveu um superevento de lançamento na Carmim do ParkShoppingBarigüi. Recém-inaugurada, a loja de acessórios e calçados da marca apresentou sua nova coleção em um fim de tarde de champanhe e gente bonita. (1) Isabel Cristina (2) Victoria e Barbara Bacchi (3) Yannih Tsushima e Bruna Holzmann (4) Taiane Belinati

3 4

A FESTINHA NO GUFFO BAR

D

3

epois do sucesso da primeira edição, o Guffo Bar abriu suas portas na noite de 25 de maio para mais uma superfesta. A Festinha e suas festeiras contou com a participação de várias meninas da sociedade curitibana nas pick-ups e do DJ Ete. Celebridades curitibanas badalaram por lá até altas horas da madrugada. (1) Renan Ceschin e Roberta Zattar (2) Marcelo Zagonel e Neriane Colodez (3) Malu e Enrico Milani (4) Flavia Kubrusly, Laura Simões, Luisa Fayad, Carolina Nacli, Laura Zagonel, Marcela e Rafaella Vita

58

41 MAG

7

8 9

1 2 4

5 6


issue #24


ACONTECEU

Restaurant Week <aconteceu@41delivery.com.br>

ALGUNS DOS TOPS CHEFS

DO RESTAURANT WEEK

C

om 59 restaurantes inscritos, o maior evento gastronômico do país ofereceu o melhor da culinária de Curitiba com duas opções de preços para o almoço e outras duas opções para o jantar

1

4

41 MAG

6

5

(1) Rafael Trommer – Lys Bistro. (2) Beto Madalosso – Forneria Copacabana. (3) Paulino Costa – Bistô do Victor. (4) Vaneska – Velho Oriente. (5) Kika Marder – Sel et Sucre (6) Guilherme Kaesemodel – Forneria Belluna

60

2

Fotos Divulgação

3

Democratizar o acesso à alta gastronomia e dar aos curitibanos amantes da boa culinária uma oportunidade única para que eles conheçam os melhores empreendimentos gastronômicos da capital paranaense. Com esse objetivo, a cidade de Curitiba recebeu no último mês de abril, entre os dias 9 e 22, a quinta edição do Restaurant Week, um dos principais festivais gastronômicos do mundo.


issue #24


ACONTECEU

Brasil Sabor <aconteceu@41delivery.com.br>

Festival Brasil Sabor

MOVIMENTA RESTAURANTES ATÉ JUNHO

1 2 3 4

C

om o tema “Quem tem boca vai a Roma” e homenageando o Momento Itália-Brasil, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/Paraná) lançou no, dia 2 de maio, com uma festa no Museu Oscar Niemeyer, a sétima edição do Festival Brasil Sabor. O evento ocorreu simultaneamente em 200 cidades brasileiras, com 1.500 restaurantes participantes. No Paraná, são 20 cidades e 64 restaurantes com pratos promocionais, sendo 29 apenas em Curitiba. O Brasil Sabor foi realizado de 3 de maio a 3 de junho.

(1) Marcelo W. Pereira, Salvatore Di Venezia, cônsul da Itália em Curitiba, Juliana Vosnika, presidente do Instituto Municipal de Turismo, Carlos Rodolfo Sandrini , do Centro Europeu, Luciano Bartolomeu. (2) Equipe do Quintana Café e Restaurante, Danilo de Lima, Gabriela Carvalho e Fabricio Tomas na Gastronomia Responsável. (3) Luciano Bartolomeu, diretor-executivo da Abrasel PR, brindando o sucesso da noite com Marcelo W. Pereira, presidente da Abrasel PR. (4) Bianca Pedroso, Maria Bernadete Menuci e Joice Conti. (5) Luciano Ferreira Bartolomeu, diretor da Abrasel, Juliana Vosnika, do Instituto Municipal de Turismo, e Marcelo.

62

41 MAG

Fotos Divulgação

5


issue #24


SERVIÇOS

Feiras <serviço@41delivery.com.br>

FEIRAS NOTURNAS TERÇA-FEIRA

QUARTA-FEIRA

QUINTA-FEIRA

SEXTA-FEIRA

Feira do Batel (Av. Iguaçu) R. Alexandre Gutierrez (entre a Av. Iguaçu e a Av. Silva Jardim) Batel

Feira do Hugo Lange R. Dez. Rodrigo Otávio (entre a R. Augusto Stresser e a R. Dep. Carneiro de Campos) Hugo Lange

Feira do Água Verde R. Prof. Brasílio Ovídio da Costa (entre a Av. Rep. Argentina e a R. Guararapes) Água Verde

Feira do Champagnat Pç. da Ucrânia (entre a R. Pe. Agostinho e a R. Pe. Anchieta) Bigorrilho

Feira do Juvevê Av. Anita Garibaldi (entre a R. Campos Sales e a Av. João Gualberto) Juvevê Feira de Santa Felicidade Pç. São Marcos (em frente ao Terminal de Santa Felicidade) Sta. Felicidade

São realizadas nove feiras semanais

Feira do Cabral R. Belém (entre a R. Chichorro Júnior e a R. dos Funcionários) Cabral

Feira do S. Francisco Pç. Garibaldi (esquina com a R. Dr. Muricy – Relógio das Flores) S. Francisco

Feira do Alto da Glória R. Ivo Leão (entre a R. Dr. Zamenhof e a R. Nicolau Maeder) Alto da Glória

de terça a sexta-feira no horário das 17 às 21 horas. Nas feiras noturnas, além dos produtos das feiras livres, o consumidor encontra também comidas típicas regionais e internacionais, ou seja, comidas baiana, mineira, japonesa, francesa, polonesa, ucraniana, belga, italiana, portuguesa, chilena, etc. Telefone (41) 3350-3861 Ramal: 3861 E-mail <smab@smab.curitiba.pr.gov.br>

FEIRAS ORGÂNICAS Passeio Público – sábados, das 7 às 12 h – Acesso pelos portões da Rua Presidente Faria; Jardim Botânico – sábados, das 7 às 12 h – Rua Dr. Jorge Mayer - Praça Itália, ao lado da igreja; Praça do Expedicionário – quartas, das 7 às 12 h – Rua Saldanha da Gama (Praça do Avião); Praça do Japão – quintas, das 7 às 12 h – Av. República Argentina com Av. Sete de Setembro; Emater – feira mista, orgânico e convencional – quartas, das 7 às 12 h – Rua da Bandeira, em frente à Emater; Seminário – terças, das 7 às 12 h – Rua João Argemiro de Loyola; Cabral – Praça São Paulo da Cruz (Igreja do Cabral) – quintas, das 7 às 12 h – Av. Paraná, esquina com a Rua Bom Jesus; Praça da Ucrânia – sábados, das 7 às 12 h – Av. Cândido Hartmann, esquina com as Ruas Pe. Anchieta e Capitão Souza Franco; Santa Felicidade – Praça Piazza São Marcos – sábados, das 7 às 12 h – Via Vêneto, em frente à Rua da Cidadania de Santa Felicidade; Mercado Municipal – Setor Mercado de Orgânicos – segundas, das 7 às 14 h, terça a sábado, das 7 às 18 h – Rua da Paz nº 608.

FEIRAS GASTRONÔMICAS QUINTA-FEIRA

SEXTA-FEIRA

SÁBADO

Feira do Tarumã Av. Humberto de A. Castelo Branco (esquina com R. Gottlieb Rosenau) Cristo Rei

Feira do Capão Raso Largo Pe. Albino Vicco (entre a Av. Winston Churchill e R. Pedro Gusso) Capão Raso

Feira do Batel R. Carneiro Lobo (entre Av. Visconde de Guarapuava e R. Gonçalves Dias) Batel

Feira Vegetariana Pç. 29 de Março. Mercês O horário das feiras gastronômicas é das 17 às 22 horas, independente do local ou dos dias da semana.

FEIRA DE ANTIGUIDADES DE CURITIBA Praça Espanha – Batel Soho – horário de funcionamento: todos os sábados das 10 às 17 horas.

64

41 MAG


issue #24


SERVIÇOS

Precisou, achou

›› EMERGÊNCIAS

›› CENTRAIS DE TÁXI

›› COMPANHIAS TELEFÔNICAS

Siate (ambulância/bombeiros): 193 Capital: 3022-2222 / 0800 600 6666 Samu: 192 Curitiba: 3376-7676 / 0800 41 4646 Sanepar (água/esgoto): 115 / 3330-7714 Faixa Vermelha: 3262-6262 / BPTRAN: 3281-1616 0800 41 4141 Copel (energia elétrica): 0800 5100116 Paraná: 3275-7575 / 0800 41 4747 DER (Dep. de Estradas e Rodagem): Sereia: 3346-4646 / 0800 41 5252 3304-8000 Taxitel: 3353-5353 Detran: 3361-1212 /0800 643737 Teletáxi: 3257-5757 / 3275-7575 / Diretran / Urbs: 156 0800 41 4747 Defesa Civil: 199 Guarda Municipal: 153 ›› SERVIÇOS Juizado de Menores: 3222-7561 Auxílio à lista telefônica: 102 Polícia Civil: 197 Disque-Cinema: 3315-1414 Serviço de Atendimento ao Turista (1º Dist.): Disque-Turismo Municipal: 3352-8000 3233-0700 Disque-Turismo Estadual: 3254-1516 Polícia Federal: 3360-7500 ECT (Empresa de Correios Telégrafos): Imigração/passaporte: 3360-7626 / 0800 5700100 3360-7674 Prefeitura Municipal (serviços): 156 Polícia Militar: 190 Instituto Municipal de Turismo: Polícia Rodoviária Estadual: 198 / 3250-7728 / Fax: 3250-7724 3342-7111 Procon: 0800 411512 Polícia Rodoviária Federal: 191 Hora Certa: 130 Delegacia Polícia Rodoviária Federal: Despertador Automático: 134 3267-4446 Remoções 24 horas - UTI Móvel, Aérea, ›› OPERADORAS PEDÁGIO (problema com drogas ou psiquiátricos): Caminhos do Paraná: 0800 421 010 3257-3336 / 3566-6400 Econorte: 0800 400 1551 SOS Criança: 156 Autopista Litoral Sul: 0800 7251 1771 IML: 3281-5602 Ecovia: 0800 410 277 Rodonorte: 0800 421 500 Rodovia das Cataratas: 0800 450 277 Viapar: 0800 442 727

66

41 MAG

›› TRANSPORTE Aeroclube Bacacheri: 3256-3003 Aeroporto Bacacheri: 3256-1441 Aeroporto Internacional Afonso Pena: 3381-1515 ALL - América Latina Logística (trem carga): 2141-7555 Ônibus (itinerários/sugestões/ reclamações): 156 / 3320-3000 Rodoferroviária: 3320-3000 Serra Verde Express (trem passageiros): 3888-3488 Viapar: 0800 601 6001

A 41 Delivery é uma publicação de NWT COMUNICAÇÃO. Rua Fernando Simas, 252, Batel, Curitiba. CEP 80430-190 – Tel.: 41 3027-7610. As matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da 41 Delivery. Preços e itens da revista podem sofrer alterações. Foto Capa Gui Klaime Sel et Sucre - Chef Kika Marder

www.41delivery.com.br

R E VI S TA dI R I g I dA E g R AT U I TA J U N H O E J U L H O 2 012 - E d . 24

41 Delivery ­ANO 4 ­Ed. 24 - Junho e Julho de 2012 Publisher Newton Gomes Rocha Neto <41delivery@41delivery.com.br> Comercial <contato@41delivery.com.br> • 41 3027-7610 Diretor de Arte Newton Gomes Rocha Neto Projeto gráfico e diagramação Eduardo Y Inoue Design anúncios <arte@41delivery.com.br> Revisão João Batista Ribeiro Colunas Café Carlos Eduardo da Costa Receita do Chef Kika Marder Boulangerie Edgar Donato Novidade Manu Buffara Destino Marcelo Maia Cerveja Douglas Salvador Vinhos Fabio Carnielli Night Life Marquinhos Slaviero e Tite Clausi Aconteceu Brasil Sabor e Restaurante Week Críticas e sugestões <41delivery@41delivery.com.br>

OI: 1057 Embratel: 0800 902100 Anatel: 1331 GVT: 0800 0522525 / 0800 0520102 Telefonia celular Brasil Telecom: 1053 Telefonia celular Claro: 1052 Telefonia celular Tim: 1056 Telefonia celular Vivo: 1058 Nextel: 1050

Boeuf Bourguignone capa.indd 1

6/19/12 4:54 PM


issue #24


41delivery-ed24