Page 4

JORNAL DE ESPOSENDE

Política

“procurarei sempre e antes de tudo estar próximo das necessidades das populações”

Berta Viana

maioria, mas como digo, muitas e muitas vezes em democracia não há enganos e por isso cada um exerce o poder como sabe e como quer.

“levar propostas das quais destacarei a título de exemplo o tema das portagens na A 28, a alteração do PDM” Berta Filipa Gonçalves Viana IDADE: 32 anos NATURAL: Fão PROFISSÃO: Advogada

Berta Viana vai comandar a bancada do CDS-PP na Assembleia Municipal de Esposende, em entrevista ao Jornal de Esposende, esta fangueira de 32 anos, assume que vai lutar para dignificar o papel de Deputado Municipal e defender os interesses do concelho.

“Procurarei manter-me fiel aos valores do CDS” Eleita como deputada municipal, vai ser a porta-voz da bancada do CDS-PP, como encara este novo desafio? Berta Viana: Desde logo lutarei, conjuntamente com os meus companheiros de bancada, pela dignificação do papel do Deputado Municipal e do órgão Assembleia Municipal. Penso a esse propósito que Esposende deu um paço importante no que diz respeito às condições físicas e de trabalho da Assembleia Municipal, mas penso, igualmente,

4 | 4 de Dezembro de 2009

que agora entramos na segunda fase que é a da qualidade do trabalho desenvolvido e do respeito que a mesma deve merecer de todos e em particular do Senhor Presidente da Câmara Municipal. Relativamente aos temas a desenvolver na Assembleia procurarei sempre e antes de tudo estar próximo das necessidades das populações, a exemplo do que já fiz relativamente aos pescadores da Apúlia, a propósito do incêndio que deflagrou em Cedovem e destruiu oito abrigos de pesca. Procurarei manter-me fiel aos valores do CDS nomeadamente nas questões da tributação do património das famílias e do tecido empresarial, defesa dos valores da família, do ambiente, da cultura, dos agricultores, pescadores, bem como de outras actividades que são tidas como marginais e em tanto enriquecem a nossa economia e tecido social, como é o caso dos artesão, artistas, alfaiates. Além disso procuraremos acompanhar a actividade cívica política e desportiva do concelho. Por último e respondendo mais directa e sucintamente à questão colocada afirmo aqui e perante todos que assumirei este desafio com humildade, altruísmo e sentido de serviço, devolvendo os resultados do meu trabalho e dos meus colegas de bancada a todos que me elegeram e aqueles que não o tendo feito possam precisar em qualquer momento de uma

intervenção em defesa do que possa dignificar e defender os interesse do concelho e das suas gentes. Como analisa a sua presença durante o tempo, em que participou como vereadora no executivo municipal? Apesar de alguma intermitência durante o exercício do mandato numa primeira fase por questões alheias à minha vontade e numa segunda fase por querer que a candidata à Câmara pelo CDS tivesse todas as condições para se apresentar ao eleitorado com uma experiência mais ampla e madura do exercício do cargo de vereadora, apesar disso, procurei sempre que estive presente intervir activamente nas questões tratadas e levar propostas das quais destacarei a título de exemplo o tema das portagens na A 28, a alteração do PDM, o reconhecimento e atribuição da medalha de mérito Municipal ao grande artista plástico de Esposende Fernando Rosário. Contudo não posso deixar de partilhar convosco que foi extremamente redutor e decepcionante perceber que como minoria muitas das propostas e ideias levadas e apresentadas foram encaradas como ameaças, sendo sempre desvalorizadas pela maioria para politizar ao máximo o desempenho em manifesto prejuízo dos interesses da comunidade em geral. Senti falta de assertividade da

Que propostas do CDS-PP pretende levar a curto prazo à Assembleia Municipal ? Serei fiel aos valores do partidos já enunciados na primeira resposta e ao programa que submetemos aos eleitorado, destacarei contudo o aprofundamento da divulgação e dignificação da Assembleia Municipal nomeadamente através da realização de reuniões fora da sede do Município e também na melhoria das condições de divulgação dos trabalhos da Assembleia Municipal, continuaremos a acompanhar o desenvolvimento de questões relacionadas com o desemprego, o desenvolvimento empresarial multissectorial abrangendo a crise na agricultura, nos têxteis, nas pescas, a degradação do património edificado, o ambiente e o Turismo.

“por isso, o investimento e o emprego devem ser prioridades absolutas” Estando inserida num partido da oposição no município, o que gostaria de ver mudado no concelho de Esposende durante estes próximos 4 anos? Desde logo gostaria que não fosse necessário aos Esposen-

denses terem que sair da sua terra à procura de trabalho para manterem as suas famílias, por isso, o investimento e o emprego devem ser prioridades absolutas, ainda a esse propósito que aproveitássemos efectivamente as potencialidades turísticas do nosso concelho valorizando os seus rios, ribeiros, os centros históricos como o de Fão, o Castro de S. Lourenço, as tradições e festividades locais como por exemplo a festa de S. Bartolomeu do Mar, de Santa Tecla, Sr.ª da Guia, e que valorizássemos e tirássemos partido de um inegável facto que é o de Esposende ser um privilégio da natureza, mas os que cá vivem ainda não conseguem viver, apenas, com esse privilégio, por isso, há que potenciar ao máximo as riquezas e património cultural, arquitectónico, histórico, paisagístico, gastronómico e imaterial de Esposende e das suas quinze freguesias. A A28 é um dos temas mais falados nos últimos tempos, é a (favor ou contra) as portagens na via referida? Naturalmente que sou contra, já enquanto vereadora propus ao Executivo Camarário a aprovação de um voto de protesto ao Governo sobre essa matéria, no entanto o Sr. Presidente referiu que estava a desenvolver contactos com o Secretário de Estado e que esse voto de protesto a ser aprovado e remetido ao governo poderia influir negativamente nas negociações encetadas para que a A28 não fosse portajada, assim, foi por mim livremente retirada a proposta. No entanto, tal como antes, defendo que não existindo um percurso alternativo à referida via não deve, nem pode ser portajada a A28. Aliás, já subscrevi a petição que corre na internet com esse propósito e que desde já ínsito todos os nossos leitores a fazê-lo. Tenho ainda para mim que se deveria reivindicar uma via ferroviária que ligasse o Porto a Viana do Castelo pelo litoral, atravessando o nosso concelho, isso sim, traria enormes benefícios para o nosso concelho.

Paulo Gonçalves paulofernandogoncal@sapo.pt

jornal de esposende nº625  

jornal de esposende nº625

Advertisement