Issuu on Google+


Use a Cabeça! O guia amigo do seu cérebro Use a Cabeça! Estatística Formato: 17 x 24 - 712 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

o dilema do sabor da goma de mascar da mighty gumball

usando distribuições discretas de probabilidade

O teste da goma de mascar Mighty Gumball

A Mighty Gumball é a empresa líder em vendas de balas e chocolates. Seu principal Então as transformações lineares me dão uma forma rápida de calcular o valor produto é a goma de mascar superduradoura. Ela é produzida em vários tipos de cores esperado e a variância quando quero jogar para agradar a todos os gostos. vários jogos? A Mighty Gumball pretende fazer uma série de comerciais de televisão para atrair um número ainda maior de clientes, e, como parte disso, deseja divulgar quanto tempo Existe uma diferença entre usar transformações lineares e dura o sabor de suas gomas de mascar. O problema é como obter esses dados?

6 Permutações e combinações

jogar vários jogos.

Construindo Arranjos

A empresa decidiu implantar um teste de sabor e contratou vários participantes para Com transformações lineares, todas as probabilidades continuam as mesmas, ajudar nos testes. Porém, existem dois problemas: os participantes estão consumindo mas os valores possíveis mudam. Os valores são transformados, mas não as todas as gomas de mascar e seus planos odontológicos estão custando uma fortuna à probabilidades. O número de valores possíveis continua o mesmo. empresa. Ao jogar vários jogos, tanto os valores quanto as probabilidades são diferentes, e até mesmo o número de valores possíveis pode mudar. Não é possível Se eu tentar todas as apenas transformar os valores. Além disso, o cálculo das probabilidades pode permutações, mais cedo ou mais rapidamente ficar complicado. tarde vou conseguir falar com a

Vamos examinar um exemplo simples. Suponha que você estivesse jogando um loja de tatuagens do Tom. caça-níqueis bastante simples com distribuição de probabilidades X. Bem, a goma n° 1.466 perdeu o sabor depois de 55 minutos, mas a goma n° 1.467 ainda está uma delícia há mais de 1 hora...

Por favor, chega de gomasxde mascar! Estou -1 ficando sem dentes.

P(X = x)

0.9

Agora pagando o dobro!

5 0.1

Para achar a distribuição de probabilidades de 2X, as quantias basta multiplicar os valores x por 2. Os outros valores Aqui, das são multiplica mudam porque os ganhos potenciais dobraram.

2x P(2X = 2x)

-2 0.9

10 0.1

por 2. As probabilidades continuam as es. mesmas de ant

E se você jogasse dois jogos no caça-níqueis? Seria necessário calcular a distribuição de probabilidades desde o início considerando todos os possíveis resultados dos dois jogos.

se a alavanca É como se você puxas possíveis e duas vezes. Os ganhos diferentes. são des as probabilida y = 10 w -2 4 10 se você ganhar os P(W = w) 0.81 0.18 0.01 dois jogos. W representa o resultado y = 4 quando você obtém –1 outro. dos dois jogos. em um jogo e 5 no y = –2 se você perder os dois jogos.

416

Capítulo 10

Às vezes, a ordem é importante. A contagem de todas as formas possíveis em que você pode ordenar as coisas consome muito tempo, mas a questão é que este tipo de informação é essencial para calcular algumas probabilidades. Neste capítulo, vamos mostrar-lhe uma maneira rápida de deduzir deste tipo de informação sem ter de calcular todos os resultados possíveis. Venha conosco e vamos mostrar-lhe como contar as possibilidades.

Dessa vez, tanto as probabilidades quanto os valores mudaram. Então, como podemos achar o valor esperado e a variância para essa situação?

você está aqui 

221

este é um novo capítulo

241


O guia amigo do seu cérebro

          Série Use a Cabeça!    4 6

Use a Cabeça! Ajax Profissional Formato: 17 x 24 - 528 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

usando o ajax Profissional

Páginas Web reinventadas

usando o ajax Profissional

usando o ajax Profissional

Usando o Ajax Profissional, suas páginas e aplicativos apenas pedem ao 3 que Informe ao objeto de solicitação o que fazer quando o servidor o que realmente precisam – apenas as partes de uma página precisam mudar e somente as partes que o servidor tem que fornecer. Issoservidor responde significa menos tráfego,atualizações menores e menos tempo esperandoE as o que acontece quando o servidor responde? O navegador vê outra renovações da página. propriedade do objeto de solicitação,chamada onreadystatechange. Isso nos permite atribuir uma função de callback que deve ser Com o Ajax, o navegador envia e recebe apenas asquando o servidor responde à nossa solicitação. executada partes de uma página que precisa mudar. Codifique sua callback e teste a página de inventário.

Desta vez, o código de suaimageID=escape(imageName) página cria um objeto de solicitação url=" "getDetails.php?imageId=" + imageID; especial que o navegador enviaurl= para o servidor. open("GET", url, true);

Adicione displayDetails( ) ao seu arquivo thumbnails.js. Você O valodeve r da prop também assegurar riedade que o programa no lado do servidor com entradas deve ser o nome na umapágina 30,esteja em execução e que a URL em seu e saídas, funçãodetalhado a executader assi m ) esteja apontando para esse programa. Então, método getDetails( que o serv idor rece be uma respaost inicialize página de inventário e clique em um item. a para noss

ário não teosm ax, o usumo Com o Ajsar os vimmuent que pass da pel ou ita ina pág rápido ... ele pode até continuar espera a página enquanto a usar ação está sendo a solicitsada. proces

O servidor atualiza o objeto de solicitação... 4

ra nge é apenas out onreadystdeatedochaobjeto de solicitigo.ação que propriedas definir em nosso cód podemo

a

solicitação.

onreadystatechange=displayDetails;

ada de Esta funçãocallbé cham . ela é “chamada função decom aack.. a do de volta” . respost servidor

Quando você clicar em um item, deverá ver uma imagem maior dele e detalhes sobre ele. Tudo sem um recarregamento da página.

Faça a solicitação Agora,estamos prontos para enviar a solicitação para o servidor e obter uma resposta.

...e seu código informa ao O usuário clica em uma imagem... navegador para atualizar apenas as partes da página que mudaram.

... e faz uma solicitação cria e configura um para o servidor. ...que chama uma função ...que objeto de solicitação... em thumbnails.js...

Algumas vezes o navegador não tem que conversar com o servidor. O navegador

O usuário em algo. clica

ar a chama uma função O script pode pratoguaralizma no em seu arquivo de imagem sem o or! id rv script. lado do se

thumbnails.js

Confuso sobre como colocar seu programa no lado do servidor em funcionamento?

O script informa ao navegador como atualizar a página... tudo sem uma renovação da página.

Por que você acha que a função de callback Vá para o Apêndice I para é atribuída a uma propriedade chamada ter uma ajuda sobre como colocar as coisas onreadystatechange? O que você acha que esse funcionando no servidor. nome da propriedade significa? você está aqui 3 você está aqui 23

36 capítulo 1

você está aqui 37


Use a Cabeça! O guia amigo do seu cérebro Use a Cabeça! Padrões de Projetos Formato: 17 x 24 - 496 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator Bem-Vindo aos Padrões de Projetos

Bem-Vindo aos Padrões de Projetos

ly() delega para A primeira chamada para performF or de o objeto flyBehavior definido noa construt ModelDuck, que é uma instânci FlyNoWay.

Isto deve ser importante!

voando

//parece um decoyduck}

amentos OOQuando você junta duas classes assim, está usando a comque você saibapolosimfund te, como Presumimosusar sses orficamen vez de herdar seu comportamento, os patos sobre como como cloadesi rato e comoposição.seuEmcomportamento cont por n g ao serem compostos com o objeto é a herança mento funciona. Se você não souberobtêm de comportamento certo. o encapsula e seu Head First Java e faça uma é uma técnica importante; na verdade, estamos usando bem isso, peguis leia este capítulo de novo. Essa nosso terceiro princípio: revisão. Depo  Saber os princípios OO não faz você ser um bom designer.  Os bons designs OO podem ser reutilizados, estendidos e mantidos.

 Padrões mostram como construir sistemas com boas qualidades de design OO.

Encapsulam smo Polimorfi Herança

s OO

Princípio

ia. o que var Encapsule posição de à com Dê priorida à herança. ção em rela rface, para inte es. me gra Pro entaçõ a implem não par

OO Padrões

fam ília ine uma um gy – def aps ula cad a Str ate A enc mbiáveis. ritm os, de algo a interca algoritmo os torn que o deles e ntes permite dos clie estratégia dentemente pen varie inde . izam util que o

entram! Um sai, muitos

em Vamos ver issodepo e mais detalhesos adiciisonar também irem . alguns à lista

No decorrseeremdo como livro, pen s utilizam os padrõe entos e os fundams OO. princípio

não pode voar

certificarvocê tem que entender, depois se aprender algo? Primeiro e as Então, o que é necessário para dentro da sua cabeça. Conform se trata de empurrar fatos para se de que não vai esquecer. Não e psicologia da educação, aprender ciência cognitiva, neurobiologia sobre cérebro. seu recentes ao mais pesquisas o que interessa em uma página. Nós sabemos texto que do mais muito exige

 Padrões são uma experiência orientada a objeto comprovada.  Padrões nãoPrincípio fornecem códigos, mas de projeto soluções gerais para problemas de projeto. Daraplicativo. prioridade à composição Você os aplica a seu  Os padrões não são inventados, são descobertos.  A maioria dos padrões e princípios trata de questões de alteração no software.

Conforme vimos, criar sistemas usando composições dá a  A maioria dos padrões permite que uma você muito mais flexibilidade. Além de permitir encapsular parte do sistema varie independentemente uma família algoritmos de todasde as outras partes. em seu próprio conjunto de classes, permite alterar o comportamento no tempo de execu Geralmente tentamos pegar e encapsular ção desde objeto com o qual você estiver compondo o queque variaoem um sistema. implemente a interface de comportamento certa.  Padrões fornecem uma linguagem compartilhada que pode maximizar o

valor de sua comunicação com padrões outros A composição é usada em muitos de projetos e desenvolvedores. você verá muito mais sobre essas vantagens e desvantagens no decorrer deste livro.

Esses “algoritmos” de comportamento são intercambiáveis. Use a Cabeça!: princípios do aprendizado

Alguns dos

que apenas muito mais memoráveis do Use o visual. As imagens são 89% de precisa chamar serviço remoto ado muito mais efetivo (até torna um métod o no RMI as palavras e tornam o aprendiz e transferência). Também servidor em estudos de lembrança melhoria Mestre dentro ou perto edealuno... palavras as Coloque . doCalc() as coisas mais fáceis entender no final ou em outra de vez em referem, se dos gráficos a que elas es conseguirem resolver aprendiz os de idade valor de probabilGafanhoto, me diga página, e aMestre: dobrar. retorno ao conteúdo você dos aprendeu sobrepoderá os relaciona problemoasque , os esturecentes caminhos Orientados a Objeto. e personalizado. Em estudos Use um estilo conversacional até 40% no desempenho Aluno: Mestre, aprendi que a tiveram uma melhora de dantes quando o conteúdo falava promessa do caminho orientado a objeto é a reutilização. em testes pós-aprendizado cional, em conversa estilo um usando É realmente uma droga ser diretamente ao leitor, Mestre: Gafanhoto, continue... se usar um tom formal. Conte um método abstrato. Não primeira pessoa, em vez de Use Faz sentido dizer que a se tem um corpo. Aluno: Mestre, pela herança, todas as coisas boas podem histórias em vez de dar aulas. Banheira É-UM Banheiro? a ser reutilizadas e, assim, iremos reduzir drasticamente o m casual. Não se leve linguage Ou o Banheiro É-UMA mais prestaria Banheira? Ou é uma você que Em tempo de desenvolvimento. sério demais. relação TEM-UM? durante um nte interessa conversa em uma Mestre: Gafanhoto, gastamos maisatenção: tempo com o código aula? uma em jantar antes ou depois de o desenvolvimento ser ou concluído? do leitor. Todos já atenção a – a mantenh e – Consiga e quero aprender Aluno: A resposta é depois, Mestre. Sempre a experiência “eu realment tivemosgastamos ”. mais tempo mantendo e alterando o software do não queconsigo com passar da página um acordado abstract void roam(); isto mas em coisas que saiam do o desenvolvimento inicial. O seu cérebro presta atenção s, impressejam interessantes, estranha que para O método não tem Mestre: Então, Gafanhoto, o esforço devecomum, ser voltado novo e difícil , inesperadas. Aprender um corpo! Finalize-o com sionantes seu a reutilização da manutenção e da extensão acima? O o. ser enfadonh ponto-e-vírgula. assunto técnico não precisa rápido se não for. Aluno: Mestre, acredito que isso seja verdade. cérebro aprenderá muito mais a sua capacidade de Nós sabemos, hoje em dia, que do leitor. Mestre: Vejo que você ainda tem muito a aprender. as emoções Envolva Você se lembra das coisas muito do conteúdo emocional. depende Gostaria que você meditasse mais a herança. algosobre lembrar-se de sente algo. Não, não estamos falando Você se lembra Conforme você viu, acom herança seus problemas e quando se importa. as quaistem Estamos falando cachorro. seu o coração sobre um garoto e o existem outras maneiras conseguir a reutilização. de partir histórias de de da sensação de e, diversão, “o que é isso?”, e de emoções como surpresa, curiosidad resolve um quebra-cabeça, aprende algo você “Eu sou demais!” que vem quando algo que o Bob “eu sabe você que percebe ou difícil que as demais pessoas acham 17 ento de engenharia não sabe. departam do sou mais técnico do que vós” XVII

23 UC_PadroesProjetos.indd 17

UC_PadroesProjetos.indd 23

ro acha seu céIrSebT O não vale. que na memorizar a pe

E não existe nenhuma maneira simples de dizer ao seu cérebro: “ei, cérebro, muito obrigado, mas não importa o quanto este livro seja chato, nem quanto eu estou na escala Richter emocional //implementa o pato //implementa o pato marcando //não faça nadagrasnando não pode grasnar! neste momento, grasnando eu realmente quero armazenar isto aqui.”

do que É-UM

ento

Ótimo. Só faltam mais 490 páginas entediantes, secas e chatas.

um aprendiz. de “Use a Cabeça!” como Nós pensamos no leitor

Você quase terminou o primeiro capítulo! Já colocou algumas ferramentas em sua caixa de ferramentas OO; vamos criar uma lista delas antes de passar para o Capítulo A relação É-UM é 2. interessante: cada pato tem um FlyBehavior e um QuackBehavior aos quais delega as capacidades de voar Pontos e de grasnar. importantes

Abstração

disto!

Apenas um problema. O seu cérebro está tentando lhe fazer um grande favor. Está tentando certificar-se de que este conteúdo Comportamento de grasnarnão encapsulado obviamente sem importância gaste recursos escassos. Recursos esses que seriam melhor gastos armazenando as coisas realmente importantes. Como tigres. Como o perigo do fogo. Como você não deve nunca mais praticar esqui na neve de cal��ão.

pode ser melhor Ferramentas para sua caixaTEM-UM de ferramentas de projeto

Fun

Como usar este livro

Mas imagine que você esteja em casa, ou em uma biblioteca. É uma área segura, aconchegante e sem tigres. Você está estudando. Preparando-se para um exame. Ou tentando aprender algum tópico técnico difícil que o seu chefe acha que só//não vaifaçalevar uma semana, dez dias no máximo. nada //implementa o pato

Cliente

Guru: Sim, até certo ponto, mas lembre-se de que projeto é uma arte. Sempre haverá trocas. Mas, se você seguir padrões bem pensados e aprovados, já //OUTROS estará um passo à métodos frente. Desenvolvedor: O que faço se não consigo localizar um padrão? Guru: Existem alguns princípios orientados a objeto que são a base dos padrões e conhecê-los irá ajudá-lo quando você não conseguir encontrar um padrão que resolva seu problema. //parece um mallard redhead} //parece um rubberduck} Desenvolvedor: Princípios? Você quer dizer além da abstração,//parece do um encapsulamento e... Guru: Sim, um dos segredos para criar sistemas OO de fácil manutenção é pensar em como eles podem mudar no futuro, e esses princípios tratam dessas questões.

OO damentos

Pense em conjunto cada compor de tam como um entos Não de se esqueça a família algoritm os.

Comportamento de voar encapsulado

O cliente utiliza uma família encapsulada de algoritmos para voar e grasnar.

Lembre-se, conhecer conceitos como abstração, herança e polimorfismo não faz de você um bom designer orientado a objeto. Um guru do design pensa em como criar designs flexíveis que possam lidar com mudanças.

15/01/2009 14:19:31

15/01/2009 14:19:33

UC_PadroesProjetos.indd 17

15/01/2009 14:19:23


O guia amigo do seu cérebro

          Série Use a Cabeça!    6

Use a Cabeça Padrões de Projetos

Começou com um simples aplicativo SimUDuck

Remissivo

Joe trabalha para uma empresa que cria um jogo de simulação de lago com patos de grande sucesso, o SimUDuck.. O jogo pode mostrar uma grande variedade de espécies de pato nadando e produzindo sons. Os designers iniciais do sistema usaram técnicas OO padrão e criaram uma superclasse Duck (Pato) herdada por todos os outros tipos de pato.

Todos os patos grasnam e nadam, a superclasse cuida do código de implementação.

e btipo d vel Cadaoséuresponntsaár pat impleme poru próprio nto se portame a o modo com play() par na tela. dis o aparece com

Index

Duck quack() swim() display() // OUTROS métodos parecidos com duck...

MallardDuck display() { // parece um pato bravo }

RedheadDuck display() { // parece um cabeça-vermelha }

O método display() é abstrato já que todos os subtipos de pato são diferentes. pato tipos de A Muitamos doua tclroassse Duck. abstract herd91

abstract Product factoryMethod(String type) 91 Abstraindo prepareRecipe() 209 abstrata 73 Acionar o “play” no DVD Player 192 Ano passado, a empresa esteve sob pressão crescente dos concorrentes. ApósA uma sessão brainstorming de de software uma constante node desenvolvimento 6 semana jogando golfe, os executivos da empresa acham que está na hora de fazer uma grande inovação. Eles precisam A construção da máquina de ordenar patos 226 de algo realmente impressionante para mostrar na reunião de acionistas em Maui na semana seguinte. Acrescentando Undo aos comandos do ventilador de teto 165 Adaptador 180 Só preciso adicionar um Adaptador de Classes 185, 186 Duck método fly() à classe e depois todos patos irão Adaptador Objetos 185,os186 Os executivos decidiram que fazer os patos voarem é o que o simulador para acabar de herdá-lo. É a hora de eu mostrar Adaptadores de e de queobjetos sou mesmo umclasses gênio OO.184 com a concorrência. E é claro que o gerente de Joe disse a eles que Joe poderia criar algo em uma semana. “Afinal”, disse o chefe de Joe, “ele é programador OO...Adaptadores não pode no mundo real 187 ser muito difícil”. Adaptadores orientados a objetos 178 Adaptável 177 Adapter 177, 190 addLemon 209 addSugarAndMilk 209 A Fábrica Chocolate 130 Agora, vamos construir esses elementos de exibição 42 Duck Ajustar o amplificador para volume médio (5) 192 Alguma confusão sobre Herança versus Composição 67 quack() swim() Analisando as dependências dos objetos 100 display() fly() A nova e chique CaffeineBeverage, turbinada pelo Template Method 214 // OUTROS métodos parecidos com duckÖ API 154 aplicando 5 Aplicando o Princípio 101 Aponte o seu lápis 4, 6, 11, 25 Aponte seu lápis 31, 39, 44, 55, 60, 61, 71, 72, 90, 99 MallardDuck RedheadDuck , 107, 120, 122, 123, 131, 136, 140, 141, 153, 168, 1 display() { display() { 74, 175, 182, 199, 203, 211, 233 // parece um pato bravo } // parece um cabeça-vermelha } Applets 228 Aprimorando o projeto… 209 2 Aproveitando o gancho do Template Method… 216

Mas agora precisamos dos patos para VOAR

O que queremos.

es subclass Todasdamas fly(). er h

Joe

O que Joe adicionou.

... os de Duck

ip Outros t

As classes de Criação 95 As classes de Produtos 95 A Simple Factory definida 85 Assistindo a um filme 192, 196 A tarefa da Garçonete é receber Comandas de Pedidos e, de posse delas, invocar o método orderUp(). 149 Atribuindo Comandos aos slots 156

B Baixar a tela 192 Bastidores 47, 92, 111 Bate-papos em volta da lareira 45, 186, 190, 229 Bem-vindo aos Padrões de Projetos 1 Bem-vindo ao Starbuzz Coffee 58 Beverage 59, 69 brainstorming 2 brewCoffeeGrinds 209 BufferedInputStream 73

C CaffeineBeverage 214 Caldeira 141 CaliforniaPizzaStore 87 Carregando o Invocador 150 CeilingFan 165 CeilingFanHigh 154 Chamar o método cost() e contar com a delegação para adicionar os custos com condimentos 64 Changed 30 Cheese Pizza 109 Chegou a hora de escrever aquela documentação… 161 Chegou aquela hora outra vez… 231 ChicagoPizzaStore 87 Choc-O-Holic 131 471

UC_PadroesProjetos.indd 2

15/01/2009 14:19:25

UC_PadroesProjetos.indd 471

15/01/2009 14:21:12


7 Book's Editoração LTDA 6     Especial Fabíola Travassos

Catia V5 R18 Formato: 17 x 24 - 208 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator 23

Introdução ao Catia V5 R18 Sketcher

121

Introdução Part Designao Catia V5 R18

Projetando no PART DESIGN (1) Agora que já aprendemos a função dos comandos mais utilizados durante a criação de um elemento tridimensional no Workbench do “Part Design”, vamos colocar nosso conhecimento em prática.

INTRODUÇÃO AO CATIA V5 R18

Na figura abaixo, é exibida a perspectiva de um elemento a ser projetado:

Resultante

t Three Point Arc Start With Limits – Através desse comando torna-se possível a criação de arcos por meio da seleção de três pontos quaisquer presentes no plano do Sketch, sendo o primeiro ponto igual ao começo do arco, o segundo ponto igual ao fim do arco e, o terceiro ponto ou referencial, igual ao limite ou tangência, pela qual o arco deve passar.

Logo de Abertura do Catia

Primeiro ponto selecionado

Elemento a ser projetado Segundo ponto selecionado

Dada suas medidas:

O Catia é atualmente o programa de CAD (Computer Assist Design) mais utilizado do mundo dentro da área de engenharia. No Japão, EUA, França, Alemanha, China, entre outros países, empresas de grande porte a exemplo das gigantes Toyota Japan e Embraer Brasil, utilizam essa poderosa ferramenta. O catia serve tanto para a projeção quanto para a simulação da criação de peças e maquinários para variadas áreas da engenharia, sejam elas mecânica, naval, aeronáutica, civil ou automobilística. No Brasil, o Catia começou a ganhar espaço no mercado de trabalho há poucos anos atrás, e tem aumentado exponencialmente sua utilização. Desde suas versões anteriores V5 R17, V5 R16, até a sua versão atual V5 R18, o Catia tem conservado a sua interface, facilitanto assim a utilização para os usuários de antigas versões do programa.

Terceiro ponto selecionado

Interface do Catia V5 R18

Resultante

t Arc - Com esse comando, é possivel criar arcos por meio da seleção de três pontos quaisquer, presentes no plano do Sketch, sendo o primeiro ponto igual ao centro do arco, o segundo ponto igual ao começo do arco e, o terceiro ponto igual ao limite ou fim do arco.

Vista Isométrica

Depois de instalado o software Catia V5 R18 em seu computador, será exibido o ícone de atalho do programa no Desktop, como mostra a figura abaixo:


Catia V5 R18    8 7

179

Introdução ao Catia V5 R18

Como voce já deve ter averiguado, movendo o cursor do mouse no sentido horizontal para direita em relacao a vista de elevacao do elemento, a projecao resultante será a vista lateral esquerda do mesmo. Agora, se movermos o cursor do mouse no sentido horizontal para esquerda em relacao a vista de elevacao do mesmo, a projecao resultante será a vista lateral direita do elemento. Tendo essa concepcao em mente, insira a vista lateral esquerda do elemento em questão clicando com o mouse em qualquer área da tela do Drafting;

PART DESIGN

É o plano do Workbench pelo qual pode-se criar e editar elementos tridimensionais, através da construção de sólidos. Resultante

Geralmente, os usuários do Catia criam elementos ou entidades em 3D por meio da construção de sólidos, porém para editá-los, utilizam tanto as ferramentas do sólido, como as ferramen-

tasdedefundo malha 19 – Projetada as vista em questão, vamos agora ativar a grade doaprendidas plano do no capítulo anterior. Drafting (caso ainda não estiver ativado), para isso, habilite o comando “Sketcher Grid” localizado na Barra de Ferramentas “Visualization”;

Ativa/Desativa a grade de fundo do plano corrente

20 – Feito isso, ative também o comando “Snap to Point” (caso ainda não estiver ativado), localizado na barra de Ferramentas “Tools”;

Ativa/Desativa a movimentacao do cursor pelos pontos de interseccao da grade no plano corrente

20 – Em seguida, habilite o comando “Offset Section View” localizado na Barra de Ferramentas “Views” e, estando o comando habilitado, crie uma linha de centro, no sentido vertical do eixo, que passe pelas 2 extremidades da vista de elevacao em questão, feito isso de 2 cliques rápidos com o botão esquerdo do mouse, confirmando assim o plano de corte a ser adotado;

Tela do Part Design

Invocando o PART DESIGN Linha de centro criada por meio do comando “Offset Section View” para a criacao de uma vista de corte no elemento

O plano do PART DESIGN é invocado pelo acesso a Barra de Menus, como mostra a figura abaixo: Acessando-o por meio da Barra de Menus (Start / Mechanical Design / Part Design).


9     Especial Book's Editoração LTDA

Aprendendo 3ds Max® 2008 Formato: 17 x 24 - 624 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator 354 CAPÍTULO 7: Materiais e Mapeamento FLUXO NO CHARACTER STUDIO 407 10: ILUMINAÇĂO 3DS MAXê Acrescentaremos agora as coordenadas484de CAPÍTULO mapeamento. Veja NO que há dois materiais para cada lado do foguete, e que o Map Channel 1 está definido para o lado direito e o Map Channel 2 para o lado esquerdo. Começaremos acrescentando e entanto, as sombras do Shadow Map não mostram a cor lançada por objetos configurando o mapeamento no lado direito do foguete. translúcidos. Ao selecionar o Shadow Maps no menu 6. Acesse o painel Modify e clique em Editable Polytransparentes para sair do ou modo Parameters de seleção do sub-objeto. Em seguida, na listaGeneral Modifier, escolhapara o uma luz, o menu Shadow Map Params aparece. Veja figura. modificador de mapa UVW. Vamos manter aa configuração atual, que está definida como Planar. Nos parâmetros dePor alinhamento esse tipo dedosombra se basear em mapas, é importante controlar a modificador, marque o eixo X, como mostra a figura. resolução dos mapas gerados. Quando se está próximo de uma sombra, a 7. Clique no botão Bitmap Fit. Selecione o arquivo Rocket_Body_Right resolução precisa ser maior para a sombra projetada do que se ela estivesse Figura 9.1 da pasta SceneAssets\Images do projeto Red Rocket. O distante gizmo assumirá o a fim de evitar bordas franzidas ao redor da sombra. mais da câmera, mesmo tamanho do bitmap, mantendo a imagem proporcional. Os parâmetros seguintes são úteis na criação de mapas de sombras: Personagem bípede na 8. No painel Modify, vá ao Modifier Stack e clique no ícone com o sinal de pose referencial Bias A sombra é movida, de acordo com o valor definido, para mais perto adição próximo ao modificador UVW Mapping, como mostra a figura. ou mais do objeto Clique em Gizmo para transformar a imagem por meiolonge do gizmo sem que projeta a sombra. A Figura 10.68 mostra que há menos inclinação com o aumento do valor do parâmetro. afetar o objeto. 9. Mova o gizmo do Modifier de maneira que a faixa branca do decalque fique alinhada à dianteira do foguete, como mostra a Figura 7.95. 10. Saia do modo sub-objeto do gizmo do UVW Figura 10.68Mapping Modifier clicando Bias = 6.0 Bias = 1.0 (Normal) no modificador do Modifier Stack.

Os modelos geralmente devem estar na mesma pose que o modelo anatômico de da Vinci. Ou seja, com os pés alinhados com os ombros e os braços estendidos para os lados com as palmas viradas para baixo, como mostra a Figura 9.1. Assim é possível o animador observar, em pelo menos duas viewports, todas as características do modelo sem obstruções. Esta disposição é padrão na indústria de CG, pois facilita o revestimento da estrutura.

Figura 7.95

O Bias contrabalança sombra e objeto

Alinhe a faixa do material de acordo com a foto do foguete

Uma vez que o termo bípede se refere a um animal ou personagem com dois pés, no 3ds Max, um bípede será uma estrutura, a princípio humanóide, predefinida. É importante entender que você anima o bípede que está associado ao modelo, e não o modelo em si. Depois de unir o modelo à estrutura, ou esqueleto, esta se torna guia do modelo. O modificador Physique no CS é usado para definir a relação entre o esqueleto e o modelo. O uso do modificado Physique assegura que o modelo seguirá a animação do esqueleto. Você irá trabalhar com esse processo de vinculação mais adiante neste capítulo. Ou pode usar outro método do 3ds Max, o modificador Skin, para vincular o modelo ao esqueleto bípede. As diferenças entre os dois processos são explicadas a seguir.

Physique e Skin Atualmente, o 3ds Max possui dois modificadores que basicamente fazem a mesma coisa. O Physique ou o Skin pode ser usado para transferir o movimento da estrutura

Size Sombras detalhadas precisam de mapas detalhados. Aumente o valor Size e 3ds Max aumentará o número de subdivisões para o mapa, o que aumenta os detalhes da sombra lançada. A Figura 10.69 compara um Shadow Map Size baixo para “renderizar” o tabuleiro de xadrez com outro quatro vezes maior. Note como as sombras à esquerda (Size = 1024) são um tanto inconsistentes e menos perceptíveis, enquanto as sombras à direita (Size = 4096) são agudas e limpas. No entanto, você não quer que o valor de seu Shadow Map seja muito 11. Acrescente um segundo modificador UVW Map ao foguete e mude o Map alto. Isso aumentaria o tempo da “renderização” por pouco ou nenhum efeito. Channel para 2. Uma faixa ao redor de 2048 é boa na maior parte das vezes. Cenas maiores, como esse tabuleiro de xadrez, que têm uma escala grande, exigem valores de Size maiores, como o 4096 usado. O princípio é usar o menor valor Size que dê o melhor resultado à sua cena.

Em algumas cenas, você descobrirá que nenhum tamanho de Shadow Map te dará bons resultados (em grandes áreas ao ar livre, por exemplo). Nesses casos, você terá que reverter para um método de sombra diferente, como as sombras Raytraced.


Aprendendo 3ds Max® 2008    10

GALERIA

Galeria de iniciantes Nas páginas seguintes,

você vai encontrar um conjunto de ima-

gens usadas no livro e outras criadas por alguns artistas iniciantes em 3ds Max, dos quais todos são estudantes do Art Institute of California - Los Angeles, onde um dos autores é professor. Esperamos que essas imagens sirvam de inspiração para suas próprias criações, enquanto você vai se familiarizando com o 3ds Max e com gráficos 3D em geral. Na Internet, você vai achar informações valiosas sobre escolas e cursos, a exemplo do Art Institute of California - Los Angeles, onde você possa dar continuidade a seu aprendizado com trabalhos em CG. Alguns desses artistas, depois de pouco tempo usando o 3ds Max, já se tornaram capazes de usar as ferramentas e técnicas que aprenderam para direcionar o senso artístico e a criatividade à execução de belas e interessantes imagens.

Usando como referências alguns barcos e botes de pesca, Brian F. Lee teve a idéia do “Barco Enevoado” que ele queria construir. Depois da modelagem, ele usou várias texturas, luzes e efeitos de névoa para dar vida à cena. As texturas foram retiradas de fotos de madeira podre e metal enferrujado que o próprio Brian tirou no porto e editou no Photoshop. Ele pintou detalhes adicionais já pensando nas repetições do mapa. Os feixes de luz, combinados com a névoa, dão uma aparência bem natural, e as luzes onidirecionais que partem do interior do casco do barco e de cima da doca dão uma aparência mecânica. A B A I X O : Joshua Palácios usou apenas 4.463 polígonos para criar este modelo. Ele fez os feixes de luz, as garrafas, a corda, as correntes e as latas de spray com extrusão de splines; aplicou alguns chanfros formando saliências e cavidades no chão; e aplicou planos regulares (com mapas de canal alpha) nas correntes, paredes e teto. Joshua então pintou algumas manchas perto das latas e tentou fazer as figuras em grafite parecerem o mais real possível posicionando-as onde grafiteiros normalmente fariam. Para a iluminação, Joshua usou 4 luzes onidirecionais próximas ao chão para clarear um pouco o lugar. E ainda posicionou Targets spotlights em direção ao ambiente para conferir uma iluminação externa, “renderizada” com alguns efeitos de névoas. ACIMA:


tos:

-8

hi e

-0

uia

-4

ActionScript 3.0 Guia de ReferĂŞncia RĂĄpida Flash/ActionScript

Formato: 17 x 243.0 - 480Guia pĂĄginas ActionScript de ReferĂŞncia RĂĄpida Escrito por quatro dos maiores especialistas “NĂŁo importa qual sua Editora: Alta Books na indĂşstria, incluindo um membro da equipe de produto Flash, de Adobe, este guia ĂŠ elaborado especificamente para ajudar designers e desenvolvedores Flash a fazer a transição ĂĄgil de ActionScript 2.0 para ActionScript 3.0, rapidamente e sem dor. Formatado de modo que vocĂŞ possa encontrar qualquer tĂłpico facilmente, ActionScript 3.0 Guia de ReferĂŞncia RĂĄpida explica:

Diagramação:

SumĂĄrio AutomĂĄtico

experiência, este livro irå proporcionar-lhe excelente conhecimento, discernimento e, atÊ, um pouco de bom senso no terreno de Flash e ActionScript.� —Branden Hall, CTO, Automatic Studios Ltd. da Apresentação.

s #ONCEITOSDE0ROGRAMAÀâO/RIENTADAA/BJETOS //0 TAISCOMOPACOTESECLASSES

Ă?ndice Remissivo

s 2ECURSOS!CTION3CRIPTEREALCEDEPLAYERQUE melhoram a performance David Stiller ĂŠ um autor RESIDENTEEM#OMMUNITY-8 com e efetivo em fĂłruns de suporte Flash e ActionScript.

s 0ARAONDEFOI5MGUIAPARAAJUDARVOCäA encontrar recursos familiares em ActionScript 3.0, tais como funçþes, operadores, propriedades e declaraçþes globais

Rich Shupe CO AUTORDE Learning ActionScript 3.0 /2EILLY ENSINA programação ActionScript na New York School of Visual !RTS-&!#OMPUTER!RT $EPARTMENT

PĂĄgina-Mestre

Numeração Automåtica Criaçþes de Legendas s #OMOFAZER3OLUÀ¾ESPASSO A PASSOPARA desempenhar tarefas com ActionScript 3.0, incluindo, entrada, som, vídeo, exibição, eventos, texto e muito mais

Criaçþes de Tabelas

TambÊm estão incluídas visþes gerais de recursos Flash e ActionScript. ActionScript 3.0 Ê uma enorme atualização para a linguagem de programação Flash — e este guia ajuda você a atualizar suas habilidades para combinar com isso.

Nota de RodapĂŠ

Estilos de Caractere

Jen deHaan Ê engenheira de qualidade de software na equipe de criação Flash, em !DOBE3YSTEMS )NC Darren Richardson escreve ARTIGOSPARAA7EB$ESIGNER -AGAZINEESITESRELACIONADOS à comunidade.

ActionScript 3.0 Guia de ReferĂŞncia RĂĄpida

Stiller, Shupe, deHaan & Richardson

s $IFERENÀASDEmUXODETRABALHOENTRE!CTION3CRIPT 2.0 e ActionScript 3.0, incluindo ferramentas, edição de código, conjuntos de componentes e renderização de imagem e fonte

Para Desenvolvedores e Designers que Utilizam Flash CS4 Professional

ActionScript 3.0 Guia de ReferĂŞncia RĂĄpida

h Bowen 8-9

11     Especial Book's Editoração LTDA

Tratamentos e produçþes de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrato

Aproveite e boa leitura!

David Stiller, Rich Shupe, Jen deHaan & Darren Richardson

R

www.altabooks.com.br

r

15.11 Formatando Texto com o Uso de CSS Problema VocĂŞ deseja utilizar Folhas de Estilo em Cascata para formatar texto.

Solução

CAPĂ?TULO 16

Use a classe StyleSheet e a propriedade correspondente, styleSheet, da classe TextField.

Como Trabalhar com XML?

DiscussĂŁo

Como com HTML, ActionScript suporta um conjunto limitado de propriedades CSS. VocĂŞ pode ver essas propriedades na Tabela 15-2. Note que, para consistĂŞncia, os nomes das propriedades correspondentes ActionScript nĂŁo tĂŞm hĂ­fens. Tabela 15-2. Etiquetas CSS suportadas por Flash Player Figura 9-5.O componente FLVPlayback e os componentes relacionados a vĂ­deo de UI colaboram, atĂŠ sem ActionScript (performance de theremin de Peter Pringle, http://PeterPringle.com, Propriedade CSS usado com Notas permissĂŁo) <color> Cor de fonte em formato 0xRRGGBB.

16.0 Introdução

XML (Extensible Markup Language [Linguagem de Marcação ExtensĂ­vel]) ĂŠ um modo flexĂ­vel para estruturar dados para armazenagem, transmissĂŁo e anĂĄlise gramatical. Pares tradicionais de nome-valor, usados por açþes de formulĂĄrio padrĂŁo GET e POST, sĂŁo Ăłtimos para transferir pequenas quantidades de dados simples. Contudo, essa tĂŠcnica nĂŁo ĂŠ bem apropriada para Controla exibição de item. Os valores incluem: none(nenhum), grandes quantidades de dados, ou quando vocĂŞ tem de organizar cuidadosamente os dados. <display> block(bloquear), inline. Os componentes de mĂ­dia sĂŁo realmente pretendidos para ActionScript Por exemplo, pares de nome-valor sĂŁo associaçþes limitadas que ligam um valor Ăşnico a Nome de fonte. Propriedade correspondente ActionScript modificada para 1.0, mas ainda funcionam em documentos ActionScript 2.0. NĂŁo sendo, uma variĂĄvel Ăşnica. Associaçþes complexas, em que variĂĄveis devem ser agrupadas em font-family fontFamily. pois, de qualquer modo, compatĂ­veis com ActionScript 3.0. alguma ActionScript forma, sĂŁo discutivelmente impossĂ­veis, ou exigiriam mĂşltiplas variĂĄveis com Tamanho de fonte em pixels. Propriedade correspondente modificada nomes semelhantes. VocĂŞ poderia ter uma estrutura como base de dados, deste modo, para fontSize. font-size A lista completa de componentes de ferramenta de criação para ActionScript 2.0 e 3.0 ĂŠ com pares de nome-valor: Estilo de fonte. Valores incluem: italic, normal. Propriedade exposta na Tabela 9-2, Tabela 9-3, Tabela 9-4 e Tabela 9-5. font-style correspondente ActionScript modificada para fontStyle. ?user1nameďŹ rst=John&user1namelast=Public&

Tabela 9-2. Componentes de dados disponĂ­veis com Flash CS4 Professional Como AS3.0

font-weight kerning

Estilo de fonte. Valores incluem: bold, normal. Propriedade correspondente user1joined=2007&user1reg=yes& ActionScript modificada para fontWeight.

Muda o espaçamento de tipos ligados ou desligados para on ou off. Valores você pode facilmente associar variåveis relacionadas. A submissão Usando XML, contudo, incluem: true, false. Funciona apenas quando usar nome-valor fontes embutidas e em do par precedente poderia ser representada deste modo em XML: arquivos SWF criados na plataforma Windows.

Componente

ComoAS 2.0

DataHolder

X

DataSet

X

leading

RDBMSResolver

X

letter-spacing letterStyle.

X

XMLConnector

X

margin-left

XUpdateResolver

X

margin-right

text-align 186

ď ź

CapĂ­tulo 9: Usando os Componentes ActionScript 3.0

<user> a: textFonte principal em pixels. NĂŁo suportado oficialmente. Semelhante height(altura de texto). Funciona bem em objeto de estilo <ďŹ rst>John</ďŹ rst> interno, mas pode nĂŁo ser confiĂĄvel em CSS carregada.

<last>Public</last>

Rastreia em pixels. Propriedade correspondente ActionScript modificada parareg=â&#x20AC;?yesâ&#x20AC;?>2007</joined> <joined

WebServiceConnector

348

ď ź

</user>

Posiciona a margem esquerda em pixels. Propriedade correspondente ActionScript modificada para marginLeft. VocĂŞ pode imaginar, quando

esses dados se estendem para muitos usuĂĄrios, o quanto

Posiciona a margem direita em pixels. Propriedade correspondente mais facilmenteActionScript vocĂŞ pode trabalhar com uma Ăşnica variĂĄvel que contĂŠm dados que sĂŁo modificada para marginRight.

organizados consistentemente. Especifica o comportamento de alinhamento de texto. Valores Ainda que incluem: left(esquerda), right(direita) , este livro discuta a habilidade de ActionScript 3.0 para manipular XML, nĂŁo pode sondar. dentro do bĂĄsico de XML. Contudo, vocĂŞ encontrarĂĄ um generoso center(centralizar) ou justify(justiďŹ car) Propriedade correspondente ActionScript modificada para textAlign . suprimento de informação online. Um desses recursos ĂŠ World Wide Web Consortium domĂŠstico para cobertura XML, http://www.w3c.org/XML/.

CapĂ­tulo 15: Como Trabalhar com Texto?

Este livro obje o Flash CS4 P diferem das e ActionScrip pode usar es ajudarå a dec do aplicativo auxiliando n aprendizagem nova, e mais mais clarame sua familiarid sintaxe do Ac que você ajust de codificaçã facilmente. N

ActionScript t com um novo

ISBN 978-85-7608-350-4

Estilos de ParĂĄgrafo

/ !CTION3CR desenvolvedo

355


O Melhor do JavaScript     12

O Melhor do JavaScript Formato: 17 x 24 - 160 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrato

Analisando o JavaScript

Felizmente, o JavaScript tem algumas partes extraordinariamente boas. Nessa linguagem, existe uma forma bonita, elegante e altamente expressiva de codificar, oculta dentro de uma pilha fumegante de boas intenções e erros. A melhor natureza do JavaScript fica tão efetivamente escondida que por muitos anos a opidominante sobre ele erade que a linguagem era um brinquedo ineficiente e feio. Minha intenção é expor As boas incluem funções, tipificação fraca ou frouxa (loose typing), objetos nião dinâmicos, e notação literal existe de globais. bom no JavaScript, uma linguagem de programação excepcional e dinâmica. O JavaScript é expressão de objetos. As ruins incluem um modelo de programação baseadoo que em variáveis um bloco de granito, e talharei, fora as características que não são belas, até que a verdadeira natureza da linguagem revele. que o subconjunto elegante que a ser lapidado será muito mais importante Funções em JavaScript são objetos de primeira classe com (na maior parte) escopo se léxico. É Acredito a primeira para a linguagem um todo, graças a sua confiabilidade, legibilidade e capacidade de manutenção. linguagem lambda a se tornar tão popular. Bem lá no fundo, tem mais em comum com o Lispcomo e o Scheme do que com o Java. É Lisp disfarçado de C, o que a torna uma linguagem de programação com um poder Este livro não tentará descrever a linguagem completamente. Ao contrário disso, se concentrará nas melhodigno de nota. res partes, com avisos ocasionais sobre como evitar as ruins. O subconjunto que aqui será descrito pode ser usado para construir Na maioria das linguagens é comum, hoje em dia, a tipificação estrita, ou forte (strong typing). Aprogramas teoria diz confiáveis, grandes e pequenos e fáceis de ler. Ao me concentrar somente partes boas, esperoQuanto reduzir o tempo de aprendizagem, aumentando a robustez da programação, e que isso permite que um compilador detecte uma ampla gama de erros emnas tempo de compilação. salvando éalgumas árvores. com mais cedo forem detectados e corrigidos, menor será o custo decorrente. O JavaScript uma linguagem tipificação fraca, de forma que seus compiladores são incapazes de detectar erros de tipo. Isso pode assusTalvez o maior benefício de estudar apenas as partes boas seja o modo de evitar a necessidade de desatar pessoas que estejam adotando a linguagem vindo de outras, com tipificação estrita. Mas acontece que prender as ruins. Desaprender padrões ruins é muito difícil. Pode ser uma tarefa dolorosa, vista com muita ...deixando de lado os atrativos do a tipificação estrita não elimina a necessidade de testes cuidadosos. Tenho visto nos meus relutância pela trabalhos maioria deque nós.osAlgumas vezes as linguagens são simplificadas para fazer com que possam melhor em mim, não tenho nenhum outro encanto. tipos de erro detectados pelas checagens de tipo não são os que preocupam.serPor outro lado, a ti- para estudantes. Mas neste caso, estou simplificando o JavaScript para ensinadas comconsidero mais eficiência pificação fraca como libertadora. Não preciso formular complexas hierarquias de classes. nunca funcionar tenho quemelhor para profissionais. — William Shakespeare, As Alegres Matronas de Windsor fazer com queE venha fazer coerção de dados ou lutar com o sistema de tipificação para obter o comportamento que desejo. Quando eu era um programador jovem no início da jornada, aprendia sobre cada característica das linO JavaScript tem uma notação literal para objetos bastante poderosa. Objetos podem serJavaScript? criados simplesPorque guagens que usava, e tentava empregar todas elas criando códigos. Suponho que era uma forma de me mente listando seus componentes. Essa notação foi a inspiração para o JSON, um formato de intercâmbio mostrar, e acredito que funcionava porque eu era a pessoa sempre procurada caso alguém quisesse saber É uma linguagem importante porque é a de navegadores de Internet. Sua associação programas popular de dados (existe mais a respeito do JSON no Apêndice E). alguma com coisaesses a respeito de um detalhe em particular. a torna uma das mais populares no mundo e, ao mesmo tempo, uma das mais desprezadas. As APIs dos naUma característica controversa em JavaScript é a herança prototípica. O vegadores, JavaScript atem um sistema de Modelagem de Objetos de Documento (DOM, Document ObjectEventualmente Model) é bastante medonha, percebi que algumas características davam mais trabalho do que vantagens. Algumas delas objetos livre de classes que herdam propriedades diretamente de outros. Isso é muito poderoso, mas não e o JavaScript é injustamente culpado disso. Seria doloroso trabalhar com a DOM emum qualquer tinham projetolinguagem. medíocre, e dessa forma provavelmente criariam problemas de portabilidade. Outras é muito familiar para programadores com treinamento clássico. Tentar aplicar projeto clássicos Elapadrões tem umadeespecificação medíocre e implementações inconsistentes. Este tinham livro toca apenas de leve na como conseqüência um código difícil de ler ou alterar, induzindo a codificar de uma forma peculiar diretamente ao JavaScript pode ser frustrante. Mas ao se aprender a trabalhar com a natureza prototípica desafio. DOM. Creio que escrever um livro “O Melhor de” a respeito da DOM seria ume grande propensa a erro e várias delas eram simplesmente erros de projeto que muitas vezes os projetistas de da linguagem, os esforços serão melhor recompensados. linguagens os cometem. O JavaScript é muito desprezado porque não é apenas “mais uma linguagem”. Sendo você habilidoso nessas “outras apenas A maioriaque dassuporte linguagens de programação contém partes boas e ruins. Eu descobri que seria um prograO JavaScript é muito criticado pelas escolhas de conceitos chave em seu projeto. Entetanto, na linguagens” maior parte, e vendo-se obrigado a programar num ambiente JavaScript, incômodo. Muitas pessoas, melhor usando apenas as partes boas e evitando as outras. Afinal, como pode-se criar algo bom essas escolhas foram boas, mesmo tendo sido pouco comuns. Embora exista uma delasfica queevidentemente foi particular- forçado a utilizá-la, e isso pode ser um mador usando peças ruins? quando nessa situação, sequer se nível preocupam em aprender algo sobre o JavaScript, ficando surpresos mente ruim: o JavaScript depende de variáveis globais para fazer associações. Todas as variáveis com se apresentam diferenças significativas entre esta e a linguagem que prefeririam estar usando, e ao mais alto de todas as unidades compiladas são jogadas em um namespace comum chamado de objeto É raro que comitês de padronização possam remover imperfeições de uma linguagem, pois isso faria com perceberem essas diferenças global. Isso é ruim porque variáveis globais são uma má idéia, e em JavaScript elas são que fundamentais. Por são importantes. que todos os programas ruins existentes, dependentes dessas características, deixassem de funcionar. Ficasorte, a linguagem também nos dá ferramentas para minimizar esse problema, como veremos adiante. portanto, impotente para fazer qualquer coisa exceto empilhar mais características sobre a pilha de Algo impressionante a respeito do JavaScript é que se pode cumprir uma se, tarefa sem ter que conhecer imperfeições existentes. as novas partes nem sempre interagem harmoniosamente com as antigas, promuito daque linguagem, ou mesmo É uma linguagem comE um Em alguns poucos casos, não se pode ignorar as partes ruins. Existem algumas são inevitáveis, e sem ter que saber muito sobre programação. duzindo, assim, mais trechos poder de expressão imenso. E é ainda melhor quando você sabe o que está fazendo. Programar é umaruins. destacaremos quando isso estiver acontecendo. Esse tópico também será resumido no Apêndice A. Porém, tarefa difícil. deveria ser conseguiremos evitar a maior parte das peças ruins neste livro, e resumiremos muito doNunca que excluímos do iniciada sem o conhecimento adequado. Mas você tem o poder de definir seu próprio subconjunto. Pode escrever programas melhores aproveitandouso no Apendicê B. Se deseja aprender mais sobre as partes ruins e como mal utilizá-las, consulte qualquer se exclusivamente do que uma linguagem tem de melhor. outro livro sobre JavaScript. O JavaScript é uma linguagem com mais de uma boa parcela de partes ruins. Emergiu da inexistência para O padrão que define o JavaScript (também conhecido como JScript) é a terceira edição da Linguagem de ser padrão mundial num período de tempo assustadoramente curto. Nunca teve um intervalo de laboratório Programação ECMAScript, disponível em inglês em http://www.ecma-international.org/publications/files/ onde pudesse ter sido testada e aprimorada. Saiu diretamente do Netscape Navigator 2 exatamente como ecma-st/ECMA-262.pdf. A linguagem descrita neste livro é um subconjunto adequado da ECMAScript. Não foi criada, e era bem grosseira. Quando os applets Java™ falharam, o JavaScript se tornou a “linguagem da descreveremos a linguagem de forma completa pois deixaremos de lado as partes ruins. O tratamento aqui Internet” padrão. Sua popularidade é quase totalmente independente de suas qualidades como linguagem não será exaustivo. Evitaremos os casos limítrofes e extremos. Você deveria fazer o mesmo. Existe perigo e de programação. miséria nos limites.

CAPÍTULO 1

O JavaScript baseia-se em algumas idéias muito boas e umas poucas ruins.

O Melhor

2

O Melhor do JavaScript Capítulo 1: O Melhor 3

1

01_JavaScript_GoodParts.indd 2

01_JavaScript_GoodParts.indd 3

12/11/2008 11:03:40

12/11/2008 11:03:40

01_JavaScript_GoodParts.indd 1

12/11/2008 11:03:40


13     Especial Book's Editoração LTDA

jQuery em Ação

Formato: 17 x 24 - 296 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrato 204 158

CAPÍTULO 6 Embelezando com animações e efeitos

CAPÍTULO 8 Fale com o servidor com o Ajax

8.3.1 Obtendo dados com o jQuery

268

CAPÍTULO 9 Plugins proeminentes, poderosos e práticos

src=”../scripts/jquery-1.2.1.js”></script> <script type=”text/javascript”> Quando queremos buscar algum dado do servidor e decidir o que fazer com ele (ao inBusca o script ao $(function(){ vés de deixar o comando load() defini-lo como o conteúdo de um elemento HTML), clicar-se o botão $(‘#loadButton’).click(function(){ podemos usar a função utilitária $.get(). Sua sintaxe é como se segue: Carregar $.getScript( ‘new.stuff.js’//,function(){$(‘#inspectButton’).click()} ); Sintaxe de Comando: $.get Exibe o resultado }); ao clicar-se o botão $(‘#inspectButton’).click(function(){ $.get(url,parameters,callback) Inspecionar someFunction(someVariable); Inicia uma solicitação GET para o servidor usando a URL especificada com qualquer parâmetro passado como a ca}); deia de consulta. }); </script> Parâmetros </head> Define os url (Cadeia) A URL do recurso do lado do servidor para contatar por meio do método GET. botões <body> parameters (Objeto|Cadeia) Um objeto cujas propriedades servem como os pares nome/valor usados para <button type=”button” id=”loadButton”>Load</button> construir uma cadeia de consulta a ser anexada à URL, ou um cadeia de consulta pré-formatada e <button type=”button” id=”inspectButton”>Inspect</button> codificada. </body> </html> callback (Função) Uma função invocada quando a solicitação é completada. O corpo da resposta é passado como o primeiro parâmetro para esse callback e o status como o segundo.

Essa página define dois botões que são usados para acionar aDevolve atividade do exemA instância XHR seja diplo. O primeiro botão, chamado Carregar, faz com que o arquivo new.stuff.js namicamente carregado por meio do uso da função $.getScript() . Observe Figura 9.11Conforme um draggable adequado se move sobre a página, o droppable se que, inicialmente, o segundo parâmetro (o callback) é comentado – chegaremos lá Vejamos um uso simples dessa função como mostradamove na listagem 8.5vários (que pode ser entre seus estados. num minuto. encontrada no arquivo chapter8/$.get.html). Ao clicar naquele botão, o arquivo new.stuff.js é carregado e seu conteúdo é avaliado. Listagem 8.5 Usandode a função utilitária $.get() para buscar dados do servidor Como esperado, a instrução embutida dentro do arquivo aciona uma mensagem Tabela 9.3 Opções básicas e estendidas para o comando droppable() alerta como mostrado na figura 6.6. <html>

Nome

Descrição

<head> a funClicar no botão Inspecionar executa seu manipulador click , o qual executa Opções básicas <title>$.get() Example</title> ção someFunction() dinamicamente carregada, passando o valor da variável someaccept (String|Função) Especifica quais draggables são adequados para soltar nos drorel=”stylesheet” type=”text/css” href=”../common.css”> Variable da mesma forma. Se o alerta aparecer como mostrado na figura 6.7,<link sabemos ppables. Pode ser uma cadeia descrevendo um seletor jQuery ou uma função que <script type=”text/javascript” que tanto a variável quanto a função estão carregadas corretamente. devolva true para especificar que um draggable é aceitável. Quando uma função é

src=”../scripts/jquery-1.2.1.js”></script> especificada, ela é invocada com o draggable candidato passado como seu único <script type=”text/javascript”> parâmetro. $(function(){ Tolerance (String) Um valor de cadeia que define como um draggable deve ser posicionado em $(‘#testButton’).click(function(){ relação ao droppable de modo a armá-lo. Os valores possíveis são os seguintes: $.get(  touch – Arma o droppable se o draggable toca aquele ou se qualquer parte do Obtém ‘reflectData.jsp’, draggable sobrepõe-se ao droppable dados do {a:1, b:2, c:3},  pointer – Arma o droppable se o ponteiro do mouse entra na sua área durante a servidor drag function(data) { alert(data); } operação  intersect – Arma o droppable se 50% do draggable intersecta aquele );  fit – Arma o droppable se o draggable é completamente contido dentro daquele }); activate }); (Função) Uma função callback invocada quando uma operação drag para um draggable aceitável começa – quando o droppable faz a transição do estado inativo para </script> o estado ativo. O contexto da função (this) é definido para o elemento droppable. </head>

Essa função é passada a instância event e um objeto que contém informação sobre a operação com as seguintes propriedades:

<body> Figura 6.6 O carregamento dinâmico e a avaliação do arquivo de script resultam na ins draggable – A instância draggable <button type=”button” id=”testButton”>Click me!</button>  droppable – A instância droppable trução de alerta embutido sendo executada. </html>

</body>

  

element – O elemento draggable helper – O auxiliar draggable options – As opções passadas ao droppable() continua na próxima página

JQuery completo.indd 158

JQuery completo.indd 204

23/01/2009 16:33:29

JQuery completo.indd 268

23/01/2009 16:33:33

23/01/2009 16:33:43


Em Ação    14

Zend Framework em Ação Formato: 17 x 24 - 360 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrato 120

96

CAPÍTULO 6

CAPÍTULO 7

Autenticação e controle de acesso dos usuários

Gerenciando o banco de dados

acesso aos recursos mais avançados disponibilizados pelo banco de dados. Para chamar as funções SQL específicas do seu servidor de banco de dados, a classe Zend_Db_Select tem uma classe helper chamada Zend_Db_Expr. O Zend_Db_Expr é usado para chamar funções SQL ou para criar outras expressões a serem usadas no SQL. Vamos considerar um exemplo em que queremos concatenar o primeiro nome e o sobrenome dos nossos usuários. O código está na listagem 6.5. Listagem 6.5 Usando funções em instruções SQL $select = $db->select(); $columns = array(id, "CONCAT(first_name, ' ', last_name) as n"; $select->from('users', $columns); $stmt = $db->query($select); $result = $stmt->fetchAll();

Usa CONCAT() que é específico do MySQL Figura 7.3 A mensagem de boas vindas após login no website dá um retorno ao usuário para saber se ele está logado.

Agora é hora de prosseguirmos e analisar o controle de acesso e a forma de dar O método from() percebe que um parêntesis foi usado no parâmetro columns e mais o con-direitos aos usuários logados do que aos visitantes. Isto é tratado pelo irmão de verte automaticamente para um Zend_Db_Expr. No entanto, nós podemos usar Zend_ Zend_Auth, o Zend_Acl. Db_Expr por conta própria, configurando explicitamente a instrução columns:

7.4

$columns = array(id, “n”=> new Zend_Db_Expr(“CONCAT(first_name, ‘ ‘, last_name”));

Implementando o controle de acesso

16 Criando PDFs

Conforme discutimos na seção 7.1, o controle de acesso é o processo de permitir que um usuário logado acesse um recurso específico. Existem diversas maneira de fazer isso, mas um método flexível e padrão é utilizar listas de controle de acesso baseadas em papéis. Agora que já consideramos como fazer a abstração das diferenças entre os mecanismos O Zend Framework disponibiliza o Zend_Acl para cuidar disso para nós. de bancos de dados por meio do uso de adaptadores criados pelo método de factory do Zend_Db, podemos nos concentrar em como usar um banco de dados dentro de uma Jargão relacionado ao controle de acesso aplicação. Programadores inexperientes de web tendem a colocar as chamadas do banco de dados exatamente onde elas são necessárias, o que leva a um pesadelo de manutenExistem vários jargões quando falamos de controle de acesso. Estes são os prinEste capítulo cobre ção, com instruções SQL espalhadas por toda a aplicação. Vamos considerar modos cipais de termos: consolidar nosso SQL e daremos uma olhada em como o componente Zend_Db_Table■ papel (role): um grupo de usuários ■ Como criar, carregar e salvar documentos PDF com Zend_Pdf do Zend Framework ajuda a melhorar a arquitetura de nossas aplicações. ■ recurso (resource): algo a ser protegido, como uma ação do controlador

6.2

■ Desenhar textos e formas na página ou um registro de dados ■ privilégio (privilege): o tipo de acesso exigido, como read ou edit ■ Adição de cor e de estilos Quando lidamos com um banco de dados, é útil ser capaz de abstrair seu raciocínio e considerar o sistema no nível do domínio, em vez de focar nos detalhes das instruções SQL propriamente ■ Rotação e recorte de objetos As ACLs constituem uma solução bastante flexível para controle de acesso. Tudo o que ditas. No nível do domínio, você pode pensar no problema na linguagem do domínio. Construção de um exemplo gerador de relatórios em PDF se relacionam com o de papel, O modo mais fácil de fazer isso é criando classes que sabem como se carregar e sevocê salvarprecisa fazer é identificar quais itens de sua■aplicação recurso e o privilégio. A figura 7.4 mostra como as três partes principais do quebra no banco de dados. Uma classe que representa uma linha de uma tabela do banco de odados implementa o padrão Row Data Gateway. Este padrão permite o acesso a uma únicacabeça linha se relacionam.

Abstração de tabela com Zend_Db_Table

Pode parecer surpreendente que ainda existam pessoas que usam e precisam de documentos em papel para nós que gastamos uma quantidade absurda de tempo no mundo digital. Dito isso, apesar de podermos gerar páginas web bem formatadas com o uso Diferenças entre Active Record e Row Data Gateway inteligente de HTML e de CSS, ainda existem limites na precisão das páginas no âmbito de pixels, especialmente quanto se trata de imprimi-las. O padrão Active Record é um parente próximo do Row Data Gateway. As diferenças A Adobe Systems criou o PDF (Portable Document Format) para cobrir a distância significativas estão no fato de que o Row Data Gateway contém somente funções entre documentos impressos e digitais, e desde então ele se tornou padrão para docude acesso ao banco de dados enquanto Active Record contém também a lógica do mentos baseados em web que podem ser impressos, bem como uma parte integrante de domínio. As implementações do Active Record também tendem a ter funções estáACLfluxo de trabalho moderno para imagens. A precisão do formato PDF é particularticas de busca incluídas, mas este não é um requisito da definição do padrão. Figura 7.4 O relacionamento entre as partes do quebra-cabeçaum mente importante para documentos, tais como cópias especificamente formatadas de Esta é apenas uma maneira por meio da qual a ACL pode ser usada para prover acesso No Zend Framework, o Zend_Db_Table_Row_Abstract é estendido para implemena um recurso, que neste caso são ações do controlador. conteúdos de páginas web, faturas por e-mail, estatísticas de site e outros relatórios.

do banco de dados e está intimamente relacionado com o padrão Active Record.

tar a lógica do domínio na classe, de modo que nós transformamos o Row Data Gateway Começaremos dando uma olhada em Zend_Acl e depois continuaremos com a disponibilizado em algo mais parecido com Active Record em certas aplicações. aplicação da ACL para controlar o acesso a diferentes ações do controlador. Por último, daremos uma olhada no controle de acesso no nível do banco de dados.

275


14     Fabíola Travassos

Frommer's Portugal Formato: 17 x 24 - 448 páginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrato 16

CA PÍTULO 2

s

PLANEJANDO SUA VIAGEM A PORTUGAL 26

4 Quando Ir

CAPÍTULO 2

s

P L A N E JA N D O S UA V I AGEM A PORTUGAL

Tabelamesmo de Conversão (em 17/12/08) no (ainda que chuvoso) no inverno, Eurode € Dólar US$ “Nós não sabíamos que tínhamos um Abril”, estando na mesma latitude da cidade 1 1,43 diz um morador de Lisboa, “até aquela música Nova Iorque. A neve traz muitos entusiastas ser lançada”. Tanto como música como esta- do esqui para a Serra de Estrela na região 2 2,87 ção, “Abril em Portugal” é famoso. O verão central-norte de Portugal. Na maior parte, 3 4,31 deve ser o período mais popular para se visitar, entretanto, o inverno significa somente 4 5,75 mas para viajantes independentes, a primave- chuva e queda de temperatura em outras 5 7,19 regiões. O Algarve e especialmente a Ilha da ra e o outono são as melhores estações. 10 14,39 Para os norte-americanos, o clima de Por- Madeira, desfrutam de invernos temperados. 15 21,59 O Algarve, também, é como uma Riviera tugal é semelhante ao da Califórnia. Há 20 28,79 somente uma pequena flutuação de tempe- de inverno que atrai admiradores do sol da ratura entre verão e inverno; a máxima fica América do Norte e da Europa. Os verões, quentes, Nota: os bancos membros do Global ATM entre 25º C no verão e 14º C no inverno. em ambos, tendem a ser longos, Alliance não cobram taxas para saques feitos A estação de chuvas começa em novembro claros e secos. outros bancos membros da Alliance; os e normalmente vai até janeiro. Por causa da Lisboa e Estoril desfrutam deemtemperaturas quaise de incluem 16º CBank of America, Scotiabank corrente do golfo, a região mais ao norte de de 8º C até 18º C no inverno, (Canadá, Caribe e México), Barclays (Reino Portugal, Minho, desfruta de um clima ame- até 28º C no verão. Unido e parte da África), Deutsche Bank Média Diurna de Temperatura (°C & ºF) & Quantidade de Chuva Mensal (Polegadas) em Lisboa (Alemanha, Polônia, Espanha e Itália) e o BNP Paribus Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov(França). Dez

CLIMA

Temp.(°F)

57

Temp.(°C)

13.8

15

17.2 19.4 21.6

25

Chuvas

4.3

3.0

59

4.2

63

67

.6

2.1

71 1.7

77

81

82

79

72

63 58 CARTÕES DE CRÉDITO

27.2 27.7 26.1 22.2 17.2de 14.4 Cartão crédito é o jeito mais seguro de .1 .2 1.3 2.4 3.7 4.1Eles também guardam todos ter dinheiro.

os registros de todas as suas despesas e geraloferecem podem variar de um ano paramente o outro. Algu- boas taxas de câmbio. Você pode com seu cartão mas mudanças de última hora são sacar feitasantecipadamente por de crédito no banco ou em caixas eletrônicos, problemas na agenda. mas as altas taxas do cartão podem ser periPara uma imensa lista de eventos além dos gosas. Tenha em mente que você pagará juros listados aqui consulte http://events.fromno momento do seu saque, mesmo que você mers.com (em inglês), onde você encontrará pague sua conta do cartão em dia. Saiba que uma lista atualizada do que está para acontemuitos bancos cobram de 1 a 3% de “taxa cer nas cidades ao redor do mundo. transação” em todas as operações no exterior (não importando se você utiliza a moeda Janeiro localCristovão, ou do seu país de origem). Festa de São Gonçalo e São Express, Vila Nova de Gaia, do outroAmerican lado do rio do Diners Club, MasterCard e Visa, normalmente são aceitos, predomiPorto. Lembram rituais de fertilidade e são nandoreligiosos os dois últimos mencionados. dois dos mais populares festivais em Portugal. Uma imagem de São Gonçalo CHEQUE DE VIAGEM (TRAVELER´s é carregada pelas estreitas ruas ao som de baCHECK) terias. Barqueiros ao longo do Douro levam poderá comprar cheques de viagem na uma figura de São CristóvãoVocê em uma balsa maioria dos bancos. Eles oferecem folhas de CALENDÁRIO DE EVENTOS DE que desce o rio. Muito vinho é bebido, e R$47,24, R$2.36,20 R$1.181,00 PORTUGAL bolos assados em formas simbólicas sãoR$1.18,10, conalgumas vezes de R $2.362,00. Geralmente, Sugerimos que você verifique as datas seguintes sumidos por todos. Ligue e22/374-24-00 você pelo serviço de 1 a 4%. Os cheques no centro de informações ao turista pois elas para mais informações. Início depaga janeiro. de viagem mais famosos são oferecidos pela

FERIADOS

Veja os feriados públicos e programe suas necessidades bancárias: Ano Novo e Confraternização Universal (1 Jan); Carnaval (Fev ou início de Mar – datas variam); Sexta-Feira Santa (Mar ou Abr – datas variam); Dia da Liberdade, comemoração da revolução (25 Abr); Dia do Trabalho (1 Mai); Corpus Christi (Mai ou Jun – datas variam); Dia de Portugal (10 Jun); Festa da Assunção de Nossa Senhora (15 Ago); Proclamação da República (5 Out); Dia de Todos os Santos (1 Nov); Restauração da Independência (1 Dez); Festa da Imaculada Conceição (8 Dez) e Natal (25 Dez). A festa de Santo Antônio (13 Jun) é um feriado público em Lisboa e a festa de São João Batista (24 Jun) é um feriado público no Porto.

5

Libra ₤ Real R$ 0,92 3,39 1,85 6,79 2,78 10,59 3,71 13,59 4,64 16,99 9,29 33,98 usam Lisboa como base ches, o Mosteiro de Jerónimo, o bairro de 13,93 uitos visitantes 50,97 lugares próximos, mas Alfama e o Castelo de São Jorge. Ao menos 18,58para explorar outros 67,96 geralmente desprezam as jóias culturais dois museus de arte, embora nenhum deles incrustadas capital portuguesa. American Express ( na 800/807-6233, ou Uma das seja do calibre do Prado, de Madrid, merecem razões pela qual Lisboa não ganha destaque é atenção: o Museu Nacional de Arte Antiga e 800/221-7282 para portadores desse cartão queaceita os visitantes dedicam – esse número ligações anão cobrar, oferecemuito tempo o Museu da Fundação Calouste Gulbenkian. ela. Vocêidiomas precisaede, no portamínimo 5 dias de- Se você tiver tempo, visite a Fundação Riserviços emadiferentes isenta dicados cidade da e seus Além cardo Espírito Santo e veja reproduções de dores do Amex Golda essa e Platinum taxaarredores. de disso, até mesmo as– principais atrações de Lis- antiguidades sendo feitas ou livros sendo 1%); Visa ( 800/732-1322) membros do continuam relativamente desconhecidas, folheados a ouro. Você pode também passar AAA podemboa obter cheques Visa por uma taxa de US$ 9,95 (paraé cheques até US$ o que uma benção para1.500) quem viaja e está algum tempo conhecendo as galés reais de na maioria cansado dos escritórios AAA ou ligando de trilhar milhares de locais pela Eu- ouro no Museu Naval, perambulando pelo para  866/339-3378; e MasterCard ropa. Este capítulo leva você( até os tesouros mercado de peixes, visitando o novo aquário 800/223-9920). desconhecidos dessa capital. Se seu tempo é de Lisboa, ou explorando artes e desenhos do Mantenha curto, uma cópia dosonúmeros seriais explore Museu Nacional dos Co- Museu de Arte Popular de Belém. dos cheques separadamente, caso você seja eventualmente roubado ou os perca. Você terá o reembolso mais rapidamente se souber 1 Itinerários Sugeridos os números dos cheques. Para mais itinerários detalhados, e não somente sobre Lisboa, consulte o capítulo 3. American Express, Thomas Cook, Visa e MasterCard oferecem cheques em moeda estrangeira,Se o que e outros palácios nessa bela área. Tente ao Vocêé útil temse1você Diaestá viajando para apenas um país ou para a área do euro. Dê uma pelo bairro de Alfama (veja menos visitar o Palácio Nacional de Sintra Eles são aceitos ondevolta os cheques em dólar a Pé 1”, a seguir neste capítulo), a e o Palácio Nacional da Pena. Volte a Lisboa podem não “Passeios ser. para uma noite em um café de fado. mais pré-pago interessante de Lisboa. Visite a Outra opçãoregião é o cartão de viagem, (catedral) Sé, do século XII, e aprecie a vista Se Você tem 3 Dias que pode ser recarregado e funciona como da cidade Tejo a partir cartão de débito, mase do nãorio vinculado à suade Santa Lui- No terceiro dia, passe uma manhã no Museu za Belvedere. Suba o Castelo de São Jorge. da Fundação Calouste Gulbenkian, um dos conta bancária. Pegue um táxi oudeum ônibus por para Belém para tesouros artísticos da Europa. Almoce no BairCartão American Express Viagem, ver um o Mosteiro dos Jerónimos exemplo, exige depósito mínimo, e limita e a Torre de ro Alto. À tarde, visite a Fundação Ricardo estiver Belém, explore Espírito Santo (Museu de Arte Decorativa) o máximo. Belém. A taxa deEnquanto emissão do cartãoem é de uma dassacar melhores vistas Lisboa, o Museu e o Museu Nacional de Arte Antiga. No final US$ 15. Você pode dinheiro dosdecaixas Nacional eletrônicos (ATM) por dos umaCoches. taxa de US$ 2,50 do dia, dê um giro pelo Parque Eduardo VII. por transação, não incluindo as taxas do banco. Se Você tem 2 Dias Se Você tem 4 Dias Estes fundos podem ser adquiridos em dólares, No segundo dia, váopara Sintra, euros ou libras. Se você perder cartão, seusum dos luga- No quarto dia, faça uma excursão por Lisboa. mais visitados arredores de Lisboa – o (Para facilitar, prefira uma excursão já organifundos serãores reembolsados em nos 24 horas. qual Byron chamava de “o Éden glorioso”. zada – consulte algumas listas no final deste Você pode passar o dia explorando o castelo capítulo). Visite a vila pesqueira de Nazaré

Explorando Lisboa

M


®

Frommer's - Guia de Viagem    16

Guia Completo de Viagem

Portugal

é o seu guia

nhecer lugares

ade.

o e conte com

es

Frommer’s. As melhores viagens começam aqui. Conheça um lugar do jeito que seus habitantes o conhecem. Desfrute o melhor que ele tem a oferecer.

Portugal

que você

Guia Completo de Viagem

Dicas de como explorar Portugal e fazer uma viagem inesquecível.

World &

Opiniões sinceras e diretas sobre o que vale a pena fazer ou não. Preços exatos, para que você possa planejar sua viagem seja qual for o seu orçamento, incluindo os gastos com hospedagem, alimentação, transporte e entreterimento. Experiências que fogem à mesmice e preciosidades ainda não descobertas, além de novos olhares nas principais atrações. A voz da Experiência: Conhecer (ou voltar para) Portugal será uma experiência única guiada pelos autores campeões de vendas, especialistas sobre a Cidade.

O Guia Completo de Viagem.

Portug

ISBN 978-85-7608-285-9

s, consulte o

Tradução da 20a edição

com.br www.altabooks.com.br

te

CAP ÍTULO 5

s

EXP LORANDO LISBOA

Passeio a Pé: Baixa, Centro & Chiado

FAÇA UMA PAUSA No Miradouro de Santa Luzia existem vários da cafés pequenos e bares com 1mesas ao do Comércio Praça C. loria G ar livre. Visitantes de todo o mundo (Terreiro vêm do Paço) aqui para tomar café e refrescos e apreciar a vista da 2 Café Martinho da Arcada atividade portuária do Tejo. Esses estabelecimentos são, 2 Cerca Rua Augusta na prática, todos iguais, mas recomendamos Moura, Largo das Portas do Sol 4 ( 21/887-48-59), 3 Rossio o qual oferece o melhor menu de sanduíches e bebidas Café Nicola do local e possui uma vista de tirar o fôlego.

Praça dos

4

ade

iberd

Rua 1

eira

Carmo Rua do

Rua dos Dou

ria

a

Rua da Prat

lau

o

Rua da Conceiçã

o

Rua de São Juliã

ércio

Rua do Com 2

Rua Vitor Cord

on

nal

Rua do Arse

Praça do Comércio 1

Av. da Rib

eira das Ná

Ferrovia

Faça uma pausa

us

Rio Tejo

início

radores

Rua Augusta

Rua Serpa Pinto

da Assunção

Rua da Vitó

Rua de S. Nico

Antes dessa caminhada, principalmente se for em um dia quente, você vai precisar: FAZER UMA PAUSA Café Martinho da Arcada, Praça do Comércio 3 ( 21/887-92-59) tem sido frequentado por intelectuais desde 1782, atraindo grandes nomes como o poeta português Fernando Pessoa. O velho restaurante já foi de luxo, mas tem anexo um café e um bar, frequentemente classificados como os melhores de Portugal. Se você chegar para o almoço, peça uma saborosa caldeirada de peixe, chamada de cataplana, ou peça cozido servido à moda de Algarve. Aberto de segunda a sábado, das 07h às 23h.

reeiros

do Almada

pelo

o)

Rua Nova

Rua Ivens

Rua Ca

Rua

Rua dos Cor

Rua Garrett

(Rua do Our

De segunda a sábado, das 07h30min às 09h e das 17h às 19h; Domingos quando as lojas estão fechadas

ta Justa

Rua de San

7

ateiros Rua dos Sap

Piores dias:

Às margens do Baixa. A Casa de Bragança terminou aqui com o assassinato de Carlos I e seu filho mais velho, Luís Felipe, em 1908. De forma lamentável, os funcionários públicos que trabalham nos prédios do governo próximos usam a Praça como estacionamento. O Marquês de Pombal projetou a praça quando reconstruiu Lisboa após o terremoto de 1755. A Estátua Equestre é de Dom José, o rei português da época do terremoto.

a

término

Rua do Crucifixo

qualquer dia ensolarado exceto domingo

Praça da Figueira Rua Betesg

Rua Aurea

3 horas

Melhores dias:

como Terreiro do Paço)

3

Dom Pedro

mbro

Oliv

Elevador de Santa Justa

Tempo:

1 Praça do Comércio (também conhecida

Praça

de Deze

de

Final:

O melhor lugar para começar esse passeio é na:

L I S B O A Antão Santo

da L

6

Estação Ferroviária

Rua

Praça do Comércio

N

100 metros

e as d Port

Restauradores

PA S S E IOS A P É 2 BAIXA, CENTRO & CHIA D O Início:

1/10 milha

0

5

Av.

4 Miradouro de Santa Luzia Esse mirante é o mais famoso no Alfama. Desse ponto, você pode ver lá embaixo a mistura de casas antigas que parecem 4 Avenida da Liberdade amontoar-se no Rio Tejo. A já imponente, 5 Praça dos Restauradores Igreja de Santa Luzia, que se abre nessa praça, Uma rápida, porém íngreme, subida saindo doEstação Largo do Rossio já passou por dias melhores. Os delicados das Portas do Sol via Travessa de Santa6Luzia leva 7 Elevador de Santa Justa azulejos que um dia adornaram seu exterior você até o: foram arrancados, tornando a igreja uma 6 Castelo de São Jorge triste figura vítima de pichação. Os resquícios dessa outrora imponente fortaleContinue ao nordeste no: za foram invadidos por turistas, mas ainda é a razão pela qual a maioria dos visitantes cami5 Largo das Portas do Sol nha pelo Alfama. Somente as vistas que temos Nessa praça fica a Fundação Ricardo do Espíde lá já valem o esforço, pois oferecem os rito Santo Silva, um museu de arte decorativa melhores panoramas de Lisboa e do Tejo. Veja (veja “Mais Atrações”, p. 119). p. 111 para uma descrição mais completa.

0

das Rua

Continuando a leste no Alfama, siga pela Rua Augusto Rosa que vira Rua do Limoeiro. Rapidinho você chegará ao:

C. do Carmo

126

decorada, mas é isso que você vê. Para uma descrição completa veja p. 277.


16     Especial Book's Editoração LTDA 17

Mac OS x Leopard Para Leigos

Simplifique suas cópias de

no” na cidade a Macintosh! Chegou um novo “feli da última versão do sistem o máximo dos recursos

segurança com a Time Machine

Inslate, configure e tire

protejaFormato: seus dados 17 x 24 - 432 páginas

Editora: Alta Books Diagramação: Uma maneira fácil de

Índice Remissivo

Quer tirar suas dúvidas sobre o Leopard? Como este guia tem por objetivo revelar todas as novidades deste SO, não faz diferença se você for um usuário novo ou antigo do Mac. Desde a navegação pelo Finder , acessar a Internet, usar a rede da sua empresa, fazer a adição de itens ao Dashboard, até o reconhecimento de voz e recursos de acessibilidade. Quer mais? Pois você ainda poderá resolver problemas de configuração. Isto é, irá descobrir tudo que precisa para conseguir o melhor deste sistema operacional.

Página-Mestre

Personalizar o Dock e sua área de trabalho Fazer buscas mais rápidas com o Spotlight Sincronizar contatos e calendários com facilidade Iniciar conversas de vídeo rapidamente

Numeração Automática Navegar na internet

Bob LeVitus é considerado uma das maiores autoridades em Macintosh e Mac OS X do mundo. Ele escreve uma popular coluna para o Houston Chronicle todas as terças e é colunista do Mac Observer.

TM

com segurança

TM

Criações de Legendas

pard Mac OS X Leo ®

®

Sumário dominar todo o poder Automático do Leopard e de seus excitantes recursos

Mac OS X Leopard

®

Organizar tudo

Criações de Tabelas Nota de Rodapé Explicações em português

Informações de como fazer e desfazer

Estilos de Caractere ão Ícones e outros recursos de navegaç Folha de cola para recortar Listas dos 10 melhores

Estilos de Parágrafo Um toque de humor e diversão

Fique esperto! www.altabooks.com.br

Conheça outros títulos da série Para Leigos® Um guia de

referência para Tratamentos e produções de todos imagens, utilizando os softwares: ISBN 978-85-7608-261-3 Photoshop / Illustrato

Bob “Dr. Mac” LeVitus Considerado uma das maiores autoridades em Macintosh e Mac OS X do mundo.

R

www.altabooks.com.br

LeVitus

Capítulo 4

Tornando tudo mais fácil!

R

Qual é a do Dock?

MacOS Leigos.indd 1

10/11/2008 15:14:07

239

Capítulo 12: O Mac Multimídia

Neste capítulo     

Resolução de problemas nas configurações do tocador de DVD

Conhecendo o Dock Descobrindo os ícones padrão do Dock Falando sobre o Trash (Lixo) Aprofundando-se na personalização do Dock Ajustando as preferências do Dock

Um tocador de DVD é uma aplicação bem simples de usar. Entretanto, seu equipamento pode não funcionar como o desejado devido a algumas razões:

Você mudou a configuração padrão, Abrir DVD Player When You Insert a Video DVD (Abrir o tocador de DVD quando inserir um disco de vídeo), no painel de preferências de sistema bserve durante um minuto a linha de ícones na parte dos inferior seuo qual você pode CDs edo DVDs, monitor. Esta linha, meu caro amigo, é o Dock (mostrado na figura 4-1), Preferências encontrar na aplicação do Sistema. e estas imagens individuais são conhecidas como ícones (sobre os quais

O

eu discutirei em detalhes).

Certos tocadores externos não são reconhecidos como tocadores de DVD. Se este for o caso, você precisará do programa de visualização que acompanha o drive ou um programa como o VLC (VideoLAN Client).

ICA

+W

Copiar

+C

Nova pasta Inteligentes

+ Option + N

+X

Próxima janela

+'

Abrir

+O

Recortar

A

+D Duplicar Os ícones do Dock são patinhos feios (diferentes), pois são ativados por um Para mais dados sobre quase qualquer recurso sobre DVDs, escolha +E Ejetar disco clique simples. A maioria dos outros símbolos é selecionada (em destaque) AjudaAjuda Reprodutor de DVD. ao clicar uma vez, e abertos quando pressionados duasTvezes. + shift + delete Esvaziar lixo ÉCNIC Então os ícoE É essencial nos Macs que F9 Exposé: todas as janelas nes do Dock são uma espécie de link em uma página da Internet, porque dizer que este aplicativo está presente apenas possuem um tocador de DVD reconhecido ou um SuperDrive tocador/gravocê precisa de apenas um clique para abri-lo. Exposé: Aplicação

vador de DVD.

da Janela

Uma introdução rápida ao usoReproduzindo do Dock vídeos e músicas no Exposé: Mesa de Trabalho

QuickTime

Clique uma vez em um ícone do Dock para abrir o item que ele representa: Se o item for uma aplicação, ela abre e se torna ativa.

+ Shift + N

Nova pasta

Fechar a janela

Muitas das opções de configuração disponíveis estão na janela Preferên-F12 Dashboard cias: Reprodutor de DVD Preferências (Atalho de teclado: + ,).

EQUIP

D

Figura 4-1: O Dock e todos seus ícones padrão.

Mac OS X Leopard Para Leigos

® a Seu Mac pode não ter um tocador de Folh a DVD, embora esta situação só ocorra ol se seu aparelho for antigo. Se escolher de C ®  About This Mac (Sobre este Mac) no Finder, a janela de informações sobre este Mac estará no botão More Info Atalhos do para Teclado (Mais Informações). Clique nele Faça destes atalhos sua segunda vida.Todos estes atalhos trabalham no Finder, e muitos deles trabalham em ouexibir uma aplicação chamada Visão tros programas aplicativos, pois bem.Vê aquelas perfurações ali? Isso é para que você possa rasgar fora esta folha e do Sistema. Ou então, exiba o atalhos. Visão Pronto? Corte nas perfurações e Boa Sorte! memorizar estes do Sistema (o qual pode encontrar na pasta Utilitários) de uma maneira mais antiquada, clicando duas vezes em seu ícone. De qualquer forma, ele lhe dirá Comando Teclas de Atalho Comando Teclas de Atalho se você tem um drive de DVD em seu Minimiza a janela +M Adicionar itemGravação seleci- de Mac. Apenas clique no item Disco no conteúdo da coluna à esquerda +T onado à barra lateral +Delete Mover para o lixo e os detalhes aparecerão à direita. +N Nova janela do Finder Feche todas as janelas + Opção+W

F10 F11

Buscar

+F

Obter Informações

+I

Ir para pasta de Aplicações

Trata-se de uma tecnologia da Apple desenvolvida para a criação de mídias

Ir para Mesa de Trabalho Se o item for um documento, ele se abre na aplicação apropriada, digitais, entrega e reprodução. O QuickTime pode ser usado de diferentes Ir para Início formas, por programas como o Apple iMovie e o Final Cut,pasta além de sites da também a tornando ativa.

+ shift + A +shift + D + shift + H

Internet, como o YouTube (www.youtube.com), e emAjuda vídeos de treinamento +shift + ?

Se o item for um ícone de uma pasta, você verá um menu em lista deem CD ou DVD. Ocultar aplicação atual +H entregues subpastas, e o Finder se tornará a aplicação ativa. Clique no Show in FinSair da sessão atual É um aplicativo do Mac OS X que permite que vocêdo assista a filmes QuickTi- + shift+Q usuário der (Mostrar no Finder) para abrir a pasta na janela neste dispositivo. me, QuickTime VR (Realidade Virtual) e a muitos outros tipos de arquivos Criar Atalhos

+L

de áudio e vídeo. A maneira mais rápida para abri-lo é clicando em seu ícone no Dock. Ele também se abre automaticamente quando um vídeo no formato QuickTime é iniciado.

Obter Informações

+Option + I

Colar Visualização rápida

+V

(de um item selecionado)

+Y

Selecionar todos Mostrar original

+A

(de atalhos selecionados) Mostrar opções

+R

de visualização

+J

Mostrar/Ocultar o Dock

+Option + D

Ligar e desligar o VoiceOver

+ F5

Ligar e desligar o Zoom

+Option + 8

Desfazer

+Z

Visualização de janelas por colunas Visualização de janelas

+3

por ícones Visualização de janelas

+1

por lista

+2

Copyright © 2008 Editora Alta Books Rua Viúva Cláudio, 291 – Jacaré Rio de Janeiro – RJ CEP: 20970-031 Tels: 21 3278-8069/8419 Email: altabooks@altabooks.com.br Site: www. altabooks.com.br

Para leigos: A série de livros para iniciantes que mais vende no mundo.


Tornando tudo mais fácil!

           Para Leigos    18 17

Walt Disney World & Orlando Para Leigos Formato: 17 x 24 - 400 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

Capítulo 1 4

Descobrindo o Melhor do Walt Disney World e Orlando

Walt Disney World & Orlando para Leigos

____________________

6

Walt Disney World & Orlando para Leigos ____________________

Parte I: Apresentando o Walt Disney World e Orlando

Ícones usados neste livro   

Pense nesta parte como a entrada. Nesta parte, tentarei você com as melhores experiências, hotéis, restaurantes e atrações no Disney e no É isto resto de Orlando. Eu lhe darei uma pequena aula de história (mas nãoque os ícones significam: se preocupe – nenhum teste virá a seguir), irei sugerir alguns filmes     e livros para que você entre no clima do Mickey e depois indicarei os atento ao ícone de Alerta de Oferta enquanto você procura por Fique melhores eventos especiais de Orlando. Pelo fato da cidade possuir dicas para economizar ou grandes promoções.* belas e distintas estações, também me aprofundei nos prós e contras de se viajar durante diferentes estações do ano e ainda acrescentei uma previsão do tempo. O Melhor dos melhores destaca o melhor que Orlando tem a oferecer

Neste Capítulo ` ` ` ` `

Experimentando o melhor que Orlando tem a oferecer Encontrando os melhores hotéis da cidade Provando dos melhores restaurantes em Orlando Brincando nos passeios mais legais do parque temático Descobrindo os melhores shows e atrações

em todas as categorias – hotéis, restaurantes, atrações, atividades, lojas

Parte II: Planejando a Sua Viagem para o Walt Disney e vida noturna. World e Orlando

Essa parte apresenta os pequenos e importantes detalhes do Procure pelo ícone Fique Esperto para identificar situações chatas e potencialmente perigosas, tais como armadilhas para turistas, regiões planejamento de uma viagem. Orlando é conhecida por ficar com uma grande quantidade de dinheiro da carteira dos visitantes desavisados, perigosas, fraudes e outras coisas para se tomar cuidado. então eu dou sugestões de como economizar para que você não sinta que tenha que arrumar uma segunda hipoteca para realizar a viagem.   Euoutra me aprofundo e apresento assar as férias em Orlando é como escapar para uma época e nas várias maneiras para chegar até aqui Encontre conselhos úteis sobre coisas para se fazer e maneiras de sobre os pacotes de férias; eles são uma lugar, um mundo de fantasia repleto de diversão. Ainformações cidade atraiverdadeiras os manejar o seu tempo quando você encontrar o ícone Dica. maneira jovens e os jovens de coração de todas as partes do mundo, para muito popular de se viajar para Orlando – e você encontrará muitos deles por aí. E, como gosto que todas as pessoas se divirtam experimentar os parques temáticos, os resorts de primeira classe e a nas suas férias, também forneço dicas para aqueles que necessitam de beleza natural espetacular da área. Não deve ser nenhuma surpresa para Você encontrará o primeiro destes dois ícones similares – este aqui informações de viagens mais especializadas: famílias, idosos, viajantes você que Orlando seja o destino número um para as famílias em férias indicando o que é bom – quando eu começar a andar pelos grandes com necessidades especiais e viajantes gays e lésbicas.

P



nos Estados Unidos, sem mencionar um dos principais destinos de parques. Como você pode muito bem estar acompanhado de crianças viagem do mundo. Sim, ele fica tumultuado e no verão é quente e úmido, quando estiver visitando Orlando, eu decidi pedir algumas informações mas algo que nunca irá acontecer é você ficar entediado. Parte E nesteIII: Estabelecendo-se em Orlando para crianças (especialmente, meus cinco filhos, com idades entre 7 e Depois deelevar você a Orlando, o apresentarei às regiões e explorarei capítulo, eu ofereço o melhor do melhor que o Walt Disney World 15) sobre muitos dos passeios e atrações populares da cidade. alguns dos modus transporto (modo de transporte, como ônibus local, Orlando têm a oferecer. bonde elétrico, táxis, transportes de passageiro, e outros veículos E, é claro, este ícone aponta algumas análises negativas dos meus Nota: Com exceção dos itens listados em “As Melhores Experiências para ir de cá para lá). Eu também dou dicas sobre o sistema especial críticos. Lembre-se de que nem todos os passeios e atrações em Orlando”, eu destaco todos os hotéis, restaurantes e atrações neste de transporte do Disney. A partir daí, cabe uma discussão sobre a obtiveram votos unânimes de agrado ou insatisfação, então muitas capítulo com o ícone O Melhor dos Melhores, quando analisado neste multiplicidade de opções em acomodações da cidade e uma análise possuem ambos os ícones. livro. profunda sobre os melhores locais para dormir. E, pelo fato de análises você gastar muita energia dentro dos parques temáticos, eu falo sobre os melhores locais para se fazer uma refeição na cidade e apresento a você a experiência mais importante no que se refere à refeição em Orlando: a refeição com personagem.(Pois, o que melhor contar do Disney do que Se imagens do Castelo da Cinderela aparecem na sua cabeça pelauma refeição com o Pato Donald ou o Pateta? Ou a Cinderela? ter feito Ou sobre o que esperar deste livro e disse como utilizá-lo Eu o instrui simples menção de Orlando, você não está sozinho. O castelo símbolo o Simba? Bem, você entendeu). para planejar umas férias mágicas no Walt Disney World – nenhum

As Melhores Experiências em Orlando

O que fazer agora

do Magic Kingdom e o adorável Mickey Mouse que iniciou tudo são, de pó mágico será necessário. Então, comece a ler; você tem muito que longe, os mais famosos símbolos do Disney e a razão principal fazer antes de viajar, de arranjar um local para descansar os seus Partepela IV: qual Explorando o Walt Disney World a maioria das pessoas se aventura no Estado Ensolarado. Lembre-se pés fatigados a cada noite até explorar o que de melhor os parques Você, agora, já fez o seu registro e está abastecido. Ótimo. Bem-vindo de que embora uma visita ao Magic Kingdom seja uma das principais temáticos de Orlando têm a oferecer. Como dizem os Escoteiros, o ao Walt Disney World, o destino turístico número um do país. Você experiências em Orlando, especialmente para as crianças, várias outras gastar meses explorando esse resort gigante, viajante pode facilmente mas se bem sucedido de Orlando precisa “estar preparado”; siga os experiências e atrações o aguardam: conselhos deste livro e você estará. Então, coloque as suas orelhas de você é como a maioria dos visitantes da Casa do Mickey, tem apenas camundongo e sorria – você está indo para o Disney World! uma semana ou mais para conhecer tudo. Não se preocupe. Nesta parte


18     Especial Book's Editoração LTDA 19

Oracle 11g Para Leigos Formato: 17 x 24 - 378 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

8

Parte I: Você não tem que ir até o Delphi para conhecer o Oracle

Parte I: Você Oracle Decodificando o g26 no Oracle 11gnão tem que ir até o Delphi para conhecer o310 O Oracle sempre teve técnicas de marketing criativas. No final de 1990, houve o boom da Internet e todos queriam essa tecnologia. O Oracle lançou uma versão modernizada do Oracle 8 e a intitulou 8i. i representa a Internet. Essa adição foi uma mudança popular porque os negócios perceberam as vantagens ao fornecerem acesso via Internet. O uso da Internet também

Parte IV: Inspecionando as Tecnologias Avançadas do Oracle

5 Processos reduziu as exigências de trabalho e custo para do servidor negociam as ações dos usuários. as aplicações de servidor do5 cliente em que o do usuário funcionam comumente fora do servidor Processos cliente foi instalado ao final do PCdo do banco usuário. de dados em si para rodar a aplicação que acessa o banco de dados. Assim como o boom da Internet foi tão popular,

Considerações de Hardware para o RAC O RAC possui muitas requisições de hardware.

Interconexão de Cluster a computação em grade é agora a evolução do gerenciamento da arquitetura empresarial. (Por isso o g, que significa grade.) No Oracle 11g, você pode ter cerca de 212 processos em segundo Nó1 Nó2 plano. Dizemos por volta de porque eles variam por sistema operacional. Se parecem ser muitos, não se assuste. Muitos deles são múltiplos do mesmo processo (por paralelismo e aproveitando-se dos sistemas com CPUs múltiplas). A Tabela 2-1 mostra os processos mais comuns em segundo plano. Figura 15-1: Por padrão, nenhum processo possui mais de uma instância doEssa seuarquitetura RAC tipo criado. A computação em grade oferece um conjunto de recursos dis- Funções de ajustes mais avançadas envolvem paraleliscomum mosmo. Para ver uma lista completa de todos os processos em segundo tribuídos para serviços computacionais. Ela é simplesmente tra alguns plano em aseu descrita tão computacional quanto um serviço, semelhante umSO, consulte V$BGPROCESS. dos maiores Armazenamento Central modelo de tipo utilitário. componentes Tabela 2-1 Processos Comuns em Segundo Plano necessários. O Oracle suporta a computação em grade com a sua capacidade Real Nó3 NóX Nome(OEM): do processo em Descrição Application Clusters (RAC) e seu Oracle Enterprise Manager segundo plano 5 A RAC utiliza o software de agrupamento do Oracle para Nós O monitor do processo (ou P_MOM, porque ele limpa gerenciar um ambiente altamente disponível. Se PMON você precisar depois que você usa, assim como a sua mãe fazia quando Um nó é um servidor que roda uma instância Oracle. Uma verdadeide recursos de hardware adicionais (tais como a memória ou a ra configuração RAC possui pelo menos dois nós. você era criança) gerencia os processos do servidor do CPU), ou experimentar falhas de hardware, basta acrescentar sistema. Ele limpa processos com falhas liberando recuroutro nó (servidor) à grade. (Na verdade, é mais complicado O número de nós em sua configuração RAC depende de limitações sos e retornando dados descomprometidos. do que isso, mas você entendeu.) de hardware e software. De acordo com os sites de documentação SMON O monitor do sistema é responsável primariamente pela e suporte Oracle, o software da Oracle em si pode suportar até 100 5 EM gerencia os bancos de dados e hosts, que também são charecuperação da instância. Se o banco de dados cai e tenta nós, mas outras forças podem limitá-lo a um número menor. mados de alvos. Ele possui uma interface web que proporciona refazer a informação deve ser lida e aplicada, o SMON cuida uma visão compreensiva do estado de cada alvo. Ele cuida de toSe você estiver entrando em muitos nós (mais de oito), verifique disso. Ele também limpa e libera espaço temporário. das as exigências de monitoramento e fornece outras ferramencom todos os seus fornecedores de hardware e software para ver A única tarefa do escritor do banco de dados é tirar tas baseadas na web com as quais interage ou fazDBWn manutenção. qual é o seu limite. blocos sujos da lista suja e escrevê-los no disco. Pode Juntos, RAC e EM formam os componentes para suportar a verdahaver até 20 deles, por isso o n. Ele começa como DBW0 Acrescente nós conforme modifica o tamanho do seu cluster. Você deira computação em grade. A RAC é uma arquitetura complexa que e continua com DBW1, DBW2 e assim por diante. Depois pode acrescentar e removê-los com interrupções mínimas ou sem requer uma quantidade razoável de sistemas e conhecimentos de do DBW, ele continua com DBWa até DBWj. Um sistema serviço em sua aplicação. Isso confirma a alta disponibilidade. Geum administrador de banco de dados, que infelizmente está além do médio não verá mais do que alguns desses. ralmente, cada nó terá sua própria instalação do software Oracle. escopo deste livro. LGWR O processo do log writer (escritor de log) limpa o buffer Você pode ter um diretório de software central, compartilhado para O Capítulo 13 abrange as capacidades e a configuração do EM e de log de redo. Ele escreve as entradas de redo no disco e que cada nó o utilize. Porém, uma configuração como essa limita as sua versão única mais leve do banco de dados, o DB Console. Você indica uma finalização. suas capacidades de alta disponibilidade. encontra informações adicionais sobre Oracle RAC em www.oracle. CKPT O processo do ponto de controle é responsável por iniciar Por exemplo, uma vantagem ao instalar o software Oracle em cada com/database/rac-home.html. pontos de verificação. Um ponto de verificação é quando nó é a capacidade de reparar os nós individualmente pegando um o sistema deposita periodicamente todos os buffers sujos por vez. Esse reparo em lista evita uma interrupção completa da no disco. Isso acontece mais comumente quando o banco de dados recebe um comando de fechamento. Ele também aplicação. Você não pode aplicar todos os reparos dessa maneira. Verifique com a documentação sobre reparo para ter certeza. Por atualiza os cabeçalhos dos arquivos de dados e os arquioutro lado, uma instalação central requer que você feche todo o vos de controle com as informações do ponto de controle para que o SMON saiba por onde começar a recuperação cluster para aplicar o reparo.

Processos em Segundo Plano

Agrupando Recursos com a Computação em Grade

no evento de uma queda do sistema.


Tornando tudo mais fácil!

           Para Leigos    20 19

Uma forma divertida e Microsoft SQL Server 2008 de dadosPara potentes Leigos

No 1

Formato: 17 x 24 - 392 páginas Criar seus primeiros Editora: Alta Books bancos de dados no SQL

Microsoft® SQLServer® 2008

fácil de criar bancos

Server

Diagramação: Veja como administrar,

Inserir, manipular e recuperar dados

detectar e solucionar problemas , e criar

relatórios profissionais no SQL Server

Sumário Automático

Você está pronto para aproveitar todas as vantagens dos dados de sua empresa para conquistar seus objetivos comerciais? Este livro vai ajudá-lo a desenvolver as habilidades que os administradores de bancos de dados do SQL Server devem ter para alcançar bons resultados. Você vai aprender como desenvolver e manter um sistema do SQL Server, como planejar bancos de dados, administrar dados e muito mais.

Índice Remissivo Página-Mestre

Numeração Automática

Manter o servidor de seu banco de dados em execução contínua Proteger dados de olhares curiosos Aumentar o desempenho com capturas do banco de dados

Mike Chapple, MCDBA, CISA, CISSP, é um profissional de TI na Universidade de Notre Dame, onde ministra um curso de aplicativos computacionais. É co-autor do livro CISSP Study Guide (Guia de estudo CISSP).

Série mais vendida de livros de informática

Acesso rápido as

últimas atualizações

Microsoft® SQL Server® 2008 Desenvolva habilidades de analista de bancos do SQL Server rapidamente

Criações de Legendas

Fique esperto!

es simplTabelas Criações Explicaçõesde

www.altabooks.com.br

Informações básicas

Nota de outro Rodapé s auxílios para navegar Ícones e na rede

Estilos de Caractere preencher com Folha destacável para ciais as informações mais essen

Encontre a listagem de todos os nossos livros

Tornando tudo mais fácil!

Escolha dentre as mais diferentes categorias de assuntos Acompanhe as dicas pelo site da Alta Books

Estilos de Parágrafo Lista dos 10 mais

Muito humor e diversão Tratamentos e produções de ISBN 978-85-7608-301-6 imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator R

do SQL Server!

Tradução da 8a Edição

Lowe

Mikeb Chapple, MCDBA

altabooks@altabooks.com.br R

44

Capa Microsoft SQL para Leigos.indd 1

09/01/2009 10:43:05

Parte I: Bem-vindo ao SQL Server 2008

Figura 3-8: atualize seus dados de conexão, conforme necessário, na caixa de diálogo SSMS Connection.

100

Capítulo 7: Desenvolvimento de consultas simples ao banco de dados

Parte II: Criação de bancos de dados do SQL Server 2008 8. Revise as informações restantes na janela. As outras propriedades da nova restrição aparecem abaixo da expressão, incluindo o nome da restrição e as três opções de execução, discutidas na seção anterior. Você pode aceitar os valores-padrão para essas propriedades ou modificá-las para atender às suas necessidades comerciais. A Figura 6-4 apresenta um exemplo da restrição CHECK concluída.

Figura 3-9: as opções de Servidor no SQL Server Management Studio.

Figura 6-3: janela Check Constraints.

Parte III

Recuperação de dados de bancos de dados A 5ª Onda

Conhecendo a interface do SSMS

5 Segurança; 5 Objetos do servidor; 5 Replicação;

Por Rich Tennant

EXPOSIÇÃO DE CARROS PARA EXECUTIVOS DE ARMAZENAMENTO

A interface do SSMS usa uma estrutura de navegação, baseada em pastas, chamada de Object Explorer (Navegador de Objetos). Observe que ela usa cinco pastas para organizar as opções do SSMS nas seguintes categorias: 5 Bancos de dados;

107

Figura 6-4: restrição CHECK na tabela de lojas.

SEÇÃO PORTA

9. Clique no botão Close para fechar a janela Check 5 Gerenciamento. Constraints. Você pode expandir essas pastas para exibir os detalhes subjacentes cliNo menu cando no sinal de adição (+) que aparece à esquerda10. da pasta. CadaFile, pastaselecione Save para aplicar sua nova restrição ao banco de dados. contém subpastas que podem ser expandidas da mesma forma. Quando você clica em um nó de origem, o painel principal da janela do SSMS exibe É importante perceber que o banco de dados não aplica a informações detalhadas sobre esse item. restrição antes da conclusão dessa última etapa.

Ao longo deste livro, descrevo como é possível usar o SSMS para gerenciar Desativação de restrições CHECK sua instância do SQL Server. Depois de adicionar uma restrição CHECK ao seu banco de dados, não será possível adicionar novas linhas a uma tabela que não esteja de acordo com a restrição (obviamente, caso você tenha selecionado a opção Enforce for INSERTs e UPDATEs). Se tentar inserir uma linha que viole a restrição, será exibida uma mensagem de erro similar a da Figura 6-5. SQL Dummies 2008 completo.indd 44

09/01/2009 10:24:08

SQL Dummies 2008 completo.indd 100

09/01/2009 10:24:16

SQL Dummies 2008 completo.indd 107

09/01/2009 10:24:17


20     Especial Book's Editoração LTDA 21

Exercícios de Guitarra Para Leigos Música/Instrumentos Musicais/Guitarrra

Formato: 17 x 24 - 240 páginas

Treine seus dedos para se tornarem magras e Editora: cruéis Alta Books máquinas de tocar guitarra!

s Mais de 300 exercícios em várias claves, posições e ritmos

Sumário Automático Índice Remissivo

s Treinos e dicas para tornar perfeito seu toque e maximizar seu tempo de prática

Página-Mestre

s Oportunidade de construção de técnicas

s2EVISÎODEFUNDAMENTOSBÉSICOSDEGUITARRAˆPOSTURA SEGURANDOAGUITARRA SENTADOEDEPÏCOMAGUITARRA s$ESENFERRUJANDOEMNOTA¥ÎODEGUITARRAˆDECODIFICANDOTABLATURAS COMPREENDENDODIAGRAMASDEACORDES INTERPRETANDODIAGRAMASDEBRA¥O RECONHECENDOBARRASDERITMO s!QUECENDO SELONGEDAGUITARRAˆLIBERANDOATENSÎO MELHORANDOA RESPIRA¥ÎO PREPARANDOCORPOEMENTEPARATOCAR

s Escalas, seqüências de escalas, arpejos, seqüência de arpejo e acordes

s$ESPERTANDOOSDEDOSˆTORNADOOSDEDOSMAISÉGEISPORTOCAREXERCÓCIOS fáceis

Numeração Automática

s$ESENVOLVENDO FOR¥A VELOCIDADEEINDEPENDÐNCIA— tocando padrões de notas ÞNICASEPROGRESSÜESDEACORDE

s Peças longas para acompanhar

Criações de Legendas

s Modos de melhorar sua musicalidade

Criações de Tabelas Nota de Rodapé

O CD bônus inclui

Tornando tudo mais fácil! ™

Aprenda a:

Exercícios selecionados de cada capítulo

s Desenvolver força e consistência ao passo que toca

Acesse o site

Cada peça para performance

Estilos de Caractere

paraleigos.com.br

Notas de afinação em cordas abertas

s Praticar aquecimentos, escalas, arpejos e acordes

para outros livros da série!

Faixas de metrônomo em diferentes andamentos

Estilos de Parágrafo

!™

Exercícios de Guitarra

Exercícios de Guitarra

Abra este livro e descubra:

Diagramação:

Quer afiar suas habilidades em tocar guitarra? Esse livro é repleto de técnicas de construção prática, de exercícios de aquecimento e escalas para arpejos, acordes e muito mais. Você verá como aplicar sua técnica com peças para performance ao fim de cada capítulo.

is fácil Tornando tudo ma

Arquivos de Aúdio no CD

s Tocar peças e sons longos s Desenvolver técnicas perfeitas com o cd de áudio

Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

www.altabooks.com.br

ISBN 978-85-7608-336-8

www.altabooks.com.br

Mark Phillips

Mark Phillips é guitarrista, arranjador, autor e editor com mais de 30 anos no ramo editorial musical. Jon Chappell é um guitarrista multi-estilo, arranjador, autor, jornalista e antigo editor da Guitar magazine. Phillips e Chappell são os autores do Best-seller Guitarra para Leigos, 2ª edição.

Diretor Musical, Cherry Lane Music

Jon Chappell

Phillips Chappell

Guitarrista premiado e autor

Capítulo 1

Revendo os fundamentos de guitarra 76

Neste capítulo

Parte II: Escalas e Sequência de Escalas Capítulo 12: Treinando sua mão nas sequências de arpejo de acorde em sétima

Subindo e descendo a escala: Praticando sequências em escala menor melódica

 Segurando a guitarra sentado e em pé  Entendendo tablaturas  Lendo diagramas de corda, diagramas de braço e barras de compasso

Faixa 85, 1:44

A escala menor melódica foi elevada ao 6º e 7º graus da versão ascendente e normal, versões não elevadas desses graus na versão descendente então a escala menor melódica descendente é a mesma que a escala (a qual você pode ler na seção abemos que você está ansioso por começar, mas antesmenor de dar natural início, resista a tentação e comece por anterior “Simplesmente natural: Praticando sequências em menor Então quando aprofunda-se nas centenas de exercícios que esperam escala por você nessenatural”). livro, tenha certeza de quevocê está tocar as versões descendentes dos exercícios seguintes estará tocando as notaslembretes da escalabásicos menorrelacionados natural. Mas você deve ainda seguir a sequência padrão estabelecida devidamente preparado para o trabalho. Neste capítulo, oferecemos alguns 4 4 pelos de escala menor melódica à guitarra. Nós também oferecemos atualizações em notações deexercícios guitarra. Mesmo que você toque com que imediatamente o precede. 5 5 5

S

3

161

7

3

7

6

4

6

5

6

7

D

A freqüência e entenda de notação, deve checar aICseção “Desenferrujando em Notação de Guitarra” assim Para melhor apreciar como a escala menor melódica funciona em uma sequência tenha certeza de tocar você entenderá como as músicas escritas funcionam nesse livro.

as sequências ascendentes e descendentes de costas uma para a outra sem parar (exceto para contar as demais na última barra, se aparecer) sem perder o ritmo.

Aperfeiçoando sua postura ao praticar

Sequências em escala menor melódica usando padrão #1

Você está provavelmente pensando que vamos te pedir para praticar guitarra sentado na borda de uma cadeira robusta (em outras palavras, dura) com a coluna ereta e seus pés fincados ao chão. Embora essa A figura seguinte mostra sequências ascendentes e descendentes na clave de B5 menor 5 em 7ª posição na seja a postura ideal, é bem verdade que você pode praticar em qualquer posição que se sinta confortável. 6 6 4 6 4 4 versão ascendente, você pode acharNos mais Após encontrar sua postura, deve focar-se em como segurar a guitarra e a palheta corretamente. lhefácil tocar os 8º e 9º trastos da 4ª corda usando os dedos 15 e 2 5 ao invés de 2 e 3. Isso faz com que a nota em 11º trasto seja mais fácil de tocar, pois você não deve alongar fornecemos dicas nessa seção.

7

5

7

3

7

E-SE BR

Adicionando sequências de arpejo de 35, 0:00 acordeFaixaem sétima menor à sua coleção

Você deve segurar a guitarra levemente diferente dependendo se estiver sentado ou em pé. Eis algumas linhas gerais: Sentando com a guitarra: A maioria dos guitarristas, quando sentados, apóia a guitarra na perna direita e a seguram com o braço direito, o qual balança de um lado para o outro permitindo à mão direita varrer as cordas intensamente em frente à abertura acústica (ou captadores se você estivesse tocando uma guitarra elétrica). Você deve puxar a guitarra contra seu corpo mas isto tem que ser confortável. Tenha certeza de que seu antebraço pode se mover livremente. Se colocar4 a guitarra em 4 1 sua perna esquerda, como muitos guitarristas clássicos fazem precisará elevar sua perna entre 10 e 15 cm em um pequeno apoio para pés, assim você pode aproximar o braço da guitarra para o centro do seu corpo. (Outra forma de aproximar a guitarra é usar T um equipamento chamado suporte, que A os pés rentes ao chão.) levanta o a guitarra enquanto permite que você mantenha

B

7

9

9

10

9 10

7

11

10

7

LEM

LEM

para tocá-la. Quando você move o primeiro dedo para cima, tecnicamente, você muda as posições (algo

Verdade seja dita, você não enxergará benefício em estar sentado e em pé evitar quando estiver exercitando. É bem isso é temporário. Quando você for para a 3ª corda, volte que tentamos neste livro), mas tudo geralmente mais confortável ficar sentado se você pretende passar tempo praticando. maioria para a 7ªmuito posição e agarre a nota(A fora de posição subsequente de forma adicional por alongar para eles. das pessoas consegue ficar sentadas por um período maior do que em pé.) Contudo, você geralmente fica Muitas outras formas de dedilhado existem aqui, mas nós queremos que você comece com um exemplo. em pé quando se apresenta, então é uma boa idéia praticar nessa posição de vez em quando.

Em alguns tipos de música, particularmente jazz, sequência de arpejo de acorde em sétima menor ocorrem com mais frequência que muitos outros tipos de sequências de arpejos de acorde em sétima. Então tocar

8

9

7

9

9

11

11

9

11

acordes em sétima menor prepara você melhor para tocar jazz, ou músicas que envolvem estilos tipo jazz 7 8 (como 11 9 as8canções pop de Norah Jones e John Mayer, que gostam de empregar acordes do jazz). Toque 11

as sequência de arpejo de acorde em sétima menor nas seções seguintes com os arpejos de acordes em sétima menor (no Capítulo 11) para ter certeza de que você tem um meticuloso exercício com material em sétima menor.

4 3

3 4

9

Se você estiver pronto para praticar sequências de acorde de arpejo em sétima menor, esta é a seção para você. Após praticá-los, seus dedos saberão o que fazer quando estiver percorrendo um acorde em sétima 4 2 4 que menor requer um toque de nota única. E há muitos deles em música!

2

4

Em pé com a guitarra: para tocar guitarra em pé, use uma faixa ajustável que adapta a guitarra ao tamanho do seu corpo a forma de tocar. Algumas pessoas gostam da guitarra alta (acima do cinto), porque esta posição facilita ao tocar. Alguns gostam de baixar a guitarra a uma posição que não pareça

8

E-SE BR

3 4

9

9

11

Sequências de arpejo de acorde em sétima menor usando padrão #1

4

4

7

7 11

7

9

9

7

9

7

11

9

7

9

7

Consulte a figura seguinte para praticar. Ela mostra sequências ascendentes e descendentes de quatro notas na clave de B menor em 7ª posição. Comece com a versão ascendente tocando as notas com as pontas dos seus dedos (substituindo o 4º dedo pelo 3º na décima nota, se você quiser), então alongue o seu 1º dedo para tocar o restante do exercício com uma mini-barra de 1º dedo. Você pode usar o 4º dedo como uma minibarra para as notas 13 e 14 na barra 2, criando uma minibarra dupla entre seu 1º e 4º dedos. Não se preocupe isso é perfeitamente legal!


Tornando tudo mais fácil!

           Para Leigos    22 21

Google AdWords Para Leigos

seu dinheiro, ae Se AdWords valem r de Meatball Sund tempo Seth Godin, Auto seu o e val o livr e est

Marketing/Ferramentas de Internet

Formato: 17 x 24 - 378 páginas

Série campeã de vendas

Diagramação:

Qual é a palavra certa? É AdWords, a solução de marketing que ajuda a transformar cliques em dinheiro atraindo os visitantes certos para o seu site.

Sumário Automático

AdWords s Determinar a lucratividade do seu mercado

Este livro mostra como encontrar os melhores termos de pesquisa para ajudar a construir seu negócio, e também como pesquisar seu mercado, construir uma estratégia de marketing direto, analisar o sucesso dos anúncios e alcançar um lucro considerável.

sEscrever e testar seus anúncios

Lucre com a revolução do Pague por Clique e aproxime-se cada vez mais dos seus clientes potenciais. Com o Google AdWords para Leigos você poderá avaliar o mercado antes de qualquer ação, estimar seus lucros e desfrutar da mais poderosa ferramenta de marketing da Internet.

sManter seus clientes satisfeitos

Índice Remissivo Página-Mestre

sMedir os resultados dos anúncios sEscolher as palavras-chave perfeitas

de direitos autorais e marcas Numeração Automática sUsar registradas

Criações de Legendas

sEconomizar Tempo com as Ferramentas de Modificação de Campanha

AdWords

TM

TM

Criações de Tabelas

Google

Google AdWords

Descubra quais palavras-chave este livro e Editora: Alta Books Abradescubra: atraem clientes e trazem dinheiro sAtivar e gerenciar uma conta do

sExplicações simples

sInformações básicas

Nota de Rodapé

sÍcones e outros auxílios para navegar na rede

sFolha destacável para preencher com as informações

Tornando tudo mais fácil!

Acesse o site

paraleigos.com.br

mais essenciais

Estilos de Caractere

sLista dos 10 mais

para outros livros da série!

Domine o mercado On-line escolhendo as palavras-chave certas!

Estilos de Parágrafo

sMuito humor e diversão

Acompanhe seus clientes potenciais!

Tratamentos e produções de imagens, utilizando Howie Jacobson, PhD, é um estrategista de marketing da os softwares: ISBN 978-85-7608-357-3 Internet especializado em ajudar seus clientes a usar o Google Photoshop Illustrator AdWords de forma bem-sucedida. Ele cria/cursos de marketing www.altabooks.com.br

direto e administra sessões de treinamento sobre AdWords. www.altabooks.com.br

Jacobson

160 Parte III: Gerenciando Suas Campanhas do AdWords

Veja como o Google Analytics pode aumentar suas vendas!

Howie Jacobson, PhD Apresentador e instrutor de seminários do AdWords

Separando sua conta em três tipos de campanhas Por padrão, o Google quer mostrar cada um dos seus anúncios ao máximo de pessoas possível. É um bom negócio para eles, e possivelmente para você também. Mas até você separar os fluxos de tráfego e avaliar cada um individualmente, você nunca saberá. Para a maioria das palavras-chave, a pesquisa do Google converte melhor, os parceiros de pesquisa em segundo lugar e a rede de conteúdo por último. Portanto, faz sentido testar seus anúncios e palavras-chave onde eles têm a maior chance de sucesso antes da disponibilização global. O Google é um pouco como “New York, New York” de Frank Sinatra: Se você conseguir isso, poderá consegui-lo em qualquer lugar.

Índice Remissivo

Capítulo 15

Fazendo Mais Vendas com o Google Analytics

Separar seu tráfego por rede é um pouco mais complicado do que deveria, mas isso vem a ser uma coisa boa. Se fosse fácil, todos estariam fazendo isso, e você não poderia obter uma vantagem competitiva.

Pesquisa do Google Sua primeira campanha deve provavelmente ser apenas pesquisa do Google. Criar NesteNacapítulo: uma campanha apenas para o Google é simples. página Edit Campaign Settings  Ativando Google Analytics (Editar Definições da Campanha), desmarque as caixaso próximo a Search Network (Rede de Pesquisa) e Content Network (Rede de Conteúdo). O Googleotem um  Observando e avaliando comportamento dos seus visitantes pequeno chilique quando você desmarca essa última caixa - e tenta convencê-lo a  Identificando bloqueios e desvios do site mantê-la marcada e “pagar menos por lances de conteúdo” (consulte a Figura Tornando seu site amigável e mais eficaz 7-10). Clique em OK para ignorar a súplica e salve suas alterações. Figura 7-10: Não mantenha a Content Network (Rede de conteúdo) ativada para sua primeira campanha.

E

tSímbolos t 80/20, princípio 177 "(aspas), para palavras-chave 38 [ ] (colchetes), para palavras-chave 38 .com 106 - (hífen), 116 ! (ponto de exclamação), regras do Google para 142

tA t

m Vamos às compras! A ciência do consumo (Editora Campus), Pacoabout.com 15, 84 Underhill partilha os conhecimentos reunidos durante 20 anos em Abrindo seu uma nova conta 47, 48 estudo da ciência das compras. Alguns deles incluem: Abrindo uma nova conta da Edição

5 Colocar cestos de compras em todas as livrarias. Completa 47, 48 Acompanhamento 22, 163, 194, 221, 226, 5 Ampliar os corredores do vestuário feminino para evitar a irritação da 287, 288, 293 "bumbum-pincel". Essa campanha mostrará seus anúncios apenas nas páginas do Google; e não da conversão 26, 287 5 Colocar provadores ao lado da seção de vestuário masculino umaacompanhamento vez na pesquisa na AOL, não no Earthlink, não na Amazon.com. Para confirmar que os essa definição, visite a guia Palavras-chave de um dos grupos dehomens anúncioscompram principalmente em função do caimento, Acrescentando palavras-chave 38 adicionar palavras-chave 116, 183 enquanto as mulheres nesta campanha e verifique se o status de Content Network Total (Total da rede consideram muitos outros fatores. adwords.google.com 27, 33, 44, 48, 142, de conteúdo) está Disabled (Desativado). Estes achados podem parecer bom senso para você, mas eu não os teria 196, 293 imaginado embagunçada cem anos. E nem os gigantes do varejo, até que eles contrataram A Figure 7-11 mostra um grupo de anúncios com uma campanha AIDA 130 Underhill para estudar o comportamento dos compradores e reprojetar suas que misturou os resultados da Pesquisa e do Conteúdo. Enquanto a rede de Ajustando Seu Anúncio 125 da empresa do Underhill, www.envirosell.com, descreve a conteúdo recebeu mais de 5 vezes as impressões dalojas. redeOdesite pesquisa (78.396 algoritmo de pesquisa, no Google 16, 236 metodologia apara um compromisso típico: vs. 17.565), ela gerou menos de 1/5 dos cliques (36 comparados 203). Minha alterações do site 325 CTR na Pesquisa foi de um respeitável 1,15%, mas apenasDoze 0,04%lojas paraStaples o foram estudadas em diferentes mercados em todo o país Amazon 74, 75, 76, 102, 139, 160, 271 Conteúdo. Como resultado, o ruído de todas essas impressões não clicadas durante dois dias cada. America Online (AOL) 14 supera meus valiosos dados. Os CTRs dos meus dois anúncios são de 0,32% e Os compradores foram vigiados ao longo de suas visitas por 0,17%, respectivamente, bem abaixo da média da Pesquisa de1,15%. Eu não ampla correspondência 95 observadores dentro da loja. posso dizer ao olhar qual anúncio funciona melhor para Pesquisa. Analytics 91, 274, 309, 310, 311, 319, 320,  O vídeo, focado em diferentes áreas da loja, gravou os padrões de 321, 322, 323, 326 compras por oito horas em cada dia de pesquisa. anexos 249  Os compradores foram interceptados e entrevistados após terem Anúncios 1, 5, 11, 12, 13, 17, 18, 19, 20, 21, concluído a visita de compras. 22, 26, 29, 30, 31, 33, 34, 35, 36, 37, 38,  Um gerente e um associado de cada loja foram entrevistados pelos 40, 41, pesquisadores para reunir os seus pontos de vista sobre a loja. Ajustando Seu Anúncio 125 Classificação baixa 44 Desaprovação editorial 43

Desempenho inferior da palavra-chave 44 Editando 36 Escrevendo um segundo anúncio 37 Locais 157 Onde e Quando Mostrar 151 Personalizado 158, 239, 240 Programação de anúncios 153 Testando 5, 36, 138, 273, 280, 293 Três Objetivos 121, 122 Veiculação de anúncios 155, 332 anúncios de texto 5, 27, 144, 145, 162, 167, 295 conteúdo 12 exibir calendário e localização 13 anúncios de vídeo 143, 147 anúncios lucrativos 295 anúncios por imagem 144 Anúncios reprovados 196 Anúncios sem Testar 332 Argumentação do Anúncio 95 arquivo PDF 181 Arquivos MP3 266 arquivo swipe 131 Artigos 262 ask.howie.com/chapter-4 64 askhowie.com/freewords 63, 99 ask.howie.com/googlesearch 64 askhowie.com/keywords5 111 askhowie.com/mpg 66 askhowie.com/sitereports 163 aspas 38, 84, 96, 97, 106, 306, 337, 345 Aspecto e aparência geral 208 Ativar conta 42 att.net 14 AT&T Worldnet 14 Áudio 218, 235, 265 audiotestemunhos 93 auto-responder 237, 238, 240, 241, 242, 244, 245, 246, 250, 252, 291, 306, 352


22     Especial Book's Editoração LTDA 23

Espanhol Para Leigos Curso em Áudio Formato: 17 x 24 - 96 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

Lição 1:5

Apresentações Sobre si Lição 1:10 Mesmo e Diálogos Sobre Você pode “Contar” Comigo: de Onde Você Veio uma Visão Geral dos Números

A

s frases abaixo são consideradas formais e podem ser usadas quando falamos com uma pessoa que conhe1 velha ou com supecemos há pouco, com uma pessoa mais riores em uma empresa. 2 Qual é o seu nome? (formal) Qual é o seu nome? (informal) Meu nome é Mateus. Eu sou a Julia. Qual é o seu primeiro nome? Meu nome é Eduardo. E o seu sobrenome? Meu sobrenome é Jonhson. Como se soletra seu nome? Como se pronuncia seu nome? Prazer em conhecê-lo. É um prazer (conhecê-lo)/ (conhecê-la)

¿Cómo3 se llama usted? ¿Cómo4 te llamas tú?

5 Me llamo 6 Matthew. Soy Julia. 7 ¿Cuál 8 es su nombre? Mi nombre es Eduardo. 9 ¿Y su apellido? 10 Mi apellido es Jonhson. 11 ¿Cómo se deletrea su 12 nombre?

13se pronuncia su ¿ Cómo nombre? 14 Mucho15gusto.

uno dos tres cuatro cinco seis

Introdução

A

língua espanhola está crescendo em popularidade. Se você está em casa,no trabalho ou em atividade,você vê espanhol em todos os lugares. Mais e mais pessoas precisam compreender os seus fundamentos para avançar em suas vidas cotidianas. Para viajantes globais – para aqueles que batalham nos negócios, estudantes no exterior e pessoas de férias – entender espanhol não precisa ser um peso, se você tem em mãos Espanhol para Leigos – Conjunto de Áudio.

siete ocho

Sobre este Conjunto de Áudio

nueve

Espanhol para Leigos – Conjunto de Áudio permite a você se familiarizar rapidamente com a língua espanhola e começar a se comunicar em nível básico com outras pessoas que falam o Espanhol. Ouvindo os CDs e acompanhando este livreto, você pode estabelecer seu próprio ritmo de estudo e aprofundar-se nos tópicos que interessam a você. O CD1 oferece a você os fundamentos do Espanhol; o CD2 abrange a estrutura de linguagem e o CD3 apresenta a linguagem em situações reais do cotidiano.

diez once doce trece catorce quince

A propósito, você poderá poderá ouvir os CD de áudio em qualquer CD player, então poderá estudar em seu carro, no aparelho Para contar números de 16 a 29, você combina as de som de sua casa ou no computador. dezenas e unidades. Em vez de utilizar três palavras separadas, você poderá abreviá-las em uma única palavra, alterando o “z” para “c” e o “y” para “i”. Por exemplo, diez y seis tona-se dieciséis.

Es un placer (conocerle)

Convenções Usadas Neste Conjunto de Áudio

Já que você poderá facilmente acompanhar os CDs e este livreto, determinei algumas convenções:


Tornando tudo mais fácil!

           Para Leigos    24 23

Seu guia de sobrevivência

Espanhol Para Leigos

Diálogos práticos no CD de áudio

com palavras e expressões

do dia a dia

Fale Espanhol — de

Espanhol

Diagramação:

Dar sentido à gramática do Espanhol

O renomado método Berlitz®

Automático com um Sumário toque de diversão e informalidade!

Melhorar sua pronúncia

Índice Remissivo

Conseguir uma ajuda para conjugar os verbos

Página-Mestre

Usar frases e expressões populares

Numeração Automática

Explorar um país de língua espanhola

O instigante guia dos especialistas da Berlitz® ajuda você começar a falar Espanhol — rápido e facilmente! Seja você um estudante, alguém que vai viajar ou que deseja simplesmente aprender o básico do Espanhol, descobrirá um guia cheio de lições práticas, fatos culturais e referências úteis — incluindo até mesmo um mini-dicionário Espanhol/Português, listas de verbos mais usados e muito mais! Berlitz® já ensinou idiomas para milhares de pessoas em mais de 120 anos de existência.

Criações de Legendas

Dialogos do livro em Cd de áudio

Susana Wald é tradutora, professora de idiomas e editora.

Criações de Tabelas

www.altabooks.com.br

Encontre listagens de todos os nossos livros

através de conve

entados por nativos Diálogos Estilos deemapres Caractere espanhol fluentes

Escolha entre várias categorias

s o n o Ouçade hol como ele é realmente espanParágrafo tu d o is Estilos

udio CD de á

Tornando tudo mais fácil!

Fique esperto!

hol ao estilo Berlitz — NotaFalede Rodapé espan rsas reais

divertida!

Espanhol

Formato: 17 x 24 - 368 páginas Editora: Alta Books

Ter conversas do dia a dia em Espanhol

uma maneira fácil e

falado

Acompanhe as

pelo site da Reforce as lições do Tratamentos elivro produções dedicas Alta Books imagens, utilizando os softwares: ISBN 978-85-7608-263-7 Photoshop / Illustrator

Líder mundial em ensino de idiomas

Susana Wald

Wald

R

®

Professora de idiomas, tradutora e editora

altabooks@altabooks.com.br R

Cartuns th The 5 Wave

t de Rich Tennan

De Rich Tennant

The 5th Wave

332

102 Parte II: Espanhol em Ação

de Rich Tennan t

Palavras importantes

viajar para um outro “Já que vamos deveríamos país, eu acho que sobre as unidades aprender mais , como está o seu Aliás a. de medid e?” Espresso Grand

The 5th Wave

página 189

“Eu sei que é uma expressão comum em Inglês, mas você simplesmente não pode dizer ‘Hasta la vista, baby’ para uma freira”.

página 7

Futuro

ofrezco

ofrecí

ofreceré

Oferecer

ofreces

ofreciste

ofrecerás

Él/ella/Ud.

Ofrece

ofreció

ofrecerá

Gerundio:

Nosotros

ofrecemos

ofrecimos

ofreceremos

Ofreciendo

Ellos/ellas/Uds.

ofrecen

ofrecieron

ofrecerán

Queda grande

(ke-da gran-de)

ficou grande

(ke-da bien)

ficou bom/boa

(pro-bar)

provar, experimentar

página 37

t de Rich Tennan

Passado

Yo

(los pan-ta-lo-nes) as calças

Informações sobre fibras e tecidos th The 5 Wave

Presente Ofrecer

Los pantalones

“Eu estou tão orgul hosa Fred. Ele fez o pedidoQuedadobien da refeição todo em Espanhol e deu tudo certo – do sushi à sopa deProbar macarrão com wontan ao temp urá de camarão”.

de Rich Tennant

Parte V: Apêndices

Presente

Passado

Futuro

Oir

Yo

oigo

oiré

Ouvir

oyes

oíste

oirás

Él/ella/Ud.

oye

oyó

oirá

Gerundio:

Nosotros

oímos

oímos

oiremos

Oyendo

Ellos/ellas/Uds.

oyen

oyeron

oirán

Quando estiver fazendo comprar, provavelmente, você notará que em regiões mais pobres, os tecidos são feitos com fibras artificiais e que o The 5thpreço Wave desses tecidos não é necessariamente mais baixo do que aquede Rich Tennan t Pedir les feitos com fibras naturais. As expressões a seguir podem ser úteis na hora de se informar sobre o tecido e as fibras de uma peça:Pedir

Presente

Passado

Futuro

Yo

pido

pedí

pediré

pides

pediste

pedirás

¿Este pantalón es de pura lana? (es-te pan-ta-lon es de pu-ra lana) (Essas calças são de lã pura?)

Él/ella/Ud.

pide

pidió

pedirá

No, es de lana com nylon. (no es de la-na kon nai-lon) (Não. São Pidiendo de lã e náilon.)

Nosotros

pedimos

pedimos

pediremos

Ellos/ellas/Uds.

piden

pidieron

pedirán

Presente

Passado

Futuro

Yo

pienso

pensé

pensaré

piensas

pensaste

pensarás

Él/ella/Ud.

piensa

pensó

pensará

Nosotros

pensamos

pensamos

pensaremos

Ellos/ellas/Uds.

piensan

pensaron

pensarán

Gerundio:

¿La camisa es de puro algodón? (la ka-mi-sa es de pu-ro ahl-goque para o Morris “Liguei e disse flautas para o eu adoraria ter . Vamos ver jantar dessa noite como ele se saiu.”

don) (A camisa é de algodão puro?) “Você se incom oda de NÃO prati car seus ‘Olés!’ enquanto estou aspirando o pó?” No, es de algodón con poliéster. (no

es de al-go-don konPensar po-liespágina 313 ter) (Não. É de algodão com poliéster.)

Pensar

¿Cuánto algodón tiene esta tela? (kuan-to de al-go-don tie-ne es-ta te-la) (Quanto de algodão tem nesse tecido?)

página 293

Gerundio: Tiene un cuarenta por ciento. (tie-ne un kua-ren-ta por sien-to) (Tem quarenta por cento.) Pensando Busco ropa de fibras naturales. (bus-ko ro-pa de fi-bras na-tu-rales) (Procuro roupas de fibras naturais.)

Presente

Passado

Futuro

Perder

Yo

pierdo

perdí

perderé

Perder

pierdes

perdiste

perderás

Él/ella/Ud.

pierde

perdió

perderá

Gerundio:

Nosotros

perdemos

perdimos

perderemos

Perdiendo

Ellos/ellas/Uds.

pierden

perdieron

perderán

También tenemos. (tam-bien te-ne-mos) (Temos também.)

espanhol leigos.indd 9

19/12/2008 08:56:44

espanhol leigos.indd 102

19/12/2008 08:57:33

espanhol leigos.indd 332

19/12/2008 08:59:03


24 â&#x20AC;&#x192; â&#x20AC;&#x192; Especial Book's Editoração LTDA 25

FrancĂŞs Para Leigos

Idiomas

O renomado mÊtodo BerlitzŽ Diagramação: com um toque divertido e amistoso!

Ă?ndice Remissivo

sMelhorar sua pronĂşncia

PĂĄgina-Mestre

sLidar com conjugaçþes de verbos

Este simpĂĄtico guia dos especialistas BerlitzÂŽ irĂĄ ajudĂĄlo a começar falar FrancĂŞs â&#x20AC;&#x201C; rĂĄpido e facilmente! Se vocĂŞ ĂŠ um estudante, viajante ou apenas deseja aprender o FrancĂŞs bĂĄsico, encontrarĂĄ liçþes prĂĄticas, fatos culturais e referĂŞncias Ăşteis â&#x20AC;&#x201C; inclusive um minidicionĂĄrio FrancĂŞs-PortuguĂŞs, alĂŠm de uma listas de verbos comuns e muito mais!

FrancĂŞs

sEntender a gramĂĄtica francesa

sUsar expressĂľes idiomĂĄticas

Numeração Automåticae expressþes populares

BerlitzÂŽ vem ensinado idiomas a milhĂľes de pessoas por mais de 120 anos. Dodi-Katrin Schmidt, Michelle M. Williams e Dominique Wenzel sĂŁo professoras, tradutoras e escritoras altamente respeitadas.

Criaçþes de Legendas

sPassear por um paĂ­s que fala francĂŞs

Criaçþes de Tabelas Nota de RodapÊ

t*OGPSNBĂ&#x17D;Ă&#x153;FTGĂ&#x2C6;DFJTEFMPDBMJ[BSFQBTTPBQBTTP

tÂśDPOFTFPVUSPTSFDVSTPTEFJEFOUJGJDBĂ&#x17D;Ă?PFNFNPSJ[BĂ&#x17D;Ă?P

FrancĂŞs

sTer conversas diĂĄrias em FrancĂŞs

SumĂĄrio AutomĂĄtico

t&YQMJDBĂ&#x17D;Ă&#x153;FTFN1PSUVHVĂ?TEFGĂ&#x2C6;DJMFOUFOEJNFOUP

fĂĄcil! forma divertida e Fale FrancĂŞs â&#x20AC;&#x201C; de

DiĂĄlogos prĂĄticos no CD de ĂĄudio

Seu guia de sobrevivĂŞncia pĂĄginas com palavras e Formato: 17 x 24 - 352Abra este livro e Editora: Alta Books descubra: expressĂľes diĂĄrias

Tornando tudo mais fĂĄcil!

Acesse o site

www.paraleigos.com.br

Estilos de Caractere

t'PMIBEFDPMBQBSBEFTUBDBSDPNJOGPSNBĂ&#x17D;Ă&#x153;FTQSĂ&#x2C6;UJDBT

para outros livros da sĂŠrie!

t-JTUBTEPTNFMIPSFTSFMBDJPOBEPTBPBTTVOUP

DiĂĄlogos do livro no CD de ĂĄudio

t6NUPRVFEFIVNPSFEJWFSTĂ?P

Estilos de ParĂĄgrafo

Aprenda FrancĂŞs com o mĂŠtodo Tratamentos e produçþes de Berlitz â&#x20AC;&#x201C; atravĂŠs de conversas reais imagens, os softwares: Apresenta utilizando diĂĄlogos entre CD de ĂĄudio franceses Photoshop / Illustrator Permite ouvir FrancĂŞs como ele

tudo isso no

www.altabooks.com.br

LĂ­der mundial em ensino de idiomas

ISBN 978-85-7608-405-1

realmente ĂŠ falado

Reforça as liçþes do livro BerlitzŽ

Dodi-Katrin Schmidt Michelle M. Williams Dominique Wenzel

CapĂ­tulo 3

Bonjour! Olå! Saudaçþes e 46 Apresentaçþes

Parte I: Iniciando ___________________________________________ 5 Elle ne sâ&#x20AC;&#x2122;appelle pas Claire. (ĂŠle nĂŞ sapĂŠle pĂĄ clĂŠr) (Seu nome nĂŁo ĂŠ Claire.)

Neste capĂ­tulo ď ľ

Cumprimentando e dirigindo-se Ă s pessoas

ď ľ

Sendo formal ou informal

ď ľ

Apresentando-se aos amigos

ď ľ

Falando sobre cidades, paĂ­ses e nacionalidades

ď ľ

Estando lĂĄ: ĂŞtre (ĂŠtre) (ser/estar)

5 New York nâ&#x20AC;&#x2122;est pas une petite ville. (niu iorq nĂŠ pĂĄs yne petite vile) (Nova York nĂŁo ĂŠ uma pequena cidade.)

Palavras a saber

OÚ est... une petite ville une grande ville s saudaçþes são a primeira etapa ao estabelecer contato com uneum villesorriso internationale alguÊm, seja qual for o idioma. Em muitos casos,

A

resolve e você só tem que esperar que a outra pessoa cumprimente você e repetir o que ela acabou de dizer. Contudo, este capítulo apresenta muitas saudaçþes francesas simples as quais você poderå usar em ocasiþes diferentes para ajudar a conhecer as pessoas.

uĂŠ yne petite vile yne graNde vile yne vile eNternacionale

FrancĂŞs para leigosÂŽ

CalendĂĄrio francĂŞs

Março: mars (mars)

Dias (LĂŞ jur)

Abril: avril (avril)

Segunda-feira: lundi (landĂ­)

Maio: mai (mĂŠ)

Terça-feira: mardi (mardí)

Junho: juin (juĂŁn)

Quarta-feira: mercredi (mĂŠrcredi)

Julho: juillet (jyiĂŞ)

Onde Ê... ? jôdi (jâdí) uma pequena cidadeQuinta-feira: Sexta-feira: vendredi (vaNdredí) uma grande cidadeSåbado: samedi (samedi) Domingo: dimanche (dimaNche) uma cidade internacional Meses (Lê muå)

a Folh a ol de C

Agosto: aoÝte (a-út) Setembro: septembre (septambre) Outubro: octobre (octôbre) Novembro: novembre (novambre) Dezembro: dÊcembre (deçambre)

Janeiro: janvier (jaNviĂŞ) Fevereiro: fĂŠvrier (fevriĂŞ)

Como em portuguĂŞs, no francĂŞs, a maioria dos adjetivos vem depois dos substantivos que qualificam. Mas alguns adjetivos muito comuns sempre precedem o substantivo. Veja o CapĂ­tulo 12 para NĂşmeros Quando vocĂŞ estĂĄ visitando um paĂ­s diferente, os habitantes locais obter mais detalhes. geralmente gostam de seu esforço para falar o idioma, mesmo que 1. un (aN) sejam umas poucas palavras. NĂŁo hĂĄ nada mais fĂĄcil do que dizer olĂĄ tambĂŠm que o adjetivo tem que concordar com o substantivo Observe 2. deux (dâ) em qualquer idioma. Na verdade, a lĂ­ngua francesa tem um ditado, ao que modifica. Assim, petit (petĂ­) (pequeno) torna-se petite (petite) se referir a algo que ĂŠ realmente fĂĄcil: â&#x20AC;&#x153;Câ&#x20AC;&#x2122;est simple comme bonjour quando associado a um substantivo feminino, como em une petite 3. trois (troĂĄ) (cĂŠ saNple come boNjur) (Ă&#x2030; tĂŁo fĂĄcil quanto dizer bom dia). Portanto, ville (yne petite vile) (uma pequena cidade). 4. quatre (catre) vĂĄ em frente, pratique estas poucas saudaçþes e vocĂŞ se sairĂĄ bem.

Dizendo OlĂĄ e Adeus

Eis alguns exemplos de olĂĄs e adeus comuns:

Falando o Idioma

14. quatorze (catĂłrze)

31. trente-et-un (traNte aN)

15. quinze (cĂĄnz)

etc...

16. seize (sesi)

40. quarante (carraNt)

17. dix-sept (diz cĂŠt)

50. cinquante (çaNcaNt)

5. cinq (çanq)

18. dix huit (diz uit)

60. soixante (soassaNt)

6. six (siz)

19. dix neuf (diz nef)

70. soixante-dix (soassaNt diz)

20. vingt (vâN)

80. quatre-vingts (catre vâN)

21. vingt-et-un (vâNte aN)

90. quatre-vingt dix (catre vâN diz)

22. vingt-et-deux (vâNt dâ)

100. cent (çaN)

23. vingt-et-trois (vâNt troå)

1.000 mille (mile)

etc...

1.000.000 un million (ĂŁN milion)

30. trente (traNt)

1.000.000.000 un milliard (ĂŁN miliar)

5 Bonjour (boNjur): Isto significa literalmente â&#x20AC;&#x153;Bom diaâ&#x20AC;?, Se mas vocĂŞ sept (sĂŠt) vocĂŞ estiver em um paĂ­s que fala francĂŞs, perdido, com fome ou7.quem pode usar quando cumprimentar pela primeira vez alguĂŠm, sabede o quĂŞ, e estiver desesperado por alguma ajuda, sempre poderĂĄ 8. huit (uit) manhĂŁ e Ă  tarde, mais ou menos enquanto o sol estiver brilhando. perguntar: VocĂŞ fala portuguĂŞs? Se vocĂŞ obtiver um olhar parado de volta, 9. neuf (nef) vĂĄ em frente, comece e parlez français (parlĂŞ fraNcĂŠ) (fale francĂŞs)! Uma

destas frases poderå ajudå-lo a expressar sua situação:

10. dix (diz)

5 Parlez-vous français?/Est-ce que vous parlez français?11.(parlê onze (onz) vu fraNcÊ/Êsce quê vu parlê fraNcÊ) (Você fala francês?) [formal 12. douze (duz) e plural] 5 Je parle un peu français. (jê pårle aN pê fraNcÊ) (Falo 13. umtreize (trÊze) pouco de francês.) 5 Je parle bien français. (jê pårle biaN fraNcÊ) (Falo bem o francês.) 5 Je ne parle pas du tout français. (jê nê pårle på dy tu fraNcÊ) (Não falo nada de francês.)

Para leigos: A sĂŠrie de livros para iniciantes que mais vende no mundo.


Tornando tudo mais fácil!

           Para Leigos    26 25

Inglês Para Leigos Formato: 17 x 24 - 368 páginas Editora: Alta Books Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

Introdução

A

Minidicionário

Lição 1:10

Algumas Frases Necessárias

capacidade de comunicar-se em vários idiomas é uma necessidade crescente. Em particular, a capacidade de falar inglês é uma maneira de ampliar as oportunidades de trabalho, de se adaptar à vida em um país de língua inglesa ou de tornar uma viagem mais proveitosa para as pessoas que falam Com licença. Excuse me. o português. Se deseja aprender inglês para fins profissionais está? Where is...? ou apenas quer ter o aprendizado de inglêsOnde como um passaNão falo- Curso inglês muito I do not speak English well. tempo, descobrirá que o livro Inglês Para Leigos em Áudio vem ao encontro de seus desejos. bem. Falo um pouquinho

inglês. Sobre o Curso em Áudio de Falo português.

Não sei. Inglês Para Leigos - Curso em Áudio permitirá a você familiarizar-se rapidamente com o idioma inglês e começar a Preciso de se comunicar em um nível básico com pessoas que falam informação. inglês. Você poderá escutar os CDs de uma hora, acompaEstou perdido. nhando o seu conteúdo neste livro, seguindo o seu próprio Estouinteresse. procurandoO ritmo e abordando os tópicos de seu maior CD1 ensinará os fundamentos do idioma por... inglês; o CD2 coEu gostaria desteo bre algumas das estruturas do idioma e o CD3 apresenta idioma em situações da vida cotidiana. aqui, por favor. Preciso agendar um

Você pode ouvir os CDs deste Curso em qualquer aparelho compromisso. de CD, assim como poderá ouvi-lo no seu carro, em seu som A que horas é o de casa ou em seu computador. compromisso?

Não posso comparecer (a uma reunião). Não entendo. Pode repetir, por favor? Tem um tradutor? Estou muito agradecido.

I speak a little English.

Minidicionário Inglês-Português a bit (ei bit): um pouco account (a-caunt): conta actor (ak-tor): ator address (a-dres): endereço afternoon (af-ter-nun): semana

agency (ei-gen-si): agência amusing (a-miu-zin): divertido I need information. answer (an-sêr): resposta I am lost. april (ei-pril): abril I am looking for... arm (arm): braço arrive (ar-aivi): chegar I would like that, please. ask (ask): perguntar august (ó-gust): agosto I need to make an appointment. aunt (ent): tia What time is the appointment? avenue (a-ve-nu): avenida balance (ba-lan-ce): saldo; I can not attend. equilíbrio bathroom (béfe-rum): banheiro I do not understand. beach (bich): praia Can you repeat that, please? beautiful (biu-ri-ful): lindo bed (bed): cama Is there a translator? begin (bi-guin): começar I appreciate it. best (best): melhor bicycle (bai-ci-kol): bicicleta big (big): grande I speak Portuguese. I do not know.

bill (biu): conta bird (berd): pássaro black (blék): preto block (blók): bloco blood (blãad): sangue blue (blu): azul book (buk): livro boy (bói): menino breakfast (brék-fest): caféda-manhã brother (bró-der): irmão brown (braun): marrom building (bil-ding): construção busy (bi-zi): ocupado cancel (can-cel): cancelar car (car): carro change (tchen-ge): alterar chest (tchest): peito chicken (tchi-ken): frango cinema (cí-ne-ma): cinema city (ci-ti): cidade clean (clin): limpar coffee (co-fi): café coin (cóin): moeda computer (com-piu-ter): computador


26     Especial Book's Editoração LTDA 27

Photoshop CS4 Para Leigos

Conheça o Photoshop e comece a usar as técnicas Formato: 17 x 24 - 370 páginas mais novas e legais!

Computação Gráfica / design

Diagramação:

Abra este livro e descubra:

s Explicação dos menus, painéis, ferramentas, opções, e atalhos que você mais precisa

Sumário Automático

s Dicas para tirar vantagem do formato do arquivo camera raw

Índice Remissivo

s4REINAMENTOBÉSICO— se você for iniciante, dê uma olhada NESSASESSÎOPARADETALHESSOBRECOMOCOME¥AR CIRCULAR E se familiarizar com todas as partes

s Como ajustar seus problemas com ferramentas de seleção

Página-Mestre

s O que você pode fazer com filtros s Passos para criar imagens

Numeração Automáticacompostas

s!JEITANDOOSPROBLEMASCASUAIS— olhos-vermelhos, rugas, PESSOASEOBJETOSQUENÎOPERTENCEMAFOTO EOUTROS

s Opções para adicionar texto a uma imagem

Criações de Legendas

s-ASEÏARTEˆEXPLOREASFUN¥ÜESDEPINTURA DOMINEO ASSOMBROSOPAINELDEPINCÏIS EADICIONEESTILOSDECAMADAS

s Como simplificar seu fluxo de trabalho

s3INTAOPODERˆCRIEAPRESENTA¥ÜESNATELA FOLHASDE contato, e muito mais

Criações de Tabelas

Acesse o site

Nota de Rodapé

Aprenda como:

paraleigos.com.br

para outros livros da série!

Estilos de FPO Caractere

s Ajustar bilho, padrão de cores e corrigir falhas

Please Provide Art

s Trabalhar Smart Objects e Smart Filters

Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de utilizando Peter Bauer é umimagens, fotógrafo ganhador de prêmios e um escritor os softwares: contribuinte para as revistas Photoshop User e Layers. Ele é ISBN 978-85-7608-346-7 / Illustrator melhor conhecidoPhotoshop como o Diretor de Help Desk da Associação www.altabooks.com.br

Nacional de Profissionais de Photoshop (ANPP), mas ele também foi o autor e co-autor de uma dúzia de livros sobre Adobe Photoshop, Illustrator, Computação Gráfica, e Fotografia.

286

Photoshop CS4

®

®®

s!PRIMORAMENTOSTORNADOSFÉCEIS ˆAPRENDASOBRE TONALIDADE COMOAJUSTARACORATÏAPERFEI¥ÎONATURAL COMOISOLARÉREASDEUMAIMAGEMPARACORRE¥ÎO EMAIS

is fácil! Tornando tudo ma

Photoshop CS4

Editora: Alta Books

Se você estiver apenas aprendendo Photoshop ou quer elevar suas habilidades até certo ponto, você veio ao lugar certo. Photoshop CS4 tem alguns truques novos na manga, e o especialista em Photoshop Peter Bauer vai mostrar a você como usá-las. Do básico como pegando suas imagens dentro e fora do Photoshop até melhorar, cortar, e corrigir a cor, está tudo aqui!

Galeria de Fotos Coloridas

s Criar imagens compostas com camadas e modos de mesclagens

GALERIA DE FOTOS COLORIDAS!

www.altabooks.com.br

Bauer

Parte III: Criando “Arte” no Photoshop

280

Peter Bauer

Professor do Photoshop World Dream Team

Parte III: Criando “Arte” no Photoshop O que ele faz

Shape Blur

Use o indicador Radius e uma das formas Você pode carregar formas adicionais do seu Selector Shape como um padrão usando o pequeno triângulo preto na para o desfoque. parte superior direita da área de formas.

Smart Blur

Controla o desfoque através do reconhecimento das arestas (áreas de diferença extrema ao longo de uma linha de pixels) e do desfoque dentro dessas áreas.

Use o Smart Blur em modo Normal para eliminar todos os detalhes sutis na imagem, use-o novamente no modo Edge Only apenas para traçar arestas na imagem e depois use o atalho  + I/ Ctrl + I par inverter a imagem, que produz um esboço em preto e branco do seu original.

Surface Blur

O filtro vai além do Smart Blur em preservar as arestas. Restrinja o desfoque para áreas grandes de cores

Assim como trabalhar com o filtro Unsharp Mask, você usa o indicador Radius para determinar a quantidade de mudança e o indicador Threshold capítulo: para livrar algumas áreasNeste da imagem da mudança. ` Brincando com truques criativos e artísticos

Figura 15-10: Liquify te dá um controle inacreditável sobre os pixels na sua imagem. semelhantes na imagem, deixando o

detalhe sutil da imagem sem desfoque.

5 Ferramenta Twirl Clockwise: Clique e pressione o botão do mouse para baixo ou arraste em um círculo para girar os pixels dentro do diâmetro do pincel. E se você quiser girar no sentido anti-horário, simplesmente adicione a tecla Option/Alt.

Dicas sobre como usá-los

18

Nome do filtro

5 Ferramenta Pucker: A ferramenta Pucker suga os pixels para dentro do centro do pincel. Você clicar e pressionar ou arrastar a ferramenta Pucker pressionando a tecla Option/Alt, leva você para a ferramenta Bloat. 5 Ferramenta Inchar: O oposto da ferramenta Pucker, a ferramenta Bloat empurra os pixels para fora do centro. Pressionando a tecla Option/Alt alterna para a ferramenta Pucker. 5 Ferramenta Push Left: À medida que você arrasta a ferramenta Push Left, os pixels são transferidos para a esquerda do demarcador ao longo do qual você arrasta. (não necessariamente para sua esquerda). Se você arrastar para cima, os pixels são transferidos para a esquerda na tela; arraste para baixo e os pixels são transferidos para a direita. Use a tecla Option/Alt para reverter o comportamento e empurrar os pixels para a direita do demarcador. 5 Ferramenta Mirror: À medida que você arrasta a ferramenta Mirror, qualquer pixel que estiver imediatamente à esquerda do cursor à medida que você arrasta são virados e colados dentro do pincel ao longo do demarcador que você arrasta. Ao arrastar da direita para a esquerda, o que estiver diretamente sobre o cursor à medida que você arrasta é virado e copiado para dentro do pincel. Para melhores resultados, use a ferramenta Freeze Mask (veja o marcador seguinte) nos pixels que você quer copiar antes de usar a Figura 15-6: Lens Blur pode usar um canal alfa (máscara) para controlar o desfoque. ferramenta Mirror. Pressionando a tecla Option/Alt reverte o comportamento, copiando os pixels para a direita do demarcador à medida que você arrasta.

Usando o filtro Lens Correction

As Dez Mais: Dicas e Truques do Photoshop favoritos do Pete

` Explorando algumas dicas úteis

E

u literalmente tenho milhares de dicas e truques do Photoshop para compartilhar com você, mas o espaço que tenho permite apenas dez. Na realidade, quase tudo que você faz que não usa o valor padrão ou as pré-definições do Photoshop pode ser considerado uma dica ou um truque. No entanto, você provavelmente está interessado em atalhos criativos e produtivos ao invés de algo do tipo: Salve cópias dos seus pincéis, estilos e várias outras coisas personalizadas em algum lugar exceto a pasta do Photoshop para que você não os perca caso precise reinstalar o programa (Ops! Eu entreguei uma dica extra, não foi?). Neste capítulo, eu apresento dez das minhas técnicas criativas e úteis. Alguns desse truques eu desenvolvi ao ajudar a resolver problemas como Diretor de Help Desk da National Association of Photoshop Professionals (NPPA) e outros são ajudantes consagrados que estão por aí há anos.

Adicionando efeitos criativos e artísticos

O filtro Lens Correction (encontre-o entre os Filtros de Distort) faz um maravilhoso trabalho de limpar a distorção de arestas redondas e de barril. (as arestas externar da Certamente você preferiria ler Preencha uma camada com sua imagem parecem se curvar para dentro ou para fora, respectivamente). Você vai marrom, use o filtro Add Noise (Gaussian Distribution, ver arestas redondas ao fotografar com lentes de telefoto no seu zoom máximo e a Monochrome) e depois aplique um filtro de desfoque de movimento para distorção barril na menor ampliação da lente. Ambas são muito óbvias quando a foto criar um efeito de madeira granulado ao invés de Caso você precise aplicar um filtro tem o que deveria ser linhas retas nas arestas. Você também pode usar a Correção em de tons de cinza a uma imagem CMYK, aplique-o em um canal e depois aos outros lente para ajustar o plano vertical ou horizontal de uma imagem. Na Figura 15-7, você três individualmente usando  + F/Ctrl + F. (Agora, não considere essas serem vê a janela da Lens Correction, um tanto quanto complexo ambiente de trabalho. dicas ou truques – lembre-se que o título do capítulo diz “Dez”!). Aqui estão algumas

das minhas dicas criativas favoritas e muito úteis.


Tornando tudo mais fácil! Conheça o Photoshop e comece a usar as técnicas mais novas e legais!

           Para Leigos    28 27

Computação Gráfica / design

s4REINAMENTOBÉSICO— se você for iniciante, dê uma olhada NESSASESSÎOPARADETALHESSOBRECOMOCOME¥AR CIRCULAR E se familiarizar com todas as partes

s!JEITANDOOSPROBLEMASCASUAIS— olhos-vermelhos, rugas, PESSOASEOBJETOSQUENÎOPERTENCEMAFOTO EOUTROS s-ASEÏARTEˆEXPLOREASFUN¥ÜESDEPINTURA DOMINEO ASSOMBROSOPAINELDEPINCÏIS EADICIONEESTILOSDECAMADAS s3INTAOPODERˆCRIEAPRESENTA¥ÜESNATELA FOLHASDE contato, e muito mais

s Explicação dos menus, painéis, ferramentas, opções, e atalhos que você mais precisa s Dicas para tirar vantagem do formato do arquivo camera raw s Como ajustar seus problemas com ferramentas de seleção s O que você pode fazer com filtros s Passos para criar imagens compostas s Opções para adicionar texto a uma imagem s Como simplificar seu fluxo de trabalho

Acesse o site

Aprenda como:

paraleigos.com.br

FPO

Photoshop CS4

®

Abra este livro e descubra:

®®

s!PRIMORAMENTOSTORNADOSFÉCEIS ˆAPRENDASOBRE TONALIDADE COMOAJUSTARACORATÏAPERFEI¥ÎONATURAL COMOISOLARÉREASDEUMAIMAGEMPARACORRE¥ÎO EMAIS

is fácil! Tornando tudo ma

Photoshop CS4

Se você estiver apenas aprendendo Photoshop ou quer elevar suas habilidades até certo ponto, você veio ao lugar certo. Photoshop CS4 tem alguns truques novos na manga, e o especialista em Photoshop Peter Bauer vai mostrar a você como usá-las. Do básico como pegando suas imagens dentro e fora do Photoshop até melhorar, cortar, e corrigir a cor, está tudo aqui!

Galeria de Fotos Coloridas

para outros livros da série!

s Ajustar bilho, padrão de cores e corrigir falhas

Please Provide Art

s Trabalhar Smart Objects e Smart Filters s Criar imagens compostas com camadas e modos de mesclagens

Peter Bauer é um fotógrafo ganhador de prêmios e um escritor contribuinte para as revistas Photoshop User e Layers. Ele é melhor conhecido como o Diretor de Help Desk da Associação Nacional de Profissionais de Photoshop (ANPP), mas ele também foi o autor e co-autor de uma dúzia de livros sobre Adobe Photoshop, Illustrator, Computação Gráfica, e Fotografia.

www.altabooks.com.br

GALERIA DE FOTOS COLORIDAS! ISBN 978-85-7608-346-7

www.altabooks.com.br

Bauer

346

Peter Bauer

Professor do Photoshop World Dream Team

Photoshop CS4 Para Leigos

Apêndice:

Galeria de Imagens

Capítulo 6

Capítulo 6

Capítulo 1

Capítulo 1

Capítulo 1

Capítulo 6

Capítulo 5

Capítulo 4 Capítulo 6

Capítulo 6

Capítulo 5


29 â&#x20AC;&#x192; â&#x20AC;&#x192; Especial Book's Editoração LTDA

Microsoft SQL Server 2008 para Desenvolvedores Formato: 17 x 24 - 376 pĂĄginas Editora: Alta Books

Diagramação: Sumårio Automåtico �ndice Remissivo Pågina-Mestre Numeração Automåtica Criaçþes de Legendas Criaçþes de Tabelas Nota de RodapÊ Estilos de Caractere Estilos de Parågrafo Tratamentos e produçþes de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator C A P �T U L O 1 6

VISĂ&#x192;O GERAL E INSTALAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DO SQL SERVER 2008 C A P Ă?T U L O 1

13

VISĂ&#x192;O GERAL E INSTALAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DO SQL SERVER 2008

Estamos no meio de uma situação complicada aqui. VocĂŞ precisa conhecer a segurança para o seu processo de instalação, mas CapĂ­tulo 1 DEMONSTRĂ&#x2030; LATOTALMENTESIGNIlCATRABALHARCOMO31,3ERVER-ANAGEMENT3TUDIO QUESERĂ&#x2030;EXPLICADONOPRĂ&#x2DC;XIMOCAPĂ&#x201C;TULO $EPOISDEINSTALADOVOCĂ?VERĂ&#x2030;O31,3ERVER)NSTALLATION#ENTER%STATELA MOSTRADANA&IGURA  LIDACOMOPLANEJAMENTO 6AMOSSIMPLIlCARESTAĂ&#x2030;REA PORTANTOVAMOSDARUMAOLHADAEMUMEXEMPLOQUEENVOLVASEGURAN A DEUMAINSTALA Ă&#x17D;O PROCESSOSDECONlGURA Ă&#x17D;O NOVASINSTALA Ă&#x153;ES ATUALIZA Ă&#x153;ESDEVERSĂ&#x153;ESANTERIORESDO31,3ERVEREMUITAS outras opçþes para manter as instalaçþes SQL Server. Experimente â&#x20AC;&#x201C; Modo de Autenticação do Windows

Visão Geral e Instalação do SQL Server 2008

VOCĂ? PODE ENTĂ&#x17D;O SELECIONAR DO PRIMEIRO ITEM DA LISTA DE 1. No Windows Vista vocĂŞ pode precisar alterar o acesso de controle do seu !OCLICARNOITEM)NSTALLATIONĂ&#x152;ESQUERDADO)NSTALLATION#ENTER usuĂĄrio para evitar muitas caixas de diĂĄlogo opçþes de Installation, instalação independente do Nove SQL Server ou adicionar caracterĂ­sticas a uma instalação existente, e CONlRMANDOSEVOCĂ?DESEJACONTINUARACADAPASSO a instalação do SQL Server 2008 ĂŠ iniciada. 2. Em Start |#ONTROL0ANEL SELECIONE5SERSAND0ASSWORDS 5MARĂ&#x2030;PIDACHECAGEMDOSISTEMAĂ?REALIZADAANTESDEVOCĂ?INSERIRACHAVEDOSEUPRODUTOEACEITAROSTERMOSDALICEN ADO 3. Quando a caixa de diĂĄlogo5SERSAND0ASSWORDSFOREXIBIDA CLIQUEEM#REATEA.EW!CCOUNTNO80OUManage Another SQL Server. HĂĄ vĂĄrios arquivos de suporte que o SQL Server usa como parte do processo de instalação, tambĂŠm para garantir Account no Vista, seguido por #REATE.EW!CCOUNT em-vindo ao SQL advertĂŞncia Server 2008no para Desenvolvedores. que ocorra uma instalação limpa e vĂĄlida. Na Figura 1-2 vocĂŞ verĂĄ que nĂŁo hĂĄ nenhuma processo, mas ainda Este livro foi escrito para aqueles que tĂŞm interesse em aprender como criar em soluçþes ĂŠ possĂ­vel prosseguir. Sendo que nenhum erro ĂŠ listado no seu processo, clique Next.com Microsoft SQL Server 2008, mas que ainda nĂŁo conhece o SQL Server 2008. Ă&#x2030; possĂ­vel que vocĂŞ tenha 4. Quando a caixa de diĂĄlogo Name the Account and#HOOSEAN!CCOUNT4YPEAPARECE INSIRAONOMEDEUSUĂ&#x2030;RIO*4HAKUR experiĂŞncia com outros bancos de dados, como MySQL, Oracle ou Microsoft Access, mas SQL Server usa interfaces diferentes e como mostrado na Figura 1-11.

B

possui uma maneira diferente de trabalho comparado a muitos dos concorrentes. O objetivo deste livro ĂŠ rapidamente levĂĄ-lo a um nĂ­vel no qual vocĂŞ estarĂĄ competentemente desenvolvendo com SQL Server 2008. Este livro ĂŠ especificamente dedicado a iniciantes e Ă queles que neste momento desejam usar somente o SQL Server 2008. TambĂŠm ĂŠ para aqueles desenvolvedores que possuem experiĂŞncia em SQL Server 2005 e desejam um mĂŠtodo rĂĄpido para acelerar no SQL Server 2008. VocĂŞ acharĂĄ este livro Ăştil para entender os fundamentos de outros bancos de dados no mercado, especialmente ao trabalhar com T-SQL. Muitos bancos de dados usam um SQL padrĂŁo ANSI, entĂŁo mudar de um SQL Server para Oracle, Sybase, etc., depois de ler este livro serĂĄ muito mais fĂĄcil.

5. #ERTIlQUE SEDEQUEOTIPODECONTAESPECIlCADOSEJA,IMITEDNO80OU3TANDARDNO6ISTA)SSOSIGNIlCAQUEELANĂ&#x17D;OTERĂ&#x2030;PRIVILĂ?GIOS de administrador. Depois de pronto, clique em #REATE!CCOUNT&IGURA #RIA Ă&#x17D;ODEUMANOVACONTADEUSUĂ&#x2030;RIO

Neste capítulo, explicaremos as seguintes åreas: s0ORQUEO31,3ERVER s1UALOHARDWAREDEQUEPRECISO s0OSSOCONlRMARSETENHOOSISTEMAOPERACIONALCORRETO s#OMODESCUBROSEMEUHARDWAREOBEDECEAOSREQUISITOS s/QUEPOSSOFAZERCOMO31,3ERVER Figura 1-1. Iniciando a instalação com o)NSTALLATION#ENTER

TambĂŠm observaremos a instalação da nossa edição escolhida e abordar o seguinte: s!INSTALA Ă&#x17D;ODO31,3ERVEREMUMAPLATAFORMA7INDOWS80 s!SOP Ă&#x153;ESQUENĂ&#x17D;OSĂ&#x17D;OINSTALADASPORPADRĂ&#x17D;O s/NDEINSTALARlSICAMENTEO31,3ERVER s-Ă&#x17E;LTIPLASINSTALA Ă&#x153;ESEMUMCOMPUTADOR s#OMOO31,3ERVERĂ?EXECUTADOEMUMAMĂ&#x2030;QUINA s#OMOASEGURAN AĂ?IMPLEMENTADA s)DENTIlCA Ă&#x153;ESDELOGONPARAO31,3ERVER ESPECIALMENTEOlogon sa (administrador do sistema)

Figura 1-11. #RIANDOUMANOVACONTADEUSUĂ&#x2030;RIO

6. 0ERMANE ANACAIXADEDIĂ&#x2030;LOGO5SERSAND0ASSWORDSPARAADICIONARUMSEGUNDONOMEDEUSUĂ&#x2030;RIO2EPITAOPROCESSO acima usando os seguintes detalhes: Nome de usuĂĄrio: VMcGlynn 4IPODECONTA#OMPUTER !DMINISTRATOR 7. Efetue logoff do Windows e entĂŁo logon usando o primeiro ID que vocĂŞ criou: JThakur. 8. Depois do login, inicie o SQL Server Management Studio selecionando Start / !LL0ROGRAMSMicrosoft SQL Server 2008 Figura 1-2. #HECAGENSDECONlGURA Ă&#x17D;ODOSISTEMA /31,3ERVER-ANAGEMENT3TUDIO6OCĂ?PRECISARĂ&#x2030;POPULARIZARODIĂ&#x2030;LOGOCOMONOMEDOSERVIDORDEINSTALA Ă&#x17D;O#LIQUE em Browse For More, entĂŁo selecione Database Engine e selecione a instalação. Entraremos em mais detalhes sobre ISSONO#APĂ&#x201C;TULO%STEDIĂ&#x2030;LOGODEVEPARECERCOMOA&IGURA  Escolha dos Componentes para

Por que o SQL Server 2008? !DISCUSSĂ&#x17D;OASEGUIRCONDIZCOMOMEUPONTODEVISTA QUESEMDĂ&#x17E;VIDAALGUMASERĂ&#x2030;DIFERENTEDEOUTROSENTRETANTO ABASEDA discussĂŁo ĂŠ muito Ăştil. HĂĄ a concorrĂŞncia com outros bancos de dados, nĂŁo apenas com outros produtos da Microsoft, como o -ICROSOFT!CCESSEO-ICROSOFT6ISUAL&OX0RO MASTAMBĂ?MCOMCONCORRENTESCOMOA/RACLE ASybase, DB2 e Informix, para citar ALGUNS!OOLHARMOSPARAASSOLU Ă&#x153;ESDA-ICROSOFT ASOUTRASOP Ă&#x153;ESSĂ&#x17D;OO-ICROSOFT!CCESSEO-ICROSOFT6ISUAL&OX0RO O !CCESSĂ?UMBANCODEDADOSPARAESTA Ă&#x17D;ODETRABALHOBASTANTEPROLĂ&#x201C;lCO ENCONTRADOEMUMGRANDENĂ&#x17E;MERODE0#S/ fato de ser empacotado em algumas ediçþes do /FlCEEEXISTIRPORALGUNSANOSEMDIFERENTESVERSĂ&#x153;ESDO/FlCEAJUDOUA TORNĂ&#x2030; LOONIPRESENTEENTRETANTO MUITASPESSOASREALMENTEUTILIZAMESSESOFTWARE)NFELIZMENTE ELETEMSUASLIMITA Ă&#x153;ESNA escalabilidade, velocidade e flexibilidade, mas, para muitos sistemas, essas ĂĄreas de preocupação nĂŁo sĂŁo um problema, jĂĄ QUEELESSĂ&#x17D;OPEQUENOS CASEIROSENĂ&#x17D;OEXIGEMFUNCIONALIDADESESPECIALIZADASDEBANCODEDADOS

Instalação !GORACHEGAMOSAOSCONCORRENTES /RACLEE3YBASE/RACLEĂ?VISTOTALVEZCOMOOLĂ&#x201C;DERDEMERCADONACOMUNIDADEDEBANCOSDE

9. Examine a mensagem de erro exibida, que deve ser parecida com a mensagem vistachegamos na Figura 1-13 JThakur como login nĂŁo Agora Ă  tela&EATURE3ELECTION ONDETEMOSQUETOMARALGUMASDECISĂ&#x153;ES#OMOVOCĂ?PODEVERNA&IGURA  ESTA dados e possui uma base de usuĂĄrios extremamente grande. NĂŁo hĂĄ dĂşvidas de que ĂŠ um grande produto e se adapta muito bem FOIDElNIDONO31,3ERVERESPECIlCAMENTEENĂ&#x17D;OPERTENCEAUMGRUPOQUEPERMITAOACESSO/Ă&#x17E;NICOGRUPONOMOMENTOĂ? instalação terĂĄ tudo instalado, porque esta serĂĄ sua instância de desenvolvimento, no qual vocĂŞ irĂĄ testar todos os aspectos AGRANDESEMPRESAS EMBORASEJAMAISCOMPLEXODEINSTALAREADMINISTRARDOQUEO31,3ERVERPOSSUIGRANDESSOLU Ă&#x153;ES um usuĂĄrio que estĂĄ no grupo Administrators do Windows. Lembre-se de quedo JThakur ĂŠ um usuĂĄrio Limited. SQL Server distantes de qualquer desenvolvimento de projetos que estejam acontecendo. Isso serĂĄ entĂŁo mais como um 10. Agora tentaremos o outro usuĂĄrio que criamos. Feche o SQL Server, façaAMBIENTEDETESTE0ORĂ?M VOCĂ?PODESERSELETIVONOQUESEREFEREAQUAISPARTESDOSCOMPONENTESVOCĂ?QUERINSTALAR0ARA logoff do Windows, e faça logon usando o esteManagement livro, vocĂŞ precisarĂĄ deseDatabase Engine Services, 2EPORTINGServices, #LIENT4OOLSEBusiness Intelligence Development segundo ID que criamos-VMcGlynn. Depois de logado, inicie o SQL Server Studio e conecte ao seu 3TUDIOPARACRIARRELATĂ&#x2DC;RIOS ENTĂ&#x17D;OCERTIlQUE SEQUEPELOSMENOSTRĂ?SDESTESESTEJAMSELECIONADOS SERVIDOR$ESTAVEZOLOGINVAIFUNCIONAR


Fundamentos do Processo Saúde - Doença - Cuidado    30

Fundamentos do Processo Fundamentos Processo Saúde - Doença -do Cuidado

Carlos Roberto Fernandes

Saúde – Doença – Cuidado

Formato: 17 x 24 - 384 páginas Editora: Águia Dourada

O Livro Fundamentos do Processo Saúde – Doença - Cuidado, de Carlos Fernandes, é bem-vindo porque a enfermagem brasileira precisa do que tem sido feito/escrito acerca não só do processo saúde-doença, mas, principalmente, sobre o cuidado. O leitor mais atento ou mais “antenado” nas questões do livro poderá perceber que existem dois caminhos possíveis de andança: um poderá se embrenhar pelos caminhos do conhecimento com sua filosofia e complexidade; o outro caminho nos levará a um tema que envolve o conhecimento e interesse de todos os que querem saber mais sobre o cuidado em um sentido mais amplo e abrangente.

Carlos Roberto Fernandes

Fundamentos do Processo

Diagramação:

Sumário Automático

Fundamentos do Processo

Índice Remissivo

Nébia Maria Almeida de Figueiredo

Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Saúde – Doença – Cuidado

Página-Mestre

Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da UNIRIO Livre-docente em Administração de Enfermagem da UNIRIO Professora Titular em Fundamentos de Enfermagem da UNIRIO Pesquisadora do CNPq

Numeração Automática

Ousadia: essa é a palavra que me vem à mente ao ler a obra escrita pelo Professor e Enfermeiro Carlos Roberto Fernandes, intitulado Fundamentos do Processo Saúde – Doença – Cuidado. O que vejo é a ousadia de cruzar as fronteiras disciplinares, históricas e aventurar-se em terra estrangeira. A aventura do caro autor é caminhar pelas terras ainda virgens e estranhas para uma nova proposta interpretativa que emerge o conceito do processo Saúde-doença-cuidado (PSDC), pouco explorado e estudado no Brasil.

Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé

Kátia Cilene Godinho Bertoncello

Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina

Saúde – Doença – Cuidado

Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Visite o nosso site para outros títulos e lançamentos:

Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator www.editoraaguiadourada.com.br

Fundamentos do Processo Saúde-Doença-Cuidado Fundamentos do Processo Saúde-Doença-Cuidado

Acupressão é também chamada Shiatsu (Shi = dedo; atsu = pressão) ou acupuntura sem Esquema 44 – Padrões de Respostas Humanas agulhas; alguns estudiosos consideram-na precursora da acupuntura. Fundamentalmente, a diferença entre acupressão e acupuntura está em que a primeira utiliza-se das mãos, e não TROCAR de agulhas. (Trocar é intercambiar, dar e receber, permutar, substituir, agir com reciprocidade) Os pontos de acupressão ultrapassam a cifra de 500 e seguem o mapa dos meridianos da 1. Troca cardíaca acupuntura, abaixo reproduzido. 2. Troca cerebral Figura 7 – Representação geral do mapa dos meridianos da Acupuntura

3. Troca periférica 4. Troca tegumentar 5. Troca oxigênica 6. Troca para regulagem do corpo 7. Troca nutricional 8. Troca pelas eliminações

Capítulo 7

A PROPOSIÇÃO DO SISTEMA NANDA

COMUNICAR (Comunicar é expressar, transmitir, esclarecer, propagar, apresentar, expressar-se com e expressar-se para)

A Taxonomia NANDA (North American Nursing Diagnosis Association) abrange a 1. Avaliação da capacidade de leitura, escrita, uso da língua e da linguagem 2. Formas diversas de comunicação Classificação dos Diagnósticos de Cuidado (NANDA), a Classificação das Intervenções de Cuidado (NIC – Nursing Interventions Classification), a Classificação dos Resultados de (NOC – Nursing Ouctomes Classification) e a Taxonomia NNN (síntese dos três sistemas anteriores): é o resultado do desenvolvimento (= diferenciação e aperfeiçoamento) de todos os esforços e as contribuições de pesquisa de Enfermagem sobre o processo de cui1. Modo e constituição das relações afetivas, profissionais, econômicas, conjugais 2. Sociabilidade dado, desde os anos da década de 1950. No campo da taxonomia de Enfermagem, ainda são internacionalmente reconhecidas: VALORIZAR - A Classificação das Respostas Humanas de Interesse para a Prática da Enfermagem Valorizar é ato de qualificar, tornar algo signicativo segundo critérios pessoais internos ou vivência significativa) Psiquiátrica e na Saúde Mental; - Preferências, práticas, preocupações e orientação religiosa, espiritual, cultural - A Classificação do Cuidado de Saúde Domiciliar, construída por Virgínia Saba a partir do ano de 1991; MOVIMENTAR Fonte: http://www.shiatsu.infinito.com.pt (Mover é movimentar, ativar, animar) - A Classificação de Omaha, ou seja, um esquema de classificação de problemas, de intervenções e uma escala de resultados utilizados na sistematização da prática de Enfermagem 1. Atividades Vale recordar os 12 principais meridianos da acupuntura: meridianos são caminhos, 2. Repouso em Saúde Pública – sabendo-se que, nos Estados Unidos da América do Norte, a concepção 3. Recreação linhas, canais de fluxo energético no corpo; esse fluxo segue as direções do tronco para as e a denominação é de Saúde Comunitária, e não Saúde Pública; mãos, das mãos para a cabeça, da cabeça para os pés, dos pés para o tronco e retomando 4. Cuidado com o ambiente doméstico 5. Práticas de controle e segurança da saúde - A Classificação Internacional Para a Prática de Enfermagem (CIPE), em suas versões alfa para as mãos. 6. Autocuidado e beta e na qual está incluída a inacabada Classificação Internacional das Práticas de EnferSeguindo a tradicional Ciência Chinesa, explicitada por Huard e Wong (1990): magem em Saúde Coletiva (CIPESC). PERCEBER - O meridiano ou vaso do baço-pâncreas, também denominado “vaso grande Yin do pé”, (Perceber é função corpopsíquica racional dos sentidos humanos ampliados, incluindo a intuição que é Tais esforços e contribuições permitem com que, no século XXI, o processo de cuidado seja possui 20 (ou 21) pontos, inicia-se na borda interna do grande artelho (no ponto Yin-Pai), percepção sensória, dar-se conta interna e externamente de, prestar atenção, enfatizar algo, considerare; incorporado ao processo saúde-doença; e não apenas incorporado, mas redimensionando a comprocessos perceptivos interconexas totalizantes para as quais estão entrelaçados processos de sobe até a borda inferior da 3ª Costela (na dobra da virilha) e desce até a borda inferiorsão daestruturas 6ª e abordagem do processo saúde-doença para todas as atuais Ciências da Saúde. representação, dos conceitos, dos juízos, do raciocínio, da memória, da atenção,preensão da orientação, da consciência. Costela (no ponto Ta-Pao); O Sistema NANDA busca a superação da dicotomia entre saúde individual e saúde cole1. Autoconceito - O meridiano ou vaso da bexiga, também denominado “vaso grande Yang do pé”, possui tiva, saúde hospitalar e saúde ambulatorial, além de não estar centrado em sinais e sintomas 67 pontos, inicia-se no ângulo súpero-interno da órbita ocular (no ponto Tsing-Ming) e ter-2. Capacidade de verbalizar estados emocionais 3. Percepção sensorial de doenças; ratificando, a atenção do Cuidado de Enfermagem, de acordo com a Taxonomia mina externamente ao ângulo ungueal do 5º Artelho (no ponto Tche-Yin); RELACIONAR Cuidado (Relacionar é estabelecer nexos, vínculos, elos, conexões)

212

281 296

Carlos Roberto duação em Enf sidade Federal (1994) e mestrad Universidade Fe (2003). Prestou cas de Enfermag dades privadas, do Sistema de In Tecnologia em mente é profess deral do Espírito sitário Norte do experiência na com ênfase em Pública, atuand seguintes temas do cuidado, edu cuidado de enfe de coletiva/saúd mentos de enfe Científica e Me de Enfermagem damental; Enfe Pública, Enferm site oficial (www everso.net) publi da Enfermagem Teoria Literária cação, além de d ciplinares de co partir de suas pe como Semiótica logia do Cuidad rística e Paidago


31     Especial Book's Editoração LTDA

A Tradição do Ayurveda Formato: 14 x 21 - 288 páginas Editora: Águia Dourada

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

A Tradição Ayurveda Madhava Nidana Visucika (gastroenterite) autor, é um texto complementar que aborda os tratamentos das doenças descritas, Vrana (úlceras) no Madhava Nidana, com medicamentos de origem vegetal. Além disto, descreve não infecciosas 2- Doenças outros importantes temas: rejuvenescimento (rasayana), afrodisíacos (vajikaraApasmara (epilepsia) na), purvakarma (terapias preparatórias como oleação e sudação) e panchaArsa karma (hemorróidas) O Tratado de Bhavamisra (terapias purificadoras)5. Gulma (constipação, gases e obstrução no abdome) Hrdroga (doença do coração) Madatyaya (alcoolismo) Panduroga (anemia) O Bhavaprakasha, como já citado anteriormente, é um texto de um auPrameha (poliúria) tor brâmane do século XVI chamado Bhavamisra. Este trabalho enciclopédico Rakta Pitta (hemorragias) aborda todos os aspectos do Ayurveda, o próprio autor afirma que coletou todas Unmada (doença mental)3 as informações disponíveis de várias fontes antigas autorizadas sobre esta ra-

13- BHAVAPRAKASHA

cionalidade médica. O texto consiste de 10268 versos distribuídos em 3 seções No Caraka Samhita observamos que as doenças infecciosas são as de (khandas), 7 partes (bhagas) e 80 capítulos (prakaranas). Analisamos a tradução maior prevalência e incidência na Índia antiga. As referências no texto à febre de para a língua inglesa de Srikantha Murthy, reedição de 2008, pela Chowkhamba todos os tipos totalizam cerca de 430 tópicos, seguida de tuberculose com 130 reKrishnadas Academy. Este trabalho apresenta-se em 2 extensos volumes, o voluferências, úlceras com 87 referências, lepra e doenças de pele com 64 referências, me 1 possui 738 páginas e o volume 2 compõe-se de 884 páginas, somando um celulite possui 55 referências, cólera 22 e abscessos 11 referências. total de 1622 páginas: No tratado, as doenças não infecciosas mais comuns são as chamadas gulma, traduzido como gases, constipação e obstrução no tubo digestivo, que posTotal de Capítulos Versos suem 132 referências, seguidas de hemorragias gastrointestinal com 95, hemorI. Purva Khanda (primeira seção): róidas com 77, epilepsia com 60, doenças do coração com 59, poliúria com 51, I) - 6 capítulos Prathama bhaga (parte bhaga (parte II) - 1 capítulo anemia com 49, doença mental com 35 e alcoolismo com 22Dvitiya referências. O total 7 4307 de referências para doenças não infecciosas é de 580, porém as doenças infeccioMadhyaaskhanda (seção média): sas totalizam 888 referências demonstrando que na época deII.Caraka, doenças Madhavakara, médico do século VIII, autor do texto Prathama bhaga (parte I) - 4 capítulos infecciosas eram mais comuns e mais sérias do que as não infecciosas. Dvitiya bhaga (parte II) - 25 capítulos Madhava Nidana Esta foi uma pequena apresentação introdutória do Caraka e seus TritiyaSamhita bhaga (parte III) - 19 capítulos Caturtha bhaga (parte IV) - 23 capítulos capítulos, mais à frente no capítulo dos textos comparados, iremos retornar ao es71 5866 tudo deste compêndio comparando-o com os outros tratados clássicos autorizados III. Uttara khanda (última seção) da racionalidade médica ayurvédica. 2 capítulos

5

Pesquisar o texto de Meulenbeld, vol II A, p. 67-8.

3

Ver o trabalho de Valiathan: “ The Legacy of Caraka Samhita”, p. xxiv-xlviii.

186

235

Conteúdo Resumido

2

95

80

10268

241


Especial Book's Editoração LTDA

Deus tem um plano para você Formato: 20 x 13 cm - 160 páginas Editora: Ediouro - Grupo Thomas Nelson Brasil

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

Como fazer o plano de Deus acontecer em sua vida

Como fazer o plano de Deus acontecer em sua vida

Mas, em todas essas coisas, somos mais que venMedite e ore: cedores pela virtude daquele que nos amou. Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos

PARTE I

poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Como Deus realiza o seu plano A história de José do Egito

Prestai toda a atenção, pois, a partir de hoje e para sempre. Antes que se começasse a colocar pedra sobre pedra no templo do Senhor, que vos acontecia? Um feixe de trigo, do qual se esperava vinte medidas de grãos, não dava mais que dez; uma cuba de vinho de cinquenta medidas não dava

Romanos 8:28-39

mais que vinte; mandei ferrugem, mangra e saraiva para destruir o trabalho de vossas mãos, e não

Princípio 7: Seja humilde — reconheça de onde vêm os seus talentos

por Daniel Godri Jr. Aos humildes salvais; aos semblantes soberbos hu-

milhais. o dia em que Jacó conheceu a jovem Raquel, ele sabia que 2 Samuel 22:28 nunca mais seria o mesmo. Seu coração passou a bater mais forte, ansiando pelo dia em que se casaria com a mais bela das Na definição de Santa Teresa “humildade é andar na verfilhas de Labão. Em uma negociação mais ou menos comum

N

À primeira vista, essa frase é de difícil entendimento, no tempo dos Patriarcas, ele promete trabalhar setedade”. anos para o pai da moça, e em troca este a daria como esposa.mas ela explica: “Certa vez, estava eu considerando por que razão Nosso Senhor é tão amigo da virtude da humildade.

vos voltastes para mim — oráculo do Senhor. Prestai toda a atenção no que vai acontecer a partir deste dia, a partir do vigésimo quarto dia do nono mês, dia em que foram lançadas as pedras de fundamento da casa do Senhor. Prestai toda a atenção! Vede se o grão falta ainda nos celeiros, se a vinha, a figueira, a romãzeira e a oliveira continuam improdutivas... porque a partir deste dia derramarei a minha bênção. Ageu 2:15-19

Veio-me logo de improviso, sem trabalho de raciocínio, esta resposta: é porque Deus é a suma verdade — e ser humilde é andar na verdade. Grande verdade é que nada de bom pro-

137

165


Especial Book's Editoração LTDA

O Poder Da Oração Para As Mulheres Formato: 20 x 13 cm - 272 páginas Editora: Ediouro - Grupo Thomas Nelson Brasil

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

O PODER DA OBEDIÊNCIA

Alegria Real e Duradoura

O PODER DA ESPERANÇA

Senhor, agradeço por tuas mãos serem fortes e firmes. O

meu futuro está em tuas mãos – e esse é um bom lugar Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, para ele estar. Em minhas mãos, cairia e quebraria. Mas INTRODUÇÃOpaz e alegria no Espírito Santo.

não na tua. As tuas mãos criam, tuas mãos guiam e orienROMANOS 14:17 tam, e as tuas mãos seguram e confortam. Estou seguSenhor, estou tão cansada de imitações. As pessoas finO poder da oração ra em cada momento de minha vida sabendo que tu irás gem que são algo que não são. A comida é aromatizada proteger-me e manter-me segura. De mãos dadas, que nós com ingredientes artificiais. É difícil de dizer o que é encaremos o futuro com esperança. Não há no mundo vida mais doce e encantadora do que ae o que é mentira. Quando o assunto é alegria, verdade vivida em constante conversação com Deus. quero a verdadeira. Derrames em minha vida tua aleDeus tem Bons Planos para Mim BROTHER LAWRENCE gria genuína e duradoura. Preciso mais de ti, Senhor. “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para Oro em nome do Espírito Santo por justiça, paz e alevocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não AMOR, a comunicação e os relacionamentos gria. têm igual Preencha-me, por favor. de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um importância para as mulheres. Nós gostamos de nutrir os futuro. Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e laços de amizade passando nosso tempo em grupo – seja Alegria em Orar pelos Outros eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me conversando ao tomar café, fazendo scrapbook com amigos procurarem de todo o coração”. Em todas as minhas orações em favor de vocês, sempre oro ou sendo voluntárias na entrega de uma sopa. Nós ansiamos com alegria. JEREMIAS 29:11-13 por nos conectar de forma mais profunda em conversas com FILIPENSES 1:4 Senhor, estou feliz em saber que tu tens planos para mim nossos maridos e namorados (ok, muitas vezes não obtemos pois o futuro é tão incerto em minha cabeça. Tu desejas Senhor, sucesso, mas continuamos ansiando por isso). Com nos-agradeço pela alegria e pelo privilégio de –orar que eu prospere, isso não me faz mal. Como o provedor de por outras sos amigos mais próximos dividimos nossas vontades e pessoas. Que bênção é ser capaz de interceder, todos os bons presentes, tu embrulhas a esperança e o fuficar no desfiladeiro e mover céus e terras por aqueles perdas, desejos e decepções, batalhas e sonhosdesecretos. que amo. Em todas as minhas orações por aquelesturo quepara mim. Clamo a ti, Senhor, sabendo que tu sempre As amizades nos trazem alegria e nos preenchem. ouves. Procuro por ti com todo o meu coração, Senhor, e Enquanto os laços emocionais com a famíliaconheço, e os ami- que eu tenha um coração de alegria. Abençoe olho adiante com a esperança de que coisas boas virão. minha e meus amigos, Senhor. Abençoe aqueles gos são essenciais para o nosso bem-estar, também o éfamília a

O

que precisam de ti hoje. Que eu encontre satisfação em nossa conexão com Deus. Esse é, de fato, o relacionamenorar por outras pessoas. 103

255


Especial Book's Editoração LTDA

Plano B

Formato: 20 x 13 cm - 368 páginas Editora: Ediouro - Grupo Thomas Nelson Brasil

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

CHICOTADA

Q

UESTÕES PARA PENSAR E o mais importante, ele escolheu em quem ele iria confiar. E DISCUTIR Ele escolheu acreditar em Deus em vez de acreditar nas circunstâncias. Capítulo 1: Realidade Cada um de nós deve tomar uma decisão muito importante, 1. Já houve um tempo na sua vida em que você olhou para e essa decisão terá enormes implicações em como processamos as suas circunstâncias e se perguntou se Deus realmente o que nos acontece. Precisamos decidir se vamos colocar a se importava? nossa fé no que Deus faz ou em quem Deus é. 2. Dê um exemplo de um momento em que você percebeu que alguma área da sua vida não estava como você mbora a Bíblia esteja cheia de histórias sobre homens e  esperava. mulheres que enfrentam um sonho destruído, nenhuma

2 NÃO FUJA ※

e

Nesta vida, muitas das nossas perguntas simplesmen-

é tão empolgante para mim quanto a história de Davi, no Ante não terão resposta, mas aconteça o que acontecer, o tigo Testamento. Desde que eu era criança, a história de Davi próprio Deus nunca vai mudar. É por isso que a nossa fé sempre prendeu a minha atenção. Caso você não conheça a deve repousar na identidade dele e não necessariamente história, deixe-me fazer uma pausa e contá-la para você. Ela na sua atividade. começa em 1 Samuel, Capítulo 16.



3. Você às vezes fica frustrado, observando a vida de outras pessoas, pensando que tudo parece dar certo para elas e não para você? Como você lida com essa frustração? 4. O que representa um problema maior para você: acreditar em Deus ou lidar com a realidade de que Deus existe mas que também existe muita dor e sofrimento?

NASCE UM SONHO

5. Qual é a sua reação típica quando Deus não age como Se você colocar a sua fé no que Deus faz, é melhor ir se prevocê esperava que ele fosse agir? Quando Davi ainda era adolescente, um dia um homem chaparando para a frustração e a decepção, porque aqui na terra mado Samuel apareceu em sua casa. Samuel era um profeta en- vai entender os caminhos de Deus. Deus é Deus! você nunca Capítulo 2: Não fuja viado por Deus para escolher o próximo rei. Ele foraComo instruído ele disse ao profeta Isaías... 1. por Deus de que o novo rei seria um dos filhos de Jessé. Curiosamente, ele escolheu Davi. Seguindo as instruções de Deus, Assim como os céus são mais altos do que a terra, tamungiu o jovem com óleo e anunciou que ele seria rei. bém os meus caminhos são mais altos do que os seus Isso pareceu meio estranho para Davi e toda a sua família, caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os 2. porque já existia um rei chamado Saul e todos achavam que seus pensamentos (Isaías 55:9).

se ele morresse, seu filho Jônatas iria assumir. Além disso, a

133

Você se lembra de uma época em que todas as circunstâncias da sua vida o levaram a acreditar que determinado sonho ia se tornar realidade e então aquele sonho se despedaçou (ou foi desfeito)? Você vê algo similar entre a sua vida e a primeira metade da história de Davi?


Especial Book's Editoração LTDA

Você pode ser Tudo o que deus quiser que seja

Formato: 18 x 13,7 cm - 128 páginas Editora: Ediouro - Grupo Thomas Nelson Brasil

Diagramação: Sumário Automático Índice Remissivo Página-Mestre Numeração Automática Criações de Legendas Criações de Tabelas Nota de Rodapé Estilos de Caractere Estilos de Parágrafo Tratamentos e produções de imagens, utilizando os softwares: Photoshop / Illustrator

DESCUBRA SEU

Deus nos fornece dons para que possamos torná-lo conhecido. Ponto final. Deus deu aos atletas olímpicos a velocidade; ao vendedor, a sagacidade; ao cirurgião, a precisão. Por quê? Para que conquistássemos medalhas de ouro? Para que fechássemos grandes vendas? Para que corpos fossem curados? Sim, mas apenas parcialmente. A grande resposta ao que nos foi dado é, no entanto, prestarmos uma grande atenção a Deus. Honrá-lo. Alegrá-lo. “Cada um exerça o dom que recebeu para servir aos outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas” (1 Pedro 4:10). Viva de forma que “ele tenha todo o crédito como o Todo-Poderoso — até o fim dos tempos. Ah, sim!” (1 Pedro 4:11 — The Message). Mostre Deus com sua unicidade. Quando você dá importância ao seu criador com sua força, quando a sua contribuição enriquece a reputação de Deus, seus dias começam a ficar mais doces. E, para realmente adocicar seu dia, use a sua unicidade para dar muita importância a Deus...

Ponto de Força A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito visando ao bem comum.  C :

A  

Você goste Reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas. P        : 

T     . |  |

|  |

|  |


Cópia - Cópia