Issuu on Google+

Abril de 2011 Publicação trimestral N.º 32 Coordenação:Ana Lotra Isabel Vaz

Olhar(es) digital : www.eslourinha.pt

Nesta edição

SEMANA DA LEITURA

A Semana da Leitura, instituída pela Rede de Bibliotecas Escolares, comemora-se um pouco por todo o país, através de projectos diversos planificados e dinamizadas pelas Bibliotecas Escolares. No nosso Agrupamento, ela decorreu entre 14 e 18 de Março, com actividades junto de todo o público que o constitui, desde os 3 aos muitos anos. Na Secundária, no dia 15, os livros, jornais e revistas saíram à rua. (p.2)

Leituras em Dia

1

Defensores do Ambiente

2

O Ano da Química

2

Aprender com AP

4,5

Fora da sala

4,5

II Jornadas de Turismo

6

Letras pessoais

8

II Jornadas do Turismo: Turismo e Empregabilidade No passado dia 16 de Março de 2011, realizaram-se as II Jornadas do Turismo da Escola Secundária da Lourinhã, subordinadas ao tema “Turismo e Empregabilidade.” As Jornadas tiveram como objectivo apresentar aos alunos as razões para a evolução deste sector, mesmo em tempo de crise, demonstrando também as diferentes saídas profissionais pelas quais podem optar. (p. 6)

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Algumas Leituras

A Ilha do Tesouro Todos queremos encontrar um tesouro, numa ilha e noutro lugar qualquer, mas que seja um verdadeiro tesouro, um tesouro que nos proporcione algo que desejamos muito, muito. Ilhas do Tesouro, temos muitas nas nossas vidas - só alguns, mais ocupados, menos atentos ou pouco dados a reflexões, ainda não deram por isso. Na Escola Secundária, provavelmente poderemos, quem sabe, encontrar alguns desses tão desejados bens. Ou talvez não… depende de cada um. Gostaria de vos sugerir um lugar que é uma verdadeira ilha do tesouro. Nesse lugar, podemos encontrar o conhecimento que nos falta, angariar momentos de pura emoção e fruição, descobrir o es-

O romance mais recente de um dos autores mais lidos na actualidade, Ken Follett.

O último romance do Nobel .

O último romance do jovem e reconhecido escritor José Luís

Peixoto. ENCONTRA NA BIBLIOTECA!

2

Semana da Leitura

Aconteceu a Semana da Leitura, todos o sabem, e quem quiser pode acompanhar com pormenor através da página digital da escola. Na Secundária, os livros e outras leituras estiveram no Pátio Amarelo, sobre coloridas mesas, ao calor de um sol convidativo. Nesse espaço, foi possível piquenicar diversas leituras e, ao mesmo tempo, participar num concurso de citações das leituras feitas. Os vencedores foram Rúben Oliveira e Daniela Dias. Aos vencedores, a todos os alunos e à restante comunidade escolar, os votos de muitas e boas leituras.

CRÓNICA

Obras de leitura obrigatória no 12º ano - encontra vários exemplares na Biblioteca, que pode requisitar para ler durante as férias.

paço que nos falta, a palavra que esquecemos… Lirismos, dirão alguns, cépticos e filhos da crise e do pessimismo. Pois, meus caros alunos e colegas, a Biblioteca convida-vos a uma visita atenta e, quem sabe, encontrareis a leitura e o saber que vos faz falta, a emoção que preenche e realiza o dia nesta interrupção que se avizinha. Obras intemporais, obras actualíssimas, obras esquecidas pelo tempo, todas elas vos são oferecidas pela nossa Biblioteca. Ousai... ousemos requisitar um livro e descobrir o tesouro que ele nos oferece.

Palavras Sentidas Está a decorrer o apuramento dos textos poéticos que constarão na antologia “Criações Poéticas” do concurso interescolas deste ano Palavras Sentidas. O número de participações da nossa escola é elevado, aliás, à semelhança do que tem vindo a acontecer em várias das outras escolas envolvidas. Aos alunos cujos textos forem seleccionados, será entregue um exemplar da antologia, no Teatro Cine de Torres Vedras, no dia 19 de Maio, na sessão Partilhas de Palavras - concurso de declamação/dramatização. Neste concurso, poderemos contar com a presença de cinco concorrentes do nosso Agrupamento, que escolheram e estão a preparar poemas de autores consagrados ou da sua própria autoria para partilhar.

Escravo(a)s da Moda Todos os dias, ao acordarmos, deparamo-nos com um grande dilema: O QUE VESTIR HOJE?! Actualmente, parece que o que vestimos marca aquilo que somos e como somos vistos. Podemos mesmo dizer que somos escravos da nossa própria roupa. Então, quando não temos vestidas as nossas “roupas da moda”, quem somos nós? Será que é a roupa que nos constrói ou utilizamos a roupa para nos construir perante os olhos de lince de quem nos julga? É extremamente importante termos em conta que as modas “vão e vêm”, porém, as pessoas ficam e valem sempre o que valem: são seres humanos ÚN-I-C-O-S! Sendo assim, é mais do que claro que é tempo de afirmarmos a nossa posição enquanto donos das nossas vidas e construtores do nosso carácter, e deixarmos de nos subordinarmos à moda, fazendo dela algo não fútil, mas útil. Beatriz Fonseca, Jéssica Pigarro, 11º D


Defensores do Ambiente na Escola No dia 10 de Fevereiro de 2011, no Auditório da Escola Secundária da Lourinhã, pelas 20h30, realizou-se uma palestra sobre o meio ambiente, organizada pela turma S3 e pelos professores responsáveis Clara Martinho, Susana Esperança, Beatriz Pinheiro e Vítor Matos. Nesta actividade integradora, estiveram presentes, como nossos convidados, a Dr.ª Sofia Delgado (licenciada em Saúde Ambiental), a Eng.ª Sandra Filipe (licenciada em Engenharia do Ambiente) e o Vereador José Duarte.

Num primeiro momento, o público teve a oportunidade de ver alguns filmes, realizados pela turma, cuja finalidade era sensibilizar os presentes para alguns atentados que estão a ser cometidos em relação ao meio ambiente e que têm como consequências a desflorestação, a escassez de água, a erosão da zona costeira, entre outras. Seguiu-se a explicação pelas Técnicas da Câmara Municipal da Lourinhã de como é feita a recolha do lixo e de resíduos urbanos no nosso concelho e quais os meios existentes para a recolha dos mesmos. Por fim, realizou-se um debate aberto a todo o público presente, no qual foram

O Ano Internacional de Química (AIQ) foi proclamado pela agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), na sequência da proposta apresentada pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC, na sigla em inglês). Envolve sociedades de química, academias e instituições mundiais, e está dependente de iniciativas individuais para organizar as actividades locais e regionais. Os objectivos do AIQ2011 são aumentar o reconhecimento público da quí-

apresentadas as nossas dúvidas, os problemas ambientais que julgamos necessitarem de resolução e o que o futuro nos reserva. Assim, verificou-se que , apesar do

EDITORIAL Eis mais um Olhar(es) cheio de cor e de energia, energia dos nossos alunos e colegas que, mesmo à última da hora, querem sempre participar. É com orgulho e alguma exaustão que fechamos estas páginas, não sem antes desejarmos a todos uma Santa Páscoa.

nosso concelho estar muito bem conceituado nesta área, ainda faltam alguns meios para a resolução de problemas ambientais, nomeadamente, a distribuição de mais ecopontos pelas freguesias, assim como a manutenção da limpeza do Rio Grande e das valetas do concelho da Lourinhã. Nós, cidadãos, temos que gerir os recursos de que dispomos para melhorarmos e preservarmos o meio ambiente, fazendo a devida reciclagem dos produtos. O balanço da sessão é muito positivo em termos de consciencialização ambiental, e nós temos a obrigação de gerir os recursos naturais ao nosso alcance para melhorarmos e preservarmos o nosso meio ambiente, fazendo a devida reciclagem e encaminhamento dos resíduos. Helena Rasteiro S3

mica, na satisfação das necessidades do mundo, incentivar o interesse na química entre os jovens e gerar entusiasmo para o futuro criativo da química. O ano de 2011 irá coincidir com o 100 º aniversário do Prémio Nobel atribuído a Madame Marie Curie, uma oportunidade para celebrar as contribuições das mulheres para a ciência. O ano também será o 100º aniversário da fundação da Associação Internacional de Sociedades de Química, e da Sociedade Portuguesa de Química, proporcionando uma oportunidade para destacar as vantagens da colaboração científica internacional. Os eventos do AIQ 2011 irão provar que a química é uma ciência criativa, essencial para a sustentabilidade e para as melhorias no nosso modo de vida. Actividades, como palestras e experiências, irão explorar como a investigação química é fundamental para resolver pro-

Os tempos são de dificuldade e incerteza para todos, sentidas também pela nossa escola, pelos nossos alunos e seus pais, pelos nossos colegas e assistentes. Todavia, olhemos com optimismo para o futuro, ousemos acreditar e trabalhar para que a mudança se opere. A todos uma Santa Páscoa, e que esta passagem por esse mar de dificuldades, tal como fez Moisés, se abra de esperança e para um futuro de construção de um país mais próspero, para o qual toda a comunidade escolar e extra -escolar deve contribuir.

blemas globais mais críticos, envolvendo alimentos, água, saúde, energia, transportes e muito mais. Além disso, o AIQ vai ajudar a reforçar a cooperação internacional, servindo como fonte de informação para as actividades das sociedades científicas nacionais, instituições de ensino, indústria, governo e organizações não-governamentais. In http://www.cienciahoje.pt/ e http://paginas.fe.up.pt Prof. Nelson Santos

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


V Mostra dos Caminhos de Formação

P´LA DI Visita de Estudo ao Maciço Calcário Estremenho

O projecto “V Mostra de Caminhos de Formação” foi criado, no âmbito da Área de Projecto, por um grupo de alunas da turma E do 12º ano. Este evento pretende fornecer informações/ esclarecimentos aos alunos acerca da oferta formativa das instituições universitárias. Esta “V Mostra de Caminhos de Formação”, orientada pelos professores Ana Ramos e Fernando Santos (GAPA), irá decorrer no dia 29 de Abril de 2011, durante o período da manhã, na nossa escola. Por isso, aproveita esta oportunidade e ORIENTA-TE. Bárbara Muniz, Cátia Batista, Diva do Lago, Dora Baltazar

Para mais informações adicionais contactar as alunas responsáveis pelo projecto:

No passado dia 11 de Março, as turmas de Ciências Socioeconómicas, Línguas e Humanidades e do Curso Profissional de Turismo, do 10º ano, realizaram uma visita de estudo ao Maciço Calcário Estremenho. Esta área (foto 1) é constituída por grandes Foto 1 blocos de calcários jurássicos, com cerca de 160 milhões de anos, situados entre Rio Maior, Tomar e Leiria. Do ponto de vista morfológico, podem diferenciar-se neste maciço três áreas distintas: a Serra dos Candeeiros, a Oeste, o planalto de Santo António, ao Centro e Sul, o planalto de S. Mamede e a Serra de Aire, a Norte e a Este, respectivamente. Ao longo do dia, os alunos visitaram as grutas de Alvados (foto 2), a Nascente do Alviela e o Carsoscópio do Centro Ciência Viva do Alviela. Nas grutas de Alvados, os alunos puderam observar várias formações cársicas, como estalagmites e estalactites, que já se vêm formando há milhões de anos. Acompanhados por um guia que ia facultando informações sobre como se formaram as grutas e as suas formações cársicas, os alunos ficaram também a conhecer algumas características únicas acerca daquelas belíssimas formações naturais. Foto 2

ap12e.eslourinha@gmail.pt

O Nascimento de uma nova Era de Investigação

Seguiu-se o almoço na praia fluvial Olhos D’Água. (foto 3) Mais tarde, os alunos visitaram o Centro Ciência Viva do Alviela onde puderam usufruir Foto 3 de uma viagem inesquecível! O Carsoscópio do centro, constituído pelo Geódromo, Climatógrafo e Quiroptário, proporcionou aos visitantes a compreensão de acontecimentos naturais fascinantes, de uma forma estimulante e divertida. Foto 4

O Presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, é uma das figuras mais conhecidas a favor da investigação em células estaminais embrionárias. O dia 9 de Março de 2009 foi muito importante para a investigação destas células, tendo Obama anunciado: “Hoje é o dia em a proibição da investigação em células estaminais embrionárias acaba”. (continua - p.5)

No Geódromo (foto 4), os alunos experienciaram uma viagem num simulador onde ficaram a conhecer as alterações geológicas que fizeram parte do Maciço Calcário Estremenho. No Climatógrafo, visionaram um filme em 3D sobre o ciclo hidrológico e, no Quiroptário (foto5), ficaram a conhecer melhor a verdadeira história dos morcegos e algumas curiosidades. Foi um dia diferente em que os alunos aprenderam geografia fora da sala de aula, em contacto com a natureza. Inês Félix, Marta Nobre,10ºE

Foto 5

4


(continuação)

FERENÇA

ques Delors. Aqui, a turma 10º D teve a oportunidade de assistir a uma aula temática sobre a construção europeia. Registe-se o elogio dado pelas formadoras, quer à postura, quer aos conhecimentos evidenciados pelos alunos. Por volta das treze horas, os alunos e os professores reuniram-se no ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão) para almoçar no refeitório do Instituto. De seguida, fizemos uma pequena visita ao edifício do referido Instituto, guiada por um aluno do ISEG. Foi interessante pelo contacto com os universitários e permitiu-nos ficar com uma ideia acerca dos cursos que lá existem, pois, no futuro, poderá ser uma boa hipótese frequentarmos aquele Instituto, já que metade dos alunos que foram à visita de estudo está no Curso CientíficoHumanístico de Ciências Socioeconómicas. Por último, pelas 14 horas, caminhámos até à rua de S. Bento, para visitar a Assembleia da República. Por uma questão de segurança, todos nós, logo à entrada do edifício, tivemos de deixar os nossos haveres (malas, telemóveis, dinheiro…) e passámos, inclusive, por uma máquina detectora de metais. Depois de todos os alunos estarem à porta da galeria para assistir a uma sessão plenária, os seguranças disseram “Entram mudos e saem calados!”, e assim o fizemos. Foi muito curioso o contacto com a Assembleia de Deputados, uma vez que pudemos assistir à discussão entre os vários partidos sobre a proposta apresentada pelo Bloco de Esquerda, relativa à importância das parcerias público-privadas. Percebemos, também, que são bastante importantes os órgãos de soberania na tomada de decisões, principalmente em momentos destes, em que Portugal atravessa uma crise financeira. Por fim, regressámos à Lourinhã com uma experiência muito enriquecedora para todos nós.

De facto, com os EUA a contribuir e a liderar o mundo nas investigações, decerto que esta área evoluirá mais rapidamente. No futuro, poderá conseguir-se tirar uma pessoa de uma cadeira de rodas, curar -se um cancro, doenças do coração e até doenças neurodegenerativas. Em relação a estas pesquisas, Obama, disse: “Nos anos anteriores, no que tocava à investigação de células estaminais, o nosso governo foi forçado a acreditar que era uma má escolha entre ciência e valores morais (…). Os americanos chegaram ao consenso de que devíamos prosseguir com as investigações, que o potencial que estas células nos oferecem é óptimo e que, com as orientações adequadas, os perigos podem ser evitados. “É uma conclusão com a qual eu concordo”. Como qualquer presidente, não garante que serão possíveis todas as aplicações esperadas, mas promete que as buscarão activa, responsável e urgentemente, suportando as pesquisas de todos os tipos, incluindo trabalho inovador, “tentando converter células humanas comuns naquelas que se assemelham a células estaminais embrionárias”. Promover a ciência é deixar que os cientistas façam o seu trabalho, é deixá-los “serem livres para fazerem a manipulação de células e ouvirmos o que nos dizem, mesmo se for inconveniente. (…) É garantir que os dados científicos nunca são distorcidos ou ocultados.” Barack Obama acabou o discurso afirmando: “Na ciência, não existe linha final (…) na busca de que um dia finalmente as palavras “terminal” e “incurável” sejam retiradas do vocabulário. Hoje, usando várias fontes à nossa disposição, com determinação renovada para liderar o mundo nas descobertas deste novo país, dedicamo-nos novamente a este trabalho”.

Jéssica Calçada, 11ºC

Alexandra Fonseca, Ana Perdigão, Raquel Murgeira, Rúben Batista,

Visita de Estudo ao Porto de Alcântara, ao Instituto Jacques Delors e à Assembleia da República

No passado dia 16 de Março, a turma D do 10º ano e as turmas C, D e E do 11º ano realizaram uma visita de estudo a Lisboa, no âmbito da disciplina de Geografia A e Economia A. Fomos transportados até Lisboa em dois autocarros, um disponibilizado pela Câmara Municipal da Lourinhã e outro alugado à empresa Barraqueiro. A visita teve o seu início em dois locais distintos.

O 11º ano foi até ao cais de Alcântara, conhecer o Porto de Lisboa. A paisagem é maravilhosa, os edifícios muitíssimo bem decorados e cheios de luz, o que dá uma boa imagem do nosso país aos turistas , uma vez que o Porto é uma porta de entrada para o turismo em Portugal. Nesta visita ao Centro de Transportes Marítimos de Pessoas e Mercadorias, fomos acompanhados por um guia que nos falou da importância do Porto de Lisboa, na dinamização da economia da cidade e do seu impacto social e cultural. O 10º ano foi até ao Cais do Sodré visitar o Centro de Informação Europeia Jac-

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Os alunos do 10º ano de Português realizaram diversas entrevistas, no âmbito do trabalho programático deste tipo de texto. São textos fictícios ou não, que dão exemplo do domínio da técnica de entrevistar, tão necessária a quem opta por um curso que envolve a comunicação com o outro. Aqui ficam dois exemplos do trabalho desenvolvido.

Entrevista aos Homens da Luta Entrevistador: Bom dia, muito obrigado por terem vindo aqui ao nosso talkshow para nos explicarem como começou este projecto e também para falar de projectos futuros. Homens da Luta: Muito obrigado pelo convite para estarmos aqui hoje e estamos disponíveis para responder às vossas perguntas. Entr: Como surgiu esta ideia original de criar este grupo de músicos revolucionários intitulados Homens da Luta? Hom: Esta ideia surgiu porque o país está envolto numa situação muito preocupante a nível social, portanto, nós, camarada Neto e camarada Falâncio, temos aquele espírito do 25 de Abril e decidimos juntar alguns camaradas, que, claro, gostam tanto de música como nós, para reivindicarmos os nossos direitos enquanto cidadãos e para relembrar às pessoas que o espírito da revolução ainda vive dentro de cada um de nós e que devemos reivindicar os nossos direitos. Entr: Editaram no ano passado um disco com 14 canções. Pensam editar mais algum? Hom: Claro que sim. Da maneira como o projecto tem vindo a crescer, graças à situação actual do país, estamos a pensar nisso. Entr: Foram desqualificados do Festival da Canção RTP, porque, segundo os organizadores, não cumpriram os regulamentos. O que pensam disto? Hom: Isto é uma vergonha! Nós só reivindicámos os nossos direitos através da música. Entr: Muito obrigado pela

6 2

II Jornadas do Turismo: Turismo e Empregabilidade No passado dia 16 de Março de 2011, realizaram-se as II Jornadas do Turismo da Escola Secundária da Lourinhã, subordinadas ao tema “Turismo e Empregabilidade.” As Jornadas tiveram como objectivo apresentar aos alunos as razões para a evolução deste sector, mesmo em tempo de crise, mostrando também as diferentes saídas profissionais pelas quais podem optar. Este evento foi realizado no auditório da Escola Secundária da Lourinhã, contando com a presença dos alunos das turmas do Curso Profissional de Técnico de Turismo (10ºH, 11ºG, 12ºG, 12ºH) e dos alunos do Curso Profissional de Técnico de Comunicação – Marketing, Relações Públicas e Publicidade (10ºF). A organização deste evento foi da

Turismo, tendo a recepção e acompanhamento de todos os participantes no evento sido realizada pelos alunos do 11ºG. O evento contou com a participação de oradores convidados e que exercem funções profissionais nas áreas do Turismo e Hotelaria, bem como ex-alunos da Escola Secundária da Lourinhã. Jeanette Rodrigues, Rita Santos, Rosana Jerónimo e Sandra Fonseca, 11ºG

responsabilidade dos alunos do 11º e 12º ano do Curso Profissional de Técnico de

SER ALUNO DE UM CURSO PROFISSIONAL Olá, Somos alunos da turma F do 10º ano, mais concretamente, do Curso de Técnico de Comunicação, Marketing, Publicidade e Relações Públicas. Sendo este um curso novo na nossa escola, revolvemos dá-lo a conhecer um pouco melhor. As várias disciplinas que integram o Curso são interessantes e enriquecedoras, todavia, exigem de nós um acompanhamento e um trabalho contínuos, e muitas horas de estudo, pois as matérias não são propriamente fáceis. Embora não tenhamos muitos trabalhos de casa pois o nosso tempo de permanência na escola é bastante alargado, temos trabalhos para desenvolver em todas as aulas . Um dos objectivos deste curso é aprender a lidar com as pessoas em várias situações. Apesar de muitos alunos, nossos colegas, dos cursos científicohumanísticos pensarem que um curso profissional não dá trabalho, queremos contradizê-los e, assim, mostrar como a realidade é diferente das ideias feitas . Já agora, aproveitamos para vos lançar um desafio: Quem não está contente com o seu curso, experimente um curso profissional! Ana Santos, Flávia Bernardino, Joana Costa, Rita Vicente e Vanessa Augusto ,10º F


entrevista. Hom: Também agradecemos a oportunidade que nos deram.

O Assédio Moral no Ambiente de Trabalho Uma de entre as muitas consequências da globalização é o assédio moral* no ambiente de trabalho, que atinge níveis elevados de preocupação, nalgumas empresas e instituições, quer públicas quer privadas. As novas técnicas de selecção, inserção e avaliação do indivíduo criaram um novo paradigma: o "sujeito produtivo", o trabalhador que deve atingir metas, ainda que isso contrarie os seus valores, ao implicar danos físicos e morais a terceiros. Na verdade, este é mais um dilema ético do século XXI. A valorização do individualismo, em detrimento do grupo de trabalho. A obrigatoriede de se atingirem metas afasta o processo laboral de critérios de bom-senso e/ou de razoabilidade. A pressão exercida gera tensões que se repercutem na vida quotidiana dos trabalhadores, gerando desajustes sociais e transtornos psicológicos. Daí a depressão, a ansiedade que desequilibram os sistemas psíquicos e/ou orgânicos. Compreender-se-á melhor o impacto do assédio moral, no mundo do trabalho, ao desencadear comportamentos abusivos que podem

afectar todos os intervenientes (gestos, palavras e atitudes …). Então, o ambiente de trabalho em vez de melhorar, degrada-se, porque a obsessão pela competitividade destrói o que de melhor existe naqueles que continuam a ser a pedra basilar de um país, Portugal, que se deseja e autoproclama democrático!!! Prof.ª Isabel Rolim * Com base na consulta de documentos legislativos e alguns estudos de sociologia política.

Competição de Esgrima A Escola Secundária da Lourinhã acolheu a Primeira Competição de Esgrima da temporada. Colégio Militar, EB 2,3 João das Regras e EB 2,3 de Ribamar foram algumas das várias escolas que participaram. Divertimento, Amizade e Competitividade foram algumas das emoções expressadas no torneio. A amizade entre os alunos da EB 2,3 João das Regras e da EB2,3 de Ribamar sobressaiu bastante pela positiva. Houve total convívio e fairplay entre os alunos das várias escolas. A competição foi muito renhida entre o Colégio Militar e a EB 2,3 João das Regras. A primeira instituição levou para Benfica os 1º e 2º lugares enquanto a EB 2,3 João das Regras se pautou pelo 3º lugar. Esta situação é demonstrativa da dedicação especial do professor de esgrima, professor Jerónimo, da Escola Secundária da Lourinhã, à causa do ensino da esgrima há longos anos. Simão Quintans

João Dias, Válter Sousa, 10º G

ENTREVISTA A UM ALUNO DO CURSO PROFISSIONAL DE TURISMO Entrevistador – Rúben Neto (R) – 10º H; Entrevistado – Miguel Coutinho (M) – 10º H. R – Boa tarde, desde já agradeço a sua disponibilidade para responder a esta entrevista, que será publicada no jornal da Escola Secundária da Lourinhã. Que idade tem e onde reside? M – Boa tarde, tenho 17 anos e resido na Lourinhã. R – Que desportos pratica e quais os de que mais gosta? M – Adoro futebol e jogo na Lourinhã. Ando no ginásio, pratico bodyboard e também gosto muito de natação, mas não tenho tempo para tudo. R – O que faz nos tempos livres, para além do desporto que pratica? M – Ando de moto, estudo para ter melhores notas e estou com os meus amigos. R – Quais as suas disciplinas favoritas e as de que menos gosta? M – Gosto muito de Português e de Inglês. Tenho muito boas notas a Matemática, mas não gosto nada de fazer contas. R – Na escola, que tipo de trabalhos gosta de fazer nas aulas? M – Trabalhos em grupo. R – Qual o curso que está a tirar? M – Curso Profissional de Técnico de Turismo. R – Gosta do curso? M – Não. R – Então, que curso gostaria de tirar? M – O Curso Profissional de Técnico de Óptica Ocular. R – Vai mudar de curso? M – Sim, vou. R – Muito obrigado por ter concedido esta entrevista. M – O prazer foi todo meu.

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


A escravidão dos lenços de papel

Será justo utilizarmos partículas de seres vivos, os quais, para quem não sabe, são as árvores, para expelirmos os nossos vermes e enxugarmos as nossas mágoas? Vejamos: os lenços, coitaditos, são fabricados para terem um início e um fim miserável… Começam por ser empacotados em pequenas caixinhas plásticas, criam laços de amizade entre si, compartilhando intimidades sem fim, onde não há ar nem liberdade, amor ou piedade. Os desgraçados dos lenços são assim, das caixinhas de plástico separados, quando delas são retirados. E depois de tantos laços criados, os lencinhos agora encharcados, no lixo são enterrados. Pobre existência, sofrida, magoada e entristecida, onde, sem piedade, lhes é retirada a vida… Porém, após recentes descobertas, verificámos que os lenços de papel são biodegradáveis, o que faz com que estes sejam não só separados dos seus companheiros, mas também de si próprios, deteriorando-se. Adriana Sebastião, Joana Cabrita, 11ªD

8

O Cão e o Golfinho Uma história linda de amor e amizade entre animais….

Era uma linda manhã, o cão observava o mar e um golfinho nadava ao longe. O golfinho nadava e o cão com a pata acenava. O golfinho pôs-se em pé e o cão fez a mesma coisa. Quando ele mergulhava entre as ondas, o cão corria pela praia, seguindo-o. O cão viu um barco de pesca e saltou lá para dentro, na hora em que este partia para o mar. Na borda do barco, procurou o golfinho, que nadava ao lado, mas muito longe. Dentro do barco, o cão estava deitado, olhou para trás e viu o golfinho saltar bem alto e entrar na água. O cão dirigiu-se para a ponta do convés e viu o golfinho ao longe a tentar comunicar com ele. Deitou-se e admirou-o a nadar no meio das ondas e por entre as gaivotas. O cão acompanhou todos os seus passos. De repente, deixou de ver o golfinho e por mais que ele andasse de um lado para o outro no barco, não o conseguia encontrar. Subitamente, o barco acelerou e o

cão caiu ao mar. Ele estava muito assustado e o barco já ia longe. No fundo do mar, havia tubarões, muitos tubarões. O cão não se apercebeu do perigo, continuava a nadar, o mais depressa que podia até ao barco, que já estava muito longe. Um tubarão reparou no pobre cão, que continuava a nadar, e começou a nadar, o mais depressa que podia até ele, pois queria devorá-lo. O golfinho via toda a cena, e correu até à superfície a tentar avisar o pobre cão que continuava a nadar. O tubarão subiu até à superfície, mas, quando ia a tentar mordê-lo, apareceu um golfinho que o atacou e o fez desistir. O cão não se apercebeu do que se tinha passado e continuava a nadar, até que sentiu que alguém o puxava para cima. Era o golfinho. O golfinho levou o cão nas suas costas até ao barco. O cão estava a salvo. O golfinho voltou a nadar. O cão via-o debaixo de água, via-o ir embora. Samuel Fonseca, 10º E

Fora-de-jogo A Liga Portuguesa de Futebol está inundada de episódios repugnantes. Independentemente do bom futebol que se pratique, existem sempre equipas beneficiadas e é lamentável que existam situações que põem em causa a vida e a integridade física de pessoas, algo que ultrapassa completamente o Futebol. Um exemplo é o do autocarro - de transporte dos jogadores, da equipa técnica e afins – do Sport Lisboa e Benfica, que, ao sair de Aveiro, foi apedrejado, pondo em risco várias pessoas. Este facto espelha bem a realidade que se vive no futebol português. Mais recentemente, as agressões (supostamente cometidas por agressores não identificados) ao vicepresidente do Benfica, o sr. Rui Gomes da Silva, são apenas uma amostra do que certas entidades (que supostamente são símbolos do futebol português e que deviam medir as consequências das suas acções) são capazes de fazer. Pouco tempo depois, o presidente do SLB foi alvo de um ataque planeado que pôs em risco a vida tanto do presidente, como de vários utilizadores de uma auto-estrada perto de Matosinhos. Esse ataque consistiu em simplesmente largar um saco

cheio de pedras de um viaduto da auto-estrada em cima da viatura pessoal do sr. Luís Filipe Vieira. Pior ainda é o facto de existirem vários indícios que denunciam os responsáveis, nomeadamente, entidades ligadas à SAD do Futebol Clube do Porto, e que nada seja feito para punir tais actos que chegam a considerar-se criminosos. Para o bem do futebol e de todos, o SLB apelou à calma e à não agressividade dos adeptos encarnados e aí se vê a diferença entre uns clubes e outros. Lutemos para proteger o espectáculo que é o futebol com atitudes saudáveis. Portugal nunca vai estar ao mais alto nível, se estes episódios se repetirem vezes e vezes sem conta.

A

C I N

Ó R C

ESCOLA

Rui Silva, 11º D


Olhar(ES) n.º32