Issuu on Google+

Março de 2007 Publicação trimestral N.º 20 Coordenação: Isabel Vaz Ana Lotra

Nesta edição

SEGUE O FUTURO!

Novidades do CRE

2

Mostra de Caminhos de Formação

3

Reflexões

50 Faculdades e Institutos de Ensino Superior Público e Privado, 24 palestras, 50 expositores e mais de 150 pessoas envolvidas em mais um grandioso evento na Escola Secundária da Lourinhã. P.3

4,5

O Jazz vai à Escola

4

S. Valentim

5

Radioactividade

6

Europa na Escola

7

Desporto

6-8

Espaço A.E.

8

FAZER RIR É UM ASSUNTO SÉRIO! Decorreu, na nossa escola, mais uma das grandes iniciativas das PRODUÇÕES #DM# Lda.

Para quem não sabe, os pequenos palhaços de bata branca que andaram pela escola a animar o pessoal são resultado de uma iniciativa que surgiu para homenagear UNS GRANDES PALHAÇOS que, na nossa opinião, merecem o respeito e o carinho de todos! Ser palhaço, por vezes, não é uma tarefa fácil! Os Drs. Palhaços trabalham arduamente para levar com toda a segurança um sorriso de esperança às crianças internadas nos hospitais do nosso país, bem como aos seus pais e a todos os profissionais de saúde que lidam com a vida e com a morte diariamente. Um Dr. Palhaço não é apenas um palhaço e o seu trabalho é mais difícil do que pensam, afinal são estes GRANDES palhaços que têm de fazer rir quem já não acredita que pode voltar a fazê-lo. As PRODUÇÕES #DM# Lda. têm o maior orgulho em prestarIhes esta pequena homenagem, porque, afinal, "FAZER RIR É UM ASSUNTO SÉRIO!" 11ºC

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Editorial

trador desenvolve. De seguida, realizou-se um workshop de ilustração com a participação de alguns professores e dos alunos de Artes.

O ano já vai longo e a recta final aproxima-se com uma celeridade que a todos surpreende. Os dias sucedem-se e as agendas abundam de compromissos: são as aulas, os testes, os trabalhos, as experiências, as apresentações… Fora da sala de aula, as conferências, as visitas de estudo, as exposições, os campeonatos, as leituras, os caminhos de formação, enfim, um sem número de actividades que dão testemunho de um escola cheia de dinamismo, empenhada no enriquecimento cultural e pessoal dos seus alunos, interessada nos seus percursos académicos e profissionais. O Olhar(es) procura mostrar um pouco da vida desta escola que privilegia valores humanos e culturais e que, pelas relações interpessoais que nela se manifestam, se assume como uma grande família.

Uma vez que enriquecemos o fundo documental com novas aquisições, foi lançado o concurso “ À descoberta…” para divulgar os livros comprados para leitura recreativa. As vencedoras foram Carla Ferreira, do 10ºC, e Audrey Deval, do 10ºD, que receberam, como prémio, um livro à sua escolha de entre os propostos a concurso.

2

CRE O Centro de Recursos(CRE) é o local adequado para o estudo e a pesquisa, assim como para a ocupação dos teus tempos livres. Por esse motivo, a equipa do CRE continua a propor actividades diversificadas que procuram ir ao encontro do vasto leque de frequentadores do Centro e nas quais te podes envolver. Com o apoio do Centro, um grupo de alunos, munido de violas, pautas e boas vozes, procurou dinamizar a escola pelo Natal, cantando temas alusivos à época. Querendo avivar a tradição, percorreram a escola saudando toda a comunidade e cantaram as Janeiras. Este mesmo grupo está a formar uma tuna e aguardam-se, para breve, mais surpresas. O centro também tem vindo a proporcionar diversas exposições com a colaboração dos alunos do curso de Artes Visuais: -Exposição/Colóquio sobre o Museu Vostell que propôs divulgar algumas obras do movimento “Fluxus”,tendo o museu como ponto de partida. -Exposição de FORMAS NATURAIS - Ampliações e pormenores Tratou-se de uma mostra de trabalhos efectuados pelos alunos através de várias técnicas desenho a carvão, sépia e sanguínea.

No dia 4 de Janeiro, o Biólogo Dr. Pedro Salgado veio à nossa escola falar de Ilustração Científica. Segundo este orador, “Quem desenha vê melhor”. Esta frase é reveladora do carácter rigoroso e científico do trabalho que o ilus-

A propósito, sugerimos-te a leitura do novo livro de Margarida Pedrosa: A Paixão de Colombo Depois da conquista do Novo Mundo, ainda há lugar para a descoberta do amor? Depois de um violento naufrágio, Cristóvão Colombo consegue chegar a uma praia de Sagres. Exausto, o navegador é recolhido por Pilar, futura condessa de Odiáxere. Desse encontro nasce uma amizade profunda que evolui para um sentimento mais forte. Contudo, quando Colombo parte para o Novo Mundo, Pilar tem de casar com um nobre castelhano. Os seus percursos surgem neste romance rodeados de intrigas e amores proibidos, assassinatos e conspirações, culpas e ambições. Perseguidos, quando o seu amor é descoberto, Colombo e Pilar marcam encontro em Sevilha. Mas ainda irão a tempo de recuperar o amor que não viveram? Um romance a não perder!

No dia 21 de Março, terá lugar a Festa da Primavera cujo objectivo é dar a conhecer a Flora Ibérica. O evento consta de uma exposição de fotografias, subordinada ao tema Flora Ibérica, realizada pelos alunos do 10ºA e 10ºB, assim como de uma exposição de plantas para divulgação de exemplares da nossa flora, com a participação de “Companhia do Verde”. De manhã, realizar-se-ão igualmente colóquios de acordo com a temática. No terceiro período, comemora-se o Dia Mundial do Teatro e o Dia Mundial da Dança. Para tal, estão em preparação algumas actividades a realizar em colaboração com a professora de Expressão Dramática. Como é do teu conhecimento, existem livros que foram libertados e postos EM MOVIMENTO. Neste momento, encontram-se aprisionados, retidos na casa de alguém. Não te esqueças de os libertar e de os colocar nos locais previstos para o efeito, para que possam continuar a sua viagem! Como podes ver, o Centro não pára e qualquer sugestão é sempre bem-vinda!


GAPA CAMINHOS DE FORMAÇÃO, PORQUÊ? Fazendo uma pesquisa rápida num dicionário qualquer, a palavra caminho aparece, no seu sentido denotativo, como uma extensão percorrida nada de novo até agora -, mas é no seu sentido mais profundo que nos parece definir mais exactamente esta actividade que percorreu a nossa escola durante um dia (2 de Março). Caminho é também uma passagem e um rumo. Uma passagem que muitos dos nossos alunos estão a atravessar nesta fase das suas vidas, um rumo que procuram que estas faculdades lhes tragam, um destino a concretizar ainda este ano ou daqui a mais algum tempo. O caminho é também figuradamente uma norma de procedimento que procuramos inculcar nos nossos alunos. Por oposição, levar caminho é perder-se, e isto é o que nós não queremos para aqueles. Daí apostarmos na sua educação, na sua formação, na impressão de qualidades no seu ser (naquilo que o distingue do outro), na determinação da sua unidade e essência. Por todas as razões atrás apresentadas, é que esta escola (caso não o saibam) é das poucas do nosso país que realiza um evento desta magnitude, onde a futura realidade profissional e académica dos alunos vem à escola sob a forma de palestras e/ou expositores: 50 Faculdades e Institutos de Ensino Superior Público e Privado, 24 palestras, mobilizando um total de mais

de 150 pessoas extra-escola. O contacto com o “mundo dos grandes” é feito cá dentro, possibilitando aos alunos uma experiência muito enriquecedora e que previne alguns dos temores que terão quando entrarem nas faculdades. Permitam-nos ainda realçar o critério de escolha das Faculdades/ Institutos para este evento. Foram os próprios alunos que, atempadamente, fizeram a sua selecção e que se inscreveram nas palestras da sua preferência. A par das actividades mais sérias, fomos agraciados por outras não menos sérias, mas de cariz mais lúdico: a visita da Tuna (sempre imprescindível numa faculdade), os alunos do cavaquinho, que nos deliciaram de novo, e os alunos do 11º J que, mais uma vez, interagiram com o público, através de uma actuação onde disfarçados de mimos e com um cartaz à frente, dizendo “Não sigas os passos dos outros!” e outro atrás com as palavras “Segue o teu próprio futuro!”, foram perseguindo vários elementos da comunidade escolar e extra-escolar. Foi ainda “criado” no ginásio um espaço onde alunos, professores e funcionários puderam escrever os seus pensamentos relativamente ao futuro. Como não poderia deixar de ser, temos de referir todos aqueles que com grande empenho, dedicação e disponibilidade, retiraram horas (e muitas) ao seu descanso por forma a que nós, público, pudéssemos usufruir exemplarmente deste dia. Ao colega Fernando Santos, à Comissão Instaladora, a toda a comunidade educativa envolvida neste evento (auxiliares, professores e alunos) e aos infatigáveis alunos do 10º L , os nossos Parabéns mais uma vez!

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Sexta-feira, 27 de Outubro de 2006 Hoje entrei de novo no meu inconsciente. É tal e qual como o imaginei. Só que... não é assim tão bom...! Visualizei-o como uma espécie de prédio, como um hospital, com corredores largos e longos, paredes brancas e portas intermináveis... Cada uma delas, quando aberta, traz um chorrilho de memórias. O meu inconsciente é como eu, arrumado por fora, um turbilhão furioso de desarrumação por dentro. Mas volto a perguntar-me: por que é que a minha imaginação só consegue imaginar um “hospital”? Por que é que há um mundo diferente atrás de cada porta? Quando olho pela janela de onde supostamente vem a luz que ilumina o meu “hospital”, só vejo o branco, o infinito branco. Acho que talvez seja porque estou vivo não sei. Como é que conseguirei respostas num mundo só meu, onde nunca ninguém entrou? Talvez um dia venha a saber, mas não hoje... não hoje…

Memórias de um “hospital” branco António Carvalho – 10ºE

4

MARKETING, STOCKS E MERCHANDISING Não sei se repararam, mas nós, 10º L (turma do Curso de Assistente Comercial), imaginámos o que seria uma campanha de marketing, se trabalhássemos numa loja. Decidimos fazer dois tipos de trabalhos para duas disciplinas. No dia 2 de Fevereiro de 2007, fomos até à vila da Lourinhã observar a decoração de montras associadas ao dia de São Valentim, com o objectivo de tirar umas ideias para a decoração da escola. Depois decidimos o que queríamos fazer e este trabalho resultou em corações recortados, pendurados no tecto, num placard enfeitado com um coração para colocar mensagens na biblioteca, num coração grande de esferovite também pendurado no tecto, em aquários com pedras, água e corações a flutuar, em rosas em cartolina para enfeitar, em marcadores em cartolina para livros, num Cupido e umas letras a dizer “Happy Valentine” para decoração no refeitó-

rio, numas velas de decoração nas portarias e numa das mesas das funcionárias. Fizemos também outro trabalho no âmbito da disciplina de Stocks e Merchandising, uma “campanha publicitária” com sugestões de compras. Para isso, fomos a algumas lojas da vila da Lourinhã fazer entrevistas sobre as sugestões e os preços para eventuais presentes. Depois fizemos três cartazes com essas sugestões. Para realizar esta actividade de S.Valentim, toda a turma deu ideias para decorar a escola, tendo as tarefas sido também divididas por todos. Agradecemos a colaboração do Tiago Barros, da turma de Artes do 12º E. Lamentamos a falta de civismo por parte de alguns alunos que manifestaram a sua falta de respeito, destruindo alguns dos nossos trabalhos. 10º L

O Jazz Vai à Escola. Nos dias 5 e 9 de Fevereiro, decorreram no auditório da ESL, sessões de Jazz, no âmbito do programa O Jazz Vai à Escola. O grupo era composto por cinco elementos: um baixista, um baterista, um saxofonista, um trompetista e um guitarrista. As sessões duraram aproximadamente uma hora e consistiam numa apresentação de cada elemento do grupo que falava um pouco do(s) instrumento(s) que tocava e fazia uma breve demonstração, numa apresentação da história do Jazz e também do que é o Jazz, salientando os principais nomes associados a este tipo de música e, no final, numa

demonstração de Jazz. Esta foi uma iniciativa muito interessante e muito educativa. A apresentação da história do Jazz foi extremamente interessante e estava muito bem concebida. Os membros do grupo eram muito simpáticos e penso que acabou por ser uma aula de música divertida. Com esta apresentação, acredito que a comunidade escolar ficou a perceber um pouco de Jazz e alguns com vontade de experimentar ou talvez só de ouvir. Tânia Patrício—10ºB1

Na Secundária, o teatro é à noite! No passado dia 16 de Fevereiro, os alunos das turmas A e B do 10º ano foram ao teatro, mas desta vez foi à noite.... Os alunos, devidamente acompanhados por dois professores, partiram por volta das 19 horas da paragem de autocarros com destino ao centro comercial El Corte Ingles, pois era lá que iriam jantar... Após uma viagem muito animada e chegada a hora de jantar, foi aí que os alunos se dividiram procurando o local que mais lhes agradava. Depois desta pequena paragem, o destino era o Teatro Aberto, onde estava em exibição a peça O Rapaz dos Desenhos de Michael Healey, encenada por João Lourenço. Depois de uma breve paragem para tirar uma foto ao pequeno grupo que fazia parte desta visita, os alunos seguiram para a plateia, contígua ao palco, onde puderam viver todo o desenrolar da história. Quando a peça terminou, foi-lhes dada a hipótese de irem até aos bastidores, onde puderam pedir autógrafos e falar com os actores, que eram bastante simpáticos, especialmente o jovem Pedro Granger que definitivamente conquistou as meninas... A hora já ia avançada e havia então que regressar… Foi uma noite diferente, de cultura, e todos os alunos que participaram querem repetir a experiência. Joana Hipólito—10ºA


A Maior pena a que fui condenado é a do Silêncio La voz popular ha hecho de este santo el patrón de los enamorados, posiblemente porque durante estas fechas en los países nórdicos los pájaros se aparean o porque, según una tradición, en el tiempo en que vivió san Valentín, en el cual la religión cristiana estaba perseguida, él, a escondidas, casaba a las parejas bajo el ritual de la Iglesia. Algunos creen que es una fiesta cristianizada del paganismo, ya que en la antigua Roma se realizaba por este tiempo la adoración al dios del amor, cuyo nombre era Eros y a quien muchos simpáticamente le han pasado a llamar Cupido. También, y hace muchos siglos, fue tradicional en Inglaterra (se calcula que en los siglos XVII y XVIII) la "fiesta de los valentines", donde se elegían a hombres y a mujeres para formar pareja. Sea como fuese, San Valentín casi por sorpresa suya, es el patrón de todos los enamorados y de todas aquellas personas que quieren tener a una amiguita o a un amiguito para que les acompañe no solamente en ir al cine, a la discoteca o bien a cenar, sino también para formar una familia "ser felices y comer perdices".

Cada país tiene su particular forma de celebrar el “Día de San Valentín” o “Día Universal del Amor”. Por ejemplo, la cultura occidental conmemora esta fiesta con un sinnúmero de ritos y costumbres para fomentar el amor de pareja. En Inglaterra los niños entonan canciones especiales de amor, propias para la ocasión (a cambio de lo cual reciben dulces, frutas y regalos) y en algunas regiones la gente hornea panecillos especiales de ciruelas, o pasas. En Italia celebran un banquete de San Valentín. En algunos lugares de Estados Unidos son famosos los conocidos "valentines": tarjetas de felicitación que los niños elaboran para intercambiar con sus amigos. En las escuelas realizan fiestas y los pequeños las colocan en cajas decoradas, para proceder al final del día a distribuirlas entre sus respectivos destinatarios, reservando las mejores para sus parientes y maestros. Pero una de las tradiciones más difundidas y aceptadas en la ma-

yoría de los países es la de vestir alguna pieza roja el 14 de febrero, por considerarse este color como símbolo del fuego, la sangre, la energía, la fortaleza, la determinación, así como de la pasión, del deseo y el amor. En Italia y Gran Bretaña las solteras madrugan el “Día de San Valentín” y esperan ansiosas frente a la ventana que un hombre pase, pues, según la leyenda, el primer caballero que vean les propondrá matrimonio durante ese año. En Corea, el 14 de febrero, las mujeres ofrecen chocolates a los hombres; en Nueva York se eligen siete parejas para contraer matrimonio ese día, en el mirador del piso 80 del Empire State Building, con lo cual adquieren el derecho a formar parte del Club Nupcial del afamado edificio y a entrar libremente el cuando celebran su aniversario.

El día de los enamorados en España es un día muy especial. Si el amor, de por sí, hace que todo lo desagradable y lo amargo se convierta en algo hermoso, gracias a San Valentín, este sentimiento se engrandece aún más. Según se va acercando esta celebración los enamorados se embarcan en la búsqueda del regalo perfecto. Esta es la costumbre que los españoles tienen precisamente cada 14 de febrero. Pero, ¿qué regalos son los más preciados o con más arraigo entre ellos y ellas? Pues, sin duda, está la costumbre de regalar una rosa como símbolo de fortaleza y de pasión de la pareja. A pesar de que las rosas son la flor preferida por los amantes en esta celebración, los tiempos pasan y, con ellos, también las costumbres de San Valentín. Es por esto por lo que, cada vez más, se van dejando de lado las rosas y se regalan otro tipo de motivos florales como las margaritas, los gladiolos, claveles u orquídeas. Y es que, al fin y al cabo, quizás no sean tan importantes las flores como los mensajes que las acompañan: ‘ te quiero', ‘I love you' o ‘kiss me' son algunas de las palabras más sonadas y más escritas durante el día del amor, por excelencia. Otra de las costumbres que se llevan a cabo en San Valentín es la de invitar a tu pareja a una cena romántica y brindar con cava o champagne por un amor eterno. Alunos dos 10º A e H

Um dos castigos mais violentos para o ser humano é sem dúvida o silêncio. É muito revoltante para um ser humano, quando vê o que não está certo ver, e, quando ouve o que não está certo ouvir, tentar manifestar-se e ser condenado ao silêncio, podendo apenas partilhar as suas ideias consigo próprio. No fundo, ser condenado ao silêncio é como se nos privassem dos quatro “sentidos” e nos obrigassem a agir apenas como marionetas ao som de uma voz superior. Nós somos seres livres. Precisamos do silêncio, mas não podemos viver unicamente com ele. Necessitamos de tentar mudar o que vai contra os nossos ideais e nunca deixar que nos condenem ao silêncio, pois é a pena que mais nos revolta e corrói por dentro. Teresa Cardoso – 11ºC

Se há algo neste mundo de que posso dar graças é pelo facto de poder dizer aquilo que sinto, de exprimir as minhas opiniões, de poder saudar os outros, de poder falar. Mas existem outros que não podem dizer o mesmo. Ou porque foram obrigados a não se pronunciarem sobre os seus ideais e princípios, ou porque, devido ao destino, não receberam esse dom. Sim, eu considero o facto de falar, um dom. Apesar de haver muitas outras formas de nos exprimirmos, que têm a mesma importância, falar é a maneira universal de comunicar. E quando o Padre António Vieira diz que a maior pena a que foi condenado foi à do silêncio, eu compreendo o desespero que ele terá sentido. Tantos anos a lutar pela dita liberdade de expressão e ser julgado por isso… Afinal, se nos foi cedida essa capacidade, esse “dom”, por que não usufruirmos dessa dádiva, salvaguardando o respeito pelos outros? Vanessa Esteves -11º C

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Torneio de Abertura de Esgrima Tínhamos sido convocados para o Torneio de Abertura de Esgrima, que iria decorrer no Estádio Universitário de Lisboa, em Janeiro. Não sendo a primeira vez que era convocada, ia, no entanto, combater com espada, experiência inovadora para mim. O ambiente era de desportivismo, pelo que as minhas adversárias conversavam amenamente comigo. Quando o árbitro me chamou, fui combater. No final, o panorama não era muito animador: nesse dia, perdi dois jogos e, embora me tentasse convencer de que tinha valido a pena, pelo menos pelo divertimento, não conseguia deixar de pensar que bom, bom seria ganhar. Portanto, pensava que não tinha quaisquer hipóteses, porém, tinha-me esquecido de que não pertencíamos todos ao mesmo escalão.

RADIOACTIVIDADE: DA MORTE DE UM ESPIÃO RUSSO À ENERGIA NUCLEAR Faz este ano 111 anos que a radioactividade foi descoberta pelo cientista francês Henri Becquerel (1852-1908). Esta descoberta, quase acidental, revolucionou a ciência do século XX e tem, ainda hoje, implicações políticas, sociais e económicas. Nunca a radioactividade teve tanta importância como agora em que se discute a utilização de energias alternativas e se fala da provável exploração da energia nuclear em Portugal. Mas o que é a radioactividade? Toda a matéria que conhecemos e que nos rodeia é constituída por pequenas partículas chamadas átomos, e estes, por sua vez, são constituídos por um núcleo (com protões e neutrões) e por electrões que o rodeia. Sempre que um núcleo atómico se torna instável, por ter neutrões a mais ou a menos, o átomo torna-se radioactivo, isto é, liberta radiação espontaneamente – daí o nome. A radiação emitida pelos átomos radioactivos (também conhecidos por radioisótopos) pode ser de 3 tipos: radiação α (alfa), β (beta) ou γ (gama). Esta última é muito perigosa para os seres vivos e pode, inclusivé, alterar o código genético. papel madeira

Espessura: 0,2 mm

Foi uma experiência muito boa, não só pela classificação, mas também pelas pessoas que pude conhecer e também pelo que aprendi, em termos de tácticas para usar noutros torneios.

Maria Goreti Dias—10ºA

Portugal, país dependente da importação de energia, poderá ser autónomo se investir na construção de betão centrais nucleares, mas a tecnologia nuclear é cara e requer mão-de-obra extremamente especializada.

100 mm

Poder penetrante das radiações nucleares

Aquando das entregas das medalhas, qual não foi a minha surpresa quando me chamam para receber a medalha de 2º lugar do meu escalão - Juvenis.

Apesar dos aparentes malefícios, os radioisótopos são largamente usados na medicina, em especial como radiofármacos como a fluordesoxiglicose (com flúor-18). Estes vão emitir radiação junto do órgão ou tecido que está doente, para ajudar a que a doença ou sintoma da mesma (por exemplo, dor) melhore. Estes tratamentos são semelhantes a radioterapia interna. As radiações emitidas por núcleos têm elevada energia e essa, devidamente canalizada, serve para a produção de energia eléctrica. É essa a função das centrais nucleares. Aí, “partem-se” núcleos de urânio-235, processo denominado de fissão nuclear e que liberta elevadas quantidades de energia. No entanto, e apesar de não contribuir para o aumento do efeito de estufa, produzem-se lixos radioactivos que permanecem durante dezenas de anos e possíveis acidentes nucleares, como Chernobyl, são factores a ter em conta quando pensamos no nuclear como alternativa aos combustíveis fósseis.

Em Novembro de 2006, o espião russo Litvinenko foi assassinado por envenenamento com um elemento radioactivo – o polónio-210 (210 é a soma de todos os neutrões e protões do núcleo de um átomo de polónio). O polónio-210 existe naturalmente na Natureza e, provavelmente, todos temos um pouco de polónio dentro de nós. No entanto, é uma das substâncias mais perigosas conhecidas pelo Homem e um mero micrograma (milionésima parte da grama), pouco maior que uma partícula de pó, emitiria uma dose fatal de radiação. Apesar de perigosos, todos os dias ingerimos e inalamos elementos radioactivos que podemos encontrar na nossa água, comida e ar. Bananas, cenouras e até cerveja possuem radioisótopos como o potássio-40, o rádio-226 e o urânio-238, e, em média, uma pessoa com 70 quilogramas terá qualquer coisa como:

500 mm

Fonte de Energia Hidroeléctrica

Custos por kilowatt-hora 2-8 cêntimos

Carvão Vento Petróleo Solar térmica Nuclear Solar fotovoltaico

5-6 cêntimos 5-8 cêntimos 6-8 cêntimos 9 cêntimos 10-12 cêntimos 15-20 cêntimos

Fonte - http://www.net.orgproactive/newsroom/ release.vtml?id=18534 Custos em cêntimos de US dollar, dados de 1999

Aliás, no final da década de 70, esteve iminente a construção de uma central eléctrica em Portugal, mais propriamente, na localidade de Ferrel, concelho de Peniche, mas a manifestação de populares e ambientalistas (uma das primeiras manifestações de carácter ambiental) levou à suspensão do projecto. No ano passado, a Ingestão diária do manifestação de Ferrel fez 30 radioisótopo anos e relançou o debate sobre o 1,9 microgramas problema energético em Portugal.

Urânio-238

Massa do radioisótopo encontrado no corpo 90 microgramas

Potássio-40

17 miligramas

0,39 miligramas

Rádio-226

31 picogramas

2,3 picogramas

radioisótopo

micrograma é a milésima parte do miligrama e picograma é a milionésima parte do micrograma

6

Eis alguns dados para reflexão:

Professor Nelson Santos com o contributo dos alunos Gonçalo Baltazar, Diogo Ferreira, Jorge Silva e Mike Duarte do 10º B1


Projecto EUROPA NA ESCOLA DIREITOS E DEVERES DO CONSUMIDOR A NÍVEL LOCAL, NACIONAL E EUROPEU Realizou-se no dia 13 de Dezembro de 2006 às 10h15m uma conferência na Escola Secundária da Lourinhã subordinada ao tema “Os direitos e deveres dos consumidores” a nível local, nacional e europeu. Esta conferência teve como convidada a Dra. Natália Nunes que é técnica jurista da Associação de Defesa do Consumidor

(DECO) e responsável pelo Gabinete de Apoio ao Sobre Endividado. Participaram as turmas 10ºA, 10ºC, 10ºH, 10ºI, 10ºL e 12ºC, num total de 105 alunos e teve uma duração de aproximadamente 1h e 30m. A exposição da Dra. Natália Nunes versou temas como: os Tribunais Arbitrais na resolução de pequenos litígios de consumo; as Associações das Actividades Económicas da área alimentar; as garantias jurídicas dos consumidores; a publicidade como uma actividade parcial; os CIAC (Centros de Informação Autárquica do Consumo). Seguiu-se um período concedido ao público para colocação de questões a que a convidada respondeu detalhadamente. Prof. António Sérgio F. Francisco

ECONOMIA EM VISITA... Os alunos das turmas 11º D e 12º C participaram, no dia 8 de Fevereiro de 2007, numa visita de estudo ao Instituto Nacional de Estatística (INE), à Loja de Comércio Justo, ao Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJDELORS) e ao Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade Técnica de Lisboa. No Instituto Nacional de Estatística, a escola foi recebida pelo Dr. Alberto Pina que nos encaminhou para a sala de conferências onde proferiu uma ligeira alocução relativa à história do Instituto e sua função actual. Também foram apresentadas informações e seu tratamento a nível do concelho da Lourinhã. Enquanto isto, os alunos que, no ano transacto, tinham já visitado o INE deslocaram-se a uma loja de Comércio Justo onde puderam inteirar-se dos tipos de produtos comercializados e dos circuitos de comercialização que os mesmos atravessam. Seguiu-se uma visita ao Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJDELORS). No Centro, os alunos e professores responsáveis foram recebidos

pela Dra. Sandra Pereira. Numa aula temática, foram abordadas questões generalistas sobre a União Europeia, a saber, a sua história, o seu funcionamento, a sua integração, os seus símbolos, etc. Houve ainda tempo para algumas questões levantadas pelos alunos que foram prontamente esclarecidas pela mesma técnica superior. O almoço teve lugar na cantina da Universidade Técnica de Lisboa e foi uma oferta do ISEG. Seguiu-se uma conferência no auditório deste instituto por dois professores universitários, versando a oferta da escola, o seu funcionamento, os tipos de cursos, as várias saídas profissionais e algumas entrevistas com figuras públicas proeminentes da sociedade portuguesa. Após a conferência, realizou-se uma visita guiada às instalações, destacando-se a biblioteca (a única do género no país – totalmente informatizada e digitalizada) e a sala de informática.

BASkETBALL

No passado dia 14 de Fevereiro, várias equipas da nossa escola reuniram-se para disputar “saudavelmente” a fase de apuramento de Basketball 3x3, patrocinado pela Compal. Numa magnífica tarde em que o sol raiava graciosamente no céu límpido, as equipas constituídas por alunos da nossa escola disputaram a fase de apuramento do Torneio Compal 3x3, que daria acesso à fase local desta prova às duas primeiras equipas de cada grupo. O início dos jogos deu-se às 16.15h, nos campos de Basketball da nossa escola. Nesta fase participaram várias equipas, das quais 6 conseguiram o acesso à tão desejada fase local que se realizará na nossa escola, no próximo dia 24 de Abril. As equipas que irão representar a nossa escola na fase que se aproxima serão: os Hotdinos e os Underscode (juvenis masculinos); as XM e as Zorbenses (juvenis femininos). Como última palavra, poderemos afirmar que este torneio é, sem dúvida, um projecto de sucesso que incentive milhares de jovens em todo o país à prática de Desporto, cuja importância para a saúde humana é inquestionável. Muitos parabéns a todos os que participaram! Ricardo—10ºA

Profs. António Sérgio Francisco, Isabel Damião e Teresa Delgado

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


RESULTADOS Juniores Masculinos: 2º lugar: Telmo Fonseca; 19º: André Lourenço; 25º: Márcio Santos; 51º: Micael Costa. Juniores Femininos: 5º lugar: Tânia Primor; 21º: Márcia Santos; 24º: Luísa Fonseca. Juvenis Masculinos: 70º lugar: Carlos Isaac; 72º: Ricardo Fernandes; 80º: Mário Egídio. Juvenis Femininos: 12º lugar: Raquel Mateus; 41º: Angelina Fernandes; 55º: Ana Patrícia Costa; 61º: Cláudia Neto.

DESPORTO ESCOLAR Corta-mato 2007 Realizou-se, no dia 15 de Fevereiro de 2007, em Torres Vedras, no Parque da Várzea, o famoso Corta-mato do Desporto Escolar – Fase Oeste. Participaram aproximadamente 1500 alunos de várias escolas do Oeste, que

depois de revelar o seu potencial na sua escola ao ficarem até 5º lugar, passaram à fase seguinte. Esta fase foi disputada entre todos no referido espaço. Aí foram feitos os apuramentos para a fase nacional, mas só para os escalões de Iniciados e Juvenis, todos os outros ficam apenas pela segunda fase. A nossa escola marcou presença, tal como não poderia deixar de ser, obtendo assim os resultados apresentados na coluna à esquerda.

Associação de Estudantes Nesta primeira mensagem oficial da Associação de Estudantes (AE) a todos os alunos da Escola Secundária da Lourinhã (ESL), pretendemos antes de tudo desejar um grande ‘Olá’ a todos e agradecer também a todos aqueles que exerceram o seu voto (a AE obteve 82% de votos a favor, validamente expressos!). Para além disso, esta mensagem pretende esclarecer também que a AE não vai realizar ‘milagres’ (nenhum de nós consegue, por enquanto, caminhar sobre o mar ou transformar água em

vinho…), para além de que não vai transformar a vida dos estudantes num ‘marde-rosas’!! É importante que isto fique esclarecido nesta mensagem. Se nos julgavam capazes de algum destes feitos, pedimos desculpa. A AE pretende então desenvolver actividades capazes de fortalecer o carácter dos alunos, de forma a poder ajudar cada um a ser uma pessoa melhor, através de várias iniciativas como torneios desportivos, debates e semanas temáticas.

INICIATIVAS Passadas: - Talent Show .

A decorrer: - Torneio de Futsal; - Rádio.

Previstas: - Torneio de Volei; - Dia do Ambiente; - Baile de Finalistas; - Torneio de ‘PES’.

FESTA AE A CAMINHO! FICA ATENTO...

RESTRUTURAÇÕES

A A.E. dá os parabéns ao grupo ‘Produções #DM# Lda.’, responsável pela ‘Mega Operação Nariz Vermelho’ que invadiu as salas da ESL e as alegrou por um dia!

ENTRADAS: Teresa Cardoso —» Nova Presidente do Pelouro da Cultura. SAÍDAS: Soraia Marques —» Demissão do cargo de Vice-Presidente da Direcção da A.E.; Catarina Moura —» Transferência de Escola e consequente abandono da Presidência da Mesa da Assembleia Geral de Alunos. ALTERAÇÕES DE CARGO: Maria Antunes —» Nova Presidente da Mesa da Assembleia Geral de Alunos; Stacey Marquês —» Nova Vice-Presidente da Direcção da AE; Nádia Pedroso —» Nova Secretária da Direcção da A.E..

A ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES APOIA A COMISSÃO DE FINALISTAS E DESEJA A TODOS OS PARTICIPANTES MUITO JUIZO!

http:\\ae-eslourinha.blogspot.com

Câmara Municipal da Lourinhã 8

O Banco da Nossa Terra ao serviço da Cultura do Concelho

Clínica de Medicina Dentária Vicente Fernandes, Lda.

TEL.: 261411894

Caixa Geral de Depósitos

ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOURINHÃ


Olhar(ES) 20