Page 1

EDIÇÃO N.º 47 NOVEMBRO DE 2017 Turma Imbatível – “Aprender a ser saudável!” Pág.: 2

S. Martinho. Pág.: 2


2

São Martinho do 3.º B da Escola Frei Luís de Sousa A nossa turma participou na atividade realizada na EB 1/JI Frei Luís de Sousa no dia 10 de novembro na companhia de todos os colegas das outras turmas, dos professores e Auxiliares da escola. Ao longo da semana, pensámos e no que iríamos fazer para comemorar o São Martinho com os nossos “afilhados”, os colegas da turma do 1º ano. Ensaiámos a apresentação da Lenda de São Martinho e construímos uns marcadores de livros em cartolina, com

imagens alusivas à Lenda de São Martinho. Também fizemos e ilustrámos diversos desenhos que serviram para a construção de um cone para colocar as castanhas assadas neste dia, pelas cozinheiras da escola. EB1/JI Frei Luís de Sousa

Turma Imbatível – “Aprender a ser saudável!” promovido pela direção geral de saúde. Esta iniciativa pretendeu relembrar a importância de estilos de vida saudáveis, apelando para a importância da prática de exercício físico. As atividades dinamizadas foram muito interessantes, participámos em três estações diferentes organizadas por temas: roda dos alimentos, exercício físico, higiene oral, sono, segurança na cozinha e cadeira de valor. Olá a todos! Cá estamos mais uma vez Ficámos todos muito animados com os com novas notícias! jogos que realizámos. Os nossos preferiNo dia 16 de novembro, a nossa turma dos foram as estafetas das laranjas e participou no projeto “Turma imbatível” maçãs, a seleção dos diversos produtos

que deveríamos consumir nas refeições e referida venda ou compra numa caixa de supermercado. Para terminar em grande, recebemos uma surpresa que nos prepararam, um saquinho com fruta e uma lancheira, para podermos colocar, futuramente, os nossos lanches saudáveis! Assim, foi uma manhã diferente do habitual em que aliámos a brincadeira à aprendizagem, pois “a brincar também se aprende a ser saudável”! Até à próxima! Turma A, 3.º ano, Escola António Nobre

Estivemos Presentes No dia 14 de outubro, estivemos no auditório da Fidelidade, no IV colóquio internacional da Ajudaris, em representação da escola António Nobre. E no dia 10 de novembro estivemos presentes no auditório da sede do nosso Agrupamento, em ambos os casos, para darmos a conhecer um pouco mais do nosso trabalho na turma e na escola. No ano passado, quando estávamos

no 3º ano, tivemos algumas aulas de projeto de Português, Essas aulas de projeto surgiram com a participação do nosso agrupamento no Plano Estratégico da Promoção do Sucesso Educativo. O Caderno Vai e Vem foi uma das atividade que fizemos nessas aulas. Cada um de nós podia levar o Caderno Vai e Vem e o pinguim Plim, a nossa mascote, para casa e, sozinhos ou com a ajuda das nossas famílias, escrevíamos textos que, depois, líamos aos colegas da sala. Por exemplo, o Gustavo escreveu uma receita de um bolo que fez com a sua mãe. A Alexandra escreveu uma canção chinesa e o Tiago escreveu sobre a sua família. Outros meninos escreveram sobre outros assuntos, como o terramoto de 1755, passeios e a vida dos pinguins. Foi assim, que decidimos participar na iniciativa da Ajudaris, depois de termos ouvido o texto escrito pelo Tiago e após o termos trabalhado coletiva-

mente. Depois, tivemos a alegria de ver o nosso texto Laços editado no livro da Ajudaris, dedicado à família. Com esta iniciativa aprendemos a dar muito valor aos laços familiares, ao carinho a ao amor que temos para dar e receber. O Tiago leu o texto que enviámos para a Ajudaris e, a seguir, a Alexandra cantou a canção que partilhou na sala de aula e escreveu no Caderno Vai e Vem. Finalmente, as manas Alexandra e Cátia partilharam um momento musical e dançaram para todas as pessoas presentes. Foi um momento muito bonito e emotivo Alexandra, Gustavo e Tiago, com a colaboração da professora Fátima – 4ºA; e Cátia 3ºC – EB1 António Nobre

FICHA TÉCNICA Conceção e implementação do projeto: Ana Vilela, Lígia Arruda e Lucinda Marques (Professoras bibliotecárias do AEL) Conceção e montagem gráfica: Alexandre Rodrigues e Carla Rodrigues Periodicidade: mensal (exceto julho e agosto) Envio de artigos: viva.voz@ael.edu.pt Textos: Responsabilidade dos autores ou de quem os envia.


3

TODOS DIFERENTES, TODOS IGUAIS Mais uma vez, no âmbito do Plano Anual de Atividades, está patente no átrio do Bloco A entre 10 e 24 de novembro de 2017 uma exposição de trabalhos desenvolvidos e executados nas aulas de Expressão Plástica pelos alunos da Unidade de Ensino Estruturado para o Autismo (UEEA) da Escola Básica 2.3 Prof. Delfim Santos. Os trabalhos foram realizados em torno do tema «O Corpo e a sua Representação» A professora de EVT, Olga Silva

Magusto Como já é habitual, fizemos um magusto na escola. O dia foi pautado por animação, entusiasmo, surpresas, música e teatradas. O dia de S. Martinho começou com dramatizações, canções e danças alusivas a esta época do ano. Estas atuações foram realizadas pelos nossos mais pequenos que de forma entusias-

ta e empenhada as apresentaram aos seus colegas do 1º ciclo. Estas atividades foram muito bem recebidas pelos alunos de todas as turmas da escola que assistiram atentamente e com muito respeito às apresentações dos seus amigos do pré-escolar, aplaudindo-os e parabenizando-os de forma entusiasta e carinhosa.

E foi assim, que num clima de partilha e respeito se realizou o magusto na Escola António Nobre. Como não poderia deixar de ser não faltou o sol e as castanhas para nos aquecer. As castanhas tiveram um sabor especial ao sair de cartuchos tão originais criados pelas próprias crianças! Educadoras - EB1/JI António Nobre

Ler na Biblioteca - Diário de Anne Frank Quando abrimos este livro ficamos a conhecer as famosas palavras de Anne Frank, em 1942, quando iniciou o seu diário: "Espero poder confiar-te tudo, como nunca pude confiar em ninguém, e espero que venhas a ser uma grande fonte de conforto e apoio." O diário foi publicado pela primeira vez em 1947, há 70 anos, e tornou-se um testemunho importantíssimo e doloroso sobre a Segunda Guerra. Com a leitura deste livro vamos pensar sobre a narração e no valor histórico das palavras de Anne Frank. “Anne era considerada, pelos amigos e familiares, uma pessoa muito extrovertida. Sempre gostou de ler e escrever e, por isso, no dia em que fez 13

anos, o pai ofereceu-lhe um livro – na verdade, um caderno para colecionar autógrafos. Anne decidiu transformá-lo num diário. Começou a escrever no dia 12 de junho de 1942, o mesmo em que o pai a presenteou. No início, limitava-se a relatar as particularidades do seu dia. Mais tarde, quando a sua família foi obrigada a esconder-se no anexo, viu no diário a oportunidade de escrever algo que pudesse ser mostrado ao mundo: um romance ao qual tencionava chamar Anexo Secreto. A escrita deste diário foi forçada a terminar quando Anne foi deportada, em 1944. Todos os registos ficaram no esconderijo até a guerra acabar, no ano seguinte. Otto Frank recebeu o manuscrito das mãos de Miep Gies, uma das

pessoas que ajudou a família a manterse escondida no anexo, que o guardou com o objetivo de o devolver à própria Anne após o final da guerra. Depois de ler as anotações da filha, Otto decidiu realizar o desejo da mesma e, em 1947, revelou ao mundo o diário, que se tornou um dos mais lidos de todos os tempos”. http://www.revistaestante.fnac.pt/ anne-frank-viagem-70-anos-pelaspaginas-um-diario/ Como se comemora este ano os 70 anos de edição deste diário, a equipa da BE decidiu que esta seria a obra a ler para o Concurso Nacional de Leitura na fase de escola. Boas Leituras!!!


4

Notícia da apresentação do teatro No dia de S. Martinho, nós apresentámos aos outros meninos da escola o teatro “A Castanhinha e o Figo”. (Isabela)

Foram para o Brasil em lua de mel. (Thomas)

Nós gostámos de fazer o teatro e os meninos das outras salas também gostaram. (Afonso)

A Castanhinha casou com o Figo. (Núria)

Sala 3 do JI da EB1/JI António Nobre

História da Castanhinha apresentada aos outros meninos da Escola Havia uma Castanhinha muito vaidosa que queria arranjar um namorado, então pôs a notícia no facebook. Apareceu um grupo de maçãs que disse: - Uau! Está ali uma Castanhinha que quer casar. Vamos lá ter com ela. As maçãs aproximaram-se da castanhinha e ela perguntou: - Quem são vocês? - Somos as maçãs muito saborosas, temos casca verde e vermelha e somos muito vaidosas. A Castanhinha disse: - Ah! Não vos quero! Eu não gosto de gente vaidosa. A seguir vieram as romãs, que disseram: - Queremos nós, queremos nós! - Quem são vocês? - Somos as romãs, somos vermelhas e temos coroa. - Ah! Não vos quero! Eu é que quero ter coroa! A seguir vieram as bananas e disseram: Há aqui uma mensagem de uma Castanhinha que quer casar. Vamos lá ter com ela. - Queremos nós, queremos nós! - Quem são vocês?

- Somos as bananas, somos amarelas, somos docinhas e elegantes. - Ah! Não vos quero! Para comer tenho que tirar a casca. A Castanhinha não desistiu e continuou a cantar no facebook: - Quem quer, quem quer casar com a Castanhinha, que é muito linda e formosinha? Apareceu um grupo de marmelos. Aproximaram-se da Castanhinha e disseram: - Queremos nós, queremos nós! - Quem são vocês? - Somos os marmelos, fazemos marmelada e fazemos bem à saúde. A Castanhinha disse: - Ah! Não vos quero! Eu não quero engordar. Elas foram embora tristes e desanimadas. A Castanhinha pensou: - Vou fechar o facebook e vou ler um livro. De repente apareceu o senhor Figo, que disse:

- O que é que está a fazer? - Estou a ler um livro. - Você é muito gira e simpática. Quer casar comigo? Ela disse que sim, casaram e foram para o Brasil em lua de mel. Todos os frutos cantaram: Lá vai o Figo e a Castanhinha vão-se casar, à noite há festinha Os convidados São as maçãs, marmelos, bananas e as romãs. No fim da festa deu-lhe um anel. Foram para o Brasil em lua de mel. História contada por Diogo Moreira e Catarina e ilustrada pelo Diogo, Catarina, Salvador e Guilherme, sala 2 do JI da EB1/JI António Nobre


5

Projeto de Matemática—1.º ciclo

Uma tarefa, de matemática, na sala do 1º ano. Realizar contagens; Representar números de diferentes modos; Desenvolver destrezas de cálculo; Representar situações de subtração de diferentes modos; Expressar ideias e processos matemáticos, oralmente e por escrito.  Ouvimos a história…  Fizemos as contas e desenhámos.

Calculámos e usámos a moldura do 10.

O que os alunos pensam: Gostei da parte que o menino ficou no

sofá. (Carolina) Gostei quando fizemos contas de 10 e fui buscar o livro à biblioteca. (Bruna) Gostei quando eles entraram e saiu a girafa. (Miguel) Gostei da parte em que fizemos no quadro com a moldura do 10. (Pedro) EB1/JI António Nobre EB1/JI Frei Luís de Sousa EB1/JI das Laranjeiras

Li e recomendo... Matilde Rosa Araújo –“ História de uma flor” Recomendo o livro, porque tem uma história muito boa, que nos ajuda a perceber algumas coisas na vida e que, basicamente a flor conseguiu juntar uma família feliz e, isso é muito bom para mim. Carolina Mestre 7ºG

Mia Couto - “O beijo da palavrinha” É uma menina Chamada Poeirinha que

adorava o mar e um dia adoeceu e a única salvação era tocar no mar, mas o mar estava muito longe, então o irmão escreveu a palavra mar e a irmã tocou e ficou bem. Inês Diniz 6ºH

soa interpreta à sua maneira e não é um livro muito grande, o que dá para ler em pouco tempo. Madalena Lopes -6ºC

Ruth Almog – “Pássaro Mágico” Este livro transmite uma mensagem Rosário Alçada Araújo – muito bonita que mostra as várias de “O dia em que o meu ser feliz e de pensar com o coração. Inês Diniz 6ºH bairro ficou de pantanas” Este livro fala de uma criança que desapareceu e a D. Vitória e a mãe do menino, vão à procura dele. Passam pelo merceeiro, padeira, político, futebolistas, entre outros. A mãe esteve sempre com vinte e sete rolos na cabeça. Recomendo porque é um livro muito engraçado, que cada pes-

Receção aos alunos do 7ºano À semelhança dos anos anteriores estivemos a fazer a receção aos alunos do 7.ºano na Biblioteca Escolar (7 a 17 de novembro). Esta atividade teve a duração de 45 minutos e pensamos que será uma forma de motivação para a leitura e para o desenvolvimento da autonomia enquanto leitores e utilizadores da nossa Biblioteca. Os alunos lembraram as regras de utilização da Biblioteca nos seus espaços

diferenciados, aprofundaram um pouco mais o seu conhecimento sobre a CDU, Classificação Decimal Universal, com o vídeo que apresentamos. Ainda foram brindados com uma leitura do Diário de Anne Frank, que vai ser este ano o livro escolhido para a fase de escola do Concurso Nacional de Leitura. No final fizeram em grupo, uma pequena ficha onde mostravam os conhecimentos que adquiriram nesta ativida-

de. A equipa da BE Professor Delfim Santos


6

Os direitos das Crianças Celebramos o aniversário da Convenção da ONU sobre os direitos da Criança, no dia 20 de novembro. Neste dia, as crianças irão fazer ouvir as suas vozes em solidariedade para com as crianças mais desfavorecidas e vulneráveis do mundo. A UNICEF Portugal disponibilizou um kit com propostas de atividades."http://www.rbe.min-edu.pt/ np4/2027.html, a partir do qual, as professoras bibliotecárias selecionaram algumas das atividades e motivaram os oito professores titulares do 4º ano do agrupamento, a desenvolvê-las com os seus alunos na sala de aula

podendo depois, divulgá-las pelo agrupamento. Com esta iniciativa, a Unicef propõe que se faça do dia 20 de Novembro, um dia divertido com uma mensagem séria, onde as crianças possam “chamar a atenção para os desafios mais prementes que a sua geração enfrenta". A equipa da BE Professor Delfim Santos

Literacia 3Di

A Escola Prof. Delfim Santos participa, pela primeira vez, no Literacia 3Di, uma iniciativa da Porto Editora que este ano integra quatro áreas do saber: Matemática (5.º Ano.), Ciências (6.ºAno), Leitura (7.º Ano) e Inglês (8.º Ano). Este desafio pelo conhecimento decorre durante o ano letivo em três fases: local, distrital e nacional. As provas são interactivas e disponibilizadas através da plataforma online Escola Virtual e têm a duração de 45 minutos Entre 13 e 24 de Novembro realizou-se

a fase local e contou com a participação de 140 alunos, do 5º ao 8º ano, sendo coordenada pela equipa da Biblioteca Escolar em articulação com os professores curriculares. Contámos também com o apoio de Ricardo Andrade, consultor da Porto Editora. Com esta iniciativa, dirigido aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de todo o país, a Porto Editora é um parceiro muito importante na consolidação das aprendizagens pois permite elevar e avaliar os níveis de conheci-

Vamos ler Ciência Durante a semana da cultura científica lançamos o desafio “Vamos ler sobre ciência!” A BE organizou uma montra de livros sobre ciência com muitas sugestões de leitura e convidou os alunos e professores a lerem nas aulas, alguns textos ou excertos relacionados com temas científicos e alguns professores das áreas das ciências vieram escolher os livros mais adequados aos seus alunos. Assim, livros sobre Física, Química, Matemática, Natureza vão estar à mão pela Biblioteca, para ler, folhear, reler, ler na aula, ou levar para casa. Lembramos ainda que, o Plano Nacional de Leitura diz que "os esforços contínuos dos cientistas permitem que a nossa tecnologia funcione, que os nossos medicamentos sejam de confian-

ça. Conhecemos a natureza do nosso mundo, a vida que nos rodeia e o universo que partilhamos tudo graças ao trabalho dos cientistas". Alunos e professores aceitaram o desafio da BE. A equipa da BE Professor Delfim Santos

mento num contexto semelhante ao das avaliações internacionais. A equipa da BE Professor Delfim Santos


7

Histórias na sala Os alunos do grupo 1 do Jardim-deinfância António Nobre fizeram o reconto e a ilustração de duas histórias, “À procura de um amigo” e “O menino que não gostava de sopa” no âmbito da inauguração das atividades da biblioteca escolar neste ano letivo e do Dia

Mundial da Alimentação, ambas apresentadas pela Professora Bibliotecária e pela Enfermeira de Saúde Escolar. Educadora de Infância Esperança Moreira, sala 1

Mês Internacional da Biblioteca Escolar fizeram os marcadores de livros que foram enviados para os parceiros da Croácia e da Roménia. O trabalho foi desenvolvida nas aulas da Educação Visual da Professora Irene sobre o tema Fauna e Flora autóctone. Os marcadores ficaram muito bonitos e esperamos que os nossos parceiros possam marcar as leituras com eles. A equipa da BE Prof. Delfim Santos Os alunos do 9º C e do 9º F participaram no Bookmark Exchange Project Os alunos do 4.º B da EB1 das Laranjei-

ras apresentaram na Biblioteca os marcadores que fizeram para enviar para os seus parceiros da Hungria. A imaginação e a criatividade dos nossos alunos é notável neste projeto. Temos as escolas do primeiro ciclo todas a fazer intercâmbio com escolas de fora de Portugal. A equipa da BE Professor Delfim Santos

O presépio do 3.º B A minha turma construiu um presépio com materiais reciclados. Na sua construção utilizá-

mos quatro caixas de esferovite, algum cartão, guardanapos, tecidos, arroz, feijões, cola e tintas. Todos os meninos da turma participaram entusiasmados na sua construção, de forma que ficou muito bonito. O nosso presépio estará exposto no edifício da Câmara Municipal de Lis-

boa, no Campo Grande, a partir do dia 12 de dezembro. Convidamos todos os nossos leitores a visitarem a exposição, que é de entrada livre. Rodrigo Carriço, 3.º Ano Turma B, da EB1/JI António Nobre, trabalho realizado no Apoio

Dia Nacional da Cultura Científica O Dia Nacional da Cultura Científica foi criado em 1996 em Portugal. Foi escolhida a data de 24 de novembro para a sua celebração, pois foi neste dia (em 1906), que nasceu Rómulo de Carvalho, o professor de Física e Química responsável pela promoção do ensino de ciência e da cultura científica em solo nacional. Rómulo de Carvalho foi também poeta, sob o pseudónimo de António Gedeão. Deixamos aqui este poema em jeito de homenagem. Poema das folhas secas de plátano As folhas dos plátanos desprendem-se e lançam-se na aventura do espaço, e os olhos de uma pobre criatura comovidos as seguem. São belas as folhas dos plátanos quando caem, nas tardes de Novembro contra o fundo de um céu desgrenha-

do e sangrento. Ondulam como os braços da preguiça no indolente bocejo. Sobem e descem, baloiçam-se e repousam, traçam erres e esses, ciclóides e volutas, no espaço escrevem com o pecíolo breve, numa caligrafia requintada, o nome que se pensa, e seguem e regressam, dedilhando em compassos sonolentos a música outonal do entardecer. São belas as folhas dos plátanos espalhadas no chão. Eram lisas e verdes no apogeu da sua juventude em clorofila, mas agora, no outono de si mesmas, o velho citoplasma, queimado e exausto pela luz do Sol, deixou-se trespassar por afiados ácidos.

A verde clorofila, perdido o seu magnésio, vestiu-se de burel, de um tom que não é cor, nem se sabe dizer que nome tenha, a não ser o seu próprio, folha seca de plátano. A secura do Sol causticou-a de rugas, um castanho mais denso acentuou-lhe os nervos, e esta real e pobre criatura, vendo o solo coberto de folhas outonais medita no malogro das coisas que a rodeiam: dá-lhes o tom a ausência de magnésio; os olhos, a beleza. António Gedeão In, Poemas póstumos de Edições João Sá da Costa, Lisboa, 1983


8

9 de março - Educar para o Direito Depois do sucesso das sessões realizadas no dia 23 de novembro pela Dr.ª Paula Varandas, vamos ter a honra e o privilégio de a termos novamente na Escola Secundária D. Pedro V no dia 9 de março. Esperamos a tua presença! O parecer e as opiniões de alguns alunos presentes sairão no Trívio do 2.º período. Foram selecionadas para o dia 23 de novembro as turmas: PB da ES D. Pedro V

Museu S. Roque No passado dia vinte e oito de novembro, os alunos da turma 2 do Jardim de Infância das Laranjeiras realizaram uma atividade no âmbito do passaporte escolar, “Há animais no Museu” no Museu de S. Roque. A atividade desenvolveu-se através de um jogo de pistas sobre animais. Aquando da sua desco-

berta, ouviram uma história sobre esse animal e posteriormente foram convidadas a descobri-los nas obras de arte expostas no museu. As crianças aderiram com bastante entusiasmo e interesse as propostas dos monitores participando com alegria e empenho na execução das mesmas. A Docente, Zélia Reis

A G R U PA M E N T O D E E S C O L A S D A S L A R A N J E I R A S Escola Secundária D. Pedro V

Estrada das Laranjeira, 122 1600-136 Lisboa

direcao@ael.edu.pt

Escola EB 2,3 Prof. Delfim Santos

Rua Maestro Frederico Freitas 1500-400 Lisboa

eb23delfimsantos@mail.telepac.pt

EB1/JI António Nobre

Rua António Nobre, 49 1500-046 Lisboa

eb1antonionobre@gmail.com

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Rua Raul Carapinha 1500-042 Lisboa

escola.freiluis49@gmail.com

EB1/JI Laranjeiras

Rua Virgílio Correia, 30 1600-224 Lisboa

eb1daslaranjeiras@gmail.com

Viva Voz, n º 47, novembro 2017  

escola, agrupamento, notícias, boletim

Advertisement