Page 1

EDIÇÃO N.º 60 MARÇO DE 2019

Carnaval Pág.: 3

EB1/JI Laranjeiras

Março


2

Oferta de livros da EMEL

ES D. Pedro V

Efemérides PB da ES D. Pedro V A EMEL ofereceu livros para serem distribuídos aos alunos dos 7.º e 10.º anos. A Professora bibliotecária, após uma conversa com a Coordenadora do Departamento de Línguas e em parceria com o grupo 300, efetuou a distribuição dos mesmos em todas as aulas de Português, na semana da leitura de 11 a 15 de março. Na reunião de grupo de português, efetuada no dia 30 de janeiro, foi oferecido um exemplar a cada docente da referida disciplina. Foram contemplados 395 alunos e 17 professores.

Gostas de mim? Leva-me…

ES D. Pedro

PB da ES D. Pedro V Na Semana da Leitura que ocorreu entre 11 e 15 de março, a biblioteca da ESDPV além de oferecer os livros da EMEL a todos os alunos dos 7.º e 10.º anos (notícia de cima), fez uma banca com imensos livros, para que os alunos pudessem levar os que entendessem (alguns deles doados à biblioteca pela docente Paula Carmelo). Foi um êxito! Alunos, professores e funcionários a escolher os que queriam levar. Alguns estavam com as mãos cheias conforme se pode ver..

FICHA TÉCNICA Conceção e implementação do projeto: Ana Vilela, Lígia Arruda e Lucinda Marques (Professoras bibliotecárias do AEL) Conceção e montagem gráfica: Lígia Arruda e na sua impossibilidade Carla Rodrigues e Alexandre Rodrigues Periodicidade: mensal (exceto julho e agosto) Email: viva.voz@ael.edu.pt Textos: Responsabilidade dos autores ou de quem os envia.

Março


3

Carnaval

EB1/JI Laranjeiras

Efemérides Por 3 º B EB1/JI Laranjeiras O Carnaval foi comemorado na turma do 3ºB das Laranjeiras com bastante cor e alegria. Na sala de aula foram construídos palhaços bastante engraçados através das técnicas de dobragem, pintura e colagem. Cada criança deu largas à sua imaginação e os trabalhos ficaram sensacionais.

Semana da leitura Pela equipa da BE Professor Delfim Santos O Bloco A da nossa escola já está todo decorado para a Semana da Leitura. Baseado no tema "Hoje Leitor Amanhã Leitor" os professores de Português enviaramnos trabalhos que afixamos neste local. Os trabalhos foram as Palavras Desenhadas em que os alunos ilustravam pequenos trechos das obras escolhidas (Contos de Grimm

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos e A Viúva e o Papagaio). Os alunos do 6º B recomendaram muitas leituras e a partir da frase LER é ...escreveram frases muito inspiradoras. Também foram elaborados textos sobre a obra " A árvore generosa" em colaboração com as famílias. Foram também feitas experiências com textos dramáticos e com as respetivas personagens. As professoras que colaboraram com a equipa da biblioteca nesta exposição, foram a Professora Maria da Luz Moreira e a professora Sara Roque.

Ponto de leitura Pela equipa da BE Professor Delfim Santos

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos Na semana da Leitura a equipa da BE organizou um ponto de Leitura na biblioteca. Convidou os professores de Português e as suas turmas a virem à biblioteca organizar os sacos de poesia (sacos cheios de livros de poesia), para os alunos prepararem as suas apresentações. O ponto de leitura funcionou das 9:00h às 17:00h tendo sido realizadas 4 sessões. Participaram 13 turmas completas do 5º, 6º, 7º e 8º anos e alunos de outras turmas escolhidos pelos professores para colaborarem. Este ano tivemos também a participação dos alunos da Língua Portuguesa não Materna e fomos contemplados com leituras em muitas Línguas, em Inglês, em Francês, em Árabe, em Russo, em Chinês e em Punjabi. Foi muito enriquecedor para os nossos alunos contactarem com diferentes culturas que existem na nossa escola e aprenderem a respeitar as diferenças. No final as professoras fizeram uma surpresa aos seus alunos e leram um poema sobre o que é Ser Professor. Foram também muito aplaudidas!!!

Março


4

Leitura interlínguas - Semana da leitura

ES D. Pedro V

Efemérides PB da ES D. Pedro V e Professora Joaquina Pós de Mina Mais uma vez os alunos de PLNM estiveram na biblioteca para ler textos nas suas línguas maternas e explicar o conteúdo dos mesmos. Como se pode ver pela imagem da esquerda a variedade de idiomas foi enorme. A PB ofereceu a todos os participantes livros e terminámos com um lanche trazido pelos alunos. Esta parceria entre a biblioteca e o grupo de PLNM já dura há vários anos e é para continuar, pois os alunos sentem que as suas línguas são valorizadas.

Dia da Poesia e Dia da Árvore PB da ES D. Pedro V O Dia Mundial da Poesia celebra-se todos os anos em 21 de março. A data foi criada na 30ª Conferência Geral da UNESCO em 16 de novembro de 1999. O Dia Mundial da Poesia comemora a

ES D. Pedro V diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e da inovação. A data visa a importância da reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa. Isso porque a poesia contribui para a diversidade criativa, inferindo na nossa perceção e compreensão do mundo. Por ser também o Dia da Árvore fizemos um estendal de poemas nas árvores.

Março


5

Carnaval da sala 2

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Efemérides Educadora de Infância Cristina Araújo sala 2 do J.I. As crianças da sala 2 do JI da Frei Luís de Sousa fizeram cabeleiras e brincaram ao carnaval. Visitaram os colegas das salas 1 e 3, e também a turma do 3º A. Cantaram algumas canções alusivas à época, com o objetivo de transmitir alegria e boa disposição.

Museu Berardo Educadora Cristina Araújo – sala 2 do JI As crianças das três salas do Jardim de infância Frei luís de Sousa foram ao Museu Berardo. Visitamos as obras da Coleção Berardo e participamos na atividade “Onde tens a Cabaça”.

EB1/JI Frei Luís de Sousa Descobrimos várias partes de cada quadro, e dávamos múltiplos significados a cada forma. No final da visita juntamos todos os fragmentos de cada obra e construímos uma criatura a quem chamamos “Ovalhefante”.

Sala 2 do J.I. no Pavilhão do Conhecimento

Visitas de estudo Adoramos esta visita, aprendemos imensas coisas e participamos com muito entusiasmo.

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Educadora de Infância Cristina Araújo – sala 2 do JI As crianças da sala 2 do JI da Frei Luís de sousa foram ao Pavilhão do conhecimento, construir a casa inacabada. Realizamos um verdadeiro trabalho de grupo, gostávamos de ter terminado a casa mas não tivemos tempo. Gostamos muito de lá ir, queremos voltar.

Visita de Estudo da turma do 2º A ao Palácio Pimenta Texto coletivo elaborado pela turma do 2º A – Prof. Ana Sofia No dia 12 de março, a turma A do 2º ano, fez uma visita de estudo ao Palácio Pimenta, na companhia da professora Sofia e da professora Ana Isabel. Já no jardim do Palácio, enquanto esperávamos pela nossa guia, vimos um pavão branco. Conhecemos então

a guia, que se chamava Joana e começamos a nossa visita-oficina com o tema “Azul e Branco”. Dentro do Palácio, entrámos para uma sala onde havia azulejos pintados azul e branco e alguns de outras cores. Os azulejos tinham pinturas de animais, frutas e de pessoas. Eram muito bonitos. Depois passamos para outra sala e a Joana mostrou-nos roupas antigas, decorações e pinturas que decoravam o Palácio. Por fim, pintamos quadrados de papel,

Teatro D. Maria II Sala 1, sala 2 e sala 3 do JI Frei Luís de Sousa. Educadoras Patrícia, Cristina e Rosário No dia 28 de fevereiro as crianças do Jardim de Infância Frei Luís de Sousa foram ao Teatro D. Maria II assistir à peça "Mau, mau Lobo Mau", integrado

EB1/JI Frei Luís de Sousa como se fossem azulejos. Vamos construir um painel na sala de aula.

EB1/JI Frei Luís de Sousa no projeto Boca Aberta. Todos gostaram muito e ficaram com vontade de ver a próxima peça de teatro que se irá realizar no dia 23 de maio quando os atores vierem à nossa escola representar a peça "Falar estranhês".

Março

magem retirada de http:// www.tndm.pt/pt/atividades/mau-maulobo-mau-/


6

Visita ao mercado Por 3º B (Texto coletivo), EB1/JI António Nobre No dia dezassete de janeiro de 2019, a nossa turma (3ºB da EB1/JI António Nobre) realizou uma visita de estudo ao Mercado de Alvalade.

EB1/JI António Nobre Fomos recebidos por uma nutricionista que nos falou da alimentação saudável. Ficámos a perceber melhor que na base de uma boa saúde está uma boa alimentação. Em seguida, visitámos o espaço do mercado e explicaram-nos as características dos produtos que lá estavam e qual o contributo de cada um deles para a saúde do corpo. Adorámos a visita!

Palácio Pimenta Turma do 4ºB – Professora Célia Santos A turma do 4ºB da Escola Frei Luís de Sousa, no dia 22 de fevereiro saiu pelas dez horas para visitar o Museu de Lisboa-Palácio Pimenta sobre o tema: “Lisboa 1640”. A turma fez uma visita guiada com uma senhora chamada Ana Margarida que contou a história do Palácio Pimenta. A visita continuou com uma explicação dos momentos que anteci-

Visitas de estudo

EB1/JI Frei Luís de Sousa param a revolução, bem como os seus intervenientes, durante os anos de domínio Filipino (Filipe I, Filipe II E Filipe III) resultando na Restauração da Independência de Portugal, em 1640. De seguida assistimos a uma representação de um teatro efetuado pelo “Grupo NÓS” sobre estes mesmos acontecimentos. Quando terminou o teatro pelas doze horas e vinte cinco minutos, a turma regressou à escola. Os alunos gostaram muito e ajudou na consolidação do estudo sobre estes acontecimentos da História de Portugal.

TAP recebe al. dos C. Téc. Profiss. de Operações Turísticas e Téc. de Turismo Por Maria Alexandra T. da Costa

No dia 28 de fevereiro de 2019, os alunos das Turmas 11º12 OT e 11º12TT realizaram uma visita de estudo às instalações da TAP, Portugal. Os alunos, acompanhados também pelas professoras Ana Teixeira, Anabela Faria, Luísa Barros foram recebidos

pela amável Dra. Paula Coelho, que iniciou a visita com a explicação das instalações, o nome dos edifícios e sua respetiva função, entre outros. A visita guiada culminou na entrada no importante hangar H6, onde se realiza grande parte do processo de manutenção de aeronaves. No mesmo trabalham profissionais de excelência. É com grande alegria que os professores acompanhantes transmitem a sua enorme gratidão pela maravilhosa oportunidade, que a Tap proporcionou aos nossos alunos de turismo. Inovação, Profissionalismo, Qualidade, Segurança, são pontos a realçar ao longo da nossa visita! Muito Obrigada.

Brincar com as estrelas Por 3º ano Laranjeiras Durante o mês de fevereiro, as turmas do 3ºano das Laranjeiras realizaram visitas de estudo ao planetário. Nestas visitas, podemos observar no céu estrelado do planetário, constelações com nomes muito engraçados: ursa menor, ursa maior, guerreiro, touro, etc. Foi-nos explicado as diferentes fases da Lua, bem como os nomes que lhe são dados. Depois rumámos numa viagem aos Planetas do Sistema Solar. Aprendemos

ES D. Pedro V

EB1/JI Laranjeiras que os primeiros 4 planetas (Mercúrio, Vénus, Terra e Marte) são chamados de planetas quentes e estão separados dos outros 4 planetas (Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno) por uma cintura de asteroides. De seguida, visitámos cada um dos planetas e foi-nos explicado as várias características de cada um. No final, vimos várias imagens de locais que pareciam ser paradisíacos com águas transparentes. No entanto, quando nos afastávamos da costa e mergulhávamos nessas águas só encontrávamos lixo (plástico). Estas ima-

Março

gens alertaram-nos para a importância da reciclagem e das mudanças que temos que fazer se queremos salvar o Planeta Terra.


7

Alfabeto da arte

EB1/JI Laranjeiras

Visitas de estudo

Pela Docente, Maria Eduarda Gomes No passado dia vinte e dois de fevereiro, os alunos da turma 1do Jardim de

Infância das Laranjeiras foram a uma visita de estudo ao Museu Dr. Anastácio Gonçalves A visita teve como objetivo conhecer o museu e respetiva coleção. Ao longo

Visita de Estudo do Clube de Leitura PB da EB 2,3 Prof. Delfim Santos

A visita de estudo do Clube de Leitura foi este período ao cinema S. Jorge, para vermos os filmes da Monstrinha. A Monstrinha é um festival de animação que já se realiza em Lisboa há 18 anos.

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos

Muitas escolas aderem a este festival e participam com a sua presença no cinema S. Jorge e noutros locais destacados para este evento. Os filmes que compõem a Monstrinha apresentam assuntos e temáticas importantes para o crescimento e para o desenvolvimento de crianças e jovens. As questões do conhecimento, da amizade, da tolerância, mas também da diferença e do respeito estão presentes nas obras que foram escolhidas, apresentadas com uma grande diversidade estética e técnica. Os nossos alunos estiveram com muita atenção e gostaram muito da seleção

Viagem a Macau Ana Carolina Lopes, Iara Calheiros, Nuno Viola - alunos 11º 8 da DPV

Como alunos de Mandarim da Escola Secundária D. Pedro V fomos escolhidos para participar numa viagem a Macau com o nosso Diretor e a Drª Rosário Simões, naquela que foi o início de uma viagem única nas nossas vidas. A 7/11/2018 entrámos a bordo do avião que nos levaria rumo ao Oriente e ao aeroporto internacional de Hong Kong. Depois de algumas peripécias até ao embarque de autocarro, atravessámos

da visita participaram em jogos de associação imagem/letras do alfabe-

de filmes que nos foi apresentada. No final, como estávamos todos cheios de fome, os alunos ainda fizeram um lanchinho e retornamos depois à escola.

ES D. Pedro V a nova ponte que liga esta cidade a Macau. Foi uma oportunidade de “inaugurarmos” esta estrutura recentemente aberta ao tráfego e que poucos ainda atravessaram. Chegados a Macau, sentimo-nos imediatamente acolhidos, não só pela equipa da Escola Pui Ching que nos recebeu no Terminal Rodoviário, mas também pelo Diretor da Escola com quem jantámos nesse dia, acompanhados pelos Pais dos alunos que seriam a nossa família de acolhimento. Durante toda a semana cumprimos um programa intenso na escola e em actividades sociais de conhecimento da cidade e da sua cultura. Pudemos participar em atividades como educação visual, tecnologia, robótica, música, educação física, cultura do chá entre outras. Os nossos colegas de Macau procuraram sempre que nos sentíssemos em casa, bem como as famílias que nos acolheram com grande carinho e amizade. Tivemos, com eles, oportunidade de visitar Macau e de participar nalguns eventos lúdicos, além de experi-

Março

mentar a gastronomia local e sentir o viver dos habitantes. Visitámos também a Escola Portuguesa de Macau onde estivemos reunidos com a Direção e em que pudemos também conhecer um pouco do ensino nesta Escola Portuguesa. Fizemos novos amigos e partimos já com saudades do tempo que nos foi proporcionado pela escola.


8

Marionetes

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos Martim – Pois é, ele vai transformar-se num verdadeiro dragão! Narrador – Depois de algum tempo, o dragão começou a cuspir fogo, mas Gabriel e Martim sempre o ensinaram a não o fazer à frente de outras pessoas. Depois disso passaram-se alguns anos e, por fim, eles decidiram libertá-lo, pois ele estava a ficar muito grande. Desde então, o dragão vai visitá-los todos os dias.

Atividades

O REINO PARTIDO Lara Andrade, Maria Carlota Godinho, Maria do Carmo Ribeiro, Matilde Silva, 6.º B

David Hapetian, Diana Antunes, Igor Ferreira, Joana Casimiro, 6.º B e Prof. Maria da Luz Moreira Andámos a aprender a fazer melhor um texto narrativo. Depois juntámo-nos, em grupo, já a pensar no texto dramático…e construímos um novo tipo de texto e as respectivas personagens. Foi uma experiência muito divertida. Os meninos e o bebé dragão Narrador – Num dia de verão, o Gabriel e o Martim entraram numa floresta à noite. Decidiram explorar o interior da mesma. Entretanto, avistaram uma espécie de ovo, mas não era um ovo qualquer! Era um ovo negro, tinha umas luzes cor-derosa, pelos de cor roxa e era do tamanho do Martim e do Gabriel. Depois de o avistarem gritaram de susto, pois nunca tinham visto um ovo tão invulgar e disseram um para o outro: Gabriel – Martim, o que é isto?! Martim – Também não sei, só sei que amanhã vou voltar para observar melhor. E tu queres vir? Gabriel – Sim quero, vamos a isso! Narrador – No dia seguinte os dois meninos levaram o ovo até a casa e puseramno num sítio mais quente. Passadas duas horas, o ovo eclodiu e eles espantaramse com o que tinha lá dentro e disseram em coro: Gabriel e Martim – Meu Deus!!! É um dragão! Ele é preto e roxo, mas até é fofinho. Narrador – Os meninos ficaram com ele e tentaram fazê-lo voar e à primeira tentativa ele conseguiu. Então, o Gabriel disse: Gabriel – Ele aprende rapidamente, aposto que ele vai cuspir fogo! Narrador – E o Martim respondeu:

Narrador – Era uma vez um reino muito distante chamado Helcar, onde vivia a Rainha Helena e o Rei Carlos com os seus filhos Hugo e Carlota. Neste reino não havia modo de governar, pois um dia era de uma maneira e noutro era doutra. Os Reis nunca se resolviam. Pois aí, estava o problema e para o resolver, o Rei tinha um conselheiro para o ajudar e a Rainha tinha uma aia para a aconselhar. O conselheiro dizia sempre ao Rei: Conselheiro Robert – Rei, acho melhor assumir o trono de uma vez por todas! Rei Carlos – Tens razão, Robert! Narrador – Mas, na outra parte do castelo, a Rainha perguntava à sua aia: Rainha Helena – Clara, o que achas que devo fazer? Aia Clara – Não sei minha Rainha. Narrador – Com esta forma de governar, dia sim e dia não, o povo não conseguia ficar descansado com tantas trocas, mas depois surgiu ainda outro problema: os Reis e os conselheiros decidiram dividir o reino a meio. Um reinava um lado e outro reinava do outro. Com o reino dividido, surgiram discussões mais fortes e houve mais algazarra e o Rei Carlos e a Rainha Helena decidiram tomar uma posição em relação ao trono. O príncipe Hugo ficou responsável pelos assuntos militares importantes e pela justiça, enquanto a princesa Carlota ficou responsável pela educação, a agricultura e o comércio. Assim, o reino de Helcar ficou, finalmente, organizado e os Reis pararam com a algazarra e foram reinar para outro país. A PASSAGEM SECRETA NO CASTELO Marta Oliveira, Marta Bilhó, Martim Saraiva, Rita Araújo, 6.º B Narrador – Era uma vez uma linda princesa chamada Helena que conheceu um príncipe chamado Tibúrcio. Um dia a princesa disse:

Princesa – Ó valente príncipe! Quereis passear comigo pelo castelo? Príncipe – Claro que sim, linda princesa! Narrador – Deram várias voltas pelo castelo, até que descobriram uma passagem secreta. Príncipe – Onde será que esta passagem vai dar? Princesa – Não sei, mas quero descobrir. Narrador – Desceram as escadas e encontraram um livro de segredos sobre o Rei e a Rainha, mas quando iam abrir o livro ela apareceu. Rainha – Larguem já isso seus coscuvilheiros! Nunca vos ensinaram que não se mexe no que não é vosso? Prenda-os soldado! Narrador – Enquanto estavam na prisão, o príncipe e a princesa apaixonaram-se, mas passaram dias e dias, ali, sem ninguém se lembrar deles, até que um dia um soldado disse: Soldado – Vou tirar-vos deste sítio. Príncipe e Princesa – Finalmente! Narrador – O Rei e a Rainha foram mortos e o príncipe e a princesa casaram e viveram felizes para sempre! O PRETENDENTE DA PRINCESA Rodrigo Silva, Soraya Ally, Xavier Cláudio, 6º B Narrador – Numa tarde de verão, uma princesa estava a passear pelas redondezas enquanto pensava sobre o seu futuro. Rei – SOFIAAA, vem já para casa, já passou o teu tempo! Vem já para casa pois temos que decidir quem vai ser o teu pretendente. Princesa – Sim pai, desculpa, não vi as horas. Vou já para casa. Narrador – Enquanto a princesa ia para casa o pai já preparava e pensava como ia ser a cerimónia. Quando a princesa ia a caminho de casa encontrou um mendigo que pedia esmola. Príncipe (disfarçado de mendigo) – Minha menina dê-me, por favor, uma esmola. Princesa – Mas… mas… eu não tenho nada para lhe dar e o meu pai está à minha espera. Rei – SOFIAAA! Narrador – A princesa Sofia foi a correr para o castelo e não conseguiu dormir nessa noite de tanto pensar naquele

Continua na pág. seguinte

Março


9

Marionetes cont. mendigo que não ajudou. No dia seguinte: Rei – Bom, vamos decidir o teu futuro! Ahahahaha (ar malvado). Princesa – Pai, posso ir ao parque onde fui ontem? Prometo que volto daqui a cinco minutos. Rei – Espero bem que sim, temos de ver qual vai ser o teu pretendente. Vai lá! Narrador – Bom, o que a princesa não sabia era que o tal mendigo era, afinal, um príncipe que também estava à procura de alguém para casar e que queria uma rapariga digna, que ajudasse os outros e fosse generosa. Princesa – Olá, está tudo bem? Lembraste de mim? Sou a menina a quem pediste esmola. Senti-me muito mal por não te

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos ter, logo, dado algo e estou aqui para te conhecer. Hum… na verdade eu sou uma princesa! Príncipe – Ah, sim, lembro e então… Princesa – Eu queria levar-te para o castelo e… hum… espera… não está a ficar calor? Não achas que ficou calor nos últimos cinco minutos? Ah e por falar em cinco minutos… Já devia estar em casa! Narrador – De repente, ouviu-se um rugido e apareceu um dragão a cuspir fogo. Príncipe (tira o disfarce e luta contra o dragão). Rei – SOFIAAA! (grita). Narrador – O rei ficou espantado ao ver a luta e pensou: Rei – Ó Meu Deus! Aquele rapaz é perfeito para a casar com a minha filha!

Projeto dos Dinossauros – Sala 1 JI

Atividades Narrador – Enquanto decorria a luta entre o dragão e o príncipe, este decidiu atirar um gelado, mesmo gelado, para a boca do dragão para ele parar de cuspir fogo. Príncipe – Ah ah! Agora já não consegues cuspir fogo! Dragão – Não gozes comigo! Príncipe – Então não cuspas fogo e não me magoes e assim podes ser o meu animal de estimação! O que achas da ideia? Narrador – Desta forma, o Rei conseguiu arranjar o pretendente perfeito e viveram todos felizes para sempre.

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Educadora Patrícia – Sala 1 No dia 14 de fevereiro a sala 1 do Jardim de Infância Frei Luís de Sousa finalizou o Projeto dos Dinossauros com uma exposição aberta às famílias e aos colegas da escola. A exposição foi um sucesso todos gostaram de ver os trabalhos realizados e ouvir as explicações das crianças. Puderam ainda assistir a uma experiência do vulcão.

Projeto “ Os Peixes” da sala 2 do JI Educadora de Infância Cristina Araújo – sala 2 do JI Na sala 2 do JI da escola frei Luís de Sousa desenvolvemos um projeto sobre os peixes. Como aprendemos tantas coisas sentimos necessidade de transmitir aos nossos colegas o que pensamos ser o mais

EB1/JI Frei Luís de Sousa

importante. Convidamos os colegas da sala 1 e 3 , assim como o 3º A, para assistirem à apresentação do nosso projeto. Estávamos tão animados com todas as aprendizagens que a Antónia e o Guilherme trouxeram dois peixes e aquários.

Mass Training em Suporte Básico de Vida, Pelos alunos do Curso Profissional TAS (Técnico Auxiliar de Saúde) A Escola Secundária D. Pedro V acolheu mais uma sessão de “Mass Training” em Suporte Básico de Vida, promovido pelo INEM e Escola, em colaboração com os alunos do curso profissional de Técnico Auxiliar de Saúde. Desta vez foi dirigido a alunos do 12ºano, sendo que a primeira edição foi dirigida a alunos dos 9ºanos. Tratou-se de uma formação coordenada por formadores do INEM, bastante interativa. E que teve como objetivo capacitar os alunos perante uma situação de emergência, ensinar os participantes a atuar em situações de emergência médica, designadamente, aprender a realizar corretamente manobras de reanimação. Num primeiro

ES D. Pedro V

momento, os participantes ouviram uma breve apresentação teórica sobre o SBV e depois foram distribuídos em pequenos grupos pelos diferentes formadores. Posteriormente, foi visionado um vídeo com a demonstração das manobras de reanimação a executar. E por último, os participantes tiveram de realizar vários exercícios práticos das manobras em manequins, como suporte básico de vida e posição lateral de segurança. Esta ação de formação capacita a população para uma abordagem diferente em situações de emergência, nomeadamente de paragem cardiorrespiratória.

Março


10

eTIMSS Por PB da ES D. Pedro V e M.ª Albertina Crespo A turma 8.º 1, da Escola D. Pedro V, participou pela primeira vez no estudo internacional eTIMSS 8 2019 (Trends in Mathematics and Sciences Study) dirigido a alunos do 8º ano de escolaridade, no dia 11 de março de 2019, durante o período de aulas, no turno da tarde. O TIMSS é um projeto de investigação educacional promovido pela Internati-

ES D. Pedro V onal Association for the Evaluation of Educational Achievement (IEA) que se realiza desde 1995 e de quatro em quatro anos. Mede a evolução dos desempenhos em matemática e em ciências dos alunos de mais de 60 países e estuda as diferenças entre esses sistemas educativos. Tem como objetivo melhorar o ensino e a aprendizagem da matemática e das ciências e contribuir para a melhoria das práticas letivas em todo o mundo. No Manual de Aplicação do eTIMSS

Quinta Pedagógica dos Olivais Por EB1António Nobre, 2ºA

Somos a turma do 2º A da Escola António Nobre e no dia seis de fevereiro fomos à Quinta Pedagógica dos Olivais para sermos “ Veterinários por uma hora”.

Assim que chegámos à Quinta entrámos no consultório e vestimos a bata de veterinários. O doutor Augusto trocou algumas informações connosco sobre as caraterísticas das aves e dos mamíferos. De seguida, tivemos a oportunidade de observar, tocar e auscultar alguns animais. Concluímos que as penas das galinhas são muito macias e que os coelhos têm de ser pegados com alguns cuidados. Quando auscultámos os corações dos coelhos concluímos que era bastante acelerado.

A equipa da BE está a realizar uma oficina para todos os 8ºanos da nossa escola. Os principais objetivos desta oficina têm a ver com a Literacia da Informação, a forma como os alunos pesquisam, organizam a informação, o que são os direitos de autor, o que é o plágio, como construir um trabalho e como fazer referências bibliográficas. Esta oficina é considerada de grande utilidade pelos nossos alunos e professores. A partir desta formação os alunos ficam mais conscientes e responsáveis quando pesquisam, usam a infor-

Esta visita foi muito interessante e aprendemos muitas coisas sobre estes animais. A Quinta é um espaço muito agradável, aconselhamos todas as pessoas a visitá-la.

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Durante o segundo período, depois do aluno Manuel Moreno ter sido transferido para uma escola do Algarve, os alunos da turma do 2.º ano B escreveram-lhe. As saudades do amigo eram muitas e tiveram necessidade de lhe contar as suas novidades e demonstrarem o seu carinho. Para a elaboração das cartas, envelope que cada aluno fez e respetiva ilustração, contaram com a ajuda da professora Ana Isabel que dinamiza o projeto Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE) e do professor André Godinho.

Oficina da literacia da informação Pela equipa da BE Professor Delfim Santos

vem a indicação para a escola disponibilizar "material de leitura para os alunos que terminarem o teste mais cedo". Assim, a biblioteca facultou 30 livros adequados a este nível de escolaridade, no dia 11 de março, em parceria com a coordenadora do projeto na ES D. Pedro V, M.ª Albertina Crespo.

EB1/JI António Nobre

Uma carta para o Manuel Moreno Por 2.º Ano Turma B, Escola Frei Luís de Sousa, Professor André Godinho

Atividades

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos

mação e constroem trabalhos. Os trabalhos a partir deste momento vão ser feitos com mais qualidade, mais completos e sem copy paste!

Março


11

Do you like to read? Pela equipa da BE Professor Delfim Santos

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos A Associação de Pais ofereceu alguns livros adequados ao nível etário dos nossos alunos, escritos em Língua Inglesa. A equipa da BE, aproveitou a oportunidade para fazer uma mostra dos livros mais interessantes, em Inglês, que temos na Biblioteca. Os nossos alunos cuja língua materna não é o Português ficaram muito con-

Avaliação da biblioteca

A biblioteca seria melhor se... Tivesse melhor internet Tivesse mais espaço A internet não falhasse tanto, o horário fosse mais regular e se os filmes fossem mais actualizados. Houvesse melhores livros e em melhores condições.

Tivesse melhores computadores. Os computadores e a internet tivessem qualidade e a biblioteca estivesse disponível quando necessário. Fosse mais fácil encontrar livros, se a internet fosse um pouco “mais forte”, se os computadores fossem mais recentes. Tivesse aberta durante mais tempo e os livros não fossem tão velhos. Estivesse aberta mais horas por dia. Tivesse mais livros não só relacionados com a escola e mais espaço para que pudessemos ficar à vontade na biblioteca. A internet fosse melhor e os computadores mais rápidos. Eu acho que está bem. Estivesse mais tempo aberta. Tivesse um horário mais adequado de acordo com a disponibilidade dos alunos.

Projeto Ciências Experimentais Pelo 3º ano Laranjeiras Durante o 2º Período, as turmas do 3ºano da E.B.1das Laranjeiras estudaram as plantas e nada melhor do que colocar em prática os seus conhecimentos através de experiências relacionadas com o tema. Assim, no decorrer do Projeto das Ciências Experimentais analisaram diferentes sementes, de forma a descobrirem qual o seu nome, a sua utilidade, bem como a época de sementeira e de colheita. Depois, as sementes foram colocadas em copos com terra e passado alguns dias germinaram e foram

tentes e já requisitaram, pela primeira vez e com muito orgulho, livros da biblioteca. Os nossos alunos portugueses requisitaram também para se preparem melhor para a disciplina de inglês.

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos

Pela equipa da biblioteca

A nossa biblioteca está a ser avaliada pela direção, pelos professores, pelos Encarregados de Educação e pelos nossos alunos. Temos uma amostragem de 10% dos nossos alunos que estiveram presentes na biblioteca e realizaram a avaliação on-line nos dias 25,26 e 27 de fevereiro. Esta avaliação vai permitir-nos melhorar o nosso desempenho e apreciamos muito as sugestões que os alunos enviaram e que claro são anónimas.

Atividades

Tivesse pessoas permanentemente na biblioteca. Tivesse uma ligação à rede melhor. Tivesse mais obras de referência. Tivesse obras estrangeiras nas suas línguas originais. Difundisse melhor todos os interesses. Estivesse mais organizada. Tivesse mais objectos e/ou actividades para promover o interesse para a biblioteca. Tivesse um ou mais instrumentos musicais para promover essa área. Devia haver mais jogos lúdicos e/ou de tabuleiro, Ex:. Monopólio, jogo da glória... Tivesse uma melhor ligação à internet. Tivesse mais exemplares dos livros que são de leitura obrigatória para os vários anos para evitar que quando um aluno os fosse requisitar houvesse sempre exemplares para evitar que os tivéssemos que comprar. Tivesse mais actividades promovidas pela biblioteca para promover a leitura por parte dos alunos com a colaboração dos professores porque por si mesmos os alunos podem não querer vir embora pudessem gostar da actividade. Ter computadores e teclados melhores. Não sei o que poderia melhorar…” Obrigada a todos pela vossa colaboração!

EB1/JI Laranjeiras posteriormente transplantadas para a horta da escola. Ainda durante o estudo deste tema, realizaram uma experiência sobre pigmentos naturais (ervas, açafrão, café, etc). Utilizaram estes pigmentos para pintarem livremente. Deste modo, os alunos compreenderam todas as características das plantas e a melhor forma de as distinguirem.

Março


12

Ler Quando leio, vou parar ao mundo da imaginação, onde tudo é possível e imagino a história que leio. Quando estou a ler o Geronimo Stilton imagino as suas aventuras. Rodrigo Silva, 6.º B Quando leio, crio palavras e penso em animações. Quando leio, lembro-me das cores das flores e ler faz-me conseguir cheirá-las. Quando leio, consigo sentir o toque, levezinho, do vento a soprar. Joana Pan, 6.º B Ler é bom porque ajuda- -nos a ler melhor e a aprender vocabulário. Ler é viajar – e depois temos sempre mais ideias para escrever um texto. Rita Araújo, 6.º B Ler é ter sede de conhecimento. Querer descobrir coisas e pôr mais ideias na cabeça. Quando leio algo interessante não o consigo tirar da cabeça. Um livro divertido, interessante ou atual, atualiza o meu conhecimento e desenvolve-me. Beatriz Monteiro, 6.º B Ler é um momento mágico em que desligamos a mente e entramos noutra realidade e em que o nosso mundo não existe. Ler é como ter e viver aventuras e histórias fantásticas, em pessoa. Artur Mendonça, 6.º B Quando leio, acho que entro noutra realidade e que imagino tudo o que acontece. Quando leio, sinto-me calmo, como se estivesse num ambiente agradável. Artur Mendonça, 6.º B Quando leio, imagino a história, o drama, a aventura,… Por vezes sinto-me triste, contente, animada ou furiosa com o que leio. Vivo a história ao mesmo tempo que a leio. Penso como seria se fosse na vida real e se acontecesse comigo. Ler é importante. Tanto faz qual é a leitura. Vale sempre a pena, se eu conseguir imaginar e viver a história. Matilde Silva, 6.º B

EB 2. 3. Prof. Delfim Santos Quando leio imagino-me numa das personagens e sinto as emoções dela como se fossem minhas. Depois imagino os espaços e parece que estou mesmo lá e, nesses momentos, acho que aquilo não é uma história, mas sim, a realidade. Joana Casimiro, 6.º B Quando leio sinto que entrei dentro da história e que passei a ser uma das personagens. Sinto que já não estou neste mundo e que me teletransportei para o mundo onde a história acontece. Os meus problemas desaparecem e sou uma NOVA pessoa. Xavier Cláudio, 6.º B Quando leio sinto-me livre como as aves a voarem no horizonte do paraíso. Sinto-me bem. Parece que também voo com as aves, num tempo infinito, num mundo infinito: só eu, as aves e o mundo à minha volta. Marta Oliveira, 6.º B Ler é viajar, aprender, descobrir novas coisas, aprender com as experiências dos outros. Viajar para a história, entrar dentro de uma personagem… Quando leio, sinto-me tranquila e relaxada. Por vezes até me concentra e a tarefa que seguinte é feita com maior concentração e até parece que tenho mais uma ajuda. Soraya Alli, 6.º B Quando leio, imagino a estória que leio. Levo-me na aventura e sinto-me relaxado. Se tiver uma sequência, quero ler o próximo livro e depois o próximo. Quando leio, sinto-me feliz. Duarte Pena, 6.º B

Ler é encantador. Aprendemos a compreender melhor algumas palavras. Faz-nos imaginar a história como se estivéssemos a vivê-la. É por isso que adoro ler. Maria Carlota, 6.º B

Ler é bom para a memória e é o passatempo que mais se deve fazer. Deve ler-se muito para ficarmos com muitas ideias e para fazer evoluir a mente. Quando leio, acho que quero parar com o que estou a fazer, mas depois, quando continuo a ler, fico a gostar do que estou a fazer e até começo a achar o livro “fixe”. Fico com mais imaginação. Filipe Pereira, 6.º B

Quando leio, entro num mundo diferente, cheio de imaginação. Ler é relaxar, sair do nosso mundo e visitar o mundo da história. Se alguém me chamar quando estou a ler, quase não ouço, porque é como se não estivesse lá. Lara Antunes, 6.º B

Ler é compreender o mundo e os outros e entrar na imaginação e na criatividade. É saber. É saber mais. Ler é estar bem comigo e com os outros. Lara Andrade, 6.º B

Março

Atividades Quando leio parece que estou dentro do livro e viajo dentro dele. Sinto a história, como se estivesse a ver um teatro ou um filme. É fantástico. Marta Bilhó, 6.º B Ler é bom. Ler é a melhor coisa que podemos fazer quando estamos sozinhas ou tristes. Ler faz bem à nossa mente, pois aprendemos palavras e coisas novas. Maria do Carmo Ribeiro, 6.º B Ler é como se eu estivesse num espaço onde tudo é vazio e tudo fica cheio e bonito, com cores. É como se a nossa mente abrisse e a imaginação e fluísse como um arco iris de emoções fictícias. Igor Ferreira, 6.º B Quando leio sinto algo na minha imaginação. É como se ela rebentasse e o mundo à minha volta não tivesse mais nada, a não ser um vazio, onde eu construía, com a imaginação, o que eu quisesse, quando eu quisesse. Igor Ferreira, 6.º B Ler é divertido. É bom para a saúde do Homem. Faz abrir a mente para novas e divertidas ideias. Conhecemos mais histórias, de ação, de terror … e há-as para todos os gostos. A leitura faz-nos bem. Gabriela Roda, 6.º B Quando leio, sinto que sei mais do que os outros. Também sinto que passei por momentos difíceis, mas que fiquei com mais vocabulário e sei mais do que antes. Frederico Mariano, 6.º B Quando leio, sinto-me dentro da história e como se estivesse a viver os momentos da história. Por vezes identifico-me com a história, porque já me aconteceu ou já aconteceu a alguém. Ália Kadiwar, 6.º B Ler é um exercício de concentração e aprendizagem onde se recolhe informação. Ficamos também a saber mais. Também é divertido ler com amigos. David Hapetian, 6.º B Quando leio, imagino as histórias, as personagens o espaço, … tudo. Também imagino como seriam na vida real, como por exemplo, se me aparecesse o Tarzan à frente… Miguel Lameirinhas, 6.º B


13

Ter para os alfinetes Por PB da ES D. Pedro V

Significado: Ter dinheiro para viver. Origem: Em outros tempos, os alfinetes eram objeto de adorno das mulheres e

ES D. Pedro V daí que, então, a frase significasse o dinheiro poupado para a sua compra, porque os alfinetes eram um produto caro. Os anos passaram e eles tornaram-se utensílios, já não apenas de enfeite, mas utilitários e acessíveis. Todavia, a expressão chegou a ser acolhida em textos legais. Por exemplo, o Código Civil Português, aprovado por Carta de Lei de Julho de 1867, por D. Luís, dito da autoria do Visconde de Seabra, vigente em grande parte até ao Código Civil atual, incluía um artigo,

Expressões o 1104, que dizia: «A mulher não pode privar o marido, por convenção antenupcial, da administração dos bens do casal; mas pode reservar para si o direito de receber, a título de alfinetes, uma parte do rendimento dos seus bens, e dispor dela livremente, contanto que não exceda a terça dos ditos rendimentos líquidos.»

Arco na Praça de Espanha Por PB da ES D. Pedro V

ES D. Pedro V Por que é que há um arco no meio da Praça de Espanha?

Curiosidades

O arco que está no meio da praça fa- até 1998, ano em que um gigante apaizia parte do Aqueduto das Águas Livres xonado por Legos o devolveu à sua e estava na Rua de São Bento. Foi des- forma original. montado aquando de umas obras de remodelação, em 1938, e esteve espalhado na rotunda da Praça de Espanha

Diana Madeira Por Elisabete Antunes Diana Madeira, investigadora de pósdoutoramento no laboratório BioTox da UCIBIO, antiga aluna de doutoramento da FCT NOVA e da Escola Secundária D. Pedro V, foi distinguida com uma Medalha de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, em 2019. O prémio foi atribuído pela comissão nacional da Unesco, a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a L'Oréal Portugal, que distingue projetos no domínio das ciências, engenharias e tecnologias para a saúde ou para o ambiente. O projeto em que está envolvida tem como objetivo perceber como os or-

Escola Secundária D. Pedro V

ES D. Pedro V ganismos marinhos respondem às alterações climáticas e à poluição, ao longo das gerações.

Estrada das Laranjeira, 122 1600-136 Lisboa

Informações

direcao@ael.edu.pt eb23delfimsantos@mail.telepac.pt

Escola Básica 2. 3. Prof. Delfim Santos EB1/JI António Nobre

Rua António Nobre, 49 1500-046 Lisboa

eb1antonionobre@gmail.com

EB1/JI Frei Luís de Sousa

Rua Raul Carapinha 1500-042 Lisboa

escola.freiluis49@gmail.com

EB1/JI Laranjeiras

Rua Virgílio Correia, 30 1600-224 Lisboa

eb1daslaranjeiras@gmail.com

Março

Profile for ES D. Pedro V

Viva Voz, n.º 60, março 2019  

escolas, agrupamento, boletim

Viva Voz, n.º 60, março 2019  

escolas, agrupamento, boletim

Profile for esdpv
Advertisement