Issuu on Google+

Janeiro 2010 - Ano 1 - Número 5

Semestre é encerrado com encontro de avaliação Reunião realizada em 11 de dezembro, na sede do Singrafs, foi utilizada pelos participantes para afinar ideias e tirar dúvidas dos participantes O último encontro de 2009 do APL (Arranjo Produtivo Local), promovido pelo Singrafs (Sindicato das Indústrias Gráficas do Grande ABC e Baixada Santista), em parceria com o Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), aconteceu em 11 de dezembro, sexta-feira, na sede do Singrafs, em Santo André, e foi utilizado pelos participantes para afinar ideias e tirar dúvidas dos participantes.

Os participantes estavam atentos para tirar suas dúvidas na última reunião do ano do APL

“O APL contribuiu muito para a comunicação interna. O mais importante para uma empresa são as pessoas, deve-se ficar atento, pois, são elas que nos representam. Descobri que empresa não é só maquinário.” Júlio César Slanzon

“Antes do treinamento A+E, os grupos funcionavam de forma independente, agora vamos expor as ideias de forma coletiva.” António José Simoes Vieira


maneira mais ampla e expor suas ideias coletivamente. De acordo com António José Simões Vieira Gameiro, o Tonzé: “Antes do treinamento A+E, os grupos funcionavam de forma independente, agora vamos expor as ideias de forma coletiva”. Agora, cada grupo deve eleger um mentor, uma personalidade de destaque na mídia, que terá a função de passar sua experiência profissional e de mercado e possivelmente

Desenvolvimento Empreendedor. Composto por módulos, o treinamento tem a função de modificar a visão e área de atuação das empresas, proporcionando maior rentabilidade e propagação para seus negócios. Durante os encontros do APL, os participantes se reuniram em grupos caracterizados pelas cores azul, verde, vermelho e amarelo. Eles abordaram temas de extrema importância do ambiente trabalho como: valores, missão, foco, liderança e mercado. O APL mostra que, dentro de uma empresa, diversos fatores influenciam no processo produtivo e na correlação entre maquina e colaborador. Neste último encontro do semestre, os participantes começam a visualizar o mercado de uma

ser convidado para participar dos encontros do APL. Os grupos elaboraram cartas que foram enviadas a pessoas de notória projeção no cenário econômico e político do Brasil. “O APL contribuiu muito para a comunicação interna. O mais importante para uma empresa são as pessoas. Deve-se ficar atento, pois são elas que nos representam. Descobri que a empresa não é só maquinário”, diz Júlio César, da PlanArt. Outro ponto forte trabalhado no APL foi o modo de enxergar na concorrência um aliado nos negócios (sobre este mesmo tema leia a entrevista com o presidente do Singrafs, Adriano José de Souza Assis).

EXPEDIENTE

O APL Singrafs/Sebrae-SP completou seis meses de atividades em dezembro. O APL busca exercitar o trabalho coletivo, trocar informações e potencializar a competitividade dos empresários. Nesses seis meses, o programa do APL forneceu como suporte principal o treinamento A+E – Atitudes Empreendedoras, ministrado pelos irmãos Mauro e Marcos Lopes, que dirigem a Sociedade Brasileira de

2

Choque comportamental Para alguns dos que já participam do projeto, o APL começa a apresentar resultados, em 2009, ao colocar em prática os ensinamentos aprendidos em sala. Alessandro Coelho, da NSC Reproduções Gráficas, diz que o APL já traz benefícios ao cotidiano de sua empresa: “Comecei a aplicar o conceito de equipe e empresa de corpo, mente e alma. Essa mudança é mais comportamental do que estrutural e passa por valorizar mais as pessoas, incentivar a iniciativa e comprometimento, delegar. Isso é um choque. Muitos não estão acostumados a essa liberdade e acabam sendo menos produtivos ou responsáveis, quando o resultado desejado é justamente o contrário. O desafio é o grande estimulo para novas realizações”, afirma Alessandro. Ao trabalhar o companheirismo e situações reais de dificuldades no ambiente empresarial, algumas reuniões do APL colocam o empresário em um laboratório, com oportunidade de tirar dúvidas e aprender com os demais. “Existiu muita troca nos encontros, nos trabalhos dentro dos grupos e nas apresentações destes trabalhos. Como exemplo de soluções compartilhadas, posso citar problemas de envolvimento dos colaboradores e atitudes tomadas frente a erros de produção”, conta Alessandro.


Adriano José de Souza Assis: “Agentes econômicos apontam para crescimento de 6% em 2010” Sobre o APL: “Seus integrantes deixaram de se olhar como concorrentes ou inimigos; e passaram a enxergar no colega um possível parceiro de negócios” O presidente do Singrafs, Adriano José Assis, diz que os agentes econômicos apontam para 2010 no Brasil como um ano de crescimento. “Os mais otimistas já falam em algo por volta de 6%.” Segundo Adriano, com estabilidade dos juros em 8,75 %, um viés de baixa (caso a inflação fique estabilizada), e ainda o patamar da paridade do dólar com o real em R$ 1,75, são indicadores fortes, em um ano de eleições. Para alguns analistas, diz o presidente do Singrafs, não importa se o candidato A, B ou C for o vencedor. “A situação econômica irá se manter

inalterável, independente de quem seja eleito presidente.” Essa situação estável é muito boa para o APL, avalia Adriano: “Como será um ano em que as ações do APL serão voltadas para além da formação dos empresários, a capacitação de suas plantas de produção e a estabilidade permitirão ao empreendedor ter mais condições de planejamento e aferição das metas estabelecidas em seu planejamento”. Adriano prossegue: “Particularmente, permitirá uma maior dedicação dos mesmos ao APL sem preocupar muito em correr o tempo todo para apagar os incêndios dos tempos de instabilidade.”

Roberto Cortez, da Planform; Rosana Siqueira Correa, da Fit Graphics; Julio Cesar Slanzon, da Plan Art; Edneide Cortez, da Planform; Alessandro Coelho, da NSC; Odair Paulino da Pauligraf; Sergio de Almeida Aguiar, da Art Graphic.

“Já comecei a aplicar o conceito de equipe e empresa de corpo, mente e alma. Essa mudança é mais comportamental do que estrutural e quando o resultado desejado é justamente o contrário, pois o desafio é o grande estimulo para novas realizações.” Alessandro Coelho

3

Aliados nos negócios De acordo com o presidente do Singrafs, em 2009, os empresários do grupo APL reuniram-se para ampliar seus conhecimentos na área comportamental, tendo como objetivo a sua integração. “A percepção maior dessa mudança está no relacionamento. Os integrantes do APL deixaram de se olhar como concorrentes ou inimigos; e passaram a enxergar no colega um possível parceiro de negócios.” Outros pontos positivos do APL, segundo Adriano, são: 1) a definição dos negócios, com rentabilidade planejada, 2) foco no cliente, 3) multiplicação da capacidade da planta fabril, 4) e metas de confiança, “uma palavra muito forte para o empreendedor gestor”. Adriano comenta que apesar da fase inicial de aplicação dos conceitos em que o grupo se encontra, “já temos noticias de negócios feitos entre os mesmos, antes mesmo de iniciar as ações do APL para tal fim, o que sem dúvida é um fato positivo”. E o presidente do Singrafs finaliza: “Espero que o grupo do APL possa assim alcançar as metas que estamos estabelecendo em 2010 e possa ainda já começar a gerar novos negócios em novas parcerias, que realmente são a mola impulsionadora deste APL”.

“A ideia é aplicar todo o aprendizado, que foi excezpcional, mas, a gente acaba aplicando muita coisa no dia a dia da empresa e até na vida pessoal, conforme os acontecimentos ou eventos ocorrem de forma natural, pelo fato de termos adquirido conhecimento que não fazia parte do nosso cotidiano.” Odair Paulino


Entrevista com Odair Paulino: Dentro de sua empresa, o que o sr. já aplica ou planeja aplicar algo que foi aprendido no APL? A ideia é aplicar todo o aprendizado, que foi excepcional, mas, a gente acaba aplicando muita coisa no dia a dia da empresa e até na vida pessoal, conforme os acontecimentos ou eventos vão ocorrendo. Muitas vezes, isso ocorre até de forma natural por termos adquirido conhecimentos que não faziam parte de nosso cotidiano. Quais foram os resultados obtidos com este programa? O conteúdo ainda não foi todo apli-

cado, então, ainda não posso aferir resultados na empresa. Posso afirmar que o crescimento pessoal, com o aprendizado do curso, mais a troca de experiências e de conhecimentos entre os integrantes do APL foram muito interessantes. Tive também um ganho substancial em nível pessoal. Existiu algum encontro no qual o sr. visualizou uma situação real dentro de seu ambiente de trabalho? Sim, em muitas oportunidades. No dia a dia, as dificuldades das empresas são muito parecidas, quando envolve parte técnica e conhecimento especifico da área gráfica. Pudemos

notar como o empresário gráfico é criativo e acha saídas para resolver todo tipo de dificuldade. O que o sr. espera do APL para 2010? O que sempre nós da diretoria da Assingrafs/Singrafs tivemos em mente, desde o embrião de sua criação: união, força, representatividade e, principalmente, que as gráficas do APL se tornem cada vez mais empresas lucrativas.

“Apesar da fase inicial de aplicação dos conceitos que o grupo se encontra, já temos noticias de negócios feitos entre os mesmos antes mesmo de iniciar as ações do APL para tal fim, o que sem dúvida é uma ótima notícia.” Adriano José Assis

AGENDA

As discussões do APL não param nem durante o coffee break

4


Informativo APL Jan 2010