Page 1

Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

1


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

EDITORIAL Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo

Luís dos Santos Pires - Diretor da EPPU | Ao longo dos seus 27 anos de existência, a Escola Profissional Prática Universal sempre teve uma visão clara do caminho a percorrer e uma missão bem definida, centrada na organização da formação segundo as mais inovadoras metodologias pedagógicas e os mais elevados padrões de exigência e qualidade, por forma a garantir uma mais fácil e qualificada inserção no mundo do trabalho ou ingresso no ensino superior. A longa experiência da nossa Escola, associada ao princípio da melhoria contínua que sempre presidiu à sua ação e absoluta necessidade de disseminar as boas práticas, levou a EPPU a implementar o Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade na Educação e Formação Profissional (Quadro EQAVET), um sistema de gestão da qualidade instituído pela recomendação do Parlamento Europeu. Com a assunção destes princípios orientadores, a Escola ganha em eficácia, estando particularmente atenta aos indicadores de desempenho a atingir em matéria de educação e formação, que vão no sentido de aproximar Portugal das metas previstas na Estratégia 2020 preconizadas pela União Europeia. Mesmo que os tempos sejam algo conturbados, a nossa Escola procura ter a necessária clarividência para adequar a sua oferta formativa ao diagnóstico de necessidades de formação ao nível local. Por outro lado, para fazer face às novas exigências do mercado de trabalho, a Escola tem vindo a apostar na preparação e melhoria das competências dos seus alunos, contando presentemente com uma vasta experiência em matéria de organização de estágios. Assim, todo este Know-how acumulado na qualificação profissional de jovens, aliado a uma filosofia de estreita correlação entre a Escola e as instituições locais de vários ramos de atividade, tem vindo a contribuir significativamente para o desenvolvimento do tecido empresarial e institucional envolvente. Deste modo, a formação profissional de técnicos intermédios de Nível IV constitui um fator de sucesso, na medida em que cada vez mais alunos são convidados, ainda no decorrer do estágio, a fazer parte dos quadros da empresa onde realizam a Formação em Contexto de Trabalho. Na atualidade, para continuar a afirmar-se pela sua qualidade diferenciadora, a nossa Escola encontra-se devidamente apetrechada com recursos materiais adequados e um corpo docente devidamente qualificado, anualmente avaliado pelos alunos através de inquéritos.


2


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

ÍNDICE Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo 


VISITAS DE ESTUDO 4

AULA EM CONTEXTO DIFERENCIADO CARICATURA DOS CURSOS

12

RASTILHO MATEMÁTICO

13

11

PERSPETIVAS — COORDENAÇÃO DE CURSO

14

AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO PROJETOS

15

17

EVENTOS PROFISSIONAIS OPINIÃO

19

23

SABIAS QUE...

31

PAP FCT

32 33

PRÉMIO MUSEU DO ABADE DE BAÇAL JANTAR DE NATAL

35

TORNEIO DA FUNÇÃO PÚBLICA

36

ATIVIDADES DESPORTIVAS

34

37

FEIRAS: PARTICIPAÇÃO

38

GARANTIA DA QUALIDADE

39

3


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

VISITAS DE ESTUDO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Introdução "(...) as visitas de estudo ajudam a moldar positivamente a personalidade dos jovens alunos (...)" ... em Bragança Agência de Viagens Abreu; Centro de Arte Contemporânea Graça Morais; Centro de Fotografia GEORGES DUSSAUD; Galeria História e Arte; Hotel Shalom; Inatel; Jornal Nordeste / Rádio Brigantia; Museu Abade de Baçal; Mosteiro Beneditino de Castro de Avelãs; Sessão literária sobre Miguel Torga.

Vila Real — Curso de DD3D À descoberta da realidade virtual 3D Lisboa — Curso de Turismo Aeroporto Internacional de Lisboa; BTL; Cidade de Lisboa.

Paulo Pires | Sendo a escola um espaço relacional, suscetível de ser perspetivado a diversos níveis, onde ocorre uma enorme multiplicidade de atividades, as visitas de estudo constituem um sistema de intercâmbios, influenciadas pelas conceções daqueles que são os verdadeiros intérpretes destas atividades, ou seja, professores e alunos. As visitas de estudo primam por despertar nos alunos a sensibilidade face à representação do mundo valorativo construído pelo homem, pelo que é fundamental o aluno compreender in loco as diversas manifestações artísticas, culturais e sociais que o homem foi produzindo ao longo da sua existência. A dimensão formativa e informativa das visitas de estudo transcende a palavra, descreve a individualidade e riqueza de um espírito, uma postura perante o mundo, “um retrato pintado com o cérebro não com a mão” (Miguel Ângelo). Pelo sentido eminentemente pragmático, um pouco ao jeito de uma poiesis, entendendo esta como um afazer criativo, a verdadeira essência das visitas de estudo emerge numa zona de fratura das linguagens convencionais, ultrapassando-as, já que essas nos limitam e não nos conseguem transmitir e expressar tudo através da sua capacidade significativa. De facto, aquilo que se diz fica sempre aquém daquilo que se sente, como diz o ditado, "uma imagem vale por mil palavras". Daí que o pendor prático e estético com que se reveste uma visita de estudo, subjacente na relação didática entre o observado e observador, permite a este assumir a condição de contemplador e nos locais fruir a realidade nos seus aspetos, históricos, sociais, culturais, artísticos e turísticos, de modo a poder transfigurá-la. Assim, a aprendizagem resultante das visitas de estudo não se reduz a uma realidade inerte e cristalizada. Pelo contrário, as visitas de estudo constituem um excelente instrumento de interrogação e contemplação, resultante do primado dado a uma prática efetiva e dinâmica que possibilita o emergir da reflexão crítica e da “abertura de horizontes”, proporcionando a convergência da formação e da informação, num horizonte de aperfeiçoamento pessoal e cultural. Deste modo, poder-se-á admitir que as visitas de estudo ajudam a moldar positivamente a personalidade dos jovens alunos e incutem neles sentimentos de amizade e partilha, tornando-os cidadãos responsáveis, solidários, conscientes, intervenientes e conhecedores da realidade e do país onde vivem. No âmbito do ensino e, em particular do ensino profissional, as visitas de estudo, para além de possibilitar aos alunos do curso profissional nível IV consolidar conteúdos programáticos lecionados nas áreas da componente técnica, científica e sociocultural, permitem responder às necessidades pedagógicas e de aprendizagem dos mesmos. Outro aspeto profícuo em projetos deste cariz refere-se à necessidade da utilização de meios suscetíveis não só de motivarem os alunos para a aprendizagem, como de se adequarem a diversos estilos cognitivos. Este aspeto é, sem dúvida, um método pedagógico fecundo, capaz de contribuir para o sucesso do ensino. Neste sentido, os fundamentos das visitas de estudo prendem-se, na sua essência, com os três aspetos: interesse metodológico (permite aos formandos o desenvolvimento de um conjunto de competências curriculares como sejam: observação direta, interpretação, crítica/argumentação, avaliação, interdisciplinaridade); motivação na aprendizagem (como a atividade letiva se desenrola fora do ambiente normal da sala de aula, constitui uma motivação acrescida para os alunos que decorre do caráter informal e lúdico); por último, os valores e atitudes que se desenvolvem (estes embora difíceis de quantificar contribuem valiosamente na formação do cidadão autónomo, solidário, interveniente e criativo). 


4


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

AGÊNCIA DE VIAGENS ABREU

CENTRO DE ARTE CONTEMPORÂNEA GRAÇA MORAIS / CENTRO DE FOTOGRAFIA GEORGES DUSSAUD / GALERIA HISTÓRIA E ARTE

SESSÃO LITERÁRIA SOBRE MIGUEL TORGA

MUSEU ABADE DE BAÇAL / ARQUIVO DISTRITAL DE BRAGANÇA

5


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

HOTEL SHALOM

INATEL

JORNAL NORDESTE - RÁDIO BRIGANTIA

MOSTEIRO BENEDITINO DE CASTRO DE AVELÃS

6


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

VISITA DE ESTUDO AOS CINEMAS LUSOMUNDO CENTRO COMERCIAL DOLCE VITA - VILA REAL Miguel Gata | Relatório Visita de Estudo a Vila Real

VISUALIZAÇÃO DA PELÍCULA "PERDIDO EM MARTE 3D" DE RIDLEY SCOTT 4 de novembro de 2015 Miguel Gata | Visita de Estudo a Vila Real Público alvo: 50 alunos que frequentam as 3 turmas do Curso Profissional de Técnico de Desenho Digital 3D da Escola Profissional Prática Universal de Bragança. Objetivos da deslocação: Os alunos do Curso Profissional de Técnico de Desenho Digital 3D dispõem de 86 horas formativas relativas à temática da conceção e realização de vídeos, distribuídas pelos módulos de Edição de Vídeo e Áudio, Introdução à Realização - Linguagem Cinematográfica e Pós-Produção. Com esta oportunidade, os alunos puderam experimentar aquilo que em teoria lhes é explicado em contexto de sala de aula, no que diz respeito à perceção da tridimensionalidade que é processada pelo cérbero humano, ao serem apresentadas duas imagens semelhantes com um ligeiro desfasamento de paralaxe, que permite ter a noção de profundidade de campo.

7


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

VISITA DE ESTUDO A LISBOA Rui Pires | Relatório Visita de Estudo a Lisboa

1 — AEROPORTO DE LISBOA 2 — BTL

OBJETIVOS GERAIS: Conhecer o património local, regional e nacional; Identificar os diferentes tipos de património; Referir departamentos de um aeroporto; Identificar as funções e objetivos do Turismo via transportes aéreos; Compreender as várias etapas e serviços aeroportuários; Identificar tipos de aeronaves de voos comerciais e de charter; Compreender a importância da BTL; Explicar o formato do evento BTL; Analisar a hotelaria; Explicar e compreender a gestão hoteleira: desde a portaria, front office, bar e restauração, economato e departamento de andar de um hotel; Explicar e interpretar a história local e regional; Desenvolver capacidades críticas de sabedoria e de reflexão.
 8


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Lisboa 3 — Descoberta da cidade... A visita de estudo a Lisboa visou os discentes do curso de Turismo nível IV de modo a que consolidassem os conteúdos programáticos das disciplinas técnicas de turismo, da disciplina de inglês, de história e geografia, com intuito de melhor responder às necessidades pedagógicas e de aprendizagem num curso desta dimensão técnica e profissional. Este projeto pretendia reforçar a interdisciplinaridade, a matéria a ser leccionada in loco, e, também, permitir aos alunos uma experiência inesquecível, permitindo-lhes “viajar” com a matéria lecionada e com a praxis da viagem. Professor Rui Pires 


9


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Relatório dos discentes: Anissa e André 1 — na chegada a Lisboa, visitamos o aeroporto da Portela, onde observamos as diversas atividades que no mesmo são efetuadas. Vivemos em primeira mão, a rigidez da segurança aeroportuária e as diferentes fases que o turista passa, até ser seguro continuar a sua viagem. De seguida, observamos a complexidade de operações que são efetuadas, abrangendo desde os bombeiros do aeroporto aos falcoeiros, cujo trabalho é impedir qualquer acidente que possa danificar as aeronaves. 2 — no dia seguinte, demos entrada na BTL por volta das 12h15 onde estivemos cerca de 2h a conhecer melhor o que é realmente o Turismo. Ficamos a conhecer as diferentes regiões turísticas de Portugal, as suas características e os seus potenciais. Percebemos, também, a incrível variedade e encanto que os diferentes países apresentados nos proporcionam, com a sua cultura fantástica à distância de preços acessíveis. 3 — a descoberta da capital começou na Avenida da Liberdade, onde visitamos o afamado Hard Rock Café e a Praça Marquês de Pombal. No dia seguinte, depois de um excelente pequeno-almoço, tivemos a possibilidade de andar de teleférico “entre o rio e o céu”. Depois de frequentarmos o espaço FIL, fomos em direção ao shopping Vasco da Gama onde desfrutamos de um bom almoço. Mais tarde, já na Praça do Comércio, fizemos um passeio pelas várias ruas da cidade, enquanto nos dirigíamos em direção ao McDonald’s para um merecido jantar, depois de uma exaustiva caminhada. No último dia da estadia, fomos visitar o local onde são feitos os famosos Pastéis de Belém, tendo aí degustado tão famosa iguaria, para seguidamente visitarmos os monumentos em Belém e, mais tarde, regressarmos a Bragança. Resumo: esta visita está inserida na disciplina Técnica de IAT e teve como primordial objetivo a aquisição de conhecimentos práticos no âmbito do curso de Técnico de Turismo. No primeiro dia, depois de uma longa viagem, chegamos a Lisboa e fizemos a visita ao ANA Aeroportos do grupo Vinci onde visitamos as diferentes secções do aeroporto. Mais tarde, fizemos o check-in no Hotel 3K Madrid onde ficamos hospedados durante o fim de semana. No segundo dia, fomos visitar a BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa) e passearmos um pouco pela cidade antes de nos retirarmos para o hotel e em convívio, assistir ao jogo Sporting x Benfica. No terceiro dia, passeamos por Belém e visitamos locais como o Padrão dos Descobrimentos, a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos. Horas depois fizemos o check-out do Hotel e regressamos a Bragança. Esta visita foi importante, pois adquirimos conhecimentos que de outra forma seria impossível adquirir, caso não tivéssemos feito este city/short break presenteado a nós, alunos, pela escola. 


10


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

AULA EM CONTEXTO DIFERENCIADO APRENDER MATEMÁTICA Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Pedro Fernandes | Porque as aulas não têm de ser necessariamente todas iguais, porque não é habitual incursões pela cidade no âmbito das aulas de matemática, o presente artigo mostra o dinamismo das aulas na Escola Profissional Prática Universal. Uma aula diferente numa Escola, também ela, diferente e que se destaca pelo seu caráter prático, por fazer com que os seus alunos sintam as aulas de uma forma diferente, que (re)descubram o prazer do aprender e que suscitem curiosidade e vontade de saber mais, mesmo que muitas vezes de uma forma não ortodoxa. Esta aula, em contexto diferenciado, foi realizada no âmbito do módulo de Estatística da disciplina de matemática e envolveu os alunos do 1º ano da turma do CP de Técnico de Turismo.

Aula de mate m

ática

Módulo de E statística

11


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Mona Lisa!

??? A minha não!

Olha pró lado!

Evaristo, tens cá

Disto o quê?

Não. Essas já lá

disto!?

Cantarinhas!?

vão!?

Bora?

onde?

12

Bora Bora!


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

MATEMÁTICA RASTILHO MATEMÁTICO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Pedro Fernandes | Rastilho matemático

A distância entre a terra e a ilha é um pouco maior do que o tamanho de um fósforo

TERRA

ÁGUA

ILHA

És capaz de construir uma ponte da terra à ilha com apenas dois fósforos?

Fonte Bibliográfica: Scott H.; Snape C. (1994). Enigmas Matemáticos. Gradiva Publicações, Lda. Lisboa

Desloca dois fósforos para obteres seis quadrados

Comprar canetas

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

EPPU

Tens 1000€ para comprar três tipos diferentes de canetas. O primeiro custa 5€, o segundo 55€ e o terceiro 95€. Com os 1000€ tens de comprar 100 canetas. Podes fazer a combinação que quiseres, mas tens de gastar todo o dinheiro nas canetas. Apenas uma solução é possível. Consegues descobri-la?

" Fonte Bibliográfica: Scott H.; Snape C. (1994). Enigmas Fonte Bibliográfica: Stickels T. H. (2008). Truques ao Matemáticos. Gradiva Publicações, Lda. Lisboa Raciocínio Matemático. Editora Replicação, Lda. Lisboa 13


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

PERSPETIVAS COORDENADORES DE CURSO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Ana Fernandes | O professor na sociedade de informação e conhecimento deve estar ciente de que o seu papel tem-se alterado, na medida em que deixa de ter sobretudo a função de transmitir informação (uma vez que se encontra mais do que nunca disponível em grandes quantidades e com fácil acesso) e passa a ser encarado mais como um recurso, animador, regulador dos processos de ensino-aprendizagem, um promotor de mudanças. Perante esta nova cultura da info-alfabetização deve ensinar os alunos a pesquisar e a relacionar a informação, desenvolver capacidades de se atualizar, recolher, selecionar, ordenar, gerir e utilizar a informação que se multiplica constantemente. Para tal, deverá criar-se no aluno um espírito crítico, um maior sentido da autoridade e da disciplina, do trabalho e da exigência, do rigor e da responsabilidade. Assim, deve contribuir para que os alunos se tornem exploradores ativos do mundo que os envolve e, simultaneamente, incentivar o apreço pelo conhecimento e pela educação contínua ao longo da vida. O professor deve ter em vista formar alunos autónomos. O processo formativo é visto como um processo de libertação – o professor deve provocar, promover e emancipar. Deve transmitir aos alunos padrões de rigor e qualidade do trabalho desenvolvido dentro da Escola e utilizar sempre o reforço positivo como técnica pedagógica contra o insucesso escolar. Em suma, o professor deve estar consciente de que a realidade profissional o pode transformar. A sua capacidade de refletir, sistematizar, trabalhar em grupo, ter espírito crítico, respeitando um código ético sobre a sua prática pedagógica é fundamental. Deve considerar a comunidade envolvente, interagindo com ela, como mais um recurso de ensino. Devem ser aplicadas novas metodologias mais ativas. A atividade pedagógica deve ser centrada no aluno: um professor mais atento à realidade e à cultura dos seus alunos, capaz de lhes transmitir a cultura de escola dominante, colocando as eventuais diferenças culturais em igualdade de circunstâncias. Miguel Gata | Quem é o Técnico de Desenho Digital 3D? É o profissional qualificado apto a dominar e integrar as ferramentas de computação gráfica na realização de ambientes/elementos, bem como processos de antevisão, apresentação e comunicação de projetos de diversas áreas. Ao concluir o Curso Profissional de Técnico de Desenho Digital 3D, o aluno torna-se num técnico habilitado a produzir elementos virtuais para visualização tridimensional nas áreas de arquitetura, engenharia, urbanismo, promoção imobiliária, televisão, cinema e publicidade. Com os conhecimentos adquiridos poderá também elaborar peças desenhadas para apoio a gabinetes e empresas de projetos, produzir desenho livre, imagens, elementos animados e processos interativos de apresentação e visualização tridimensional. Deverá ainda ser capaz de explorar e dominar ferramentas de computação gráfica para aplicação em ambientes virtuais, interativos e de game design, tal como criar conteúdos para animação, cinema e publicidade. Pode ainda, por fim, integrar modelação virtual em fotografia e captação de vídeo para edição, pós-produção e posterior apresentação.

Rui Pires | O setor do turismo tem hoje um papel fulcral para as economias nas diferentes escalas, seja a nível local, regional, nacional e mundial, no crescimento e desenvolvimento económico sustentável. Na realidade, pelos dados estatísticos oriundos de múltiplas fontes, sejam elas académicas ou institucionais, o setor do turismo surge como um indicador de crescimento económico significativo e francamente positivo para o país. A criação de riqueza económica gera também um desenvolvimento económico e social das regiões e das pessoas. O turismo cria atualmente postos de trabalho e, neste sector em franca especialização e expansão, precisa de mão de obra especializada e técnica. É neste contexto que as escolas profissionais desempenham um papel fundamental para o país através da formação de técnicos profissionais, sendo por esta via, entre outras, que o país consegue dar resposta às necessidades de mercado de trabalho. Hoje não existem dúvidas de que o Estado aposta ativamente na legislação, qualificação e dinamização do turismo local, regional e nacional. A concorrência a Portugal é enorme e a diferenciação, através do valor acrescentado pelo fator humano, é apenas conseguida e alcançada pela via da educação e formação do técnico especializado.

14


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo 23 de outubro de 2015

Angariação de fundos a favor da AMI

Angariação de fundos a favor da AMI - Assistência Médica Internacional

Paulo Pires | À semelhança dos anos letivos transatos, dez grupos de alunos do 1.º DD3D e TURISMO, devidamente identificados através do logótipo da AMI nos cofres e escapulários previamente entregues na escola por responsáveis do Núcleo Distrital de Bragança – AMI, acederam ao convite para participar no “Peditório de Rua” e sensibilizados pela causa percorreram diversas ruas e deslocaram-se às instalações de instituições da cidade com o objetivo de angariar fundos a favor da AMI – Assistência Médica Internacional. A forma solidária e humana demonstrada pelos alunos permitiu-lhes na prática evidenciar as dimensões de solidariedade e humanismo que dignificam o Ser Humano, tornando-o reconhecedor dos Direitos Humanos. De enaltecer a atitude comportamental séria e responsável manifestada pelos alunos nesta iniciativa, consciencializados do sentimento de dever, que de imediato perceberam que, fazendo parte da sociedade civil, é com este tipo de comportamentos individuais ou coletivos que se pode “alterar mentalidades” e “formas de agir”, atenuando assim desigualdades sociais. Mais do que uma missão, esta atividade contribui para o enriquecimento cívico, humano, social e afetivo dos alunos enquanto cidadãos cosmopolitas, possibilitando-lhe assumir a dimensão ético/moral da pessoa e olhar para cada Ser como um Ser único, digno de atenção e cuidado. Permitiu ainda compreender que a AMI em Portugal se configura como uma organização humanitária, destinada a intervir em situações de crise/emergência, a combater a fome, a pobreza e a exclusão social.

10 de dezembro de 2015 DIREITOS HUMANOS Assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos 20 de janeiro de 2016 “Escola Segura – PSP” Ao longo do ano letivo A problemática da Toxicodependência

23 OUT 2015

15


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Direitos Humanos Paulo Pires | Com o intuito de assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos - 10 de dezembro, os alunos das diferentes turmas realizaram, no âmbito da disciplina de integração, trabalhos em suporte Movie Maker sobre Direitos Humanos, que foram projetados no televisor do hall de entrada da escola. A metodologia de trabalho utilizada – Photovoice consistiu na recolha de fotografias originais traduzindo a realidade diária de que muitos direitos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos, na prática, não se cumprem. O produto final do trabalho consistiu na elaboração de um filme articulando as imagens com música e legendagem de frases autónomas ou de personagens marcantes da história da humanidade. A finalidade do trabalho foi demonstrar e reconhecer que, na prática, alguns dos direitos humanos consignados na Declaração Universal dos Direitos do Homem não são salvaguardados, bem como assumir uma consciência coletiva de que os direitos humanos básicos devem assistir a todos os cidadãos.

Escola Segura - PSP Paulo Pires | A EPPU, em articulação com os serviços da “Escola Segura – PSP”, promoveu no dia 20 de janeiro uma sessão de sensibilização sobre a problemática das Drogas, destinada aos alunos das turmas de 2º ano. A dinamização desta sessão esteve a cargo de um agente de autoridade, que mediante a clarificação da temática, alertou os alunos para as consequências do flagelo das drogas. O elemento da Polícia de Segurança Pública afeto ao Programa Escola, enquanto interlocutor, possibilitou aos alunos uma abordagem integrada do tema, constituindo-se a sessão como um instrumento de política social centrada num dos problemas sociais atuais – o consumo de drogas, em particular na classe jovem. A iniciativa teve também a finalidade de estreitar os laços com a comunidade escolar, explicando como funciona a PSP, tendo em vista a melhoria constante do serviço prestado. A auscultação atenta e séria dos alunos na sessão permitiu-lhes tomar consciência dos “perigos” das Drogas lícitas e ilícitas.

A problemática da Toxicodependência Paulo Pires | A “Associação Reaprender a Viver” promoveu na EPPU sessões de sensibilização sobre a problemática da toxicodependência - consumo de álcool e drogas, dirigidas a todos os alunos. Nas turmas do 1º ano, as sessões incidiram na visualização de um documentário, entrevista a uma figura pública – José Carlos Pereira no programa “Alta Definição” retratando o seu caso de dependência, a partir do qual se desencadeou um debate, permitindo aos alunos questionar e esclarecer algumas questões relacionadas com a temática. Nas turmas do 2º ano, as sessões foram orientadas como base em dois testemunhos reais, relatando as próprias experiências relacionadas com a dependência e consumo de álcool. Nas turmas do 3º ano, as sessões basearam-se na dinâmica de grupo através da operacionalização de um jogo pedagógico e interativo, a partir do qual foi possível sensibilizar, consciencializar e alertar os alunos para os efeitos que resultam do consumo e dependência de drogas lícitas ou ilícitas. A dinamização destas sessões permitiu manter os nossos jovens alunos informados e atentos, responsáveis e reconhecedores do papel que a escola assume na sua formação.

16


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

PROJETOS Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Escola na Europa A EPPU, como é seu apanágio e em rigor, sempre teve uma atitude de trabalho e empenho em abraçar projetos...

Escola na Europa Rui Pires | “A Europa está a construir-se. É uma grande esperança, que só se concretizará se tiver em conta a História: uma Europa sem História seria órfã e pobre. Porque o hoje deriva do ontem, e o amanhã é fruto do passado”. (Goff, 1993: 11)

Parlamento Jovem “Portugal: assimetrias litoral/ interior – que Soluções?” Namorar com fair play Sessões de sensibilização sobre a problemática da violência no namoro. Justiça para todos Bullying, escolhido entre os dez casos de Direitos Humanos apresentados no âmbito do projeto, com o objetivo de promover os valores democráticos colocando a Educação para a Justiça e o Direito (em especial os Direitos Humanos, direitos das minorias e não discriminação) como ferramenta cívica fundamental num Estado de Direito.

A EPPU, como é seu apanágio e em rigor, sempre teve uma atitude de trabalho e empenho em abraçar projetos propostos por outras entidades exteriores à esfera pedagógica da escola. Como não podia deixar de ser, e em boa hora, a EPPU abraçou este novo desafio com a ajuda preciosa de um grupo de 7 alunos, onde a valorização do trabalho incidiu em aspetos como a investigação, a qualidade do conteúdo informativo, criatividade da sua conceção e, por fim, a originalidade do processo comunicativo. Assim, foi preciso enquadrar e esquematizar 3 áreas diferentes do saber: Europa, Escola e Cidade. Neste contexto, foi necessário que os discentes fizessem uma pequena incursão empírica e multidisciplinar sobre as várias temáticas da Europa, de modo a que a própria União Europeia fosse a alavanca e o fio condutor do projeto, incluindo o pilar da educação, a nossa escola, esta como a pedra angular do projeto, e por fim, o espaço geográfico da construção da catedral, a nossa cidade de Bragança.

Parlamento Jovem - Sessão Distrital

17


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Paulo Pires | Sessão Distrital - Parlamento dos Jovens do Ensino Secundário - 14 de março de 2016 No dia 14 de março, repetindo o feito dos últimos anos, a EPPU – Escola Profissional Prática Universal representada pelos alunos Bárbara Marques, Marlene Rodrigues, Manuel Pires, Ricardo Miranda e André Borges, do curso de Turismo (1º e 2º anos) participou com seriedade, motivação e destreza na Sessão Distrital do Parlamento dos Jovens que se realizou no Auditório Paulo Quintela em Bragança. A pertinência do tema -“Portugal: assimetrias litoral/interior – que Soluções?” serviu de pretexto para os alunos das onze escolas participantes refletirem criticamente sobre a temática no contexto geral do país, bem como, desenvolverem competências de cidadania inerentes à Democracia. De assinalar que a participação bem-sucedida da EPPU nesta sessão resultou do árduo trabalho dos alunos, que assumiram uma atitude responsável e assertiva, argumentando fundamentadamente as medidas em debate.

Namorar com Fair Play Paulo Pires | Tal como sucedido no ano letivo anterior, técnicas voluntárias inscritas na Bolsa Local de Animadores do IPDJ em articulação com o estabelecimento de ensino - EPPU, dinamizam sessões de sensibilização sobre a problemática da violência no namoro, no âmbito do Programa “Agora Nós” - Projeto – “Namorar com Fair Play”. As sessões decorreram no horário da disciplina de área de integração, turmas de 1ºano dos cursos de Desenho Digital 3D e Turismo. A abordagem metodológica implementada nas sessões, para além de retratarem através da visualização de documentários reais situações de violência, assumem um caráter pedagógico e de alerta para a realidade da violência no namoro. A orientação das sessões permitiu ainda uma abordagem integrada do tema, sensibilizando os alunos para a promoção da igualdade de género no namoro, consciencializando-os da importância de se desencadearem relações interpessoais que fomentem a não-violência nas relações de namoro. Como forma de sistematizar o conteúdo informativo resultante das sessões, os alunos realizaram trabalhos em formato digital/multimédia, panfletos, cartazes e desdobráveis, que foram objeto de uma apresentação expositiva, no mês de maio, nas instalações dos Serviços Regionais do Instituto Português do Desporto e Juventude - IPDJ, I.P. de Bragança.

Justiça para todos Paulo Pires / Rui Pires | No decorrer do ano letivo, a responsável pelo projeto - “Justiça para Todos” em articulação com os alunos do 1º Turismo, professores das disciplinas de área de integração e TCAT, dinamizaram sessões de sensibilização, divulgação e encenação em contexto sala de aula de um jogo de simulação de julgamento a partir de um caso de Bullying, escolhido entre os dez casos de Direitos Humanos apresentados no âmbito do projeto, com o objetivo de promover os valores democráticos colocando a Educação para a Justiça e o Direito (em especial os Direitos Humanos, direitos das minorias e não discriminação) como ferramenta cívica fundamental num Estado de Direito. As primeiras sessões serviram para a divulgação do projeto, dar a conhecer o funcionamento do programa e despertar a consciência para a importância de analisar e compreender vários pontos de vista e promover soluções comprometidas com os Direitos Humanos, bem como, para a escolha por parte do grupo/turma da história de caso a trabalhar, entre as preestabelecidas no programa e definir as “personagens” a representar na fase posterior, aquando da visita ao Tribunal da região. As sessões subsequentes, em contexto sala de aula, consistiram na encenação do julgamento acerca do caso de Bullying, com base na representação dos diferentes papéis que cada aluno desempenha. O culminar e consolidação do conteúdo das sessões, resultou na representação e simulação dos diferentes papéis por parte dos alunos (vítimas, arguidos, testemunhas, advogados, ministério público, oficial de justiça, etc) relativos ao caso escolhido - Bullying, em Tribunal na presença de um Juiz real, no mês de maio. 18


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

19


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

20


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

21


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

22


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

OPINIÃO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo O código de ética do turismo Luis Costa | A Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou em Assembleia Geral a adoção do ano de 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento. Segundo Taleb Rifai, o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), esta proclamação é uma oportunidade única para aumentar a contribuição do setor do turismo nos três pilares da sustentabilidade – economia, sociedade e ambiente – assim como para aumentar a consciência sobre as verdadeiras dimensões de um setor que é muitas vezes subestimado. No âmbito do “módulo 2” (A Organização da Indústria do Turismo) e apoiados pelo “Código Mundial de Ética do Turismo”, os alunos do primeiro ano de Turismo elaboraram um artigo conjunto, com o objetivo de apresentar propostas para um turismo responsável e sustentável. O Filipe, o André, o Tiago e o Rafael defendem que a atividade turística deve conduzir-se em harmonia com a cultura das regiões visitadas. Por exemplo, quando os turistas visitam as festas de inverno transmontanas, devem observar e respeitar as tradições. Na opinião da Patrícia, da Tatiana e da Ana o turismo é uma atividade associada ao encontro entre culturas. Como exemplo, indicam que os citadinos ao passarem férias no campo, passam a compreender e a respeitar as pessoas que vivem nos meios rurais. Para a Jéssica e a Tânia, os principais organizadores do turismo têm o dever de preservar o ambiente e de fazer uma gestão cuidada do consumo dos recursos naturais. Como exemplo, apontam para a necessidade dos hotéis de Bragança terem reguladores de caudal de água nas torneiras, de forma a reduzir o consumo deste recurso. A Sara, a Tatiana e a Diana consideram que o turismo é importante para a valorização do património cultural. Por exemplo, os turistas que visitam a cidade de Bragança costumam gastar dinheiro para entrar em monumentos e esse dinheiro é gasto na manutenção e enriquecimento desse património. Na opinião da Vitória, da Cristina e do Tiago a população local deve participar ativamente na atividade turística e devem ser os principais beneficiários. Por exemplo, quando os turistas visitam a aldeia de Montesinho os benefícios económicos devem ser para a população que vive na aldeia. Por seu lado, a Anissa, o André, o João e o Miguel defendem que todos têm o direito ao turismo, incluindo os deficientes. Por isso os destinos devem ter equipamentos adequados para integrar estas pessoas. A Carla e a Joana são da opinião que os turistas devem ter os mesmos direitos e obrigações que as pessoas dos países visitados. Como exemplo, referem que os turistas devem ter o mesmo direito de entrar num local de culto para rezar. Por fim, mas não menos importante, o Ruben e o Diogo defendem que todos os trabalhadores do turismo devem ter o direito a uma formação ajustada, bem como, o direito à proteção social como exemplo, referem que os trabalhadores do turismo devem ter um salário digno e direitos sociais como subsídio de férias e descanso semanal. Estas são algumas medidas e exemplos que estes futuros profissionais do turismo apontaram e que, decerto, irão aplicar quando começarem a trabalhar no maior e melhor setor de atividade do mundo.

"(...) aprender este idioma torna-se algo a pensar (...)" Carina Carvalho | A língua francesa é falada em 56 países e é uma das línguas mais ensinadas em todo o mundo, a seguir ao inglês. Portanto, para aqueles que gostam de viajar, que estejam ligados a cursos de turismo ou que pensam sair do país à procura de outras oportunidades, aprender este idioma torna-se algo a pensar. Com a grande representatividade da França em áreas como a arte, cultura, tecnologia e a educação, o francês tornou-se numa das línguas oficiais da ONU e UNESCO e saber falar é um meio de inclusão que facilita o relacionamento num contexto mundial, sem falar o quanto é importante no mercado de trabalho, já que possibilita o acesso à França claro, como também aos países francófonos, tais como a Suiça, Luxemburgo, Bélgica, vários países de África, Canadá, entre outros.

23


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

The importance of (English) Language Melânia Santos | Language is one of the most important things in our life for many different reasons. It is essential to every aspect and interaction in our everyday lives. We use language to communicate with others, to inform people about things, to express our emotions and feelings, to ask questions, to understand the world around us, among many other things. Language makes things easier, but it can also complicate them… What distinguishes us from other animal species is the language and the ability to communicate. Language makes our life easier and better, and some schools are recognizing the importance of it and began offering to teach other languages, being English one of the most important ones, at least in our country. Speaking a foreign language nowadays is almost as important as speaking your own language because it helps you learn about other people and their cultures. English may not be the most spoken language in the world but it is the official language in many countries and it is the dominant business language in the world. Most of the world’s films, songs and books are produced or published in English and most of the content on the Internet is in English as well. Speaking and understanding this language can be very helpful if you need to move to another country to work, if you go on holidays overseas or if you want to study abroad. You also need it in your own country, to deal with the tourists, especially if you are attending a course of Tourism in a vocational school, or to work with some programs if you are studying Digital Design, for instance. Languages are a passport to everywhere in the world, they are a sign of respect and culture and they create connections. Students exchange programme — Last summer I went on a student exchange to the Netherlands and it was one of the best experiences in my life. The Netherlands are completely different from Portugal, at least from Trás-os-Montes. Here we are surrounded by mountains while there all you can see are infinite valleys all around you. The views are amazing! It seems like the grass never ends! I stayed with a host family and they were the nicest! They taught me how to cook some of their dishes and they made me cook some of ours for them. They showed me all the popular places, museums, parks and they even took me to a planetary, which was completely awesome! Their son was about my age and he introduced me to some of his friends and they showed me what types of music they listened to and what they did to spend their free time. They also took me to one of the forests they had around there and showed me their school, although it was summer holidays. That summer was the best summer of my life! I really would like to go back there to see them again! Carolina Rodrigues, 1º DD3D

O Conflito Pedro Fernandes | Grave-Resendes (2004) refere que o conflito pode ser “interpessoal (entre dois indivíduos), intrapessoal (entre nós próprios), intergrupal (entre dois ou mais grupos que são maioritariamente os tipos de conflitos existentes nas nossas escolas) e intragrupal (dentro do mesmo grupo)”. O conflito foi, durante muitos anos, visto como uma barreira, como um fator de bloqueio nada favorável às organizações. McIntyre (2007) refere que há várias formas de lidar com o conflito: - Tentar evitá-lo: revela “uma baixa preocupação consigo próprio e com os outros”. - Acomodar-se: revela “uma baixa preocupação consigo próprio e uma alta preocupação com os outros”. - Tentar dominá-lo: revela “uma alta preocupação consigo próprio e uma baixa preocupação com os outros”. - Fazer concessões mútuas: revela “uma preocupação média consigo próprio e com os outros”. - Tentar estabelecer compromissos honestos parte a parte numa lógica de ganhar-ganhar: revela “uma alta preocupação consigo próprio e com os outros”. Hoje em dia é usual olhar para o conflito como natural e necessário. É natural porque a escola é um espaço de partilha, um espaço aberto onde cada um pode ser ele próprio, onde cada um pode fazer valer os seus pontos de vista, ou seja, um espaço democrático. É necessário porque permite que articulemos várias opiniões, várias perceções e absorvamos realidades completamente diferentes das nossas e com isso possamos enriquecer a nossa visão sobre os mais diversos assuntos. Como principais causas para o conflito referem-se as seguintes: - A massificação do ensino; 24


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

- A multiculturalidade; - A divergência de opiniões; - Contextos socioeconómicos heterogéneos; - Maturidades em diferentes estados de desenvolvimento. McIntyre (2007) faz referência a um estudo de Thomas (1991), que afirma que “os gestores consomem diariamente cerca de 20% do seu tempo a gerir conflitos”. Desta forma podemos ver o grau de importância que assume o conflito numa organização. Daí termos de aprender a lidar com ele, ou seja, aprendermos a utilizá-lo a favor do desenvolvimento, do progresso e da inclusão. O conflito escolar pode englobar os mais diversos agentes educativos e regista-se devido a interesses, valores ou pontos de vista diferentes, mas também devido a ruídos. O alargamento da escolaridade obrigatória, o facto de termos atualmente uma escola para todos, ou seja, uma escola de massas e multicultural trouxe inevitavelmente conflitos. Como refere Chrispino (2007) “os conflitos escolares são frequentes porque, atualmente, frequentam a escola alunos muito diferentes em relação às vivências, às expetativas, aos sonhos, aos valores, às culturas e aos hábitos”. Tendo em conta que os conflitos existem e devem ser aproveitados para servirem de alavanca para o desenvolvimento da Escola e reforçarem a posição dos implicados no processo em curso, elevando a sua motivação e esperando que se tornem um exemplo desencorajador de situações indesejáveis, estes não devem ser ignorados, menosprezados, mas sim geridos corretamente. Referências Bibliográficas: Chrispino, Álvaro. (2007). Gestão do conflito escolar: da minha classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.15, n.54, p. 11-28. Grave-Resendes, Lídia. (2004). O Direito à educação e a Educação dos Direitos. Educação e Direitos Humanos. CNE. McIntyre, Scott Elmes. (2007). Como as pessoas gerem os conflitos nas organizações: Estratégias individuais negociais. P. 295-305.Disponível em http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/pdf/aps/v25n2/v25n2a09.pdf.

A influência dos novos media na sociedade Rui Pires | "Todos nós, no nosso dia a dia, lidamos com os media, da escrita à oralidade e na nossa relação com a imagem," (Cardoso, p.178) num processo de informação, conhecimento e pensamento nas decisões quotidianas sob influência dos novos media. Para melhor compreender as dimensões da relação entre os media e a sociedade num processo de mediação, é preciso explicar o contexto do aparecimento do sistema tecnocultural de transformações contínuas, "fruto da interação de múltiplas dimensões, desde a económica à cultural, da técnico-científica à sócio-antropológica ou da política à ética." (Cardoso, p.178) Steve Jobs disse a John Sculley: "você quer passar o resto da vida a vender água com açúcar ou quer ter uma oportunidade de mudar o mundo?" Nesta perspetiva "a tecnologia faz o mundo ficar mais próximo e continuará a fazer isso, existindo, é certo, desvantagens e consequências inevitáveis para tudo," seja na dimensão da globalização económica ou na globalização comunicativa. Nesta perspetiva, é "possível identificar dimensões-chave, de possíveis oportunidades e constrangimentos, nos media, para a construção de autonomia comunicativa na nossa sociedade." (Cardoso, p.179) Assim, a comunicação e informação são parte de um todo, num avanço espaço-temporal em forma de revolução pela internet, computadores, smartphones, tablets, sistemas operativos, blogues, redes sociais, numa relação estreita entre hardware e software. O nosso dia a dia é real e virtual, senão vejamos. Uma simples viagem, desde o seu planeamento e compra, à sua monitorização, rastreio e segurança, até ao destino a alcançar, é toda a viagem real numa vertente virtual em rede, pois "hoje dispomos de uma variedade de comunicações sem precedentes históricos e também de uma possibilidade de escolha inédita entre meios aparentemente equivalentes. (...) Essas são, para Ortoleva, as duas bases da nossa vida no início do séc. XXI, no mundo desenvolvido (2004).” (Cardoso, p.186) Esta característica atira-nos para uma dimensão de aldeia global de McLuhan na relação entre os media e a sociedade. Neste capítulo, os novos media são em muito diferentes dos antigos media, apelidados de Mass Media segundo alguns modelos de sociedade. Steve Jobs, a título de exemplo, discute o antes e o depois do avanço tecnológico, numa distinção clara entre os Mass Media e os novos media em termos de influência, dizendo que alguém que vê televisão é para desligar o cérebro, ao contrário, se utiliza o computador é para ligá-lo. Esta revolução tecnológica da informação e comunicação permite aos novos media relações de complementaridade, identificada por Ortoleva e Levy. Esta relação de complementaridade corresponde ao alcance efetivo das comunicações de massa de causa-efeito, não sendo considerada exterior à cultura, sendo interativa nas redes, dotada de relações interpessoais e em sociedade. Assim, a influência dos novos media na sociedade é reflexiva, pois é "permitida pela tecnologia de informação e comunicação, é um elemento fundamental para a decisão individual e para a construção da vida." (Cardoso, p.184) Tem assim um impacto fortíssimo na sociedade e no cidadão fruto das relações de causa-efeito, segundo formas e dimensões dos media. A plataforma digital e de rede (novos media) do ensino à distância da Universidade Aberta é o exemplo da sua influência na sociedade, poderosa na transmissão, instrução, tratamento e discussão da informação comunicada, sendo o feedback parte de uma aldeia global para um universo imensamente plural.

25


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Referências bibliográficas: CARDOSO, Gustavo. Os Media na Sociedade em Rede. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 177-196. Webgrafia: Steve Jobs. In exame.abril.com.br [Em linha]. São Paulo: Exame.com, 2011. [Consult. 2014-04-13]. Disponível na www: <URL: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/15-frases-geniais-de-steve-jobs>. Steve Jobs. In rollingstone.com [Em linha]. rollingstone.com, 2011, 6 de outubro, 2:35pm. [Consult. 2014-04-014]. Disponível na www: <URL: http://www.rollingstone.com/music/news/steve-jobs-rolling-stones-2003-interview-20111006>. Steve Jobs. In MacWorld, fevereiro de 2004 [Em linha]. Frases&Frases.org. [Consult. 2014-04-14]. Disponível na www: <URL: http://www.frasesefrases.org/frases-de-steve-jobs/>.

Liberdade Ricardo Batista | O que será Liberdade?

Em termos teóricos todos conseguimos perspetivar o seu sentido: a minha liberdade de agir termina na liberdade de outrem. Contudo o seu sentido, vai muito mais além do que isto. Sem pretender ser exaustivo, a liberdade começa por ser apontada por Platão, na Grécia Antiga em que a liberdade é a condição que nos torna homens, livres de sermos subjugados por outros, ou seja, a liberdade devese à ausência de alguém que impõe e controla uma determinada decisão (rumo) que se espalha a todos quantos vivem naquela região ou reino. Apesar de toda esta modernidade, convém não esquecer que estamos perante uma sociedade que discrimina o papel da mulher na sociedade e defende a existência dos escravos. No tempo do Império Romano este conceito junta-se ao da igualdade. Chegados à Idade Média, com as invasões bárbaras, dá-se uma autêntica estupidificação das gentes europeias. Caberá estritamente aos mosteiros produzir conhecimento, mas este estará subordinado a Deus, ao Teocentrismo. Assim, surge a liberdade, mas ligada à expressão: “Só a verdade te libertará” (João 8:32). Neste caso a liberdade advém da ausência de pecados e do cumprimento estrito da moral cristã. Com o Renascimento surge a Idade Moderna e com ela o advento da ascensão da burguesia. O comércio, cada vez mais globalizante, provoca mais uma alteração na simbologia desta palavra. Surge assim a liberdade comercial, defendida por Adam Smith, em que este grupo social pretende libertar-se do jugo e das obrigações impostas por uma sociedade ultrapassada e torna-se o elemento que irá servir de veículo para as Revoluções Liberais que se seguem, em que sob o desígnio da Liberdade, promovem alterações sociais, visando, sobretudo, promover a sua igualdade e mesmo superioridade relativamente aos grupos sociais conhecidos anteriormente como privilegiados. O ridículo de tudo isto é que continua a ser o povo a suportar todas estas classes e foi dos que mais contribuiu para o sucesso destas Revoluções. Tomando como base o filme “The Matrix”, um filme com muitos efeitos especiais, mas repleto de substrato filosófico, que aborda a questão da liberdade de uma maneira interessante, algo que continua nos restantes dois filmes da saga: até que ponto somos verdadeiramente livres? Senão vejamos: no filme as máquinas, entidades por nós criadas com o sumo propósito de facilitar a nossa vida, acabam por se virar contra nós, levando a uma guerra entre o Homem e a Máquina. Como se entende pelo filme, a Humanidade perdeu e fomos transformados em pilhas, em geradores de energia das máquinas, presos em casulos e que através de uma solução engenhosa, controlam a nossa mente, de forma a que nos sintamos felizes e a viver o nosso dia a dia de forma ignorante. O protagonista do filme Neo, o Tal – referência cristã ao Messias - , consegue libertar-se, descobrir a verdade e ao mesmo tempo, ser verdadeiramente livre no mundo virtual, de tal forma que até voa, além de outras habilidades surpreendentes e que a maioria de nós também gostaria de as poder concretizar! Chegados a este ponto levanta-se esta questão: em qual das duas realidades gostaríamos nós de viver? Na realidade virtual onde sabemos que existem milhões de seres humanos presos em casulos a viver uma realidade ilusória, criada por máquinas, mas que ao mesmo tempo, sabendo disto podemos

26


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

desafiar os limites da realidade e superarmo-nos; ou a realidade real na qual temos uma série de buracos no nosso corpo através dos quais podemos ligar-nos com as máquinas, usando para tal um cabo USB (o que indica que apesar de tudo dependemos da outra realidade para viver nesta!), enquanto somos caçados por máquinas? Reside aqui algo tremendo. Nós temos todos um papel a tomar, se optarmos por a escolher, ou então, caso desejemos a nossa menoridade e abstinência na participação de uma vida melhor, podemos sempre optar pelo mais fácil e decidir não fazer nada, respeitando uma denominada ordem comum ou ordem natural das coisas, simbolicamente representado por um cruzar de braços. A Liberdade é algo que demorou imenso a ser construída e todos os dias haverá algo a colocar em causa este conceito. Provavelmente o conceito mais corrente será o que está no início deste artigo, mas também isso depende do ponto de argumentação do seu utilizador, pois sentindo-me ameaçado, não terei pejo em usar este argumento para por em causa uma eventual acusação, por mais acertada que ela seja. Temos casos ridículos como o de um grupo de jovens que por se reunir para ler um livro, acabem presos e condenados. E não, isto não se passa e passou na Idade Média, continua hoje. O que vais tu fazer para que esta Liberdade perdure?

Ginástica Acrobática Bruno Esteves | A avaliação realizada pelos alunos de 2º ano das turmas de Comércio/Turismo, ao módulo de Ginástica Acrobática, que decorreu ao longo do 2º Período. Teve como objetivo compor, realizar e analisar esquemas em grupo de Ginástica Acrobática, aplicando os critérios de correção técnica, expressão e combinação das destrezas e apreciando os esquemas de acordo com esses critérios. As sequências de habilidades e coreografias são os contextos de demonstração de competências de Ginástica. Neste caso, algumas foram sugeridas e trabalhadas pelo professor, mas exigiram um trabalho prévio do grupo de alunos, de conceção da sequência ou da coreografia. Não se tratou, apenas da realização de determinadas habilidades, mas sim da composição de umas com as outras (da sua ligação), o que fez realçar a importância da harmonia e a fluidez de movimentos.

O Modernismo em Bragança Luís Afonso e Rafael Fortunato | MODERNISMO em BRAGANÇA - No início da segunda metade do séc. XX, com o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, dão-se na Europa uma série de profundas transformações tanto ao nível cultural como social. Neste contexto, e reflexo desta nova forma de pensar, também a Arquitetura conhece um novo momento: o designado Movimento Moderno. Associado a novas técnicas de construir e a novas formas de organizar o espaço, o Modernismo procurava exaltar e acompanhar os conceitos de progresso, liberdade e democracia. Sabias que podes encontrar na cidade de Bragança exemplares que se enquadram no Movimento Moderno? O desafio que te propomos é fazeres um passeio pela cidade e descobrires os notáveis exemplares de Arquitetura Moderna que aqui te sugerimos, bem como ficares a conhecer o autor de todos eles: Alfredo Viana de Lima. 1.Hospital (1957): Este edifício é particularmente relevante pela clareza da sua articulação volumétrica e pela implantação no meio de um extenso espaço verde. De salientar as formas paralelepipédicas revestidas a xisto local, varandas com grande profundidade ou a fachada ritmada por lamelas de sombreamento. 2.Bairro do Toural (1958): Aqui, podes verificar as características de um planeamento urbano residencial enquadrado neste tipo de movimento. É particularmente interessante por se tratar de um conjunto habitacional com uma escola primária em tudo semelhante ao edifício que se segue no percurso que te propomos. 3.Escola das Beatas (1960): Não sendo necessariamente uma Arquitetura vanguardista, o autor conjuga as características do Modernismo com as regionais através da utilização da pedra de xisto local, as coberturas inclinadas tradicionais e onde se explora uma nova espacialidade.

27


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

4.Edifício Torralta/Montepio Geral (1963): Neste equipamento podes observar uma obra complexa, com um programa funcional peculiar. Articulava um hotel, um cineteatro e uma agência bancária. Salientavam-se o uso do betão aparente e a engenhosa articulação de diferentes escalas e proporções, disfarçando com mestria a enorme massa que tem, integrando-se com harmonia na envolvente. 5.Escola de Enfermagem (1972): Por fim, a terminar o teu passeio, podes observar uma escola caracterizada por elementos geométricos depurados, pela ortogonalidade dos volumes, pelas coberturas planas, o uso de betão à vista e a implantação isolada. Como pudeste verificar neste passeio atento pela tua cidade, Bragança contempla alguns bons exemplares do património construído representativo do Movimento Moderno. Agora que já estás sensibilizado(a) para o valor histórico deste legado certamente compreenderás que “o que resta do património material que testemunha o trabalho de Viana de Lima em Bragança está em parte comprometido pelas sucessivas adaptações realizadas sem cuidado”, Carlos Machado – docente na UP.

1

2

4

5

3

Definições: Arquitetura: “É construção com a intenção de ordenar plasticamente o espaço, em função de uma determinada época, de um determinado meio, de uma determinada técnica e de um determinado programa”. Betão: Aglomerado de pedras batidas com argamassa hidráulica fundido em moldes. Ortogonal: Que forma ângulos retos, ou seja, 90 graus. Pedra: É qualquer fragmento de rocha irregular ou aparelhado utilizável em construções. Proporção: Dimensão de uma figura. Relação que existe entre as dimensões das diferentes partes do corpo humano ou de um monumento de arquitetura. Volume: Espaço ocupado por uma edificação ou por qualquer corpo tridimensional.

Será que a personalidade é comum a todos ou só de alguns? Olinda Monteiro| Será que a personalidade é comum a todos ou só de alguns? Será que podemos usar tal conceito? Afinal o que é a personalidade? O termo personalidade, provem do latim persona, que significava máscara do autor. A máscara no teatro antigo era permanente daí pensar-se na psicologia clássica que a personalidade era única e imutável. A psicologia atual defende a personalidade como “organização dinâmica” dos aspetos cognitivos (intelectuais), afetivos, fisiológicos, morfológicos, pulsionais e volitivos do indivíduo. A personalidade total do indivíduo resulta da integração dos fatores biológicos (temperamento) e psicológicos. Um dos elementos biológicos mais evidentes na determinação da personalidade é o sexo. No que respeita às funções sensoriais o sexo feminino é preponderante na discriminação, nas cores e nos detalhes, enquanto que, a força muscular, a velocidade e a precisão dos movimentos de grande amplitude favorece os homens.

28


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

Ouvimos com frequência afirmar: “é uma pessoa sem personalidade”.

Relativamente às funções intelectuais parece que ambos os sexos apresentam as mesmas capacidades verificando-se em estudos realizados que o sexo feminino apresenta melhores resultados nas provas verbais e de memória visual enquanto que o sexo masculino nas provas não verbais que implicam as aptidões espaciais. Nos parâmetros relativos à afetividade, atitudes e interesses o sexo masculino demonstra preponderância de comportamentos de domínio, interesse pelas coisas enquanto que o feminino pelas relações sociais. A maior parte de diferenças detetadas são resultados de factores culturais e de influência do meio. A estrutura da personalidade do indivíduo varia com a idade e essas modificações prendem-se com maturação biológica do sistema endócrino e do sistema nervoso. Certos períodos da vida do indivíduo representam um papel importante aparecendo as crises biológicas, tais como, a adolescência (puberdade), a menopausa/andropausa e outras. Na determinação do temperamento tem um papel importante as glândulas endócrinas cujo funcionamento é coordenado pelo sistema nervoso central. No ser humano as doenças endócrinas acompanham alterações da personalidade (apatia ou agressividade devido ao mau funcionamento da tiroide). Existem correlações entre o temperamento e as características psicológicas o que demonstra o papel dos factores biológicos na génese da personalidade. Os factores biológicos podem ser hereditários ou adquiridos mas não constituem se não um aspeto da personalidade e uma das suas determinantes, encontrando-se entrelaçados com fatores psicológicos com os quais interagem. Os factores sociais são também de extrema importância na formação da personalidade dado que aprendizagem permitirá a sua formação, tendo grande importância o papel dos primeiros anos de vida que correspondem a um período de modificações muito rápidas das estruturas nervosas, período em que essas estruturas apresentam uma forte plasticidade fazendo-se a aprendizagem rapidamente. Os factores sociais resultam do desenvolvimento de um equilíbrio normativo da personalidade que se sobrepõe ao equilíbrio biológico. Assim, todos temos a nossa própria personalidade formada desde a conceção (factores biológicos) ao longo da nossa vida através das aprendizagens (factores sociais).

Miguel de Cervantes(1547-1616) Nélson Parra | Miguel de Cervantes, el autor más importante de la literatura española, celebra este año el 400º aniversario de su muerte. Su obra más importante, El Quijote, ha sido traducida a casi todos los idiomas. Estas son algunas curiosidades sobre Miguel de Cervantes. 29


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

1.Fue esclavo. El escritor y su hermano fueron capturados por piratas bárbaros y vivieron como esclavos durante cinco años; 2. Nadie conoce su aspecto. No existe ningún registro de la verdadera apariencia del escritor; 3. La Iglesia lo excomulgó tres veces; 4. Era tartamudo(gago); 5. Shakespeare era su admirador. William Shakespeare fue un gran seguidor de las obras de Miguel de Cervantes; 6. Tuvo un éxito póstumo. A pesar de que El Quijote es uno de los mayores éxitos de la literatura universal, el éxito de la obra llegó a Cervantes bastante tarde.

100 anos sem Mário de Sá-Carneiro Liliana Rodrigues | Falar de poesia…Dia 23 de abril assinalou-se o dia do livro... 100 anos sem Mário de SáCarneiro Último soneto. Que rosas fugitivas foste ali: Requeriam-te os tapetes – e vieste... – Se me dói hoje o bem que me fizeste, É justo, porque muito te devi. Em que seda de afagos me envolvi Quando entraste, nas tardes que apareceste – Como fui de percal quando me deste Tua boca a beijar, que remordi... Pensei que fosse o meu o teu cansaço – Que seria entre nós um longo abraço O tédio que, tão esbelta, te curvava... E fugiste... Que importa? Se deixaste A lembrança violeta que animaste, Onde a minha saudade a Cor se trava?... Paris - dezembro 1915 A poesia vai mais além de uma simples análise formal, seria absurdamente fácil dizer que este poema é um soneto, porque é constituído por duas quadras e dois tercetos. Todo o poeta, com os seus poemas, ambiciona tocar no coração, marcar um momento, mudar o mundo, gritar num grito surdo… Já dizia Florbela Espanca que “Ser poeta é ser mais alto, é ser maior/ Do que os homens…” Num mundo em que a ambição, a futilidade e o imediato são palavras recorrentes, falar de amor é tema, quase, tabu, por vezes ridicularizado, cabalmente colocado ao canto na esfera básica dos sentimentos. Falar de amor e falar de Mário de Sá-Carneiro poderá ser, para muitos críticos literários, um paradoxo, não vão achar os leitores que este SáCarneiro é o Sá Carneiro político e cultura geral é algo que não apraz aos mais jovens. Comparar Sá-Carneiro aos jovens poderá ser, para muitos, uma blasfémia, mas eu atrevo-me e assumo a ideia como sendo fantasiosa e onírica, os jovens são rebeldes, extravagantes e despegados de amor, assim como o poeta, que não se importa com a fuga do amor. Não me cabe ser poetisa, não o ambiciono ser, se este artigo servir para levar um aluno a pesquisar a diferença entre o poeta e o político, a ler um poema ou um livro, então a minha missão estará cumprida e nascer já valeu a pena, porque o amor, no fundo, é a base de tudo, até desta análise.

30


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

SABIAS QUE ... Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo

Sabias que... os elefantes são os únicos animais que não conseguem saltar!

Sabias que... Se dormirmos, em média, 8 horas por dia, aos 40 anos teremos dormido 13 anos.

Sabias que? Por cada duche, em que demores aproximadamente 5 minutos, gastas entre 135 -190 litros de água.

Com certeza já ouviste falar no Concorde, o avião de passageiros mais rápido do mundo. Mas sabias que ele é capaz de atingir a velocidade de Mach 2, ou seja, duas vezes mais rápido do que o som? Por isso é supersónico!

31


Escola Profissional Prática Universal

O Técnico | 2016

PAP PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Turismo Rui Pires | "Padaria da Balbina" de Francisco Rodrigues, aluno do 3.° ano do Curso de Turismo nível IV.

PROJETO

Todos os anos os alunos dos cursos profissionais nível IV, após três anos letivos de ensino, têm de demonstrar, através de um Projeto de Aptidão Profissional, os conhecimentos que adquiriram no curso técnico que frequentaram. Aliada a esta orientação pedagógica, os discentes, que também tiveram contacto com a realidade do mercado de trabalho através da Formação em Contexto de Trabalho, apresentam e defendem um projeto por si realizado, proposto a júri, que avaliará a qualidade e rigor do mesmo em diferentes áreas empíricas do saber. Neste caso em particular, o aluno do Curso de Turismo, Francisco, propõe um projeto de Agro-Turismo, pioneiro na região, de maneira a que este englobe a padaria da família, o alojamento proposto a turistas, calendário agrícola e cultural da região, em consonância com diferentes produtos turísticos integrantes do PENT (Plano Estratégico Nacional para o Turismo). A criação deste projeto, tem uma dupla função: a avaliação do aluno como atrás descrito e, não menos importante, a criação do próprio posto de trabalho do aluno através da criação da sua própria empresa. Esta situação é importante na medida em que o aluno, através dos conhecimentos adquiridos, poderá colocá-los in loco pela praxis da PAP.
 32


O Técnico | 2016

FCT FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Ana Fernandes | No contexto atual de globalização e competitividade, em matéria de qualificação dos jovens, um dos grandes eixos de atuação para que a EPPU possa continuar a afirmar-se pela qualidade diferenciadora deve ser a Formação em Contexto de Trabalho (FCT). Sendo distribuída ao longo dos cursos, a FCT permite aos seus alunos contactar de perto com organizações empresariais estruturadas; pôr em prática conhecimentos adquiridos na Escola; adquirir competências técnicas relacionais e organizacionais; desenvolver o sentido de responsabilidade e a atitude profissional; desenvolver o espírito empreendedor; e proporcionar experiências de caráter socioprofissional que facilitem a futura integração dos jovens no mundo do trabalho. Neste sentido, trabalhando sempre numa perspetiva de melhoria contínua, o envolvimento da Escola procura aperfeiçoar cada ano as parcerias já estabelecidas e alargar a sua ação a novas oportunidades, de forma a diversificar os locais de estágio, mas mantendo sempre a qualidade de acompanhamento desejável.

Turismo

DD3D

Comércio

Pedro — Ag. Abreu

Daniel — Imadesign

João — Trovidoce

Turismo

DD3D

Comércio

Liliana — Hotel Ibis

Maria — Conteúdo Chave

José — Note!

33


O Técnico | 2016

PRÉMIO MUSEU DO ABADE DE BAÇAL Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Prémio “Um Outro Olhar sobre o Museu do Abade de Baçal”

“Um Outro Olhar sobre o Museu do Abade de Baçal” Pedro Fernandes e Miguel Gata | Tema: “Um Outro Olhar sobre o Museu do Abade de Baçal” A EPPU recebeu o prémio de primeiro classificado na categoria Ensino Secundário/Profissional no Concurso Escolar “O Abade de Baçal, Vida e Obra” promovido pelo Museu do Abade de Baçal. Estiveram presentes na cerimónia de entrega dos prémios a aluna Ana Carolina Rodrigues, Fernanda Cepeda e Catarina Esteves – 1º DD3D e os professores Miguel Gata e Pedro Fernandes.

34


O Técnico | 2016

JANTAR DE NATAL Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo

Fiz bem em vir!

EPPU, 27 anos!

Muito bonito! Estou adorar...

O Natal é lindo!

Lol

Estou entre as

Sms...

sms, mas não me

Quem é

importo!

aquela!?

... sms... Sorri João, temos de estar apresentáveis....

Mais um brinde!

Lol

Poesis!!! Estamos a brindar a quê!?

Olha olha!

35

Ihihihih


O Técnico | 2016

TORNEIO DA FUNÇÃO PÚBLICA XXX EDIÇÃO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Torneio da Função Pública Logótipo

O Torneio da Função Pública é dirigido a Instituições Públicas do concelho de Bragança, tendo como principal finalidade o convívio e incentivo à prática do desporto entre os membros das Instituições participantes. A Escola Profissional Prática Universal e o Agrupamento de Escolas Emídio Garcia foram as Instituições responsáveis pela organização do “XXX Torneio da Função Pública de Bragança”, que decorreu entre os dias 2 de maio e 15 de junho de 2016, no Pavilhão Municipal Arnaldo Pereira. Este ano contámos com a participação, como tem sido hábito ao longo das edições anteriores, de várias Entidades/Instituições da cidade de Bragança, envolvendo cerca de 300 participantes e que ao longo de quarenta e cinco dias acolheu aproximadamente 10 mil assistentes.

36


O Técnico | 2016

ATIVIDADES DESPORTIVAS Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo

37


O Técnico | 2016

FEIRAS: PARTICIPAÇÃO Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Qualifica A EPPU marcou presença no dia 14 de abril de 2016.

Educação, Emprego e Solidariedade A EPPU marcou presença nos dias 05 e 06 de maio de 2016.

38


O Técnico | 2016

A ESCOLA GARANTIA DA QUALIDADE Comércio | Desenho Digital 3D | Turismo Garantia de Qualidade A Escola Profissional Prática Universal está a implementar um processo de Garantia de Qualidade pioneiro a nível nacional.

Pedro Fernandes | No presente ano letivo a Escola Profissional Prática Universal está a implementar um processo de Garantia de Qualidade pioneiro a nível nacional. Este sistema desenvolvido pelos Estados Membros em colaboração com a União Europeia, denominado de EQAVET (Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para a Educação e Formação Profissional), tem como objetivo: 1. Melhorar a EFP (educação e formação profissional); 2. Estabelecer um entendimento comum dos estados membros sobre o que é a qualidade; 3. Aumentar o grau de reconhecimento das qualificações e competências adquiridas em diferentes países e contextos de aprendizagem; 4. Assegurar a mobilidade de estudantes e trabalhadores. O EQAVET está estruturado segundo uma lógica cíclica de quatro fases: Planear, Implementar, Avaliar e Ajustar. No presente ano letivo estão a ser trabalhados os indicadores respeitantes à taxa de conclusão nos cursos profissionais da Escola, à taxa de colocação após conclusão dos cursos e à utilização de competências adquiridas no local de trabalho.

39


O Técnico | 2016

40

Profile for Escola Profisisonal Prática Universal

Jornal "O Técnico" 2016  

Jornal anual da Escola Profissional Prática Universal Versão 2016

Jornal "O Técnico" 2016  

Jornal anual da Escola Profissional Prática Universal Versão 2016

Advertisement