Issuu on Google+


Texto da turma Ninho 1 de Língua Portuguesa – 5º Ano

O jardim das maiores flores do mundo

Era uma vez uma cidade que já tinha sido uma pequena aldeia onde havia casas com quintais, campos cultivados, florestas e um rio de águas transparentes. Agora havia prédios, lojas, carros e muitas pessoas. O Tomás vivia num prédio, no segundo andar direito, com os pais, uma irmã mais nova e um cão.

Quando ia para a escola, o Tomás passava pelo parque das flores gigantes. Era um parque que ficava mesmo no centro da cidade, onde havia uma pequena colina na qual cresciam as maiores flores do mundo. Ele conhecia a história de um menino que tinha descoberto a primeira flor gigante, mas não percebia porque é que só naquele local é que havia flores daquele tamanho. Ninguém sabia! Um dia, o Tomás reparou numa pequena flor que tinha as pétalas com as cores do arco-íris, como as pétalas das flores gigantes, mas que tinha nascido fora da colina. Sentou-se na relva a olhar para a flor pequenina e a pensar o que lhe faltaria para não crescer como as outras. Passou-lhe os dedos pelas pétalas, levantou-se e foi para casa. No dia seguinte, ao passar pelo parque, voltou a parar junto da flor para a observar. A flor continuava pequenina.


O Tomás visitou a florzinha durante toda a semana e começou a preocupar-se com ela porque parecia estar a enfraquecer. No fim de semana, o Tomás foi com o pai passear o cão no parque das flores gigantes e parou junto da florzinha. O pai parou ao lado do filho e ao olhar para aquela flor os olhos dele ficaram cheios de lágrimas. Depois, o pai do Tomás começou a correr em direcção ao riacho que corria ao fundo do parque. O cão e o Tomás foram atrás dele, pensando que era alguma brincadeira. O pai chegou ao riacho, juntou as mãos em forma de concha, encheu-as de água e pediu ao Tomás que fizesse o mesmo. Depois percorreram o caminho até à flor com a água nas mãos. Chegaram com algumas gotas nas mãos. O pai deitou as gotas na flor e o Tomás fez o mesmo. Depois, o pai olhou para o filho e disse-lhe: - Este é o segredo das flores gigantes! Descobri-o há muitos anos, quando tinha a tua idade e os teus sonhos. E a florzinha começou a crescer à frente dos dois até ficar a maior de todas as flores, a maior flor do mundo.


Texto da turma Ninho 2 de Língua Portuguesa – 5º Ano

Era uma vez uma sementinha de flor que sentiu vontade de sair da terra para ver o mundo e para se mostrar. Tinha acordado no escuro e não sabia onde estava, por isso começou a esticar o caulezinho em direcção ao céu. Sentiu tanto calor que se apressou a florir. Ao abrir as pétalas para olhar em volta descobriu que estava sozinha. Estava mesmo no alto de uma colina de terra seca, sem outras plantas. Daquele lugar conseguia ver um rio, árvores, campos verdes e algumas casas. Queria tanto ter nascido perto daquele rio, junto de outras flores. Sentiu-se muito sozinha. Estava cheia de sede e o vento era seco e levantava areias que lhe batiam nas pétalas sensíveis. A flor aguentou alguns dias até começar a perder a esperança e a dobrar-se. Já não tinha força para mostrar a sua beleza ao mundo. Até já estava a perder as cores.


À noite tentava recuperar forças e olhava para o céu pedindo chuva. Era preciso um milagre! Até que um dia sentiu uma gotinha de água fresquinha numa das folhas. Com muito esforço levantou as pétalas e viu um menino. Olhou para ele e viu cair das suas mãos mais duas gotinhas. Era pouca esperança, mas endireitou-se o mais que conseguiu para lhe agradecer. Depois viu o menino descer a encosta e a afastar-se. Pensou que não voltaria a vêlo, mas ele voltou com mais umas gotinhas de água. E continuou a ir e a vir com mais gotinhas. A flor sentia-se mais forte e cada vez mais cheia de esperança. Tinha tanta vontade de viver que começou a crescer, a crescer, a crescer. As suas raízes esticaram-se mais para se agarrarem bem à terra e chegarem mais fundo, onde havia água. Estava a acontecer o milagre que tinha desejado. Aquele menino tinha-lhe dado a vida e a flor queria agradecer-lhe e mostrar a todo o mundo que ele tinha sido o seu herói. Por isso continuou a crescer. O menino estava tão cansado que se deitou ao lado da flor e adormeceu. Ela já não precisava de mais gotinhas. Estava gigante, forte e feliz. Até deixou cair uma das suas melhores pétalas sobre o menino para o proteger. Ao anoitecer viu chegar uma multidão de pessoas que parou à volta dela e do menino. E a flor gostou que todos olhassem para ela muito admirados a apreciarem o seu tamanho e a sua beleza.


"A Maior Flor do Mundo" recontada pelas turmas Ninho - 5ºAno