Page 1

00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

1

00/121 Leal(LEA)

PICUINZÁRIO (Hot) GENERALIDADES

Profundor: convencional bipartido, 5 pontos dotados de rolamentos Compensador: dobradiça contínua Deriva: parte de fuselagem(chapa dobrada) Leme: convencional, 3 pontos de rolamentos

Missões: treinamento e ataque Estrutura: semimonocoque:(anéis, vigas e perfilados) com revestimento trabalhante (chapa clad/alclad=alumínio+clad) Motor: PT6A-25C Hélice: HC-B3TN-3C/T10178-8R HC- Hartzell B- desenho- tripá T- tamanho da espira N- parafusos de fixação(8) 3C- modificação menor T10178-8R-Especif. de série Spinner: 5 parafusospor seção, total 15

DIMENSÕES Comprimento: 9,86 m Envergarura: 11,14 m Altura: 3,40 m Bitola: 3,76 m Bitola(bequilha): 3,56 m PESO MÉDIO(comb, óleo, 2 pilotos, f. hidráulico): 2520 kg Max. DEP: 3175 kg Max. Pouso: 2800 kg Max. Zero comb: 2050 kg Peso de comb: 540 kg Peso básico(fabric): 1810 kg Peso do assento: 63 kg Bagageiro: 2 ocupantes - 10 kg Solo - 30 kg

FUSELAGEM Liga de alumínio, curvas cônicas Cavernas em seção U com reforçadores estrudados (fundidos na própria peça e usinados em prensa mecânica). ASA Longarina principal(30%) Caixão central: tanques, trens e assessórios Longarina traseira(70%) Entre longarinas: caixa de acessórios, Bordo de ataque e fuga(clad) rebitados Flape: 3 suportes guias(liga de aço) c/ roletes Ailerons: 3 suportes c/ rolamentos(Al) Lixa preta: passadeira

SISTEMA DE ALARMES VISUAIS PMA: 26 totais Alarme geral: ATENÇÃO E ALARME P. de avisos: 6 verdes(mesmo dijuntor das vermelhas) 16 âmbar + atenção: PRINCIPAL 10 vermelhas + ALARME + p. de avisos + alarmes sonoros: EMERGÊNCIA TESTE: PMA, Alarme geral(som), PA e luz do trem em transição(vermelha)

EMPENAGEM Superfícies fixas: cantilever, bilongarina Superfícies móveis: monolongarina Estabilizador H: inteiriço, 4 pontos de fixação(2 dianteiros e 2 traseiros) 1


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

00/121 Leal(LEA)

2

SISTEMA DE ALARMES GRAU DE PRIORIDADE 1 2 3 4 5

6

CONDIÇÃO

SINAL

CANCELAVEL

FORMA DE CANCELAMENTO

ESTOL G EXCESSIVO SOBREVELOCIDADE ACENDIMENTO LUZ ALARME TREM DE ASSOCIADO A POUSO NÃO REDUÇÃO DA TRAVADO EM MANETE BAIXO ASSOCIADO A CONDIÇÃO DE FLAP ESTENDIDO TREM NÃO TRAVADO EM BAIXO E VEL. ABAIXO DOS 100KT

SOM CONTÍNUO FREQÜÊNCIA CTE SOM CONTÍNUO FREQÜÊNCIA 2 S SOM INTERM. FREQÜÊNCIA 0,8 S SOM INTERMITENTE SOM INTERMITENTE E FREQÜÊNCIA 0,75 S

NÃO NÃO NÃO SIM SIM

CESSAR A CAUSA CESSAR A CAUSA CESSAR A CAUSA CESSAR A CAUSA OU PRESSIONAR A MOLDURA 1PRESSIONE O BOTÃO CANCELA BUZINA TREM 2AVANCE A MANETE 3TRAVE O TREM EM BAIXO 1RECOLHA OS FLAPES 2TRAVE O TREM EM BAIXO

NÃO

BANDEIRA U/C CICLANDO

NÃO

12-

TRAVAR O TREM EM BAIXO AUMENTAR A VEL.

GRUPO MOTOPROPULSOR

Estol: 5 a 10 kt acima da vel. de estol, 2 a 3 kt buffet. G excessivo: 5,5g. Sobrevelocidade: 291 kt. Buzina trem: 76 ± 3 ng (intermitente) . Buzina flape: 24° +4 –1(constante). BIP: comutado no VHF(teste- 124,35), energizado c/ a trava do trem (baixo). Luzes: Gerador: inoperante, desconectado. Capota: destravada. Press óleo: 40 PSI. Press Oxigênio: 80 ± 10 PSI. Temp BAT: 150°F/ 65,5°C. Press hidr. EMERG: 1500 ± 75. PSI(acumulador). Press hidr. PRINC: 18 ± 1 PSI(linha). Baixo niv de comb: 73 lb/42l(utiliz.). Limalha: limalha no óleo. Beta: beta aberta. Flape: baixamento assimétrico, ruptura ou sobretensão dos cabos. Disjuntor: ≤10 A. Bateria: inop ou desc(BAT INT/EXT). Conversores: falha ou desligados. 115/26: perda. Press comb: 2 psig(antes da FCU). Filro Hidr: 70 ± 10 PSI. Filtro comb: diferencial 1,4 psi, 2 psi by pass. AR cond: alta press(285 ±10 psi). Giro livre: desacoplado.

Motor: fluxo reverso, turbina livre. 7 estações: P1T1(entrada de ar motor), P2T2(entrada do compressor), P3T3(entrada câmara de combustão), P4T4(saída câmara de combustão), P5T5(interturbinas), P6T6(saída turbina de potência), P7T7(Saída escapamento) 1 Compressor:Est.(3 axiais e 1 centrífugo). Estágio Centrífugo: evita o turbilhonamento do ar em baixo da câmara anular. Estágio Estator: diminuir vel.e aumentar pressão estática. Taxa de compressão: 7:1 do ar. Taxa de redução: 15:1(5:1 e 3:1) (hélice). Acoplamento entre as turbinas é gasoso. Finalidade do giro contrário das turbinas: Diminuir torque, melhorar ângulo de incidência na outra turbina. T. gases: 37500(100%)- 38100(101,5%), sentido trigonométrico(anti-horário). T. potência: 33000(100%), 2200(hélice), sentido horário(caixa de redução). Sequência: bocal de admissão, câmara anular(tela metálica), compressor axial, c. centrífugo, câmara de combustão(anular), turbinas, escapamentos.

2


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

3

VÁLVULA DE SANGRIA: P 2,5 > P3 Abaixo de 86 %ng – totalmente aberta, De 86 a 91 – transição(estol parcial -interestágios), Acima de 91- totalmente fechada (estol de compressor: descolamento da camada limite das palhetas do compressor – estol total). Inclinação do motor: 3,3° p/ baixo, 2,3° p/ direita. Rolamentos do motor: 6 eixos, com 3 semi-eixos(1°-esfera/rolete, 2°rolete/esfera, 3°-rolete/esfera). As esferas não permitem o movimento do eixo(horizontal), os roletes além de permitir o movimento, também têm uma melhor lubrificação.

00/121 Leal(LEA) 4 bombas de retorno- 1 engrenagens, 1 rolamentos(não retorna no dorso), 2 assessórios. Radiador: válvula termostática(maior que 60°C: passa pelo radiador). Temp mín óleo no trocador: 55°C(na dep). Radiador entupido: 45 ±5 psi (by pass). Consumo de óleo: ± 0,2 lb/h. Abaixo do normal(75psi):dorso e término de vôo (utilizar Ng < 72%) Abaixo de 40 psi: dorso, acrobacia até 20s. O rolamento n° 2 : tem os selos labirintos dos dois lados das parades e é o que possui a bomba.

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

SISTEMA DE CONTROLE DE COMBUSTÍVEL

Óleo: MIL L 23699 Lubrifica: Rolamentos do motor, engrenagens de redução, servomecanismo de hélice, e acionamento de acessórios* (bombas de combustível e hidráulica, taco-gerador de Ng, arranque-gerador e bomba do compressor ar.cond). 2 tanques: principal e auxiliar(em baixo). Capacidade total: 10,6l/2,8galões. Marcações: quartos, max/mín- cold e hot A marcação hot do motor é confiável 10 à 15 min após o corte. Dreno: inferior do tanque auxiliar. Suspiro do tanque: valv. por gravidade 6 bicos injetores do óleo. Seloslabirintos(são ranhuras nas paredes do motor): pressionam o óleo para dentro dos rolamentos(selando-os), porque sob alta pressão ele não penetra. Bomba:dentro do tanq. Princ.(75 a 95psi). Válvula de alívio: óleo retorna à bomba, evitando que varie com Ng ( quando a manete é reduzida a valv. , injeta o óleo). Válvula de derivação(termostática): temp do comb( trocador de calor).

Drenos: 2 na câmara combustão(corte), 1 no divisor de fluxo(corte) e 1 na FCU(partida, p/ não ultrapassar o limite de T5). Coletor de drenos + válvula de alívio: retornam ao tanque interno esquerdo. Válvula de alívio: após a junção das linhas, 35 psi. Trocador de calor: <21°acionado 21°<x<32° intermitente >32° não funciona. Malha fina, bomba, malha finíssima Bomba: 350 a 800 PSI, Marcha lenta: 300 psi, Normal: 600 psi. FCU/unidade hidropneumática(fluxo de comb):temperatura do ar externo e quantidade do ar admitido (P2), rotação de hélice. Sistema: FCU, divisor de fluxo e governador(válvula beta/reverso). Seções da FCU: hidropneumática, governadora e medidora. Transmissor de fluxo: tipo turbina, junto com o contactor manométrico, transmite o fluxo ao computador. 3


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

00/121 Leal(LEA)

4

Divisor de fluxo: divide a tubulação, Primária: 10, pressão c/ o movimento da manete, Secundária: 4, pressão c/ 33% Ng. Corte: fecha a FCU, um pistão fecha o divisor e abre o seu dreno. Linha de retorno do combustível: do FCU para a bomba(absorve os picos). Governador: CSU(rotação constante), Seção governadora da turbina de potência(2% a 6%- sinal para a FCU). TCU: recebe sinal da Py, envia sinal pra FCU. Py: é enviada p/ seção gov. da FCU, p/ gov. da hélice e p/ o torque (não funciona, na teoria teria que limitar o torque até 1795).

Pistão-servo: raiz da pá, no bordo de fuga, passo mínimo (fechada). Caixa de redução: governador da hélice, taco-gerador, governador de sobrevelocidade. Molas e contrapesos: passo máximo Embandeiramento: no corte( válvula piloto- rápido escoamento do óleo,mola), em vôo(válvula solenóide- B. principal). Beta: assegura o passo mínimo de vôo (fechada). Beta aberta: táxi e reverso. SOBREVELOCIDADE Governador de sobrevelocidade: atua num sistema mola-contrapeso, 106,2% Nh a força dos contrapesos passa a da mola e abre uma linha de retorno para o óleo (válvula piloto).

SISTEMA DE IGNIÇÃO: Barra de emergência, 2 velas e dois cabos SISTEMA DE PARTIDA: Barra principal, GCU(desacopla o arranque) PARTIDA EM SECO: seca os ignitores (desafogar).

MANETE Resistência: de MIN p/ BANDEIRA 1 à 4kg(regulado p/ 2kg). Atua: FCU, governador, beta. CORTE: fluxo cortado, hélice bandeira(válvula piloto). FAIXA DE CORTE: entrada de comb, hélice bandeira(válvula solenóide). MÍN: 67 ±1% Ng, 90% Nh “selecionada” Tempo p/ obtenção de tração: 30s. TÁXI: 54 ±1% Ng( mínimo no solo), passo chato, faixa de 97 dB. Acoplamento do ar cond + gerador: perda de 2% de Ng (marcha lenta ou táxi). REVERSO: 85 ±1 Nh, 1892 RPM, 400 à 800lbs/tq, 101,5% Ng, 708 shp, restrição de 40 kts ou 1 min. MÍN/MÁX:

SEPARAÇÃO INERCIAL Pistas não pavimentadas ou sujas, chuva, neve ou gelo. Perda de potência e aumento de T5 Mudança abrupta no fluxo de ar AQUECIMENTO Px B. principal Resistências de P3 e Py TAE menor que 5° Px: enriquecimento(FCU) Py: governador HÉLICE

NG

Tamanho: 45° polegadas. Tripa, metálica, rotação constante, embandeirável, passo reversível.

6 7 + -1

9 2 + -1

9 5 + -1

1 0 1 ,5

90

90

100

9 9 -1 0 0

NH

4


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

5

Mínima rotação da Ng:52%(19500 RPM) MIN/CORTE: curso(min/bandeira)-4mm. Passo mínimo em vôo: 16,2°. Passo máximo: 88°,1. Reverso: -11°(±0,5°). Quando o motor afoga em vôo o passo tende a ir para mínimo, até que se embandeire a hélice. Ângulo pick up é aquele que de 2° a 4° abaixo dele a hélice tende a ir para passo mínimo de vôo. Nh selecionada é aquela regulada a partir do torque( 200 à 280 c/ 83%de Nh).

00/121 Leal(LEA) PARTIDA EM VÔO(sem arranque): 10000ft/190 kt Superaquecimento: abaixo de 190 kt, acima de 14000ft e menos de 10% Ng. (Partida em seco): mínimo 24 V. (Com arranque): mín 100 kt, Max 20% Ng, Barra normal, min 23 V.

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL Tanques interligados por 2 tubulações e uma válvula-flape(externo p/ o interno). Tq ext/int: gravidade. Interno/alimentação(10ltrs): bomba ejetora(12 a 17 psi, pressão primária da bomba elétrica). Sistema: Pescador móvel, 4 bombas elétricas (paralelo), válvula unidirecional, junção, v. de alívio(35 psi), filtro(1,4psi) entupimento iminente >2 by pass), v. de corte(comb e óleo hidr), sistema de controle de combustível(FCU). Tomada de press comb: após a v. de corte, antes da FCU(não se deve voar no dorso com menos de 300Lb-total). Espuma plástica antiexplosiva: T. interno. Dreno: reservatório de alimentação. Válvula de corte manual: saída do reservatório de alimentação. Total de bombas: 7 + 2(sub). Bombas elétricas(evitam volatização, não voar acima de 14000ft com pane elétrica total): pressão mínima de funcionamento de 7psi,desligam c/ 100Lb(total) de combustível. Para evitar cavitação da bomba mecânica, desligar bombas elet.Ng 0%. Luzes testemunhas(6): verde(1p),azul(2p). Tempo de vôo com somente a bomba mecânica: 10h (cavitação). GAV: 150h p/ manutenção. Ventilação: entrada NACA, supressor de chamas(raios), válvulas

INSTRUMENTOS DO MOTOR Torque: 26 V AC, 300-1795 lb.ft Nh: s/energia, 81-100 % RPM T5: s/energia, 400-740-790 °C (termopar em paralelo) Ng: s/energia, 50-101,5 % RPM Press óleo: B. princ, 40-75-95 Temp óleo: B. princ, 0-10-99 Fluxômetro: s/energia, lb/h SISTEMA DE DETECÇÃO DE FOGO São filamentos que correm o motor. O sistema funciona com temperatura mínima de 160 °C. Barra de emergência. 455°C a 1 min. Localização: colado na parede de fogo, na parte dianteira da caixa de assessórios. obs: se os dois testes forem acionados ao mesmo tempo, não vai funcionar. PARTIDA: pico de t5 a 33% Ng, a partir de 12% a arranque gerador passa a assistir até 45 a 50%(arranque-gerador e ignição fora). Perda de partida: 30s, partida em seco, fonte externa (no caso de sobretensão, rearmar os conversores) Tempos: 30s/3min(2x)/30s/30min, 3x30s em vôo seqüenciais.

5


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

6

unidirecionais( superior de tq externo e inferior do tq interno, interligadas), válvula de alívio (35 psi nos tanques externos). Nível de comb: bóias e vareta magnética (inclinação máx- 2% ou 1,15°). Baixo nível de comb: unidade de retardo (temporizador)- 60s (40s p/ confirmação). Teste:BAT INT, 5s acende,após 10 apaga Transmissor/detotalizador = total – fluxo. Capacidades: Total 1190 lb/694 l, Utilizável 1151 lb/670 l, Não utilizável 39lb/24 l, Subalar 320 l/330 l(utilizável -10). 4 bóias, 2 no externo e 2 no interno. Atuação da bóia do tq ext: acima de 263lb Desbalanceamento máx: 265 lb/120 kgf, Instrução: 100 lb, Parafuso: 200 lb . Subalar: transferir quando o externo estiver 1 quarto baixo. Densidade do QAV-1: 0,779 kgf/l. Bocal de abastecimento: 3 pol.(diâmetro), suporta pressão de 50 PSI. Valv. de corte: lig. à B. de emergência.

00/121 Leal(LEA) Vantagens: corrente contínua até o final da carga, boa relação energia/peso baixa resistência interna, carrega-se rápido, estável e longa vida, elementos originais podem ser substituídos. Desvantagens: Alto custo, atenção quanto a temperatura. Bateria de emergência: 24V DC, 2,6 A/h durante 20h, 40 min(mínimo), entra com tensão menor que 19V(B. emergência) e sai com 21 V, alimentada pela B. principal(diodo), alimenta o horizonte reserva(BAT INT) . Fonte externa: 29V DC, 800 A(mínimo). Barra principal: 29V DC, alimentada pelo gerador, bateria ou fonte externa. Barra bateria: cirquito quente. Barra de emergência: 29V DC, alimentada pela B. principal, não é possível dar partida com arranque. Conversores: transformam 29V DC em 115/26 V AC 400 Hz(sob o assento diant). Conversor principal: B. principal, 250 VA, alimenta 115/26 e 115/26 emerg. Conversor reserva: B. de emergência, 125 VA, alimenta 115/26 de emergência, sempre energizado, mas não alimentando. Falhas: cai B. principal/conversor principal/115- troca automática p/ reserva cai 26 – a outra cai tb, troca de conversores feita pelo piloto. 115: relé de transferência/ relé seletor, acendimento da luz(troca automática) e acoplamento rápido. 26 principal: torquímetro. 26 reserva: ponteiros do VOR/ADF e girobússolas do HSI(2p) e RMI(1p e 2p).

SISTEMA ELÉTRICO Gerador: fonte primária, 29V DC, 6 kW, 200 A/ 250(5 min), Rotação mínima para carga total- 65% Ng (144 A de 28° a 35°). UCG: controla e regula o campo do arranque-gerador na partida, consumo de corrente e possíveis sobretensões. UCG desativa o gerador: consumo>250A/5min(Bat. Desl, UCG pressione, gerador rearma), tensão reversa>11A, Dif.tensão 120A, sobretensão>32±1V. Bateria: fonte secundária, Ni-Ca 25,2 V DC, 26 A/h durante 5 horas, tempo c/ B. de emergência - 30 minutos, perto dos pés(1p), com menos de 20Vmanutenção, tensão mínima p/ partida: 23V.

TEMP BAT- 150°F ou 65,5°C. Teste: aquece as resistências, simulando ( só deve ser feito no solo). FONTE EXTERNA: desliga o relé do gerador com a B. principal.

6


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

00/121 Leal(LEA)

7

SISTEMA HIDRÁULICO

O trem pode ser baixado s/ energia elétrica, mas não pode ser recolhido(o amortecedor quando distendido energiza uma solenóide e essa tem a função de destravar o trem embaixo).

Óleo: MIL H 5606B. Pressão nominal: 2100 PSI. Reservatório: 1,9 l(utiliz.), volume total min. 2,7l. Luz hidr. Princ: 18±1 (pressão proporcional, contactor em paralelo, função: ser mais preciso. Luz filtro: 70 ± 10 PSI. Pressão operacional do reservatório: 10 psi, tensão 24V e circuito de 5A resistivo. Nitrogênio: 1000 ± 20 PSI (BB-N-411, tipo 1, classe 1, grau B). Válvula de carregamento do sistema de emergência: três vias, aciona com pressão abaixo de 1850 psi no acumulador c/ as pernas travadas em baixo(pq se houver um vazamento no acumulador esse não irá esvaziar c/ o trem recolhido).

ABAIXAMENTO EM EMERGÊNCIA Usa a pressão do acumulador (2100 PSI). Óleo para portas e trem simultaneamente, Válvulas restritoras atrasam a perna da trem de pouso (faz a seqüência). Pode ser recolhido pelo sistema normal. Proteção:trava a alavanca mecanicamente (amortecedores distendidos- solenóides energizados). Tempo: 9s. Altura mínima: 200 ft. SISTEMA DOS FREIOS Circuito duplo independente do sistema hidráulico. Reservatório duplo. 2 válvulas de prioridade (cada roda). Vel. Máx. de freagem c/ configuração de aterragem na AFA: ± 100 kt.

TREM DE POUSO Tricículo, retrátil, roda simples, hidráulico, escamoteável. Porta externa: mecânica. Porta interna: hidráulica. Bequílha conjugada c/ o leme (desacopla quando recolhida). Dispositivo mecânico centraliza a roda durante o recolhimento. Possui anti-shimmy. Pressão: bequilha(65 ±3), principal(75±3) Abastecido c/ nitrogênio (classe 2).

FLAPES Barra principal. Tipo fenda simples, motor elétrico (atuador linear, transmissões flexíveis). Subsistemas: comando, controle, atuação, interligação mecânica e indicação. Entalhes: seletora dianteira (cima 0°, dec 12°, pouso 35°). Teleflex: seletora traseira e flape direito (compara as indicações). Atuador linear: transforma movimento rotativo em linear. Tempo de baixamento/recolhimento: 12/11 seg (recolhe mais rápido). Buzina trem: sist. de controle (24°+4-1)

SISTEMA DE ATUAÇÃO Acionamento e travamento mecânico, Seqüência: alavanca(mecânica), unidade de controle(sequenciamento), porta, trem, porta, alavanca em neutro, retorno. Tempo: 11 a 15 seg. Trava mecânica (dentro do cilindro) 2 micros de posição+1 de recolhimento(na alavanca+solenóide). Estribo conectado mecanicamente. 7


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

00/121 Leal(LEA)

8

Interligação mecânica: cabos, polias, bielas, guinhóis, detector de falhas (luz flape). Indicação: flape esquerdo.

2000-6000ft(1000). Indicador de curva: barra principal, Ponteiro igual a largura- 1,5°/s 360°/4min Ponteiro coincidente- 3°/s 360°/2min. Cronômetro: corda p/ 8 dias. Horizonte principal: B. emergência, botão de ereção (energiza a sistema). Horizonte reserva:B. emergência/bateria de emergência. TAE: barra principal (elétrico). Acelerômetro: -5g a + 10g. Medidor de fadiga: B. principal, micro no trem esquerdo (desativa no pouso), -2,5 -1,5 -0,5 +2,5 +3,5 +4,5 +6,0 +8,0 Interruptor do horizonte traseiro: desenergiza e energiza.

COMANDOS DE VÔO Compensadores: anti-servo, acionados eletronicamente, porém leme e aileron possuem movimentos automáticos (molas de atuação, ponto de equilíbrio). Interruptor traseiro tem prioridade. CORTE CPENS: aileron e profundor (manche).

SISTEMA ANEMOMÈTRICO

CAPOTA

Naceles independentes, pitot esq-1p, dir2p, estat cima-1p, baixo-2p. Aquecimento do pitot dianteiro: B. de emergência. Aquecimento do pitot traseiro: B. principal. Câmara amortecedora (flutuações rápidas), dreno (reservatório da água c/ dispositivo para dorso). Temperatura mais propícia p/ formação de gelo: 8° a -10°. Velocímetro: UC intermitente(menor 100 kts e uma das pernas não travado)UC permanente(falta de energia elétrica).

Seqüência: alavanca, punho, faca (lâmina voltada para si). Punho de ruptura: cabo de 3m(novo)/5m. Punho de ejeção: somente no solo. Divisória: evita estilhaços no 2p.

ASSENTO EJETÁVEL MK BR8LC (70 kt/30°). Peso do assento: 63 kg. Tempo max de ajuste: 1 min/8 min. Curso do assento: 13,4cm/10s. Vel do ajuste do assento: ±0,0048 km/h. Altura de ejeção: 26m/86ft (0-70kt). Velocidade: 21 m/s(0-70kt). Aceleração: 14/16g(0-70kt). Total de cargas: 9 (2 de emergência). Recolhimento dos ombros: 0,2s. Retardo da drogue: 0,5s (0,4 a 0,6). Retardo da barostática: 1,5 (1,4 a 1,6). Altura de acionamento da barostática: 16400ft (AFA- 16400ft a 19400ft). Altura mínima de ejeção no dorso:300ft/200kt. Altura mínima de ejeção na faca: 140ft. Altura mínima de decisão: 2000ft (abaixo transforme velocidade em altitude)

INSTRUMENTOS DE VÔO Velocímetro: faixa amarela móvel (operação somente em ar calmo). Vel. de melhor penetração em ar turbulento: 110 a 180 kt. Altímetro: -1000 ft a 50000 ft. Esq- milibar, dir-polHg. Teto de serviço: 30000 ft. Teto operacional: 25000 ft (plexglass). VIB/COD: vibrador elétrico (erros de atrito), codificação p/ o transponder/C Climb: 0-1000ft(100), 1000-2000ft(500)

8


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

9

00/121 Leal(LEA) AR REFRIGERADO: Freon R-12, 15° a 22°C, acoplamento e desacoplamento do compressor, por meio da embreagem eletromagnética, regulado pelo bulbo Temperatura para acoplamento do compressor independente do reostato: 22° AQUECIMENTO:Ar de sangria (P3),sai a uma temperatura de 180°C a 260°C a uma pressão de 115psi e junta-se c/ o ar ext/int. VENTILAÇÃO: entrada NACA, plenum, bocal. Ventilador de recirculação, válvula flape, evaporador (todos atrás do assento do 2p). Proteções- desarma com: gelo no evaporador, baixa pressão, dorso (10s) e rearmam automaticamente. No caso de alta pressão (285 ±10psi), o rearmamento é manual. Separador de óleo: Entre o condensador e o compressor, retira as gotículas. Pressão acima de 440psi: Válvula de alívio alija o Freon. Reservatório desidratador: dreno de água. Pressão normal: 180±25psi. Visor: verde(seco), âmbar(úmido).

Altura mínima de ejeção no parafuso: 3000ft. Condições incontroláveis: 5000ft. Carretilha inercial: trava a 3,5g. Distância do centro do joelho ao centro da restritora:15cm(4 dedos abaixo do joelho) Fitas de retração: presas ao piso da anv por pinos cisalháveis. Distância até que o assento se separe: 72° polegadas(tubo interno se solta do tubo intermediário). SISTEMA DE EJEÇÃO Tubo externo: fixado à estrutura da anv por 2 pontos e trilhos. Tubo intermediário: prolonga o curso do canhão. Tubo interno: possui dispositivo trava na extremidade (preso ao assento). Canhão: 3 cargas (1 princ e 2 aux), Carga principal: parte alta do tubo interno (percussão). Cargas auxiliares: tubo externo (gases quentes), mantém o empuxo. Pinos de segurança: 5 (punho, drogue, barostática, sobrepujamento, unidade de disparo). Paraquedas: aerocônico, abertura não explosiva, porém rápida, baixa carga G. Sobrepujamento: só é possível com o acionamento do sistema normal. Fita do conjunto de sobrevivência: 4,6m. Seqüência: punho, suspensórios, inicia o movimento, pernas recolhem, desconecta oxig/eletr, aciona oxig de emerg, quebra capota, drogue, barostática. (simultaneamente são liberados os suspensórios e correias de amarração, ficando o assento preso por clipes, que são soltos após a abertura do paraquedas).

SISTEMA DE NAVEGAÇÃO E COMUNICAÇÃO SISTEMA DE ÁUDIO: PTT(press to talk). Recebe: VHF1, VHF2, NAV, DME, MB, ADF. Transmite: VHF1, VHF2. Interfone: HMIC, CMIC. Emergência: s/ controle automático de ganho. Sistema VHF: 117,000 a 135,975MHz (25kHz). Operacional: 118,000 a 135,950MHz (50kHz). Sistema ADF: 200 a 1799kHz (0,5kHz). Sistema NAV: VOR, ILS, MB

SISTEMA DE AR CONDICIONADO

9


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

10

VOR/LOC: 108,00 a 117,95MHz. (50kHz), Freq- permite visualizar freq do DME em hold , GS: 329,15 a 335,00MHz (150kHz) e (75MHz) no MB, LOC: 108,10 a 111,95MHz(décimos ímpares).

00/121 Leal(LEA) DME:Collins DME40/240km ADF:Collins ADF60A+CTL61/220km TDR:Collins TDR90+CTL91/240km NAV PICTORIAL Ao ligar fica 1 min em acoplamento rápido (300°/min). Normal: 3°/min Acoplamento rápido: 115 V AC

TESTE NAV Com sinal VOR: pressiona (ponteiro centra, bandeira fora, TO, RMI 0/5°), solta (ponteiro mexe, bandeira dentro, RMI 90° com a anv), 5s (ponteiro espirra, bandeira fora, RMI aponta). Sem sinal VOR: pressiona (ponteiro centra, FROM), 3s (bandeira fora, RMI 0/5°), solta (ponteiro centrado, bandeira dentro, TO/FROM some, RMI 90° anv). Com sinal LOC: pressiona (bandeira fora, ponteiro 2/4 pontos, bandeira GS some, GS 1 ponto abaixo), solta (bandeira dentro), 5s (ponteiro espirra, bandeira fora). Sem sinal LOC: pressiona (bandeiras somem, ponteiro 3/4 pontos à dir, GS 1 ponto abaixo), solta (ponteiros posição inicial, bandeiras dentro).

SISTEMA DE ILUMINAÇÃO Iluminação interna: cabine (2 e projetor de mapas), painéis (subminiaturas), instrumentos (reostato). Emergência: Cai B princ- projetor de mapas e cabine. Cai B. emerg- luzes do horizontes reservas. Obs: o GPS possui bateria própria. Iluminação externa: farol de táxi (450W e regulagem vertical), farol de pouso (450W e regulagem longitudinal e vert). Tempo max:10s(pouso AFA),2min(solo) Luz de formação: nariz(horizontal) e deriva(oblíqua). Luz de posição: mesmo reostado da de formação(max caso formação desligada). Luz anticolisão: estroboscópica, 15NM.

HSI/RMI: cada ponto vale 2° na radial (VOR),ou 0,5° no loc(ILS) e 0,35° no GS HSI 1p único instrumento AC que não usa conversor (possui conversor próprio e é ligado diretamente à barra de emerg.). SISTEMA DE DME: teste(3 min)- 2999, 8888, após 8 a 12s indica. Hold: mantém a freq do DME independente de variações do VOR. TRANSPONDER: botão IDENT (acende quando é interrogado/teste).

SISTEMA DE OXIGÊNIO Oxigênio: MIL O 27210. Cilindros: Nordon, baixa pressão, não estilhaçável, especif.: MIL-C-5886-D. 6 cilindros D2 (49,2 l/8,2 l). Pressão Max/min: 450/50 psi. Abaixo de 50 psi (mais de 2h), descontaminar com tricloroetano (na AFA usa-se nitrogênio). Pressão abaixo de 100 psi voar abaixo de 10000ft. Acima de 30000ft é fornecido O2 puro Oxigênio de emergência: 1800 psi,10min, 55 litros.

MARCAS E ALCANCE Áudio: Av Tech/cabine. VHF:Collins VHF20A+CTL 21/horizonte VOR:Collins VIR31A+CTL 31/horizonte

10


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

11

00/121 Leal(LEA) Abaixamento do trem normal: 145kt, Abaixamento do trem em emerg.:110kt, Recolhimento do trem: 120kt, Trem baixado: 146kt, VNO: (0 a 18500ft)-235kt, VNE: (0 ft)-284kt, VNE: (13700ft)-289kt, (30000ft)-206kt, Mergulho liso: 314kt, Mergulho estrutural: 316kt, Do assento: 400kt, Configuração de pouso(estol): 67kt.

EQUIPAMENTO DE EMERGÊNCIA TLE: bateria tipo alcalina(18 meses, operação contínua 48 horas). Freq: 121,5 MHz/243 MHz. Não opera submerso. ARM: aciona o TLE com 5g de desacelaração longitudinal. BAGAGEIRO: 0,58m altura, 0,55m largura.

LIMITES G Flap dec ou pouso: 0 a 2g. Acima de 2550Kg: -2,2 a 4,4g. Liso: -3 a 6g. Asa francesa(nova): -3,5 à 7,0g.

LIMITES Torque: verde(300 a 1795) vermelha(1795) NG: verde(50 a 101,5) vermelha(101,5) NH: verde(81 a 100) vermelha(100) T5: verde(400 a 740) amarela(740 a 790) vermelha(790) Pressão do óleo: min(40) amarela(40 a 75) verde(75 a 95) vermelha(95) Temp óleo: amarela(0 a 10) verde(10 a 99) vermelha (99)

PESOS MÁXIMOS Dep: 3175Kg Pouso: 2800Kg 0 comb.: 2050Kg Instrução: 2600Kg OUTRAS LIMITAÇÕES Vento cruzado: 25 Kts de componente lateral Temperatura: -45° a 50 Pista: 400m (min). Vel. de espera: 140kt.

TEMPO DO MOTOR P/VÔO ACROB

INFORMAÇÕES EXTRAS

Vôo invertido: 30s. Vôo vertical ascendente: 15s. Vôo vertical descendente: 3s/20s. Vôo de faca: 10s.

Melhor razão de planeio:1000/1200ft/min 2,3 NM p/ cada 1000 ft. PARAFUSO 1° volta- 30° cabrados, após 30° picados, praticamente não perde altura. 2° volta- de 30° a 50°, perde 100/200ft. 3° volta- estabiliza em 50°, 400/500ft.

VELOCIDADES MÁXIMAS Deflexão de aileron: 234kt, Deflexão de leme e profundor: 179kt, Flap Decolagem: 176kt, Flap Pouso: 148kt(min 66kt),

11


00/100 Eduardo Gomes(EGO) 00/071 Ráfare(RAE)

12

00/121 Leal(LEA) LIMITES DO MOTOR

Recuperação: 60°(com manche em neutro), perde 1000/1500ft, 2,5 G a ±180kt.

Aceleração:T5(850/2s), Ng (102,6%/38500/2s), Nh(110%/2420/36300). Partida: T5(1090/2s e 925/10s). Marcha lenta(táxi): T5(685°C) Reverso: T5(790), Ng(101,5%/38100), Nh(86%/1892). Para cada 10°C abaixo de -30°C perde-se 2,2%Ng.

Mínima recuperação: após a aplicação dos pedais, meia volta, manche em neutro, e aguarda 1,5 voltas. Se largar os comandos sai c/ 3,5 voltas. Perda máxima no estol: 600 ft. Estol s/ motor: 200 lb/ compensado(90kt). Estol c/motor:1000lb/compensado(100kt) Recuperação de mergulho: 3 Gs. TURBULÊNCIA DO AR 0-6000ft: fraca, 6000-10000: moderada, 10000-20000: severa, 20000-30000: moderada, Acima de 30000: fraca. BARRA DE EMERGÊNCIA R- Rádios/inst(áudio normal, VHF1, VOR, ADF, TDR, trans. Rádio, horizontes, giromagnética, pitot-1p). A- Armamento (salvo). E- Elétrico (conversor reserva). L- Luzes(cabine e projetor). CO- Combustível (b. auxiliares, V. corte) M- Motor (ignição). A- Alarme (geral vermelho, fogo, temp bat, sonoro e painel de avisos). TREM- Trem (comando e indicação). REGRA DE ALCANCE (altitude-4000ft)/1000x2= NM PARÂMETROS DE VÔO Dep: Torque (1300-1795) Ng (97,5% 2,5s-4s) Nh (97%) Tempo de parada da hélice: 28s (min).

12

PICUINZÁRIO(hot)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you