Issuu on Google+


HOUS PUBLICIDADE


SE D1 PUBLICIDADE


GOVE PUBLICIDADE


ERNO PUBLICIDADE


Índice

foto Raoni Barbosa

9. Editorial

foto Raoni Barbosa

18. Opinião 22. Ponto de Vista: Elivaldo Barbosa

POLÍTICA 24. Eleições Reviravoltas da política 30. Economia e Negócios

CAPA 54. Educação A tirania do ensino

ECONOMIA 32. Alimentação Carne bovina: artigo de luxo?

12. Páginas Verdes Joaquim Costa concede entrevista à jornalista Dina Magalhães

42. É a Lei OAB-PI garante desconto para o jovem advogado

43. Cidade Verde Amarela A Copa a serviço das ditaduras

foto Isabella Sá

POR YALA SENA

O blog vai virar livro! “É a união da escritora com a blogueira”. Foi assim que Clara Mello, autora do Blog da Clara, definiu seu próximo livro, que sairá pela Editora Cidade Verde. A publicação, com patrocínio da Faculdade Santo Agostinho, será uma coletânea das postagens da página, que é uma das mais acessadas do Cidadeverde.com. O anúncio foi feito durante um bate-papo com os internautas, na Oficina da Palavra, no último dia 16. Na oportunidade, a jovem escritora revelou também que pretende escrever para o cinema e que já trabalha na produção de um roteiro. 6 | 26 DE JANEIRO, 2014 | REVISTA CIDADE VERDE

Casa de Zabelê na internet A Casa de Zabelê agora tem um hotsite para divulgar a programação de atividades e eventos realizados dentro da instituição. No endereço Casadezabele.com. br o internauta encontra também informações sobre os produtos que são confeccionados pelas meninas assistidas. Aberta ao público desde 29 de agosto de 2006, o objetivo da instituição é prestar atendimento psicossocial e educativo a crianças e adolescentes do sexo feminino em situação de vulnerabilidade.


foto Raulino Neto

17. A observadora Jeane Melo

GERAL 68. Trânsito Sem cinto? Sinto muito!

Artigo de primeira

63. Ipê

GERAL 73. Comportamento A etiqueta do amor

GERAL 36. Meio ambiente Mudanças climáticas, um alerta?

Fonseca Neto

Nos vagões da história

72. A magia das datas

76. Vida saudável: Vinícius Vainner

Cineas Santos Chão Batido

78. Viver Bem: Liana Aragão

51. Tecnologia

84. Gente Perfil com o coreógrafo e escritor Chico Terto

66. Coreto: Francisco Magalhães

90. Flash da cidade Jacqueline Dourado

82. Cerapió 2014 Joelson Giordani Auto Mundo

89. Recomeçar sempre Pe. Tony Batista Sinal de Deus

Craques do Piauí em destaque O Cidadeverde.com iniciou uma série de reportagens com jogadores piauienses que atuam no exterior. “Do lado de lá”, mostra a visão dos atletas sobre as seleções de futebol dos países onde vivem, meses antes da Copa do Mundo. Eduardo, do Ajaccio, da França, e Paulo Araújo, que estava nos Estados Unidos, foram os primeiros entrevistados. Você confere as matérias semanalmente no hotsite www.cidadeverdeamarela.com.br.

Matérias

Colunas/Blogs

Jovens esfaqueiam adolescente na zona Sul e postam foto no Facebook - bit.ly/CrimeFacebook

Péricles Mendel

Enem: aluno do 2º ano, de Cocal dos Alves, conquista vaga para Medicina - bit.ly/CocalEnem

Porteira

Temporal arrasta carros e deixa famílias desabrigadas em Teresina - bit.ly/TemporalTeresina

Tempo Real

Colisão com camionete mata três em acidente na PI-113 - bit.ly/AcidentePI113

Sim, eu aceito

Polícia encontra corpo esquartejado e em sacos às margens do rio Poti - bit.ly/esquartejadaPoti

Na Esportiva

REVISTA CIDADE VERDE | 26 DE JANEIRO, 2014 | 7


A Revista Cidade Verde é um periódico quinzenal da Editora Cidade Verde Ltda. A Cidade Verde, não necessariamente, se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo esse último de inteira responsabilidade dos anunciantes. É proibida a reprodução total ou parcial desta obra através de qualquer meio, seja ele eletrônico, mecânico, fotografado ou gravado sem a permissão da Editora Cidade Verde. Presidente: Jesus Tajra Filho Conselho Editorial: Jesus Tajra (presidente) José Tajra Sobrinho (vice-presidente) Conselheiros: Amadeu Campos, Dina Magalhães, Fonseca Neto, Jeane Melo, Nadja Rodrigues e Yala Sena Diretoria da Editora Cidade Verde: Elisa Tajra

Liana Aragão, Marcos Sávio, Péricles Mendel, Pe. Tony Batista, Severino Filho e Zózimo Tavares

Diretoria de Assinaturas e Circulação: Clayton Nobre Riedel Filho e Valdinar Lima Júnior

Foto de capa: Raoni Barbosa

Diretoria Comercial: Cristina Melo Medeiros e Marina Lima

Revisão: Luiza de Marilac Veras Uchôa

Diretoria de Publicidade e Marketing: Jeane Melo, Caroline Silveira, Rafael Solano e Itallo Holanda

Impressão: Halley S.A. Gráfica e Editora

Editora Chefe: Dina Magalhães Repórteres: Arlinda Monteiro, Caroline Oliveira, Fábio Lima, Jordana Cury, Raoni Barbosa e Rosa Rocha

Colaboradores desta edição: Ascom Fiepi Editores de Arte/Diagramadores: Airlon Pereira Souza e Cícero Willison Ilustrador: Izânio Façanha

Revista Cidade Verde e Editora Cidade Verde Ltda Rua Godofredo Freire, nº 1642 / sala 35 / bairro Monte Castelo Teresina, Piauí CEP: 64.016-830 / CNPJ - 13284727/0001-90 email: revista@cidadeverde.com / fone: 86 . 3131 . 1750

Redação (articulistas): Cecília Mendes, Cineas Santos, Elivaldo Barbosa, Eneas Barros, Fonseca Neto, Francisco Magalhães, Jeane Melo, Joelson Giordani,

ASSINATURA


A escola ensina e a família educa Há algum tempo, meu filho apresentou a mim um texto que me emocionou profundamente. Era um artigo, de um autor desconhecido, que tratava da educação rigorosa que certas mães dão aos filhos e como aquela atitude formava o caráter, criava valores para a vida toda e norteava os garotos e as garotas em idade escolar. O texto com o título “As Mães Más” é narrado na primeira pessoa, como um testemunho de alguém que sofreu com o rigor da disciplina, mas que se tornou um adulto educado e um ser humano de princípios. Reporto-me ao texto para exemplificar quão importante é o papel dos pais na formação do caráter das crianças, e como determinados valores não se aprende nos bancos das escolas. A escola tem o seu papel como formadora educacional, no entanto, o pilar fundamental da formação de um ser humano se dá dentro de casa, na família. E para matar a curiosidade dos que estão se perguntando sobre o conteúdo do texto, peço licença para resumi-lo e apresentar um trecho que diz assim: “Um dia, quando os meus filhos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva os pais e as mães, eu hei de lhes dizer: eu os amei o suficiente para ter perguntado onde vão, com quem vão e a que horas regressarão? Eu os amei o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia. (...) Eu os amei o suficiente para ter ficado em pé junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam seu quarto; tarefa que eu teria realizado em quinze minutos. Eu os amei o suficiente para deixá-los ver além do amor que eu sentia por vocês: o desapontamento e também as lágrimas nos meus olhos. Eu os amei o suficiente para deixá-los assumir a responsabilidade de suas ações, mesmo quando as pe-

nalidades eram tão duras que me partiram o coração. (...) Essas eram as mais difíceis batalhas de todas. Estou contente, venci... Porque no final vocês venceram também! E qualquer dia, quando meus netos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva os pais e as mães, meus filhos vão lhes dizer, quando lhes perguntarem se sua mãe era má: sim... Nossa mãe era má. Era a mãe mais má do mundo. As outras crianças comiam doce no café e nós tínhamos que comer cereais, ovos e torradas. As outras crianças bebiam refrigerantes e comiam batatas fritas e sorvetes no almoço, e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne, legumes e frutas. E ela nos obrigava a jantar à mesa. Bem diferente de outras mães, que deixavam os filhos comerem vendo televisão. Ela insistia em saber onde nós estávamos a toda hora. Era quase uma prisão. Mamãe tinha que saber quem eram os nossos amigos e o que fazíamos com eles. Insistia que lhe disséssemos que íamos sair, mesmo que demorássemos só uma hora ou menos. Nós tínhamos vergonha de admitir, mas ela violou as leis do trabalho infantil. Nós tínhamos de lavar a louça, fazer a cama, lavar a roupa, aprender a cozinhar, aspirar o chão, esvaziar o lixo e todo tipo de trabalhos cruéis. (...) Por causa da nossa mãe, nós perdemos imensas experiências da adolescência. Nenhum de nós esteve envolvido em roubos, atos de vandalismo, violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime. Foi tudo por causa dela. Agora que já saímos de casa, nós somos adultos honestos e educados, estamos a fazer o nosso melhor para sermos pais maus, tal como nossa mãe foi. Eu acho que este é um dos males do mundo de hoje: não há mães más suficiente.” Dina Magalhães Editora-chefe

REVISTA CIDADE VERDE | 26 DE JANEIRO, 2014 | 9


NOVA PUBLICIDADE


Revista Cidade Verde 76