Page 1


Índice 04 EDITORIAL 06 TRANS-FORMAR 08 BODAS DE PRATA DA EPVL 10 ANO LECTIVO 2015/16 NA EPVL 12 QUALIDADE CERTIFICADA À EPVL 14 PEDDY-PAPER NO PARQUE DA CIDADE 15 CANDIDATOS A DEPUTADOS POR AVEIRO VISITARAM A EPVL 16 DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO 18 ALUNOS DA EPVL DISCUTEM ASSIMETRIAS INTERIOR/LITORAL 19 ALUNOS SENSIBILIZADOS PARA AS VANTAGENS DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 20 EPVL TESTOU EVACUAÇÃO DO EDIFÍCIO SEDE06 TRANS-FORMAR 21 ALUNOS DESCOBRIRAM A HIDROPONIA 22 EPVL UNIDA E MOBILIZADA NA LUTA CONTRA O CANCRO 23 ALUNOS DE DESENHO GRÁFICO ESTREIAM PROGRAMA DE VISITAS DE ESTUDO DA EPVL 24 ALUNOS DE GESTÃO DE EQUIP. INFORMÁTICOS VISITAM EMPRESAS DE AVEIRO E ÁGUEDA 25 VISITA À EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL ‘REAL BODIES’06 TRANS-FORMAR 26 NA EPVL, CONFERÊNCIAS SÃO ELEMENTO FUNDAMENTAL DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM 27 CONFERÊNCIA SOBRE POUPANÇA NO SEU DIA INTERNACIONAL 28 UMA MANEIRA ALTERNATIVA DE ENCONTRAR A DIVERSÃO 29 RETRIBUIR FOI O ‘DESAFIO JOVEM’ DOS ALUNOS DA EPVL 30 TORNEIO DOS PROFISSIONAIS MOSTRA EPVL COM OFERTA DESPORTIVA 31 HELP TEAM EPVL - PROJETOS DE VOLUNTARIADO 32 DIA DO OBRIGADO MOBILIZOU ALUNOS DA EPVL 33 ANIVERSÁRIO DO MARCIAL É (E CONTINUA A SER) DE FESTA NA EPVL 34 A EPVL JÁ TEM ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES 35 OFICINAS GASTRONÓMICAS DA EPVL PARA FÉRIAS MAIS DOCES 36 FUTUROS COZINHEIROS EMBRENHAM-SE NOS MISTÉRIOS DOS COGUMELOS 37 EPVL AJUDA EMPRESAS PARA SE CANDIDATAREM AO ‘CHEQUE-FORMAÇÃO’ 38 MUNICÍPIO DISTINGUIU EPVL COM MEDALHA DE MÉRITO MUNICIPAL NO DIA DO MUNICÍPIO 40 PROJETOS EPVL 42 MELHOR DO EMPREENDEDORISMO NA MEALHADA, MADE IN EPVL06 TRANS-FORMAR 44 PROJETOS DA EPVL PASSARAM À SEGUNDA FASE DO PRESTIGIADO CONCURSO NACIONAL 46 A PROVA DOS NOVOS RESTAURANTE PEDAGÓGICO 52 PADARIA DA ESCOLA 54 A EPVL - A PARTICIPAR NO PROGRAMA ECO-ESCOLAS0 56 EDUCAÇÃO ESPECIAL EPVL 58 EPVL: UMA ESCOLA SEM MUROS E ABERTA À COMUNIDADE 60 ALUNOS DA UNIVERSIDADE SÉNIOR CADES FICAM A CONHECER EPVL 61 EPVL PROMOVE INICIATIVAS PARA VALORIZAÇÃO DO SENTIDO COMUNITÁRIO DA REGIÃO 62 À CONVERSA COM... PROF. MARIA JOÃO SARAIVA 64 UMA ESCOLA, UM PROJETO DE VIDA - PROF. ANA PAULA MARTINS 68 TALENTOS EPVL 69 ENTREVISTAS - SÉRGIO GODINHO 70 ENTREVISTAS - LUÍS SANTOS 71 ENTREVISTAS - GONÇALO CORREIA 72 ENTREVISTAS - VASCO BICA 74 OFERTA FORMATIVA EPVL 2016/17


FICHA TÉCNICA REVISTA SABER + Nº2 Redação: Nuno Castela Canilho, Manuela Alves, Ana Paula Martins, Sónia Taira, Maria João Saraiva, Marlene Alves, Lina Pereira, Raquel Torres e Cláudio Machado Conceção gráfica e paginação: Cláudio Machado, José Oliveira, David Ressurreição, Edgar Pimenta, João Almeida e Mariyana Melnychuk Propriedade: Escola Profissional Vasconcellos Lebre (Escola Profissional da Mealhada, Lda) Impressão: Bastos&Viriato

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

3


EDITORIAL

Dr. Nuno Castela Canilho Diretor Geral

“Pelo fruto se conhece a árvore.”

Dizia o grande filósofo português Agostinho da Silva, que “O amor atinge, de pronto e pela sua essência, o que a inteligência e a vontade de obedecer atingem por desvios”. Uma frase típica de um filósofo, que dita do alto da inquestionável voz da sabedoria soa sempre de forma diferente, mais perene e irrefutável. Citamos esta frase porque o tema da presente edição é o do poder transformador que à Nova Escola é exigido por uma sociedade e uma comunidade que vai perdendo valores, referências e sentido do Bem e do Mal. Se para uns é garantido que a escola é o local da Instrução – como defendia o mestre Agostinho da Silva – “porque a Educação vem de casa”, para outros tem de ser, ainda, o local do afeto, do carinho, e ainda do despiste dos sinais de alerta, da atenção e da valorização do jovem como pessoa humana, plena e completa, mas em construção perpétua. A EPVL assinala neste mês de julho de 2016, as suas bodas de prata. Um quarto de século de vida dedicada aos jovens portugueses – somos uma escola da portugalidade, mais do que da região da Mealhada – dedicada ao trabalho e à valorização dos jovens pelo trabalho, e à valorização do trabalho como caminho para a satisfação, também chamada pelos filósofos de “Felicidade”. Fazemos a comemoração desta efeméride, no final de um ano letivo intenso, onde testámos todos os nossos limites – físicos e psicológicos, logísticos e anímicos, humanos e materiais. O ano letivo de 2015/16 foi o do limite. Um número recorde de alunos, congregados num número recorde de turmas, com um número recorde de cursos a funcionar ao mesmo tempo, num espaço no limiar da sua capacidade máxima. Conseguimos e, pelo teste a nós próprios, superámo-nos. Ainda assim, conquistámos

4

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

a certificação da Qualidade ISO 9001 para a nossa organização e executámos um plano de atividades intenso, repleto, completo e virado para a comunidade e para o exterior da escola. Vivemos o pior ano de que há memória do ponto de vista dos atrasos nos reembolsos do financiamento comunitário de que depende a escola. Mas conseguimos. Chegamos ao fim do ano exaustos. Com os níveis de resistência e resiliência a precisar de reforço e de carregamento intenso. Com capacidade para comemorar, com capacidade de dar, ainda, os primeiros passos para mais um ano letivo, para mais um ciclo formativo, para o reinício do sempre vitalizador ciclo da vida de uma escola. Na comemoração destes 25 anos de vida – que com esta revista também se celebra – promovemos uma festa em três vertentes, homenageando professores e funcionários, a comunidade que sustenta a escola e, naturalmente, os nossos alunos. Plantámos uma oliveira – símbolo da sabedoria em folhas de prata – e nela transportamos a nossa mensagem para o futuro. Reinstalámos a galeria de fotografias dos antigos alunos e celebramos, com a entrega dos diplomas aos alunos, o trabalho da escola. Conscientes do trabalho que fazemos hoje e de há 25 anos a esta parte, orgulhosos, mas confiantes, temos a soberba de declarar que os nossos alunos – mais de milhar e meio – são o nosso melhor tributo. Eles são o fruto de um quarto século de dedicação e serviço. E na frase bíblica nos sustentamos: “Pelo fruto se conhece a árvore!”.


TRAns-FORMAR PISTAS PARA UMA REFLEXÃO SOBRE O NOVO PAPEL DA ESCOLA Há, efectivamente, um novo papel a desempenhar pela Escola na vida das comunidades e na vida das crianças e jovens para quem a escola é a primeira destinatária. Um novo papel que não nasce de uma corrente ideológica, mas de uma necessidade que as circunstâncias impõe, hoje mais do que nunca. Não falo apenas da Escola onde trabalho, mas da Escola universalmente considerada. O papel da Escola é, na minha opinião – sublinhe-se, e não sou nenhum estudioso na matéria – o de Transformar. Transformar no 6

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

sentido de ‘dar uma nova forma’, de promover uma alteração profunda nos jovens no sentido de lhes proporcionar ferramentas – conhecimentos, competências e atitudes – que eles, em autonomia, possam aplicar na sua vida quotidiana, no futuro, no sentido de atingir um grau de satisfação que poderíamos considerar como ‘felicidade’. Há muitos anos, no período da III República, dizia-se que a Nova Escola tinha de ser Democrática. Tinha de ser de todos – tinha de acolher todos os alunos, independente da classe social ou

proveniência e tinha de funcionar através de procedimentos segundo o método democrático. Depois, mais tarde, dizia-se que a Nova Escola tinha de estar aberta à comunidade. Tinha de receber inputs das empresas, das autarquias, da sociedade civil para poder cumprir a sua missão. E esse passo – com velocidades diferentes foi, genericamente, dado –. Mais recentemente dizia-se que a Nova Escola tinha de ter um maior envolvimento dos pais no quotidiano da relação educativa vista de maneira mais global.


Parece-me que hoje, na minha opinião, a Nova Escola tem de ser um espaço de humanidade. Dizia um filosofo – não sei dizer quem – que a casa era o território da humanidade (não no sentido de substantivo colectivo, mas como característica do que é humano). Na falência da casa como espaço da humanidade, a escola, a Nova Escola tem de ser esse espaço. Por muito que nos custe admitir – e provavelmente perante a incredulidade deste facto – a família, tradicionalmente considerada, com o seu papel de célula-base da sociedade, faliu. Seja porque o conceito não tem mais aplicação prática, seja porque a prática revela novas formas de vivência extrafamiliar… a verdade é que a família é algo em extinção gradual. Isto pode parecer estapafúrdio de ser dito por um diretor de uma escola – a quem cumpre gerir um espaço de formação da forma mais sustentável possível -, mas a verdade é que a Nova Escola, perante uma realidade onde parece que mais nenhum modelo existe, tem de ser o espaço dos afectos, a atenção, da motivação, do encorajamento, da valorização do ser humano. Voltamos (porque já foi assim noutros tempos) a uma altura em que os educadores – não só os professores, mas também os funcionários e os alunos – têm de voltar a estar atentos a quem não tem comer em casa, a quem não tem casa, a quem não tem roupa em condições, a quem não tem carinho, a quem não tem no seu quotidiano gestos de amor, a quem não sabe o que é a experiência do afecto…

A Nova Escola preocupa-se quando dos alunos faltam às aulas. Preocupa-se com os alunos que mostram que não dormem, ou não comem. Está atenta aos que não conseguem gerir frustrações, derrotas ou vitórias. Está lá para os que recorrem a drogas ou ao álcool. Censura, mas apoia. Repreende, mas ajuda. Castiga, mas dá oportunidades. Está atenta e preocupa-se! Muitas vezes, nesta Nova Escola, os educadores não têm a parceria dos pais, que não admitem a ingerência, uma quase desautorização, uma espécie de substituição inadmissível. É preciso resistência e resiliência. A Nova Escola não é uma escolha, é uma imposição da realidade. Muitas vezes, nesta Nova Escola, os educadores não têm o apoio dos pais, que recorrem à formalidade dos procedimentos (à grelha que devia existir ou ao critério que não está claro), à exigência de medidas punitivas (geralmente para com os filhos dos outros) para satisfazer uma quase necessidade de resultados… o que na linguagem corrente quererá dizer sangue! “A Escola não fez nada!”, dizem, porque não houve expulsão, nem chibatadas no átrio para humilhação colectiva.

quando tu estás feliz, de que eu sou porque tu és, de que a humanidade de uns está intima e intrinsecamente ligada à humanidade de todos. Esta é a Nova Escola, a que trans-forma integralmente! Mas, convenhamos, que ainda há muito a transformar até chegarmos à Nova Escola. Dr. Nuno Canilho

“a Nova Escola tem de ser um espaço de humanidade.”

A Nova Escola é menos colorida, é mais fria, porque a realidade existe e é notória, é quotidiana. A realidade não é maquilhada num mundo bonito onde todos são felizes e cantam passarinhos a cada momento. A Nova Escola é mais sincera, é mais comprometida, porque a Nova Escola assume (ou deve assumir) a máxima do ‘Ubuntu‘ de que eu sou feliz

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

7


BODAS DE PRATA DA EPVL 25 ANOS DE VIDA E DE FESTA A Escola Profissional Vasconcellos Lebre vai assinalou no dia 4 de julho de 2016, o vigésimo quinto aniversário da assinatura do despacho de homologação governamental que lhe deu origem, em 1991. Para assinalar a data, a EPVL está a organizar um conjunto de eventos que se prolongam, acima de tudo, pela semana de 2 a 9 de julho. “Do programa constam uma comemoração para a comunidade escolar, duas dirigidas à população da Mealhada e haverá um outro momento que será uma comemoração formal para os alunos e parceiros”, declarou Nuno Castela Canilho, diretor da escola.

8

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


O primeiro momento do programa de comemorações foi o do lançamento do mais recente romance do escritor mealhadense António Breda Carvalho, antigo professor da EPVL, no auditório da escola na tarde de 2 de julho de 2016. “Os filhos de Salazar”, com a chancela da editora “Saída de Emergência” foi apresentado por Pedro Calheiros, académico da Universidade de Aveiro, perante uma vasta plateia de admiradores do escritor da Mealhada. Na segunda-feira, 4 de julho, dia do aniversário propriamente dito, realizouse na EPVL um almoço convívio exclusivamente para professores, funcionários e responsáveis pela administração da empresa que gere a escola. No almoço participaram todo o executivo municipal, incluindo o presidente Rui Marqueiro e o presidente da Caixa de Crédito Agrícola, João Peres. Foi ainda inaugurada a reinstalação da galeria dos antigos alunos da escola – que durante muitos anos foi uma imagem de marca da EPVL – e plantadas duas oliveiras (símbolo da sabedoria) que assinalam as bodas de prata da escola profissional da Mealhada. No final do almoço foi ainda selada uma capsula do tempo, com mensagens e lembranças depositadas pelos professores, funcionários e responsáveis da administração da escola, para que sejam lidas em 4 de julho de 2041, daqui a 25 anos. Nos tradicionais discursos do final do almoço, Nuno Castela Canilho deu os parabéns aos professores e funcionários da escola, pelo trabalho desenvolvido no último quarto de século e exortouos para uma sempre necessária readaptação às novas especificidades dos alunos, do mercado e da formação profissional de jovens. Já o presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, elogiou os diretores da EPVL João Pega e Nuno Castela Canilho, e o seu trabalho, e confessou que, como

autarca, considera a EPVL a sua maior e mais importante obra. Na noite do dia 7, quinta-feira, realizarse-á uma “Grande Gala dos 25 anos”, no Cineteatro Municipal Messias, um espetáculo que pretende ser “um tributo à comunidade EPVL e da EPVL à comunidade”. As entradas são gratuitas, tendo os bilhetes que ser levantados no edifício da escola. “Será um espetáculo de variedades realizado por alunos, professores e parceiros da escola”, explicou, ao nosso jornal, o dirigente da EPVL, que garante que haverá “música, recitação de poesia, apontamentos teatrais e exibição de fotografias antigas”. Participarão na Gala, para além da comunidade da EPVL, o Grupo Coral Magister, a Tuna da Universidade Sénior CADES, a Escola de Samba Sócios da Mangueira e os alunos da professora Maria Antónia Mota. No dia 9 de julho, sábado, realiza-se a sessão solene comemorativa dos vinte e cinco anos da EPVL, a partir das 16h 45m. Como habitualmente, será nesta sessão oficial, que se entregarão os diplomas aos alunos que concluíram os cursos no ano letivo de 2014/2015.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

9


ANO LECTIVO 2015/16 NA EPVL

Mais turmas, mais alunos, novo polo no Luso O 25.º ano letivo da Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL) começou com um número recorde de alunos, um maior número de turmas e a necessidade de ampliar os espaços da escola, tendo a solução encontrada sido a abertura de um polo na vila termal do Luso. Duzentos e oitenta e um alunos, de treze turmas diferentes – onze de nível IV, com equivalência ao 12.º ano, e duas Vocacionais de nível básico, com equivalência ao 9.º ano – distribuídos por dez cursos e áreas de conhecimento diferenciados, realizaram o seu percurso

formativo na Escola Profissional da Mealhada, no ano letivo 2015/16 cheio de novidades. “A escola, naturalmente, toda a comunidade escolar, teve de se adaptar a esta nova realidade, a de termos um extraordinário número de alunos”, afirma Nuno Castela Canilho, diretor da EPVL, que acrescenta: “Tudo correu bem, está vamos preparados para todos os desafios!”. “Crescemos com sustentabilidade e isso é essencial”, declarou.

Mais alunos em tempos de crise? Numa altura em que a população escolar está a decrescer, como se explica um aumento do número de alunos nas escolas profissionais de uma maneira geral e na EPVL em especial? Uma pergunta que Nuno Castela Canilho respondeu numa tripla explicação:

10

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

“Os alunos portugueses, as famílias e as empresas começam a voltar a perceber que a via profissionalizante do ensino é mais vantajosa porque é mais económica para as famílias – uma vez que é gratuita e subsidiada –, é mais capacitante – porque alia o


conhecimento teórico à prática laboral – e não é limitativa, na medida em que o aluno pode continuar a acalentar o projeto de prosseguir estudos, apesar de poder entrar no mercado de trabalho imediatamente no fim do curso”. Por outro lado, prossegue o diretor-geral da EPVL, “Acreditamos que a notoriedade da EPVL se tenha assumido com o facto de termos um plano de atividades muito virado para o exterior – junto da comunidade e das empresas – e que isso tenha validado a ideia de que a EPVL é, de facto “A Escola dos Profissionais”. “Superámos as nossas melhores expectativas em relação ao número de novas matrículas neste ano letivo e completámos todos os cursos a que nos tínhamos proposto. Temos sete novas turmas, de seis cursos diferentes, o que nos parece querer dizer que acertámos na seleção dos cursos a abrir”, diz ainda Nuno Castela Canilho.

Não foi só o número de alunos que aumentou, a área da abrangência da EPVL também cresceu muitíssimo, afirmando-se como uma escola regional com notoriedade nacional. Para além de muitos alunos do concelho da Mealhada, pouco mais de metade, a EPVL acolhe um grande número de alunos dos concelhos limítrofes – Cantanhede, Anadia, Mortágua, Penacova –, de alguns dos municípios da região – Águeda, Aveiro, Ílhavo, Mira, Montemor-o-Velho, Oliveira do Bairro – mas também de proveniências mais longínquas como Santa Comba Dão, Sever do Vouga, Porto, Gondomar, ou Ilha Terceira, nos Açores. A muitos destes alunos de mais longe, bem como aos dezoito alunos da cooperação lusófona com PALOP, a EPVL garante alojamento e alimentação.

Sede na Mealhada, polo na Pampilhosa e agora no Luso O aumento do número de alunos levou a direção da EPVL a lançar-se num novo desafio, o de abrir um novo polo na vila turística e termal do Luso, junto da Serra e da Mata Nacional do Bussaco. Este polo, que vai funcionar nos Antigos Escritórios da Sociedade da Água de Luso, estará especialmente vocacionado para a componente prática do currículo técnico dos cursos de Hotelaria e Turismo e de Restauração, na variante Mesa/Bar. O espaço foi cedido pela Fundação Bissaya Barreto, proprietária, com o alto patrocínio e apoio da Câmara Municipal da Mealhada. O princípio de descentralização da EPVL em polos, para além do edifício sede, localizado na zona desportiva da Mealhada, já havia sido testado com a abertura do Restaurante Pedagógico “A Prova dos Novos”, na vila da Pampilhosa. “Faz sentido que a escola, sendo um

espaço aberto ao conhecimento, procure abrir-se e estender-se junto da realidade do tecido empresarial local”, declara Nuno Castela Canilho, que acrescenta: “Colocar os alunos dos cursos de Hotelaria e Turismo no Luso será bom para eles, porque o ambiente e o quotidiano da vila termal vai ajudá-los, será bom para o Luso e nesse sentido é bom para a escola, que assume essa responsabilidade social de formar profissionais de maneira séria e sustentável”. “O acolhimento que a ideia do Polo do Luso tem tido por parte dos lusenses – não só das forças vivas, como dos empresários e autarcas – tem sido um factor de motivação para todos nós. Esperamos abrir o polo nos primeiros dias de outubro”, asseverou o diretorgeral da EPVL.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

11


ANQEP convidou EPVL para painel nacional de acompanhamento A Escola Profissional Vasconcellos Lebre foi convidada pela Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional (ANQEP) para integrar o painel de entidades que vai fazer o acompanhamento do projeto de implementação de sistemas de garantia de qualidade no ensino e formação profissional. O painel é constituído por 25 entidades, das quais 8 são escolas profissionais. Estas entidades têm a oportunidade de contribuir com as suas experiências para o projeto de implementação de

sistemas de garantia de qualidade no ensino e formação profissional, numa altura em que Portugal está a articular este processo com o Quadro EQAVET, Quadro Europeu de Garantia da Qualidade na Educação e Formação Profissional. O Quadro EQAVET foi concebido para melhorar a educação e formação profissional no espaço europeu, colocando à disposição das autoridades e dos operadores ferramentas comuns para a gestão da qualidade. Numa primeira reunião, a 22 de

setembro, as entidades reuniram com a ANQEP, para discutir e apresentar propostas de melhoria da Orientação Metodológica para a garantia de qualidade no ensino profissional, a apresentar posteriormente a todos os operadores do sistema de educação e formação profissional. Este convite assume particular importância para a EPVL, numa altura em que esta se encontra numa fase avançada de implementação na instituição de um sistema de gestão da qualidade.

QUALIDADE CERTIFICADA À EPVL

Ser Profissional (certificado) Vale ainda mais vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, sublinhou o papel da EPVL na região, na valorização das centenas de alunos e profissionais que nos 25 anos de vida da escola por ali passaram e deixou elogios ao diretor-geral e a toda a sua equipa de funcionários e professores.

A Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL), da Mealhada, recebeu na terçafeira, 10 de maio, em cerimónia solene e perante a comunidade escolar e os parceiros da instituição, o certificado e a bandeira que atestam a Qualidade da organização segundo a norma

12

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

internacional ISO:9001. Nuno Castela Canilho, diretor-geral da EPVL, realçou a importância “do reconhecimento externo, por uma entidade externa, da qualidade da gestão da organização segundo as mais exigentes normas internacionais”. Já Guilherme Duarte,

O processo de certificação já havia sido concluído em 9 de março de 2016, mas a cerimónia de entrega dos galardões e insígnias respetivas realizou-se no Auditório Eng.º João Pega, repleto para a ocasião, a 10 de maio. Nuno Castela Canilho começou por explicar aos alunos que para além da natural certeza de qualidade do trabalho da escola – os resultados e a empregabilidade dos alunos, que se


situam nos 97%, citando a frase bíblica “A árvore vê-se pelos seus frutos”, “a EPVL sentiu que devia procurar ir mais além, na implementação de sistemas de gestão mais modernos e atuais e abalançar-se numa estratégia de certificação da Qualidade”. “Depois de quase dois anos de muito trabalho, hoje recebemos o certificado e a garantia, dada por uma entidade internacionalmente reconhecida, de que o que fazemos é bem feito e podemos afirmá-lo com propriedade!”, afirmou o diretor-geral. Nuno Castela Canilho deixou, ainda, elogios à diretora pedagógica, Manuela Alves, à responsável pela Qualidade da organização, Cláudia Melo, a Rui Francês, consultor que assessorou a escola em todo o processo de certificação, e aos professores e funcionários “que se empenharam muito na mudança rumo à qualidade”. Na ocasião, houve ainda lugar a agradecimentos à gerência, à entidade proprietária da escola – Câmara Municipal da Mealhada e Caixa de Crédito Bairrada Aguieira – e aos parceiros “que foram essenciais neste processo”, deixando agradecimentos diretos para

António Mesquita, responsável pelo Plano de Segurança da Escola, e para o Cmdt Nuno João, dos Bombeiros da Mealhada que acompanhou o processo e a sua implementação através de dois simulacros. Carla Lima, da empresa SGS, elogiou o trabalho desenvolvido pela escola, a relevância da certificação pela Qualidade e deixou um incentivo para a continuidade. “Ganhar a Qualidade não é tão difícil como manter os padrões de qualidade”, disse a responsável pela certificadora antes de entregar o diploma e a bandeira aos diretores da EPVL. O vice-presidente da Câmara, em nome do Município, deixou elogios ao diretor-geral e a toda a sua equipa de funcionários e professores, tendo sublinhado o papel da EPVL na região, na valorização das centenas de alunos e profissionais que nos 25 anos de vida da escola por ali passaram. O processo de certificação da qualidade era um dos objetivos estratégicos assumidos desde logo pelo diretor-geral

Nuno Castela Canilho, quando ocupou o cargo em outubro de 2013. “A EPVL tinha a certificação pela DGERT e, num momento de necessidade de renovação, optámos por ir mais longe e algum tempo depois abalançámo-nos na certificação global da escola pela norma ISO 9001”, afirma o diretor-geral. Paralelamente a toda a atividade da escola e ao normal desenrolar das atividades letivas, uma equipa trabalhava na definição e experimentação de procedimentos, de estratégias e de orientações com vista à almejada certificação da qualidade. As auditorias finais desenvolveram-se em dezembro e em janeiro de 2016, a resposta surgiu em março e a entrega do diploma aconteceu em maio, a dois meses do 25.º aniversário da escola. “Mais difícil do que implementar um processo de certificação da qualidade é manter esses parâmetros”, diz o diretor-geral. “A partir de agora há muito a fazer, há um rumo que é preciso manter no nosso quotidiano depois do entusiasmo da certificação. Mas todos estamos muito focados em fazer as coisas de forma eficaz e com qualidade”, acrescenta.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

13


Peddy-paper no Parque da Cidade promove convívio entre a comunidade EPVL

R

ealizou-se na manhã do dia 25 de setembro a primeira iniciativa do plano de atividades do ano le tivo 2015/16. Tratou-se de um peddy-paper, no qual participaram os 285 alunos da escola e a meia centena de colaboradores e professores em 25 equipas que disputaram uma competição física, de agilidade e de cultura geral. A ação foi promovida no âmbito da disciplina de Educação Física e é já uma tradição no arranque dos anos letivos da EPVL, apoiando o esforço e as medidas de integração dos novos alunos, de convívio entre a comunidade e de bem-estar físico. As equipas – as vencedoras e as vencidas – passaram uma manhã divertida e bem-disposta num espaço privilegiado da cidade da Mealhada.

14

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Candidatos a deputados por Aveiro visitaram a EPVL e levaram principais preocupações A EPVL foi visitada no dia 24 de setembro, pelos candidatos do Distrito de Aveiro da Coligação Portugal à Frente às próximas eleições legislativas e uma semana depois, a 2 de outubro, pelos candidatos do Partido Socialista. Luís Montenegro, João Almeida, Regina Bastos e Bruno Coimbra lideraram a comitiva da coligação composta pelo PSD e pelo CDS/PP que visitou as instalações da escola e se inteirou dos principais pontos de vista e opiniões da direção sobre o ensino profissional na Mealhada e no país.

Da parte do Partido Socialista foram Pedro Nuno Santos, Fernando Rocha Andrade, Filipe Neto Brandão e António Cardoso acompanhados por Arminda Martins, presidente do PS Mealhada, a fazer a visita à escola. Para além do diretor-geral, receberam as duas comitivas a diretora pedagógica e os representantes dos sócios da entidade proprietária, João Peres, João Pega e Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada. A cada um dos candidatos, de ambas as formações partidárias, foi entregue um memorando com a descrição das principais preocupações, considerações e pontos de vista dos responsáveis da EPVL no que diz respeito ao ensino profissional em Portugal.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

15


“Os nossos objetivos passam por formar os nossos jovens da forma mais interessante e interativa possível, e levar a mensagem da alimentação saudável ao maior número possível de pessoas!”

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO

EPVL, em Mortágua, incentiva a alimentação saudável No dia 29 de setembro de 2015, os alunos da EPVL José Capela, Paulo Oliveira e Pedro Machado, com os formadores Luís Lavrador e Susana Oliveira, dinamizaram um workshop de gastronomia com showcooking, sobre alimentação saudável, no âmbito das comemorações municipais do Dia Mundial do Coração, na vila de Mortágua. A Escola Profissional Vasconcellos Lebre realizou esta atividade a convite da proprietária da Pensão Juíz de Fora, em Mortágua. O Professor Cláudio Machado, do Curso de Desenho Gráfico, ajudou a elaborar uma moldura para os participantes tirarem fotografias. O workshop dividiu-se em duas sessões, com o objetivo de sensibilizar a uma alimentação saudável para crianças e idosos. No primeiro workshop, às crianças, foi apresentado um misto de legumes e salmão salteados dentro de uma batata doce gratinada com queijo, sublinhando as parecenças com uma

16

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

‘’pizza’’ saudável (também temperada com ervas aromáticas em substituição do sal). Para os adultos foi apresentado um wrap de legumes temperado com ervas aromáticas em substituição do sal. “A EPVL está disponível para a realização de iniciativas de showcooking – especialmente no sentido para a sensibilização para a alimentação saudável – não só no território do concelho da Mealhada, como também em toda a região”, afirma Nuno Castela Canilho, diretor-geral da EPVL, que acrescenta: “Os nossos objetivos passam por formar os nossos jovens da forma mais interessante e intera tiva possível, e levar a mensagem da alimentação saudável ao maior número possível de pessoas!”.


Alunos da EPVL discutem assimetrias interior/litoral Os alunos da EPVL estão a participar no programa “Parlamento dos Jovens” que consiste numa iniciativa da Assembleia da República, dirigida aos jovens dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, de escolas do ensino público, privado e cooperativo do Continente, das Regiões Autónomas e dos círculos da Europa e de fora da Europa, com vista à sensibilização para o papel do Parlamento e formação cívica dos jovens portugueses. Os trinta e um deputados da EPVL a participarem na iniciativa foram eleitos no dia 21 de janeiro, de entre quatro listas, que na semana anterior dirimiram argumentos numa acesa e alegre campanha eleitoral. Momento alto dessa campanha eleitoral foi a apresentação pública das medidas de cada uma das listas candidatas, que se realizou no dia 18 de janeiro, com a presença do Eng.º Bruno Coimbra, deputado nacional eleito pelo círculo eleitoral de Aveiro, que apresentou aos

18

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

alunos o trabalho e funcionamento da Assembleia da República e comentou as propostas e medidas apresentadas. No dia 25 de janeiro, os trinta e um deputados da EPVL escolheram as medidas da escola e os seus representantes, que defenderam essas ideias na sessão distrital do Parlamento dos Jovens, que teve lugar em Albergaria-a-Velha.


Alunos sensibilizados para as vantagens da Alimentação Saudável Os alunos do 1.º ano do Curso de Restauração – variante Cozinha/ Pastelaria, a turma 74 especialmente, para sensibilizar e lembrar o Dia da Alimentação Saudável, confecionaram na sexta-feira, 16 de outubro, dia da efeméride, um pequeno almoço para toda a comunidade escolar. Na disciplina de Tecnologia Alimentar, também fizeram uns magnéticos com a roda dos alimentos e uns marcadores de livro. “Foi um sucesso, pois toda a comunidade aderiu e gostou muito das iguarias saudáveis!”, garantem os responsáveis da EPVL.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

19


“Os alunos demonstraram uma atitude muito positiva e ordeira, que levou a que o resultado fosse excelente, o que me parece que também é um fator de motivação!”

EPVL testou evacuação do edifício sede EDUCAÇÃO PARA A SEGURANÇA E PROTEÇÃO CIVIL A comunidade educativa da Escola Profissional Vasconcellos Lebre, da Mealhada, levou a cabo hoje, 26 de outubro, um exercício com vista à aferição do tempo de evacuação de todas as pessoas do interior do edifício sede. Os resultados, menos 44 segundos do que no último simulacro, agradou aos responsáveis da escola, que consideram essencial as medidas de autoproteção e educação para a segurança e proteção civil. O exercício levado a cabo na EPVL, e monitorizado pelo comandante dos Bombeiros da Mealhada, pela responsável dos serviços de Higiene e Segurança no Trabalho (do Hospital da Misericórdia da Mealhada) e pelos responsáveis da escola por esta área, insere-se no conjunto de iniciativas que a escola tem previstas para a promoção de medidas de autoproteção face a questões de segurança e proteção civil. O exercício, que foi uma surpresa para os alunos, foi o culminar de um conjunto de ações que a EPVL levou a cabo especialmente para a sensibilização e

20

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

informação dos alunos que frequentam a escola no primeiro ano. “Foi muito positivo”, afirmou o diretorgeral da EPVL, Nuno Castela Canilho, que acrescentou: “Os alunos demonstraram uma atitude muito positiva e ordeira, que levou a que o resultado fosse excelente, o que me parece que também é um factor de motivação!”. Nuno Castela Canilho disse ainda: “Como em quase tudo na Educação, é pelo exercício, pela repetição, pelo hábito que se adquirem comportamentos que em determinada altura serão quase involuntários e instintivos. É nesse sentido que temos trabalhado esta área da educação para a segurança e para a proteção civil, e parece que está a dar frutos”.


Alunos descobriram a Hidroponia O que é a Hidroponia? Os alunos da EPVL rumaram ao desconhecido. Uns, curiosos; outros, desacreditados; uns poucos, pensativos. ‘Afinal, aonde vamos?’. Onze alunos, dos cursos de Hotelaria e Turismo (Vocacional) e de Restauração – Cozinha/Pastelaria e Restaurante/Bar – acompanhados pelos professores Luís Capela e Lina Pereira e pelo funcionário Manuel Coelho – deslocaram-se no dia 26 de outubro, até à localidade do Barracão (entre Cantanhede e Mira), para visitar uma Estufa de Hidroponia. No âmbito de um projeto que o núcleo da Educação Especial da EPVL está a desenvolver, denominado ‘H2Orta’, pretende-se valorizar uma abordagem centrada na inclusão e participação ativa dos alunos, assim como promover a interdisciplinaridade, aplicando de forma prática conceitos presentes nas várias disciplinas e, também, desenvolver modos de produção de produtos tendo como base a sustentabilidade ambiental. Foi neste espírito de expectativa e de ‘suspense’ que chegaram à Estufa de

“Pretendemos tornar a Escola um local de aprendizagem estimulante e agradável, um local onde se respira um ambiente sustentável a vários níveis.”

Hidroponia do Sr. Tiago – que os recebeu com muito carinho e foi, ao longo de uma hora, explicando com clareza todo o processo de desenvolvimento das plantas na água. A cultura de plantas pelo sistema de ‘hidroponia’ consiste em fazer circular água potável na sua raíz, com os nutrientes estritamente necessários, obtendo-se assim, plantas saudáveis e de elevada qualidade nutricional. Puderam apreciar o desenvolvimento das nabiças – desde a semente até ao tamanho ideal para consumo – e o das alfaces. Aprenderam as vantagens e desvantagens deste tipo de cultivo e ficaram a saber um pouco mais acerca do que é a ‘hidroponia’, para num futuro próximo a colocarem em prática na escola – ainda que de uma forma mais “familiar” ou doméstica. A estufa do Sr. Tiago é de grandes dimensões, contendo a “casa das máquinas” onde está um conjunto de barris com os nutrientes (cálcio, ferro, magnésio, entre outros), um engenho

que faz mover as águas pelos tubos hidropónicos – onde se colocam as plantas – e um computador que comanda toda a “engenhoca” (sistema de alimentação e drenagem da água, estrutura de suporte em pvc, nutrientes, bomba submersível…). Esta forma de cultivo, entre outras vantagens, proporciona uma melhor saúde e melhor qualidade de vida a quem consome estes produtos. Não sendo uma cultura 100% biológica, é-o quase na totalidade, não contendo adubos ou outros produtos químicos. Por isso, é uma excelente forma de promovermos uma alimentação saudável e de protegermos o ambiente. “Pretendemos tornar a Escola um local de aprendizagem estimulante e agradável, um local onde se respira um ambiente sustentável a vários níveis. Esta foi a primeira de muitas experiências em que as fotos falam por si… Voltaremos com mais novidades deste projeto especial ‘H2Orta’, em que Ser Profissional Vale +”, afirmou Lina Pereira, coordenadora da equipa de Educação Especial da EPVL.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

21


EPVL unida e mobilizada na luta contra o cancro Os alunos, professores e funcionários da EPVL não deixaram passar em vão o dia 30 de outubro de 2015, e a Luta contra o Cancro da Mama, que nesse dia se assinala. A comunidade educativa da escola vestiu-se nesse dia de corde-rosa e foram vários os momentos, ao longo do dia, em que efeméride foi assinalada. O “Outubro Rosa” é um movimento popular internacional e é comemorado em todo o mundo. O nome está relacionado com a cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o cancro da mama.

22

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

A história do “Outubro Rosa” remonta à última década do século XX quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova Iorque, em 1990. Desde então, promovida anualmente na cidade e rapidamente se estendeu ao resto do mundo. Muitas foram e têm sido as ações realizadas e direcionadas para a consciencialização da prevenção pelo diagnóstico precoce para a prevenção do cancro da mama.


Alunos de Desenho Gráfico estreiam programa de visitas de estudo da EPVL A primeira visita de estudo da turma do primeiro ano do curso profissional técnico de Desenho Gráfico realizou-se no dia 8 de outubro, ao Mosteiro da Batalha e à exposição Lisboa Design Show15, no pavilhão da antiga FIL, no Parque das Nações, no âmbito das disciplinas da área técnica e também da disciplina de História da Cultura e das Artes. Conhecer e promover o património nacional e caracterizar o gótico nacional foram os objetivos da visita ao Mosteiro da Batalha. Já o Lisboa Design Show 15 é uma mostra de design e designers em todas as suas formas de expressão: Produto de Equipamento, Gráfico, Moda e Interiores, etc. A participação da turma foi bastante satisfatória, pela sua concentração e interesse demonstrados, que reflete uma atitude de “profissionalismo” que procura incutir-se desde o primeiro dia de aulas. A visita de estudo demonstrou-se muito entusiasmante e motivadora para os alunos que ingressaram recentemente a escola.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

23


Visitas EPVL

Alunos de Gestão de Equipamentos Informáticos visitam empresas de Aveiro e Águeda No dia 29 de outubro, os alunos do curso Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos tiveram a oportunidade de visitar várias empresas na região de Aveiro. A primeira foi às instalações da PT Inovação em Aveiro, onde se desenvolvem produtos e serviços inovadores para o mercado das telecomunicações e das tecnologias da informação. Aprenderam variadíssimas coisas e descobriram que o primeiro serviço de telemóvel pré-pago do mundo foi ali inventado. Tiveram também a oportunidade de conhecer o Museu das Telecomunicações, onde ficaram a conhecer como funciona o processo da ligação telefónica e ainda observar o primeiro aparelho que permitiu ligação à velocidade 3G. Depois de almoçar no Centro Comercial Glicínias em Aveiro, deslocaram-se até Águeda, onde foram recebidos na 24

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

empresa HFA - Henrique, Fernando & Alves, S.A. que é uma empresa que se dedica à assemblagem e teste de equipamentos eletrónicos e de telecomunicações. Lá aprenderam como se constroem placas eletrónicas com diferentes finalidades, e acompanharam todo o processo de produção. Revelou-se uma visita de estudo muito interessante, produtiva e acima de tudo muito divertida.


Visita à exposição internacional ‘real bodies’ No final do primeiro período letivo, os alunos da turma de Auxiliar de Saúde do 2º ano e da turma de Gestão do 1.º, acompanhados pelas professoras Adriana Bernardes, Luciana Jesus e Sónia Coleta e pelo professor Luís Capela, foram a Lisboa, ver a exposição internacional Real Bodies. O objetivo era permitir aos alunos um contacto direto com o corpo humano, observar órgãos saudáveis e órgãos doentes de forma a sensibilizar os alunos os efeitos dramáticos sobre o corpo de um estilo de vida menos saudável. Foi uma exposição muito interessante e enriquecedora.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

25


conferências

Na EPVL, conferências são elemento fundamental do processo de aprendizagem A Escola Profissional da Mealhada procura realizar, na complementaridade do processo de aprendizagem, um conjunto variado de conferências – normalmente abertas ao público – de forma a proporcionar aos alunos novas abordagens relativamente a diferentes realidades. Nas últimas semanas, especialmente, realizaram-se três conferências sobre Recrutamento, “Utilização Segura dos Smartphones”, e sobre técnicas para falar em público. Logo nos primeiros dias de fevereiro, em 2,3 e 4, Miguel Midões, jornalista da rádio TSF proferiu três palestras para os alunos do 3.º ano da EPVL e alguns professores, sobre técnicas para falar em público. Os alunos do último ano terão de fazer a defesa pública da sua Prova de Aptidão Profissional e esta palestra foi ao encontro de uma aprendizagem sobre as melhores técnicas para o fazer de uma forma eficaz. Alguns dias depois, em 18 de fevereiro, a Inspetora Ana Leite e o Inspetor João Loureiro, da Polícia Judiciária de Aveiro, procuraram sensibilizar os alunos da

26

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

EPVL para uma utilização mais correta e segura dos meios tecnológicos ao seu dispor. A conferência realizou-se no dia da Internet Segura, sob o tema: “Utilização Segura dos Smartphones”. A conferência foi dinamizada pela área sociocultural no âmbito da disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação e justifica-se “em resultado do aumento significativo de acesso à Internet, nomeadamente às redes sociais a partir de dispositivos móveis, permitindo desta forma, consciencializar os alunos para a informação que partilham na Internet”. No dia 26 de fevereiro, Luís Felgueiras e Jorge Coelho, da empresa Talenter (parceira da EPVL) realizaram uma conferência na EPVL sobre Recrutamento, procurando dar aos alunos da EPVL algumas informações sobre uma forma mais eficaz de, indo ao encontro das expectativas dos empregadores, encontrar colocação profissional.


Conferência sobre Poupança no seu Dia Internacional Nos últimos anos a palavra poupança faz parte da vida de muitos portugueses, significando, em literacia financeira, economizar, guardar ou não gastar. A perda de rendimentos dos portugueses nos últimos anos tem sido uma constante, fazendo-os repensar sobre os seus hábitos de poupança. No entanto, criar hábitos leva o seu tempo, sendo por isso necessário incutir esses hábitos nas crianças e nos jovens de forma a que eles compreendam a importância da poupança quer na vida de cada um de nós, quer na economia em geral. A poupança é o motor de uma

economia, uma vez que sem poupança não há investimento. Neste sentido, no passado dia 30 de outubro a EPVL comemorou o Dia Mundial da Poupança, convidando a “DECO Jovem” para uma sessão de sensibilização, de forma a ajudar os nossos jovens a refletir sobre o tema, alertando-os para as consequências das suas decisões financeiras no dia a dia e no futuro.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

27


Uma maneira alternativa de encontrar a diversão sobreviveu, incentivando todos a fazerem as escolhas certas e a saberem ajudar os amigos que possam estar a viver este drama.

Foram quatro sessões de noventa minutos cada uma. Foi um dia, em 3 de novembro. Foram 250 alunos,15 professores. Foi uma escola – a Escola Profissional da Mealhada – EPVL, onde Ser Profissional Vale +. Foi o Desafio Jovem, uma IPSS – organização sem fins lucrativos – cuja lema é: nas pessoas uma causa. ‘Diversão Alternativa’ foi o tema escolhido no âmbito da disciplina de Psicologia, cujos objetivos se focaram em valorizar o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, compreender as diferentes formas de diversão, encontrar estilos de vida que se coadunem com a inserção efetiva no meio social circundante e com a valorização da vida, ambas expressas nas atitudes, condutas e comportamentos. Expectativas totalmente superadas com a presença da equipa fantástica do Desafio Jovem, constituída pela Filipa e pelo Nelson que dinamizaram as sessões de uma forma ímpar, colocando a ‘plateia’ – entusiasmada, participativa – a interagir ao mais alto nível. Os corpos e as mentes ficavam em ‘suspense’, circunspectos, quando começavam a ouvir a voz do Nelson, suave e assertiva, traduzida numa linguagem profunda mas próxima, impregnada de sentido, tatuada por uma vida de vício agora liberta e plenamente feliz. Nelson que, sem ser herói, falou de si, voluntariamente, do percurso tenebroso enquanto “agarrado” ao álcool e da forma como

28

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

O seu testemunho e a forma como o fez tocou, sem qualquer dúvida, a vida de todos e “mexeu” com a vida de muitos. Surpreendente foi ainda a “parceria” – como referiu entusiasticamente a Dra. Filipa – com os nossos alunos de Restauração – Restaurante/Bar do 2.º ano – que, com a formadora Diana Jorge, em cada final de sessão, tinham preparado deliciosos cocktails sem álcool, servindo os colegas com muito rigor, simpatia e profissionalismo, confirmando também que existem excelentes bebidas sem álcool, configurando-se uma boa alternativa para quando estamos com os amigos num ambiente de convívio. Nas palavras da Dra. Filipa “estão de parabéns os alunos que desempenharam a sua tarefa com profissionalismo, entrega e alegria... e, obviamente, o corpo docente e não docente cujo empenho depositado nestes alunos, se refletiu durante todo este dia." O grupo de Voluntariado da escola também se envolveu nesta atividade, mobilizando alunos, professores e funcionários a participarem com um género alimentar para oferecer à Instituição . O ambiente foi deveras acolhedor, afetuoso e pedagógico e tornou o nosso dia diferente e único. Com a mensagem de vida, sabedoria e esperança com que nos impactou, a nossa vida vai ser muito mais feliz e divertida. É uma honra ser aluno e professor numa escola onde se potenciam valores éticos, morais e sociais e se promovem relações interpessoais construtivas. Sediada em Fanhões, Loures, desde 1978, faz da reestruturação de vidas a sua missão. O Desafio Jovem é hoje, indiscutivelmente, uma das maiores Comunidades Terapêuticas e uma marca de referência em Portugal.


Retribuir foi o ‘Desafio Jovem’ dos alunos da EPVL Aconteceu na terça-feira, 26 de janeiro, no Centro Desafio Jovem de Cucujães. De dentro para fora, a EPVL mostrou em grande – representada pelos alunos/formandos de Restauração, nas variantes Cozinha/Pastelaria e Restaurante/ Bar – a essência do que a move enquanto escola: “Ser Profissional Vale +”; E enquanto pessoas: “Ser uns com os outros!”.

Esta iniciativa surgiu como desafio aceite pela EPVL depois de técnicos da Desfaio Jovem terem realizado na EPVL uma ação de sensibilização para os perigos do alcoolismo e das dependências.

O grupo de alunos da EPVL visitou as instalações do Centro Desafio Jovem, de Cucujães, e confeccionou e serviu uma refeição para os utentes da instituição, com o máximo profissionalismo e cuidado. Em contrapartida, e em gesto de agradecimento e retribuição, o pessoal da instituição ensinou os alunos da EPVL a fazer as célebres fogaças, tão características no frio de Janeiro das Terras de Santa Maria da Feira.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

29


Torneio dos Profissionais mostra EPVL com oferta desportiva Decorreu no dia 5 de novembro, na EPVL, o torneio dos Profissionais na modalidade de Futsal, uma atividade promovida pela turma finalista de Informática de Gestão. Esta iniciativa contou com a participação de várias alunos e professores mas no final os vencedores foram os jogadores da equipa “Chaburrilhos” na classe masculina, e as jogadoras da equipa “Gestosas” na classe feminina. No entanto toda a comunidade escolar ganhou saúde e diversão com este evento. Parabéns a todos os participantes, em especial aos alunos dinamizadores.

30

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Projetos de Voluntariado A EPVL no âmbito do seu projeto educativo de formação integral do aluno que procura promover princípios da responsabilidade social, do voluntariado, da prevenção, sustentabilidade e da solidariedade, criou um grupo de voluntariado de forma a corporizar essas vertentes. O grupo de voluntariado denominado Help Team, é aberto a todos os membros da comunidade escolar, alunos e encarregados de educação, funcionários e docentes da escola, grupo propõe-se realizar tarefas, atividades pontuais ou continuadas de cariz educativo ou social na comunidade escolar e local. No presente ano letivo o grupo direcionou a sua ação para a comunidade escolar afim de angariar fundos para a criação de uma bolsa social para ajudar os alunos carenciados da escola. Nesse sentido foram promovidas variadas atividades: Quermesse EPVL, realizada no domingo e terça-feira de Carnaval que contou com apoio da comunidade escolar e do comércio local; campanha de troca de roupa designada por Despe e Siga (fase inicial), realização de uma festa noturna solidária e campanha de recolha de tampas para ajudar a irmã de um aluno da escola. Para além do reportado o grupo colaborou com o pelouro da Ação Social da Câmara, com o intuito de ajudar crianças e jovens beneficiários da Loja Social da Mealhada. Para além do reportado o grupo integrou a campanha promovida pelo Banco Alimentar. Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

31


Dia do obrigado mobilizou alunos da EPVL

O Núcleo da Educação Especial e os alunos com Necessidades Educativas Especiais programaram e realizaram um conjunto de atividades, com a colaboração de colegas e funcionários da EPVL, com o objetivo de celebrar em toda a Escola o Dia Internacional do Obrigado. “Mais um dia diferente, em que se promoveu o bem-estar e se garantiram sorrisos e abraços ao dizer simplesmente ‘obrigado’, ou demonstrando o mesmo obrigado por gestos a todos os que na Escola fazem parte das nossas vidas, que nos ajudam e alegram só pelo facto de existirem”, afirmou a professora Lina Pereira, coordenadora do Núcleo de Educação Especial da EPVL. Na entrada da Escola estiveram dois placards que ressaltavam a palavra ‘obrigado’. Num constava a palavra em diversas idiomas, incluindo dialetos que representavam as nações dos alunos dos PALOP’s. O outro continha expressões de gratidão pensadas e escritas pelos alunos com NEE. Toda a comunidade educativa foi surpreendida com a oferta de uma pulseira onde se lia a palavra “obrigado”, não deixando ninguém indiferente à troca de “obrigados”. A gratidão profunda pairava no ar. Houve ainda a oportunidade de os alunos participarem na atividade “Promoção Obrigado a Valer” – que constou em escrever uma frase em homenagem

32

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

à palavra “obrigado”. Os alunos com as 3 frases mais inspiradoras foram premiados com momentos especiais através dos quais podereram vivenciar o sentido mais profundo desta mágica palavra: ´obrigado´. As restantes frases foram partilhadas a toda a Escola através de um cartaz afixado no átrio. “As professoras de Educação Especial da EPVL agradecem profundamente à direção da Escola, a todos os colegas, alunos e funcionários, a forma comprometida e encantadora com que colaboraram e participaram nesta atividade. Sentimo-nos no dever de retribuir publicamente. Ficamosvos obrigadas perante Vós, ficamosvos comprometidas… em retribuir a cada dia a vossa atenção e cuidado demonstrado, também pelos jovens com NEE. Sentimo-nos vinculadas e comprometidas com esta única e singular família EPVL, onde Ser Professor Vale+”, declarou Lina Pereira.

“Sentimo-nos vinculadas e comprometidas com esta única e singular família EPVL, onde Ser Professor Vale+”


Marcial Ferreira, sentado ao centro, com o pessoal da EPVL.

Aniversário do Marcial é (E continua a ser) de festa na EPVL “As comunidades têm identidade, que as distinguem umas das outras. Por identidade poderá entender-se tudo o que permite um sentimento de união, de comunhão. Marcial Ferreira é, efetivamente, um dos símbolos da comunidade mealhadense” afirma Nuno Castela Canilho, diretor-geral da EPVL, no seu site pessoal e acrescenta: “Há um sentimento comum de carinho, de solidariedade, de amor para com ele, de modo a que ele é quase da família de cada um de nós – para uns será filho, para outros primo, irmão…”. Nuno Castela Canilho justifica, assim, as razões que levam a EPVL a, desde há 24 anos, assinalar o aniversário de Marcial Ferreira – que nunca lá foi aluno nem colaborador – na escola.

Desde há 24 anos que o dia de aniversário do Marcial é assinalado na EPVL. Com um bife com batatas fritas e um ovo a cavalo e um bocadinho de arroz e um bolo de aniversário com o emblema do Sporting Clube de Portugal. Há alguma solenidade no momento, mas culmina sempre com muita alegria, afeto e carinho. O dia 7 de janeiro não foi exceção e o 58.º aniversário de Marcial teve direito à mesma pompa e circunstância de sempre.

de felicidade coletiva e por isso, lanço o repto de comemorarmos, todos, com pompa e circunstâ ncia o 60.º aniversário, em 2018. Quem ajuda?”, exorta Nuno Castela Canilho.

Trata-se de um gesto de que a EPVL se orgulha muito, se mobiliza e assinala com Amor e Carinho. “O Marcial fez 58 anos. Tem Síndrome de Down e mais do dobro da idade que os médicos diziam que duraria. O dia do seu aniversário é

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

33


Realizaram-se no dia 14 de janeiro, as primeiras eleições para os órgãos sociais da Associação de Estudantes da EPVL. Nuno Coleta foi eleito presidente da direção, e líder de uma equipa que inclui Flávio Daniel, como vice-presidente, Soraia Pereira e ‘Mikas’ Silva, como tesoureiras, Sérgio Godinho, como diretor de comunicação, e, ainda, Bruno Pais, Mamadu Alimo, Diogo Moura e Sandra Vieira, como colaboradores. A nova equipa, entretanto, já começou a trabalhar, inaugurando uma página na internet – em www.ae.epvl.pt – e uma página no facebook, também. “Esta iniciativa poderá vir a constituir-se como um passo importante e decisivo para o futuro da EPVL e para a produção de melhores resultados globais na missão da escola”, referiu o diretor-

34

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

A EPVL já tem Associação de Estudantes geral da EPVL, na véspera da eleição, dirigindo-se aos alunos da escola. E acrescentou: “O trabalho, quando feito em conjunto, é sempre mais divertido, mais interessante e tem sempre melhor qualidade. Haver da parte dos alunos um sentido de unidade e representação só pode ser uma mais-valia para a escola no seu todo. Por isso, sem

qualquer interferência - que não seria nem adequada nem razoável -, gostaria de procurar sensibilizar todos os alunos da EPVL a participarem nas eleições, manifestando a sua opinião, utilizando o método democrático, e, depois, a colaborarem, ajudarem e participarem nas iniciativas da equipa que for eleita”.


Oficinas gastronómicas da EPVL para férias mais doces A

Escola Profissional Vasconcellos Lebre, a exemplo do que tem feito nos últimos anos, realizou, em dezembro e março, especialmente no período das férias escolares, um conjunto de oficinas – ou workshops – gastronómicos, para crianças mas também para adultos, alusivos à época. Os workshops foram desenvolvidos para as crianças através das IPSS e para os adultos em geral. Foram sempre os alunos da EPVL, com a orientação dos professores, naturalmente, a dinamizar as oficinas.

Nos dias 22 e 23 de Março, houveram duas sessões diárias do Workshop Infantil Cozinha para Crianças - “Vem fazer um Ovo da Páscoa!”, abertas à população infantil. Nos workshops para o publico infanto-juvenil cada criança levou para casa o resultado da sua produção gastronómica.

A primeira oficina, com o tema “Doçaria de Natal”, foi destinada a adultos e realizou-se no dia 15 de Dezembro. No dia 18 de dezembro, primeiro dia de férias, realizou-se a oficina “Broinhas de Natal”, destinada ao público infantojuvenil. Nos dias 21 e 23 de dezembro, por seu turno, a oficina, também para crianças e jovens, foi subordinada ao tema “O Rei do Natal”, e constou da confeção de bolo rei e bolo rei de chocolate, em miniatura. “Bolachas para decorar a tua árvore” foi o nome do workshop do dia 22 de dezembro. Na Páscoa o desafio era “dar um pulo até à escola dos profissionais” – ou não fosse a época dos coelhitos saltitões – e aproveitar a diversão na cozinha, desta vez fazendo o Ovo da Páscoa “mais delicioso que já provaste!”.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

35


Futuros cozinheiros embrenham-se nos mistérios dos cogumelos VISITA DE CAMPO À MATA NACIONAL DO BUSSACO E PENACOVA Os alunos da Escola Profissional Vasconcellos Lebre do terceiro ano do curso de Técnico de Restauração na variante Cozinha e Pastelaria realizaram no dia 7 de novembro uma visita de campo na Serra do Bussaco e no concelho de Penacova para descobrirem os mistérios associados ao uso gastronómico de cogumelos. Os alunos, que frequentam o último ano do curso, foram acompanhados pela coordenadora do curso, a chef Susana Oliveira, pela orientadora educativa Paula Martins, pela professora Cristina Simões e os professores da área técnica, os chefs Luís Lavrador e Vítor Almeida. Apesar de ser sábado, começou logo pela manhã a visita pela Serra do Bussaco, em passeio, para apanha e reconhecimento de cogumelos comestíveis, assim como para absorção de explicações sobre as características físicas e organoléticas dos mesmos. As explicações foram dadas pelo Eng.

36

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

Ricardo Torres, reputado especialista na matéria. Pela hora de almoço os alunos da EPVL estiveram na cantina municipal de Penacova, no parque industrial de Espinheira, onde, orientados pelos professores da área técnica, confecionaram os cogumelos colhidos durante a manhã. Depois de almoço rumaram aos arredores da vila de Penacova, onde visitaram uma produção de cogumelos, com o proprietário, André Amaro, a fazer uma apresentação e explicação sobre a produção de cogumelos shiitake. Ao final da tarde foram visitar a empresa Terraplanta uma produção de ervas aromáticas, propriedade de Maria Preciosa Oliveira, onde puderam interagir e provar ervas e frutos e ouvir explicação detalhada por parte da proprietária.


EPVL ajuda empresas para se candidatarem ao ‘Cheque-formação’ A Escola Profissional Vasconcellos Lebre, da Mealhada, através do seu Centro de Formação Profissional, informa que estão abertas as candidaturas para o Cheque-Formação e que presta apoio gratuito na elaboração das candidaturas (desde que os cheques formação sejam utilizados em cursos promovidos pela escola). A EPVL está acreditada pela DGERT como entidade formadora e tem uma elevada experiência e know-how na organização e realização de ações de formação. Os ‘Cheques de Formação’ são uma medida destinada a empresas, empregados e desempregados, promovida pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e que tem como objectivo reforçar as qualificações dos trabalhadores através da concessão de um apoio financeiro correspondente a 90% do valor total da formação, com um máximo de 175€ (por trabalhador) e a cursos com duração máxima de 50 horas (por trabalhador). A medida cheque-formação, que tem como objetivo facilitar o acesso individual dos trabalhadores à

formação, foi publicada em Diário da República no dia 3 agosto e entrou em vigor a 5 deste mês. A iniciativa terá um custo total de 67 milhões de euros até 2020, dos quais 60 milhões serão financiados pelo Orçamento do Estado e sete milhões serão providos pelo novo quadro comunitário de apoio. O cheque-formação acaba por seu um apoio financeiro concedido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) às empresas, aos trabalhadores e aos desempregados que frequentem ações de formação ajustadas às necessidades profissionais e do mercado de trabalho. Visando “reforçar a qualificação e empregabilidade”, melhorando a produtividade e competitividade das empresas, através da aposta na qualificação profissional dos seus trabalhadores. A iniciativa tem como objetivos, entre outros, “potenciar a procura de formação por parte dos ativos empregados e desempregados” e promover “o ajustamento entre a oferta e a procura” de ações formativas. Cabe ao IEFP definir anualmente as áreas de

formação prioritárias “em função das dinâmicas do mercado de emprego”. Podem beneficiar do chequeformação os ativos empregados, independentemente do nível de qualificação, e os desempregados inscritos no IEFP, que tenham uma qualificação entre os níveis 3 e 6 (ensino secundário e licenciatura) há, pelo menos, 90 dias consecutivos. O apoio a atribuir considera o limite de 50 horas de formação no período de dois anos e um valor de 4 euros por hora, com um montante máximo de 175 euros por trabalhador, sendo o financiamento correspondente a 90% do total da formação.

A EPVL presta, então, apoio e formação no âmbito desta medida, estando disponível para esclarecer todas as dúvidas e reunir com os empresários que se mostrem interessados, bastando para isso contactarem a escola através do telefone: 231 209 920 ou do email epvl.mealhada@epm.edu.pt.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

37


Município distinguiu EPVL com Medalha de Mérito Municipal no Dia do Município O Executivo Municipal da Mealhada distinguiu no dia 5 de maio, numa sessão solene comemorativa do Dia do Município, 15 coletividades concelhias com a Medalha de Mérito Municipal, entre as quais a Escola Profissional Vasconcellos Lebre. Pela primeira vez, o Município assinalou o feriado com uma sessão evocativa na qual foram distinguidas coletividades que se destacaram pela relevância da sua atividade, antiguidade ou continuidade em diversos setores, da Cultura à Educação, do Desporto ao Apoio Social e à Proteção Civil. Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, sublinhou, na cerimónia que a homenagem “é para entidades privadas, mas cujo trabalho é claramente de interesse público no município e fora dele”. Foram três as entidades homenageadas 38

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

na área Social: o Centro de Assistência Paroquial de Pampilhosa, a Santa Casa da Misericórdia da Mealhada e a Casa do Povo da Vacariça. No setor do Desporto, os eleitos foram o Hóquei Clube da Mealhada, o Grupo Desportivo do Luso, o Futebol Clube da Pampilhosa e o Grupo Desportivo da Mealhada. Na Cultura, receberam a distinção o GEDEPA – Grupo Etnográfico de Defesa do Património e Ambiente da Região de Pampilhosa, a Filarmónica Lyra Barcoucense 10 D'Agosto, a Filarmónica Pampilhosense, o Rancho Folclórico e Etnográfico de São João de Casal Comba e o Grupo Regional da Pampilhosa do Botão. Na área da Proteção Civil, foram galardoadas as duas corporações de bombeiros do concelho, Mealhada e Pampilhosa, e no setor da Educação foi distinguida a Escola Profissional Vasconcellos Lebre.


A sessão contou ainda com a intervenção da Professora Doutora Maria Alegria que recordou a origem religiosa deste feriado, que comemora a Ascensão de Jesus aos Céus, neste caso com no ponto mais alto, o monte do Buçaco, com a tradicional romaria. À sessão, que decorreu no edifício dos Paços do Concelho, seguiuse a plantação de uma árvore na Mata Nacional do Buçaco, um gesto simbólico, que traduz a preocupação com a replantação daquela Mata. O gesto foi acompanhado de um outro que foi o anúncio, por parte do presidente da Câmara da Mealhada, Rui Marqueiro, do fim da edição massiva impressa do Boletim Municipal, que, até final do mandato, irá evitar o abate de cerca de 70 árvores. Acresce a este benefício ambiental um outro, de ordem financeira, que é o da poupança de cerca de três mil euros anuais. Na opinião de Rui Marqueiro, “muito mais do que poupar 70 árvores até ao final do presente mandato autárquico, o que o Município pretende, com esta decisão que reputa desde logo de pedagógica, é dar um sinal claro de preocupação pela defesa da floresta e do meio ambiente, sensibilizar os portugueses para a necessidade de prosseguir boas práticas ambientais e lançar o repto a todos os autarcas para, também eles, tomarem semelhante medida - aqueles que ainda a não tomaram, obviamente e/ou outras do género”.

que sejam medidas conducentes à redução do consumo de recursos neste caso, madeira, energia, água e produtos químicos -, é bem-vindo e deve ser enaltecido”, afirma o líder da Organização Não Governamental de Ambiente (ONGA). “Exorto, por isso, os responsáveis pelos restantes [308] municípios portugueses a seguirem o bom exemplo da Mealhada. Se todos fizessem o mesmo, seria uma excelente notícia para a floresta portuguesa”, afirmou o presidente da QUERCUS. Recorde-se que se todos os municípios portugueses poupassem 70 árvores com o fim da edição em papel dos seus boletins informativos, isso representaria, até ao final do atual mandato autárquico, uma poupança de 21.560 árvores.

No setor da Educação foi distinguida a Escola Profissional Vasconcellos Lebre.

O fim da edição em papel do Boletim Municipal da Mealhada, que passará a ser distribuído em todas as plataformas online da Câmara e por e-mail, mereceu rasgados elogios da parte da QUERCUS - Associação Nacional de Conservação da Natureza. O presidente daquela que é a maior organização ambiental portuguesa, João Branco, diz que não podia deixar de apoiar a decisão do Executivo mealhadense. “Tudo o Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

39


• “Ciência

do Curso professoras

em

Cena”

com os alunos de Auxiliar de Saúde e as Luciana Jesus e Paula Martins.

• “Empreendedorismo Municipal”

Projetos epvl

com os alunos do Curso de Desenho Gráfico e do Curso de Restauração-Cozinha e Pastelaria e os professores Manuela Fernandes, Cláudio Machado, Maria João Saraiva e Paula Martins. Também participou um aluno do Curso de Eletrónica, Automação e Comando, Rodrigo Ruas com o projeto da PAP (Prova de Aptidão Profissional) que foi à final intermunicipal.

• “Ilídio Pinho”

com o aluno Vasco Bica do Curso de Informática de Gestão e o professor Paulo Relvas; o aluno Rodrigo Ruas do Curso de Eletrónica, Automação e Comando e o professor Jorge Ribeiro, ambos com o projeto da PAP.

• “Parlamento Jovem”

com as turmas do primeiro ano dos Cursos de Gestão, Desenho Gráfico, Eletrónica, Automação e Comando, Restauração-Cozinha e Pastelaria e Restaurante/ Bar e as professoras Maria de Lurdes Penetra, Maria João Saraiva, Marlene Alves e Raquel Torres.

• “YoungVolunTeam” (YVT Help Team – EPVL) com a participação de alunos dos Cursos de Mecatrónica, Auxiliar de Saúde, RestauraçãoCozinha e Pastelaria e Restaurante/Bar e as professoras Cláudia Pereira e Maria João Saraiva.

• “Escola

Eletrão”

com a participação de toda a comunidade escolar e coordenado pela professora Adriana Bernardes.

• “Projeto Eco–Escolas” A EPVL no ano letivo 2015/ 2016 esteve uma vez mais envolvida em vários projetos como tem sido seu apanágio. Alunos e professores mostraram-se bastante empreendedores participando em:

com a participação de toda a comunidade educativa, em parceria com algumas entidades externas à escola e coordenado pelas professoras Lina Pereira e Marlene Alves.

• “Aptipro”,

concurso de protótipos tecnológicos que irão ser apresentados no dia 12 de julho no IPB. Os alunos Rodrigo Ruas, Tiago Gonçalves, Tiago Marques e João Ribeiro do Curso de Eletrónica, Automação e Comado e com a coordenação do professor Jorge Ribeiro, irão apresentar os trabalhos desenvolvidos no ambito da PAP.

Estes projetos envolvem e dinamizam a escola e, por isso, há que garantir a sua continuidade porque SER PROFISSIONAL VALE + Marlene Alves

40

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


pocket School epvl Pocket School é um projeto desenvolvido pelo aluno Edgar Pimenta e tem como principal objetivo facilitar o acesso à informação escolar.

Este projeto torna possível o acesso à plataforma escolar através de qualquer dispositivo móvel. Com um “design” apelativo e uma interpretação lógica, esta aplicação possibilita que o utilizador não tenha dificuldades em utilizá-la para satisfazer as suas atividades diárias.

bairrada chips A Bairrada Chips surgiu no âmbito do Concurso de “Ideias de Negócio” em que três alunas do Curso Restauração - Cozinha e Pastelaria tiveram a ideia de desenvolver um snack que associa a batata a um produto regional - o Molho de Leitão. Sendo o Leitão uma das “Maravilhas da Mesa da Bairrada” as alunas desenvolveram uma batata frita com sabor a leitão assado à bairrada.

3dcake 3D Cake é um projeto desenvolvido pelo aluno Rodrigo Ruas que consiste numa impressora 3D para decorar bolos de forma autónoma e precisa.

Esta impressora, permite assim, decorar bolos em série de forma mais criativa.

bairrada sweet Bairrada Sweet é um projeto desenvolvido por três aluno do Curso de Restauração - Cozinha e Pastelaria que consiste num bombom de chocolate com um recheio de espumante da Bairrada.

Bairrada Sweet “O espumante nunca foi tão doce!”

safety riding Safety Riding é um projeto desenvolvido pelo aluno Vasco Bica que consiste numa aplicação mobile para ciclistas que permite gerir as rotas, velocidade e distância percorrida pelo atleta. O mais inovador nesta aplicação é o seu sistema de emergência, que deteta se o atleta está parado e ativa um aviso consoante o tempo definido pelo utilizador, caso o utilizador não responda a esse aviso envia uma mensagem com as suas coordenadas para o seu contacto de emergência.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

41


Melhor do empreendedorismo na Mealhada, made in EPVL 3D Cake foi o projeto vencedor do Concurso Municipal de Ideias de Negócio. Criado por Rodrigo Ruas, é uma impressora 3D para pastelaria. E representou a Mealhada na final Intermunicipal, dia 5 de junho. Foram dez os projetos que foram apresentados no Concurso Municipal de Ideias de Negócio que teve a sua final no dia 18 de maio, no auditório Escola Profissional Vasconcellos Lebre, às 16h. Esta terceira edição do Concurso Municipal de Ideias de Negócio, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) ao abrigo do programa “Educação Empreendedora nas Escolas”, foi a mais participada, sendo a Mealhada o concelho da CIM –RC em que a adesão foi mais elevada, com 35 projetos de alunos do ensino secundário e profissional. Este é um concurso de empreendedorismo desenvolvido pela CIM - RC, em parceria com os 19 municípios, dirigido aos alunos do ensino secundário e profissional. Tem como objetivo sensibilizar e motivar os jovens para as práticas empreendedoras, promover o espírito de iniciativa, de cooperação e de criatividade. Conforme o regulamento do Concurso, uma Comissão Técnica Municipal selecionou 10 dos 35 projetos

42

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

apresentados e o vencedor destes, que será escolhido no dia 16, irá representar o município na final intermunicipal que decorreu em Arganil, no dia 5 de junho. O júri, composto pelo vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Guilherme Duarte, pelo presidente da Associação Comercial e Industrial da Bairrada e Aguieira (ACIBA), Carlos Pinheiro, e pela técnica superior do Município, Magda Costa, avaliará cada um dos projetos segundo cinco critérios: o grau de inovação, a exequibilidade da ideia, a qualidade da apresentação, a estruturação e maturação da ideia e impacto do projeto para a região.

3D Cake foi o

projeto vencedor do Concurso Municipal de Ideias de Negócio. É uma impressora 3D para pastelaria. E representou a Mealhada na final Intermunicipal.


Abril2016

EPVL SABER + n.ยบ 2

43


Da Esquerda para a Direita: Eng.º Jorge Ribeiro, Rodrigo Ruas, Vasco Bica e Eng.º Paulo Relvas

Projetos da EPVL passaram à segunda fase do prestigiado concurso nacional PRÉMIO CIÊNCIA NA ESCOLA DA FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO Os projetos "Safety Riding" e "3D Cake" dos alunos Vasco Bica, do Curso Técnico de Informática de Gestão, e Rodrigo Ruas, do Curso Técnico de Eletrónica, Automação e Comando, passaram à segunda fase da 13.ª edição no Concurso de Ideias do Prémio «Ciência na Escola» promovido pela Fundação Ilídio Pinho. Vasco Góis Bica, aluno do terceiro ano do Curso de Técnico de Informática de Gestão e campeão nacional de Downhill, viu o seu projeto "Safety Riding" passar à fase nacional do prestigiado prémio da Fundação Ilídio Pinho. Trata-se de uma aplicação mobile (nesta fase apenas para Android), direcionada para os praticantes de desportos com bicicleta, sobretudo para BTT e Downhill, que utilizando o GPS permitirá

44

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Ciência na Escola

fornecer informações da rota, velocidade média, velocidade máxima, acumulado de altitude e outra informação relevante. O que torna esta aplicação única, é o facto de ter um sistema de segurança bastante inovador e nunca antes feito, que consiste em enviar uma mensagem, para um número pré‐ definido (ou vários) caso o utilizador esteja imóvel por mais de x tempo. De modo a evitar que a aplicação envie pedido de ajuda desnecessariamente, a aplicação irá primeiro tentar interagir com o utilizador (atleta), e caso este não responda, então será despoletado o sistema de segurança, isto é, a aplicação enviará uma mensagem contendo entre outra informação relevante, as coordenadas GPS referentes à localização do utilizador, para o número pré‐definido. Por seu turno, o projeto de Rodrigo Ruas – aluno finalista de Eletrónica Automação e Comando –, com o nome "3D Cake", é uma impressora para decorar bolos em 3D de uma forma automática, com a máxima precisão e sem a intervenção humana. Permitindo realizar uma série de decorações idênticas e mais criativas, os desenhos são realizados num software CAD (Autodesk Inventor), que depois são convertidos em formato STL. Esse desenho é passado para um software (Repetier‐Host) que comunica com o Arduíno e este dá as indicações necessárias para que o desenho seja realizado. Ambos os projetos apresentados ao Prémio Ilidio Pinho são Provas de Aptidão Profissional que os alunos estão a desenvolver e defenderão publicamente no final do ano letivo. Os projetos são monitorizados pelos professores Eng. Jorge Ribeiro – da área da Eletrónica, Automação e Comando – e Eng.º Paulo Relvas – da área da Informática de Gestão. A candidatura da EPVL ao Prémio Ilidio Pinho conta com a coordenação da Dr.ª Marlene Alves, coordenadora-geral dos projetos externos de relevância pedagógica da Escola. A 13ª edição do Projeto Ciência na Escola, subordinado ao tema “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”, é o resultado de um protocolo estabelecido entre a Fundação Ilídio Pinho, o Ministério da Educação e Ciência e o Ministério da Economia com vista a motivar todos os alunos, da Educação Pré-Escolar, dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundário, das diferentes vias de educação e formação, para a aprendizagem das ciências e para a escolha de áreas tecnológicas.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

45


ALMOÇOS TEMÁTICOS’ DA EPVL CONTINUAM A SER UM SUCESSO Os almoços temáticos da Escola Profissional Vasconcellos Lebre regressaram, em 2015/16, ao Restaurante Pedagógico “A Prova dos Novos”, na Pampilhosa. Nove refeições temáticas – duas delas exclusivamente vínicas – deram o mote para que quase quatro centenas de pessoas participassem no processo formativo da EPVL e ajudassem futuros cozinheiros e pasteleiros e futuros empregados de mesa a melhorarem o seu desempenho na via da profissionalização. O primeiro dos almoços temáticos foi ‘Sabores do Outono’ e realizou-se no dia 27 de outubro, com ementa do Chefe Luís Lavrador; foi confecionado pelos alunos do 3.º ano do Curso de Restauração – variante Cozinha e Pastelaria. O serviço esteve a cargo dos alunos do 2.º ano do Curso de Restauração – variante Restaurante/ Bar. O cardápio foi o seguinte: Beringelas recheadas, como entrada, Bochecha de Porco a baixa temperatura com Aroma 46

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

A Prova dos Novos Restaurante Pedagógico Comunidade sentou-se à mesa para ajudar no processo formativo a Tomilho, Trouxa de Legumes e Batata Gratin, como prato principal e ainda Torta de Maçã e Panacota de Limonete com Dióspiro e Romã, como sobremesa. “Sabores da Castanha”, no dia 17 de novembro, foi o segundo almoço temático. Creme de abóbora com Castanhas tostadas, como entrada, Bacalhau confitado com Crosta de Broa e Castanha em Cama de Legumes, como prato principal e ainda Pudim de Laranja, Trufas de Castanha, Vidrado de Caramelo e Noz com redução de Vinho do Porto e Romã, como sobremesa, foi a ementa de uma iniciativa que mobilizou uma verdadeira enchente de pessoas. O número de pessoas ultrapassou todas as expectativas e as inscrições tiveram de ficar limitadas às primeiras sessenta a reservarem o seu lugar. Muitas ficaram sem esta oportunidade de participar no processo formativo dos alunos dos cursos de restauração da EPVL.

“Sabores da Castanha” teve ementa do Chefe Vitor Almeida e foi confecionado pelos alunos do 3.º ano do Curso de Restauração – variante Cozinha e Pastelaria. O serviço esteve a cargo dos alunos do 2.º ano do Curso de Restauração – variante Restaurante/ Bar, sob direção da formadora Diana Jorge. Com a chegada da época natalícia, realizou-se o terceiro almoço temático, com o tema “Sabores do Natal”. Realizou-se no dia 15 de dezembro e o cardápio foi o seguinte: Peru e Polvo num Rolo de Natal com Abacaxi em Vinho Tinto e Ervas Frescas, como entrada, Bacalhau do Natal com Todos, envolto numa Crosta de Enchidos e Frutos Secos, como prato principal e ainda os doces de Natal numa harmonia de cores e sabores, como sobremesa. A 19 de janeiro, decorreu o quarto almoço temático EPVL, desta vez com a temática “Sabores do Cogumelo”. Foi um


evento bastante participado e os elogios multiplicaram-se tanto para os alunos de Cozinha e Pastelaria como para os de Restaurante/Bar. Muffin de Cogumelos e Presunto, Misto de Alfaces e Redução de Balsâmico, como entrada, Risotto de Cogumelos Portobelo aromatizado com Espumante Bairrada meio-seco e Legumes da Horta, como prato principal e ainda, como sobremesa, Areia, Gelado Cítrico de Cogumelos e Cararron de chocolate em harmonia com Coulis de Frutos Silvestres, foi a ementa idealizada pelo Chef Udine Peixe, formador dos

alunos do Curso de Cozinhae Pastelaria que confecionaram a refeição. O quinto almoço temático, realizouse no dia 23 de fevereiro, e teve como tema “Sabores do Bussaco”. Esta temática foi ao encontro de um conjunto de parcerias e estratégias que a EPVL e a Fundação Mata do Bussaco estão a desenvolver no âmbito de vários projetos relacionados com a preservação ambiental, a promoção de produtos endógenos e a formação integral dos jovens. “Homenageámos

o Bussaco e associámo-nos ao esforço coletivo e comunitário que quer afirmar a Mata Nacional como Património da Humanidade”, afirmou o diretorgeral da EPVL, Nuno Castela Canilho. “Foi um sucesso e a ementa estava especialmente inspirada e inspiradora”, garantiu. A 15 de março realizou-se o “Sabores da Páscoa”, onde o Cabrito não falta acompanhado com requintes tradicionais pontificados pelo queijo da Serra ou pelo Mel. Sabores de

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

47


forno, sabores de mar, sabores de tradição aliados às novas tendências da gastronomia e à inclusão ícones que nos permitem identificar os sabores das épocas festivas, como os da Páscoa! O sétimo almoço temático foi “Sabores da Primavera” e realizou-se no dia 19 de abril. Salada de Tomate Cherry e Queijo Mozarela com Molho de Manjericão foi a entrada para o prato principal de Filetes de Pescada com Crosta de Avelã com Legumes Salteados e Batata Torneada. Antes, degustou-se uma sopa em duo de Creme de Cenoura e Creme de Couve-flor. Para o fim, a sobremesa: um Banofee com Lágrima de Chocolate e Frutos do Bosque… de chorar por mais.

Bairrada Passion Os dois últimos almoços temáticos foram exclusivamente voltados para a dimensão vínica e bairradina da gastronomia ensinada aos alunos EPVL. Com o nome genérico de “Bairrada Passion” os almoços vínicos procuraram sensibilizar os formandos e alguns convidados para as potencialidades gastronómicas e vínicas desta região, e articular sinergias entre a EPVL,

48

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

empresários, formandos e potenciais marcas portuguesas. A primeira iniciativa, em março, não foi aberta à população, tendo sido exclusiva para parceiros institucionais da EPVL. O evento dividiu-se em dois momentos, em cada um deles foi servido um almoço Vínico alusivo a cada um dos temas, pelos alunos do Curso Vocacional Hotelaria e Turismo, e as refeições foram harmonizadas por vinhos, comentados por especialistas. No almoço foi fornecido aos convivas um pequeno formulário de avaliação ao evento. “Sensations with bubbles” foi o primeiro, em 18 março, com os espumantes como protagonistas de uma refeição. Os vinhos servidos na entrada deste almoço foram o Quinta do Valdoeiro Baga/Chardonnay Bruto 2013, o Rama Selas Espumante Branco Bruto Bical-Arinto-Chardonnay-Baga 2013, o Quinta do Encontro BrutoBical-Maria Gomes-Arinto e ainda o Messias Bruto Milésime Grand Cuvée 2012. Com o prato principal foi servido o Rama Espumante ‘Blanc de Blancs’ Chardonnay-Arinto e com a sobremesa o Quinta do Encontro Rosé-Touriga

Nacional. O segundo almoço vínico, em 21 de abril de 2016, teve o nome de “Baga Emotions” e teve a ementa assinada pelo reconhecido Chef Tony Martins, que oportunamente deu uma formação especializada aos alunos de Cozinha e Pastelaria da EPVL. Este almoço foi alusivo à casta Baga, especificamente. O Espumante Quinta do ValdoeiroBaga/ Chardonnay abriu serviço cocktail inicial e da entrada. Seguiu-se o Milheiro Selas 2012 – Baga/ Touriga nacional/ Syrah para acompanhar o prato de peixe – bacalhau –. O Messias Clássico Garrafeira 2010 – 100% Baga aromatizou o prato de carne – rabo de boi – Messias Grand Cuvée 2012 Baga/ Bical/Cerceal, pontificou à sobremesa. A exemplo do que aconteceu nos dois anos letivos anteriores, os almoços temáticos da EPVL foram, em 2015/16, um rotundo sucesso. Esta iniciativa tem em vista a promoção de oportunidades formativas aos alunos dos cursos profissionais e vocacionais, de modo a que eles possam apreender em contexto real o máximo de conhecimentos, competências e atitudes.


Satisfação MÁXIMA!! ;) Foram estes os resultados obtidos no inquérito de satisfação feito às pessoas que tiveram oportunidade de estar presentes e degustar nos almoços temáticos EPVL que se realizaram no nosso Restaurante Pedagógico “A Prova dos Novos” na Pampilhosa. Com uma escala de 1 (muito mau) a 5 (muito bom) obtivemos ao longo dos Almoços Temáticos em 256 questionários respondidos, uma média de 4,6 valores no parâmetro “Atendimento”, 4,6 valores no parâmetro “Confeção” e 4,9 valores no parâmetro “Apresentação”. Resultados de excelência não é verdade? Eu diria resultados de verdadeiros Profissionais! ;) Se não teve oportunidade de experimentar não desanime, no próximo ano letivo há mais!!

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

49


ALMOÇOS TEMÁTICOS EPVL

Vai haver mais... fique atento! :) 50

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Abril2016

EPVL SABER + n.ยบ 2

51


PADARIA DA ESCOLA Certificação 4 Maravilhas revalidada, com 18 valores Realizou-se no dia 1 de julho de 2016, na Adega Rama, na Mealhada, a Gala de Entrega dos diplomas de certificação das 4 Maravilhas da Mesa da Mealhada. A Padaria da Escola, da EPVL, viu renovada a sua cerificação tendo obtido 18 valores, a maior pontuação – em ex-aequo – das candidatas à Maravilha Pão.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

53


A

EPVL - a participar no Programa Eco-Escolas – viveu dias de forte emoção “ecológica”, ao sentirse envolvida na “Rota Eco-Escolas”, coordenada pela ABAE | Programa Eco-Escolas, cujo tema mobilidade sustentável, visou sensibilizar a comunidade escolar para a importância de uma mobilidade mais segura e inclusiva e que envolveu crianças e jovens, professores, assistentes, encarregados de educação e município. Ao comemorar os 20 anos do EcoEscolas em Portugal, a Rota dos 20 anos, transformou-se na Rota dos 20, que decorreu simultaneamente em 20 regiões (distritos do continente e nas duas regiões autónomas), o que significou alcançar todas as escolas de Portugal que são Eco-Escolas. O foco principal foi pois, a mobilidade sustentável, e a participação ativa das crianças e jovens e escolas, ao registarem os seus testemunhos, opiniões e sugestões sustentáveis e/ ou ecológicas, inscritas no Livro EcoEscolas, no Pergaminho e na Bandeira Verde. Foi sem dúvida uma novidade e uma emoção para nós - enquanto comunidade educativa -, recebermos o testemunho da “mão” de mais de duzentas crianças do Centro Escolar da Mealhada. Este dia marcante aconteceu a 27 de abril. Ficámos contagiados com a alegria, a energia, o entusiasmo com que nos brindaram com a sua presença

A EPVL - A PARTICIPAR NO PROGRAMA ECO-ESCOLAS

e o legado da Rota dos 20. Partilhámos um lanche sustentável, muita diversão e muitos sorrisos. Foi com orgulho saudável que erguemos a Bandeira Verde no hall de entrada da nossa escola e aí ficou até ao dia 31 de maio – o dia que escolhemos como dia Aberto da Escola e, ao mesmo tempo, o dia Eco-Escola EPVL, quando “hasteámos” a Bandeira Verde na nossa H2Orta! Pudemos de forma entusiasta deixar na Bandeira os nossos nomes, o símbolo que nos norteia – Ser profissional Vale +. No Livro, gravámos a nossa marca enquanto Eco-estudantes/Eco-

professores/Eco-Comunidade. No Pergaminho, escrevemos as nossas sugestões que, a juntar ao que já havíamos feito, se traduzem na nossa visão e missão ecológica, num contributo não meramente simbólico, mas ativo, em prol de um ambiente mais e mais sustentável. Nesse dia – 31 de maio – cumpriríamos a ´nossa rota` . Um grupo de eco-alunos, as coordenadoras do programa e o Sr. Manuel deslocaram-se até à EB1 de Barcouço. Para além da passagem do testemunho da Rota dos 20, levámos connosco um lanche, servido por alunos do curso de Restaurante/Bar, e assim tivemos o privilégio de conviver com os alunos do 4º ano desta escola e alguns dos seus professores.

Momentos que nos honram enquanto comunidade educativa e enquanto parceiros de um programa tão importante na promoção de gestos que tornam o nosso Mundo muito melhor.

54

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


ECO-CÓDIGO EPVL ;)

N

o encontro daqueles que são os objetivos do Programa EcoEscolas e do cumprimento do 7º passo metodológico deste mesmo programa – a construção de um EcoCódigo, a EPVL, consciencializada para a importância do trabalho conjunto e participação ativa de toda a comunidade escolar em favor da mudança de atitudes e comportamentos face à melhoria do ambiente da escola, das nossas casas e da nossa região, meteu “mãos-à-obra” para construir o seu próprio Eco-Código. O primeiro passo foi explicar em cada turma o projeto e estimular cada aluno a participar de forma criativa e entusiasmada num futuro trabalho que pudesse transmitir a todos os valores ambientais que desejamos melhorar e/ ou adquirir para a nossa escola. Esse trabalho teria como produto final um conjunto de frases selecionadas (12 no máximo e 10 no mínimo) entre todas as que escrevessem, e que passariam a constituir o Eco-Código EPVL, através do qual toda a comunidade educativa a partir da sua aprovação - deveria se pautar ou conduzir.

Assim, envolveram-se todas as turmas da seguinte forma: - Os alunos criaram entre duas a quatro frases que entregaram ao delegado de turma, que posteriormente entregou às coordenadoras do projeto. - Os delegados de turma em conjunto com as coordenadoras selecionaram as doze frases que consideraram ser as mais adequadas ao Eco-Código da nossa escola. - Por fim, as frases foram apresentadas na reunião de conselho Eco-Escolas que as aprovou por unanimidade. Já na posse das frases/código, das regras que definem a nossa conduta ecológica e dos vários registos em fotografia das várias atividades que envolveram o projeto, o passo seguinte era mesmo a construção do Poster ECO-CÓDIGO EPVL. E assim foi. Bastava juntar a tudo o que tínhamos a criatividade e atitude

de forma a encontrar a sintonia correta. Este trabalho final e quiçá, o de maior exigência, foi desenvolvido pelos alunos de 1º ano do Curso Profissional de Desenho Gráfico que utilizaram softwares de edição digital de imagem e tentaram transmitir um aspeto de escola ecológica ao utilizar uma folha de caderno escolar. Ficámos muito satisfeitos com o resultado final do nosso Poster, que acreditamos ser uma excelente e atraente forma de comunicar os princípios ecológicos da EPVL, em favor de um ambiente mais sustentável. Professores: Cláudio Machado | Lina Pereira | Marlene Alves

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

55


Educação Especial EPVL Ver mais do que os olhos podem ver

O núcleo de Educação Especial é um serviço especializado que, em articulação com outros serviços da Escola e Comunidade tem como objetivo corresponder às necessidades educativas especiais [NEE] dos alunos com limitações ao nível da atividade e participação, decorrentes de alterações funcionais e estruturais, de caráter permanente, resultando em dificuldades continuadas ao nível da comunicação, aprendizagem, da mobilidade, da autonomia, do relacionamento interpessoal e da participação social de acordo com o disposto no Decreto-Lei

56

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

nº 3/2008, de 7 de janeiro. O ano letivo 2014/2015 na EPVL viu nascer este serviço especializado que tem como principais objetivos fomentar a inclusão educativa e social dos alunos com NEE, promover o seu acesso e sucesso educativo, a sua autonomia e estabilidade emocional;

difundir respostas pedagógicas diversificadas, escolares e de transição para a vida pós-escolar, adequadas às suas necessidades específicas, numa filosofia de igualdade de oportunidades. Deste núcleo fazem parte, atualmente, duas docentes de Educação Especial e um Psicólogo, com funções técnico-


-pedagógicas. Mas não estamos sós. Somos uma equipa pluridisciplinar da qual fazem parte um conjunto de professores, funcionários, pais e encarregados de educação, médicos e terapeutas. Somos uma equipa que mais do que se centrar no caso clínico ou educacional do aluno, centra-se na pessoa, cuidando dela enquanto indivíduo, enquanto ser único e especial. A nossa mensagem enquanto profissionais da educação é dizer não à discriminação e, por isso, não ignoramos a diferença, queremos ver mais longe, procuramos a inclusão.

Com pouco mais de um ano em exercício, temos visto vitórias, alunos mais capazes, famílias mais felizes. Os resultados nem sempre chegam como e quando desejamos, mas temos em mente que a educação, no momento, não parece motivo de alegria, mas de tristeza. As problemáticas são complexas, a envolvência socioeconómica é frágil, sentimo-nos impotentes. Mas estes são desafios que nunca nos fazem dizer “não” e o certo é que depois, a educação, a modéstia, o amor, a moderação, a dedicação, a diligência, a justiça, produzem nos

alunos e em toda a equipa frutos de paz e de justiça. Como Escola, entendemos que todos têm o direito de ser tratados com dignidade, dedicação e respeito à individualidade, sem qualquer forma de preconceito. A mudança ainda se faz pela educação/ formação, com os maiores cuidados, porque influência toda a vida dos nossos alunos – o amanhã, o futuro. Lina Pereira (Coordenadora do Núcleo da Educação Especial)

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

57


EPVL: Uma escola sem muros e aberta à comunidade A Escola Profissional Vasconcellos Lebre da Mealhada é reconhecida pela abertura à comunidade e pelo facto de ter uma tradição de grande apoio – nomeadamente com a cedência de instalações – às várias instituições do concelho da Mealhada, mas também de toda a região. As últimas duas semanas – de 5 a 18 de outubro – foram disso exemplo. “A abertura da escola à comunidade, a relação que uma escola com as nossas características tem com a sociedade civil organizada é absolutamente fundamental e está na Missão, nos Valores e na Política que a escola definiu para o seu Projeto Educativo”, afirmou o diretor-geral da EPVL, Nuno Castela Canilho.

“RELAÇÃO COM A SOCIEDADE CIVIL É FUNDAMENTAL”

A disponibilidade da EPVL, “uma escola sem muros” – como é muitas vezes referido pelos seus diretores –, perante a comunidade é facilmente percecionada pela estratégia de cedência de instalações às instituições – associações, IPSS, e até empresas – para a concretização de atividades de interesse público. No dia 9 de outubro, por exemplo, o auditório Eng.º João Pega, na EPVL, foi o local escolhido pela Universidade Sénior CADES para a realização da sessão solene de abertura do ano letivo 2015/16, uma iniciativa destinada à população sénior da região, e que este ano assinala o seu quarto ano letivo. Na ocasião, para além de Guilherme Duarte, vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, e dos responsáveis da CADES, também 58

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

o diretor-geral da EPVL se dirigiu aos formandos da CADES deixando-lhes o desafio de um aprofundamento da parceria entre a CADES e a EPVL – que hoje se consubstancia na cedência de instalações para as aulas de Culinária – “no sentido de os formados poderem ser os avós que os alunos da EPVL precisam, podendo estes ser os filhos e netos que os formandos da CADES poderiam ajudar a tornar-se melhores homens e mulheres”. Alguns dias depois, em 16 de outubro, foi a vez de ser a Santa Casa da Misericórdia da Mealhada a utilizar o auditório da EPVL para, no âmbito das comemorações dos 109 anos da instituição, realizar a apresentação do projeto “O Coração é a Razão” – Unidade de Risco Cardiovascular. O referido projeto foi apresentado pelo Prof. Doutor Polybio Serra e Silva, da Fundação Portuguesa de Cardiologia, Prof. Doutor Raul Martins, Dr.ª Fátima Franco, Dr. Marco Silva, da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra e pela Dr.ª Helena Lourenço. Os alunos da EPVL


assistiram às conferências proferidas e deram, também o seu testemunho em relação às iniciativas relacionadas com a promoção da alimentação saudável. No sábado, 17 de outubro, durante a tarde realizou-se no referido auditório, a cerimónia de entrega de diplomas da Escola de Ballet do Hóquei Clube da Mealhada. Mas o relacionamento da EPVL com a sociedade civil vai para além da mera cedência de instalações. Há, também, uma cultura de parceria e cooperação na realização de atividades de sensibilização, voluntariado e apoio à comunidade. No âmbito desta parceria é verdadeiramente notória a presença da EPVL nas actividades promovidas pela Câmara Municipal da Mealhada e pelo Gabinete de Ação Social. “Foi com muito prazer e satisfação que a EPVL promoveu no Restaurante ‘A Prova dos Novos’, na Pampilhosa um workshop sobre ‘Refeições Saudáveis e Económicas’ inserido nas realizações da Câmara Municipal da Mealhada na Semana da Luta contra a Pobreza e

Exclusão Social. O objetivo do workshop, levado a cabo pelos alunos do Curso de Restauração variante Cozinha/Pastelaria, do 3.º ano, e pelo seu formador, o professor Chef Luís Lavrador, passou por mostrar como podem ser confecionadas refeições saudáveis, equilibradas e económicas, utilizando alimentos de baixo custo. “Trabalhando estes alimentos podemos dar asas a pratos magníficos, saborosos e nutritivos”, referiram os dinamizadores do workshop. Alunos e formador da EPVL mostraram como fazer uma Sopa de Legumes, bastante nutritiva, um Arroz de Carnes maravilhoso e, por fim, com um magnífico Pudim e uma Baba de Camelo, tudo mostrando possibilidades de usar o que temos em casa. Os alunos e a formadora do 2.°ano, do Curso de Restauração – variante Restaurante/Bar, a professora Diana Jorge, ainda mostraram como apresentar uma mesa requintada e serviram os participantes na atividade. “Estamos sempre disponíveis para colaborar em ações semelhantes

agradecemos aos nossos alunos e formadores toda a colaboração nestes eventos, estando gratos pela parceria sempre tão oportuna com a Câmara Municipal da Mealhada”, referiu a Chef Susana Oliveira, coordenadora do Curso de Restauração - variante Cozinha/ Pastelaria, que acrescentou: “A EPVL, forma profissionais para poderem ser mais valia no Concelho, e estas oportunidades são prova da nossa intervenção”.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

59


Alunos da Universidade Sénior CADES ficam a conhecer EPVL No dia 22 de janeiro, sexta-feira, cerca de trinta alunos da Universidade Sénior CADES visitaram as instalações da Mealhada da Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL). O grupo percorreu o espaço da escola – normalmente de uso exclusivo da comunidade estudantil, docente e discente – nomeadamente biblioteca, salas de aula, oficinas e padaria, tendo a visita terminado com um chá e biscoitos – confecionados pelos alunos de Cozinha e Pastelaria – que aqueceu uma conversa entre os formandos e o diretor-geral da EPVL, Nuno Castela Canilho, a diretora pedagógica, Manuela Alves, e os alunos da CADES. Nuno Castela Canilho apresentou aos convidados o projecto pedagógico da EPVL, a sua visão sobre a Educação no presente e no futuro do país e o papel das escolas profissionais nesse domínio. Salientou, ainda, o papel social e de apoio que a escola exerce sobre os alunos e as suas famílias e, ainda o papel que a comunidade tem e poderá vir a ter junto dos alunos da escola. EPVL e CADES são instituições parceiras, nomeadamente no projeto da Universidade Sénior e da Academia Juvenil. A presente iniciativa visou fortalecer o conhecimento mutuo

60

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

e, segundo o diretor-geral da EPVL, “procurar mostrar à comunidade mealhadense que a EPVL é uma escola que procura transformar futuros e não apenas formar jovens, ou dar-lhes, apenas, conhecimentos, competências e atitudes”.


EPVL promove iniciativas para valorização do sentido comunitário da região

S

ão várias as iniciativas em que – sozinha ou em parceria – a EPVL se envolve no sentido de dar o seu contributo para a valorização da comunidade local. “Somos uma escola privada propriedade de duas entidades públicas e por isso, ou apesar disso, procuramos ter ações de responsabilidade institucional”, afirma Nuno Castela Canilho, diretorgeral da EPVL. Juntamente com o Gabinete de Ação Social da Câmara Municipal da Mealhada e com as IPSS do concelho, a Escola Profissional da Mealhada promoveu, no dia 16 de fevereiro de 2016, um almoço para meia centena de utentes das IPSS do concelho da Mealhada, na área da terceira idade e da deficiência. Uns celebraram anos de casados, outros assinalaram relações mais recentes, mas o objetivo era celebrar o Amor em tempo de Dia dos Namorados. O encontro alusivo ao Dia de São Valentim, no restaurante pedagógico” A Prova dos Novos”, situado no Jardim Público da Pampilhosa, insere-se no âmbito das atividades do Plano Institucional 2016 da Rede Social da Mealhada, em parceria com a Escola Profissional Vasconcellos Lebre (EPVL), incluiu almoço a dois, com direito a troca de presentes e música romântica durante a tarde. A refeição foi confecionada e servida pelos alunos da escola dos cursos de restauração – vocacionais e de nível IV.

As IPSS que participaram no evento foram o Centro Santo Amaro Casal Comba - APPACDM Anadia, a Associação Desportiva Cultural e Recreativa de Antes, a Casa do Povo da Vacariça, o Centro de Assistência Paroquial de Pampilhosa, a CADES, o Centro Social Comendador Melo Pimenta, o Centro Social da Freguesia de Casal Comba, o Jardim-de-Infância Dr.ª Odete Isabel e a Santa Casa da Misericórdia da Mealhada. Uns dias antes, a 4 de fevereiro, (tempo de Carnaval), os alunos do Curso Vocacional de Hotelaria e Turismo, da EPVL, apoiaram – servindo – o encontro interinstitucional “Reviver o Entrudo”, promovido pela Câmara Municipal da Mealhada para 250 idosos de Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho. Muitas máscaras, música, dança e animação quanto baste fizeram com que 250 idosos e alguns utentes da área da deficiência revivessem o Entrudo numa tarde bem diferente, no Pavilhão Multiusos da Associação Desportiva Cultural e Recreativa de Antes. A iniciativa, organizada pela Rede Social, juntou nove IPSS do concelho, nomeadamente a Associação Desportiva Cultural e Recreativa de Antes, o Centro Social Comendador Melo Pimenta, o Jardim de Infância Drª Odete Isabel, a Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, a APPACM de Anadia – Centro Santo Amaro, o Centro de Assistência Paroquial da Pampilhosa, a Casa do Povo da

Vacariça, o Centro Social da Freguesia de Casal Comba e o Centro Paroquial de Solidariedade Social de Ventosa do Bairro. Arminda Martins, vereadora da Câmara Municipal da Mealhada, responsável pelo pelouro da Ação Social, sobre o trabalho dos alunos da EPVL afirmou: “Muito Obrigado em nome do Município da Mealhada e de toda a Rede Social da Mealhada à EPVL e aos seus alunos do curso vocacional de Hotelaria e Turismo, mas também aos alunos de Cozinha e Pastelaria do 1º e do 3º ano. Estiveram ao mais elevado nível, foram verdadeiros profissionais. “A vós alunos desejo que este seja um de muitos dias em que como pessoas se sintam realizados, uteis e especialmente felizes, convosco o futuro só poderá ser promissor!”. No passado dia 27 de fevereiro os alunos do 3.º ano da turma de Cozinha/ Pastelaria e os do 1.º ano do curso de Restaurante/bar – que realizaram o seu primeiro evento para a comunidade – receberam os Bombeiros Voluntários da Pampilhosa num jantar que juntou cerca de 80 pessoas e que serviu de arranque para o programa de comemorações dos 90 anos da associação pampilhosense. O jantar contou também com o grupo de fados “Para sempre Coimbra”. Mais uma vez os alunos mostraram estar à altura e provaram que Ser Profissional Vale Mais!

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

61


A SABER+ pretende dar a conhecer esta sua outra vertente, mais pessoal e que ocupa um papel importante na sua vida. Pode explicar-nos porquê? O porquê desta vertente da associação? Outros professores como a Arq. Manuela também trabalham em associações de voluntariado. Agradeço a oportunidade, mas talvez a intenção seja divulgar outra vertente das pessoas que constroem a escola e da própria EPVL. É de justiça referir que temos alunos com espírito cívico e voluntariado que participam em várias associações.

Conhecemos o seu extraordinário empenho como docente da EPVL. Assim, como consegue gerir estas duas funções? Extraordinário é um exagero, porque todos os professores que trabalham na EPVL são extraordinários em dedicação e empenho. Não é fácil gerir 62

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

as duas funções, sendo que a função docente é bastante importante, porque é a minha profissão e a atividade na APHP desenrola-se em regime de voluntariado que foi suportada em termos de despesas pela profissão. Registo que ao longo destes anos a Escola tem colaborado com a associação, ao ser parceira em algumas das nossas iniciativas (celebração do dia mundial por exemplo) e ao permitir a minha deslocação a reuniões nacionais e internacionais, entrevistas na comunicação social. Sem esse apoio não teria sido possível estar na APHPPosso dizer que ajuda não ter compromissos domésticos. Mas reconheço que por vezes a ação da APHP pode ser limitada pelo facto de todos os membros serem voluntários.

A Hipertensão pulmonar é uma doença crónica pouco conhecida que se caracteriza pelo estreitamento progressivo dos vasos sanguíneos dos pulmões e pela sobrecarga a que o coração fica sujeito


À conversa com... MARIA JOÃO SARAIVA

Prof.

Presidente da Associação de Portuguesa Hipertensão Pulmonar (APHP), a única instituição portuguesa direcionada para pessoas afetadas pela hipertensão pulmonar (HP), composta por doentes, cuidadores, técnicos de saúde, amigos... A APHP procura prestar todo o apoio psicológico, social e informativo aos doentes e familiares.

Ser professora na EPVL e pertencer e apoiar instituições como esta, pode ter alguma relação/ existe alguma dinâmica que interaja? Num mundo sistémico, tudo contribui. Ganhamos mais valias e competências técnicas, pessoais, que se podem refletir no nosso trabalho docente. A experiência enquanto doente, o lidar com amigos que morreram, a ideia do transitório, o contacto com o sofrimento alheio, as entrevistas na comunicação social, transporta-se para a esfera pessoal e profissional e isso pode ajudar na nossa atividade, pode ajudar os alunos .. não sei.

Enquanto portadora de uma doença rara e conseguindo trabalhar com tanta força e dinamismo até hoje, qual o seu segredo? Haverá segredos? Penso que não, mas duas palavras podem contribuir

para o meu estado atual : atitude e pragmatismo conciliar a aceitação com a luta (reconhecer que temos um problema, que não há cura, que temos que viver com ele e reaproveitar as situações e as limitações e sorte!) Sorte pelo timing do diagnóstico, sorte por ter uma médica competente, sorte pela família, escola e amigos, sorte, porque o meu organismo reage bem às terapêuticas. Sorte por viver em Portugal onde temos um SNS que paga milhares de euros por tratamentos mensais. Mas a sorte irá acabar?! Esquecemonos de uma verdade! Apesar dos avanços terapêuticos e do apoio, todos morremos. Ter uma doença rara, crónica, incurável e incapacitante permite-nos ter esta visão pragmática. Estatisticamente iremos morrer mais cedo que a média das outras pessoas. Quando e como? Ninguém sabe.

Estou a desviar-me da pergunta. Desculpa. Mas incomoda-me o falso otimismo que tudo se consegue com uma atitude positiva e de combate. E os que morrem? Não têm esse otimismo? Não lutaram até à exaustão?

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

63


Uma escola, um projeto de vida “Aqui partilhei emoções, ri, chorei, fui feliz e fui menos feliz, mas descobri que ensinar é um dos grandes prazeres que tenho na vida e o que me mantém viva.”

Há três coisas que não têm retorno: a seta, depois de atirada, a palavra, depois de dita e a oportunidade, depois de perdida. Digo muitas vezes isto aos meus alunos. Não apenas porque alguém o disse e eu fixei mas porque acredito que perder uma oportunidade pode ser fatal. A vida lança-nos desafios e nós agarramo-los ou não. O livre arbítrio oferece-nos a escolha e o seguir ou não em frente. Nem sempre fazemos a opção certa, mas também podemos e devemos tirar partido dessa aprendizagem. É o que tenho feito ao longo de quase 50 anos de vivências. Quando amamos, quando rimos, quando sofremos e choramos, aprendemos algo e crescemos.

64

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

Nesta escola, EPVL, tenho 20 anos de aprendizagem e sinto-me mais rica como ser humano. Cheguei cá no ano letivo de 1996/97 e percebia logo que este era, sem dúvida, o futuro que queria para mim. Não pelo edifício, nem pelo salário, pois podia ter tudo isso noutra escola do país. Mas, ser professor é, acima de tudo, formar e transformar pessoas e eu queria fazê-lo da forma mais próxima possível. A família EPVL deu-me conforto e segurança. Ofereceu-me a possibilidade de acompanhar alunos durante três anos e sentir que o esforço era compensador. O equilíbrio emocional que me amparou, transformou-me como docente. Aqui partilhei emoções, ri, chorei, fui feliz e fui menos feliz, mas descobri que

ensinar é um dos grandes prazeres que tenho na vida e o que me mantém viva. Chegar todos os dias à escola é chegar ao local dos afetos, dos sonhos e alguns pesadelos, que se minimizam com o apoio de todos ao nosso redor. Sinto que neste percurso nunca estive sozinha. Tenho amigos, colegas de trabalho, um segundo lar. Se estou mais triste, consigo alento e os problemas tornam-se menores. Gosto do que me rodeia – o espaço físico, as pessoas, o ritmo, ora mais acelerado, ora mais leve, o ar jovem que se respira e nos faz esquecer que envelhecemos, apesar do cansaço do ritmo alucinante do trabalho. Isto deve-se, indubitavelmente, à capacidade de nos desdobrarmos para salvar vidas. Sim, ser professor é como


ser nadador salvador. Os alunos não estão motivados, não querem estudar, estão prestes a “afogar-se” num imenso mar de dúvidas e cá estamos nós a oferecer um boia ou um bote, para não desistirem e chegarem a terra sãos e salvos. Também fico mais tranquila, pois sei que confiam em nós e nos deixam orientar o barco para não naufragarem. Mas, estarão a questionar-se, nesta Escola não há espinhos? Claro que sim. Não faria sentido de outra forma. O que marca a diferença na EPVL é o sentido emotivo do seu projeto de vida. Nesta escola há vidas , todas elas diferentes mas convergindo para o mesmo fim – ensinar e aprender a gerir o conhecimento nas diversas vertentes

“Ser é viver e viver é saber ser e saber fazer. A EPVL existe para ajudar a construir sonhos.”

que ele encerra. Ser é viver e viver é saber ser e saber fazer. A EPVL existe para ajudar a construir sonhos. A EPVL existe para ajudar a construir sonhos. Aqui sou feliz, e só quando fazemos o que gostamos e onde gostamos, podemos transmiti-lo aos outros. É por tudo isto que os alunos que por aqui passam não se esquecem de nós. Então, façam o favor de serem felizes na EPVL! Parabéns a todos pelos anos de escola a cuidar de vidas e de pessoas. Prof. Ana Paula Martins

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

65


66

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


Abril2016

EPVL SABER + n.ยบ 2

67


Talentos EPVL Pontos Fortes, Virtudes e Qualidades... conheça alguns dos nossos alunos talentosos! ;)

Vanda Bica é Campeã Mundial de Kickboxing Vanda Bica, natural do Luso, é aluna do 1º ano do curso de Desenho Gráfico e Praticante de Kickboxing no Atlético Clube do Luso. Começou a treinar aos 5 anos de idade e hoje é atleta federada. Este ano participou em mais combates, porque se inscreveram na federação de kempo que também tem a vertente do kickboxing. Este ano combateu sete vezes. Participou no 6º Campeonato Mundial All Styles 2016, nas Caldas da Rainha nos dias 18, 19 e 20 de Março 2016. Foi medalha de ouro (1º lugar) na categoria Low Kick e medalha de bronze (3º lugar) na categoria Light Kick. Concilia muito bem a escola e o kickboxing dado que os treinos são depois das aulas e nos dias livres em que não tem treinos, estuda e cuida da sua vida pessoal. Confessa que nunca lhe ocorreu desistir da escola nem pensa desistir visto que com esta modalidade em Portugal é um pouco difícil de construir carreira, quer ter um curso, porque um dia quer tornar-se numa profissional na área do Design.

David Ressurreição é Youtuber David Ressurreição frequenta o 1º ano do curso de Desenho Gráfico e paralelamente aos estudos é youtuber há 2 anos. É uma atividade de que ama de paixão, pois o mundo da internet e dos jogos é algo que o fascina muito.

“O YouTube para mim não é um passatempo mas sim a minha vida”

Enquanto youtuber o David faz Gaming, joga, mostra os jogos e explicaos enquanto vai jogando; faz Vlog, apresenta um tema, fala sobre ele e dá a sua opinião; lança também Challenges, ou seja, os famosos desafios, onde as pessoas são desafiadas a fazer algo. Faz também Unboxins, onde mostra em vídeo, objetos que compra ou que recebe. Nesses vídeos faz review desses objetos.

68

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Sérgio Godinho 17 anos Aluno do Curso Profissional de Gestão de Equipamentos Informáticos

ENTREVISTA Sérgio, pelo que sei viveste no estrangeiro. Durante quantos anos? Sim, eu venho de Newark, New Jersey, dos Estados Unidos da América. Fui para lá com 5 anos de idade e fiquei durante 10 anos. Voltei para Portugal há cerca de 3 anos. Foi fácil a adaptação? Em que aspetos sentiste mais diferenças? Não, não foi nada fácil a adaptação da América para Portugal. São sítios completamente diferentes, com pessoas e estilos de vida completamente diferentes . Os aspetos em que senti mais diferenças foi na comida da escola, é muito diferente. Também a escola em si é muito diferente aqui em Portugal. Nos Estados Unidos, uma escola pequena tem cerca de 2000 alunos. As escolas têm muito mais tipos de pessoas, de diferentes religiões, diferentes nacionalidades, pode chegar ao ponto de ter pelo menos 15 nacionalidades diferentes. Outro aspeto que senti mais diferença foi na língua. O português para mim foi, e ainda continua a ser muito difícil, para entender e expressar-me. Nos meus dois primeiros anos eu tinha explicações três vezes por semana, de cerca de três horas por cada sessão.

Como foi estudar numa escola com tanta diversidade? Gostaste? Tiveste receio? Sim, gostei. Porque estive em contacto com outras pessoas e outros costumes. Como fui habituado a esse ambiente, não tive medo. Sérgio, como surgiu a ligação com a música? Eu acho que sempre tive uma certa ligação com a música. Desde muito pequeno já sentia a necessidade da música na minha vida. Acho que isto tem a ver com a minha família ser uma família de músicos também. O meu pai também já tocava concertina, acordeão, viola, cavaquinho português de Coimbra, piano. Há quanto tempo instrumento tocas?

surgiu?

Que

Surgiu há muito tempo, desde muito pequeno. Comecei por tocar bateria. Eu tive a minha primeira bateria quando tinha 6 ou 7 anos, foi o meu avó que me ofereceu como prenda. Depois eu dediquei muito tempo da minha vida a tocar bateria e há cerca de 4 anos pensei que também queria tocar guitarra. Então, comecei a aprender lentamente. Desde há quatro anos e toco músicas de grandes artistas tais como: Pink Floyd, Nirvana, Led Zepelin, Metálica, Kansas, Rui Veloso, Eric Clapton entre muitos outros. Também sei tocar cavaquinho tradicional de Coimbra, que toco há cerca de 3 anos.

Porquê essa escolha e a ligação à música? Eu acho que esta ligação à música tem muito a ver com o que me rodeia. Desde pequeno sempre via as pessoas ao meu redor a tocar algum instrumento ou até a cantar. E eu acho que isso me influenciou pelo que também quero a música na minha vida tal como eles. Quanto tempo dedicas à música? Em média duas horas por dia. O que pretendes fazer com essa atividade? Com a música pretendo começar uma banda com alguns amigos. Ter algumas atuações em alguns bares e quem sabe um dia , se calhar, no futuro ser famoso ;) Que género de música gostas? Eu gosto de muito tipo de música. Mas o género que eu gosto mais, é música dos anos 80, 90, tal como, por exemplo, Pink Floyd (The Wall, Wish you were here), Dire Straits, Metálica, Scorpions, entre outros. Mas também gosto de música moderna e do que está no top do momento, como EDM, Deep Chill House.

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

69


“Diria mesmo que devo os meus conhecimentos de programação muito mais à EPVL que à Universidade”

Luís Santos

Soft Engineer na Microsoft

O Luís Santos estudou na EPVL no curso profissional de Informática / Gestão entre 2001 e 2004 e hoje trabalha como Soft Engineer na gigante Microsoft. Luís imagino que sintas muito orgulhoso por trabalhar numa empresa de top mundial, fazes aquilo que sempre ambicionaste? Faço parcialmente o trabalho que sempre quis. Sou programador com algumas responsabilidades na área de design e tenho bastante liberdade criativa. Contudo, gostaria de desenvolver um produto mais relacionado com entretenimento ou robótica. E a EPVL, sentes que teve alguma responsabilidade para atingires a tua carreira de sucesso? Se pudesses voltar atrás voltavas a querer estudar na nossa EPVL? A EPVL ajudou-me sem dúvida.

70

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

Diria mesmo que devo os meus conhecimentos de programação muito mais à EPVL que à Universidade, e dada a possibilidade de voltar atrás escolheria de novo estudar na EPVL. Para concluir, que conselho podes deixar aos mais novos que procuram agora escolher um curso com futuro profissional, aconselhas a EPVL como escola de referência? Entre a EPVL, um Ensino Secundário geral e um Ensino Superior aconselho sem dúvida a EPVL. Mesmo para quem pretende seguir para ensino superior depois, a EPVL oferece um vasto número de bases fundamentais.


O Sucesso vem depois

N

o ensino secundário fui confrontado com a difícil escolha do meu futuro. Escolha essa que recaiu sobre um curso profissional na Escola Profissional Vasconcellos Lebre. Optei por frequentar o Curso de Frio e Climatização, por ser um curso de realização pessoal e com uma perspetiva alargada no mercado de trabalho. O que testemunho é que este tipo de ensino tem a facilidade de aproximar os jovens ao mercado de trabalho. Reconheço que o início não foi fácil, mas como tudo na vida, com esforço, dedicação e a entrega de um excelente corpo docente tudo se tornou gratificante. O referido curso teve inicio em outubro de 2007 com uma duração de 3 anos. O primeiro ano foi de introdução às disciplinas técnicas, com vista a uma preparação muito cuidada para o estágio profissional. No segundo e terceiro ano, o referido estágio é uma componente extremamente importante e que permite ao aluno, em parceria com a escola, escolher a empresa onde o pretende realizar. No meu caso pessoal a empresa que propus e aceite pela escola, reconheço que foi uma mais valia para a realização dos meus objetivos. Reconheço também que sem a perfeita dedicação e a total entrega dos membros responsáveis desta grande instituição, tudo o que planeei não teria sido possível.

“Reconheço também que sem a perfeita dedicação e a total entrega dos membros responsáveis desta grande instituição, tudo o que planeei não teria sido possível.”

A EPVL é uma forte motivação para o total empenho dos seus alunos, pelos prémios concedidos aos alunos que demonstrem a sua total entrega. O sucesso do meu trabalho foi a média final de curso de 15,6 valores, o que me permitiu mais um grande desafio que iria ser o acesso à Faculdade. É com enorme orgulho, que depois de licenciado em Engenharia Mecânica, o nome da Escola Profissional Vasconcellos Lebre será um marco eterno na minha vida pessoal e profissional. Com estas simples palavras, finalizo este testemunho , com um forte desafio a todos os jovens que queiram trabalho porque o Sucesso vem depois.

Eng. Gonçalo Correia Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

71


“COM ESFORÇO E DEDICAÇÃO

CONSEGUE-SE TUDO”

Vasco Bica, 20 anos, residente no Luso, está a terminar o Curso de Informática de Gestão na Escola Profissional da Mealhada - EPVL. Conquistou o título de CAMPEÃO NACIONAL DE DOWNHILL na categoria de elite, na prova disputada em Porto de Mós em 2015.

Como surgiu o bichinho do downhill na tua vida? O downhill surgiu na minha vida porque tinha amigos próximos que o faziam na serra do Buçaco e, como vivo ao lado, tive a oportunidade de experimentar, a partir daí foi amor :D

Professores felizes, alunos motivados? Quando é que decidiste levar mais a sério esta “vocação”? Comecei a levar este desporto mais a sério a partir do momento em que fui ganhando alguns patrocinadores, trazendo-me mais responsabilidades, motivação e novos objetivos. Como é que te preparas diariamente para as tuas provas? Durante a semana treino 3 dias de ginásio e 1 ou 2 dias ciclismo, ao fimde-semana treino a disciplina em si, com várias simulações de prova. Para além de participares na Taça de Portugal, participas em outros campeonatos, como europeu ou mundial? Este ano, se tudo correr bem, vou fazer 5 etapas da Taça do Mundo e algumas da Taça Europeia.

72

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016

É difícil conciliar o desporto com a escola? Não é nada fácil, tenho que abdicar de muitas coisas que um adolescente normal gostaria de fazer, mas foi a vida que escolhi e com esforço e dedicação consegue-se tudo. Alguma vez te ocorreu desistir de estudar para te dedicares inteiramente ao desporto? Sim, antes de entrar na EPVL essa opção passou-me pela cabeça, pois estava a começar a entrar numa boa fase da minha carreira e pelo contrário estava a ter um mau desempenho escolar. Mas essa ideia rapidamente se desvaneceu porque tenho os pés bem assentes na terra e sei que os estudos, infelizmente, me irão dar um futuro melhor.

Quais são os teus planos futuros relativamente ao estudo? Ir para o ensino superior. Recentemente recebeste o prémio desportivo de Atleta do Ano, na Gala Desportiva do Município da Mealhada. Foi importante receber este reconhecimento? Sim, é sempre bom ver o nosso trabalho ser reconhecido e ainda por cima num desporto em que a maior parte dos moradores do município não sabe em que consiste, por isso, tornase mais especial. Autor: Sónia Taira


VASCO BICA

BICAMPEรƒO NACIONAL DE DOWNHILL

Abril2016

EPVL SABER + n.ยบ 2

73


DESenhoGRรFICO Inscreve-te jรก em www.epm.edu.pt

76

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O Designer Gráfico é o profissional que desenvolve e organiza a informação visual de cartazes, panfletos, anúncios, outdoors, websites, apps, jornais, revistas, livros, cria logotipos, desenvolve a identidades corporativas, etc... Concebe variadíssimos conteúdos gráficos, é verdade, mas também faz muito mais que isso. Sempre com o objetivo de tornar a comunicação mais funcional, percetível e atrativa, o Designer Gráfico resolve visualmente os problemas que lhe são apresentados diariamente. O mercado de trabalho para os jovens profissionais desta área tem alto índice de empregabilidade. A época em que estamos a viver é muito rica nas oportunidades de trabalho para os designers, principalmente trabalhos direcionados para Design Gráfico na comunicação visual, identidade visual, embalagens, internet, vídeos, impressos, entre outros. O designer gráfico trabalha com duas grandes áreas dos nossos dias: os média impressos e electrónicos / digitais. Atualmente, os designer gráficos são muito convocados para trabalhar em empresa de comunicação.

Saídas Profissionais • Design gráfico • Artes Gráficas • Paginação • Ilustração Digital • Designer de soluções para os Media • Designer Web • Designer publicitário • etc…

Principais locais para exercer atividade • Agências de Artes Gráficas • Agências de Publicidade • Agências de Imprensa (Jornais, Revistas, Editoras, etc.) • Agências de Marketing e Comunicação • Ateliês/Gabinetes de Design Gráfico • Departamentos de Edição de Imagem • etc…

As atividades principais desempenhadas por este técnico são: • Conceber e maquetizar objetos gráficos bi e tridimensionais utilizando meios eletrónicos e manuais. • Obter imagens e textos por processos eletrónicos. • Criar imagens, gráficos, ilustrações e animações, utilizando meios manuais e informáticos. • Efetuar o tratamento de textos e imagens, utilizando programas informáticos específicos. • Efetuar o tratamento de imagens, relativamente à sua cor e forma, utilizando programas informáticos específicos. • Compor a estrutura das páginas, utilizando programas de informática específicos. • Efectuar o tratamento de textos e de imagens, compor e conceber as páginas para publicação online ou para apresentações offline.

Plano Curricular

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

77


GEstรฃo Inscreve-te jรก em www.epm.edu.pt

78

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O Técnico de Gestão, é o profissional qualificado que exerce competências no âmbito da gestão das organizações, apto a colaborar nos aspectos organizativos, operacionais e financeiros dos diversos departamentos de uma unidade económica/serviço público, com capacidade para a tomada de decisões com base em objetivos previamente definidos pela administração/direção.

Saídas Profissionais O Técnico de Gestão poderá exercer várias funções como:

• Elaborar, expedir, classificar e contabilizar documentos • Colaborar no apoio à Administração / Direção • Analisar e verificar previsões de produção e gerir stocks • Colaborar no controlo de qualidade e ambiente • Gerir carteira de clientes • Colaborar na elaboração de demonstrações financeiras e relatórios de gestão • Analisar a informação económica e contabilística normalizada • Colaborar na análise e desenvolvimento de projetos de investimento/financiamento • Controlar os fluxos de tesouraria

Plano Curricular

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

79


Informรกtica de GEstรฃo Inscreve-te jรก em www.epm.edu.pt

80

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O Técnico de Informática de Gestão é o profissional qualificado que possui competências no âmbito da gestão das organizações, nomeadamente na construção de modelos de gestão de negócios/projetos, criando matrizes com recurso a aplicações informáticas para as micro, pequenas e médias empresas, com vista à eficácia de resultados. Está apto a apoiar a coordenação de departamentos de informática e a proceder ao desenvolvimento, instalação e utilização de aplicações informáticas em qualquer área funcional de uma organização/empresa.

Saídas Profissionais O Técnico de Informática deGestão poderá exercer várias funções como:

• Técnico de Informática (Software/Hardware) • Instalação, configuração e manutenção de Software e de Aplicações Informáticas, Sistemas operativos, Sistemas de base de dados, • Programador de Software, • Programador de App’s para Smartphones/Tablets • Programador e Designer Web • Desenvolver aplicações na área da Gestão • Colaborar na gestão de meios humanos, materiais e financeiros, e na execução da contabilidade geral da empresa

Plano Curricular

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

81


MECATRร“NICA Inscreve-te jรก em www.epm.edu.pt

82

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O Técnico de Mecatrónica é o profissional qualificado que no respeito pelas normas de higiene e segurança e regulamentos específicos, desempenha tarefas de caráter técnico relacionadas com a manutenção, reparação e adaptação de equipamentos diversos, relacionados com eletricidade, eletrónica, controlo automático, robótica e mecânica. • Repara elementos mecânicos, elétricos e eletrónicos em equipamentos e sistemas automatizados • Programa sistemas robotizados • Opera com máquinas CNC e sistemas flexíveis de produção

Saídas Profissionais

• Empresas do ramo da eletrónica e automação • Empresas de metalurgia e metalomecânica • Empresas de reparação automóvel e robótica • Indústrias do fabrico de produtos metálicos, máquinas e equipamentos • Indústrias de material de transporte • Empresas especializadas em controlo industrial • Empresas industriais com processos automatizados de fabrico • Empresas de reparação de equipamentos eletrónicos diversos

Plano Curricular

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

83


Cozinha e pastelaria Inscreve-te jรก em www.epm.edu.pt

84

EPVL Saber + n.ยบ 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O Técnico/a de Cozinha / Pastelaria é o profissional que, no domínio das normas de higiene e segurança alimentar, planifica e dirige os trabalhos de cozinha, colabora na estruturação de ementas, bem como prepara e confeciona refeições num enquadramento de especialidade, nomeadamente gastronomia regional portuguesa e internacional. No final da sua formação, o Técnico de Restauração – Cozinha e Pastelaria deverá ter os conhecimentos teóricos e práticos que lhe permitam exercer a sua atividade de cozinheiro em cozinhas de hotéis, restaurantes e similares ou ainda em cozinhas de áreas tão diversas como o “catering”, hospitais, cantinas e refeitórios. Poderá ocupar várias posições na cozinha até ao nível de “Chef de Partie”

Saídas Profissionais O Técnico de Cozinha / Pastelaria poderá exercer várias funções como:

• Cozinheiro(a) • Chefe de Cozinha • Técnico de Catering • Pasteleiro

Plano Curricular

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

85


Restauração/bar Inscreve-te já em www.epm.edu.pt

86

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


PERFIL PROFISSIONAL O/a Técnico/a de Restaurante -Bar é o/a profissional que, no domínio das normas de segurança e higiene alimentar, planifica, dirige e efetua o serviço de alimentos e bebidas à mesa e ao balcão, em estabelecimentos de restauração e bebidas integrados ou não em unidades hoteleiras.

• Colaboração na elaboração de ementas, cartas de restaurante, cartas de vinho e de bar • Coordenação e execução dos serviços de Restauração e Cafetaria • Controlo e execução dos serviços de Cozinha e Pastelaria • Organização e supervisão dos serviços de Banquete e Bar

Saídas Profissionais O Técnico de Restauração / Restaurante - Bar poderá exercer funções como:

• Diretor(a) de Restauração • Chefe de Mesa • Empregado(a) de mesa • Empregado(a) de Bar • Ecónomo

Plano Curricular SOCIOCULTURAL

PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA I OU II ÁREA DE INTEGRAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MATEMÁTICA CÍENTIFICA economia Psicologia Tecnologia Alimentar Gestão e Controlo Comunicar em Francês Serviços de Restaurante/Bar Formação Contexto Trabalho TOTAL DE HORAS/CURSO

320 220 220 140 100 200

200 100 100

150

100 750 720 3320

Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

87


CURSOS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL

Os Cursos CEF destinam-se aos jovens que procuram um ensino mais técnico e prático com uma forte ligação às empresas. Através da ligação escola-empresa, os alunos contatam com atividades que vão ajudar na descoberta de uma vocação.

A conclusão de um Curso CEF Tipo 3 confere: Uma qualificação de nível II equivalente ao 9º ano de escolaridade. Prosseguimentos de estudos: - Ensino Profissional, sem necessidade de realização de exames nacionais; - 10º ano via Ensino Regular (sujeito à avaliação externa nas disciplinas de Português e Matemática). Estrutura Curricular dos Cursos CEF: Estes cursos têm uma estrutura curricular organizada por módulos, o que permite maior flexibilidade e respeito pelos ritmos de aprendizagem de cada aluno. Prática em Contexto de Trabalho: Dada a sua natureza prática estes cursos contam com um estágio numa empresa da região.

Condições de acesso: Curso com a duração de um ano - Com idade igual ou superior a 15 anos - 8º ano (com aproveitamento) - 9º ano (sem aproveitamento)

88

EPVL Saber + n.º 2

Abril2016


Restaurante/Bar O Empregado de Restaurante/Bar é o profissional que organiza, prepara e executa o serviço de restaurante/bar, respeitando as normas de higiene e segurança, em estabelecimentos de restauração e bebidas, integrados ou não em unidades hoteleiras, em cooperação com os demais elementos de equipa, com vista a garantir um serviço de qualidade e satisfação do cliente.

Área socioCulTURAL

PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA I OU II Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho Educação Física Tecnologias de Informação e Comunicação Cidadania e Mundo Atual Matemática Aplicada CÍENTIFICA Francês Serviço de cafetaria, balcão e mesaa Serviço de restaurante/bar Serviços especiais de restaurante/bar Plano Curricular Prática em Contexto de Trabalho TOTALDE HORAS/CURSO

45 45 30 30 21 21 45

21 250 225 210 1200

325

Electrónica/Computadores O Operador de Electrónica/Computadores é o profissional que no respeito das normas de higiene e segurança, e de acordo com especificações técnicas definidas, executa, sob orientação, tarefas relacionadas com aquisição, instalação, utilização, manutenção e reparação em equipamentos elementares de computação e redes informáticos.

Área socioCulTURAL

PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA I OU II Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho Educação Física Tecnologias de Informação e Comunicação Cidadania e Mundo Atual Matemática Aplicada CÍENTIFICA Física e Química Manutenção de equipamentos e instalaçõesa simples Ensaio de circuitos electrónicos simples Instalação e manutenção de equipamentos electrónicos simples Instalação, manutenção e reparação de Equipamentos e Sistemas Simples de Domótica Formação em Contexto de Trabalho TOTAL DE HORAS/CURSO

45 45 30 30 21 21 45

21

732

210

1200 Abril2016

EPVL SABER + n.º 2

89


Abril2016

EPVL SABER + n.ยบ 2

91


EPVL SABER + www.epm.edu.pt

EPVL Saber + Nº2 - 25 Anos a Transformar  

2ª edição da Revista EPVL Saber +

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you