Issuu on Google+

ÓRGÃO INFORMATIVO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA

EP ROFISSIONAL A N O

NESTA EDIÇÃO: FICTON

3

Falta de comunicação

4

Palácio Nacional de Mafra

5

Perícia automóvel

5

Ciclo de Conferências

6

Prémios

7

Escrita criativa

10

Dia do Caloiro

11

Bullying

13

Direitos Humanos

15

8

*

N U M

1

DEZ

2009


PÁGINA

2

Mudanças no Ensino e a Valorização da Escola Profissional É hoje, finalmente, óbvio para todos que o País precisa, para o seu desenvolvimento, de técnicos de nível intermédio devendo, por isto, serem incentivados e encaminhados os jovens que ambicionem seguir esse percurso escolar, canalizando as suas capacidades para este objectivo abrindo, concomitantemente, o acesso a uma profissão e ao prosseguimento de estudos no ensino superior. Aliás, há muito que os países do norte da Europa, os chamados “países ricos”, possuem um ensino secundário no qual, a principal via é a educação tecnológica. A diferença entre a nossa realidade e a destes países está na atitude das pessoas, moldada ao longo dos anos pela convicção que o reconhecimento social só se atinge com a obtenção de um diploma de ensino superior. Para que o ensino profissional aceda ao lugar a que tem direito no panorama do sistema educativo português falta, agora, o passo mais importante: fazer do ensino profissional e artístico a via prioritária do ensino secundário e não um subsistema para onde se “empurram” os alunos com problemas de aprendizagem, de comportamento ou

com desvios detectados em relação às normas comportamentais vigentes. Ao Estado compete implementar o modelo, garantir a sua qualidade e consolidar as necessidades em termos de recursos humanos e materiais para o seu desenvolvimento. À sociedade civil compete-lhe mudar a sua forma de olhar este tipo de ensino, exigindo a qualificação adequada dos seus diplomados, garantindo que o património de excelência que as escolas profissionais têm construído e acumulado, ao longo da sua existência, não se esboroe pela tentação de facilitar a exigência que é requerida – só a exigência conduzirá à excelência. Se é verdade que a decisão de extinguir as escolas industriais e comerciais se justificou pelo estigma social que as marcava, levando os filhos das classes sociais mais pobres a adquirir competências em profissões menos qualificadas, apostando na forte formação profissional em detrimento da educação cívica e da cultura científica, não é menos verdade que em 1989 houve quem tivesse diagnosticado o vazio educativo que daqui resultou e, em consequência deste diagnóstico,

Ficha Técnica Propriedade: Escola Profissional de Tondela Director: Miguel Rodrigues Director Adjunto: José António Dias Montagem e paginação: Ricardo Silva Rua Visconde de Tondela, nº28 3460-526 Tondela Tel: (+351) 232 819 410 Fax: (+351) 232 819 417 [e] eptondela@mail.telepac.pt [s] www.eptondela.net

tivesse a visão de conceber e implementar o modelo das escolas profissionais que trouxe, ao panorama educativo português, planos curriculares e estratégias metodológicas para formação de técnicos intermédios de qualidade e de cidadãos de corpo inteiro, em simultâneo. Deve notar-se a este propósito que o modelo das escolas profissionais assentou na sua integração no meio envolvente, com fortes ligações ao tecido empresarial local, tentando que os seus cursos respondessem às necessidades do mercado de emprego. Acresce que, a própria organização curricular destes cursos e sua oferta deve estar na razão directa das necessidades do mercado de emprego actual ou que se perspectiva como vindo a existir a curto/médio prazo. Entendemos que a Escola pode e deve contribuir para a evolução das profissões, numa relação institucional crescente compreendendo as necessidades das empresas, disso dependendo em larga medida o seu sucesso e a sua afirmação num determinado contexto regional. Miguel Rodrigues Director da Escola


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

Participação na FICTON

A FICTON (Feira de Indústria e Comércio do Concelho de Tondela) é um certame que se enquadra no programa das Festas do Concelho, que se realizam na altura do Feriado Municipal (16 de Setembro). Sendo uma Feira onde também

o sector dos Serviços marca presença, a nossa Escola faz-se sempre representar num stand, onde se tenta mostrar um pouco do que se faz em cada um dos Cursos em funcionamento.

feitos como Provas de Aptidão Profissional. Nesta última edição causou grande impacto no nosso stand o Karting realizado pelo Aluno Marco Carreira, da turma TME06.

Os trabalhos de Alunos têm lugar de destaque, sobretudo os que são

Fecha-se um ciclo, abrem-se novas oportunidades Nos últimos 4 anos tive o privilégio de ter uma experiencia profissional que, seguramente, vou recordar para todo o sempre. Trabalhar com jovens foi um desafio aliciante. Os jovens são o futuro. Tive a oportunidade de escrever logo, após o regresso da peregrinação a Santiago, que o futuro será, estou certo, mais promissor. Os jovens de hoje, ao contrário da opinião de muitos “cotas”, são portadores de valores, referências e sobretudo de conhecimentos que muito contribuirão para uma sociedade mais justa, humana e solidária. Ao longo dos 4 anos que partilhei convosco tentei que a escola fosse um complemento da função atribuída à família. Se a ela compete dar o pão e a educação à escola compete ministrar o conhecimento e aprimorar as regras e os valores. E a EPT tem feito isso de forma impecável, aliando o rigor à

irreverência, a inovação sem descurar a tradição. Com profissionais dedicados e empenhados, a imagem de marca da EPT – o seu grande referencial – é exactamente o factor de diferenciação positiva onde nenhum aluno é igual e todos são fundamentais. Realizámos um projecto educativo assente num conjunto de práticas que alia a qualificação técnica uma sólida formação humanista, orientada para valores e referências que reputamos de fundamentais para uma sólida e completa formação dos nossos alunos. Tivemos sempre presente que nenhum aluno será um excelente profissional se não for, em simultâneo, tecnicamente bem formado e um ser humano equilibrado. A nossa missão, o nosso objectivo primeiro, tem sido preparar os jovens para um futuro de sucesso, seja pessoal, profissional ou social a que somamos a preocupação de promover a sua integração rápida no mercado de

trabalho, não descurando a hipótese de prosseguimento de estudos no ensino superior. A nossa Escola cresceu e reforçou a sua missão e imagem junto da comunidade. Isso é mérito de todos! O passo que se segue será a consolidação dos ganhos alcançados, nunca descurando novos desafios e realizações, para que a EPT possa continuar a contribuir de forma decisiva para a formação de todos aqueles que nos procuram, jovens e menos jovens. Estou certo que a nova Direcção tudo fará para reforçar a marca identitária da EPT, dando prossecução aos nobres objectivos que presidiram à criação desta escola, onde impera a técnica e o conhecimento. Fechou-se um ciclo, abriu-se uma janela de oportunidades. João Carlos Figueiredo

o factor de diferenciação positiva onde nenhum aluno é igual e todos são fundamentais

3


PÁGINA

4

A N O

8

*

N U M

1

TEC08: Resolução do problema da família No âmbito da disciplina de Área de Integração, módulo 3 – A comunicação e a construção do indivíduo, foi realizada uma actividade que consistia na realização de um pequeno dialogo entre uma família com problemas de comunicação (família Silva). Depois de realizado esse texto foi produzido um filme com as várias personagens da família e interpretadas por alguns elementos da turma. Quem não encarnou as personagens teve que realizar um relatório sobre o filme.

de Joaquim Silva, o chefe da família. Foi uma actividade que gostei de realizar. Foi muito engraçado, principalmente o convívio com todos os colegas, todos vestidos a rigor. Foi muito interessante.

Em conclusão, achamos que o saldo foi positivo. Esperemos que se repitam mais este tipo de actividades, pois na nossa opinião são muito construtivas.

Carlos: Eu interpretei o papel de Alice Silva, esposa do Joaquim Silva. Foi muito engraçado, principalmente a parte de eu interpretar o papel de uma mulher, com roupas apertadas. Acho que a actividade foi muito boa e dá-nos uma boa lição sobre a falta de comunicação entre as famílias. Foi didáctico.

Opiniões dos alunos Armindo: Eu interpretei o papel

Armindo nº1 e Carlos nº2 TEC08

Falta de comunicação da família Silva achamos que esta actividade enriqueceunos de certa forma

Na disciplina de Área de Integração, e com a ajuda da professora Maria do Carmo, foi realizada uma peça na qual o tema era "A falta de comunicação da família Silva". A turma foi dividida em grupos de trabalho, os quais desempenharam diferentes funções, tendo todos os Alunos colaborado. Nós, enquanto alunas do TIG08, achamos que esta actividade enriqueceu-nos de certa forma ajudando-nos a perceber melhor a matéria e a

compreender verdadeira essência comunicação.

a da

apercebermo-nos que a comunicação é fundamental em qualquer situação das nossas vidas.

Por fim queríamos agradecer a preciosa ajuda do nosso colega Luís Filipe do TME08 que se disponibilizou em ajudar-nos na filmagem da peça. Por isso deixamos-lhe aqui o nosso agradecimento.

Através da realização desta peça foi-nos mais fácil de

Juanice nº22 e Vanessa nº17 TIG08


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

TEC07 e TAS07 visitam o Palácio Nacional de Mafra No dia 25 de Novembro de 2009 realizou-se uma visita de estudo, no âmbito da disciplina de Português, ao Palácio Nacional de Mafra. O Palácio Nacional de Mafra fica situado no concelho de Mafra, distrito de Lisboa. A construção do Convento iniciou-se em 17 de Novembro de 1717. Esta foi, durante muito tempo, a maior obra arquitectónica alguma vez tentada em Portugal. O Palácio foi arquitectado por João Frederico Ludovice e mandado construir por D. João V, em virtude da promessa feita a Frei António de São José, um arrábido franciscano. O rei fez esta promessa por querer ter sucessão. Esta frase retirada do livro “Memorial do Convento de José Saramago” retrata esse momento: ”Prometo, pela minha palavra real, que farei construir um convento de franciscanos na vila de Mafra se a rainha me der um

filho no prazo de um ano a contar deste dia em que estamos (…)”. A construção do Palácio foi muito grandiosa, devido à megalomania e vaidade de D. João V. Esta obra foi também muito dispendiosa, porque quase todo a material veio de fora do país. O Convento foi planeado inicialmente para 13 frades franciscanos, mas acabou por albergar 300, após ordem do próprio Rei. A Basílica foi inaugurada em 22 de Outubro de 1730, a um domingo, dia em que o rei D. João V fazia quarenta e um anos, mas estava longe de estar concluída. D. José I, seu filho, deu continuidade à obra. O Palácio contém o Torreão norte, onde eram os aposentos do Rei, e o Torreão sul, onde eram os aposentos da Rainha, que distam entre si 232 metros. José Saramago publicou o livro “Memorial do Convento” em 1982, para assim evidenciar o

seu novo estilo questionando a sentido da História de Portugal. Na História de Portugal o herói é D. João V, no “Memorial do Convento” José Saramago não o vê como tal; o papel do Povo é exaltado como o construtor do convento à custa de muito sacrifício, sofrimento e até mortes. O livro pretende demonstrar e criticar a sociedade do século XVIII, a discrepância entre os ricos e os pobres, bem como os métodos usados pela inquisição. Leiam a obra porque, de certeza, vão gostar. Alexandre, Carlos e Sílvio TEC07

Perícia Automóvel no Ano Lectivo 2009/2010 Estando definido no plano anual de actividades a realização de uma Perícia Automóvel, calendarizada para o final do Mês de Maio de 2010, a realizar em Tondela e organizada pelos alunos destas turmas, os alunos das turmas de Mecânica Automóvel (MA08 e MA09), já começaram os preparativos.

Foram já executados arranjos a todos os níveis, desde o motor, interior e carroçaria para obter as melhores performances na altura necessária: a prova. Soluções a diversos níveis são implementadas e testadas para garantir a funcionalidade devida.

Já se trabalha empenhadamente no carro que representa a Escola: um Honda Civic 1500Cm3 de Cilindrada e 115Cv de potência, já conhecido pela comunidade escolar, pela sua participação em diversas provas organizadas por diferentes Escolas do País.

O convite será dirigido a todas as Escolas até aqui envolvidas neste projecto e a outras que actuem na área da Mecânica Automóvel e que queiram participar. Iniciam-se os preparativos, quer na definição da pista, da documentação necessária, das

regras de actuação para a posterior realização dos contactos. Prof Luís Antunes

a maior obra arquitectónica alguma vez tentada em Portugal

5


PÁGINA

6

A N O

8

*

N U M

1

MA08 prepara actividades para as Jornadas Os Alunos da Turma de Mecânica Automóvel (MA08), envolvidos que estão nas actividades propostas, nomeadamente para as Jornadas da Escola, começam a preparar os seus veículos telecomandados para a prova de carros telecomandados. Aproveitando o facto de que os Alunos se encontram a receber formação teórica e prática na área da Electricidade e Electrónica, foi transmitida a ideia de que deveriam verificar o funcionamento do seu carro, e, caso haja alguma anomalia,

esta sirva dinamizadora práticas.

como das

ideia aulas

O balanço é muito positivo, pois os alunos agarraram a ideia e com ela aplicam muitos

dos conhecimentos transmitidos, desde soldar um pequeno contacto até à verificação e substituição de componentes electrónicos.

É de salientar que nem todos os carros apresentam avarias eléctricas/electrónicas, mas avarias de outra natureza, como por exemplo, peças danificadas ou partidas na sua estrutura, que são ultrapassadas, recorrendo a soluções possíveis e funcionais. Alguns carros estão já arranjados, outros em fase de diagnóstico de avarias e outros já na fase de embelezamento estético exterior, com a criação de uma pintura original exterior do carro. Prof Luís Antunes

Ciclo de Conferências: Os Jovens e as suas Razões

a nossa Escola quer continuar a intervir na comunidade

O Ciclo de Conferências organizado por esta Escola, que decorreu de Janeiro a Junho de 2009, brindou a Comunidade Escolar e envolvente com temas tão importantes como: Os Jovens e a Sexualidade, Os Jovens e o Conhecimento; Os Jovens e a

Fé; Os Jovens e Actividade Política. Dado o êxito e o impacto que pautou esta iniciativa, a nossa Escola quer continuar a intervir na comunidade com mais temas da actualidade. Assim, estamos a prever uma

Conferência para cada dois meses com temas como: Os Jovens e a Internet, Os Jovens e os Hábitos de Vida Saudáveis e os Jovens e a Economia (Educação Financeira). Em breve daremos informações mais detalhadas.


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

Prémios aos melhores alunos A Câmara Municipal de Tondela, por altura das Festas do Concelho, distingue os melhores Alunos das Escolas. Este ano não foi excepção. No dia 13 de Setembro, pelas 18:00 horas, no Auditório da ACERT, decorreu a Cerimónia de Prémios aos melhores Alunos do Concelho. Perante um acervo de individualidades convidadas, incluindo o Director e o Director Pedagógico da Escola, foram distinguidos os Alunos:  Ana

Cristina

Gomes

de

Amaral – TRB08  Bruno

António

Coimbra

maiores  Daniel Alexandre Marques Costa – TEC06

– TAS06

 Denis Albertino Jitnikov dos

Vieira

Fernandes – TME07 Sofia

Ribeiro

 Fábio Daniel Jesus Figueiredo  Hélder Coimbra Marques –

MA08

 Jaimel Dias do Espírito Santo  Margarida

Correia

Figueiredo – TAS07

Prémio de Mérito Como já aconteceu no ano passado, foi entregue também este ano, pelo Ministério da Educação, o Prémio de Mérito ao melhor Aluno da Escola. Assim, e depois de verificados os resultados da avaliação final dos Alunos que concluíram o Curso, a Escola distinguiu este ano a Aluna Sandra Santos, da Turma TIG06.

Lurdes

Viegas

 Sandra Cristina Mendes dos  Vitor José Lopes Pinto – TIG08

– TME06 –

de

Santos – TIG06

TEC08 Alberto

 Maria

Ferreira – TAS08

– TIG07

 Carla Susana da Cruz Falcão

 Cláudia

endereça as

Santos – TEC07

Rodrigues – MA07

 Carlos

a Escola

A Cerimónia de Entrega do Prémio de Mérito decorreu no dia 11 de Setembro de 2009, no Auditório da Escola, e contou com a presença, para além de Professores da Escola, dos Alunos finalistas. À Sandra Santos endereçamos, mais uma vez, as maiores felicitações e votos de um futuro pessoal e profissional risonho.

A todos estes Alunos a Escola endereça as maiores felicitações, na esperança de que este prémio lhes sirva de incentivo a continuarem a trabalhar, bem como para todos os outros.

felicitações

7


PÁGINA

8

A N O

8

*

N U M

1

Projecto Equipa Mecânica – Auto EPT, continua a envolver as Turmas Contando com um elevado número de requisições de serviços, a Equipa Mecânica – Auto EPT, continua a envolver as Turmas de Mecânica Automóvel da Escola. Continua a ser a Comunidade Escolar o público-alvo, que tem com alguma frequência comprovado o trabalho desenvolvido.

efectuar a revisão geral do Automóvel para a

Nota-se nesta altura alguma afinidade da Comunidade Escolar para com os serviços prestados, o que faz, à semelhança do que está a acontecer, com que as pessoas voltem a utilizá-lo com frequência. Por exemplo, várias

Inspecção Automóvel

pessoas da Comunidade Escolar requisitaram os Serviços da Equipa, para à semelhança de anos anteriores, efectuar a revisão geral do Automóvel para a Inspecção Automóvel. De salientar, as operações efectuadas nos últimos tempos, que consistiram em mudar todo o material de um Automóvel acidentado, um Lancia Y10, para melhorar as condições de outro da mesma marca e modelo que se encontrava em mau estado geral. O automóvel acidentado foi todo desmontado, com a finalidade de aproveitar o material e componentes

para o outro, e enviada a carroçaria para um Centro de Abate Automóvel, onde será dada baixa da matrícula, dos documentos e do registo em nome do proprietário. Ou seja, este veículo deixará de existir, deixará de existir a sua matrícula e o proprietário deixará de ter em seu nome este automóvel. O outro automóvel, um Lancia Y10, mas de cor branca, neste momento está em condições de circular, estando todos os sistemas operacionais, faltando apenas ajustes finais diversos e a montagem do sistema de som. Prof Luís Antunes

Teatro do TME08 Uma das várias actividades realizadas pela turma TME 08 no âmbito da disciplina Área de Integração consistiu numa representação teatral sobre a falta de comunicação no seio de uma família: a família Silva. Esta actividade proposta pela professora da disciplina revelou-se bastante enriquecedora em termos de trabalho de grupo, tendo contado com a colaboração de todos e de cada um dos alunos

da turma. Esta peça foi muito bem concretizada, desde a caracterização às figuras passando pelo cenário. Todos os alunos da turma demonstram o seu agrado, bem como a professora, orgulhosa com o resultado final. O feedback desta peça tem sido bastante positivo pelas

turmas onde divulgado.

tem

sido

Uma experiência a repetir! André nº1 TME08


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

Tudo muda no Mercado da Iluminação A directiva EuP traça o futuro A directiva EuP (Eco-Design Requirements for Energy-using Products, 2005/32/EC) integra o programa de protecção ambiental da União Europeia. Como o nome indica, a directiva define os requisitos de design que os produtos de iluminação têm de cumprir em termos do seu impacto ambiental. O critério prendese com o consumo energético durante todo o ciclo de vida do produto – desde o fabrico, passando pelo funcionamento até ao fim de vida.

Definição de “phase-out”(não comercialização):

compactas podem poupar até cerca de 80%.

O “Phasing out” significa que os grupos de produtos em questão não poderão mais ser colocados no mercado da União Europeia.

Outra solução cada vez mais evidente como futuro da iluminação e cuja tecnologia está constantemente em evolução, são as lâmpadas LED. Existem já soluções muito interessantes que podem substituir lâmpadas fluorescentes T8 ou simplesmente lâmpadas de incandescência, com dois aspectos muito importantes: uma redução no consumo em cerca de 80% e uma duração de vida superior a 25000 horas ( por exemplo uma lâmpada de incandescência tem uma duração de vida de cerca de 1000horas). No entanto existe ainda um pequeno senão: o elevado custo de aquisição, que faz com que os retornos financeiros apareçam apenas após 5 a 6 anos.

Os stocks de fabricantes, de armazenistas e dos consumidores finais não serão naturalmente afectados e podem continuar a ser comercializados, uma vez que já se encontram no mercado e as medidas da directiva não respeitam ao uso dos produtos.

Paralelamente às directivas sobre WEEE (reciclagem) e à directiva RoHS (Restrições a substâncias perigosas), a directiva EuP (redução do consumo de energia) define assim os critérios fundamentais de protecção ambiental que os equipamentos eléctricos terão de cumprir. A directiva EuP é um enquadramento, significando isto que apenas define objectivos gerais e abrangentes. Os requisitos ambientais concretos, definidos para o produto, são depois estabelecidos através da implementação de medidas. No que concerne à indústria da iluminação existem já produtos para a iluminação doméstica e para a iluminação no sector terciário (iluminação pública, para escritórios e indústria) que deixarão de ser comercializados e estes, assim como as suas implicações, estão actualmente em discussão. As fontes de luz menos eficientes começarão já este ano, e de forma gradual, a deixar de ser comercializadas. Todas as principais marcas de equipamentos de iluminação disponíveis no mercado, dispõem e oferecem já tecnologias eficientes e inovadoras, bem como uma vasta gama de produtos economizadores de energia, que constituem alternativas às lâmpadas convencionais. Basta fazermos breves pesquisas para se confirmar isso, aparecendo algumas soluções muito interessantes.

Cenários de Phase-out. Aumento planificado em eficiência. Ao longo dos próximos anos, os requisitos sobre o consumo de energia de lâmpadas e luminárias tornar-se-ão progressivamente mais restritivos. Anuncia-se assim o fim de uma tecnologia antiquada e ineficiente. Alternativas Energeticamente Eficientes às tradicionais lâmpadas incandescentes Actualmente existem dois grupos de produtos, que podem ser escolhidos como substitutos perfeitos e directos das lâmpadas de incandescência: as lâmpadas de halogéneo economizadoras de energia e as lâmpadas fluorescentes compactas, mais conhecidas por economizadoras de energia. As lâmpadas de halogéneo economizadoras de energia poupam até 30% de energia, enquanto que as fluorescentes

Uma vez que as lâmpadas energeticamente eficientes obtêm o mesmo fluxo luminoso / intensidade luminosa das tradicionais incandescentes utilizando menos electricidade, encontram-se equivalências entre os dois grupos de lâmpadas referidos anteriormente. A Directiva Europeia estabelece também que o termo “economizador de energia” seja apenas aplicado a produtos de classe energética A. Cabe-nos a todos o papel de acompanhar o que a evolução tecnológica nos oferece e desta forma contribuirmos e participarmos directamente na preservação do NOSSO PLANETA. A Coordenação de TEC

dispõem e oferecem já tecnologias eficientes e inovadoras

9


PÁGINA

10

A N O

8

*

N U M

1

Exercícios de escrita expressiva e criativa Um palhaço batia em

Nove segundos a carregar com Dez chumbos…

Sexto rabo. Isto para quem já vai no

Dois cães com

O

Sétimo shot, a caminho do

Três rabos

Primeiro chumbo falhou, o

Oitavo, pensando que o

Quatro cabeças e

Segundo foi de raspão, o

Nono lhe iria avivar a alma para o

Cinco patas. Deu-lhe

Décimo.

Seis tiros de caçadeira em

Terceiro acertou na quarta cabeça, o

Sete segundos. Falhou por

Quarto falhou, o

Oito milímetros. A caçadeira demorou

Quinto acertou no

Na minha infância vivi em Portugal

O macaco

Portugal país tão belo

Gosta de banana

Belo para viver

E a macaca é jogada pela Joana.

Viver em paz e harmonia Harmonia com a natureza Natureza pura

O macaco Com a macaca brincou

Rafael e Pedro Paraíso TEC09 Ser poeta é… Exprimir sentimentos em palavras Imaginar

O macaco

Ser sonhador

Com a macaca brincou

Alguém que gosta de escrever

E a macaca, como não gostou,

Pura como os rios

Com o macaco acabou.

Rios pequenos e grandes

Depois de acabar, o macaco

Grandes as honras de Portugal

à macaca foi jogar.

Portugal de Camões

Como a macaca viu que o macaco perdeu,

Camões grande poeta

Logo a seguir um beijo lhe deu.

Poeta infeliz no amor

como

a

força

É ser tudo o que se quiser ser. Turma TAS08

Cristopher e Luís Silva TIG09

Amor grande e poderoso Poderoso natureza.

Moral da história: o azar dos cães foi não haver mais álcool.

da …………...Dia 13 de Outubro de 2009

Daniel Martins e Daniel Antunes TMA09

Grande anImação. Foram buscar-nos À sAla 309,…………...

Poesia é … Depois pintaram-nos a cara e as unhas.

A música das palavras

Os veteranos,…………………………..

O som das letras O cantar do corpo

Em cima de uma Carroça puxada por nós,………. ……………………..mAndaram-nos cantar o hino do………

O estado de espírito O voltar da memória e de promessas para o futuro Exprimir palavras

sentimentos

em

Escrever em versos podem rimar ou não.

que

Turma TAS08

caloiro…………... ..FomOs gozados e……… …………..humiIhados, mas foi muito ……... ………………….divertido. Esperamos ter a nossa………. …………………………Oportunidade de também poder praxar. Gonçalo, Pedro, Joel, Rafael TEC09


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

God bless America... Numa tentativa de recriar a cultura americana, no dia 26 de Novembro de 2009, foi dinamizado na nossa escola um almoço típico do dia de Acção de Graças. A comunidade escolar pôde desfrutar de um menu riquíssimo composto por: peru, batata doce, legumes e, a tão famosa, tarte de abóbora. Para abrilhantar o evento, alguns alunos do 2º TAS vestiram-se a rigor, receberam todos os convidados e ajudaram os mais tímidos a proferir as orações de Acção de Graças.

O espaço foi decorado, como manda a tradição, pelo 2º TRB. Obrigada a colaboração.

todos

pela

Prof Dulce Marques Prof Luisa Marques

Dia do Caloiro Pode dizer-se que os cursos TAP e TRB distinguiram-se pela sua vestimenta, previamente idealizada pelos alunos do 3ºTAS.

No dia 12 de Outubro de 2009 realizaram-se as tradicionais praxes na Escola Profissional de Tondela. Por volta das 9:00 horas, todos os veteranos se reuniram no átrio da escola para fazerem os preparativos. Às 10:00 horas todos os caloiros foram “enfeitados”.

A originalidade e criatividade dos alunos do 3º TAS evidenciaram-se bastante, sendo reconhecidas quer pelos professores da escola quer pelos transeuntes. Após o cortejo matinal pelas ruas da cidade de Tondela, os caloiros foram almoçar. De seguida, todos os alunos da escola assistiram aos jogos tradicionais realizados no átrio. Finalizados os jogos, os

caloiros dirigiram-se para a fonte, junto à Câmara Municipal, para serem baptizados pelos padrinhos que os acompanharam durante todo o desfile. Para terminar o dia, foram entregues aos caloiros os diplomas, prontamente assinados pelos respectivos padrinhos. Foram também eleitos os melhores e piores caloiros. Os alunos Adelaide do 1ºTAP e Mário Sousa do 1ºTME foram os melhores e a pior foi a Daniela do 1ºTAP. Para o ano haverá caloiros e mais praxe…

mais

Margarida 3ºTAS

evidenciaramse bastante, sendo reconhecidas quer pelos professores

11


PÁGINA

12

A N O

8

*

N U M

1

MA09 cria equipamentos em Oficina Dada a necessidade de adequar as condições de funcionalidade de alguns equipamentos, como por exemplo da máquina de Alinhamento de Direcções computorizada, nomeadamente dos seus pratos rotativos, que servem para permitir o fácil rodar do sistema de direcção em cima do elevador, os alunos criaram

as bases deslizantes que servem de guia aos pratos rotativos e cuja funcionalidade é importantíssima, para um correcto alinhamento de direcção. Dada também a necessidade de mover as bancadas de trabalho para acesso e utilização da máquina de teste de Direcções, Suspensões e

Travões, a Turma desenvolveu os trabalhos para a aplicação de rodas nas mesmas, para que se torne fácil a sua movimentação, quer vazias, quer com órgãos em cima. Os resultados estão à vista e nem esquecida ficou a pintura geral que mereciam. Prof Luís Antunes

Turmas de Mecânica Automóvel abraçam a ideia da criação do Logótipo de Turma era ter um desenho ligado à área de formação e associado ao nome da Turma

A ideia de criar um logótipo das Turmas do curso de Mecânica Automóvel foi lançada com o início destes cursos na Escola, tendo desde logo adeptos. Alunos com algum jeito para o desenho começaram desde cedo a propor as suas ideias, as quais discutidas e votadas pela turma, deram origem ao chamado Logótipo da Turma. A ideia era ter um desenho ligado à área de formação e associado ao nome da Turma, e que se tornasse no “Bilhete de Identidade” daquela Turma. As Turmas têm proposto as suas ideias com bastante entusiasmo, e nesta fase todas

elas têm criado o seu Logótipo de Turma. Estes Logótipos poderão ser impressos por exemplo em Tshirts, que os alunos poderão usar nas actividades lectivas. Será criado um portfólio de Logótipos impressos em T-shirts ao longo dos tempos e expostos sempre que conveniente. Como exemplo deste empenho, temos não só o Logótipo da Turma MA07,

que foi iniciado pelos alunos, mas ainda não está terminado, mas também o Logótipo da Turma MA08, este sim já concluído.

Prof Luís Antunes


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

BULLYING O Bullying é um acto de violência física e/ou psicológica, é uma acção discriminatória que surge, sobretudo, na adolescência. Pode ocorrer nos mais variados contextos, sendo que o mais comum é entre crianças e jovens em ambiente escolar. Este fenómeno consiste em comportamentos agressivos e persistentes, exercidos por um indivíduo ou por um conjunto de indivíduos, sendo difícil às vítimas defenderem-se a si próprias. O Bullying, à semelhança de outros comportamentos agressivos, é identificado pela capacidade de magoar alguém que está numa posição indefesa. O sofrimento da pessoa agredida pode ser físico, psicológico, incluindo mesmo a exclusão sob a forma de marginalização social. Tipos de Bullying

 Físico: recurso à violência física;  Verbal: recurso à violência verbal;

 Relacional/Racial:

exclusão de grupos sociais/comportamentos racistas;

 Sexual:

utilização de comentários sexuais e até mesmo de contactos sexuais;

 Cyberbullying:

difamação com recurso às novas tecnologias.

poder. A vítima A vítima costuma ser uma pessoa frágil e que não dispõe de habilidades físicas e emocionais para reagir. Tem um forte sentimento de insegurança que, quase sempre, a impede de pedir ajuda. As vítimas apresentam consequências em vários níveis, nomeadamente: percepção distorcida da realidade cognitiva; perda de autoconfiança; perda de auto-estima; falta de concentração; isolamento; dificuldade de ajustamento na adolescência e na vida adulta, nomeadamente problemas nas relações pessoais e morte, pois muitas vezes vêm o suicídio como única saída.

Este quadro constante de violência é a única forma que os agressores conhecem para demonstrarem a sensação de

O diálogo é o meio mais importante para ensinar a

Papel dos pais

vítima

O diálogo é o meio mais importante para ensinar a vítima de Bullying a saber defender-se. Os pais devem ter sensibilidade suficiente para se aperceberem que algo não está bem com o filho e, assim, poderem agir atempadamente. Os pais devem estar atentos, em constante comunicação com a escola, uma vez que estas crianças/jovens perdem a capacidade de argumentação e a auto-estima, de tal forma que não conseguem defender-se. Assim, o acompanhamento e envolvimento familiar torna-se fundamental.

Muitas crianças/jovens vitimas de Bullying e, dependendo das características da sua personalidade e das relações com o meio sócio-familiar, podem não suportar os traumas sofridos e desenvolvem sentimentos negativos, dificuldades de relacionamento com o meio envolvente, correndo o risco de assumirem comportamentos agressivos e, assim, passar de vitima a agressor.

O Bullying e a Escola: sinais de alerta

Serviço de Psicologia Ana Maria Rodrigues

Causas do Bullying Este fenómeno está relacionado com as dificuldades emocionais de cada agressor. Geralmente, no quadro familiar, há histórias de violência associada, ou seja, a criança/adolescente com comportamentos agressivos convive com a violência de perto.

problema de grandes dimensões. Os alunos vitimas deste tipo de agressão podem evidenciar desconcentração, alheamento, isolamento, apatia, fraca capacidade de argumentação, nervosismo, elevado número de faltas escolares (para evitar o contacto com os agressores) e regressão ao nível do rendimento académico. Desta forma, toda a comunidade escolar deve estar atenta para que as situações possam ser identificadas e delineadas estratégias de intervenção.

O Bullying na escola tem vindo a ser reconhecido como um

O Bullying é um tema da actualidade bastante presente no quotidiano escolar das crianças e jovens. Apesar da maioria destes comportamentos ocorrerem na escola, a sua prevenção deverá centrar-se em toda a comunidade, pois todas as pessoas têm um papel importante a desempenhar no auxílio desta perturbação.

13


PÁGINA

14

A N O

8

*

N U M

1

Os Cursos EFA... Um ano depois... Estávamos em Setembro de 2008 e os Cursos EFA (Educação e Formação de Adultos) surgiam na Escola. Um novo passo era dado... Os cursos OPI (Operador/a Informática) e SM (Serralheiro/a Mecânico/a) começavam e o primeiro contacto com os adultos foi bastante positivo, formar pessoas que não se sentavam num banco de escola há trinta anos (para alguns) seria realmente, um grande desafio... Durante o tempo da formação foram várias as actividades realizadas em que as formandas e formandos participaram. A primeira actividade foi o Magusto 2008, em que a turma do Curso SM venceu o

concurso de mesas promovido pela escola e a turma do Curso OPI ficou em terceiro lugar. Parabéns às duas!! A próxima actividade seria a apresentação do primeiro Tema de Vida: A Saúde Doenças Cardiovasculares, actividade esta, comum às duas turmas. Ambas

trabalharam no sentido de apresentarem à Comunidade Escolar um tema deveras importante nos dias de hoje. O trabalho foi apresentado no dia 29 de Maio no Auditório da Escola. Para isso, a turma OPI desenvolveu a temática do tabagismo e a turma SM desenvolveu a temática da obesidade. Não faltou o “Serrinhas”, boneco mecânico elaborado pelos formandos SM nas oficinas e que teve como objectivo

alertar as pessoas para a prática de exercício físico. A Feira Antiga (10 de Junho) seria a actividade que se seguia. Alguns dos formandos participaram activamente na organização do evento e depois presencialmente na feira com a

banca dos artigos em madeira, os jogos tradicionais, a venda de flores... O segundo Tema de Vida foi diferente para os dois cursos, enquanto que a turma SM optou pelos Vinhos Dão e Lafões, a turma OPI escolheu o Ambiente. Os temas foram desenvolvidos nas diferentes áreas e desta vez optou-se por, entre outras actividades, fazer “visitas de estudo”, assim a turma SM visitou as caves dos vinhos da Quinta de Cabriz, onde puderam conhecer as caves, ouvir a história do Grupo “Dão-Sul” e provar um dos espumantes produzidos pela Quinta (desde já agradecemos a amabilidade com que fomos recebidos). Destaca-se ainda uma peça elaborada nas oficinas, este apoio para garrafa.

A turma OPI realizou um piquenique e “levou” a reciclagem até ao Infantário da Misericórdia.

Um dos objectivos do piquenique era a plantação de árvores (agradecemos também a colaboração da Junta de

Freguesia de Castelões, que nos disponibilizou o local e nos forneceu algumas árvores para o efeito). No infantário, a actividade junto das crianças foi, como seria de esperar, fantástica. Sempre animadas, ouviram com atenção a peça de teatro com fantoches sobre a reciclagem apresentada pela turma e depois puderam “reciclar” algum material que foi levado pelos nossos formandos. A turma OPI realizou ainda outra actividade no âmbito do seu perfil

profissional, uma visita à PT – Inovação e à Universidade de Aveiro. Passado um ano e alguns meses, damos por terminada esta grande tarefa. Os nossos formandos já estão nos estágios profissionais!! A todos eles, que iniciam agora outra etapa das suas vidas: Muita força e que todos os vossos desejos se realizem!! Toda a equipa EFA da EPT O nosso testemunho: “Foi após um longo interregno laboral, que eu, por insatisfação e através da minha persistência, descortinei a possibilidade de encetar os estudos através dum curso de dupla certificação profissional, que me


A N O

8

*

N U M

1

PÁGINA

15

Os Cursos EFA... Um ano depois... conferia o 9º ano escolar. Na verdade foi com grande entusiasmo e devoção que enfrentei este desafio, ingressei com o intuito de alargar os meus horizontes intelectuais e em simultâneo lograr obter um curso que estivesse mais em consonância com as minhas potencialidades, ou seja, um ajuste de contas comigo próprio... Hoje, após findar a parte prática, posso concluir que se traduziu numa experiência enriquecedora a diversos níveis, além de ter assimilado muita matéria, também relembrei outras já " perdidas no tempo " . Acabei assim por colocar termo à vida de frustrações e desígnios não concretizados, hoje em dia sinto-me com a auto-estima

elevada e já reformulei os meus intentos, agora tenho como meta concluir pela mesma via de ensino, o 12º ano. Chamo-me Júlio João Vargas Monteiro, mas o nome pouco importa... É mais uma formalidade... Aconselho piamente a quem tenha disponibilidade de reatar os estudos, porque a inteligência todos nós temos, a velocidade é que é díspar... Acreditem em vós próprios, porque se não forem vocês os primeiros a auto-valorizarem-se , mais ninguém o fará...” Júlio - Curso Serralheiro/a Mecânico/a “O meu percurso pelo curso foi muito

gratificante, aprendi muita coisa, relembrei outras que já tinha esquecido, pois já tinha deixado de estudar já há alguns anos. Tive umas formadoras que me ajudaram muito a ultrapassar algumas dificuldades que foram aparecendo e neste momento estou em estágio no Jornal de Tondela e está a ser uma experiência muito boa. Foram 14 meses muito bons e enriquecedores, tanto a nível pessoal como a nível de curso. Sem dúvida que valeu a pena e aconselho quem ainda não tem o 9º ou 12º a inscrever-se nestes cursos.” Anabela Vale - Curso Operador/a Informática

Participação da EPT na Feira dos Direitos Humanos No passado dia 10 de Dezembro, a Escola Profissional de Tondela participou, pelo 3º ano consecutivo, no projecto CIVITAS da Universidade de Aveiro, actividade enquadrada na disciplina de Sociologia, a qual englobava a realização de uma Feira dos Direitos Humanos, a decorrer na praça Marquês de Pombal na cidade de Aveiro. A Turma TAS07 voltou novamente a representar muito bem a nossa escola. Desta vez ofereceu uma lindíssima tela pintada pelos próprios alunos alusiva aos Direitos Humanos. Toda a organização do CIVITAS esperava ansiosa pela nossa chegada à praça Marquês de Pombal a fim de participar na Feira dos Direitos Humanos. É importante referir que todas as escolas envolvidas neste projecto fazem parte do distrito de

Aveiro, sendo a nossa a única participante fora do distrito. A nossa participação foi mais uma vez marcante não só pela importante oferta à organização do CIVITAS, mas também devido ao excelente momento de reflexão proporcionado ao som da música “Saldo negativo”, de uma conhecida banda musical local - New Sketch. Não posso deixar de referir o excelente envolvimento da turma TAS07 neste importante evento, pois

embora estivessem em Formação em Contexto de Trabalho, demonstraram sempre vontade e disponibilidade em planificar a nossa participação. Aos meus alunos o muito Obrigada pela vossa ajuda, e estou ciente que estamos mais ricos como pessoas, pois vivemos com enorme espírito cívico esta importante temática que a todos diz respeito. Prof Carmo Rebelo

estamos mais ricos como pessoas, pois vivemos com enorme espírito cívico


Mais de 100 adultos certificados pelo Centro Novas Oportunidades da EPT Perto de 120 adultos que concluíram o seu processo de reconhecimento, validação e certificação de competências, no decorrer do presente ano, no Centro Novas Oportunidades da Escola Profissional de Tondela, receberam, no passado dia 10 de Dezembro, no Auditório Municipal de Tondela, os respectivos diplomas de equivalência ao sexto, nono e décimo segundo anos. Foi um verdadeiro momento de festa e de reconciliação com a escola. A cerimónia contou com as presenças do Adjunto do Governador Civil de Viseu, Leonel Gouveia, do

como não poderia deixar de ser, do Director da Escola Profissional de Tondela, Miguel Rodrigues.

representante da empresa Huf Portuguesa, Ricardo Fonseca, de um responsável pela Equipa de Apoio às Escolas, de Mangualde, em representação da DREC, José Leal, do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António Jesus e,

O Centro Novas Oportunidades da Escola Profissional de Tondela está em funcionamento desde Junho de 2008 e tem vindo a certificar, ao longo dos últimos meses, as competências adquiridas ao longo da vida a diversos adultos do concelho de Tondela e da região. Marta Catarina Rosa

Grupo de 19 adultos certificados pelo Centro Novas Oportunidades Realizou-se no passado dia 2 de Outubro, pelas 17 horas, no Auditório da Escola Profissional de Tondela, mais uma Sessão de Júri do Centro Novas Oportunidades, que contou com a presença de 19 adultos, assim como da Equipa Técnico-Pedagógica do Centro e de Américo Albuquerque, avaliador externo.

não coloco de lado a hipótese de frequentar novas acções de formação

Nesta sessão, foram certificados 8 adultos que concluíram o sexto ano, através do RVCC em regime de itinerância, por parte do Centro Novas Oportunidades, com os Bombeiros Voluntários de Cabanas de Viriato e 6 adultos que concluíram, também através do RVCC, o nono ano, nas mesmas condições dos anteriores. Foram ainda certificados 2 adultos que concluíram o nono ano, através do RCC, nos Bombeiros Voluntários de Campo de Besteiros e 1 adulto que concluiu o sexto ano, em regime de itinerância. Houve ainda mais dois adultos certificados (um para o sexto e outro para o nono ano) através do processo de RVCC realizado directamente na Escola Profissional de Tondela.

Mais uma vez, e à semelhança do que tem acontecido em sessões anteriores, foi notório o entusiasmo e a satisfação por parte dos adultos por terem concluído um processo de certificação escolar que, de acordo com os testemunhos da maioria “veio mudar em muito a vida das pessoas”.

“O processo foi muito bom e gostei da equipa de trabalho. Consegui fazer tudo sem prejudicar o meu emprego. Tive mais dificuldades na área da Informática e o que mais gostei foi de realizar cálculos no âmbito da disciplina de Matemática.” Manuel Nuno, Campo de Besteiros

“Quando comecei este processo nunca tinha mexido num computador. Em termos sociais dizer que se tem o nono ano não é o mesmo que dizer que se tem a 4ª classe.” António Simões, 43 anos, Cabanas de Viriato

“Gostei muito do processo. Tive apenas algumas dificuldades ao nível da escrita. Para o futuro, espero arranjar emprego uma vez que estou desempregada, e não coloco de lado a hipótese de frequentar novas acções de formação.” Maria do Céu Castanheira, Cabanas de Viriato “Deixei de estudar aos 15 anos por isso esta formação serviu para recordar os meus tempos de infância. De início, tive algumas dificuldades em mexer com o computador mas agora já falo com o meu marido pela Internet.” Lúcia Oliveira, 43 anos, Cabanas de Viriato “Foi uma oportunidade muito gratificante para mim. Estou muito satisfeita e agora quero ver se consigo fazer o 12º ano.” Maria Delfina Rodrigues, 63 anos, Cabanas de Viriato

“No início dizia que não ia conseguir e confesso que tive algumas dificuldades mas agora estou muito satisfeita com os resultados. Vou descansar um tempo e quem sabe mais tarde voltarei a estudar.” Maria Edite Leão, 57 anos, Tondela “Decidi deixar de estudar porque queria ganhar o meu dinheiro. Agora, após este processo, estou motivado e interessado em fazer o 12º ano.” Luís Filipe Ribeiro, 20 anos, Tonda “Gostei muito de frequentar o curso e de reviver os tempos de escola. Espero agora continuar a estudar se a vida me permitir.” Júlia Pereira, 59 anos, Cabanas de Viriato

Tem mais de 18 anos e quer ver certificadas as suas competências? Para proceder à sua candidatura no CNO para reconhecimento das suas competências ao nível do 1º, 2º, 3º Ciclo ou Secundário dirija-se aos Serviços Administrativos da EPT ou, se preferir, inscreva-se no nosso site http://cno.eptondela.net


Jornal EProfissional Ano 8 Num 1