Issuu on Google+

Órgão Informativo da Escola Profissional de Tondela

Ano VII - Número 1 Trimestral - Dez 2008

E P ROFISSIONAL ALGUNS TÍTULOS DESTA EDIÇÃO: Equipa Mecânica-Auto

3

Visita de estudo

4

Dia das Bruxas

5

Intrusão vs Segurança

6

Visita à Auto-Sueco

8

Falhas no desenvolvimento

9

Convento de Mafra

10

Dia da Alimentação

11

Dia do Caloiro

12

Somos todos, somos um

13

Planeamento familiar

14

Ciclo de Conferências A Escola Profissional de Tondela vai desenvolver durante o próximo ano civil um Ciclo de Conferências Temáticas, dirigidas a toda a Comunidade. A primeira realizar-se-á no dia 30 de Janeiro, subordinada ao tema “Os Jovens e a Sexualidade: razões para a compreender” e a segunda, no dia 26 de Março, com o tema “Os Jovens e a Religião Católica: razões para a praticar”.Estão previstas outras conferências, que oportunamente serão divulgadas.


PASSOS

PARA O

FUTURO

Neste ano comemorámos 15

nosso caminho que, com gosto,

redes e do

anos de existência da nossa

decidimos percorrer.

agilizar

de

canais

de

Escola. Correspondem a anos de intensa actividade educativa/ formativa, praticamente assente na qualificação inicial de jovens.

Já dizia o Poeta que “o caminho faz-se caminhando” e o da Escola Profissional de Tondela, iniciado há quinze anos, deseja-

comunicação, fomentando o gosto e sobretudo a necessidade de valorizar a “long life learning”.

O paradigma da nossa Escola

se que continue a ser pautado

mudou.

pela conciliação entre os saberes

Com isso estamos a transformar

teóricos e práticos, sustentado

a nossa escola, cada vez mais,

num conjunto diversificado de

numa escola de sucesso.

O ano de 2008 prova essa alteração. Ele ficará marcado, indiscutivelmente, pela mudança de actuação da nossa Escola, sem deixar de ter presente os predicados que a caracterizaram: qualidade educativa e visão estratégica.

“Com isso estamos a

A entrada em funcionamento do

transformar a nossa Escola,

Centro Nova Oportunidades e o

cada vez mais, numa escola

arranque dos primeiros Cursos

de sucesso.”

de Educação e Formação de Adultos, bem como das Unidades de Formação Modulares de Curta Duração, são a prova evidente do

FICHA TÉCNICA

Propriedade: Escola Profissional de Tondela Director: João Carlos Figueiredo Director Adjunto: José António Dias Redacção: Departamento de Línguas Apoio técnico: Ricardo Silva Rua Visconde de Tondela, nº28 3460-526 Tondela Tel: (+351) 232 819 410 Fax: (+351) 232 819 417 [e] eptondela@mail.telepac.pt [s] www.eptondela.net [f] picasaweb.google.com/eptondela

actividades que procuram ter sempre presente a luta que “lá fora” espera os nossos futuros técnicos e a qualidade que, cada vez mais, lhes será exigida.

o apoio de toda a comunidade educativa, se constitua como (mais) um ano de afirmação da escola,

através

a dar passos – certos! – para o futuro. Aproveito esta oportunidade

Esperamos, pois, que 2009, com

nossa

Com isso estamos, seguramente,

do

desenvolvimento e valorização de competências profissionais,

para, em nome da Direcção da Escola, apresentar a TODOS, os votos sinceros de um Santo Natal e que o ano de 2009 vos proporcione as maiores

e

melhores realizações pessoais e profissionais.

do reforço da aprendizagem

Dr João Carlos Figueiredo

colaborativa, de construção de

Director da Escola


EProfissional

Página 3

EQUIPA MECÂNICA-AUTO DA EPT

Alunos do 2º ano de nível II, do curso de Mecânica de Veículos Ligeiros, MA07, criaram a Equipa Mecânica -Auto EPT.

melhor divulgação do projecto, foram distribuídos e a f i x a d o s panfletos .

Esta ideia surge com o intuito de diversificar a formação ministrada, uma vez que assim é possível ter várias marcas e modelos de viaturas a frequentar o espaço oficinal, diversificando os serviços a efectuar.

A Equipa M ec â ni c a - Au t o EPT, conta já com um número significativo de intervenções de e n t r e a comunidade e s c o l a r , contribuindo para tal a form a rigorosa e tecnicamente correcta como tem levado a cabo os trabalhos executados.

Este serviço está disponível para todos os alunos, professores e funcionários da Escola Profissional de Tondela, sendo necessário apenas efectuar a respectiva marcação com o responsável técnico e mentor do projecto, Prof. Luís Miguel Antunes. Para

Para tal, a Equipa dispõe de informação técnica à altura, e para cada trabalho executado é fornecido ao

“cliente” uma listagem de itens verificados, ou trabalhos executados, e arquivada uma cópia, para historial da viatura em oficina. Prof Luís Miguel Antunes

“ Este serviço está

disponível para todos os alunos, professores e funcionários da Escola Profissional de Tondela ”


EProfissional

Página 4

VISITA DE ESTUDO À EMPRESA ENSERMAQ, MAQUINAÇÃO, ENGENHARIA E SERVIÇOS, LDA No dia 28 de Outubro de 2008, a turma do 1º Ano do curso de nível II Mecânica de Veículos Ligeiros, MA08, visitou a Empresa ENSERMAQ, Maquinação, Engenharia e Serviços no âmbito das disciplinas de Prática em Contexto de Formação e Tecnologia Mecânica. A Empresa situa-se na Zona Industrial da Adiça em Tondela. Esta visita de estudo teve como objectivos, o conhecimento da realidade industrial na área da tornearia e maquinação, as “as soluções técnicas dos primórdios, a evolução dessas soluções até aos nossos dias”

ferramentas e máquinas utilizadas e o tipo de trabalho que uma Empresa do género pode ter. A Empresa presta serviços na área da tornearia e maquinação de materiais metálicos e plásticos em geral, estando equipada com Centros de Tornearia CNC e Centros de Ma q u in age m CNC, a m b o s c o m programação CAD-CAM. Prof Luís Miguel Antunes

VISITA DE ESTUDO AO MUSEU DO CARAMULO

No dia 27 de Outubro de 2008, a turma do 1º Ano do curso de nível II Mecânica de Veículos Ligeiros, MA08, realizou uma visita de estudo ao histórico Museu do Caramulo. A visita inseriu-se no âmbito geral do curso, uma vez que se

pretendia visitar a exposição automóvel, no âmbito das disciplinas de Prática em Contexto de Formação e Tecnologia Mecânica. A visita teve como objectivo o contacto dos alunos com a história do Automóvel, a sua evolução ao longo dos tempos, as soluções técnicas dos primórdios, a evolução d e s s a s soluções até aos nossos dias.

Pretendeu-se também que os alunos enriquecessem os seus conhecimentos e o seu “know-how” com a diversidade de marcas e modelos expostos e que estabeleçam a ponte com a realidade mais recente. Prof Luís Miguel Antunes


EProfissional

Página 5

HALLOWEEN NA ESCOLA

A turma do 2º ano de nível II, do curso de Mecânica de Veículos Ligeiros (MA07) participa, à sua boa maneira, nas actividades promovidas pela Escola. Este ano não deixou passar em claro o Dia das Bruxas. Depois de uma primeira participação no mesmo evento no ano lectivo anterior, com o desenvolvimento de um modelo de vassoura carrinho-mecânica, pois tinha por base um carrinho de rolamentos equipado com diversos apetrechos, que valeu o primeiro lugar dos primeiros anos concorrentes, este ano, em 2008, a turma apostou de forma CEF

DE

diferente, tendo ficado classificada em terceiro lugar. A ideia passou por construir uma urna fúnebre, aproveitando materiais disponíveis, montar alguns apetrechos, tentando dar o carácter medonho que era preciso. O improviso foi marcante e contribuiu para o sucesso da actividade. Prof Luís Miguel Antunes

ELECTRICIDADE

Mais uma vez recebemos a visita de Alunos de outra Escola nas nossas instalações. Desta vez foi uma turma de um Curso de Educação e Formação de Electricidade, nível II, da Escola Secundária com 3º Ciclo de Molelos

“ visava valorizar e estimular a criação plástica, com trabalhos realizados no âmbito da pintura, escultura, serigrafia, desenho”

VISITA A

EPT

que nos honrou com a sua visita. Após a recepção de boas vindas, os Alunos, acompanhados pelos seus Professores, fizeram uma visita guiada pelos laboratórios de Electricidade e Electrónica, Hidráulica e

Pneumática, Salas de Informática, Pavilhão Desportivo e por fim o Pavilhão Oficinal. As impressões de Alunos e Professores foram as melhores. Até breve! Dra Zita Silva


EProfissional

Página 6

INTRUSÃO VS SEGURANÇA

A segurança das pessoas e bens que nos são queridos é algo que nos preocupa sempre e cada vez mais. Para além disso, os media bombardeiam-nos diariamente com casos de assaltos, alguns com contornos mesmo violentos. É portanto pertinente e actual abordar um tema que diz respeito à segurança e que se pretende sensibilizador para este assunto. O artigo técnico da revista “O Electricista” nº25, aborda este assunto de uma forma clara e com uma linguagem acessível, pelo que se passa a transcrever parcialmente.

“Existem os despreocupados, os inconscientes, os maníacos e também os equilibrados”

“Intrusão: avaliando as ameaças – As perspectivas do intruso e do proprietário de uma vivenda. As ameaças vistas pela perspectiva do intruso – Uma vivenda que não apresente sinais exteriores de preocupação com a segurança significa das duas uma: ou não tem nada que valha a pena roubar ou tem os proprietários inconscientes do perigo que correm… Ora os sinais interiores de riqueza reflectem-se na construção, decoração e localização da vivenda. As viaturas e os hábitos dos proprietários completam a informação para a avaliação do custo da oportunidade de um eventual assalto.” … “O que pode dissuadir o intruso da sua

tentação, são os obstáculos que se lhe apresentam e que podem comprometer o sucesso”… “ A casa tem alarme? Está muito tempo desocupada? Está iluminada? Tem cão? Tem grades? Está isolada ou tem vizinhos distantes? É fácil fugir em caso de ser detectada a intrusão? Estas são algumas das perguntas que um intruso se coloca quando estuda o local antes de tomar qualquer iniciativa. As ameaças vistas pela perspectiva do proprietário – São várias as atitudes dos proprietários das vivendas relativamente à avaliação das ameaças aos seus bens e agregado familiar. Existem os despreocupados, os inconscientes, os maníacos e também os equilibrados. O que nos interessa analisar são os proprietários equilibrados, já que poucas são as hipóteses de alterar a opinião dos despreocupados e dos inconscientes, a não ser depois de um susto ou de uma confrontação de um acto de roubo e/ou vandalismo consumado. A avaliação do risco próprio deve ser feita tendo em conta o valor dos bens que tenham valor comercial, ou seja, que sejam facilmente vendáveis, não devendo ser tidos em conta os bens com valor exclusivamente sentimental. Detecção perimétrica exterior – Por outro lado, deve ter-se em conta que um intruso rouba mais ou menos objectos consoante os meios de fuga que tenha à disposição e o tempo que dispõem para realizar o roubo. Portanto, uma coisa é certa: temos que dispôr de meios electrónicos de detecção precoce que

dissuadam qualquer intruso de prosseguir os seus intuitos.

A protecção perimétrica da casa deve ser a primeira barreira a qualquer tentativa de intrusão. São vários os equipamentos electrónicos especialmente desenvolvidos para este efeito, mas se o investimento numa segurança perimétrica completa não se justificar, então devem pelo menos ser aplicados detectores ou barreiras nos pontos fracos do acesso ao interior da propriedade, por forma a diminuir a probabilidade de intrusão por esses locais. Iluminação de segurança – A iluminação de segurança é outra das barreiras dissuasoras, devendo existir no mínimo dois circuitos: um circuito de iluminação crepuscular (assim que escurece acende) e outro associado a detectores de movimento exterior (independentes do sistema de segurança). Qualquer intruso que se veja iluminado ao se aproximar da habitação hesitará em prosseguir ou se o fizer estará muito mais inseguro e predisposto a fugir. Circuito Fechado de TV (CFTV) Exterior – Um circuito fechado de TV (CFTV) exterior é sem dúvida uma solução electrónica a ter em conta, mesmo que seja simplificada, isto porque proporciona dois grandes


EProfissional

recursos: o primeiro é o efeito dissuasor, pois nenhum intruso fica indiferente, frente a uma câmara e caso ainda não tenha roubado nada, o mais provável é que já não o faça, pois julga-se “apanhado” pela câmara. O segundo recurso é a reconstituição de eventuais ocorrências no exterior, que provoquem o disparo do alarme. As imagens gravadas permitem confirmar o que terá provocado o alarme e até que ponto se tratou de um falso alarme. Já existem sistemas

sofisticados de CFTV que analisam as imagens e a partir de barreiras virtuais pré definidas podem desencadear alarmes e reportar automaticamente as imagens das ocorrências para PDA, telemóvel, mails ou centrais receptoras de alarme. A questão é que o seu custo pode não se justificar quando avaliado e ponderado o risco. Detecção Perimétrica Interior – Quando chegamos à casa propriamente dita, temos de criair outra barreira electrónica às entradas possíveis: portas e janelas. Contactos magnéticos e detectores quebra de vidro são os mais utilizados. Estes periféricos e os sistemas de protecção perimétrica exterior podem e devem ser activados quando os proprietários se vão deitar, por forma a se protegerem de uma tentativa de intrusão, que poria em perigo não só os seus bens mas sobretudo o próprio

Página 7

agregado familiar. Segurança Electrónica Interior – Dentro de casa devem existir detectores de movimento prioritariamente nas zonas de circulação (corredores e halls) e nas divisões onde existem mais valores. Estes detectores serão activados juntamente com os restantes quando não se encontra ninguém em casa. Pontualmente devem ser reforçados determinados recursos da habitação, como o cofre, o armário do escritório, quadros ou determinados objectos de valor, por forma a criar ainda outra barreira a quem possa fazer alguma tentativa de roubo (eventualmente até um roubo interno). Estes pontos podem estar 24 horas activos e podem fazer disparar o alarme mesmo que este esteja desligado. Botões de emergência devem estar estrategicamente distribuídos pela casa por forma a permitirem uma reacção imediata e dissuasora em caso de algum membro do agregado familiar ser confrontado com um intruso fora ou dentro de casa. Uma ou mais sirenes interiores são fundamentais para alarmar não só os vizinhos como também os próprios ladrões, funcionando como um meio dissuasor pré e pós alarme.” Alarmes Técnicos – A detecção de uma eventual fuga de gás, cujo corte automático fica assegurado pela central de alarme através de uma electroválvula, pode salvar vidas, pelo que esta medida deve ser sempre implementada, independentemente do seu custo. A detecção de incêndio é também uma medida que deve ser devidamente equacionada, dado que uma detecção precoce é sempre essencial numa destas situações. A detecção de inundação é também outra medida que justifica

considerar numa vivenda. Tal como no gás, o corte de água fica assegurado por uma electroválvula comandada pela central de alarmes. Reporte dos Alarmes – Tal como já referido anteriormente, o reporte dos alarmes depende muito do grau de sofisticação das centrais. No entanto, é já muito comum reportes de alarmes para números de telefone pré definidos. Para isso é necessário que a central esteja ligada a uma rede de comunicação (ADSL ou GSM). A linha GSM tem a vantagem de que se o ladrão tentar cortar as comunicações por cabo, a central fica sempre activa. Por isso, mesmo que utilize uma linha ADSL, deve usar-se sempre como alternativa uma linha GSM. Conclusão – Quanto é que nos pode custar a ausência de um alarme? E não ter um detector de gás? E não ser avisado em caso de uma situação de emergência? A segurança passou a ser claramente uma parte integrante dos nossos níveis de conforto, mais notoriamente nas vivendas. Mesmo para quem seja avesso a “essas modernices”, deve assumi-las como um “mal necessário”, dado que podem fazer a diferença numa situação de risco eminente, inclusivamente entre a vida e a morte. Assim sendo, nos dias de hoje, é claramente um assunto a ser devidamente equacionado pelos proprietários tendo em conta a avaliação do risco efectuada aos seus bens e bem estar do seu agregado familiar. A vida é feita de imprevistos e, como tal, é regra de ouro o ditado popular “Mais vale prevenir do que remediar”. TEC

“Quanto é que nos pode custar a ausência de um alarme? E não ter um detector de gás? E não ser avisado em caso de uma situação de emergência?”


EProfissional

Página 8

ALUNOS

DO

MA07

VISITAM

AUTO

SUECO

COIMBRA EM VISEU No passado dia 9 de Dezembro, a nossa turma realizou uma visita de estudo à Auto Sueco – Coimbra, em Viseu, empresa que se dedica à reparação de veículos

ligeiros,

veículos

pesados e comercialização de peças. O que mais nos impressionou foi a oficina que trabalha com diversas marcas de automóveis, tais como, Land Rover, Mazda, Volvo, Jaguar e brevemente irá incorporar uma nova marca, a Mitsubishi. Tivemos ainda a oportunidade de ver

um

novo

conceito

organizacional, um armazém de peças, colocadas num “armário”

“inclui uma máquina de café,

electrónico, de 11 metros de

para além de frigorífico que tem incorporado, tacógrafo digital, caixa de mudanças automática”

altura e com 80 prateleiras, só existindo 4 do género em Portugal, sendo o único no Distrito de Viseu.

armazenar as peças e permite organizá-las por referências, tendo a vantagem de ocupar menos espaço e facilitar a procura.

motor 100% amigo do ambiente. Fomos os primeiros a entrar no camião, a descobrir os seus pormenores, uma vez que tinha

Outra das curiosidades desta

acabado de chegar para uma

visita foi a possibilidade de

exposição que iria ter lugar nos

vermos “a nova bomba” da Volvo

dias seguintes.

– O Tractor Volvo FH 16, um veículo

pesado,

altamente

sofisticado, que até inclui uma máquina de café, para além de frigorífico que tem incorporado, tacógrafo digital, caixa de

A visita, organizada pelo Prof. Luís Antunes, foi realizada no âmbito

Componente Tecnológica.

SER POETA É…

um conjunto de estrofes e versos que podem rimar ou não,

algo de bom

descrever o sonho,

ser autor de poemas

um estado de espírito,

poder ser o autor da sua própria história

FELICIDADE

ser capaz de fazer rimas com sentido

Somos nós que a construímos, Faz parte das nossas vidas.

exprimir os seus sentimentos numa folha de papel ter inspiração dentro de si

a expressão de medos e recordações,

não ter medo de exprimir sentimentos

o sentimento de quem escreveu.

ser artista de palavras

Turma TIG 08

MA07

potência de 580 cavalos e um

POESIA É…

a maneira de um poeta dar asas sua imaginação e voar,

conteúdos

leccionados nas disciplinas da

mudanças automática, uma

O equipamento serve para

dos

Sem ela não somos ninguém, Sem ela somos tristes e miseráveis. Toda a gente alcança a felicidade,

ser criativo

Só tem que a encontrar…

ser domador de sonhos transmitir sentimentos através de letras e sinais de pontuação domesticados. Turma TIG 08

Rute TIG 08


EProfissional

Página 9

ALUNOS

FALHAS

A P R E S E N T A M

N O

DESENVOLVIMENTO LOCAL No âmbito dos conteúdos do M ódulo

1

(Ident idade

Regional), da disciplina de Área

de

Integração,

dos

primeiros anos, realizou-se, no

passado

dia

Dezembro,

3

um

intitulado

de

debate

“F a l h a s

no

Desenvolvimento Local”, no

final, a responsável fez um

aldeias vizinhas de Tondela e da

Auditório Municipal da cidade.

balanço positivo do evento.

mesma.” - Guilherme TIG08

O objectivo da iniciativa era

“Temos a obrigação de olhar

“Se nós agora não protestarmos…

“sensibilizar os alunos para a

para o que existe à nossa

daqui a uns dias, já será tarde.” -

participação

e

volta e descobrir aquilo que

Acácio TIG08

promover o debate e o

está errado e de que forma

“Gostei da explicação da Vereadora,

espírito crítico”.

podemos alterar a situação”,

mostrou-se

esclareceu a Eng. Carla Pires,

assunto, exposto pelos alunos da

que aproveitou para elogiar os

Escola Profissional de Tondela.”

cívica

Os jovens estudantes dos primeiros TEC, TME, TAS, TIG e TRB, começaram por

trabalhos realizados este ano,

interessada

pelo

Ricardo TEC 08 nº 17 “Na minha opinião foi uma actividade

“obrigação de olhar

evolução em relação a 2007”.

muito didáctica e interessante não só

suas

Em jeito de conclusão, os

habitantes do conselho, porque isto

freguesias, como a falta de

nossos alunos estiveram mais

sinalização, as lixeiras a céu

uma vez à altura das tarefas

para o que existe à nossa volta e descobrir aquilo que está errado e de que forma podemos alterar a situação”

aberto, as casas degradadas,

solicitadas e por isso mesmo

os

estão de parabéns.

mostrar fotografias e vídeos acerca dos problemas que mais

afectam

as

problemas

requalificação

urbana,

da

“q u e

a

Maria do Carmo Rebelo

desportivas e de espaços assim

existência

de

como

Marta Rosa

a

anim ais

abandonados. Presente, em representação do município, esteve a Eng.

uma

As professoras de AI

escassez de infra-estruturas verdes,

c o n s t i tu e m

para nós mas para todos os incentiva ao desenvolvimento do mesmo. “ Carlos Henriques TEC08 A minha opinião sobre os trabalhos é boa, pois apresentam os aspectos positivos e negativos das suas terras, ou seja, mostraram os melhoramentos que já se fizeram e os que queriam ver melhorados. Helder TEC08

Eis algumas das opiniões dos

“Naquela

alunos:

Vereadora mostrou ser uma boa

“Para mim esta visita da Sr. Vereadora foi importante, porque tive a oportunidade de a conhecer e

manhã

a

Senhora

supervisora, visto a sua atenção ao ver a nossa apresentação.” André Costa TME 08

Carla Pires, vereadora na

colocar as minhas questões que

“Na minha opinião este debate foi

autarquia,

claramente foram esclarecidas.” –

muito enriquecedor pois deu-nos

responder a todas as dúvidas

Euklidson TIG08

uma ideia de como se encontra o

e questões dos alunos. No

“Foi uma boa maneira de se poder

que

procurou

ver e conhecer os problemas das

nosso concelho.” António Lopes TME 08


EProfissional

Página 1 0

VISITA DE ESTUDO AO CONVENTO DE MAFRA

No

passado

dia

5

de

Os

nossos

Dezembro de 2008, os Alunos

Alunos estão de

das Turmas TIG06, TME06 e

parabéns! A sua

TEC06, acompanhados dos

pontualidade e

Senhores Professores Isabel

o

Eleutério,

s e u

Luísa

Marques,

comportamento

Cecília

Fragoso,

Adelino

foram elogiados

Ferreira

e

Ricardo

Silva

pelo

Senhor

fizeram a Visita de Estudo ao

Condutor

da

Tive oportunidade de conhecer

Convento de Mafra.

viatura que nos transportou.

coisas novas. Foi uma visita de

Quando uma pessoa, exterior

estudo importante, pois ficámos a

A

visita

ao

interior

do

perceber

Convento realizou-se na parte

melhor

o

da

módulo

que

manhã

e

fomos

acompanhados por um guia

está

que ia contando alguns dos

leccionado

na

“mistérios” do Convento. A

disciplina

de

Daniel

para ver a peça de teatro que tivesse um comportamento tão bom como o vosso”

sobre

o

“Memorial

Convento”

de

Saramago: obra dedicada à construção do Convento de Mafra na qual se elogia o Povo e se critica o Clero e a Nobreza.

à Escola, diz: “Há muitos anos

tempo.”……………………………. João Freitas 3ºTEC

estudo com grupos de alunos de várias idades e nunca tive comportamento

diferente

bastante

como o vosso! Os meus

importante nas “vidas” dos

parabéns e muito obrigado!”.

nossos

As

São palavras reconfortantes

Professoras do Grupo de

mas que nos trazem, ainda,

Línguas estão de parabéns

mais responsabilidade.

pela organização da visita de e s tu do ,

po is

interessante,

e la

oportuna

pedagógica. Os objectivos desta visita de estudo foram amplamente alcançados.

tão

“Penso que foi um dia bem passado.”

……………………

João Martins 3º TEC

bom

Prof. Adelino Ferreira

foi e

e houve alegria apesar do mau

realizado vários visitas de

Foi um dia de formação

Alunos.

“A viagem foi muito interessante

que sou condutor e tenho

um grupo que tivesse um mas

Leitão

3ºTEC

de

José

ser

Português.”

parte da tarde foi escolhida

“nunca tive um grupo

a

“Achei que a peça de teatro foi i nte ress a nt e ,

os

ac t o res

desempenharam bem o seu papel apesar das condições acústicas

não

serem

as

melhores”………………………... Luís Matos 3º TME “Gostei de ver o teatro, porque

Impressões dos alunos

fiquei a perceber melhor a obra

“Gostei bastante da visita guiada

“Memorial do Convento” de José

ao

Saramago.” ……………………….

Convento

de

Rui Figueiredo 3º TME

Mafra.”

Diogo Gonçalves 3º TME


EProfissional

Página 1 1

HALLOWEEN

No passado dia 31 de Outubro celebrou-se a festa de Halloween na nossa Escola Profissional. Foram organizadas algumas actividades escolares relacionadas com a data. Cada curso tinha de fazer a decoração de um espaço escolar a seu gosto. Passou um júri por cada espaço para fazer a avaliação da decoração feita por nós e seleccionou o melhor. Esta ideia foi fantástica, todos os alunos cooperaram e interessaram-se imenso pelo projecto, mas “quem corre por gosto não cansa”. Não houve só esta actividade, também visionámos uma sessão de cinema com o filme de terror “The Gate”!!! Tivemos a oportunidade de ver uma pequena

apresentação em 3D antes de começarmos a visualizar o filme. Esse momento passou, mas a boa disposição e ânimo permaneceram em praticamente todos nós. Agora esperamos que estas actividades nunca percam esta vitalidade e alegria. Ana e Soraia 1º TIG

No dia 31 de Outubro comemorou-se na nossa escola o Halloween. O curso de Mecânica de Veículos Ligeiros participou com um “carro caixão” que construiu nas oficinas da escola, com o auxílio do professor Luís Antunes. Esse

carro tinha buzina, pirilampos, piscas, ligados a uma bateria de 12V, e um “morto” lá dentro. Todos participaram na construção do veículo e na animação do corredor em frente ao auditório. Quando as turmas e o júri passaram para ver a apresentação do curso demonstrou-se o funcionamento do carro e fezse a simulação de um funeral. A máquina de fumo que um aluno arranjou deu a sensação de estar num sítio assombrado. Apesar de termos ficado em 3º lugar, gostámos muito de participar nesta actividade, pois pudemos pôr em prática alguns conhecimentos que adquirimos ao longo do curso. Turma do 2ºMA

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

No passado dia 16 de Outubro comemorou-se, na nossa escola, o Dia Mundial da Alimentação.

alimentação saudável e variada. De seguida, todas as turmas tiveram oportunidade de usufruir

“Todos participaram

de Tondela. Os alunos tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas,

as

e n f e rm e i ra s

conversaram com cada aluno

Esta actividade foi promovida

de um almoço saudável e rico em

pelo Gabinete de Educação para

vitaminas e proteínas. Toda a

a Saúde com a colaboração dos

comunidade

alunos do primeiro ano do curso

convidada a almoçar uma bela

Não posso deixar de mencionar

Técnico de Restaurante – Bar.

refeição com mensagens escritas

que, no passado dia 13 de

nos tabuleiros, alusivas ao dia,

Novembro,

elaboradas por todas as turmas

voltaram à escola, porque no dia

da escola.

16 de Outubro não deu tempo

Logo pela manhã, realizou-se no auditório da escola uma palestra, com a presença do Dr. António

escolar

foi

sobre os resultados do rastreio e deram alguns conselhos.

as

enfermeiras

para todos os alunos fazerem o

Salgado, sobre os cuidados a ter

Da parte da tarde, realizou-se no

com a alimentação e os

auditório da escola um rastreio à

alimentos que podemos ou não

Glicemia, colesterol e tensão

Espero que para o próximo ano

comer. Ao longo desta palestra,

arterial. Este rastreio teve como

voltem outra vez.

os alunos tiveram a oportunidade

destinatários os alunos do 2º e 3º

de ficar mais esclarecidos sobre

anos e foi feito por um grupo de

a importância de ter uma

enfermeiras do Centro de Saúde

rastreio.

Marta Oliveira nº15 TAS07

na construção do veículo e na animação do corredor em frente ao auditório”


EProfissional

Página 1 2

O DIA DO CALOIRO/DAS PRAXES

Um dia muito importante ou apenas mais um em que não tivemos aulas? Foi um dia muito bom, pois pudemos conviver com toda a comunidade escolar. Serviu também para que os caloiros se pudessem integrar e até estabelecer amizade com muitos colegas. O passeio pela cidade foi um pouco estranho, pois ninguém gosta de puxar uma carroça. Mas também aconteceram coisas interessantes, tais como: algumas brincadeiras, o vestuário e a incrível maquilhagem. Ficámos todos a lucrar e, para além disso, daqui a dois anos

somos nós a praxar! Vítor Pinto 1º TIG Penso que este ano as praxes foram animadas, mas não tão duras como nos anos anteriores. No primeiro ano fui mais praxado e as actividades

duraram todo o dia. Foi mais interessante ser praxado do q u e p r a x a r . Ricardo Mendes 3º TME

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO “Serviu também para que os caloiros se pudessem integrar e até estabelecer amizade com muitos colegas.”

de

que transmitir ao próximo uma

usam, cada vez mais, estas

Integração, leccionadas pela

determinada mensagem, e assim

abreviaturas.

professora Maria do Carmo

sucessivamente.

os

relacionado com o avanço da

Rebelo, a turma realizou três

grupos o fizeram embora com

tecnologia e dos meios de

actividades no âmbito do módulo

mensagens diferentes. Tal como

comunicação, como por exemplo

3 “ A comunicação e a

todos estávamos à espera, a

a

construção do indivíduo”.

mensagem saiu completamente

telemóveis.

Nas

Uma

aulas

de

delas

Área

consistia

na

passagem de uma determinada mensagem dentro de um grupo e de pessoa para pessoa. O objectivo era testar a capacidade de memorização e ver até que

Todos

distorcida, pois cada elemento interpretou e transmitiu à sua maneira.

Podemos

ainda

acrescentar que a mensagem inicial tinha 12 linhas e acabou somente reduzida a 4.

i n te r ne t

Isto

está

( m e s s e n ge r ) ,

Por fim, foi apresentada às turmas

de

Animação

Sociocultural a peça de teatro “Família Silva - já chega de informação, chegou a hora da comunicação!”. Esta teve como

ponto as pessoas são capazes

A 2ª actividade, denominada por

objectivo mostrar o quanto a

de distorcer uma pequena

“mini-dicionário”, consistiu na

comunicação na família

mensagem. A actividade iniciou-

elaboração de uma listagem de

importante.

se com a saída de um grupo

vocabulário e símbolos utilizados

para o exterior da sala de aula.

pelos jovens de hoje em dia. São

Apenas

elemento

muitas as alterações, ao nível do

permaneceu lá dentro e tinha

vocabulário, que ocorrem com o

um

passar do tempo; os jovens

é

Margarida Figueiredo, Rita Morais TAS07


EProfissional

Página 1 3

SOMOS MUITOS, SOMOS UM…

No passado dia 16 de Dezembro, a turma do TAS 07 preparou um Musical de Natal para apresentar à comunidade escolar inscrita. O Musical de Natal inseria-se na disciplina de Área de Expressão Dramática, leccionada pelo professor Rui Fonte.

Os

convidados começaram a chegar e, atrás do cenário, os cochichos não paravam, porque os nervos falavam mais alto! Os nossos colegas f o r a m contemplados com teatro, ballet, dança

e canto e divertiram-se bastante. No fim do musical, fomos bastante elogiados por professores, funcionárias e colegas. Estes elogios compensaram o esforço e trabalho que tivemos ao longo módulo. Maria Inês Inês Gonçalves TAS 07

Lágrimas de saudade,

AMOR Corre nas veias, Anda de mão dada com o nosso coração e nunca o larga.

Lágrimas de tristeza, Fraqueza , até que…

Sentimento que nos faz feliz,

Chega outra pessoa que nos faz sorrir de novo.

mas apenas por um determinado tempo…

Passamos bons momentos com ela e, num certo dia,

O tempo que parece que voa quando estamos com uma pessoa

Zás…

mas, quando nos deixa, fica uma grande mágoa, um nó na garganta, no estômago, não nos apetece falar, comer… Apenas são lágrimas a brotar dos olhos,

lá vem outra vez aquela tristeza de nos deixarem de nos trocarem por outro (a). Deixamos de falar, comer… é um ciclo vicioso em que caímos cada vez que conhecemos alguém especial. Diana Lufinha TIG 08

“Estes elogios

compensaram o esforço e trabalho que tivemos ao longo módulo”


EProfissional

Página 1 4

ACÇÃO

D E

SENSIBILIZAÇÃO

S O B R E

PLANEAMENTO FAMILIAR No dia 28 de Novembro de 2 0 0 8 d ec o r r eu , n o Auditório da Escola Profissional de Tondela, uma acção de Sensibilização sobre Planeamento Familiar que teve início às 9:45h e terminou às 12:10h. Foram afixados cartazes e distribuídos panfletos às raparigas da escola. Estes foram elaborados

pelos alunos do 1º, 2º e 3º anos do curso Técnico de Informática de Gestão. Esta acção foi promovida pelo Gabinete de Educação para a Saúde e dinamizada pela Drª Fernanda Coimbra, médica do Centro de Saúde de Tondela. Foram apresentadas algumas informações sobre métodos contraceptivos e

doenças sexualmente transmissíveis por alunos do curso de enfermagem que acompanharam a Drª Fernanda. Foi dada a oportunidade às alunas de colocarem as suas dúvidas, tendo sido prontamente esclarecidas pela equipa dinamizadora da acção. Maria 1º TAS

AS ATITUDES NO TRABALHO – UMA AULA DE A.I. DIFERENTE

“Este jovem

testemunhou na 1ª pessoa a sua vivência no mundo de trabalho”

As turmas dos 2ºs anos

desafios do actual

(TIG07/TEC07)

mercado

dinamizaram uma aula de

trabalho.

Área

de

diferente

Integração nos

dias

04/12/2008 e 05/12/2008. A turma TIG07 no dia 04/12/2008 contou com a presença do Sr. Eng. Jorge Silva

Informática

Director

de

da

Huf

Portuguesa que respondeu a um conjunto de questões relacionadas com o tema: o desenvolvimento de novas atitudes no trabalho. O importante respondeu

convidado de

forma

objectiva às questões, e ao

de

No dia 05/12/2008 a turma

TEC07

auscultou a opinião de um jovem ex-aluno da nossa

escola,

António

Simões,

sobre a importância das

atitudes

e

postura no trabalho, trespassando a sua experiência profissional. Este jovem testemunhou na 1ª pessoa a sua vivência no mundo de trabalho.

mesmo tempo alertou os

Esta

actividade

esteve

alunos para os grandes

enquadrada no módulo 3 –

O

Desenvolvimento

Novas

Atitudes

de no

Trabalho da disciplina de Área de Integração. Prof Marta Rosa Prof Maria do Carmo


EProfissional

NUMA

Página 1 5

AULA

SOCIOLOGIA…

DE

FALOU-SE

DE

SAÚDE No dia 20 de Setembro de

A

2008 tivemos o privilégio de

bastantes questões para

receber a visita do Dr. Cílio

colocar ao Dr. Cílio, o

Pereira, director do Hospital

qual se disponibilizou de

Cândido

imediato a responder a

Figueiredo

de

turma

preparou

Tondela, abordou connosco o

qualquer

tema “Politicas de Saúde em

mesmo

Portugal”, que decorreu no

curiosidades sobre o seu

âmbito

trabalho

da

disciplina

Sociologia,

no

de

módulo

“Vertentes de Politica Social”. Foi bastante enriquecedor a sua presença, pois começou por dialogar com toda a turma abertamente, uma

preparou-nos

apresentação

introdução

para

como o

seu

que

fossem

enquanto

médico. Só foi pena não

valores, já que este lida

haver

mais

colocar

tempo

para

diariamente com pessoas e

questões,

pois

umas diferentes das outras.

tivemos de encurtar o número de perguntas.

Foi muito claro na forma como o

tema

das

“Problemáticas da Saúde”, até a linguagem utilizada foi a

“A saúde é de todos e para todos” foi esta ideia que o Dr.

Podemos referir que esta

Cílio nos deixou para reflectir

actividade

e foi precisamente o que

proposta

pela

Professora Maria do Carmo Rebelo correu muito bem e

discurso.

abordou

questão,

que o público nomeadamente a turma TAS06, ficou muito satisfeita e o feedback foi óptimo.

Para finalizar apenas temos

“bastante enriquecedor

algo a referir, que propostas

a sua presença, pois começou por dialogar com toda a turma abertamente”

destas

são

muito

enriquecedoras e que nunca é demais realizarem-se outras.

mais simples possível o que

Quanto a Dr. Cílio, deixou

cativou logo atenção de toda

uma boa imagem de si, do

a turma.

seu trabalho e enquanto agente

acabou por acontecer.

transmissor

de

Ana Santos, Joana Gomes Cristina Pereira, TAS06


ESCOLA

PRESTA,

TVI,

NA

HOMENAGEM

AOS

ALUNOS Temos

vindo

a

afirmar,

educativos

e

formativos

repetidas vezes, que a razão

ajustados às suas apetências

de ser de uma escola são os

e

alunos que a frequentam. Daí

podem alcançar o sucesso.

ser de extrema importância a ligação forte e personalizada que a nosso Escola tem vindo a colocar em prática com cada um dos alunos que a frequenta.

características

naturais,

A turma do Curso de Nível II de Serralheiros Mecânicos, que terminou o seu processo formativo passado,

no é

ano

lectivo

disso

um

verdadeiro exemplo: alunos

Se esse factor é importante e

que ao chegarem à

nossa

fundamental

divulgação

destas

boas

práticas seria a melhor forma de homenagear esta turma e através dela todos os alunos desta escola bem como todos os

profissionais que

para que a nossa Escola

e

se constitua, cada vez

motivação, com que,

mais, num estabelecimento

os

de ensino de referência em

alunos respondem a

todo o contexto regional.

essa nossa forma de actuar. Acreditamos que não há maus alunos. Acreditamos que todos os desde

Assim, entendemos que a

serviço e que contribuem

empenho, mudança

alunos,

e tornado público.

diariamente prestam aqui

correspondente

normalmente

alunos merece ser enaltecido

colaboradores)

de ter relevância o

atitude

O progresso feito por aqueles

(professores e restantes

também não deixa

de

merece ser louvado.

que

empenhados em processos

Escola tinham um “rótulo” de

A reportagem passará na

desmotivados

quase

manhã do próximo dia 29 de

irrecuperáveis para o ensino,

Dezembro (Segunda – Feira)

e que fizeram um percurso

no Programa “ Você na TV”,

notável.

da TVI.

e

O trabalho levado a cabo pelos

seus

João Carlos Figueiredo

professores

Tem mais de 18 anos e quer ver certificadas as suas competências? Para proceder à sua candidatura no CNO para reconhecimento das suas competências ao nível do 1º, 2º, 3º Ciclo ou Secundário dirija-se aos Serviços Administrativos da EPT ou, se preferir, inscreva-se no nosso site http://cno.eptondela.net


Jornal EProfissional Ano 7 Num 1