__MAIN_TEXT__

Page 1

ISSN 1676-157X junho 2015 no 30

Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano ‒ Brasil Amor e Sexo

... o amor é a verdade, mas somente enquanto é a partir dela, a partir de um corte, que começa um outro saber que não é o saber proposicional, a saber, o saber inconsciente... O amor é dois meio-dizeres que não se recobrem. E é isto que faz o seu caráter fatal. É a divisão irremediável. Eu quero dizer à qual não se pode remediar, o que implica que o mediar já seria possível. E justamente, não somente é irremediável, mas sem nenhuma mediação. É a conexidade entre dois saberes enquanto são irremediavelmente distintos. Quando isso se produz, isso faz algo... muito privilegiado. Quando isso se recobre, os dois saberes inconscientes, isso dá um baita rolo. JACQUES LACAN OS NÃO TOLOS ERRAM (15/01/1974) Isso poderia se dizer assim: o ser sexuado não se autoriza senão de si mesmo . É nesse sentido que ele tem escolha, quero dizer que aquilo a que a gente se limita, para classificá-los como masculino ou feminino no estado civil, isso não impede que ele tem escolha. Isto, obviamente, todo mundo sabe. Ele não se autoriza senão de si mesmo, e eu acrescentaria: e de alguns outros .

ISSN 1676-157X

JACQUES LACAN OS NÃO TOLOS ERRAM (09/04/1974)

s t y l u s

epfcl brasil

30 junho 2015

stylus R E V I S TA

DE PSICANÁLISE

Amor e Sexo

Stylus 30  

Amor e Sexo

Stylus 30  

Amor e Sexo