Page 1

maio 2013 Suplemento Comercial dedicado à Universidade da Beira Interior

Produção RVJ - Editores

www.ensino.eu dossier

A preparar o futuro

UBI com os olhos postos na Investigação

Entrevista a João Queiroz

inauguração marca aniversário

Rigor e qualidade

Siemens na UBIMedical C

p III

C

p III

Investigadores da UBI distinguidos

Prémios Internacionais Ao melhor aluno

Ensino Magazine atribui prémio C

p II e III

MAIO 2013 /// C

p IV


Universidade fez 27 anos

UBI com olhos postos na investigação 6 A Universidade da Beira Interior acaba de assinalar mais um aniversário. A inauguração da UBI Medical foi um dos momentos altos das comemorações dos seus 27 anos. João Queiroz, reitor da instituição, explica ao Ensino Magazine a importância da nova estrutura de investigação e empreendedorismo. Mas fala também dos projetos futuros da UBI e da importância dos alunos na vida da universidade. A inauguração da UBIMedical marcou o 27º aniversário da UBI. Esta estrutura será um dos principais motores de desenvolvimento científico, investigação e de empreendedorismo da região? Sim. Este é um projeto de mandato. Foi pensado e projetado há quatro anos, candidatámo-lo a fundos comunitários, conseguimos as verbas, construímos o edifício e definimos o seu plano estratégico. Está no momento ideal para arrancar com o seu funcionamento. São estruturas como o UBIMedical, que tem uma especificidade muito própria para a qualidade de vida, que vão potenciar o desenvolvimento da região e permitir que ela fique mais forte com o contributo da universidade. No fundo aquilo que queremos é que o UBIMedical seja um interface entre o que se passa na universidade e no mundo empresarial. Quando pensa que essa estrutura estará a funcionar em pleno? Temos um ano para a colocar a funcionar. No entanto, a UBIMedical já está a funcionar dentro da própria universidade, onde temos alguns laboratórios a trabalhar. No edifício da UBIMedical vamos ter uma zona dedicada à investigação e de investigação para a prestação de serviços, muito direcionada para dar um contributo às empresas que estão na região nas áreas alimentares e da saúde, mas também aos hospitais. E isso é uma mais valia para abrirmos a universidade a essas áreas e públicos. Para além disso, teremos uma área dedicada à incubação de empresas, onde gostaríamos de ver empresas a nascer e a crescer. Convém referir que neste momento já existem empresas a funcionar dentro da própria universidade, e outras estão já conversadas. Queremos que os nossos graduados transformem as suas ideias em negócios, criem o seu próprio emprego e que consigam criar uma dinâmica de crescimento, de interação e de fortalecimento daquilo que é este projeto, não só dentro das nossas instalações, mas junto de toda a região. O objetivo é envolver toda a comunidade neste projeto. Já apresentou as suas propostas ao conselho geral da universidade?

II

/// MAIO 2013

O assunto já foi abordado, mas a proposta ainda não foi apresentada, pois no último Conselho Geral estivemos a tratar de outros assuntos como o plano de atividades, relatório de contas e calendário da eleição do reitor. Eu tenho uma proposta, que passa pela criação de uma associação sem fins lucrativos. Se o Conselho Geral aceitar essa forma de gestão da UBIMedical, passaremos aos convites de novos associados, procurando ser o mais abrangentes possíveis. Esta estrutura também é um bom exemplo de como a UBI tem conseguido captar fundos do QREN? É, sem dúvida. Estou bastante satisfeito porque a universidade tem conseguir captar fundos, quer a nível institucional, quer em termos individuais ou de grupos de investigação. A investigação e os projetos que a UBI tem conseguido nos últimos tempos demonstram que é possível diversificar as fontes de financiamento da universidade e sobreviver para além do Orçamento de Estado. A capacidade de autofinanciamento da UBI foi de 43% em 2012. Isto é, do orçamento global, de cerca de 35 milhões de euros, só 19 milhões é que vieram do Orçamento de Estado. Em termos orçamentais, o rigor nas

contas tem sido uma das suas bandeiras? O rigor, o aumento da eficiência, a qualidade, a análise e avaliação pela qualidade, tem-nos permitido otimizar processos. A situação, nos últimos quatro anos, foi de grande estabilidade e muito forte em termos económicos. A UBI, que tem a sua localização no interior do país e as suas próprias características, soube agarrar muito bem as oportunidades. 35 milhões de orçamento, acrescidos daquilo que os mais de cinco mil alunos deixam na região, tornam a UBI como um dos principais motores de desenvolvimento da região… Disso ninguém tem dúvidas. É difícil termos uma noção real do impacto que a universidade tem na região, pois há muitas formas diretas de o medir, mas há muitos aspetos indiretos difíceis de quantificar. No seu discurso falou de um conjunto de aspetos que marcaram os últimos quatros anos: cultura de qualidade inclusiva e baseada em padrões internacionais; a aprovação de um plano estratégico de médio/longo prazo; o reforço da internacionalização; a maior abertura à comunidade e à sociedade e o aprofun-

damento entre o ensino e a investigação. O balanço deste seu primeiro mandato é positivo? O balanço é extremamente positivo. Houve tópicos em que fomos para além daquilo que esperávamos. A cultura de qualidade será sempre um projeto inacabado. Implementámos mecanismos, definimos metas e objetivos, mas é um processo em contínua evolução, o qual deve envolver todos os professores, alunos e funcionários. Mas demos passos largos nesta matéria. Obtivemos uma certificação de qualidade internacional, tivemos uma avaliação da EUA, a renovação da certificação ISO 9001 e o seu alargamento à ação social. A capacidade financeira da universidade também foi muito boa. Diria que estamos no bom caminho, os resultados foram excelentes, pelo que há que continuar com estes objetivos e esta metodologia. Como vai ser o novo plano estratégico e de desenvolvimento da UBI para os próximos quatro anos? Temos alguns objetivos a alcançar que estão definidos no Plano Estratégico 2020, na ligação do ensino com a investigação, na internacionalização, e reforço da cultura de qualidade. São aspetos que ;


vão fazer parte do meu plano para os próximos quatro anos, através de ações concretas, que aparecerão na devida altura. Já anunciou que será recandidato ao cargo de reitor. Essas serão as suas prioridades? Basicamente serão estas. Mas importa referir que hoje a UBI está melhor preparada para uma melhor interação com o exterior e com todos os parceiros. Ou seja, a universidade deve fazer tudo o que referi de uma forma mais aberta e interativa com toda a região, para que no futuro possamos dizer que a universidade contribuiu para o fortalecimento da região. Em termos de ofertas formativas para o próximo ano haverá alguma novidade? A única será o curso de licenciatura em Ciências da Cultura, o qual substituirá o de Filosofia. Tudo o resto se manterá. O Curso de Ciências da Cultura vai permitir termos um projeto de ensinoinvestigação muito forte, mas também uma maior abertura ao exterior, e uma maior interação com as instituições e associações culturais da região. Mudando de assunto. Um pouco por todo o país muitos alunos sentem dificuldades em pagar propinas. De que forma é que a UBI está a solucionar e a resolver esses casos? A universidade tem tido uma situação estável no que respeita ao número de abandonos. No que respeita às propinas, adotámos um plano de pagamento que favorece os alunos, pois permite-lhes pagarem a propina durante várias fases. Por outro lado, a UBI está a ajudar aqueles que mais precisam, através de um fundo de apoio social criado pela própria universidade. Se não fosse esse fundo, os alunos teriam abandonado a universidade. Ou seja para além dos 1800 bolseiros que a UBI tem, sentimos a necessidade de nos substituirmos ao Estado e de arranjar formas complementares que têm resultado muito bem. Continua a defender uma relação próxima entre a reitoria e os alunos da instituição? Os parceiros mais importantes que temos são os alunos. Sempre me pautei, em todos os cargos que exerci, de ter uma relação muito cordial e construtiva com os estudantes. Todos os processos numa universidade europeia devem ter uma participação dos alunos. Numa universidade do século XXI, europeia e moderna, os alunos são parceiros importantes. Sempre me dei bem com isso. Tenho tido a preocupação de os saber ouvir e tenho a certeza que quando preciso que eles me ouvem, eles fazem-no. Penso que a universidade ficará muito mal se não seguir esta filosofia de cooperação com os alunos. K   



Inauguração marca aniversário

Siemens na UBIMedical 6 O aniversário da Universidade da Beira Interior ficou marcado pela inauguração do edifício da UBIMedical. Um espaço cujas obras acabam de ser concluídas na Covilhã, e que vai acolher empresas, entre as quais, a multinacional Siemens. Nos mais de três mil metros quadrados do UBIMedical estão já dezenas de salas e futuros laboratórios que aguardam todo o tipo de mobiliário e equipamento. Seguemse agora os arranjos exteriores e um passo fundamental, para o reitor, João Queiroz: “aprovar os estatutos de funcionamento da nova entidade”. O edifício está destinado para uma parte de investigação e prestação de serviços nas mais diversas vertentes da qualidade de vida e outra de incubação de empresas. No intuito de João Queiroz, “será possível trazer alguns investigadores e ideias de negócios e tentar fixar os nossos graduados que podem ficar aqui e desenvolver os seus projetos que se focam na saúde e na qualidade de vida”. O investimento atingiu seis milhões de euros e os responsáveis académicos esperam que se transforme “numa estrutura fundamental e relevante no panorama na-

cional, articulada com as estruturas da saúde existentes na região e com tudo o que são áreas de negócio hospitalar e empresas ligadas à saúde. Gostaríamos muito de ter

uma estrutura semelhante ao atual Instituto Pedro Nunes, com investigação de ponta na área dos dispositivos médicos”. K Eduardo Alves _

Investigadores da UBI distinguidos

Prémios internacionais 6 Pedro Dinis Gaspar, docente no Departamento de Engenharia Eletromecânica e Sofia Mateus, investigadora da Unidade de Deteção Remota, do Departamento de Física, foram distinguidos em diferentes iniciativas pelos trabalhos académicos desenvolvidos na Universidade da Beira Interior. Pedro Dinis Gaspar, professor do departamento de Engenharia Eletromecânica, foi distinguido com o “Papers Award” como reconhecimento pela investigação científica desenvolvida na melhoria do desempenho térmico e da eficiência energética de sistemas/equipamentos de refrigeração. Este prémio surgiu da participação do docente na “2nd IIR International Conference on Sustainability and the Cold Chain” organizada pelo International Institute of Refrigeration (IIR) em colaboração com a Association Française du Froid (AFF), Institut national de recherche en sciences et technologies pour l’environnement et l’agriculture (Irstea) and Cemafroid, que teve lugar a 2 de abril, em Paris. Já Sofia Filipa da Cruz Mateus, aluna de mestrado de Optometria em Ciências da Visão da UBI e colaboradora da Unidade de Deteção Remota – UDR, foi distinguida com o “New Researcher Prize”. O prémio resultou da apresentação de um trabalho em co-autoria com Francisco Miguel Pereira Ferreira (docente e investigador da UDR) e Pedro Miguel Fernandes da Nave Serra (Bolseiro de investigação da UDR), no meeting anual da European Academy of Op-

tometry and Optics (EAOO), que decorreu de 18 a 21 de abril, em Málaga (Espanha), juntamente com o encontro da World Council of Optometry (WCO). O trabalho de investigação galardoado intitulava-se “Letter Discrimination and Reading Performance

under Spherical and Astigmatic Blur, using the “Roman” Alphabet” e foi atribuído por parte da EAOO e do The College of Optometrists do Reino Unido. K Eduardo Alves _

MAIO 2013 /// III


Ao melhor aluno

Ensino Magazine atribui prémio 6 O Ensino Magazine voltou a atribuir uma bolsa de mérito a um dos melhores alunos da Universidade da Beira Interior. A entrega do prémio decorreu durante a cerimónia de aniversário da UBI e foi feita pelo diretor

do Ensino Magazine, João Carrega. A atribuição de bolsas de mérito aos melhores alunos das instituições de ensino superior parceiras do Ensino Magazine faz parte da vertente social da publicação e pretende pre-

miar o esforço dos estudantes. Este ano o Ensino Magazine atribui bolsas de mérito a alunos da Universidade da Beira Interior, e dos institutos politécnicos de Castelo Branco, Guarda, Leiria e Portalegre. Na mesma cerimónia

a UBI e diversas empresas distinguiram outros alunos da instituição. O programa integrou ainda a distinção a funcionários da instituição, bem como a entrega dos diplomas aos novos doutorados. K

Publicidade

UBI premeia Espanha

Formação inicial

T Os docentes do Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura da Universidade da Beira Interior acabam de entregar o prémio “Engenharia Civil Sem Limites”. O concurso em causa “tem como objetivo fomentar a discussão e o interesse dos alunos por temas relativos à Engenharia Civil, durante a sua formação básica”. O desafio foi lançado a escolas secundárias localizadas nos distritos de Bragança, Castelo Branco, Guarda, Portalegre e Viseu e zonas limítrofes espanholas, nomeadamente nas províncias de Salamanca, Zamora, Cáceres e Badajoz. Apesar da vasta divulgação do evento junto das instituições nacionais, apenas escolas espanholas concorreram, tendo assim conquistado todos os prémios. Uma situação estranha aos responsáveis do Deca, que esperam ter presença lusa na edição do próximo ano. K

T A Universidade da Beira Interior homologou o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores junto do IEFP e está a promover a 8ª edição do curso que terá inicio no próximo dia 27 de maio de 2013. O principal objetivo do curso é habilitar profissionais com competências aos níveis psicossocial e técnico-pedagógico que lhes permitam desempenhar a função de formador certificado, mediante a atribuição do respetivo Certificado de Competências Pedagógicas (CCP) emitido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional. K

Igualdade e Cidadania T O Projeto UBIgual – Plano de Igualdade de Género para a Universidade da Beira Interior realiza, nos dias 30 e 31 de maio, o Seminário Internacional Igualdade de Género e Cidadania Plena, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (anfiteatro 7.21). O evento tem como principal objetivo discutir e atualizar os conhecimentos em igualdade de género e a sua importância para a concretização da cidadania plena. As inscrições no seminário, embora gratuitas, são obrigatórias e devem ser feitas até 24 de maio. K

IV

/// MAIO 2013

UBI na Tektónika T O Sistema GEOGREEN, que está a ser desenvolvido pela unidade de investigação C-Made, da UBI, venceu o 1º Prémio Inovação da Tektónica 2013, Feira Internacional de Construção e Obras Públicas, uma distinção lançada com o objetivo de demonstrar o potencial inovador das empresas portuguesas que contribuem para o desenvolvimento do tecido empresarial nacional e de valorizar os produtos, serviços ou equipamentos inovadores, promovendo desta forma as empresas que, num mercado em constante mutação, apostam no desenvolvimento de novos produtos. O sistema GEOGREEN foi exposto no Espaço Inovação da Tektónica, conjuntamente com mais 16 produtos e/ ou participantes. K


Suplemnto UBI  

Suplemento Comercial dedicado à Universidade da Beira Interior

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you