Page 44

Produção, Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica – Energia Eólica Nas horas de vazio, o PRE-R não deve fornecer energia reactiva. Se o fizer, a mesma será cobrada pelo tarifário em vigor para a energia reactiva capacitiva no nível de AT. Algumas medidas foram introduzidas no sentido de suavizar estas disposições: ! O regime de fornecimento de energia reactiva nos períodos fora do vazio pode ser alterado, mas a responsabilidade por esta iniciativa foi cometida exclusivamente ao distribuidor público. ! A instalação das baterias de condensadores necessárias ao fornecimento de energia reactiva (no caso da utilização de geradores assíncronos) passou a poder ser realizada em local mais apropriado da rede de distribuição, desde que o produtor suporte o respectivo custo e o distribuidor concorde com a solução. ! O excesso de energia reactiva fornecida à rede nos períodos fora do vazio, relativamente ao valor de referência de 40% da energia activa injectada, passou a ser remunerado pelo tarifário em vigor para a energia reactiva indutiva no nível AT. Os tarifários referidos para a compra/venda de energia reactiva são aplicáveis durante os primeiros 144 meses de exploração das centrais renováveis, após o que vigorará o tarifário correspondente ao nível de MAT.

5.2.8. Distorção harmónica A solução convencional de ligação de instalações de PRE à rede, isto é, a ligação directa de geradores síncronos ou assíncronos, não conduz a situações problemáticas com harmónicas. A tensão gerada será praticamente sinusoidal, cumprindo, assim, os requisitos legais que estabelecem que “a tensão gerada não deve ter efeitos prejudiciais nos equipamentos dos consumidores”. Se a ligação à rede for efectuada de modo assíncrono (recorrendo ao uso de conversores electrónicos de frequência, para permitir a exploração dos sistemas com velocidade variável), será necessário assegurar que foram tomadas as providências necessárias à redução do conteúdo harmónico. A legislação estipula que os PRE estão sujeitos às disposições em vigor sobre qualidade de serviço nas redes eléctricas. A norma portuguesa que estabelece as características das redes de AT está em

- 2000/2001 – ESTV – ISPV -

Ricardo Silva, Rui Cabral, Henrique Carvalho

Página 44 de 108

5A1S - Energias Renováveis - A Energia Eólica  

Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Produção, Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica Ricardo Silva...

5A1S - Energias Renováveis - A Energia Eólica  

Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Produção, Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica Ricardo Silva...

Advertisement