Issuu on Google+

SUMÁRIO

Engenharia química


O QUE O PROFISSIONAL FAZ O engenheiro Químico é responsável pelo processo de produção de matérias primas em produtos finais. É ele que vai dizer quanto de um material A se transformará em um material B, quais os equipamentos que estarão envolvidos no processo, a quantidade de matéria prima necessária, a que temperatura o processo ira ocorrer, qual pressão, ou seja, ele fica sentado na sala de controle, observando todas as variáveis do processo e controlando-as para que o processo de transformação ocorra da melhor maneira possível. Pode trabalhar em praticamente todas as indústrias desde as petroquímica até as de meio ambiente, passando pelas industrias farmacêuticas, de alimentos, ou seja, qualquer indústria que tenha um processo onde é necessário uma modificação química ou alteração física das matérias primas para a obtenção do produto final, lá estará o engenheiro químico.


O que você pode fazer Desenvolvimento Criar produtos na indústria química, petroquímica e de alimentos e analisar sua viabilidade técnica e econômica. Aperfeiçoar o processo de fabricação ou beneficiamento de produtos, introduzindo novas tecnologias e adaptando as que estão em operação.

Meio ambiente Definir normas e métodos de preservação ambiental. Reciclar e tratar resíduos industriais. Desenvolver tecnologias limpas.

Processo industrial Planejar e supervisionar operações industriais, administrando as equipes e as diversas etapas de produção. Estudar e implantar métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.

Projetos Projetar fábricas, determinar processos de produção, instalações e equipamentos, procedimentos de segurança e a logística de estocagem e movimentação de materiais.


O MERCADO DE TRABALHO O uso crescente de biocombustíveis e a instalação de usinas sucroalcooleiras no país são alguns dos fatores que aquecem esse mercado. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Brasil já é líder mundial na produção de etanol e pioneiro no estudo do biocombustível. A demanda é tanta que se prevê falta de profissionais. "Diante disso, as empresas estão buscando os alunos para retê-los como estagiários, treinando-os, para depois serem efetivados e trabalharem diretamente na área de projetos", afirma Suely Pereira Freitas, coordenadora do curso da UFRJ. O engenheiro químico também é solicitado para atuar na área ambiental. "A maior procura é na área de prevenção e tratamento de resíduos, para que não sobrecarreguem o meio ambiente", afirma a professora. O profissional pode atuar no setor petroquímico, sendo o responsável por todo o processamento que ocorre depois que o petróleo é extraído do poço, da separação entre gás, óleo, areia e água até a produção de combustíveis e derivados. Companhias de engenharia, como a Engevix, refinarias, como a Petrobras, além de empresas da área de papel e celulose, farmacêuticas, alimentícias, de aditivos químicos, têm demanda por esse engenheiro. Os polos industriais do Rio de Janeiro e de São Paulo, incluindo a cidade de Campinas e região, são os principais empregadores.


CURRÍCULO DO CURSO Física, química e matemática estão presentes no currículo durante todo o curso. Com os recentes avanços da biotecnologia, os conhecimentos de biologia vêm sendo incorporados ao currículo. A partir do terceiro ano, essas disciplinas passam a ser aplicadas a processos físico-químicos, nos quais o aluno aprende a identificar as reações, a analisar e a purificar compostos químicos e a projetar equipamentos relacionados com as diversas transformações que ocorrem na indústria química. As aulas em laboratório, inclusive no de informática, ocupam parte significativa da carga horária e são fundamentais para o estudante se familiarizar com os equipamentos industriais e se preparar para enfrentar problemas reais de uma fábrica. A realização de estágio e a apresentação de trabalho de conclusão de curso são obrigatórias.


PERFIL DO ENGENHEIRO QUIMICO O Engenheiro Químico deverá ser um profissional apto a aperfeiçoar e elaborar métodos para fabricação de produtos químicos e outros produtos sujeitos ao tratamento químico, projetar e controlar a construção, a montagem, a instalação e o funcionamento de equipamentos e fábricas onde se realiza o preparo ou o tratamento químico, realizar investigações com o objetivo de verificar as diferentes etapas operacionais, as possibilidades de produção para fins comerciais e a maneira pela qual se podem reduzir os custos de produção e conseguir um melhor controle de qualidade, fiscalizar a montagem de instalações novas ou modificações de instalações já existentes, e inspecionar e coordenar atividades dos trabalhadores encarregados dos equipamentos e sistemas químicos.


Entrevista com a Engenheira Química Juliana Rabelo Landim – 24 anos Como e porque você decidiu ser engenheira química? Até agosto de 1995 eu estava decidida a cursar Nutrição ou Engenharia dos Alimentos, por gostar muito de Química. Mas quando procurei conhecer estas profissões, conversando com profissionais, eu percebi que não era o que eu queria. Tinha Biologia demais, aula de anatomia e isto não combinava nem um pouco comigo! Então surgiu a Engenharia Química às vésperas do vestibular, indicada pelo professor de Química, Onoda, que me incentivou muito, mostrando como era o dia-a-dia da profissão e as disciplinas que eu iria cursar na universidade. Foi então que a "química" aconteceu! As palavras projeto, cálculo, indústria e processo soaram para mim como música e eu me descobri na Engenharia. Onde você estudou? Na Escola de Química da UFRJ, entre 1996 e 2000. Como é o curso? O curso tem uma duração de 5 anos (10 períodos). Há dois turnos, manhã e tarde, sendo que na realidade, as aulas de laboratório são quase sempre no turno inverso ao seu, ou seja, o curso é praticamente integral. O ambiente – salas de aulas, professores, computadores, infraestrutura em geral – na Escola de Química da UFRJ é excelente.

Como é o trabalho do engenheiro químico? Nosso trabalho é realizar projetos para indústrias químicas, como por exemplo projetos para otimização de processos petroquímicos, automação e controle de processos, simulação, e desenvolvimento de sistemas voltados para o controle de produção, integração corporativa e gerenciamento de informações laboratoriais. Há também engenheiros que trabalham em laboratórios químicos e bioquímicos, desenvolvendo novos processos, produtos e tecnologias. Em que áreas este profissional pode atuar? O engenheiro químico pode atuar em muitos ramos industriais, desde indústria alimentícia até indústria petroquímica. Ele pode trabalhar em uma indústria, como gerente de qualidade ou produção, por exemplo, assim como pode trabalhar em uma empresa de consultoria, prestando serviços e realizando projetos para várias indústrias, ou mesmo na área acadêmica, preparando aulas e desenvolvendo pesquisas. Onde estão as melhores oportunidades de trabalho? No Rio de Janeiro e em São Paulo, devido ao grande número de indústrias químicas e petroquímicas. Mas não podemos esquecer dos polos de Triunfo no Sul e de Camaçari na Bahia, onde existem também muitas oportunidades para Engenharia Química.


Você fez algum curso de pós-graduação?

Como está o mercado de trabalho para o recém-formado?

Estou cursando atualmente o curso de Gerência Estratégica da Informação da Escola Politécnica da UFRJ. Este curso tem duração de 13 meses e dá uma visão muito boa para quem atua em consultoria e gerência de projetos de Engenharia ligados à Tecnologia da Informação.

Acredito que mesmo num país como o nosso, onde a taxa de desemprego é alta, sempre há vaga para aqueles que procuram e se destacam. Temos muitas indústrias no Rio onde é possível conseguir vagas para estágio e ser contratado se soubermos mostrar o nosso potencial. O ideal é começar a trabalhar na universidade O que faz atualmente? mesmo, fazendo iniciação científica e cursos complementares em áreas de inteAtualmente eu trabalho numa empresa de consultoria em Engenharia chamada resse. Desta forma, podemos ganhar responsabilidade, amadurecimento e o mais importante, conhecer diferentes áreas de atuação. É importante para o currículo Chemtech. Nós fazemos parte da divisão ITPS da Siemens, responsável em desenvolver soluções para chão-de fábrica através do uso de Tecnologia de Infor- também, na hora de conseguir um estágio em empresa fora da universidade. mação. Realizamos projetos para indústrias de todo o Brasil (Petrobras, Bayer, Shell, Petrofértil, Deten Química, OPP/Odebrecht, Salgema, Monsanto, entre outras) e para o exterior também, em parceria com a Siemens da Alemanha. Meu trabalho é realizado sempre em equipe e devido aos nossos clientes fora do Rio, viajamos muito. Quais as principais dificuldades no dia a dia da profissão? Estar atento sempre às novidades do mercado seja em tecnologia ou em clientes potenciais. Lidar com equipes grandes e com diferentes formas de trabalhar. Realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo. Entender bem o negócio do cliente e o que ele espera como resultado do seu trabalho, através de muita conversa e "mão na massa"!

O que faz você se realizar profissionalmente? Ver os projetos nos quais eu participo terminarem com sucesso. É muito gratificante ver o cliente satisfeito com o nosso trabalho, utilizando um sistema para melhorar sua produção, reduzindo perdas no processo e aumentando seus lucros.

Quais as principais características de um engenheiro químico? Deve gostar de matemática, informática e química. Deve ser disciplinado, atento às normas de segurança de trabalho e qualidade. Ter espírito de liderança e trabalho em equipe. Deve estar aberto sempre a mudanças. Ter gosto pela inovação. Que dicas você daria para quem pretende ingressar nesta profissão? Procure um profissional da área para conversar e esclarecer suas dúvidas. Nem sempre gostar apenas de Química é suficiente! Na UFRJ o curso é super voltado para a engenharia em si, e tem muita matemática, cálculos, projetos. No final, a Química é a nossa diferença das outras engenharias, mas não é tudo. Nunca deixe de se atualizar. Gostar de ler e pesquisar é muito importante. E boa sorte!


Salรกrio Inicial: : R$ 3.060,00 (6 horas diรกrias; fonte: Crea-SP).


Engenharia Química