Page 1

Incêndios em Edifícios


António Leça Coelho

Incêndios em Edifícios

Edições Orion


Agradecimentos O autor agradece a preciosa colaboração da Eng.ª Elisabete Cordeiro e do Arq.º Nelson Cadima, na concretização do caso de estudo que constitui o Capítulo 12. Este capítulo resultou de um trabalho inicial realizado pelos dois tendo, posteriormente, sido adaptado e complementado pelo autor.

O presente trabalho é, em grande parte, o resultado da actividade desenvolvida pelo seu autor no Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

Título: Incêndios em Edifícios Autor: António Leça Coelho Editor: Edições Orion Apartado 7501 Alfragide 2721-801 Amadora www.edorion.com Capa: A. Faria – Edição Electrónica Lda. Ilustrações: A. Faria – Edição Electrónica Lda. Arranjo gráfico e Fotocomposição: A. Faria – Edição Electrónica Lda. Impressão e Acabamentos: Rolo & Filhos II, Mafra ISBN: 978-972-8620-16-5 Depósito Legal n.º Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução desta obra por qualquer meio (fotocópia, fotografia, offset, etc.) sem o consentimento escrito do Editor, abrangendo esta proibição o texto, a ilustração e o arranjo gráfico. A violação destas regras será passível de procedimento judicial, de acordo com o estipulado no Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.

1.ª Edição – Outubro de 2010


Índice

Índice

Capítulo 1

Introdução

Capítulo 2

A combustão e os produtos resultantes

2.1 2.2 2.3 2.3.1 2.3.2 2.3.3 2.3.4 2.3.5 2.3.6 2.3.7 2.4 2.5 2.5.1 2.5.2 2.5.3

1

9

Introdução...................................................................................................................9 Conceitos Gerais de acordo com a NP 3874-1...............................................9 A combustão........................................................................................................... 11 Limites da inflamabilidade................................................................................. 14 A chama e sua estrutura...................................................................................... 15 Tipos de combustão............................................................................................. 16 A combustão de sólidos...................................................................................... 17 A combustão de líquidos inflamáveis............................................................ 17 A combustão de gases......................................................................................... 18 A combustão de materiais sintéticos............................................................. 19 Comburentes.......................................................................................................... 19 Produtos resultantes da combustão............................................................... 20 O fumo e a absorção da luz................................................................................ 20 Os gases tóxicos..................................................................................................... 24 Consequências da variação da concentração de oxigénio........................ 27

Capítulo 3

Transmissão de calor e desenvolvimento de incêndios no interior dos edifícios 3.1 3.2 3.2.1 3.2.2 3.2.3

v

29

Introdução................................................................................................................ 29 transmissão de calor por condução................................................................ 30 A equação de Fourier........................................................................................... 33 generalização da equação de fourier........................................................... 34 Condução de calor em regime estacionário................................................ 37

v


incêndios em edifícios

3.3 transmissão de calor por convecção.............................................................. 39 3.3.1 Determinação das trocas de calor por convecção..................................... 39 3.3.2 camada limite......................................................................................................... 40 3.3.3 regimes de convecção........................................................................................ 41 3.3.4 Análise dimensional............................................................................................. 41 3.3.5 Convecção natural................................................................................................ 43 3.3.6 Convecção forçada................................................................................................ 44 3.4 Radiação................................................................................................................... 45 3.4.1 Radiância de um corpo........................................................................................ 45 3.4.2 Radiação de corpos negros................................................................................ 47 3.4.3 Lei de Stefan-Boltzman....................................................................................... 48 3.4.4 Radiação de corpos reais.................................................................................... 48 3.4.5 Trocas de calor entre corpos.............................................................................. 50 3.5 Desenvolvimento de incêndios........................................................................ 53 3.5.1 Classes de fogos..................................................................................................... 54 3.5.2 fases de desenvolvimento de um incêndio................................................ 55 3.5.3 Incêndios de compartimento........................................................................... 57 3.5.4 Propagação do fogo no interior do edifício................................................. 65 3.5.5 Propagação do incêndio a edifícios fronteiros........................................... 71

Capítulo 4

Reacção ao fogo dos produtos da construção

4.1 4.2 4.3 4.3.1

Introdução................................................................................................................ 73 síntese da evolução do processo de harmonização europeu...................... 73 Ensaios e classes da normalização europeia............................................... 76 Síntese dos ensaios a realizar e dos critérios de classificação para produtos de construção, excluindo revestimentos de piso..................................................................... 78 Síntese dos ensaios a realizar e dos critérios de classificação para produtos de construção destinados a revestimentos de piso............................................................... 79 conclusões............................................................................................................... 81 Normas europeias e critérios de classificação............................................. 81 EN ISO 1182 (Ensaio de incombustibilidade) ............................................. 81 EN ISO 1716 (Ensaio do calorímetro) . ........................................................... 82 EN 13823 (Ensaio do objecto isolado em combustão) (OIC/SBI) . ................................................................................................................. 84 EN ISO 11925-2 (Ensaio da pequena chama) ............................................. 86 EN ISO 9239-1 (Ensaio do painel radiante) . ................................................ 87 Ensaio do “Room-Corner”................................................................................... 88 Casos de produtos e soluções particulares . ............................................... 88 Ensaios e critérios de classificação para isolantes térmicos...................... 90 cabos eléctricos..................................................................................................... 90 Classificação de produtos com reacção ao fogo conhecida e estável........ 93 condições para o estabelecimento de listas cwft.................................. 94

4.3.2

vi

4.3.3 4.4 4.4.1 4.4.2 4.4.3

4.4.4 4.4.5 4.4.6 4.5 4.5.1 4.6 4.7 4.7.1

73


Índice

4.7.2 4.7.3 4.8 4.8.1 4.8.2 4.8.3

Listas já publicadas............................................................................................... 95 futuras listas..........................................................................................................101 consequências da normalização europeia ...............................................101 nas regulamentações nacionais....................................................................101 classificação atribuída aos produtos............................................................102 Consequências para os fabricantes..............................................................105

Capítulo 5

Caracterização do comportamento ao fogo de elementos da construção

107

5.1 Introdução..............................................................................................................107 5.2 Resistência ao fogo segundo a normativa europeia .............................108 5.3 Acções térmicas devido ao incêndio............................................................109 5.3.1 Curvas de incêndio nominais..........................................................................109 5.4 Classificação de diversos produtos de construção..................................110 5.4.1 Classificação aplicável a paredes, pavimentos, coberturas, vigas, pilares, varandas, escadas e passagens..............................................110 5.4.2 Classificação de elementos com funções de suporte de carga e com função de compartimentação resistente ao fogo....................110 5.4.3 Classificação de produtos e sistemas para protecção de elementos ou partes de obras com funções de suporte de carga.....................111 5.4.4 Classificação de elementos ou partes de obras sem funções de suporte de carga e produtos a eles destinados.........................111 5.4.5 Classificação de produtos destinados a sistemas de ventilação (excluindo exaustores de fumos).......................................115 5.4.6 Classificação de produtos incorporados em instalações......................116 5.5 Verificação expedita da resistência ao fogo de elementos de betão armado e betão pré-esforçado....................................116

5.5.1 Objectivos..............................................................................................................116 5.5.2 Regras gerais de cálculo....................................................................................117 5.5.3 Pilares.......................................................................................................................124 5.5.4 Paredes . .................................................................................................................129 5.5.5 Elementos traccionados ..................................................................................130 5.5.6 Vigas.........................................................................................................................131 5.5.7 Lajes..........................................................................................................................136 5.5.8 Lajes fungiformes................................................................................................138 5.5.9 Lajes nervuradas..................................................................................................140

Capítulo 6

O movimento de pessoas e a evacuação de edifícios

6.1 6.2 6.2.1

143

Introdução..............................................................................................................143 Conceitos relacionados com a evacuação de edifícios . .......................144 Conceitos contidos na normalização...........................................................144

vii


incêndios em edifícios

viii

6.2.2 Conceitos contidos na legislação..................................................................147 6.3 Factores condicionantes do movimento de pessoas.............................149 6.3.1 Comportamentos inadaptados......................................................................150 6.3.2 Estudos sobre o comportamento de pessoas...........................................152 6.3.3 A influência do fumo no movimento de pessoas....................................163 6.3.4 A influência de idosos e de pessoas com limitações diversas .....................165 6.4 Princípios gerais sobre o movimento de pessoas....................................168 6.4.1 Relações fundamentais.....................................................................................168 6.4.2 Movimento nos percursos horizontais .......................................................169 6.4.3 Movimento ao longo das escadas.................................................................170 6.4.4 Movimento através dos vãos...........................................................................171 6.5 Métodos para a determinação de tempos de percurso........................173 6.5.1 Método de Nelson e MacLennam.................................................................174 6.5.2 Método do Building Research Establishment (BRE) .................................179 6.5.3 Método de Van Bogaert ...................................................................................181 6.5.4 Variante escolar....................................................................................................184 6.5.5 Variante analítica.................................................................................................186 6.5.6 Variante global ....................................................................................................190 6.5.7 Tempo disponível para efectuar a evacuação...........................................192 6.5.8 Método de Predtechenskii-Milinskii.............................................................195 6.5.9 Método LNEC........................................................................................................199 6.5.10 Avaliação da velocidade de deslocação......................................................207 6.5.11 Aspectos particulares do método ................................................................209 6.5.12 Síntese do cálculo................................................................................................214 6.5.13 Limitações do método.......................................................................................215 6.6 Comparação gráfica de alguns métodos para determinação do tempo de evacuação............................................217 6.7 Análise crítica dos diferentes métodos........................................................219 6.8 Modelos de simulação da evacuação de edifícios..................................221 6.8.1 Limitações gerais dos modelos .....................................................................221 6.8.2 Modelo AGORA ...................................................................................................221 6.8.3 Modelo ALLSAFE..................................................................................................222 6.8.4 MODELO ASERI.....................................................................................................223 6.8.5 Modelo BUILDING EXODUS.............................................................................223 6.8.6 Modelo BGRAF......................................................................................................224 6.8.7 Modelo de Constantin Theos ........................................................................225 6.8.8 Modelo EESCAPE.................................................................................................225 6.8.9 Modelo EgressPro................................................................................................226 6.8.10 Modelo ENTROPY................................................................................................226 6.8.11 Modelo E-SCAPE..................................................................................................227 6.8.12 Modelo EVACASIM..............................................................................................227 6.8.13 Modelo EVACNET + . ..........................................................................................228 6.8.14 Modelo FEES/MB ................................................................................................228 6.8.15 GridFlow ................................................................................................................229 6.8.16 Modelo de Gunnar Lovás ..............................................................................229 6.8.17 Modelo LEGION....................................................................................................230


Índice

6.8.18 6.8.19 6.8.20 6.8.21 6.8.22 6.8.23 6.8.24 6.8.25 6.8.26 6.8.27 6.8.28 6.9

Modelo LNEC.........................................................................................................231 Modelo Macgregor Smith................................................................................233 MAGNETIC MODEL . ...........................................................................................233 Modelo PathFinder.............................................................................................234 Modelo PEDROUTE/PAXPORT.........................................................................235 Modelo Simulex...................................................................................................235 Modelo STEPS.......................................................................................................236 Modelo de Takahashi-Tanaka .........................................................................237 Modelo TIMTEX.....................................................................................................237 Modelo WAYOUT..................................................................................................238 Modelo VEGAS......................................................................................................238 Recomendações genéricas sobre os caminhos de evacuação.....................239

Capítulo 7

Detecção, alarme e alerta de incêndios

243

7.1 7.2 7.3 7.4

Introdução..............................................................................................................243 Conceitos consagrados na normalização...................................................245 Conceitos consagrados na regulamentação ............................................250 Constituição de um sistema automático de detecção de incêndio (SADI).....................................................................251 7.5 Detectores de incêndio.....................................................................................251 7.5.1 Detectores térmicos...........................................................................................254 7.5.2 Detectores de fumo............................................................................................258 7.5.3 Detectores de chamas.......................................................................................263 7.5.4 Outros tipos de detectores..............................................................................264 7.5.5 Ensaios de sensibilidade a fogos-tipo..........................................................265 7.6 Unidade de controlo e sinalização................................................................270 7.7 meios de alarme, alerta e sinalização...........................................................271 7.8 Alarmes falsos.......................................................................................................277 7.9 Sinalização de avarias........................................................................................277 7.10 Equipamento de alimentação de energia de um sadi.........................277 7.10.1 Fontes de alimentação......................................................................................279 7.11 Ensaios.....................................................................................................................283 7.12 concepção e funcionamento de um sadi...................................................284 7.13 Disposições relativas ao SADI em locais particulares.............................287 7.13.1 Salas de computador.........................................................................................287 7.13.2 Locais destinados a armazenamentos de grande altura.......................287 7.13.3 Rede de cabos.......................................................................................................288 7.14 Recepção e conformidade de um sistema automático de detecção...................................................................................288 7.15 Exploração de um sadi.....................................................................................290 7.15.1 Acções correntes ................................................................................................290 7.15.2 Acções mais especializadas.............................................................................290 7.15.3 Instruções de segurança...................................................................................291 7.15.4 Registo de controlo.............................................................................................291

ix


incêndios em edifícios

Capítulo 8

O controlo de fumo em edifícios

8.1 8.2 8.2.1 8.2.2 8.3 8.4 8.4.1 8.4.2 8.4.3 8.4.4 8.5 8.5.1 8.5.2 8.6 8.6.1 8.6.2 8.6.3 8.6.4 8.7 8.7.1 8.7.2 8.7.3 8.8 8.8.1 8.8.2 8.9 8.9.1 8.9.2 8.9.3 8.9.4

Introdução..............................................................................................................293 Conceitos gerais...................................................................................................294 Conceitos contidos na normalização...........................................................294 Conceitos contidos na actual legislação.....................................................295 A necessidade de controlo de fumo e gases tóxicos..............................296 Princípios gerais do movimento de fumo..................................................297 Efeito de impulsão..............................................................................................298 Efeito de chaminé................................................................................................300 Efeito de expansão térmica..............................................................................301 Efeito da acção do vento...................................................................................302 Processos de controlo e características gerais das instalações......................304 Meios de controlo de fumo..............................................................................304 Características gerais das instalações..........................................................305 Controlo em espaços de grandes dimensões ..........................................308 Controlo do tipo natural/natural...................................................................309 Controlo do tipo natural/mecânico..............................................................312 Controlo do tipo mecânico/natural..............................................................314 Controlo do tipo mecânico/mecânico.........................................................314 Controlo em espaços de média dimensão.................................................315 Controlo do tipo natural/natural...................................................................315 Controlo do tipo natural/mecânico..............................................................317 Controlo do tipo mecânico/mecânico.........................................................317 Controlo em espaços específicos..................................................................318 Controlo em átrios interiores..........................................................................318 Controlo em cozinhas........................................................................................321 Controlo em vias de evacuação ....................................................................322 Controlo em vias horizontais...........................................................................322 Controlo por desenfumagem passiva..........................................................322 Controlo em vias verticais................................................................................327 Exemplos de soluções de controlo em edifícios de grande altura...................................................................................................332

Capítulo 9

Extinção de incêndios

9.1 9.1.1 9.1.2

Introdução..............................................................................................................335 Conceitos consagrados na normalização portuguesa...........................335 Conceitos contidos no Regulamento geral de segurança contra incêndio em edifícios (RGSCIE).............................344 Princípios gerais sobre a extinção de incêndios......................................345 Meios de extinção...............................................................................................345 Processos de extinção........................................................................................346 Agentes extintores..............................................................................................347

9.2 9.2.1 9.2.2 9.2.3

x

293

335


Índice

9.2.2 Escolha do agente extintor em função da classe do fogo.......................358 9.3 Hidrantes exteriores...........................................................................................359 9.3.1 Classificação das zonas quanto ao risco de incêndio.............................360 9.3.2 Caudais instantâneos para combate ao incêndio....................................360 9.3.3 Velocidades e alturas piezométricas admitidas.......................................361 9.3.4 Diâmetros de condutas da rede pública.....................................................361 9.3.5 Diâmetro mínimo do ramal de ligação........................................................361 9.3.6 Tipos e localização dos hidrantes exteriores.............................................361 9.3.7 Diâmetros da alimentação dos hidrantes...................................................362 9.3.8 Diâmetros de saída dos hidrantes.................................................................362 9.3.9 Reservatórios.........................................................................................................362 9.4 Extintores................................................................................................................363 9.4.1 Identificação dos extintores............................................................................364 9.4.2 Classificação dos extintores.............................................................................364 9.4.3 Ensaios.....................................................................................................................371 9.4.4 Manutenção..........................................................................................................374 9.5 Redes de incêndio armadas (RIA)..................................................................375 9.5.1 Fontes de alimentação......................................................................................375 9.5.2 Bocas de incêndio armadas ............................................................................375 9.5.3 Bocas de incêndio armadas com mangueiras semi-rígidas.......................376 9.5.4 Bocas de incêndio armadas com mangueiras flexíveis ........................381 9.5.5 Dimensionamento da RIA................................................................................385 9.6 Redes secas e húmidas......................................................................................386 9.6.1 Redes secas............................................................................................................386 9.6.2 Redes húmidas.....................................................................................................388 9.7 Sistemas automáticos de extinção por água (“Sprinklers”)......................389 9.7.1 Classificação dos locais quanto ao risco......................................................391 9.7.2 Fonte de alimentação do sistema..................................................................392 9.7.3 Rede do sistema...................................................................................................395 9.7.4 Características gerais dos “sprinklers”...........................................................396 9.7.5 Número máximo de “sprinklers” por sistema............................................396 9.7.6 Escolha do tipo de “sprinkler” em função do risco do local.......................397 9.7.7 Área máxima coberta por um único “sprinkler”........................................397 9.7.8 Espaçamento entre “sprinklers”......................................................................398 9.7.9 Número de “sprinklers” em funcionamento simultâneo.......................399 9.7.10 Número máximo de “sprinklers” por sub-ramal ......................................402 9.7.11 Perdas de carga....................................................................................................402 9.7.12 Exigências de pressão e caudal na cabeça do “sprinkler”.........................403 9.7.13 Síntese do cálculo................................................................................................403 9.7.14 Quantificação do efeito dos sprinklers........................................................404 9.7.15 O papel dos “sprinklers”na protecção de estruturas...............................405 9.8 Breve referência a outros sistemas de extinção.......................................407 9.8.1 Sistemas de espuma...........................................................................................407 9.8.2 Sistemas fixos de dióxido de carbono.........................................................410 9.8.3 Sistemas fixos de agentes limpos..................................................................411 9.8.4 Sistemas fixos de pó químico..........................................................................413

xi


incêndios em edifícios

9.8.5 9.9 9.9.1 9.9.2 9.9.3

Sistemas especiais...............................................................................................413 Mantas.....................................................................................................................414 Características das mantas...............................................................................414 Marcação das mantas........................................................................................415 Ensaios.....................................................................................................................416

Capítulo 10

Instalações diversas de segurança contra incêndio

10.1 10.2 10.2.1 10.3 10.3.1 10.4 10.4.1 10.4.2 10.5 10.5.1

Introdução..............................................................................................................417 Instalações eléctricas.........................................................................................417 Instalações de energia de emergência........................................................417 Ascensores ............................................................................................................422 Ascensores para utilização dos bombeiros................................................422 Iluminação de emergência..............................................................................423 Concepção da iluminação de emergência.................................................423 Aspectos complementares..............................................................................425 Sinalização e indicativos de segurança.......................................................425 Dimensões.............................................................................................................427

Capítulo 11

Análise do risco de incêndio em edifícios

417

431

11.1 Introdução..............................................................................................................431 11.2 Método de Gretener . ........................................................................................432 11.2.1 Aspectos fundamentais do método.............................................................432 11.2.2 tipo de edifícios...................................................................................................435 11.2.3 Risco máximo admissível..................................................................................437 11.2.4 Cálculo do risco....................................................................................................438 11.2.5 Medidas de protecção.......................................................................................445 11.2.6 Perigo de activação.............................................................................................454 11.2.7 Determinação das condições de segurança..............................................455 11.2.8 Limitações apresentadas pelo método.......................................................455 11.3 Fire Risk Assessment Method for Engineering (FRAME).............................456 11.3.1 Aspectos fundamentais do método.............................................................456 11.3.2 Análise relativa ao edifício e conteúdo........................................................456 11.3.3 Análise relativa aos ocupantes ......................................................................462 11.3.4 Nível de aceitabilidade......................................................................................463 11.3.5 Análise relativa à interrupção da actividade.............................................464 11.4 ARICA.......................................................................................................................466 11.4.1 Factor global de risco associado ao início de incêndio (FGII).......................467 11.4.2 Factor global de risco associado ao desenvolvimento e propagação do incêndio no edifício (FGDPI )............................................471 11.4.3 Factor global de risco associado à evacuação do edifício (FGEE )..................................................................................................480

xii


Índice

Caracterização dos factores parciais que constituem o fPee .....................482 Factor global de eficácia associado ao combate ao incêndio (FGCI).................................................................................................492 11.4.6 Factor global de risco (FGR).............................................................................497 11.4.7 Factor de referência ao risco de incêndio (FRR)........................................497 11.4.8 Determinação do risco de incêndio (RI)......................................................499 11.5 Outros métodos...................................................................................................500 11.5.1 Método de Edimburgo .....................................................................................500 11.5.2 Fire Safety Evaluation System ..........................................................................500 11.5.3 O Fire Risk Index Method ...................................................................................500 11.5.4 Tolerable Fire Rysk Criteria for Hospitals.......................................................501 11.5.5 Risk Category Indicator Method......................................................................501 11.5.6 Arson Risk Assessment Checklist.....................................................................501 11.5.7 Árvore de falhas ..................................................................................................501 11.6 Modelos de simulação de análise de risco.................................................501 11.6.1 Fire Risk Assessment Model.............................................................................. 502 11.6.2 Fire Risk Evaluation Method for Multi-occupancy Buildings....................502 11.6.3 FiRECAM..................................................................................................................503 11.6.4 HAZARD..................................................................................................................503 11.6.5 MARIE.......................................................................................................................504 11.7 Modelos de apoio à análise de risco.............................................................520 11.7.1 BFIRES II...................................................................................................................520 11.7.2 Modelo Building Fire Simulation ....................................................................521 11.7.3 Modelo CRISP........................................................................................................521 11.7.4 Decisison Analysis Method for Fire Loss Reduction Strategies..................... 522 11.7.5 AMBER.....................................................................................................................522 11.7.6 Estimation Method of Life Risk in Hospital Fires..........................................522 11.7.7 The Fire-Induced Vulnerability Evaluation (FIVE).........................................523 11.7.8 FIRE FORM . ............................................................................................................523 11.7.9 GESSI........................................................................................................................523 11.7.10 Insurance Services Office Commercial Fire Rating Schedule...................... 524 11.7.11 MOCASSIN ...........................................................................................................524 11.7.12 NFPA.........................................................................................................................524 11.7.13 Probabilistic Fire Risk Analysis for Nuclear Power Plants..........................525 11.7.14 Fire Evaluation and Risk Assessment.....................................................................525 11.7.15 XPS Fire....................................................................................................................525 11.7.16 Dow Fire and Explosion Index..........................................................................525 11.4.4 11.4.5

Capítulo 12

Caso de estudo

527

PARTE A descrição do caso de estudo.............................................................527 12A1 Nota introdutória.................................................................................................527 12A2 Caracterização da envolvente do edifício e das infraestruturas que o servem...............................................................528

xiii


incêndios em edifícios

12A2.1 12A3 12A3.1 12A4 12A4.1 12A5 12A6 12A7

Localização.............................................................................................................528 Caracterização do edifício................................................................................539 Piso –1 ao Piso –4 (caves)..................................................................................539 Instalações.............................................................................................................540 Instalações eléctricas.........................................................................................540 Objectivo do estudo...........................................................................................541 Análise da viabilidade de edificação do edifício no local proposto.. 542 Síntese das alterações introduzidas, das funcionalidades do edifício e das áreas ocupadas após as alterações.......................................................542 12A7.1 Introdução..............................................................................................................542 12A8 Categoria de risco das uts e do edifício......................................................561 12A8.1 UT II...........................................................................................................................561 12A9 Condições exteriores..........................................................................................563 12A9.1 Vias de acesso.......................................................................................................563 12A10 Limitações propagação do incêndio pelo exterior.................................564 12A10.1 Paredes exteriores...............................................................................................564 12A11 Disponibilidade de água para os meios de socorro................................569 Parte B Comportamento ao fogo, isolamento e protecção...................569 12B1 Resistência ao fogo de elementos estrutaram e incorporados em instalações.......................................................................569 12B1.1 Exigências regulamentares..............................................................................569 12B2 Compartimentação geral de fogo.................................................................570 12B2.1 Coexistência entre UTs distintas....................................................................570 12B3 Isolamento e protecção dos locais de risco...............................................572 12B3.1 Exigências .............................................................................................................572 12B4 Isolamento e protecção das vias de evacuação.......................................576 12B4.1 Protecção das vias horizontais de evacuação...........................................576 12B5 Reacção ao fogo de materiais.........................................................................595 12B5.1 Aspectos gerais....................................................................................................595 Parte C Concepção dos espaços...........................................................................606 12C1 Aspectos gerais....................................................................................................606 12C2 Efectivo dos diferentes locais..........................................................................606 12C2.1 Síntese geral das disposições regulamentares.........................................606 12C3 Análise das condições dos locais...................................................................610 12C3.1 Introdução..............................................................................................................610 12C4 Vias horizontais de evacuação (VHE)............................................................621 12C4.1 Distância máxima a percorrer para atingir as vias verticais......................621 12C5 Vias verticais de evacuação..............................................................................636 12C5.1 Número de vias....................................................................................................636 12C6 Localização e caracterização das zonas de refúgio.................................639 12C6.1 Zonas de refúgio..................................................................................................639 Parte D Instalações técnicas.................................................................................640 12D1 Instalações de energia eléctrica.....................................................................640 12D1.1 Alimentação normal...........................................................................................640 12D2 Instalações de aquecimento...........................................................................646 12D2.1 Tipos de instalações de aquecimento..........................................................646

xiv


Índice

12D3 12D3.1 12D4 12D4.1 12D5 12D5.1 12D6 12D6.1 12D7 12D7.1 Parte E 12E1 12E1.1 12E2 12E2.1 12E3 Parte F 12F1 12F2 12F3 12F4 12F5 12F6 12F7 12F8 12F8.1 12F9 Parte G 12G1 12G1.1 12G2 12G2.1 12G3 Parte H 12H1 12H2 12H2.1 12H3 12H4 12H4.1 12H5 12H6 12H7

Instalações de confecção e de conservação de alimentos...................647 Instalação de aparelhos....................................................................................647 Evacuação de efluentes de combustão.......................................................649 Evacuação dos efluentes de combustão.....................................................649 Ventilação e condicionamento de ar............................................................652 Condições de instalação e isolamento........................................................652 Ascensores.............................................................................................................653 Condições gerais de segurança......................................................................653 Instalações de armazenamento e utilização de líquidos e gases combustíveis..................................................................657 Líquidos combustíveis.......................................................................................657 Sinalização e iluminação de emergência...................................657 Sinalização.............................................................................................................657 Aspectos gerais....................................................................................................657 Iluminação de emergência..............................................................................660 Aspectos gerais....................................................................................................660 Localização da sinalização e da iluminação...............................................661 Sistema de detecção, alarme e alerta...........................................662 Aspectos gerais....................................................................................................662 Dispositivos de accionamento manual do alarme..................................663 Detectores automáticos....................................................................................663 Difusores de alarme geral.................................................................................664 Centrais de sinalização e comando...............................................................664 Concepção e funcionamento do SADI.........................................................665 Configuração de alarme na UT II....................................................................675 Características técnicas dos elementos constituintes do sistema...................................................................................677 Sensores analógicos pontuais........................................................................677 Organização de alarme.....................................................................................682 Sistema de controlo de fumo.............................................................690 Necessidade de controlo de fumo................................................................690 Aspectos gerais....................................................................................................690 Elementos para o dimensionamento do sistema de desenfumagem....692 UT II...........................................................................................................................692 Breve referência aos componentes do sistema de controlo de fumo........694 Meios de intervenção................................................................................694 Síntese dos meios a instalar por Ut..............................................................694 Meios de primeira intervenção.......................................................................695 Meios portáteis e móveis de extinção.........................................................695 Meios de segunda intervenção......................................................................699 Sistemas fixos de extinção automática de incêndio por água . ......................702 Objectivos do sistema........................................................................................702 Exemplo de cálculo.............................................................................................719 Traçado da rede de sprinklers e das redes húmidas...............................721 Depósito privativo do serviço de incêndios e concepção da central de bombagem.......................................................721

xv


incêndios em edifícios

Parte I Aspectos complementares.....................................................................722 12I1 Controlo de poluição do ar..............................................................................722 12I1.1 Necessidade de existência do sistema.........................................................722 12I2 Detecção automática de gás combustível.................................................734 12I2.1 Espaços protegidos por sistemas de detecção de gás combustível......734 12I3 Drenagem de águas residuais da extinção de incêndios......................735 12I3.1 Exigências...............................................................................................................735 12I4 Posto de segurança.............................................................................................736 12I4.1 Número de postos de segurança (PS)..........................................................736 12I5 instalações acessórias........................................................................................737 12I5.1 Instalações de pára-raios..................................................................................737 Parte J Medidas de autoprotecção..................................................................738 12J1 Considerações gerais.........................................................................................738 12J2 Constituição genérica das medidas de auto-protecção........................739 12J2.1 Aspectos gerais....................................................................................................739 12J3 Estrutura das medidas de autoprotecção...................................................740 12J3.1 Aspectos gerais....................................................................................................740 12J4 Medidas de autoprotecção para o caso de estudo.................................753 12J4.1 Medidas de autoprotecção para as UTs II, VII e VIII..................................753 12J5 Responsáveis pela segurança.........................................................................753 12J6 Simulacros..............................................................................................................754 12J7 Condições específicas........................................................................................754

Anexo 1

Decreto-Lei n.º 220/2008

xvi

755

CAPÍTULO I Disposições gerais...............................................................................757 Artigo 1.º Objecto....................................................................................................757 Artigo 2.º Definições...............................................................................................757 Artigo 3.º Âmbito.....................................................................................................758 Artigo 4.º Princípios gerais...................................................................................759 Artigo 5.º Competência.........................................................................................759 Artigo 6.º Responsabilidade no caso de edifícios ou recintos ...............759 Artigo 7.º Responsabilidade pelas condições exteriores de SCIE..........760 CAPÍTULO II Caracterização dos edifícios e recintos........................................760 Artigo 8.º Utilizações-tipo de edifícios e recintos........................................760 Artigo 9.º Produtos de construção....................................................................763 Artigo 10.º Classificação dos locais de risco.....................................................763 Artigo 11.º Restrições do uso em locais de risco............................................765 Artigo 12.º Categorias e factores do risco.........................................................766 Artigo 13.º Classificação do risco..........................................................................767 Artigo 14.º Perigosidade atípica...........................................................................767 CAPÍTULO III Condições de SCIE...............................................................................768 Artigo 15.º Condições técnicas de SCIE.............................................................768 Artigo 16.º Projectos e planos de SCIE...............................................................768 Artigo 17.º Operações urbanísticas.....................................................................768


Índice

Artigo 18.º Utilização dos edifícios......................................................................769 Artigo 19.º Inspecções..............................................................................................769 Artigo 20.º Delegado de segurança....................................................................770 Artigo 21.º Medidas de autoprotecção..............................................................770 Artigo 22.º Implementação das medidas de autoprotecção.....................770 Artigo 23.º Comércio e instalação de equipamentos em SCIE..................771 Artigo 24.º Fiscalização............................................................................................771 CAPÍTULO IV Processo contra-ordenacional........................................................771 Artigo 25.º Contra-ordenações e coimas...........................................................771 Artigo 26.º Sanções acessórias..............................................................................774 Artigo 27.º Instrução e decisão dos processos sancionatórios..................774 Artigo 28.º Destino do produto das coimas.....................................................775 CAPÍTULO V Disposições finais e transitórias......................................................775 Artigo 29.º Taxas.........................................................................................................775 Artigo 30.º Credenciação.........................................................................................775 Artigo 31.º Incompatibilidades.............................................................................776 Artigo 32.º Sistema informático............................................................................776 Artigo 33.º Publicidade............................................................................................776 Artigo 34.º Norma transitória.................................................................................776 Artigo 35.º Comissão de acompanhamento....................................................777 Artigo 36.º Norma revogatória..............................................................................777 Artigo 37.º Regiões Autónomas............................................................................778 Artigo 38.º Entrada em vigor.................................................................................778 ANEXO I Classes de reacção ao fogo para produtos de construção, a que se refere o n.º 3 do artigo 9.º.................778 ANEXO II Classes de resistência ao fogo padrão para produtos de construção, a que se refere o n.º 3 do artigo 9.º.................780 ANEXO III . ..................................................................................................................785 ANEXO IV Elementos do projecto da especialidade de SCIE, exigido para os edifícios e recintos, a que se refere o n.º 1 do artigo 17.º do presente decreto-lei...........................788 Artigo 1.º Projecto da especialidade de SCIE.................................................788 Artigo 2.º Conteúdo da memória descritiva e justificativa de SCIE.......788 Artigo 3.º Conteúdo das peças desenhadas de SCIE..................................790 ANEXO V Fichas de segurança, a que se refere o n.º 2 do artigo 17.º.......791 Artigo 1.º Elaboração das fichas de segurança.............................................791 Artigo 2.º Elementos técnicos.............................................................................791 ANEXO VI Equivalência entre as especificações do LNEC e as constantes das decisões comunitárias, a que se refere o artigo 9.º..................791

Anexo 2

Portaria n.º 1532/2008

Artigo 1.º Artigo 2.º Artigo 3.º Artigo 4.º

795

. ..................................................................................................................795 . ..................................................................................................................795 . ..................................................................................................................795 . ..................................................................................................................796

xvii


incêndios em edifícios

ANEXO Regulamento técnico de segurança contra incêndio em edifícios.........................................................................796

xviii

TÍTULO I Objecto e definições...........................................................................796 Artigo 1.º Objecto....................................................................................................796 Artigo 2.º Definições e remissões......................................................................796 TÍTULO II Condições exteriores comuns.........................................................796 CAPÍTULO I Condições exteriores de segurança e acessibilidade.............796 Artigo 3.º Critérios de segurança.......................................................................796 Artigo 4.º Vias de acesso aos edifícios com altura não superior a 9 m e a recintos ao ar livre...........................................797 Artigo 5.º Vias de acesso a edifícios com altura superior a 9 m..............798 Artigo 6.º Acessibilidade às fachadas...............................................................798 CAPÍTULO II Limitações à propagação do incêndio pelo exterior..............799 Artigo 7.º Paredes exteriores tradicionais.......................................................799 Artigo 8.º Paredes exteriores não tradicionais..............................................802 Artigo 9.º Paredes de empena............................................................................802 Artigo 10.º Coberturas..............................................................................................802 Artigo 11.º Zonas de segurança............................................................................803 Artigo 12.º Disponibilidade de água...................................................................804 Artigo 13.º Grau de prontidão do socorro........................................................805 TÍTULO III Condições Gerais de Comportamento ao Fogo, Isolamento e Protecção...................................................805 Artigo 14.º Critérios de segurança.......................................................................805 CAPÍTULO I Resistência ao fogo de elementos estruturais e incorporados.....806 Artigo 15.º Resistência ao fogo de elementos estruturais..........................806 Artigo 16.º Resistência ao fogo de elementos incorporados em instalações......................................................................................807 CAPÍTULO II Compartimentação geral de fogo.................................................807 Artigo 17.º Coexistência entre utilizações-tipo distintas.............................807 Artigo 18.º Compartimentação geral corta-fogo...........................................808 Artigo 19.º Isolamento e protecção de pátios interiores.............................810 CAPÍTULO III Isolamento e protecção de locais de risco..................................811 Artigo 20.º Isolamento e protecção dos locais de risco B............................811 Artigo 21.º Isolamento e protecção dos locais de risco C............................811 Artigo 22.º Isolamento e protecção dos locais de risco D...........................812 Artigo 23.º Isolamento e protecção dos locais de risco E............................812 Artigo 24.º Isolamento e protecção dos locais de risco F............................813 CAPÍTULO IV Isolamento e protecção das vias de evacuação.......................813 Artigo 25.º Protecção das vias horizontais de evacuação...........................813 Artigo 26.º Protecção das vias verticais de evacuação.................................814 Artigo 27.º Isolamento de outras circulações verticais................................815 Artigo 28.º Isolamento e Protecção das Caixas dos Elevadores................816 CAPÍTULO V Isolamento e protecção de canalizações e condutas.............816 Artigo 29.º Campo de aplicação...........................................................................816 Artigo 30.º Meios de isolamento..........................................................................817


Índice

Artigo 31.º Condições de isolamento.................................................................817 Artigo 32.º Características dos ductos................................................................818 Artigo 33.º Dispositivos de obturação automática........................................818 CAPÍTULO VI Protecção de vãos interiores...........................................................818 Artigo 34.º Resistência ao fogo de portas.........................................................818 Artigo 35.º Isolamento e protecção através de câmaras corta-fogo.......819 Artigo 36.º Dispositivos de fecho e retenção das portas resistentes ao fogo..............................................................................819 Artigo 37.º Dispositivos de fecho das portinholas de acesso a ductos de isolamento................................................820 CAPÍTULO VII Reacção ao fogo...................................................................................820 Artigo 38.º Campo de aplicação...........................................................................820 Artigo 39.º Vias de evacuação horizontais........................................................820 Artigo 40.º Vias de evacuação verticais e câmaras corta-fogo..................820 Artigo 41.º Locais de risco.......................................................................................821 Artigo 42.º Outras comunicações verticais dos edifícios.............................821 Artigo 43.º Materiais de tectos falsos..................................................................821 Artigo 44.º Mobiliário fixo em locais de risco B ou D....................................822 Artigo 45.º Elementos em relevo ou suspensos..............................................822 Artigo 46.º Tendas e estruturas insufláveis.......................................................822 Artigo 47.º Bancadas, palanques e estrados em estruturas insufláveis, tendas e recintos itinerantes....................................823 Artigo 48.º Materiais de correcção acústica.....................................................823 Artigo 49.º Elementos de decoração temporária...........................................823 TÍTULO IV Condições gerais de evacuação.....................................................823 CAPÍTULO I Disposições gerais...............................................................................823 Artigo 50.º Critérios de segurança.......................................................................823 Artigo 51.º Cálculo do efectivo.............................................................................824 Artigo 52.º Critérios de dimensionamento.......................................................826 CAPÍTULO II Evacuação dos locais..........................................................................827 Artigo 53.º Lugares destinados ao público.......................................................827 Artigo 54.º Número de saídas................................................................................828 Artigo 55.º Distribuição e localização de saídas.............................................829 Artigo 56.º Largura das saídas e dos caminhos de evacuação..................829 Artigo 57.º Distâncias a percorrer nos locais....................................................830 Artigo 58.º Evacuação dos locais de risco A.....................................................831 Artigo 59.º Evacuação dos locais de risco B e F...............................................831 Artigo 60.º Evacuação dos locais de risco D.....................................................832 CAPÍTULO III Vias horizontais de evacuação........................................................832 Artigo 61.º Características das vias......................................................................832 Artigo 62.º Características das portas.................................................................833 Artigo 63.º Dimensionamento das câmaras corta-fogo (CCF)...................835 CAPÍTULO IV Vias verticais de evacuação..............................................................835 Artigo 64.º Número e características das vias..................................................835 Artigo 65.º Características das escadas..............................................................836 Artigo 66.º Rampas, escadas mecânicas e tapetes rolantes.......................837

xix


incêndios em edifícios

xx

Características de guardas das vias de evacuação elevadas.......837 V Zonas de refúgio..................................................................................838 Características gerais..........................................................................838 Condições gerais das instalações técnicas.................................839 I Disposições gerais...............................................................................839 Critérios de segurança.......................................................................839 II Instalações de energia eléctrica.....................................................839 Isolamento de locais afectos a serviços eléctricos..................839 Ventilação de locais afectos a serviços eléctricos....................839 Fontes centrais de energia de emergência................................840 Fontes locais de energia de emergência.....................................841 Grupos geradores accionados por motores de combustão.....841 Unidades de alimentação ininterrupta........................................842 Quadros eléctricos e cortes de emergência...............................843 Protecção dos circuitos das instalações de segurança..........843 Sistemas de gestão técnica centralizada....................................844 Iluminação normal dos locais de risco B, D e F.........................844 III Instalações de aquecimento............................................................844 I Centrais térmicas.................................................................................844 Condições de instalação e isolamento........................................844 Aparelhos de produção de calor....................................................845 Ventilação e evacuação de efluentes de combustão.............845 Dispositivos de corte de emergência...........................................845 Passagem de canalizações ou condutas.....................................846 II Aparelhagem de aquecimento.......................................................846 Aparelhos de aquecimento autónomos.....................................846 Aparelhos de aquecimento autónomos de combustão.......846 Aparelhos de queima de combustíveis sólidos........................847 IV Instalações de confecção e de conservação de alimentos...848 Instalação de aparelhos de confecção de alimentos..............848 Ventilação e extracção de fumo e vapores.................................849 Dispositivos de corte e comando de emergência...................849 Instalações de frio para conservação de alimentos................849 V Evacuação de efluentes de combustão.......................................849 Condutas de evacuação de efluentes de combustão............849 Aberturas de escape de efluentes de combustão...................850 VI Ventilação e condicionamento de ar............................................851 Condições de instalação e isolamento de unidades de cobertura....851 Dispositivo central de segurança...................................................851 Baterias de resistências eléctricas alhetadas dispostas nos circuitos de ar forçado...............................................................851 Artigo 97.º Condutas de distribuição de ar......................................................851 Artigo 98.º Filtros........................................................................................................852 Artigo 99.º Bocas de insuflação e de extracção..............................................852 Artigo 100.º Pressurização de recintos insufláveis...........................................852

Artigo 67.º CAPÍTULO Artigo 68.º TÍTULO V CAPÍTULO Artigo 69.º CAPÍTULO Artigo 70.º Artigo 71.º Artigo 72.º Artigo 73.º Artigo 74.º Artigo 75.º Artigo 76.º Artigo 77.º Artigo 78.º Artigo 79.º CAPÍTULO SECÇÃO Artigo 80.º Artigo 81.º Artigo 82.º Artigo 83.º Artigo 84.º SECÇÃO Artigo 85.º Artigo 86.º Artigo 87.º CAPÍTULO Artigo 88.º Artigo 89.º Artigo 90.º Artigo 91.º CAPÍTULO Artigo 92.º Artigo 93.º CAPÍTULO Artigo 94.º Artigo 95.º Artigo 96.º


Índice

CAPÍTULO VII Artigo 101.º Artigo 102.º Artigo 103.º Artigo 104.º Artigo 105.º

CAPÍTULO VIII Artigo 106.º Artigo 107.º TÍTULO VI

CAPÍTULO I Artigo 108.º Artigo 109.º Artigo 110.º Artigo 111.º Artigo 112.º CAPÍTULO II Artigo 113.º Artigo 114.º Artigo 115.º CAPÍTULO III Artigo 116.º Artigo 117.º Artigo 118.º Artigo 119.º Artigo 120.º Artigo 121.º Artigo 122.º Artigo 123.º Artigo 124.º Artigo 125.º Artigo 126.º Artigo 127.º Artigo 128.º Artigo 129.º Artigo 130.º Artigo 131.º Artigo 132.º CAPÍTULO IV SECÇÃO I Artigo 133.º Artigo 134.º Artigo 135.º

Ascensores.............................................................................................853 Isolamento da casa das máquinas.................................................853 Indicativos de segurança..................................................................853 Dispositivo de chamada em caso de incêndio.........................853 Ascensor para uso dos bombeiros em caso de incêndio......854 Dispositivos de segurança contra a elevação anormal de temperatura...................................................................855 Líquidos e gases combustíveis.......................................................856 Armazenamento e locais de utilização........................................856 Instalações de utilização de líquidos e gases combustíveis.....857 Condições gerais dos equipamentos e sistemas de segurança...................................................................858 Sinalização..............................................................................................858 Critérios gerais......................................................................................858 Dimensões.............................................................................................858 Formatos e materiais..........................................................................858 Distribuição e visibilidade das placas...........................................858 Localização das placas.......................................................................859 Iluminação de emergência..............................................................860 Critérios gerais......................................................................................860 Iluminação de ambiente e de balizagem ou circulação........860 Utilização de blocos autónomos....................................................861 Detecção, alarme e alerta.................................................................861 Critérios de segurança.......................................................................861 Composição das instalações............................................................861 Princípios de funcionamento das instalações...........................862 Dispositivos de accionamento manual do alarme..................862 Detectores automáticos....................................................................862 Difusores de alarme geral.................................................................863 Centrais de sinalização e comando...............................................863 Fontes de energia de emergência.................................................864 Concepção das instalações de alerta...........................................864 Configurações das instalações de alarme...................................864 Configurações na utilização-tipo I.................................................865 Configurações na utilização-tipo II................................................865 Configurações nas utilizações-tipo III, VIII, IX e X.....................865 Configurações nas utilizações-tipo IV, V, VI, VII, XI e XII..........865 Configuração nos edifícios de utilização mista........................866 Locais de risco C e F............................................................................866 Pavimentos e tectos falsos...............................................................866 Controlo de fumo................................................................................867 Aspectos gerais....................................................................................867 Critérios de segurança.......................................................................867 Métodos de controlo de fumo........................................................867 Exigências de estabelecimento de instalações de controlo de fumo...........................................................................867

xxi


incêndios em edifícios

Localização das tomadas exteriores de ar e das aberturas para descarga de fumo......................................868 Artigo 137.º Características das bocas de ventilação interiores..................868 Artigo 138.º Características das condutas...........................................................869 Artigo 139.º Determinação da área útil de exutores, vãos e aberturas de saída de fumo..........................................................869 Artigo 140.º Comando das instalações.................................................................869 SECÇÃO II Instalações de desenfumagem passiva.......................................870 Artigo 141.º Admissão de ar.....................................................................................870 Artigo 142.º Evacuação de fumo.............................................................................870 SECÇÃO III Instalações de desenfumagem activa..........................................870 Artigo 143.º Admissão de ar.....................................................................................870 Artigo 144.º – Extracção de fumo.....................................................................................871 Artigo 145.º Condicionantes ao dimensionamento........................................871 Artigo 146.º Comando das instalações.................................................................871 Artigo 147.º Alimentação de energia eléctrica..................................................871 SECÇÃO IV Controlo de fumo nos pátios interiores e pisos ou vias circundantes...........................................................................872 Artigo 148.º Métodos aplicáveis.............................................................................872 Artigo 149.º Instalações de desenfumagem dos pátios interiores.............872 Artigo 150.º Instalações de desenfumagem nos pisos ou vias circundantes de pátios interiores cobertos...............................872 SECÇÃO V Controlo de fumo nos locais sinistrados.....................................873 Artigo 151.º Métodos aplicáveis.............................................................................873 Artigo 152.º Cantões de desenfumagem.............................................................873 Artigo 153.º Instalações de desenfumagem passiva.......................................873 Artigo 154.º Instalações de desenfumagem activa..........................................874 SECÇÃO VI Controlo de fumo nas vias horizontais de evacuação............874 Artigo 155.º Métodos aplicáveis.............................................................................874 Artigo 156.º Controlo por desenfumagem passiva..........................................875 Artigo 157.º Controlo por desenfumagem activa............................................875 Artigo 158.º Controlo por sobrepressão..............................................................876 SECÇÃO VII Controlo de fumo nas vias verticais de evacuação.................876 Artigo 159.º Métodos aplicáveis.............................................................................876 Artigo 160.º Controlo por desenfumagem passiva..........................................876 Artigo 161.º Controlo por sobrepressão..............................................................877 CAPÍTULO V Meios de intervenção.........................................................................878 Artigo 162.º Critérios de segurança.......................................................................878 SECÇÃO I Meios de primeira intervenção.......................................................878 Artigo 163.º Utilização de meios portáteis e móveis de extinção..............878 Artigo 164.º Utilização de rede de incêndios armada do tipo carretel.....879 Artigo 165.º Número e localização das bocas-de-incêndio do tipo carretel......880 Artigo 166.º Características das bocas-de-incêndio do tipo carretel........880 Artigo 167.º Alimentação das redes de incêndio armadas do tipo carretel......880 SECÇÃO II Meios de segunda intervenção......................................................881 Artigo 168.º Utilização de meios de segunda intervenção...........................881

Artigo 136.º

xxii


Índice

Localização das bocas de piso e de alimentação.....................881 Características e localização das bocas-de-incêndio armadas do tipo teatro......................................................................882 Artigo 171.º Depósito da rede de incêndios e central de bombagem.....882 CAPÍTULO VI Sistemas fixos de extinção automática de incêndios.............882 Artigo 172.º Critérios gerais......................................................................................882 SECÇÃO I Sistemas fixos de extinção automática de incêndios por água......883 Artigo 173.º Utilização de sistemas fixos de extinção automática por água........883 Artigo 174.º Características dos sistemas fixos de extinção automática por água..........................................................................884 SECÇÃO II Sistemas fixos de extinção automática de incêndios por agente extintor diferente da água........................................885 Artigo 175.º Utilização de sistemas fixos de extinção automática de incêndios por agente extintor diferente da água...............................885 Artigo 176.º Caracterização dos sistemas fixos de extinção automática de incêndios por agente extintor diferente da água....................885 CAPÍTULO VII Sistemas de cortina de água............................................................886 Artigo 177.º Critérios gerais......................................................................................886 Artigo 178.º Utilização de sistemas do tipo cortina de água........................886 Artigo 179.º Características dos sistemas de cortina de água......................886 CAPÍTULO VIII Controlo de poluição de ar..............................................................887 Artigo 180.º – Critérios gerais.............................................................................................887 Artigo 181.º Utilização de sistemas de controlo de poluição.......................887 Artigo 182.º Ventilação por meios passivos para controlo da poluição.......887 Artigo 183.º Ventilação por meios activos para controlo da poluição......888 CAPÍTULO IX Detecção automática de gás combustível.................................888 Artigo 184.º Utilização de sistemas automáticos de detecção de gás combustível.............................................................................888 Artigo 185.º Características dos sistemas automáticos de detecção de gás combustível...................................................888 CAPÍTULO X Drenagem de águas residuais da extinção de incêndios......889 Artigo 186.º Ralos e caleiras de recolha................................................................889 Artigo 187.º Ressaltos nos acessos.........................................................................889 Artigo 188.º Fossas de retenção..............................................................................889 Artigo 189.º Limpeza das fossas..............................................................................890 CAPÍTULO XI Posto de segurança.............................................................................890 Artigo 190.º Características do posto de segurança........................................890 CAPÍTULO XII Instalações acessórias........................................................................891 Artigo 191.º Instalações de pára-raios..................................................................891 Artigo 192.º Sinalização óptica para a aviação..................................................891 TÍTULO VII Condições gerais de autoprotecção.............................................891 Artigo 193.º Critérios gerais......................................................................................891 Artigo 194.º Responsável pela segurança...........................................................891 Artigo 195.º Alterações de uso, de lotação ou de configuração dos espaços.. 892 Artigo 196.º Pareceres da ANPC..............................................................................893 Artigo 197.º Execução de trabalhos.......................................................................893

Artigo 169.º Artigo 170.º

xxiii


incêndios em edifícios

xxiv

Artigo 198.º Concretização das medidas de autoprotecção........................893 Artigo 199.º Instruções de segurança...................................................................895 Artigo 200.º Organização da segurança...............................................................895 Artigo 201.º Registos de segurança.......................................................................897 Artigo 202.º Procedimentos de prevenção.........................................................897 Artigo 203.º Plano de prevenção............................................................................898 Artigo 204.º Procedimentos em caso de emergência.....................................899 Artigo 205.º Plano de emergência interno..........................................................899 Artigo 206.º Formação em segurança contra incêndio..................................901 Artigo 207.º Simulacros..............................................................................................902 TÍTULO VIII Condições específicas das utilizações-tipo...............................903 CAPÍTULO I Utilização-tipo I «Habitacionais»....................................................903 Artigo 208.º Localização dos fogos........................................................................903 Artigo 209.º Arrecadações de condóminos........................................................903 Artigo 210.º Salas de condomínio..........................................................................904 Artigo 211.º Estacionamentos cobertos...............................................................905 Artigo 212.º Isolamento relativamente a outras utilizações-tipo................905 Artigo 213.º Vias de evacuação...............................................................................905 CAPÍTULO II Utilização-tipo II «Estacionamentos»............................................905 Artigo 214.º Limitações ao uso................................................................................905 Artigo 215.º Acessibilidade.......................................................................................906 Artigo 216.º Disponibilidade de água...................................................................906 Artigo 217.º Isolamento e protecção.....................................................................906 Artigo 218.º Evacuação...............................................................................................907 Artigo 219.º Caminhos horizontais de evacuação............................................907 Artigo 220.º Vias verticais de evacuação..............................................................908 Artigo 221.º Câmaras corta-fogo............................................................................908 Artigo 222.º Instalações técnicas............................................................................908 Artigo 223.º Estacionamento de veículos a GPL...............................................908 Artigo 224.º Iluminação de emergência..............................................................908 Artigo 225.º Controlo de fumo................................................................................908 Artigo 226.º Meios de intervenção.........................................................................909 Artigo 227.º Drenagem...............................................................................................909 Artigo 228.º Autoprotecção......................................................................................909 CAPÍTULO III Utilização-tipo V «Hospitalares e lares de idosos»...................909 Artigo 229.º Locais de risco específicos................................................................909 Artigo 230.º Localização dos locais de risco D...................................................910 Artigo 231.º Isolamento e protecção.....................................................................910 Artigo 232.º Cálculo do efectivo.............................................................................911 Artigo 233.º Câmaras corta-fogo............................................................................911 Artigo 234.º Instalações eléctricas..........................................................................911 Artigo 235.º Ascensores.............................................................................................911 Artigo 236.º Alarme.....................................................................................................912 Artigo 237.º Autoprotecção......................................................................................912 CAPÍTULO IV Utilização-tipo VI «Espectáculos e reuniões públicas»...........912 Artigo 238.º Locais de risco específicos................................................................912


Índice

Artigo 239.º Acessibilidade às fachadas...............................................................912 Artigo 240.º Isolamento relativamente a outras utilizações-tipo................913 Artigo 241.º Isolamento e protecção de espaços cénicos.............................913 Artigo 242.º Dispositivos de obturação da boca de cena..............................914 Artigo 243.º Depósitos temporários......................................................................914 Artigo 244.º Isolamento dos camarins..................................................................914 Artigo 245.º Reacção ao fogo em espaços cénicos isoláveis........................914 Artigo 246.º Reacção ao fogo em espaços cénicos não isoláveis................915 Artigo 247.º Reacção ao fogo de telas de projecção.......................................915 Artigo 248.º Camarins em tendas e estruturas insufláveis............................915 Artigo 249.º Espaços cénicos não isoláveis e standes de exposição..........915 Artigo 250.º Controlo de fumo................................................................................916 Artigo 251.º Meios de segunda intervenção......................................................916 Artigo 252.º Sistemas de extinção no palco e subpalco.................................916 Artigo 253.º Sistemas de cortina de água............................................................917 Artigo 254.º Posto de segurança.............................................................................917 Artigo 255.º Autoprotecção......................................................................................917 CAPÍTULO V Utilização-tipo VII «Hoteleiros e restauração»...........................918 Artigo 256.º Instalações técnicas............................................................................918 Artigo 257.º Condições específicas da rede de incêndios armada.............918 CAPÍTULO VI Utilização-tipo VIII «Comerciais e gares de transportes».......918 Artigo 258.º Locais de risco específicos................................................................918 Artigo 259.º Restrições ao uso em locais de risco.............................................918 Artigo 260.º Localização de espaços específicos de risco B..........................919 Artigo 261.º Condições acessibilidade dos meios de socorro......................919 Artigo 262.º Limitações à propagação do incêndio pelo exterior..............919 Artigo 263.º Resistência ao fogo.............................................................................920 Artigo 264.º Compartimentação corta-fogo......................................................920 Artigo 265.º Isolamento e protecção.....................................................................920 Artigo 266.º Cálculo do efectivo.............................................................................922 Artigo 267.º Evacuação...............................................................................................922 Artigo 268.º Câmaras corta-fogo............................................................................923 Artigo 269.º Instalações técnicas............................................................................923 Artigo 270.º Detecção, alarme e alerta.................................................................923 Artigo 271.º Controlo de fumo em gares subterrâneas..................................924 Artigo 272.º Controlo de fumo nos troços de túnel adjacentes às gares subterrâneas.........................................................................924 Artigo 273.º Meios de primeira intervenção.......................................................925 Artigo 274.º Meios de segunda intervenção......................................................925 Artigo 275.º Controlo de poluição..........................................................................925 Artigo 276.º Drenagem de águas residuais.........................................................926 Artigo 277.º Posto de segurança.............................................................................926 Artigo 278.º Autoprotecção......................................................................................926 CAPÍTULO VII Utilização-tipo IX «Desportivos e de lazer»................................927 Artigo 279.º Isolamento de outras utilizações-tipo..........................................927 Artigo 280.º Resistência estrutural em parques de campismo....................927

xxv


incêndios em edifícios

xxvi

Artigo 281.º Isolamento e protecção.....................................................................927 Artigo 282.º Coberturas sobre equipamentos de campismo.......................927 Artigo 283.º Cálculo do efectivo.............................................................................928 Artigo 284.º Lugares destinados a espectadores..............................................928 Artigo 285.º Evacuação...............................................................................................928 Artigo 286.º Meios de primeira intervenção.......................................................929 Artigo 287.º Posto de segurança.............................................................................929 Artigo 288.º Autoprotecção......................................................................................929 CAPÍTULO VIII Utilização-tipo X «Museus e galerias de arte»...........................930 Artigo 289.º Locais de risco específicos................................................................930 Artigo 290.º Isolamento e protecção.....................................................................930 Artigo 291.º Reacção ao fogo...................................................................................930 Artigo 292.º Cálculo do efectivo.............................................................................930 Artigo 293.º Evacuação...............................................................................................931 Artigo 294.º Meios de intervenção.........................................................................931 Artigo 295.º Autoprotecção......................................................................................931 CAPÍTULO IX Utilização-tipo XI «Bibliotecas e arquivos».................................931 Artigo 296.º Isolamento e protecção dos locais de risco específicos........931 Artigo 297.º Reacção ao fogo...................................................................................932 Artigo 298.º Meios de intervenção.........................................................................932 Artigo 299.º Autoprotecção......................................................................................932 CAPÍTULO X Utilização-tipo XII «Industriais, oficinas e armazéns».............933 Artigo 300.º Limitações à propagação do incêndio pelo exterior..............933 Artigo 301.º Isolamento entre utilizações-tipo distintas................................933 Artigo 302.º Compartimentação corta-fogo......................................................934 Artigo 303.º Isolamento e protecção.....................................................................934 Artigo 304.º Caminhos horizontais de evacuação............................................936 Artigo 305.º Instalações técnicas............................................................................936 Artigo 306.º Controlo de fumo................................................................................937 Artigo 307.º Meios de intervenção.........................................................................937 Artigo 308.º Sistemas fixos de extinção...............................................................938 Artigo 309.º Drenagem...............................................................................................938 ANEXO I Definições a que se refere o artigo 2.º do Regulamento Técnico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios..............938 Artigo 1.º Aspectos gerais....................................................................................938 Artigo 2.º Acessibilidade.......................................................................................943 Artigo 3.º Comportamento ao fogo..................................................................944 Artigo 4.º Evacuação...............................................................................................945 Artigo 5.º Equipamentos técnicos do edifício...............................................947 Artigo 6.º Detecção, alarme e alerta.................................................................947 Artigo 7.º Controlo de fumo................................................................................948 Artigo 8.º Meios de extinção...............................................................................949 Artigo 9.º Intervenção dos bombeiros.............................................................950 Artigo 10.º Medidas de autoprotecção..............................................................951


Índice

Anexo 3

Despacho n.º 2074/2009

953

Objecto....................................................................................................953 Métodos de cálculo.............................................................................953 Densidade de carga de incêndio modificada de cada compartimento corta -fogo............................................953 4.º Densidade de carga de incêndio para a totalidade da utilização-tipo.................................................................................955 5.º Poder calorífico inferior (Hi).............................................................955 6.º Coeficiente de combustibilidade (Ci)...........................................955 7.º Densidade de carga de incêndio e coeficiente de activação (Rai) por actividade.....................................................956 8.º Entrada em vigor.................................................................................956 ANEXO Quadro 1.................................................................................................956

1.º 2.º 3.º

Anexo 4

Portaria n.º 773/2009

973

Artigo 1.º Objecto....................................................................................................973 Artigo 2.º Produtos e equipamentos de SCIE................................................974 Artigo 3.º Registo.....................................................................................................974 Artigo 4.º Procedimento de registo..................................................................974 Artigo 5.º Requerimento.......................................................................................974 Artigo 6.º Técnico responsável............................................................................975 Artigo 7.º Entidades certificadas........................................................................975 Artigo 8.º Obrigações das entidades registadas..........................................976 Artigo 9.º Suspensão e cancelamento do registo........................................976 Artigo 10.º Norma transitória.................................................................................976 Artigo 11.º Entrada em vigor.................................................................................976

Anexo 5

Tabelas com factores relativos ao método de gretener

Anexo 6

factores relativos ao método frame

977

993

An6.1 Factor de abastecimento de água, W..........................................................993 n6.1.1 Aspectos gerais....................................................................................................993 A An6.1.2 Capacidade de armazenamento....................................................................994 An6.1.2 Capacidade de armazenamento . .................................................................994 An6.1.3 Rede de distribuição...........................................................................................994 An6.1.4 Número de hidrantes.........................................................................................995 An6.1.5 Pressão do sistema..............................................................................................995

xxvii


incêndios em edifícios

An6.2 Factor de protecção normal, N......................................................................995 n6.2.1 Aspectos gerais....................................................................................................995 A An6.2.2 Detecção do incêndio e alerta........................................................................996 An6.2.3 Meios de primeira intervenção.......................................................................996 An6.2.4 Tempo de deslocação dos corpos de bombeiros....................................997 An6.2.5 Formação . .............................................................................................................997 An6.3 Factor de protecção especial, S.....................................................................997 An6.3.1 Aspectos gerais....................................................................................................997 An6.3.2 Detecção automática de incêndio................................................................998 An6.3.3 Reservas de água.................................................................................................998 An6.3.4 Sprinklers e outros sistemas automáticos de extinção..........................999 An6.3.5 Resposta dos bombeiros..................................................................................999 An6.4 Factor de evacuação, U................................................................................. 1000 An6.4.1 Considerações gerais...................................................................................... 1000 An6.4.2 Detecção automática e alarme.................................................................... 1000 An6.4.3 Sinalização de saídas....................................................................................... 1001 An6.4.4 Vias verticais de evacuação........................................................................... 1001 An6.4.5 Compartimentação.......................................................................................... 1001 An6.4.6 Controlo de fumo............................................................................................. 1002 An6.4.7 Meios automáticos de extinção e outros................................................. 1002 An6.4.8 Caracterização do corpo de bombeiros................................................... 1002 An6.5 Factor de salvados, Y...................................................................................... 1003 An6.5.1 Aspectos gerais................................................................................................. 1003 An6.5.2 Protecção física.................................................................................................. 1003 An6.5.3 Planeamento de acções pós-acidentes ................................................... 1004

Anexo 7

Método arica coeficientes de simultaneidade

Bibliografia

xxviii

1005 1007


Capítulo 1 Introdução

A importância da segurança ao incêndio nos edifícios é indiscutível, pois está em jogo não só a vida das pessoas mas também interesses diversos como, por exemplo, bens patrimoniais, valores históricos com forte simbolismo no imaginário colectivo que uma vez perdidos dificilmente serão recuperados e, ainda, a continuidade de serviços estratégicos para a sociedade em geral. É diversa a bibliografia sobre a ocorrência de incêndios, muitos deles com consequências de extrema gravidade, indicando-se no Quadro 1.1 alguns exemplos retirados de uma recolha elaborada pela National Fire Protection Association (NFPA), os quais traduzem, ainda que friamente, o drama resultante desses acontecimentos. Mas não são só as perdas humanas que podem atingir proporções dramáticas, pois os custos materiais são muitas vezes esmagadores, como se pode comprovar da análise do Quadro 1.2 relativo a alguns incêndios em unidades industriais situadas nos EUA com prejuízos, à data em que ocorreram, superiores a 100 milhões de dólares. Apesar do reconhecimento da importância da análise do histórico sobre os incêndios ocorridos, em Portugal não se tem feito uma análise sistemática desses dados, por motivos diversos, com a excepção de um estudo relativamente recente relativo à cidade do Porto, o qual reflecte o risco que estes acidentes representam, podendo observar-se no Quadro 1.3 o número de ocorrências nos anos analisados.

1


incêndios em edifícios

Quadro 1.1 Dados sobre alguns incêndios ocorridos em edifícios.

2

Características do edifício

Origem e consequências do incêndio N.º Pisos

Origem

Mortos

Prejuízos (Dólares EUA)

Hotel Lasalle (Chicago, EUA)

22

Piso 1

61

650.000

1946

Winecoff Hotel (Atlanta, EUA)

15

Piso 3

119

400.000

1970

Pioneer Hotel (Tucson, EUA)

11

Piso 4

28

1.500.000

1971

Hotel Tal Yon Kek (Seul, Coreia)

21

Piso 2

163

1972

Edifício Andraus (São Paulo, Brasil)

31

Piso 5

16

2.000.000

1974

Edifício Joelma (São Paulo, Brasil)

25

Piso 12

179

3.000.000

1980

MGM Grand Hotel (Las Vegas, EUA)

23

Piso 1

85

50.000.000

1982

Hotel New Japan (Tóquio, Japão)

10

Piso 9

32

1984

Dae A Hotel (Pusan, Coreia do Sul)

10

Piso 4

38

1984

Alexander Hamilton Hotel (Paterson, EUA)

9

Piso 3

15

300.000

1986

Edifício de escritórios (Rio de Janeiro, Brasil)

13

23

1989

Dupont Plaza Hotel (San Juan, EUA)

20

Piso 1

96

1995

Edifício de escritórios (Oklahoma City, EUA)

9

Exterior

168

135.929.000

1996

Edifícios de escritórios (Hong Kong)

16

Piso 0

40

1997

Pattaya-Royal Jomtien Hotel (Tailândia)

17

Piso 1

90

Ano

Local do edifício

1946


Introdução

*

Ano

Local

Tipo de instalação

Tipo de incêndio ou explosão

Danos materiais (milhões dólares)

1989

Pasadena

Indústria química

Explosão de nuvem de vapor

758

1947

Texas

Indústria química

Explosão de nitrato de amónia

558

1999

Dearborn

Central eléctrica

Explosões de gás e de pó

540

1975

Browns Ferry

Central nuclear

Incêndio nos circuitos eléctricos

507

1995

Lawrence

Indústria têxtil

Explosão de pó de desperdícios seguido de incêndio

427

1988

Norco

Refinaria de petróleo

Explosão de nuvem de vapor

347

1953

Livonia

Indústria de transmissões automóveis

Incêndio em líquido inflamável

319

1999

Grammercy Works

Indústria de alumínios

Rebentamento de reservatórios sob pressão devido à sobrepressão de vapor

249

1996

Los Angeles

Armazém generalista

Incêndio provocado

233

1999

Richmond

Refinaria de óleo

Explosão de gás/vapor

205

1970

Linden

Refinaria de óleo

BLEVE* em reservatório de pressão

175

1987

Pampa

Instalação química

Explosão de nuvem de vapor

173

1995

Georgina

Indústria de tapetes

Incêndio em tanque de óleo

171

1969

Rocky Flats

Indústria de armas nucleares

Incêndio e explosão de hidrogénio

171

1999

Missouri

Indústria

Explosão de gás

163

1984

Tinker AFB

Reparação de motores Incêndio na cobertura do edifício de avião

160

1985

Elizabeth

Armazém de aerossóis Incêndio no armazenamento de aerossóis

139

1975

New York

Central Telefónica

Incêndio nos circuitos eléctricos

134

1982

Falls Township Armazém

Incêndio na zona de armazenamento de aerossóis

126

1984

Romeoville

Refinaria de óleo

Explosão de nuvem de vapor

116

1988

Henderson

Indústria de foguetões Explosão de perclorato de amónio

108

1973

Chicago

Manufactura de tinta

Incêndio no armazém

104

1994

Texas

Indústria de produção de metanol

Explosão (?)

103

1991

Madison

Armazém frio

Incêndio no armazém de produtos alimentares

100

BLEVE – Boiling Liquid Expanding Vapour Expositions.

Quadro 1.2 Maiores incêndios e explosões industriais ocorridos nos E. U. A. em função dos danos materiais causados. Ocorrências

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

1998

1997

1996

Total

%

Total ocorrências

367

430

373

403

411

451

421

466

440

474

462

4698

Incêndios reais

295

373

319

348

358

405

383

426

383

397

405

4092

87,10

Alarme falso e infundado

72

57

54

55

53

46

38

40

57

77

57

606

12,90

Quadro 1.3 Caracterização das ocorrências de incêndio urbano.

3


incêndios em edifícios

Decorrente das consequências que um incêndio pode ter, a importância da segurança contra este tipo de risco é reconhecida na generalidade dos países há muitas dezenas de anos, ou mesmo centenas. Em Portugal esse reconhecimento oficial surge já tardiamente1, no fim da década de 80 e início da de 90, do século passado, com a publicação dos primeiros textos legislativos sobre esta matéria. Assim, para fazer face ao risco e dotar os edifícios de adequadas condições de segurança ao incêndio foram publicados no País, sobretudo nas duas últimas décadas, diversos regulamentos e medidas de segurança, de natureza prescritiva, à semelhança do que ainda se verifica num elevado número de países. Mesmo a actual legislação que substituiu a anterior e cuja entrada em vigor ocorreu no início de 2009, continua a ser de natureza prescritiva. Contudo, quer a legislação seja prescritiva ou exigencial, ela coloca aos projectistas novas condicionantes na metodologia de abordagem ao projecto. Pensar a segurança ao incêndio de um edifício exige colocar certas questões no momento exacto ao longo dos diversos estádios da concepção, procurando fazer a sua articulação com as exigências e limitações impostas na regulamentação, sendo as respostas a esses problemas determinantes para a continuação do projecto. Ainda na fase de análise do programa torna-se necessário ter em consideração as implicações que a segurança ao incêndio pode ter, as quais vão desde a verificação da possibilidade de implantar o edifício no local pretendido até à análise das infra-estruturas aí existentes, nomeadamente no que se refere às acessibilidades2, à disponibilidade de abastecimento de água e ao afastamento dos edifícios vizinhos. O edifício pode ter exclusivamente um único tipo de ocupação ou vários, o que levanta problemas mais complexos de articulação entre os espaços. O diálogo entre o projectista e a entidade que emite o parecer em matéria de segurança ao incêndio é fundamental, sobretudo em situações mais complexas para as quais a regulamentação não dá resposta adequada, mesmo antes de se passar à fase de projecto em que serão concretizados os princípios gerais definidos na fase anterior. No universo das diferentes especialidades inerentes à concepção e projecto das edificações a segurança ao incêndio nos edifícios passou a ocupar, face a legislação vigente, um papel de extrema impor1 Não consideramos as referências feitas no Regulamento Geral de Edificações Urbanas como um reconhecimento da importância desta matéria. 2 O traçado de vias de acesso ao edifício deve possibilitar a aproximação dos bombeiros e a operacionalidade de todo o equipamento de combate ao incêndio e salvamento de pessoas.

4


Introdução

tância e com influência decisiva a diversos níveis, que vão desde a concepção dos espaços interiores dos edifícios até aspectos de natureza urbanística. Para que o projecto se desenvolva harmoniosamente é fundamental a colaboração entre as diversas especialidades, sobretudo em edifícios com alguma complexidade pois a segurança ao incêndio tem implicações a diversos níveis técnicos, que vão desde a arquitectura até às mais diferentes especialidades. No que se refere à arquitectura são diversos os aspectos que se torna necessário considerar, destacando-se os seguintes: – verificar se é possível edificar o edifício no local previsto; – verificar se os acessos ao edifício permitem o desenvolvimento das operações, por parte dos bombeiros, exigidas nos regulamentos; – verificar, em colaboração com o projectista de águas e esgotos, se no local existe rede de água em condições de pressão de modo a poder ser utilizada pelos bombeiros em caso de incêndio; – prever, em colaboração com os projectistas das diversas especialidades, os espaços necessários para a instalação de todos os equipamentos e sistemas de segurança ao incêndio; – estabelecer uma adequada compartimentação corta-fogo, mediante uma correcta localização dos elementos com essa função; – escolha adequada dos diversos revestimentos de paredes interiores e exteriores, tectos, pisos e coberturas, face às suas características de reacção ao fogo, consoante a maior ou menor segurança exigida aos espaços; – concepção dos espaços interiores de modo a que, em caso de incêndio, os ocupantes tenham sempre uma hipótese de fuga segura para o exterior do edifício; – dimensionamento dos caminhos de evacuação de acordo com o porte do edifício e o tipo de ocupação, nomeadamente no que se refere às dimensões e ao número de escadas; – afastamento da construção em relação a edifícios vizinhos. – outros. No que se refere à área da engenharia civil as implicações fazem-se sentir aos seguintes níveis: – dimensionamento da estrutura do edifício deve ser realizado tendo em consideração a acção acidental de incêndio. – dimensionamento dos meios de combate ao incêndio que forem exigidos no regulamento de segurança ao incêndio rela-

5


incêndios em edifícios

tivo ao tipo de ocupação em causa, para além de outros que possam ser impostos pelo licenciador. A intervenção ao nível da engenharia electrotécnica engloba todas as instalações eléctricas de utilização, instalações eléctricas de segurança e diversos equipamentos como ascensores e monta-cargas. O projectista desta especialidade deve respeitar os regulamentos específicos sobre esta matéria e cumprir ainda as exigências adicionais que são formuladas na regulamentação de segurança ao incêndio relativamente a diversas instalações, destacando-se as seguintes: – – – – – – – – – – –

instalações de utilização de energia; instalações de potência; fontes de energia de emergência; iluminação de emergência; sistema automático de detecção de incêndio; sistemas de gestão técnica centralizada; sinalização de segurança; ascensores; centrais térmicas; instalações de confecção de alimentos; outros.

Relativamente à intervenção na área da engenharia mecânica ele deverá ocorrer ao nível dos sistemas de ventilação, de modo a que não sejam um meio de propagação do incêndio, e dos sistemas mecânicos de controlo de fumo, quando necessários. Do breve enunciado anteriormente feito é fácil concluir que uma estreita colaboração entre a arquitectura e a engenharia, representada nas suas diversas vertentes, é fundamental para a implementação de soluções racionais e eficazes. Este livro surge na consequência da constatação das complexidades enunciadas e da falta de documentação de apoio com que os projectistas se debatem, pelo que os seus objectivos são essencialmente os seguintes: – Sistematizar um conjunto de conhecimentos fundamentais de modo a possibilitar uma visão global da segurança ao incêndio em edifícios;

6


Introdução

– Dotar os projectistas de elementos auxiliares que os ajudem a concretizar as disposições contidas nos textos regulamentares. Procurando alcançar os objectivos enunciados, o livro é constituído pelos seguintes capítulos e anexos: Capítulo 1 – Introdução Capítulo 2 – Combustão e produtos resultantes Capítulo 3 – Transmissão de calor e desenvolvimento de incêndios Capítulo 4 – Comportamento ao fogo dos materiais de construção Capítulo 5 – Comportamento ao fogo dos elementos da construção Capítulo 6 – Detecção e alarme de incêndios Capítulo 7 – O movimento de pessoas e a evacuação de edifícios Capítulo 8 – Controlo de fumos em edifícios Capítulo 9 – Extinção de incêndios Capítulo 10 – Instalações diversas de segurança ao incêndio Capítulo 11 – Análise do risco de incêndio em edifícios Capítulo 12 – Aplicação da legislação a um caso de estudo Anexos – São diversos os textos apresentados nestes anexos, incluindo a legislação de segurança ao incêndio A abordagem dos diversos temas é feita de uma forma sumária, existindo a firme intenção de, posteriormente, cada um deles constituir uma obra autónoma na perspectiva de uma abordagem com base na capacidade de desempenho.

7


Incêndios em Edifícios  

Obra fundamental para a compreensão de problemática dos incêndios em áreas urbanas.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you