Issuu on Google+

20 anos 20 anos Conheça a História da Naciopetro

ARLA 32 novidade no mercado de combustíveis

ÓLEO DIESEL “B” como manusear e estocar

NACIOFUEL

Apresenta

UMA LINHA DE PRODUTOS PARA MELHORAR O DIESEL E PRESERVAR OS SISTEMAS

Teor de Enxofre no Diesel


ELIMINE A ÁGUA E A BORRA DO ÓLEO DIESEL COM XP3 Xp³ - Composto químico formulado pela XP Lab.INC.USA para ser adicionado ao ÓLEO DIESEL. 1. Dispensa a água emulsionada no óleo diesel; 2. Evita a condensação de água nas paredes dos tanques de armaszenamento; 3. Elimina a necessidade de drenagem da água nos tanquesde armazenamento; 4. Retarda a oxidação do diesel armazenado e inibe o desenvolvimento de microorganismos e borras; 5. Tem efeito detergernte, limpa e descarboniza bicos injetores; 6. Aumenta o intervalo de troca de filtros de combustíveis e a revisão de bombas e sistemas eletrônmicos de injeção; 7. Reduz a emissão de fumaça preta (combustível não queimado); 8. Reduz o consumo de combustível (melhor aproveitamento das marchas); 9. Melhora o desempenho do motor, prolongando sua vida útil; 10. É biodegradável.

Segmento Veicular (Rodoviário, Marítimo e Ferroviário) Segmento Industrial (Caldeiras, Fornos e Geradores)

Distribuidora Exclusiva no PR, SC e RS.

Produtos

para

Combustíveis

Ltda.

COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE

FONE:

(41) 3621-2500

www.naciofuel.com.br


Editorial

Sumário

No ano em que a NACIOPETRO completa seus 20 anos de existência, não há nada mais importante do que fazer memória de tantos anos desde a idéia de colocar no mercado, algo que realmente fez diferença na relação cliente-fornecedor, até o momento atual em que nos solidificamos no mercado como uma grande referência na área de distribuição de combustíveis. É evidente que sozinhos não poderíamos chegar aqui, pois sempre tivemos ao nosso lado três grandes apoios:

• Nossa História:

• Nossos clientes fiéis, que valorizam nosso trabalho e sabem o quanto é importante uma relação comercial séria e eficiente.

• TRR Naciopetro 20 anos A qualidade que faz a diferença:

• Nossos Funcionários das diversas áreas que dedicaram e dedicam empenho total para fazer da relação empresa-empregado uma verdadeira parceria, onde todos se vêem como amigos que juntam forças para vencer. • Nossos Fornecedores que são sempre pontuais, colocando-se a disposição para nos atender com qualidade, oferecendo sempre os melhores produtos e buscando sempre uma relação honesta e preocupada com o nosso sucesso. Esta é a proposta desta revista comemorativa. Fazer memória, agradecer e engrandecer todos aqueles que estiveram conosco nessa caminhada que para alguns já é longa, mas, para outros só está começando. Queremos aproveitar esta oportunidade para apresentar a NACIOFUEL uma nova empresa que vem trazer uma verdadeira revolução na forma de purificar a aproveitar totalmente nossos combustíveis. Conheça o Xp³, produto que agora estamos comercializando de forma exclusiva no Sul do Brasil. Desta forma, mostramos aos nossos clientes que nosso objetivo não é só vender combustíveis, mas também dar suporte, oferecer opções para que nossos clientes consigam obter sucesso e vencer os desafios, assim como nós da NACIOPETRO nestes 20 anos, conseguimos. Boa Leitura

4

• Quanto mais organizada é uma empresa, mais fácil fica a sua administração:

6 8

• ÓLEO DIESEL B: Orientações e procedimentos para o manuseio e armazenagem:

10

• ISO 14001 e ISO 9001 O futuro é agora:

12

• O teor de enxofre no diesel:

14

• ARLA 32 Novidade no mercado de combustíveis:

16

• NACIOFUEL APRESENTA Xp³, a solução que o mercado esperava:

20

A REVISTA NACIOPETRO 20 ANOS, é uma edição comemorativa e distribida gratuitamente pela NACIOPETRO DISTRIBUIDORA DE PETRÓLEO LTDA •Direção: Moisés(Naciopetro) •Diagramação: DomTito Comunicação & Art •Revisão de Textos: Cláudia C. Secco Morgenstern •Fotos: Naciopetro e Patrocinadores •Fechamento de Arquivo: DomTito Comunicação & Art •Impressão Gráfica Malires. (Críticas e ou Sugestões: titoctba@hotmail.com)


Nossa História PERCEBENDO UMA OPORTUNIDADE: E m 1 9 9 1 , o m e rca d o d e combustíveis no Brasil já era bem estruturado, com boas opções e já com grandes redes operando. Formando uma concorrência consolidada onde se buscava a venda de combustíveis com boa qualidade e com preços baixos. A idéia do TRR (Transportador Revendedor Retalhista) era pouquíssimo apreciada, pois ninguém tinha a coragem de investir em um segmento que não se sabia se daria certo ou não. Foi neste ano que o Sr. Gilberto Cardoso Alves percebeu que muitas empresas, as quais precisavam de combustível nos seus locais de trabalho, b u s cava m u m ate n d i m e nto m a i s personalizado; e que outras, muitas vezes, dirigiam-se até um posto onde compravam combustível em tambores próprios , levavam a sua empresa e lá abasteciam os equipamentos. Esse procedimento, muitas vezes, causava atraso na produção e transtornos desnecessários. Foi então que o Sr. Gilberto Cardoso Alves decidiu deixar o emprego, de 18 anos em uma grande rede, para criar uma empresa que levasse o combustível até o cliente com um atendimento diferenciado do que já existia. Nasce então a NACIODIESEL. Em um pequeno escritório na Rodovia dos Minérios, foram feitos os primeiros investimentos para a compra de um caminhão (um Mercedes 1113 ano 1978), juntamente com um sócio o qual posteriormente vendeu sua parte para o Sr. Gilberto.

Djalminha, o primeiro motorista: Para grandes desafios, é preciso ter companheiros corajosos e comprometidos com a missão. 4

Muitas pessoas não acreditaram ao saber que ele deixara um emprego estável para arriscar num mercado onde até as grandes redes tinham receio de investir. Porém, apesar de algumas críticas, a sorte estava lançada e com o dinheiro investido, era tarde para voltar atrás. Foi neste momento que as dificuldades começaram a aparecer. O primeiro desafio foi com a prefeitura de Curitiba cuja, na época, se recusou a liberar o alvará para o funcionamento da NACIODIESEL.

DESANIMAR?!... NUNCA!! Outra grande dificuldade foi que a empresa ainda não tinha o capital de giro e assim começou a correria atrás de empréstimos e créditos nos bancos, nos quais muitas vezes o gerente se escondia para não atendê-lo. Foi inevitável que o desânimo aparecesse, mas a coragem dava impulso e com o tempo os primeiros clientes apareceram. Entre eles o Areal Costa, Mineração Nova Prata e Auto Viação Sanjotur, verdadeiros parceiros que apostaram na empresa e que com muito orgulho temos como cliente ainda hoje. Amigos e clientes, do tempo em que trabalhava como empregado, aos poucos fizeram contato buscando um atendimento que os postos e grandes redes não ofereciam. E é claro com as novas mudanças, vieram também mais preocupações financeiras, pois a carteira de clientes começava a aumentar e a estrutura ainda era carente. A pequena frota não tinha uma identificação visual, funcionários ainda não tinham uniformes e quase toda a administração estava concentrada em poucas pessoas que faziam de tudo um pouco para manter o nível de atendimento acima do esperado pelos clientes. Porém a briga com a Prefeitura de Curitiba parecia interminável e para evitar problemas com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, começou-se a pensar na troca da sede para outro município, o que aconteceu em 1996, sendo escolhido o município de Colombo, um município ainda em formação na região metropolitana de Curitiba, que já se mostrava como um lugar ideal para quem queria investir.

O SUCESSO Com a Prefeitura de Colombo as coisas foram bem diferentes. A empresa foi muito bem recepcionada, as secretarias municipais deram total apoio. Esse apoio somado a força de vontade do Sr. Gilberto resultou num processo de evolução pouco visto na região.

O nome da empresa mudou para NACIOPETRO, e aos poucos o Sr. Gilberto foi transformando seu sonho em realidade. Seus dois filhos assumiram funções importantes dentro da empresa, um deles no departamento financeiro e outro no operacional, fazendo com que a empresa encontrasse um maior equilíbrio nesses setores. A empresa passou a ter identidade visual; motoristas uniformizados e treinados. Com tudo isso a empresa foi ganhando credibilidade em um mercado onde muitos utilizavam da má fé para enriquecerem. O Sr. Gilberto sempre lutou contra isso, pois sempre acreditou que o sucesso somente é possível com muito trabalho e honestidade. Durante anos viu novas empresas aparecerem no setor, crescerem de forma fulminante e desaparecerem na mesma proporção.

GOLPE DE MESTRE Com seus dois filhos juntos, o Sr. Gilberto viu sua empresa crescer e prosperar, só que mesmo assim faltava algo... Foi nesse momento que percebeu que precisava ser mais agressivo e arrojado para conquistar uma maior fatia do mercado, para isso contratou um gerente comercial, Sr. Hilário Zotti ,amigo de muitos anos, com quem já trabalhara, no passado, na grande rede por onde passou. Juntos inovaram no atendimento quando transformaram os caminhões da empresa em verdadeiros postos ambulantes, caminhões equipados com bomba, mangueira e bico de abastecimento, levando o diesel nos locais onde ninguém havia levado ainda. O atendimento ganhou força e se tornou um grande sucesso.

Hilário Zotti, (ao centro) e sua Equipe de Vendas Atender bem para atender sempre e melhor. Esse é o diferencial da nossa equipe.


QUANTO MAIS ORGANIZADA É UMA EMPRESA, MAIS FÁCIL FICA A SUA ADMINISTRAÇÃO. Para manter-se em um mercado, que se atualiza todo dia, é preciso ter a coragem de correr riscos sem perder a competência junto aos clientes. Foi pensando assim que começamos a buscar um diferencial no mercado. Algo que deixasse nosso cliente seguro de que estava fazendo um bom negócio. A primeira fase a se pensar era em nossa própria estrutura que ainda não era tão organizada com é hoje. Em 2006 a empresa passou por sua maior transformação, deixando de ser uma empresa familiar e passando a ser uma empresa extremamente profissional. As principais mudanças foram: • AS RELAÇÕES PROFISSIONAIS: Montou-se um organograma da empresa, onde cada funcionário passou a ter sua posição, suas tarefas específicas. Dessa forma, as tarefas ficaram melhor divididas, permitindo a cada funcionário um melhor aproveitamento do tempo e melhora produtiva. • AS RELAÇÕES SETORIAIS: A empresa se dividiu em diversos setores, como Recepção, Vendas, Compras, RH, etc... Sendo que toda alteração na parte administrativa, atingia também a parte operacional. • AS RELAÇÕES COMERCIAIS: Surgiram muitas idéias para melhorar ainda mais o atendimento ao cliente entre elas, destacamos, a customização da identidade visual da empresa. Desta forma, até os órgãos de fiscalização, passaram a valorizar mais o nosso trabalho, pois nossa seriedade era agora visual. Outra idéia que nos trouxe sucesso foi a de vender o combustível de forma fracionada, pois, até então as vendas eram apenas de cargas fechadas e os clientes menores, que não tinham como estocar, ficavam de fora. Com isso, alguns clientes passaram a ter um tanque de estocagem no próprio local de trabalho, assim não corriam o risco de ficar sem combustível no meio da operação. Não foi tão fácil quanto parece fazer todas essas modificações, pois a maioria dos funcionários já tinha se acostumado a trabalhar de uma forma e agora estavam sendo criadas muitas regras. Horários, uniformes, procedimentos e formas de trabalhar que antes não eram levados em conta, mas, melhoraram significativamente as condições de Segurança e Proteção ao Meio Ambiente. Sem contar que agora com a frota toda identificada, os motoristas e envolvidos no processo de transporte, passaram a ter maior atenção, pois qualquer erro, podia ser facilmente identificado pelos órgãos de fiscalização, como Órgãos do Meio Ambiente ou Fiscais de Trânsito. A grande maioria dos funcionários entendeu a proposta e mesmo alguns que não concordavam com as mudanças, tiveram que se adaptar até perceberem que é muito mais fácil trabalhar de forma organizada. E em um curto espaço de tempo, as vendas aumentaram, chegando a 180%. O que nos faz perceber um futuro próspero para nós, nossos clientes e fornecedores, mantendo a agilidade no atendimento, a qualidade do nosso produto, uma relação cada vez mais perfeita com nosso cliente, oferecendo sempre novas opções. Um exemplo disso é que somos a primeira empresa neste segmento, no sul do país, a oferecer aos clientes um produto para melhorar a qualidade dos combustíveis.

Na idéia de criar a Naciopetro há 20 anos atras, nos dias hoje e nos nossos planos para o futuro, a reciclagem e a proteção do meio ambiente sempre está presente.

O cliente agora, tem sua própria bomba. Ele solicita uma nova entrega, quando o combustível está acabando.

Com a padronização visual da frota é fácil identificar nossos veículos. Isso reforça a segurança, facilita a fiscalização e transmite confiança ao cliente. 6


AREIA E SAIBRO PARA PRONTA ENTREGA • Areia - Brita - Saibro • Areia p/ drenagem • Pedregulho lavado • Areia fina do litoral • Areia para aterro no litoral

Extração própria em Curitiba e Litoral Preocupação constante nos tempos modernos, o meio ambiente e suas formas de preservação são sempre discutidos. O Areal Bozza tem em sua política a preservação do meio e demonstra sua preocupação com a natureza através da extração consciente de matéria-prima e do eflorestamento nas áreas exploradas.

Você envia através do site uma relação de produtos e nossa equipe entra em contato com você informando valores e prazos de entrega.

www.arealbozza.com.br

-

3349-4664 3265-1064 9671-8104 contato@arealbozza.com.br

BR 116 - Km 123 - Nº 29.761 - Campo Santana - Curitiba - PR - Fone: (41) 3265-1064 / 3265-0908 / 3349-4664


TRR Naciopetro 20 anos. A qualidade que faz a diferença! A EVOLUÇÃO DA QUALIDADE:

A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO (SGI):

Desde a pré-história o homem tinha noções de qualidade, embora remotas, serviam-no perfeitamente sendo o resultado de sua eficácia. Da qualidade da caça que ele buscava para matar a fome à qualidade do couro de que ele necessitava se proteger do frio, os meios de fazer, criar e elaborar possuía as necessidades que satisfaziam os seus objetivos. No pós-guerra procurava-se dar maior atenção ás prevenções de falhas, surgindo novos conceitos que permitiram a criação de técnicas para o aumento da produtividade e da qualidade, e as abordagens preventivas de controle e sistemas tomam forma até os dias de hoje, quando na virada deste século já surgem novas idéias de qualidade, produtividade e de mercado. Neste pensamento, a Naciopetro Distribuidora de Petróleo buscou melhorias na mudança do método de trabalho, no envolvimento dos funcionários, na responsabilidade ambiental e na qualidade d o s s e r v i ç o s c o m o Tra n s p o r t a d o r Revendedor Retalhista (TRR), implantando as normas NBR ISO 9001 e NBR ISO 14001 Segundo Gilberto Alves, Diretor Geral, a Naciopetro ao implantar o Sistema de Gestão Integrado (SGI), teve como premissas básicas:

Os esforços durante a implantação envolveram os ajustes técnicos administrativos; controle dos procedimentos operacionais; indicadores dos processos com viés financeiro; aspectos e impactos ambientais; análise preliminar de riscos e as ações imediatas previstas; sistema ambiental no parque de tancagem e pontos de abastecimento (PA´s); coleta e redução de resíduos e o aprimoramento do plano de negócios, além de obedecermos às regulamentações vigentes como ANP, ANTT, CNPE, CONAMA, IAP, IBAMA, SEMA e outros, tivemos que nos adaptar às obrigatoriedades das normas. Para Marcelo Cardoso, diretor de operações, a base do sucesso e a agilização na implantação foram a existência da infraestrutura e do ambiente de trabalho já consolidados nos hábitos da NACIOPETRO, juntamente com o comprometimento da Diretoria, pois a implantação do SGI é mais um passo na estrutura organizacional com resultados diretos em nossas atividades e consequentemente junto aos clientes e no mercado, e não um mero símbolo na parede. Os custos durante a implantação e os investimentos aplicados trouxeram benefícios diretos e indiretos, não sendo caracterizado oneroso, e a escolha da assessoria teve como premissa básica a norma NBR ISO 10019 “Diretrizes para a seleção de consultores de sistema de gestão da qualidade e uso de seus serviços” Em parceria com a SIECK Organizações Ltda., que realizou a assessoria para implantar o SGI as questões de padronização, meio ambiente e segurança permeiam os serviços TRR, desde o pool de distribuição até o abastecimento nos clientes. Para implantar as normas, foram analisados a situação atual, a análise ambiental, a análise técnicoqualitativa, o desenvolvimento organizacional e o planejamento estratégico. Nosso trabalho envolveu a proposta de soluções completas nos serviços TRR, gerando a competitividade no mercado com

• Intuição, visão e planejamento, • Diretoria com participação constante e efetiva, • Indicadores com viés financeiro, • Entender as necessidades e expectativas dos clientes, • Competência e comprometimento dos funcionários.

8

resposta imediata às necessidades dos clientes; a logística diferenciada; a gestão por processos; o gerenciamento de riscos; a gestão de resíduos; a exigência aos fornecedores sobre a responsabilidade ambiental e o investimento com foco nas atividades da norma, de modo que o resultado agregue valor na gestão organizacional. Segundo Moisés Cardoso Diretor Financeiro, a NACIOPETRO vem demonstrando resultados e impactos positivos com as expectativas e metas sendo superadas nos últimos anos, conforme o Planejamento Estratégico. Com a implantação do SGI houve melhoria e revitalização da organização, beneficiando-se com o aumento da frota, a ampliação do parque de tancagem e o uso de novas tecnologias aplicadas ao transporte de produtos perigosos. O nosso diferencial como empresa de transportes, está no tratamento e na valorização dos funcionários, onde todos recebem horas extras, pagas; não há pressão aos motoristas no cumprimento de carga horária para entrega aos clientes; todos possuem assistência médica; todos são capacitados e treinados; há investimentos na infra-estrutura e no ambiente de trabalho.

20 ANOS BRINDADOS COM A CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO:

Ao completar 20 anos, a NACIOPETRO desde 1991, sediada em Colombo/PR, e com expectativa expansionista, orgulha-se por ser a primeira empresa TRR no Brasil com certificação integrada (NBR ISO 9001 e NBR ISO 14001) e a primeira no sudeste e sul do Brasil certificada na norma NBR ISO 14001, recomendada pelo BRTÜV pertencente ao Grupo TÜV Nord da Alemanha. Estar entre as empresas do segmento TRR certificadas, são poucas no Brasil, é motivo de satisfação pelo reconhecimento do nosso s i ste m a d e ge stã o, p ro d u t i v i d a d e , competitividade e mobilidade junto aos nossos clientes.


O futuro é agora Hoje, a NACIOPETRO se tornou a primeira empresa TRR no Brasil com certificação integrada (NBR ISO 9001 e NBR ISO 14001) e a primeira no sudeste e sul do Brasil certificada na norma N B R I S O 1 4 0 0 1 , recomendada pela BRTÜV pertencente ao Grupo TÜV da Alemanha. A empresa desempenha um papel de referência no mercado de Transportador Revendedor Retalhista (TRR) paranaense, fornecendo óleo diesel em pequenas, médias e grandes quantidades, oferecendo a melhor solução para o cliente. As atividades realizadas pela NACIOPETRO são certificadas pela ANP, IAP, IBAMA e INMETRO. A questão ambiental é algo imperante na cultura da empresa, sendo que todos os procedimentos são realizados dentro das exigências dos órgãos competentes. A empresa possui SEGURO AMBIENTAL para seu Parque de Tancagem (PAs), caminhões e inclusive para os tanques instalados nos pátios dos seus clientes. O diferencial da Naciopetro está em seu atendimento, para isso possui profissionais capacitados, desde aqueles que realizam o primeiro contato até os que trabalham com a entrega final do produto. Os entregadores recebem treinamento específico estando aptos para atuarem de forma responsável no serviço que realizam. A empresa tem profissionais capacitados na área da qualidade e segurança do trabalho, tudo isso para que seus clientes tenham uma maior satisfação.

NOSSO FOCO NO CLIENTE:

NOSSA FROTA A empresa possui frota própria e moderna, com 18 veículos, todos rastreados por satélite, objetivando a segurança, a pontualidade e a eficácia dos nossos serviços, sempre obedecendo às regulamentações aplicáveis. Os funcionários estão capacitados para movimentação e manuseio de produtos perigosos, assegurando a resposta à emergências, à segurança ambiental e objetivando a confiabilidade de nossas operações.

NOSSO COMPROMETIMENTO: A empresa investe em treinamentos e palestras para seus colaboradores, dentro ou fora da empresa, sendo traçado um planejamento anual tanto de cursos novos e também de reciclagem. Os responsáveis pelos processos estão comprometidos com os requisitos e solicitações do cliente, na melhoria da qualidade dos serviços, no desempenho das áreas envolvidas e no comprometimento dos funcionários, que são evidenciados por meio de: • Análise crítica do Sistema de Gestão Integrado; • Monitoramento de satisfação dos clientes; • Comprometimento da direção e compromisso com a equipe dos processos envolvidos; • Participação direta nas tomadas de decisão junto com os clientes.

NOSSA MISSÃO: Distribuir e comercializar Óleo Diesel com garantia de procedência e qualidade técnica, atendendo às expectativas do cliente com rapidez e segurança. NOSSA VISÃO: Torna-se referência no setor TRR no estado do Paraná na distribuição de Óleo Diesel ao consumidor final com crescimento de 10% ao ano no mercado.

Os requisitos do cliente são atendidos, objetivando sempre a melhoria da satisfação com a qualidade do serviço envolvendo o prazo de entrega, atendimento em regiões de difícil acesso, produto com qualidade assegurada e contrato de comodato para os Postos de Abastecimento.

NOSSA POLÍTICA: Atender de forma objetiva e eficiente, prestando um serviço ágil e seguro na distribuição de Óleo Diesel, com a qualidade e segurança de acordo com as normas ambientais vigentes, buscando melhoria contínua. NOSSOS VALORES: Ética, competência, agilidade, responsabilidade e transparência no relacionamento com todos os funcionários, fornecedores e clientes. 9


ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS PARA O MANUSEIO E ARMAZENAGEM DE Parte Um O que preciso saber sobre estocagem e transporte?

10


Parte Dois Como prevenir a absorção de água pelo biodiesel.

Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP

11


O TEOR DE ENXOFRE NO DIESEL Um dos principais problemas da utilização do óleo 5 diesel como combustível é o teor de enxofre (S) nele contido. O diesel é constituído pela mistura de gasóleos, querosene e nafta, entre outros elementos químicos. Por isso, contém hidrocarbonetos, nitrogênio e enxofre. O enxofre é um elemento químico indesejável para o meio ambiente e também para os motores diesel, pois, durante a combustão, o trióxido de enxofre, ao se juntar à água, forma o ácido sulfúrico, que corrói partes metálicas do motor, como mancais, guias de válvulas etc. Se a concentração desse elemento for elevada, as emissões de material particulado também serão elevadas, assim como as emissões de poluentes primários como S02 e S03, acarretando grandes prejuízos à saúde humana. Nos países desenvolvidos, os teores de enxofre encontrados no diesel possuem níveis muito baixos. No Japão, o teor máximo é de 10 ppm (partes por milhão) de S. Em países europeus, desde 1996 já havia diesel comercializado com aproximadamente 50 ppm de S. E, em 2005, todo o diesel comercializado na União Européia (UE) passou a ter concentração máxima de enxofre de 50 ppm de S. Nos EUA, tais valores de concentração já haviam sido atingidos em 1993. Atualmente, os padrões americanos são da ordem de 15 ppm de S. No Brasil, até 1994, o diesel possuía 13.000 ppm de S. A partir de 1994, passaram a existir no país duas qualidades distintas de óleo diesel previstas em lei: o d i e s e l i nte r i o r e o d i e s e l m et ro p o l i ta n o (comercializado num raio de até 40 Km dos grandes centros). Atualmente, o die6el comercializado no interior possui 1.800 ppm de S (S-1800) e o diesel metropolitano, em geral, possui no máximo 500 ppm de S (S-500). Desde 2009, em algumas cidades e/ou regiões metropolitanas, existe a oferta do diesel com 50 ppm de S (S-50) disponível à população ou, em alguns casos, apenas às frotas cativas de ônibus urbanos. Todos os tipos de combustível atendem às 14

exigências legais e dos fabricantes de motores até o momento. O Quadro 2 a seguir apresenta o teor máximo de enxofre no Brasil e no mundo. A única vantagem existente na presença de enxofre no diesel é a lubricidade do combustível, característica importante para auxiliar na diminuição do atrito entre as partes móveis do motor. No Brasil, a perda da lubricidade observada com a diminuição do teor de enxofre no combustível TEOR MÁXIMO DE ENXOFRE NO BRASIL E NO MUNDO Japão

10 ppm de S

EUA

15 ppm de S

Europa

50 ppm de S

Brasil

Frotas cativas de ônibus urbanos das regiões metropolitanas da Baixada Santista, Campinas, São José dos Campos e Rio de Janeiro; frotas cativas de ônibus urbanos das cidades de Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonta e Salvador; regiões metropolitanas de São Paulo, Belém, Fortaleza e Recife.

50 ppm de S

Diesel metropolitano (grandes centros urbanos)

500 ppm de S

Diesel interior (demais regiões)

1.800 ppm de S


de origem fóssil é plenamente compensada pela adição do biodiesel ao diesel, que, atualmente, é obrigatória em 5% em volume (B5). O processo de retirada de enxofre do óleo diesel é conhecido como dessulfurização e tem um custo bastante elevado, principalmente para o diesel extraído do petróleo explorado nas bacias brasileiras, que é tido como de baixa qualidade por possuir grande quantidade de enxofre.

As implicações do não cumprimento da fase P6 Em 2002, o Conama publicou a Resolução n° 315/2002 com novas fases do Proconve a serem cumpridas nas homologações dos veículos novos, nacionais e importados leves (fases L4 e L5) e pesados (fases P5 e P6). Nesta resolução, estão presentes, dentre outros, os seguintes objetivos: /. reduzir os níveis de emissão de poluentes pelo escapamento e por evaporação, visando o atendimento aos padrões nacionais de qualidade ambiental vigentes; II. promover o desenvolvimento tecnológico nacional, tanto na engenharia de projeto e fabricação, como em métodos e equipamentos para o controle de emissão de poluentes; III. promover a adequação dos combustíveis automotivos comercializados, para que resultem em produtos menos agressivos ao meio ambiente e à saúde pública, e que permitam a adoção de tecnologias automotivas necessárias ao atendimento do exigido por esta Resolução. , Para que os objetivos dessa fase fossem atendidos, os motores que equipariam veículos pesados teriam que incorporar novas tecnologias até então não aplicadas, e

também utilizar combustível com baixo teor de enxofre, o S-50. Ocorre que os órgãos e empresas do governo responsáveis pela especificação e produção do combustível de testes dos motores não conseguiram atender a tempo a Resolução n° 315/2002. O resultado impossibilitou a produção de veículos que atenderiam à fase P6, em janeiro de 2009. Como forma de compensação pelo não-cumprimento da Resolução n° 315/2002, o Ministério Público Federal (MPF) firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Estado de São Paulo, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a Petrobras, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a Companhia de Tecnologia Ambiental (Cetesb). O acordo foi assinado no dia 29 de outubro de 2008, com ações para mitigar as emissões produzidas pela não-aplicação da nova fase e na tentativa de se adotar medidas para controlar os problemas decorrentes desse fato. Como a fase P6 não entrou em vigor em 2009, o TAC acelerou a entrada da fase P7 do Proconve e estabeleceu um cronograma de medidas visando a uma transição entre as etapas P5 e P7. Tal cronograma foi uma das principais ações estabelecidas, em que a Petrobras, a partir de 1o de janeiro de 2009, teve de começar a substituir gradativamente o atual diesel por uma versão mais limpa. O Quadro 3 a seguir apresenta a distribuição e prazos relativos à oferta de diesel, conforme o TAC e a P7. No mesmo ano em que foi assinado o TAC, a Resolução n° 403/2008 foi publicada pelo Conama. Ela estabelece novos limites máximos de emissão de poluentes a serem cumpridos a partir de janeiro de 2012 para os motores do ciclo diesel de veículos pesados novos, nacionais e importados. Cria, assim, a fase P7 que, emjtermos de emissão, corresponde à fase européia Euro

15


NOVIDADE NO MERCADO DE COMBUSTÍVEIS

ARLA 32 Não é combustível, nem aditivo, mas pode ser uma boa oportunidade de negócio para o TRR

Não inflamável, atóxico, nem nocivo ao meio ambiente, o ARLA 32, sigla de agente redutor líquido automotivo, é um fluido necessário para a tecnologia SCR (Redução Catalítica Seletiva) que estará presente nos veículos a diesel pesados, semi-pesados e ônibus fabricados a partir de 2012. O agente é uma solução de uréia de alta pureza que será injetada no sistema de escapamento para reduzir quimicamente as emissões de NOx (óxidos de nitrogênio). O presidente do SindTRR, Álvaro Faria, considera o ARLA .32 uma boa oportunidade para incrementar a receita dos TRR. "E uma ótima novidade para o nosso segmento, já que será um novo produto para o TRR comercializar. E por nossa vocação como revendedores de diesel algumas empresas produtoras desse agente já estão nos procurando para firmar parcerias na distribuição desse produto", completa o presidente.

16


17


RENOVADORA E COMÉRCIO DE IMPLEMENTOS RODOVIÁRIOS PARANAENSE LTDA.

EMPRESA ESPECIALIZADA EM FABRICAÇÃO DE TANQUES PARA TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE COMBUSTÍVEIS, E INSTALAÇÃO DE BOMBA,

FABRICAMOS TANQUES COMBOIO, SOBRE CHASSI, SEMI REBOQUES E TANQUES AÉREOS.

Fones: (41) 3675-6697 / (41) 3675-6576 Fax: (41) 3675-6720 Rua Amalia Strapasson de Souza, 562 Centro Ind. Mauá - CEP 83413-560 Colombo - Paraná

alemao@terra.com.br cargopar@terra.com.br vendas@tankspar.com.br

www.tankspar.com.br


MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA • Bombas Comerciais e Industriais • Contadores de Litros (VDR) • Medidores de Vazão • Manutenção de Comboios • Instalação de Tanques e Bombas • Assistência Técnica no PR e SC

(41) 3333-3977 / 9976-7919 Rua Maestro Francisco Antonello 519 - Fanny - CEP: 81030-100 - Curitiba - PR E-mail: pclbombas@hotmail.com


APRESENTAMOS:

POTÊNCIA E ECONOMIA NO SEU DIA A DIA O Xp³ é um composto químico especialmente formulado pela XP Lab. INC.-USA para ser adicionado aos combustíveis melhorando suas propriedades físico-químicas O uso de melhoradores de combustíveis é uma forma eficiente de atender essas exigências, oferecendo mais qualidade, desempenho e economia. Os combustíveis aditivados estão cada vez mais difundidos e utilizados em todo o mundo. Isto vem acontecendo devido aos benefícios que eles promovem por melhorar o desempenho dos combustíveis e proteção contra os efeitos danosos causados pela formação de depósitos nos sistemas pré-combustão - tanques, linhas, bombas, filtros, bicos atomizadores, outros, na própria câmara de combustão e na redução na emissão de material particulado e monóxido de carbono. É utilizado no segmento industrial, veicular e de serviços, envolvendo caldeiras, fornos, geradores, rodoviário, marítimo, ferroviário e outros. PROPRIEDADES: • Dispersa a água emulsionada no óleo diesel; • Evita a condensação de ��gua nas paredes dos tanques de armazenamento; • Elimina a necessidade de drenagem da água nos tanques de armazenamento; • Retarda a oxidação do diesel armazenado e inibe o desenvolvimento de microorganismos; • Tem efeito detergente, limpa e descarboniza bicos injetores;

• Aumenta o intervalo de troca de filtros de combustíveis e a revisão de bombas e sistemas eletrônicos de injeção;

• Reduz a emissão de fumaça preta (combustível não queimado);

• Reduz o consumo de combustível (melhor aproveitamento das marchas);

• Melhora o desempenho do motor, prolongando sua vida útil; • É biodegradável. 20

USANDO O Xp3 Ele cria condições para que o óleo combustível utilizado seja queimado quase que na sua totalidade e, desta forma, evita a formação de depósitos fundidos nas superfícies de troca de calor melhorando o rendimento térmico da unidade. Reduz a necessidade de queimar maior massa de combustível para obter a mesma de massa de vapor necessária ao processo, reduz o volume de cinzas e reduz substancialmente a necessidade de operações de sopragem de fuligem. Também, por não permitir a formação de crostas (depósitos fundidos) na tubulação, por manter os equipamentos limpos e operando eficientemente, aumentando o período de manutenção preventiva e evitando que ocorra danos ao metal base por sobreaquecimento, como fadiga térmica. Portanto, a utilização de Xp3 tem se mostrado uma importante ferramenta para as equipes mantenedoras, por permitir estender os períodos de manutenção preventiva, reduzindo esses custos, e por conferir melhor performance e confiabilidade operacional aos equipamentos.


A SOLUÇÃO QUE O MERCADO ESPERAVA:

Onde usar? Segmento industrial: caldeiras, fornos e geradores. segmento veicular: rodoviário, marítimo e ferroviário. Nos combustíveis: bpf, ocbv e óleo diesel. Em função do desenvolvimento tecnológico, dos constantes aumentos dos custos dos combustíveis e do aumento das exigências dos órgãos de controle ambiental nos últimos anos, vêm-se exigindo cada vez mais dos combustíveis. Xp³ tem efeito detergente: A ação de detergência tem como principal função remover todos os depósitos dos sistemas pré-combustão e combustão e mantê-los limpos ao longo do uso e evitando a necessidade de intervenções de manutenção. os detergentes têm ainda a propriedade de melhorar a qualidade da combustão devido à melhora da mistura ar/combustível, pois, por serem excelentes tensoativos diminuem o tamanho das partículas durante sua pulverização aumentando a área de contato, promovendo, portanto, uma combustão mais eficiente. Xp³ melhora o ponto de fluidez: Em condições climáticas severas de baixa temperatura alguns combustíveis têm a tendência de cristalizar parafinas - formação de cera, dificultando sua fluidez. desta forma há necessidade de disponibilizar um maior volume de vapor ou um maior consumo de energia elétrica para aquecimento dos sistemas de armazenamento e transferência. o Xp³ contém um reagente depressivo que reduz o ponto de congelamento do combustível. isto acontece trocando as características de crescimento das ceras cristalizadas, evitando assim que se acumulem nos filtros e tubulações. Xp³ tem efeito inibidor de oxidação: Os óleos combustíveis têm em sua estrutura, compostos orgânicos, quimicamente instáveis, que reagem com oxigênio do ar formando depósitos gomosos. estes depósitos provocam entupimentos de filtros, bombas, impregnação nas tubulações e bicos atomizadores, além de favorecer o desenvolvimento de corrosão. assim, tornase necessário a adição do Xp³ que inibirá a oxidação do combustível, ou seja, retardará seu processo de envelhecimento e,

conseqüentemente, reduzirá a tendência do combustível a formar goma. Xp³ tem efeito antioxidante: Xp³ inibe a formação de ácido sulfúrico e pentóxido de vanádio por duas maneiras: 1) a dispersão da água evita que essa seja absor vida pelo so3, formado pela combustão, vindo a formar o ácido sulfúrico (h2so4) 2) o uso de Xp³ propicia a redução de excesso de ar necessário na combustão, reduzindo desta forma o excesso de oxigênio que converte o trióxido de vanádio em pentóxido de vanádio (2v2o5). o uso de Xp³ permitirá que o trióxido de vanádio passe através da caldeira em forma de pó sem provocar problemas de incrustação e corrosão. Ação do Xp³ sobre bactérias e algas: O óleo combustível residual do petróleo bpf, sob determinadas condições de armazenagem e umidade constitui "habitat" ideal para o desenvolvimento de colônias de bactérias que geram sub-produtos que o contamina prejudicando na manutenção das condições ideais de funcionabilidade das instalações, principalmente no sistema pré-caldeira e na própria combustão. a atuação de Xp³ inibe a formação e crescimento destas algas e bactérias através da eliminação da umidade presente no combustível. Xp³ é um estabilizador de combustíveis: Uma vez que as refinarias aperfeiçoam seus processos de refino de óleo cru, os níveis de asfaltenos presentes nos óleos combustíveis residuais tendem a aumentar, e estes estão diretamente relacionados à combustibilidade do bpf. juntamente com os asfaltenos irão aumentar também, os níveis de resíduos de carbono conradson (ccr), enxofre, teor de sólidos e a emissão de fumaça. o aditivo Xp³ dissolve os asfaltenos (ação detergente) e propicia a queima dos resíduos de carbono diminuindo substancialmente o teor de

cin zas n a fo rn alh a, co nferin d o ao combustível uma melhor condição de homogeneização e estabilidade de chama. Xp³ reduz de forma importante as emissões de gases contaminantes e fumaça preta: Ensaios realizados em campo com combustível similar ao 1a - uma vez atingidas as condições de estabilidade do combustível, limpeza dos sistemas e dosagens adequadas às características do combustível comprovaram a redução em até 38% no nível de emissão de particulados e 40% na opacidade em testes realizados pelo instituto . mexicano de petróleo. Xp³ reduz os problemas de corrosão gerados durante e depois da combustão: Corrosão a alta temperatura (vanádio e sódio) • Complexos de vanádio e sódio presentes nos combustíveis pesados têm caráter altamente corrosivo quando na fase líquida (fundidos) no interior das câmaras de combustão e sistemas posteriores. esse mecanismo de corrosão ocorre através de eletrólise ígnea com transferência de átomos de oxigênio, através da permeabilidade da fase fundida do material, para o metal da fornalha, promovendo severa corrosão. a formação do pentóxido de vanádio (v2o5) ocorre da oxidação do v2o3 e do v2o4. • O ponto de fusão do v2o3 e do v2o4 é extremamente alto, aproximadamente 1700ºc, temperatura que não é atingida no interior das câmaras de combustão, impossibilitando a fusão desses óxidos. entretanto, o ponto de fusão do v2o5 é 670ºc, temperatura que é atingida no interior da fornalha das caldeiras e fornos, fundindo esse material. tem-se, assim, o início do processo de corrosão.

21


interior da fornalha, evitando que seja criada a condição para formação do v2o5, feo e fe2o3 que catalisam a reação de conversão do so2 a so3 dificultando, desta forma, a formação de ácido sulfúrico e a corrosão do sistema. Mecanismo de corrosão do sódio em alta temperatura:

Atuação do Xp³ nos processos de corrosão de alta temperatura: • A atuação do Xp³ na eliminação da corrosão por vanádio e sódio é indireta e está relacionada à propriedade da ação detergente-dispersante da borra presente nos tanques de armazenamento e ao excesso de ar na combustão. • Na prática, devido à qualidade ruim dos óleos combustíveis, não conseguimos uma atomização/combustão perfeita, sendo o excesso de ar introduzido no processo de combustão com a finalidade de completá-la. o excesso de ar é, então, uma garantia para queimarmos todo o combustível introduzido na fornalha. • Com a utilização do Xp³ elimina-se a formação de borra através da dispersão e solubilização, não se fazendo necessário que os sistemas de combustão operem com níveis de excesso de ar tão altos. assim, reduzindo os percentuais de excesso de ar, diminui-se a concentração de o2 no interior da fornalha e, conseqüentemente, a formação do v2o5. Corrosão a baixa temperatura: • Corrosão de baixa temperatura é causada pela formação do ácido sulfúrico (h2so4) nas regiões mais frias do circuito dos gases produzidos na combustão. geralmente essas regiões são compostas pelos tubos do sistema de pré-aquecimento de ar e chaminés. • A reação de formação do ácido sulfúrico (h2so4) é devida a ocorrência de temperaturas abaixo da temperatura do seu ponto de orvalho (temperatura a qual o vapor volta à fase líquida formando gotículas de ácido na superfície do metal). essas gotículas em elevada temperatura e submetidas à determinada pressão reagem com o trióxido de enxofre formando h2so4, composto altamente corrosivo. Atuação do Xp³ nos processos de corrosão de baixa temperatura: • Com a redução do excesso de ar no processo de combustão, proporcionado pela adição de Xp³, diminui-se também, a concentração de oxigênio no

22

• Tanto o v2o5, quanto o feo e fe2o3 atuam como catalisadores da reação de conversão de so2 a so3, cuja presença depende do excesso de ar e obviamente do percentual de enxofre no óleo combustível, como já foi mencionado anteriormente. o sódio combinado com oxigênio e enxofre forma o sulfato de sódio (na2so4), cuja temperatura do ponto de fusão é de aproximadamente 880ºc, sendo nesta temperatura altamente corrosivo. • O sulfato de sódio combina com o v2o5 formando um complexo chamado vanadilvanadato de sódio, altamente corrosivo e fundível a aproximadamente 625ºc. • Essa substância facilita a agregação de outros materiais presentes nos gases de combustão formando "crostas" duras, difíceis de serem removidas. Atuação do Xp³ no mecanismo de corrosão do sódio a alta temperatura: • Pelo mesmo princípio descrito no ítem anterior, atuação do Xp³ nos processos de corrosão de baixa temperatura, a adição de Xp³ evita as reações de formação destes óxidos devido ao tratamento do óleo combustível e que propicia a condição de operar a unidade com baixo excesso de ar. Xp³ reduz de forma significativa o custo de manutenção dos equipamentos e prolonga a vida dos mesmos: O Xp³ cria condições para que o óleo combustível utilizado seja queimado quase que na sua totalidade e,

desta forma, evita a formação de depósitos fundidos nas superfícies de troca de calor melhorando o rendimento térmico da unidade. reduz a necessidade de queimar maior massa de combustível para obter a mesma de massa de vapor necessária ao processo, reduz o volume de cinzas e reduz substancialmente a necessidade de operações de sopragem de fuligem. também, por não permitir a formação de crostas (depósitos fundidos) na tubulação, por manter os equipamentos limpos e operando eficientemente, aumentando o período de manutenção preventiva e evitando que ocorra danos ao metal base por sobreaquecimento, como fadiga térmica. portanto, a utilização de Xp³ tem se mostrado uma importante ferramenta para as equipes mantenedoras, por permitir estender os períodos de manutenção preventiva, reduzindo esses custos, e por conferir melhor performance e confiabilidade operacional aos equipamentos.

PROPRIEDADES FÍSICAS: Ponto de inflamação (método tcc): 65,5°c / 150°f Ponto de ebulição: 171°c / 248°f Ponto de congelamento: - 84°c / -120°f Solubilidade em água: Infinita a 25°c Densidade de vapor (ar = 1): 4,10 Densidade: >*xml:namespace prefix = st1 / >*xml:namespace prefix = st1 / >0,897 a 25/25°c


WINTER MELHORADOR PARA BAIXAS TEMPERATURAS

Xp³ WINTER foi desenvolvido para reduzir o ponto de congelamento do combustível que opera a baixas temperaturas. Adicionado a essa característica, o produto ainda possui diversas propriedades que fazem dele um melhorador de combustível completo.

Xp³ WINTER interage com os cristais de cera, modificando o seu hábito de crescimento, tornando estes mais pequenos e menos propensos a se aglutinarem, evitando entupimentos de filtros e sistemas de injeção. Propriedades do produto • Reduz o ponto de congelamento (Pour Point), melhorando o CFPP (Cold Filter Plugging Point) • Melhora a fluidez do combustível a baixas temperaturas • Previne que as partículas de parafinas se aderem uma nas outras entupindo assim os filtros • Dispersa a água emulsionada no combustível. • Evita a condensação de água nas paredes dos tanques de armazenamento. • Elimina a necessidade de drenagem da água nos tanques de armazenamento. • Retarda a oxidação do diesel armazenado e inibe o desenvolvimento de microorganismos. • Tem efeito detergente, limpa e descarboniza bicos injetores. • Aumenta o intervalo da troca de filtros de combustível e a revisão de bombas e sistemas eletrônicos de injeção. • Reduz a emissão de fumaça preta (combustível não queimado). • Reduz o consumo de combustível (melhor aproveitamento das marchas). • Melhora o desempenho do motor prolongando sua vida útil. • Biodegradável.

Propriedades Físicas Ponto de inflamação .................... 60°C / 140°F Ponto de congelamento ............... -84°C / -120°F Gravidade específica .................... 0.935 @ 25/25°C Solubilidade em água ................... infinita @ 25°C

Embalagens: Caixa com 12 unidades de 1 litro

INSTITUTO

AMA

Associação Mantenedora de Apoio À criança de Risco e com Câncer

NÓS APOIAMOS


Produtos

para

Combustíveis

Ltda.

EXTRA POTÊNCIA

FLEX O primeiro

3 em 1 do mercado 1 Descarboniza o sistema de injeção e as válvulas de admissão

2 Melhora o desempenho e reduz 3

o consumo de combustível Dispersa a água existente no combustível.

PERFORMANCE GARANTIDA

Utilizar a cada abastecimento

Rua Rosália Cubis Weigert, 315 - CEP 83402-730 - Colombo - Paraná - www.naciofuel.com.br

Distribuidor Exclusivo no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

FONE: (41) 3621-2500


Revista Naciopetro