Page 1

Distribuição gratuita - Venda proibida

Jaú - Ano 3 | Edição 26 | Mensal - Outubro 2012

Carolina Rosseto, uma das proprietárias da loja Gold Silver

JOVENS TALENTOS

Pequenos gigantes no esporte, música e arte

Gente Fina

JOÃO SAGGIORO: Empreendedorismo e amor a Jaú

Trilhas & Trilhos

Galera que prepara a mochila em busca de caminhadas e fotografias

Bodas de Porcelana

Gold Silver

O sucesso de 20 anos da empresa que revolucionou o ramo da joalheria


2 Revista Energia


Editorial

A Energia que você vê!

Ano 3 – Edição 26 – Jaú, Outubro de 2012 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM Diretora: Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br Jornalista Responsável Marcelo Mendonça marcelo@radioenergiafm.com.br MTb. 59.385-5SP Editora de texto: Karen Aguiar redacao@revistaenergiafm.com.br

Segundo estudo recente da Cisco (Visual Networking Index: Global Mobile Data Forecast Update 2011-2016), até o final de 2012 a quantidade de tablets, smartphones e notebooks com acesso à internet será maior do que a população mundial: 1,4 dispositivo móvel por ser humano.

Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br Criação de anúncios: Raul Galvão arte@revistaenergiafm.com.br

Repórteres Antonio Orselli Érika Lopez Karen Aguiar Marcelo Mendonça jornalismo@revistaenergiafm.com.br Revisão de textos: Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br Criação e diagramação: BV Gráfica (14) 3622.2851 Produção fotográfica Leandro Carvalho foto@revistaenergiafm.com.br Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colunistas Alexandre Garcia Giovanni Trementose João Baptista Andrade Marcelo Macedo Mário Franceschi Netto Paulo Agnini Professor Marins Colaboraram nesta edição Caroline Pierim Heloiza Helena C. Zanzotti Ricardo Izar Jr. Comercial Jean Mendonça Joice Lopez Moraes Sérgio Bianchi Silvio Monari Fotógrafos Cláudio Bragga Leandro Carvalho Impressão: Gráfica São Francisco Distribuição: Pachelli Distribuidora Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624-1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br A Revista Energia não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados e informes publicitários.

Foto: Cláudio Bragga

Assistente de redação: Flávia Cardoso

O mundo está mais conectado, é preciso traçar uma boa estratégia com ações que integrem mídias tradicionais à rede. A internet nos possibilita ter o raio x do consumidor, e através destas informações você gera vínculo entre a marca e o cliente, oferecendo informações e conteúdos pertinentes às suas expectativas e adequados ao seu life style. O novo site da Energia (www.energianaweb. com.br), que entrou no ar há menos de dois meses,z estreou com sucesso absoluto, atingindo recordes de acessos/dia desde o seu lançamento. Segundo dados do Google Analytics, o site alcançou o número de 90 mil visualizações de página em 45 dias. Destes acessos, 33% vieram de tráfego direto, 60% de pesquisa e 8% de referências. Inclusive no site você pode conferir esta edição da Revista Energia, que traz a história da marca Gold Silver, que completa 20 anos de sucesso neste mês de outubro, além de outras matérias especiais. Conteúdo jornalístico, promoções, música, eventos, vagas de empregos, making off de ensaios fotográficos, tudo isso faz parte do mundo Energia na Web. Conecte-se com a gente!

Maria Eugênia


ÍNDICE

NESTA EDIÇÃO 06 Devotos 18 Esporte 40 Especial Profissão 80 Atualidade 84 Mês das Crianças 88 Finanças SEMPRE AQUI 10 Vale a Pena 12 Radar 14 Jurídico 16 Pense Nisso 21 DPI 22 Raça do Mês 28 Motor 34 Gente Fina 42 Garota Energia 44 Unimed 50 Quem Fez Jahu 52 Capa 58 Look de artista 62 Varal 66 Look Kids 68 Moda 70 Fitness 72 Social Club 78 Gourmet 79 Guia da Gula 83 Boa Vida 90 Vinhos

62

Varal: Peças para arrasar em qualquer ocasião

34 Gente Fina: João Saggioro

Distribuição gratuita - Venda proibida

Jaú - Ano 3 | Edição 26 | Mensal - Outubro 2012

Carolina Rosseto uma das proprietárias da loja Gold Silver

JOVENS TALENTOS

Pequenos gigantes no esporte, música e arte

GENTE FINA

JOÃO SAGGIORO: Empreendedorismo e amor a Jaú

58 Look de Artista Karina Godoy

4 Revista Energia

TRILHAS & TRILHOS

Galera que prepara a mochila em busca de caminhadas e fotografias

80

Atualidade: Agora é que são elas

Bodas de Porcelana

Gold Silver

o sucesso de 20 anos da empresa que revolucionou o ramo da joalheria

Nossa capa: Carolina Rosseto Fotografia: Cláudio Bragga Produção: Leandro Carvalho Produção Gráfica: BV Gráfica


Revista Energia 5


Devotos

A MÃE DO BRASIL

Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida é a razão da vida para milhões de brasileiros

Agradecimento à Catedral Arte Sacra Ateliê

Texto Da redação | Fotos Leandro Carvalho

6 Revista Energia


C

ada nação escolhe, à sua maneira, a forma de devotar sua fé em Nossa Senhora. Ao redor do mundo, são cerca de 1025 denominações diferentes para uma única pessoa: a Virgem de Nazaré. A variedade é decorrente da tradição e cultura de cada povo que, de acordo com os costumes locais, os conhecimentos e sentimentos em relação à fé, confere denominações diferentes a ela. Em Portugal é Fátima, na Bolívia é chamada de Copacabana, na França ela é Lourdes e, no Brasil, Nossa Senhora Aparecida. A história quase todo mundo conhece. A Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi encontrada no rio Paraíba, na segunda quinzena de outubro de 1717. A peça foi encontrada pelos pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso. Eles estavam rezando para a Virgem Maria abençoar a pescaria quando, ao recolher a rede, encontraram o corpo da imagem sem a cabeça. Ao lançar novamente a rede ao rio, ela retornou com a parte que faltava. Em seguida, transformou-se em uma imagem que eles não conseguiram segurar nos braços. Após a aparição de Nossa Senhora, os pescadores conseguiram tantos peixes que tiveram que voltar à margem do rio, pois havia o risco do barco afundar com o peso. Este seria o primeiro milagre da padroeira do Brasil. A partir daí, a devoção só cresceu.

Fé e devoção Para todo bom católico, as viagens à cidade de Aparecida do Norte são, de certa forma, rotineiras, populares e proveitosas para momentos de gratidão e devoção. Contudo, para a família de Odila Izabel Serrão é muito mais que isso. Tendo suas preces atendidas por Nossa Senhora, mãe de Jesus, ela prometeu que visitaria todo ano o seu santuário. Numa conversa comovente com a RE, Odila conta, saudosa e emocionada, os

“Sou casado há 39 anos e a única herança realmente valiosa que podemos deixar é a crença e a fé, nosso legado de geração para geração!”

milagres surpreendentes que recebeu e como eles agregaram valores à sua vida, transformando-a numa fiel devota de Nossa Senhora. Ela lembra a primeira vez que viu e sentiu o amor da virgem quando, há quase 20 anos, seu marido, José Carlos Serrão, 61 anos, escorregou na garagem, bateu a cabeça e, desacordado e temporariamente cego, foi levado ao hospital. Aos poucos, o rapaz que na época estava com 30 anos, foi acordando e recuperando a visão, porém, devido ao seu temperamento e possíveis reações, não poderia ser informado sobre o seu real diagnóstico, que fora estritamente decisivo: traumatismo craniano e um coágulo no cérebro, que poderiam levá-lo a sérias complicações. Diante dos pedidos do marido de voltarem para casa, Odila assinou um termo de responsabilidade sobre o paciente e foi alertada sobre os possíveis sintomas de uma crise pela qual seu marido poderia passar. Não demorou muito para que José Carlos sentisse os sinais da morte iminente. Sabendo dos riscos, antes de levá-lo ao hospital especializado, a religiosa segurou o filho de dois meses nos braços e pediu: “Nossa Senhora, como mãe de absoluta bondade e amor, interceda junto a Jesus pelo seu filho que está sofrendo muito neste momento” e, assim, levou seu jovem marido aos cuidados médicos. Todos os sintomas e exames apontavam para as tais complicações em decorrência do traumatismo, porém, um dos médicos, mais tarde, confessou não entender o motivo que transformou aquele quadro preocupante num simples inchaço do cérebro. Odila lembra cada detalhe de sua

resposta embargada naquele momento: “O doutor não sabe, mas eu sei, eu sei!”. Outro acontecimento emocionante na trajetória familiar aconteceu com a netinha Nicole, hoje com três anos. Levada ao hospital por conta de uma alergia crônica e repentina, a garotinha de um ano e alguns meses foi alvo de observação por pelo menos cinco médicos, que decidiram levá-la ao isolamento, com o intuito de evitar novas infecções. Rapidamente a boca, os olhos e as partes íntimas começaram a ficar escuras, inchadas e deformadas, junto com as bolhas em seu corpo. O diagnóstico foi a rara síndrome de “Stevens-Johnson”, cujo raio de incidência é de apenas uma pessoa em um milhão. Não podendo mais enxergar, a garotinha apenas chorava e nada aliviava a sua dor. Vendo a netinha assim, e sua filha num estado deplorável de desespero, Odila resolveu pegar uma das camisetas com a imagem de Nossa Senhora e suplicou para que ela aliviasse o sofrimento de ambas, que intercedesse junto a Jesus e transferisse a dor de sua neta para ela. Diante do pedido, em aproximadamente 10 minutos Nicole já aparentava uma inexplicável melhora, querendo sentar no colo da avó e interagir com o mundo à sua volta. Assim, quando o médico retornou e viu que a garotinha estava mais bonita e tranquila, mal podia acreditar, pois, segundo ele, um berço na UTI já estaria reservado. “Com a certeza da gravidade do caso, somente Deus para salvá-la. Porém, a cada minuto, a menina está ficando mais radiante!”, declarou o médico, bastante surpreso, à família.

Odila e José Carlos Serrão Revista Energia 7


Com a cura da neta, Odila fez um percurso, rezando o terço da Igreja nova até a velha, de joelhos. E lembra, com imensa alegria, que quando a netinha a viu ajoelhada quis saber o motivo e obteve como resposta o fato de ser muito amada. Respondendo à avó que também a amava, colocou-se de joelhos, vestida de anjo, e assim permaneceu ao lado dela durante toda a missa. Desde então, a família viaja anual e rigorosamente para a cidade de Aparecida do Norte. Entre filhos e netos, 11 pessoas da família viajam, ao lado de outros adoradores da Santa, em romarias organizadas pela própria Odila.

Homens, pais de família, devotos e agradecidos José Carlos confessa ainda ficar emocionado com as lembranças. “Devo tudo a ela, devo a minha vida. Enquanto estiver vivo estarei lá, pois ela sempre nos ajudou muito!”. O devoto conta, também, que costuma fazer uma novena, de 25/03 a 25/12, com 24 orações à Ave Maria. “Sou casado há 39 anos,

8 Revista Energia

aposentado, tenho uma família maravilhosa e a única herança realmente valiosa que podemos deixar é a crença e a fé, nosso legado de geração para geração!”, declara. Para saber um pouco mais sobre a curiosa crença masculina, A RE conversou também com Mauro Silva, um motorista de caminhões canavieiros, que sempre faz a fezinha à Nossa Senhora antes de viajar, pedindo muita proteção e bênçãos. Ele diz adorar as músicas sobre a santa e carrega imagens com ele o tempo todo. “Minha família é muito devota, sou casado há quase 40 anos, tenho filhos saudáveis e felizes. Tenho certeza que tudo isso é bênção da Padroeira do Brasil”, afirma.

A FÉ ESTÁ NO AR

Mauro Silva

Há vinte anos a Energia FM é líder de audiência em Jaú e região com uma programação sertaneja, fiel às suas raízes desde a fundação. A rádio também presta homenagem a Nossa Senhora Aparecida, executando a canção “Ave Maria” pontualmente às seis horas, como forma de encerrar o dia agradecendo em um momento de reflexão, nas vozes de Chitãozinho e Xororó. São tradições do nosso interior que não deixamos de valorizar.


Revista Energia 9


a

pena

beleza 1

4

2

5

3 9

7

*Promoção válida para o mês de outubro ou enquanto durarem os estoques.

6

8

12

10

10 Revista Energia

11 1. Cortador Unha Infantil R$ 17,50 2. Lenços Umedecidos R$ 5,50 3. Perfume ST. Barth 100ml R$ 61,60 4. Loção Hidratante R$ 29,80 5. Spray de Ambiente R$ 44,00 6. Perfume Big Pony 40ml R$ 135,20 7. Perfume Ô de Lancôme 50ml R$ 99,90 8. Gel Esfoliante R$ 35,20 9. Difusor de Aromas R$ 73,70 10. Gloss Fever R$ 72,80 11. Perfume Hypnôse 30ml R$ 123,90 12. Sabonetes Italianos R$ 19,90


Fotos: Leandro Carvalho

Le Rose: ambiente aconchegante, totalmente climatizado e aromatizado para você

A LE ROSE Inaugurada em dezembro de 2011, a Le Rose Aromas veio com a finalidade de revolucionar o mercado nos segmentos de beleza, perfumaria e demais itens de requinte com bons preços. Com exclusividade na linha de tratamento facial, corporal e maquiagem da Lancôme, a Le Rose disponibiliza, também, produtos Biotherm linha solar, tratamento corporal para as mulheres e corporal/facial para os homens. Atendendo em um ambiente aconchegante, totalmente climatizado e aromatizado, a Le Rose conta com uma variedade de perfumes importados das marcas Armani, Ralph Lauren, Diesel, Lancôme, Guy Laroche, Paloma Picasso e Cacharel. Outros itens que podem ser encontrados na Le Rose Aromas são os da La Façon, com linha completa para corpo e banho, além de perfumaria, sabonetes italianos importados de Florença, linha solar Lancôme, e ainda oferecendo às clientes cursos de automaquiagem com renomados profissionais da marca francesa. Além da variedade de itens para corpo, a Le Rose conta também com toda a linha de aromatizadores de ambiente ANTIK, Natural Gifts, Greenleaf e lamparinas Lampe Berger Paris. Le Rose Aromas, você vai se surpreender! Telefone (14) 3416-3888. Av. Zezinho Magalhães, 1108. Jardim Estádio – Jaú/SP. Estacionamento próprio e atendimento personalizado de segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados das 9h às 17h.

GÉNIFIQUE SORO Soro para reativar os genes da pele. Os genes produzem proteínas que são responsáveis pela juventude da pele. Com o passar dos anos a produção de proteínas é reduzida. Génifique reativa a atividade dos genes estimulando a produção de proteínas e garantindo a juventude da pele. Os resultados são visíveis, em apenas 7 dias a pele fica rejuvenescida, recupera sua aparência e qualidade original, sedosa ao toque, luminosa e vibrante.


Radar

Boa

Por Alexandre Garcia

CRISE MAGGIORE Escrevo no trem, de Stresa para Milão. Vim para a beira do Lago Maggiore para comemorar o aniversário de um velho amigo, matogrossense de Poconé. Muitos italianos estavam no aniversário dele, que foi gerente do Banco do Brasil em Milão. E a conversa de tarde inteira acaba na curiosidade dos italianos sobre o Brasil. Um deles me pergunta se é verdade que temos quase 100 assassinatos por dia. Respondi que não. Na verdade, temos 150 homicídios por dia, em média. Ele ficou com cara de quem não acredita. Falamos de estradas e carros e outro me pergunta se é verdade que temos mais de 100 mortes no trânsito a cada dia. Respondo que não. Temos, na verdade, mais de 200 mortes por dia no asfalto. “Vocês, brasileiros, são loucos!”- reage o italiano. Também errou. Somos, na verdade bobos. Muito bobos, porque morremos à razão de mais de 350 por dia de morte violenta e nada fazemos, não reagimos, aceitamos.

12 Revista Energia

Vocês, italianos, acham que a Itália está em crise e gozam o primeiro-ministro Mario Monti. Mas a crise de vocês não chega perto da nossa. Imaginem um país com 350 mortes violentas por dia, isso não é uma crise? É mais do que as mortes na Síria, no Afeganistão. Isso é que é crise. Não é de números na bolsa, no câmbio, no emprego. São números de vida. Sem vida segura, tudo mais é inútil, secundário. Mas nós, brasileiros, parece que estamos cegos, surdos e mudos ante uma crise assim tão séria, tão gigantesca, tão violenta - discursei. Depois das comemorações do aniversário, passei uns dias em Stresa, no mesmo hotel em que Hemingway escreveu Adeus às Armas. Na mesma cidade em que os aliados da Grande Guerra se reuniram em 1935 para tentar conter o rearmamento da Alemanha de Hitler. Uma conferência inútil, como se viu. Stresa é uma bela cidade. Boa comida, bons vinhos e, sobretudo, o Lago Maggiore, com suas três ilhas que Gustave Flaubert chamou de “paraíso terreno”. Tarde da noite, depois de um concerto com a Sinfônica de Frankfurt, saímos a passear por ruelas desertas, escuras e românticas. Nenhum medo de assalto. Segurança absoluta. O que fizemos do nosso Brasil? Pela manhã, na praia, o pai afastou-se do filho pequeno para fumar. Antes, caminhou um pouco para jogar o palito de fósforo no lixo. Como todos fazem assim, está tudo limpinho, bem cuidado, florido. Turistas andam em grupos que não produzem barulho e esperam o sinal verde na faixa de pedestre. E no café-da-manhã, a diferença: a primeira música da manhã, não é barulho. É, em geral, um piano ou um violino, em volume que mal dá para ouvir. O trem já está chegando a Milão; é uma composição regional, de apenas 140 km/h, com a passagem custando 7 euros e 40 centavos. E ninguém vem fiscalizar se estou com a passagem no bolso. É a civilização, amici.


Revista Energia 13


Jurídico

Cobrança indevida de taxas no IPTU Não é raro encontrarmos em qualquer carnê de IPTU valores versando sobre Conservação de Vias e Logradouros e/ou Limpeza Pública. Importante salientar que taxa e imposto são tributos diferentes, não somente na nomenclatura, mas também na forma de seu cálculo. Desse modo, os municípios consideram erroneamente esses serviços públicos como elementos de sua base de cálculo. A Constituição Federal autoriza tributação de serviços públicos apenas por meio de taxa, desde que os serviços sejam específicos e divisíveis. Na verdade, os municípios apenas disfarçam no IPTU algumas figuras típicas de taxas. O IPTU é um imposto sem contraprestação por parte do poder público. Todo tributo que envolva uma contraprestação será cobrado por meio de taxa.

14 Revista Energia

Por Giovanni Trementose

A natureza jurídica de todo tributo deve ser determinada em face do binômio fato gerador e base de cálculo. Assim, fica patente que os serviços de Conservação de Vias e Logradouros e/ou Limpeza Pública, dentre outros, sem sombra de dúvida, são hipóteses de taxa, jamais de imposto, no caso IPTU. O Município só poderia usar como base de cálculo para o IPTU os elementos que dizem respeito ao próprio imóvel: o valor do imóvel; a localização e o uso deste; as benfeitorias; o total de área construída; etc. Há de se destacar, ainda, que esses serviços (Conservação de Vias e Logradouros e/ou Limpeza Pública) não são específicos (aqueles que possam ser destacados em unidades autônomas), e nem divisíveis (quando suscetíveis de utilização por parte de cada um dos seus usuários). Ora, se os serviços cobrados não são individualizados para cada cidadão, como medir o serviço de limpeza de uma praça, por exemplo? E o lixo que é recolhido das casas, como seria feito esse cálculo? As decisões dos tribunais já são pacíficas, no sentido de que a cobrança só é possível quando for mensurável, caso contrário é uma cobrança inconstitucional e indevida. Concluímos, então, que não é possível cobrar os referidos serviços, nem mesmo por meio de taxa, por não serem específicos nem divisíveis, podendo o contribuinte requerer judicialmente a devolução do que lhe foi cobrado indevidamente. Os municípios impõem um ônus para a população que não é cabível. Deve o poder público se organizar e gerir melhor seus rendimentos, respeitando o limite para tributar, sem prejudicar o cidadão de bem.


Revista Energia 15


nisso

Pense

Por Professor Marins

Justo, firme e exigente Líderes, dirigentes, ou mesmo pais e mães devem ser justos, firmes, exigentes, mas ao mesmo tempo não podem se esquecer de que devem ser generosos, educados e gentis. Nada justifica num líder ou chefe de qualquer nível, a falta de educação, de gentileza e mesmo a ausência de generosidade, que se traduz numa disposição de ensinar seus liderados, de ter paciência para que aprendam e empatia para compreender a realidade das situações concretas. Há pessoas que acreditam ser incompatível a justiça, a firmeza e a exigência com a amabilidade e a polidez no trato com as pessoas. Essas pessoas confundem o pecado com o pecador, o erro com a pessoa. Um líder ou dirigente não pode e não deve transigir com o erro, com a desídia, com a falta de comprometimento, porém, deve saber tratar bem as pessoas e tomar muito cuidado na forma de falar, na maneira de expressar suas exigências e de manifestar sua firme-

16 Revista Energia

za. Muitos dos problemas entre líderes e liderados têm como causa a comunicação. Aí entra a generosidade: uma pessoa generosa se coloca no lugar das outras e tem como objetivo ajudá-las a crescer e não somente punir. Sei que não é fácil, mas quem disse que ser líder é fácil? O líder é aquele que se desafia (a si mesmo) para que seus liderados atinjam resultados. Não basta desafiar seus liderados. Ele tem que se desafiar em primeiro lugar. E os verdadeiros líderes sabem que só conseguirão total adesão e comprometimento de seus liderados se eles (os liderados) se sentirem valorizados, ouvidos e respeitados. Um líder que não respeita seus liderados não é líder. Pode até ser “chefe”, mas não líder. Assim, o respeito é fundamental. E o respeito passa pela generosidade, educação e gentileza.

Pense nisso. Sucesso!


Revista Energia 17


Trilhos e Trilhas

Por caminhadas, fotografias e ferrovias Texto Marcelo Mendonça

Subida pela Serra da Cuesta em Botucatu/SP. Na imagem , Aline Giraldi Gonçalves

Fazer caminhada é um dos exercícios mais recomendados e faz um bem danado à saúde. Disso todo mundo sabe. Mas imagine você caminhando e apreciando as belezas da natureza, registrando momentos e climas com uma turma de amigos que busca, além de cuidar do corpo, cuidar da alma e registrar tudo isso como um tesouro precioso. Assim é o grupo jauense “Trilhas & Trilhos”, que vem desbravando a nossa região, faça chuva ou faça sol. 18 Revista Energia

A ideia começou em 1987, na fase da adolescência de Daniel e outros amigos que pegavam a estrada ou a linha do trem e saiam a caminhar sem rumo, somente para se divertir e contar histórias, encontrando pelo caminho riachos, cachoeiras não tão conhecidas e nem movimentadas como hoje. O tempo passou, mas o prazer de caminhar sobre trilhos e trilhas não. Junto com vários amigos, entre eles Paulo Dionizio, Luiz Ferreira, Toni Moura e Alberto Buoro, o


grupo cresceu e a vontade de explorar novas trilhas e lugares fez com que a brincadeira ficasse séria. “Não é um esporte, mas poderíamos classificar como Trekking, que significa seguir um trilho”. Foram inúmeros os lugares que o grupo conheceu. Porém, visitar esses ambientes pouco conhecidos, trilhos históricos, sem fazer nenhum registro e sem ter como contar essas histórias se tornou um pecado. Então a máquina fotográfica passou a acompanhá-los por todos os lugares, registrando paisagens de cinema e que estão aqui bem próximas de nós. Ferrovias que regressam ao passado, nos tempos em que os trens ainda eram mais utilizados. Tudo isso agora registrado pelo grupo. Assim, desde 1997, pelo menos uma vez por mês os amigos pegam a estrada, dirigem até o local mais próximo da trilha e de lá partem em busca de lugares e trilhos. Os passeios, normalmente, são de 10 a 30 km. Segundo Daniel, o lugar mais longe onde o grupo já foi fica em Paranapiacaba, distrito de Santo André, início da ferrovia no Brasil. Lá é proibido circular pela ferrovia, por ser descida da Serra do Mar e local onde transitam cargas para o porto de Santos, mas mesmo as-

sim o passeio não frustrou o pessoal, que descobriu que a Policia Rodoviária Federal fiscaliza os trilhos. “Por sorte, ninguém foi preso”, conta Daniel aos risos. “Trilhas & Trilhos” possui hoje 13 integrantes fixos e existem outras pessoas que caminham com o grupo quando podem. Para os passeios, Daniel diz que cada um leva uma mochila com bastante água, lanche natural bem leve, uma troca de meias caso molhem os pés, um chocolate para dar energia e um bastão de caminhada para se apoiar em determinados terrenos, ou até para o caso de encontrarem algum animal que os enfrente durante o passeio, fato que nunca aconteceu. “Quando nos deparamos com algum animal, não interferimos nele e seguimos nosso caminho”. Antes do grupo escolher a trilha a ser feita, é realizado um estudo do local. “Quando fomos a Botucatu visitar um túnel gigante, onde passam trens,

Fotos: arquivo pessoal

Espraiado em Brotas/SP. (Da esq. p/ dir.) André Ferreira, Gastão Carvalho, Jorge Saggioro, Marcelo Roma, Rogério Vicaro e Anderson Rosa.

Linha Férrea entre Jaú e Mineiros do Tietê (Banharão). Na frente Gustavo Guiseli, Toni Moura e outros.

Revista Energia 19


Trilhos e Trilhas avisamos a Polícia Florestal para segurança do passeio e para que eles ficassem cientes de que estaríamos lá. Afinal, se acontecesse alguma coisa como iriam saber onde estávamos?”. Nesse passeio o grupo enfrentou chuva, um forte nevoeiro e a chegada ao túnel foi comemorada por todos. “Disseram que o movimento dos trens por ali era pequeno, uma vez por mês no máximo; então, não esperávamos ver um passando”. Para a supressa de todos, quando o grupo atravessava o túnel, já no meio do caminho, uma luz iluminou os trilhos e a buzina da locomotiva empolgou a todos, que assistiram extasiados a passagem dos vagões. “Foi emocionante”, relembra Daniel. O passeio registrou algumas das mais belas imagens feitas pela equipe. E já foram tantas caminhadas que o “Trilhas & Trilhos” chegou até a fazer uma exposição em setembro deste ano, no Jaú Shopping, para mostra das fotos. Se você se interessou e quer participar das caminhadas, basta procurar pela fan page do grupo no Facebook (www. facebook.com/trilhasetrilhos), preparar a mochila e cair na estrada, ou melhor, nos embreex_verao12anuncio_energia_215x142.ai 3 20/09/2012 16:41:27 trilhos também.

Linha completa de aparelhos e acessórios: • •

musculação natação

• •

fitness moda fitness

Nas compras acima de R$ 500,00

ganhe um ano da Energia revista Endorfina 20 Revista

• •

fisioterapia artes marciais

Um dos túneis na Serra da Cuesta em Botucatu/SP


DESIGN · PUBLICIDADE · INOVAÇÃO

CASE

Uma imagem diz mais que mil palavras!

por Nego Lopito / DPI Agência

O

k, concordo que essa frase do título é batida. Mas sendo batida, deveria ser levada um pouco mais a sério, não é mesmo? Até porque é a mais pura verdade! Pense bem: você tá na iminência de comprar um notebook. Automaticamente você começa a notar notebooks em todos os lugares: na revista, no anúncio do Facebook, no tablóide das Casas Bahia e em vários outros lugares.

Agora me responda com sinceridade: se a fotografia do produto for de boa qualidade, vai facilitar a sua escolha? É evidente que sim! É uma chance do consumidor poder decidir a escolha antes mesmo de ir até a loja. Então por que muitos anunciantes abrem mão deste recurso? Vejamos as respostas mais frequentes: 1. “Produção fotográfica é muito cara!” – é verdade, a produção fotográfica envolve mais profissionais e isso encarece um pouco o projeto do anunciante; entretanto, a qualidade do material agregará valor ao produto/serviço anunciado, gerando retorno do investimento;

2. “Não, pede pro menino ilustrar aí!” – sim, existem produtos e serviços cujas características não serão otimizadas com a produção fotográfica; mas uma fotografia bem produzida pode gerar um cenário diferenciado para esta divulgação, trazendo um maior apelo emocional para a marca; 3. “Ah, pega uma foto aí do banco de imagem, mesmo!” – existem muitos bancos de imagens, que são sites onde pegamos imagens prontas para uso a um preço mais acessível; nesse caso, além da foto não ser específica para a sua necessidade, o anunciante pode comprar uma imagem já utilizada por um concorrente. Não pense que é só contratar um fotógrafo e chamar a vizinha bonitinha que quer ser modelo. A produção fotográfica exige um cenário adequado, uma modelo carismática e, principalmente, é imprescindível uma direção para estas fotografias, já pensando em como ela será aplicada nas peças e no conceito da campanha. Um trabalho que, quando bem produzido, garante uma identidade para a marca, tornando-a autêntica. Um investimento que agrega muito mais qualidade do que mil palavras.

O objetivo da coluna DESIGN, PUBLICIDADE e INOVAÇÃO é falar sobre comunicação de maneira democrática, abrindo espaço para quem queira perguntar, opinar, sugerir e interagir. Entre em contato conosco e participe da nossa comunidade! leitor@dpiagencia.com.br www.fb.com/dpidigital

“Uma loja teen, com muito pink, muita estrela e muito glitter!” Foi assim que a Claudia descreveu a sua loja, a Gatza. E o projeto foi sendo desenvolvido desta maneira quando, de repente... não era nada daquilo! Era tudo muito mais clean do que imaginávamos: ao invés de balada, glitter e roupa colada, encontramos cores e texturas leves, um estilo boho-chic, despojado-porém-impecável, capaz de manter o foco na adolescente e vender carteiras de palha coloridas para senhorinhas de 80 anos! Essa percepção mudou os rumos do projeto e gerou uma nova identidade visual, com o branco trazendo mais leveza ao pink, uma mascote [a gatinha] tornando a marca mais simpática e... queríamos mais alguma coisa que destacasse o estilo Gatza. Foi então que surgiu a ideia de um ensaio fotográfico, prática até então pouco comum no mercado jauense. Corre daqui, liga de lá e soubemos que a jauense Francine Pantaleão – modelo internacional e atual Miss São Paulo – estava na cidade, na casa dos pais e, como perguntar não custa nada, fomos atrás! Negocia, acerta, fotografa e conseguimos alguns ensaios com a modelo, sendo que um deles, para uma campanha de inverno, foi feito em Campos do Jordão! Os ensaios complementaram a identidade da loja, com as campanhas em revista, outdoor e mídias sociais criando um universo inconfundível para a marca. “As produções ficaram excelentes e o reflexo foi sentido nas vendas, que aumentaram consideravelmente”, comemora a proprietária. Revista Energia 21


Raça do mês

Poodle Texto: Karen Aguiar Fotos: Leandro Carvalho

Adriana Campanhã e a fofa Sofia

Ana Maria Fantin Bichuette e seu neto Lucca Bichuette Grabner com a pequena Mel

22 Revista Energia

Famoso pela fidelidade e aptidão para o adestramento, o poodle é um cão considerado, por especialistas, dos mais inteligentes. Como um excelente companheiro, constantemente alerta e ativo, os animais da raça, segundo pesquisas, têm sua origem na Alemanha, sendo chamados de Pudel ou Pudellin, que significa “chafurdar”, ou seja, brincar na água. Outros afirmam que ele é originário da França, onde era conhecido como Chien Canard ou “cão pato”, por sua habilidade como nadador e caçador de patos. Se por um lado sua origem é bastante controvertida, sua antiguidade é indiscutível. O Poodle pode ser visto em estátuas da Roma Antiga bem como em tapeçarias do século XV. Sem esquecer-se dos dons como grande estrela de circo, tanto na antiguidade como atualmente. Os animais da raça possuem, também, grande capacidade de afeto e com certeza ele será um companheiro inseparável de toda a família. Quanto ao tamanho, são quatro variedades: tamanho gigante, de 45 a 60 cm na altura; tamanho médio, de 35 a 45 cm; tamanho miniatura ou anão, de 28 a 35 cm, e por fim o Toy, com no máximo 28 cm. Como qualquer cão de raça pura, alguns pontos em relação à sua saúde devem ser observados pelos donos e criadores. Apesar de serem normalmente saudáveis, cães mais velhos podem estar predispostos a certos problemas. A Dra. Fabiana Sanzovo recomenda que sempre deve-se consultar um veterinário antes de tratar doenças por conta própria. Na lista de problemas de saúde frequentes em Poodles estão: catarata, epilepsia, atresia dos dutos lacrimais, atrofia progressiva da retina, glaucoma, entre outros. Atenta a todas essas enfermidades, a assistente social Ana Maria Fantin Bichuette cuida da poodle Mel, de 10 anos, como se fosse uma filha. “Ela tem uma vida de princesa, vai toda semana ao pet shop e está sempre bem cuidada”, conta ela. Herança da caçula Mariana, Mel foi adotada por Ana Maria quando a filha, médica mudou-se para São Paulo para trabalhar e deixou a cachorrinha com a mãe. “Além da Mariana tenho outras duas filhas, a Tatiana e a Camila, mas que também não moram comigo. Por isso a presença da Mel, essa minha outra filhinha, é imprescindível em minha vida. Ela é tranquila, dócil e manhosa. Uma grande companheira e morre de ciúmes de mim, fica até brava quando alguém chega perto” e isso a equipe de reportagem da Revista Energia pode presenciar.


Revista Energia 25


26 Revista Energia


Revista Energia 27


Motor

Lançamentos

A Ford coloca no mercado dois novos veículos. Aperte o cinto para as próximas páginas Texto: Marcelo Mendonça | Fonte: Ford

Ranger (versus)

O mundo

O lançamento da nova Ranger ocorreu em Salta, na Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes. O modelo é fabricado nos hermanos para toda a América Latina, e vai também para a região da Ásia-Pacífico, África, África do Sul e Europa. Com três opções de motor, três de transmissão, além de oferecer tração 4x2 ou 4x4, cabine simples e cabine dupla, a nova Ranger tem preços que variam de R$ 61.900 a R$ 130.900, dependendo do modelo. O lançamento vem para criar uma briga de cachorro grande com a nova Chevrolet S10 e a Toyota Hilux. Segundo Oswaldo Ramos, executivo da mon28 Revista Energia

tadora, o mercado de picapes médias no Brasil está mais concentrado nos motores a diesel, com cabine dupla e câmbio automático com 30%; seguidas pelas cabines duplas e câmbio manual com 24%; motor a gasolina ou flex de cabine dupla com 18%; a diesel com cabine simples, 5%; e a gasolina ou flex com cabine simples totalizando 3%. A primeira impressão, quando se olha a nova Ranger, sem dúvida é seu visual imponente, com ampla grade dianteira cromada, o para-choque robusto e a linha da cintura alta. No interior, o painel


lembra o de um carro de passeio, os comandos são de fácil acesso e o isolamento acústico é bom, deixando o carro mais confortável. E por falar em conforto, a picape tem bom espaço para cabeça, ombros e pernas, inclusive para ocupantes do banco traseiro, e conta com 23 porta-objetos. O plástico domina o acabamento interno, e a visualização do quadro de instrumentos é boa para o motorista. A Ranger vem com a opção de motores a diesel e bicombustível. O novo motor 3.2 diesel tem cinco cilindros e turbo de geometria variável. É produzido na Pacheco, Argentina, com 200 cv de po-

VERSÕES A XLS acrescenta vidros elétricos com acionamento a um toque para o motorista, retrovisores elétricos, rádio AM/FM com CD/MP3 e tela colorida de 4,2 polegadas, apoio de braço no banco traseiro, rodas de liga leve de 16 polegadas e para-choque dianteiro pintado na cor do veículo, além de airbags e faróis de neblina nas versões diesel cabine dupla. A XLT é equipada também com airbag duplo, ar-condicionado digital de duas zonas, programa eletrônico de estabilidade com oito funções, sistema de áudio com bluetooth, sensor de estacionamento traseiro, controlador de velocidade, comandos de áudio no volante, bancos com

tência e 47,9 de kgfm de torque. A outra opção a diesel é o 2.2, versão essa exclusiva para frotistas. Já o motor Flex 2.5 de 16 válvulas, da família Duratec, de quatro cilindros, foi desenvolvido exclusivamente para o Brasil e gera a potência de 168 cv com gasolina e 173 cv com etanol, com torque de 24,1 kgfm com gasolina e 24,8 fgfm utilizando etanol. O acesso ao reservatório de partida a frio fica em uma tampa embutida no aplique do para-lama dianteiro esquerdo, o que elimina a necessidade de abrir o capô para abastecer.

ajuste de altura e lombar, rodas de liga leve de 17 polegadas, estribos laterais e vários itens cromados (grade do radiador, maçanetas internas e externas, para-choque traseiro, porta da caçamba e santantônio). A Limited, versão topo de linha, tem ainda airbags laterais e de cortina, GPS com tela colorida de 5 polegadas, câmera traseira, sensor de chuva, acendimento automático de faróis, bancos de couro, banco do motorista com ajuste elétrico, santantônio esportivo, compartimento refrigerado, bagageiro no teto e retrovisores externos dobráveis eletricamente com piscas e luz de cortesia integrados. Escolha a sua e saia acelerando. Revista Energia 29


Motor

Ecosport tudo

novo mesmo!


A Ford lança, oficialmente, a segunda geração do novo Ecosport. O carro foi totalmente modificado e virá com uma postura mais globalizada, sendo produzido na China, na Índia, na Tailândia e vendido mundo afora. O Eco traz vários elementos do New Fiesta com quem compartilha estilo, equipamentos, plataforma e até um dos motores. A suspenção é nova, semelhante a do New Fiesta, mas mantém a mesma arquitetura básica: Mapherson na frente e eixo de torção atrás. O novo modelo será oferecido em quatro versões diferentes. O carro tem nova grade frontal, linha de cintura elevada e contornos mais arredondados. Assim, ele larga o estigma de “Fiestão” e passa a ser um modelo autêntico. Internamente, o SUV tem o painel do New Fiesta, que inclui o sistema multimídia Sync em todas as versões. Ficou mais jovem e com acabamento superior, tanto é que a versão topo de linha visa a atingir modelos de categoria superior, como o Hyundai Ix 35 e o Kia Sportage. A versão de entrada é a 1.6 S, que vai custar R$ 53.490, ou seja, R$ 2.870 a mais que a básica anterior. Além dos obrigatórios airbag duplo e ABS, ela traz ar-condi-

cionado, direção e trio elétrico e sistema de entretenimento com acionamento por voz. A seguinte é a SE. Ela adiciona vidros traseiros elétricos e faróis de neblina. A intermediária é a Freestyle, que a Ford estima que responderá por 50% das vendas. Ela recebe a mais rodas de liga leve de 16 polegadas, computador de bordo, sensor de estacionamento, controle de estabilidade e de tração e assistente de partida em aclive. A Freestyle é oferecida com motor 1.6; 2.0. A topo é a Titanium, com rodas e detalhes  exclusivos na carroceria, bancos de couro, airbags laterais e de cortina, ar digital e keyless, entre outros. Duas outras versões ainda serão lançadas. Em outubro chegam as configurações com câmbio automático e, seguida, uma com tração 4X4. Inicialmente, o Ecosport será oferecido com quatro versões de acabamento. De série todas serão equipadas com ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros dianteiros elétricos, além de faróis com luzes de posição em LED. Nas mais equipadas, chama atenção a opção por seis airbags e os controles de estabilidade e tração. §


Gente Fina

32 Revista Energia


Dia das crianças

Coisas de criança Com a tradição da Paula Mesquita Modas, a loja Claudinho Baby Kids está em Jaú há cinco meses trazendo todas as tendências e modinha do recém-nascidos aos 16 anos. Contando com peças diferenciadas, moda festa e baladinha, calças saruel do bebê ao teen, a Claudinho Baby Kids faz o estilo da garotada.

Fotos: Leandro Carvalho

Na Claudinho Baby Kids a regra é se divertir brincando de se vestir

Claudinho Baby Kids Rua Major Prado, 50 | Jaú-SP Fone: (14) 3416.3552 Revista Energia 33


Gente Fina

34 Revista Energia


D

João Saggioro João Saggioro deixou o comando de uma equipe com mais de 50 economistas e contadores em São Paulo para administrar um posto de combustíveis em Jaú. E não se arrependeu nem um instante. Texto Antonio Orselli Fotos Leandro Carvalho

a Bica de Pedra para um dos maiores escritórios de engenharia de São Paulo, preocupado com custos e orçamentos de grandes obras como a hidroelétrica de Itaipu, o jovem Idail João Saggioro jamais imaginaria que um dia se tornaria um dos sindicalistas mais atuantes da região de Jaú. Mas, antes disso, encheu muito tanque de carros e motos no posto de combustíveis da família. A história toda começou na década de 50, quando a família Saggioro se mudou de Itapuí e escolheu Jaú para viver. O patriarca Olímpio veio à cidade pelas condições de saúde e educação que poderiam ser úteis para o desenvolvimento dos filhos. Em 1951 iniciaram-se as atividades do posto de combustíveis São João, hoje o mais antigo da cidade, administrado pela mesma família. Com apenas 16 anos o “gente fina” desta edição visitava os outros postos de combustíveis para que o setor pudesse se fortalecer, apesar das limitações impostas pela legislação da época. “O preço da gasolina era determinado pelo Governo Federal, então eu tentava uniformizar os preços para que os donos de postos de Jaú conseguissem atender bem o cliente e obter lucro. Naquela época era muito difícil, não é como hoje que cada um cobra quanto quer. Era muito mais difícil trabalhar”. Nascia, então, o futuro representante de classe do comércio varejista de Jaú e região. Mas antes João usou terno e gravata por muito tempo em São Paulo, trabalhando como economista. Formado em Economia e Administração de Empresas pela Faculdade São Luiz, começou trabalhando em 1969 na indústria farmacêutica, na área contábil. Mas foi na década seguinte que se firmou como um dos mais notáveis economistas do setor da construção civil. “Entrei em um escritório de engenharia que executava projetos para o Governo como as hidroelétricas de Jupiá, Ilha Solteira, Tucuruí, Itaipu, entre outras. Eu analisava os custos e elaborava o orçamento que seria gasto com a parte operacional das obras. Depois isso era entregue para as construtoras como Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebretch, as principais empresas da chamada ‘época de crescimento econômico’ do Brasil na década de 70”. Revista Energia 35


Gente Fina O senhor era responsável por 53 contadores que trabalhavam sob suas ordens. Como sair de um ambiente deste para comandar um posto de gasolina com três ou quatro funcionários? Eu estava em busca de qualidade de vida. Consegui me realizar profissionalmente em São Paulo, mas eu queria voltar para minha terra, ficar ao lado do meu pai que, naquela época, já estava com a saúde frágil. Então, em 1983 resolvi trazer a família toda para Jaú. Foi uma das melhores coisas que fiz, pois aqui meus filhos puderam viver longe da loucura da cidade grande, estudaram, se formaram, enfim, estou feliz demais aqui. E como sempre fui uma pessoa bastante simples, não tive problema nenhum em me adaptar neste ambiente. Afinal, antes de ir estudar em São Paulo eu enchi muito tanque de fusca, DKW e outros carros daquele tempo. Pode-se dizer que voltei às origens. O posto São João foi o primeiro a funcionar nos finais de semana. Foi uma decisão difícil? Muito. Naquela época ninguém trabalhava aos domingos. Supermercados, farmácias, postos de gasolina, tudo fechado. Um dia, um cliente me indagou sobre a razão de fechar tudo em Jaú, quando em outras cidades como Bauru o cliente podia encontrar estabelecimentos abertos no fim de semana. Na época eu já fazia parte da Câmara dos Dirigentes Lojistas e resolvi topar a parada. Deu certo. Hoje todo mundo abre no fim de semana.

SYNTHA-6 1,3 kg

R$

preços válidos até 31/10/2012

R$

PRÉ TREINO

ANIMAL PACK

30

219,90

PACK 44packs

“Eu executava projetos para hidroelétricas de Jupiá, Ilha Solteira, Tucuruí, Itaipu, entre outras. Analisava os custos e depois isso era entregue para as construtoras como Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebretch”

44 packs

R$

225g + 45caps

44

R$

209,90

159,90

CREATINA

44

119,90

300g

R$

65,90

46

QUEIMADOR DE GORDURA

60

40 caps

R$

40

48,90

14 - 3625.4344

Visconde do Rio Branco, 1406 36 Revista Energia

.COM.BR

facebook.com/ziboooficial


Além de empresário, o senhor ainda é representante de classe. Como tudo começou? Acho que aos 16 anos, quando eu visitava os outros postos de gasolina para conversar com os donos sobre a necessidade de união entre todos para melhorar o atendimento aos clientes. Quando voltei para Jaú, em 1983, passei a integrar a Associação Comercial e logo em seguida fundei a Câmara dos Dirigentes Lojistas. No início, em 1994, eram 20 associados, hoje são 450 lojistas. Além disso, sou o 1º vice-presidente da Federação das CDL’s do Estado de São Paulo, o que me amplia o poder de atuação em prol da categoria. Mesmo aos 70 anos não deixo de participar de eventos da Federação, sejam em Brasília, Natal, Porto Alegre... estou em todos. E sobre futebol, quanto o Palmeiras faz parte da sua vida? Olha, no tempo que vivi em São Paulo acho que assisti a todas as partidas que o time disputou no Parque Antarctica. Minha esposa ia na frente, porque a gente morava perto do estádio. Assim que eu saía do escritório seguia para lá também. Meus filhos treinaram na escolinha de futebol de salão do Palmeiras, fui sócio do clube, ou seja, eu não era só torcedor, o clube fazia parte da minha vida. E ainda faz. Quando esta edição chegar às bancas, o Campeonato Brasileiro já estará quase no final. Faz uma previsão de como vai estar a situação do Palmeiras? Firme e forte na primeira divisão do Brasileiro. Não acho que o time caia, não. Para terminar, qual a maior alegria da sua vida? O sucesso dos meus filhos. Todos formados, trabalham em profissões que escolheram, vencendo desafios a cada dia. Eu digo sempre a eles: ‘posso não deixar bens para vocês, mas garanto que enquanto eu estiver vivo vou ajudar todos a serem grandes profissionais, chefes de família, pessoas dignas e bondosas com o próximo’. Eu agora só quero aproveitar minha esposa, meus netos e viver em paz.

Revista Energia 37


Informe Publicitário

Tratamentos corporais, faciais, de bem-estar e programas especiais! Lipo Natural: Tratamento de redução de peso e medidas, elaborado a partir de uma avaliação personalizada. É realizado a partir de massagens exclusivas e aparelhos de última geração, que juntamente com os produtos da linha, trazem resultados acima da média e duradouros, diminuindo a celulite e a flacidez, graças à reposição de nutrientes que diminui a ansiedade, aumenta a disposição, tornando mais fácil seguir uma reeducação alimentar. Lipocell: Tratamento voltado exclusivamente no combate à celulite. Realizado com aparelhos e massagens específicos para a área, baseia-se no uso de oligoelementos (minerais encontrados no nosso organismo) que possuem propriedades regeneradoras da pele. Os procedimentos estimulam a quebra dos nódulos de celulite, melhora a circulação e ameniza a sensação de pernas pesadas. Estriex: Se você acha que suas estrias não têm solução, venha conhecer o Estriex. Realizado de forma não invasiva, com uso de uma técnica exclusiva, o tratamento torna suas estrias imperceptíveis e melhora o aspecto geral da pele, deixando você colocar tranquilamente aquele biquíni que sempre sonhou. Reaffimama: Tratamento para fortalecimento e modelação das mamas. Levanta, em média, de 5 a 7cm o seio e o torna mais bonito. É realizado com aparelho, técnicas e produtos exclusivos da Oligoflora. 38 Revista Energia

Alívio dos Sintomas do Stress: Composto por massagens relaxantes e reposição de minerais no organismo, o tratamento contra stress melhora a qualidade do sono, diminui a irritação, aumenta o ânimo, a disposição e propicia um relaxamento sem igual. Anti Aging Complex Para mulheres acima dos 36 anos, cujos níveis hormonais já provocam perda de colágeno e elastina, é um tratamento para reduzir rugas e marcas de expressão, melhorando a tonicidade muscular e trazendo de volta a vitalidade da pele graças à renovação celular. Revitallis Indicado para mulheres até os 35 anos, previne e trata os primeiros sinais de expressão. Para peles com sinais de cansaço, perda de brilho, ressecamento e poros obstruídos. Oxclear O passar dos anos, a acne, as reações alérgicas, a inevitável exposição ao sol, a gravidez, a menopausa e outros processos hormonais são os causadores de manchas na pele. As manchas variam em intensidade, extensão e profundidade. Para cada um dos casos a Oligoflora desenvolveu tratamentos que, além de clarear as manchas, estimulam processos de renovação celular. “Oferecemos também limpeza de pele, peeling, pós-operatório e planos especiais para noivas e gestantes”, informa e convida Daniela Borges Ultramare, proprietária da Unidade OligoFlora de Jaú. Cuide do seu corpo como você sempre sonhou e com a qualidade em que você pode confiar!


Revista Energia 39


Especial profissões

Medicina Veterinária Por Érika Lopez | Foto Leandro Carvalho

Quer ser um veterinário? Saiba tudo sobre a profissão!

A

Medicina Veterinária se dedica ao estudo, prevenção e tratamento das doenças dos animais, desde cães e gatos até grandes animais, inclusive os silvestres. É uma carreira que oferece ao estudante uma ampla diversidade de atuação. Além de controlar a saúde, o profissional de medicina veterinária pode atuar controlando a qualidade da produção de produtos industriais (indústrias de leite, carnes e ovos) e também realizando pesquisas na área de zoonoses (doenças transmitidas ao homem a partir dos animais). Na opinião do médico veterinário Giovani Araujo, do Hospital Veterinário Araujo (HVA), não basta apenas gostar de animais para seguir essa carreira. Para ser um bom profissional e se destacar no mercado de trabalho, a pessoa precisa ter o seu diferencial. “São cinco anos de curso, incluindo os estágios que são importantes, e o estudante aprende como é a anatomia e a fisiologia das espécies. Depois de estar formado, um programa de residência pode ser uma experiência valiosa, mas, se o intuito é atuar como gestor, um MBA também é indicado. Para quem deseja aprimorar-se em um ramo da Medicina Veterinária, a alternativa é o curso de especialização”, explica Giovani.

Outro campo que começa a congestionar é o de equinos. O número de especialistas tem aumentado bastante. Um campo interessante é o de produção de animais. O Brasil é o maior exportador de carne de frango e bovina. Conforme os rebanhos vão aumentando, ocorre uma grande necessidade de profissionais de medicina veterinária na zona rural, principalmente para realizar o controle de doenças e reprodução destes animais. “Há oportunidades em empresas agropecuárias, empresas de medicamentos, centros de planejamento e consultoria de fazendas e frigoríficos”, aponta Giovani.

SALÁRIO Segundo o veterinário, o salário depende muito da área que o profissional escolhe, além de sua competência, mas inicialmente varia de R$ 3.732,00 a R$ 5.286,60 por mês.

Onde estudar A universidade pública mais próxima de Jaú, que oferece o curso de Medicina Veterinária, é a UNESP (Universidade Estadual de São Paulo), Campus Botucatu, Jaboticabal e Araçatuba. Informações: www.unesp.br. Entre as faculdades particulares, as mais próximas ficam em Bauru, Garça e Marília.

Diversidade O veterinário pode escolher diversos ambientes de trabalho: Em clínicas veterinárias para animais de estimação (cães, gatos e aves), realizando exames, vacinas e cirurgias. Em fazendas, controlando a saúde dos rebanhos e crescimento da população animal. Em indústrias onde, juntamente com o profissional de engenharia de alimentos, vai inspecionar e melhorar os processos de produção dos produtos de origem animal. Em hospitais, pesquisando e combatendo o avanço das zoonoses entre a população humana.

MERCADO DE TRABALHO Como em quase todas as áreas, o mercado de trabalho para os veterinários é escasso em alguns ramos e saturado em outros. De acordo com Giovani, a área de animais de estimação está saturada e exige profissionais com diferencial. Geralmente, quem possui especialização na área costuma se destacar. 40 Revista Energia

Giovani Araujo, médico veterinário do Hospital Veterinário Araujo (HVA)


Revista Energia 41


Energia Garota

Por Cláudio Bragga

Marina Martini

Apelido: Ma Data de nascimento: 14/10/1996 Mulher bonita: A mais linda do mundo: minha mãe Homem bonito: Mateus Verdelho Música que gosta: Gotye - Somebody that I used to know Perfume: Marina de Bourbon Comida: Arroz com bacon e costela Filme: Prova de fogo e Sempre ao seu lado Não vive sem: Meus pais e amigos Frase: “O mundo pode até fazer você chorar. Mas Deus te quer sorrindo.” Sonho: Viajar com meus amigos, sem rumo algum

Ficha técnica:

Looks: Garbin Modas Fone: (14) 3624.8635 Cabelo e make: Rafael Camargo Site: www.rc-hd.com.br Fone: (14) 3032.0121 Locação: Praça Siqueira Campos - Jaú

Quer ser Garota Energia?

Acesse o nosso site e saiba como: www.energianaweb.com.br

42 Revista Energia


Marina Martini

Revista Energia 43


44 Revista Energia


A Unimed é mais que um plano, é atenção à saúde.

Agendamento de consultas

Todos os lados da moeda Página 47

Destaques

8ºEncontro de Secretárias Mais de 150 profissionais presentes

ANS-nº 30676-2

Paralimpíadas Escolares Nadadores jauenses disputam etapa nacional

Expediente Ano 3 - Edição 9 Jaú, Outubro de 2012 Informativo Saúde! é uma publicação da Unimed Regional Jaú Presidente: Antônio José Craveiro Faria Vice-Presidente: Dr. Paulo De Conti Superintendente: Dr. Paulo Fernando Campana Secretário: Dr. José Carlos Berto

Assessora de Marketing e Comunicação: Fernanda de Almeida Jornalista Responsável: Nádia De Chico - MTB: 46538/SP Redação/Fotos: Fernanda de Almeida e Nádia De Chico Diagramação: Revista Energia Colaboração: Gisele Magi e Felipe Azevedo Silva

Distribuição: Revista Energia Informativo Saúde! Rua Álvaro Floret, 565 - Vila Hilst - Jaú/SP Cep: 17207-020 Central de Relacionamento: 0800 10 53 33 www.unimedjau.com.br Elogios, críticas e sugestões de pauta nadia.chico@unimedjau.com.br


PALAVRA do PRESIDENTE Prezado Leitor,

M

uito se tem falado na mídia sobre a remuneração do médico através dos planos de saúde. Os movimentos da classe médica com a divulgação do baixo valor pago pelo trabalho do profissional médico, culminando Dr. Antonio José com paralisação e protesto nas Craveiro Faria ruas da capital paulista e em ouDiretor Presidente tras cidades, tem sensibilizado da Unimed Regional Jaú a população em geral e alguns orgãos governamentais. Os planos de saúde têm se manifestado timidamente. Alguns anunciaram elevação dos valores pagos na consulta médica. Parte deles fazem atendimento em ambulatórios e só encaminham os pacientes aos especialistas em última instância. Só então, remuneram um pouco melhor o trabalho médico, ainda muito aquém do esperado e justo. A má remuneração ocorre também, e muito mais, na saúde pública. Assim, médicos recém-formados não querem mais se prestar a um serviço pago de forma aviltante. Há um descaso para com o profissional médico, tal qual a classe do professorado. Políticos fazem suas plataformas de governo sobre a educação e saúde, e não cumprem suas promessas de campanha. Pouca é a verba destinada a estas áreas, e nos últimos anos houve grandes cortes no orçamento da

saúde por parte do Governo Federal. A população mal assistida é obrigada a ter um plano de saúde, embora tenha direito constitucional à assistência na área da saúde. Paga duas vezes, no desconto dos seus tributos e na compra do plano. Se o pagamento do plano de saúde não tiver uma precificação adequada, certamente o médico será mal remunerado. A Unimed Regional Jaú tem trabalhado de maneira consistente para manter os preços dos planos de saúde compatíveis com o que o mercado pode pagar e ao mesmo tempo remunerar de forma muito próxima, não apenas do desejo da classe médica, mas do seu mérito. Com essa equação resolvida conseguimos dar uma assistência nos consultórios médicos que atendem as necessidades de quem paga o plano e do médico que presta o serviço. Somos uma das Operadoras de plano de saúde que melhor remunera o trabalho médico neste país. Para isso uma política de esclarecimento a estes dois pilares do sistema tem sido realizada com sucesso. O trabalho na área da prevenção, através do Núcleo de Atenção à Saúde, tem obtido êxito incontestável, podendo evitar muitos atendimentos desnecessários, prevenindo doenças e complicações nos tratamento. Só uma administração com visão global e firme  pode manter o equilíbrio financeiro da instituição. Assim, nossos médicos podem dar a atenção merecida aos que acreditam na Unimed Regional Jaú. Muito Obrigado!

Dr. Antonio José Craveiro Faria

8º Encontro de Secretárias A Unimed Regional Jaú realizou, em 15 de setembro, o 8º Encontro de Secretárias de Médicos Cooperados. Cerca de 150 profissionais de Jaú e Região participaram do evento que teve como tema: Comportamentos Geradores de Comportamentos – Causa e Efeito, Ação e Reação. A palestra foi ministrada pelo conceituado psicólogo Marcelo Herrera Gonçales que é pós-graduado em Administração de Empresas e em Gestão Empresarial, professor universitário, coach para executivos e gestores e consultor em desenvolvimento humano. De acordo com Gonçales, a palestra mostrou que o comportamento assertivo está centrado na autopercepção, constituindo uma forma de estimular o autoconhecimento por meio da identificação de como a pessoa se sente em relação a si mesma e aos outros. “Observamos quatro modalidades de comportamento: a conduta manipulativa, a não-assertiva, a agressiva e a assertiva. Tivemos como objetivo ajudá-las a darem o primeiro e decisivo passo na revisão do próprio comportamento e na identificação de mudanças de postura frente às outras pessoas.” explica o palestrante. As secretárias participaram ativamente com perguntas e opiniões e vivenciaram uma desafiadora dinâmica que evidenciou o poder da cooperação. De acordo com uma das secretárias presentes, Glaucia Cristina

Marchi, foi importante participar do evento para interagir com as colegas de profissão além de aperfeiçoar o conhecimento na área ajudando-a em um ponto delicado da profissão que exerce: a relação com o paciente. Este evento é realizado regularmente há seis anos, com o objetivo de aproximar as secretárias dos médicos cooperados e recursos credenciados. O desenvolvimento profissional destas atendentes também é uma forma de melhorar continuamente os serviços disponibilizados aos beneficiários dos planos de saúde. O palestrante Marcelo Herrera Gonçales provando, por meio de dinâmica da ponte, o quanto a cooperação é importante.

A Unimed é mais que um plano, é atenção à saúde. 46 Revista Energia


Agendamento de consultas

Todos os Lados da Moeda Texto Equipe de Comunicação Unimed do Brasil

É fato notório e constante na imprensa notícias sobre a dificuldade de agendamento de consultas com médicos dos planos de saúde. Este tema sempre aparece entre os três motivos mais citados nas reclamações dos usuários. Dependendo do plano de saúde, da cidade, da especialidade médica e do próprio profissional escolhido, o tempo de espera pela consulta pode chegar a 6 meses. Para tentar amenizar o problema, que é geral entre os planos de saúde, a ANS publicou em 2011 a normativa RN 259, estabelecendo prazos máximos de agendamento para determinadas especialidades e serviços médicos. Além da norma, a ANS intensificou a fiscalização do cumprimento destes prazos, ação que culminou com a suspensão de venda de 268 planos de saúde de 37 Operadoras em todo o Brasil. Mas o que realmente causa este problema? Em uma análise mais detalhada, é possível encontrar diversos fatores que influenciam o grau de dificuldade de agendamento de consultas entre os médicos que atendem planos de saúde. O fator “valor de pagamento da consulta pelo convênio” exerce clara influência. Por este motivo é uma luta constante na Unimed Jaú a valorização da consulta médica. Mas como isso não é a única questão do problema, também não é a única fonte de solução. Sabe-se, por exemplo, que determinados profissionais possuem uma demanda maior de pacientes e, portanto, possuem menos espaço de agendamento. Porém, é necessário esclarecer que os médicos são profissionais liberais, ou seja, o plano de saúde não possui gerenciamento direto sobre a sua agenda de trabalho. Além disso, algumas especialidades médicas possuem maior dificuldade de agendamento, por motivos que vão desde o aumento das necessidades de tratamento até uma queda na formação de novos especialistas dentro de algumas áreas. Se cresce a demanda e não há formação de novos

profissionais no mesmo ritmo, a equação não fecha. Outro fator que também influencia o agendamento é o nível de faltas às consultas agendadas. Análises feitas em alguns consultórios indicam um nível médio de 20% de faltas às consultas agendadas sem que o paciente desmarque a consulta com antecedência. Isso significa que a cada 5 consultas agendadas, 1 paciente falta sem aviso prévio. Considerando que a Unimed Jaú atende, em média, 15 mil consultas por mês (só as agendadas, sem contar as de urgência), são pelo menos 3 mil consultas perdidas todos os meses. Horários que poderiam ser usados por outros beneficiários. Em Jaú e nas cidades da nossa área de ação, disponibilizamos o serviço de agendamento de consulta através do 0800105333. Os beneficiários dos nossos planos continuam fazendo o agendamento direto no consultório, porém, se não conseguirem o atendimento dentro dos prazos estabelecidos pela ANS (ver quadro abaixo), basta ligarem neste número que a Unimed faz o agendamento dentro dos prazos determinados, com profissionais da mesma especialidade necessária. Apenas os beneficiários que optam por um determinado profissional é que podem vir a aguardar um tempo maior, mas mesmo nestes casos procuramos intervir junto ao médico para conseguir o agendamento o mais brevemente possível, de acordo com a demanda de pacientes daquele médico. Estamos trabalhando continuamente para aumentar a satisfação de nossos beneficiários neste tema, mas pedimos também que estes colaborem quando não puderem comparecer a uma consulta agendada, avisando ao consultório com pelo menos 24 horas de antecedência, para permitir a reutilização do espaço por outro paciente. Somente trabalhando em conjunto é que chegaremos às melhores soluções.

Prazos máximos para atendimento dos serviços médicos, de acordo com a RN 259 da ANS, de 20/06/2011. TIPO DE ATENDIMENTO consulta básica - pediatria, clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia consulta nas demais especialidades médicas consulta/sessão com fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta serviços de diagnóstico por laboratório de análises clínicas em regime ambulatorial demais serviços de diagnóstico e terapia em regime ambulatorial procedimentos de alta complexidade - PAC atendimento em regime de hospital-dia atendimento em regime de internação eletiva urgência e emergência Prazo de retorno de consulta

PRAZOS em até 7 (sete) dias úteis em até 14 (quatorze) dias úteis em até 10 (dez) dias úteis em até 3 (três) dias úteis em até 10 (dez) dias úteis em até 21 (vinte e um) dias úteis em até 10 (dez) dias úteis em até 21 (vinte e um) dias úteis imediato A critério do médico

A Unimed é mais que um plano, é atenção à saúde. Revista Energia 47


Agenda do Mês

NAS: Núcleo de Atenção à Saúde Programa Muito Idosos: Uma questão de respeito com os idosos!

PROGRAMA MAMÃE UNIMED Público: Gestantes 20º Turma Início: 18/10/2012 Inscrições no NAS: (14)3621-4877 PROGRAMA CUIDADORES Público: Acompanhantes de Idosos 9º Turma Início: 08/10/2012 Inscrições no NAS: (14)3621-4877 III SEMANA DE SAÚDE OCUPACIONAL Público: Profissionais responsáveis pela aérea de Recursos Humanos/DP Período: 23/10/2012 a 25/10/2012 Inscrições: (14) 3602-8928 | 3602-8913

O Programa Muito Idosos da Unimed Regional Jaú tem se revelado um marco no cuidado dos pacientes idosos beneficiários da Cooperativa. O programa de gerenciamento que existe desde 2009 cuida de pessoas com idade superior aos 80 anos, em Jaú e região, monitorando as condições clinicas, orientando a família e o paciente das alterações na avaliação e minimizando o risco de quedas. “Essa atividade é realizada por equipe multiprofissional, com visitas presenciais.” conta o médico coordenador do NAS – Núcleo de Atenção a Saúde, Dr. Ramiro T. Hernandes, explicando ainda que o programa expandiu, já que apenas os idosos com idade superior a 85 anos eram beneficiados até maio passado. Segundo o coordenador do NAS, em três anos o programa conseguiu uma redução de 48% de fraturas, 33% nas internações clinicas e 12% de

consultas de pronto socorro. “Esses indicadores, que são extremamente relevantes para esta população, comprovam o quanto esse público está muito bem assistido.” finaliza Hernandes. O Programa Muito Idosos foi recentemente considerado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) um programa de sucesso. No Brasil, apenas doze Operadoras foram apontadas como casos de sucesso e, entre elas, a Unimed Regional Jaú.

Em três anos observamos queda em: 48% de fraturas 33% de internações clinicas 12% de consultas de pronto socorro

Equipe de Atletismo Destaque em competição para pessoas com deficiência Contagiante!! Não existe palavra melhor para explicar a força de vontade da equipe de atletismo PCD (Pessoas com Deficiência), patrocinados pela Unimed Regional Jaú. Os atletas com deficiência Visual, Tiago Esquerdo, Cleiton Lopes, Fábio e Osmar ganharam medalhas de Ouro e Bronze nos Jogos Regionais de Lins disputados em Julho, e alcançaram o índice para participarem dos Jogos Abertos de Bauru, em novembro. “Tiago Esquerdo e Cleiton Lopes disputaram a prova 1500 metros, ganharam medalha de Ouro e participarão dos Jogos Abertos de Bauru. Nos 100

Equipe de Atletismo PCD Unimed Regional Jaú. (Fábio, Cleiton, Tiago, Osmar)

metros rasos, Osmar ficou com a medalha de bronze e Fábio ficou em quarto lugar na classificação geral.”, conta a técnica da equipe Lúcia Alves da Silva Gomes. Os atletas que pretendem participar também da São Silvestre, no fim do ano, treinam todos os dias. Tiago e Cleiton treinam percursos

mais longos, Osmar e Fábio treinam para provas mais curtas. Os quatros são assistidos da Associação Mulher Unimed – Amu/ Jaú em parceria com a Associação e Movimento de Assistência ao Indivíduo Deficiente – Amai, que juntas atendem pessoas com deficiência física, auditiva e visual.

A Unimed é mais que um plano, é atenção à saúde. 48 Revista Energia


Corrida dos 10km Cidade de Jaú Um sucesso!!

As vencedoras dos 5 km Cidade Jaú. Silvana Soares ficou em primeiro lugar

Os 159 anos de Jaú comemorados, com a décima edição da tradicional Corrida dos 10km cidade de Jaú, no dia 25 de Agosto, atraiu mais de 400 atletas entre experientes e iniciantes de Jaú, região e até de outros estados do país. Os vencedores dos dez quilômetros foram: Genival Griffo, de Bocaina e a jauense Rita de Cassia Moreira. Nos 5 km os vencedores foram Diego Rafael Barbosa, de Guaiçara e Silvana Soares. De acordo com a fisioterapeuta Adriana C. Mazzeto, 39 anos, que participou pela primeira vez da prova correndo os cinco quilômetros, a iniciativa de comemorar o aniversário da cidade atentando às pessoas para a importância da atividade física foi uma excelente ideia. O evento foi patrocinado por quatro empresas, dentre elas a Unimed Regional Jaú, que disponibilizou serviço de enfermagem com aferição de pressão e teste de glicemia para os competidores.

Dois jovens nadadores para-atletas de Jaú ficaram entre os quatro melhores do estado e foram convocados para a Paralimpíada Escolar, etapa Nacional. Vitor Orseli e Ana Julia Botton, da equipe de natação Academia do Bill e patrocinados pela Unimed Regional Jaú, conseguiram o feito depois de vencerem a Paralimpíada Escolar Estadual. A dupla conquistou o primeiro lugar nas provas, disputadas em Franca, de 50 m livre e 50 m costas, em agosto. De acordo com o técnico Rinaldo Luchesi, apesar de estreantes nesta competição, ambos tiveram 100% de aproveitamento. “Os atletas estão felizes e muito motivados nos treinamentos.”, conta o técnico. A etapa nacional acontece entre quinze e vinte de outubro, em São Paulo, as provas serão realizadas em eliminatórias simples e o melhor tempo será considerado campeão. “Vitor e Ana Julia treinam desde o início de abril diariamente e especificamente para as provas que nadarão em São Paulo: 50m. livre, 50 m costas, 100 m livre e os revezamentos 4x50 m livre e 4x50 m estilos.”, finaliza Luchesi. O técnico Bill com Vitor e Ana Julia.

Aline Furlanetto / Comércio do Jahu.

PARALIMPÍADA ESCOLAR Responsabilidade Nadadores jauenses Sócio Ambiental disputam etapa nacional Aqui existe!!!! As pessoas e o meio ambiente são prioridade para a Unimed Regional Jaú. Desde 2008 a cooperativa contribui com o desenvolvimento sustentável da comunidade em que atua por meio de ações de desenvolvimento social e em prol do meio ambiente. Como programa ambiental, a Unimed Regional Jaú possui o Programa Reciclar é Viver, em parceria com a Associação dos Catadores de Papel de Jaú (ACAP). Todo o lixo produzido pela cooperativa, exceto lixo orgânico, é encaminhado para a reciclagem com o objetivo de estimular os colaboradores da Unimed Regional Jaú sobre o consumo consciente de materiais recicláveis. Por meio deste Programa cada colaborador tem lixeiras de coleta seletiva (plástico/papel/orgânico) individuais, para que a separação do lixo seja feita no momento do descarte, além de terem, também, uma caneca personalizada, a fim de reduzir o consumo de copo descartável dentro da cooperativa. Nesses quatros anos atuando para um mundo mais sustentável, o Programa Reciclar é Viver enviou para reciclagem cerca de 30.000 kg de lixo e reduziu em 57% o consumo de copo plástico dentro da Cooperativa.

A Unimed é mais que um plano, é atenção à saúde. Revista Energia 49


Tendências QuemfezJahu

Dr. Alfeu Fabris Texto Heloiza Helena C. Zanzotti

Nascido no bairro Pouso Alegre de Baixo em 13 de maio de 1922, Dr. Alfeu Fabris teve sua vida toda dedicada a Jaú. E era um apaixonado por esta cidade. Antes de iniciar sua vida pública, trabalhou na Light em São Paulo, na Rádio de Marília, na Rádio Jauense, na Mercedes Benz em Brasília e na SAJAC em Jaú, onde lançou o consórcio de veículos, que serviu de modelo para muitas cidades da região. Com apenas 25 anos foi nomeado prefeito interino de Jaú por 21 dias, em 1947, época da Ditadura Militar, quando os governos eram provisórios. Convidado a organizar a Câmara Municipal de Jahu, que hoje leva seu nome em uma justa homenagem, foi diretor e assessor jurídico no Poder Legislativo, onde idealizou inúmeros projetos. Em 1953 casou-se com Lucy Veríssimo Romão Fabris, com quem teve 2 filhas: Ema e Lígia. A RE teve o prazer de conversar com Dona Lucy, 82, professora aposentada, que nos recebeu na casa onde moravam e onde ela ainda reside, após o falecimento do marido. Com uma simpatia ímpar, Dona Lucy conta que permaneceram casados por 41 anos. “Se fosse vivo, hoje ele teria 90 anos. O Alfeu era muito religioso, foi um excelente esposo, pai e avô, sempre voltado para a família. Tivemos três netas e um neto, mas infelizmente o rapaz faleceu em um acidente de moto, aos 17 anos. Essa foi a grande tristeza do Alfeu. Ele morreu 11 meses depois”, diz ela. Alfeu Fabris nasceu para a vida pública. Em 1959 formou-se em Direito. Foi vice-prefeito na gestão de Waldemar Bauab, nos anos de 1973 a 1976, quando foi eleito prefeito pelo voto popular, para um mandato de 4 anos, que foram prorrogados por mais dois anos, terminando em 31 de janeiro de 1983. Como prefeito de Jahu, realizou inúmeras obras de infraestrutura como abertura de ruas, pontes e avenidas, expansão do sistema de água e esgoto, abertura de poços, construção de trevos e praças, iluminação pública, construção de prédios escolares e centros comunitários, criação do serviço de educação infantil. Além disso, ampliou a Escola Industrial, implantou a Faculdade de Enfermagem, instalou os serviços do Senac, o convênio com o SESI e o Centro Recreativo dos

50 Revista Energia

Idosos, inaugurou o 1º Ginásio de Esportes de Jahu. Ainda realizou a reforma completa do campo de futebol do Pouso Alegre de Baixo, fez obras complementares no Estádio Zezinho Magalhães e os primeiros alojamentos do Esporte Clube XV de Novembro. Instalou o Corpo de Bombeiros, o PABX na prefeitura e participou ativamente da construção do Kartódromo Municipal. Na sua gestão, foram firmados os convênios com as emissoras de TV Cultura, Bandeirantes, Record e Rede Globo. Sempre lutou em prol do Caiçara Clube de Jahu, tendo sido presidente do seu conselho deliberativo. Entretanto, como afirma Dona Lucy, ele não gostava de aparecer e não queria que fossem colocadas placas comemorativas em suas obras. “Ele era um benfeitor mesmo, fazia por amor, por dedicação”, diz ela, que ainda contou que o Dr. Alfeu fundou um jornal, a Folha Jauense: “Ele viajava toda semana para São Carlos, porque a impressão era feita lá. Foi assim por uns quatro anos, até vender o jornal”. Sobre a personalidade do homenageado, disse Dona Lucy: “Ele era um homem alegre, mas muito sério e muito honesto. Gostava de tudo muito certinho. Era uma pessoa muito boa e sempre dizia: - Não tenho inimigos. Para mim, todos são bons, até que provem o contrário”. Dr Alfeu Fabris aposentou-se na Câmara Municipal de Jahu e faleceu em 12 de julho de 1994, aos 72 anos de idade.


Informe Publicitário

Dia do dentista O Instituto Odontológico Madalena parabeniza todos os profissionais da área odontológica pelo dia mundial do cirurgião dentista, comemorado no dia 3 de outubro. A primeira escola dentária surgiu em 1840, em Baltimore, nos Estados Unidos. No Brasil os primeiros cursos de odontologia surgiram no Rio de Janeiro e na Bahia, determinados pelo decreto nº 9311 de 25 de outubro de 1884, e é por isso que em nosso país o dia do dentista é comemorado nesta data. Antigamente, os dentistas eram chamados de dentistas práticos, sem formação ou com pouco conhecimento, que não tratavam os dentes, apenas extraiam aqueles que estavam estragados. Normalmente eram barbeiros ou ambulantes e trabalhavam em locais precários, sem a higiene necessária. Atualmente, a odontologia brasileira é reconhecida mundialmente pela qualidade e técnica de seus profissionais, possuindo 23 especialidades. O dentista é aquele que domina a arte de cuidar e restaurar o movimento mais verdadeiro do seu corpo: seu sorriso. Sabemos que a saúde começa pela boca e, ao sorrir, as portas do mundo se abrem mais facilmente.

Consulte seu dentista periodicamente e parabéns a todos os profissionais que atuam na área odontológica. IOM – Dr Antonio José Madalena Filho.

Revista Energia 51


Capa

Carolina Rosseto

GOLD SILVER Anos de tradição e dedicação total ao cliente Texto Érika Lopez | Fotos Cláudio Bragga e Leandro Carvalho 52 Revista Energia


“Neste mês de outubro a Gold Silver comemora 20 anos. Uma história de sucesso que começou com a inauguração da primeira loja, na cidade de Botucatu.”

O

saudoso Claudeval Luciano da Silva iniciou sua carreira no grupo Pão de Açúcar. Com muita determinação e trabalho durante anos, conquistou o cargo de supervisor das lojas em São Paulo demonstrando, assim, sua competência e experiência no varejo. Já sua esposa Alaíde Rosseto da Silva, buscando melhorar a renda familiar, iniciou a venda de semijoias em pequenos mostruários, porém logo se apaixonou pelo ramo, mostrando ao marido a excepcional vendedora que era. Sua simpatia e conhecimento dos produtos que oferecia chamavam a atenção das pessoas.

A primeira conquista A união do bom gosto e facilidade de vendas de Alaíde, com a experiência e visão empreendedora que Claudeval adquiriu nos 35 anos de varejo, deram origem à primeira loja Gold Silver em Botucatu, na Avenida Don Lucio, em outubro de 1992. Já nesta ocasião a empresa dava os primeiros passos na quebra de paradigmas do setor joalheiro, com a grande diversidade de produtos em joias, semijoias, prata e relógios, com preços bem mais acessíveis, atingindo um público que antes nenhuma joalheria da região havia conquistado. Logo veio o apoio dos filhos Luciana, Alessandro e Carolina. Vendo a dedicação dos pais, também se aventuraram no ramo e passaram a ajudar na administração das lojas, se especializando nesse tipo de negócio. Assim, a empresa familiar começou a crescer de forma segura e arrojada.

O progresso

Em 1996 foi inaugurada a segunda loja em Botucatu, revolucionando o setor joalheiro. Com cerca de 300 metros quadrados, localizada na Amando de Barros, principal rua de comércio na cidade, proporcionou aos clientes um amplo espaço com maior variedade de produtos, diversificadas promoções e amplitude nas formas de pagamentos, mantendo a beleza e a qualidade dos produtos. Em 1999 a familia teve um novo objetivo: levar a empresa para Bauru, desafiar a concorrência mais acirrada e as novidades de uma nova cidade, apostando na ideia de sempre superar as expectativas de seus clientes. Novamente com o apoio da família e com o arrojo característico que possuem, a Gold Silver se fixou na cidade e ganhou sua clientela fiel.

Após tantas conquistas, em 2003 o casal de empresários Claudeval e Alaíde optou por levar uma vida mais tranquila, longe dos negócios. Assim, os filhos assumiram totalmente a direção da empresa, trabalhando a cada dia para melhorar e oferecer aos clientes novas opções em produtos e um excelente atendimento. Nesse ritmo Luciana, Alessandro e Carolina traçaram novos objetivos e ampliaram ainda mais a empresa com a inauguração da segunda loja em Bauru, na Avenida Getúlio Vargas, tornando o nome Gold Silver ainda mais forte na cidade, com estacionamento próprio e local diferenciado para seus clientes. O sucesso foi tão grande que, em 2007, com a expansão do Bauru Shopping, veio a terceira “filha”, uma loja com um design moderno e ousado para o atendimento.

Carolina Rosseto, Alessandro e ao lado a esposa Fabiana Rosseto

Revista Energia 53


A Gold Silver tem como características marcantes a inovação em suas promoções, o investimento e um padrão de mídia que deixa a marca sempre em evidência. Com essa receita, a empresa viu em Jaú mais uma grande oportunidade: uma cidade em pleno crescimento e com uma nova proposta de ampliação do Jaú Shopping, não poderia ficar fora dos planos. Com isso, em novembro de 2010 foi inaugurada a Gold Silver. Uma loja ampla, que oferece todo o mix de produtos das demais: joias da linha leve e rebuscada, semijoias como prata indiana, folheado e bijuteria, além da linha completa de relógios com as grifes Michael Kors, Empório Armani, Bulova, Citzen, óculos de sol e de grau das melhores marcas nacionais e importadas como Ana Hickmann, Armani Exchange, Atitude, Disney Infantil, Diesel, Empório Armani e muitas outras. Jaú apresenta um grande número de lojas do setor, porém, recebeu muito bem a nova loja Gold Silver, com uma equipe dedicada em oferecer o que há de mais novo no ramo e que está crescendo cada vez mais na cidade. Mas o desenvolvimento não para por aí, com uma gerência participativa, onde os colaboradores atuam em sincronismo com a direção, a Gold Silver anuncia a mais nova loja a ser inaugurada no Shopping Nações na cidade de Bauru, em novembro deste ano, e já convida a todos para conhecerem e se encantarem com seus produtos.

Família Gold Silver reunida: Carolina, Alessandro com os pais Claudeval e Alaíde, Luciana Rosseto e José Roberto Almeida

compram e porque compram. Foi de lá que eu trouxe a moda do Maxi-Colar. Um sucesso!!!”, conta Carolina. Em junho, a Gold Silver esteve presente na São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda do país, para trazer aos clientes as melhores novidades que serão tendências no verão de 2013 em todo o país. Além de buscar todas as novidades nos eventos, a Gold Silver trabalha com uma linha exclusiva de joias e semijoias desenhadas, podendo criar ao gosto de cada cliente. “Esses produtos são únicos, raramente duplico uma joia, por esse motivo temos poucas peças e o seu valor advém da sua exclusividade”, explica Carolina.

Novidades e tendências

Os irmãos Rosseto estão à frente nas compras e sempre antenados nas novidades do mercado, participando de feiras em todo o país e até fora dele, como a Feninjer (Feira Internacional de Joias e Relógios), Ajoresp (Feira de Joias do Pólo Industrial de São José do Rio Preto), Ajorsul Business (Feira de Joias, Relógios, Semijoias e Óculos), Mostra São Paulo (Semijoias e Acessórios), Firja (Feira Internacional de Joias, Relógios e Afins), entre outras como Bijoias, Couromodas, Guift Fair e Abiótica. A empresa, constantemente, busca inspiração e principalmente tendências de moda fora do Brasil: “Em agosto do ano passado pude conhecer a metrópole do consumo (Nova Iorque), e analisei onde as pessoas compram, o que

54 Revista Energia

Campanhas e datas comemorativas

Segundo Alessandro, a Gold Silver tem uma agência de publicidade e propaganda, lançando a cada mês uma nova campanha. São produzidas peças para TV, rádio, jornal, outdoor e revistas, sempre com o foco em algum produto específico, ou em datas comemorativas. A empresa também possui campanhas próprias como a “Troca Troca” de óculos e relógios, “Pedras e Pérolas” e a tradicional “Bota Fora”, que acontece em janeiro, fazendo a diferença das demais lojas do ramo. A Gold Silver possui, ainda, várias linhas de produtos dedicadas às comemorações como, por exemplo, a coleção de placas para correntes constando

a data e o motivo, como o nascimento, os 15 anos, bodas, primeira comunhão ou crisma, além de anéis de formatura e mais de duzentos modelos de alianças para casamento, noivado e bodas.

Joia: um investimento para toda a vida

A joia, como produto de consumo, sempre atraiu homens e mulheres pela beleza de suas peças douradas, pela durabilidade de seu metal e principalmente pelo valor agregado de suas mercadorias. A compra de uma joia deve ser encarada também como um ótimo investimento, pois além de dar brilho, luxo e beleza para quem usa suas peças, elas duram para sempre e podem servir como dinheiro por meio de penhor.

Desfile da loja Gold Silver no Jaú Shopping


Cuidado com suas jOias A Gold Silver possui um alto padrão na qualidade de suas joias, porém alguns cuidados são necessários para mantê-las em bom estado: Joias podem ser danificadas por produtos químicos, fricção constante ou batidas fortes. Evite usá-las em atividades esportivas, tarefas domésticas ou serviços manuais pesados. Pedras, pérolas e metais têm diferentes graus de resistência a risco. Guarde estas joias separadamente, evitando que elas arranhem ou quebrem. É aconselhável usar embalagens apropriadas, como a própria embalagem da jóia. As pérolas em contato com perfumes, xampu e até mesmo o suor podem sofrer danos irreparáveis. Colocar suas pérolas imersas em água sem cloro e com sal pode revitalizá-las, trazendo novamente o seu brilho. Para limpar pérolas, ouro e prata, com ou sem diamantes, use apenas flanela bem macia antes de guardar. A prata sem pedra pode ser limpa com pasta de dente branca, apenas friccione os dedos na peça com a pasta, enxágue bem e seque com guardanapo de papel e secador de cabelo para não ficar umidade, pois a prata é porosa. A química do sabonete pode prejudicar o brilho das joias.

Peça exclusiva Gold Silver Confecção Estela Geromini

Equipe de colaboradoras da Gold Silver Jaú

Fórmula do sucesso São duas décadas de trabalho e dedicação. A Gold Silver está ao lado da família, com o objetivo de sempre satisfazer suas necessidades e desejos. Com isso oferece os melhores preços e uma ampla variedade de produtos e serviços, como joias, semijoias, relógios, óculos de sol e de grau e muito mais. - peças masculinas e femininas escolhidas pelo que apresentam de melhor em bom gosto e qualidade. A Gold Silver busca ser referência no mercado para conquistar cada vez mais seu espaço. O investimento na força de trabalho é fator crucial para o sucesso da empresa, que possui uma equipe exclusiva, com um atendimento sempre carinhoso e atento; portanto são realizados treinamentos semanais com essa finalidade. Revista Energia 55


56 Revista Energia


Informe Publicitário

Lima Limão

inaugura nova filial Outubro é o mês das crianças e aproveitando a data a Lima Limão Baby, Kids, Teen Moda Infantil inaugura nova filial no piso térreo do Jaú Shopping. Uma loja genuinamente jauense, tradicional na cidade desde 2005, que oferece à população uma grande variedade de produtos, pois trabalha com diversas marcas famosas como Lilica e Tigor, PUC, Carinhoso, Camu-Camu, Gabriela Aquarela, Nini Bambini, além da exclusividade na marca Joy (linha infantil da Morena Rosa), que conquista crianças e adultos pela qualidade e criatividade nas coleções. Na loja Lima Limão você encontra bodys, calças, macacões, vestidos, bermudas, shorts, blusas, camisetas, meias, enxoval completo e todos os tipos de roupas para bebês; sapatinhos, tênis, sandálias e outros calçados especiais; tudo desde o enxoval à linha teen (até 16 anos), além de possuir uma completa linha de acessórios que embelezam as crianças. Desde março de 2012 a loja conta com a direção de Fátima Previatello que, apostando no segmento infantil, inaugura a filial do Jaú Shopping no dia 06 de outubro, com ambiente amplo e climatizado. Com produtos direto dos fabricantes, qualidade e bons preços, a Lima Limão apresenta toda a modinha e tendência infantil, seguindo a mesma linha da moda adulta em coleções com cores alegres, conforto extremo, irreverência e liberdade. Agora também no piso térreo do Jaú Shopping

Fátima ao centro com as colaboradoras Cibele, Suzana, Sabrina e Priscila

Revista Energia 57


Look de artista

Fotografia Leandro Carvalho Modelo Larissa Abreu Beleza Jessé Professionnel Style Vestylle Megastore Joias Érica Módolo 58 Revista Energia


Revista Energia 59


Fotografia Leandro Carvalho Modelo Karina Godoy Beleza Rafael Camargo Style Vestylle Megastore Joias Érica Módolo 60 Revista Energia


Revista Energia 61


Varal

Fotos Leandro Carvalho

M. Officer:

Jaú Shopping - Piso Térreo Fone: (14) 3416.0831

Menfis Modas:

Rua Tenente Navarro, 619 Fone: (14) 3626.8108

62 Revista Energia

Érica Módolo:

Fone: (14) 8128.1900

Santa Felicitá Bolsas e Acessórios Rua Sebastião Ribeiro, 658 A Fone: (14) 3621.9078


Conexão Modas: Rua São Sebastião, 15 Fone: (14) 3622.8477

Maria Bonita Acessórios: Fone: (14) 9727.4949 | 8134.9169

Arezzo:

Jaú Shopping Piso Superior Fone: (14) 3416.7737

Gold Silver:

Jaú Shopping - Piso Térreo Fone: (14) 3416.1858

Revista Energia 63


Varal

Ana Maria Fitness:

Rua Marechal Bitencourt, 82 Fone: (14) 3624.7276 - Jaú Rua Tiradentes, 415 Fone: (14) 3652.6454 Dois Córregos

64 64Revista RevistaEnergia Energia

Cintya Barros:

Rua Lourenço Prado, 841 Fone: (14) 3622.4945


Revista Energia 65


Look

kids

Por Leandro Carvalho

66 66Revista RevistaEnergia Energia


Crianças

Vinícius Ferotine Oliveira Iasmim Leme Rubia Locação: Flora Paraíso Fone: (14) 3626.1760

Revista Energia 67


Moda

Por Caroline Pierim

moda@revistaenergiafm.com.br

Cores Verão 2013

A tabela de cores do Verão 2013 aparece nos tons de rosa, verde, amarelo e laranja. As cores misturadas entre si seguem uma linha de tons com cores claras, que transmitem sensação de calmaria e tranquilidade. Já as cores mais intensas e vibrantes, que também não devem faltar no verão, chegam em tons cítricos. As principais apostas são: O Neon: define a temporada carioca, sendo usado em tons pastéis relembrando o mood rave dos anos 90. O Étnico: remete ao oriental/ tribal em estampas mais discretas. Os conjuntinhos também estão de volta. O grande diferencial da estação será no quesito ousadia, com as calças estampadas, onde o destaque vai para os modelos cropped e skinny. Dentre as estampas, sobressaem as florais, de animais, geométricas e abstratas, com desenhos que podem ser bem livres, assimétricos ou padronizados.

68 Revista Energia


Nos acessórios, as bolsas também vêm grandes e no estilo “sacola”, mas as clutches (famosas bolsas de mão) continuam sendo a aposta da temporada. Roupas e Acessórios: Hot Seven Rua Amaral Gurgel, 555 Centro - Jaú Fotos: Leandro Carvalho Modelos: Renan Pantaleão e Caroline Pierim

Revista Energia 69


Fitness

Por Marcelo “Tchelinho” Macedo

Cãibras Q

uando menos se espera ela pode surgir do nada, sem ter um lugar específico, hora, sexo e idade. Quem já teve, sabe como é. Começa com uma dor intensa, que pode durar de alguns segundos a vários minutos, podendo ocorrer em várias partes do corpo, sendo a perna uma das regiões mais acometidas. Basta um movimento de flexão do pé para baixo, a panturrilha se contrai involuntariamente provocando o efeito de um nó, os dedos ficam abertos e apontados para baixo: esse processo é conhecido como a terrível cãibra. Mas o que provoca a cãibra? Como fazer para preveni-la? E o que fazer quando ela aparece? Geralmente ela se manifesta na prática de uma atividade física, sobretudo se o esportista estiver pouco condicionado, mal alimentado ou desidratado, pois os músculos necessitam de condições adequadas para realizar um esforço diferente do habitual. O suor e a urina também são fatores desencadeantes de cãibras. A perda excessiva de sódio e de alguns minerais pode levar a essa contração muscular involuntária, pois o organismo utiliza o sódio do músculo quando está sem reservas energéticas, o que acaba gerando uma resposta nervosa que leva a um estresse mecânico, ou seja, cãibras. A contração muscular faz parte da mecânica natural do corpo. E quem comanda tudo é o cérebro, através do equilíbrio entre o potássio, que fica dentro da fibra muscular e o sódio, que fica fora dela. Sendo assim, outra causa da cãibra é um desequilíbrio no sódio e potássio, pois o sódio entra na fibra e o potássio sai exageradamente. A consequência desse desequilíbrio na troca de posições é que o músculo se contrai automaticamente, bloqueando o relaxamento da região, e é esse o momento da dor extrema. Por isso a necessidade de ingerirmos potássio. Não existe um tratamento específico para essas contrações. O melhor a fazer é:

70 Revista Energia


1 2 3

Alongar a musculatura

Sempre esticando o músculo afetado, por exemplo: quando a cãibra for na batata da perna, estique a perna e puxe a ponta do pé para cima mantendo essa posição até passar, nunca a ponta do pé para baixo;

Hidratação

A ingestão de sódio e potássio é importantíssima no combate às cãibras. Para quem faz muito exercício, é preciso repor essas perdas, daí a importância das bebidas esportivas durante o treino.

Condicionamento físico

Para aguentar o tranco, o músculo tem que estar preparado. Mas isso não ocorre do dia para a noite, é preciso acostumá-lo ao exercício durante semanas, meses, só assim ele vai se adaptar gradativamente.

Revista Energia 71


club

Social

social@revistaenergiafm.com.br

Jaú Shopping promove desfile de moda

1

No último dia 18 de setembro, o Jaú Shopping promoveu o “1º Fashion Day”, na Praça de Eventos do centro de compras. O desfile de moda teve o objetivo de apresentar as tendências da coleção Primavera/Verão 2012/2013 nas linhas de roupas, calçados e acessórios adultos e infantis. As peças e acessórios foram exibidos para o público por modelos profissionais, da agência Mega Model de Bauru, empresa que tem vasta experiência na área. De acordo com Samira de Bastiani, gerente de marketing do Jaú Shopping, o evento superou as expectativas dos organizadores. “O desfile foi maravilhoso. Mostramos aos clientes o melhor da nova coleção, que já está disponível nas lojas do Jaú Shopping”

2

Fotos: Leandro Carvalho

3

72 Revista Energia


4

1. Milene Monteiro e Gleyde Molan Torcia 2. Maria Elizabete Milano Ciaco, Gracir Maria Ciaco Rubbo 3. Aline Oprine e Karine Turini 4. Samira de Bastiani , Anderson e Marcus Facchini 5. Val Nogueira, Samira de Bastiani, Juliana Real e Bia Silvestre, da Mega Model Bauru

5

Revista Energia 73


club

Social

Loja Lucy Modas

A Lucy Modas reinaugurou sua loja com muita gente bonita e que gosta de boas novidades. No lanรงamento os convidados puderam conferir toda a nova identidade visual da loja, um dos assuntos mais comentados da cidade, e conferiram de perto o novo espaรงo.

1

2

4

3

5

1. 2. 3. 4. 5.

Os Proprietรกrios Murilo e Oscar Pelizon Oscar Pelizon, Murilo Pelizon, Jorge Alcalde e Eliana Alcalde Caroline Lima, Isabella Moya e Junior Or tigoza Rafaela Hernandez Murilo Pelizon, Mateus, Natalia Grossi e Tatiana Fabricio


Clientes Satisfeitos

A satisfação do cliente é o bem-estar da empresa. Compradores da marca Ford não esconderam a emoção na aquisição dos novos modelos da marca. Camila Trini escolheu o novo Eco freestyle 1.6; Leo Frasson, a Ranger 2.5 e Cibele e Marcio Clein o Eco 2.0 Titanium.

Eco Freestyle 1.6 Camila Turini

Ranger 2.5 Cabine Dupla Leo Frasson

Eco 2.0 Titanium – Cibele e Marcio Clein

Revista Energia 75


club

Social

Ovelha Negra

Com um belo coquetel foi inaugurada em Jaú a loja Ovelha Negra. Localizada no centro da cidade, no lançamento houve um sorteio de uma carteira da marca, cuja ganhadora foi Cintia Caffeu Brovegilo. Na foto, as sócias Celina Neves, Bianca Camargo Grana e Bruna Araújo.

Garota Energia

Em setembro a Energia inovou no processo de escolha da jovem que estampa as páginas da seção. Antes, a seleção era realizada apenas pela equipe; agora você, ouvinte e leitor, pode ajudar nesta escolha atráves do site da Energia. No lançamento da votação nosso site chegou a ter mais de 60 mil acessos. Um sucesso! Não deixe de participar das próximas seleções. Acesse e confira: www.energianaweb.com.br

DESCOC

No concurso Garota & Garoto COC os vencedores foram a bela Marcella Cabriolli e Fábio Arietti Paes. Depois do concurso posaram para a foto ao lado da coordenadora pedagógica Vânia Burin.

Fashion Week

A Gold Silver não brilhou somente na nossa capa. Esteve também na última edição da São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda do país, de olho nas novidades que serão tendências no próximo verão. Fabiana, Alessandro e Carol Rosseto no Lounge da Euro, patrocinadora oficial do evento. A foto também está na Revista QUEM do mês de junho (edição 615).

76 Revista Energia


Lessandro da Silva, Adriana da Silva, Brenda Vendrame e Florinda Peres Lopes

Coleção Verão

A Vestylle Megastore já apresentou sua nova coleção verão 2013. No masculino, Willian Franseco e no feminino, Bruna Karolina desfilaram trajes que serão a marca da nova estação. As clientes Sandra Frozel, Renata e Paula Paschoaline acompanharam de perto o lançamento que foi um sucesso. Willian Fransesco

Bruna Karolina Clientes – Sandra Frozel , Renata e Paula Paschoaline

Revista Energia 77


Gourmet Por Mario Netto

Mario Franceschi Netto Formado pelo SENAC Águas de São Pedro e pelo Instituto ALMA de Cucina Italiana, já trabalhou no Grande Hotel Águas de São Pedro, Café de la Musique em São Paulo, Ristorante Gellius em Oderzo Vêneto e, atualmente, trabalha no restaurante La Gazza Ladra em Módica, na Sicília.

modo de Preparo

Cuscuz Marroquino Ciao a tutti

Esse mês trago para vocês mais uma receita aqui da região meridional da Itália: a “parmigiana di melanzane” ou berinjela a parmegiana. Essa receita é uma das mais controversas da Itália, pois existe uma discórdia muito grande entre Emilia Romagna, Campania e Sicila, uma vez que todas elas dizem que essa receita nasceu em seu território. Entretanto, o que se sabe ao certo é que a berinjela a parmegiana não tem nada a ver com a cidade de Parma, ou com o uso do queijo parmesão. O nome parmegiana vem das camadas de berinjela e molho de tomate, que quando pronta a receita, lembram as listras da madeira usada aqui na Itália para fazer alguns tipos de janela que se chamam “Parmiciana”, daí o nome “Parmigiana”.Bom, vamos ao que interessa!

Ingredientes Para 6 pessoas: 3 dentes de alho algumas folhas de manjericão 300 g de fatias de provolone 1 cebola média 1,5 kg de berinjela 100 ml de azeite de oliva 150 g de parmesão ralado um litro e meio de polpa de tomate 100 g de sal grosso sal fino a gosto

Para fazer a receita, primeiramente devemos começar pelo molho de tomate. Pique bem a cebola e o alho, coloque numa panela com 4 colheres de sopa de azeite e frite bem até que a cebola e o alho fiquem com uma cor marrom claro. Adicione a polpa de tomate e cozinhe em fogo médio até que o molho fique denso, mais ou menos uns 40 minutos (o molho deve reduzir seu volume à metade ou um pouco menos). Acrescente o sal, esmague as folhas de manjericão com as mãos, coloque no molho, cubra a panela, desligue o fogo e reserve (quando o molho já estiver frio, retire as folhas de manjericão). Lave as berinjelas e corte-as em fatias no sentido do cumprimento, com 1 cm de espessura. Num coador de macarrão, faça uma camada de berinjela e salpique um pouco se sal grosso; repita essa operação até acabar com as berinjelas. Coloque um prato em cima das berinjelas, um peso em cima do prato e deixe por 1h. Esse procedimento serve para tirar o amargo característico da berinjela. Passado esse tempo, lave-as bem em água corrente e seque com papel absorvente. Numa frigideira, coloque óleo para fritar as fatias de berinjela e frite-as até que fiquem bem douradas dos dois lados; seque com papel absorvente. Num pirex de vidro ou numa assadeira antiaderente, coloque um fio de azeite e faça uma fina camada com o molho de tomate, em seguida, uma camada com as berinjelas de forma homogênea e faça mais uma fina camada com o molho. Cubra o molho com um pouco do parmesão ralado e uma camada de provolone. Para começar a segunda camada, coloque as berinjelas de maneira oposta às da primeira camada e repita a operação até terminar com os ingredientes, lembrando que a última camada deve ser de molho de tomate e parmesão relado. Coloque a receita para assar em forno pré-aquecido a 200°C por 40 minutos, lembrando que a última camada deve tornar-se uma camada com uma cor marrom forte e crocante. Este prato pode ser servido quente ou em temperatura ambiente, mas nos dois casos é necessário deixá-lo repousar até esfriar, para que fique mais compacto e não se desmanche ao ser servido.

Buon apettitoi saluti a tutti! 78 Revista Energia


guia da gula

guia gastronômico

sabores para todos os paladares

DON CARLITO Na hora do almoço seu lugar é no restaurante Don Carlito! Tudo de dar água na boca: comida caseira de qualidade, com grande variedade em pratos quentes e frios, deliciosas sobremesas, além do ótimo atendimento. Sob nova direção! Confira: o que era bom ficou ainda melhor!

Foto: Leandro Carvalho

Refeições por quilo com atendimento de segunda a sábado das 11h às 14h. Telefone: 3621-5752. Rua Visconde do Rio Branco (ao lado do Banco do Brasil)

PONTO DA PIZZA Nesta edição o Ponto da Pizza recomenda a suculenta união dos sabores Pizza à Parmigiana. Ingredientes saborosos e tradicionais como a mussarela, o inconfundível molho de tomate, filé e parmesão formam uma deliciosa composição que, junto com leveza da massa, torna-se a delícia exótica da casa! Experimente! Qualidade e sabor que só o Ponto da Pizza pode oferecer! A pizzaria abre de terça a domingo, das 18h30 às 23h30. Telefones: (14) 3622-1137, 3622-1778 e 3622-2344. Avenida Dudu Ferraz, 621.

Revista Energia 79


Atualidade

Agora ĂŠ a vez

delas


As empregadas domésticas conquistaram seu espaço. Fato que não ocorria antigamente, hoje elas determinam o valor que querem ganhar pelo serviço. Bom ou ruim? Cabe à patroa decidir o que compensa! Texto Érika Lopez | Fotos Leandro Carvalho

C

om o grande sucesso das empreguetes da novela “Cheias de Charme”, da Rede Globo, as empregadas domésticas ganharam cada vez mais destaque na mídia e nas casas de família. Em alguns casos a patroa reclama da empregada, que reclama da patroa, o que torna a relação delicada. A maior reclamação das empregadoras é de que não acham trabalhadoras fiéis e que façam o serviço direito. O fato é que, hoje, a maioria prefere ser diarista (aquela que trabalha 3 dias por semana na mesma residência) e não mensalista, porque não tem o compromisso de dormir na casa dos patrões, não precisa cuidar de crianças, além de faturar, em média, R$ 80,00 por dia limpando uma casa com 4 cômodos. Mas as mensalistas ainda existem. Segundo o Sindoméstica (Sindicato das Empregadas e Trabalhadores Domésticos da Grande São Paulo), o número de empregadas domésticas com escolaridade superior a 11 anos dobrou, só na cidade de São Paulo, entre 2003 e 2011; sendo assim, elas sabem e exigem os direitos trabalhistas. Confira abaixo: Registro em CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) Recolhimento de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) Aviso prévio Décimo terceiro salário Férias e o adicional de 1/3 Jornada de trabalho de 44 horas semanais Duas horas de almoço *Dados do Sindicato das Empregadas Domésticas de Bauru,

Zefa, Fabianne e as filhas Gabriella Mendes Toffano e Julia MendesToffano

abrangendo cidades a um raio de 100 km do município.

Revista Energia 81


Atualidade HERANÇA DE FAMÍLIA Existem também as empregadoras que tiveram a sorte de encontrar secretárias do lar de confiança e estas, a sorte de encontrar uma família tranquila, que não dá dor de cabeça. Uma dessas raridades dos tempos de hoje é a Zefa, apelido carinhoso dado à Zeferina Bueno, 64 anos, que começou a trabalhar como babá com apenas 10 anos. A relação dela com a patroa Fabianne Ferreira Mendes é antiga: Zefa já trabalhava há muitos anos com a família do ex-marido de Fabianne. Com o tempo, começaram a ter intimidade e foi então que a parceira foi trabalhar para ela. “Zefa e eu nos tornamos amigas e fazíamos o serviço de casa juntas. Quando engravidei das meninas, ela cuidava muito bem de mim, fazendo vitaminas e lanches especiais, prezando pela minha saúde nas duas gravidezes”, conta Fabianne. A empregada, além de fazer os serviços domésticos, também cuida da Gabriella, 11 anos, e da Julia, 7; dorme na casa somente durante a semana e tem plena liberdade com a família. “Faz 15 anos que trabalho para elas e as considero minha família; estou sempre incentivando os estudos das pequenas, auxiliando nas dificuldades e a gente também se diverte. Tenho liberdade para fazer minhas coisas, saio quando preciso. Eu e a Fabi temos uma relação de confiança uma para com a outra”, diz Zefa. Nos passeios, viagens nacionais e internacionais, festas, Fabianne sempre tem a companhia da “mãe postiça”. Quando questionada sobre a possibilidade de um dia deixar o atual emprego, Zefa é enfática: “Já recebi outras propostas de emprego, mas nunca tive

Zeferina Bueno

coragem de deixá-las, e não me arrependo disso. Hoje em dia o trabalho de doméstica está mais valorizado e temos mais regalias. Já me aposentei, mas não penso em parar de trabalhar. Adoro o que faço!”. Fabianne acredita que a profissão de doméstica está sendo mais valorizada porque hoje em dia as mulheres estão trabalhando fora de casa, tendo maior independência financeira, necessitando, assim, de alguém de confiança que supra os serviços domésticos.§


vida

Boa

Por João Baptista Andrade

Comida e a saideira

Acredito que essa coluna só vai fazer sentido para os caipiras, os matutos, os tabaréus, os colonos, os campesinos e outros tantos epítetos que se aplicam a todos aqueles que nasceram e foram criados no campo, longe das luzes brilhantes das metrópoles, longe do burburinho constante que acontece nos grandes centros urbanos. Esse tipo de gente, como eu e os meus assemelhados, tem hábitos mui arraigados e incontestáveis. Exemplo simples: frequentar um determinado estabelecimento (tasca, boteco, restaurante, ou qualquer coisa que assim pareça) para degustar alguma coisa específica. Pode ser a porção de torresmo do bar do Astolfo, as ostras frescas do Freddy (com aquele molho de raiz forte), ou a comida do Polaco (essa é só para quem é de Jaú e adjacências), ou então uma singela cerveja servida num copo “sujinho” de gelo. A gente senta-se à mesa de sempre, ou encosta no balcão de costume, pede a comida de sempre e, mágica das mágicas, fica feliz como nunca. Eu sei que o acima descrito parece absurdamente idiota para quem não é do ramo.

Respeito isso. Mas quem tem esse jeito caboclo se diverte com pouco e, ainda assim, acaba feliz feito um pardal num dia de chuva em pleno verão. Pode até não fazer sentido, mas é uma delícia do mesmo jeito. O garçom te conhece pelo nome e praticamente adivinha o que você vai pedir. O serviço é tranquilo e a refeição ou petiscada acontece como se fosse um filme antigo, tantas vezes assistido que você quase decorou os diálogos dos artistas. Talvez seja por ter nascido na destemida e gloriosa Monte Alto. Ou então é esse meu isolamento constante nos matos maravilhosos de Joaquim Egídio. Talvez seja apenas outra asnice minha. Mesmo assim, eu imagino que o fenômeno se espalhe ao redor do mundo da mesma forma. Mas o Brasil (país amado e sofrido como é) tem lá algumas peculiaridades inimagináveis para os aqui não nascidos. Entre infinitas diferenças, eu escolhi a saideira. Não é uma invenção nossa, lamento afirmar. Os de língua inglesa a chamam de “one more for theroad”. Contudo, não é a mesma coisa. Aqui você comeu e bebeu tudo o que podia, pagou a conta e ainda assim espera uma dose extra por conta da casa. E ela sempre vem! Farta, generosa e acompanhada de sorrisos. Nos países europeus ela também vem, mas é cobrada, não tem a mesma graça. Penso que ao invés de gastar bilhões de reais com Copas do Mundo e Olimpíadas (que não vão dar em nada), o governo brasileiro deveria investir para divulgar essa coisa de não ser mesquinho; de caprichar nas doses e nas porções como parte inerente da nossa cultura. Ah, sim. Antes que eu me esqueça, deveria investir também em educação, saneamento, segurança e saúde pública. Se eu encontrasse um político (ficha limpa, é claro) que me oferecesse essa plataforma de coisas básicas, eu daria meu apoio a ele ou ela. Mas lendo os jornais (com exceção do Ministro Joaquim Barbosa, meu herói!) eu acho que não tem nada no horizonte que seja remotamente parecido com isso, portanto, melhor deixar quieto. Garçom! A saideira, por favor. Até a próxima. Revista Energia 83


Mês das Crianças

Jovens Talentos Texto Érika Lopez | Fotos Leandro Carvalho

Conheça a história da garotada que, desde pequena, domina habilidades como a arte, a música e o esporte.

Tatiely de Oliveira 84 Revista Energia


N

ada de videogame, bonecas e carrinhos. Algumas crianças mostram bem cedo, em casa, seus talentos, surpreendendo os pais. O que fazer nessa hora? Segundo a psicologia, colocar o jovem em uma aula específica pode ajudar a desenvolver e aperfeiçoar o dom que ele tem.

MÚSICA

Foi o que fez Tatiely de Oliveira, 10 anos. Desde pequena ela gosta de música e instrumentos clássicos. Aos 8 anos pediu ao pai, o Dj Lory, para fazer aulas de violino. “Eu sempre gostei de música, mas a eletrônica, já a Tatiely pendeu para a clássica. Depois que ela demonstrou esse interesse eu a coloquei no Projeto Guri, aqui em Jaú”, conta Lory. Na opinião da garota, a música é importante no dia a dia de todas as pessoas, seja qual for o ritmo. A paixão é tão grande, que a peque-

na também canta no coral e já pensa alto: “Eu pretendo tocar outros instrumentos e se eu me adaptar bem, vou tentar entrar em um conservatório de música”, finaliza a pequena

GARRA DE CAMPEÃO

Jean Carlos de Oliveira, 11 anos, nasceu para mostrar que é campeão no que faz! Iniciou a prática de Karate aos 4 anos e sua primeira competição foi em 2005, quando conquistou o vice-campeonato na Copa Dojo, em Jaú. A partir de 2006, Jean sempre acumulou títulos. Se em japonês a palavra Karate significa “mãos vazias”, para o menino significa “mãos cheias de troféus”. Em todos os campeonatos nos quais participou em 2007, 2008 e 2009, o faixa marrom voltou para casa recheado de medalhas. Em 2010 garantiu a vaga na Seleção Paulista de Karate. No ano seguinte foi campeão da Copa Ukca, em São Carlos. Em agosto desse ano

conquistou o primeiro lugar do Wado Cup Open Brasil, realizado em Jaú. A mãe, Dirce Aparecida Alcantara, conta que sempre incentivou o filho. “Meus sobrinhos antigamente treinavam, e eu levava o Jean para assistir o treino deles. Ele adorava! Aí resolvi matricular na mesma turma dos primos. Percebi que meu pequeno tinha muito talento a partir do momento em que ganhou o primeiro campeonato. Hoje ele tem 40 medalhas e 2 trofeús”, conta a mãe, que completa: “Além de ser disciplinado em seus treinos e se doar ao máximo nas lutas, tem ótimas notas na escola.” Especialistas são unânimes em afirmar que as crianças podem ter talentos que os pais nem imaginam. A recomendação é observar, dialogar e oferecer o apoio necessário para que o filho construa o próprio caminho. Nem tudo o que os pais idealizam ou imaginam para os seus filhos pode ser, ou é exatamente o que os filhos querem.

Jean Carlos de Oliveira Revista Energia 85


ARTE EM PAPEL A publicitária Maria Silvia Módolo teve uma surpresa quando o filho Rafael Módolo Alonso, com apenas 4 anos, se encantou por um documentário que viam na TV e falava de espécies marinhas. O menino quis desenhar e pintar uma água-viva para a mãe, com direito a tentáculos coloridos. “Fiquei completamente apaixonada por suas criações. A criatividade e o dom de desenhar me surpreenderam. A partir desse dia ele tomou gosto pela arte em papel, e logo o presenteamos com quilos de papel sulfite, lápis, giz de cera, canetinhas coloridas, tesouras infantis e fita crepe”, diz Silvia. Hoje, com 7 anos, Rafael já inventou muitas coisas. Tudo que está vivenciando ele corre para produzir em papel e se quer algum brinquedo, pega o sulfite e produz!

A mãe, que é fã número 1 do garoto, diz que a grande magia de suas obras é que ele planeja o mecanismo de tudo. Ele desenha já com o projeto na cabeça. É perfeitamente calculado para que, ao recortar e dobrar, tome a proporção e forma desejada. “Ele já fez obras lindas como o robozinho Walle, um pebolim, reproduziu seu cão de estimação (um boxer que ficou perfeito), um crucifixo maravilhoso e até presenteou a professora com uma caixa de pizza de calabresa com borda”, conta a mãe. Maria Silvia ainda não procurou algum curso que adicione conhecimento ao dom, mas pretende se informar a respeito. “A arte é fundamental para o desenvolvimento da criança, pois estimula a criatividade, o raciocínio, a sensibilidade e proporciona outra visão das coisas”, finaliza a mãe coruja. §

Rafael Módulo Alonso 86 Revista Energia


Revista Energia 87


Finanças

Órgãos de Proteção ao Crédito e a sua atuação no Brasil

A

Foto: Divulgação

necessidade de alterações e inclusões ao já avançado Código de Defesa do Consumidor fica cada vez mais latente, principalmente no que tange à inexistência de qualquer regulamentação para os órgãos privados de proteção ao crédito, tais como o Serasa e o SPC. A PROTESTE demonstra a total e contínua insegurança jurídica e econômica em que os consumidores de crédito se encontram ao serem inscritos na lista de devedores do Serasa ou de seus congêneres, os quais se baseiam em brechas da legislação para legitimar suas ações. Isso ocorre porque o CDC não exige o aviso de recebimento da comunicação para incluir o consumidor no cadastro de devedor (vide art. 43 §2 do CDC), bastando somente uma carta simples, passível muitas vezes de extravio ou de endereço inexistente. Além disso, o imenso transtorno ocasionado pelos órgãos de proteção ao crédito vão muito além do aspecto referente à notificação - que apenas na referida associação de defesa do consumidor representou, em média, 15% das

Texto Ricardo Izar

Deputado Federal Ricardo Izar é economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal.

88 Revista Energia


reclamações recebidas desde 2009 - também atingem a honra de muitos cidadãos por meio da inscrição de dívidas prescritas, outro resultado da falta de regulamentação, visto que cartórios e órgãos de proteção ao crédito não estão obrigados a negar o protesto de dívida já prescrita. Nesse mesmo sentido, existem casos reiterados de transgressão de princípios básicos ao direito do consumidor, dentre os quais o princípio da vulnerabilidade desses. Isso ocorre por meio da inscrição de dívidas inexistentes ou desconhecidas, ou mesmo pela manutenção do apontamento após pagamento ou renegociação de determinada dívida. No caso da manutenção da inscrição de dívida renegociada, os órgãos de proteção ao crédito não aceitam a regularização da situação do devedor por qualquer medida de iniciativa do mesmo, ficando o consumidor à mercê da manifestação da empresa ou da instituição credora. Igualmente, há histórico de determinadas inscrições de pessoas físicas e jurídicas com base em títulos de dívidas ainda não vencidos, o que poderia ser resolvido se houvesse um maior zelo na análise do documento, para não ferir a

honra de cidadãos e empresas injustificadamente. Muitas vezes essa falta de precaução por parte do SERASA e de seus congênitos resulta no acréscimo de nomes sem estar em posse nem sequer das informações básicas do credor ou da dívida. Atualmente existem Projetos de Lei em tramitação no Congresso Nacional que visam a regulamentação da questão em pauta. A Lei Nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, o Código de Defesa do Consumidor, cumpriu o previsto no inciso XXXII do artigo 5º da Constituição, o qual dispõe que “o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor”, contudo, não contemplou todos os aspectos necessários para efetivamente oferecer a defesa do consumidor perante os órgãos de proteção ao crédito. Por fim, não se visa nesse artigo a desconsiderar ou questionar a gigantesca importância desses órgãos nas relações comerciais e na economia de mercado que rege o Brasil. No entanto, todos os apontamentos feitos nos levam a crer em um total descontrole do setor, desrespeitando tanto o chamado direito “consumerista” quanto o Direito ao contraditório e a ampla defesa dos cidadãos brasileiros.

Revista Energia 89


Vinhos

Por Paulo Agnini Especial para Revista Energia

Uvas Clássicas Cabernet Sauvignon A uva do Médoc. É a mais identificável e a mais versátil das uvas tintas e parece ser capaz de produzir um vinho de primeira classe em qualquer solo quente, em praticamente qualquer região vinícola do mundo. Suas bagas pequenas, escuras e de maturação bem mais tardia resultam um vinho de cor intensa, forte aroma de groselha negra, às vezes herbáceo e com grande concentração de taninos, o que o torna mais lento para amadurecer. Precisa de envelhecimento em carvalho e em garrafa, ficando mais equilibrado

quando misturado com a uva Merlot, e outras, como em Bordeaux. Fora daí, ainda é comum encontrar exemplares de puro Cabernet varietal; no entanto, cada vez mais vinicultores de áreas tão diversas quanto a Califórnia, a África do Sul, o Chile, a Serra Gaúcha e a Itália estão optando por combinações ao estilo clarete. Chardonnay A uva branca de Borgonha produz um vinho mais encorpado, mais avinhado e de sensação mais potente que a Riesling. É menos aromático quando jovem e, ao amadurecer, adquire um rico e amplo aroma e sabor, às vezes amanteigado, às vezes atabacado ou almiscarado. O requinte do blanc de blancs de Champagne, o aroma mineral de Chablis, o toque de nozes de Meursault e o perfume de fruta madura do vale de Sonoma e do Vale dos Vinhedos, demostram a exclusiva versatilidade dessa uva, que se adaptou maravilhosamente à Austrália, à Califórnia, à Nova Zelândia à Serra Gaúcha e ao norte da Itália. Syrah ou Shiraz Muito difundida, é a grande uva do vale do Rhône. Oferece um vinho tânico, apimentado e escuro, que pode amadurecer esplendidamente. É muito importante na Austrália, onde é conhecido como Shiraz, e cada vez mais cultivado no Midi (sul mediterrâneo da França), na África do Sul, no Chile e na Califórnia. Gewurztraminer A uva do iniciante, por seu aroma e sabor francamente condimentados. No passado, era encontrada quase exclusivamente na Alsácia, mas hoje também é cultivada na Itália, na Áustria, na Alemanha, na Nova Zelândia, na América do Norte, e em poucos hectares na Campanha Gaúcha.

90 Revista Energia


Revista Energia 91


92 Revista Energia

Revista Energia 26  

A Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM. Garanta seu exemplar, gratuitamente, nos pontos de retirada: Posto São João,...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you