Page 1

Jaú - Ano 7 | Edição 68 | Outubro 2016 Distribuição gratuita | Venda proibida

Jaú

Shopping 15 anos de sucesso

GENTE FINA Abdala Atique

ESTADO ISLÂMICO

Como os jovens são aliciados?


Editorial Ano 7 – Edição 68 – Jaú, Outubro de 2016

Há 25 anos

Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286

comemorando com você

Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br Edição e Revisão de textos: Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

Quem dosa a medida do sucesso de uma empresa são os seus clientes

Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br

P

Fotografia: Daniel Jorjin Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416.7290 Projeto gráfico: Revista Energia

Colaboraram nesta Edição Heraldo Bello da Silva Júnior Letícia Koehler Colunistas Alexandre Garcia Ana Marta C. A. Piovesana Ariel Pacífico Claudio Veneziano de Freitas Edson Copi Evelin Sanches João Baptista Andrade Lilian Pellizzon Ribeiro Maira Cibele Espricigo Nathalia Savian Pessoto Nelson Morelli Paulo Sérgio de A. Gonçalves Professor Marins Ricardo Izar Junior Comercial Carlos Alberto de Souza Geraldo Pessutti Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: GrafiLar Distribuição: Pachelli Distribuidora Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624-1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br

Foto: Cláudio Bragga

Social Club social@revistaenergiafm.com.br

ara a Energia são os nossos ouvintes, leitores e parceiros. São 1 milhão e 900 mil ouvintes, mais de 50 mil leitores, 70 mil seguidores no facebook e as melhores empresas de Jaú e região, que acreditam em nosso profissionalismo e respeito.

Olhar para trás e ver o quanto evoluímos é o que nos motiva a seguir em frente. E para os próximos anos, nosso compromisso é manter a excelência em nossos serviços, atuando com ética e responsabilidade social. Agradecemos a todos vocês que sempre estiveram ao nosso lado, e também fazem parte desta história de sucesso. Se a cada ano fazemos uma mega festa para comemorar o aniversário da Energia, imagine neste ano em que completamos 25 anos! E você já está convidado para o maior evento do rádio em toda a região: a festa de aniversário da Energia, no dia 27 de novembro. Até lá, aproveite esta edição da RE, que traz em nossa matéria de capa um dos maiores empreendimentos comerciais em toda a região, o Jaú Shopping. Saiba por qual motivo muitos jovens abandonam suas famílias para aliar-se ao Estado Islâmico. Como eles são recrutados? O que pensam? Conheça um pouco mais sobre a missão e vida do pediatra Abdala Atique, nosso Gente Fina desta edição; e no Perfil, a simpatia e talento de Elton Soul. Mitos e verdades sobre a pílula e sua relação com muitas doenças; uma reflexão sobre fatos e acontecimentos negativos que podem ser benéficos para nossas vidas e muitos outros assuntos interessantes são abordados aqui, trazendo sempre informação de qualidade para nossos leitores. Espero você na melhor festa do ano, para comemorarmos juntos os 25 anos da Energia! Boa leitura!

A Revista Energia não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados, anúncios e informes publicitários.

Maria Eugênia


NESTA EDIÇÃO 20 Mundo 38 Reflexão 54 Saúde

16 Gente Fina

SEMPRE AQUI 08 Radar 10 Pense Nisso 12 Perfil 16 Gente Fina 27 Saúde Bucal 28 Capa 33 Conheça Jaú 34 O Japão Sobre a Mesa 35 Terapia 36 Garota Energia 41 Glamour 42 Vida Saudável Pílula Anticoncepcional 44 Adote um Pet 46 Direção Segura 50 Look de Artista 58 Profissões 60 Varal 63 Segurança 64 Consultoria 66 Social Club 82 Comportamento Nossa Capa: Jaú Shopping 84 Medicina Modelo: Amanda Gomes 85 Vitrine Presentes 86 Contabilidade 88 Psicologia 91 Delícias da Estação 92 Legislação 94 Boa Vida

54

ÍNDICE

50

Look de Artista

Jaú - Ano 7 | Edição 68 | Outubro 2016 Distribuição gratuita | Venda proibida

Jaú

Shopping 15 anos de sucesso

GENTE FINA

Abdala Atique

Estado Islâmico

Como os jovens são aliciados?


Revista Energia 7


Radar

Por Alexandre Garcia

O país de todos Quando o governo do PT decidiu aceitar a sugestão do marqueteiro de criar a palavra-de-ordem O País de Todos, a Velhinha de Taubaté acreditou, e pensou que o Brasil fosse de cada um dos mais de 200 milhões de brasileiros

L

edo engano. De fato, o governo apenas ironizava, enquanto se apropriava do botim, concedido por seus milhões de eleitores. Afinal, estava consagrado nas urnas, alforriado, legitimado pelos votos. Poderia fazer o que quisesse com a posse do país-continente. E fez. Ninguém entendia porque, pagando tanto imposto, não tivesse saúde, educação e segurança, no mínimo. Agora, pelo menos, graças à Lava-Jato, a gente fica sabendo onde foi o dinheiro do suor destinado aos impostos. Foi desviado por gente que aproveitou a ignorância, a ingenuidade e os pobres do bolsa-família para encher as burras. Quanto dinheiro, meus Deus! Bilhões! Quantos hospitais, quantas escolas - quantas prisões poderíamos ter para trancafiar a corja. Fizeram por ato-de-fé, convictos da infalibilidade de sua seita que mistura Marx com Trotsky e Gramsci, mais Fidel e Chavez e o tropical Lula. Seria comédia se não tivesse resultado numa tragédia. Não poderia ter sido outro o resultado. O sociólogo marxista FHC não foi o que mais privatizou? No país tropical não cabem fórmulas ou padrões. Aqui tudo é bagunçado. Veja se deu certo o princípio positivista de Ordem e Progresso posto na bandeira. Agora virou slogan de algum marqueteiro de Temer. E a gente fica sem condições de usar a bandeira, porque fica parecendo propaganda para o governo. Voltar ao País de Todos? Aí não dá, porque virou afronta, já que a realidade foi O país é nosso, para pegar a grana e nos locupletarmos. É a Lava-Jato que demonstra; não sou eu. Fico me perguntando como conseguiram. O quanto somos incompetentes para perceber que por mais de uma década foram metendo a mão no País que é nosso, como se fosse deles. Boca livre, justificada pelo voto que receberam para tomar conta do País que é nosso. Dinheiro, muito dinheiro rolou de nosso suor de contribuintes para o bolso deles, inclusive para nos 8 Revista Energia

enganar e se manterem no poder para continuar a usufruir do País que deveria ser nosso. Hoje flagrados, descobertos, desnudados, protestam com arrogância, com se tivessem o direito adquirido de continuar o botim. São como traficantes do morro, que adquiriram o direito à soberania da área. Resta uma esperança. Não virão os marcianos, nem os chineses, nem a ONU nos libertar. Ficamos dependentes do juiz Sérgio Moro, dos jovens delegados e juízes federais. Mas ainda não ganhamos vergonha na cara. Porque continuamos dependendo da proteção dos outros. Esperamos que nos salvem, como cidadãos passivos e sem-vergonhas. A culpa é nossa, não fiquemos como bebês acovardados à espera de salvadores e só sendo corajosos nas redes sociais. Se assim somos, nem merecemos o Sérgio Moro. Que sejamos condenados a sermos assaltados, nossos filhos mal ensinados na escola, na nossa velhice mal atendidos nos hospitais e na previdência. Ou paremos de só viver novelas e futebol e passemos a tratar do Brasil real.


nisso

Pense

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

Desafie-se nesta Primavera A primavera é a mais bonita das estações. Após o inverno, ela significa o renascer, o desabrochar, o novo, a alegria

M

as, o que tem a ver a chegada da Primavera com a empresa? Quero chamar a sua atenção para duas coisas. Do ponto de vista da empresa, aproveite a Primavera para fazer as pessoas prestarem atenção aos detalhes, às coisas que nem sempre damos importância, às pessoas que estão “escondidas” dentro de nossa empresa. Faça esse exercício a partir da análise da natureza na Primavera. Quanta coisa muda nesta época, e nem sempre damos atenção. Uma nova flor, pássaros que cantam em nossa janela ou mesmo a chuva que começa a chegar e possibilitar o plantio. A partir da análise dessas coisas, traga a mesma análise para sua empresa e veja quanta coisa bonita existe dentro dela e não vemos, não queremos ver, ou nos acostumamos tanto com a “paisagem” que nem percebemos mais. O carinho e os elogios daquele cliente, a simplicidade de um fornecedor, a simpatia daquele prestador de serviços. Veja que as grandes virtudes estão nas pequenas coisas, nas coisas simples. Veja como você pode trazer o espírito da Primavera para dentro de sua empresa, fomentando ainda mais a harmonia, o trabalho em equipe, a compreensão das diferenças, etc. Do ponto de vista pessoal, faça a mesma coisa, desafie-se a viver a Primavera e traga a Primavera para dentro de sua vida. Preste atenção no sorriso de uma criança - seu filho, sua filha, seu neto, sua neta, seu irmão, sua irmã. Preste atenção às pequenas coisas. Ao carinho de quem preparou o alimento que você está comendo. Aos detalhes de uma mesa bem arrumada. Aos cuidados que sua esposa tem com sua casa e em algum aspecto de sua mulher ou marido ao qual você nunca prestou muita atenção. Renasça e desabroche com a Primavera. Seja mais humano, mais simples, mais cuidadoso, faça tudo com mais atenção como a natureza nos ensina. Vivemos em um mundo agitado, violento, e corremos o risco de passar batido por esta que é a mais bela de todas as estações. Viver a Primavera é um enorme desafio, especialmente para quem vive nas grandes cidades, no ambiente urbano, nos escritórios fechados, nas fábricas. 10 Revista Energia

Desafiar-se a viver a Primavera é ampliar as fronteiras da sensibilidade. É prestar atenção às pequenas maravilhas da natureza e à beleza da criação. É agradecer pela saúde e pela vida. É dar boas-vindas à chuva que agora vem para fazer as plantas brotarem. É desafiar-se a plantar uma árvore, sentir o perfume de uma flor escondida à beira da estrada. É parar para ouvir os pássaros cantando mais felizes e respeitar um ninho improvisado à beira de um telhado. Desafiar-se a viver a Primavera é diminuir o ritmo frenético do fazer sem pensar e pensar nas coisas definitivas da vida que você deve cultivar - saúde, família, amigos - lembrando que só assim você terá sucesso nas coisas transitórias. Desafiar-se a viver a Primavera é respeitar mais os colegas de trabalho. É cuidar da segurança, fazer as coisas com maior atenção e comprometer-se com o sucesso de seus clientes internos e externos. Aproveite a Primavera para ajudar o mundo em que vivemos a tornar-se mais humano, mais fraterno, mais respeitoso. A natureza, com certeza, fará a sua parte. Ela nos dá muitos motivos para que assumamos esse desafio. Agora é nossa vez.  Pense nisso. Sucesso!


Revista Energia 11


Perfil

Mais que um jovem

talento

Dono de uma simpatia ímpar, ele cativa a todos com seu sorriso. Mas quando solta a voz é que mostra realmente o seu dom Texto Heloiza Helena C Zanzotti

A

os 28 anos ele vive da sua arte, é conhecido nacionalmente e acumula sucessos. Mas não se acomoda. Acabou de participar de um reality e tem muitos planos para o futuro.

O CORO DA IGREJA Este foi o ponto de partida para Elton Soul, o filho de Lucelina e Claudionor. Natural de Jaú, teve seu primeiro contato com a música aos sete anos, no coro da Igreja Nossa Senhora do Desterro. “Eu era aquela criança que via as coisas na televisão e ficava cantando. A partir da minha participação no coro, comecei a ganhar solos para me apresentar e não parei mais. Lembro que um dia cheguei em casa muito feliz e contei ao meu pai que a professora do coro havia dado uma música para eu cantar. Ele me colocou para fazer aulas de violão, de piano, mas o instrumento que tenho mais intimidade é o piano, pela gama de sons que oferece. Eu sempre ouvia os músicos, amigos do meu pai, dizerem que o cantor tem que aprender a tocar um instrumento, então fui aprender violão, mas não gostava muito”. 12 Revista Energia

PRIMEIROS PASSOS NA CARREIRA O primeiro trabalho profissional aconteceu aos quinze anos, quando era agenciado pela “Talentos Brilhantes”, agência do Castrinho. Nessa época, Elton fazia trabalhos em Bauru, apresentando-se em shows e já recebendo um cachê. Ao mesmo tempo dava aulas no Projeto Guri, em Jaú. “Quando comecei as aulas no projeto, iniciei com o violão, mas fui estudando piano porque precisava dele pela questão do canto. Ali eu fui aluno e posteriormente educador. Meu primeiro polo do Projeto Guri foi em Santa Maria da Serra, onde fiquei por uns sete anos, e paralelamente dava aulas aqui também, no Conservatório Jauense de Música. Depois fui para o Rio, estudar Teatro, voltei ao projeto em Santa Maria da Serra e também dei aulas em São Manuel”. O SONHO DA TV Elton conta que sempre foi fascinado pela televisão e tinha muita vontade de estar ali, na telinha. A “Talentos Brilhantes” revelava jovens cantores para o programa do Márcio Garcia e para o Programa Raul Gil, então, a oportunidade estava ali. E ele não desperdiçou. “O primeiro programa de televisão no qual me apresentei foi o Quarta Viva, do Gabriel Chalita. Antes, já havia me apresentado aqui na re-


JOVENS TALENTOS Em 2011, Elton foi chamado novamente para o Programa Raul Gil, desta vez no SBT, para o quadro Jovens Talentos. “Depois da minha primeira participação no Raul Gil, voltei com muita vontade, e estudei muito. Essa segunda participação aconteceu inesperadamente, mas eu já estava mais maduro e tinha certeza de tudo o que eu poderia fazer. Foi uma passagem maravilhosa, incrível, nem eu sabia que iria fazer todo aquele sucesso. Até hoje colho frutos por conta do programa”. X FACTOR BRASIL O reality brasileiro, transmitido pela Rede Bandeirantes, é versão do formato original The X Factor, exibido pela ITV no Reino Unido. O programa tem sido alvo de muitas críticas por aqui quanto à organização e critérios utilizados pelos jurados. Questionado sobre sua participação no talent show, Elton explica que foram trinta mil inscritos, e que realmente houve reclamações quanto à estrutura na seleção inicial. “No meu caso, não mandei inscrição, recebi um convite através de um contato da época do Raul Gil. Eu fui e passei pelo mesmo processo seletivo que os outros. Antes do que as pessoas viram na televisão, aconteceram duas audições iniciais com a produção, e eu passei nas duas”. Após sua saída, ele se diz satisfeito com a participação. “Para mim o X Factor foi um exercício, porque quando a gente sai de um programa de televisão e continua estudando, é importante sempre audicionar, para saber qual o nosso nível. Embora não tenha ficado, foi uma audição muito positiva, fui muito elogiado, mas o programa não está procurando alguém pronto, eles querem construir um artista. Saí de lá um pouquinho triste, gostaria de ter ficado, claro, mas fiquei muito lisonjeado e voltei refletindo no que é que eu quero de verdade para minha vida como artista. Se eu quero esse formato da mídia imediatista, ou se eu quero ser um dos grandes como Lulu Santos, Djavan, cantores que eu admiro muito. Para estes artistas a porta sempre foi mais estreita, mas realmente entram os que estão mais bem preparados”. VEM NOVIDADE POR AÍ Atualmente, Elton está se preparando para teatro musical. Ele tem feito vários cursos na área e deixa escapar que vem por aí um projeto novo. “Estamos trabalhando em um single, no estúdio Fa-

zendo Fama, aqui em Jaú, com o produtor Luizinho, junto com o Renan Felipe. Estou bem focado nesse projeto que vai ser lançado em rede nacional, e vamos lançar no programa do Raul, que já sinalizou que as portas estão abertas pelo fato de eu ter ficado lá muito tempo. O Raul, inclusive, disse que será uma honra projetar um artista que ele ajudou a criar. Afinal, foi no programa dele que me tornei o Elton Soul que todo mundo conhece”. ENQUANTO ISSO... O artista continua fazendo shows pela região, cantando em casamentos e dando aulas. Sobre sonhos, ele é bem enfático: “Estou no processo de construção do que eu quero para a carreira, do que eu acredito. Vi muitas pessoas no X Factor, por exemplo, para quem estar ali é uma porta para começar a viver da arte. Eu já vivo da minha arte, já vivo com dignidade, mas poder viver mais intensamente, então, estou fazendo outras coisas no ramo empresarial para poder escolher o que eu quero realmente fazer, onde eu quero estar, com quem eu quero estar”. FALTA OLHAR PARA NOSSOS TALENTOS Elton Soul concorda quando a questão é a falta de incentivo aos novos talentos. “Em Jaú, assim como em muitas cidades do interior paulista, falta muito, é triste a falta de incentivo. Fazer concursos, montar cursos livres, trazer workshops, é difícil. Falta esse olhar para tantos talentos, não só na música, mas no esporte e em outras artes. A primeira coisa que se corta quando uma cidade está em crise, é o investimento em arte. E a arte, assim como o esporte, faz com que a galera que está vindo agora melhore na escola, tenha opções, tenha voz”. PARA QUEM DESEJA VENCER Nosso entrevistado dá uma dica preciosa: persistência. Elton recorda que quando tinha dez anos e assistia ao Programa Raul Gil, tinha muita vontade de estar naquele palco, e chegou lá. “Fui muito insistente, como sou até hoje, para tudo. Se muitas coisas ainda não foram realizadas não foi por falta de vontade, mas a gente também depende de outras pessoas. Persistência e disciplina são fundamentais. E isto não é só para a arte não, é para tudo”. Em suas aulas, ele sempre cobra estudo e disciplina de seus alunos. “Eles me revelam os sonhos deles e eu pergunto: - Mas você está fazendo o que para chegar lá? Se você não está estudando, como quer chegar? As pessoas morrem e não realizam seus sonhos. Por limitações, por coisas que foram ditas pelos pais lá atrás, tem que procurar se ajudar. Terapia, espiritualidade, treinamentos. Muita coisa precisa ser resolvida e a gente nunca assume que o problema é a gente. É sempre o outro”, finaliza.  Imagem: Arquivo pessoal

gião, na TV L. Em seguida fui para o Programa Raul Gil, em 2005, na Rede Bandeirantes, no quadro Super Talentos. Completei 18 anos no palco, foi meu primeiro dia”. Apesar da trajetória de sucesso, o quadro teve que ser cancelado devido aos horários da emissora, que priorizava os jogos de futebol, assim, ele voltou às suas atividades em Jaú. “Minha vida é cheia de idas e vindas”, brinca.

Revista Energia 13


14 Revista Energia


Revista Energia 15


Gente Fina

Abdala Atique “Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” (Tiago 1:19) Texto Heloiza Helena C Zanzotti 16 Revista Energia


C

om esta citação, apresento nosso Gente Fina desta edição. Ainda que ele tenha o dom da fala, sabe exercer a difícil arte de ouvir. E ouvir, em sua profissão, é fundamental. Esse dom requer paciência, mas quem o pratica adquire afeição, respeito e confiança. Seu senso de justiça e humanidade são conhecidos por todos aqueles que convivem com ele, e o reconhecimento como profissional não poderia ser outro, senão o grande prestígio que adquiriu exercendo a Medicina com dignidade e nobreza. Filho de Chafik e Lydia Atique, Abdala Atique nasceu em Barretos, onde aprendeu as primeiras letras e deu os primeiros passos. Tem boas lembranças de Barretos? É uma cidade que se assemelha muito a Jaú, um ano mais nova, cidade de uma cultura muito boa. Ali fiz grupo escolar, ginásio, colegial. Bons professores, como tinha em todo o Estado de São Paulo, o que me deu uma base cultural muito grande. Lá assisti a primeira Festa do Peão e também foi lá que vi o Chico Buarque pela primeira vez, ao vivo. Tenho ótimas recordações do tempo de infância e adolescência; os tempos financeiros eram outros e apesar de difíceis, a gente nunca se deixou abater. Como veio parar em Jaú? De Barretos fui para Ribeirão Preto estudar, fazer o cursinho, e entrei para a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, onde fiz meu curso e a residência médica. Terminei em 1971 e no ano seguinte vim para Jaú a pedido do meu tio Fauzi Atique, pois estavam precisando de um pediatra na época, no Hospital São Judas. Meu tio e o Dr Mira foram me buscar em Ribeirão, onde provavelmente eu iria ficar. Naquele tempo eu pensava em ser professor na faculdade, mas os planos mudaram, acabei vindo para Jaú e aqui estou até hoje. Conheceu sua esposa ainda na faculdade? Foi uma coisa muito boa. Eu estudava no campus da Faculdade de Medicina, é uma fazenda muito bonita, a Fazenda Monte Alegre. A Medicina ficava na parte superior e a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras ficava a uns duzentos metros, onde a Cleusa cursava Biologia. No campus da faculdade tem um lago onde, na época, havia uma prainha que hoje não tem mais. Eu era muito amigo de um amigo da família da Cleusa, que tinha uma namorada na Filosofia. Ele me apresentou a Cleusa no lago, foi a primeira vez que a vi, em 26 de abril de 1966. Dia 30 começamos a namorar. Ela começou dia 30, eu comecei no dia 26 mesmo, foi amor à primeira vista. Namoramos por oito anos, depois eu vim para Jaú e ela ficou lá fazendo mestrado e doutorado, no departamento de Genética da USP. Noivamos dois anos e em 1974 nos casamos, lá em Ribeirão mesmo. E então viemos de mala e cuia para Jaú. Aqui foi criada a família. Seus filhos são todos médicos? Tivemos quatro filhos, uma alegria para nossa vida. São todos médicos. O Saulo é o mais velho e está em Barretos, é neurocirurgião. A Sara é alergista e pediatra em Porto Velho, Rondônia; o João Marcos, que está em Ribeirão Preto, é oftalmologista e a Ana Marta, que está aqui em Jaú, é pediatra e alergista.

Acredita que tenha influenciado na escolha profissional dos filhos? Sempre tive a preocupação de influenciar de uma forma que não fosse o que Deus tinha planejado para a vida deles. Então, com muita oração, colocamos nossos filhos nas mãos de Deus, para eles escolherem o caminho, mas eu e a Cleusa procuramos sempre mostrar não só a minha área e a dela, porque queira ou não influencia, mas também outras carreiras. Pedimos para todos fazerem um teste vocacional para confirmar a escolha deles. A Sara não quis fazer, disse que já havia escolhido a Medicina e acabou; mas os outros três fizeram e confirmaram que eles queriam mesmo a Medicina. E todos estão super realizados, gostam daquilo que fazem. Eu e a Cleusa falávamos para eles: - se acharem que não é o que desejam, mesmo que seja no último ano, abandonem e vão fazer outra coisa, vocês têm que ser felizes. Porque a carreira não é para a gente usufruir dela, é para você ser útil, assim eu penso. Você tem que viver daquilo que você faz, lógico, mas sendo útil para as pessoas, senão vai viver frustrado, só em função de ganho de dinheiro, e não é correto. O dinheiro é consequência de um trabalho bem feito. E a sua escolha profissional, como aconteceu? Desde criança eu decidi que ia ser médico. Eu tinha meus tios já médicos e a gente querendo ou não se vê influenciado. Eles eram profissionais bem sucedidos, então isso, com certeza, influenciou minha cabeça. Eu admirava o trabalho do médico desde criança. Cresci com isso. Na fase da faculdade meu pai não tinha condições de mandar a gente estudar fora, então, quando falei que queria fazer Medicina ele disse: - filho, nós não temos condição, mas vai, seja o que Deus quiser. E Deus proporcionou. Tive que trabalhar um pouco, na época da escola, à noite, mas foi só aprendizado e ganho de vida, porque depois pude ajudar a família na manutenção da minha carreira e na do meu irmão também. E a Pediatria, como decidiu-se por ela? Eu gosto muito de criança, mas achava que não saberia entender criança. Isso até o quinto ano da escola. O tio Fauzi havia falado para eu fazer Urologia e até comecei, mas a partir do quinto ano tive um professor, Jacob Renato Woiski, um dos melhores do Brasil. Ver o Woiski tratar uma criança chamou minha atenção e me vi envolvido. Assim, entrei na Pediatria, ele deu espaço, era muito generoso, explicava tudo muito bem, um homem de renome internacional. Entrei na Pediatria e não me arrependi não, hoje faria de novo. Aqui estou desde 21 de janeiro de 1972. Já tratou muitas crianças que hoje são pais de pacientes seus... É uma emoção grande. Tanto da parte deles, quanto da minha. É uma amizade que se constrói, o paciente não é só um paciente, passa a ser um amigo, porque a gente também se faz importante na família dele para ajudá-los. O médico antigamente não era médico só de um cuidado, de um pronto socorro, de um plantão, era médico da família, convivia como amigo e ainda me comporto dessa maneira.

Revista Energia 17


A relação médico-paciente mudou? A medicina é basicamente uma relação de empatia, tem que haver essa relação entre o médico e a família; se não houver essa empatia, melhor não ter a pessoa como paciente. Pode até ter como amigo, mas não conviver junto do ponto de vista do cuidado médico. Antigamente o relacionamento humano era diferente e não foi só o Brasil que mudou, o mundo mudou. As relações eram mais próximas, muito familiares, e hoje elas são globalizadas. Mudou a formação do jovem, mudou a formação médica, mudou o relacionamento das pessoas como pessoas, o comportamento das crianças e adolescentes na escola. Uma parte não muito grande conserva ainda aquele espírito, outra parte não. Uns veem o paciente apenas como um paciente. Outros veem o paciente como alguém que ele precisa ajudar. Eu falo para meus pacientes: - quando você coloca a sua criança em minhas mãos ela também é minha, tenho que tratar como se fosse meu filho. Como vê a evolução da Medicina? Eu vim de uma faculdade muito boa, a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, e lá tínhamos professores de renome internacional, que transmitiam seu conhecimento muitas vezes sentados em uma rodinha com os alunos. A medicina era basicamente clínica. Você tinha que aprender de tudo, gravar e

18 Revista Energia

chegar a uma conclusão lógica. Não contávamos com tantos exames, então, tínhamos que imaginar o que acontecia dentro do organismo. Quando eu saí da faculdade estava começando a ultrassonografia. Depois veio a tomografia, a ressonância magnética, que mudaram muito a história da Medicina. Quem souber associar aquela Medicina antiga com o conhecimento atual será o melhor médico hoje. É preciso ser muito bom ouvinte, pois sem ouvir o paciente não se faz Medicina. A Bíblia tem um versículo muito bonito, em Tiago, que fala: “Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, e tardio para se irar”. Então, precisamos ouvir mais e falar o que for importante para aquela família que precisa da gente. Como vê a formação profissional dos jovens atualmente? Depende muito de cada profissional. Não interessa em qual escola ele está, os livros são os mesmos, o importante é a dedicação. Lógico que uma escola que faz mais pesquisa, tem mais professores com grau de doutorado, pós-doutorado, mestrado, é uma escola que tem um pouco mais para oferecer para o aluno. Se esse aluno souber tirar da escola o máximo que ele pode ter de aprendizado, trouxer do berço aquilo que ele aprendeu com os pais e aplicar em relação à parte humana da Medicina, acredito que não tenha diferença.


Algum caso marcou mais sua carreira? Eu estava acabando de entrar no Hospital São Judas, subindo com a mala, tinha acabado de chegar de Ribeirão Preto, quando chegou uma criança que tinha levado um choque e teve uma parada cardíaca muito grave. Ficamos mais de meia hora reanimando essa criança quando muitos falavam que já não adiantava mais. E essa criança, graças a Deus, vive aqui em Jaú até hoje. Atuei junto com o Dr Paladini, que era o médico da criança. Como eu estava no hospital e ele ainda não, dei os primeiros socorros até ele chegar, depois trabalhamos juntos em cima dessa criança e isso marcou minha vida. Foi o primeiro caso que eu tive em Jaú. Como vê as novas crianças tecnológicas? Tem um aspecto positivo e outro muito negativo. A criança realmente aprende a desenvolver as conexões neurológicas; uma criança não nasce pronta, nasce com potencial. Na medida em que ela é estimulada, responde formando conexões nervosas, e quanto mais conexões ela formar na infância, mais vai ter ganhos na fase adulta. Agora, deixar muito tempo uma criança não ser criança, ficar só na parte tecnológica é péssimo, porque ela perde a fase onde pode brincar, pular, correr, coisas que hoje as crianças não estão tendo. A cidade não comporta mais uma criança na rua e as famílias têm que procurar outras crianças para elas brincarem. Ou vão para a escolinha ainda muito pequenas, e perdem o contato familiar muito cedo. É a terceirização das crianças, delegar o pequeno para outros cuidarem porque os pais são obrigados a trabalhar para sustentar os filhos. E muitas vezes, para a criança ficar quietinha, dão os brinquedos eletrônicos com os quais ela fica o tempo todo e esquece o relacionamento humano, que é muito mais importante. Crianças que brincam nas ruas possuem uma resistência maior às doenças? A criança que vive fora de casa, toma sol, toma vento, realmente tem boa resistência. Ela vai ter uma resistência imunológica por volta dos sete anos, então, os três primeiros anos são aqueles onde ela vai começar a adquirir essa resistência. Hoje isso é feito também através das vacinas, o que melhorou consideravelmente a saúde. Morrem menos crianças hoje, em decorrência das vacinas, então, na realidade a imunidade até aumentou. Agora, as crianças que não são criadas fora, mesmo com as vacinas, pegam muitas doenças, assim, mesmo com uma quantidade muito maior de vacinas, os pais precisam deixar a criança ter contato com a natureza.

Como avalia a saúde em nossa cidade? Quando saí da faculdade tínhamos poucos equipamentos, mas estávamos crescendo. Na década de 80 houve progressos, a criação de mais centros de saúde. Em 1988, quando foi feita a Constituinte, um grupo sério de médicos criou uma estrutura muito boa da saúde, que é o SUS, e foi feita para funcionar bem, com normas básicas e tudo. O problema é o desvio do dinheiro para a finalidade do SUS, a corrupção que tirou o dinheiro da saúde. E esta área que estava crescendo, hoje está regredindo. Há muito tempo não se atualiza mais a tabela do SUS e com isso os hospitais passam uma necessidade muito grande, e até fecham por falta de recursos. Para Jaú especificamente, o ideal seria um segundo hospital, pois a Santa Casa está sobrecarregada. A perda do Lucy Montoro foi lamentável, íamos ganhar o Hospital Lucy Montoro também, além do ambulatório, e perdemos esse hospital que tinha sido dado para Jaú. Uma pena. Jaú tem uma estrutura médica muito boa, a própria Santa Casa, o Amaral Carvalho, o Hospital Psiquiátrico muito bom, que poucas cidades têm. Sua mensagem final aos leitores Agradeço a Jaú por me receber tão bem como recebeu. Sempre procurei honrar a cidade e ganhei até título de cidadão jauense, eu e minha esposa, nós nos sentimos jauenses de coração e de fato, e tudo aquilo que podemos fazer pela cidade procuramos fazer. Desejo, principalmente, que todo jauense pense em Deus, porque se tivermos nossa visão voltada para Deus, toda nossa vida e de nosso semelhante vai melhorar. Penso assim, procurar viver para Deus e em função do próximo. 

“Quando você coloca a sua criança em minhas mãos ela também é minha, tenho que tratar como se fosse meu filho”

Tem algum hobby? A leitura, principalmente a da Bíblia, é primordial. O relacionamento com Deus é a base da minha vida. Acho que desde o ventre da minha mãe aprendi o relacionamento com Deus. Gosto também de um bom filme e gosto muito de esportes, principalmente futebol. Faço academia também, para manter o corpo em ordem. O que eu não fazia antes por conta da educação dos filhos, e que tenho feito agora, é viajar.

Revista Energia 19


Mundo

O grupo intitulado “Estado Islâmico” conta com mais de 50 mil combatentes, sendo 20 mil recrutados vindos de 90 países diferentes. Destes, 3.400 são cidadãos ocidentais

Texto Heraldo Bello da Silva Júnior 20 Revista Energia


Imagem: Internet Revista Energia 21


M

as, por que jovens de diferentes classes sociais e nacionalidades; ingleses, franceses, norte-americanos e até brasileiros resolvem abandonar sua rotina e viajar à Síria ou ao Iraque para juntar-se a luta do EI?

O QUE É ESTADO ISLÂMICO? O Estado Islâmico nasceu no Iraque, em 2003, e atuava como um braço da Al Qaeda, organização islâmica e terrorista fundada por Osama Bin Laden, que pregava uma luta contra o ocidente, e responsáveis, entre outros, pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA. Em 2013 romperam suas relações com a Al-Qaeda e se juntaram a um grupo jihadista sírio, criando o Estado Islâmico do Iraque e Levante, ISIS (Islamic State of Iraq and the Levant na sigla, em inglês). Presentes na Síria e Iraque, os militantes jihadistas buscam instalar um estado teocrático islâmico. O termo árabe “jihad” está presente no Alcorão, e significa um esforço no caminho de Deus. Podemos dividir a jihad em dois tipos: o esforço individual de luta contra si mesmo para conquistar um bom caminho espiritual, e a luta para levar o Islã a outras pessoas. Segundo o Alcorão, quem entrar nessa luta participará da felicidade no paraíso.

Imagem: Internet

OS JIHADISTAS O jihadismo é uma das correntes islâmicas mais radicais, que acredita que a sociedade mulçumana foi corrompida pela modernidade e pelos valores morais do Ocidente, por isso é necessário um retorno ao Islã original da época de Maomé. Os jihadistas consideram o jihad como uma obrigação de qualquer mulçumano, onde a violência e a luta armada seriam recursos legítimos. Na interpretação desses grupos, o jihad seria uma obrigação individual dos militantes, uma revolução permanente contra os inimigos do Islã e os governantes infiéis. Os jihadistas do EI buscam restaurar um califado (tradicional sistema de governo árabe) com caráter global e que unificaria as terras mulçumanas, tendo o Ocidente como inimigo. Também querem impor à sociedade o que consideram o modo de vida verdadeiramente islâmico. Chamam isso de “guerra santa”. Um termo muito usado pelos radicais é a palavra “mujahidin”, que se refere “àquele que busca o jihad”, combatentes dispostos

ao sacrifício da própria vida em nome de Deus. Segundo o Alcorão, o guerreiro que se entregasse ao martírio alcançaria a glória da morte em combate, e seria recompensado com a benção e o paraíso. ISLAMISMO CONTRA O TERRORISMO A grande maioria dos islâmicos não concorda com atos terroristas, critica a associação do termo jihad à guerra pelos extremistas e vêem como uma interpretação errada do conceito. Para alguns líderes religiosos mulçumanos, existem regras do que seria um jihad justo, e ela também poderia acontecer por meios pacíficos, sendo que o Islã jamais aceitaria a morte de inocentes ou atos de crueldade. É muito importante fazer essa análise por causa do aumento da islamofobia, sentimento de aversão aos seguidores do islã. É um erro grave associar o islã ao terrorismo, pois a grande maioria é extremamente pacífica e prega a paz mundial, não a violência. Assim como temos muito grupos terroristas não islâmicos. Porém, essa associação dissemina o ódio e a intolerância no mundo, incentivando políticas de perseguição e exclusão, como observamos na campanha presidencial do candidato Donald Trump, nos EUA. A INTERNET É A ARMA Segundo Nicholas Rasmussen, diretor do Centro de Contraterrorismo norte-americano, o número de terroristas que viajaram para a Síria “excede o número dos que foram para o Afeganistão, Paquistão, Iraque, Iémen e Somália” em qualquer momento dos últimos 20 anos. Para o diretor, as técnicas de recrutamento do Estado Islâmico têm tido resultados avassaladores. O principal instrumento tem sido a propaganda: “uma máquina como nunca vimos na história”. Utilizam a internet como ferramenta para aliciar jovens e cativá-los a viajar à Síria ou ao Iraque. Possuem profissionais em publicidade e mídia digital que realizam vídeos apelativos, altamente profissionais, e até uma revista mensal digital em Inglês, a “Dabiq”. Essa revista mostra o alto investimento do EI em publicidade: com qualidade excepcional, a revista divulga o sucesso do Estado Islâmico e convida juízes, médicos, engenheiros, enfermeiros e pessoas com capacidade militar para entrar na luta do EI. A revista mostra uma vida luxuosa e confortável para quem quiser, e anuncia com belas imagens que “existem muitas casas e recursos para te receber – a ti e a tua família”. COMO O EI ALICIA OS JOVENS? O EI usa a internet para convencer os mais novos de que vivem em um mundo corrupto, rodeados de pessoas que lhes mentem constantemente, e promete fazer deles pessoas verdadeiramente especiais e não apenas mais um, como se sentem. Aproveita o fato de os jovens se encontrarem em uma fase da vida em que questionam a própria vida e sua identidade para convencê-los a lutar por ideais, como a luta dos fracos contra os mais fortes. Ensina, (através de redes socais como o twitter, whatsapp e até um facebook próprio que criaram, o 5elabook) a Sharia, conjunto de leis baseadas na interpretação do Alcorão (o livro sagrado do Islamismo) e na vida do profeta Maomé, o fundador do Islã. Convence esses jovens de que suas vidas são vazias e perdidas, sem nenhum sentido, e promete o paraíso, além de luxo e excelentes salários em sua nova missão.

22 Revista Energia


Imagem: Internet Kadiza Sutana, Shamima Behum e Amira Abase

Os pais, a escola e os valores ocidentais são considerados impuros, pois reproduzem a mediocridade da vida terrena, fazendo com que os jovens percam essas identidades e se convençam de abandonar as famílias e viajar para a Síria ou o Iraque, em uma fase mais avançada de manipulação. Assim, novos valores vão sendo construídos como ideologia, e vão de aceitarem os atos terroristas e até praticá-los como um caminho para ser um herói e deixar um legado, até a promessa do paraíso.

utilizou todas as suas economias para ver um jogo em Tóquio, mesmo todos achando que seria uma loucura. Mas também podemos, devido ao tédio, buscar a fuga do cotidiano em uma grande aventura, como ir para a Síria ou o Iraque. Uma vida sem significado, tediosa, pode e deve levar um jovem a se tornar mais propenso a acreditar nos ideiais jihadistas e buscar aventuras, conquistas, batalhas, transgressões, tentando construir uma identidade e levando-os a se sentirem mais eles próprios e menos parte do sistema, menos consequências dos pais, menos peças das engrenagens.

POR QUE ESSES JOVENS VÃO? Jovens cheios de energia, cheios de vida são o tempo todo cobrados para estudar, fazer faculdade, ter um bom emprego, ganhar bons salários para consumir, para quê? Para o filósofo Martin Heidegger (1889-1976), vivemos em cadeias utilitárias onde tudo tem um porquê, mas no final não faz sentido nenhum para nossa existência. Corremos muito por um monte de coisas como contas, prestações, compromissos; mas, no fim, não vemos um sentido verdadeiro para nossa existência. É como se corrêssemos porque funciona assim, porque nos ensinaram assim, mas, no final, nada tem um sentido autêntico, e isso provoca o tédio no indivíduo. Heidegger diz que “se o indivíduo não sabe o que veio fazer no mundo, então ele tem uma dificuldade de viver feliz, de forma digna”; é como se fôssemos apenas uma engrenagem em uma grande máquina, sem razão nenhuma. Essa angústia pode nos levar a caminhos diferentes. Podemos fazer como muitos, e viver uma vida inautêntica, apenas correndo, trabalhando, sem buscar nada. Podemos também buscar um sentido e tentar responder a pergunta “por que estamos aqui se vamos morrer?”, construindo de forma livre, através da nossa originalidade e criatividade, nosso próprio sentido. Como, por exemplo, o extremo da felicidade de um torcedor do Corinthians que

O CASO DE BRIAN Em 2014, o Fantástico exibiu uma reportagem sobre um jovem brasileiro que aos 19 anos abandonou tudo e foi para a Síria se juntar aos extremistas. A família de Brian estava morando na Bélgica há muitos anos e em entrevista ao correspondente Roberto Kovalick, a mãe de Brian, Rosana Rodrigues, contou que o jovem era um rapaz católico, esportista e alegre. Para ela, a transformação do filho começou após uma grande decepção, pois ele queria ser jogador de futebol e aos 17 anos foi dispensado, quando entrou em depressão. E foi nesse momento que os extremistas se aproximaram dele. JOVENS MULHERES No ano passado, Marcelo Freire exibiu no site UOL a história de jovens ocidentais que se aliaram ao Estado Islâmico. Adolescentes que abandonaram sonhos e famílias ao se deixarem seduzir por tantas promessas. Assim aconteceu com as britânicas Kadiza Sultana, de 16 anos; Shamima Begum, 15 anos e Amira Abase, 15 anos, que moravam em Londres e pegaram um voo para Istambul, na Turquia, de onde teriam fugido para a Síria. Segundo os amigos e as famílias, as três eram garotas estudiosas e motivadas. A história de Nora el-Bathy também chocou o mundo. Aos 15 anos e com o sonho de ser médica, saiu de sua casa em Avignon, na França, para ir à escola. Entretanto, não apareceu lá. Nora sacou uma quantia em dinheiro de sua poupança, pegou um voo e foi para a Síria, juntar-se ao Estado Islâmico. Descobriram depois que ela possuía uma conta alternativa no Facebook, através da qual se conectava com os jihadistas.

Revista Energia 23


Imagem: Internet

Assim também aconteceu com Samra Kesinovic, 16, e Sabina Selimovic, 15, austríacas, que fugiram de casa em abril de 2014 para lutar no que acreditavam ser a “guerra santa”, na Síria. Afirmando que serviriam a Alá e morreriam por ele, as duas acabaram inspirando outras garotas a seguir o mesmo caminho, com a ajuda da propaganda do grupo, claro. Mas, nem tudo é um paraíso. Muitas dessas jovens, segundo seus familiares, foram obrigadas a se casar com guerrilheiros, além de prestar os mais diversos serviços. BRASILEIROS NO EI Por aqui, a Polícia Federal, através da Operação Hashtag, prendeu suspeitos de planejar um atentado terrorista durante a Olimpíada, no Rio de Janeiro. Os presos foram considerados pelos investigadores uma célula do Estado Islâmico no Brasil. O grupo seguia o mesmo roteiro dos terroristas envolvidos nos atentados em Orlando, Estados Unidos, e em Paris, na França: foram recrutados pela internet e até juraram lealdade ao Estado Islâmico. SOLUÇÃO? É verdade que, sem dinheiro, diminuem consideravelmente os atrativos nessa luta. Com a perda recente de importantes áreas com petróleo, o financiamento do Estado Islâmico diminuiu muito, e os altos salários que eles pagam também caíram, junto com a quantidade de pessoas que recrutam, que vem reduzindo exponencialmente. Acabar com suas fontes de recursos e financiamentos é, sem dúvida, uma saída. Mas não a única. Repensar o modelo de vida na qual somos assediados ao consumo e ao trabalho, de forma que não nos sobra tempo para repensar nem mesmo qual é verdadeiramente o sentido da vida. Estilos de vida impostos pela mídia, para controlar nosso trabalho e nosso lazer, onde encontramos muito pouco ou quase nada de originalidade. Uma educação que reproduz esse sistema utilitário, onde os alunos são vistos como adultos em miniaturas, preparando-se para o trabalho. Sem dúvida o tédio e a vontade de fazer alguma loucura para quebrar essa cadeia utilitária são marcantes. Precisamos de mais reflexão, mais originalidade, mais criatividade e diálogos como esse, que nos levam a pensar, como propõe o filósofo: “Por que nós estamos aqui? Qual é o sentido que você está construindo para sua vida?” 

Telecomunicações - Redes - Segurança Eletrônica Olicom, uma empresa especializada em Telecomunicações, Redes, Sistemas de Segurança e Fibra Óptica. Contamos com profissionais qualificados e produtos da mais alta qualidade para garantir a nossos clientes o melhor atendimento. Trabalhamos para ganhar a satisfação e confiança dos clientes, oferecendo produtos benéficos, prestando serviços confiáveis, visando sempre a necessidade de nossos clientes.

Telecomunicações - Redes - Segurança Eletrônica

24 Revista Energia


Revista Energia 25


26 Revista Energia


Saúde Bucal Por Claudio Veneziano de Freitas Cirurgião Dentista / Implantodontista

Conheça mais sobre a tecnologia que revolucionou o sorriso dos artistas As chamadas lentes de contato recobrem imperfeições, modificam o formato, tamanho ou coloração dos dentes, possibilitando um sorriso mais harmonioso

V

ocê já deve ter reparado no sorriso perfeito daquele ator, atriz, cantor, apresentadora ou jogador de futebol famoso. Mas, será que esse sorriso harmonioso é fruto apenas da natureza? Com certeza, não! Muitas celebridades estão recorrendo à técnica das lentes de contato que, de maneira simples, rápida e indolor, corrigem muitas imperfeições dos dentes e sorriso. As lentes de contato odontológicas são finas lâminas de porcelana, de aproximadamente 0,3 mm de espessura, “coladas” sobre os dentes para fechar espaços, reparar dentes lascados ou quebrados e até corrigir pequenos alinhamentos. Também são muito usadas para corrigir a coloração do esmalte e modificar o formato ou tamanho dos dentes tornando o sorriso mais jovem e brilhante. A confecção dessas lâminas é relativamente simples. Depois de um adequado planejamento do caso, o dentista realiza moldagem dos dentes do paciente. Esses moldes são enviados para um laboratório de prótese, onde as lâminas são individualizadas para cada caso. Já no consultório, os laminados são provados e aprovados pelo dentista e paciente; o dente é preparado, aplicando um ácido para deixar a superfície porosa, e as lentes são coladas aos dentes por meio de uma mistura química de última geração, em que a porcelana se fixa ao dente de forma bastante segura. Depois de coladas, as lentes de contato podem durar entre 5 e 10 anos, mas é muito importante visitar o dentista anualmente para

acompanhamento. No início são recomendadas consultas frequentes para controle das lentes e ajustes necessários. Apesar de pouco invasiva, a aplicação das lentes de contato é contraindicada em algumas situações. Pessoas que apresentam mordida desbalanceada, apertam ou rangem os dentes, roem as unhas com frequência ou mordem objetos como tampas de caneta, devem evitar as lentes de contato. Nesses casos, facetas ou coroas em porcelana são os métodos mais indicados. Para reabilitações estéticas mais resistentes há a necessidade de realizar um desgaste para o dente receber uma camada mais espessa do material, cerca de 1 a 2 mm. O processo de confecção é bastante semelhante ao das lentes de contato, porém, o paciente necessitará de provisórios enquanto aguarda o trabalho protético. A evolução dos materiais odontológicos e técnicas minimamente invasivas revolucionou a área da estética na Odontologia, possibilitando de maneira rápida e indolor a modificação de um dente ou de todo um sorriso. 

“As lentes de contato corrigem muitas imperfeições dos dentes e sorriso de maneira simples, rápida e indolor”

Revista Energia 27


Capa

JaĂş

Shopping

faz parte da sua vida

Uma visita ao shopping ĂŠ considerada uma atividade extremamente prazerosa e divertida, capaz de fazer qualquer pessoa esquecer os problemas do dia a dia Texto Heloiza Helena C Zanzotti 28 Revista Energia


Murilo Bergamo Contato: 99673 2677

dades até o final de 2016. São 1.056.055 empregos gerados, e mais de 400 milhões de pessoas circulando mensalmente pelos corredores dos shoppings. Para Glauco Humai, presidente da Abrasce, o mix de lojas diversificado, a segurança, a conveniência e os novos serviços que vêm sendo agregados, além da grande capacidade de adaptação de cada empreendimento às características de seu público, continuam sendo fortes atrativos para o frequentador. TUDO EM UM SÓ LUGAR O consumidor está cada vez mais exigente, valorizando seu tempo e optando por frequentar lugares onde pode resolver várias coisas enquanto almoça ou faz um lanche, assim, a praticidade dos shoppings vai de encontro às suas necessidades. Além disso, a facilidade de estacionar o carro e as boas opções de alimentação facilitam a vida de quem tem pouco tempo. E não é só isso. Como os shoppings valorizam o paisagismo, a luz natural e os espaços abertos, ali dentro o consumidor encontra um ambiente alegre, claro, perfeito para fugir da rotina.

H

á 50 anos era inaugurado o primeiro shopping no Brasil, o Shopping Center Iguatemi, em São Paulo. Na verdade, este foi o primeiro shopping da América Latina, e introduziu no país um novo conceito em compras e lazer, além de transformar a região do Jardim Paulistano em uma das mais valorizadas da cidade. A inauguração do Shopping Iguatemi aconteceu em 28 de novembro de 1966, e reuniu mais de cinco mil pessoas em uma grande festa que contou com apresentações de Chico Buarque, Nara Leão, Chico Anísio, entre outros artistas. A novidade foi tanta que nos primeiros dias quase duzentas mil famílias passaram pelo centro de compras. A FORÇA DO SETOR Hoje os shoppings são espaços de entretenimento e convivência, onde o consumidor também faz compras. Segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), a entidade que representa o setor no País, em maio deste ano havia no Brasil 549 shoppings, com previsão de inaugurar mais 15 uni-

JAÚ SHOPPING Em nossa edição anterior, mostramos ao leitor um pouco de tudo o que o Jaú Shopping oferece à cidade e toda a região. Há 15 anos este centro comercial destaca-se como o maior empreendimento da região, abrigando lojas de marcas consagradas, salas de cinema, diversão para a garotada e uma praça de alimentação com as melhores opções em gastronomia. São 100 lojas e 10.000 mil vagas rotativas no estacionamento, distribuídas em 12,5 mil metros quadrados de área construída, com dois pavimentos e excelente infraestrutura de serviços de segurança, circuito interno de TV (CFTV), ar condicionado central ecológico, escadas rolantes, internet grátis, sanitários e fraldário. Quem frequenta o Jaú Shopping percebe a preocupação constante em atender os desejos e as expectativas de seus clientes, com investimentos contínuos em melhorias, mantendo um padrão de qualidade ímpar no segmento. PERFEITO PARA O SEU NEGÓCIO Quem pensa em abrir uma loja sabe que a escolha do ponto deve ser uma das principais questões no planejamento, e instalar seu negócio em um shopping normalmente traz muitas vantagens para o empresário. A possibilidade de lazer, alimentação, segurança e alcance regional são os principais pontos positivos. Some ainda outras vantagens como o horário estendido, que aumenta as possibilidades de faturamento; os eventos promovidos pelas administradoras, que geram maior fluxo de pessoas; além, claro, do estacionamento, que facilita o acesso dos clientes às lojas. Além destas vantagens, a administração do Jaú Shopping busca constantemente praticar ações que possibilitem o máximo de retorno aos investidores, fortalecendo a parceria e fidelizando clientes.

Revista Energia 29


JAÚ SERVE, MOTIVOS PARA COMEMORAR “Quando surgiu a oportunidade de sermos uma das lojas âncoras do Jaú Shopping, foi com imensa satisfação que elaboramos o projeto, pensando em cada detalhe, desde o layout que homenageia pontos históricos da cidade, o conforto para nossos clientes, até a comodidade do acesso, para ser realizado através da avenida ou da rampa que integra o Jaú Serve ao complexo de lojas, serviços, lazer e praça de alimentação do Jaú Shopping. Atualmente, nossa loja oferece 13 mil itens, em uma área de vendas com cerca de 2.500 m², 18 checkouts, 230 vagas de estacionamento (área interna e externa), com 250 colaboradores que proporcionam serviços de qualidade à população e visitantes da cidade, no horário de funcionamento estendido. Após 9 anos da inauguração, só temos motivos para comemorar essa parceria que mostra sua força através do grande número de pessoas que passam pelo local diariamente, garantindo o desenvolvimento sustentável do empreendimento”. José Doniseti Vieira, Conselho de Gestão – Supermercados Jaú Serve.

VERA FERRARINI, PARCERIA GRATIFICANTE “A parceria com o Jaú Shopping me fez crescer muito como empresária. Aqui consegui atingir metas e dar aos clientes mais comodidade e conforto. Optei e apostei nesse empreendimento que já completa 15 anos para oferecer à população um ambiente climatizado, com diversidade de lojas, estacionamento e segurança. Essa parceria é muito gratificante, pois junto com a administração podemos buscar formas de satisfazer sempre nossos clientes. Estamos muito felizes por fazer parte da família Jaú Shopping. Que juntos possamos crescer cada dia mais, e que venham muitos anos de parceria com o que Jaú tem de melhor a oferecer”. Vera Ferrarini, empresária.

CLAUDIA BIANCO, PROSPERIDADE HOJE E SEMPRE “A Claudia Bianco é uma loja de sapatos femininos que é complementada com acessórios também femininos, bolsas, carteiras, bijoux, cintos. No mercado há mais de 24 anos (desde fevereiro/1992), iniciamos as atividades no Jaú Shopping com 10 lojas, e aos poucos lojas âncoras foram se estabelecendo, tais como O Boticário, Lojas Americanas, Banco do Brasil, Claro, Vivo, Tim. Hoje temos um espaço bem comercial. O Jaú Shopping proporcionou a mim e ao meu público conforto, local próprio para estacionar; ar condicionado; mix de lojas variadas; horário diferenciado de funcionamento do comércio local; praça de alimentação; cinema. Rá... tim... bum... 15 anos de Jaú Shopping! Parabéns... Prosperidade hoje e sempre!” Claudina Bianco, proprietária.

KLACE COSMÉTICOS & PERFUMES IMPORTADOS, PROFISSIONALISMO E PRESTÍGIO “A história da KlaCe iniciou-se juntamente com a inauguração do Jaú Shopping, em 2001. O que motivou essa parceria foi a segurança e a comodidade que o shopping oferece aos clientes de Jaú e região. Através de muito esforço e dedicação por parte de seus proprietários e colaboradores, a KlaCe vem realizando um bom trabalho, visando ao crescimento, profissionalismo e prestígio da empresa”. Clarice Célia Polzato, sócia proprietária da KlaCe . 30 Revista Energia


KOPENHAGEN, CONFORTO E QUALIDADE

P.L. JOIAS, SEGURANÇA E CONFORTO “A P.L. Joias atua no mercado joalheiro há 37 anos e há 15 anos está situada no Jaú Shopping, proporcionando maior segurança e conforto para receber seus clientes. A empresa oferece joias em ouro 750, colares em pérolas e pedras, relógios femininos e masculinos de diversas marcas: Diesel, Michael Kors, Bulova, Armani, Guess entre outros. A P.L. Joias orgulha-se em fazer parte do complexo do Jaú Shopping”.

PARELLI SPORTS SHOPPING, ORGULHO E SATISFAÇÃO “Nós, da Parelli Sports, estamos extremamente felizes e orgulhosos por fazermos parte deste empreendimento de sucesso que é o Jaú Shopping”. Ito Parelli, empresário.

“Para nós da Kopenhagen, Chocolates Brasil Cacau e quiosque Chopp Brahma, estar no Jaú Shopping é excelente, pois estamos aliados a outras grandes marcas e isso fortalece o nosso negócio. Sem contar as facilidades como climatização e estacionamento, que nos favorecem quando o cliente escolhe comprar com conforto e qualidade”. Camila Monteiro Marinho e Renato Alves Marinho, proprietários

RI HAPPY, EMPREENDIMENTO CONSOLIDADO A Ri Happy, rede varejista de brinquedos com 25 anos de mercado, conta hoje com mais de 125 lojas espalhadas pelo Brasil nas principais capitais e no interior de vários estados. Nelas o cliente tem à sua disposição 2.000 funcionários especializados e bem treinados, sempre prontos para realizar sonhos, pois a empresa tem como missão “Ser a melhor empresa do mundo na prestação de serviços, na indicação e no fornecimento de objetos de entretenimento, lazer e desenvolvimento infantil”. Além de encontrar produtos diversificados, exclusivos pra todas as idades. A base do sucesso dessa empresa que é líder absoluta no varejo especializado em brinquedos é o atendimento personalizado e a variedade de produtos com preços competitivos. Valéria Gromboni, gerente. O BOTICÁRIO, LIBERDADE E SEGURANÇA “Nestes 15 anos vimos os hábitos da cidade mudarem com a vinda do Jaú Shopping e, consequentemente, o crescimento do mesmo, que sempre busca realizar ações para aumentar o fluxo de pessoas, o que é uma vantagem para a loja. São muitos os diferenciais como estacionamento, comodidade, ambiente climatizado, horário de funcionamento, os eventos que são realizados, liberdade de fazermos divulgações e ações em um ambiente seguro e com bastante fluxo de pessoas, além das promoções e decorações realizadas, principalmente em dadas comemorativas”. Daniela Tomis, gerente.

Revista Energia 31


MORANGUINHO, MOTIVAÇÃO E OPORTUNIDADE “Há 25 anos, motivada por uma vontade de me tornar empreendedora, abri uma loja, a Moranguinho, onde comercializo roupas e acessórios para crianças de 0 a 16 anos. Inicialmente instalada no centro da cidade de Jaú, mas sempre atenta às necessidades dos meus clientes, identifiquei que seria uma ótima oportunidade instalar a Moranguinho no Jaú Shopping, e fui uma das primeiras a abrir a loja neste centro de compras e lazer, onde estou desde a sua fundação”. Mônica Lázzari de Carvalho Campos, proprietária.

O JAÚ SHOPPING VAI LEVAR VOCÊ PARA A EUROPA

Em mais uma mega promoção, o Jaú Shopping vai dar uma viagem para Portugal (Porto e Lisboa), com direito a acompanhante. Serão sete dias incríveis, com saída entre março e setembro de 2017. A ação será realizada de 07/10 a 06/11/2016, com divulgação do resultado no dia 09/11/2016. Para ganhar, basta acertar quantas mini velinhas de aniversário tem dentro da caixa de acrílico que ficará exposta no shopping durante todo este período. Depois, é só fazer as malas! 

32 Revista Energia


Conheça Jaú Conheça Jaú Heloiza Helena C Zanzotti

Heloiza Helena C Zanzotti

R

eferência nacional em tratamento oncológico e realização de transplantes de medula óssea, o Hospital Amaral Carvalho completou 100 anos em 2015, com muitos motivos para comemorar. Sua história começou com a doação feita pelo Coronel Domingos Pereira de Carvalho e sua mulher Anna Marcelina Campanha de Carvalho, de uma área de 25 mil metros quadrados onde seria edificada a Maternidade do Jahu, além de certa quantia em dinheiro. Inaugurada oficialmente em 22 de março de 1936, a instituição foi criada para atender a alta demanda de gestantes e reduzir os índices de mortalidade infantil, bastante altos na época. A Maternidade do Jahu teve grande impulso após a chegada do Dr Antônio Pereira do Amaral Carvalho, filho do casal Domingos e Anna Marcelina, o primeiro jauense a formar-se em Medicina. Em meados de 1950, o hospital já havia ampliado suas atividades, atendendo o público em geral. Em 1954, em homenagem a Antônio Pereira do Amaral Carvalho, passou a denominar-se Hospital Amaral Carvalho e Maternidade de Jaú. Não demorou muito para que começasse a especializar-se no tratamento do câncer, sendo pioneiro na área dentro do Estado de São Paulo. Com essa especialização e grandes ampliações, foi adotado o nome de Hospital Amaral Carvalho, que permanece até os dias atuais, mantido pela mais antiga entidade filantrópica privada de assistência à saúde do Brasil, a Fundação Amaral Carvalho. Com quase 100% de sua capacidade voltada para o atendimento a pa-

Hospital

Amaral Carvalho

cientes do SUS (Sistema único de Saúde), a cada ano o Hospital Amaral Carvalho ganha maior reconhecimento pela qualidade dos serviços prestados na área da oncologia. E isso é expresso em números: anualmente, são mais de 75 mil pacientes atendidos, oriundos de todos os estados do Brasil. Mais de um milhão de procedimentos são realizados, incluindo quimioterapia e radioterapia. Só em Transplante de Medula Óssea foram mais de 7 mil atendimentos em 2015. A importância da instituição estende-se aos serviços de apoio, como é o caso do Hemonúcleo Regional de Jaú, responsável pela coleta, procedimentos e distribuição de sangue e hemoderivados para as unidades de saúde da cidade e região. Também são disponibilizadas casas de apoio aos pacientes em tratamento, com refeições, transporte e lazer. Através do Espaço Cultural Amaral Carvalho, pacientes, acompanhantes e colaboradores desfrutam de atividades culturais e esportivas. Projetos de humanização são priorizados, como o Ursinho Elo, que utilizando tecnologia inovadora, aproximou as crianças em tratamento de seus familiares e amigos. Destaque ainda para a educação, uma vez que o Amaral Carvalho é considerado hospital de ensino e mantém Programa de Residência Médica credenciado pelo Ministério da Educação (MEC) e a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) em dez especialidades. Mais que fazer parte da história de Jaú, o Hospital Amaral Carvalho cuida das pessoas, ampara, orienta e trabalha incessantemente na prevenção de diversos tipos de câncer, desenvolvendo ações que podem levar à detecção precoce da doença, ou à sua cura. 

- Cortinas de Rolo

Coberturas

- Cortinas de Rolocom visor - Sombreadores - Toldos Fixos em Vários Modelos - Reforma de Toldos em Geral Fone: (14) 3624.7331 (14) 99719.0790 - Rua Cônego Anselmo Valvekens, 51 - Jaú/SP Revista Energia 33


34 Revista Energia


Terapia Por Dra Nathalia U. Savian Pessoto Terapeuta de ThetaHealing

Mestre em Fisioterapia (UNESP), Especialista em Ortopedia e Traumatologia (UNESP), Especialista em Osteopatia e Técnicas Manipulativas (UENP), tem formação em Microfisioterapia, Reiki e formação em ThetaHealing DNA Básico e Avançado.

Um novo olhar sobre o câncer Já conhecido por muitos de nós, o câncer é definido como multiplicação ou aumento de células no organismo, as quais passam a se replicarem de maneira desordenada e descontrolada

P

opularmente conhecido como tumor, pode ser de ordem hereditária ou hábitos de vida não saudáveis como má alimentação, baixa qualidade de sono e falta de atividade física. Talvez, o que você não saiba é que suas crenças e pensamentos igualmente influenciam nesse processo. Essa é uma boa notícia para você, que busca o equilíbrio corpo, mente e espírito, e ainda acredita que seu destino não está fechado pelos registros do seu DNA. Uma pesquisa publicada em 2007 na revista NATURE concluiu que o câncer pode ser entendido como um colapso no equilíbrio entre as células cancerígenas que sempre estiveram “adormecidas” no corpo e as defesas naturais que normalmente as mantêm inertes. Esse tipo de estudo destaca a importância de se nutrir e fortalecer nosso “terreno”. Nutrir nosso terreno significa ter não somente hábitos de vida saudáveis, mas crenças fortalecedoras e pensamentos positivos, pois estes irão garantir a liberação dos hormônios de forma equilibrada e benéfica. Quando estamos felizes e temos a sensação de bem-estar liberamos dopamina, serotonina e endorfina em todo nosso corpo, portanto, o terreno começa a ficar fortalecido, nosso sistema imunológico funciona melhor e, de forma geral, nos tornamos mais alcalinos, isto é, com menor concentração de toxinas e acidez, elementos que acabam favorecendo o terreno para as células cancerígenas. A ciência fez avanços extraordinários e demonstrou que todos nós temos a habilidade de nos proteger do câncer e de contribuir com nossos próprios meios para curá-lo.

Um desses avanços se deu com o Dr. Hammer, que conseguiu “mapear” as nossas emoções, sua atividade cerebral e relacionar aos locais de surgimento de câncer no corpo, então, foi criada a “Nova Medicina Germânica”. Esta ciência estabelece que estamos sempre produzindo e eliminando câncer do nosso organismo, de acordo com “conflitos” que experimentamos na nossa vida e que podemos evitá-los justamente fortalecendo nosso terreno, ou seja, sabendo vivenciar as emoções, e não armazená-las. Temos tendência a evitar a tristeza ou “nos fazermos de fortes” em situações que são necessárias as manifestações de tais emoções, com isso, estamos deixando nosso terreno preparado para as células cancerígenas despertarem diante desse “conflito” criados por nós mesmos. Assim, cada conflito e cada experiência vivenciada de forma negativa podem gerar tumores em locais específicos do corpo. O câncer de mama, por exemplo, está associado ao sentimento de incapacidade de nutrir as relações, por isso a maior incidência em mulheres, pois fisiologicamente e culturamente são elas que nutrem os filhos, os parceiros e demais relações. Esse novo olhar para a saúde permite uma abordagem integrativa com os pacientes e permite que muitas pessoas consigam manter seus terrenos férteis e nutridos positivamente, mas é extremamente importante lembrar que nenhuma terapia natural consegue, sozinha, solucionar todos os problemas de saúde. Assim, na visão da Saúde Integral – corpo, mente e espírito, é preciso unir os conceitos e trabalhar em conjunto, respeitando a individualidade de cada ser. 

Revista Energia 35


Energia Garota

Tamarys Paulino

Por Paula Mesquita

36 Revista Energia

Tel.: (14) 3626 3850 Rua Campos Salles, 256 - Centro JaĂş/SP Paula Mesquita Modas


Ficha técnica:

Fotos: Daniel Jorgin Looks: Paula Mesquita Cabelo: Jorgin Cabelo e Estética Local: General Bar


Reflexão

Tudo tem

seu lado bom... Perdas, frustrações, angústias... Tudo isso tem mais do que um lado bom: podem ser acontecimentos fundamentais para uma vida melhor e mais feliz

Texto Heloiza Helena C Zanzotti


T

odos nós passamos por situações difíceis em nossas vidas, entretanto, tirar proveito delas e superar desafios nos faz mais fortes, mais sábios, mais maduros. Há sempre um lado positivo em qualquer situação, atividade, ação ou acontecimento, e o que determina como enxergamos as coisas é a nossa percepção, que do ponto de vista psicológico ou cognitivo, envolve os processos mentais, a memória e outros aspectos que podem influenciar na interpretação dos dados percebidos. O EMPURRÃO QUE FALTAVA Maria Lúcia trabalhou dezesseis anos em uma empresa aqui em Jaú. Quando começou a ouvir falar em crise, corte de despesas e demissões, jamais pensou que isso a atingiria. “Eu era uma das funcionárias mais antigas, fazia muito bem o trabalho e tinha um excelente relacionamento com meus patrões”. Entretanto, em janeiro deste ano ela foi surpreendida com sua dispensa. “Parecia um pesadelo, eu não queria acreditar. Procurei motivos, entrei em desespero, a ficha não caia”, lembra. Quando finalmente teve que enfrentar a situação, não sabia por onde começar. “Levei meu currículo em várias empresas do ramo, mas comecei a perceber que havia muita gente na mesma situação. Pessoas tão qualificadas como eu, e até mais. Fiquei desesperada e com medo de não exercer mais a função que eu conhecia tão bem”. Enquanto estava parada, Maria Lúcia recebeu um convite para fazer um curso de desenvolvimento pessoal. “A princípio pensei que gastar essa grana seria loucura, se eu não arrumasse logo um emprego ia fazer falta. Mas resolvi investir em mim mesma, conhecimento é sempre bom e eu achei que era uma oportunidade para repensar minha vida”. Ela conta que durante o curso descobriu o quanto estava acomodada e como poderia tirar proveito da situação adversa. “Percebi que ser demitida foi o empurrão que eu precisava para mudar de vida. Montei um negócio próprio, estou ganhando mais do que antes e muito mais realizada. Sei que será preciso muito trabalho até chegar onde desejo, mas estar melhor do que estava já é gratificante!” A POLÊMICA ACERCA DO POKÉMON GO Pokémon Go é um game gratuito para smartphones Android e iOS. O jogo utiliza o sistema de GPS dos aparelhos para fazer

com os jogadores se desloquem fisicamente para conseguir capturar os monstrinhos da franquia da Nintendo, que aparecem nas telas de dispositivos como se fossem no mundo real. O jogo é um fenômeno mundial, mas tem recebido muitas críticas quanto à segurança dos usuários, tempo de utilização e até alienação. Houve relatos de jogadores assaltados, atropelados e pelo menos uma morte foi atribuída ao jogo: em 20 de julho último, um rapaz de 18 anos foi baleado e morto na Guatemala, enquanto jogava tarde da noite. Em contrapartida, há muitas notícias positivas acerca do Pokémon Go. Professores estão aproveitando o interesse e utilizando o jogo em suas disciplinas; em Michigan, Estados Unidos, um hospital infantil conseguiu tirar crianças do leito e fazer com que interagissem através do game; e crianças autistas, ao caçar Pokémons, têm demonstrado maior aceitação nas relações sociais. Luís Mauro Sá Martino, jornalista e professor de Comunicação, em entrevista ao programa Tribuna Independente, da Rede Vida, afirma que o jogo é tão perigoso quanto a troca de mensagens ou a utilização das redes sociais. “É preciso aprender a conviver com as novas tecnologias e com os limites delas, obviamente”, afirma. Para ele, o jogo por si só não pode ser responsabilizado pelo mau uso, pois é preciso lembrar que por trás de toda tela há um ser humano. HARRY POTTER E A PERSISTÊNCIA A vida da britânica Joanne Row foi uma sucessão de fracassos que a fizeram rever conceitos, mudar atitudes e persistir. Joanne cursou Letras porque desejava ser escritora, mas foi trabalhar em um escritório para agradar os pais. Perdeu a mãe, mudou-se para Portugal, casou-se, teve uma filha e se divorciou. Foi para a Escócia onde sozinha, desempregada e com uma filha entrou em depressão e passou a viver da ajuda financeira do governo. Então começou a escrever um livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal, que foi recusado por oito editoras. Com o nome artístico de J. K. Rowling conseguiu, enfim, que publicassem seu Revista Energia 39


O LEGADO DAS OLIMPÍADAS Muitas críticas foram lançadas do mundo todo acerca da realização das Olimpíadas no Brasil. Especialmente em um cenário político desfavorável. Problemas com infraestrutura, segurança, transporte e muitos outros foram colocados em pauta. Gastos exorbitantes em um momento econômico desfavorável foram questionados. E trouxeram realmente diversos problemas a serem resolvidos após sua realização. Mas há pontos inquestionáveis a serem observados como melhorias no transporte e mobilidade urbana, revitalização da região portuária e os investimentos em Deodoro, bairro com um dos menores índices de desenvolvimento do Rio. E mais, pela primeira vez na história dos jogos, a proteção da infância entrou na pauta do evento. Uma parceria inédita entre o Comitê Organizador Rio 2016 e a Childhood Brasil possibilitou o planejamento de um conjunto de ações que reduzissem os riscos de ocorrência das violações de direitos humanos de crianças e adolescentes antes, durante e depois dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. VALORIZAMOS O QUE É DO OUTRO Para Lilian Pellizzon Ribeiro, Master Practitioner em PNL e treinadora do Instituto Você, tornou-se um comportamento recorrente do ser humano valorizar apenas o que é do outro. O carro do outro, o emprego do outro, a esposa ou marido do outro, os amigos do outro. “Como diz o ditado, a grama do vizinho é sempre mais verde”, pontua a treinadora. Mas, será essa uma verdade absoluta? “Uma lição importante que podemos tirar das Olimpíadas Rio-2016 é exatamente esta. Quantos de nós não pensamos que, em decorrência de tudo o que estava acontecendo (e ainda acontece) em nosso país, os jogos olímpicos seriam um fracasso após o outro? Mas a

40 Revista Energia

Foto: arquivo pessoal

livro, e em três anos tornou-se a mulher mais rica do Reino Unido. Segundo ela, “o fundo do poço tornou-se uma base sólida sobre a qual eu reconstruí minha vida”.

realidade foi bem diferente! Tivemos o que foi dito pelos próprios atletas, os melhores jogos de todos os tempos. A festa mais linda, o povo mais festeiro, na cidade maravilhosa! Atletas reportaram que nunca se sentiram tão amados e acolhidos. Um deles, ao deixar a quadra, disse ter se sentido em seu próprio país, tão brasileiro quanto um brasileiro, tamanho foi o acolhimento. Pontos a melhorar, todos os outros jogos olímpicos, em países mais desenvolvidos, tiveram também. Mas a festa aqui foi, definitivamente, a melhor até agora”, conclui Lilian. ESCOLHA SER FELIZ Dentro de cada um de nós existe uma imensidão de recursos, e através de nossas escolhas podemos modificar nossas vidas para melhor. Precisamos estar atentos às oportunidades, analisar, enxergar o lado positivo em cada coisa ou acontecimento, e assim fazermos nossas escolhas, levando sempre em conta o melhor que pudermos tirar de determinada situação. E isso vale para jogos, internet, profissão, relacionamentos, enfim, para tudo aquilo que faz parte de nossas vidas. 


Revista Energia 41


Por Evelin Sanches Mestrado em Administração Pública e Governo MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Grandes marcas, projetos sociais e esportes marcam os domingos em Bauru

A

Nossa finalidade não é conquistar apenas mais um cliente, mas ter a sua família presente em uma de nossas casas

lameda Quality Center e Grupo Rodoserv chegam a Bauru com um grande diferencial: gerar novos parceiros, identificar grandes marcas e ganhar mais amigos... Com foco nesses objetivos aconteceu o evento que se tornou uma grande feira de exposição no estacionamento do Alameda Quality Center, em Bauru, e contou com a participação de empresas, projetos sociais e esportivos, investidores, assessorias esportivas, Polícia Militar com cavalaria, canil, exposições de armamentos e apresentações do Corpo de Bombeiros, palhaços, exames clínicos, maquiagens e brincadeiras. Composto por estruturas visivelmente impressionantes, São Pedro também compareceu trazendo chuva, e ainda assim foram mais de 325 atletas, cerca de cinco mil pessoas que estiveram no local das 8h às 17h, muitas atrações, imagens inesquecíveis e a presença de muitas personalidades como os meninos do Bauru Basquete; do Judô equipe SESI e a medalhista olímpica Renata Schiaveto; o time de futebol da Série A “Clube Atlético Linense” e seu mascote; tocha olímpica e encerramento com show cover da banda Legião Urbana. Um trabalho marcado por unir empresas, esporte e social em um só evento, em uma só arena. Independente do tempo, fomos surpreendidos por mais de 220 atletas em busca do tão esperado percurso que difere as corridas de rua de toda região; um percurso sofisticado, campo privado, seguro (embora trail), com curvas atuadas e todo o caminho plano, com uma vista invejável e um ambiente encantador. O Circuito Alameda das Estações não poderia ter outro padrão, pois segue toda a linha de trabalho do Grupo: grandes empresas, grandes eventos. Exames e entretenimentos seguiram por toda a tarde do domingo, 21 de agosto, que ficou marcado na cidade de Bauru. Empresários e apoiadores vestiram a camisa, participaram, trouxeram suas equipes e reuniram os amigos. Assim ganhamos força em todos os outros eventos, com a parceria de amigos que merecem todo nosso respeito, equipes que além de corridas, podem nos instruir e auxiliar. Nossos agradecimentos aos Policiais Militares e Bombeiros que deram apoio ao evento.

Outro ponto forte a destacar em Bauru é a segurança, com equipes de socorro presentes o tempo todo. Desse modo, fechamos o domingo com um grande show, Tributo a Legião Urbana, e o desfile da Tocha Olímpica, momento em que todos pararam para um clic das lentes nervosas de Walter Contessotti Jr. O Alameda Quality Center sempre prezou pela qualidade em tudo que faz, e como consequência gerou uma forte marca ostensiva e um ambiente sofisticado. A junção ao Grupo Rodoserv fez com que todo glamour tivesse esse jeito amigo, alegre e descontraído, que tem como tradição. Não é a toa que o Rodoserv traz em suas marcas o sorriso, o ser feliz e o sucesso de uma star. 


Revista Energia 43


44 Revista Energia


Revista Energia 45


Direção Segura Por Ariel Pacífico

Lei Federal altera o Código de Trânsito e aumenta valores de multas A Lei n.º 13.281 publicada no Diário Oficial da União em 05 de Maio do corrente ano fez diversas alterações no Código de Trânsito Brasileiro

E

ntre as alterações acima mencionadas, está o aumento dos valores das multas aplicadas por infrações de trânsito. A pontuação continuará a mesma. Confira: - Leves: passarão de R$ 53,20 para R$ 88,38 (3 pontos) - Médias: passarão de R$ 85,13 para R$ 130,16 (4

pontos) - Graves: passarão de R$ 127,69 para R$ 195,23 (5 pontos) - Gravíssimas: passarão de R$ 191,54 para R$ 293,47 (7 pontos) 

As novas regras começam a valer em 180 dias, ou seja, a partir de 1º de novembro de 2016. Dentre as principais mudanças estão estacionamento e celular. Conforme o texto, quem falar ao celular ou manusear o equipamento enquanto estiver dirigindo cometerá infração gravíssima. O mesmo valerá para quem estacionar irregularmente em vagas destinadas a pessoas com deficiência. Nesse último caso, o condutor terá o veículo removido. Hoje em dia, com o aplicativo de whatsapp muito utilizado, pode haver comunicação entre pessoas sem ter que falar no aparelho celular, porém, a partir de 01/11/2016, quem estiver simplesmente manuseando o aparelho celular, falando ou não, estará cometendo infração de trânsito e, portanto, também será autuado. Outra alteração foi com relação à infração por excesso de peso. Com as alterações, os valores passam a ser especificados em re-

46 Revista Energia

ais, o que facilita o entendimento. Então, o infrator deverá pagar R$ 130,16 por estar cometendo uma infração média, mais a sanção equivalente ao peso da carga excedente. E tem mais: o motorista que se envolver em acidente e, após determinação das autoridades de trânsito, se negar a fazer o teste do bafômetro, exame clínico ou perícia para identificar consumo de álcool ou drogas cometerá infração gravíssima. A multa, acrescida de dez vezes o valor de uma infração gravíssima, será de R$ 2.934,70 e o condutor terá o direito de dirigir suspenso por um ano. O novo texto ampliou, ainda, os prazos mínimos de suspensão do direito de dirigir. Por exemplo, o motorista que somar 20 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) no período de um ano ficará de seis a doze meses sem poder conduzir veículo. Se houver reincidência no período de um ano, o condutor ficará sem esse direito por, no mínimo, oito meses e, no máximo, vinte e quatro meses. Houve alteração também sobre os condutores que exercem atividade remunerada, ou seja, que exercem de fato a profissão de motorista na categoria em que é habilitado. Outra novidade é que os valores das multas poderão ser corrigidos monetariamente pelo Contran, respeitado o limite de variação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que mede a inflação. Porém, o órgão deverá divulgar a alteração pelo menos 90 dias antes de entrar em vigor.  O texto prevê, ainda, que o órgão responsável deverá publicar na internet a arrecadação anual com multas e a destinação dos recursos. 


Revista Energia 47


48 Revista Energia


Revista Energia 49


Look de artista

50 Revista Energia

Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan 770 - JaĂş/SP


Revista Energia 51


Look de artista

Fotos: Daniel Jorjin Modelo: Monica Rosa Local: Pedreira (Wasmil PortĂľes) Beleza: Jorgin Cabelo e EstĂŠtica Style: Vestylle Megastore 52 Revista Energia


Revista Energia 53


Saúde

A pílula

anticoncepcional no século XXI Agindo de maneira diferente de acordo com o organismo, ela pode trazer tanto benefícios quanto malefícios à saúde da mulher

Imagem: Internet

Texto Letícia Koehler

54 Revista Energia


M

uita gente concorda que a pílula anticoncepcional foi um avanço para as mulheres, mas, apesar dos benefícios, não é difícil encontrar quem já teve algum efeito colateral devido ao uso desse contraceptivo. Entre os métodos para evitar a gravidez, a pílula é o mais usado no mundo, mas a utilização de contraceptivos hormonais, assim como de outros medicamentos, também apresenta riscos e requer cuidados por parte das mulheres. FATORES DE RISCO E TROMBOSE Alguns estilos de vida podem favorecer a ocorrência de AVC (derrame), infarto e trombose, que são problemas vasculares de diversas origens. Segundo a Dra Melissa Rodrigues Garcia Corrêa, 36, ginecologista e obstetra, o uso de anticoncepcional é um dos fatores que podem aumentar a taxa de ocorrência destes problemas. “A avaliação destes riscos cabe ao ginecologista e é específico para cada paciente”. Melissa explica que os fatores de risco envolvem perfil físico/biotipo (obesidade); hábitos (uso de tabaco/fumo; prática de exercícios físicos); antecedentes familiares (história de doenças vasculares, doenças oncológicas); antecedentes pessoais (existência de problema vascular atual ou pregresso); doenças oncológicas; cirurgias prévias e outros. No caso da trombose, a médica esclarece que é uma doença causada pela formação de coágulos no interior das veias, num momento não esperado. “Todos os anticoncepcionais hormonais, sejam eles orais, injetáveis, cutâneos ou vaginais podem, sim, causar trombose, e isso não é uma informação nova, é um risco conhecido há muito tempo pelos médicos”, afirma. Para ela, o importante é avaliar o índice do risco de desenvolver a doença, pois para as mulheres que não têm fatores de risco consideráveis, o risco é mínimo e muito próximo ao de apresentar a doença sem usar o anticoncepcional. AUXILIAR EM OUTROS TRATAMENTOS Por uma questão de necessidade, muitas mulheres optam por tomar o anticoncepcional para auxiliar no tratamento de outras disfunções. Enaê Sant’Anna, 22, estudante de Jornalismo, começou a tomar o anticoncepcional com 16 anos, por indicação de uma ginecologista. “Na época meus hormônios estavam muito alterados e depois de realizar alguns exames descobri que era por causa de uma oscilação da tiroide. O endocrinologista receitou o medicamento apropriado para tratar desta oscilação hormonal, e a ginecologista indicou um anticoncepcional para controlar o fluxo menstrual que havia sido desregulado, também por conta da tiroide”, explica. Desde então, mesmo encerrando o tratamento da tiroide, Enaê segue tomando o mesmo anticoncepcional até hoje, e não se queixa. “Eu indico devido à praticidade, pois muitas mulheres têm um ciclo menstrual muito irregular e o remédio ajuda a regular esse ciclo”.

O CASO DE JULIANA BARDELLA Com grande repercussão nas redes sociais, a universitária Juliana Pinatti Bardella, 22, contou à RE o que aconteceu com ela devido ao uso do medicamento. A jovem começou a tomar a pílula aos 17 anos e teve uma surpresa desagradável em agosto deste ano: descobriu que estava com trombose venosa cerebral. “Comecei com um quadro de dor de cabeça constante e com evolução rápida da dor. Um dia acordei com dormência do lado direito do corpo, confusão mental e dor de cabeça muito forte. Fui para o hospital em São Paulo e através de ressonância magnética diagnosticaram um quadro de trombose venosa cerebral”, relembra Juliana. Não fumante, sem nenhum registro na família sobre a doença, possuía exames de sangue normais e depois de uma vasta investigação foi concluído que o único fator que a levou a ter a trombose foi o uso do anticoncepcional. OPINIÃO PROFISSIONAL De acordo com o que saiu na mídia, Juliana Bardella não tinha fatores de risco conhecidos para evitar o uso do contraceptivo. “Concluo que a medicação foi prescrita corretamente. O caso da Juliana foi realmente uma infelicidade, um caso raríssimo. Não deve ser motivo para todas as mulheres ficarem amedrontadas”, afirma a Dra. Melissa. O importante é tomar medicação somente com prescrição médica e conversar com seu ginecologista. MITOS ACERCA DA PÍLULA Muito importante salientar que um mito muito comum é achar que o organismo pode “acostumar-se” com o remédio devido ao seu uso prolongado, e isso não é verdade. “O tempo de uso só depende da adaptação de cada paciente. Se ela não tiver nenhum efeito colateral ou qualquer queixa, ela pode tomar o mesmo anticoncepcional a vida toda, sem causar prejuízos à fertilidade como é dito popularmente. Portanto, tomar anticoncepcional por muito tempo não dificulta engravidar. A troca do anticoncepcional pode até ser necessária para fugir dos efeitos colaterais, ou aumentar a dose para evitar escapes, mas não é uma regra”, informa a ginecologista. Revista Energia 55


VANTAGENS E DESVANTAGENS A Dra Melissa lista algumas vantagens e desvantagens da utilização do anticoncepcional.

SUSTO E PREOCUPAÇÃO Muitas mulheres começam a aderir ao anticoncepcional sem consultar um profissional da área. Camila Rosangela Cavalcante Natale, 23, vendedora, iniciou o uso aos 16 anos: “Quando eu era menina tinha vergonha de contar para minha mãe, então, fui a uma farmácia por indicações de amigas”, conta. Após tomar por dois anos, ela apresentou micropolicistos. “Nunca mais vou esquecer. No primeiro final de semana em que comecei com o uso, senti muita dor na região da barriga e vomitei também”. Em decorrência disso, Camila procurou uma ginecologista e parou de usar a pílula. Quando seu filho completou dois anos ela voltou a tomar o anticoncepcional, desta vez por indicação de um médico. “Ele me disse que por tratar-se de um remédio diferenciado, eu não sentiria mais dores. Foi quando as dores desceram para as pernas e surgiram muitas manchas roxas”. Assustada, Camila procurou um médico vascular e descobriu que as veias de suas pernas estavam se transformando em varizes, e em consequência de uma má circulação, teve que usar meias de compressão. Após as desventuras vividas ela parou de vez com a pílula anticoncepcional. “Depois de tudo o que me aconteceu, parei com o uso e não indico para nenhuma mulher”.

“O importante é tomar medicação somente com prescrição médica e conversar com seu ginecologista”

56 Revista Energia

VANTAGENS: Planejamento familiar (evitar gravidez indesejada) Regulação do ciclo menstrual (prever o sangramento a cada 28 dias) Diminuição do fluxo sanguíneo (sangrar em menor quantidade) Evitar ou reduzir dismenorréia (cólicas) Evitar ou reduzir TPM Diminuir risco de câncer de ovário e endométrio Tratamento ou redução de acnes (espinhas) Tratamento ou redução de hirsutismo (aumento de pelos em locais não apropriados) Tratamento ou diminuição de anemias causadas por perdas sanguíneas excessivas, entre outros   DESVANTAGENS: Podem desencadear problemas vasculares como aumento de pressão arterial, varizes, trombose (tudo depende dos fatores de risco) Podem causar náuseas, cefaleias, dor nos seios (efeitos colaterais) Causam a falsa impressão de proteção (aumento de DSTs-Doenças Sexualmente Transmissíveis, por não usar camisinha) Podem diminuir a libido, entre outros


CURIOSIDADES SOBRE A PÍLULA

A pílula não é usada apenas como anticoncepcional Em 1957 a pílula foi aprovada como forma de tratamento para problemas menstruais, mesmo com o objetivo de prevenir a gravidez. Além disso, ela também ajuda no tratamento de cistos no ovário, acne, anemia e endometriose.

Algumas marcas possuem “pílulas placebo” Para mulheres que fazem ou fizeram o uso, sabem o quão difícil é ficar aquela “última semana” sem tomar, e depois retomar com o medicamento. Por este motivo algumas marcas inventaram placebos, que não contêm hormônios nenhum, para serem utilizados nesta semana de intervalo. Logo, para facilitar e se tornar algo habitual, a mulher toma o remédio durante o mês todo.

Contradição pelas feministas O primeiro remédio para uso “social” e não puramente médico foi a pílula anticoncepcional. Isso, na época, foi motivo de celebração pelas feministas, mas depois da descoberta dos riscos, ele acabou sendo considerado como um remédio do modelo patriarcal.

A criação da pílula só foi possível graças a um católico John Rock, católico devoto, frequentava a igreja todos os domingos, mas acreditava que uma vida sexual saudável e ativa era a chave para a felicidade do casamento. Foi ele que testou a droga para, depois, aprovar sua venda nos Estados Unidos.

Desenvolvida a partir de inhame Em 1928, cientistas descobriram que o principal item da pílula era a progesterona, encontrada até então em coelhos. Por motivos de crueldade, o químico não poderia extraí-la de animais. Só em 1943 o pesquisador Russel Marker encontrou uma possibilidade mais barata: os inhames.  (Fonte: Hype Science, site)

Revista Energia 57


Imagem: Internet

Profissões

Relações

Internacionais Esta é a carreira ideal para quem deseja ultrapassar fronteiras, conhecer outras culturas e mergulhar em novas oportunidades Texto Heloiza Helena C Zanzotti

R

elações Internacionais é uma área muito promissora no país, uma vez que empresas e governos necessitam cada vez mais de um profissional capaz de atuar no campo socioeconômico. O profissional que optar por esta carreira precisa ser bom estrategista, e estar preparado para atuar em um mercado globalizado.

SOBRE O CURSO

Com duração média de quatro anos, o curso exige muita leitura e o domínio de línguas estrangeiras (pelo menos inglês e espanhol). Disciplinas como sociologia, economia e história são bem estudadas, e o conhecimento passa por questões nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial e do direito. O papel das organizações internacionais; as relações entre povos, nações e empresas; a internacionalização da economia; negociações políticas, comerciais e diplomáticas estão entre os assuntos abordados durante o curso. A maioria das faculdades exige que os alunos façam estágio em empresas ou instituições públicas ou privadas que possuem atuação internacional. As escolas exigem a realização de um trabalho de conclusão de curso.

PERFIL DO PROFISSIONAL Facilidade com idiomas é fundamental nessa profissão. Além de conhecer bem o Português e ter bom domínio do Inglês e Espanhol, quem quiser se des58 Revista Energia


tacar precisa conhecer também outros idiomas. Diplomacia, ausência de preconceito e respeito a diferentes culturas e características são fatores determinantes. Adaptar-se a mudanças, facilidade em relacionar-se com outras pessoas, saber traçar estratégias e ter habilidade em negociações são traços importantes no perfil de quem deseja atuar na área.

O QUE VOCÊ PODE FAZER Em agências governamentais, o papel de quem cursa Relações Internacionais é fundamental na hora de planejar ações dos governos (federal, estaduais ou municipais) nos setores político, econômico, comercial, social e cultural. Como analista internacional, atua na coleta de dados e elaboração de relatórios sobre a conjuntura internacional para órgãos governamentais, empresas privadas e ONGs. Também cuida da elaboração de programas de cooperação com outras nações. No campo do comércio exterior, trabalha na identificação de oportunidades de comércio e intermedia a importação e a exportação de produtos. Em empresas privadas, o bacharel em Relações Internacionais analisa o cenário mundial, investiga mercados e a situação política das nações, avalia as possibilidades de negócios e aconselha investimentos no exterior. As empresas que mais contratam esse profissional são multinacionais, bancos, câmaras de comércio e associações internacionais.

MERCADO DE TRABALHO E REMUNERAÇÃO O mercado de trabalho para esse profissional, atualmente, apresenta ótimas oportunidades, especialmente em grandes centros como Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A procura por graduados em Relações Internacionais tem aumentado em diversos setores, principalmente quando a graduação vem acompanhada de um bom conhecimento geral. As possibilidades de trabalho incluem áreas de planejamento, marketing internacional, área corporativa e institucional e área de comércio exterior. Como a remuneração é muito variável e depende de fatores como qualificação, experiência e habilidades, quem optar por essa carreira não vai pensar primeiramente em ganhar dinheiro. Um recém-formado pode ser contratado por salários que vão de R$ 2.100,00 a R$ 4.500,00

AS MELHORES ESCOLAS Qualificadas com cinco estrelas pelo Gui do Estudante, estão os cursos da Universidade de Brasília (UnB), PUC Minas, PUC-Rio, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Unesp de Franca/SP, Unesp de Marília/SP e USP - São Paulo.

e exequíveis, e argumentar de maneira coerente demonstram que a elaboração do texto dissertativo, em toda a sua amplitude, torna-se elemento fundamental ao estudante que pretende se enveredar pelos fascinantes caminhos das Relações Internacionais”, pontua o professor.

ASSOCIAR, RELACIONAR, DEDUZIR Luís Felipe Mendes Felício, 18, cursa o 1° ano de Relações Internacionais na Unesp de Marília e conta sua experiência. “Fiz Ensino Médio integral em Bauru, assim como vários cursos, minicursos e afins na ZEC Vestibulares. Ao final do Ensino Médio fui aprovado em 1º lugar na UEMG em Direito e em 2º lugar na UNESP, em Relações Internacionais, optando por este. Não tenho dúvidas que o grande trunfo que tive foi o preparo pautado em provas e simulados dissertativos, e o estudo com livros didáticos”. Luís Felipe afirma que encarar uma segunda fase nos vestibulares sem preparo é muito difícil. “Não basta saber que a Segunda Guerra Mundial começou em 1939 e terminou em 1945, jogando toda a culpa em Hitler, sem entender a complexidade do fenômeno, o contexto histórico, o que permitiu a ascensão de regimes totalitários, etc. Isso, só um livro didático pode oferecer”. Para ele é fundamental saber associar, relacionar acontecimentos e deduzir fórmulas das ciências exatas, ao invés de decorá-las. “Optar por uma preparação como a oferecida pela ZEC, ampla, rica e dissertativa é uma grande vantagem na hora dos exames”, diz. Sobre o curso de Relações Internacionais, o universitário esclarece: “É preciso ter um forte hábito de leitura e escrita, visto que o curso exige uma demanda de leituras muito grande. Simulados dissertativos são importantes, e Eric Hobsbawm, com a Ester, é indispensável”, diverte-se. E conclui: “Inclusive, estou trabalhando com dois livros do eterno já neste primeiro semestre”.

RELAÇÕES INTERNACIONAIS NA ZEC VESTIBULARES O professor da ZEC Vestibulares, Paulo Henrique Camargo Rinaldi, explica que a graduação em Relações Internacionais é recente. “Veio com a globalização e as transformações que assolaram o mundo no século XXI, e entrou em nossos cursos superiores com grande procura e sucesso”. Paulo Henrique diz que as questões da diplomacia sempre foram próprias àqueles que eram provenientes dos cursos de Direito, no entanto, a presença de um novo mundo, instantâneo, globalizado, com novas relações sociais e nova economia, exigia um profissional com formação mais ampla e condizente com a ampliação de demandas desses profissionais, assim surgiu o curso de Relações Internacionais. “A própria natureza de suas atividades, tais como capacidade de ler e interpretar a realidade política, econômica e social, apresentar propostas razoáveis

Revista Energia 59


60 Revista Energia


Revista Energia 61


Informe Publicitário

A

Casa da Titia é um espaço de desenvolvimento infantil que oferece atividades lúdicas e planejadas para crianças de 2 a 10 anos. Funciona como um espaço de diversão, cuidados e brincadeiras, onde você pode escolher qual a atividade que a criança vai participar, qual o dia e quanto tempo ela vai ficar. Seu filho pode frequentar a casa por horas ou por turnos. Montamos o pacote que você precisar, conforme a necessidade e dinâmica familiar, para que os pequenos estejam conosco no contraturno da escola.

62 Revista Energia

Na Casa da Titia temos aulas de slackline e dança, oficinas do “fui eu que fiz”, Fones: (14) 3418.4142 / 99778.0941 temos a hora da tarefa e a Rua Tenente Lopes, 2046 - Jd. Maria Luiza hora do soninho. Em todos em frente a nova sede do Tiro de Guerra de Jaú os pacotes está inclusa a alimentação, que é elaborada por nutricionista. A Casa da Titia oferece todo esse cuidado e carinho para com as crianças, antes de pensar no período integral para seu filho na escola pense em deixar ele ser criança.


Segurança Por Edson Copi Diretor Geral da Ceintel Segurança Eletrônica

Portaria Remota

E

Portaria Virtual ou Portaria Remota é um conceito inovador; trata-se da prestação à distância dos serviços de portaria utilizando a estrutura de uma central de monitoramento

sse serviço é desenvolvido a partir da centralização de tecnologias já existentes e que, num contexto geral, são familiares às empresas de segurança; soluções como CFTV, alarme, telefonia IP, controle de acesso e acionamento remoto de comandos são amplamente utilizados nesse segmento. Conectado a uma central remota de gestão e segurança, a tecnologia dispensa funcionários, aumenta a segurança e tem atraído a atenção de edifícios residenciais e empresas. Imagine acessar o condomínio em que mora por meio de sua impressão digital, leitura facial ou cartões de proximidade, sendo visualizado em tempo real por câmeras de monitoramento nas entradas através de uma central remota, com dezenas de profissionais que acompanham todas as solicitações dos moradores! Há alguns anos, essa imagem soaria como cena de filme futurista, mas a tecnologia já está disponível e tem atraído a atenção pela promessa de economia, segurança e praticidade. O sistema funciona basicamente da seguinte maneira: porteiros e vigilantes são substituídos por um conjunto de equipamentos e softwares de gestão e segurança, monitorados à distância por uma central de monitoramento com profissionais especializados. De lá, eles realizam todo o procedimento de controle de acesso e vigilância em tempo real, através de câmeras de vídeo em alta resolução e telefonia IP integrada ao sistema de interfonia. Além de atender moradores e visitantes, eles atendem também entregadores e prestadores de serviço para diversas atividades como identificação, recebimento de malotes, correspondências, abertura de portões, etc. A promessa de modernidade e eficácia por parte das empresas que oferecem o serviço é grande, e vários condomínios e empresas que adotaram essa tecnologia já apresentam resultados significativos.

Embora não seja tão drástica a mudança da rotina com a portaria virtual, as adaptações são necessárias e exigem esforços de todos os usuários. Com a ausência do porteiro, o zelador se torna uma figura crucial na resolução de tarefas do dia a dia como o recebimento de entregas, por exemplo. Para isso, as empresas oferecem treinamento ao profissional, assim como para outros que o condomínio ou empresa opte por manter, mesmo após a implantação dessa tecnologia. Qualquer condomínio ou empresa pode implantar a portaria virtual e uma análise prévia bem detalhada permite sua implantação em edifícios maiores, assim como para empresas com portaria 24 horas ou não. As empresas costumam oferecer suporte técnico que funciona 24 horas e em alguns casos, o tempo de atendimento é previamente decidido no contrato. O serviço também tem um plano de emergência para casos de falta de energia elétrica ou falhas na conexão com a internet, como o uso de geradores, no-breaks, redundância em seu plano de internet ou até mesmo o encaminhamento de um agente de segurança para gerenciar localmente durante a interrupção. O investimento depende da estrutura de cada condomínio ou empresa, e podem ser oferecidas opções de pagamento em parcelas ou utilizado o modelo de comodato dos equipamentos. Normalmente, o acesso de moradores é feito com cartões de proximidade ou biometria, mas nada impede de se implantar outros dispositivos disponíveis no mercado. Todos os moradores são previamente cadastrados e, caso o sistema não funcione, o contato é feito diretamente com a central de monitoramento. Para certificar de que se trata mesmo de um condômino ou usuário credenciado, são feitas perguntas pessoais para a liberação. Para maiores informações, entre em contato com nossa central de atendimento.

Revista Energia 63


Consultoria

Por Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves consultoria@revistaenergiafm.com.br

Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves é administrador, contador, consultor, palestrante e professor universitário com MBA pela FGV – RJ em Gestão Estratégica de Pessoas; presidente  da AESC – Associação dos Escritórios e Profissionais da Contabilidade de Jaú e região - gestão 2004/2005; atualmente  diretor da AESC Jaú; proprietário do DinamCorp Corporação Empresarial e Contábil; proprietário da Prosol Unidade Jaú e consultor e orientador em desenvolvimento de softwares Prosol – São Carlos

Você está demitido… O que eu fiz?

M

Uma frase igual a essa, para quem a ouve, soa assustadoramente, não é mesmo?

as muitas empresas fazem isso sem ao menos dizer qual o verdadeiro motivo que as levaram a tomar tal decisão; o pior é quando mentem, jogando a culpa na situação financeira da empresa, e no dia seguinte contratam um novo candidato exatamente para o lugar do anterior. Pode até haver motivos, e o problema não é o motivo em si, mas deixar de comunicá-lo dentro do prazo para dar chance a quem errou. É como num casamento: o marido esquece a toalha sobre a cama todos os dias, não levanta a tampa do vaso sanitário, deixa as roupas espalhadas por toda a casa, não enxuga o banheiro, não retira o próprio prato em que almoçou, e a esposa olha e não reclama; num certo dia em que está mais sensível, aguarda o marido chegar e chorando muito, diz: - Precisamos conversar, eu não quero mais viver com você, estou cansada de tudo, não aguento mais, você é um @#$%$#@… O cara arregala os olhos e com cara de hãmmmmmm ainda arrisca um calma, putz… Aí F$%&@# tudo, ela explode e descarrega todas as mágoas guardadas até aquele momento, lembrando até do dia que namoravam, há 20 anos, e ele olhou para o lado onde tinha aquela sirigaita... Costumo dizer que precisamos resolver os problemas enquanto são vírgulas, pois quando se tornam livros não têm mais soluções, ou o esforço para solucioná-los nem sempre compensa a continuidade do relacionamento; já existem feridas, mágoas, tristezas e tantas outras coisas envolvidas que dificilmente não haverá a demissão do cargo “de marido” e vice versa. Nas empresas também é assim. Chame os colaboradores para uma

64 Revista Energia

conversa, seja claro, mostre onde há falhas; quando juntam-se muitos erros e falhas não tem mais jeito, o caos está implantado, e o pior é quando o gestor começa a ler o livro dos erros, isso deixa o empregado indignado pela falta de oportunidade em ter sido comunicado antes e sente-se totalmente sacaneado, achando que não são estes os reais motivos. Começa a criar cenários mentais que acabam, inclusive, com o bom convívio entre as partes, e este sai falando mal da empresa e a empresa dele, ou seja, a guerra está instalada e muito provavelmente não termina ali, continuará em ações trabalhistas desgastantes e com prejuízos irreparáveis para os dois lados. O Feedback que podemos definir de maneira simples como as respostas ou observações ao interessado de como ele está se saindo no ambiente organizacional, se bem ou mal na equipe, em suas tarefas diárias, no atendimento ao cliente, no aprendizado, na prestatividade com os colegas, etc, seja ele positivo ou negativo, serve para evitar tais conflitos e problemas. E deve ser sempre assertivo, não adianta fazer críticas para apenas sacanear, desvalorizar a pessoa, sem sugestões para melhoria, isso é fodeback. É através dele que o colaborador refletirá o que fez de bom ou de ruim, tomando precauções para fazer de maneira correta o que estava errado, ou até chegar a excelência sobre o que já está certo, além de trazer bem-estar e respeito diante dos colegas e na visão do empregado em relação à empresa, e garantindo que seu trabalho está sendo realizado de maneira decente. Pensando bem, que tal uma reunião amanhã com seus subordinados, heim? 


Informe Publicitário

Odontologia Especializada

A

tendimento integrado para toda a família, ambiente tranquilo, atenção total ao paciente. Assim são os consultórios de odontologia especializada Dr.Frederico Moreira Alves e Dra Ana Paula Fernandes que, através de inovação e tratamentos modernos, buscam transformar vidas através de um belo sorriso.

Dra. Ana Paula Fernandes Pré-natal odontológico a gestantes: - Orientações - Avaliação, instruções da dieta e instruções de higiene oral - Profilaxia cuidadosa e específica - Prevenção da gengivite gravídica Atendimento para bebês: - Orientações, instruções e conscientização - Profilaxias - Aplicação de flúor e selantes - Tratamentos dentários - Programa zero cárie

Dr. Frederico Moreira Alves Restaurações para correção da estética e lesões de cárie Reabilitação oral através de implantes e próteses, devolvendo estética

Atendimento para crianças: - Prevenção (Programa Zero Cárie) - Tratamento restaurador - Tratamento endodôntico (canal) - Extrações dentárias - Controle da erupção dentária e oclusão - Ortodontia preventiva

Fone

3032.1808

e função mastigatória Tratamento endodôntico (canal) eliminando infecções e dores agudas Clareamento dentário Lentes de contato dental Profilaxia e limpezas para manutenção da saúde gengival Extrações dentárias simples e complexas

Rua Paissandú, 314 Centro - Jaú - SP Revista Energia 65


club

Social

1

Bar do Português Reconhecido nacionalmente pelo melhor e mais saboroso chope, o Bar do Português é o lugar ideal para encontrar os amigos em ambiente de pura descontração. Aproveite também as deliciosas porções e confira o atendimento diferenciado da equipe!

2

1- Marcela Chiriano e Bruna Fregolente 2- Maria Ester Cachi e Paulo Zamboni 3- Cris Giglioti e Renan Nardelo 4- Katrina Gomes e Milene Teixeira 5- Roberta Soares e Flávia Souza 6- Elcio Mantelli, Bruno Guarani, Melina Guarani, Marina Aroni e Alexandre Bassan

3 4

5 6

66 Revista Energia


club

Social

Tom da Pele Aconteceu em grande estilo o coquetel de lançamento da coleção Primavera/Verão 2017 da Tom da Pele Boutique. Na loja, os clientes encontram peças exclusivas e marcas renomadas, com qualidade e conforto. Não deixe de conferir todas as novidades da estação mais colorida do ano. 1- Taina Sales e Érica Cristina Miranda

1

2- Érica Cristina Miranda, Jocelia Vicente e Luiza Vicente. 3- Erika Barros, Érica Cristina Miranda e Tamires Gonzaga 4- Taina Sales, Camila Gonçalves e Érica Cristina Miranda 5- Erika Barros, Érica Cristina Miranda e Talita Siqueira

3

2

4

5

Revista Energia 67


club

Social

1

CasaForte Interiores Em evento badaladíssimo, Eduardo e Michele Ferrucci receberam clientes e convidados para a inauguração do novo espaço da CasaForte Interiores. O coquetel aconteceu em 28 de julho e os presentes aproveitaram para conferir o showroom com o que há de melhor e mais atual em acabamentos, móveis planejados e decoração.

1 - Michele Ferrucci, Miguel Ferrucci e Eduardo Ferrucci

2

2 - Ana Luiza Spilari Bernardi e Cairo William Alves 3 - Juliana Gromboni e Daniel Gromboni 4 - Ana Claudia Vieira e Cloves Barbosa 5 - Rafael Madalena e Malu Eleutério Madalena 6 - Regiane Piva, Éder Razaboni 7- Fernando Verbena, Thais Gromboni Verbena, Eduardo Ferrucci, Michele Ferrucci 8 - João D' Arelli e Maria Célia Chaguri Gallerani 9 - Jair dos Santos Junior e Luisa Sajovic de Conti 10- Livia Neves, André Meschini 11 - Michele Ferrucci, Lenita Cestari, Eduardo Ferrucci 12- Josiane Merlo, Estevan Franceschette 13- Otaviano da Silva Cardoso Felicio, Angelita Felicio e Valentina 14- Maria Fernanda Prado Alves, Carlos Eduardo Nicoletto Rodrigues Mendonça

4

3

5

68 Revista Energia

6


7

8

9

10

11

12

13

14

Revista Energia 69


club

Social

1

HVA - Hospital Veterinário Araújo No dia 06 de agosto o Hospital Veterinário Araújo completou 10 anos. Para celebrar a data, Giovani Fernando Araujo e equipe promoveram grande evento que contou com a presença de parceiros, autoridades amigos e colaboradores. A população esteve presente prestigiando e conhecendo um pouco mais do excelente trabalho que o HVA realiza em Jaú e região.

2 1- Giovani Araujo e o secretário da saúde Dr Paulo Mattar 2- Giovani Araujo, Gabriela Rodrigues, Cláudia Rodrigues, Dr Antônio Marcos Rodrigues, Vereador Charles Sartori, Lilian Cristina Scarpin Sartori, Nilcea Hernandez Devides e Antônio Pedro Devides 3-Rafael Chiadi , Fábio Chiadi, Presidente do Sesi Celso Aleixo, Jorge Alcalde, Marina Priori, Eliana Alcalde, Silvana Aleixo e Valeria Chiadi 4- Fernando Rocha, Maria Eunice Rocha, Matheus de Almeida, Renata de Almeida, Base de Apoio PX Márcio de Almeida, Lindomar Nogueira dos Santos, Matheus Nauann e Ayslin Brandini 5- Hospital Veterinário Araujo 6- Equipe HVA (Hospital Veterinário Araujo)

3

4

5

6

70 Revista Energia


club

Social

1

2

3

4

Miss Jaú 2016 Nos meses de julho e agosto aconteceram as seletivas do concurso Miss Regional. A grande final foi no dia 21 de Agosto, em evento realizado na Exxe Eventos, na cidade de Bauru, pela agência Produção Brasil, de Vinhedo, SP. As vencedoras Maria Eduarda Silveira Pavon (Mirim); Julia Pedroso Vieira (Infantil); Ana Laura Rodrigues (Infanto Juvenil) e Gabriele Crespilho (Juvenil) representarão Jaú no Miss São Paulo 2017.

1- Maria Eduarda Silveira Pavon 2- Julia Pedroso Vieira 3- Ana Laura Rodrigues 4- Gabriele Crespilho 6- Maria Eduarda Silveira Pavon, Julia Pedroso Vieira, Ana Laura Rodrigues e Gabriele Crespilho

6

Revista Energia 71


club

Social

1

Mirante do Pouso Em mais uma noite especial, o Restaurante Mirante do Pouso recebeu clientes para aquele jantar delicioso. Além de aproveitar os pratos tradicionais e contar com atendimento diferenciado, quem compareceu ainda curtiu boa música ao vivo.

2

1- Gustavo Coló, Keila Freitas, Felipe Alexandre 2- Heloisa, Tatiana e Fernando Deungaro 3- João Roberto Pinheiro e Silvia Tichak 4- Têra Catto, Têra Firmino, Assis Firmino e João Geraldo Catto 5- Luiza Vicente, Roberto Vicente e Jocélia Vicente 6- Ariel Covo, Nicoly Bonaquista, Shirley Bonaquista, Junior Castro e Leandro Covo

3 4

5 6

72 Revista Energia


club

Social

1

Demolish No dia 21 de setembro aconteceu o coquetel de inauguração do novo espaço da Demolish, em Bariri. Em comemoração aos 20 anos da loja, Ivani, Juliana e Junior Arroteia receberam amigos, clientes e convidados que puderam conferir o bom gosto e as novidades em moda feminina, masculina e moda festa. Demolish – Rua Rui Barbosa 680- Bariri/SP

2 1- Loja Demolish 2- Ivani, Celso Junior, Celso Arroteia, Juliana e Padre Danilo Rosa de Moraes 3- Ivani Arroteia, Francine Pantaleão e Juliana Arroteia 4- Juliana, Áurea, Fernanda, Michelle e Ivani 5- Ivani Arroteia e amigas 6- Interior loja Demolish

3

4

5

6

Revista Energia 73


club

Social

1

Caiçara Clube O Caiçara Clube de Jaú realizou mais um evento de sucesso: a Tarde da Mulher, que aconteceu no dia 20 de agosto. Ao som da Banda Ellos, com os maiores sucessos nacionais e internacionais, associadas e convidadas ainda aproveitaram a grande performer Léo Aquilla, cujo show agitou a mulherada. De quebra, o DJ Thá Miller comandou as pick-ups com o melhor das paradas europeias.

2

1- Edna Grizzo, Léo Aquilla e Ana Keila Salviato Rett 2- Melissa Malacize, Luciane Mussi, Claudia Gallis Mesquita e Lika Gallis 3- Maria Augusta Ustulin Fuzer, Silvana Regina Chicheto Brancaglião, Sonia R. Correia Brancaglião e Margarete Massufaro Belotto.

3

4- Ana Claudia Graciano Serda, Lena Conelian, Gersoni Zane, Debora Arrielo Rossato Nicolini, Carina Gasparetto Aranha, Maíta Barbosa de Resende e Adriana Mesquita 5- Maria de Fátima Tocchetti, Nayara Conte e Silvia Maria R. Conte 6- Andréa Cristiane Pessutto 7- Vanieli Silvestrini 8- Maira Massufaro e Michele Roger 9- Sonia Maria Pavan Bragion e Milena Bragion Bueno

4

5

5 6

74 Revista Energia

7

8

9


1

Fotos: Rogério Castelo

club

Social

Mais Alegria Buffet No dia 15 de agosto o Mais Alegria Buffet transformou-se no Grande Circo da Juju, para comemorar o terceiro aniversário da graciosa Ana Júlia. Ao lado dos pais André Spatti e Daiana Sorienni, e do irmão João Víctor, Ana Júlia recebeu os convidados que viveram momentos de pura emoção, com direito a um lindo espetáculo apresentado pelo grupo Circênico. 1- Circo da Juju 2- Ana Júlia com os pais Daiana Sorienni e André Spatti 3- Palhaça Mixirica (Carmym Del Rosso) com a Juju 4- Junior Julian, Daniel Oliveira, Luiz Carlos Spatti, José Rafael Rinaldi, André Spatti, Robson Fernando Roda, César Rodrigo da Silva, João Cano, Osmar Rosênio de Oliveira, Márcio Lourenço, Bruno e Márcio José Costa, Fábio Bernal 5- Daiana Sorienni e Juju 6- Tereza Camargo, Dr. Pessotto, Heraldo Bello da Silva, Heloiza Helena Zanzotti, Gabriela Araújo, José de Araújo Neto, Rejane Fini Rozatte, Leandro Rozatte

2

3 4

5 6

Revista Energia 75


club

Social

Armazém da Cerveja

No Armazém da cerveja você encontra tudo para sua festa: bebidas, churrasco, mercearia, descartáveis, souvenirs, itens para locação. Tudo isso em um lugar que atende você 24 horas. Avenida Isaltino do Amaral Carvalho, 1600, Chácara Bela Vista. Tel. (14) 3418 5842 / 3418 5843

Lian Sorvetes Dia 23 de setembro foi comemorado o dia do sorvete e como em anos anteriores, a Lian Sorvetes fez doação de sorvetes para todas as crianças das escolas do Jardim Padre Augusto Sani e do Jardim Nova Jaú. Foram distribuídos cerca de 5 mil sorvetes para a garotada. Parabéns ao Anderson e equipe pela iniciativa

76 Revista Energia


club

Social

Mary Kay Foto: arquivo pessoal

Em mega evento realizado dia 06 de agosto no Espaço Jaú Eventos, a diretora executiva elite Cláudia Farinelli e suas diretoras de vendas independentes Mary Kay receberam a número um da América Latina, Karinna Prado. Há 7 anos atuando na cidade, a Mary Kay proporciona mais beleza às mulheres de Jaú e região.

Hiper Saúde Em sessão solene na Câmara de Jaú, no dia 02 de setembro, Antonio Aparecido Galli recebeu o Título de Cidadão Jauense. O homenageado é nascido em Matão e é um dos responsáveis pelo título de capitalização “Hiper Saúde”, cujo resgate é cedido para o Hospital Amaral Carvalho.

sabores para

todos os paladares

Há 17 anos oferecendo a melhor comida caseira e mineira, com os mais saborosos pratos quentes e frios. Localizado no centro de Jaú, o Restaurante Estilo Mineiro serve também as opções marmitex, self-service por quilo e à vontade. Cervejas, refrigerantes e suco natural de laranja também estão à disposição do cliente. O horário de funcionamento é das 11h às 14h30. Rua Edgard Ferraz, 762 - Centro - Jaú - Tel: 14 3624 2194 Rua 7 de Setembro, 1090 – Centro - Bariri – Tel: 14 3662 0849 Revista Energia 77


club

Social

1

Di Famiglia Parada obrigatória para quem não abre mão de qualidade, na sorveteria Di Famiglia você encontra gelatos artesanais nos mais incríveis sabores, em ambiente agradável e aconchegante. Além disso, confira o atendimento ímpar de quem cuida dos clientes com carinho e atenção total.

2 1- Matheus e Tarcila Molento 2- Daniela e Renato Martins 3- Regina Polônio Francheschi Marina Francheschi Vendramini 4- Guilherme, Guga, Estela e Antônio José Galvão 5- Isa Galvão, Renata Galvão, Júlia Galvão e Evaldo Piccino 6- Gabriela Murari Aiub e Tiago Basso

3

4

5

78 Revista Energia

6


club

Social

1

Setembro Mágico no Jaú Shopping! As quartas-feiras do mês de setembro foram mesmo de pura magia na praça de alimentação do Jaú Shopping. Teve show de mágica interativa com Ben Hur e muitos outros números que encantaram crianças e adultos. Jaú Shopping: sempre uma programação imperdível para você! 1- Vinicius e João Pedro Perez 2- Rayssa Elisa 3- Rafaella Peres Ghermandi 4-Caio e Cauã Perdoná 5- Guilherme Alves Steca e Carla Alves 6- Rafaela, Fernanda e Gabriela Deharo Curvelo

2

3

4

5

6

Revista Energia 79


1 1

Farmácia Erva Doce A Farmácia Erva Doce reinaugurou em novo prédio, na cidade de Dois Córregos, onde já exerce suas atividades há 17 anos. Com espaços amplos e modernos de área de atendimento e laboratórios, a proprietária e farmacêutica Juliana Fedato Benjamim e sua equipe receberam amigos e clientes com um delicioso coquetel no dia 09 de setembro último. Dois Córregos - Avenida Fernando Costa 287 Barra Bonita - Rua Prudente de Moraes, 603 Igaraçu do Tietê - Rua Pereira de Rezende, 430

2 2

1- Farmácia Erva Doce 2- Michele (atendente), Samanta (téc laboratório), Michele (atendente), Iara (téc laboratório), Juliana (farmacêutica e proprietária), Suzane (farmacêutica), Fabiana (gerente administrativa), Alessandra (farmacêutica) 3 - Juliana Fedato Benjamim (Farmacêutica e proprietária) 4- Juliana, Priscila Avoleta Ustulim (nutricionista), Fabiana 5- Exposição de produtos, higienização e drenagem facial com a esteticista Leda Maria Ustulim 6- Equipe de atendimento, laboratórios e gerência

3

5

80 Revista Energia

4 4

6

Fotos: Damião Rocha (14) 3652-4419 / 99763-0590

club

Social


Revista Energia 81


Comportamento Por Lilian Pellizzon Ribeiro / lilian@1234voce.com.br Treinadora do Instituto Você/Master Practitioner em PNL Life and Executive Coach

Associação e Dissociação: a ferramenta crucial para a inteligência emocional

A

Surpreenda-se com a sua capacidade de autocontrole, aplicando este conceito em sua vida

lguma vez já esteve em uma interminável reunião, onde os minutos pareciam demorar horas para passar? Ou até mesmo em uma palestra, sala de aula ou evento pouco interessante para você, e que parecia nunca terminar? Se você respondeu “sim” para si mesmo ao ler estas perguntas, você estava em um estado que chamamos “dissociado”. Ou seja, como se estivesse fora da situação. Pensamos em algo, ao invés de estarmos realizando aquilo. Neste estado “dissociado” estamos conscientes do passar do tempo, e é por esse motivo que as horas passam vagarosamente. Agora, faça uma nova pesquisa em sua mente e encontre aquele momento especial em sua vida. Fique à vontade para desfrutar tudo o que este momento talvez tenha trazido para você! Relembre-o! Talvez um momento em que esteve com uma pessoa especial, em um evento especial. Talvez sua formatura, uma viagem importante, seu casamento! As horas passaram como se fossem segundos, não é mesmo? Chamamos este estado de “associado”. Neste estado estamos vivendo, experimentando todas as sensações corporais. Quando você está “associado” geralmente seu corpo se inclina para frente e você fala no presente, por exemplo: “Estou fazendo”. O momento nos absorve e por isso não acompanhamos o passar do tempo, que literalmente voa nessas situações. Mas, como utilizar estas ferramentas no dia a dia?

82 Revista Energia

Quando estiver em uma daquelas reuniões, palestras ou aulas intermináveis, em estado “dissociado”, use seu corpo para ajudá-lo a se “associar” e prestar atenção no assunto! De repente, aquela informação perdida lhe custará muito caro! Incline-se para frente! Diga para si mesmo: “Eu estou aqui e agora”. Busque um ponto de interesse no que está sendo falado! Às vezes, uma informação que muitos desdenham, pode fazer a diferença para você, minutos depois! Algo que antes parecia tão fora do seu contexto, e tempos depois ali está você, utilizando aquilo. Tire proveito do que está sendo falado, saindo da sua zona de conforto, entrando na zona de esforço que é onde mais aprendemos! O caminho inverso também pode ser feito! Quando estamos em meio a uma discussão ou falando de assuntos com pontos de vista divergentes, estamos totalmente “associados”, tendo todas as sensações corporais que o momento pode nos proporcionar. Sentimentos como raiva, ansiedade, medo, insegurança, podem aparecer e bloquear você em pensar sobre outras saídas e argumentos. Pare por alguns segundos! Respire fundo e pense antes de agir! Ao oxigenar sua mente, você dá a ela alimento para processar informações mais rapidamente! Use seu corpo, incline-se para trás para sair daquele estado de “associação” e promover um distanciamento mental desta situação desagradável. Respire profundamente agora e... hora de colocar em prática! 


M

uita importância tem sido dada ao tipo de aparelho ortodôntico. Hoje, felizmente, temos uma gama de materiais, desde os convencionais metálicos até braquetes de porcelana e safira, que proporcionam melhor estética. As pessoas querem tratamentos rápidos e acabam procurando no tipo de aparelho essa agilidade quando, na verdade, independente do tipo a ser usado, não são eles que proporcionam agilidade, e sim a mão do ortodontista. Braquetes e fios são meros acessórios, portanto, o importante é sempre procurar um especialista. Dr José Henrique Grana

Informe Publicitário

IOHG Instituto de Odontologia Henrique Grana

N

os dias de hoje, a busca pela estética é um fator de muita influência sobre o comportamento das pessoas. Dentro desta perspectiva, o clareamento dental se destaca por proporcionar satisfação e bem-estar. Dentes brancos são sinônimos de saúde, beleza e sucesso. Hoje, devido à grande evolução dos materiais odontológicos e equipamentos como o laser, por exemplo, é possível obter rapidamente os melhores resultados estéticos com o menor dano possível para as estruturas dentais”. Dra. Marina B. Braga Machado

P

ós graduanda em Cirurgia e Traumatologia Buco maxilo facial e Implantodontia, realizando procedimentos odontológicos como extração de terceiros molares (dentes do siso), cirurgia de pequenos cistos e tumores, e agora a cirurgia mais divulgada no momento, a bichectomia. A bichectomia é uma técnica cirúrgica simples, de curta duração, onde é retirado o excesso de gordura localizada na face, deixando o rosto mais harmônico. Dra Ana Carolina Ficho

(14) 3626 7869 Rua Marechal Bitencourt, 126 - Centro Jaú /SP Revista Energia 83


Medicina

Dra Ana Marta C. Atique Piovesana Alergista e imunologista (USP-SP e USP-Ribeirão Preto) alergoanamarta@gmail.com

Já ouviu falar em Urticária? Dentre as várias causas que podem causar a coçadura em nossa pele, a urticária acaba sendo uma das queixas mais comuns que vejo no consultório como alergista

M

as, o que é a urticária? É uma reação não contagiosa que se apresenta geralmente como manchas avermelhadas na pele, que aparecem e desaparecem em várias partes do corpo e podem provocar intensa coceira. Podem variar de tamanho, começando como pequenos pontos a placas maiores e por vezes inchadas, que podem se juntar atingindo grandes áreas. Às vezes podem vir acompanhadas de inchaço dos olhos, orelhas, lábios e algumas pessoas sentem até arder ou “pinicar” no local das lesões. Você sabia que de 15% a 20% das pessoas já apresentaram uma reação de urticária? Muitas vezes a pessoa sente o incômodo e a coceira, mas ainda não percebeu as manchas, pois no início podem ser discretas. A urticária pode ser aguda ou crônica e o que determina essa diferença é o seu tempo de duração. A aguda permanece até 6 semanas, enquanto a crônica insiste em se manifestar por mais de 6 semanas a meses! Afinal, você sabe o que pode provocar a urticária? São inúmeros os fatores que podem contribuir para o apa-

84 Revista Energia

recimento da urticária como algumas infecções causadas por vírus, fungos ou bactérias, algumas doenças, o frio, o calor, a pressão, picadas de insetos, alguns vermes, uso constante de inseticidas, corantes, conservantes, alguns alimentos, medicamentos, o estresse, entre outros. O que fazer se você mesmo tem ou conhece alguma pessoa que passa por isso? Nesse caso, o acompanhamento com um alergista é essencial, pois além da avaliação de cada caso e a solicitação dos exames específicos e testes alérgicos, ele orientará as medidas necessárias e ainda a prevenção das complicações graves, como exemplo, o fechamento de glote! 

De 15% a 20% das pessoas já apresentaram uma reação de urticária


D

ia das Crianças, aniversário... Há sempre uma data especial para presentear os pequenos. Nesta edição, Vitrine traz opções com toda a linha de produtos Puket para você acertar na escolha. Pijamas super confortáveis, bolsas térmicas, troca-fraldas, biquínis, sungas e camisetas para a garotada arrasar em qualquer ocasião.

Revista Energia 85


Contabilidade

Por Nelson Morelli Contabilista e bacharel em economia. Consultor e sócio do Escritório Contábil Morelli

Orçamento Financeiro É determinante para o sucesso de uma empresa que o seu administrador seja criterioso na escolha dos profissionais que vão assessorá-lo, devendo ser dada especial atenção ao gerenciamento financeiro do empreendimento

E

ntre as ferramentas disponíveis atualmente, é imprescindível a correta implantação, controle e acompanhamento do que chamamos de ORÇAMENTO FINANCEIRO que não se limita apenas a resolver os problemas financeiros recorrentes no dia a dia, pois seus objetivos são bem mais amplos. Bem implementado, ele auxilia em todas as decisões administrativas a serem tomadas, e suas informações permitem antever em meses ou mesmo em anos os resultados das políticas adotadas hoje, possibilitando soluções antecipadas; revisões de decisões; mudanças de rotas, evitando acidentes mais à frente. É mesmo impossível, nos dias atuais, programar investimentos e tomar decisões importantes sem estudar a fundo as informações que o Orçamento Financeiro disponibiliza. Sua implantação e manutenção, por certo, requer amplo conhecimento técnico, bem como experiência para a correta avaliação dos fatores internos e externos que influenciam em suas conclusões, pois nele se encontram as previsões e provisões, bem como todo o planejamento estratégico desejado pelos administradores. É desejável que tal planejamento objetive os resultados de médio e longo prazos, contudo, com os dados que esta ferramenta propor-

86 Revista Energia

ciona, as decisões de urgência são mais bem calculadas e os acertos são potencializados. Dados históricos resultantes das experiências satisfatórias são sempre utilizados, no entanto, uma novidade tem se mostrado muito eficiente nas projeções para a frente, invertendo a lógica empírica, partindo-se do OBZ – Orçamento Base Zero, que configura um processo totalmente independente, quase sem referências passadas, tendo como meta as receitas, benefícios, necessidades e custos futuros, já que as mudanças vêm em uma velocidade incrível e para acompanhá-las é preciso ter em mãos esses dados, o que permite evitar a repetição de rotinas equivocadas . Avalie a implementação desta ferramenta com o apoio de uma boa assessoria, de um dedicado profissional de contabilidade, que vão lhe proporcionar a necessária tranquilidade para a tomada de decisões. 

”Bem implementado, o Orçamento Financeiro auxilia em todas as decisões administrativas a serem tomadas pelo administrador”


Informe Publicitário

DF Iluminação a solução que faltava

A

empresa surgiu do ideal de dois amigos, Diego Ferreira Lopes e Fernando Simionato, que já atuavam e possuíam grande experiência na área. Após cursos de aperfeiçoamento e com a demanda crescente, os sócios decidiram abrir a loja física e em outubro de 2015 inauguraram a DF Iluminação, especializada em iluminação LED e redução do custo de energia através da iluminação. A DF Iluminação realiza sem compromisso o projeto de redução de consumo para residências e empresas com o intuito de orientar e apresentar as melhores opções e escolhas para economizar energia. Em visita presencial ou através de estudo na planta, a DF mostra as soluções certas com preços imbatíveis e a melhor qualidade em materiais, tornando seu ambiente agradável e iluminado. Com profissionais altamente capacitados, focados em propor soluções que atendam às necessidades dos clientes, a DF tem atendimento personalizado, atuando com rapidez e transparência, além de representar as melhores marcas do mercado. Iluminação em Led, lustres, pendentes, arandelas e materiais elétricos em geral você encontra na DF Iluminação. Faça uma visita e conheça as soluções que a DF tem para sua casa, empresa ou indústria. Rua Quintino Bocaiúva, 1033 - Centro - Jaú/SP Tel: (14) 3418-3538 Revista Energia 87


Psicologia Por Maira Cibele Espricigo Psicóloga Hipoterapeuta

Quando a dor física vem da emoção Basta passar por uma situação muito difícil, estressante ou problemática que o corpo fica diferente: a cabeça dói, o resfriado aparece, a digestão se complica, a respiração fica difícil ou a pele se enche de alergias

O

fato não é simples coincidência, mas um processo chamado somatização, ou seja, a transferência para o corpo do que deveria ser vivido e suportado apenas na mente. Doença psicossomática nada mais é do que a intercomunicação corpo x mente; doenças físicas, verdadeiras, mas com causas psicológicas. Todas as pessoas acabam provocando mudanças no corpo ao enfrentar determinadas situações emocionais, principalmente as que produzem stress e ansiedade. O que muda é a intensidade e a frequência com que isso acontece: de eventos ocasionais a transtornos repetitivos, que acabam se tornando crônicos. Desse modo, cada vez que uma pessoa não consegue suportar no plano psíquico uma situação, acaba produzindo ou agravando sintomas e doenças que se manifestam no corpo. Palpitações, gastrite e dores de cabeça estão entre os sintomas mais comuns, mas a somatização pode deixar o organismo com menos defesas para doenças sérias como o câncer, além de prejudicar a recuperação de uma cirurgia, por exemplo. O stress e a ansiedade são os principais fatores que influenciam no aparecimento, manutenção ou repetição de uma doença física, porque alteram o funcionamento de vários sistemas do nosso organismo. No entanto, é possível controlar e até mesmo evitar que isso aconteça. Mas a receita, que não é fácil e muito menos rápida, inclui o autoconhecimento, a descoberta de válvulas de escape e uma mudança na maneira de encarar os problemas e reagir a eles, de preferência com acompanhamento de um psicólogo. Apesar de mudar de pessoa para pessoa, a somatização é explicada cientificamente. Raiva, paixão, tristeza, medo e uma série de emoções causam alterações no organismo, liberando ou inibindo a produção de

88 Revista Energia

substâncias como adrenalina, cortisol e serotonina. Quando a pessoa fica durante muito tempo submetido a uma situação diferente, ela desencadeia mudanças no sistema nervoso autônomo, responsável pelos batimentos cardíacos, pela temperatura corporal, pela digestão, pela respiração e pela sexualidade. Além disso, provoca mudanças no sistema endocrinológico, que produz uma série de hormônios; e no sistema imunológico, responsável pela defesa do organismo. Desse modo, a bagunça no corpo começa e os sintomas aparecerem - o local escolhido depende da herança genética e racial de cada pessoa. O indivíduo tende a somatizar em áreas do corpo que já estão mais fragilizadas ou que já tiveram um problema no passado. Depende das reações e da composição física de cada pessoa. Como não conseguem eliminar as tensões de uma forma natural, aparecem essas válvulas artificiais, e as pessoas desenvolvem doenças físicas que têm certamente origem emocional. O paciente sente sintomas no corpo sem que haja uma causa física que explique aquilo. E sofre, porque não encontra uma causa. Geralmente, são pessoas que se recusam fazer um acompanhamento psicológico. Apenas tomar remédios para aliviar os sintomas ou curar a doença não é suficiente. Sem mexer na origem do problema, a somatização continuará. A pessoa precisa ter a humildade de se olhar no espelho e dizer: eu preciso mudar. E ter a coragem para mudar. Senão, ficará se repetindo para sempre. A mudança acontece quando consigo conhecer minha capacidade, incapacidade, bondade e maldade. Assim a pessoa pode discernir o que sente, o que é dela e o que está absorvendo do ambiente em que está. A psicoterapia ajuda a identificar quais sintomas podem estar surgindo por conta das questões emocionais. 


Revista Energia 89


Informe Publicitรกrio

90 Revista Energia


Delícias da Estação por Sorvetes Artesanais Marcheti

A

Sorvete de noz macadâmia

macadâmia é um fruto doce, extraído de uma árvore originária da Austrália. A principal vantagem da macadâmia, e também o motivo dela ser conhecida no universo da culinária, além de seu maravilhoso sabor está em todos os antioxidantes que possui, especialmente pelo poder de reduzir o risco de doenças cardíacas e os níveis do mau colesterol e do triglicérides. Ela também possui vitaminas do grupo B, que desempenham um papel em vários processos metabólicos; vitamina E, que protege as células e oferece minerais, cálcio e fósforo que o corpo precisa para construir e manter ossos; e o ferro, tão importante para o transporte de oxigênio no corpo. Atualmente, o sorvete de macadâmia é o carro chefe da Sorvetes Artesanais Marcheti. Francisco Otaviano Marcheti, advogado e empresário no ramo de sorveteria, herdou de seus pais a arte e a alquimia de desenvolver as melhores fórmulas artesanais de sorvetes para agradar até os mais apurados e exigentes paladares! Há mais de 50 anos, Antônio Carlos Marcheti, juntamente com sua esposa Ana Maria Moraes Marcheti, deram início à elaboração dos Sorvetes Artesanais Marcheti. Tendo em vista seus benefícios, o sorvete é uma opção para todas as estações do ano, pois é fonte de proteínas e carboidratos. Do ponto de vista nutricional, sorvete é um excelente complemento alimentar, nutritivo e rico em vitaminas A, B1, B2, B6, C, D, K, cálcio, fósforo e outros minerais essenciais para uma alimentação saudável. Os sorvetes Artesanais Marcheti são feitos com o que existe de melhor, sendo sua qualidade inquestionável. Sorvetes Artesanais Marcheti, fazendo sempre o melhor para você! Rua Lourenço Prado, 112 – Centro - Jaú/SP - Fone: 3418-7622 Rua 15 de Novembro, 486 - Dois Córregos/SP - Fone: 3652-1622 Facebook: Sorvetes Marcheti 

Revista Energia 91


Legislação

As 10 medidas contra a corrupção A população viu com muita preocupação o agravamento de denúncias sobre corrupção e o enriquecimento ilícito de agentes públicos

Texto Ricardo Izar |Colaboração Luís Filipe Nazar

T

al fato desacreditou ainda mais a classe política e, porque não dizer, todo o sistema de representatividade de nosso país. Independente de ideologias, a bandeira que une todos é aquela pela defesa do estado democrático de direito, e pelo fim da corrupção em todas as suas formas. As apelidadas “10 medidas contra a corrupção” são o resultado de um árduo trabalho conjunto entre o Ministério Público Federal e a sociedade civil, que conseguiu alcançar o quantitativo mínimo de assinaturas para se apresentar uma proposição de iniciativa popular, conforme estabelecido no § 2º do Art. 61 da Constituição Federal do Brasil. Contudo, muito mais do que as duas milhões de assinaturas de cidadãos que se mobilizaram para dar apoio a este Projeto, ele tem o objetivo de alcançar uma vontade unânime de todos os brasileiros, que é o combate efetivo a todas as formas de corrupção. As alterações trazidas por esse projeto abarcam os códigos penal e processual penal, a lei de crimes hediondos, a lei da improbidade administrativa, além de outras providências para criar novas formas de combate aos ilícitos que saqueiam o erário e precisam ser eliminados de nosso país. Não posso deixar de dizer que o meu compromisso, muito mais do que como parlamentar, é como cidadão. Por isso tenho trabalhado intensamente na Câmara dos Deputados e até fora dela pela aprovação das chamadas “10 medidas contra a corrupção”. Sendo assim, para que a tramitação do Projeto que trata das medidas seja prioritária, protocolei um requerimento de urgência – REQ 4249/2016. Desse modo, o Projeto de Lei 4850/2016 poderá ser aprovado na Câmara dos Deputados de forma mais célere. O assunto demanda urgência e, ainda que o caminho legislativo até a aprovação dessas medidas seja longo e árduo, precisamos trabalhar para que o processo caminhe. Aliás, a importância dessas medidas vai muito além da efe92 Revista Energia

DEPUTADO FEDERAL RICARDO IZAR Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

tividade na investigação e punição da corrupção, tem cunho preventivo também. A corrupção passará a ser uma prática extremamente perigosa para quem decide por esse caminho, teremos órgãos de fiscalização e investigação fortalecidos e uma punição rigorosa para todas as condutas tresloucadas dentro da administração pública, desestimulando-as. Ademais, a população sabe da importância dessas medidas que podem significar, inclusive, a redução na carga tributária. É que uma vez fechada a “torneira” que vaza dinheiro público para interesses escusos, sobrarão recursos para que o Estado execute as suas funções essenciais, reduzindo déficit da dívida pública e estancando a necessidade de aumento na carga tributária. Não restam dúvidas de que essas medidas são mais do que salutares, são essenciais. A crise econômica e política que o país está passando confirma essa essencialidade, e é por isso que concluo dizendo que estamos atentos e daremos apoio incondicional a qualquer medida que respeite a Constituição Federal e estimule a prevenção, investigação e punição de qualquer ato de corrupção dentro da administração pública. Acompanhe abaixo um resumo de todas as medidas: 1) Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação: - Regras para prestação de contas por parte de tribunais e procuradorias, além de investimento mínimo em publicidade de combate à corrupção, com ações de conscientização e educação; - Testes de integridade: um agente público disfarçado poderá oferecer propina para uma autoridade suspeita; se ela aceitar, poderá ser punida na esfera administrativa, penal e cível; - Manter em segredo a identidade de um delator que colaborar com as investigações, dando maior segurança ao informante. 2) Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos:


3) Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores: - Punição mínima por corrupção (recebimento de vantagem indevida em troca de favor) passaria de 2 para 4 anos de prisão. Aumenta também o prazo de prescrição (quando se perde o direito de punir), que passaria de 4 para 8 anos; - Quanto maior o volume de dinheiro envolvido, maior a pena. Até R$ 80 mil, pena varia de 4 a 12 anos. Se a propina passar de R$ 80 mil, pena será de 7 a 15 anos. Se for maior que R$ 800 mil, prisão será de 10 a 18 anos. Caso seja superior a R$ 8 milhões, punição será de 12 a 25 anos de prisão. 4) Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal: - Trânsito em julgado (declarar a decisão definitiva) quando o recurso apresentado for protelatório ou for caracterizado abusivo o direito de recorrer; - Mudança nas regras para apresentação de contrarrazões em segunda instância, revogação dos embargos infringentes, extinção da revisão do voto do relator no julgamento da apelação, mudança na regra dos embargos de declaração, do recurso extraordinário e dos habeas corpus em diversos dispositivos; - Possibilidade de execução provisória da pena após o julgamento na instância superior. 5) Celeridade nas ações de improbidade administrativa: - Acaba com fase preliminar da ação de improbidade administrativa e prevê agravo retido contra decisão que receber a ação; - Criação de turmas, câmaras e varas especializadas no âmbito do Poder Judiciário; - Instituição do acordo de leniência para processos de improbidade administrativa atualmente existente apenas em processos penais, na forma de delação premiada; e administrativos, na apuração dos próprios órgãos públicos.

6) Reforma do sistema de prescrição penal: - Fim da “prescrição retroativa”, pela qual o juiz aplica a sentença ao final, mas o prazo é projetado para o passado a partir do recebimento da denúncia. 7) Ajustes nas nulidades penais: - Restringir as nulidades processuais a casos em que são necessários; - Introduzir o balanço de custos e benefícios na anulação de um processo. 8) Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do caixa dois: - Responsabilidade objetiva dos partidos políticos pelo caixa 2. Com isso, o partido poderá ser punido mesmo se não ficar provada culpa do dirigente partidário, mas ficar comprovado que a legenda recebeu recursos não declarados à Justiça Eleitoral; - Quanto mais grave, maior a punição: além de multas maiores, o partido poderá também ter o funcionamento suspenso se for reincidente ou mesmo ter o registro cancelado. 9) Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado: - Possibilidade de prisão preventiva (antes da condenação, por tempo indeterminado), caso se comprove que o suspeito mantenha recursos fora do país. 10) Recuperação do lucro derivado do crime: - Confisco alargado: obriga o criminoso a devolver todo o dinheiro que possui em sua conta, exceto recursos que comprovar terem origem lícita; - Ação civil de extinção de domínio: possibilita recuperar bens de origem ilícita, mesmo que não haja a responsabilização do autor do fato ilícito, em caso de morte ou prescrição, por exemplo. 

Imagem: Internet

- Posse de recursos sem origem comprovada e incompatível com a renda do servidor se tornaria crime, com pena de 3 a 8 anos de prisão.

Revista Energia 93


vida

Boa

Por João Baptista Andrade Diretor da Mentor Marketing e AMA Brasil

Comida do Cozinheiro Todos os finais de semana que eu consigo essa maravilha suprema que é ficar em casa, eu cozinho

O

quê? Qualquer coisa que a Tina ou as visitas de plantão decidirem. É claro que dou uma perguntada geral, checo o que está na temporada, penso nos vinhos. Mas a decisão final acaba sendo mesmo tomada com base no apetite e preferências momentâneas (leia-se vontades) da Tina. Eu faço as compras e cozinho; ela lava a louça. Funciona feito um relógio. Tem uma leva de amigos que pede geralmente por pratos específicos. Lentilhada e churrasco são os mais frequentes, e eu simplesmente adoro. Os meus filhos têm preferências bastante peculiares e distintas, o que também me ajuda na hora de pensar o que comer. Mas, e quando não tem ninguém para dar palpites? É sério! A dúvida só cresce e a preguiça impera. Pois um dia desses sumiu todo mundo lá de casa. Os filhos foram viajar. A Tina foi não-sei-onde fazer não-sei-o-quê. Éramos eu e os cães, sendo que os últimos só comem ração. Então era eu comigo mesmo. Sem frescura e sem maiores pretensões. Muito embora eu tenha por hábito parar de trabalhar perto das 15 horas nas sextas-feiras, nesse dia eu cheguei tarde. O motorista me deixou na fazenda um pouco antes das 22 horas. Banho quente e cama! Amanheceu um sábado daqueles pintados à mão. Muito sol, calor, a fazenda toda gritando de tanta vida pelos cantos. E o JB sozinho e cheio de preguiça. A primeira coisa foi vestir-me apropriadamente: roupa lixo. Sabe aquela calça jeans toda puída? Imagina ela acompanhada de uma camiseta muito velha, daquelas que tem até furinhos aqui e ali. Conforto é essencial e não existe nada mais confortável do que roupa velha e sandálias Havaianas. Pendurei a rede e peguei um bom livro. Também preparei um espresso comme il fault e aboletei-me para curtir um solzinho de inverno. Mas o inverno aqui em Joaquim Egídio só aparece quando o sol se vai. Não deu muito tempo e este caboclo estava a ponto de transpirar. Mas o astro rei seguiu seu curso na abó94 Revista Energia

boda celeste e me deixou na sombra. E tinha tanto passarinho cantando, tanto beija-flor voando ao redor das Patas de Vaca que florescem na frente da janela, que eu fui ficando bem quietinho, a ponto de adormecer. Acordei com os cães latindo para alguma coisa no mato, provavelmente uma ave de maior porte ou um sagui. Mas nessa hora o meu estômago também acordou e disse: Tô com fome. Nada de complicar no fogão! Primeiro eu pensei nuns ovos malandros. Mas não tinha pão francês e nem linguiça portuguesa defumada. Pior, os tomates não estavam bonitos. Achei na geladeira dois bifes anchos de Angus, maturados. Mas depois pensei que não ia ter a mesma graça fazer um churrasco só para mim, então resolvi torrar um pouco de amendoim. Minha mãe preparava uma salmoura bem concentrada, que vertia por sobre a assadeira ainda quente com os amendoins. Ficava uma finíssima crosta de sal que eu, desnecessário comentar, nunca fui capaz de fazer igual. Enquanto o amendoim torrava eu fui beliscando um queijo, uns frios, azeitonas, tremoços e torradinhas; até tomei cerveja. E quando dei por mim o sábado já era e a Tina me ligou para perguntar o que eu ia comer. Carne, eu respondi, pensando nos bifes. Mas já era noite e eu fiquei com preguiça de acender a churrasqueira. Cozinhei duas batatas pequenas e as coloquei numa frigideira com um fio de azeite de oliva. Quando elas estavam quase douradas eu acrescentei uma cebola picada bem fininho e coloquei as batatas sobre a cama de cebolas. Fogo mínimo. Aquilo foi apurando devagar. Acrescentei dois ovos caipiras, batidos e temperados com sal rosa e pimenta branca. Para acompanhar, salada de rabanetes e um bom copo de vinho. Acho que a minha inspiração vai embora quando a Tina não está por perto. Ou então é a preguiça que ocupa o vazio deixado por ela. Ou ainda, de vez em quando a gente só quer comer umas besteiras. Provavelmente foi tudo isso junto. Em tempo: comi todo o amendoim no mesmo domingo... Até a próxima.


Revista Energia 95


96 Revista Energia

Revista Energia 68  

A Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM. Há 25 anos comemorando com você ! Quem dosa a medida do sucesso de uma empresa são...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you