Page 1


2

| REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

2

| REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009


FELIZ

ANO VELHO

Falta pouco para que o ano de 2009 torne-se passado. Sempre vai parecer lugar comum fazer um texto clássico de fim de ano, analisando tudo o que foi feito nos últimos meses e empolgando-se com as possibilidades que hão de surgir nos próximos 365 dias que começam em janeiro. Mas seria impossível não esbarrar neste estilo ao falar do que foi este ano para a Revista Endorfina. Duda Yankovich, Vitor Belfort, Renata Fan e César Cielo estamparam nossas capas neste período. Orgulhamo-nos de perceber que poucos veículos jornalísticos conseguiram tal proeza em seu primeiro ano de circulação e esta equipe não poderia estar mais feliz. Vamos encerrar o ano com outro ícone do mundo do esporte em nosso espaço mais cobiçado: Luize Altenhofen. A agora mamãe de Greta nos contou como foi o período de gravidez e porque o esporte sempre fará parte do seu dia-a-dia. De quebra, ainda conversamos por telefone com Cafu, um dos jogadores mais disciplinados da história do futebol quando o assunto é condicionamento físico. Por isto (e por dezenas de outros detalhes que recheiam a Endorfina número 4), garantimos muita história boa na mesma edição. Antes do ano acabar, no entanto, começa um outro período que é extremamente especial na vida de quem vive o fitness e o esporte: o verão! O que comer? Como treinar? O que vestir? Onde e porque ir? Assumimos a deliciosa missão de ajudar humildemente na busca de respostas, sempre com o auxílio das pessoas certas. E também não poderíamos começar a pensar em natal e ano novo antes de dar uma passada na décima edição da IHRSA/Fitness Brasil 2009, maior feira do setor no país e uma das maiores do mundo. Voltamos satisfeitos, com novos amigos e dispostos a dividir o que encontramos de melhor com os leitores da Endorfina. Feliz 2010 e várias centenas de dias cheios de esporte e saúde! Eder Brito Diretor de Redação


PÁGINATRÊS


EXPEDIENTE 6

EXPEDIENTE Publisher: Michel Kaminski Diretora de Publicidade: Ivete Gramm Gerente Comercial: José Santos Controller: Rose Carvalho Executivos de Contas: Gabriel Wurcelman Criação: Edilson Santana Circulação: Natália Esteves Atendimento: Eliana Silva EDITORIAL Diretor de Redação: Eder Brito Jornalista Responsável: Eder Brito - MTB 51.548 Revisão e Edição de texto: Eder Brito e Gabriel Nicolatti Colaboradores: Adriane Schultz, Diogo Patroni e Érica Brito

ARTE E FOTOGRAFIA Projeto Gráfico e Diagramação: Wave Comunicação (11) 2307 1270 Imagens: Shutter Stock CONSULTORES Ursula Metteman – Sociedade Brasileira de Dermatologia Luciana Setaro - Nutricionista e especialista em Fisiologia do Exercício Letícia Klimas – Técnica em Educação Física Robson Santos – Personal Trainer Júlia Bargieri – Nutricionista Ary Freitas – Técnico em Educação Física Luiz Fernando Maestro - Quiropraxista

A Revista Endorfina é uma publicação especial e bimestral da Kaminsk Publicidade. Distribuição em academias, clínicas de nutrição e de fisiologia, clínicas de fisioterapia e de pilates, clubes, condomínios com academias, estabelecimentos comerciais direcionados ao segmento esportivo, escolas, cursos técnicos, associações esportivas, lojas de equipamentos, roupas e acessórios fitness e universidades e eventos esportivos. Praça: São Paulo, Grande São Paulo, litoral e interior. A redação da Endorfina não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes.

FALE COM A GENTE! PARA SUGESTÕES, CRÍTICAS OU ELOGIOS, ENVIE UM EMAIL PARA REDACAO@REVISTAENDORFINA.COM.BR

A EM RECEBA A ENDORFIN SUA CASA! Sua Casa! Receba a Endorfina em INA = R$ 36,00 • 1 ANO DE ENDORF (Custo de Frete!) revistaendorfina.com.br Cadastre-se no www. ário e envie por fax ou preencha o formul 11 3228-8696. para 11 3227-9555 ou

6

| REVISTAENDORFINA.COM.BR | SETEMBRO/OUTUBRO 2009

CONSELHO EDITORIAL Walter Feldman Thiago Lobo CAPA Luize Altenhofen Foto: Caíco de Queiroz Associados ENDORFINA Av. Ipiranga, 1097. 9º Andar -93 CEP 01039-000. São Paulo - SP Tel. 3227 9555 ou 3228 8696 redacao@revistaendorfina.com.br www.revistaendorfina.com.br


ÍNDICE 8

ÍNDICE 10 17 18 24 34 36 48 62

UMA DÉCADA PARA SE LEMBRAR Cobertura completa: o que a IHRSA 2009 quer mostrar ao mercado?

MUITO ALÉM DO LÍQUIDO Consiga 70% da hidratação com alimentos sólidos

ENDORFINA DEBATE: OLIMPIADAS Jogos Olímpicos Rio 2016: nós podemos?

EQUIPADOS A importância da manutenção e da assistência técnica

28

MATÉRIA DE CAPA

LUIZE ALTENHOFEN Apresentadora, esportista e mãe

BELEZA PURA Protetores para curtir o esporte sob o sol

FISIOSHOP O bombom que emagrece e a granola com whey protein

VIAGEM O que Natal e Porto Alegre tem em comum?

38 ENTREVISTA

Cafu: um jogador único

ENDORFINA RESPONDE A “doença” do Esporte

:: VEM AI O PORTAL ENDORFINA, O PORTAL REFERÊNCIA NO SEGMENTO FITNESS E

WELLNESS ::

52 HORA DE PULAR

Os segredos e respostas do Power Jump


ACONTECE FITNESS 10 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

UMA DÉCADA

PRA SE LEMBRAR DÉCIMA EDIÇÃO DA IHRSA/FITNESS BRASIL APRESENTA AS GRANDES NOVIDADES DO SETOR E EXPLICA O FUTURO DA INDÚSTRIA PARA O PAÍS

Por Eder Brito | Fotos: Val Luna

O terceiro maior encontro de negócios em fitness e bem-estar no planeta. Um espaço que reúne em três dias as principais empresas do setor no país. Os temas mais importantes da indústria e as tendências do futuro concentrados no mesmo local. Os principais lançamentos da indústria fitness e wellness. A décima edição da IHRSA/Fitness Brasil Latin American Conferece & Trade Show angaria tantos títulos que pode parecer redundante lembrar de todos.

10 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Um dos objetivos do evento, no entanto, é apresentar as principais novidades do mercado, lançando produtos e tendências que dominarão o dia-a-dia de quem viverá o fitness nos próximos 365 dias. A Revista Endorfina esteve na IHRSA e mostra o que encontrou de mais interessante nos 16 mil metros quadrados do evento.

SPINNING COM OS BRAÇOS? Johnny G, o criador do Spinning, inventou o KrankCycle e a Matrix levou a novidade para a IHRSA. Trata-se de um equipamento de ciclismo feito para os membros superiores. Aos invés de pedais, o equipamento tem manetes que o usuário manipula enquanto está sentado. Pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, mulheres grávidas, obesos e pessoas que estão na terceira

1


idade podem fazer o já tradicional exercício de spinning que geralmente era focado nas pernas. www.johnsonhealthtech.com.br

2

BIKE OU ELÍPTICO? Um híbrido de bike e elíptico, que simula movimentos de escalada. Com um design moderno e cores diferenciadas, o Aerobike chamava a atenção, mesmo em um dos cantos mais escondidos da IHRSA. Resultado de dez anos de pesquisa em Universidades do Centro-Oeste brasileiro, o aparelho promete exercitar todos os músculos e articulações simultaneamente e fortalecimento do sistema cardiovascular. É um produto já patenteado em 163 países e chegou no Brasil há apenas seis meses. www.aerobike.com.br

3

TREINO NOVO DE VERDADE A empresa famosa por lançar aulas de ginástica diferenciadas (como o BodyCombat e o BodyPump) apresentou um treino diferente na IHRSA 2009. O Core360º oferece “pernas de jogador, braço de nadador e barriga de lutador” aos alunos que adotarem o método. Desenvolvido por técnicos do Corinthians e do Pinheiros junto com Minotouro, o famoso lutador de M.M.A, o Core360º também promete perda calórica. O treino dura uma hora e tem três fases: coxas, braços e abdômen. Vídeos com demonstrações podem ser acessados no www.youtube.com/core360tf

4

MENOS TEMPO ARRUMANDO A BIKE Vinte e seis anos depois da fundação da empresa, a Technogym entrou no “mundo do spinning e apresentou o Group Cycle, um equipamento que re-

duz em 75% o tempo de ajuste da bike, dando mais conforto ao usuário. Quem foi a IHRSA também pôde conhecer o Kinesis One, uma verdadeira estação de exercícios que tenta reproduzir os movimentos naturais do ser humano. Destaque também para o Vario, aparelho para treinamento cardiovascular com um simpático e útil contabilizador de calorias. www.technogym.com.br

5

PULANDO DE ALEGRIA O divertido calçado suíço Kangoo Jumps também marcou presença na IHRSA Fitness Brasil 2009 com o modelo KJ-XR3. Os elásticos da base (estrutura que ajuda a absorver o impacto) vieram reforçados pra garantir mais tempo e maior intensidade durante o exercício. O produto é voltado principalmente para o público feminino, pois


12 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

alguns dos benefícios são a redução da celulite e a perda de até 800 calorias em apenas 45 minutos de atividade física. A tiragem limitada de 25 unidades pode ser um indicativo de boa aceitação do produto. www.kangoojumps.com.br MUSCULAÇÃO DO FUTURO Não era o letreiro luminoso gigante. O que realmente chamava a atenção no espaço montando pela Movement era a sala de apresentação da Linha Next E. A idéia é transformar a área de musculação em um ambiente clean e totalmente informatizado, eliminando tudo que não agrega valor visual. O espaço tem um piso especial, com um sistema de roldanas e cabos que fica invisível aos olhos. O mais interessante é que os pesos ficam “escondidos” em um outro ambiente. O resultado é uma sala agradável, limpa, sem ruídos e livre de poluição visual. Além dessas vantagens, todos os aparelhos possuem telas com o sistema “touch screen”, onde aluno e professor podem escolher, calcular e visualizar treinos e resultados com mais facilidade. www.movement.com.br

6

7

NA ÁGUA, COM SEGURANÇA Quem pratica atividade física aquática ou precisa de alternativas para aulas com materiais diferenciados e mais seguros, também encontrou novidades na IHRSA 2009. A IPLA, empresa catarinense especializada em lazer aquático, apresentou o simpático Flutuador Jacaretti. Finalizado em um formato diferenciado, o flutuador é um meio termo entre o tradicional “macarrão” e as esteiras aquáticas. Facilita a vida de 12 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

quem quer flutuar com segurança na piscina e até de quem quer pegar onda no mar. O modelo infantil aguenta até 60kg e o adulto suporta indivíduos de até 120kg. www.ipla.com.br

8

INTELIGÊNCIA ONLINE Imagine um software que te ajuda a controlar todas as informações de sua academia simultaneamente. O controle de acesso ao espaço, frequência dos profissionais e dos alunos, administração financeira, avaliação física, desenvolvimento e acompanhamento de treinos, grade de horários. Tudo disponível em um mesmo programa que também é acessível pela internet. Esta é a proposta do Evo, software que a empresa W12 apresentou na décima edição da IHRSA. Um sistema que administra todas as áreas da academia e ainda serve de suporte para análises e gestão do negócio. O Evo já funciona em mais de 200 estabelecimentos de 19 estados brasileiros. www.w12.com.br

9

NA TRILHA DAS ESTEIRAS A esteira é um dos equipamentos de ginástica mais antigos e tradicionais no mundo da atividade física e é cada vez mais difícil encontrar verdadeiras novidades neste segmento. Mas a IHRSA 2009 trouxe boas surpresas, como a linha RX10 da Total Health. A esteira tem um painel LCD de 15 polegadas que permite entrada de TV à cabo, MP3 e DVD. Além do “Touch Screen”, o equipamento também possui um sistema com sensor óptico que permite o manuseio à distância, evitando que

o treino pare apenas para fazer algo básico como trocar de faixa no DVD ou mudar de canal na TV. Outra novidade encontrada foi a E750 da Movement. Ela simula fielmente percursos em famosos parques paulistanos, como o Ibirapuera e provas tradicionais de corridas como a São Silvestre, por exemplo. A inclinação, ladeiras, declives e todos os detalhes característicos do percurso original são reproduzidos graças a um sistema de bolsas de ar e compressores. E todo o treino pode ser baixado direto da esteira para um pen drive, cujos dados podem ser disponibilizados e administrados em uma rede social exclusiva no site da empresa.

EFEITOS SONOROS Música e atividade física são cada vez mais inseparáveis, especialmente dentro da academia. Pensando nisso, a ListenX criou a RádioAcademia, um serviço personalizado de música, entretenimento e comunicação. Além da programação musical, pode-se criar serviços de divulgação de aulas, eventos e campanhas da própria academia, diversificando e melhorando a comunicação com o aluno. A empresa também oferece um sistema de ambientação sonora para quem ainda não possui a estrutura instalada. www.listenx.com.br

10


j3p

Zigomaticus major

Para nós, este é o músculo mais importante do seu corpo.

www.formulaacademia.com.br


NA ACADEMIA

14 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

ACADEMIAS SE

REINVENTAM

COM UMA VARIEDADE CADA VEZ MAIOR DE SERVIÇOS OFERECIDOS E ATENDIMENTO PERSONALIZADO, AS ACADEMIAS SE TRANSFORMAM EM LOCAIS ONDE TREINAR É APENAS UMA DAS OPÇÕES

Por Gabriel Nicolatti | Colaboração: Eder Brito

Foi-se o tempo em que as academias eram locais nos quais os alunos passavam algum tempo do dia, apenas se exercitando para entrar em forma. O novo conceito faz com que as antigas academias se reinventem e com que novas opções transformem-nas em verdadeiros centros de convivência e, por que não, conveniência. “A idéia é agregar o maior número de serviços possíveis neste local, convidando toda a família para fazer parte, não de uma academia, mas de um grande centro de saúde, bemestar e lazer”, conta Henrique Netto, Gerente de Marketing Institucional da A!Body Tech, ao explicar como funcionam as academias Club, carro chefe da rede. “O modelo Club oferece serviços diversificados como um espaço para as crianças, clínica de nutrição, de pilates, fisioterapia, departamento de avaliação física, restaurante e até um business center, com televisores ligados nos principais canais de notícias e conexão 14 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Wi-Fi, para que o cliente possa ligar o seu laptop e trabalhar. O objetivo é que a academia torne-se a extensão das casas dos nossos alunos”, explica. Segundo ele, o grupo pensou em três diferentes tipos de academias. “Além da Club, existem as academias de Bairro, com menos opções que a primeira, mas trazendo serviços como o SPA ou a Massoterapia, e as unidades menores, ou small. Essa última baseia-se no conceito express, para aqueles que possuem pouquíssimo tempo do dia para praticar alguma atividade física”, conclui. Nas unidades da Bio Ritmo, a principal ferramenta para garantir a freqüência e fidelidade dos clientes é a criação de programas personalizados, como explica o Diretor Técnico da rede, Saturno de Souza. “Para gerar o hábito da prática esportiva é preciso garantir que os alunos freqüentem a academia


e, por isso, trabalhamos com um programa chamado Face2Face, exclusivo no Brasil e reconhecido pela IHRSA (associação que representa academias, clubes e centros de saúde em nível mundial) como número um em retenção de clientes. Nele, o aluno receberá orientação personalizada para exercícios, alimentação e hábitos de vida mais saudável”, diz. Para ele, os resultados alcançados com esse tipo de atendimento estimulam as pessoas a continuar freqüentando a academia e, mais do que isso, fazem com que esses mesmos alunos tragam mais pessoas para praticar esporte e atividade física. “Os alunos gostam de receber uma ligação e saber que sentiram a falta dele na academia. Nós criamos, recentemente, o programa Bio Máster, voltado a pessoas acima de 60 anos, e nos orgulhamos bastante em perceber que os filhos, que já treinam aqui e passaram pelo programa Face2Face, trouxeram os seus pais para a academia. É um sinal de confiança e credibilidade”, conta. Além do Face2Face e do Bio Máster, a Bio Ritmo aposta em outros programas, seguindo às necessidades de cada aluno. “Elaboramos um calendário com atividades variadas, dependendo da época do ano, para quebrar a rotina e garantir novidades aos nossos alunos”, conclui Saturno. Henrique Netto sinaliza o futuro das academias no Brasil. “Já temos 19 unidades Club espalhadas pelo país e o nosso plano de expansão prevê que este número chegue a 80 em 2015. Essa é uma nova tendência e que atrai muitos parceiros. Estamos agarrados à bandeira wellness, mas atrelados ao bem-estar, lazer e conveniência dos nossos clientes. Costumamos brincar que nossos alunos vêm à academia, também para treinar”, finaliza. Em palestra durante a IHRSA/Fitness Brasil 2009, Marcello Lage, ex-jogador da seleção brasileira de vôlei e administrador de empresas (além de ex-dono de academia) falou sobre as academias do futuro e como serão estes estabelecimentos, tanto no aspecto social quanto tecnológico. Entre as várias sugestões e análises feitas por Marcello, a mais inusitada sugere que o aluno não pague mensalidade, mas um valor diário. “A experiência de vir a academia tem que ser tão boa que o aluno paga por dia e não por mês. Todo mundo só pensa em planos semestrais e planos anuais como uma maneira forçada de reter o aluno e não percebe que o segredo hoje é oferecer entretenimento”, explica. “A academia não pode parar jamais de surpreender o aluno. É preciso oferecer uma verdadeira experiência de entretenimento”, afirma.


16 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

16 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009


COMA BEM

ALIMENTOS QUE

MATAM A SEDE Os alimentos e bebidas ideais para quem quer se hidratar corretamente no verão Por Gabriel Nicolatti

O verão está aí e, junto com ele, a necessidade ainda maior de se hidratar corretamente para poder praticar o seu esporte sem nenhum prejuízo. Mas se engana aquele que pensa que apenas líquidos podem ajudar nesses casos. Aproximadamente 70% da hidratação exigida para o corpo pode ser conseguida com alimentos. “A recomendação é que a pessoa se alimente sempre uma hora antes de praticar alguma atividade física. As melhores opções são frutas, frutas secas, iogurtes e a tradicional barra de cereais”, explica a nutricionista e especialista em Fisiologia do Exercício, Luciana Setaro. Além dos alimentos citados, ela recomenda a ingestão de bebidas tradicionais, como a água, a água de coco e os repositores eletrolíticos (bebidas isotônicas). Porém, lembra que a quantidade a ser ingerida pode variar muito, dependendo do caso e até da atividade a ser praticada. “Para os atletas de alto rendimento que treinam diariamente, a recomendação é de ingestão de 2,5 a 4 litros de água por dia, assim como a

ingestão moderada dos alimentos recomendados. Já aqueles que praticam o seu esporte duas ou três vezes por semana, sem tanta exigência, podem se hidratar apenas com água, repondo cerca de 350 ml a cada 20 ou 30 minutos de atividade”, conclui. Vale lembrar que a ingestão desses alimentos varia muito de acordo com as características físicas de cada indivíduo, sendo sempre recomendada a consulta com um nutricionista. Quanto aos alimentos e bebidas não recomendadas, estão as bebidas alcoólicas – que contribuem para desidratar o organismo - frituras, alimentos condimentados e alimentos que contenham fibras. Segundo Luciana, esses últimos podem causar um enorme desconforto gastrointestinal aos esportistas. “Uma alimentação balanceada é muito importante, principalmente para os atletas. Acho importante que as pessoas também evitem ingerir bebidas ou qualquer tipo de alimento com os quais não estejam acostumados no dia-adia”, explica.


ENDORFINA DEBATE 18 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | SETEMBRO/OUTUBRO 2009

ENDORFINA DEBATE

JOGOS OLÍMPICOS

RIO 2016 Magic Paula:

“É inconcebível jogar dinheiro fora!” É uma grande oportunidade para o país deixar um legado que não seja apenas estrutural, que não sejam apenas construções. A gente pode deixar um legado social. É preciso enxergar a importância que a formação esportiva tem nas escolas e que deve ser o mote para um país. É difícil falar sobre o que foi feito no Pan de 2007 porque estou fora da situação, mas acredito que foi um gasto do dinheiro público muito maior do que era previsto. Os espaços não tiveram programa pós pan-americano em que pudéssemos ter projetos como, por exemplo, construções de centros de excelência nesses locais. Muita coisa não deve ser repetida principalmente em relação ao descaso com dinheiro público. Nós temos que estar de olho e como cidadãos que pagam impostos, não devemos deixar isso acontecer. É inconcebível jogar dinheiro fora. Maria Paula Gonçalves da Silva, a Magic Paula é medalhista olímpica e Coordenadora do Esporte de Alto Rendimento na Secretaria de Esportes da Cidade de São Paulo

18


Flávio Delmanto:

“O esporte estará trazendo benefícios para o país” Existem impactos econômicos, quando se fala em megaeventos como os Jogos Olímpicos, que vão além e atingem a sociedade em cheio. Inclusive temos especialistas estudando exatamente esse assunto. Hoje já existe um estudo de políticas de legados de megaeventos, inclusive com a publicação do livro “Legados de Megaeventos Esportivos”, uma parceria entre o Ministério do Esporte e o Conselho Federal de Educação Física – CONFEF, com o apoio do SESI DN, SESC Rio e Universidade Gama Filho-RJ, no qual 71 autores brasileiros e quatro do exterior, pertencentes a 35 universidades, apresentam estudos e pesquisas sobre o tema. Todos podem ser beneficiados, tanto o público quanto o participante. O incentivo monetário que o Estado que sedia um evento desse porte recebe para a sua organização pode incrementar e muito suas relações sociais e econômicas, sem falar no turismo. Uma Olimpíada traz notoriedade para o país que a sedia e, uma vez bem feito, o torna visível ao mundo de forma extremamente positiva. Para o Rio de Janeiro, como meios disponíveis de aproveitamento, creio que o transporte local terá uma grande melhora, bem como a segurança. Mas é sempre bom lembrar que é o esporte que estará trazendo esses benefícios para o país. O mesmo esporte tão desvalorizado nas escolas no que diz respeito à Educação Física Escolar. Tão contraditório, não é mesmo? Devemos aproveitar a oportunidade que a mídia também nos dá durante grandes eventos, para mostrarmos de vez o quanto o Profissional e a Profis-


20

são de Educação Física é importante sim, em todos os aspectos (social, econômico, cultural, de saúde e esportivo) na existência de um país. Flavio Delmanto é Presidente do Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo – CREF4/SP e Conselheiro do CONFEF – Conselho Federal de Educação Física

Walter Feldman:

“O esporte está acima das ideologias” Agora é oficial: a Olimpíada é nossa! Nossos delegados em Copenhague se revelaram eloqüentes, simpáticos e competentes: deu Rio 2016! O Rio merece? O Brasil merece? Por ocasião do último Pan, o que fizemos de correto e de suspeito? Esse debate já foi muito bom: Sugeriu novos parâmetros não só para os Jogos de 2016, mas também para a Copa de 14. Um debate que evoca o das eleições durante a ditadura. O brasileiro, diziam alguns, não pode votar porque - não sabe votar! Bem, e como poderia aprender? Votando, claro. Como vamos aprender a realizar grandes eventos internacionais com transparência e competência? Realizando. Essa autocondenação por erros do passado é útil, mas não pode ser esterilizante, depressiva, conformista. O desafio é: como criar um controle cidadão de todos os gastos e investimentos? O Brasil tem tudo para ser outro país nas próximas décadas. Deve, e não apenas pode, definir uma Política de Esportes digna dos grandes eventos que vai sediar. Nossos ouros e pratas no Rio não serão tão importantes como o nascimento de um país onde o esporte seja enfim levado a sério como um intenso, divertido e barato momento de revitalização da saúde, da educação, da fraternidade e da inclusão social. Lembro ainda que Jogos Olímpicos são, tradicionalmente, um lindo momento de paz universal. Durante as Olimpíadas de Berlim, em 1936, Adolf Hitler se retirou do estádio para não ver um corredor negro, Jesse Owens, ser coroado campeão. Ele talvez nem tenha percebido que o atleta alemão derrotado foi abraçar fraternalmente o vencedor da prova. O esporte está acima das ideologias. Que o Rio tenha uma linda festa em 2016. O Brasil, tenho certeza, será outro, e melhor.

Walter Feldman é Secretário de Esportes, Lazer e Recreação da Cidade de São Paulo


SUPLEMENTO 22

MALTODEXTRINA

ENGORDA?

CONFIRA O QUE DIZEM ESPECIALISTAS EM NUTRIÇÃO E TREINAMENTO

Por Gabriel Nicolatti

A Maltodextrina é um carboidrato complexo, de rápida absorção pelo organismo e proveniente do amido de milho. Muito utilizada para retardar a fadiga muscular em exercícios de longa duração, a malto (como é popularmente conhecida) também gera discussões sobre como pode colaborar para que a pessoa acabe engordando. A redação da Revista Endorfina ouviu especialistas das áreas de nutrição e educação física para explicar as funções da Maltodextrina durante o treino e descobrir se a utilização dela pode mesmo engordar. Segundo a nutricionista responsável do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa da Prefeitura de São Paulo, Julia Bargieri, a utilização errada da malto pode, sim, fazer com que a pessoa engorde. “A Maltodextrina deve ser utilizada por pessoas que vão realizar atividades físicas e esportivas de longa duração – uma hora ou mais. A utilização é para evitar a perda de massa muscular durante os treinamentos ou quando o atleta não conseguiu se alimentar antes de treinar”, explica. O personal trainer Robson Santos têm a mesma opinião. “A malto é ótima pela praticidade, mas só recomendaria a utilização dela em atividades de longa duração, como quando a pessoa realiza um treino de musculação e, em seguida, fará um treino cardiovascular”, explica. Para ele, a principal reco22 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

mendação é de que a pessoa sempre procure um nutricionista antes de começar a utilizar suplementos. “A nutrição é responsável por 70% dos resultados que podem ser obtidos nos treinamentos. Mas é sempre bom ouvir de nutricionistas a forma correta para utilização de suplementos alimentares”, diz. A embalagem com 1kg de Maltodextrina pode ser encontrada em lojas de suplemento alimentar e custa, em média, R$ 10,00. Porém, essas embalagens trazem a recomendação da utilização de 4 a 5 colheres de sopa para o treinamento. Segundo o que a Revista Endorfina apurou, essa quantidade corresponde a aproximadamente 400 calorias, que não são perdidas em uma hora de treinamento. Portanto, para utilizar a malto da melhor forma possível e sem prejuízos com a balança, siga a dica da nutricionista Júlia Bargieri: “Existe um consenso da área de nutrição no Brasil quanto à utilização de 6 a 8% de carboidratos na suplementação. Por isso, a recomendação é que a pessoa utilize 30 gramas (ou 3 colheres de sopa) de Maltodextrina em 500 ml de água para práticas esportivas de longa duração. Se a pessoa conseguiu se alimentar antes do treino, pode tomar o suplemento durante as atividades. Se não conseguiu se alimentar, a dica é que ela tome o suplemento antes de começar a treinar”, conclui.


EQUIPADOS 24

PREVENIR

É PRECISO

ALÉM DO VISUAL E DO PREÇO, ASSISTÊNCIA TÉCNICA E MANUTENÇÃO TAMBÉM SÃO ESSENCIAIS NA COMPRA DE EQUIPAMENTOS DE GINÁSTICA

Por Eder Brito

O mercado de equipamentos de ginástica atinge um número cada vez maior de segmentos. Além das tradicionais academias de ginástica, condomínios, escolas, hotéis e mesmo quem quer ter um aparelho em casa, fazem aumentar as vendas deste setor. Além de se preocupar com o material utilizado, qualidade de atendimento, design e custo-benefício do investimento também é preciso se preocupar com dois detalhes: a assistência técnica e a manutenção dos equipamentos. “A maioria dos clientes não se preocupa em contratar assistência técnica e manutenção”, explica Cláudio Alves, proprietário da Force Fitness, empresa que atua no Estado de São Paulo. “É importante sempre se preocupar em manter um vínculo com a empresa em que você adquire o equipamento, para evitar problemas no futuro. Nós nos preocupamos em treinar e orientar um funcionário ou uma pessoa do local que adquire o 24 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

equipamento para fazer a manutenção”, afirma o empresário. “O consumidor também deve se preocupar em saber onde a empresa adquire as peças para montagem dos equipamentos”, explica Luís Carlos Sanches, gerente de vendas da Total Health. “Saber a origem dos componentes eletrônicos dos equipamentos também é essencial e influencia diretamente em como é feita a assistência técnica e a manutenção. Muitos componentes são importados e é preciso saber como funciona a reposição”, complementa Luís. “Cobrar pela qualidade de atendimento e suporte por telefone também é básico. Quando o cliente liga e diz qual é o problema, já precisa imaginar qual é o problema e qual peça pode utilizar para a reposição”, explica Luís. A sinceridade também é algo importante neste “relacionamento” entre empresa e comprador. “Seja sempre sincero e explique qual é o tempo correto de resolução do problema”, explica Cláudio.


26 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

PASSO-A-PASSO IMAGEM NÃO É TUDO: O design de equipamentos evoluiu muito e oferece dezenas de opções para quem quer ou precisa adquirir formatos mais modernos de periféricos. Mas não se engane e verifique se a empresa também traduz a evolução na qualidade do suporte técnico prestado.

ORIGEM DAS PEÇAS: Peças e equipamentos importados são importantes para o mercado e ajudam a manter acessível no país o que de melhor existe em matéria de equipamentos. Mas é essencial saber o quão veloz é a reposição de peças nas empresas que trabalham assim.

EXIJA BOM ATENDIMENTO SEMPRE: A qualidade do atendimento não pode ficar restrita ao momento da venda. O relacionamento posterior com a empresa também deve primar pela atenção e pela qualidade de informação.

SUPORTE POR TELEFONE E INTERNET: Mesmo se você não quiser fazer um contrato específico de assistência técnica e manutenção, verifique como funciona a solução de pequenos problemas e auxílio pela internet e pelos canais de atendimento ao consumidor da empresa escolhida.

CUSTO-BENEFÍCIO: O preço nunca pode ser o principal fator de decisão no processo de compra de um equipamento de ginástica. Pequenas diferenças no custo final podem representar um grande benefício em forma de assistência técnica e manutenção diferenciadas. TREINAMENTO E ORIENTAÇÃO: Empresas que oferecem o treinamento e orientação de funcionários como diferencial para a manutenção de equipamentos também saem na frente.

26 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

TEMPO É DINHEIRO: O mal do século XXI é o tempo e isso não difere quando a questão envolve solução de problemas em equipamentos de ginástica. Procure empresas que trabalhem com prazos sinceros e eficazes.


LUIZE ALT


CAPA

ENHOFEN COMO GRETA

MUDOU MINHA VIDA Em entrevista exclusiva, a jornalista, modelo e apresentadora celebra a chegada da primeira filha e explica como viveu uma gravidez saudĂĄvel, sem abandonar a atividade fĂ­sica Por Eder Brito


Luize Altenhofen já foi eleita Miss Brasil Internacional, ilustrou dezenas de capas de revista, estrelou incontáveis campanhas publicitárias, videoclipes e construiu uma respeitável carreira na televisão, em especial no jornalismo esportivo. Mas foi no dia 7 de outubro de 2009, às 7 horas e 35 minutos que sua vida realmente mudou. Naquele momento, Greta, a primeira filha de seu casamento com o empresário Frederico Galloto, nascia saudável, pesando 3 quilos e 800 gramas e com respeitáveis 52 centímetros de altura. Símbolo incontestável de saúde, beleza e atívidade física bem feita, Luize passou nove meses tranquilos à espera da filha, mantendo uma rotina diferenciada de atividade física e engordando apenas nove quilos, meta traçada ainda no início da gravidez. “Sempre, procurei manter uma alimentação saudável, e equilibrar com o gasto energético. Quando percebia que exagerava na alimentação aumentava o tempo de exercício ou fazia duas vezes ao dia, pela manhã e a tardinha”, diz. Além de engordar pouco, Luize, nascida em 6 de julho de 1979 na pequena cidade gaúcha de Cruz Alta conseguiu cumprir uma outra meta. “Sempre pensei em engravidar aos 30 anos”. Na entrevista a seguir, concedida com exclusividade à Revista Endorfina, Luize explica como serão os próximos anos ao lado da pequena Greta. Quais foram as principais mudanças em sua vida com a chegada da Greta? Na minha rotina diária ocorreram diversas mudanças. Hoje não são as minhas necessidades que eu priorizo. Normalmente eu fazia primeiro as minhas coisas. Hoje minha rotina está direcionada para as necessidades básicas da Greta, principalmente a amamentação que nos dá uma sensação maravilhosa de poder e de amor. Por meio da amamentação eu continuo dando vida e saúde para minha filha. Mas confesso que a maior mudança está na maneira de ver e viver a vida hoje. O que mais valorizo agora são os laços familiares e os sentimentos, procurar estar perto das pessoas que amamos. Outra coisa que percebi com enorme satisfação é a leveza com que estou encarando esse novo momento na minha

30 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | SETEMBRO/OUTUBRO 2009

vida. O amadurecimento faz com que tenhamos a capacidade de conduzir as nossas ações para a solução dos problemas de forma natural, tranqüila e sem estresse. Situações que pareciam ser extremamente problemáticas, hoje eu dou menos valor e fico atenta para as coisas positivas que me darão força para enfrentar e solucionar as adversidades. Como era sua rotina de exercícios físicos antes de descobrir que estava grávida? E durante a gravidez? Sempre fui muito ativa. Alguns diziam que eu era hiperativa, pois caminhar não servia, eu sempre queria correr. A intensidade do esforço físico me atrai. Com a gravidez percebi algumas mudanças. Sou muito atenta aos indícios que o meu organismo dá. Com o crescimento da Greta senti a necessidade de diminuir o ritmo. Repito: diminuir, não parar. Você já declarou em uma entrevista que usou muito o Transport (equipamento de ginástica) durante a gravidez. Como foi a adaptação, já que teoricamente ele tem um grau de dificuldade maior que esteira e bicicleta? Eu tenho uma consciência corporal bem apurada e força nos membros inferiores. Procurei isolar e concentrar os exercícios exigindo predominantemente os membros inferiores, controlando a respiração. Enquanto eu me sentia bem fui praticando o transport que é o aparelho que mais gosto de fazer e que acredito que proporciona mais benefícios em termos de estética corporal. Quais são suas recomendações para as mulheres grávidas que querem continuar treinando? Continuem mesmo, não parem, fiquem atentas as informações que o próprio organismo oferece e vá substituindo. Quanto mais avança a gravidez, aumenta o peso e a sobrecarga na região lombar da coluna vertebral. Descobri que o segredo é segurar com o músculo abdominal para protegê-la durante os exercícios e relaxar apoiando toda a coluna e, é claro, diminuindo a intensidade do esforço. Outra coisa que estimula a continuidade da prática de exercícios é escolher um lugar de alto astral, que emana energias positivas e que te proporcione bem estar. Para mim, sem dúvida, era praticar exercícios físicos na praia.


Você engordou pouco durante a gravidez (foram apenas nove quilos). O treinamento e a alimentação foram controladas para atingir este resultado? Sempre. Procurei manter uma alimentação saudável e equilibrar com o gasto energético. Quando percebia que exagerava na alimentação aumentava o tempo de exercício ou fazia duas vezes ao dia, pela manhã e a tardinha. Você concorda que muitas mulheres acabam deixando a atividade física de lado depois da chegada dos filhos. Qual é seu plano para continuar com o mesmo ritmo e com o mesmo corpo? Com certeza não é o filho que descaracteriza a forma física, são as mudanças nas atitudes. Eu vou prosseguir com o plano de cuidar de mim para poder cuidar melhor da minha família e da minha filha. Acredito que se eu estiver satisfeita comigo estarei em plenas condições de educar a Greta e cuidar das pessoas que amo. E o surfe? O que mais te atrai no esporte? Você vai voltar a surfar agora? A praia é um lugar encantador pra mim, é onde eu busco retomar as minhas energias, por isso me identifiquei com o surf. Parei por um momento apenas, pois a sua prática pressionava a barriga e poderia ser prejudicial para a Greta. Agora, já estou me organizando para as visitas ao litoral e retornar ao movimento nas águas salgadas que tanto bem estar me trazem. Além da academia e do treinamento básico, quais outras modalidades você pratica além do surfe? Também gosto de andar de patins e de bike nos parques. A natação também me faz bem.

32 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009


34

A praia é um lugar encantador pra mim, é onde eu busco retomar as minhas energias, por isso me identifiquei com o surf. Você é filha de profissionais de Educação Física. A Greta será uma esportista como a mãe e os avós? Os filhos aprendem a gostar do que lhes é proporcionado. Tenho consciência de que existe a genética, mas é o meio que tem mais influência na formação da personalidade das crianças. E nesse aspecto a Greta está duplamente favorecida, pois eu continuarei a praticar esportes e conduzirei a Greta no mesmo caminho. Tenho certeza que na visita dos avós, ela fará muito esporte de forma lúdica, brincando. Acredito que será uma grande esportista sim. Vai continuar normalmente no Band Esporte Clube? Quais são seus projetos futuros agora que a rotina foi alterada? Continuarei com todos os meus projetos. O Band Esporte Clube é um programa que tem a minha cara, que eu adoro fazer. O universo da comunicação é muito amplo e diversificado e estou aberta as oportunidades, pois é como diz o provérbio: ‘”É o trabalho que dignifica o homem”. E eu acredito que a valorização pessoal e na tua comunidade está em trabalhar e contribuir com a sociedade que você vive. Essa tarefa é perfeitamente compatível com as tarefas familiares. Como profissional da área esportiva, ficou feliz com a escolha do Brasil para os Jogos Olímpicos no Rio 2016 e para a Copa 2014? Lógico, vibrei muito! Sei que temos questões sociais sérias, mas acredito que o povo brasileiro ficou feliz com a valorização do nosso país e estará comprometido nessa tarefa que é de todos nós e principalmente do poder público. Está feliz com a campanha do Internacional no Brasileirão 2009? Qual é a cara do futebol nacional neste momento para você? Acredito que o meu timão está carente de craques. O Rio Grande do Sul é um celeiro de bons jogadores, temos a habilidade em formar talentos nas categorias de base e eu estou ansiosa por mais um craque. Mas enquanto ele não se mostra, vamos torcendo para que o Internacional seja Campeão, acredito que ele tem possibilidade, pela campanha que está fazendo e pela sua posição. Com relação ao futebol brasileiro de maneira geral, é o melhor do mundo, sempre. Além da competência de diversos técnicos temos a habilidade dos jogadores, tem o encantamento, a criatividade, a alegria e principalmente o incentivo de um povo que ama esse esporte. Luize Altenhofen é uma artista exclusiva da Caíco de Queiroz Agentes Associados. Telefone: 11 5053.4900

34


VIDA SAUDÁVEL BELEZA PURA 36

FATOR DE

PROTEÇÃO CONFIRA AS DICAS DE COMO PROTEGER A SUA PELE E NÃO CORRER RISCOS NO VERÃO, TANTO AO AR LIVRE QUANTO DENTRO DAS ACADEMIAS

Por Gabriel Nicolatti

O verão está aí e o sol, responsável por nos encher de energia nessa época do ano, também pode ser um inimigo para a pele. Por isso, a Revista Endorfina resolveu ouvir uma especialista na área de dermatologia e trazer dicas de bons produtos e como utilizá-los para poder praticar sua atividade física tranqüilamente nesse período. “Acho importante que qualquer pessoa que vá praticar alguma atividade física e esportiva ao ar livre utilize um filtro solar com um fator de proteção (FPS) acima de 30. Além disso, é recomendável a utilização de proteção física, como bonés, chapéus, óculos escuros e roupas leves”, diz a Doutora Úrsula Metemann, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ela também alerta sobre o principal perigo da exposição desprotegida da pele ao sol. “Além dos problemas estéticos, a exposição irresponsável ao sol, principalmente no verão, é a grande causadora do câncer de pele. A doença pode surgir após dez ou mesmo vinte anos, então é preciso se conscientizar da importância da utilização do filtro solar. Desde os mais jovens, até as pessoas com mais idade”, explica. Para quem tem pele muito clara, empresas especializadas como a Natura, por exemplo, lançaram linhas com FPS 50, que oferece alta proteção. Produtos com este FPS geralmen36 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

te resistem à água por até três horas e ainda deixam a pele hidratada. Segundo a empresa, para as pessoas com a pele morena ou negra, o FPS 15 é suficiente, por possuir uma combinação de filtros específica e que não deixa resíduos brancos. Engana-se, porém, quem imagina que seja completamente desnecessário utilizar produtos com filtro solar dentro de ambientes fechados ou semi-abertos, como as academias. “As academias são ambientes claros e, geralmente, iluminados por lâmpadas fluorescentes que, pouca gente sabe, também causam manchas na pele. Por isso, até nesses locais é recomendável a utilização de produtos que contenham filtro solar, mas esses podem ser mais leves, à base de água por exemplo”, explica a Dra. Úrsula. Nesses casos, a dica é para a utilização de produtos como o SunMax Acquagel FPS 20. Já as pessoas que possuem manchas na pele podem utilizar protetores com cor de base. Esses produtos são muito procurados e possuem grande aceitação, principalmente entre as mulheres. Os preços deste tipo de protetor variam de R$ 20 a R$ 70, dependendo da marca e da fórmula de cada produto. Um investimento necessário naquilo que, na realidade, não tem preço: a saúde de nossa pele.


FISIOSHOP 38

1,2,3

TESTANDO A CADA EDIÇÃO, UMA SÉRIE DE PRODUTOS DO MUNDO FITNESS, TESTADOS, CRITICADOS E SINCERAMENTE ANALISADOS PELA ENDORFINA

Por Eder Brito

GRANOLA COM WHEY PROTEIN Extraída do soro do leite, a Whey Protein é um dos suplementos mais consumidos por praticantes de atividade física, quase sempre na forma de shake. Mas a Nutridense, empresa especializada em produtos funcionais para atletas lançou em outubro uma nova forma de consumir esta substância. A Granola Whey é uma mistura de cereais, linhaça e soja enriquecida com whey protein e é a única deste tipo no mercado brasileiro. O produto também é considerado “ecumênico” por seus criadores, pois também ajudam a manter a saúde gastrointestinal (a grande reclamação de quem utiliza proteína geralmente são problemas ligados ao funcionamento do intestino). O consumo da granola só não é recomendado para quem sofre de diabetes, celíacos e intolerantes à lactose pois contém açúcar mascavo, glúten e lactose.

38 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

GELATINA COM COLÁGENO? Quem já passou dos 25 anos pode começar a se preocupar: você está produzindo menos colágeno. Esta proteína de nome engraçado é a mais abundante no organismo (cerca de 30% das proteínas do corpo) e faz parte da composição da pele, dos ossos, tendões e cartilagens. Ou seja: a função do colágeno é manter a forma. Por isso a indústria se preocupa em oferecer produtos que sejam fontes de colágeno para quem já começou a diminuir a “produção natural” da proteína. No caso da Gelape, uma gelatina hidrolisada lançada pela Nutricêutica, a solução veio com os agradáveis sabores de tangerina, limão e morango. É claro que aquela história de que comer gelatina enrijece os músculos e mantém a elasticidade da pele não é 100% verdadeira. Mas a Gelape tenta ir na contramão da teoria. E para garantir que a gelatina realmente será benéfica, o produto é adoçado com sucralose, adoçante artifical que não tem calorias.


BOMBOM EMAGRECEDOR? O chocolate é um dos alimentos que mais se evita quando se quer perder peso, certo? Errado apenas quando se trata do Ayslim, um bombom de chocolate que inibe o apetite, reduz o colesterol e até combate diabetes! O produto é um suplemento a base de extrato de manga africana, saboroso e promete agir em uma das áreas onde mais se concentra a gordura localizada: cintura e barriga. O Ayslim é distribuído no Brasil pela Pharma Nostra e também tem sido comercializado em cápsulas ou pastilhas mastigáveis. Mas o bombom é mais divertido. É possível encontrar os sabores meio amargo e ao leite, sempre com chocolate dietético. Cada bombom tem entre 50 e 60 calorias (o equivalente a uma barrinha de cereais).

CALOR AO ALCANCE DOS DEDOS Quem pratica atividade física sempre corre o risco de sofrer contusões e frequentemente pode enfrentar dores musculares. Quem quer fugir das ultrapassadas bolsas térmicas na hora de tratar estes problemas, tem uma opção curiosa. O Thermoclick é uma bolsa plástica com gel que, através de um clique, inicia uma reação química que gera calor. A bolsa chega a atingir 55ºC em poucos segundos. Só é preciso tomar cuidado para conservar bem o produto, pois dependendo de onde é armazenado, ele pode ter a vida útil consideravelmente diminuída. Existem vários formatos de Thermoclick: palmilha para os pés, bolsas para os joelhos, ombros, pescoço e até em forma de mantas para camas. O produto já é densamente utilizado na Europa e nos EUA.


40 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

100% SAÚDE

E SIMPATIA

AO SUA ROTINA DE TREINAMENTO, PLANOS PAR EM ENTREVISTA EXCLUSIVA, CAFU FALA SOBRE , CONHECIDO EM TODO O MUNDO FUTURO E REVELA DE ONDE VEIO O APELIDO

40 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009


ENTREVISTA

CAFU Por Gabriel Nicolatti

No dia 7 de junho de 1970, a seleção brasileira de futebol vencia o forte time da Inglaterra por 1 a 0, com gol de Jairzinho, em partida realizada no Estádio Jalisco, em Guadalajara (México), abrindo caminho para a conquista do tri-campeonato mundial. No mesmo dia, em São Paulo, nascia aquele que, 32 anos depois, ergueria a taça do Pentacampeonato Mundial da seleção canarinho, em Yokohama (Japão).

Estamos falando de Marcos Evangelista de Moraes, o Cafu. Capitão da seleção brasileira em 2002, ele possui um currículo de dar inveja a qualquer jogador profissional. São 148 partidas com a camisa da seleção nacional (um recorde) e a marca de ser o único jogador do planeta a entrar em campo em três finais de Copa do Mundo (participou de 4 torneios – 1994, 1998, 2002 e 2006). E Cafu ainda coleciona passagens vitoriosas por grandes clubes como São Paulo, Palmeiras, Roma e Milan. De volta ao Brasil, Cafu resolveu deixar o futebol profissional para se dedicar à outra paixão: o trabalho social. Em entrevista exclusiva à Revista Endorfina, ele fala sobre a carreira, explica como faz para se manter em forma atualmente, revela os planos para o futuro e conta de onde surgiu o apelido, sinônimo de sucesso no futebol mundial. Pra começar, gostaria que você nos contasse como foi o início da sua carreira esportiva? Foi um início difícil, como acontece com todo jovem que quer ingressar no futebol profissional. Eu comecei no Itaquaquecetuba e quem

comandava os treinos era o professor Nelson. Ele fazia um trabalho muito forte e me lembro que subíamos morros e arrastávamos pneus durantes esses treinamentos. Um dia, o Itaquaquecetuba realizou um jogo amistoso com o time de base do São Paulo e, por ter me destacado, fui convidado a iniciar um trabalho no clube do Morumbi. Em recente entrevista à repórter Joana de Assis, do SPORTV, você afirmou que sempre gostou muito de treinar. Como era a sua rotina de treinamento em clubes como o São Paulo, na Roma e, mais recentemente, no Milan ? Sempre procurei me dedicar ao máximo aos treinamentos, até por que a exigência é maior para a posição na qual eu sempre joguei, que é a lateral (direita, no caso). Os treinos eram normais, como em qualquer clube, com cada atleta realizando um treinamento adequado às suas funções e o treino técnico e tático, com toda a equipe. Você se destacou muito por onde passou, inclusive pela Seleção Brasileira, pelo vigor físico apresentado nas partidas. Na sua opinião isso se deve apenas aos treinamentos? Acho que, além da dedicação aos treinos, se deve à preocupação que sempre tive com a minha recuperação. O descanso é fundamental para o sucesso, em qualquer esporte.


42 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Quais foram as maiores dificuldades encontradas nos treinos ou em partidas como jogador profissional? Acho que jogar em grandes altitudes é um caso, pois é complicada pra qualquer um. É difícil se adaptar a ela em um curto espaço de tempo. Quando íamos jogar nessas condições, costumávamos fazer um treino diferenciado, mais moderado. E você sofreu ou viu alguém sofrer consequências em algum treino ou jogo nessas condições? Em um treino não me lembro, mas teve uma história bem engraçada envolvendo o Macedo (ex-jogador do São Paulo), em uma partida que fomos disputar na altitude, em 1992. Na ocasião, ele entrou apenas no 2º tempo do jogo, pegou duas vezes na bola, deu dois passes para gol e correu para o banco de

42 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

reservas, pedindo para ser substituído. Ele entrou, correu feito um louco e teve que pedir pra sair (risos). Você destacaria algum treinador que foi fundamental para que você alcançasse tamanho sucesso na carreira? Todos eles foram importantes. Não acho que um tenha sido mais importante que outro. O fundamental é que eu sempre tive certeza do que queria pra minha vida, de onde queria chegar como jogador de futebol e, se o cara não tem essa certeza, não será o treinador quem mudará isso. Você foi capitão da seleção brasileira pentacampeã mundial no Japão. Como você lidava com essa responsabilidade durante os treinos e até mesmo durante as partidas? Quando capitão, sempre procurei dar

o exemplo. Eu puxava os exercícios e as atividades durante os treinamentos, incentivando os colegas sempre que percebia alguém mais desanimado ou não tão empenhado. O capitão deve ser o exemplo pro resto do grupo, sem dúvida. Como é a preparação de um jogador para disputar uma Copa do Mundo? Para você, que disputou três finais, vencendo duas delas, o que diferenciou as vitoriosas da que perdeu para a França (em 1998), no que se refere à preparação? A diferença da preparação para uma Copa do Mundo é que ela acontece em um espaço muito curto, normalmente em pouco mais de um mês. Essa preparação deve funcionar como um complemento à preparação que os atletas já desenvolvem em seus clubes. Acho que


44 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

as três seleções se prepararam de forma muito parecida e não acredito que tenha sido a preparação física a responsável por apenas uma dessas equipes não se sagrar campeã. Como tem sido a rotina atual do Cafu? O que faz para se manter em forma, agora que deu um tempo dos gramados? Eu costumo ir à academia sempre que posso, faço musculação e tenho participado de partidas beneficentes. Além disso, procuro treinar com os meus filhos e bater uma bolinha com eles. Nunca fico parado, estou sempre fazendo alguma coisa, para me manter em forma e também me divertir, então acho que é por aí. Além de praticar sempre o jogo limpo dentro dos campos, recebendo pouquíssimos cartões ao longo da carreira, você sempre se destacou pela simpatia e alegria demonstrada fora dele. Como 44 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

você explica essas características? Elas sempre fizeram parte da minha vida. A alegria e felicidade vieram dos meus pais, que sempre brincaram muito com a gente, comigo, com meus irmãos. Eu sempre gostei muito de jogar futebol e tinha muita alegria em entrar em campo pra uma partida. Tudo isso ajudava bastante para que, até quando levasse pancada de um adversário, eu me levantasse e continuasse o jogo tranqüilamente, com serenidade. Alguns jogadores possuem certa dificuldade em encarar este momento de parar com o futebol profissional. Qual a sua maneira de enxergar essa situação e quais são os seus projetos para o futuro? Eu me preparei para este momento. Dois anos antes de voltar ao Brasil, quando ainda estava no Milan, eu passei a me preparar para este momento, que é inevitável. Tenho alguns projetos

em andamento, como dar seqüência aos trabalhos desenvolvidos pela Fundação Cafu (entidade idealizada por ele, que trabalha com a inclusão social e o desenvolvimento de crianças e jovens da região do Jardim Irene, em São Paulo) e, um pouco mais pra frente, montar aqui no Brasil um Centro Internacional de Treinamento de Futebol, para garotos que querem ingressar no esporte. Pra encerrar, uma curiosidade: de onde surgiu o apelido Cafu? O apelido surgiu quando ainda jogava no Itaquaquecetuba. Todos lá tinham um apelido e o meu veio de Cafuringa, um antigo ponta-direita do Fluminense. Como eu era parecido com ele e também jogava pela direita, virei o Cafu.


VIDA SAUESPECIAL 46

CORRIDA DE GARÇOM


GINCANA APRESENTA

A CAPITAL Por Eder Brito PRIMEIRA

EDIÇÃO DO EVENTO UTILIZA O ESPORTE, LAZER E CULTURA PARA DIVULGAR OS PRINCIPAIS SERVIÇOS GRATUITOS DO MUNICÍPIO

São Paulo tem dezenas de clubes, bibliotecas, museus, parques e espaços públicos prontos para oferecer esporte, lazer e cultura de graça, tanto para o paulistano, quanto para quem visita a capital. E mesmo quem nasceu aqui e vive o intenso cotidiano da maior cidade brasileira ainda não conhece toda a estrutura gratuita oferecida pela Prefeitura. Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Esportes criou a primeira Gincana São Paulo Cidade Incrível, evento que vem marcar o final do calendário 2009 da cidade. O principal objetivo da ação é unir os moradores das 31 Subprefeituras e conhecer a cidade através de brincadeiras, gincanas e atividades lúdicas e de recreação, numa espécie de “reality show de um único dia”. Cada subprefeitura pode inscrever 50 equipes de até 5 pessoas. Além de uma corrida por pontos estratégicos de cada

região, brincadeiras inusitadas também compõem o roteiro do evento. Uma prova de aviõezinhos de papel, equilíbrio na perna de pau, a tradicional corrida de saco e até uma engraçada corrida de bolinha de gude na colher compõem a divertida programação. A principal pré-tarefa da Gincana é a criação de um vídeo clipe. A missão é captar em forma de vídeo cenas dos pontos mais bonitos e representativos de cada subprefeitura tendo a música “Sampa” de Caetano Veloso como fundo. A música deve ser interpretada por algum artista ou banda local, utilizando-se de algum tipo de instrumento ou artefato musical, dança ou apenas a voz. A Gincana São Paulo Cidade Incrível acontecerá no dia 13 de dezembro, das 7h às 20h. A primeira fase acontece simultaneamente em todas as subprefeituras, das 7h às 12h. A fase


48 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

final ocorre no Vale do Anhangabaú, das 14h às 20h, reunindo as três melhores equipes de cada subprefeitura. “Cada subprefeitura montará um roteiro, priorizando parques e points culturais e de lazer de sua região. São Paulo é uma cidade incrível e precisamos nos aproveitar de momentos como este para que o cidadão tenha um contato real com a estrutura pública do município”, afirma Walter Feldman, Secretário Municipal de Esportes. Serão premiadas a primeira Subprefeitura que arrecadar a maior quantidade de garrafas peti e latinhas de alumínio, a subprefeitura que arrecadar o maior número de alimentos não perecíveis e os cinco primeiros colocados da Etapa Final. Entre os prêmios, serão entregues bicicletas, passaportes para parques de diversões e até viagens. As inscrições para as provas são gratuitas e podem ser feitas diretamente na Supervisão de Esportes das Subprefeituras ou pelo site www.gincanasp.com.br. As equipes terão de preencher o formulário e assinar os termos de responsabilidade, além de arrecadar um total de 5kg de alimento não perecível, a ser doado para uma instituição local. Apenas maiores de 16 anos poderão participar.

PROGRAMAÇÃO DA GINCANA Primeira Fase Corrida histórica - As equipes receberam um mapa da região com todos os pontos que devem percorrer. Cada ponto terá um posto de controle e um teste, que pode ser de história, conhecimentos gerais ou curiosidades locais. Esta fase da etapa tem o intuito de oferecer aos participantes a oportunidade de verificar seus conhecimentos e de apresentar as opções de cultura e lazer na região. Tempo de duração: 2 horas.

Segunda Fase Tarefas esportivas e de diversão - As equipes deverão participar de todas as tarefas do percurso, as tarefas serão distribuídas de forma seqüencial e rotativa, de forma que todas as equipes passem por todas as tarefas, o local de inicio de cada equipe será informado pela organização no dia do evento. Tempo de duração: 2 horas. Tarefa de Abertura: Uma pessoa por equipe deve fazer uma pintura de rosto. O tema deve ser ligado aos costumes, tradições ou folclore paulistano.

48 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Corrida de bolinha de gude na colher – 4 pessoas por equipe em uma corrida de 400 metros. Cada um deve correr uma distancia de 100 metros com uma na colher na boca, equilibrando uma bolinha de gude. No final de cada percurso, um integrante passa a bolinha para a colher do outro integrante. Se a bolinha cair no meio do percurso, o integrante terá que parar e equilibrar a bolinha novamente para voltar a correr. Corrida de saco – 3 pessoas por equipe, em uma corrida em que se veste um saco de arroz de 100kgs, num percurso de 50 metros. Cada participante deve ir e voltar neste percurso com o saco, totalizando 100 metros. No final de cada percurso, o participante tira o saco e passa para o outro. Perna de pau - 3 pessoas por equipe, em uma corrida com pernas de pau. O percurso será de 25 metros. Cada participante deve ir e voltar, totalizando 50 metros para cada. No final de cada percurso, o participante passa as pernas de pau para o outro. Arremesso de Bola de Tênis) – 1 pessoa por equipe. O participante deverá arremessar três bolas para tentar derrubar uma pirâmide de latinhas. Campeonato de super aviãozinho de papel A4 - Cada equipe deverá fazer um avião com papel fornecido pela organização. Cada equipe decide como deve ser o seu avião e pode estilizá-lo. Garçom – 2 pessoas por equipe, em uma corrida em que seguram uma bandeja com um copo d’água em cima. Esta corrida será feita em percursos de 25 metros. Cada participante deve ir e voltar, totalizando 50 metros para cada. O percurso tem desenhos no chão e o participante deverá segui-los. Campeonato de bexiga – Uma pessoa por equipe. Cada equipe receberá uma bexiga e deverá enchê-la até estourar. Disk Golf – Cada participante da equipe receberá um disco de plástico e tem de arremessar em um alvo determinado a uma distância de 10 metros. Balde D´água – Todos os participantes da equipe receberão um pequeno copo d´água e devem encher um balde até a linha demarcada. Todos ficam em fila, com o balde a 20 metros de distância.


VIAGEM 50

O DESTINO

DA BOA FORMA

CONHEÇA OPÇÕES DE ROTEIROS TURÍSTICOS QUE POSSIBILITAM A PRÁTICA DE EXERCÍCIOS MESMO ESTANDO LONGE DE CASA

Por Érica Brito

Com o final do ano chegando e o verão se aproximando aumenta a procura dos turistas por pacotes de viagens e destinos atrativos para relaxar e divertir-se. Mas para os amantes da boa forma, esse período às vezes acaba se transformando em pesadelo. Longe da academia e da rotina das atividades físicas, a volta pra casa acaba sendo sinônimo de trabalho dobrado para retomar a vida saudável. Pensando nisso a Revista Endorfina traz opções para quem quer viajar sem deixar de manter a forma. ESPORTE NOS PAMPAS A termologia inglesa Day Use é usada na hotelaria para intitular pessoas que pagam durante um único dia para usufruir dos serviços e dependências do hotel. Apesar de não ter sido a pioneira no termo, a cidade de Porto Alegre é a responsável por uma ação inédita: o Sport Day Use. Os hóspedes e visitantes podem reservar um espaço na agenda para praticar suas atividades físicas a qualquer hora. O sistema, oferecido por seis agências de viagem e 20 hotéis da capital, foi criado pela Secretaria Municipal de Turismo em parceria com o Federaclubes (Sindicato de Hotelaria e Gastronomia) e agências de viagem. 50 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Os interessados no programa podem adquirir os pacotes na recepção dos hotéis ou nas agências credenciadas. Os estabelecimentos são responsáveis por fazer as reservas nos clubes agendando dia, horário e a modalidade esportiva escolhida pelo cliente. CRUZEIRO FITNESS O Cruzeiro Fitness, promovido no Brasil pela empresa Costa Cruzeiros, pode ser definido como uma academia flutuante. A bordo de um navio, os passageiros tem a disposição uma excelente estrutura de equipamentos e uma grade diversificada de atividades, tudo isso contando com nomes de grande importância do fitness brasileiro. Na mesma embarcação é oferecido o Cruzeiro Bem-estar. A idéia é manter em sintonia o corpo e a mente, procurando combinar informações sobre qualidade de vida e saúde a vivências práticas. “Nestes dois cruzeiros a atividade física é encarada como lazer. O sol e o mar, aliados à alegria e ao profissionalismo existentes a bordo trazem uma energia bastante positiva”, avalia Renê Hermann, diretor geral da Costa Cruzeiros para a América Latina.


52 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

A 16ª edição do Cruzeiro Fitness será de cinco noites saindo de Santos em 20 de fevereiro, seguindo para Rio de Janeiro, Búzios e Porto Belo, retornando à Santos em 25 de fevereiro. Já o Bem-Estar, na sua oitava edição, é de sete noites partindo também de Santos em 23 de Janeiro seguindo pelo Rio de Janeiro, Salvador, Ilhéus e Ilhabela, e retornando ao ponto de partida em 30 de Janeiro. A CIDADE DO BEM-ESTAR Conhecida pelas belezas naturais e pelo povo hospitaleiro, a capital onde o sol brilha a maior parte do ano é também o lugar ideal para quem se preocupa com a saúde. Em 2009, a Prefeitura de Natal (RN) juntamente com o Diário de Natal lança a campanha para transformar a cidade na capital regional do Bem-estar. O objetivo é aproveitar todas as qualidades do lugar e mostrar as possibilidades de se praticar uma vida saudável na cidade. “Natal é naturalmente a cidade do bem-estar. Mas para mostrar isso às pessoas, precisamos partir para uma ação efetiva e concreta”, afirma o diretor institucional do Diário de Natal, Miguel Jabour.

52 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Quem vem para Natal encontra várias alternativas de lugares para se exercitar ao ar livre. Para quem gosta de caminhar, pedalar ou praticar um cooper, uma boa dica são os calçadões de Ponta Negra, Capim Macio e Praia do Meio. Os parques do local também são outra alternativa para quem está em busca do bem-estar. Com 64 hectares de área verde, O Parque Municipal Dom Nivaldo Monte é aberto de domingo a domingo das 8h às 18h, para realização de trilhas. Já o Parque Estadual Jornalista Luiz Maria Alves (Parque das Dunas) com seus 172 hectares de mata nativa, é utilizado pelos visitantes, que chegam a uma média de 650 pessoas por dia, para caminhadas e trilhas. Os idosos também tem opção para a prática de exercícios na academia ao ar livre. Na Praça Augusto Leite, no Bairro do Tirol e na Zona Norte, encontram-se equipamentos de academia de ginástica. A Rota do Sol também é boa opção para caminhada e pedalada. Trata-se de uma importante avenida da Zona Sul que começa na Praia de Ponta Negra e se estende pelas praias de Cotovelo, Piragi, Búzios, Tabatinga, Camurupim e Barreta.


ESPECIAL 54

É HORA

DE PULAR

POWER JUMP PROMETE PERDA DE CALORIAS, DRENAGEM LINFÁTICA NATURAL, FORTALECIMENTO DAS PERNAS E TRANSFORMA AULAS EM “PEQUENAS BALADAS”

Por Eder Brito

Em uma sala tradicional de ginástica, diversos mini-trampolins são dispostos. Cada aluno se coloca sobre um dos instrumentos e participa de um trabalho de condicionamento físico que é uma literal sequência de pulos. São coreografias simples, embaladas por músicas exclusivas, remixadas especialmente para aqueles momentos de saltos coletivos. E as músicas são renovadas a cada três meses. “Sinto-me como se estivesse na balada em plena segunda-feira”. A declaração é real e pode parecer meio fora de contexto quando o assunto é atividade física. Mas ela foi proferida por um praticante do Power Jump, método idealizado pela Body Systems e implantando em academias brasileiras há seis anos. “Quando eu entro na sala de Power Jump, tenho dois objetivos: me exerci54 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

tar e me divertir. Até hoje não encontrei nenhuma outra aula que me faz sentir melhor”, explica Walter Neto, 27 anos, analista de sistema e praticante de Power Jump há apenas seis meses. “Na primeira vez que me matriculei em uma academia só praticava musculação. Chegou um momento em que eu não tinha disposição de treinar. Hoje tenho certeza que a musculação combinada com o Power Jump é uma ótima opção”, conclui Neto. Os benefícios que o Power Jump promete vão além do entretenimento, no entanto. O método garante aumento da força muscular nas pernas, melhoria da capacidade cardiovascular, maior habilidade motora, perda de 700 calorias em uma hora


de aula e até uma “drenagem linfática natural”, tornando um Power Jump uma boa alternativa para quem pretende diminuir a possibilidade de desenvolver celulite. “A contração muscular que se tem durante a aula é muito grande, graças aos pulos. É um trabalho muscular que acabar agindo mais diretamente no sistema linfático”, explica Letícia Klimas, 30 anos, professora de Power Jump da Academia BioRitmo. “É até engraçado como alguns alunos correm para o banheiro logo após o final da aula”, afirma Letícia. “Os músculos dos membros inferiores são os responsáveis por pressionarem os vasos linfáticos, evitando este acúmulo de resíduos que promovem a celulite. Fazer massagem também é eficiente, mas tem menos intensidade do que a contração muscular voluntária, como acontece no Power Jump”, explica Evandro Siqueira, treinador da Body Systems e um dos responsáveis pela criação do programa no país. Praticante de musculação, yoga, pilates e bodyfight, o analista de sistemas William Saito, 43 anos, também incorporou o Power Jump à sua rotina de treinamento. Frequentador assíduo de academias há 12 anos, ele acredita que a principal vantagem do método é o trabalho cardiovascular. “Além da animação e da diversão, o Power Jump também ajuda no rendimento cardiovascular, no fortalecimento das pernas, dos glúteos e do abdômen. Com o passar do tempo, quanto mais alto a gente consegue pular e erguer o joelho, melhores e mais rápidos são os resultados”, explica Saito. “É uma aula que traz resultados rápidos, é de grande gasto calórico e é de fácil execução”, garante Letícia. “No começo, existe um pouco de receio de cair, porque a superfície do mini-trampolim não é muito grande, mas é fácil se acostumar”. Outra vantagem do Power Jump é a segurança. Com os pulos sobre o trampolim, até 80% do impacto dos movimentos é absorvido, diminuindo a possibilidade de lesões. “As únicas ressalvas são para quem tem labirintite, grávidas ou quem está com alguma lesão muito séria no tornozelo ou no joelho”, recomenda Letícia Klimas. O Power Jump foi idealizado no Brasil pela Body Systems, mesma marca que detém os direitos de programas famosos nas academias nacionais como Body Combat, Body Pump e Body Jam. “Já existem mais de mil academias no país que utilizam o programa, com aulas padrão de 60 minutos”, explica Evandro Siqueira. “Também existe o formato de 45 minutos, mas todos optam pelo de 60, pois atingimos melhores resultados com a inserção de exercícios abdominais ao final, antes dos alongamentos, fortalecendo a musculatura da coluna”, conclui.

DICAS PARA PULOS PODEROSOS Power Jump acaba com a celulite? Por se tratar de uma atividade de alta contração dos membros inferiores, ocorre uma forte estimulação da drenagem linfática, auxiliando no combate à celulite. Mas isto é só um auxílio. Alimentação e prática regular de atividade física são imprescindíveis. Quantas calorias é possível gastar durante uma aula de Power Jump? Depende muito da força e técnica empregadas ao empurrar a superfície elástica, mas estima-se de 400 a 700 calorias durante os 60 minutos de aula. Indivíduos muito treinados são capazes de alcançar valores próximos de 900 calorias.


58 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Power Jump emagrece? Pelo alto gasto calórico e por se tratar de uma atividade predominantemente aeróbica, uma grande quantidade de gordura é utilizada como fonte de combustível, o que significa que é uma atividade bastante efetiva no processo de emagrecimento. Quanto tempo necessito para me sentir confortável na aula? Por se tratar de uma atividade relativamente nova, é necessária uma adaptação por parte do praticante, estimada em duas semanas (para quem pratica pelos menos três vezes por semana). Porque não posso chamar o mini-trampolim de cama elástica? Embora a cama elástica seja a mãe da modalidade, o minitrampolim tem como objetivo central empurrar a superfície elástica através de uma forte contração dos membros inferiores. Já a cama elástica tende a promover os saltos, o que devemos evitar no Power Jump. O que diferencia o Power Jump dos outros programas de Jump? Coreografia simples e motivante, músicas de alta qualidade

58 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

e a força constante de membros inferiores ao empurrar a superfície elástica para baixo e não saltar para cima. Como conciliar o trabalho da musculação com as aulas de Power Jump? Basta intercalar os grupos musculares exigidos. Por exemplo, quando fizer uma aula de Power Jump não realizar movimentos que exijam muita força de membros inferiores. De preferência intercalar o trabalho em dias alternados. Quanto em média é a absorção do impacto nos passos realizados sobre a superfície elástica (mini-trampolim) em comparação com o solo? Obedecendo a correta “técnica de aterrissagem” ensinada pelos Professores Certificados, o mini trampolim possibilita 80% de absorção do impacto. * Fonte: Body Systems Latin America


NA MODA

CORRENDO ATRÁS

DE UM BOM TÊNIS Especialistas descrevem a evolução tecnológica nológica dos calçados e mostram que os pisantes es não são em pratica uma simples peça de vestuário para quem esporte Por Diogo Patroni

A evolução no mundo dos tênis e notória. Novos ovos modelos e designers arrojados despertam a cobiça de todos os públicos e aumentam o número de opções, especialmente specialmente para quem adotou a prática de atividade física ca como algo rotineiro. E as empresas têm se preocupado em m atender este público. “Hoje o tênis está ligado a tendência e a moda. Por isso cada vez mais nos preocupamos em desenvolver produtos que possuam características de corrida, mas que também ambém unam conceitos de casual e sejam versáteis o bastante tante para se adaptar a outros tipos de ambiente”, explica Rafael Gomes, coordenador esportivo da Athletic Sports, empresa presa especializada em produção de calçados para corrida, os chamados “running performances”. A Reebok, uma das marcas mais comercializadas adas no país, concorda com esta teoria e adotou a pesquisa sa como ferramenta para encontrar o “modelo perfeito”. A gerente de produto da marca, Verusca Casório ressalta que ue a empresa desenvolve pesquisas de opinião junto aos consumidores, onsumidores, pois assim fica mais fácil seguir uma linha e um m design especifico. “A Reebok tem um centro de desenvolvimento olvimento de produto, em Parobé-RS. Lá são feitos vários testes tes até chegar ao produto final. Notamos que o brasileiro tende de a buscar a tecnologia aparente em algo que ele possa usar ar para correr, malhar e passear”, disse Casório. Apesar das multifunções dos calçados é importante rtante salientar que cada pratica esportiva requer um modelo elo específico de tênis e o risco de lesões pelo uso inadequado ado é muito comum. “O importante é o atleta utilizar o produto oduto correspondente ao esporte que ele pretende fazer.r. Não dá para treinar para uma maratona com um tênis is voltado para a prática de futebol de salão. Hoje cada da tênis tem suas tecnologias e construções para ajudar dar no


60 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

desempenho, ou na manutenção da saúde do esportista”, declara Rafael Gomes. Alguns modelos possuem maior absorção de impacto, já outros oferecem amortecimento externo (com bolhas ou molas). Cada fábrica emprega sua tecnologia da forma como achar peculiar. Mas antes de chegar às prateleiras o produto passa por rigorosos testes de qualidade, no Instituto Brasileiro de Tecnologia do Calçado de Couro (IBTEC). Lá são verificados aspectos como a qualidade do material, a durabilidade e a capacidade de resistir a impactos. “Tudo é feito para garantir o conforto, o rendimento e o desenvolvimento de novas tecnologias”, finaliza Gomes. UM BOM CALÇADO É FUNDAMENTAL Não é aconselhável praticar corridas ou caminhadas com aquele seu tênis velho

60 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

e preferido. E de acordo com o quiropraxista Luiz Fernando Maestro também é recomendável buscar orientação médica na escolha do calçado. “A pessoa tem que identificar primeiro qual o seu tipo de pisada, em seguida procurar um tênis que seja próprio para o esporte escolhido e que se adeque melhor a forma do pé”, ressalta o especialista. Segundo Maestro, o calçado tende a se adaptar ao formato do pé, e com isso ocorre um desequilíbrio do corpo conforme a pisada. “As lesões mais frequentes são as tendinites e bursites causadas pelo esforço errado de algum músculo. Outra lesão comum em tênis com pouca absorção de impacto é o Neuroma de Mortom, que causa dor e dormência na sola do pé (comum entre corredores)”, explica o quiropraxista. “Na coluna pode-se desenvolver uma inflamação decorrente da má distribuição da carga, muito comum na pratica esportiva. À longo prazo, esta inflamação pode gerar hérnias e artrose (os famosos bicos de papagaio)”.


VIDA SAUDÁVEL

62 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

TREINANDO

NO VERÃO Confira as dicas de como aproveitar a estação com consciência e bons resultados

Por Gabriel Nicolatti

A chegada do verão costuma movimentar as academias, praças e parques em todo o país. O motivo? Todos querem aproveitar a estação para sair de casa e entrar em forma. Por isso, selecionamos algumas dicas de treinos especiais, dentro e fora das academias, para esta época do ano. O professor de Educação Física e Personal Trainer, Ary Freitas, recomenda o “circuit training” ou circuito de treinamento, como o método mais eficaz e de resposta mais rápida se o objetivo for perder peso no verão. “O circuit training é um programa de treinamento com duração que pode variar entre trinta minutos e uma hora, dependendo da aptidão física do praticante. São realizados exercícios de musculação dispostos seqüencialmente, de forma que permitem alternância dos grupos musculares, para que não se sobrecarregue um único grupo”, explica. 62 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Entre cada estação, contendo de 8 a 12 exercícios, realiza-se uma atividade de caráter aeróbio (como corrida, caminhada, pular corda e bicicleta). A aula é montada da seguinte forma: 10 minutos iniciais para aquecimento e alongamento; os 40 minutos seguintes intercalando exercícios aeróbios com exercícios localizados e aproximadamente 10 minutos finais de relaxamento e alongamento dos principais grupos musculares trabalhados. “O objetivo da aula é melhorar o condicionamento físico geral,


mas ela também é excelente para quem quer emagrecer, aumentar a resistência muscular localizada, força e flexibilidade e melhorar o sistema cardio respiratório”, conclui Ary. Além disso, algumas academias trouxeram novidades e treinos especiais para o verão. É o caso da Power Martial, da Runner Academia, uma aula com duração de 60 minutos, baseada em lutas e artes marciais, e que desenvolve os músculos dos glúteos, bíceps e abdome. Na Bio Ritmo, a novidade é a Bio Suspention Training, uma aula voltada ao treinamento da flexibilidade, agilidade, força e resistência muscular e o equilíbrio do aluno. Com duração de 30 minutos, é recomendada para maiores de 16 anos e pode ser praticada até três vezes por semana. Na Fórmula Academia, os alunos podem entrar em forma com o Kayak Trainning, um treino de caiaque dentro da piscina que, além de promover uma melhora no condicionamento físico dos participantes, promete ser uma opção

muito agradável no período mais quente do ano. “É uma aula movimentada e pode ser praticada por homens, mulheres e adolescentes. Os caiaques ficam presos com elástico na borda da piscina para aumentar o esforço dos participantes. Ensinamos várias técnicas de remadas, tiros e ao final da aula realizamos uma partida de boatball (mistura de caiaque e pólo aquático) para descontrair”, explica Rafael Andrade, professor e atleta (bicampeão mundial de rafting). Opções não irão faltar neste verão e, seja qual for a atividade escolhida, a recomendação é que as pessoas optem por uma alimentação leve e balanceada, à base de frutas, saladas e muito líquido (preferencialmente água, água de coco e bebidas eletrolíticas). A moderação, tanto na hora de se alimentar como na hora de se exercitar, é o caminho para se obter os melhores resultados na estação do calor.


ENDORFINA RESPONDE 64

A DOENÇA

DO ESPORTE Um contraponto sob o olhar da medicina

Por Dr. Alessandro Loiola

Nas cortes européias da Idade Média, camponeses, brutos, miseráveis e escravos trabalhavam ao ar livre. A aristocracia preferia a mordomia reclusa de seus palácios e roupas de muitas rendas. Por isso, naqueles tempos, os nobres possuíam a pele tão branca que era possível ver o desenho azulado das veias sob a cútis. Ter a pele alva e o “sangue azul” era sinal de riqueza. Hoje, brancura excessiva chega a significar doença, e mostrar um certo bronzeado dá status: se você tem tempo para passar à toa sob o Sol, então leva uma vida mansa e, provavelmente, tem mais dinheiro que a maioria... No século XVI, na Itália, as mulheres pintavam não apenas os lábios, mas também os dentes. No Século XIX, a última moda eram cílios postiços feitos de pele de rato e espartilhos tão apertados que chegavam a fraturar costelas. Na mesma época, na França, os homens casados usavam mais perucas e cosméticos que suas esposas. Passa o tempo, algumas bizarrices se vão, mas outras logo assumem o posto. Como disse: se cada época caracterizase por certos critérios de excentricidade, por que haveríamos de fazer diferente com a nossa? O século XX testemunhou o avanço tecnológico virar prosperidade na mesa. Apesar da fome continuar assolando os países que sempre passaram fome, de um modo geral, onde havia comida, esta passou a estar disponível em um volume maior do que jamais seríamos capazes de ingerir. O resultado? Uma epidemia de obesidade e mortes por doenças cardiovasculares que assolou os anos 1900. A resposta dos cientistas não tardaria, e eles logo encontraram uma saída: a prática de esportes. Exercícios físicos regulares melhoram o condicionamento cardiopulmonar e facilitam o controle dos quilos em excesso. Como não seria de surpreender, este conceito foi extrapolado exageradamente para as massas e presenciamos uma explosão de vida nas academias de ginástica como não se via desde o período Cambriano. Todo mundo quer entrar em forma.


Se não por vaidade, então por medo. Mas até que ponto esporte é saúde? Temos tenistas jovens com quadris de senhoras osteoporóticas, jogadores de futebol com infartos fulminantes no início da carreira, triatletas que morrem afogados após colapsos, e um número infinito de lesões musculares, articulares e ligamentares em esportistas amadores e atletas de final de semana. Toda uma manada de gente catequizada sob o lema de que esporte é saúde. A atividade física regular, moderada, entendida como uma caminhada de 40 minutos, 4 vezes na semana, é todo esporte que seu corpo precisa como remédio. Não gosta de caminhar? Então saia para dançar, pedalar ou nadar. E adicione um pouco de musculação e alongamento a partir dos 50 anos de idade: isso ajuda a manter ossos e articulações fortes e saudáveis. Para além destes limites, converse com seu médico ou preparador físico e vá pela diversão, pelo entretenimento não-competitivo. É um equívoco propagar o esporte como uma ferramenta para saúde. Sua saúde depende de muito mais compromisso que jogar bola duas vezes por semana ou ir na academia de 8 às 9. Aprender a lidar com o estresse, ter um bom padrão de sono e seguir uma alimentação saudável são tão ou mais importantes que uma corrida ensandecida de 10 Km sobre a esteira. Procurar a atividade física como um modo de manter o corpo dentro da beleza-padrão estampada nas revistas é outro erro comum e, porque não dizer, cômico. As modelos de capa parecem saídas de campos de concentração nazistas de tão caquéticas e não devem pesar mais que a própria revista. A beleza é sentir-se bem aos 30, 40, 50, 60 anos ou mais, e não buscar de modo esquizofrênico a aparência de uma anoréxica de 20 anos de idade quando você já passou da metade da ladeira. Lembre-se que as grandes descobertas vieram de pessoas com tempo ocioso - vide Aristóteles, Newton e tantos outros citados pelo oceanógrafo Kendall Haven em “As 100 maiores descobertas científicas de todos os tempos” (320 páginas, Ediouro, 1ª edição). Use seu tempo e energia de modo inteligente e produtivo. Ter um glúteo mais firme não fará seu futuro mais brilhante. E se quer uma última dica, que tal investir suas energias procurando por uma preciosidade? O extraordinário livro do médico mineiro José Róiz, “Esporte Mata!” (178 páginas, Editora Casa Amarela, 1ª edição). Não, não estou ganhando comissão pela venda de livros. Mas uma boa leitura já vale por uma longa caminhada.


66 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

66 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009


68 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

68 | REVISTAENDORFINA.COM.BR | NOVEMBRO/DEZEMBRO 2009

Revista Endorfina 4  

Revista Endorfina 4

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you