Issuu on Google+


Até agora!!!

Primeiro Capitulo - O inicio

Abri meus olhos, era seis da manhã, com preguiça de levantar, mas não tinha o que fazer, hoje é mais um dia normal de trabalho, aturar um superior idiota no trabalho, achava que matar um leão por dia era difícil, mas descobri que o difícil mesmo é desviar das mulas no caminho, ainda não tinha saído da cama e já estava com vontade de voltar para ela. Levantei me arrastando, tomei um banho frio para tentar despertar e tirar aquela cara de desanimo que cobria o meu rosto, saindo de casa com a luz do sol queimando os meus olhos, coloco os óculos escuros para esconder a preguiça nos meus olhos, encarar o ônibus lotado para o trabalho e já me estressar antes de chegar no trabalho. Dentro do ônibus lotado, logo de manhã com pessoas fedendo, me deixando cada vez mais estressado, durante aquela pequena viagem tomei uma grande decisão, estava afim de chegar e mandar o Cornisvaldo o meu superior se FUDER, estava muito afim de largar aquele trabalho, apesar de não ter outro trabalho para trocar iria fazer mesmo assim. Chegando lá eu fiz meu trabalho normalmente, amadurecia melhor o que eu iria fazer durante o dia, o dia foi passando e eu continuava exercendo meus serviços, deixei chegar o fim da tarde para conversar com quem realmente deveria, deixei ele ir embora, então fui até a sala do meu chefe, conversar com meu gerente. O Gerente era uma pessoa boa, alguém que poderia conversar, fui até ele, bati na porta e pedi permissão para entrar, pois disse que queria falar com ele, autorizado a entrar, eu me sentei e ele até brincou comigo: - Quer dinheiro? – falou com um sorriso no rosto. - Não, não. - Ah tá, é que você só me procura quando quer dinheiro – eu ri daquela citação com ele. Então conversei com ele sobre tudo que estava me incomodando, falei sobre o Cornisvaldo, ele virou para mim e concordou com tudo que 2


eu disse, dizendo que já sabia de tudo que estava falando e conhecia muito bem aquela pessoa, ele concordou com a minha saída, mas me fez uma proposta que eu não esperava. Me propôs se havia interesse em mudar de unidade, em vez de sair completamente poderia mudar de cidade, um pouco mais longe, entretanto, outros ares, fiquei em dúvida se queria isso, fiquei um pouco relutante sobre assunto, mas depois de alguns minutos aceitei a proposta e no próximo dia já poderia ir até a outra unidade. No dia seguinte, 15 de outubro, uma Terça-Feira fui até lá, em um horário mais tarde, chegando umas 17h, apesar de estar em novos ares, com pessoas diferentes, eu ainda estava desanimado, sem vontade de trabalhar, mas lá estava eu, chegando na recepção me apresentei e pedi para falar com a Gerente daquela unidade. Fui bem recebido, bem tratado, e no dia seguinte já poderia começar a nova rotina de trabalho, voltei para casa com uma expectativa melhor, mas mesmo assim não era bem isso que queria, mas fiquei com aquela oportunidade, mas com pensamento de sair logo. No dia seguinte voltei, dessa vez cedo, 8 horas da manhã já estava lá, mas não queria contato com ninguém, nem via as caras das pessoas que tinham por lá, liguei meu notebook e fiquei fazendo minhas coisas para fazer a hora passar mais rápido e fui embora uma 19h da noite, pois não tinha internet em casa e usava a internet do trabalho para mim e a sim foi mais menos por alguns dias. Na semana seguinte nenhuma das minhas opiniões tinham mudado com relação, mas na segunda-feira eu tinha que sair cedo, então por ser novo eu tinha que pegar minha passagem por dia, então fui até o caixa onde pagava passagem, falei o valor que precisava, mas aquela pessoa que estava lá fez algo que detesto, me fez esperar, estava ficando impaciente quando ela “gritou” “EI, ACORDA”, ela brincou com o tempo que estava eu fazendo esperar e o jeito dela falar realmente me fez acordar. Foi quando percebi, “quem é ela?”, “onde ela ficava que não a via?” fiquei pensando nisso, peguei o dinheiro e fui para meus compromissos, mas agora estava querendo voltar logo para o trabalho para ver quem aquela menina linda que me chamou a atenção e nem sabia o nome. 3


No dia seguinte cheguei ansioso no trabalho, e enfim comecei a reparar nas pessoas que estavam naquele local, mas a pessoa que estava procurando não estava lá, então voltei para a rotina de sempre, liguei meu notebook e ficava fazendo minhas coisas, quando um “Bom Dia Professor” eu escuto vindo da porta e o susto junto com um sorriso veio no meu rosto, aquela pequena menina, com seus cabelos cacheados, soltos, uma simpatia que me fez querer saber muito sobre ela, principalmente o nome dela que ainda não sabia. Os dias foram passando, descobri o nome dela, Mari, Mariana, aos poucos fomos conversando e nos conhecendo e ela conseguiu me fazer repensar em tudo que já tinha pensado, a questão de não querer conhecer ninguém ali estava mudando por causa dela e queria conhecer ela e só ela me trazia curiosidade, foi quando ela me falou do seu aniversário. Eu sou péssimo com data, mas não sei porque o dia 8 de dezembro o dia do aniversário dela não saia da minha cabeça, eu estava interessado naquela pequena, mas achava ela de uma beleza que não era para mim, em nenhum momento achei que alguém como ela poderia se interessar por alguém igual a mim, mas gostava muito da simpatia dela e queria aquela amizade. Com o tempo a gente foi conversando mais, no trabalho ou no facebook, mas com as conversas e com tanta alegria que ela passava no trabalho, vi uma tristeza, não sabia o porquê da tristeza, mas sabia que toda aquela felicidade era só uma forma de não precisar falar nada para ninguém sobre isso, mesmo percebendo eu não comentei nada naquele momento, não achava intimo para tocar nas dores delas. Todos os dias ela via e me perguntava “você vai no meu aniversário?”, não tinha muita certeza se realmente iria, mas queria ir, mas ela não deixava de perguntar “o que você vai me dar de presente?”, “não esquece do meu presente”, “já comprou meu presente” e eu ficava pensando “o que vou dar para ela!?”, não a conhecia, não sabia o que ela gostava, mas sabia que devia comprar alguma coisa para ela “mas o que?”. Passei vários dias pensando no que poderia comprar para ela, mas nenhuma ideia via em mente, nenhuma ideia boa o suficiente para agradar uma mulher igual a ela, aquela mulher com jeito de criança, então em um 4


dia, saindo da academia passei em frente uma loja que me chamou atenção e pensei, aqui vou achar um presente que seja a cara dela, entrei na loja, quase voltei, com vendedores desesperados por venda, mas ao olhar as coisas que tinha lá, uma pequena coisa, meio que escondida me chamou a atenção, na hora não sabia o que era, mas sabia que era aquilo que deveria dar a ela, pequei aquele objeto na mão, olhei, abri, e me encantei, na hora fiz a compra. Guardei o presente até o dia do aniversário, mas não estava aguentando, estava ansioso para dar aquele presente para ela, tentei segurar ao máximo, mas não consegui, um semana antes do aniversário dela, levei o presente para o trabalho e guardei no meu armário e tranquei, peguei a chave e separei, a procurei e só para ela entreguei a chave e disse “aqui está seu presente”, bom, ela olhou para a chave sem entender, mas com o tempo ela entendeu que chaves abrem coisas e que dentro dessa coisa estava o presente dela, então ela saiu desesperada atrás do que aquela chave abria, depois de um tempo volta ela com um sorriso mais lindo que já tinha visto, com uma cara de surpresa, e toda aquela cara era por causa de mim e isso tinha me deixado muito feliz e satisfeito com o que tinha feito. Ela veio toda alegre e me abraçou, eu todo sem graça aceitei o agradecimento dela, apesar de só de ver a alegria estampado no rosto dela já era um ótimo agradecimento, agora sim consegui ver um sorriso de verdade no rosto dela, com alegria, tudo isso me fez encantar mais ainda por ela. Depois daquilo me senti mais interessado naquela pequena, mas estava mais me sentindo em uma paixão platônica, queria pedir o número do telefone dela, mas estava sem graça, não sabia qual seria a reação dela, ou se o interesse que eu tinha ela também tinha. Então chegou o grande dia esperado por ela, dia 7 de dezembro, um sábado normal para quaisquer pessoa, mas para aquela pequena era muito importante, apesar de alguns dias atrás ela estava quase desistindo dessa festa, ele me explicou os motivos, ela estava para baixo, se sentindo desmotivada, mas tentei motiva-la, não sei se consegui, mas sei q a festa teve. Enfim, o dia da festa, trabalhei ansioso, para quem me conhece 5


deve estar assustado, quem diria Emerson Moura ansioso para uma festa, mas aquela especial, não queria a festa em sim, queria ela, queria vê-la feliz, comemorando. Apesar dela ter namorado eu a queria comigo e não com ele, ela já tinha me dito que queria terminar, bom, eu pensei que eu poderia ser um bom motivo para isso. Todo sábado é agitado no trabalho, mas nem me preocupei com o trabalho, só queria que tudo terminasse para pode estar mais perto dela, meu expediente acabou as 16 horas, mas ela só sairia as 18 horas, então fiquei esperando, infelizmente várias pessoas no trabalho também iriam juntos. Enfim, hora de irmos, todo mundo se organizando e fomos para o ponto de ônibus, quando o ônibus estava vindo, primeira coisa que pensei é de conseguir um lugar do lado dela, mas isso não aconteceu, o ônibus estava um pouco cheio e tinha poucos lugares disponível e eu acho que ela não estava muito preocupada em sentar do meu lado nesse dia, ela sentou do lado de outra pessoa, fiquei em pé com outras pessoas, fiquei a viagem inteira meio distraído, olhando para o nada, pensando naquela situação. Descemos do ônibus, agora deverias subir de combi até a casa dela, bom, mas uma oportunidade para tentar chegar mais perto, tentei mais uma vez sentar ao lado dela, mas não deu, uma pequena distração, um retardado qualquer correu e pegou o lugar do lado dela, não foi dessa vez, mas quem sabe um dia eu consiga me aproximar. Chegamos na casa dela, enquanto as mulheres do grupo iam se arrumando, os homens foram bebendo, eu para distrair, bebi também, uma forma de não ficar pensando tão obcecado naquela pequena. Todos já estavam prontos, fomos caminhando para o local onde aconteceria a festa, chegando lá tinha várias coisas para comer, vários tipos de petiscos, adorei, adoro comer e estava com fome, comi bastante, tudo que estava naquela mesa, Ela estava lá dando atenção para nós, mas aos poucos mais pessoas foram chegando e o pouco da atenção que tinha se acabou. Já tinha comido o suficiente, já tinha bebido o suficiente e já não tinha mais a atenção dela, então me sentei e fique mexendo no meu celular, mexendo em nada, mas apenas para tentar me distrair, então os funk 6


começou a tocar, bom, meu primeiro pensamento é reclamar, mas algo me chamou muito a minha atenção. Várias pessoas dançando, se divertindo, e então parei de fazer o que estava fazendo para reparar em uma certa pessoa dançando, essa pessoa se destacava, ali eu me apaixonei, ela me seduziu, talvez sem querer, mas ela fez, não conseguia parar olhar, eu tentava desviar o olhar, mas não conseguir, ali veio o pensamento “ela tem que ser minha”. Mas nem tudo é perfeito, alguém começou a reclamar de cansaço, dizendo que queria embora, e isso não foi um pequeno comentário, foi a noite toda assim, sinceramente eu desprezo pessoas que vivem se lamentando, principalmente em voz alto, eu por vários momentos dei várias respostas em pensamento para ela, mas preferi fingir que estava sendo simpático e sai um pouco daquele lugar e fui um pouco para fora, e pelo jeito todos fizeram o mesmo, ninguém estava suportando a cara de bunda de certas pessoas ali. Para piorar um pouco o namorado da Mari estava lá, bom, eu não tinha porque questionar, eu não tinha nada com ela, mas me incomodou ver ele andando atrás dele feito uma sombra, mas fazer o que ne, tinha que engolir isso. Ele estava indo em cada canto com ela, eu queria uma oportunidade para dar os parabéns, então consegui uma brecha, alguns minutos depois de meia noite, ele estava indo para algum canto e para minha felicidade o namorado não estava perto, então a puxei e dei um abraço, queria poder dar mais que um abraço, mas sabia que não era o momento, então me controlei e desejei a ela um feliz aniversário. A noite foi passando e todos já estavam com sono, inclusive eu, mas muitos que estavam comigo queriam ir para suas casas, mas eu era o único que morava mais longe, e não poderia voltar para casa, eu teria que dormir por ali mesmo, a dona da festa já tinha disponibilizado para que nós dormissem lá, mas quase ninguém queria, por causa da minha timidez eu não iria dormir na casa dela sozinho, eu daria meu jeito e iria para casa, seja lá como, então tentei convencer algumas pessoas a ficar por lá e pelo jeito deu certo eu e mais três rapazes iriam dormir na casa dela. A festa foi acabando, quem tinha que ir embora, foi e quem iria 7


ficar, ficou, então voltamos até a casa da mãe dela, onde estávamos pela primeira vez, nós iriamos dormir na sala, por mim dormiria em qualquer lugar, eu estava acabado, porém mais uma vez me incomodei, o namorado dela chegou também na casa, incomodado com a presença dele pensei “ele não tem casa não!?”, não queria que ele dormisse lá, “daqui a pouco ele deve ir embora” foi o pensamento que estava na cabeça. Porém o pior aconteceu, Mari arrumou tudo para a gente ficar acomodado no chão, logo me deitei e fiquei observando aquela figura que não saia dali, então foi quando ela chegou o chamou e levou para o quarto e fechou a porta, naquele momento fiquei sem reação, raiva, surpreso, indignando, sei lá, mas não me senti bem vendo aquela cena, sei que não deveria sentir aquilo que estava sentindo, mas senti, eu estava morrendo de ciúmes dela. O que me restava então era dormir, mas algo bom veio sorrir para mim, ao iniciar o meu sono, algo me acorda, caminhando pelas minhas pernas, abro meus olhos e vejo uma pequena criança, um bebe com toda animação, rindo, brincando, aquilo me fez ficar muito feliz e mais tranquilo, tinha até me esquecido do tinha me incomodado antes, fiquei poucos minutos brincando com ele, até tirarem de mim para tentar fazer ele dormir. Dessa vez consegui dormir, o dormi muito bem, porem fui o primeiro a acordar, todos ainda dormiam, e aos poucos foram acordando, eu não fico bem na casa dos outros, mesmo sendo na casa dela eu sempre acho que estou incomodando, então queria o quanto antes ir embora, arrumamos nossas coisas, e fomos andando, Mari já estava acordada, estava preocupada em deixar a gente descer sozinhos, então ela nos acompanhou até o local onde poderíamos pegar uma condução para descer, nós estávamos com pressa e não queríamos esperar e resolvemos descer andando, mesmo sem a aprovação dela. Mari então, preocupada disse que enviássemos uma mensagem assim que chegássemos em nossos destino, enfim veio o momento que eu deseja, uma oportunidade para ter o número do telefone dela, “Qual é o seu número?” perguntei a ela pegando meu celular do bolso, fiquei todo feliz que teria o número dela, até que um infeliz também pediu o número 8


dela, mas um incomodo, vontade de pegar o celular dele e jogar morro a baixo, mas deixei passar, anotei o número dela, descemos. Chegando na metade do caminho, onde eu deveria pegar o segundo ônibus para ir para casa eu enviei uma mensagem para ela, mandei dizendo que nós já tínhamos chegados até ali, cada um se separou e fomos para nossas casas, eu fiquei com o celular na mão a viagem inteira, esperando ela me responder, mas esperei em vão, pensei comigo “acho que ela não queria dar o número para mim”, cheguei em casa e continuei com o celular na mão e nada dela responder, “ele deve ter voltado a dormir” meu pensamento tentando achar uma solução boa para a situação. No dia seguinte questionei ela por não ter me respondido, ela me respondeu que estava sem credito, pronto, estava explicado, não tinha pensado nisso, pensei o pior, menos nisso, nesse mesmo dia eu deixei uma mensagem no facebook dela, pois alguns dias atrás ele tinha me dito, meio que na brincadeira, que queria um namorado de presente, então escrevi a seguinte mensagem para ela:

“Vc pediu um namorado novo, pensei bem e encontrar uma pessoa pra vc, ele é legal, gente boa, questões d beleza vc mesmo pode avaliar, não sei se ele é a pessoa perfeita para vc, mas não custa tentar, falei d vc para ele, ele achou interessante, mas não gostou do fato d vc ter namorado, então ele disse q só t procuraria quando vc tivesse realmente solteira, mas se vc quiser conhece-lo, pode ligar para ele ou mandar uma msg, o número dele é 974658614...e o nome é Emerson, se t interessar é só falar com ele ;)” Pensei várias vezes se deveria ou não enviar essa mensagem, até que criei coragem e enviei, fiquei com medo do que ela poderia responder, mas recebi uma resposta de certa forma positiva, ao ler ela ficou sem saber o que falar, pelo menos foi isso que ela me disse, comecei a agora sim a pensar que poderíamos ter alguma coisa, então resolvi ser mais claro com ele, mas não tinha como não ser claro, eu já estava apaixonado por ela e dava para ver de longe, tenho certeza que ela já via minhas intenções sem 9


eu mesmo dizer uma palavra sequer. A gente já conversava muito, a gente já estávamos ciente que nos queríamos, mas ela ainda tinha namorado e medo de arriscar algo novo, então pedi a ela para conversarmos pessoalmente, coisa que ainda não tínhamos feito, ela concordou, mas ela era uma menina muito ocupada e não tinha muito tempo, então pedi a ela para acompanha-la até onde ela faz curso de enfermagem, apesar dele achar que iria me dar trabalho, ele permitiu. E a partir daí comecei a conversar mais com ela, levar ela até o ponto, esperar ela pegar o ônibus, só que essa paixão começou a ficar mais forte, nós nos desejávamos, um dia em especial levei ela até o ponto de ônibus, uma conversa simples, sem nada de mais, mas um abraço de despedida que não queria mais soltar, foi um abraço tão gostoso, fiquei por alguns segundos com ela nos meu braços, sentido o aperto dela, o cheiro, viajei completamente naquele momento, mas deixei ela escapar por entre meus dedos. Fui para casa com aquele abraço na cabeça, uma ótima sensação e queria mais, depois desse dia, comecei a pegar o mesmo ônibus que ela, para ter um pouco mais da sua companhia, eu estava tentando me segurar até ela resolver a situação dela com o namorado, mas ficava cada dia difícil se controlar, ela era linda, cheirosa e muito carinhosa. Em uma tarde de volta para casa, nós estávamos dentro do ônibus, eu estava louco para beija-la, não aguentava mais, precisava sentir o gosto daquela boca, então durante a viagem, fui aproximando meu rosto ao dela e dei um beijo no rosto dela, deslizei meu rosto pelo dela, e comecei a sentir o cheiro pelo seu pescoço, ela tentava não olhar para mim, tentando não cair em tentação, passei minha mão por trás da cabeça, colocando minha mão por debaixo do cabelo, fazendo um carinho na cabeça dela, aos poucos ela foi cedendo e minha boca aos poucos foi beijando mais perto da boca dela, enfim um beijo. O que eu mais desejava, fiquei sem saber o que fazer na hora, me senti uma criança dando seu primeiro beijo, ela me surpreendeu completamente, quando ela me beijou, meu corpo inteiro se arrepiou, meus olhos arregalaram e fiquei sem ação, queria beija-la, mas não estava conseguin10


do, ela que controlou todo o beijo. Aquele beijo foi incrível, nunca alguém tinha me dado esse tipo de reação, um beijo maravilhoso que me fez querer mais, mas infelizmente tínhamos quer ir para casa, fui para casa ainda com a sensação do beijo dela na minha boca, como se ela ainda estivesse me beijando, não queria parar de beijar. Eu fiquei com medo dela não querer mais, dela ter odiado o beija, pelo fato de eu ter me sentido perdido no meio do beijo dela, mas não queria desistir dela, porem ela estava incomodada pela situação, ter me beijado tendo namorado, ela se sentiu mal, conversamos sobre isso e no dia seguinte ela me deu uma notícia maravilhosa, ela disse que tinha terminado com o namorado, ela estava meio triste com isso, tentei sem o mais compreensivo possível, entretanto, eu estava pulando de alegria por dentro. A partir daí começamos a ficar de verdade, nosso primeiro beijo dia 18 de dezembro, nós começamos a se dar muito bem juntos, vimos que éramos completamente diferentes, entretanto com a mesma vontade, vontade de ser feliz, essa vontade que nós fez se esforçar tanto para ficar juntos. Tudo estava indo bem, a gente estava se acertando, corrigindo os erros, tentando fazer o certo, até eu senti que perderia de ela de vez da minha vida, fomos em uma feste de aniversario, então uma amiga chamou para que nós dormíssemos na casa dela, aceitamos, tinha um quarto só para nós, era madrugada de sábado para domingo, eu estava muito cansado. Ela queria muito ter uma noite comigo, não só para dormir, mas para fazer sexo, mas eu sabia que meu corpo não responderia da forma que ela deseja e eu queria que a nossa primeira vez fosse perfeito, queria estar completo para ela, então neguei o que ela tanto queria, logico ela não aceitou isso, então ela se fechou e virou as costa para mim, quando isso aconteceu “acabou” pensei triste na situação, achei que depois disso não a teria mais, mas depois de uma boa conversa consegui entender os sentimentos dela, e tivemos uma ótima relação, simples e perfeita. O tempo foi passando e cada vez mais eu me apaixonava por ela, 11


eu já estava amando aquela pequena, mas tinha medo de dizer, meda dela fugir, medo dela não estar sentindo o mesmo, mas fiquei muito feliz quando ele me disse que me amava, aquela alegria me fez muito bem, esse amor só me fez bem e eu queria demostrar o quanto ela estava me fazendo bem, o quanto estava feliz com ela, queria dar o mundo para ela, dei tudo que pude dar para ela. O Natal passamos juntos, ela foi lá para casa, fiz almoço para ela, e comprei um presente para ela, o presente foi algo simples, mas foi de coração, queria demostrar o quanto a queria do meu lado, como só presente não descreve muito, então escrevi uma carta para ela, dizendo tudo que estava sentindo, a folha estava pequena para tanto que estava escrevendo. Mas o tempo estava passando e ainda não tinha pedido ela em namoro, já estava na hora, mas queria fazer algo legal, queria fazer algo para deixar pra sempre na memória, algo que demostrasse o quanto eu a amava, eu sabia que ela gostava de flores, então pensei em comprar um buque de flores para ela, mas pensei que só isso não seria o suficiente, então pensei em comprar pétalas de rosas para colocar no chão. Sai o de manhã e fiquei o dia inteiro na rua procurando uma floricultura, não sabia onde tinha, fiquei andando, bati o dedo na pedra, cortei, mas estava valendo a pena, encontrei uma floricultura, mas não tinha pétalas de rosas, encontrei outra, mas só tinha uma sacola de pétalas brancas e vermelhas, eu queria só vermelhas, mas levei mesmo assim “vai que eu não ache outra floricultura”, andando mais um pouco achei outra, lá sim tinha pétalas vermelhas, então comprei a quantidade que eu queria. Nessa mesma floricultura, vi vários buques, mas um em especial me chamou a atenção, vários girassóis formando um lindo buque, ele me encantou, achei que ela iria gostar também, comprei tudo que eu estava pensando e voltei para casa. Em casa fiquei pensando como iria distribuir as pétalas de rosa, tinha algumas brancas que não seria legal misturar, então tive uma ideia, separei todas as petas brancas das vermelhas, e sobre a cama fiz um coração com as pétalas brancas e em volta do coração distribui as pétalas vermelhas, forrei a cama com todas elas, mas ainda tinha sobrado algumas 12


então forrei o chão do quarto, mas ainda sobrou um pouco, então forrei o cão do corredor até a porta da sala. Olhei para aquela cama cheio de pétalas de rosa “Não sabia que era tão romântico” pensei comigo, mas achei ela muito simples, faltava mais coisa para acompanha o buque, então sai mais uma vez, fui atrás de mais um presente, não sabia o que comprar até passar em frente a uma loja de bicho de pelúcia e ver vários sapinho pendurados “é esse que eu quero” fui até lá e peguei o sapinho, ao pegar o sapinho encontrei uma caneca linda com alguns chocolate dentro, sai para comprar um presente e voltei com dois. Estava ficando tarde e eu ainda tinha que ir busca-la, corri para casa, organizei as coisas em cima da cama, o sapinho, o buque e a caneca, tomei banho, me arrumei para ir até ela. Fui até o trabalho dela como se nada tivesse acontecido, ela sabia que iria ganhar alguma coisa, mas não tinha noção do que iria ganhar, então esperei até ela sair, eu estava ansioso, louco para mostrar tudo o que fiz para ela. Chegando em casa já estava escurecendo, segurei as bolsas dela e pedi para que ela abrisse a porta, estava tudo escuro, não dava para enxergar nada, até ela pedir “acende a luz” quando acendi ela demorou um pouco para notar o chão, mas quando percebeu, abriu um grande sorriso, bom ela só tinha visto um pedacinho da surpresa que estava na estrada da casa, ela ficou parada olhando aquelas pétalas no chão, então eu falei para entrar. Ela entrou com toda cautela para não pisar nas pétalas e chegou na entrada do quarto, abriu a porta de vagar, acendeu a luz e ficou sem reação, a cara dela foi satisfatório para mim, me fez sentir realizado com tudo que fez, aquele sorriso, eu estava admirado com ela, ela não sabia o que fazer, ali eu percebi que consegui fazer a diferença na vida dela, eu a amava e a reação que ela teve me fez amar ainda mais. Tiramos fotos naquele dia, fizemos um sexo muito gostoso, ficamos coberto de pétalas de rosa depois, mas foi maravilhoso, ali estava sendo oficializado o início do nosso namoro, eu tinha do meu lado a mulher da

13


minha vida, a mulher que faz feliz apenas com um sorriso dela e era esse mulher que quero para sempre na minha vida. Eu tive a sorte de encontrar essa pessoa que dentro desse pequeno tempo me fez o homem mais feliz do mundo, pode ser exagero, mas é como me sinto e hoje dia 10 faz um mês de namora, mas dia 18 faz dois meses desde do dia que dei o primeiro beijo na mulher da minha vida, digo que sou feliz por ter te encontrado e por estarmos juntos, eu estou amando você mais do que pensei que pudesse, me sinto tão bem ao seu lado, nossos dias de pura felicidade, temos aqueles momentos de crise também fazer o que né!? Acontece, mas aconteça o que acontecer estarei sempre junto de você...enfim com o tempo estou aprendendo e vendo que tenho ao meu lado uma mulher incrível que faz esse homem muito feliz e se senti sempre amado.

Te amo com toda as minhas forças, te quero comigo até quando Deus permitir.

14


Segundo Capitulo - As Batalhas Depois de um mês nós estamos muito feliz juntos, fim de semana maravilhoso com essa mulher que está fazendo minha vida perfeita, no dia 10 fizemos um mês de namoro e ao passar esse fim de semana na casa dela, me senti mais à vontade, me senti melhor, mas claro tímido como sempre. E hoje dia 11 de fevereiro muita coisa mudou desde do dia que a conheci, já não estou trabalhando no mesmo lugar que ela, tive que voltar para casa dos meus pais, algo que não queria, mas ela, mesmo sem saber, ele me ajudou muito nessa mudança, se eu tivesse sozinho acho que não conseguiria “sobreviver” a essa queda que tive, mas ela me manteve vivo. Essa volta para casa infelizmente me fez vê-la menos, mas amar mais, ele esteve sempre comigo, vendo ela apenas nos fins de semana, ela vem para minha casa ou eu para a casa dela e assim estamos tentando construir uma vida junto. Nessa construção eu tive uma ideia, que só tive por causa dela, tive uma ideia de criar uma loja de roupa, logico que aos poucos, tenho pouco dinheiro, mas foi o suficiente para começar. Conversamos sobre o assunto, ela gostou da ideia, eu iria comprar roupas e ela iria revender, fui com ela até a uma fábrica, compramos algumas roupas, ela diferente como eu sabia tudo sobre roupa, eu adorei aquele dia que ficamos juntos vendo loja, comprando, na verdade só gostei da companhia. Voltamos para casa com tudo que compramos e fizemos todos os cálculos necessários para revender as roupas, e em menos de uma semana esse pequena menina vendeu tudo, mas uma vez ela me surpreende, não imaginei que ela iria conseguir vender tão rápido. Hoje está difícil aguentar ficar longe dela, na verdade todos os dias é difícil ficar longe de dela, apesar de ter visto ela ontem, mas tenho a necessidade de vê-la todos os dias. Nós estamos cada dia mais íntimos, estamos batalhando para construir nosso futuro juntos, depois de ter vendidos as roupas que compramos 15


tive uma ideia, uma vontade que já tinha a algum tempo, queria comprar uma máquina para fazer estampas e tentar abrir meu próprio negócio. Ela gostou da ideia de imediato e quis me ajudar, deu várias ideias, não sei exatamente o que ela pensou quando contei a minha ideia, mas vi que ela estava empolgada e ansiosa para que tudo isso acontece. Ficamos pensando o dia inteiro o que poderíamos fazer, eu queria ir com calma, fazendo aos poucos, ela já queria tudo de imediato, ela deu a ideia de pedir um empréstimo, fiquei com medo dessa ideia, sei que é difícil controlar uma dívida tão alta, principalmente em algo que não tinha certeza se daria certo. Conversamos e entramos em uma acordo, fizemos um empréstimo para poder comprar a nossa máquina, não só a máquina, mas tudo que iriamos precisar para trabalhar e tudo foi indo muito rápido e quando vi estávamos alugando uma pequena loja para começar a fazer o nosso trabalho. Alugamos uma loja, fizemos pequenas reformas e deixamos como nós queríamos, nós se juntamos com a mãe dela, um apoio aos trabalhos que ela fazia e ela ajudou na decoração e na arrumação da loja. Agora estamos batalhando para vender, para arrumar cliente, estamos abertos a uma semana, sei que é difícil, mas aos poucos estamos vendendo, ganhando nosso dinheiro e sei que isso vai dar bastante lucro para gente. Com todo esse trabalho para a loja eu tive que ir morar com a família dela, não é algo que eu queria, mas que precisava, não queria pelo fato de morar de favor não é algo bom, falo por experiência própria, mas teria ela todos os dias, dormindo com ela todos os dias e isso praticamente nos fez casado, algo que já tinha em meu coração, mas começou a ser mais real com essa convivência de todos os dias. Durante toda essa luta de construir uma loja, comprar produtos, várias coisas aconteceram em nosso relacionamento, pelo menos para mim, senti que estávamos ficávamos mais próximo mais maduro a cada conversa, sentia que aos poucos ela conseguia confiar em mim, mas demorou para chegar nisso. Ela sempre foi sozinha, tento ao máximo mostrar que ela pode contar comigo para tudo, mas ela prefere se isolar quando está com algum 16


problema, uma forma de fugir e que ninguém a critique, mas muitas das vezes quando isso acontece ela me ignora. Passamos por um momento bem complicado, ela chegou do trabalho com alguns estresses, tentei me aproximar, ele me evitou, tentei me aproximar novamente, ela voltou me evitou, eu a abracei e ela dispensou meu abraço. Fiquei em uma situação complicada, alguém que não queria minha atenção, mas queria minha atenção e ao mesmo tempo não aceitava minha atenção. Não gosto de ser ignorado, não gosto de ser dispensado, principalmente quando estou me esforçando para ajudar alguém que amo. Agora o que resta era dormir, já fui deitar chateado, mas em nenhum momento sai do lado dela, o tempo todo acompanhei para onde ela ia, ajeitamos a cama e deitamos, mas uma vez tentei me aproximar, mas ela me evitou novamente, então fiquei no meu canto, já que ela não me “queria” então fiquei esperando ela querer. Isso me deixa incomodado, me deixa agitado, fiquei alguns minutos virado para o outro lado, na verdade deixando o sangue esfriar por causa da forma que estava sendo tratado, foi quando resolvi abraça-la, coloquei metade do meu corpo por cima dela tentado abraça-la, dessa vez ela aceitou, mas me questionou. Depois desse questionamento começando uma pequena discursão que começou a virar em algo mais sério, o que me incomoda nela e o que faz gerar briga entre nós é que ela não sabe ouvir sem se alterar e quando ela se altera eu também me altero. Ficamos discutindo alguns minutos, até ela se aborrecer, não sei se comigo ou com ela mesmo, ela se sentou, se encolheu toda e começou a bater com a cabeça na parede, pensei “xiii, pronto, ta maluca”. Me sentei também e fui até ela e mais uma vez ela me dispensou, mas aquelas batidas que ela dava com a cabeça na parede estava me incomodando, pelo simples fatos que não gosto de ver quem eu amo se machucando. Pedi algumas vezes para parar e ela continuava, aquelas batidas fez meu sangue ferver, queria fazer ela parar de qualquer jeito, levantei, segurei ela e puxei ela pra cama, segurando os pulsos dela, estava muito irritado, sem perceber eu estava segurando com muita força os pulsos dela, 17


eu queria descarregar toda minha irritação encima dela, em nenhum momento eu agredi ela, apenas falei algumas coisas, para que ela entendesse que estava ali e não iria deixa-la se machucar. Quando soltei ela, ela se sentou novamente, ela estava muito alterada naquele momento e voltou a bater com a cabeça na parede, agora ela não deixava eu nem tocar nela, sentia que ela estava com raiva de mim, mas continuava a bater com a cabeça na parede, pedi algumas vezes para parar, mas ela não me dava ouvido. Me levantei novamente, me coloquei sentando atrás dela, na mesma posição que ela estava, já que não vou conseguir para-la, vou me juntar a ela, em uma só vez bati com a minha cabeça na parede também, eu estava tão irritado que ne senti a dor, só sei que bati com força pelo barulho e o balançar da parede e da janela. Imediatamente ela se virou com olhar de assustada e antes que eu pudesse bater novamente ela me jogou na cama, colocando todo seu peso sopre mim para eu poder cair, sei que ela não tinha força nenhuma para me jogar na cama ou até mesmo me segurar, mas deixei ela fazer, ela me segurou e me deu alguns socos, de leve, quando ela parou de me bater, ela desabou com a cabeça no meu peito e começou a chorar, a partir dali, começamos a nos acalmar, resolvemos nos acalmar e conversar normalmente até pegar no sono. No dia 10 de março comemoramos dois meses de namoro, foi muito bom, construí algo legal para dar a ela, queria fazer algo diferente de tudo que já tinha dado, não queria repetir nada, então fiquei uma semana construindo tudo, comprei um pequeno aquário, ao comprar precisava decorar, queria pintar, mas não sabia o que pintava vidro, pesquisei e consegui achar a tinta que queria, comprei e comecei a decorar aquilo que seria o presente do segundo mês de namoro, comprei uns pedaços de papeis colorido e nele escreveria várias mensagem para ela ler durante as manhas. Enchi aquele aquário com vários papeis coloridos com várias mensagens para ela, comprei também uma pequena garrafa térmica para ela, na intenção de fazer ela beber mais água, apesar dela nem tocar nessa garrafa. 18


Dei tudo a ela no dia 10, gosto muito de ver aquele olhar de surpresa, de encantada com aquilo que estar recebendo, ver a alegria dela ao receber o meu presente foi o melhor presente que eu poderia receber. Apesar de amar tanto ela, esse mês aconteceu várias coisas, uma delas foi o ex namorado dela, bom, eu sabia que ela ainda gostava dele, pelo fato das alterações ao encontrar com ele, mas isso é o de menos. A gente conversou muito sobre isso, e vi que ela realmente precisava ter contato com ele e não fugir dele ou ignora-lo, ela estava com muita dúvida com relação ao que ela queria fazer, deixei bem claro para ela, que ela poderia decidir o que ela quisesse que não iria me incomodar, ela poderia ficar com ele que não iria me incomodar, basta ele ser sincera comigo, a única coisa que eu queria é que ela se decidisse, queria que ela resolvesse isso de uma vez e não ficasse remoendo aquilo por muito tempo. Bom, isso durou alguns dias, ela o encontrou duas vezes para conversar, apesar de conversar pelo telefone, mas ela se decidiu, resolveu não ficar com ele, mas sei que isso não quer dizer que ela ainda não sinta falta ou que vá deixar de ter contato com ele. Mas uma coisa que me magoou muito foi no dia 15 de março quando ela me falou algumas coisas para ser feitas, ela gosta das coisas na hora que ela quer, se não for na hora que ela quer, ela se altera e fala coisas que simplesmente machuca quem está tentando fazer muito. Nesse dia eu deixei para ir em uma costureira que iria fazer algumas blusas para nosso loja, eu iria, só que mais tarde, então ela me ligou me cobrando isso, como se eu não fosse fazer, mas isso é o de menos. Logo depois ela me ligou perguntando sobre outra coisa que não tinha feito, isso realmente não iria fazer naquele dia, ela ficou chateada por eu não ter feito o que ela queria, eu entendo, até eu ficaria chateado, só não entendi algumas coisas que ela falou. O que ela queria era a máquina de estampa na loja, foi isso que não trouxe, então ela questionou o fato de que daria muito trabalho ficar indo em casa para fazer camisa, seria mais fácil se já estivesse na loja, então ela falou “...isso é atitude de... de... de...” gaguejou um pouco para dizer que não era bom ter a máquina longe da loja, pois se ela terminasse a frase sem gaguejar, talvez ela falaria algo que provavelmente impediria eu terminar 19


de escrever essa história e ainda enfatizou várias vezes que eu não fico fazendo nada, me senti um vagabundo, que bom que ela é minha dama, poderia até virar um filme. O fato é que ela não reconheceu o que fazia e só viu o que não fiz, sei que quando ela entra em desespero com relação a dinheiro ela quer resolver tudo do jeito dela, não só com relação a dinheiro, com relação a tudo, ela tem que ver que ela não está sozinha, desespero não leva a nada, mantenha se calmo sempre que você conseguirá ver as soluções dos problemas e se o problema não tiver solução FODA-SE....e vamos se amar é melhor. Mas tudo isso passou, hoje fico feliz por ter ela do meu lado, nós estamos crescendo nesse relacionamento, fazendo tudo ficar agradável para os dois, estamos amadurecendo, estamos entendo melhor um ao outro e assim se faz um relacionamento e espero muito que essa história continue sendo contada pelos próximos 720 meses. Dia 18 de março se completa três meses desde o nosso primeiro beijo e no dia 19 cinco meses que eu vi a coisa mais linda da minha vida, a mãe dos meus filhos, minha esposa, minha mulher, minha amante, minha amiga, minha companheira, minha tudo, minha tudão. Obrigado por tudo, obrigado por tantas alegrias que você tem me dado, te amo por demais da conta, sei que temos nossas diferenças, sei que brigamos e que brigaremos, mas seremos felizes acima de qualquer outra coisa, Deus está com a gente, Ele cuidara de tudo que estamos fazendo, confia nele o tudo irá acontecer e se isso não for o bastante, conversa você mesmo com Ele, dobre seu joelho, feche seus olhos e converse com ele, conte suas dores, peça ajuda que ele te dará, mas não faça isso só dentro da sua necessidade, faço isso sempre, pois o que eu não puder fazer por você eu sei que Ele fará. Obrigado por me aguentar tanto tempo, estou muito feliz que muitas coisas que estamos batalhando está dando certo. Te Amo Muito e farei de tudo para fazer o melhor para você.

20


Até agora