Issuu on Google+

Minha Hist贸ria

Giulia Ribeiro 3潞 TD


Índice Local Nascimento Infância Família

Vida Escolar Minha vida hoje


Local Nascimento Nasci em São Paulo, na década de 60. Uma terra simplesmente invejável, cheia de programas, progressos, atrações. Muita condução, possibilidade, muita gente. O hospital que minha mãe deu a luz foi o Santa Edwirges, em um bom bairro porque era próximo a região nobre em que ela trabalhava, na casa de italianos que a adotaram quando solteira, recém chegada a São Paulo. Não sei muitos detalhes do meu nascimento porque minha mãe fala pouco a respeito. Percebo que é doloroso conversar sobre esses assuntos, por causa da história dela com meu pai ausente.


Infância Foi fabulosa minha infância. Muitas aventuras, muitos amigos, muitas brincadeiras apesar da pobreza. Construímos nossos próprios brinquedos. Adorava brincar de buzina do Chacrinha na tampa da fossa, onde o microfone era um cabo de vassoura. Fazíamos até o grupo das chacretes.Soltei muito pipa, andei de carrinho de rolimã, criei muito sapinhos criados como peixe em aquário que recolhia no córrego, represava água do esgoto. Tinha a responsabilidade de cuidar de meus irmãos menores para minha mãe trabalhar, mas sobrava muito tempo para brincar. Escola? É outra história.


Minha família Minha família originalmente é da Bahia; meu pai é pernambucano mas eu não tive muito contato com ele. Quase nada tenho a dizer a respeito dele a não ser que se perdeu para o álcool. Minha mãe se casou muito jovem, teve dois filhos escadinhas e já se separou. Como não tinha muito estudo, teve que trabalhar em casa de família para sustentar os filhos.


Vida Escolar Muito aprendi na escola, desde os seis anos quando entrei no Mário de Andrade em 1970 no Brooklin, SP para fazer o primário. Costumava ir para a escola sozinha pois minha mãe trabalhava em casa de família e como morava no Guarapiranga, ia de ônibus da Jurema até a Joaquim Nabuco, uma aventura. Naquela época não era perigoso andar sozinha por São Paulo. A escola era da prefeitura e eu ganhava caderno, livros e lápis todos os dias. Lápis todos os dias sim porque eu adorava comer os meus. São tantas as histórias para contar nos meus quatro anos de Mário de Andrade que por si só daria um grande livro. Sempre fui muito esperta em sala de aula então sobravame tempo para aprontar. Ia parar na diretoria constantemente. Minha mãe era chamada mas não podia comparecer porque trabalhava muito. Adorava os lanches da escola, a área de brincar e me recordo vagamente das professoras. Costumava cabular aulas para passear no centro da cidade. Não gostava do tratamento dentário feito durante as aulas.


Minha Vida Hoje Já vivi bastante, mas lógico que não o suficiente. Tenho muito a fazer. Sou mãe de uma mulher de 24 anos, que já é formada. Acredito que seja muito importante estudar por isso estou aqui fazendo a minha parte e incentivei minha filha a fazer o mesmo, por ela. Também acredito em trabalho para se conseguir nossas conquistas; não acredito em lamento ou sorte, assim não posso alegar falta dela. Agora aos 50 anos de idade finalmente consegui comprar minha casa própria, que ainda não está quitada, mas em breve será. Como é bom realizar nossos sonhos e tem muito valor o processo para atingí-los. Acho que o mais importante realmente é o caminho que nos conduz aos nossos sonhos. Ele tem que ser carregado de honestidade, carater, respeito, amor. O restante é consequência, independente da fé de uma pessoa, todos chegam lá.


Minhas Fotos, meus momentos


Créditos Prefeitura da Cidade de São Paulo Secretaria Municipal de Educação Diretoria Regional de ducação Capela do Socorro EMEF Des. Teodomiro Toledo Piza

Projeto Memórias


Minha História projeto