Issuu on Google+

JARDINS VERTICAIS PORTFOLIO


A

EMBYÁ nasceu de um sonho comum dos paisagistas Duarte Vaz e Pierre-André Martin, amadurecido por quase uma década e enfim realizado: a criação de um escritório de paisagismo e de meio-ambiente em que os trabalhos dessem vazão à criatividade desses profissionais e que, ainda, fosse um pólo de atração de colaboradores afinados com conceitos de sustentabilidade. A bagagem e os conhecimentos técnicos adquiridos em trajetórias profissionais distintas os permitem transitar com segurança em diferentes escalas. Em pequenas áreas, o zelo pelo detalhe e a busca pela simplicidade dão o tom; já em grandes escalas demonstram que é possível criar projetos arrojados sem se distanciar dos custos combinados, sem desperdícios e em respeito às funções biológicas do território. O nome EMBYÁ tem origem indígena. Uma homenagem às raízes do Brasil e uma expressão da busca por alternativas que compatibilizem a vida contemporânea com a natureza. A EMBYÁ Paisagens e Ecossistemas é um empresa comprometida com uma abordagem colaborativa e contextual para a criação de paisagens únicas e sustentáveis. Acreditamos que as soluções de projeto e de planejamento nascem da interação com pessoas, processos, histórias, políticas, economias e ecossistemas que são específicos para cada lugar.

EMBYÁ was born from a common dream of landscape architects Duarte Vaz and Pierre-André Martin, matured for almost a decade and finally realized: the creation of an office of landscape and environment in which is expressed the creativity of these professionals and that also be a magnet for professionals tuned with sustainability concepts. Expertise acquired in different professional paths allow the transit safely at different scales. In small areas, the zeal for detail and the search for simplicity set the tone, while in large-scale show that it is possible to create bold designs without distancing itself from the combined costs, without waste and respecting biological functions of the territory. The name EMBYÁ comes from indigenous language, a tribute to the roots of Brazil and an expression of the search for alternatives that reconcile modern life with nature. EMBYÁ Landscapes and Ecosystems is a company committed to a collaborative approach and context for the creation of unique and sustainable landscapes. We believe that design solutions are born of planning and interaction with people, processes, histories, politics, economies and ecosystems that are specific to each place.

2


Fonte: Museu da InconfidĂŞncia

3


JARDINS VERTICAIS

O

muro vegetal é uma técnica inspirada na natureza, onde plantas se adequam a situações verticais como costões rochosos, troncos e cascatas. Além da possibilidade de criar um belo jardim fazendo uso de pouco espaço, é importante ressaltar o papel ambiental dos jardins verticais, capazes de trazer diversos benefícios para a edificação e seus habitantes, e ainda regular o clima e atrair pássaros, borboletas e abelhas.

4


42°C

25°C

Paredes com jardins verticais apresentam redução de até 17°C em relação a paredes nuas.

A

incorporação de cobertura vegetal em uma edificação protege suas paredes das intempéries, como chuva e incidência solar direta, além de atuar como isolante termo-acústico natural, já que reduz a poluição sonora e evita o acúmulo ou perda excessiva de calor. Alguns estudos mostram que durante o verão, paredes com jardins verticais apresentam redução de até 17°C em relação às paredes nuas. Essa diminuição expressiva da temperatura interna reduz a necessidade de climatização e seus consequentes gastos energéticos e econômicos.

Os jardins verticais ainda colaboram com o microclima local, melhorando a qualidade do ar, atraindo a fauna, aumentando a superfície de absorção de água da chuva, e amenizando a temperatura do entorno. O aumento da quantidade de áreas verdes no ambiente urbano contribui também para a redução dos efeitos das “ilhas de calor” ocasionadas principalmente pela grande quantidade de superfícies impermeabilizadas. Em termos de composição paisagística, além das plantas com destacado aroma e efeito visual, ainda há possibilidade de incorporar espécies com propriedades medicinais ou que sejam comestíveis, beneficiando os habitantes com uma horta cultivada verticalmente em espaço bastante reduzido.

5


PROJETOS REALIZADOS Residência, Urca

6


7


Residência, Gávea

8


9


Restaurante Rayz, Ipanema

10


11


MANUTENÇÃO

M

anutenção periódica de Jardim Vertical:

• Operações rotineiras Retirada de folhas secas; Poda de manutenção e correção; Adubação e tratamento preventivo fitossanitário contra parasitas; Transplantio de espécies dentro do próprio jardim vertical; Limpeza de calhas de drenagem; Adequação da temporização da irrigação em função da estação; Remoção dos resíduos de manutenção. • Operações especiais Substituição de espécimes vegetais danificados; Conserto de irrigação danificada. • Condições mínimas necessárias Para a manutenção do jardim vertical são necessários as seguintes condições: Livre acesso as áreas de Jardim Vertical; Jardim Vertical com altura máxima de 4,00 metros de altura; Os pontos de infra-estrutura deverão ser definidos (locais, vazão, potência, etc.) junto a empresa de engenharia responsável pelos projetos complementares e/ou a construtora responsável pela obra. • Garantias Os vegetais fornecidos são de alta qualidade, tendo sua sanidade garantida pelo prazo de 3 meses após a conclusão do serviço. Os que não vingarem neste prazo serão substituídos. Porém, a contratada não se responsabiliza por quaisquer danos resultantes de vandalismo, perdas ocasionadas por furtos ou por adição de substâncias tóxicas após o termino dos serviços.

12


TÉCNICA DE INSTALAÇÃO

P

ara garantir segurança às paredes do imóvel, o muro é instalado em camadas. Primeiramente são aparafusados perfis de alumínio para distanciar a parede vegetal do muro, evitando assim infiltrações e penetração de umidade. Nesses perfis são fixadas placas rígidas compostas a partir de aproveitamento de aparas de tubos de creme dental 100% reciclados; sendo aproximadamente 25% de alumínio e 75% de polietileno, materiais perenes, ecológicos, isentos de manutenção e impermeáveis. Depois é fixada uma camada de feltro sintético para suprir a função de reter a água das regas e das chuvas e servir de suporte físico às plantas que se enraízam nessa camada. Se as condições da obra permitem, utilizamos a água que sobrou de uma irrigação para a irrigação seguinte. O processo é simples: o excesso de água de uma irrigação sai na base do muro vegetal e é encaminhada a um pequeno reservatório para retornar ao jardim vertical. Esse circuito permite economia de água e maior sustentabilidade na operação. O sistema de irrigação automática é uma premissa para o sucesso da manutenção do jardim vertical e, por isso, acompanhamos a instalação desse sistema em todas as etapas.

PARA ASSISTIR AO VÍDEO DE MONTAGEM DE UM JARDIM VERTICAL, CLIQUE AQUI 13


Placas de Polietileno e Alumínio

Manta de hidratação e suporte

Estrutura de alumínio

Placas de Polietileno e Alumínio

Bolsa para colocação da vegetação

Estrutura de alumínio

Manta de hidratação e suporte

Protótipo do sistema construtivo 14


Estrutura de alumínio

Placas de Polietileno e Alumínio

Manta de hidratação

Vegetação

Vista em camadas do sistema construtivo

15


Duarte Vaz

equipe fixa | permanent team

arquiteto paisagista | landscape architect sócio-fundador | founding partner Arquiteto e urbanista, FAU/UFRJ (1998) Architect and urban planner, FAU/UFRJ (1998)

Mestre em urbanismo, PROURB/UFRJ (2008)

Master’s degree in urban planning, PROURB / UFRJ (2008) iniciou seus primeiros contatos com projetos paisagísticos, ainda como estudante, no ateliê de Roberto Burle Marx, sob a regência de Haruyoshi Ono, sócio e discípulo do grande paisagista brasileiro. Duarte Vaz trabalhou no ateliê entre 1994 e 2001, quando resolveu desenvolver sua própria marca e fundou, com mais dois sócios, a MoVLe ARQUITETURA, PAISAGISMO E URBANISMO LTDA. O escritório, ao longo de quase 10 anos, desenvolveu importantes e diversificados projetos, o que rendeu em publicações e seminários um certo destaque. Já em 2009, Vaz realizou um desejo antigo de conduzir um trabalho focado apenas em paisagismo e, junto com o paisagista francês Pierre-André Martin, criou a EMBYÁ Paisagens e Ecossistemas. Formado em Arquitetura e Urbanismo e mestre em Urbanismo, Duarte Vaz é professor de paisagismo no Curso de Arquitetura da PUC-Rio.

Pierre-André Martin arquiteto paisagista | landscape architect sócio-fundador | founding partner Paysagiste dplg, École Nationale Supérieure du Paysage de Versailles (1999) Landscape architect, École Nationale Supérieure du Paysage de Versailles (1999)

Pós-graduação em Meio Ambiente COPPE/UFRJ (2006) Postgraduate studies in Environment, COPPE/UFRJ (2006)

Professor de Paisagismo, CAU/PUCRJ

Professor of Landscape Architecture, CAU/PUCRJ Estudou as ciências relativas a Paisagem e ao Território durante 6 anos na França, atua profissionalmente como paisagista e ambientalista há 14 anos em países como Brasil, França, Itália, Estados Unidos, Canada, Peru e Angola. Colaborou com o paisagista Fernando Chacel, é professor de paisagismo e supervisor de urbanismo da PUC-Rio. Desde 2009 é sócio-fundador da EMBYÁ Paisagens & Ecossistemas e participa ativamente da ONG INVERDE, Instituto de Pesquisas em Infraestrutura Verde e Ecologia Urbana. Escreve para “The Nature of Cities” site sobre cidades como espaços ecológicos. Palestra e leciona -como professor convidado- sobre sustentabilidade em diferentes instituições universitárias no Brasil.

Elena Geppetti arquiteta paisagista | landscape architect Arquiteto paisagista, Universidade de Roma LA SAPIENZA (2009) Landscape architect, Rome University LA SAPIENZA (2009)

Mestrado em Arquitetura Paisagística, PROURB/UFRJ (em curso)

Master’s degree in landscape architecture, PROURB / UFRJ (in progress)

16

Arquiteta paisagista formada na Itália, tive as primeiras experiências profissionais na Itália ao lado do paisagista Franco Panzini e no escritório CDP (Compagnia del Progetto) . No Brasil trabalhou no Laboratório da Paisagem do JBRJ ao lado da paisagista Ana Rosa de Oliveira ocupando-se da gestão e revitalização das áreas do Arboreto. Desenvolveu em parceria com o JBRJ o projeto de expansão de Jardim Botânico do Rio de Janeiro que foi também tema da dissertação de Mestrado no PROURB-UFRJ. Desde 2010, ao lado do Pierre e Duarte, faz parte da EMBYÁ Paisagens e Ecossistemas onde gerencia os grandes projetos entre quais o projeto executivo do Parque Olímpico do Rio de Janeiro.


Bruno Amadei

EQUIPE | TEAM

arquiteto e urbanista | architect and urban planner concepção de projetos | design conception Arquitetura e Urbanismo, UFF (2013)

Clara Meurer

arquiteta paisagista | landscape architect concepção de projetos | design conception

Arquitetura, Universidade Federal de Juiz de Fora (2008) Mestrado em Arquitetura Paisagística, PROURB/UFRJ (2013)

Leandro Martins

arquiteto paisagista | landscape architect concepção de projetos e coordenação de obras design conception and construction work coordination Paisagismo, UFRJ (2003) Arquitetura e Urbanismo, UFRJ (2013) Pós-graduação em Botânica, Museu Nacional, UFRJ (2008)

André Turu

arquiteto paisagista | landscape architect concepção de projetos | design conception

Arquitetura e Urbanismo, Universidade Mackenzie (2012)

Tissiane Soares administradora | manager

Administração, Gama e Souza (2009)

Isadora Riker arquiteta e urbanista | architect and urban planner Arquitetura e Urbanismo, UFF (2014)

Andrea Baran estagiária | intern

Arquitetura e Urbanismo, UFRJ (em curso)

Isabel Lima estagiária | intern

Arquitetura e Urbanismo, UFRJ (em curso)

17


PARCEIROS_em projetos diversos ARQUITETURA

ARCHITECTURE

AAA Azevedo Arquitetos Associados bernardes Arquitetura Campo AUD Coloco (França) Christiane Laclau & Rafael Borelli De Fournier & Associados Desenho Brasileiro Fábrica Arquitetura House in Rio In Loco Jacobsen Arquitetura Lattoog Design Miguel Pinto Guimarães MoVLe arquitetura Oficina de arquitetos Ópera Prima Arquitetura & Restauro Rafael Viñoly (Estados Unidos) Studio Domi SvR Design Company (Estados Unidos) Turenscape (China)

construção

construction

CHL Concremat Engenharia Consórcio Saúde Gamboa Fábio Bruno Construções Lafem Engenharia Nobilis Construções e Empreendimentos ltda. Seicor Projetos e Obras ltda. Tempore Engenharia ltda.

ÓRGÃOS PÚBLICOS

PUBLIC ORGANS

INEA - Instituto Estadual do Ambiente Rio 2016 e Rio Capital da Bicicleta Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio de Janeiro 18


Para estes e outros projetos, visite nosso site:

WWW.EMBYA.COM.BR

19


Paisagens e Ecossistemas Tel: +55 21 3648.6733 Email: embya@embya.com.br Endereรงo: Rua Almirante Gomes Pereira, 72 / Casa Urca Rio de Janeiro RJ 22291-170 Brasil


Portfólio Jardins Verticais EMBYÁ