__MAIN_TEXT__

Page 1

ESCOLA DE MISSÕES

2T69


EDITORIAL «Amarás o teu próximo como a ti mesmo», são palavras de Jesus, das mais conhecidas. A religião de Cristo se caracteriza pela compaixão. Pelo amor aos semelhantes. Aliás, Cristianismo é justamente isso. É impossível ser cristão sem ter amor. São palavras sinônimas: Cristo e Amor. Como vão suas relações Com o seu próximo? Nelas há amor? ISALTINO

GOMES FILHO


o Diretor Diretor

EMBAIXADOR

DELCYR Responsável. -

DE SOUZA LIMA Diretoria de Publicações

Periódicas

W. ALVIN HATTON do Departam-ento Masculino de Atividades

Redator

I

Mi•• ionárias

EDSON J. MACHÁDO e Chefe da Divisão de Embaixadores

do Rei

ISALTINO GOMES FILHO Redator- Secretário

PROGRAMAS: Páginas

Salvos para Servir Para um Mundo Melhor Nós e :l!:les Ajudando o Povo Brasileiro .. Ajudando os Povos Estrangeiros Amando o Próximo Revisão o

6 _. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

10

24 •

28

32

38 40

ATIVIDADES:

serviço Real (abril) Trabalho nos Postos (abril) Serviço Real (maio) Trabalho nos Postos (maio) Serv~ço Real (junho) Trabalho nos Postos (junho) 0

••••••

o

o

•••••••••••••••••••

o

5

o

• •

• •

• •

• •

9 15

27 •

31 34

SEÇÕES:

o Jôgo do Mês (abril) Conversando sôbre Livros Um Judeu Errante no BrasU Curiosidades O Jôgo do Mês (maio) o Jôgo do Mês (junho) Lições Simplificadas 0............................................ o o •••••••••

o •

o o

0

• •

• •

• •

•••••••••••••

• •

0

• •

• •

• •

13 14 17

16 23 37 41

o....

•••••••••••••••

ARTIGOS:

O Ideal de Dom Quixote Embaixadas -,•.Orníssíonárías" Canal 23 "0 0.................................... Minha Experiência de COnversão o"

-O EMBAIXADOR

-

Publicação

o o

trimestral

o

o

o o

da

Junta

de Educação

Religiosa

e

Publicações

Batista Brasileira: E. F. Haf lock, Dirctor·Supcrintcndente,Cathryn Smtth, Superintendente Religiosa; João Falcão Sobrinho. Superintendente de Administração; Almir Gonçalves Iüutor, de Produção; Paulo Rangcl, Scpeetaeendeate de Distribuição; Paulo Campos, Chefe do Serviço

e Arte. Redação: Rua Paulo Feraand es 24. Corr espondência: CASA PUBLICADORA '320. ZC 00. Rio de j aneieo, Guanahara, Brasil. Eedeeêçe telegráfico; BATISTAS.

da

2 3 4 8

Convenção

de Educação Superintendente de Diagramação

BATISTA,

Caixa Pootal


o

retornou a sua terra, onde morreu curado da loucura.

IDEAL DE

DOM QUIXOTE IGCF

- Sancho: Lá está o maldito gigante que me persegue! Não vês como êle sacode os braços, desafiando-me para uma luta de vida ou morte'? Eu aceito! Bater-me-ai em duelo com êle! E tendo dito isto, Dom Quixote disparou na direçâo do seu "inimigo", enquanto seu criado, Sancho Pança, gritava-lhe com tôdas as suas fôrças: - Não vá, Senhor! Não vá! É um moinho de vento! Volte! Mas, Dom Quixote não ouvia nada. Fazendo seu pobre cavalo, o Rocinante, correr com tôdas as fôrças de suas magras pernas, ia em direção ao moinho de vento, que na sua insanidade julgava ser um gigante. Não é difícil imaginar o que aconteceu. O heróico cavaleiro bateu sua lança nas asas de um dos moinhos e voou sôbre êste, caindo violentamente ao solo, quebrando alguns ossos. Exaltado pelos feitos da cavalaria andante narrados nos livros de sua época, Dom Quixote abandonou sua aldeia e dedicou-se à vida errante. Seu criado, um pobre camponês chamado Sancho Pança. Foi constituído como seu escudeiro. E lá

se foi Dom Quixote pelas terras de

reparando as írijustíças . Após loucas e incríveis aventuras,

Quixote era magro, velho e desengonçado, o que lhe valeu o epíteto de "Cavaleiro da Triste Figura". Já Sancho Pança era baixo e gordo. Havia também Ro.cina~te, um cavalo tão magro que so o peso de Dom Quixote lhe era uma dura carga. Mas, Cervantes (o auto.r da obra) não quis apenas fazer graças às custas das loucuras de sua criação. E não fêz somente uma crítica à Cavalaria Andante. Retratou, com eficiência, dois tipos de pessoas que bem conhecemos. Dois tipos que sempre existiram e sempre existirão até o final: Dom Quixote, idealista e sonhador, chegando até à loucura em querer proteger e ajudar os desamparados; Sancho Pança, realista e aproveitador, só pensando em comer e dormir. É claro que não queremos que nossos Embaixadores sejam imitadores de Dom Quixote. ~le foi um tipo burlesco, gaiato. Hoje, quando alguém costuma tomar atitudes ridículas, é comum chamá-lo de "Quixote" . Mas, há algo em que o louco personagem de Miguel Cervantes de Saavedra, merece consideração: embora louco, êle tinha um ideal. E não há coisa mais triste do que um pessoa sem ideal, sem objetivo na vida. Você precisa ter um ideal. Precisa ajudar a construir um ll1l111do melhor e não o fará, colocandose em primeiro lugar. Ajude os outros. Tenha um ideal de serviço. Jliluita gente precisa de você, Embaixador.

Espanha,

2

Vamos firmar um ideal?

o

EMBAIXADOR


I

EMBAIXADAS 1/

OMISSIONÁRIAS

11

Por incrível que pareça, há Embaixada "omissionárias", isto é, que de suas cogitações omitem missões. Tal qual algumas igrejas. A Igreja de Jerusalém por exemplo, revelou-se uma igreja "omissionária". O trabalho prosperava, almas se iam salvando diàriamente. Os crentes, por isso, conclurram que SÓ em Jerusalém deveriam anunciar a Palavra, tão animadores eram os resultados. E o IDE de Jesus? Ah! que outros o cumprissem! Mas, e as conseqüências? Estas não se fizeram esperar. Tremenda perseguição lhes sobrev-eio e, assim, bàrbaramente fustigados, tiveram que fugir da fúria dos inimigos. Mas, COIllO eram crentes de fato, por onde iam pregavam o Evangelho, almas se iam rendendo a Jesus, igrejas iam sendo organizadas. Missionários à fôrça quando deveriam ser espontâneos ... Felizmente os aguilhões divinos surtiram efeito. Bem melhor, porém, seria obedecer espontâneamen2'1 TRIMESTRE

DE

1969

te. Sirva-nos a dura, mas necessána lrçâo . Evoquemos agora a Igreja de Antioquia, pioneira da obra rnissionária. Ela orava e jejuava, no desejo de conhecer e obedecer a vontade de DEUS. Ouviu então a voz do Espírito Santo: "APARTAIME a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado". E que missionários foram! Não necessitaram ser chicoteados, mas voluntàriamente obedeceram. Como drsse no início, por paradoxal que pareça, há Embaixadas que destoam dêstes grupos de crentes do passado. Tais Embaixadas só se preocupam com a cidade 0,u bairro onde se localizam. Embaixadas presas às quatro paredes. Não oram por missões. Não contribuem para missões. E nada fazem para missões. Parecem com o caracol. Não crescem. Desconhecem certas passagens da Bíblia. Nem tudo, porém, está perdido. Há Embaixadas que enfatizam missões , Que, como os crentes de Antioquia, têm a alma e o coração na obra. Qual é a sua Embaixada: nárra ou ornissionária ?

missio-

Nunca nos falte à memória, a ordem do Rei. "Portanto ide, fazei discípulos de tôdas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; Ensüiando-os a guardar tôdas as coisas que eu vos tenho mandado' e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos". (Adaptado de A PÁTRIA PARA CRISTO) . 3


1. O televisor é o meu pastor.

Meu crescimento

espiritual ficará em falta. 2.

Deitar-me faz numa poltrona, embotando minha mente e "mediocrizando" o meu coração.

3.

"Refrigera"

os meus nervos com programas,

vazios de conteúdo e restaura os meus conhecimentos das coisas do mundo. 4.

Ainda que eu andasse pelo caminho do templo em busca de alegria, confôrto e paz, não teria bem algum, porque êle não me deixaria tempo para fazer a obra do reino.

5. Prepara uma mesa perante mim na presença de falsos amigos que se deleitam com o meu. "testemunho".

O seu som e imagem pouco

confortam. 6.

Certamente

que o indiferentismo

e as falsas.

emoções me seguirão todos os dias da minha vida e habitarei distante da alegria verdadeira e pura do Senhor para sempre. (transcrito)

4

o

EMBAIXADOR


1'1- Reunião

Abril

SERVIÇO EVANGELlZACAO .:.

REAL NOS LARES

Um episódio bem interessante no princípio do ministério de Jesus, de Levi. Depois de se decidir a seguir o Mestre, Levi deu um banquete em sua casa e ali a mensagem do Senhor foi proclamada. Foi o primeiro' ponto de pregação do Nôvo Testamento. é o da chamada

Desde os tempos de Jesus, o Evangelho é proclamado nos lares. E sendo uma organização missionária, "Embaixadores do Rei" não pode perder estas oportunidades de evangelização. É uma maneira de 'testemunhar do Senhor Jesus. A sugestão para êste mês é que a Embaixada realize um culto na casa de um dos Embaixadores. Já demos esta idéia anteriormente e recebemos ótimas palavras de Conselheiros que a experimentaram. Tudo deve obedecer a um planejamento eficiente. Os Embaixadores devem convidar seus amigos para participarem do culto. É uma ocasião ímpar para alcançá-los com a mensagem do Evangelho. O culto deve ser dirigido pelo Embaixador-Chefe, com tôdas as partes desempenhadas pelos próprios Embaixadores. O pregador pode ser o pastor. Deve haver solenidade e reverência. Nada de risos, cochichos ou conversas. Apresentem-se corretamente. Sapatos sujos e cabelos desganhados depõem contra. I

Após o culto, convidar os visitantes para irem? igreja. Sendo meninos, convide-os para irem à Embaixada. É interessante também que se distribua literatura evangelística (com o endereço da Igreja ou da Embaixada) com os vrsitantes , Muito cuidado no comportamento, 2~ TRIMESTRE

DE

1969

voltamos a frisar. 5


Abril 2~ Reunião

SALVOS

PARA SERVIR OPHIR

COMEÇANDO Os Embaixadores, como representantes de Cristo, devem ter consciência de que precisam trabalhar pelo reino de Deus. É o princípio básico de um crente: salvo para servir. E servir, não só a Deus, como também ao próximo. Êsse princípio é encontrado em Romanos 14:7: "Nenhum de nós vive para si mesmo". Ora, se somos "Embaixadores por Cristo", isso tem cabimento em nós. Não vivermos para nós, mas vivermos para servir os outros e dêste modo, servir a Deus. Portanto, eis nossa primeira descoberta: nossa vida deve ser de serviço ao nosso semelhan te. E a segunda é esta: servindo o nosso semelhante estam os servindo a Deus. Resumamos as duas verdade nesta citação de Jesus: "amar a Deus sôbre tôdas as coisas e ao próximo como a si mesmo" (Mateus, 22:3739). Mas, é lícito esta pergunta: que devemos servir?"

"por-

PEREIRA

DE

B,ARROS FILlIo

precisamos dos outros. Qualquer que seja a nossa contribuição, por menor que seja, é útil. O que seria de nós sem nossa família? O que seria de nós sem o médico? E o que seria do médico se não fôssem seus professôres que o ensinaram? O pão que comemos todo dia de manhã, é um exemplo de que todos tem uma participação neste mundo que precisam desempenhar. Nós o compramos. É o padeiro quem o faz. O camponês planta e colhe o trigo usado no pão. Os motoristas de caminhão o transportam para a cidade. É Deus quem manda a chuva e o sol para que o trigo cresça e fique no ponto. Na origem de tudo, encontraremos Deus, quem nos dá tôdas as coisas, E como agradecer? Basta orar e dizer: "Senhor, obr-igado !"? Também podemos demonstrar nossa gratidão a Deus servindo aos outros, sendo útil. Há tantos que necessitam do nosso auxílio, da nossa participação! E nós podemos fazer a nossa parte! COMO APRENDER A SERVm

DEVEMOS SERVIR PORQUE DEUS NOS DÁ TUDO Um de nós pode perguntar: "mas se só eu vou servir, que adianta?". E quem foi que disse que só um serve? Todos servem. Todos nós 6

Será fácil ou difícil servir? É preciso aprender para poder prestar o serviço cristão? Suponhamos que uma Embaixada resolva consertar a casa de uma

o

EMBAIXADOR


senhora bem pobre que mora lá no morro. (Isto é uma parte do serVIço cristão. O trabalho que podemos fazer também é espiritual, não só material). Ora, é uma idéia brilhante. Como a poderemos executar? Quem vai consertar as dobradiças da porta? Ah, Iógicamente o Pedro! :f;!le tem jeito para isso. Mas, pintar é com o Mário. Tonino rem bicicleta, pode transportar o material. E, "seu" Joaquim pode nos ajudar dizendo o que fazer e como fazer. Como já notamos, cada um fará o que sabe e "seu" Joaquim nos ensinará naquilo que não soubermos. Para servir, é preciso aprender. Servirá melhor quem souber melhor. Entra então o fator estudo. Devemos nos esforçar nos estudos. Assim se formaram os médicos, os engenheiros e os cientistas. Devemos estudar com êste objetivo: aprender para servir. É verdade que muitos estudam para si, para ganhar dinheiro. Mas, esta não é a atitude do Embaixador de Cristo. Nosso intento deve ser êste: servir .

ACHANDO A MINHA VOCAÇÃO Outra coisa que logo notaremos quando a turma estiver a consertar o barraco, é que o Mário que pinta como ninguém, é incapaz de pregar um prego direito. Nem todos, por exemplo, aprendem música depressa. Isso se chama talento. Há diferentes talentos. Cometemos uma falha muito grande quando não descobrimos nossos talentos. É o caso 'de quem, no futebol, tem tudo para ser um grande goltáro, mas só quer jogar na linha. Resultado: erra o talento e não faz Z'

TRIMESTRE

DE

1969

nada certo. Nem uma coisa nem outra. Deus nos concedeu muitos talentos para servir. Música, pintura, inteligência, fôrça, saúde. Para servir, temos que descobrir nosso talento e seja qual fôr, usá-lo para servir a Deus e ao próximo. Para o bem da humanidade. A 'escola desenvolve o nosso talento. Se não o desenvolvemos, estamos pecando contra Deus. Se por- exemplo, gostamos de música e não estudamos, estamos pecando, en'l:errando o talento que Deus nos deu. Quem sabe, Embaixador, o dom que Deus lhe deu é o da pregação da Sua Palavra? Se o seu dom é pregar o Evangelho, dê graças 2 Deus! É o que de mais sublime pode acontecer a um ser humano! TERMINANDO Munidos, portanto das ferramentas que a Escola e a Educação podem nos fornecer, tendo descoberto qual o nosso talento, vamos servir! Porque tudo quanto fizermos de bem aos homens, a Deus o fizemos (Mat. 25 :40) . Para terminar, faça um teste. Aqui estão várias necessidades dos moradores do barraco que você vai construir. Mas estão fora de ordem. Coloque-os em ordem, segundo a importância. O mais importante, primeiro. Depois procure descobrir o que você precisa aprender para poder solucionar as neces- -sidades. TELHADO ALIMENTO ÁGUA FILTRADADIVERTIMENTO - CULTURA - SALVACÃO - BOAS MANEIRAS - EMPR~GO - REMÉDIO - FELICIDADE. 7


MINHA. EXPERIENCIA DE

CONVERSÃO EMBAIXADOR HELIUlVI MARQUES PERELRA JR EMBAIXADA PAS'l'OR ÉBER VASCONCELOS IGREJA BATISTA SÃO FRANCISCO XA YIER GB_~/

Fui criado num ambiente cristão, mas além da incompreensão das coisas espirituais ocasionada pela idade, ia à igreja mais por costume e seguindo o exemplo dos pais. Não havia interêsse individual e verdadeiro. Ao mudar-me da zona rural para a cidade, com 10 anos de idade, continuei a freqüentar a igreja (Metodista) mas tão somente quando meus pais o faziam. Devido ao pouco interêsse que sentia, fui trocando as horas de domingo que por costume passava na igreja, por momentos de diversão, prática de esportes, etc. Deixava então, de freqüentar uma igreja evangélica e permanecia corrrpletarnen te alheio a minha vida espiritual. Já com 13 anos de idade, minha atenção foi despertada por certos pequenos grupos de rapazes que distribuíam literatura evangélica. Pelo convite e mais as gentis explicações que me deram, fiquei sabendo tratarse de uma organização da denominação batista, Embaixadores do Rei. Êles estavam auxiliando na campanha de visitação e convites para uma Escola Bíblica de Férias que estava prestes a começar. Fui desperlado e atendi ao convite. Terminada a EBF, continuei freqüentando a Escola Biblica Dominical. A classe que freqüentava era formada de vários Embaixadores. Logo recebi o convite para assistir uma reunião da Embaixada. Confesso que minha expectativa era grande. Ao me deparar com o interêsse daqueles meninos e rapazes por Missões, com o ,seu programa que preenchia a lacuna existente em meus domingos, com sua gentileza no trato entre si e para caiu os visitantes, [senti-me atingido, profundamente atingido e impressionado. Após a reunião, no culto ao ar livre, e ainda no culto realizado no templo, parecia que o pregador falava somente para mim, obrigando-me a pensar nos meus pecados. Só agora, após orientação da Embaixada, entendia o plano de salvação, o objetivo da morte e ressurreição de Cristo e a real importância disso para mim. Entreguei-me a Êle, sendo batizado no dia 15 de fevereiro de 1967. Hoje gozo perfeita paz, fazendo a vontade do meu Rei de quem sou Embaixador, com muita alegria. Já alcancei o pôsto de Embaixador e ocupo a função de Cônsul na Embaixada Pastor Éber Vasconcelos, da Igreja Batista de São Francisco Xavier, lRio de Janeiro, GB. 8

o

EMBAIXADOR

/""


3~ Reunião Abril

TRABALHO NOS POSTOS

COMPETiÇÃO Nossa sugestão para a reunião de hoje é que o estudo dos requisitos seja feito em conjunto com outra Embaixada, ou com o FORTE da região, Os Conselheiros devem se avistar com antecedência, Devem estar munidos de uma relação dos componentes de suas Embaixadas os postos que estão fazendo Devem marcar os requisitos que serão estudados em cada pôsto . .Os Embaixadores devem estudar bem, até conhecerem tôda a matéria, Então, estarão aptos para o debate,

e

e,

É óbvio que a disputa

deve ser entre Embaixadores

do rnesrno pôsto,

Cuidado para que não haja rivalidade. Maiores explicações sôbre reuniões desta natureza podem ser encontradas nas revistas dos trimesfres anteriores. Caso a reunião seja feita em dia de semana, pode haver um lanche, ou uma reunião social para confraternização. Será útil, após o debate, para aliviar qualquer tensão que paire' no ar. Sendo, porém a reunião realizada no domingo, no horário das outras organizações, dêve ser encerrada antes do normal, a fim de possibilitar 'aos Embaixadores visitantes a chegada em sua Igreja a tempo do culto. Os Conselheiros devem observar os seus comandados que mais se destacarem durante a argüição e considerar os requisitos como aprovados, desde que tenham respondido satisfatoriamente. .. 2~

TRIMESTRE

DE

1969

9


Abril 4~ Reunião

PARA UM MUNDO ISALTINO

ORIENTAÇÃO AO CôNSUL Esta lição é uma representação. Dois narradores (Embaixadores que leiam fluentemente e saibam dar ênfase leitura) alternam-se na narrativa. Da vida e vibração que êles derem à leitura, dependerá a mensagem do programa. Os demais participantes não falam. Excelente oportunidade para testar os mais tímidos. Conforme contatos com. o pastor, pode apresentar à igreja. Ensaiar bem para evitar o fiasco. Para uniformização, os personagens que surgem devem vestir uma beca. Se a igreja usa becas para os batizados, falar com o pastor e solicitá-Ias. Se o programa fôr à noite, apagar as luzes e deixar um foco sôbre os vultos. à

1.0 NARRADOR: Assisti outro

dia a uma dolorosa cena. Uma senhora que havia perdido o seu filho, gritava em desespêro : "Deus é injusto! Por que levou meu filho? Por quê? Sim, por que tanto sofimento, tanta dor, neste mundo?" Ao criar o mundo, Deus instituiu a ordem. Ao pecar, o homem introduziu a desordem. O pecado é o causador de todos os sofrimentos. A Bíblia diz: "os vossos peca.dos vos hão de achar". A única maneira de eliminar o sofrimento, é 10

MELHOR GOMES COELHO

FILHO

eliminar o pecado. Trazendo Cristo a todos os homens, porque E;le "tira o pecado do mundo". O mundo sofre por causa do pecado. Mas, nós podemos minorar o sofrimento do mundo. (Música suave, por algum instrumento, enquanto entre o 1.° personagem. Traz uma faixa onde se lê a palavra ANALFABETO. Seus olhos estão vendados. A venda deve ser um pano branco, leve, para que possa enxergar. Senta-se, após deixar que a faixa seja vista por todos. O seu aspecto é de desolação). 2.° NARRADOR: Ah! Como eu gostaria de que me tirassem esta venda dos olhos! Como é triste não saber ler! Outro dia, estava sozinho em casa. Senti tanto desejo de ler a Bíblia, de estudar a Palavra de Deus! Mas, que remédio! Como ler ? Ninguém me ensinou! Como fico invejoso ao saber que até crianças, em outros lugares, sabem ler! Mas aqui neste fim de mundo, quase ninguém sabe ler! Disseram-me que os crentes amam tôdas as criaturas. Eu não creio! Se amam, por que não enviam professôres para esta cidade? Se eu soubesse ler, se êste povo soubesse ler, como as coisas para nós melhorariam r (Sai. Músíca suave) . o

EMBAIXADOR


LO NARRADOR: Que triste lamento! Quanta gente está esperando por nóó! Multidões de pessoas sabem que podemos fazer algo por êles e estão esperando por nós! Que faremos? Ficaremos sem atender o clamor? Mas vem mais alguém aí. É SOFREDOR. Vejamos o que . dirá! (Entra outro Embaixador, usando uma faixa onde se lê SOFREDOR, Tem o braço na tipóia e uma faixa em volta da cabeça. Depois' que todos vêem o letreiro, senta-se). 2,° NARRADOR: Como precisamos de um médico ou enfermeiro na nossa região! Como o sofrimento lá é grande! Qualquer ferimento é perigoso, pois pode nos causar infecções mortíferas, Não sabemos como cuidar delas ! Outro dia, uma senhora morreu de parto, por assistência deficiente. Uma epidemia de gripe deixa tôda a população prostrada. Não há recursos para debelá-Ias, Precisamos de um dentista, também, Muitas pessoas sofrem por causa de um dente que é preciso extrair. Ouvi falar que os crentes têm uma grande preocupação em minorar nosso sofrimento. Não creio. Se é verdade, porque não nos atendem? Onde estão os moços crentes, que não ouvem o nosso clamor? (Sai.) . 1.° NARRADOR: "Então dirá O Rei aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos: Porque tive fome e não me destes de comer; tive sêde e não me destes de beber; sendo forasteiro, não me 2~ TRIMESTRE

DE

1969

hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfêrmo e prêso não fôsle ver-me. E êles lhe perguntarão: Senhor quando for que te vimos com fome, sêde, forasteiro, nu. enfêrmo ou prêso e não te assistimos? Então lhes responderá: Em verdade vos digo que sempre que o deixastes de fazer a um dêstes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer" . Esta declaração é de Jesus, narrada por Mateus . 2.° NARRADOR: Duras palavras r Mas, há mais alguém para mostrar nossa deficiência: PECADOR. Vejamos o que êle nos dirá. (PECADOR entra cambaleando. Senta-se desolado, com o rosto entre as mãos, após deixar que todos vejam a faixa) . 1.0 NARRADOR: Estou perdido, perdido! Sinto que estou no caminho do inferno! A minha alma está angustiada. O pêso dos meus pecados me oprime e me esmaga, Eu quero ser salvo! Mas como? Ninguém há que me explique como proceder para escapar da condenação. Minha religião é insuficiente para me salvar, eu sinto. Há um vazio dentro de mim. Esmolas e caridade, por mais que eu as pratique, não atenuam meu sentimento de culpa. Como posso fazer para ser salvo? Quem pode me informar? (PECADOR sai chorando.)

2.° NARRADOR: Ouçamos o que diz a Palavra de Deus em Ezequiel 33:7-8: "A ti, pois filho do hoó

11


rnem, te constitui por atalaia sôbre a casa de Israel; tu) pois, ouvirás a palavra da minha bôca, e lhe darás aviso da minha parte. Se eu disser ao ímpio: ó írnpio, certamente morrerás; e tu não falares, para avisar o ímpio do seu caminho, morrerá êsse impio na sua iniqüidade, mas o seu sangue, eu o requererei das tuas mãos". 2.° NARRADOR: Multidões sem Deus e sem salvação clamam por nós. Se somos crentes, por que não atentamos para êsse clamor ? Se cremos na Bíblia, por que não a obedecemos? Embaixador, onde estão as almas que ganhaste para o teu Rei? Onde estão os teus frutos? Onde estão os que livraste do inferno? O que tens feito pelo Evangelho? Uma vida sem frutos, não é a vida normal de um representante de Cristo. O Senhor Jesus dis-

se que os galhos secos serão cortados e lançados fora. Tens dado frutos ou és um galho sêco ? Quando olhava as multidões, Jesus compadecia-se delas porque as via como ovelhas que não têm pastor. Multidões hoje em dia se assemelham a ovelhas sem pastor. Andam errantes. Caminham para a morte. E nós? Estamos neste mundo e nada faremos? A Bíblia diz: "salvai alguns, arrebatando-os do fogo". Embaixadores, vamos salvar o nosso povo através da pregação de Cristo crucificado, loucura para muitos, mas o poder de Deus para salvação de todos aquêles que crêem. (Alguém faz o solo da 1:;1 e 3:;1 estrofes do hino 477 "Não me Falaram de Cristo." Convidar a Embaixada para cantar o carinho "Por Jesus Trabalha") .

I

-

ATENÇAO, Na

Lhe 12

EMBAIXADOR! Página

Algo

48

Que

Interessal o

EMBAIXADOR


o

JOGO

PASSOS

DO

MES

DE GIGANTE

Riscam-se duas linhas paralelas, distantes uma da outra vinte metros aproximadamente. Os Embaixadores se dispõem em f'ila junto à primeira. A um sinal do Conselheiro. os Embaixadores, um a um, partem aos saltos para a segunda linha. Conta-se e anota-se quantas vêzes cada Embaixador tocou com os pés no chão. O vencedor é aquêle que fizer o percurso com menor número de saltos. 2~

TRIMESTRE

DE

1969

13


ISALTINO

Esta seção continua a fazer indicações de obras selecionadas que possam ajudar no desenvolvimento espiritual dos Embaixadores do Rei. Os livros sugeridos foram lidos, todos êles, pelo colunista. EM

SEUS

PASSOS,

QUE

FARIA

- Charles Sheldon, - Junta de Educação Religiosa e Publicações.

JESUS?

Um grupo de crentes da cidade de Raymond resolveu fazer esta pergunta antes de tomarem qualquer decisão. Revolucionaram a cidade. Êste é um dos maiores livros já escritos. Você lucrará muito com sua leitura. ÊSTE, Brígs -

MEU

Junta e Publicações.

Argye M. de Educação Religiosa

IRMÃO

-

Dois amigos de infância, Josh e Edward. Um branco e outro negro. Edward filiou-se à Igreja. Josh endureceu o coração até que Deus o venceu. O livro é excelente por mostrar dois úteis aspectos: os problemas do ser humano da adolescência até a velhice e o problema racial na sua rudeza. Uma grande obra! AVENTURAS EM TERRAS BOLIVIANAS autobiografia do Pr. Waldo-

miro Motta - Junta de Educação Religiosa e Publicações. O pastor Waldomiro Motta, pioneiro dOs batistas brasileiros na Bolívia, nar14

GOMES

COELHO

FILHO

ra seu trabalho. Conheça as lutas, dificuldades e alegrias de um missionário. Aumente seus conhecimentos sôbre o movimento missionário brasileiro lendo êste livro. A ESTÓ,RIA

DO MENINO

PECADO

- Cláudia França - Junta de Educação Religiosa e Publicações, A estória de um conhecidíssimo personagem que por vêzes se torna nosso "amigo" íntimo. Após ler o livro, você não desejará mais tão incornôdo amigo. ÊLE TINHA O MUNDO NO CORAÇAO - José dos Reis Pereira - Junta

de Missões Estrangeiras. Biografia de William Carey, o "pai das missões modernas", De grande utilidade para os Trabalhos nos Postos. As Embaixadas que têm Carey como patrono devariam fa2er o estudo dêste livro. ANTOLOGIA

MISSIONARIA

-

di-

versos - Junta de Missões Nacionais. sôbre o trabalho missionário no Brasil. Poesias, j ograis, representações e hinos De excelente utilidade para o próximo trimestre dedicado a Missões Nacionais. Adquira-o para um programa mais eficiente. Sugerimos ao Conselheiro ir adquirindo pouca a pouco tais obras e deixá-Ias na biblioteca da igreja, à disposição da Embaixada.

o

EMBAIXADOR


Maio

1~ Reunião

SERVIÇO AJUDANDO

REAL

OS NECESSITADOS

Na epístola de Tiago 2, versos 15 e 16, está escrito: "se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem contudo lhes dardes o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?" O ensino dêsse texto é que não basta apenas desejar paz, felicidade, prosperidade e alegria para as pessoas. É preciso lhes dar o que é necessário para o corpo, a fim de satisfazer suas carências. Talvez a Embaixada funcione num bairro ou cidade pobre. Caso contrário, ao seu redor, da mesma maneira, haverá pessoas necessitadas. Isso, nunca falta. Já que neste trimestre falamos de educação, que tal colaborar no SERVIÇO REAL com esta obra? A Embaixada deve fazer um levantamento de crianças que precisam estudar, mas não têm condições de adquirir material. Êsse levantamento não deve ser feito de porta em porta. Deve ser realizado pelos Embaixadores, individualmente, dentro do seu campo de relações. Por exemplo, um Embaixador faz uma relação de seus conhecidos que não têm condições para adquirir material e apresenta ao Conselheiro. Depois, o próprio Embaixador, pessoalmente. irá até seus amigos e lhes entregará o material que a Embaixada adquirirá (é a nossa sugestão) . Hoje deve ser discutida a quantidade de material que será dado a cada ajudado (quantos lápis, borrachas, cadernos, etc.) e o método pelo qual o material será adquirido (se os Embaixadores comprarão, se a tesouraria da Embaixada patrocinará, se levantarão ofertas, se pedirão ajuda a SCH ou Igreja, etc). A vantagem que há na sugestão de cada Embaixador entregar pessoalmente a contribuição da Embaixada é que assim a pessoa que receber não será humilhada. Ao entregar o material, deixar também um Evangelho (se a Igreja não possui, adquirir para êste fim) e o convite para se ir à Igreja. Importante: nunca dê dinheiro e nunca diga também às pessoas ajudadas que a Igreja ou a Embaixada está lhes prestando um favor. ll:ste trabalho será uma grande experiência para os participantes. É uma tarefa mais complexa que distribuir folhetos ou realizar cultos, mas uma Embaixada bem organizada não terá dificuldade em desempenhá-Ia. Aos que se integrarem no trabalho, o Conselheiro marcará: como uma hora de Serviço Real. 2"

TRIMESTRE

DE

1969

15


CURIOSIDADES

1)

2)

o Empíre state Bulding é o mais alto arranha-céu do globo. Tem 102 andares e mede cêrca de 412. ms. de altura. Estende-se por mais de 8.000 ms2. Foi construído de 1929 a 1931 e nêle se empregaram aproximadamente .... 13.000.000 de tij alas, 300.000 pés cúbicos de madeira. Sua estrutura é de aço, e o arranha-céu acha-se cravado numa rocha por vigas profundas de 15 ms. de comprimento. Na época, custou a importância de 10.000.000 de dólares, o que equivale a 37 bilhões de cruzeiros antigos. Naquela época! O nariz humano pode perceber 6.850 cheiros diferentes.

3)

Cada sílaba que uma pessoa pronuncia põe em movimento 72 músculos do corpo.

4)

O organismo humano compõe-se do seguinte: litros de água, 20 quilos de carvão, 4 litros de amônia, 1,5 quilo de cálcio, 800 gs. de fósforo, 250 gs. de sal comum, 100 gs. de enxôfre, 80 gs. de salitre, 40

16

•••

50 gs. de magnésio 7,5 de manganês,

grama de alumínio, 20 centigramas de arsêriico, traços de chumbo, cobre, íôdo, cério e bromo. 1

5)

O beija-flor é o único pássaro que voa em marcha à ré.

6)

O menor livro do mundo é um Nôvo Testamento, impresso nos Estados Unidos em 1895. Mede 18 milimetros de comprimento por 12 de largura. A minúscula obra, escrita em inglês, constitui-se de 860 páginas que são lidas com o auxilio de uma lente.

7)

A expressão "lágrimas de crocodilo", tem a sua razão de ser. Quando devora sua vítima, o crocodilo faz forte pressão sôbre o céu da bôca, comprimindo as glândulas lacrimais. Por esta razão é que "chora" enquanto devora a prêsa.

8)

O nome de "Cidade Maravilhosa" foi dado ao Rio de Janeiro pelo escritor Coelho Neto. ~m 1908, O grande literato escreveu memorável artigo no jornal "A Not1cia", enaltecendo a cidade e dando-lhe tal nome. De lá para cá, com justiça, o apelido pegou.

natural

o

EMBAIXADOR


UM JUDEU

ERRANTE NO

2~ TRIMESTRE

BRASIL

DE

1969

17


DI..!, O P.4.LJRl!.' JjA. ClD.{DE 1,OCAL DECIDiu ACABAR o TRAnAUJ(l çwJ.' '''AL{)MA.o~n('''ll,l FAZENDO AJA. PFI.A l'f()LF:.vrfA. r:: rLA/W.'

CJI

COM

~~~

/XTERDENOJIINACIONAL.

,lU

VA.Le!.. .lIU/TA

QUF.ST.tf.O .\'0

DO

ERA.SIL,

BATISJI0 {'/lEGOU ~RJ.:C/S.{I·A

18

POR

H/PORTÁNI..:J.{ .

.lIAS À

COM

P.DUCO

COl,.,rCLUSÁO

lJJ.:F'IXIR·SE

o

ESS ..(

IUZÁO

À

DE

TEMPO QUE

S6BRE.

'EMBAIXADOR


DEPOIS DIa ALGUM TEMPO EM CAMPOS,

SALOMÁO

CASOU·SB

COM A .MISSIONARIA E,mA

MORTON,

QUE JA O AJUDAVA HÁ AWUM

TEMPO

PRINCIPALMENTE AO

2?

TRIMESTRE

DE

1969

AR

COM A MOS/CA, NOS

CULTOS

LIVRE.

19


2.0

o

EMBAIXADOR


S.H.D:lJÁO

P.-tSS'OC.-t

QUE

AJ~[) ..•• D()

2~

FOI

ra IM f

ESrI/DA.R PELO

.,T RE

PROFU.\fD.-t..lfl.;XTP..-t

R/RUA,

XO

.lflSSIONAIUO

'JE

1969

21


ti

1)/~r;ISJ[Q tn: li'AltIl

LESSA

E EJf

F..\"CONTIWU

MENOS

DR

..{ F ..flo!lU.-t.

rol

UM

SERIA

NA.

E JOAQUIM LESSA, /'ERAN7'B PUR S,1UHfÃO Gn;S1'1UIW.

.1.000

TE~TõMUNHAS,

'''"0/

BATIZADO

Tt)nA

AVO.

GANll.·l

ooosiçso

PARA

CRISTO POR INTERMtDlO

DE SAW.1IAO E LR.'.'A

22

o

~Ml3'AIXAPOR


Ao

A

O, J O G O DO

MES

;

k

I'

~

~

iO-ms

4

~

LÔBOS

E

* *

OVELHAS

Traçam-se das linhas paralelas, distantes uma da outra cêrca de 10 metros. Um Enhaixador é sorteado para ficar entre as linhas. É o lôbo; os demais sã\ as ovelhas. As ovelhas prrlllJ.ram atravessar se deixarem pegar P~o lôbo.

de uma linha para a outra, sem

Para maior anímçâo, deve-se procurar confundir o pegador , Por exemplo: enquanto un Embaixador ameaça atravessar, outro deve aproveitar a oportunidade passar para a outra linha. l

Todo aquêle que fr pego tornar-se-a

lôho c também terá a tarefa

.le pegar os outros.

O jôgo termina qua:l:lo<l última ovelha 6 capturada. I

2?

TRIMESTRE

DE

HJ6C1

·23


Maio 2'~ Reunião

NOS E ELES ISALTINO

Quase todos já ouviram falar de relação vertical e relação horizontal. São expressões muito usadas hoje no linguaj ar religioso. Relação vertical é o que se chama de relação com Deus. Querem dizer com isso que o homem, cá embaixo, pode ter relação com Deus, lá em cima. Não parece muito certo. Deus não está lá em cima. Está cá embaivo, também. "Estarei convosco todos os dias" e "onde estiverem dois ou três, ai estarei", são as palavras de Jesus. Relação horizontal é a relação do homem com o homem. Nós e o nosso próximo. A nossa relação com os outros. É isso que vamos estudar hoj e. É de grande ímportâncía para nós. Vamos, pois, focalizar a nossa relação com nossos amigos. Nós e êles. O que lhes devemos. O Que precisamos fazer por êles. DEVEMOS PRóXIMO

AMOR AO NOSSO

'

"Ih, outra vez aquela surrada

estó-

ria de que devo amar o meu próximo por ser a~itude cristã", dirão alguns. "Já ando saturado disto". Um homem, certo dia, estava muito aflito. Era uma pessoa muito só. Sentia a grande necessidade de um amigo. Foi ler o Nôvo Testamento. Lá encontrou as palavras de Jesus: "Não vos chamarei mais de servos, mas de mígos". Isto o deixou muito alegre. 24

GOMES

COELHO

i1'TLHO

"Amigo", pensou êle. "Eu tenho um amigo. Jesus é meu amígr!" E como aquêle amigo modificou a sua vida! No Amazonas havia un missionário que se identificou muito com os caboclos. Sofria com SU8.S necessidades. Como o seu sobrenome era muito difícil de pronunciar, passaram a chamá-Io simplesmente di "Amigo". E andavam quilômetros ~ pé para verem o "Amigo". E cono era acatado pelos caboclos. Amor é uma das naiores necessidades do sér humaro . Zaqueeu, por exemplo. Tinha posírâo social. Tinha dinheiro. Mas, não tnha amigos. Sua profissão não o ajTdava muito. Subiu a uma árvore pira ver Jesus. Ganhou um grande snigo, como muito precisava. E como êste amigo mudou a sua vida! Procuremos ser amigos dos nossos conhecidos. Procuemos fazer com que se sintam confíaros em nós. Teremos uma porta abert: para evangelizá-Ios, As pessoas dão naís valor às palavras dos amigos. Afjml, são pessoas dignas de crédito. Há algum tmpo atrás, fui falar do Evangelho a m senhor. E êste disse: "Não posso tr crente. Eu tenho. um amigo que dlse que não vale a . pena ser crente (eu confio muito nêle". Embora endo, êste homem valorizava seu arigo. Um dia, porém, converteu-se. riu que seu amigo estava errado. c(neçou a freqüentar a igreja. E comçOUa evangelizar o seu amí-

o

EMBAIXADOR


go . Um dia, levou -o à igrej a. E êste à saída do culto me disse: "Se o me~ amigo diz que vale a pena ser crente é porque vale mesmo". Podemos observar nesta história o valor que as pessoas dão aos amigos. Através da amizade com colegas do co-

íégto e trabalho, poderemos conseguir muitos frutos para o nosso Rei. Por isso que é preciso amar o próximo.

DEVEMOS TESTEMUNHAR NOSSO PRóXIMO

AO

Uma senhora da minha ígrej a tem dois filhos que dão péssimo testemunho. Brigam à tôa. Por "dá aquela palha". Mas ela é muito fiel e gosta muito de evangelizar. Ao falar do Evangelho a uma vizinha sua, esta lhe disse; "Ser crente para 'quê? Para viver num inferno como seus filhos que são crentes fazem com a senhora?". Horrível, hein? Quantos de nós ainda procedemos assim? Devemos o tesmunho ao nosso próximo. Por exemplo, quando Pedro negou a Jesus, dizendo que não o conhecia, alguém lhe disse o seguinte: "Não! Também tu és um dêles. A tua fala te denuncia". E Pedro continuou a negar. E continuaram a insistir. É impossível fugirmos ao testemunho. O mundo sabe quem somos. Sabe que somos cristãos. E espera que testemunhemos. Nosso testemunho é cobrado. É exigido. Devemos o testemunho. É provável que às vêzes preguemos, preguemos, e ninguém ligue para a nossa pregação. Mas o dia em que "despregarmos", todos notarão. "Ué, não é Crente?" dirão logo. Muito cuidado pois, neste aspecto. Nunca o deixemos de lado. Êle é muito importante para trabalharmos produtivamente pelo Rei. DEVEMOS PRóXIMO

O EVANGELHO

AO NOSSO

Quando Deus chamou Abraão do meio de uma nação idólatra, foi com um pro2"

TRIMESTRE

DE

1969

pósito específico. Abraão constituiria uma nação: Israel. Esta, teria a responsabilidade de representá-Io junto aos homens. Israel seria o embaixador ...• de Deus junto aos outros povos. Quando Deus chama, é para fazer algo. Foi por isso que Jesus chamou os discípulos. Ao enviar o povo para a Terra Prcmetida, Deus não o fêz habitar numa terra desabitada. Enviou-o para uma região cheia de outros povos. Lá estavam os cananeus, os heteus, os periseus, os gírgaseus, jubuseus e outros. Deus quis que o seu povo vivesse entre outros povos, para influenciá-l os. Para levá-Ios ao conhecimento de Jeová. Hoje em dia, a missão de Israel terminou. A responsabilidade que estava sôbre os ísraelítas, hoje é nossa. E a igrej a cristã que tem a resporisabí!idade de tornar Deus conhecido. São os crentes, no dizer de Paulo, "ernbaixadores de Cristo" que devem levedar o mundo. A humanidade deve conhecer Deus pela nossa instrumentalidade. Fazemos parte da igreja cristã. Somos O pOVO de Deus. Essa responsabilidade é nossa. Queiramos ou não queíramos. Deus não está pedindo. Está orclenando. "Ide e pregaí". O verbo foi usado no imperativo. É Evangelho ao nosso próximo. É uma ordem de Deus. Levemos o a unica maneira dêle ser salvo. Não vacilemos. Se temos que pregar, preguemos. Deus nos criamou para fazermos algo. Deus nos chamou para evangelizarrnos .

CONCLUINDO É preciso que nos despertemos para a grande responsabilidade das nossas relações com o nosso próximo. Somos Embaixadores de Cristo. Temos de representá-Io junto aos homens. Devemos estar em constante relacão com Deus e também com o nosso próximo. É em contato com Deus que atingiremos nosso propósito. E êste é alcançar os outros com a mensagem do Evangelho. Para honra e glória de Deus.

25


Para sua Embaixada

Caderneta

do CondeLheiro

NOVA *

CADERNETA DO CONSELHEIRO!

IMPRESSA

*

CAPA

*

EM

OFF-SET

PLASTIFICADA

TAMANHO

MAIS

PRÁTICO

ADQUIRA A SUA CADERNETA EM QUALQUER FILIAL DA CASA PUBLICADORA BATISTA 26

o

EMBAIXADOR


Maio ;3~Reunião

TRABALHO NOS POSTOS

PROVA A sugestão que oferecemos na reunião de hoje é que o Conselheiro marque uma prova com os Embaixadores. Êstes deverão estudar os requisitos que lhes faltam no seu Pôs to. O Conselheiro deverá fazer uma prova para cada Pôs to e, conforme as circunstâncias, até mesmo mais de uma. Por exemplo, há quatro Arautos na Emhalxada, mas dois dêles ainda não sabem "Socorros de Emergência" e dois já sabem. A prova não pode ser a mesma. Tem que ser adaptada ao nível de cada Embaixador. As notas devem ser dadas no domingo próximo, para maior efeito. As perguntas respondidas serão consideradas como requisitos cumpridos. Alguns Conselheiros tem objetado o fato de que alguns Embaixadores não sabem escrever bem para uma prova. É uma questão de adaptação. Faça-se uma prova oral ou utilize-se UIIl método adaptado à sua condição. Importante: O Conselheiro deve comunicar a matéria a ser estudada para ajudar melhor. Instruir a Embaixada para que cada um faça sua parte sem intervenção de outros. Se a Caderneta de Conselheiro estiver em dia, não será difícil preparar provas individuais. aq, .TRIMESTRE

DE

1969

2-7


Maio 4~ Reunião

AJUDANDO

O POVO BRASILEIRO

COLABORAÇÃO

DA JUNTA

D:FJMTSSõ:FJS NACIONAIS

Os batistas brasileiros têm realizado alguma coisa de notável no campo da educação e da assistência. Na lição de hoje vamos apresentar um resumo daquilo que tem sido feito.

de ensinar. Sendo o trabalho da Junta realizado principalmente nas cidades pequenas e vilas do interior do país, em muitos lugares, só existe a Escola Batista para ensino na região.

O trabalho de educação estimula e desenvolve as pessoas em suas aptidões, dando-lhes o ensejo deconhecerem a Cristo como Salvador.

Foi cuidadosamente estudado um programa de ensino que proporciona o melhor nível no aprendizado. Assim, os alunos de nossas Escolas Batistas no sertão, quando chegam ao ginásio, alcançam sempre as melhores notas.

O trabalho de assistência social dá ajuda, proteção e auxílio às pessoas necessitadas em várias formas. Nossas instituições de assistência e educação são dirigidas por' igrejas, juntas .estaduais, Junta de Missões Nacionais e propriedades particulares de crentes. Nesta oportunidade veremos apenas o que está sendo feito pela Junta de Missões Nacionais, com a colaboração de todos os batistas brasileiros.

Calcula-se que mais de 60.000 crianças brasileiras já tenham estudado em nossas escolas. Cada escola é uma nova experiência para o povo do interior do Brasil, com novas perspectivas para os jovens e seus pais. Estamos presentes em dez estados e dois territórios, com 69 escolas primárias. Muitas dessas escolas têm o curso de alfabetizacão para adultos, funcionando à noite.

OS BATISTAS BRASILEIROS E A EDUCAÇÃO EV ANGELIZAÇÃO ATRAVÉS Os batistas brasileiros têm reali- .. DA EDUCAÇÃO zado uma grande obra de educação Em :\Iateus 9 :35, está escrito: "e através da Junta de Missões Napercorria Jesus tôdas as cidades e cionais, no território brasileiro. Despovoados, ensinando nas sinagode 1932, quando do envio da misgas, pregando o evangelho do reino sionária Marcolina Magalhães, a e em-ando tôda sorte de doenças e Junta está empenhada no trabalho 28

o

EU'vIBAIXADOR


enfermidades".

O ministério

de pre-

gação de Jesus estava lado a lado com o ensino e curas. Assim temos feito. Ensinamos, mas não esquecemos a pregação. A Bíblia é lida diàriamente para os alunos e em cada semestre é dada ~nfase ao trabalho espiri tual da escola. Muitos meninos estão aprendendo a amar a Deus através da obra de educação da Junta. EDUCAÇÃO

TEOLóGICA

Os Institutos de Carolina e Ihotirama são duas casas de ensino teológico com nível ginasial e colegial. Muitos dos obreiros de nossos campos missionários do interior do Brasil foram preparados pelo Instituto de Carolina. Ainda êste ano, outros obreiros serão entregues pelo mesmo Instituto. :Êste ano, o Instituto de Ihotírama formará a sua primeira turma, com nível ginasial. Graças a Deus, porque estas instituições tem preparado moços para servirem ao Mestre na evangelização. Não só pastôres, mas também médicos, políticos e engenheiros que servem ao Brasil, passaram por nossas escolas. Amam-nas e as respeitam, pois. vêem nelas um marco de fé e esperança <para um Brasil melhor.

ços sanitários muito contribuem para isso. É nossa obrigação fazer o que es tá ao nosso alcance para ajudar tais pessoas.

Pensando nisto, a Junta organizou o seu primeiro ambulatório em Pedro Afonso. Foi ali que a missionária Sara Cavalcanti deu grande parte da sua vida na obra assistencial. Logo outro foi organizado na cidade de Pôrto Nacional. Hoje, êles foram fechados porque as cidades cresceram é já tem o seu serviço médico orientado e organizado pelo govêrno . Mas, outras quinze cidades e vilas são ajudadas pela Junta neste setor. Vamos transcrever aqui' um fato ocorrido em Itacajá que conta apenas com o serviço de assistência dos batistas: "Antônio e João viajaram 5 dias em companhia do seu irmão mais velho e finalmente chegaram a Itacajá". E o nosso enfermeiro continua: "Fiquei com o coração partido de ver o estado de saúde dos dois garotos, então pedi ao seu irmão que os deixasse comigo para ver se era possível dar um jeito. O rapaz não me atendeu, mas lancei mãos à obra. O Antônio já estavaquase bom quando o irmão resolveu retirá-lo . Comendo rapadura, farinha de puba c banana, o menino logo foi acometido de icterícia. Voltou a nossa procura . No domingo foi à Igreja e aceitou a Cristo icemo Salvador. Lutei durante tôda a semana usando todos os recursos. Mas, no domingo seguinte, Antônio faleceu. Fiz o entêrro, a cidade tôda presente ao sepultamento. Algumas dezenas de pessoas compareceram e ouviram falar de Cristo. Antônio partiu, mas foi encontrar-se com Jesus ... João voltou para sua casa distante de I

OS BATISTAS BRASILEIROS E A ASSIS'ffiNCIA

o homem sertanejo está sujeito a muitas doenças. A falta de higiene, de' boa alimentação e servi2"

TRIMESTRE

DE

1969


Itacajá

27 léguas, levando a mensa-

tras coisas que precisamos nar para ajudá-Ia!

gem do evangelho e saúde" . . Isto nos mostra as necessidades dos sertanejos especialmente dos meninos e meninas .

TERMINANDO

eli mi-

Temos 6,9 escolas. Mas, mais de duas mil cidades brasileiras estão carecendo de educação e assis tência. Pense no privilégio de servil' a Deus, servindo o seu próximo. Levante-se para atender o chamado divino e lute contra as trevas do pe-, cado e da ignorância, proporcionando a luz de Cristo e a luz do saber a milhões que nunca ouviram falar de Jesus.

~

Você já pensou o quanto pode ser útil ao próximo? São muitas suas oportunidades de servir a Deus. Nesta maravilhosa terra, tão cheia de necessidades, entre o nosso povo alegre e bom de coração, mas com tantas misérias. Pecado, doenças, verrninoses, ignorância e tantas ou-

Que esta lição possa despertar alguém para tal trabalho.

CôNSUL!

A próxima

lição é diferente!

Comece a pensar sempenho. sentação

Sendo

desde já no que é necessário

o programa

em "sombra".

de "entrevistador"

e "entrevistado",

O

"entrevi~tado"

mas procedendo sem a revista.

poderá

sugerimos

a apre-

que fôrem fazer as partes

devem ficar ocultos por um len-

e por detrás do lençol, um foco luminoso

incide sôbre o "entrevistado", Não havendo

entrevista,

Os Embaixadores

çol. As luzes são apagadas

no lençol.

uma

para o seu de-

fazendo com que sua sombra

foco luminoso, ler as respostas,

de forma que pareça O "entrevistador"

pode ser lâmpada tendo

comum.

ao colo a revista.

estar respondendo

pode também

apareça

de pronto,

ficar em lugar visível

ao auditório. 30

o

EMBAIXADO.R


Junhõ 1~ Reunião

SERVIÇO

j{~A

L

VISITACAO ~ Já que neste trimestre estamos falando de educação e de assistência, que tal sair da teoria e praticar um pouco, com os de casa? A Bíblia diz: "fazeí bem a todos, principalmente aos domésticos na fé". Nossa sugestão é que a Embaixada realize um trabalho de visitaçâo com os enfermos da igreja. Ü relatar da Comissão de Serviço Real deve preparar uma lista das pessoas da igreja nesta situação e apresentá-Ia à Embaixada. Em conjunto com o Conselheiro e com o Embaixador-Chefe, formará grupos para visitaçâo , A reunião dos três deve ser antes desta atividade. Hoj e, será somente para visitas. Cada grupo deverá ter um dirigente, para orientar. Algumas sugestões que devem ser observadas: 1. brevidade - uma visita prolongada cansa o doente. Não se tornem incômodos. Também não é dar "boa tarde" e "até logo" _ Demorem apenas o necessário.

2.

objetividade -

não gastem o tempo à tôa. Levem Bíblia e Cantor.

Conversem um pouco com a pessoa _ Ao saírem, leiam uma passagem bíblica (um Salmo, por exemplo) e cantem um hino. :i. cuidado - não conversem também como se o doente estivesse moribundo, quase à beira da morte. A visita é de confôrto . 4. procedimento - nada de risos, piadas e brincadeiras. Procedam corretamente. 5. sinceridade - a visita não terá valor se o visitado notar que tudo foi forçado, sem espontaneidade. O Conselheiro deve orientar a Embaixada a êste respeito. Após as visitas, os chefes dos grupos devem prestar relatório ao Conselheiro e êste ao pastor. 2" TRIMESTRE

DE

1969


Junho 2a Reunião

AJUDANDO

OS POVOS ESTRANGEIROS (ENTREVIS'l'A CONCEDIDA AO HEDAc TOR SECRETÁRIO PELO PR. JOAZE GONZAGA DE PAULA, DlRE'rOR DO DEPTO. DE PROMOÇÕES DA .TME) ,

Redator: Pastor Joaze, a Junta de Missões Estrangeiras preocupa-se somente com a pregação do Evangelho nos países onde opera, ou acha que a assistência social também faz parte da sua tarefa? Pr. Joaze: Missões Estrangeiras existe para evangelizar os perdidos de longe. Esta é a sua principal preocupação. É isto que os seus obreiros estão fazendo. Entretanto, em obediência a ordem de Jesus de evangelizar, cura,r os enfermos e ensinar, e ainda atendendo as necessidades do povo nesse particular, a Junta, através dos seus missionários não tem descuidado da assistência social. Isto também faz parte da sua tarefa. Redator: E'J11,sua opinião, "assistência social" tem fundamento bíblico? Pr. Joaze: Sim. Jesus curava o povo. Mas, há uma passagem que sozinha diz tudo: Lucas 10:9. Nela, Jesus, diz aos setenta, ao enviá-Ios por aldeias e cidades: "curai os enfermos que nela houver, e dizei lhes: é chegado a vós o reino de Deus" . Redator: Quantos ambulatórios, escolas e congêneres, a Junta possui? 32

- Pr. Joaze ; No Paraguai, cada templo possui anexo, um ambulatório médico e uma escola primária. Assim sendo, temos 3 ambulatórios, 3 escolas primárias e ainda o Insituto Bíblico,' cuja principal finalidade é preparar jovens chamados por Deus para a conquista de almas. Na Bolívia, o trabalho de assistência aos enfermos está sob a responsabilidade da Junta de Beneficên c.a e da Junta de Missões Nacionais dos bolivianos. Ainda na Bolívia, temos a Escola Primária de Nuevo Horizonte, o Insituto Bau tista Boliviano com jardim de infância e primário completo e ainda o Seminário Teológico Batista Boliviano. Redator: Qual a receptividade do povo beneficiado? Pr.

J oaze: ótima.

O irmão

imaginou a presença de um ambulatório equipado e ainda com a presença de enfermeiras competentes, em regiões onde muitas senhoras morriam no momento do parto, por falta de recursos? Já imaginou 11 presença de um órgão de tal natureza em região onde muitos morriam com tétano, simplesmente por falta dos primeíros socorros na ocasião própria? eles só podem receber com agrado a presença dos'

o

E'MBAIXADOR


servos de Deus que lhes aliviam a dor. Redator: :f:ste trabalho ajuda na pregação do Evangelho?

Pr. Joaze: Perfeitamente. A missionária Maria Francisca é responsável pela orientação espiritual dos alunos do Instituto na Bolívia. Ouve os seus problemas e os ajuda. Dirige díàr-iarnente palestras e lhes conta estórias ilustradas. O Instituto se encarrega de dirigir conferências para as famílias, programas especiais no Dia das Mães, Dia da Pátria, e íc , Os ouvintes destas ocasiões recebem exemplares da Palavra de Deus. Temos tido ótimos resultados. Redator: O sr. falou sôbre o Instituto Bautista Boliviano. Êle tem alcançado o propósito almejado? Pr. Joaze: Creio que sim. Pela resposta anterior, o irmão pode fazer um' julgamento quanto ao mais.

Redator: O irmão gostaria de forr algum pedido aos Embaixadores?

m ula

Pr .. Joaze: Sim. A Junta de Missões Estrangeiras crê nos Embaixadores do Rei porque sabe que êles podem cooperar de várias maneiras com Missões. É por isso que lhes faz cinco pedidos: 1)

que dêem sua vida em favor da evangelização dos perdidos de longe.

2)

que orel11.com mais ardor pelos nlÍssionários e suas atividades, pelos que ouvem a mensagem, a fim de que se convertam a Cristo.

3)

que contribuam com generosidadé . Dêste modo, as necessi-dades financeiras que impedem a realização de vários planos serão supridas.

4)

que levem outros crentes a se interessarem pela obra missionária no exterior.

5)

que orem pelo Secretário Executivo da J. M.E., pastor Alcides Telles -de AImeida.

Redator: E planos para o futuro? Pr , Joaze: A obra missionária não pode parar. Realizamos o 'presente pensando no futuro. A Junta tem um profundo anseio: abrir novas frentes míssíonárras em outras regiões, outros países. Para isto, faltam-nos condições financeiras. Há muitas portas abertas por onde não entramos ainda por falta dê recursos. O envio de novos missíonáríos não é mais plano. É realidade, pois os campos estão brancos. Os campos clamam por obreiros. E a Junta atenderá êste clamor. Pretende também enviar um casal para Portugal, com o propósito de ensinar no Seminário Teológico Batista Português. além do trabalho de pregação. ~

TRIMESTRE

DE

1969

Redator: Alguma coisa mais que não lhe foi perguntada?' Pr. Joaze: Sim. Queremos agradecer a todos os Embaixadores do Rei, em todo o Brasil, pela grande demonstração de aprêço para com a gloriosa obra de evangelização dos pOV0S.

Agradecemos também à Divisão dos Embaixadores do Rei, pelo muito que tem feito em favor de Missões, particularmente Missões Estrangeiras. 33


Junho 3~ Reunião

TRABALHO NOS POSTOS

ARGüiÇÃO Estamos na metade do ano. Excelente ocasião para uma avaliação daquilo que a Embaixada fêz. Inclusive é época do Relatório Semestral que a Embaixada deve enviar à Divisão de Embaixadores do

Rei. o Conselheiro deve ver qual a si-

3.

Significado

11.

Compromisso

nome

1.

Declaração

2.

Insígnia e Cêres

3.

Parte no Programa

4.

Regras nos Esportes

5.

Serviço Real ou Acam-

pamento 6.

Requisitos Mínim,os. 1.

do

Embaixada .

ARAUTOS I.

34·

Hino e Divisa

ER

tuação dos seus comandados. Em que pôsto e em que requisito se encontram. Para facilitar o trabalho damos abaixo a relação de postos e exigências. Por ela, o Conselheiro poderá saber o que :seus pupilos já fizeram e o que lhes resta por fazer. A)

2.

IH.

Dois Meses de Serviço

Denominação. O

EMBAIXADOR


IV.

1.

Movimento m,oderno de missões

1.

2.

História de um Missionário

2.

I.

3. 4.

Necessidades

Passagens bíblícas

5.

Cinco horas de Serviço Real

6.

Três meses cudeiro

3.

Parte no programa. quatro vêzes Hino" Reino Glorioso" Socorros cia

de

11.

Excursão, esporte trabalhos manuais

5.

Dois Serviços Reais

6.

Origem, da organização

7.

Servir dois meses como Arauto

ou

DI.

Denominação.

2.

espirituais

como

Es-

Convenção Batista Brasileira História Bagby

de

1.

Missões na América do Sul

2.

Juntas da Convenção

3.

Dez missionários trabalho

4.

Entrevista com leigo, negociante ou pastor

William

Bíblia. 1.

Homens da Bíblia

2.

História de Jonas

3.

Passagens bíblícas

Embaixada.

2'1 TRIMESTRE

DE

1969

e seu

Bíblia. 1.

Tradutores

2.

Passagens bíblicas.

EMBAIXADOR

D)

I.

Embaixada. 1.

Parte no progra~a quatro vêzes

2.

Ajudar um Candidato a alcançar o pôsto de Arauto

3.

Sete horas Real

4.

Esportes, acampamento ou visita

CAVALEIRO I.

emergên-

Denominação.

emergên-

4.

1.

C)

de

Embaixada.

2.

111 .

programa

Bíblia.

1.

11.

no

vêzes

Socorros cia Você!

ESCUDEIROS

B)

Parte quatro

de Serviço

35


11.

Denornfnação

4.

Exc'ursão,

j ô g o

ou

aeampamente

1.

Crenças batistas

2.

Trabalho síleíro

3.

História de um missro-

batista brasi-

lU.

Comunidade. Escolher duas das seguintes atividades: descobrir atividades espirituais, visita a uma instituição batista, en-

nário batista 111. Bíblia.

trevista a um negociante ou fazendeiro crente.

1.

Três acontecimentos vida de Jesus

2.

Hino e Divisa

3.

Significado do nome

na IV.

4.

Que significa ser cris-

tão? ASPIRANTE

E)

.

,

.s,

I.

Movimento moderno de Missões

2.

Batistas no Brasil

3.

Trabalho missionário dos batistas brasileiros

Bíblia.

3.

Significado do nome

Embaixada. l.

1.

Que significa tão?

2.

Jesus, o missionário

3.

Interpretar Hebreus 11

Compromisso

2. Hino e Divisa

Declaração

ser cris-

e Mateus 28:18-20.

o Conselheiro deve avisar os seus Embaixadores a respeito dos requisitos faltantes e pedir-lhes para es~ tudaram dois ou três dêles, confor-

2. Origem

me a capactdade de cada um e tam ..

3.

bém o tipo do requisito. Argüi-Ias na reunião de hoje. Conforme o aprendizado. rubricar ~s cartões.

e desenvolvimento da organização

36

1.

Req uisitos Mínimos 1.

11.

V.

Denominação.

Regras nos esportes

o

EMBAIXADOR


o

JOGO

CORRIDA

DO

M ES

DE CARANGUEJOS

Traçam-se duas linhas distantes uma da outra cêrca de 20 metros.

Os Embaixadores

colocam-se na l' linha, de costas para a 2\1, onde

devem estar tantos objetos quantos forem os concorrentes: lenços, ete.) .

(pedras, paus,

Deve ser observada uma distância de aproximadamente entre os competidores.

um metro

A um sinal dado pelo Conselheiro, os Embaixadores correm de.costas, em direção segunda linha, onde estão os objetos. Não podem segurar os companheiros ou olhar para trás. Chegando 2:;l linha, apanham cada um o objeto que está em sua direção. Após isso, fazem "meia volta" e voltam para a primeira linha. O primeiro que alcançá-Ia é o vencedor. à

à

Quem segurar o companheiro ou olhar para trás será desclassificado. 2"

TRIMESTRE

DE

1969

37


Junho 4~ Reunião

AMANDO O PRÓXIMO ISALTINO

COMEÇANDO o poeta Michel Quoist num de seus poemas reclama de Deus. "Senhor, porque me mandaste amar?" é a sua queixa. Deu Iugar aos sofredores, aos aflitos. .Já não tinha sossêgo , Todo o seu tempo estava sendo gasto em ajudálos. No mesmo poema, porém, Deus lhe responde: "Não temas, meu filho, Eu estou no meio dêles". Ao amar o seu próximo, o poeta tornou-se mais íntimo de Deus. A mesma idéia é dada no livro "Em Seus Passos, Que Faria Jesus?". Vir-

gínía recolheu uma mulher da fav~l~.

Começou a cuidar dela. Todos a crítícavam. E diz o livro, que embora criticada "Virgínia aprendia a conhecer melho~ seu Mestre, à medida que seu coração se abria para aquela náufraga que as vagas lançavam dilacerada e batida aos seus pés".

Quantas vêzes já OUYÍI;IlOS dizer. Ql!e precisamos amar o prõximo! A Blbl~ diz isso. E ela é a Palavra de Deus. FOi .Jesus quem falou isso. E :ll:leé Deus. Mas, fica só na teoria. Será que amamos? Amar é mais que simpatizar: O pastor Martin Luther King, no seu Iívro "O Grito da Consciência", diz: "dou graças a Deus porque :ll:ledisse que !:u deveria amar o meu semelhante e nao apenas símpatlzar com êle". Mas como demonstrar êsse amor? Que posso fazer pelo meu próximo?

AMANDO O PRÓXIMO ATRAVÉSDA. EDUCAÇÃO SECULAR Educação secular é o ensino dado' como preparo para a vida. É o que se aprende nas escolas e ginásios. No Brasil há muitos analfabetos. O 1ndice brasileiro de pessoas ÇU€ não sabem ler e escrever é grande. Um dos maiores do mundo. Nó: porta da Livraria Civilização Brasileira, há um significativo cartaz: "quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê". Que possibilidade grandiosa de demonstrar o nosso amor! Ajudar as pessoas a lerem. é uma grande obra! Sabemos de adolescentes e grupos de adolescentes que colaboram com cursos da sua igreja que tem esta finalidade. E isto nos faz sonhar: quando uma Embaixada terá um curso de alfa-

betização dirigido e orientado por ela mesmo? E há outras maneiras mais. Uma Embaixada pode demonstrar o seu amor fornecendo material para os alunos pobres. Se quisermos (e muitas vêzes, que-

rer é poder) podemos ajudar bastante na educação secular. AMANDO O PRóXIMO ATRAVÉS DA ORffiNTAÇAO RELIGIOSA O Espírito Santo impeliu Felipe para O

, E 38

GOMES COElLHO FILHO

deserto. Lá êle orientou

êste creu. O

o

eunueo.

EMBAIXADOR


Uma certa Embaixada do Estado do Rio, tinha um tipo de atividade idêntico. Seria ótimo se outras a imitassem. Os Embaixadores mais desem'baraçados se acercavam dos recém-decididos e procuravam ajudá-Ios na vida -erístã . Orientavam-nos em seus prnblemas e dúvidas de caráter religioso. Tendo já alguma instrução religiosa, uns por influência do lar, outros pelo aprendizado na Escola Bíblica Dominical, outros ainda, pela leitura de livros doutrinários, essa tarefa não lhes -era difícil. Que ótima oportunidade! E que tipo de trabalho! A orientação religiosa que podemos prestar é muito 6tn. O autor desta lição, converteu-se aos quinze anos. Tõda a sua oelentaçãe -religiosa lhe foi concedida pelos adolescentes da igreja. Nã.o havia classe de catecúmenos e ninguém podia entendê-Ia tão bem como alguém da SUa idade. E os ensinos daquela época, êle nunca os esqueceu.

1: uma maneira fabulosa de demonstrar amor: ajudando os outros. Mostrando-lhes o Caminho. Esclarecendo <dúvidas. E é de grande utilidade para a igreja.

~ por tudo isso que o mundo quer atos. Não palavras. O povo não quer ouvir o Evangelho multas vêzes, Prefere vê-Io em nossas vidas. Foi o que disse Jesus: "pelos seus frutos os conhecereis" . Na reunião de Serviço Real de junho, a sugestão dada foi que se cone roupas para auxiliar os outros.

~ste é um dos aspectos onde nosso amor pode ser demonstrado. Os verdadeiros amigos surgem nas horas dif1ceis. Como isso não nos :fará ser aceitos! Como não abrirá oportunidades para pregar o Evangelho!

TERMINANDO "Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou sino que tine", disse o ilustre apóstolo Paulo.

AMAl'i'DOO PRóXIMO ATRAVÉS DA ASSISTeNCIA

Você ter as "llnguas dos homens" (cultura) e "línguas dos anjos" (co.nhecímento espiritual), mas se não procurar amar, não terá nada. Não será nada. O deão Harcout, personagem central do livro "Só a Vida me Pertence", tem uma frase muito feliz: "só o amor constrói, só o amor permanece".

Um dia dêsses liguei o rádio e êste captou um programa do exterior, baixinho, no lugar de outro. Fiquei pensando como êste mundo anda cheio de ruídos e sons. Uns tomando o lugar

Deixe-me repetir um trecho do artigo "O Ideal de Dom Quixote". "Você precisa ajudar a construir um mundo melhor e não o fará, colocando-se em primeiro lugar. Ame o seu próximo. vendo nêle alguém que pode ser aju-

dos outros. AB vézes, nem se entende.

No terreno espiritual sim. Thdo mundo tem Todo mundo é cristão. bem poucos demonstram

2"

TRIMESTRE

DE

também é asuma religião. Mas, na vida, isso.

1969

dado por você. O homem é um ser que-

precisa dos outros. Muita gente precisa de você, Embaixador". Vamos trabalhar pelo engrandecimento do nome do nosso Rei.

39


Junho 5~ Reunião

REVISÃO Nesta reunião, tôda a matéria estudada durante o trimestre é recapitulada em forma de perguntas feitas pelo Conselheiro aos Embaixadores. Extraindo perguntas das lições, o líder deve endereçar duas de cada programa a cada consulado. Neste raciocínio, cada consulado responderá duas perguntas da lição "Cristo, a Educação e Assistência" que é a primeira reunião. E assim por diante. Somente o consulado que receber a pergunta pode respondê-Ia. Quem se íntrometer ou "soprar" a resposta, faz com que o seu grupo perca ponto. Depois da pergunta, os Embaixadores do consulado argüido que souberem a resposta, deverão ficar de pé. I O grupo vencedor leva a faixa ou taça (ver "O Embaixador", trimestre passado, página 33) . Abaixo damos algumas perguntas que julgamos essenciais para uma boa recordação das lições e conseqüentemente, uma visão perfeita do ensino <totrimestre. I)

SALVOS PARA SERVIR: 1. 2. 3. 4. 5.

II)

lU)

IV)

40

Qual é o principio básico de um crente? Por que devemos servir? Certo ou errado: a melhor profissão é a que dá mais dinheiro. Todo mundo tem os mesmos talentos? l!: l1cito não desenvolver um talento?

PARA UM MUNDO MELHOR: 1. Qual é a causa de todos os nossos sofrimentos? 2. Há uma passagem no Antigo Testamento que fala sôbre a nossa responsabilidade em anunciar a mensagem de Deus, porque me requererá de nossas mãos o sangue dos não avisados. Qual é? 3. Uma vida digna de um E.R. é idêntica a de um galho sêco. Certo ou errado? NÓS E :reLES: 1. O que é relação vertical? 2. O que é relação horizontal? 3. Fazendo-me amigo de alguém, estou mais credenciado a falar-lhe de Cristo? 4. Um Indivíduo que pregue muito bem e deixe,a todos impressionados, precisa se preocupar com o testemunho? 5. Qual é a missão da igreja cristã? 6. A relação horizontal depende da vertical? AJUDANDO O POVO BRASILEIRO: 1. É a Junta de Missões Nacionais ou a Junta de Educação Religiosa e Publicações que tem feito a obra de educação no interior? 2. Quantas crianças já estudaram em nossas escolas no sertão? 3. Quantas são essas escolas? 4, Quais as nossas casas de ensino teológico no sertão? 5. Onde se localizou o primeiro ambulatório da Juntá de Missões Nacionais? 6. Quantas cidades brasileiras precisam da nossa obra assístencíal e educacional? O

EMBAIXADO'R


V)

AJUDANDOOS POVOS ESTRANGEIROS: 1.

2. 3. 4.

VI)

Quantos ambulatórios e escolas a Junta possui? Qual é o maior anseio da Junta de Missões Estrangeiras? A Junta pretende enviar um casal de missionários para Portugal. Além de pregar, o que farão êles? Qual é o nome do Secretário Executivo da Junta de Missões Estrangeiras?

AMANDO O PROXIMO:

1. O que é educação secular? 2. Fale alguma coisa sôbre as possibilidades de Orientação Religiosa que a Embaixada pode realizar. 3. O que o povo prefere: ver ou ouvir o Evangelho? 4. O autor faz citação do livro "Só a Vida Me Pertence", onde um personagem tem uma frase muito relacionada com o assunto. Qual é? Importante: é óbvio que estas perguntas não são tôdas as que devem ser

feitas. São apenas uma sugestão. O Conselheiro deve extrair mais perguntas das lições e ajuntar a estas. As Embaixadas que tem experimentado esta reunião, solicitamos que nos escrevam, dando-nos uma idéia do que tem sido.

LiÇÕES

SIMPl;FICADAS

Nesta seção apresentamos

a

simplificação. das lições do trimestre. As Embaixadas de mirins devem se valer destas simplificações.

Nas

mistas,

Conselheiro

o

Embaixadas deve

orientar os "caçulas" para que estudem

as

lições por

esta

seção.

2"

TRIMESTRE

DE

1969

41


SALVOS

PARA

SERVI R

COMEÇANDO: Os Embaixadores do Rei precisam trabalhar para Deus. O Compromisso diz assim: "Prometo esforçar-me por uma vida digna de um Embaixador do Rei". Uma vida digna de trabalho. Precisamos trabalhar para o Evangelho.

e

Nossa vida deve ser de serviço. Mas, a esta altura podemos fazer esta pergunta: "servir porquê?"

DEVEMOS SERVIR

PORQUE

DEUS NOS DÁ TUDO

Deus nos colocou junto com outras pessoas para. servirmos todos juntos. Cada um. tem sua parte a cumprir. O médico chegou a ser médico porqu eseus professôres o ensinaram. De manhã, quando comemos o pão, temos um exemplo drsso . Nos compramos. É o padeiro que mo faz. O lavrador o planta e colhe. O motorista do caminhão o transporta para a cidade. Mas, quem manda o sol e a chuva para que o trigo cresça e fique no ponto? DEUS. É 1Me quem nos dá tôdas as coisas. O

Mas é bom notar que Deus providencia o trigo para todos. Isso quer dizer que devemos servir também o próximo. É Deus quem dá tôdas as coisas para todos.

APRENDENDO A SERVIR Para servir, é preciso aprender? Vamos fazer de conta que a nossa Embaixada resolva consertar a casa de uma pobre senhora que mora lá no morro. ótimo! Muito bom! Mas como a executar? Quem vai consertar as dobradiças da porta? Ah, o Pedro ! ~le tem jeito para isso! Quem vai pintar é o Mário. Tanino tem bicicleta. Vai transportar o material. E "seu" Joaquim vai nos ensinar. Cada um fará o que sabe! E, "seu" Joaquim nos ensinará o que não soubermos. Para servir bem, é recomendável aprender .. 42

o

EMBAIXADOR


Isso mostra

o valor do estudo. médicos, engenheiros e advogados. É aprendendo que se serve melhor. Então, sabendo isto, passemos a estudar com mais entusiasmo, para

É assim

que se formam

servirmos melhor a Deus. ACHANDO

MINHA VOCAÇÃO

Mas, o Mário que pinta como nin-

guém, não sabe pregar um prego

talento

está sendo usado errada-

mente. Deus nos concede diversos talentos. Para poder servir bem, precisamos descobrir nosso talento e usá-Io , Se não o usamos, pecamos contra Deus. Quem sabe, Embaixador, o dom que Deus lhe deu é o da pregação? Se fôr, você é um feliz ardo . É o que de mais bonito pode acontecer com uma pessoa!

direito! Por quê? Nem todos aprendem música e nem todos falam em público. Isso se chama talento. Cometemos

um

pecado

muito

grande quando não utilizamos nosso talento. É o caso de um goleiro que só quer jogar na linha. O seu

PARA MUNDO

TERMINANDO: Sabendo nossa responsabilidade e o nosos talento, vamos utilizá-Ia para servir a Deus. É um dom que tle nos deu. Precisamos usá-lo no serviço do Hei.

UM

MELHOR

Devido ao caráter do programa, sugerimos a reunião em conjunto. INclusive, os personagens mudos podem ser alguns dos mirins. Isto os desinibirá e os treinará para maior desembaraço junto aos juvenis. ~

TRIMESTRE

DE 1969

43


NóS

E ÊLES

Já sabemos todos a importância de nossas relações com Deus. Elas são necessárias para nossa vida espiritual. É através do contato com êle que vamos crescendo espiritualmente. Há também outro aspecto muito útil nas nossas relações com Deus. É a nossa relação com os amigos e conhecidos. Por sermos Embaixadores do Rei é que temos obrigação de boas relações com êles. Vejamos o que precisamos fazer por êles .. O que lhes devemos. DEVEMOS AMOR "Ah, isso é muito difícil", pode pensar alguém. Bem, nao é fácH mesmo. Mas necessário. Um homem, cheio de problemas, estava sentindo falta de um amigo. Precisava de um que o confortasse. Ao ler o Nôvo Testamento, encontrou "\ as palavras de Jesus: "não vos chamareis mais servos, mas sim amigos". E êste homem ficou muito alegre. Descobrira um grande amigo. Jesus era seu amrgo . No Amazonas havia um missionário que gostava muito dos caboclos. Fazia tudo para ajudá-Ias. Como o seu sobrenome era difícil de ser pronunciado, êle foi chamado de "Amigo". E os caboclo gostavam muito do "Amigo".

e

Todo mundo gosta de amigos. Gosta e precisa. Conhecemos a história de Zaqueu. Era rico e importante, mas não ti:nha amigos. Subiu a uma árvore para ver Jesus. Pois bem, ganhou um grande amigo. "Zaqueu, desce depressa", disse Jesus. E Zaqueu ficou satisfeito. Já tinha amigo. . É rpeciso que procuremos ser amigos dos nossos conhecidos. Isso vai nos ajudar muito na evangelização dêles. :J;;Iesvão ter mais confiança em nós. As pessoas dão muito valor aos amigos .. Nossa amizade com êles vai nos ajudar muito nisto. DEVEMOS O TESTEMUNHO Uma senhora da minha igreja tinha dois filhos crentes que davam um testemunho horrível. Brigavam à tôa. Um dia, ela estava evangelizando uma vizinha e esta lhe disse: "Não sei para quê ser crente! Seus filhos crentes só vivem brigando entre si e com a senhora!" 44

Que coisa feia! Quantas vêzes ja fizemos isto? E o nosso testemunho? Onde fica? Quando Pedro quis negar a Jesus, disseram-lhe: "a tua fala te denunci-a". Sempre há alguma coisa que nos denuncia. Não adianta tentarmos fugir. Vamos testemunhar do Evangelho. Todos esperam que testem unhemos.

o

EMBAIXADOR


DEVEMOS O EVANGELHO Quando Deus chamou Abraão para constituir uma nação, foi para que esta nação levasse as outras ao conhecimento de Jeová. Sempre é assim. Quando Deus nos chama é para fazermos a lgurna coisa que sirva para engrandecê-Io.

Deus nos chama para pregarmos o Evangelho ao nosso próximo. Nossos amigos dependem de nós para serem salvos. "Como ouvirão, se não há quem pregue?" é a pergunta bíblica. Vamos anunciar O Evangelho ao nosso próximo. E PARA TERMINAR

Nós, como Embaixadores do Rei, temos a obrigação de fazer tudo

Não sei se todos já compreendemos isto: há uma grande responsa-

para

bilidade em ser "Embaixadores

engrandecê-Ia.

Precisamos

anunciar Jesus Cristo a tôdas as pessoas. Assim fazendo, estaremos fazendo a vontade de Deus. E como nos sentimos bem quando fazemos a von tade do nosso Rei.

AJUDANDO

do

Precisamos de comunhão com Deus para podermos cumprir nossa missão. Só assim, a compreensão entre nós e êles será atingida. Rei" .

O POVO

BRASILEIRO

Quando falamos de educação e assistência dos batistas brasileiros, estamos nos referindo a dois setores da nossa obra. Educação é o ensino dado em escolas e ginásios, possibilitando às pessoas conhecerem e aprenderem para ri vida. Assistência é a ajuda, proteção e auxílio às pessoas necessitadas, socorrendo-as em doenças, ete. Hoje, vamos ver o que está sendo feito pela Junta de Missões Nacionais em educação e assistência, com o apoio de todos os batistas brasileiros,

OS BATISTAS BRASILEIROS E A EDUCAÇAO Os batistas brasileiros tem feito uma grande obra de educação no sertão. Desde 1932, com o envio da sua primeira .missionária, Marcolina Magalhães, temos realizado o trabalho de ensino, através da Junta de Missões Nacionais. É nas cidades pequenas e sem recursos, que o nosso trabalho se localiza, principalmente. Em alguns dêsses vilarejos, só existe a Escola Batista, para o ensino. O nosso programa de ensino é muito bom. Nossos alunos aprendem melhor e mais rápido. Quando chegam aos ginásios, tiram sempre as melhores notas. Mais de 60 .000 mirins como você já estudaram em nossas escolas. Ao todo, temos 69 escolas em dez estados. Muitas dessas escolas têm o curso para alfabetização de adultos, funcionando à noite. 2"

TRIMESTRE

DE

1969

45


CONCLUINDO Como você pode ver, nossas oportunidades de servir a Deus são muitas. Um povo contaminado pelo pecado, por doenças, verminoses, ignorância e tantas outras coisas está sob nossa responsabilidade. Temos 69 escolas. Mas, o que são elas diante de 2.000 lugarejos no Brasil, sem educação e assistência? Servindo ao próximo, você estará servindo a Deus. Levante-se para ajudar a extinguir o analfabetismo, as doenças e levar Jesus a milhares de pessoas.

AJUDANDO

OS POVOS

ESTRANGEIROS

Sugerimos novamente a reumao em conjunto, pela natureza do programa. Será por demais dispendioso providenciar o material necessário para as Embaixadas de juvenis e mrrins . E a mensagem da lição é de fácil assimilação até mesmo para os mirins.

AMANDO

O PRÓXIMO

COMEÇANDO Um famoso poeta compôs um poema, perguntando a Deus porque Êle o havia mandado amar. Quando procurou fazer isso, ajudando os necessitados, perdeu o sossêgo. Todo .seu tempo era tomado -nisso. Mas o próprio Deus lhe disse no poema: "não temas, meu filho, eu estou no meio dêles". Ao amar o próximo, o poeta conheceu melhor a Deus. Uma personagem do livro "Em Seus Passos Que Faria Jesus?" ilustra esta verdade. Ela recolheu uma favelada e começou a cuidar dela. g quanto mais a amava, mais conhecia Seu Mestre. Já ouvimos falam muitas vêzes que precisamos amar os nossos semelhantes. A Bíblia diz isso. Jesus disse também. Mas, obedecemos isso? Cumprimos êste mandamento? Tmamos mesmo? Amar é mais que simpatizar. O pastor Luther King disse certa vez: "dou graças a Deus porque Ele disse que eu devia amar meu semelhante e não apenas simpa tizar com êle". Como podemos demonstrar êsse amor? Que poderemos fazer pelo nosso próximo? AMANDO O PRóXIMO

ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO SECULAR

Educação secular é o nome que damos ao ensino nas escolas c ginásios. No nosso pais há muita gente que não sabe ler. E quem não lê, tem poucas possibilidades de vencer na vida. 46

o

EMBAIXADOR


Você pode fazer alguma coisa. Ajudar um garôto da sua idade a ler. ~o}enunca se esquecerá da sua ajuda. Você também pode fornecer material para alunos pobres. Talvez êIes não possam comprar livros, cadernos e lápis. Com sua ajuda isso será possível. AMANDO O PRóXIMO

ATRAVÉS

DA EDUCAÇÃO "Educação Religiosa? Como é isso?"

Podemos chamar Educacão Iteao ensino dado nas igrejas, para aprendermos mais sôbre a Bíblia e sôbre nossa denominação. É muito útil. Esclarece as pessoas. lígiosa

Uma certa Embaixada

do Esta-

do do Rio de Janeiro, fazia êsse trabalho. Os Embaixadores que sabiam mais sôbre a Bíblia, sôhre a Embaixada, sôbre a Igreja, procuravam pessoas de sua idade que freqüentavam os cultos e procuravam ajudá-Ias na vida espiritual. Isso está ao seu alcance . Você também pode formar grupos de estudo e pedir a ajuda de algum adulto (seu irmão mais velho, seu pai, etc.) para fazer o trabalho. AMANDO O PRóXIMO DA ASSIST:mNCIA

ATRAVÉS

Observe estas palavras do Senhor Jesus: "apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Porque tive fome e não me destes de comer; tive sêde e não me destes de beber; sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes: achando-me enfêrmo e prêso, não Iôstes ver-me". O Senhor Jesus dirá essas palavras a muita gente no dia do juizo. Um

cli9.

clê"""s

liguei

o

r-ód io

e

havia uma estação no lugar da outra, misturando os sons. Como êste mundo está cheio de sons e ruídos! 2'~ TRIMESTRE

DE

1969

Na vida espiritual também é <1:"\sim. Todo mundo diz q;ualquer coisa. Uns dizem que o certo é isso. Outros dizem que é aquilo. Muitas vêzes, o mundo não se preocupava em ouvir o Evangelho por Causa disso. Mas, quer ver o Evangelho. E poderão vê-Ia na nossa vida, à medida que amarmos os outros, que dermos algo de nós para êles. Poderemos mostrar o Evangelho unindo-nos aos que não tem. alguma coisa, dando-lhes isso se tivermos. Roupas, remédios e medicamentos. Assistindo essas pessoas em suas necessidades, estaremos provando o nosso amor. TERMINANDO "Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou o eímbalo que retine", disse o ilustre apóstolo Paulo. Você pode ter tôda a cultura possível ("línguas dos homens") e muita religiosidade ("línguas dos anjos"), mas se faltar amor, faltou tudo. Um senhor, no livro "Só a Vida Me Pertence" diz: "só o amor constrói, só o amor permanece". Procure amar os outros, ajudando-os a ser feliz. Você também será. (y


FôLHA DE INSCRiÇÃO PARA O 10.0 ACAMPAMENTO NACIONAL DOS EMBAIXADORES DO REI

Santa catarína

Local -

Florianópolis -

Data -

De 21 a 25 de julho de 1969

Nome -

Pôs to

Rua e n.O -

••••••••••••••

Tel.:

Bairro Data do nascimento -

-r-r-

Cidade /

/

.

Estado Membro da Igreja?

.

Declaro que o acima inscrito é membro da Embaixada da nossa Igreja e bom elemento quanto à disciplina.

Ass. do Conselheiro

Ass. do pastor ou moderador da Igrej a

Como EMBAIXADORDO REI, prometo que acatarei as ordens dos dirigentes do acampamento, e que tudo farei visando o bem dos trabalhos. Serei sincero em tudo; estarei sempre lembrando do nome do Embaixador; procurarei me conduzir como se o meu REI estivesse ao meu lado.

Ass. do Acampante

o

EMBAIXADOR


PERFIL

DE UM

MISSIONÁRIO

Agnelo Guimarães Barbosa

Filho

Nasceu em 5 de janeiro de 1924 em Salvador, Bahia. Cresceu sob a influência da fé persistente de D. Guiomar, sua mãe, mas sempre resistia aos apelos que ela fazia para que êle fizesse sua decisão ao lado de Cristo. . Casou-se com uma jovem crente, Ruth Genúncio Barbosa. A partir de então, começou a dedicar-se ao serviço assístencíal. Primeiro com uma escola para crianças pobres no morro de São Carlos. Teve que estudar a Bíblia para responder às perguntas das crianças curiosas a respeito de Deus e de Jesus. Depois, começou a freqüentar os hospitais e visitar os enfermos. Ali descobriu que não basta dinheiro, nem presentes, quando falta a segurança e a certeza da vida eterna. Converteu-se aos 30 anos e foi batizado pelo pastor João Soren. Sentiu que Deus o chamava para uma obra especial. Entrou para o Seminário Betel e fêz o curso de Teologia. Agora é hora de decisão: ~le, bem empregado; ela, professôra formada pela Faculdade de Ciências e' Letras da Guanabara. Onde Deus o queria? Qual seria o seu campo de trabalho? Depois de muito orarem, êle e sua espôsa concluíram que Deus os queria no campo missionário. Apresentaram-se à Junta de Missões Estrangeiras em 1962, e no mesmo ano seguiram para a Bolívia. Nesse ponto começou a história de um grande missionário. Trabalhou três anos na Bol1via deixando 63 batizados e duas igrejas organizadas, além de muitos pontos de pregação da Palavra de Deus. Em 1965. transferiu-se

para o Paraguai.

Ali, no seu campo de trabalho, en-

controu apenas a Igreja de Saltos del Guairá. Tornou-se pastor dessa Igreja

e abriu mais duas frentes de pregação: a de Barbas e ade Puerto Adella. Em breve êsses pequenos pontos de pregação do evangelho iriam se tornar igrejas organizadas. Além de assistir a mais essas duas igrejas como pastor, começou a visitar cêrca de dez pontos, cidades, vilarejos e fazendas, lugares onde não se ouvira de Cristo até ao dia em que chegou o pastor Agnelo. Sentiu as necessidades do campo. Sozinho já não dava conta de tanto trabalho, tanta oportunidade para ser aproveitada por um só homem. Organizou um Instituto Bíblico com vistas à preparação de obreiros para o ajudarem na tarefa, de pregar o evangelho. Êste Instituto contou, desde seus primeiros anos, com um número crescente de alunos, jovens que ouviram os apelos do missionário e se entregaram ao serviço da evangelização. No Paraguaí, como na Bol1via, mostrou o que Deus pode fazer de uma vida. dedicada e subnüssa à. sua vontade. eao quatro igrejas organizadas, muitas almas ganhas, um grande missionário e um grande exemplo a ser seguido. Exemplo de renúncia e de trabalho consagrado ao serviço da pregação.

quando


CONHEÇA 'MELHOR A, SUA ORGANIZAÇAO ,

* Se você é Embaixador * Se você é, do Grupo de Ação Missionária

* Se você ,é membro da Sociedade

. Cooperadora de Homens. Manuais das Organizações Masculinas da Escola de Missões A venda nas lojas da CASA PUBLICADORA

BATISTA

ou pelo Reembôlso PO!Ital! Caixa 320

~ ZC 00 -

Rio -

GB.

Profile for Embaixadores do Rei

O EMBAIXADOR 1969 2T  

Revista O Embaixador - 2º Trimestre de 1969

O EMBAIXADOR 1969 2T  

Revista O Embaixador - 2º Trimestre de 1969

Advertisement