Page 1

INDÚSTRIA 4.0, EDUCAÇÃO 4.0 & ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO MAKER por Glauco José Côrte

PROFISSIONAIS DO FUTURO por Ronaldo Baumgarten Jr.

PROPOSTA DO ESPAÇO DE EDUCAÇÃO MAKER

por Dalila Leite Mendonça de Carvalho

Espaço DE EDUCAÇÃO maker para a EDUCAÇÃO CORPORATIVA por Michael Eberle Siemeintcoski

NO SESI O FUTURO JÁ COMEÇOU por Fabrizio Machado Pereira

DEPOIMENTOS DE PAIS, ESTUDANTES E EMPRESÁRIOS


EXPEDIENTE

FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Presidente Glauco José Côrte

Indústria 4.0, Educação 4.0 e Espaços de Educação Maker 04.

Superintendente Fabrizio Machado Pereira

Profissionais do futuro 05.

Jornalista Responsável Cristiane Soethe Zimmermann MTb/SC 01819

Proposta do Espaço DE EDUCAÇÃO Maker 07.

Textos Presse Comunicação Empresarial Maria de Lourdes Novaes

Uma nova forma de Aprender 08.

ESPAÇO DE EDUCAÇÃO MAKER PARA A EDUCAÇÃO CORPORATIVA 14.

A importância dos espaços MAKERS PARA A educação 10.

Projeto Gráfico José Elias da Silva Jr.

outros olhares makers 15.

Edição 1º | Abril 2018 A visão dos estudantes e de seus pais 12.

No SESI o futuro já começou 21.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 4

propostas valorosas de educação e de aprendizagem significativa, além da criação de Fab Labs com suas ferramentas tecnológicas para fabricação de objetos. Falamos de espaços pedagogicamente construídos, onde o estudante é o protagonista no uso e na criação da tecnologia associada ao conhecimento. Uma destas propostas educacionais é a do SESI de Santa Catade tecnologias digitais ligadas à rina, que, na vanguarda, atua manufatura avançada, a indúsem seus Espaços de Educação tria brasileira ainda é consideMaker, onde estudantes enconrada tímida no tocante à digitatram oportunidade de desenvollização e seus impactos sobre a ver competências linguísticas, competitividade. matemáticas, científicas e tecCriar um futuro compartilhado Por que o nosso país ainda não nológicas, além das habilidades num mundo fraturado foi o tema investe corajosamente na insocioemocionais, a partir da oficial do Fórum Econômico dústria 4.0? Quais seriam os experimentação, ou seja, pondo Mundial 2018, em Davos. Entre entraves para comprometer-se a mão na massa. Assim passam a os destaques, foram apresentaintegralmente com a quarta revo- compreender os conceitos cientídas as tecnologias emergentes e lução industrial em que o homem ficos teorizados pelo ensino disos atuais padrões de produtivicocria com as máquinas e não se ciplinar tradicional. dade. Como consequência desta limita a operá-las? Com incentivo ao desenvolviquestão abre-se uma discussão Sabe-se claramente que a evolu- mento de competências sociosobre como desenvolver e prepação para a Indústria 4.0 depende, emocionais, como colaboração, rar as pessoas para viver entre as dentre outras variáveis, de pesso- negociação, pensamento crítico, mudanças disruptivas. De acordo as capacitadas para ocupar vagas resolução de problemas complecom pesquisa nacional realizada que exigem alto conhecimento xos, dentre outros, e em meio à pela CNI (Agência de Notícias sobre automação, robótica, protecnologia de ponta (impressoras CNI 30/05/2016) sobre emprego gramação, IA, IoT, BigDatas e 3Ds, cortadora a laser, cortadora afins, além de um conde vinil, drones, placas eletrônijunto de competências cas como arduinos e raspberry socioemocionais. Pi) que lhes suscita o desejo de No Brasil, muito tem aprender novas técnicas, conhesido debatido sobre cer novos materiais e processos, o descompasso entre crianças, jovens e adultos paso modelo pedagógico sam de consumidores de tecnoescolar atual e as exilogia a produtores de tecnologia, gências do mundo prode alunos passivos a estudantes fissional evoluído. Que pensantes, na execução de seus competências jovens projetos, relacionando o ato de e crianças precisarão pensar ao de fazer. Assim estademonstrar, em siturão preparados para lidar com as ações profissionais e disruptivas mudanças do mundo pessoais, para serem contemporâneo e para uma vida bem-sucedidos em suas profissional em que novas oporfunções nesse mundo tunidades surgem e os surpreentecnológico? A favor dem a cada dia. Aqui estão os fudesta necessidade de turos profissionais competentes mudança têm surgido que a indústria 4.0 tanto busca!

Glauco José Côrte Presidente do Sistema FIESC


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 5

Profissionais do Futuro Ronaldo Baumgarten Jr. Vice-presidente regional FIESC Vale do Itajaí Na última década temos presenciado uma evolução tecnológica em todo o mundo em uma velocidade impressionante. Um dos aspectos mais atingidos por essas mudanças certamente é o mercado de trabalho. Estudos preveem que, até 2030, aproximadamente 85% das profissões serão novas, ou seja, ainda nem foram inventadas. Muitos dos que verão suas funções no mercado de trabalho desaparecer ainda não possuem competências necessárias para os novos postos que surgirão. Por isso, desenvolver novas habilidades será essencial para continuar competitivo. É aí que reside o grande impacto do Espaço de Educação Maker na formação e na vida das pessoas se pensarmos em médio e longo prazo. As crianças e jovens que participam do projeto têm a oportunidade de aprender a elaborar soluções criativas e inovadoras para os problemas, favorecendo, no futuro, o domínio das novas tecnologias para a resolução de situações vinculadas também à indústria. Temos que reconhecer o excelente trabalho da FIESC, por intermédio do Sesi, no fortalecimento das ações regionais. Os resultados certamente já estão sendo sentidos pela indústria da região e serão cada vez mais visíveis. A chamada Indústria 4.0 está revolucionando o mercado e precisamos de profissionais capazes de acompanhar esse movimento. Neste sentido, o Espaço de Educação Maker tornou-se uma ferramenta excepcional para quem quer estar preparado para ser um profissional do futuro.

Ronaldo Baumgarten Jr. CRÉDITO:

Kakau Press


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 6

Dalila Leite Mendonça de Carvalho CRÉDITO:

Kakau Press

No Espaço de Educação Maker do SESI, as atividades ‘mão na massa’ estão alinhadas à metodologia de ensino inspirada no movimento Maker e às tendências econômicas e sociais contemporâneas.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 7

PROPOSTA DO ESPAÇO DE EDUCAÇÃO Maker Dalila Leite Mendonça de Carvalho Diretora regional do SESI Inicialmente pensado e projetado para realizar educação de contraturno para crianças e jovens, o Espaço de Educação Maker de Blumenau, inaugurado há um ano, hoje também atende o público da indústria, liderança e liderados, para o desenvolvimento de competências exigidas ao perfil do profissional hoje atuante. O SESI se aproxima cada dia mais da Indústria, e este espaço tem sido também visitado frequentemente por líderes da indústria local, com constante e crescente diálogo SESI-Indústria. Também com uma proposta que ultrapassa o objetivo inicial de educação de contraturno, o Espaço de Educação Maker de Blumenau realiza encontros e cursos voltados para a formação de formadores, não só para os da rede Sesi como profissionais da rede escolar pública e privada. Como já é de amplo e público conhecimento, trata-se de um espaço educacional que motiva e que inspira, integrando, inicialmente, atividades no contraturno escolar, vinculadas às áreas de Comunicação & Mídias, Tecnologia & Robótica, Matemática e Ciências, cujos resultados são apresentados ao final de cada semestre na ‘Feira das Descobertas e Invenções’. Essa é uma grande iniciativa da Educação do SESI, que promove o domínio das no-

vas tecnologias, em que os participantes, crianças, jovens e adultos, com acesso a equipamentos tecnológicos, como placas eletrônicas, arduínos, rasperry pi, impressoras 3Ds, cortadora laser e drones, ampliam seu conhecimento científico e desenvolvem habilidades relacionadas a competências indispensáveis à nova sociedade e ao mundo do trabalho em desenvolvimento. Tais atividades “mão na massa” e metodologia de ensino inspirada no movimento Maker e nas tendências contemporâneas, visam contribuir com a melhoria da educação e a qualificação do mundo do trabalho. O espírito empreendedor e a necessidade de inovar têm permeado o meio empresarial, especialmente pela exigência dos clientes em relação a preço, qualidade, disponibilidade e assistência técnica. Busca-se atendimento rápido, resolutivo e personalizado. Assim, o Espaço de Educação Maker do SESI alinha-se ao conceito de indústria 4.0 e à nova geração” oferecendo-lhes oportunidade de se tornarem exímios profissionais ou de se educarem continuamente. Sabemos que este espaço inovador satisfaz aqueles que o frequentam não só por sua beleza arquitetônica e ornamental, mas pela riqueza de possibilidades que a eles oferece, pelo engajamento dos educadores e gestores e também pela satisfação dos pais que veem seus filhos se capacitando de acordo com o que sua geração e sua realidade exigem.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 8

Maria Tereza P.H. Cobra CRÉDITO: Divulgação

Oficina de Programação CRÉDITO: Kakau Press

Uma nova forma de aprender Maria Tereza P.H. Cobra Coordenadora de Educação do SESI O tradicional modelo educacional, enraizado no século XIX, tem sido hoje bastante criticado por sua disparidade com as novas demandas e expectativas da sociedade do século presente e com o novo mundo do trabalho, que aponta para a quarta onda da revolução industrial, mediada pela inteligência artificial, pela hiperconectividade, pela customização em massa, por avanços tecnológicos numa progressão

exponencial, que transformam radical e velozmente nossa sociedade. O que se vê nas escolas, frente a esse descompasso é, geralmente, o desengajamento de educadores e estudantes, a insegurança sobre o que ensinar e como ensinar e a desconfiança sobre a importância do que é posto como relevante. Em contraponto, têm sido realçadas em todo o mundo tendências educacionais que indicam a tecnologia como potencial acelerador do processo de aprendizagem criativa, a partir de atividades exploratórias que integram gamificação, letramento em


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 9

programação, em inventividade, experimentação, como incentivo ao desenvolvimento de habilidades socioemocionais necessárias ao trânsito fluido entre o mundo da escola e do trabalho. Trata-se da valorização do exercício criativo no novo mundo do trabalho, produzindo sentido, significado e engajamento, em detrimento do emprego repetitivo. O aprendiz do século XXI precisa de uma educação do século XXI, que o leve ao limite de suas potencialidades; que o prepare para um mundo cada vez mais dinâmico; que o ensine a se adaptar ao novo; a ser resolutivo diante do inesperado; a criar e a inovar, percorrendo caminhos cujos ganhos constituem importantes instrumentos para que o Brasil possa dar o salto de qualidade de que tanto necessita na educação. Nesse contexto, a inauguração do primeiro Espaço de Educação Maker do SESI, em Blumenau, integra uma nova era no modelo educacional impresso em nossos programas de educação básica e continuada, voltados para crianças, jovens e adultos. Na tentativa de contribuir para o aprendizado significativo desse público, a Educação Maker propõe um retorno

Oficina de Programação CRÉDITO: Kakau Press

ao fazer, que dá sentido à expressão ‘mão na massa’, ou seja, que valoriza a prática e a experimentação. Trata-se de um projeto educacional mobilizador da capacidade empreendedora deste público, que permite aos agentes do processo “sentarem-se na cadeira do criador”. De coadjuvantes no processo educacional, educandos e educadores assumem a postura de protagonistas corresponsáveis pela construção de seu percurso de aprendizagem criativa. Concebido como espaço de Educação Maker, reflete uma proposta de inovação, criatividade e engenhosidade, com tecnologia que comporta desde ferramentas de fabricação artesanais às de fabricação digital, oportunizando novas aprendizagens, com atividades que potencializam a compreensão dos conceitos científicos e o desenvolvimento de competências linguísticas, matemáticas, científicas e tecnológicas, além de habilidades socioemocionais, vislumbrando a educação integral dos sujeitos. Por meio da experimentação, mediada por atividades ‘mão na massa’, os estudantes têm a oportunidade de desenvolver projetos interdisciplinares que possibili-

tam compartilhamento de conhecimentos e ideias, estruturando e testando hipóteses, superando erros, contabilizando acertos, construindo,reformulando e reconstruindo protótipos e ideias de robôs, por exemplo, investindo em pesquisas para desenvolvê-las e programá-los, concentrada na produção de soluções tecnológicas originais, criativas e inovadoras para as situações-problemas apresentadas. Assim o SESI se propõe a ‘fazer diferente’, com uma pedagogia que se desenvolve em diálogo com o contexto social, econômico e tecnológico do século presente e materializa uma das mais arrojadas tendências educacionais do século XXI, atuando com uma proposta pedagogicamente criativa, que integra crianças e jovens na educação básica e de contraturno, e adultos nos programas de educação corporativa, promovendo pessoas autônomas, proativas, corresponsáveis por seus percursos de aprendizagem, construindo e fortalecendo, coletivamente, seu caminho educativo e profissional, engajando-os nesse processo de aprendizagem criativa.

Oficina de Programação Oficina deCRÉDITO: Programação Kakau Press CRÉDITO: Kakau Press


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 10

Juliana Ragusa CRÉDITO:

Divulgação

A importância dos Espaços Makers para a educação Juliana Ragusa Gerente de design educacional do Mundo Maker Educação, na cidade de São Paulo

mentos. Somente assim as tecnologias podem ser contexto (e não produto) para um currículo de sucesso.

Esses novos espaços funcionam em torno de valores coerentes com uma educação que atende de modo rizomático às demandas dos A cultura maker aplicada à educaaprendizes de hoje - tanto educação conta com espaços potenciais dores quanto alunos: metodologias e simbólicos de transformação do ativas, trabalho com projetos, resoparadigma educacional vigente. Um espaço maker agrega recursos lução de problemas, investigação, criativos e máquinas de fabricação reflexão crítica, compartilhamento de saberes - transformando ferdigital e artesanal que funcionam como ferramentas cognitivas (min- ramentas digitais e analógicas em dtools) poderosas, desde que com contexto, linguagens e em oportunidades para que aprendizes sejam foco nas relações interpessoais e pensadores criativos e críticos, se construção conjunta de conheci-

“Um espaço maker agrega recursos criativos e máquinas de fabricação digital e artesanal que funcionam como ferramentas cognitivas...”


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 11

“Queremos que os aprendizes de qualquer idade se encantem com novas formas de aprender fazendo...”

percebam experimentando novas formas de se expressar e se relacionar com o mundo. O movimento maker possui bases sólidas no Construtivismo, Construcionismo e na Pedagogia crítica, ingredientes chave para inspirar, potencializar e transformar a educação integrando todas as áreas do conhecimento, acolhendo a diversidade e colocando todos aprendizes no centro do processo: educadores e alunos. Nesta perspectiva, o aprender fazendo vai além do simples fazer, pois contempla competências e habilidades atemporais - que servem para cidadãos de qualquer geração e qualquer profissão (já que preparamos pessoas para profissões que ainda não existem). Trabalhamos com escuta ativa, colaboração, autoria, pensamento crítico, autonomia e acolhida dos erros como parte de um rico pro-

cesso. Dessa forma podemos sair do consumo ou uso acrítico de tecnologias para buscar expressão e criação, a fim de prototipar soluções para a transformação individual e social. Queremos que os aprendizes de qualquer idade se encantem com novas formas de aprender fazendo, com um novo olhar para o funcionamento das coisas e encontrem novas formas pertencer e agir no mundo. O Espaço de Educação Maker de Blumenau e os projetos que o sustentam representam esse desejo de mudança educacional. Com uma equipe muito apaixonada e ao mesmo tempo crítica, disseminam nova cultura e buscam desenvolver competências e valores atemporais. Eis uma grande missão! Sejamos, todos, agentes polinizadores.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 12

Marcelo Santiago CRÉDITO:

Kakau Press

Cátia Viviane Cezar Baptista CRÉDITO:

Kakau Press

A visão dos estudantes e de seus pais Cátia Viviane Cezar Baptista Mãe do aluno Pólux Matriculei o Pólux no Maker pela metodologia diferenciada, que valoriza, estimula e potencializa as qualidades individuais do jovem, dando a liberdade e autonomia para ele fazer parte de um projeto em que a contribuição dele é genuína, prazerosa e significativa , o que contribui para seu desenvolvimento pessoal e profissional. Os profissionais/ facilitadores do projeto conseguem fazer com que todos se envolvam, valorizando as qualidades individuais de cada jovem. Neste tempo em que o Pólux participa

do Espaço de Educação Maker, percebemos que o projeto os envolve em cada processo, desenvolvendo a criatividade, o senso crítico, a autonomia, ampliando a responsabilidade, fazendo com que eles se tornem mais colaborativos e, principalmente, profissionais e jovens integrados com as necessidades do mundo moderno. Sempre indico o Maker, pois acredito que os nossos jovens precisam de uma metodologia em que não se aprenda apenas conteúdo, mas algo que os envolva como seres sociais que tenham conhecimentos específicos, principalmente habilidades para se relacionar e conviver em sociedade.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 13

Marcelo Santiago Pai do aluno Patrick

Manuela de Deus Aluna

O Espaço de Educação Maker é o local onde nossos filhos estão tendo oportunidade de demonstrar não apenas seu lado de alunos, mas também seu lado capaz de desenvolver tecnologia, de exploração, de matemático, cineasta, cientista, desenvolvendo o que em uma sala de aula convencional, provavelmente ele não teria.

Vou para o Espaço de Educação Maker pois estou querendo me destacar mais no futuro em relação a arrumar um emprego, também para ganhar conhecimento. No Espaço, as minhas atividades favoritas são fazer pesquisas e montar lego e também gosto da impressora 3D.

O espaço permite a discussão sobre tecnologia e as demonstrações das novidades deste ramo. Um local maravilhoso, com professores atenciosos e alunos com ideias fantásticas. Meus filhos já estão aqui. Quem ainda não conhece o local, certamente vai se surpreender ao vir aqui. É um espaço agradável e charmoso, onde o aluno não está em uma sala de aula tradicional, e sim numa sala com um conceito totalmente diferente do comum. É tão interessante, que eu acho que as aulas ou práticas poderiam acontecer duas ou três vezes por semana.

Lucca Mendes Suhet CRÉDITO:

Kakau Press

A atividade que mais me marcou foi a guerra de robôs por bluetooth que nós montamos, porque achei incrível ver que cada robô tinha sua especialidade, montamos todos diferentes. No Espaço, além de desenvolver a parte de aprendizagem, também aprendemos a ficar mais responsáveis diante de nossas tarefas, fiz também muitos novos amigos, consequentemente aprendemos a trabalhar em equipe, um por todos e todos por um!

Manuela de Deus CRÉDITO:

Kakau Press

Lucca Mendes Suhet - Aluno Vou para o Espaço de Educação Maker pois estou querendo me destacar mais no futuro em relação a arrumar um emprego, também para ganhar conhecimento. No Espaço, as minhas atividades favoritas são fazer pesquisas e montar lego e também gosto da impressora 3D. A atividade que mais me marcou foi a guerra de robôs por bluetooth que nós montamos, porque achei incrível ver que cada robô tinha sua especialidade, montamos todos diferentes. No Espaço, além de desenvolver a parte de aprendizagem, também aprendemos a ficar mais responsáveis diante de nossas tarefas, fiz também muitos novos amigos, consequentemente aprendemos a trabalhar em equipe, um por todos e todos por um!


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 14

ESPAÇO DE EDUCAÇÃO MAKER PARA A EDUCAÇÃO CORPORATIVA Michael Eberle CRÉDITO:

Michael Eberle Siemeintcoski, Especialista da educação corporativa A Educação Corporativa do SESI, com um novo reposicionamento, trabalha acreditando que os espaços de Educação Maker contribuem para o desenvolvimento de competências essenciais para o século XXI do trabalhador da indústria, líderes e liderados, prevendo, também, que, com isso, se desenvolvam comportamentos saudáveis. A base da proposta da ECO está no estudo do Relatório do Fórum Econômico Mundial, de Davos, 2016, que trata das estratégias e ações que países e empresas usarão para o desenvolvimento social e econômico, reafirmado no estudo do relatório de 2018, que reforça a necessidade de desenvolver as competências chamadas soft skills, desejadas pela maioria das empresas e indispensáveis ao trabalhador da indús-

Divulgação

tria, sobretudo a partir do século XXI, para conseguir superar os desafios das chamadas mudanças disruptivas, oriundas da 4ª revolução industrial. Como exemplo, a mudança de comportamento de compra do consumidor está impactando a forma de produzir produtos e serviços. Olhando para tudo isso, o SESI percebeu a oportunidade de desenvolver experiências de aprendizagens diversificadas na Educação Corporativa, entre elas trabalhar nos espaços de Educação Maker, que propõe atividades pensadas a partir da necessidade de mudança de comportamentos cognitivos e socioemocionais, inclusive do trabalhador da indústria. Fazendo um paralelo entre a indústria e os espaços de Educação Maker do SESI observa-se muita similaridade, no tocante a aspectos como importância dada ao contexto do estudante, pois o trabalhador da indústria, assim como o jovem e a criança, se interessa por atividades que tenham sentido para sua vida profissio-

nal ou pessoal; à possibilidade de escuta, porque o trabalhador não se motivará passivamente ouvindo um professor; ao trabalho em equipe, porque na indústria, o trabalho é de interdependência, de colaboração, como o proposto no Espaço de Educação Maker; à oferta de tecnologias e de metodologias inovadoras, pois é o que o trabalhador da indústria precisa e que os espaços de Educação Maker do SESI oferecem; a capacitações assertivas, em tempo reduzido, utilizando metodologias ativas, ambientes ativos, com tecnologias mobiles, articulando um programa de capacitação personalizado para o trabalhador, num tempo suficiente pro trabalhador, pois retirá-lo da sua área produtiva é uma necessidade que requer investimento por parte das empresas. Assim, acreditamos que os espaços de Educação Maker podem contribuir significativamente para o desenvolvimento de competências socioemocionais dos trabalhadores da indústria.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 15

outros olhares makers Dirceu Puehler Coordenador do Instituto Robert Bosch Quando se iniciou movimento da Indústria 4.0 em nossa região, comecei a me perguntar quem trabalharia nesta indústria e como poderíamos ter a equidade social para as pessoas que não têm acesso à tecnologia e à informação. A partir deste conceito, fomos buscar oportunidades de projetos e propostas que pudessem dar esta condição aos nossos jovens. E o projeto de Educação Maker do Sesi nos atendeu com muita eficiência nesta demanda, possibilitando preparar =pessoas para o futuro da indústria metal mecânica e de automação. Sendo assim, podemos vincular o desenvolvimento de competências necessárias para mais esta revolução industrial.

Dirceu Puehler CRÉDITO:

Divulgação

Os benefícios para jovens são muitos. Primeiro, eles precisam sair da posição de apenas consumidores de tecnologia e entender que eles podem produzir tecnologia para sua vida e mudar a forma de pensar. Outro benefício é a oportunidade de desenvolver o pensamento inovador, o trabalho em equipe, e de constatar que são capazes de solucionar problemas desde os mais simples aos mais complexos. Para escola é poder vivenciar uma nova metodologia de educação,

olhar para o futuro, sair do formato tradicional e possibilitar a seus alunos esta experiência de aprender fazendo, de dar sentido ao que ensinam na escola. O aprendizado tem significado na vida dos jovens. Já a comunidade ganha a possibilidade de soluções de problemas locais e pode começar a incorporar a cultura maker na sua realidade, pensar diferente e oferecer oportunidades para seus jovens na transformação social local. O Instituto Robert Bosch tem como missão promover a evolução de jovens nas comunidades em desenvolvimento por meio da educação, sendo esta iniciativa uma grande oportunidade de cumprirmos nossa missão. A parceria com o SESI/SC acontece desde 2011. Sempre fizemos ótimos projetos na comunidade, e o Espaço de Educação Maker foi mais uma chance. O Instituto Robert Bosch já tem parceria com as escolas municipais e estaduais desde 2012 em Pomerode. Uma delas é a Escola Olavo Bilac, que fica na saída de Blumenau, o que facilitou a viabilidade do projeto. Também contamos com um apoio muito grande da direção da escola, que acredita em nossas iniciativas e já temos um histórico rico de desenvolvimento de projetos. Assim, foi possível fazermos uma turma piloto em 2016 e agora estamos ampliando, conseguindo atender mais jovens e no prazo de dez meses.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 16

Claudio Gustavo Pinto, Souza Cruz Podendo experimentar este espaço como um potencializador na curva de aprendizagem, afirmo que o Espaço de Educação Maker propõe recursos e didáticas criativas e inovadoras que promovem um maior desenvolvimento e retenção de conhecimentos e habilidades. As atividades vivenciais permitem a experimentação de um contexto colaborativo e coletivo, que se transformam em competências importantes no cenário atual. O Espaço de Educação Maker instiga as construções e trabalhos em grupo, além de proporcionar motivação extra devido à estrutura moderna e despojada. É uma evolução em relação ao modelo tradicional e facilita o engajamento e o desenvolvimento pessoal e profissional. O Espaço de Educação Maker em si já desafia os integrantes e se torna um grande facilitador na construção de conhecimento.

“O Espaço de Educação Maker em si já desafia os integrantes e se torna um grande facilitador na construção de conhecimento.”

Cláudio Gustavo Pinto CRÉDITO:

Kakau Press


ão Maker

Jony Link, Haco Embora eu não tenha participado de nenhum curso ofertado no Espaço de Educação Maker, que não fosse corporativo, participei da inauguração e de uma amostra do Espaço e fiquei positivamente impactado com a proposta, saindo do processo formal de ensino-aprendizagem, dando possibilidade de fazer com que as pessoas aprendam pela maneira mais fantástica e, para mim, a mais eficiente, que é pela experimentação. Acredito que esta proposta seja crucial para um aprendizado duradouro e diferenciado, trazendo para o mercado o que percebo como um diferencial competitivo gigante, que é a inovação. Na minha opinião, a diferença de participar de um espaço com uma proposta diferente e inovadora é fazer com que consigamos trazer para o mercado (e por que não dizer para a vida), pessoas com grande diferencial competitivo, inovadoras e criativas. O Espaço possui uma dinâmica que possibilita às pessoas pensar “fora da caixa”, a desenvolver um espírito mais aventureiro, experimental, fortalecendo potencialidades que não conseguimos despertar dentro de uma sistemática formal e tradicional. O futuro é uma caixa de grandes possibilidades, assim como o Espaço de Educação Maker. Parabéns aos idealizadores, construtores e colaboradores deste Espaço, que nos trazem possibilidades de futuros diferentes. O Espaço está preparando as pessoas para o futuro. Assim, desejo que a sociedade em que estamos inseridos esteja

Jony Link

preparada para este futuro também.

CRÉDITO:

Kakau Press


ão Maker

Marco Cornetet Gerente Produto ERP Benner Sistemas O Espaço Maker é, acima de tudo, um espaço criativo, onde o jovem desenvolve suas habilidades criativas para encontrar soluções para diversos tipos de problema. Possui um conjunto de equipamentos e orientadores de alto nível, que permitem ao jovem direcionar sua criatividade e suas habilidades em várias áreas como matemática, robótica, desenvolvimento de aplicações, games, moda, teatro, eletrônica dentre outras. Um ponto positivo a ser destacado é a orientação voltada para um propósito, ou seja, o jovem desenvolve suas habilidades sabendo os resultados que pretende alcançar. Isso é muito importante para aprimorar o senso de objetividade, entrega e qualidade. O jovem que tem acesso ao Espaço de Educação Maker é preparado para desenvolver novas soluções e produtos inovadores para atender às necessidades da sociedade moderna. Percebo essa atuação de maneira muito positiva. As soluções que disponibilizamos aos clientes possuem muitas funcionalidades inovadoras que surgiram utilizando abordagem e metodologias semelhantes às que são praticadas no Espaço Maker. É muito importante para as empresas de TI receber novos talentos com habilidades criativas e visão sistêmica com um grau de amadurecimento bastante satisfatório. A FIESC, por intermédio do SESI, está de parabéns por criar e manter o projeto Educação Maker. O mercado precisa de pessoas criativas com perfil orientado para propostas inovadoras, criativas e objetivas.

Marco Cornetet CRÉDITO:

Divulgação


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 19

“Vemos que a proposta do Espaço Maker é um grande desafio porque só o ambiente não basta.” Amélia Malheiros

CRÉDITO:

Daniel Zimmermann

rador, o que ajudou no sucesso dessa primeira imersão.

to grande entre tudo o que o SCMC preconiza e acredita, com a instituição como um Naquele dia estávamos cotodo. Encontramos aqui um meçando desenhar a possibi- ambiente estruturado para lidade de fazer pela primeira trazer o melhor possível das vez o encerramento do SCMC pessoas, para estimular a Quando conheci o Espaço de em Blumenau. E foi aí que colaboração, a criatividade e Educação Maker do Sesi me surgiu a grande vontade de a inovação. Vemos que a prosenti fortemente impactada. levar para o Espaço Maker o posta do Espaço de Educação Foi possível ver o potencial Design Camp, o acampamento Maker é um grande desafio transformador do lugar. O dos alunos. Precisamos fazer porque só o ambiente não primeiro contato do SCMC pouquíssimas adaptações no basta. É necessário também com o espaço foi quando filugar e pudemos usar toda a ter uma metodologia bem zemos um workshop para os estrutura de laboratório de desenvolvida e a aproximaalunos com o consultor Carcostura, fotografia, impresção com a comunidade. Ele los Ferreirinha. Foi um dia sora 3D, entre outros equicertamente está cumprindo primoroso. Tivemos quase pamentos. A prestatividade, seu papel de mudar o modeduas centenas de estudantes a recepção, o acolhimento lo mental para a inovação. A e todos os empresários do que tivemos foram incríveis. nossa indústria merece isso, SCMC reunidos em um sába- Construímos em conjunto do de manhã, refletindo sobre as soluções necessárias para espaços onde possamos exercomportamento, nossos valo- receber os alunos e empresá- citar esse potencial que acares na sociedade, o futuro, a rios por uma semana em no- bamos não externando muitas vezes. moda, os impactos desse mer- vembro de 2017. cado. O espaço é muito inspi- Tivemos uma afinidade mui-

Amélia Malheiros Presidente do SCMC e gestora da Fundação Hermann Hering


ão Maker

Fernando Fey CRÉDITO:

Kakau Press

Fernando Fey, Gerente Administrativo Financeiro na Metalúrgica Fey Desenvolver as competências comportamentais é básico para qualquer empresa que queira atingir um resultado de excelência. Cabe às organizações saber o momento correto de investir em conhecimentos técnicos, também fundamentais, ou nas competências comportamentais. É um grande risco (e custo) achar que as empresas podem evoluir somente com mais conhecimento técnico. Muitas vezes, o que falta é atitude, não conhecimento, e isso vem por meio do investimento em comportamento e no autoconhecimento. O espaço Maker é um ambiente que estimula comportamentos que comumente são oprimidos na rotina da organização. A

criatividade é um exemplo. A mensagem fica muito mais fácil de ser repassada, afinal todos estão com mentes abertas e sem a tensão e o estresse do dia-a-dia. Além disso, o sentimento de parceria é reforçado, onde todos passam a se conhecer melhor, já que são esquecidas as famosas “estruturas hierárquicas”. Com o investimento em uma capacitação para desenvolvimento dos colaboradores no Espaço de Educação Maker, nosso objetivo é apresentar a importância de um time coeso em busca de nossos desafios, que são cada vez maiores. Queremos reforçar nosso propósito e valores, sem esquecer que estamos num ambiente competitivo. A oportunidade de realizar este alinhamento no Espaço de Educação Maker certamente despertará a equipe de líderes para a importância do foco no cliente e da disseminação da estratégia para a organização.


Espaço de Educação Maker Ed .01 | página 21

Fabrizio Machado Pereira Superintendente do SESI/SC

desenvolvimento de competências cognitivas e não cognitivas para todos, e de realizar, no Complexo Esportivo de Blumenau, atividades físicas de diversas modalidade. “Mente sana in corpore sano”! Esta perspectiva da Educação Maker do SESI não se encerra em o olhar de que o desenvolvimento Blumenau, que apenas inaugurou integral do ser humano o plenifieste novo jeito de produzir educa e de que todas as pessoas têm o cação, agora irradiado para outras potencial de desenvolver competên- regionais do Estado de SC conscias pessoais, relacionais, cognitivas tituindo, hoje com sete Unidades e produtivas, assim como, atitudes instaladas e nove projetadas, a saudáveis, compatíveis com padrões maior rede com espaços de edude comportamento que auxiliam a cação maker, que apoiam projetos todos na melhoria de condições de educacionais no campo da Educação vida no âmbito pessoal e coletivo. Básica, da Educação de Contraturno e da Educação Corporativa. Um ano se passou e muitas histórias foram produzidas por empresários, trabalhadores e suas famílias, crianças e jovens, nesse espaço educacional que, visitado e ocupado também por educadores locais, de outras cidades e de fora do nosso Estado, cumpre o propósito Espaços inaugurados em 2017 de experimentar Espaços que serão inaugurados em 2018 um novo modelo educacional, uma nova pedagogia, Localização dos Espaços possibilitando a todos um novo Maker no Estado jeito de aprender, de produzir e cocriar respostas que dialoguem com Blumenau, Pinhalzinho, Joaçaba, Xanxerê, Joinville, os anseios profissionais e sociais do São José do Cedro e Lages. Século XXI. São Bento do Sul

Joinville

Jaraguá do Sul

São José dos Cedros

Xanxerê

Caçador

Indaial

Jaraguá do Sul Pinhalzinho

Ibirama

Blumenau

Joaçaba

Rio do Sul

Concórdia

Rio do Sul Palhoça

Lages

Tubarão

Com a convicção de que ‘Melhorar a Vida das Pessoas’ transforma a Indústria, o SESI inaugurou o Espaço de Educação Maker no Complexo Esportivo de Blumenau, em 2017, ano em que esse complexo de múltiplas atividades comemorou seu trigésimo aniversário. Esta união arquitetônica e de boa utilização de espaço se harmoniza com a visão de que a cada novo dia se amplia

Assim o SESI pratica a sua convicção de melhorar a vida das pessoas oferecendo, nos Espaços de Educação Maker, a oportunidade de

Rio do Sul, Palhoça, Ibirama, Indaial, Caçador, Concórdia, Jaraguá do Sul, Tubarão e São Bento do Sul.


Revista educacao maker digital  
Revista educacao maker digital  
Advertisement