Page 1

EPISTOLA A TITO 1 Endereço e saudação — 1Paulo, servo de Deus, apóstolo de Jesus Cristo para levar os eleitos de Deus à fé e ao conhecimento da verdade conforme a piedade, 2na esperança da vida eterna prometida antes dos tempos eternos pelo Deus que não mente, 3e que, no tempo próprio, manifestou sua palavra por meio da proclamação de que fui encarregado por ordem de Deus, nosso Salvador, 4a Tito, meu verdadeiro filho na fé comum, graça e paz da parte de Deus e de Cristo Jesus, nosso Salvador. Instituição dos presbíteros — 5Eu te deixei em Creta para cuidares da organização e ao mesmo tempo para que constituas presbíteros em cada cidade, 6cada qual devendo ser, como te prescrevi, homem irrepreensível, esposo de uma única mulher, cujos filhos tenham fé e não possam ser acusados de dissolução nem de insubordinação. 7Porque é preciso que, sendo ecônomo das coisas de Deus, o epíscopo seja irrepreensível, não presunçoso, nem irascível, nem beberrão ou violento, nem ávido de lucro desonesto, 8 mas seja hospitaleiro, bondoso, ponderado, justo, piedoso, disciplinado, 9de tal modo fiel na exposição da palavra que seja capaz de ensinar a sã doutrina como também de refutar os que a contradizem. Luta contra os falsos doutores — 10Com efeito, há muitos insubmissos, palavrosos e enganadores, especialmente no partido da circuncisão, 11aos quais é preciso calar, pois estão pervertendo famílias inteiras, e, com objetivo de lucro ilícito, ensinam o que não têm direito de ensinar. 12Um dos seus próprios profetas disse: "Os cretenses são sempre mentirosos, animais ferozes, comilões vadios". "Este testemunho é verdadeiro; repreende-os, portanto, severamente, para que sejam sãos na fé, 14e não fiquem dando ouvidos a fábulas judaicas ou a mandamentos de homens desviados da verdade. 15Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro: tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas. 16Afirmam conhecer a Deus, mas negam-no com os seus atos, pois são abomináveis, desobedientes e incapazes para qualquer boa obra. 2 Deveres particulares de certos fiéis — 1Quanto a ti, fala do que pertence à sã doutrina. 2Que os velhos sejam sóbrios, respeitáveis, sensatos, fortes na fé, na caridade e na perseverança. 3As mulheres idosas, igualmente, devem proceder como convém a pessoas santas: não sejam caluniadoras, nem escravas da bebida excessiva; 4mas sejam capazes de bons conselhos, de sorte que as recém-casadas aprendam com elas a amar os seus maridos e filhos, 5a ser ajuizadas, fiéis e submissas a seus esposos, boas donas-decasa, amáveis, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada. 6Exorta igualmente os jovens, para que em tudo sejam criteriosos. 7Sê tu mesmo um exemplo de conduta, íntegro e grave na exposição da verdade, 8exprimindo-te numa linguagem digna e irrepreensível, para que o adversário, nada tendo que dizer contra nós, fique envergonhado. 9Os servos devem ser em tudo obedientes aos seus senhores, dando-lhes motivo de alegria; não sendo teimosos, 10jamais furtando, ao contrário, dando prova de inteira fidelidade, honrando, assim, em tudo a doutrina de Deus, nosso Salvador. Fundamento dogmático dessas recomendações — 11Com efeito, a graça de Deus se manifestou para a salvação de todos os homens. 12Ela nos ensina a abandonar a impiedade e as paixões mundanas, e a viver neste mundo com autodomínio, justiça e piedade, 13aguardando a nossa bendita esperança, a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador, Cristo Jesus, 14o qual se entregou a si mesmo por nós, para


remir-nos de toda iniqüidade, e para purificar um povo que lhe pertence, zeloso no bom procedimento. 15Dize-lhes todas estas coisas. Exorta-os e repreende-os com toda autoridade. Ninguém te despreze. 3 Deveres gerais dos fiéis — 1Lembra-lhes que devem ser submissos aos magistrados e às autoridades, que devem ser obedientes e estar sempre prontos para qualquer trabalho honesto, 2que não devem difamar a ninguém, nem andar brigando, mas sejam cavalheiros e delicados para com todos. 3Porque também nós antigamente éramos insensatos, desobedientes, extraviados, escravos de toda sorte de paixões e de prazeres, vivendo em malícias e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros. 4Mas, quando a bondade e o amor de Deus, nosso Salvador, se manifestaram, ele salvou- nos, 5não por causa dos atos justos que houvéssemos praticado, mas porque, por sua misericórdia, fomos lavados pelo poder regenerador e renovador do Espírito Santo, 6que ele ricamente derramou sobre nós, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, 7a fim de que fôssemos justificados pela sua graça, e nos tornássemos herdeiros da esperança da vida eterna. Conselhos especiais a Tito — 8Esta é uma mensagem fiel. Desejo, pois, que insistas nestes pontos, de sorte que aqueles que crêem em Deus sejam solícitos na prática do bem. Estas coisas são excelentes e proveitosas aos homens. 9Evita controvérsias insensatas, genealogias, dissensões e debates sobre a Lei, porque para nada adiantam, e são fúteis. 10Depois de uma primeira e de uma segunda admoestação, nada mais tens a fazer com um homem faccioso, 11pois é sabido que um homem assim se perverteu e se entregou ao pecado, condenando-se a si mesmo. Recomendações práticas. Saudações e voto final — 12Mandarei ao teu encontro Ártemas ou Tíquico. Quando tiver chegado aí, faze o possível para vir ter comigo em Nicópolis, onde resolvi passar o inverno. 13Esforça-te por ajudar a Zenas, o jurista, e a Apolo, de modo que nada lhes falte. 14Todos os da nossa gente precisam aprender a praticar o que é bom, de sorte que se tornem aptos a atender às necessidades urgentes e, assim, não fiquem infrutíferos. 15Todos os que estão comigo te saúdam. Saúda a todos os que nos amam na fé. A graça esteja com todos vós!

58 epistola  

documentos igreja

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you