Page 29

16

Lesões intraósseas não odontogênicas SUMÁRIO DO CAPÍTULO Tórus e Exostoses 382 Lesões Fibro-ósseas 385 Doença de Paget do Osso (Osteíte Deformante)

396

Lesão Central de Células Gigantes (Lesões de Células Gigantes Agressiva e Não Agressiva, Granuloma Central de Células Gigantes, Granuloma Central de Células Gigantes Reparativo) 398 Querubismo

401

Fibroma Desmoplásico

402

Osteossarcoma (Sarcoma Osteogênico) Condrossarcoma

403

407

Mieloma Múltiplo (Mieloma Plasmocitário) Histiocitose de Células de Langerhans Osteonecrose e Osteomielite

411

416

417

Mioesferulose (Esferulocitose, Doença Esferulocística da Pele)

422

Defeito da Medula Óssea Hematopoiética (Defeito Osteoporótico da Medula Óssea) CISTOS NÃO ODONTOGÊNICOS E LESÕES SEMELHANTES A CISTO Cisto do Ducto Nasopalatino (Canal Incisivo)

423

424

424

Cisto Cirúrgico Ciliado (Cisto Pós-cirúrgico Maxilar)

426

Cisto Palatino Mediano 427 Cisto Ósseo Aneurismático

428

Cisto Ósseo Simples (Cisto Ósseo Traumático, Cavidade Óssea Idiopática) Cavidade Óssea de Stafne (Depressão Lingual da Glândula Salivar)

TÓRUS E EXOSTOSES Características Clínicas • Tórus: 2% a 10% dos adultos; aumentos de volume ósseos exofíticos, duros, uninodulares ou multinodulares revestidos por mucosa que pode estar ulcerada em decorrência de trauma; o tórus palatino e o tórus mandibular localizam-se, respectivamente, na linha média do palato e na superfície lingual da mandíbula (geralmente bilaterais e simétricos) (Fig. 16-1, A e B); geralmente representa um local de osteonecrose associada a bisfosfonatos. • Exostoses: 27% dos adultos; predileção pelo gênero masculino (5:1); crescimento exofítico de osso, nodular ou séssil, frequentemente localizado nas superfícies vestibulares da mandíbula e maxila ou no arco ascendente do palato, com mais de 90% dos pacientes apresentando tórus concomitantes (Fig. 16-1, C e D); as exostoses possivelmente exibem crescimento rápido em alguns pacientes.

430

431

Etiopatogênese e Características Histopatológicas Tórus e exostoses provavelmente são alterações de desenvolvimento influenciadas por fatores genéticos e ambientais, e com predisposição racial. • Osso lamelar denso com osteócitos pequenos e bem espaçados, tecido fibrovascular nos canais haversianos, formação variável de rimas de osteoblastos, especialmente quando inflamado (Fig. 16-2); medula gordurosa geralmente presente. • Feixes de colágeno longos e amplos (lamelas) são observados sob luz polarizada (Fig. 16-3).

Diagnóstico Diferencial • A osteosclerose idiopática (ilha de osso denso ou cicatriz óssea) não é exofítica e constitui lesão radiopaca intraóssea assintomática não relacionada aos dentes que é descoberta em radiografia de rotina (Fig. 16-4, A); a biópsia

382

C0080.indd 382

16/06/13 1:10 AM

ATLAS DE PATOLOGIA ORAL  

O Livro Atlas de Patologia Oral oferece toda a ajuda que você precisa para identificar com precisão as mais desafiadoras lesões da cavidade...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you