Page 1

Águeda•Albufeira•Almada•Amadora•Azambuja• Barreiro•Braga•Câmara de Lobos•Cascais•Chaves• Coimbra•Esposende•Évora•Guarda•Grândola•Leiria• Lisboa•Loulé•Loures•Miranda do Corvo•Moura• Odivelas•Oliveira de Azeméis•Paços de Ferreira• Palmela•Paredes•Pombal•Portimão•Porto•Rio Maior• Sta. Maria da Feira•Santo Tirso•Santarém•S. João da Madeira•Sever do Vouga•Silves•Sintra•Torres Novas• Trofa•Vila Franca de Xira•Vila Nova de Famalicão•Vila Real•

REDE PORTUGUESA das CIDADES EDUCADORAS Boletim nº14 | 2010

Editorial •••••••••••••

Encontro Nacional ••••

A sociedade de hoje vive uma gravíssima crise económica e finan-

Encontro da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras em Portimão

ceira, que poucos destas gerações actuais se recordam de terem estado em situação semelhante de incerteza no futuro, provocado por uma crise de confiança no presente. Esta crise poderá ter as suas consequências psicológicas e sociais. É nestas alturas de dificuldades, que os meios financeiros poderão e deverão ser substituídos pela imaginação, criatividade e inovação. Será nestes tempos em que a educação, quer seja formal quer seja informal, se deverá pautar por valores que por vezes têm sido esquecidos, e que fazem, no entanto, parte permanente dos discursos,

O Teatro Municipal de Portimão – TEMPO, recebeu no passado dia

mas ausentes das práticas. Será a altura propicia para períodos

16 de Julho, o Encontro Nacional da Rede Territorial Portuguesa das

de reflexão sobre o modus vivendi das sociedades, num passado recente em que a abundância de meios materiais era uma realidade, permitindo até por vezes, devaneios, consumismo exacerbado e má utilização dos mesmos, que de forma inconsequente, se foram delapidando. O primado dos meios materiais virá dar vez ao primado social, nestes tempos conturbados em que a sociedade espera que as comunidades educativas, em toda a sua plenitude, tenham um papel preponderante e eficaz na formação dos homens de amanhã. Quando um dia, eu dizia para uma professora que solicitava material para a sua aula e esse mesmo material ainda não tinha sido fornecido: “até com um compasso se desenha uma circunferência”, estava tão só a querer dizer que existem sempre outros meios de fazer a mesma coisa, dependendo apenas da imaginação.

Cidades Educadoras, com a presença de onze Municípios membros da Rede Portuguesa e de dois Municípios algarvios convidados (Lagoa e Lagos), num total de 26 pessoas. A Vereadora da Câmara Municipal de Portimão, Isabel Guerreiro, fez a apresentação dos oradores participantes na mesa redonda “Escola Activa e a Cidade – Uma experiência na região do Algarve”: Eduardo Fernandes, representante da Direcção Regional de Educação do Algarve e coordenador do Projecto; Teresa Sancho, representante da Administração Regional de Saúde do Algarve e coordenadora do Projecto “Combate à Obesidade Infantil no Algarve”; e Ana Vidigal, da Federação Regional das Associações de Pais do Algarve (FRAPA). Foi apresentado o projecto de combate à obesidade e sedentarismo infantil, introduzido nas Actividades de Enriquecimento Curricular, que envolveu neste ano lectivo 16 autarquias do Algarve, 47 Agrupamentos de Escolas e 20.120 alunos, tendo em vista uma maior prática

O papel das cidades educadoras torna-se agora mais claro e como

de actividade física nos estabelecimentos de ensino.

“a necessidade aguça o engenho”, vamos cada um de nós, nas nossas

O projecto desenvolve-se em cinco grandes eixos: Formação/Sensi-

comunidades, fazer o melhor que pudermos e soubermos, para ultrapassar estes momentos de dificuldades, porventura, criadas por nós.

bilização (presença de atletas conhecidos); actividades com os alunos – formal (actividade física e cognitiva), informal (promoção de eventos), interdisciplinaridade; avaliação à adesão

José Carlos Martins Rolo

e aptidão do aluno (“fitness grade”); com-

Vice-Presidente

ponente social integrada (envolvimento das

Câmara Municipal de Albufeira

famílias); e divulgação e promoção das várias actividades desenvolvidas (Jornal Escolar, Eventos, Materiais criados e produzidos no âmbito do projecto).


Encontro Nacional Para tal, foi necessário o desenvolvimento de acções de formação acreditadas aos professores (25 horas, 6 acções a 275 docentes), tendo em vista a aplicação do Projecto na interdisciplinaridade dos

Espaço de Opinião

•••••••••••••••••••••

programas lectivos, e aos pais (47 acções a 756 encarregados de educação), bem como uma avaliação da aptidão física no JI e no 1.º

Tomo a liberdade de personalizar este espaço

ciclo. Foram criados percursos na Natureza em 6 concelhos, durante

de opinião, dando-vos conta do meu percurso

os quais, para além do exercício físico, as crianças afloram conteúdos

recente na Educação.

das várias matérias curriculares que estão a aprender. Cada Agrupa-

Quando, em Novembro passado, assumi o

mento participante recebe um galardão, que é a Bandeira Escola Activa

pelouro (da Educação) em Azambuja, já

que ali é hasteada.

transportava comigo toda uma “história”

O “Combate à Obesidade Infantil no Algarve” tem a colaboração da

como docente no Concelho onde nasci e

Administração Regional de Saúde do Algarve, em parceria com a

resido. Desde logo fiquei curiosa ao contactar mais de perto com

Universidade do Algarve, Hospitais da Região, Municípios, Associação

um conceito que, sendo familiar, carecia de vivência(s) – o de “Cidade

de Municípios do Algarve, Federação das Associações de Pais do

Educadora”.

Algarve, Direcção Regional do Desporto do Algarve e Direcção Regional

Rapidamente constatei que havia já um percurso consolidado na

de Educação do Algarve.

relação que este Município foi estabelecendo, ao longo do tempo, com

Na segunda parte da ordem de trabalhos, coordenada pelo Vereador

os agentes educativos e com a Comunidade Educativa em geral.

da Educação da Câmara Municipal de Lisboa, foram dadas infor-

Apercebi-me também que o diálogo, a partilha de preocupações e

mações da Comissão de Coordenação desta Rede Territorial, nomea-

soluções, bem como a cumplicidade entre a autarquia e os diversos

damente: assuntos tratados na Assembleia Geral da AICE e Comités

agentes educativos eram bem mais próximos do que percepcionei

Executivos, que tiveram lugar durante o XI Congresso Internacional

enquanto estive no ensino. O “pano de fundo” era, tão só, os nossos

da AICE - análise geral do Congresso Internacional, sua organização,

munícipes.

salientando a intervenção dos representantes portugueses e ainda a necessidade que se fez sentir do português ser considerado como língua oficial da AICE; processo de candidatura à organização do IV Congresso Nacional das Cidades Educadoras, a ter lugar em 2011 (informação dada pelo representante do Município de Évora); e marcação do próximo Encontro desta Rede Territorial. Da parte da tarde, os participantes tiveram oportunidade de efectuar uma visita guiada ao Museu de Portimão, instalado na antiga fábrica conserveira Feu Hermanos, que documenta o património histórico, etnográfico e industrial da cidade e região, recentemente galardoado pelo Conselho Europeu como “Museu do Ano 2010”.

Foi com agrado que constatei que os valores presentes nestas relações se encontravam espelhados na Carta das Cidades Educadoras. Dar início às minhas funções neste enquadramento foi-me particularmente gratificante. Assim, delineei a minha intervenção a partir de uma das dimensões fundamentais na Educação: os Valores. Tive a oportunidade de reflectir que uma cidade só é verdadeiramente educadora quando, nas relações com a Comunidade, estão presentes valores como a equidade, a justiça social, a transparência, a honestidade… tal como a Carta enuncia no seu preâmbulo: “O direito a uma cidade educadora deve ser uma garantia relevante dos princípios de igualdade entre todas as pessoas, de justiça social e de equilíbrio territorial”. (…) “o município face a processos de tomada de decisões em cada um dos seus domínios de responsabilidade, deverá ter em conta o seu impacto educador e formativo” (art.º 6, I – “O Direito a uma Cidade Educadora”) – este é o desafio quotidiano de quem tem de conciliar as decisões da Administração Central com a política local, sendo o reordenamento da Rede Escolar o exemplo actual mais paradigmático de todos esses desafios. Acredito que, com os pressupostos enunciados e com a colaboração de outras estruturas, em particular do Conselho Municipal de Educação, encontraremos as respostas mais adequadas, porque… Educar é uma responsabilidade de Todos! Ana Maria Ferreira Vereadora do Pelouro da Educação Câmara Municipal da Azambuja


Boas Práticas

Albufeira •••••••••• Circuito do Pão No âmbito do dia Internacional da Alimentação, a Câmara Municipal de Albufeira em conjunto

Almada ••••••••••• Dia Europeu sem Carros em Almada fez 10 anos!

Semana Europeia da Mobilidade promove novos hábitos de deslocação

com a NUCLEGARVE – Aldeia da Solidariedade, organizou uma exposição interactiva

De 16 a 22 de Setembro, em milhares de cidades por todo o mundo e

para os alunos do Pré-Escolar e 1.º Ciclo do

também em Almada, decorreu mais uma edição da Semana Europeia

Ensino Básico, denominada: “O Circuito do

da Mobilidade (SEM). Este é o evento de maior projecção mundial

Pão”. Esta exposição decorreu entre os dias

sobre mobilidade urbana sustentável.

11 e 15 de Outubro no Espaço Multiusos de

Sob o slogan “Viaje bem, Viva melhor”, a edição deste ano ofereceu um

Albufeira, entre as 9h e as 15h, e teve como principal objectivo dar a

amplo programa de actividades, com o objectivo de sensibilizar a todos

conhecer o ciclo do Pão e proporcionar às crianças uma aprendizagem

para a utilização de formas de mobilidade quotidiana mais amigas do

in loco do ciclo do pão e contou com a presença de 1200 alunos das

ambiente que criem uma vivência da cidade mais saudável e sustentável.

escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico do Concelho de Albufeira.

Almada é a única cidade do país que se pode orgulhar de ter aderido inin-

Alunos e professores tiveram a oportunidade de descobrir alguns mis-

terruptamente à SEM, tendo celebrado nesta edição o seu 10.º aniversário.

térios da antiga história do pão, que aqui e ali se cruza com a história

A Semana incluiu o mediático Dia Europeu Sem Carros, no dia 22,

da vida das gentes. As tradições e os espaços marcaram este interes-

durante o qual uma zona em Cacilhas foi fechada ao trânsito automóvel.

sante circuito do pão; desde a lavoura, à ceara, ao Moinho, passando

Uma rua normalmente repleta de automóveis, deu lugar a uma zona cheia

pela eira com a debulha, foram criados espaços, onde a história do pão

de animação e acções de rua, com mais espaço para as pessoas.

foi a rainha da festa e onde as crianças foram os actores principais.

A destacar também no programa, a dinamização da primeira edição

A actividade desenrolou-se de uma forma ordenada e lógica, iniciando

do Festival da Mobilidade, que congregou várias acções de informação

com uma história “O Ciclo do Pão”, de Cristina Quental e Mariana

e sensibilização sobre mobilidade sustentável, espectáculos, actividades

Magalhães, através da qual o público infantil teve o primeiro contacto

desportivas, mercados de rua, ateliers sobre biodiversidade e alterações

com a actividade e percebeu a importância deste alimento e dos cereais

climáticas, passeios e muito mais.

que o compõem, na nossa alimentação.

Apesar da SEM, por imposição da Comissão Europeia, decorrer quase

De seguida as crianças dirigiram-se para um espaço mágico que recriava

em simultâneo com o início do período lectivo, foi de realçar mais uma vez,

uma quinta, e foi aí que tiveram oportunidade de assistir a todo o

o envolvimento empenhado de várias escolas e IPSS’s do concelho que

processo, desde a lavoura e sementeira, à ceifa das espigas douradas

se quiseram associar a este importante evento. Por exemplo a APPACDM

pelo calor dos meses de Verão. Na eira, perceberam que cada cereal exigia diferentes recursos e formas de debulha. Á medida que avançavam, as crianças, iam sendo surpreendidas pelas curiosidades de produção do pão e que antigamente envolvia o trabalho de muitas famílias rurais, hoje ultrapassada, pela evolução das necessidades do homem. Quase no final da visita esperava-os o Moinho de Vento, com as suas velas imperiosas à espera do vento para poder moer os cereais, enquanto o moleiro desvendava os segredos destas fascinantes construções e do trabalho árduo que outrora ocupava diariamente estes

apresentou durante esta Semana um mini-autocarro que assegura um novo serviço de mobilidade inclusiva aos seus utentes, disponível em algumas das zonas mais periféricas das freguesias de Caparica e Trafaria. Outras actividades de sucesso foram as “Viagens a troco de Lixo”, em que foi possível trocar materiais recicláveis por títulos de transporte, ou os ateliers “Mobilidade Urbana e os seus impactes”, que decorreram no Museu da Cidade, onde foi feita uma viagem pela evolução dos modos de transporte e comunicações em Almada. Para mais informações

mestres. Para finalizar a visita em beleza, as crianças tiveram oportu-

Divisão de Educação e Sensibilização Ambiental Tel. 21 272 25 10

nidade de confeccionar o pão com a ajuda dos padeiros e claro provar

Almada21@cma.m-almada.pt

esse alimento tão precioso para a nossa alimentação.

www.m-almada.pt/ambiente


Boas Práticas

Amadora •••••••••• Prevenção da obesidade pediátrica na Escola

Azambuja ••••••••• Contos infantis e identidade cultural

A obesidade é a epidemia do séc. XXI. Não é mera questão de estética, nem um problema de adultos. Outrora as crianças brincavam na rua, andavam de bicicleta, jogavam à bola, mas hoje, o medo associado à criminalidade, impede os pais de deixarem que as crianças façam estas actividades, confinando-as ao seu “espaço seguro”, onde têm à disposição a televisão, o computador, entre outros. Por outro lado, a quantidade de apelos dos media de anúncios estimulantes a produtos alimentares pouco nutritivos e altamente calóricos, não permitem que as crianças façam opções correctas. Considerando a prevenção como o meio mais eficaz para controlar esta perturbação alimentar, a escola constitui o palco por excelência no incentivo de hábitos de alimentação saudável e prática de exercício. Neste sentido, o Núcleo de Pediatria do Hospital Fernando Fonseca, convidou a Nestlé e a Câmara Municipal da Amadora, a criar um Programa de Prevenção da Obesidade e de Excesso de Peso, e em parceria com Agrupamentos de Escolas, implementar e operacionalizar estratégias educativas e pedagógicas de hábitos saudáveis. Estes conteúdos são leccionados de forma lúdica, através do Programa “Apetece-me” da Nestlé. Simultaneamente, foram feitas adaptações das ementas escolares, substituído o leite achocolatado pelo simples e trabalhados os temas em sala de aula. O incentivo à prática de exercício físico é igualmente uma aposta destes profissionais, sendo os recreios dinamizados pelo menos, duas vezes por semana. As actividades de enriquecimento curricular são também

A sensibilização para a leitura como missão de uma biblioteca pública é traduzida com frequência através da Hora do Conto quando o público-alvo são as crianças. Em Azambuja, com uma rede com três Bibliotecas Municipais e não muito mais do que mil alunos de 1.º ciclo, o desafio é constante. A inovação e criatividade, na nossa perspectiva, podem ser introduzidas ou na forma ou no conteúdo. A participação regular dum animador cultural e o seu talento artístico pareceu-nos inevitável, quanto à forma. Os cenários mudam-se, mas as canções e melodias também. A solução, quanto ao conteúdo, surgiu um pouco por acaso. Propositadamente, os fantoches adquiridos para a Bebeteca tinham um campino, mas também havia uma “menina” e, claro, outros bonecos. Resolvemos escrever uma estória que animou durante um ano a Hora do Conto: “História do Zé Campino e da Matildinha”, posteriormente editada em livro e dessa forma acessível a todos. A experiência tem vindo a ser repetida. Ouviram e foram em busca

aqui mais-valia, nomeadamente no que concerne à actividade de

do Tesouro na Feira de Maio.(1)

educação física. Anualmente as crianças usufruem de uma avaliação

Este ano, terão a oportunidade de conhecer uma lenda secular a pro-

antropométrica no início e no fim do ano lectivo, de forma a monitorizar

pósito do Castro de Vila Nova de São Pedro, espólio do Museu Muni-

os resultados das acções desenvolvidas. Neste Projecto, designado

cipal, recuperada pelo seu patrono, ainda vivo, Sebastião Mateus Arenque.

por POPE, intervêm 2608 alunos.

O nosso património cultural ao serviço desse grande objectivo de formação de futuros leitores num Município que se pretende educador. (1)

Evento turístico-cultural ligado à tauromaquia.


Boas Práticas

Barreiro ••••••••••• “A Escola Somos Todos Nós”

Câmara de Lobos •••• Câmara de Lobos recebeu 25 Bandeiras Verdes

No dia 4 de Outubro teve início a iniciativa “A Escola Somos Todos Nós”, com várias actividades dedicadas à área da Educação, promovidas pela Câmara Municipal do Barreiro e Juntas de Freguesia com (e para) a comunidade educativa. Visitas guiadas e temáticas para os alunos, actividades do Serviço Educativo vocacionadas para os alunos do 1.º ciclo e pré-escolar do ensino público, convívio de recepção à comunidade educativa, entre outras actividades, fizeram parte do programa. No programa, de salientar as actividades da Universidade da Terceira Idade do Barreiro, com destaque para uma aula aberta de Esperanto. Realizaram-se várias visitas institucionais aos estabelecimentos de ensino público e das redes sociais e privada, de todos os níveis de ensino e tiveram lugar as inaugurações da Escola Básica da Penalva e da Biblioteca da Escola Básica Professor José Joaquim Rita Seixas. O programa incluiu, no Auditório da Biblioteca Municipal, a tomada

Câmara de Lobos foi novamente o município “campeão” regional da Bandeira Verde ao conquistar 25 galardões das boas práticas e projectos na área do ambiente, desenvolvidos nos estabelecimentos de ensino. A Bandeira Verde é atribuída anualmente pela Associação Bandeira

de posse do Conselho Municipal de Educação e a realização do

Azul da Europa, no âmbito do Programa Eco-Escolas e visa encorajar

Seminário sobre “Conflito em meio Escolar”, promovido em parceria

acções, bem como reconhecer e premiar o trabalho desenvolvido pelas

com as Associações de Pais do Concelho e o Centro de Formação

escolas na melhoria do seu desempenho ambiental.

de Professores.

Todos os estabelecimentos de ensino e educação do concelho

É de realçar o lançamento da Agenda Jovem e oferta da Agenda do

de Câmara de Lobos que concorreram foram galardoados com a

Professor pela autarquia.

Bandeira Verde, o que faz com que, no ranking nacional, Câmara

Realizou-se, ainda, um passeio concelhio com a comunidade educativa

de Lobos mantenha o terceiro lugar nacional com o maior número de

para dar a conhecer a realidade escolar do Barreiro.

escolas premiadas, a exemplo do ano passado, cabendo o primeiro

O programa culminou com um lanche oferecido pela CMB e Juntas de

lugar a Sintra e o segundo a Ílhavo.

Freguesia à comunidade educativa, na Escola Secundária de Santo André.

As candidaturas das escolas são feitas através das Câmaras Municipais,

O lanche contou com animação musical e, à semelhança dos anos

mas estes prémios só são possíveis porque há, refira-se, um grande

anteriores, teve lugar uma homenagem de reconhecimento aos aposen-

empenho dos professores e dos alunos.

tados docentes e não docentes no ano lectivo 2009/2010.

Na sociedade actual não podemos ficar indiferentes ao mundo que nos

O programa completo de “A Escola Somos Todos Nós” pode ser con-

rodeia, razão pela qual a defesa do meio ambiente é uma competência

sultado em www.cm-barreiro.pt.

de todos e de cada um individualmente. Às entidades públicas, como é o caso das Câmaras Municipais, compete terem políticas de ambiente bem definidas, têm de agir e fazer agir, e foi com base neste princípio que a Câmara de Lobos tem apostado na educação ambiental dos mais jovens, nomeadamente, mediante a participação dos nossos estabelecimentos de ensino no Projecto Eco-Escolas.

Eco-Código O primeiro lugar do concurso nacional Eco-Código foi atribuído à Escola B1/PE de Câmara de Lobos. Este concurso, em que participaram os estabelecimentos de ensino que desenvolvem o projecto Eco-Escolas foi promovido pela Associação Bandeira Azul da Europa.


Boas Práticas

Cascais ••••••••••• Curso de mecânica automóvel na Escola Matilde Rosa Araújo Uma aposta de formação diferente tem lugar este ano lectivo no

Chaves •••••••••••• “À Descoberta dos Museus da Região” Crianças estimulam criatividade e gosto pelo património através de visitas guiadas aos museus da região

concelho de Cascais. Qualificar as ofertas formativas ministradas nas escolas públicas, apostar na aproximação e integrar as entidades empregadoras, nas suas estruturas de formação ao meio escolar, constituem uma aposta do Município de Cascais e é um objectivo presente na implementação deste projecto. Foi nessa perspectiva que foi lançado o desafio de construção do projecto-piloto de formação na escola Matilde Rosa Araújo. Foi com o grande entusiasmo de todos os parceiros que curso abriu já as suas portas. A ATEC, Academia de Formação que teve origem numa parceria do grupo Auto-Europa, Bosh e Siemens, foi o parceiro determinante na qualificação e supervisão desta formação de carácter eminentemente prático. A pronta adesão da escola e a sua capacidade de encontrar as respostas necessárias à sua concretização foram o segredo para o sucesso que acreditamos vai caracterizar este projecto. Os cerca de quinze jovens que frequentam este curso, que lhes conferirá o 9.º ano de escolaridade, têm ao seu dispor uma oficina automóvel com equipamento adequado a este tipo de formação, dispõem de fardamento específico equivalente e de todas as condições para uma aprendizagem de qualidade. A formação em contexto de trabalho e algumas das aulas práticas têm lugar nas instalações da ATEC em Palmela. O descapotável da marca Volkswagen que se encontra na oficina faz já as delícias de todos os alunos e será certamente um chamariz para futuras inscrições nesta oferta formativa. A Câmara Municipal de Cascais apoiou este projecto através da requalificação dos espaços bem como das despesas inerentes a materiais e deslocações, num montante de cerca de 50.000 euros.

Um grupo de crianças, com idades compreendidas entre os 7 e os 15 anos, puderam explorar e descobrir novos espaços museológicos, estimulando a sua criatividade e apurando o gosto pelo património e pela cultura. A iniciativa “À Descoberta dos Museus da Região”, organizada pelo Município de Chaves, através da Rede de Museus Municipais – Museu da Região Flaviense, decorreu durante os dias 27 e 29 de Julho e 2, 4 e 6 de Agosto. A acção destinou-se aos mais novos, que gratuitamente puderam desvendar novas vivências ao visitarem espaços museológicos diversificados, de forma lúdica e descontraída. O roteiro iniciou-se com a visita ao Museu de Arqueologia e Numismática de Vila Real, seguiu-se o Museu Municipal de Vila Pouca de Aguiar, o Museu Rural de Boticas, o Ecomuseu do Barroso (em Montalegre) e, para terminar, o Núcleo de História Militar e o Núcleo de Arqueologia e Pré-História do Museu da Região Flaviense, em Chaves. Neste último, as crianças participaram numa oficina lúdico-pedagógica de expressão plástica, sobre a temática da “cerâmica campaniforme”, onde foram convidadas a reproduzir algumas peças de cerâmica expostas no museu, pertencentes à colecção pré-romana e a visualizar um pequeno filme sobre o Homem da Pré-História. Foi com grande entusiasmo e curiosidade que as crianças exploraram e descobriram os diversos espaços, tiraram fotografias às peças em exposição, colocando sempre “mil e uma perguntas” sobre o que estavam a observar. Em todos os museus visitados ainda houve tempo para um pequeno lanche num espaço verde ao ar livre, bem como para alguns jogos pedagógicos durante os percursos de autocarro. Tratou-se de uma experiência positiva e enriquecedora, que ajudou a povoar o imaginário das crianças, a estimular a sua criatividade e a cultivar o gosto pelo património e pela cultura em geral. A acção teve como principais objectivos dar a conhecer outros museus da região e outros tipos de acervo museológico, proporcionando um ambiente de aprendizagem lúdico e não formal para o período de férias da comunidade escolar.


Boas Práticas

Esposende ••••••••• Lançada a primeira pedra do Centro Educativo de Fão

Évora ••••••••••••• Évora promove AEC para alunos com necessidades educativas especiais Desde 2006 que o Município de Évora se constitui como entidade promotora das Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), disponibilizando o acesso a um leque diversificado de actividades, entre as quais se contam a natação, danças tradicionais e hip-hop (para além das previstas legalmente). Por outro lado, como Cidade Educadora, Évora reconhece o seu papel no fomento da igualdade de oportunidades a todas as crianças, independentemente das suas características cognitivas, motoras, físicas ou económicas.

No passado dia 26 de Setembro foi lançada a primeira pedra do Centro Educativo de Fão, um equipamento orçado em aproximadamente 1,7 milhões de euros, que deverá estar concluído no início de 2012. O Presidente da Câmara Municipal de Esposende considerou o momento “histórico” e “deveras importante para o futuro da comunidade” local, apontando o acto como “mais um passo na aposta na educação de qualidade”, assegurando o empenho do Município em garantir as melhores condições de ensino. Na sua intervenção, o Autarca lembrou o recente investimento na construção do Centro Escolar de Esposende e anunciou o lançamento do concurso público para a construção do Centro Educativo de Forjães, até final do presente ano. Apesar da conjuntura económico-financeira desfavorável, João Cepa prometeu empenhamento para, até final do mandato em curso, avançar com a construção dos Centros Educativos de Marinhas e de Apúlia e com intervenções de requalificação e ampliação de outras escolas, adaptando-as ao modelo de centros escolares. O futuro Centro Educativo de Fão terá três salas de actividades afectas à Educação Pré-escolar mais duas de componente sócio-educativa, sete salas de aula afectas ao 1.º Ciclo mais duas de enriquecimento curricular, sala de informática, laboratório, biblioteca e refeitório, assim como serviços para a confecção e preparação de refeições. O projecto contempla também instalações para os serviços administrativos e de apoio à actividade lectiva, instalações sanitárias, polivalente, recreio exterior coberto, campo de jogos e parque infantil. Para uma segunda fase está projectada a construção de um Pavilhão Gimnodesportivo, que dará não só apoio ao estabelecimento de ensino, mas que também se integrará na nova zona desportiva de Fão.

Deste modo, o Município entende ser sua responsabilidade a criação de condições para a adequação das AEC às necessidades educativas dos alunos com deficiências ou incapacidades de carácter permanente. Para a sua concretização, desenvolveu um projecto-piloto, no presente ano lectivo, que tem como grande objectivo a promoção de uma efectiva inclusão educativa e social, contribuindo para o acesso e o sucesso educativos, autonomia, estabilidade emocional, bem como a promoção da igualdade de oportunidades e a preparação para o prosseguimento de estudos. O projecto decorre no Agrupamento de Escolas n.º 1 – Malagueira, conta com a parceria de três instituições especializadas e tem como destinatários alunos com limitações ao nível da actividade e da participação num ou vários domínios de vida, decorrentes de alterações funcionais e estruturais, de carácter permanente. No projecto, foram consideradas duas medidas educativas complementares, de acordo com as necessidades específicas de cada aluno: o reforço pedagógico personalizado e actividades específicas que não fazem parte do modelo curricular estrutural das AEC. O reforço pedagógico personalizado foi definido de acordo com as capacidades dos alunos. Consiste no reforço das estratégias utilizadas no grupo aos níveis da organização, do espaço e das actividades. É prestado por um professor com habilitações próprias em cada uma das áreas de enriquecimento curricular. As actividades específicas consistem num conjunto de propostas organizadas em função dos programas educativos individuais dos alunos com NEE e proporcionam respostas mais ricas e significativas, garantindo uma efectiva participação. São desenvolvidas as seguintes actividades: Oficina dos 3 R’s; oficina de movimento e drama; ecohorta; expressão corporal e artística e oficina do som.


Boas Práticas

Lisboa •••••••••••• Projecto “Passaporte Escolar”

Loulé ••••••••••••• Projecto Ecos

A cidade de Lisboa tem uma população escolar de cerca de 15.000 alunos a frequentar o 1.º ciclo do Ensino Básico nas escolas da rede pública. A Câmara Municipal de Lisboa tem diversos serviços com ofertas educativas: Educação, Juventude, Desporto, Ambiente, Espaços Verdes, Higiene Urbana, Cultura, Património, Urbanismo, entre outros e, decidiu proporcionar, com uma melhor articulação, esta oferta educativa aos alunos, através do aproveitamento das sinergias dos vários interlocutores. O pelouro da Educação e Juventude da Câmara Municipal de Lisboa desenvolveu o “Passaporte Escolar”, que tem como objectivo promover a oferta educativa, contribuindo para a formação de cidadãos activos, conscientes e informados. Através da criação de uma rede de parceiros não só da autarquia, mas também alargada a instituições e entidades exteriores, pretende-se promover o conhecimento e contribuir para a aprendizagem dos alunos em quatro grandes áreas: educação cultural, educação desportiva, educação científica e ambiental e educação cívica. Este objectivo materializa-se na realização de visitas organizadas a equipamentos da cidade, em contactos com diversos profissionais e na participação directa em actividades. O registo destas aprendizagens é feito, com carimbo, no “Passaporte” entregue a cada aluno do 1.º ciclo, documento que o acompanhará no seu percurso escolar, e será a memória dos espaços visitados na cidade que, como cidadão, deles se deverá continuar a apropriar. A estimulação da aprendizagem contribui para o desenvolvimento de competências e aptidões nas crianças.

O Projecto Ecos, financiado pelo Programa Escolhas, tem como entidade Promotora a Câmara Municipal de Loulé e como entidade Gestora a Casa da Primeira Infância, funcionando em regime de Consórcio numa estratégia partilhada de intervenção, com algumas instituições do concelho de Loulé, tais como, CPCJ, PIEC, Valor por Medida, DGRS e Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita. É um projecto de prevenção que pretende intervencionar as crianças e jovens assim como as famílias dos Bairros Sociais da freguesia de S. Clemente. Os seus destinatários estão compreendidos na faixa etária dos 6 aos 24 anos. O Projecto Ecos tem como objectivos a diminuição o abandono/absentismo e insucesso escolar nos bairros sociais de Loulé; o aumento da empregabilidade dos jovens destinatários e ainda o aumento da capacidade de resolução de conflitos nos mesmos. Numa série de actividades diversificadas, desde o apoio escolar até às assembleias de jovens, passando pelo trabalho com os pais na “Escola de Pais”, onde a participação activa dos destinatários é fundamental e onde se valoriza a avaliação participada de todos, a “construção” do projecto é o pilar de suporte às novas aprendizagens e ao crescimento saudável destes jovens a das suas famílias. Pretende-se, assim, sensibilizar a população jovem em situação de vulnerabilidade dos bairros sociais de Loulé, para a importância dos factores de educação, formação, emprego e empreendedorismo com vista à prevenção de situações de risco, promovendo estilos vida saudáveis e inclusão social. Motivar, consciencializar e integrar são as palavras chave para escolhas conscientes, desta faixa da população, que levará a situações de sucesso, almejando uma sociedade de jovens adultos mais conscientes das suas reais capacidades e oportunidades na construção do seu próprio futuro.


Boas Práticas

Loures •••••••••••• Quadros Interactivos no 1.º Ciclo do Ensino Básico

Moura ••••••••••••• Newsletter: Moura, Cidade Educadora

No sentido de valorizar e modernizar as escolas, criando condições

De acordo com o Programa Municipal “Mais

físicas que favoreçam o ensino e a aprendizagem e que contribuam para

Educação” e a Carta das Cidades Educadoras,

consolidar o papel das tecnologias da informação e da comunicação

o conceito de comunidade educativa traz com

(TIC) enquanto ferramenta básica em tais processos, o Município de

ele uma nova visão da escola e uma respon-

Loures pretende, com a instalação de quadros interactivos nas EB1,

sabilização de todos nós como “Educadores”.

contribuir para a modernização das ofertas escolares em termos

Pais, professores, auxiliares técnicos de educação, autarcas, agentes

de material informático de apoio pedagógico, assegurando quer aos

culturais e desportivos, e sociedade em geral, são chamados a intervir

professores quer aos alunos ferramentas inovadoras para o processo

de forma mais activa e responsável num processo que se quer demo-

de ensino-aprendizagem em contexto de sala de aula, salientando-

crático, justo, participado e coerente com o objectivo final do sucesso

-se ainda idêntico contributo no processo de integração e formação

educativo de cada ser humano em formação.

de alunos com necessidades educativas específicas.

Aliado ao conceito de comunidade educativa, existem os agrupamentos

No âmbito das obras de grande remodelação e de construção de raiz de novas EB1/JI levadas a cabo pelo Município nos últimos dois anos lectivos, foram apetrechadas cinco Unidades Educativas com esta ferramenta pedagógica, existindo, actualmente, um total de 40 quadros interactivos em escolas do 1.º ciclo da rede pública, abrangendo um universo de 878 alunos. Recentemente, com a participação na candidatura conjunta com os Municípios da Área Metropolitana de Lisboa ao QREN/Programa Operacional Regional de Lisboa – Economia Digital e Sociedade do Conhecimento (Plano Tecnológico da Educação – 1.º Ciclo do Ensino Básico), que abrange, entre outras tipologias de investimento, a instalação de quadros interactivos em salas de aula, o Município visa dar continuidade à iniciativa e alargar a mesma a outros equipamentos educativos da rede pública. Assim, nos termos da referida candidatura serão instalados de 58 quadros interactivos, até 2012, abrangendo parte das salas de aula

de escola, o conselho municipal de educação, as cartas educativas, as associações de pais e novas respostas no campo do combate à exclusão, insucesso e abandono escolar. Ao reconhecer a importância da Educação, o Município de Moura aderiu à Associação Internacional das Cidades Educadoras e, de acordo com os princípios da Carta das Cidades Educadoras, investe num novo instrumento de troca e partilha de projectos educadores, com a edição desta Newsletter que permite promover meios de comunicação e participação entre toda a comunidade educativa, assim como na partilha de saberes e valorização de projectos e actividades, factores facilitadores do relacionamento inter-institucional e conjugação de recursos educativos. A Newsletter tem carácter mensal e, para além de projectos, actividades e recursos educativos, todos os meses uma instituição/serviço terá destaque, onde constam ainda informações do mês seguinte, em formato de agenda. Para uma participação na newsletter, as insti-

de um conjunto de 26 unidades educativas.

tuições do concelho devem enviar todas as informações via e-mail,

Paralelamente à implementação da candidatura do QREN/PORLisboa,

podendo entidades concelhias ou de outras localidades e particulares

tendo em conta o objectivo traçado pelo Município de Loures, serão

subscrever a newsletter. Participar na newsletter é tomar voz na Educação.

igualmente instalados nas restantes salas de aula do 1.º ciclo do ensino básico os quadros interactivos necessários para assegurar à totalidade dos 7819 alunos o acesso a idênticas condições de ensino-aprendizagem nas respectivas unidades educativas. No conjunto, estima-se a instalação de 264 quadros interactivos, nas escolas do 1.º ciclo do ensino básico, até ao ano 2012.


Boas Práticas

Odivelas •••••••••••• Equitação Terapêutica

Oliveira de Azeméis ••• Oliveira de Azeméis: Rede Municipal de Serviços de OTL

A implementação da Equitação Terapêutica, pela Câmara Municipal de Odivelas, no Centro Hípico da Paiã, é um ponto de partida para dar resposta a uma das necessidades sentidas por parte da comunidade educativa, aproveitando as infra-estruturas já existentes. Os beneficiários são alunos com Necessidades Educativas Especiais, que frequentam as Unidades de Ensino Estruturado das escolas públicas do concelho de Odivelas. Esta experiência educativa reveste-se de um carácter global, e assenta numa colaboração forte entre a Câmara Municipal de Odivelas, o Ministério de Educação, as estruturas de ensino público, a EPADD-Paiã e a comunidade educativa (pais, professores, pessoal auxiliar e alunos). Proporciona-se a estes alunos, com deficiências mentais, cognitivas, físicas e motoras, um recurso terapêutico rico em estímulos neuro-musculares, sensoriais e cognitivos, aumentando a qualidade da educação, através de uma escola mais democrática e orientada para o sucesso. Inicialmente, integrou 15 alunos. Depois de ser feita a avaliação da primeira fase, os resultados revelaram que o projecto precisava de se expandir. No ano lectivo 2010/2011, com a abertura de mais Unidades de Ensino Estruturado e Apoio Especializado, o número de alunos aumentou para 50. As suas patologias variam entre o Autismo, o Sídrome de Asperger, a Trissomia 21 e a Multideficiência, entre outras. As sessões são assistidas por uma equipa multidisciplinar, composta por docentes de equitação terapêutica e de ensino especial, técnicos de educação e pessoal auxiliar. Para ir de encontro às necessidades do pessoal afecto ao projecto, não especializado em equitação terapêutica, foi organizado um curso

Atento às necessidades das famílias, o Município de Oliveira de Azeméis tem vindo a criar, desde 2006 e de forma progressiva, uma rede de serviços de OTL (Ocupação de Tempos Livres), complementando as ofertas já existentes no terreno, de modo a que todas as escolas possam ter uma resposta de animação sócio-educativa adequada à difícil tarefa da conciliação do tempo de trabalho das famílias e o horário escolar. O modelo utilizado rentabiliza o tempo das assistentes operacionais colocadas para o serviço de refeição, estando a coordenação em cada escola, a cargo de uma técnica superior de educação (educadora de infância ou professora do primeiro ciclo) a tempo parcial. Este serviço engloba o fornecimento de refeições; prolongamento de horário – recepção no período da manhã e o tempo para além das 25h lectivas e AECs no 1.º CEB –, bem como actividades nas interrupções lectivas. A abertura destes serviços depende da existência de espaços adequados em cada escola, não se restringindo contudo a estes, especialmente

de Auxiliar de Equitação Terapêutica, certificado pela Escola Nacional

nas interrupções lectivas em que é dada prioridade às saídas de campo

de Equitação.

e visitas a espaços do Município. Além da supervisão dos coordenadores de estabelecimento e dos agrupamentos, o Município garante uma coordenação técnica e formação necessárias ao funcionamento do serviço. Para o sucesso deste modelo, muito contribuem as parcerias estabelecidas com os Agrupamentos de Escolas, sendo o plano de actividades de cada unidade elaborado em articulação com a escola e devidamente enquadrado no Projecto Educativo de Agrupamento, com a devida aprovação do Conselho Pedagógico.


Boas Práticas

Palmela •••••••••••• Educação em Palmela... um caminho com futuro!

Paredes •••••••••• Comemorações do Centenário da República

No ano em que é assinalado o Centenário da Implantação da República,

No passado dia 4 de Outubro, associou-

Palmela celebra este período enquanto berço da unidade nacional em

-se este Município ao Agrupamento

torno da modernidade e dos valores liberais e democráticos, valorizando

Vertical de Escolas de Paredes, no

o seu percurso histórico e reiterando os ideais republicanos, nomeada-

âmbito das comemorações do Centenário

mente da crença convicta no valor da Educação.

da República, através de uma recriação

A edição de 2010/11 da Recepção à Comunidade Educativa é uma

histórica da implantação da República

oportunidade de partilha das boas práticas, de culturas, de valores

que envolveu mais de mil figurantes.

e de pessoas que se envolvem no desafio de educar e formar, sendo

Os Paços do Concelho e Praça José

as Comemorações uma oportunidade para aprofundar os valores e o

Guilherme foram palco de uma viagem

ideário republicano, em especial no que diz respeito à participação social,

no tempo, que permitiu refazer a ence-

política e à promoção do progresso social. Também a Candidatura da

nação do regicídio, graciosidade da valsa ou pela verve dos poetas,

Arrábida a Património Mundial e o Ano Europeu do Combate à Pobreza

em vésperas da Implantação da República.

e Exclusão Social são referências que importam valorizar e aprofundar,

Houve ainda espaço para uma tertúlia, onde monárquicos e republicanos

no sentido de Palmela mais Solidária.

debateram as suas ideias.

No dia 7 de Outubro realizou-se o tradicional momento convívio que

No início da noite, realizou-se o concerto “Paredes da República”,

reuniu professores, educadores, animadores, auxiliares de acção educa-

encenado pelas bandas de Música de Baltar, Cête e Vilela e pelo grupo

tiva, pais e encarregados de educação, envolvendo a participação de

de Teatro Tru’peça, com encenação de Ana Perfeito e Fernando Soares.

um total de 300 pessoas. Este programa foi totalmente realizado pela blica”, com a animação teatral “O meu discurso da República” da Rede

Inauguração dos Centros Escolares E.B.1/JI de Mouriz, Gandra e Vilela

das Biblioteca Escolares, assim como com a participação da Orquestra

Depois do Centro Escolar de Mouriz, inaugurado no passado dia 8 de

de Cordas do Conservatório Regional de Palmela.

Setembro pelo primeiro-ministro José Sócrates, e do Centro Escolar

Sendo a Educação um dos instrumentos fundamentais de combate à

de Gandra/Astromil, inaugurado há menos de uma semana pelo chefe

desigualdade, continuamos a prosseguir a missão da Escola Pública

de Estado timorense, José Ramos Horta, coube ao ministro da Defesa

de qualidade, para que o acesso e a frequência de todas as pessoas

Nacional, Augusto Santos Silva, presidir à inauguração do Centro

em igualdade de circunstâncias continue a ser uma realidade.

Escolar de Vilela, no âmbito do programa oficial das Comemo-

Consulte programa em www.cm-palmela.pt.

rações do Centenário da República.

comunidade educativa, contando com a mostra da exposição “Repú-

O antigo ministro da Educação fez ainda questão de elogiar “a feliz ideia da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República em fazer do prato forte deste dia a inauguração de 100 escolas por todo o país. É das melhores homenagens que podemos fazer à República, uma vez que reside aí o principal ideal republicano”.


Boas Práticas

Portimão •••••••••• “Portimão Município Acessível”

S. João da Madeira •• S. João da Madeira põe Projecto Educativo Municipal online

A acessibilidade e a mobilidade para todos são um tema bastante actual nos dias de hoje. O território

O Projecto Educativo Municipal de S. João da Madeira, que foi apre-

onde construímos as nossas cidades, apresenta

sentado recentemente à comunidade educativa, já está disponível

muitas vezes as condições topográficas respon-

para consulta, passando o documento da versão papel para um sítio

sáveis pela maior ou menor facilidade de deslo-

na Internet, inteiramente dedicado aos programas e actividades orga-

cação e acesso aos diferentes espaços que as

nizados para a comunidade educativa.

constituem.

No ano lectivo de 2010/2011, o Projecto integra cerca de 40 programas

O Município de Portimão tem alguma história em

e actividades, promovidos pelos serviços da Câmara Municipal de S. João

matéria de acessibilidade tendo em conta que é

da Madeira e dirigidos à comunidade educativa. O Projecto Educativo

sócio e fundador da Rede Nacional de Cidades e

Municipal inclui, assim, todos os projectos, acções e iniciativas

Vilas com Mobilidade para todos, encontrando-

que vão acontecer no concelho, distribuídos por seis áreas de inter-

-se desde o início do ano de 2009, a desenvolver

venção: Educação, Ambiente, Cultura, Protecção Civil, Acção Social e

Programas de Promoção da Acessibilidade.

Actividades/Eventos. Cada projecto contém uma descrição, os objectivos

Um dos pilares desses Programas assentou em acções de “Sensibi-

e acções, o público-alvo e os contactos úteis para aderir.

lização e Promoção de Boas Práticas”, dirigido a crianças e adolescentes das Escolas do Município, considerando a importância deste

Tradição e Novidades

público como geração vindoura, responsável por uma nova atitude,

Diversos programas são já uma tradição na cidade, como sejam o

capaz de construir cidades acessíveis e sustentáveis para todos e que

“Carnaval das Escolas”, o “Apoio Psicopedagógico”, a “Decoração das

permitam ao mesmo tempo, uma vivência saudável e competitiva num

rotundas no Natal”, o programa Escolar da Agenda 21 Local, os “Pe-

espírito de igualdade de oportunidades.

quenos Cientistas Sanjoanenses” ou as “Marchas de S. João”. O ensino

A Câmara Municipal de Portimão promoveu nos dias 11 e 12 de

secundário terá, uma vez mais, acesso à “Escola Empreendedora”,

Outubro de 2010 duas acções de informação/formação sobre Acessi-

programa que conta com reconhecimento internacional.

bilidade e Mobilidade para Todos no âmbito da elaboração de Progra-

Outros vão decorrer pela primeira vez, como sejam, “Eu sou a história

mas de Promoção da Acessibilidade e desta vez dirigida a técnicos

da minha cidade”, organizado em conjunto pelo Museu da Chapelaria,

e agentes que estão envolvidos no planeamento das cidades,

Paços da Cultura e Biblioteca Municipal; “Raças Perigosas e Animais

nomeadamente na área de arquitectura e construção e também direc-

de Companhia”, organizado pelo Canil Intermunicipal; “Génerus”, sensi-

cionadas aos operadores de turismo, de comércio e de transportes.

bilizando para a igualdade de género; e a Ceia de Natal para pessoas

A iniciativa surgiu na sequência da criação da “Rota Acessível em

sós ou carenciadas.

Portimão”, pioneira a nível nacional e uma das primeiras na Europa que elimina as barreiras arquitectónicas existentes no centro administrativo da cidade, através de um percurso com mais de 5 km, contínuo, desobstruído e devidamente sinalizado. Trata-se de um percurso pedonal seguro e sem barreiras que permite aos utilizadores de mobilidade reduzida chegarem facilmente aos pontos principais da cidade de Portimão (serviços públicos, incluindo edifícios de administração escolar e desportivos, pontos turísticos e zona comercial), com a ajuda de sinalética apropriada, nomeadamente apresentando informações em Braille. A Rota Acessível de Portimão foi inaugurada no dia 8 de Outubro de 2010, tendo-se realizado, nesta ocasião, a conferência internacional “Acessibilidade e Mobilidade para Todos”. A criação da Rota Acessível é uma medida que certamente levará a importantes e significativos benefícios sociais, culturais e económicos e dará consistência ao conjunto de medidas e acções que a autarquia tem vindo a desenvolver em prol da promoção da acessibilidade e mobilidade e para todos.

Séniores abrangidos Numa óptica de educação ao longo da vida, o Projecto Educativo Municipal alarga-se à população idosa a quem são dedicados diversos programas, desde a área da animação da leitura aos programas na área da chapelaria. A própria “Feira da Ciência” terá, pela primeira vez, um dia aberto aos séniores. Para conhecer mais sobre cada um dos programas, e ir acompanhando a sua concretização, pode consultar o novo blogue criado para o efeito: www.projectoeducativomunicipal.wordpress.com.


Boas Práticas

Sever do Vouga ••••• “Uma Actividade na Linha” (ex-linha do Baixo Vouga): Comissão de Protecção de

Silves ••••••••••••• Pólos de Educação ao Longo da Vida

Crianças e Jovens de Sever do Vouga (CPCJ SV) No âmbito da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sever do Vouga, foi realizada no passado dia 29 de Junho, uma actividade de Prevenção Primária, designada “Um dia na Linha” que decorreu na Ecopista do Vouga e Quinta do Barco, dirigida a 72 jovens do concelho, com idades compreendidas entre os 10 e os 16 anos de idade. Esta actividade teve como objectivos, a divulgação da CPCJ e objectivos preventivos junto dos jovens do Município de Sever do Vouga. Fizeram parte do conjunto dessa actividade, um Peddy-Papper, jogos tradicionais, debates sobre as temáticas abordadas no Peddy-Papper e um almoço convívio. Foram contactadas um conjunto de entidades

O Município de Silves tem demonstrado uma preocupação crescente com a formação ao longo da vida da população nos últimos anos. Prova disso são os seis Pólos de Educação ao Longo da Vida existentes no concelho, que funcionam em alguns casos em escolas unitárias desactivadas.

públicas e privadas, locais e nacionais, no sentido de patrocinarem os

Este projecto destina-se a pessoas de todas as idades, independen-

custos inerentes com a implementação da iniciativa.

temente do sexo e do grau de escolaridade. Desenvolve se através

As entidades do Concelho de Sever do Vouga e organismos Nacionais

de uma troca mútua de saberes entre as diferentes gerações, pro-

que aceitaram o desafio e colaboraram de forma voluntária com esta

porcionando àqueles que os frequentam uma actualização crescente,

iniciativa foram desde o IDT (Instituto da Droga e da Toxicodependência)

reforçando a ideia de que uma educação permanente e fora do sistema

às grandes superfícies, comércio local, IPSS’s locais e bolseiros uni-

de ensino formal, também é enriquecedora e importante na formação

versitários apoiados pela Câmara Municipal.

do individuo. Os Pólos têm tido uma óptima aceitação e a adesão por

Contámos também com a colaboração de um Professor de Educação

parte da população é cada vez mais significativa, sendo pretensão da

Física que animou o fim da tarde das nossas actividades com jogos

autarquia estender este projecto a todas as freguesias do concelho,

tradicionais.

para incutir a todos hábitos de responsabilidade cívica através da

No final, todos foram vencedores, tendo sido entregue uma medalha

participação e organização de actividades.

de participação a todos os participantes.

A presença constante de um técnico no meio em que se vai intervir é fundamental para a conquista da confiança da população, provendo em cada Pólo actividades distintas que passam por visitas de carácter cultural, encontros intergeracionais, ciclos de leituras, grupos de teatro, ateliers diversos, participação em sessões de informação, entre outras. Entre os objectivos gerais que se pretende atingir com este formato, destacam-se: - gerar processos de autonomia, criatividade e participação combatendo o sedentarismo; - fomentar as relações interpessoais e a integração grupal, a fim de evitar a solidão e o isolamento social; - organizar, coordenar e dinamizar actividades sócio-educativas e sócio-culturais através da utilização de técnicas de animação comunitária.

E aqui está o grupo, no fim de um dia muito cansativo mas que correu muito bem com o empenho de todos.


Boas Práticas

Stª Maria da Feira ••• Promoção de hábitos de leitura do ensino pré-escolar ao secundário

Torres Novas ••••••• Inaugurado Centro Escolar de Assentis e Chancelaria

O Município de Santa Maria da Feira, através de um conjunto de projectos que tem vindo a desenvolver, incentiva crianças e jovens a hábitos de leitura. O Ciclo de Tertúlias Poéticas Infantis, que envolve escolas EB1 e jardins-de-infância do Concelho que aderiram ao Programa de Apoio à Família, é apenas um exemplo. Para além de promover e incentivar a leitura, este projecto fomenta o convívio inter-geracional entre crianças, famílias, educadores e assistentes operacionais. Nesta actividade, as crianças dramatizam, encenam e recitam excertos de obras infantis, nacionais e concelhias. Merece particular referência a participação de alunos das três escolas secundárias do Concelho em workshops da companhia internacional La Fura dels Baus, inspirados no livro Memorial do Convento, de José Saramago. Para além da promoção da leitura junto das gerações mais jovens, este projecto permitiu trabalhar vários conceitos, tais como verdade, amor, promessa e valentia, abordando ainda interrogações sobre a actualidade e olhares sobre o mundo. Destaque ainda para os workshops coordenados por Luciano Burgos e Claudio Hochman, que lançaram o desafio às escolas secundárias do Município para trabalharem a criatividade, a expressão corporal, dramática, entre outras áreas, no âmbito da temática As aventuras de Pinóquio, de Carlo Collodi. Estes jovens juntaram-se para contarem, com a sua presença física, as sensações que a história do boneco que se transforma em humano

Foi inaugurado no passado dia 5 de Outubro, o Centro Escolar de

lhes transmitiu. A descoberta do corpo e as suas faculdades, a relação

Assentis e Chancelaria, o primeiro de um conjunto de equipamentos

com o seu pai, a procura do saber em cada experiência de vida, o medo

que qualificará toda a rede educativa do concelho de Torres Novas

de ser estigmatizado pela sociedade, a aventura de crescer, são alguns

ao nível da educação pré-escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico.

dos pontos que serviram de impulso para esta proposta.

Localizado no Outeiro Grande, conta com 13 salas de aula, laboratório, sala de informática, refeitório, ginásio, campo de jogos, biblioteca e salas de prolongamento de horário. Irá receber cerca de 200 alunos das freguesias de Assentis e Chancelaria. A obra teve o custo de 2,5 milhões de euros, comparticipados a 80% por fundos comunitários. “Hoje é um dia particularmente feliz porque esta escola já devia ter sido inaugurada há mais de 20 anos. Mas tarde é o que nunca vem. E cumprimos a promessa de que esta seria a primeira escola a ser feita fora da cidade”, afirmou, na ocasião António Rodrigues, o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas. “Estamos hoje a fazer uma autêntica revolução em Torres Novas no que se refere às condições de ensino. Este é um centro escolar de excelência, aberto sempre que necessário às populações de Chancelaria e Assentis. É uma escola que vai interagir com a população”.


Boas Práticas

Trofa •••••••••••••

Vila Franca de Xira ••

“Hoje, vou ao café… ouvir poesia!”

A Acessibilidade como Factor de Cidadania

O pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa, através da Casa

O Município de Vila Franca de Xira concluiu, em Outubro, os seus

da Cultura, tem vindo a implementar “uma boa prática” entre os

Planos de Promoção da Acessibilidade, realizados com o apoio

seus munícipes. Trata-se de aproveitar a rotina diária da sua ida

do Programa Operacional do Potencial Humano (POPH) Eixo 6:

ao café para os convidar a saborearem o momento com a audição

Cidadania, Inclusão e Desenvolvimento – Tipologia 6.5: Acções de

de um poema.

Sensibilização e Promoção de Boas Práticas. Graças a estes Planos,

Assim, todas as últimas sextas-feiras de cada mês, num café a

a autarquia conseguirá eliminar progressivamente as barreiras arqui-

designar, as pessoas são surpreendidas com aromas poéticos

tectónicas, sociais e psicológicas, que tanto prejudicam a vida dos

misturados na cafeína da chávena fumegante.

cidadãos/ãs com mobilidade reduzida.

Em vez de se estar à espera que as pessoas se desloquem à Casa da

No âmbito do desenvolvimento destes Planos, foram promovidas diversas

Cultura ou à Biblioteca, são estes serviços que se dirigem aos espaços

acções de sensibilização, nomeadamente junto da população escolar,

onde as pessoas regularmente se reúnem, os cafés, levando-lhes a

destacando-se um Concurso de Fotografia destinado a alunos/as do

palavra poética, num autêntico espírito missionário, pois o que os move é o amor aos poetas e à sua mensagem transmitida pela poesia. É este o principal objectivo da iniciativa – divulgar o gosto pela cultura, sobretudo pela beleza melódica da palavra poética, promovendo a divulgação e o amor à língua portuguesa. Os munícipes são convidados a comparecerem, levando um poema e um amigo. Nesse dia, os olhos deixam de ser seduzidos pelo televisor e todos os sentidos se concentram na mensagem poética, deixando-se enternecer e deixando-se levar nas asas do sonho. Na Trofa, a poesia não é só para os poetas. Ela despe o seu manto sagrado e, sem perder a dignidade, desce ao plano dos mortais, que dela se apoderam com carinho, usando-a como sua. É, por isso, normal e gratificante, ver as pessoas levantarem-se e dizerem um poema. Tendo iniciado no passado mês de Julho, a actividade tem vindo a criar seguidores fiéis. A Casa da Cultura aproveita para, ao mesmo tempo, divulgar as suas valências, principalmente os serviços da Biblioteca, promovendo uma campanha de captação de leitores. A semente tem germinado, pois as pessoas já vão perguntando, “onde é a próxima?”

3.º Ciclo e do Ensino Secundário; um Peddy-Paper destinado aos alunos/as dos 2.º e 3.º Ciclos, reforçando a percepção das dificuldades das pessoas portadoras de deficiência, em relação às várias barreiras arquitectónicas que encontram na cidade; sessões de sensibilização destinadas a um público-alvo que ia desde o Jardim-de-infância até ao Ensino Secundário, dinamizadas por técnicos do Instituto das Cidades e Vilas com Mobilidade; e a edição de um livro de colorir, dedicado à questão das acessibilidades, que foi distribuído, em vários certames, às crianças do Concelho. Sensibilizando a população, especialmente, a mais jovem, a Autarquia de Vila Franca de Xira acredita poder contribuir para uma maior inclusão social e igualdade de oportunidades, garantindo um futuro sustentável e justo, sem barreiras.


Os municípios divulgam

A Comissão de Coordenação Informa ••• 1- Lisboa vai organizar o IV Congresso Nacional das Cidades Educa-

doras, sob o tema “A Cidade Educadora e o Ambiente: Problemática Global – Respostas Locais”, em Maio de 2011. A candidatura deste município foi a única a ser apresentada à Comissão

Chaves Novembro de 2010 a Maio de 2011 |Projecto Viver a Escola Hora do Conto na Biblioteca Municipal de Chaves, Património Vivo no Museu da Região Flaviense e Dança, teatro, música na Academia de Artes de Chaves 20 e 21 de Novembro de 2010 |4.º Emax - Encontro Mostra Associativa Juvenil Portugal e Galiza |Pavilhão Municipal de Chaves 23 a 25 de Novembro de 2010 |Exposição Itinerante de Educação Financeira |Sala Multiusos do Centro Cultural de Chaves

doras, dentro dos prazos previstos no Regulamento de Candidatura à

28 a 30 de Janeiro de 2011 |Encontro de Danças e Cantares das Escolas do Concelho de Chaves (Evento inserido no Certame Sabores e Saberes de Chaves) |Pavilhão Municipal de Chaves

Organização do Congresso Nacional.

4 de Março de 2011 |Desfile de Carnaval |Ruas da Cidade

2- O Município de Lisboa, representando a Rede Territorial Portuguesa

Esposende

de Coordenação da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educa-

das Cidades Educadoras participou na reunião do Comité Executivo da Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE), que teve lugar em Changwon, na Coreia do Sul, nos dias 22 e 23 de Outubro de 2010. 3- No dia 25 de Outubro, teve lugar um Seminário sobre formação ao

5 de Outubro de 2010 a 28 de Fevereiro de 2011 |Exposição “Os Ideais Republicanos em Esposende” |Museu Municipal de Esposende 28 de Outubro e 30 de Novembro de 2010 |Atelier “Contos, cantos e que + Memória Imaterial”, com José Barbieri e Filomena Sousa (Itinerância DGLB) |Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura

longo da vida, integrado no II Encontro da Rede Territorial Ásia-Pacífico

12 a 28 de Novembro de 2010 |Encontro de Teatro Amador Auditório Municipal de Esposende

da AICE, organizado pelo Município educador de Gunsan. Nesse Semi-

9 a 31 de Dezembro de 2010 |O meu Natal é Ecológico

nário, as representantes de Lisboa, conforme convite da AICE, apre-

17 de Dezembro de 2010 |Natal dos Leitores - Homenagem aos melhores leitores do ano 2010 |Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura

sentaram um historial da Rede Territorial Portuguesa, sua origem, membros, estrutura, organização e actividades em curso.

Lisboa

Neste Seminário foram abordados os seguintes temas:

Abril de 2011 |5ª Edição da “Panorama - Mostra do Documentário Português” |Videoteca Municipal de Lisboa

- Desenvolvimento Económico - Escolas populares na Dinamarca - Construção de cidade e cidadania - Desenvolvimentos de ambientes de aprendizagem - Implementação de estratégias de formação ao longo da vida 4- A Rede Territorial Portuguesa da AICE é, actualmente constituída por

42 Municípios, registando-se a adesão das cidades de Câmara de Lobos, Miranda do Corvo, Santo Tirso e Vila Nova de Famalicão, estando outros em processo de adesão.

Os municípios divulgam

••••••••••••••••••••

Moura 2 de Novembro de 2010 |Reunião de Conselho Municipal

de Educação de Moura 8 e 26 de Novembro de 2010 |Atelier de Partilha: elaboração dos enfeites para a Árvore da Partilha |Cine-Teatro Caridade de Moura Até 14 de Novembro de 2010 |Exposição de Pintura de Alonso Fernandes Posto de Turismo 3 de Dezembro de 2010 |“Árvore da Partilha” 24 e 30 de Janeiro de 2011 |Semana da Comunidade Educativa 2011

Oliveira de Azeméis 12 de Dezembro |“II Encontro de Coros Infantis em Terras de La Salette” |Cine-Teatro Caracas

Santa Maria da Feira

4 de Novembro de 2010 |Espectáculo Comentado – Mundo Meu pela Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

2 a 4 de Dezembro de 2010 |“I Encontro Nacional para a Prevenção Cardiovascular nas Escolas” integrado no “IV Congresso Iberoamericano de Reabilitação Cardíaca e Prevenção Secundária” |Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira

25 de Novembro de 2010 |O Espaço Arte - Entre o espaço na arte e a casa como poética do espaço, dirigido aos Técnicos das AEC e CASE

5 a 12 de Dezembro de 2010 |Festival de Cinema Luso Brasileiro organizado pelo Cineclube da Feira |Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira

Cascais

25 de Novembro de 2010 |Percurso Comentado a partir da exposição

Trienal de Arquitectura de Lisboa 2010 26 de Novembro de 2010 |Workshop - O Espaço na Arte

5 a 26 de Dezembro de 2010 |Terra dos Sonhos |Quinta do Castelo - S.Mª Feira 12 de Dezembro de 2010 |Festa de Natal para Pessoas Portadoras de Deficiência |Europarque 20 de Janeiro de 2011 |Festa das Fogaceiras 2011 |Centro histórico

Ficha Técnica| Coordenação Editorial|Elsa Calado, Jorge Simões, Sancho Gomes Coordenação Gráfica|Município de Lisboa - Elsa Calado Design|Susana Silva Paginação|Laura Lourenço Impressão|Divisão de Imprensa Municipal - CML Nº Exemplares|1900 Contactos Comissão de Coordenação da Rede Portuguesa| elsa.calado@cm-lisboa.pt |Tel. 21 882 47 13 jorge.simoes@cm-torresnovas.pt |Tel. 249 839 090 sancho.gomes@cm-evora.pt |Tel. 266 777 100 Endereço| www.edcities.org /link “Portugal”

São João da Madeira Entrega de trabalhos até 5 de Novembro de 2010|Concurso EDV (Cri)activo Associação de Municípios Terras de Santa Maria - S. João da Madeira Todo o mês de Dezembro de 2010 |“O Natal desce à rua” Diversos espaços da cidade de S. João da Madeira 7 a 16 de Dezembro de 2010 |Teatro de Natal, para as crianças do concelho Paços da Cultura - S. João da Madeira 9 a 22 de Dezembro de 2010

Formação de professores em Educação e Empreendedorismo Pimampiro, Equador (protocolo com a Câmara M. de S. João da Madeira) 24 de Dezembro de 2010 |Ceia de Natal para pessoas sós e carenciadas Rede Social de S. João da Madeira

Boletim 14 da Rede Portuguesa  

Publicação da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras