Page 1

Ano XVIII - N° 189 - Agosto/2013 - Distribuição Gratuita

Vocação: dom e chamado de Deus Ademir Schneider

Agosto mês das vocações! Vocação, dom e chamado de Deus! Dom de Deus colocado em prática na comunidade através do amor e da solidariedade! O Elo Comunitário neste mês destaca nossa vocação cristã e missão de batizados de viver a mensagem de Jesus Cristo. A comunidade é o espaço especial onde a missão acontece e a Palavra de Deus encontra terreno fértil para brotar, crescer e frutificar. A comunidade é consequência da vivência da fé e da partilha de vida de pessoas que tem o desejo de tornar o Reino Deus uma realidade. Recordamos o Documento de Aparecida nos convida a sermos luz do mundo, luz na comunidade, artífices da paz e da justiça, profetas da esperança. Os fiéis leigos são “os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo

aé “Vocação leig e você a resposta qu e qu e dá ao convit para Deus lhe faz serviço colocar-se a de. Inna comunida de dons dependente es, todos ou qualidad ados a somos convid à coESTAR junto NELA munidade e r uma desempenha função”. r Caio Wagne

batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei. São “homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja” (209). Sua missão própria e específica se realiza no mundo, de tal modo que, com seu testemunho e sua atividade, eles contribuam para a transformação das realidades e para a criação de estruturas justas segundo os critérios do Evangelho. “O espaço próprio de sua atividade evangelizadora é o mundo vasto e complexo da política, da realidade social e da economia, como também o da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos ‘mass media’, e outras realidades abertas à evangelização, como são o amor, a família, a educação das crianças e adolescentes, o trabalho profissional e o sofrimento”. Além disso, eles têm o dever de

“Ser catequista foi a forma que encontrei de dizer sim ao chamado de Deus. Viver esta voca ção é ser doação para a comunidade por amor a Jesus. Viver es ta vocação é ensin ar e aprender ao m esmo tempo e ter com o recompensa o so rriso de uma criança .” Tatiane Quirino

“É fazer o que Jesus pediu: Tudo o que fizerem ao menor dos meus irmãos, é a Mim que o farão. Sinto uma profunda gratidão por todas as graças recebidas, que me sinto no compromisso de ajudar todas as pessoas em minha comunidade, principalmente os dependentes químicos e excluídos, pois são pessoas que sofrem muito por viverem à margem da sociedade”. Clarice Teresinha Manghi dos Santos

fazer crível a fé que professam, mostrando a autenticidade e coerência em sua conduta (210). Os leigos também são chamados a participar na ação pastoral da Igreja, primeiro com o testemunho de sua vida e, em segundo lugar, com ações no campo da evangelização, da vida litúrgica e outras formas de apostolado segundo as necessidades locais sob a orientação de seus pastores. Eles estarão dispostos a abrir para eles espaços de participação e a confiar ministérios e responsabilidades em uma Igreja onde todos vivam de maneira responsável seu compromisso cristão. Aos catequistas, delegados da Palavra e animadores de comunidades que cumprem uma magnífica tarefa dentro da Igreja, reconhecemos e animamos a continuarem o compromisso que adquiriram no batismo e na confirmação (211).

“Viver a Vocação, no meu entendimento, é partilhar os dons que Deus nos deu a serviço da comunidade. Quando somos chamados por Deus, ele pede que utilizemos os dons que Ele nos deu de presente, colocando-os a serviço das pessoas, e para nós Cristãos a melhor forma de fazermos isso é servindo a comunidade através das diversas pastorais que nossa Paróquia possui!” Roberto Garcia

iso leiga como cr “Viver a vocaçã r a d é ade pra mim tão na comunid com o locar-se a serviç testemunho, é co e reo por tudo o qu ã d ti a gr e ia gr ale tanto s, que nos ama cebemos de Deu rer or u filho para m que entregou se ” por nós na cruz. e Alencar Mara Regina d

Para cumprir sua missão com responsabilidade pessoal, os leigos necessitam de uma sólida formação doutrinal, pastoral, espiritual e um adequado acompanhamento para darem testemunho de Cristo e dos valores do reino no âmbito da vida social, econômica, política e cultural (212). O documento finaliza reconhecendo a importância da participação de todos os cristãos nas instâncias de decisão das comunidades eclesiais, ou seja, dos conselhos pastorais, porque estimula “a construção da cidadania no sentido mais amplo e a construção de eclesialidade nos leigos, é um só e único movimento” (215). O Elo Comunitário perguntou para algumas pessoas o que significa viver a sua vocação, o chamado de Deus, no serviço à comunidade. Abaixo estão as respostas recebidas.

são e o “Temos a mis ento de comprometim como reja, ajudar na Ig quistas, etc. ministros, cate leiga ção Viver a voca assumir com para mim é romisso de garra o comp r, no ado ser evangeliz tequista, de meu caso ca m a missão continuar co o de levar de Jesus Crist dos.” vida para to hetto Berenice Zucc

“Viver a vocação leiga é partilhar parte dos dons que me foram dados por Deus. É colocar em prática a fé que acredito, ajudando ao meu próximo mais necessitado, dividindo com minha comunidade um pouco do meu tempo nas atividades diárias desta.” Antonio Amadeu de Alencar

“É responder ao ch amado que Deus fa z a cada um de nós, para qu e juntos possamos co nstruir um mundo melhor. To dos temos uma voca ção, nos cabe descobrir onde pode mos nos engajar e aj udar nossas comunidades que pr ecisam muito. Parti cipar da Equipe do Elo Comunitá rio me traz uma gr ande alegria, e é a maneira que po sso ajudar nesse mom ento.” Imgart Schmidt


2

Elo Comunitário - Agosto/2013

Fique Ligado

Missas e Celebrações Agosto/2013

Festa em louvor à padroeira Santa Clara Tríduo 31/07 – 20h – Missa - Frei Flávio 01/08 – 20h – Missa - Frei Paulo 02/08 – 20h – Missa - Frei Orestes

Almoço Festivo 04/08 - 12h - Salão Comunitário Tarde Festiva/Baile - Animação da banda Vida Nova

Procissão e Missa Solene 04/08 - 10h - saída da escola Mário Quintana

Obs.: Levar talheres. Convites à venda por R$ 18,00 com as coordenações das comunidades e na secretaria da Rede

Programação do mês de agosto

Prestação de Contas Gastos de junho/2013 Rede de Comunidades São José Especificações

Saídas

ECAD

R$ 135,02

Taxa contabilidade da Cúria

R$ 115,00

Rateio assessoria jurídica/Cúria

R$ 66,00

Encargos sociais

R$ 320,00

Côngrua Frei João Carlos

R$ 610,39

Côngrua Frei Paulo

R$ 610,39

Côngrua Frei Cláudio Junior

R$ 610,39

Salário da secretária

R$ 1.121,00

Salário serviços gerais

R$ 611,00

Elo Comunitário

R$ 125,00

Hóstias

R$ 103,04

Telefone

R$ 150,00

Energia Elétrica

R$ 226,93

Combustível

R$ 176,00

Quota patronal

R$ 180,00

Suporte técnico Sistema Pastoral Água, luz e telefone - casa paroquial TOTAL

R$ 67,18 R$ 202,81 R$ 5.430,15

Contribuição das comunidades para as despesas Santa Rita de Cássia

R$ 2.284,78

São Miguel

R$ 845,91

Santa Clara

R$ 599,95

N. Senhora do Perpétuo Socorro

R$ 1.174,90

N. Sra. da Imaculada Conceição

R$ 47,00

São Francisco de Assis

R$ 23,50

São João Batista

R$ 23,50

Sede TOTAL

R$ 430,61 R$ 5.430,15

3 - 17h - Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia e Crisma - Santa Clara 7 - 14h - Palestra sobre saúde -CPS 8 - 20h - Reunião do Conselho de Pastoral da Rede - CPS 10 - 18h - Encontro de Pais do 1º ano da Eucaristia Santa Rita 10 - 21h - Festa do Grupo de Jovens JUNP - São Miguel 12 - 20h - Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia - Imaculada Conceição 17 - 8h30min - Formação de Líderes da Pastoral da Criança - CPS 17 - 8h30min - Encontro de Área com Catequistas do Batismo - Paróquia São Vicente de Paulo - Cachoeirinha/RS 17 - 16h Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia - São Miguel 18 - 13h - Romaria Vocacional - Igreja N. Sra. dos Anjos

19 - 13h30min - Capacitação de novas Líderes da Pastoral da Criança CPS 22 - 14h - Formação para Agentes da Pastoral da Saúde - Santa Clara 22 - 20h30min - Reunião de Círculo do ECC - CPS 23 - 19h - Abertura do ECC (2ª etapa) - CPS 24 - 8h - Assembleia do Vicariato 24 - 14h - Formação Catequético-Litúrgica Santa Rita 24 - 8h - 2ª etapa do ECC - CPS 25 - 8h - 3ª etapa do ECC - CPS 25 - 8h - Retiro dos Catequistas 25 - Romaria Arquidiocesana para Aparecida do Norte - a critério das paróquias 29 - 20h30min - Pós-encontro do ECC/Comunidade - CPS 31 - 20h - Macarronada do Grupo de Jovens JAC Santa Rita

Santa Rita de Cássia 03/08 – 20h Missa 04/08 – 10h Missa/Batizado 10/08 – 20h Missa/Dízimo 11/08 – 10h Missa/Dízimo 17/08 – 20h Missa 18/08 – 10h Missa/Batizado 24/08 – 20h Celebração 25/08 – 10h Celebração 31/08 – 20h Missa Todas as quartas-feiras atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

Perpétuo Socorro 02/08 – 20h Missa/Novena 04/08 – 8h30min Missa 11/08 – 8h30min Missa/ Dízimo 18/08 – 8h30min Missa/ Batizado 25/08 – 8h30min Celebração Toda 1ª sexta-feira de cada mês atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

São Miguel 03/08 – 19h Missa/Bênção 10/08 – 19h Missa/Dízimo 17/08 – 19h Celebração 24/08 – 19h Missa/Batizado 31/08 – 19h Missa

São Francisco 04/08 – 10h Celebração 11/08 – 10h Celebração 18/08 – 10h Celebração 25/08 – 10h Missa/Dízimo/ Batizado

Santa Clara 04/08 – 10h Procissão/Missa da Festa de Santa Clara 11/08 – 19h Missa/Dízimo 18/08 – 19h Missa/Batizado 25/08 – 19h Celebração

Imaculada Conceição 04/08 – 9h Celebração 11/08 – 9h Celebração 18/08 – 9h Celebração 25/08 – 9h Missa/Dízimo/ Batizado

Celebrando a Vida

Ser dizimista por quê? Porque todos nós, batizados, somos chamados a anunciar a Boa Nova. O dízimo nos propicia realizar a missão de modo organizado e comunitário. Todo fazer pastoral depende da participação de todos. Você pode não ser catequista, mas como dizimista você também promove o encontro de crianças com Cristo pela catequese. Assim ocorre em todos os afazeres paroquiais.

ATENÇÃO!

A data de fechamento da próxima edição do Elo Comunitário será dia 18 de agosto. Mande suas fotos e informações até esta data para a edição de setembro. E-mail: elocomunitario@redesaojose.org.br ou na Secretaria da Rede.

Conhecendo Francisco Neste mês de agosto o Elo Comunitário traz para a reflexão a 22ª Admoestação de São Francisco de Assis que aborda o tema do interesse de recompensa e notoriedade. Do religioso frívolo e loquaz 1 Bem-aventurado o servo que não fala por interesse de recompensa nem manifesta tudo o que pensa nem é "precipitado no falar" (Pr 29,20), mas calcula antes sabiamente o que deve dizer e responder. 2 Ai do religioso que não conserva no fundo do seu coração (cf. Lc 2,51) os bens com que o Senhor o favorece e aos outros não os manifesta

por suas obras, mas antes, na esperança de alguma recompensa, procura mostrá-los aos homens por palavras. 3 E esta ser toda sua recompensa, e os seus ouvintes colherão pouco fruto. Para refletir: (Mt 23,1-10) Jesus falou às multidões e aos seus discípulos: “Os doutores da Lei e os fariseus têm autoridade para interpretar a Lei de Moisés. Por isso, vocês devem fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imitem suas ações, pois eles falam e não praticam. Amarram pesados fardos e os colocam no ombro dos outros, mas eles mesmos não estão

dispostos a movê-los, nem sequer com um dedo. Fazem todas as suas ações só para serem vistos pelos outros. Vejam como eles usam faixas largas na testa e nos braços, e como põem na roupa longas franjas, com trechos da Escritura. Gostam dos lugares de honra nos banquetes e dos primeiros lugares nas sinagogas; gostam de ser cumprimentados nas praças públicas, e de que as pessoas os chamem mestre. Quanto a vocês, nunca se deixem chamar mestre, pois um só é o Mestre de vocês, e todos vocês são irmãos. Na terra, não chamem a ninguém Pai, pois um só é o Pai de vocês,

aquele que está no céu. Não deixem que os outros chamem vocês líderes, pois um só é o Líder de vocês: o Messias. Pelo contrário, o maior de vocês deve ser aquele que serve a vocês. Quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será elevado.”


Elo Comunitário - Agosto/2013

Patrocinadores

Realidade

Ide e fazei discípulos entre todas as nações! (Mt 28, 19) Frei Olavio Dotto, ofm Coordenador do Serviço de Animação Vocacional dos Freis no RS Todos os anos, em agosto, a Igreja no Brasil celebra o Mês Vocacional, com uma temática específica. Este ano, somos convidados a refletir, rezar e a dinamizar o Mês Vocacional, lembrando do chamado que cada um de nós recebeu no dia do nosso batismo. Se, por um lado, o Mês Vocacional é um tempo propício para o reavivamento da chama da nossa vocação, por outro lado, é também um tempo propício para animar e conduzir os irmãos e as irmãs a assumirem verdadeiramente a sua vocação batismal. A verdadeira felicidade está em descobrir a vocação, que nasce da abertura da porta do coração a Deus para que entre e faça nele a sua morada. Iluminados e impulsionados pelo “ide e fazei discípulos entre todas as nações” – tema do mês vocacional - (Mt 28,19), da JMJ, e pelo “eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8), - lema - da CF-2013, percebemos a necessidade de uma intensificação e de uma retomada do trabalho vocacional em nossas comunidades. A crise é real, grande e profunda, mas também está faltando uma palavra viva, forte, clara e eficaz que fale e cale bem no fundo do coração dos mais jovens na fé. Mais do que trabalhos vocacionais isolados, precisamos urgentemente juntar força, trabalhar e rezar juntos ao Senhor da messe que envie muitas, boas e santas vocações para todas as Igrejas e para todas as missões. Ao falar de oração, gostaria de retomar, neste espaço, a reflexão do Papa Francisco por ocasião do dia Mundial de Oração pelas Vocações.

Tomando como base o Evangelho do Bom Pastor em que se lê: “As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu dou-lhes a vida eterna e elas jamais se perderão. E ninguém vai arrancá-las de minha mão. Meu Pai, que me deu estas ovelhas, é maior que todos, e ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai. Eu e o Pai somos um só” (Jo 10, 27-30) percebe-se toda a mensagem de Jesus, o núcleo central de sua mensagem: Ele nos chama a participar do seu relacionamento com o Pai. Jesus quer estabelecer com os seus amigos uma relação que seja o reflexo daquela que Ele mesmo tem com o Pai: uma relação de recíproco pertencimento na confiança plena, na íntima comunhão. E para exprimir este entendimento profundo, esta relação de amizade, Jesus usa a imagem do pastor com as suas ovelhas: ele as chama e elas escutam a sua voz, respondem ao seu chamado e o seguem. É belíssima esta parábola! Vale a pena sempre lê-la e meditá-la! O mistério da voz é sugestivo: pensemos que desde o ventre de nossa mãe aprendemos a reconhecer a sua voz e a do papai; no tom de uma voz percebemos o amor ou o desprezo, o afeto ou a frieza. A voz de Jesus é única! Se aprendemos a distingui-la, Ele nos guia no caminho da vida, um caminho que ultrapassa também o abismo da morte. Porém, em relação a este chamado de Jesus, nem sempre se sabe reconhecer que se trata da voz de Cristo, pois são tantas as vozes que nos falam em nosso dia-a-dia! Na Praça de São Pedro era grande a presença de jovens a escutar a mensagem vocacional, dirigindo-se a eles, o Papa Francisco disse: “Gostaria de pergun-

tar a vocês: alguma vez vocês ouviram a voz do Senhor que através de um desejo, uma inquietude, vos convidava a segui-lo mais de perto? Escutaram-na? Não escutam? Então… Vocês tiveram a vontade de ser apóstolos de Jesus? A juventude precisa ser lançada em grandes ideais. Vocês pensam nisso? Estão de acordo? Pergunte a Jesus que coisa ele quer de ti e seja corajoso! Seja corajosa! Perguntem a Ele! Atrás e antes de cada vocação ao sacerdócio ou à vida consagrada, tem sempre a oração forte e intensa de alguém: de uma avó, de um avó, de uma mãe, de um pai, de uma comunidade…” As vocações, todas as vocações, não nascem do acaso! Elas nascem na oração e da oração. Somente na oração podem perseverar e dar fruto! Caros amigos, em cada domingo deste mês somos convidados a refletir e rezar uma vocação específica: rezar com e pelos ministros ordenados para que sejam místicos e mestres da oração; rezar com e pelas famílias da Rede para que sejam berços da fé; rezar com e pelas pessoas de vida consagrada para que sejam sinais e presenças do Reino de Deus no mundo; rezar com e pelos leigos e leigas para que sejam operários e operárias na vinha do Senhor na nova Evangelização; rezar com e pelos(as) catequistas para que sejam aprendizes, discípulos-missionários da escola de Jesus. O mês vocacional quer nos chamar à reflexão para a importância da nossa vocação, descobrindo nosso papel e nosso compromisso com a Igreja e a sociedade. Todas elas são importantes e indispensáveis. Todas elas levam à perfeição da caridade, que é a essência da vocação universal à santidade.

Cantinho Solidário

Notícia

Visita da Alemanha No dia 24 de junho, a Comunidade Santa Rita de Cássia recebeu a visita da coordenação da Missionszentrale der Franziskaner (MZF), que está no Brasil, cumprindo roteiro de visita às entidades beneficiadas com ajuda financeira. Eles ficaram muito sensibilizados com o que viram em nossa Rede de Comunidades. Elogiaram nossa atuação pastoral e social, e saíram totalmente satisfeitos com a aplicação do dinheiro e a devida prestação de contas. No foto abaixo, tirada

em frente às salas que a MZF ajudou a construir, estão Frei Orestes Serra, Lúcia Quirino, Dom Jaime Spengler, Frei João Carlos Karling, Romana Barros Said, Frei Estevão Ottenbreit e Caio Wagner.

Construindo solidariedade com a sua participação! Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 18h, no Centro de Pastoral e Solidariedade

Colabore com o Banco de Alimentos! Basta levar suas doações nas missas das comunidades ou na secretaria da Paróquia.

SUPERMERCADO BONALUME LTDA Av. Alexandrino de Alencar, 949 Morada do Vale 1 - Gravataí - RS CEP: 94080-430 Fone/Fax: (51) 3490-6100

Distribuidora de embalagens produtos de limpeza e bazar 51 9183.6162 51 9101.1142 51 9528.3116 Av. Alexandrino de Alencar, 594 - M. do Vale 1 - Gravataí/RS possamai.joao@hotmail.com

3


4

Elo Comunitário - Agosto/2013

Espiritualidade

Vida na Igreja

Abrace o Cristo Pobre: a espiritualidade de Santa Clara de Assis

Peregrinos franceses na Rede

Desde o começo, é importante deixar bem claro um dos fundamentos da espiritualidade francisclariana: Por que Clara, como Francisco, quer seguir os passos de Jesus Cristo, crucificado e pobre? São João disse que "Deus é Amor". Ou Deus é o Amor? São Francisco diz que Deus é o Bem, todo o Bem, o sumo Bem... É outra maneira de dizer que "Deus é o Amor". Amar é dar-se. Quando nós amamos, nos damos à pessoa amada. Mesmo pensando que esse dar-se vai até o fim da vida, sabemos que nunca vamos nos dar totalmente, porque nunca chegaremos - pelo menos nesta terra - a nos conhecer inteiros, nem a conhecer a pessoa inteira para nos dar a ela inteira. Mas Deus, o Deus Pai e Filho e Espírito Santo, quando ama se dá inteiro. Se Deus é capaz de se dar inteiro, nós podemos concluir dentro de nossa maneira limitada porque humana - que não sobra nada. Foi ao pensar que Deus se dá inteiro sem sobrar nada que Francisco e Clara chegaram à conclusão de que Deus é o maior pobre. Uma consequência: Quando damos tudo, ficamos plenamente livres. Então, Deus não é amoroso, ele é o próprio Amor. Deus não é livre, ele é a própria Liber-

dade. Ora, se ele é todo o Amor, sempre que nós amamos vivemos o Deus Amor, partilhamos o seu Amor. Outra conseqüência: Quando o Verbo se fez Carne, esvaziou-se para nos ensinar a amar, esvaziou-se para nos ensinar a ser livres. Mais uma conseqüência: percebemos melhor porque Francisco não entendia a obediência como um cumprir ordens, mas como um corresponder ao amor recebido. Entendemos por que Clara e Francisco quiseram seguir com tanto amor o Cristo crucificado e pobre: quanto mais eles amavam, mais se tomavam pobres; quanto mais pobres, tornavam-se mais livres. Pobres como Jesus, livres como Jesus. Todos nós somos sedentos de amor, não é verdade? Todos nós somos sedentos de liberdade, não é mesmo? Teremos tudo isso na medida em que vivermos o nosso compromisso pessoal com Jesus Cristo. Aquele que se esvaziou para nos salvar. "Abraçar o Cristo pobre como uma virgem pobre" vai ser a espinha dorsal do "ponto de partida" da espiritualidade de Santa Clara. Fonte: Texto adaptado de http:// brasilfranciscano.blogspot.com. br/2009/08/abrace-o-cristo-pobre-espiritualidade.html, acessado em 22/07/2013.

Lilian Martins e Ademir Schneicer A Rede de Comunidades acolheu de 16 a 21/07 cinco peregrinos franceses dentro da programação da Semana Missionária, que antecedeu a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro. Os cinco peregrinos integram um grupo maior que totaliza 15 integrantes. O grupo participou das atividades na Rede de Comunidades, Paróquia Santo Hilário e Santa Luzia de Morungava. O jovem peregrino não vem só para participar, mas para contribuir no processo evangelizador da juventude. Jovens evangelizando e sendo evangelizados por jovens, que compartilham da mesma fé. Todos vieram da diocese de Coutances, situada no norte da França, de três distintas paróquias. Ao todo vieram dois párocos, um seminarista, integrantes de grupos de jovens e grupos cristãos de estudantes universitários, escoteiros, integrantes de pastorais da

comunicação, integrantes de pastorais do batismo, participantes de comunidades carismáticas e de projetos missionários. Além de integrantes que exercem também trabalhos de evangelização com grupos de jovens em escolas públicas. Em entrevista para o Elo Comunitário, os franceses explicaram o que mais chamou atenção nos dias que passaram em Gravataí: a vida paroquial, a participação dos jovens na animação, a acolhida calorosa. Todos afirmaram que se sentiram parte de uma grande família, apesar de terem passado aqui apenas uma semana. A alegria e a simplicidade também foram destacadas. Perguntados sobre o que esperam da Igreja, manifestaram que almejam uma Igreja mais viva e coerente na Europa. Uma Igreja que volte o seu olhar para os verdadeiros valores das primeiras comunidades, especialmente a fraternidade. Da Igreja viva todos fa-

zemos parte e a transformação começa por cada um de nós, foi isto que a experiência desta semana despertou, destacou um dos participantes. A JMJ é um grande encontro que permite conhecer a verdadeira realidade dos povos e uni-los, fortalecendo o compromisso cristão. Descobrimos outros jeitos de viver a fé! Outro peregrino manifestou o seu desejo de ver na Europa maior tolerância religiosa onde cada um possa expressar livremente a sua fé no dia-a-dia, sem rejeição do Estado. Devemos viver a fé sem medo, transformando a fé numa fé encarnada, finalizou. Ao final do encontro todos externaram a sua gratidão para com todos que os acolheram na Semana Missionária, “Nosso obrigado brota do nosso coração!”. A dinâmica e a vitalidade que aqui encontramos nos fortalecem na fé. E finalizaram: vocês têm um tesouro! Vocês são os “pobres” que nos evangelizam e abrem nosso coração!

Cantinho da Saúde

Leite materno: Por que ele é tão importante? O aleitamento materno é o símbolo da capacidade do ser humano produzir um alimento de qualidade que cobre todas as necessidades nutricionais do bebê. Os benefícios do aleitamento materno são inúmeros, tanto para a mãe quanto para o filho: reforça a troca de carinho entre mãe e bebê, previne o câncer de mama na mulher, reduz a mortalidade infantil por infecções, diminui o risco de diarreia, ajuda o nascimento e alinhamento correto dos dentes do bebê, reduz o risco de obesidade na criança, entre

outros. Várias pesquisas mostram que até os 6 meses de idade o leite materno é o único alimento de que o bebê precisa, pois possui todos os nutrientes necessários para o seu crescimento e desenvolvimento. Ou seja, a mãe não precisa dar água, chás, sucos ou outro tipo de leite para o seu filho. A isso damos o nome de aleitamento materno exclusivo. (Jornal da Pastoral da Criança, nº 200, Julho 2013, pág.15) Peregrinos franceses com jovens da Rede de Comunidades e a tradutora Anne Marie, no dia 21/07

EXPEDIENTE - ELO COMUNITÁRIO - Órgão Formativo e Informativo da Rede de Comunidades São José Local: Secretaria - Rua Antônio Ficagna, 451 - Morada do Vale I - Gravataí/RS Fone: 3497-7741 | E-mail: elocomunitario@redesaojose.org.br | Serviço de Comunicação da Rede - Equipe Responsável: Ademir Schneider, Aldomiro Schirmann Filho, Berenice Zucchetto, Frei João Carlos Karling, Imgart Schmidt, Joeci Schirmann, Maria Margarida Maciel, Renato Noguez | Jornalista Responsável: Lilian Martins - Reg. Prof. 12566 | Impressão: Grupo CG - Fone: 3042-3372 | Tiragem: 2.000 exemplares.

Edição nº 189 - Agosto/2013  

Órgão formativo e informativo da Paróquia Rede de Comunidades São José - Gravataí/RS

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you