Page 1

Ano XVI - N° 166 - Julho/2011

Catequese: fé, amor e dedicação! Neste mês de julho o Elo Comunitário dá destaque especial à Pastoral da Catequese da Rede. A Catequese é uma pastoral muito importante e desafiadora. Primeiro porque atualmente envolve diretamente cerca de 40 pessoas que dispensam parte do seu tempo para se dedicar como catequistas às comunidades. Segundo porque muitas de nossas famílias estão envolvidas diretamente uma vez que os filhos frequentam a catequese, seja para a Primeira Comunhão, seja para a Crisma. E, em terceiro lugar, é uma pastoral que é continuamente desafiada a atualizar-se, seja no aprofundamento do conhecimento, seja nos métodos. A Rede de Comunidades já vem construindo há vários anos uma sólida formação permanente para os catequistas. Estes se reúnem praticamente todos os meses para aprimorar seus conhecimentos e partilhar suas experiências. Os catequistas são estimulados a fazer do seu ministério uma verdadeira vocação. Vocação que vai além de ensinar os princípios e valores da fé cristã. Vocação que é desafiada a demonstrar que a fé cristã pode ser vivida na prática com muito amor e dedicação. O mundo nos desafia à constante formação e atualização. O Elo Comunitário esteve presente na formação dos catequistas da Rede, realizada no dia 28 de maio para descobrir o que eles pensam sobre o importante trabalho que realizam nas comunidades. Após dividir os catequistas em grupos, lançou a pergunta “Qual é a minha alegria em ser catequista?”. Entre as diversas respostas, estavam: é o complemento de minha vida, é uma semente que se é plantada, é voltar a face para Deus, é amar a Deus e passar coisas boas para as crianças, é ser instrumento nas mãos de Deus. Sobre os maiores desafios de ser catequista, as respostas giraram em torno de: transmitir a experiência do mistério da vida cristã, tocar o coração dos catequizan-

Lilian Martins

Ademir Schneider e Lilian Martins

Catequistas da Rede reunidos no Encontro de Formação realizado no dia 28 de maio, no Centro de Pastoral e Solidariedade

dos, fazer com que eles creiam, transmitir a importância da comunidade, garantir a participação dos pais, fazer com que os catequizandos continuem perseverando no caminho de Deus e acompanhando a comunidade após a primeira eucaristia. “O que é ser catequista para mim?”, esta foi a pergunta que fez os catequistas pensar e responder individualmente. “É completar minha missão de cristão”, respondeu Nilcésio, da Comunidade Santa Rita. Já, Enelmira, da Comunidade Perpétuo Socorro, afirma que “é ser instrumento nas mãos de Deus a serviço da comunidade”. Vilmar, da Comunidade São Miguel, acredita quer ser catequista “é ser um despertador e mantenedor da fé da criança”. De acordo com Inês, da Comunidade Santa Clara, “ser catequista é ter e assumir o compromisso de educar as crianças na fé”. Para Valci, da Comunidade Imaculada Conceição, “é se doar de corpo e alma

em ser catequista”. Para Roberto, da Comunidade Santa Rita “ser catequista é ser um elo entre a criança e a comunidade”. Como podemos ver, os catequistas da Rede de Comunidades sabem muito bem a importância do trabalho que realizam com as crianças da catequese. O Diretório Nacional da Catequese (DNC) define a Comunidade como fonte, lugar e meta da catequese. É na comunidade que a vida cristã acontece. Por isso, “a catequese, como elemento importante da iniciação à vida cristã, implica um longo processo vital de introdução dos cristãos (...) nos diversos aspectos essenciais da fé cristã. Trata, de forma sistemática, de um todo elementar e coerente, que forneça base sólida para a caminhada ‘rumo à maturidade em Cristo’” (DNC 38). “A finalidade da catequese é aprofundar o primeiro anúncio do Evangelho: levar o catequizando a conhecer, acolher, cele-

brar e vivenciar o mistério de Deus, manifestado em Jesus Cristo, que nos revela o Pai e nos envia o Espírito Santo. Conduz à entrega do coração a Deus, à comunhão com a igreja, corpo de Cristo, e à participação em sua missão” (DNC 43). “A iniciação cristã não deve ser obra somente dos catequistas ou dos presbíteros, mas da comunidade de fiéis. Sem o compromisso da comunidade, como sujeito responsável pela catequese, os catequistas pouco podem realizar. Cabe à comunidade cristã acompanhar a organização da catequese, a qualificação dos catequistas e a acolhida dos catequizandos. Assim a ação catequética torna-se uma mútua responsabilidade, uma fonte de troca de experiências e de crescimento entre os catequistas e a comunidade cristã (DNC 237)”. Eis um belo desafio para a nossa Rede! Vamos abraçar juntos a catequese? Que tal?

Celebrando a Vida Madalena

Celebrar a vida é estar de bem com os irmãos e com Deus. É ser instrumento de Deus no seu projeto de

vida através da solidariedade, da partilha e da fé. Partilhar com os irmãos o muito e o pouco que temos. Que o nosso dízimo seja de coração, do trabalho e dos bens.

Desejamos muitas felicidades a todos os dizimistas aniversariantes do mês de julho que se colocam a serviço dos irmãos. Recebam nosso abraço amigo e nosso carinho. Paz e Bem!


2

Elo Comunitário - Julho/2011

Fique ligado

Missas e Celebrações Julho/2011

Festa em louvor à Padroeira Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Tríduo 06/07 – 20h – Frei Marino Rhoden 07/07 – 20h – Pe. Erni Antônio Recktenwald 08/07 – 20h – Frei Arno Frelich Carreata 09/07 – 17h30min – Saída em frente à Igreja Procissão e Missa Solene 10/07 – 10h – saída da Procissão na Praça Águas Claras – Rua Janete Clair

Santa Rita de Cássia 02/07 – 19h Missa 03/07 – 10h Missa/Batizado 09/07 – 19h Celebração/ Dízimo 10/07 – 10h Missa/Dízimo 16/07 – 19h Missa 17/07 – 10h Missa/Batizado 23/07 – 19h Celebração 24/07 – 10h Celebração 30/07 – 19h Celebração 31/07 – 10h Celebração Todas as quartas-feiras missa às 20h.

Almoço Festivo 10/07 – 12h – Almoço com churrasco, salsichão, galeto, aipim, batata caramelada e saladas diversas. Tarde Festiva 10/07 – 14h30min – Animação Grupo Musical Minuano dos Pampas Obs.: Levar talheres Convites à venda por R$ 15,00 com as coordenações das comunidades.

Programação do mês de julho 02 – Confraternização dos Dizimistas – Santa Clara 02 – Baile da Linguiça – São Miguel; 09 - 8h30 – Formação para ministros da catequese – Paróquia Nossa Senhora dos Anjos 10 – 10h – FESTA DE N. SRA. DO PERPÉTUO SOCORRO 16 – Evento da Terceira Idade – Santa Rita 23 – Evento da Pastoral da Catequese – Santa Rita 23 – 14h – Formação permanente dos Catequistas – CPS 28 – 20h30min Pós-encontro do ECC 30 – Jantar da Imaculada Conceição – Santa Rita

Nota

Agradecimento

O Frei João Carlos Karling estará ausente dos dias 16 a 31 de julho, quando estará orientando retiros em Curitiba e Porto Alegre. Neste período Frei Olávio Dotto responde pela Rede.

A Rede de Comunidades São José agradece a Nadir Rocha e a Marco Alba pela doação de aproximadamente 500 kg de alimentos ao Banco de Alimentos.

ATENÇÃO! A data de fechamento da próxima edição do Elo Comunitário será dia 23 de julho. Mande suas fotos e informações até esta data para a edição de agosto. E-mail: elocomunitario@bol.com.br ou na Secretaria da Rede.

Especial

São Miguel 02/07 – 19h Missa/Bênção 09/07 – 19h Missa/Dízimo 16/07 – 19h Celebração 23/07 – 19h Missa/Batizado 30/07 – 19h Celebração Santa Clara 03/07 – 19h Missa/Bênção 10/07 – 19h Missa/Dízimo 17/07 – 19h Missa/Batizado 24/07 – 19h Celebração 31/07 – 19h Celebração Perpétuo Socorro 01/07 – 20h Missa

Francisco de Assis

Fonte: Portal Multiplos - http:// www.multiplos.com.br/

Ademir Schneider

Perguntaram a uma menina de nove anos o que ela gostaria de ser quando crescesse. Ela respondeu: - Eu gostaria de ser avó! Ao ser interrogada sobre o porquê dessa ideia, ela completou: - Porque os avós escutam, compreendem. E, além do mais, a família se reúne inteirinha na casa deles. E a menina continuou: - Uma avó é uma mulher velhinha que não tem filhos. - Ela gosta dos filhos dos outros. - Um avô leva os meninos para passear e conversa com eles sobre pescaria e outros assuntos parecidos. - Os avós não têm muitas ocupações, por isso podem ficar mais tempo com a gente. - Como eles são velhinhos, não conseguem rolar pelo chão ou correr. Mas não faz mal. - Eles nos levam ao shopping e nos deixam olhar as vitrines até cansar.

Para aprofundar o conhecimento sobre a vida e a obra de São Francisco de Assis e sua espiritualidade, o Elo Comunitário, a partir desta edição, trará mensalmente um trecho dos escritos do santo. Iniciamos trazendo as Admoestações. As Admoestações são 28 breves exortações que São Francisco recomendou para que seus irmãos se mantivessem fiéis à vocação franciscana abordando diversos temas importantes da vida fraterna. São Francisco também nos ensina ainda hoje a vivermos os valores franciscanos na Rede de Comunidades. Por isso, não queremos apenas conhecer estas exortações, mas queremos deixar-nos interpelar por elas e refletir sobre a nossa vida pessoal e comunitária a partir destas orientações e recomendações. Desejamos aos nossos leitores um profundo e fascinante mergulho nos

dizem: “menino, não vê que estou ocupado?” Eles param, pensam e respondem de um jeito que a gente entende. - Os avós sabem um bocado de coisas. - Eles não falam com a gente como se nós fôssemos bobos. Nem se referem a nós com expressões tipo “que gracinha!”, como fazem algumas visitas. - O colo dos avós é quente e fofinho, bom de a gente sentar quando está triste. - Todo mundo deveria tentar ter um avô ou uma avó, porque eles sempre têm

tempo para nós.

São Francisco 03/07 – 10h Celebração 10/07 – 10h Celebração 17/07 – 10h Celebração 24/07 – 10h Missa/Batizado/Dízimo 31/07 – 10h Celebração São João Batista 02/07 – 18h Celebração 09/07 – 18h Celebração 16/07 – 18h Missa/Batizado/Dízimo 23/07 – 18h Celebração 30/07 – 18h Celebração Imaculada Conceição 03/07 – 9h Celebração 10/07 – 9h Celebração 17/07 – 9h Celebração 24/07 – 9h Missa Vocacional/Batizado/Dízimo 31/07 – 9h Celebração

Conhecendo

Homenagem a todos os vovôs e vovós da Rede!

- Na casa deles tem sempre um vidro com balas e uma lata cheia de suspiros. - Eles contam histórias de nosso pai ou nossa mãe quando eram pequenos, histórias da bíblia, histórias de uns livros bem velhos com umas figuras lindas. - Passeiam conosco mostrando as flores, ensinando seus nomes, fazendo-nos sentir seu perfume. - Avós nunca dizem “depressa, já pra cama” ou “se não fizer logo vai ficar de castigo”: - Quase todos usam óculos e eu já vi uns tirando os dentes e as gengivas. - Quando a gente faz uma pergunta, os avós não

03/07 – 8h30min Missa 10/07 – 10h Procissão/ Missa/Festa de N. Sra. do Perpétuo Socorro 15/07 – 20h Missa/Bênção 17/07 – 8h30min Missa/ Batizado 24/07 – 8h30min Celebração 31/07 – 8h30min Celebração

Escritos de São Francisco! Admoestação 2: do vício da própria vontade 1 Disse o Senhor a Adão: “Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; mas não comas do fruto da árvore da ciência do bem e do mal” (Gn 2,16-17). 2 Podia, pois, Adão comer de toda árvore do paraíso e, enquanto nada fazia contra a obediência, não pecava. 3 Come, porém, da árvore da ciência do bem e do mal aquele que reclama sua vontade como propriedade sua e se vangloria dos bens que o Senhor diz e opera nele. 4 Assim, atendendo às sugestões do demônio e transgredindo o mandamento, foi-lhe dado o pomo da ciência do mal. Por isso tem que suportar necessariamente o castigo. Para refletir: 1. O que fazemos em nossas comunidades para colocar o plano de Deus em

prática? 2. Conhecemos suficientemente o plano de Deus para sermos fiéis à sua vontade? 3. A exemplo de São Francisco perguntemos: Senhor, que queres que eu faça?

Em agradecimento à Nossa Senhora por uma graça alcançada!


Elo Comunitário - Julho/2011

A vida na Igreja

Prestação de contas Patrocinadores

Um olhar para as novas Diretrizes da Evangelizacão da Igreja no Brasil - I

Gastos do mês de maio/2011 Rede de Comunidades São José

Frei Olavio Dotto, Ofm

Especificações

Saídas

ECAD

R$ 111,77

Taxa contabilidade da Cúria

R$ 103,00

Rateio assessoria jurídica/Cúria

R$ 60,00

Encargos sociais

R$ 198,07

Côngrua dos Freis

R$ 1.223,16

Salário Secretária

R$ 752,00

Combustível

R$ 88,03

Prestação casa paroquial

R$ 545,00

Telefone

R$ 110,00

Luz

R$ 413,19

Hóstias

R$ 50,00

Fotocópias

R$ 38,15

Seguro Obrigatório DPVAT

R$ 140,00

Seguro Pálio (4/4)

R$ 128,61

Elo Comunitário

R$ 50,00

Suporte técnico Sistema Pastoral

R$ 58,16

Água, luz e telefone - casa paroquial

R$ 411,84

TOTAL

R$ 4.480,98

Os planejamentos pastorais ora falam em “prioridades”, ora chamam de “programas” ou “perspectivas de ação”, aquilo que indicam como caminho para ação comunitária. As novas Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil, aprovadas para 2011-2015, chamam de “urgências” os cinco caminhos apontados para que toda a Igreja no nosso país realize a missão de evangelizar. O que são as Diretrizes? As Diretrizes Gerais (DGAE), são feitas a cada quatro anos e apontam os rumos da ação evangelizadora no Brasil. As diretrizes não são normas, não são estatutos para serem obedecidos, mas também não são meras sugestões. Elas entendem acolher, e colocar, em palavras, o sopro do Espírito Santo. Pretendem ser expressão da encarnação do Reino de Cristo, na nossa história atual. E, nessa medida, nos obrigam a conhecê-las a fundo e moldar a nossa ação evangelizadora de Vicariato e de Rede no rumo por elas apontado. Um plano de “ugências” As novas Diretrizes não são exatamente uma novidade. Retomam as diretrizes anteriores, que já estavam ajustadas com o Documento de Aparecida. Mas desde a Conferência de Aparecida (2007) já se passaram quatro anos, muito progresso foi feito, há também dificuldades que vão surgindo. Por isso é preci-

so aprofundar, fazer novas escolhas, repropor as mesmas prioridades com outros acentos. Nesse meio tempo aconteceu o Sínodo da Palavra de Deus e a Exortação do Papa Bento XVI, a Verbum Domini, repleta de novas inspirações. Há uma percepção de que a cultura atual, a sociedade, a nossa gente, os comportamentos, os relacionamentos, e a própria fé, passam por uma transformação tão rápida e profunda, que é urgente também uma nova maneira de evangelizar. Há um fato contraditório: uma parte do mundo foge da religião, há posturas fortes contra a Igreja, um vale-tudo moral escancarado. Por outro lado, há uma procura também forte pela religião, mas por uma religião de milagres e prodígios, sem amor a Deus e ao próximo, sem ligar para a salvação em Cristo, o que vale é a prosperidade, a saúde física e afetiva. Há religiões fechadas em si mesmas, de crença cega, pouco racionais. Nesse contexto, há muitos dos nossos cristãos que desanimam, ou trocam de religião por bobagem, por não estarem muito comprometidos. O urgente, na visão das Diretrizes, não é a gente se afastar do mundo, da sociedade, e de seus problemas, mas buscar uma base mais sólida da nossa fé, para evangelizar com novo entusiasmo e com clareza de propostas. Nas próximas edições do Elo Comunitário abordaremos cada uma das “urgências”.

Contribuição das comunidades para as despesas Santa Rita de Cássia

R$ 1.881,45

São Miguel

R$ 752,58

Santa Clara

R$ 418,09

N. Senhora do Perpétuo Socorro

R$ 1.045,25

N. Sra. da Imaculada Conceição

R$ 41,81

São Francisco de Assis

R$ 20,90

São João Batista

R$ 20,90

Sede

R$ 300,00

TOTAL

R$ 4.480,98

Cecília Schmidt Em agradecimento à Santa Rita de Cássia por uma graça alcançada!

saudades de seus filhos, netos e bisnetos 22/04/1922 16/07/2010

Carmem!

Em agradecimento a São Francisco de Assis por uma graça alcançada!

Em agradecimento à Irmã Dulce por uma graça alcançada. Ângela Torquato

Viver é amar de verdade, é como se não houvesse outra chance, como se o amanhã fosse hoje. Viver é amar valorizando a pessoa amada e a cada risco uma oportunidade de aprender. Cada dia contigo é um presente de Deus, e a partir de hoje vou me dar outra chance, procurando fazer com que cada dia do nosso viver seja um pouco mais feliz. Parabéns pelo aniversário. 05/07 Te amo!!! Molina

Em agradecimento à Santa Clara de Assis por uma graça alcançada!

SUPERMERCADO BONALUME LTDA Av. Alexandrino de Alencar, 949 Morada do Vale 1 - Gravataí - RS CEP: 94080-430 Fone/Fax: (51) 3490-6100

3


4

Elo Comunitário - Julho/2011

Realidade

Espiritualidade

Amigos de fé! Amigos do peito!

Oração da Pessoa Anciã

Imgart Schmidt

Carlo Maria Martini, Qualcosa de così personale. Meditazioni sulla preghiera, Milano, Mondadori 2009, p. 5-6, tradução livre de Frei João Carlos Karling, ofm

A evolução, a modernidade, o desenvolvimento, a tecnologia, está nos levando a uma maneira de viver onde parece que cada vez somos menos humanos. Muitas pessoas não vão mais às lojas, ao supermercado para fazer suas compras, compram pela internet. As refeições não são mais no restaurante, são pedidas pela “tele”. As grandes indústrias, cada vez mais eficientes, onde antes empregavam muitas pessoas, hoje há menos gente e muito mais máquinas. As torcidas dos times de futebol que antes davam um espetáculo à parte, hoje são organizadas para batalhas, os jovens não saem em grupo, se organizam em gangues. O que está acontecendo com a sociedade? Cada um tem sua parcela de responsabilidade, pois nos ocupamos mais em julgar do que em amar as

pessoas e dessa forma vamos nos isolando, vivendo em grupos tão pequenos e cada vez mais fechados, e nem nos damos a chance de novas experiências. Mas para quem vive em comunidade, existe outra realidade. Ali se conhece a solidariedade, a compreensão, a compaixão, e principalmente o mais importante que é a mão estendida. Mão de amigo que ajuda, que apóia, que consola. Assim cantava o poeta “Amigo é coisa pra se guardar, no lado esquerdo do peito...” E ele tem toda razão, temos que zelar e cuidar muito bem, de nossos amigos. Assim como também devemos julgar menos, respeitar e aceitar as diferenças e teremos tantos amigos que não caberão nos dedos de duas mãos. Em nossa Paróquia existem com certeza mais de mil mãos que ajudam a levantar alguém que cai, quando se

Cantinho da Saúde As plantas medicinais, o inverno e nossa saúde Rafinha

Uma das funções mais preciosas que nossas irmãs Plantas Medicinais realizam em nós é resguardar ou recuperar nossa imunidade. Como elas realizam isso? Nosso sangue é a seiva que perpassa cada célula, levando tudo o que cada pedacinho de nós necessita para ter vida. Como a função principal das plantas é a limpeza dessa seiva vital - elas conduzem até ela a energia de que necessitamos, para ficarmos fortes diante de todas as ameaças que vêm de fora de nós. Já que imunidade significa: capacidade de enfrentar, resistir o que vem atacar nossa saúde física. As plantas podem nos auxiliar a prevenir ou sanar os problemas - que o inverno provoca em nosso sistema respiratório - realizam essa ação desbloqueadora, protetora e antiinflamatória dos órgãos que trabalham nossa respiração. As mais comuns e ao nosso alcance são: Guaco,Tansagem, Violeta de jardim, Embaúba, Beldroega, Agrião, Eucalipto, Gengibre, Limão, Pulmonária, Mil em Rama, Poejo... No início de um resfriado, ao dar os primeiros espirros ou aos primeiros arrepios em que nosso corpo está avisando que algo está chegando... é só levar para a cama, ao deitar, uma xícara com limão ou gengibre e mel bem quentinho.... Ajuda também deixar os pés na água quente com sal grosso... por 10 minutos antes de dormir... Mas isso, como prevenção, deve ser usado logo nos primeiros sinais.... Um bom inverno para todos e todas.

unem em oração, quando se unem para o trabalho. Isso é coisa de amigo! Dia 20 de julho é Dia do Amigo – Quero deixar um agradecimento muito especial a todos que me acompanham nesse momento difícil que estou passando, aos que fizeram orações, visitas... Quero dizer que com o sofrimento tive a alegria de sentir que quando precisamos, quantas pessoas nos dão a mão, quantos Amigos cada um pode ter. Com certeza tudo seria bem mais difícil se não fossem as suas orações, o seu carinho, sua solidariedade, sua mão estendida. Muito obrigada e que Deus abençoe todos os Meus Amigos!

Quais poderiam ser algumas características positivas na oração de um ancião? ‘“Parece-me que podem emergir três aspectos: uma insistência sobre a oração de agradecimento; um olhar de caráter sintético sobre a própria vida e experiência; enfim, uma forma de oração mais contemplativa e afetiva, uma prevalência da oração vocal sobre a oração mental. Sobre o primeiro destes três pontos trago o testemunho de um confrade: “Com relação aos conteúdos da minha oração nestes anos de velhice – tenho 85 anos – distingue-se a oração de agradecimento. Desenvolveram-se dois motivos para agradecer a Deus: antes de tudo por ter-me concedido um tempo no qual posso me dedicar (quase gostaria de dizer ‘a tempo pleno’) a preparar-me para a morte. E isto não é dado a todos. Em segundo lugar, por haver-me mantido até agora no pleno domínio das minhas reservas mentais e, largamente, também daquelas físicas”. Lá, onde ao contrário, não existe este vigor físico ou mental, a oração se colorirá, sobretudo, de paciência e de abandono nas mãos de Deus, a exemplo de Jesus, que morre dizendo: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,46). É assim que os Salmos nos ensinam a rezar: “Tu salvas dos inimigos quem se confia à tua destra” (Sl 16,7); “Confio-me às tuas mãos: tu me res-

gatas, Senhor, Deus fiel” (Sl 30,6); “O salvarei, porque a mim se confiou” (Sl 90,14). Quem atingiu certa idade está também em condições de voltar um olhar sintético sobre a própria vida, reconhecendo os dons de Deus, mesmo que por meio de sofrimentos. Somos, pois, convidados a uma leitura sapiencial da nossa história e daquela do mundo por nós conhecido. Bem aventurados aqueles que chegam a ler a própria vida como um dom de Deus, não deixando-se levar por juízos negativos sobre os tempos vividos ou também sobre o tempo presente, em relação com àqueles passados! A terceira característica da oração do ancião deveria ser um crescimento na oração vocal (e logo uma diminuição da oração mental). Juntamente um início de simples contemplação, que exprime, com meios muito pobres, a própria dedicação ao Senhor. Diminui a oração mental pela menor capacidade de concentração do ancião. Mas contemporaneamente é necessário ter cuidado em aumentar a oração vocal. Mesmo se um pouco indolente ou distraída, ela é, todavia, um meio para aproximar-nos ao Deus vivente. Seria ideal chegar a contemplar muito simplesmente o Senhor que nos olha com amor, ou mesmo pensar em Jesus que tem necessidade de nós para tornar pleno o seu louvor ao Pai. Mas aqui será o Espírito Santo que se fará o nosso mestre interior. A nós não restará que segui-lo docilmente’”.

Notícias Novos Líderes da Pastoral da Criança

Encontro de Jovens da Rede

Malone Rodrigues

Aconteceu no dia 5 de junho o encontro de cerca de 40 jovens dos grupos JUNP, JAC, SHEKINAH, JADE e JUFAC com a psicóloga Eva. Foram abordados assuntos como: nossos relacionamentos na Rede e quem somos como grupos de jovens. Foi um encontro muito alegre e dinâmico! Que Deus abençoe e proteja todos os jovens!

No dia 14 de Junho, na comunidade N. Sra. do Perpétuo Socorro, aconteceu a celebração de envio dos novos líderes que receberam a capacitação da Pastoral da Criança. Com a entrega das carteiras, os novos líderes estão aptos a realizar o árduo, mas belo serviço de líder comunitário da Pastoral da Criança na Igreja junto a quem mais precisa.

Frei Cristian Jardim e Ronaldo Noguez

EXPEDIENTE - ELO COMUNITÁRIO

Missão Jovem No dia 19/06, o grupo de jovens JUNP, da Comunidade São Miguel, promoveu a Missão Jovem na comunidade. Além de roupas e brinquedos foram arrecadados cerca de 400 kg de alimentos que serão doados para o Banco de Alimentos da Rede. Parabéns pelo exemplo!

Órgão Formativo e Informativo da Rede de Comunidades São José Local: Secretaria - Rua Antônio Ficagna, 451 - Morada do Vale I - Gravataí/RS - Fone: 3497-7741 - E-mail: elocomunitario@bol.com.br Serviço de Comunicação da Rede - Equipe Responsável: Ademir Schneider, Aldomiro Schirmann Filho, Berenice Zucchetto, Frei João Carlos Karling, Imgart Schmidt, Joeci Schirmann, Juliano Paz, Maria Margarida Maciel, Renato Noguez. Jornalista Responsável: Lilian Martins - Reg. Prof. 12566 Impressão: Editora Treze de Maio Ltda. Fone: 3490-3148 Tiragem: 2.000 exemplares.


Edição nº 166 - Julho/2011  

Órgão formativo e informativo da Paróquia Rede de Comunidades São José - Gravataí/RS

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you