Issuu on Google+

Ano XVIII - N° 187 - Junho/2013 - Distribuição Gratuita

Ministros: alegria de poder servir! Lilian Martins e Ademir Schneider

N

ossa Rede de Comunidades conta com um bom grupo de ministros extraordinários, não ordenados. Mas você sabe qual o trabalho que exercem? Com o Concílio Vaticano II, em 1965, a Igreja procurou envolver cada vez mais os leigos na missão de fazer chegar Cristo, através da Palavra e da Eucaristia, às comunidades e pessoas que têm dificuldade de serem atendidos diretamente pelos ministros ordenados (bispos, padres e diáconos). Com o crescimento do número de comunidades nas paróquias, vários homens e mulheres engajados, têm sido convidados para auxiliar nas celebrações dos cultos eucarísticos. Esses leigos presidem as celebrações, anunciam a palavra e distribuem a Eucaristia, consagrada na missa. A equipe do Elo Comunitário participou de um encontro dos ministros da Rede, no dia 18 de maio, no Centro de Pastoral e Solidariedade, para conversar e descobrir quais as tarefas dos ministros, quais são os maiores desafios e as maiores alegrias deste ministério. Na Rede de Comunidades, os ministros, além de presidir celebrações e distribuir a comunhão, auxiliam os freis nas missas, fazem visitas e levam a Comunhão aos doentes. Os ministros não celebram apenas nas suas comunidades, há uma rotatividade principalmente nas pequenas comunidades. Para se tornar ministro, o leigo precisa de indicação da comunidade e aprovação do pároco. “Precisa ser alguém que tem a vida ativa na comunidade e participa de outras pastorais. Uma pessoa de muita fé e espiritualidade”, explica o pároco, frei João Carlos Karling. A formação dos ministros da Rede é dada por uma equipe do Vi-

Ministros reunidos no Centro de Pastoral e Solidariedade, no dia 18 de maio, com a presença do frei João Carlos Karling

cariato de Gravataí e é organizada em aproximadamente sete encontros que acontecem uma vez por mês. Após o encerramento do curso, é realizada uma missa de posse dos novos ministros com a entrega da carteirinha de ministro válida por tempo determinado, atualmente de um ano. Durante a conversa com o Elo Comunitário, os ministros citaram como desafios deste trabalho: conseguir passar a mensagem da Palavra de Deus para que as pessoas possam entender, tempo para aprofundamento na espiritualidade, conseguir visitar os asilos próximos para levar uma palavra de conforto para as pessoas. Segundo o frei João Carlos, o maior desafio dos ministros é ter formação contínua e permanente. “No geral há uma certa resistência, mas existem pessoas interessadas”, explica. Sobre as maiores alegrias de exercer o ministério, testemunhos

emocionantes foram dados. Para Mara Regina Alencar, “a maior alegria é poder servir. Ter Jesus na mão e poder partilhar”, afirma. Já Marlene Berlitz, contou um episódio que marcou sua vida. “Um dia fui levar a eucaristia para uma vovó de 98 anos. Ela não falava, mas quando me viu sorriu com os olhos. Rezamos juntas e naquela noite ela faleceu”. Iolanda Souza da Silva falou sobre uma visita que fez. “Um dia levei a comunhão para uma senhora que mandava fazer faxina na casa sempre que ia receber Jesus. Achei lindo aquilo”. Para Vicente Cirino Vieira, é muito importante ver o reconhecimento do trabalho. “Minha maior alegria é quando as pessoas da comunidade vêm agradecer depois da celebração”, afirma. Já, Maria Oneida de Lima, explica que “fico feliz quando vejo a pessoa receber a comunhão e se sentir bem”. De acordo com Rosane Lopes, sua

melhor alegria foi o convite para ser ministra. “Quando o frei me convidou, minha vida mudou. Eu deixo o Espírito Santo agir em mim. Tudo o que faço, faço porque amo!”, declara. Após ouvir, emocionado, as declarações dos ministros, frei João Carlos afirmou: “minha alegria é ter ministros qualificados como vocês, pessoas em quem eu posso confiar”.

Para receber a visita de um ministro da Rede em sua casa, basta entrar em contato com a secretaria da Rede, através do telefone 34977741, e agendar.


2

Elo Comunitário - Junho/2013

Fique Ligado

Missas e Celebrações Junho/2013

Festa em louvor à padroeira N. Sra. do Perpétuo Socorro Tríduo 03/07 - 20h - Frei Olávio Dotto 04/07 - 20h - Frei Marino Rhoden 05/07 - 20h - Frei Franklin Freitas Carreata 06/07 - 17h30 - Saída em frente à igreja. Procissão e Missa Solene 07/07 - 10h

Santa Rita de Cássia 01/06 – 20h Missa 02/06 – 10h Missa/Batizado 08/06 – 20h Missa/Dízimo 09/06 – 10h Missa/Dízimo 15/06 – 19h Missa 16/06 – 10h Missa/Batizado 22/06 – 20h Celebração 23/06 – 10h Celebração 29/06 – 20h Missa 30/06 – 10h Missa Todas as quartas-feiras atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

Almoço Festivo 07/07 - 12h - Salão Comunitário Tarde Festiva/Baile 07/07 - 14h30 - Animação Super Banda Real Obs.: Levar talheres. Convites à venda por R$ 18,00 com as coordenações das comunidades e na secretaria da Rede

São Miguel 01/06 – 19h Missa/Bênção 08/06 – 19h Missa/Dízimo 15/06 – 19h Celebração 22/06 – 19h Missa/Batizado 29/06 – 19h Missa

Programação do mês de junho 1 - 17h - Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia e Crisma - Santa Clara 03 a 09 - Semana da Ecologia na Rede Rede de Comunidades 5 - 14h - Palestra sobre saúde - CPS 6 - 20h30min - 1ª Preparatória do ECC - CPS 8 - 8h30min - Encontro de Área dos Catequistas do Crisma - A definir 8 - 20h - Baile da Lingüiça - São Miguel 9 - 12h - Almoço do Amor Exigente Santa Rita

10 - 20h - Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia - Imaculada Conceição 13 - 20h30min - 2ª Preparatória do ECC - CPS 15 - 15h - Festa Junina - Santa Rita 15 - 16h - Encontro de Pais do 1º e 2º ano da Eucaristia - São Miguel 19 - 19h - Reunião do Conselho de Pastoral da Rede - CPS 20 - 20h30min - 3ª Preparatória do ECC - CPS 22 - Retiro das Lideranças da Rede -

Daltro Filho 23 - Retiro das Lideranças da Rede Daltro Filho 27 - 14h - Formação para Agentes da Pastoral da Saúde - Santa Clara 27 - 20h - Missa de entrega das pastas do ECC - Santa Rita 28 - 18h - Início do 10º ECC da Rede CPS 29 - 10º ECC da Rede - CPS 29 - 15h - Festa Junina - São Miguel 30 - 10º ECC da Rede - CPS

Santa Clara 02/06 – 19h Missa/Bênção 09/06 – 19h Missa/Dízimo 16/06 – 19h Missa/Batizado 23/06 – 19h Celebração 30/06 – 19h Missa

Perpétuo Socorro 02/06 – 8h30min Missa 07/06 – 20h Missa/Novena 09/06 – 8h30min Missa/ Dízimo 16/06 – 8h30min Missa/ Batizado 23/06 – 8h30min Celebração 30/06 – 8h30min Missa Toda 1ª sexta-feira de cada mês atendimento de confissões às 19h e missa às 20h. São Francisco 02/06 – 10h Celebração 09/06 – 10h Celebração 16/06 – 10h Celebração 23/06 – 10h Missa/Dízimo/ Batizado 30/06 – 10h Celebração Imaculada Conceição 02/06 – 9h Celebração 09/06 – 9h Celebração 16/06 – 9h Celebração 23/06 – 9h Missa/Dízimo/ Batizado 30/06 – 9h Celebração

Prestação de Contas Gastos de abril/2013 Rede de Comunidades São José Especificações

Conhecendo Francisco Neste mês de junho o Elo Comunitário traz para a reflexão a 20ª Admoestação de São Francisco de Assis que aborda o tema da humildade. Permanecer humilde apesar dos louvores e honras 1 Bem-aventurado o servo que, sendo louvado e exaltado pelos homens, não se considera melhor do que quando é tido por insignificante, simplório e desprezível. 2 Porque o homem vale o que é diante de Deus e nada mais. 3 Ai do religioso que, enaltecido pelos outros, em sua obstinação não quer mais descer. 4 E bem-aventurado o servo que não é por sua vontade enaltecido e que continuamente deseja ser posto debaixo dos pés dos outros. Para refletir: Leia Jo 13,1-17 Jesus lava os pés dos discípulos, antes da sua última ceia com eles. Lavar os pés, gesto de humildade e de extrema ternura. Mestre e Senhor, companheiro e servo, mãos generosas e a certeza de um gesto que rompe barreiras, inverte papéis, aponta

para novas relações. O lava-pés é a expressão da auto-doação de Jesus, auto-doação esta que acontece durante toda a sua atuação e se concretiza de forma radical na entrega da sua vida na cruz. Ter comunhão com este Jesus, ser seu discípulo, ser sua discípula, é compartilhar dessa sua maneira de ser, é adotar para a própria vida o princípio do amor que se auto-entrega no serviço. Mas, sabemos que o serviço de amor leva a caminhos não muito fáceis de trilhar. Quem assume trilhar esse caminho, sabe que o próprio Jesus o espera, a qualquer momento e em qualquer lugar, para lavar-lhe os pés e convida para sentar-se com ele à mesa.

Celebrando a Vida

Saídas

ECAD

R$ 126,43

Taxa contabilidade da Cúria

R$ 115,00

A prática do dízimo é individual ou familiar?

Rateio assessoria jurídica/Cúria Encargos sociais

R$ 300,00

O princípio é familiar. Quando o provedor do lar contribui com o dízimo, toda a família está participando daquela ação. Trata-se dos casos em que os filhos são ainda dependentes. Com a participação da mulher no mercado de trabalho, ela também participa com sua produção. O mesmo ocorre quando os filhos começam a trabalhar. Nestes casos o modo de participar passa a ser livre. A família decide. Não há nenhum problema em cada um dos cônjuges ter seu envelope. Mesmo os filhos. O importante é participar.

Côngrua Frei João Carlos

R$ 453,00

Côngrua Frei Paulo

R$ 678,00

Côngrua Frei Cláudio Junior

R$ 678,00

Salário da secretária

R$ 901,00

Salário serviços gerais

R$ 519,00

Elo Comunitário

R$ 125,00

Telefone

R$ 120,00

Visitador Geral na Rede

Energia Elétrica

R$ 217,41

Combustível

R$ 200,00

Quota patronal

R$ 160,00

Estimadas Comunidades, Coordenações e participantes de nossa Paróquia Rede de Comunidades São José! Luz e Paz! Os freis franciscanos do Rio Grande do Sul estão no ano Capitular. Ele ocorre a cada três anos, para avaliação das atividades e presenças. E, a cada seis anos, para a eleição da Coordenação Geral, Provincial e Vice-Provincial. E neste ano estamos no ano de avaliação e de eleição. E, sempre que se tem eleição do Ministro Provincial, é nomeado pelo Governo Geral de Roma o Visitador Geral. O Visitador Geral é um Frei, que conhece a Vida Franciscana e que goza da confiança do Ministro Geral, em nome do qual ele faz a visita. O nosso Visitador Geral deste ano é o Frei Valmir Ramos. Ele fará uma visita à nossa fraternidade e também à paróquia no dia 19 de junho. Passará o dia com os freis e postulantes, em diálogo e revisão de vida. Às 19 horas, no Centro de Pastoral e Solidariedade, ele terá uma reunião com todas as coordenações e lideranças. Desta forma, a reunião ordinária do Conselho de Pastoral será neste dia! Solicito e reforço para que todos participem! Ele, com as lideranças, procurará conversar sobre a presença dos freis e avaliá-la. E, logo depois, às 20 horas, ele presidirá a Celebração da Eucaristia na Santa Rita. E, quinta-feira, bem cedo, ele será conduzido para Estrela/RS. Coordenações e Lideranças, repetindo: dia 19 de junho, às 19 horas, no Centro de Pastoral. Rede toda: dia 19 de junho, às 20h, missa na Santa Rita. Frei João Carlos Karling, ofm - Pároco

R$ 66,00

Hóstias

R$ 50,00

Suporte técnico Sistema Pastoral

R$ 67,18

Água, luz e telefone - casa paroquial TOTAL

R$ 224,93 R$ 5.000,95

Contribuição das comunidades para as despesas Santa Rita de Cássia

R$ 2.132,88

São Miguel

R$ 785,15

Santa Clara

R$ 566,19

N. Senhora do Perpétuo Socorro

R$ 1.090,49

N. Sra. da Imaculada Conceição

R$ 43,61

São Francisco de Assis

R$ 21,80

São João Batista

R$ 21,80

Sede TOTAL

R$ 339,03 R$ 5.000,95


Elo Comunitário - Junho/2013

Vida na Igreja Paróquias: tema central da 51ª Assembleia dos Bispos do Brasil

Patrocinadores

Notícias

Jovens em busca de formação

+ Jaime Spengler - Bispo auxiliar de Porto Alegre No último dia 10 de abril teve início a 51ª Assembleia Geral da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil, em Aparecida (SP). Até o dia 19 de abril, os Bispos de todo o Brasil estarão reunidos para rezar, estudar, dialogar e traçar possíveis indicações para a ação evangelizadora da Igreja no Brasil. O tema central da 51ª Assembleia é “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia.” Ponto de partida dos debates em torno do tema é a constatação da necessidade de fomentar a atitude de constante diálogo entre a proposta de Jesus e a realidade social e pastoral. Esta atitude de diálogo é necessária estender ao maior número possível de membros das diversas comunidades. Tal atitude haverá de inaugurar o processo necessário de construção do que se cunhou denominar nova paróquia. A Assembleia dos Bispos latino-americanos e caribenhos, celebrada em Aparecida convocava a todos para uma renovação importante: “Ser discípulo e missionário de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida.” Para tanto os Bispos constatavam a necessidade de uma verdadeira conversão pastoral (DAp. N. 370), que pressupõe ter em consideração a importância dos processos participativos de todos os membros da comunidade de fé. Isto porque a ‘mudança de época’ que vivemos requer disposição e decisão para responder com propriedade aos novos desafios apresentados à comunidade de fé. Tal disposição haverá de exigir reformas espirituais e institucionais. Ao longo dos tempos foram sendo criadas estruturas que passaram a exigir sempre mais dedicação e cuidados, particularmente dos padres, produzindo, por vezes, um ativismo estéril. Constata-se o desperdício de energias no esforço por manter estruturas que parecem não mais responderem às inquietações atuais. Certamente não se pode negar o valor do que foi realizado ao longo dos tempos; mas também não se pode negar que é preciso urgentemente agir para responder às tantas inquietações atuais de não poucas pessoas. Para que nossas paróquias ganhem vigor novo, é certamente necessário investir na participação dos leigos, valorizando os diversos possíveis ministérios, promovendo cursos e encontros de formação, proporcionado espaços de efetiva participação a todas as pessoas de boa vontade nos diversos âmbitos da vida paroquial. Neste contexto vale recordar a capacidade das primeiras comunidades cristãs de se adaptarem aos novos contextos. Não seria hora de começar a conhecer e avaliar as demandas de nossas paróquias, e a partir disso talvez começar a refletir sobre a conveniência de propor, por exemplo, uma melhor proporcionalidade no atendimento? Não seria também hora de começar a refletir sobre formas qualificadas de apresentação da mensagem, especialmente em nossa ‘sociedade da informação e da comunicação’? Não seria, talvez, conveniente propiciar às pessoas a possibilidade de alimentarem e vivenciarem a própria fé, em comunidades menores, onde as relações são mais próximas? Não estaria sendo necessário fomentar uma maior proximidade e comunhão entre os diversos grupos de diferentes movimentos? Não precisaria, também a atividade pastoral, em âmbito diocesano, ser melhor planejada, projetada, organizada, acompanhada e avaliada? Isto porque não se pode jamais perder de vista o necessário engajamento e fomento da unidade seja da paróquia, da área pastoral e da região, seja da diocese. Daí a necessidade de uma pastoral orgânica e de conjunto. É conveniente que a ação pastoral seja organizada entre as paróquias pertencentes a uma determinada área pastoral, e destas com a diocese. Para tanto, o planejamento pastoral diocesano haverá de permitir inspirações, propostas, indicações pastorais comuns, espaços de avaliação e correção. Já faz tempo que estamos ouvindo falar da urgente passagem de uma pastoral de conservação, baseada na sacramentalização e com pouca ênfase na obra da evangelização, para uma pastoral decididamente missionária. Somente a partir de uma autêntica experiência de encontro com a pessoa de Jesus Cristo será possível forjar identidades verdadeiramente cristãs e com decidido senso de pertença eclesial. Estas são algumas indicações a respeito das quais os Bispos estão dialogando nestes dias de Assembleia. Trata-se de um diálogo que precisa ser ampliado, envolvendo os presbíteros, diáconos, consagrados, membros dos diversos movimentos eclesiais, lideranças de nossas comunidades de fé e todas as pessoas desejosas de participar na construção de paróquias, compreendidas como comunidade de comunidades. Somos todos convidados a olhar para o futuro de nossas paróquias, com a esperança de vencer o vazio, o deserto e a falta de sentido de tantas pessoas. Uma ‘nova época’ implica um novo entusiasmo por Jesus Cristo e o seu Reino; isto aponta para uma nova evangelização que leve em consideração a necessidade de renovação espiritual e de conversão pessoal e pastoral. Somos uma comunidade de fé a caminho, e que sabe onde deve aportar: a Santíssima Trindade, onde Deus será tudo em todos (cf. Cor 15,28).

Francine Gabriele de Oliveira Os jovens da Rede de Comunidades São José têm buscado formação para aprimorar seu trabalho nos grupos e nas comunidades. Nos dias 3, 4 e 5 de maio, cinco jovens participaram da 1ª Etapa da Jornada de Formação Franciscana que aconteceu no Convento São Boaventura, em Daltro Filho, e teve como tema: ''Vai e reconstrói a minha igreja..." e teve como objetivo nos aproximar e nos fazer conhecer um pouco mais do carisma franciscano. Além dos jovens da Rede, mais de 40 jovens vindos de Progresso, Marques de Souza, Taquari, Tabaí, Lajeado e Porto Alegre também estiveram presentes. A 2ª etapa da

formação acontecerá em setembro, na Rede de Comunidades e a 3ª etapa em novembro, na cidade de Progresso. Já nos dias 18 e 19 de maio cerca de 15 jovens dos grupos da Rede estiveram em Retiro com objetivo de buscar conhecimento e integração. Durante o retiro foram trabalhados 3 temas: O Youcat que é o catecismo jovem contou com a assessoria de uma jovem chamada Marina; Bíblia e Hermenêuticas Juvenis assessorado pelo José Luiz Possato, assessor do Cebi-RS; e Missa Catéquetica com assessoria do Frei Rodrigo. Os jovens têm se empenhado bastante nestas formações e não querem apenas adquirir conhecimento, mas também passá-lo adiante.

SUPERMERCADO BONALUME LTDA Av. Alexandrino de Alencar, 949 Morada do Vale 1 - Gravataí - RS CEP: 94080-430 Fone/Fax: (51) 3490-6100

Cantinho Solidário recebe doação

Distribuidora de embalagens produtos de limpeza e bazar No dia 18 de maio o Cantinho Solidário recebeu uma doação de aproximadamente 1.500 agasalhos. As roupas foram arrecadadas através de uma campanha promovida pelo vereador Alemão da Kipão.

ATENÇÃO!

A data de fechamento da próxima edição do Elo Comunitário será dia 20 de junho. Mande suas fotos e informações até esta data para a edição julho. E-mail: elocomunitario@redesaojose.org.br ou na Secretaria da Rede.

51 9183.6162 51 9101.1142 51 9528.3116 Av. Alexandrino de Alencar, 594 - M. do Vale 1 - Gravataí/RS possamai.joao@hotmail.com

3


4

Elo Comunitário - Junho/2013

Realidade

Espiritualidade

Família: comunidade em diálogo com Deus

Santo Antônio de Pádua - 13 de junho

Aldomiro e Jô*

Frei Jorge Hartmann OFM

Família, nos tempos de hoje, tem sido posta em questão pelas amplas, profundas e rápidas transformações da sociedade e da cultura. Muitas famílias vivem esta situação na fidelidade àqueles valores que constituem o fundamento do instinto familiar. Outras tornaram-se incertas e perdidas frente a seus deveres e quase esquecidas do significado último e da verdade da vida conjugal e familiar. Consciente de que o matrimônio e a família constituem um dos bens mais preciosos da humanidade, a Igreja quer fazer chegar a sua voz e oferecer a sua ajuda a quem, conhecendo já o valor do matrimônio e da família, procura vivê-lo fielmente, a quem incerto e ansioso anda à procura da verdade, e a quem está impedido de viver livremente o próprio projeto familiar. Sustentando os primeiros, iluminando os segundos e ajudando os outros, a Igreja oferece o seu serviço a cada homem interessado nos caminhos do matrimônio e da família. Por isso, sente a urgência de anunciar o Evangelho a todos indistintamente, em particular a todos aqueles que são chamados ao matrimônio e para ele se prepararam, a todos os esposos e pais do mundo. Uma vez que o desígnio de Deus sobre a família visa ao homem e à mulher no concreto de sua existência cotidiana, em determinadas situações sociais e culturais, a Igreja, para cumprir sua missão, deve esforçar-se

Cantinho da Saúde A imunidade e a saúde integral Rafinha Quando pensamos em imunidade, nos vem à mente: resistência às doenças. Mas, que tipo de resistência? Queremos tratar da imunidade “integral” do ser humano. Se temos uma mente carregada de pensamentos negativos, fixos, maldosos... estamos sem imunidade mental! Se costumamos guardar emoções destrutivas; magoas, ressentimentos, raivas... ficamos sem imunidade emocional! Se nosso ser interior - o raio de luz vindo da Luz Infinita - permanece no escuro, por falta de uma espiritualidade libertadora - estamos em falta com a imunidade espiritual. Se nosso ambiente (casa, trabalho, comunidade, lazer) está imerso em relacionamentos pesados, complicados, sem fraternidade, ficamos sem imunidade ambiental. E se, para completar, nosso corpo sobrevive à base de alimentos industrializados, envenenados, refrigerantes, outras porcarias sem energia vital... Na falta de uma alimentação natural, viva e básica...completamos o círculo: as doenças chegaram, estão chegando ou chegarão! “ Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo. 10,10)

por conhecer as situações em que o matrimônio e a família se encontram hoje. Na Rede de Comunidades o ECC é uma das formas em que esta missão acontece. Entre os deveres fundamentais da família cristã, estabelece-se o dever eclesial: colocar-se a serviço da edificação do Reino de Deus na história, mediante a participação e na missão da Igreja. A família cristã vive a sua tarefa profética, acolhendo e anunciando a Palavra de Deus, tornando-se assim, cada dia mais comunidade crente e evangelizadora. A família é chamada a santificar-se e a santificar a comunidade cristã e o mundo, transformando-se numa comunidade em diálogo com Deus. A família cristã, enquanto edifica a Igreja pela caridade, põe-se a serviço do homem e do mundo, realizando verdadeiramente a promoção humana e a construção do Reino. Carta dos Direitos da Família e as etapas, estruturas, responsáveis e situação de uma Pastoral Familiar eficiente; a preparação para o matrimônio, a celebração, a pastoral pós-matrimonial; associações de famílias a serviço das famílias; a pastoral familiar nos casos difíceis; os sem-família. É, pois, indispensável e urgente que cada homem de boa vontade se empenhe em salvar e promover os valores e as exigências de família. *Texto adaptado do documento “Familiaris Consortio” de João Paulo II.

Santo Antônio é, com certeza, o santo franciscano mais famoso e conhecido em todo mundo. Nasceu em Lisboa, em torno de 1195, tendo recebido, no batismo, o nome de Fernando. Tornou-se padre da Ordem dos Agostinianos, em Coimbra. Ali conheceu os primeiros cinco franciscanos que foram como missionários ao Marrocos e morreram mártires. O fato foi decisivo para ele tornar-se franciscano também. Desejou ir ao Marrocos, mas uma doença obrigou-o a voltar. Todavia, uma tempestade levou o navio até a Sicília, na Itália. De lá foi pra Assis, onde em 1221 participou do Capítulo Geral dos Franciscanos e conheceu pessoalmente S. Francisco de Assis. Seu grande dom de pregador ficou conhecido, por acaso, quando na catedral de Forli reuniram-se franciscanos e dominicanos para uma ordenação sacerdotal. Antônio foi convidado de última hora. Todos ficaram boquiabertos com seu grande conhecimento bíblico, sua inteligência, sabedoria e beleza de sua pregação. O Papa Gregório IX, conhecendo seu amor pelas Sagradas Escrituras denominou-o “Arca do Testamento”. Foi missionário no sul da França, onde combateu doutrinas heréticas que confundiam o povo de Deus. A eficácia de sua missão catequética foi tão grande que o apelidaram de “Martelo dos hereges”. Outra virtude marcante nas pregações do Santo foi sua veemente condenação da usura (agiotagem), que já no século XIII arruinava tantas famílias, normalmente as mais pobres. Aliás, Antônio sempre defendeu com firme-

Notícias

Festa de Santa Rita Roberto Garcia No último dia 26/05 aconteceu a 34ª Festa em louvor à Padroeira Santa Rita de Cássia. Mais uma vez a comunidade demonstrou sua fé em sua santa padroeira, seguindo em procissão pelas ruas da Morada do Vale I. Neste ano, tivemos a imensa honra de contar com a presença da relíquia de Santa Rita em nossa procissão, que esteve ao alcance de todos que quiseram tocá-la e receber sua benção. Esta relíquia, a partir de agora, estará de forma permanente em nossa comunidade. A festa marcou também a conclusão das salas de Catequese, que logo poderão ser utilizadas. Agradecemos a todos que de alguma forma ajudaram para que nossa Festa tenha sido novamente um sucesso e que Deus, por intercessão de Santa Rita de Cássia, abençoe sempre o povo devoto de nossa Comunidade. Paz & Bem!

za os pobres que eram explorados e injustiçados. Sua caridade para com os necessitados está simbolizada até hoje, pelo “Pão de Santo Antônio”, que é o pão dos pobres. Foi um grande devoto mariano. Maria esteve sempre na sua vida e pregações. Foi um entusiasmado defensor da família. Isto certamente fez desabrochar no povo a devoção ao santo casamenteiro. Ele é também invocado para achar objetos perdidos. E ajuda mesmo! Imagine, então, a eficácia quando lhe pedimos ajuda para reencontrar a fé, o amor verdadeiro, a fidelidade à Palavra de Deus, a alegria, a paz. Mas, sobretudo, Antônio foi um homem de muita oração e um apaixonado pela Palavra de Deus. A iconografia apresenta o Santo ora com um livro, que representa seu conhecimento sólido da Bíblia, ora com o Menino Jesus nos braços, que lembra sua intimidade com Deus, sua pureza e freqüentes êxtases. Os devotos conhecem muitos milagres atribuídos ao Santo. Todavia, a primeira biografia sobre ele, escrita em 1232, logo após sua morte, em vista da canonização, não traz nenhum fato milagroso. Nem o Papa Gregório IX, no decreto de canonização faz referência a milagres. Fala somente das virtudes do Santo. Essas deveriam ainda hoje animar e orientar todos os devotos de Santo Antônio. Somos convidados a imitar o Santo na sua fidelidade ao Evangelho, no zelo em salvar os que estão no erro, no pecado; em ser solidário com os pobres e explorados. A devoção verdadeira passa pela prática da caridade. Por isso, num dos seus sermões, afirmou o Santo: “A palavra é viva quando são as obras que falam. Cessem, portanto, os discursos e falem as obras”.

Alcoólicos Anônimos completa 78 anos este mês No dia 10 de junho o Alcoólicos Anônimos completa 78 anos ajudando milhares de pessoas, de diversas partes do mundo, a se recuperar do alcoolismo. A irmandade está presente em mais de 180 países. No Brasil são mais de 4.500 grupos. Na Rede de Comunidades existe o Grupo Unidos Venceremos. As reuniões acontecem nas terças e quintas-feiras, às 20h e nos domingos, às 18h, no Centro de Pastoral e Solidariedade. Mais informações: 3226-0618

EXPEDIENTE - ELO COMUNITÁRIO / Órgão Formativo e Informativo da Rede de Comunidades São José Local: Secretaria - Rua Antônio Ficagna, 451 - Morada do Vale I - Gravataí/RS Fone: 3497-7741 | E-mail: elocomunitario@redesaojose.org.br | Serviço de Comunicação da Rede Equipe Responsável: Ademir Schneider, Aldomiro Schirmann Filho, Berenice Zucchetto, Frei João Carlos Karling, Imgart Schmidt, Joeci Schirmann, Maria Margarida Maciel, Renato Noguez Jornalista Responsável: Lilian Martins - Reg. Prof. 12566 | Impressão: Grupo CG - Fone: 3042-3372| Tiragem: 2.000 exemplares.


Edição nº 187 - Junho/2013