Issuu on Google+

Ano XVII - N° 175 - Maio/2012 - Distribuição Gratuita

Amor-Exigente: resgatando vidas Lilian Martins e Ademir Schneider

Quem ama cuida! O cuidado com a vida é prioridade na Rede de Comunidades. No mês do sexto aniversário do Grupo Vida Nova de Amor-Exigente, o Elo Comunitário dá destaque a este importante serviço na paróquia, Rede de Comunidades. As drogas afetam e devastam muitas famílias, inclusive em nossas comunidades. Para ajudar a combater este problema resgatando pessoas e familiares que não sabem como lidar com a situação foi criado o Grupo Vida Nova de Amor-Exigente na Rede de Comunidades. O serviço começou em maio de 2006, quando o então pároco, Frei Flávio Guerra, percebendo a necessidade de encontrar alguma forma de ajudar as pessoas em dependência química e seus familiares, procurou Clarice Manghi para iniciar um grupo para trabalhar esta situação. Na época, Clarice que não tinha formação em coordenação, pediu que Frei Flávio encontrasse outra pessoa com experiência para juntos iniciarem o trabalho. Dulce Reis, do grupo Renovação, que funciona na Igreja Nossa Senhora de Fátima, ajudou a iniciar o grupo Vida Nova, na Rede. Desde então começou a participar de cursos, seminários e congressos para se preparar e assumir a coordenação do grupo. Atualmente, participam das reuniões que acontecem toda a segunda-feira, das 20 às 22 horas, no Centro de Pastoral e Solidariedade, cerca de 45 pessoas. São dependentes químicos em recuperação, familiares, crianças na prevenção (Amor-Exigentinho), pessoas que querem conhecer melhor o programa para aplicar nas suas vidas, e voluntários que, na maioria das vezes, são pessoas que vieram buscar ajuda e depois resolveram ficar e ajudar outras pessoas que sofrem com o problema das drogas. A grande maioria dos par-

Blog da Rede Você já fez o seu pedido de intenção de missa no Blog da Rede?

O Blog conta

com mensagens para inspirar você. Confira!

Acesse os

vídeos da "Mensagem da Semana" e coloque-se a par da reflexão litúrgica.

Baixe os textos Coordenação do Grupo Vida Nova de Amor-Exigente da Rede de Comunidades São José

ticipantes do grupo Vida Nova de Amor-Exigente são da Rede de Comunidades São José, até porque existem outros grupos de Amor-Exigente em Gravataí. As reuniões são abertas a todas as pessoas que quiserem participar. Não é necessário fazer qualquer tipo de inscrição. Os encontros funcionam da seguinte forma: “no primeiro momento da reunião é feita uma espiritualidade pluralista de cinco a dez minutos; logo após, fazemos o estudo do princípio do mês (trabalhamos 12 princípios básicos e 12 princípios éticos, um em cada mês); no terceiro momento da reunião o grupo é dividido em sub-grupos; sub-grupo de dependentes químicos em recuperação, sub-grupo de esposas, sub-grupo de mães, sub-grupo de crianças na prevenção e sub-grupo de demais familiares. Nesse momento é que as pessoas compartilham suas experiências e falam se conseguiram alcançar sua meta semanal. Nosso objetivo é a mudança de comportamento

através das metas semanais e da espiritualidade”, afirma Clarice . A coordenação do Grupo Vida Nova é composto por oito voluntários: a coordenadora geral, Clarice Manghi; coordenadores de sub-grupo: Maria Cristina, Adilson, Maria de Lourdes, Elisangela, Nadir, Olga e Saul. De acordo com a coordenadora, o maior desafio do grupo é contar com um número suficiente de voluntários para o bom andamento dos trabalhos. Já, a maior recompensa

“é vermos a transformação das pessoas que chegam até nós extremamente sofridas, envergonhadas e, que depois de algum tempo, começam a renascer para a vida outra vez, com confiança e esperança”, destaca. O episódio que mais marcou o grupo foi a reconciliação entre um pai dependente químico e o seu filho que estavam sem se falar há muito tempo, “foi muito emocionante, pois essa reconciliação se deu no grupo”, recorda Clarice.

Participe! "Se você, ou algum familiar tiver algum tipo de dependência química com álcool e outras drogas, não tenha vergonha de procurar ajuda do grupo, pois a única coisa que não devemos fazer é ficar de braços cruzados sem fazer nada. Nos grupos temos o compromisso com o sigilo, para que todos se sintam à vontade de falar de seus problemas sem serem apontados. A dependência química é uma doença e tem que ser tratada. O Amor-Exigente não é a melhor nem a pior proposta, mas com certeza se for aplicada dá certo, funciona!" Clarice Manghi Coordenadora-geral do grupo Grupo Vida Nova de Amor-Exigente

para retiros e faça a sua reflexão e oração pessoal.

Confira as notí-

cias e a agenda do mês diretamente no Blog.

Quem já tem

a programação do Seminário Estadual da Pastoral Afro do Rio Grande do Sul? Confira o material do evento no blog da Rede e participe!

E para quem

prefere ver o Elo Comunitário colorido, acesse esta edição no blog.

Você sabia que

já temos mais de 4.400 acessos ao nosso Blog? Você já acessou hoje? www.redesaojose.net.br


2

Elo Comunitário - Maio/2012

Fique ligado

Missas e Celebrações 33ª Festa em louvor à padroeira Santa Rita de Cássia Tríduo 23/05 – 20h – Pe. Gelson Ferreira 24/05 – 20h – Frei Orestes Serra 25/05 – 20h – Frei Marino Rhoden Carreata 26/05 – 18h – saída em frente à Igreja Santa Rita de Cássia Procissão e Missa Solene 27/05 – 10h

Almoço Festivo 27/05 – 12h – Salão Comunitário Tarde Festiva/Baile 27/05 – 15h – Animação Banda Dirceu & Eliseu Obs.: Levar talheres Convites à venda por R$ 15,00 com as coordenações das comunidades e na secretaria da Rede.

Programação do Mês de Maio 02 - 8h - Capacitação de Líderes da Pastoral da Criança - Perpétuo Socorro 05 - 8h - Formação de novos Ministros da Catequese Paróquia São Vicente - Cachoeirinha/RS 05 - 15h - Chá das Mães - Perpétuo Socorro 05 - 20h - Baile de aniversário da Com. São Miguel 05 e 06 - 08h - Seminário Estadual da Pastoral Afro - CPS 06 - 8h - Formação Bíblica - CPS 06 - 15h - Chá do Coral - Santa Clara 10 - 19h - Reunião do CAE - CPS

Prestação de contas Gastos do mês de Março/2012 Rede de Comunidades São José Especificações

Saídas

ECAD

R$ 119,89

Taxa contabilidade da Cúria

R$ 115,00

Rateio assessoria jurídica/Cúria

R$ 66,00

Encargos sociais

R$ 171,00

Côngrua Frei João Carlos

R$ 546,30

Côngrua Frei Plínio

R$ 546,30

Côngrua Frei Rodrigo

R$ 546,30

Salário da secretária

R$ 868,00

Combustível

R$ 113,13

Prestação casa paroquial

R$ 622,00

Telefone

R$ 120,00

Energia Elétrica

R$ 322,06

Seguro veículo Palio

R$ 198,75

Elo Comunitário

R$ 175,00

Quota patronal

R$ 83,35

Suporte técnico Sistema Pastoral

R$ 63,20

Água, luz e telefone - casa paroquial

R$ 227,09

TOTAL

R$ 4.903,37

Contribuição das comunidades para as despesas Santa Rita de Cássia

R$ 2.036,90

São Miguel

R$ 814,74

Santa Clara

R$ 452,63

N. Senhora do Perpétuo Socorro

R$ 1.131,59

N. Sra. da Imaculada Conceição

R$ 45,26

São Francisco de Assis

R$ 22,63

São João Batista

R$ 22,63

Sede TOTAL

R$ 377,00 R$ 4.903,38

Maio/2012 Santa Rita de Cássia

05/05 – 20h Missa 06/05 – 10h Missa/Batizado 12/05 – 20h Missa/Dízimo 13/05 – 10h Missa/Dízimo 19/05 – 20h Missa 20/05 – 10h Missa/Batizado 26/05 – 20h Celebração 27/05 – 10h Missa/Festa de Santa Rita Todas as quartas-feiras atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

São Miguel 10 - 20h - Reunião do Conselho de Pastoral - CPS 12 - 15h - Chá das Mães - Santa Clara 19 - 16h - Chá das Mães - Imaculada Conceição 20 - 15h - Chá das Mães - São Francisco 23 a 27 - Festa de Santa Rita - Confira Fique Ligado 26 - 14h - Formação Catequético-Litúrgica - CPS

Missa Inculturada Data: 05/05/2012 - Hora: 20h Local: Comunidade Santa Rita de Cássia Celebrante: Dom Gílio Felício

Semana de Liturgia na Rede 14 de maio - 20h - CPS Tema: O que é a Liturgia? E o Ano Litúrgico 15 de maio - 20h - CPS Tema: A casa da igreja e o espaço do sagrado: “A luz e a sombra, o silêncio e a música na liturgia”

16 de maio - 20h Missa 17 de maio - 20h - CPS Tema: O que fazer ou não na liturgia: as dúvidas gerais das comunidades. 18 de maio - 20h - CPS Tema: Espiritualidade litúrgica e Missa Catequética

05/05 – 19h Missa/Bênção 12/05 – 19h Missa/Dízimo 19/05 – 19h Celebração 26/05 – 19h Missa/Batizado

Santa Clara

06/05 – 19h Missa/Bênção 11/05 – 20h Missa/Novena 13/05 – 19h Missa/Dízimo 20/05 – 19h Missa/Batizado 27/05 – 19h Celebração Dia 11 de cada mês atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

Perpétuo Socorro

04/05 – 20h Missa/Novena 06/05 – 8h30min Missa

13/05 – 8h30min Missa/ Dízimo 20/05 – 8h30min Missa/ Batizado 27/05 – 8h30min Celebração Toda 1ª sexta-feira de cada mês atendimento de confissões às 19h e missa às 20h.

São Francisco

06/05 – 10h Celebração 13/05 – 10h Celebração 20/05 – 10h Celebração 27/05 – 10h Missa/Dízimo/ Batizado

São João Batista

05/05 – 18h Celebração 12/05 – 18h Celebração 19/05 – 18h Missa/Dízimo/ Batizado 26/05 – 18h Celebração

Imaculada Conceição

06/05 – 8h30min Celebração 13/05 – 8h30min Celebração 20/05 – 8h30min Celebração 27/05 – 8h30min Missa/ Dízimo/Batizado

ATENÇÃO! A data de fechamento da próxima edição do Elo Comunitário será dia 20 de maio. Mande suas fotos e informações até esta data para a edição de junho. E-mail: elocomunitario@ bol.com.br ou na Secretaria da Rede.

Conhecendo Francisco de Assis Neste mês de maio o Elo Comunitário traz para a reflexão a 9ª Admoestação de São Francisco de Assis que trata do amor. O AMOR 1 Diz o Senhor: “Amai os vossos inimigos fazei o bem àqueles que vos odeiam, e orai por aqueles que vos perseguem e caluniam” (Mt 5,44). 2 Ama verdadeiramente o seu inimigo quem não se lamenta por causa da injúria que este lhe faz, 3 mas, por amor de Deus, se consome por causa do pecado de sua própria alma. 4 E mostre-lhe por obras (cf. Tg 2,18) o amor. Para refletir:

Seleciono as pessoas quando pratico o bem? Trato todos igualmente? Compartilho meus dons e bens com esperança de receber algo em troca? Como é a minha reação, meu sentimento, se não recebo nada em troca? Quem coloco nas minhas orações? Somente as pessoas que quero bem? O que penso e faço quando ouço falar mal de mim? Como falo dos outros? Aponto qualidades e dons? Ou falo de defeitos e erros? Minha ação na comunidade é motivada pela minha fé em Deus? Vou ao encontro do ou-

tro? Ou espero que ele venha até mim? Para aprofundar: Oração de São Francisco Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém!


Elo Comunitário - Maio/2012

3

Patrocinadores

A vida na Igreja Capelinhas: Nossa Senhora na vida das famílias Caio Wagner O movimento das capelinhas é um culto familiar prestado a Deus através da devoção a Nossa Senhora. Começou por volta de 1888 no Equador, espalhando-se rapidamente pelo mundo inteiro. A visita da capelinha em nossas casas lembra a visita que Maria fez à sua prima Isabel (Lc 1,39-40). Da mesma forma, ela vem visitar e abençoar os lares de milhares de fiéis e devotos. Abençoadas, as capelinhas tornam-se um prolongamento da Igreja, e ao entrar em nossas residências, por intermédio de Maria, convocam à união e à oração em família. São evangelizadoras, portadoras da mensagem de Deus, porque reunidas em oração, as famílias aprofundam e esclarecem sua fé. Cada capelinha deve percorrer 30

famílias, permanecendo um dia em cada casa. Como são sempre as mesmas famílias, este roteiro une as famílias num mesmo ideal, formando verdadeiras comunidades onde todos se conhecem e se ajudam. Em nossa paróquia temos várias capelinhas circulando. E, ao mesmo tempo

em que vemos zeladoras comprometidas e roteiros funcionando, nos deparamos também com capelinhas paradas, sem roteiro certo, sem dia definido para recebimento e entrega, zeladoras não participantes nas comunidades. Enfim, uma pastoral muito difundida, que atinge centenas de famílias, mas que necessita de uma atenção maior para transformá-la em um serviço mais eficiente e organizado. Em nossas assembleias a preocupação com a pastoral das capelinhas sempre vem à tona, ao ponto de a elegermos como prioridade. Percebo que é necessário cadastrar as capelinhas existentes, mapear os roteiros, reformular a pastoral e renovar o quadro de zeladoras. Trata-se de um grande desafio, mas esta reforma trará uma devoção maior a Nossa Senhora, um comprometimento maior com a comunidade de fé.

Celebrando a Vida Ivoni Rosa Na caminhada de Jesus entre nós deu-nos exemplos de vida e nos deixou muitos ensinamentos... viver na humildade e na fraternidade. Nessa vivência é dever de todo cristão glorificar e agradecer a Deus.

Agradecer o espetáculo da vida, a magnitude da respiração, a cada amanhecer, a cada novo passo dado. Agradecer por termos a oportunidade de confessar o nosso amor a Deus, que nos concedeu a vida, e que a cada segundo deve ser muito bem vivida para a honra e glória do Pai. Simplesmente, obrigado

Especial Para falar em mãe... Imgart Schmidt Quando queremos falar em Mãe a primeira que nos vem à cabeça é Maria Santíssima. Ela é "a Virgem mãe, Filha de seu Filho, humilde e mais sublime que toda criatura, objeto fixado por um eterno desígnio de amor" (Dante). Ela tem o direito de chamá-lo "Filho", e Ele, Deus onipotente, chama-a, com toda verdade, Mãe! Sabendo, por conhecer as profecias, que teria também seu próprio calvário, enquanto mãe daquele que seria sacrificado em nome da salvação da Humanidade. Fonte inspiradora, pois hoje temos muitas mães que sofrem, mães ainda meninas, mães de filhos doentes, mães de filhos viciados, mãe de filhos marginalizados, mães que saem para trabalhar de manhã e só voltam à noite, mães que trabalham na indústria, no comércio ou catando material reciclável... e muitos outros tipos de mães. Mas para elas não importa como a sociedade vê o seu filho, o importante é o seu amor por aquele ser que ela gerou. Assim como a mãe de Jesus ficou junto da cruz, as mães de hoje também ficam com seus filhos, curando sua embriaguez, ou no presídio, ou no hospital. Não importa se o trabalho é assinar papéis, ou puxar um carrinho, importa que seus filhos tenham o que comer. Também há aquelas mães, cujos filhos Deus chama, antes dela. Aí a ordem natural da vida se inverte. O filho parte e a mãe fica. E elas têm que ser muito fortes para suportar tudo isso. E suportam. Suportam pois junto com a maternidade vem uma força tão grande que as torna heroínas. Existem as mães que cuidam, orientam, amam os filhos das outras mães, nas escolas, nas creches, na pastoral da criança, na catequese, nos hospitais e em tantos outros momentos. Filhos! Prestem mais atenção em suas mães, reconheçam o seu valor e não esperem o fim da vida para prestar sua homenagem. Diga Muito Obrigada, mais seguidamente. Dê um abraço. Mas, para ela ser muito feliz fale “Eu te amo mãe”. Esse com certeza será o presente que mais vai deixar sua mãe feliz! A todas as mães, em especial aquelas que trabalham em nossas comunidades, nosso “Muito Obrigada e Parabéns pelo Dia das Mães”!

SENHOR pela dádiva emocionante de viver a vida. A Rede de Comunidades São José parabeniza a todos os aniversariantes dizimistas do mês de maio. Obrigado por viverem integralmente a partilha do Evangelho, fortalecendo a solidariedade e celebrando a VIDA.

SUPERMERCADO BONALUME LTDA Av. Alexandrino de Alencar, 949 Morada do Vale 1 - Gravataí - RS CEP: 94080-430 Fone/Fax: (51) 3490-6100

Novos Ministros da Rede No dia 15/04, na Paróquia N. Sra. dos Anjos, receberam o mandato 39 novos Ministros da Eucaristia e das Ezéquias, sob

a presidência de D. Jaime Spengler. Da Rede de Comunidades receberam o mandato: Elzira Wesner Viana, Rosane Palaver Lopes, Madalena Mendes Pereira e Maria da Conceição V. Richlicki. Parabéns pelo ministério, luz e bênção na missão!

Solidariedade A Paróquia Rede de Comunidades São José agradece a empresa THB ADM. DE IMÓVEIS E GESTÃO DE COND. LTDA (TONI) pela doação de 100 unidades de cestas básicas ao Banco de Alimentos.

Cantinho Solidário Construindo solidariedade com a sua participação Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 18h, no Centro de Pastoral e Solidariedade

Colabore com o

Banco de Alimentos! Parabéns, ESTHER e WILLIAM! Dia 19/05/2011 foi o dia mais feliz! Foi quando conheci os gêmeos mais lindos! Ser avó foi o presente mais valioso que o papai Eduardo e a mamãe Katiuscia me deram! Vovó Berenice

Basta levar suas doações nas missas das comunidades ou na secretaria da Paróquia.


4

Elo Comunitário - Maio/2012

Realidade

Espiritualidade

Ações Afirmativas para o Povo Negro

“Fazei tudo o que Ele vos disser...”

Vera Triumpho – Assessora Estadual da Pastoral Afro

Frei João Carlos Karling, ofm 1

Os africanos escravizados e seus descendentes trabalharam muito pelo desenvolvimento econômico e social de nosso país: na agricultura, na extração de ouro e pedras preciosas, na construção de estradas, casas, igrejas e prédios suntuosos, nas charqueadas, entre outras atividades. O Brasil foi o último país a “libertar” os negros, nas Américas, e não receberam nenhuma política pública para sua integração na sociedade. A grande maioria do povo negro foi morar nas favelas das grandes cidades, sem casa digna, sem emprego e educação. Várias leis, no século XIX, além da Lei Áurea, foram verdadeiras tragédias para o povo negro brasileiro. Todas tinham a intenção de tirar a humanidade do povo afro-brasileiro. A Lei do Sexagenário que “libertava” os negros escravizados com mais de sessenta anos das casas grandes e senzalas, sem ter para onde ir. A Lei do Ventre Livre, onde as crianças nasciam livres, mas a mãe continuava escrava (é neste período que inicia o processo de crianças abandonadas em nosso país). As primeiras Constituições brasileiras afirmavam explicitamente que era vedado ao negro o acesso às escolas. Essas são algumas das maldades construídas pelo estado brasileiro para impedir ao povo negro seu desenvolvimento e cidadania plena. A raiz das desigualdades no Brasil, entre brancos e negros, reside na diferença de tratamento que esses povos recebe-

Abra sua Bíblia em Jo 2,1-11. Invoque o Espírito Santo. Leia calmamente o texto. Procure entrar na cena, participar do casamento. Sinta e perceba o ambiente, os personagens, as falas, os gestos, as atitudes... Jesus inicia a sua missão participando de um casamento, em Caná, no coração da vida e da família. Maria está presente. Ela é o lugar da nova humanidade, o “quarto nupcial” onde Deus e a Pessoa Humana se abraçam e se amam. Num ambiente de alegria e esperança: “alegra-te, cheia de graça”. Em Caná falta o vinho. Não o pão, nem a carne. Falta o símbolo do amor e dos bens que o Messias trará. Também para nós, às vezes falta aquele “não sei bem o que”, que nos dá qualidade de vida, e pela qual as coisas adquirem sabor e perfume. Falta-nos às vezes “o vinho” da alegria, da amizade, da paixão, do entusiasmo. Às vezes falta-nos amizade, fé, alegria, beleza, qualidade de vida. Às vezes faltam-nos pequenos gestos de

ram. Com todas as dificuldades, os brancos receberam terras e emprego. O negro nada. Enquanto o Brasil não assumir totalmente as políticas públicas, que oportunizem aos afro-brasileiros serem cidadãos a pleno títulos, nosso país continuará inconcluso, pois o Brasil é a segunda população negra no mundo e mais da metade do povo brasileiro é descendente dos povos africanos. O Brasil precisa construir políticas públicas na área da educação, da saúde, do trabalho e emprego, da habitação, dos quilombos, para superar a dívida que tem para com os negros brasileiros. As cotas, no mundo do trabalho e educação, nas universidades públicas e PROUNI nas universidades particulares são ações que já estão mostrando o rosto de um país diverso. Graças ao movimento negro essas ações já estão sendo gestadas. A Pastoral Afro também faz a sua parte. O Seminário de Ações Afirmativas em Gravataí será mais um avanço, contra o racismo que existe na sociedade brasileira.

Cantinho da Saúde Atenção aos sinais! Rafinha

Uma das maiores maravilhas divinas, que mais impressionam a quem quer enxergar, é o jeito com que nosso corpo se defende daquilo que pode fazer mal. Ele tem uma enorme quantidade de sinais, os mais diversos, para nos dizer que está ficando enfermo. Ele tenta, de muitas maneiras, avisar que sua harmonia está diminuindo em alguma parte. O que torna difícil perceber seus avisos é a agitação da nossa vida. A gente fica tão triste quando recebe pessoas, já muito doentes, e que estavam, há muito tempo, recebendo os sinais e não ligaram para os mesmos. Quando o corpo fica doente é porque nossa mente ou nossas emoções ou nosso espírito já estavam enfermos. Como temos dificuldades de perceber essas raízes de enfermidades, o corpo inicia sua campanha de avisos. Esses sinais podem ser: Dores em geral, manchas, febre, dificuldades de enxergar, caminhar, falar, tonturas, nódulos em qualquer lugar, enjôos, tristezas, desânimos, falta de apetite ou fome exagerada, diarréias alternadas com prisão de ventre, sangue na urina, urina escura e com cheiro forte, voz mais rouca que persiste, falta de ar constante, tosses persistentes, etc. Qualquer coisa diferente que não conseguimos explicar. São os SINAIS de que há algo para verificar. E não vamos considerar como algo ruim, pois são os presentes de nossa natureza avisando. O que seria de nós sem eles? Morreríamos sem sabermos estar doentes! Assim também precisamos perceber os outros sinais de Deus em nossa vida, querendo nos mostrar o Caminho para uma maior evolução e crescimento espiritual.

Baseado em Ermes Ronchi, Le Case di Maria, Milano, Pauline 2006. 1

Notícias

Festa de São José Os preparativos para a 8a festa em louvor ao padroeiro São José iniciaram no dia 18 de março com missa na comunidade Perpétuo

perdão, pequenos sorrisos, pequenas freios na língua, pequenos gestos de afeto... para que se manifeste o “vinho bom”, o amor. Maria nos ensina como reconquistar o amor. 1. Viver com atenção. Atenção amiga àquilo que falta, de vibrar com quem vibra e sentir a falta de quem está em necessidade. Fique atento às pessoas que lhe são próximas, ao seu ambiente. Treine sua atenção. 2. Interceder. Ela, Maria, diz ao Filho: “não tem mais vinho”. Maria inclui os outros e suas necessidades em sua oração. Ela intercede gratuitamente. Interceda também! 3. Envolver-se. Maria vai ao encontro dos serventes, os procura, fala com eles. Fala com o Filho. Ela é a Mulher das relações abertas e atentas. Ela não exclui. Envolva-se com as coisas da comunidade. 4. Fazer. “Fazei tudo o que ele vos disser”. Fazer, empenhar-se, doar-se. Quando fazemos por obediência ao Evangelho, em nossa fé, introduzimos o amor na vida e no mundo. Sirva a mesa dos pobres e necessitados. Faça o possível. Não espere. Seja solidário. Maria, nas bodas de Caná, nos apresenta a lei da esperança: as coisas podem ir do menor ao maior, do fraco ao forte, da água ao vinho, em todas as situações. Ele passou fazendo o bem. Fazei tudo o que Ele vos disser. Faça o bem! Conclua rezando o Magnificat: Lc 1,4655.

Retiro das lideranças da Rede Socorro e seguiram durante a semana com missa pelas demais comunidades da Rede. No sábado, dia 24, aconteceu uma bela carreata pelas ruas das comunidades da Rede. No dia 25 de março foi realizada a festa de São José. O dia iniciou com procissão saindo da comunidade Santa Rita de Cássia em direção a comunidade Santa Clara, onde foi realizado um almoço festivo seguido de baile.

Auto da Paixão Frei Rodrigo Machado

Dia 31 de março a Paróquia Rede de Comunidades São José recebeu, na comunidade Santa Rita de Cássia, a Trupe Disfarsa que trouxe o espetáculo "Auto da Paixão": uma leitura alegórica e barroca dos último passos apaixonados de Jesus rumo a sua dolorosa paixão. Emocionando, o grande público que lotou a igreja. Nosso muito obrigado à Trupe por nos proporcionar um belo e profundo momento de oração e contemplação da Via Sacra.

Imgart Schmidt

Sob a orientação do Padre José Bonifácio Schmidt, as lideranças da Rede, no dia 15 de abril, aprenderam mais sobre discipulado. Também foi falado sobre “Leitura Orante da Bíblia”, sobre o silêncio, onde escutar é a grande palavra de ordem da Igreja. Todos saíram fortalecidos para continuarem a caminhada em suas comunidades.

EXPEDIENTE - ELO COMUNITÁRIO Órgão Formativo e Informativo da Rede de Comunidades São José Local: Secretaria - Rua Antônio Ficagna, 451 - Morada do Vale I - Gravataí/RS - Fone: 3497-7741 - E-mail: elocomunitario@bol.com.br Serviço de Comunicação da Rede - Equipe Responsável: Ademir Schneider, Aldomiro Schirmann Filho, Berenice Zucchetto, Frei João Carlos Karling, Imgart Schmidt, Joeci Schirmann, Juliano Paz, Maria Margarida Maciel, Renato Noguez. Jornalista Responsável: Lilian Martins - Reg. Prof. 12566 Impressão: Editora Treze de Maio Ltda. Fone: 3490-3148 Tiragem: 2.000 exemplares.


Edição nº 175 - Maio/2012