Page 1

ALDEIA INDÍGENA TUPI-GUARANI


Introdução


ALDEIA INDÍGENA TUPI-GUARANI

6ºs anos Professores: João, Juliana, Cibele, Messias, Claziane e Eliene


TEXTO JOテグ


Vivência na Aldeia Localização

Reservas indígenas

Relato pessoal

Passado e Presente

Artistas que retratam os indígenas

Tupi-Guarani e outras Tribos

Arte e Cultura Indígena

Culinária

Ecossistemas Brasileiros


Nossa melhor experiência Estávamos ansiosos para o grande dia. Íamos conhecer mais uma fantástica cultura: Tupi-Guarani. O grande dia chegou ...e todos nós estávamos muito alegres, nem a chuva conseguiu estragar nosso dia. Os ``tios´´ animaram ainda mais a nossa viagem. Entramos no ônibus inquietos para conhecer os indígenas. Não poderíamos esperar por 3 entediantes horas dentro daquele ônibus. Depois de 3 horas (que mais pareciam 3 dias ), fomos recebidos pelo pajé. Ele fumava um cachimbo, deu-nos boas-vindas e nos ensinou algumas palavras em sua língua. Logo depois nos guiou para a escola da tribo, onde dois rapazes saíram dela berrando para chamar os moradores da aldeia. Eles berraram de volta e vieram cantando em fila, do maior para o menor. Fizeram uma roda (ficamos no meio) onde cantaram e dançaram para nos receber. Em seguida, cada sala foi para uma oficina. Dentre elas, havia tatuagem corporal, brincadeiras indígenas, brincadeiras de caça e de guerra e amostra de ferramentas e de decorações. Na oficina de tatuagem corporal, fizemos tatuagens com tinta preta; feita com carvão e água, cada uma com seu significado. Na oficina das brincadeiras indígenas, aprendemos palavras em tupi-guarani, jogos com arco e flecha, defesa pessoal, brincadeira de roda, etc. Nós também ensinamos à eles algumas de nossas brincadeiras. Explicando um pouco das brincadeiras: - Na oficina de caça e de guerra, brincamos de atirar flechas e dardos com arcos e zarabatanas . Em seguida, cabo de guerra com galhos. - Na oficina de ferramentas e decorações, aprendemos a trançar, vimos armas e ferramentas para caçar e decorar . No horário do almoço: tinha peixe, milho, suco de laranja, mandioca e um tipo de pastel (Tipá). Para sobremesa...melancia. Usamos de prato uma folha de bananeira e como talheres, a nossa própria mão. Após estarmos de barriga cheia, compramos diversos utensílios, sendo eles para decorações, ferramentas e “armas” indígenas. Para terminamos nossa expedição, visitamos a praia , onde tinham diversos seres . Nos encharcamos inteirinhos! Depois, no final da expedição, para demonstrar nosso carinho pela natureza, plantamos uma muda. Trocamos de roupa e em voltamos tristemente para a escola , com nossas bugigangas. Foi um dia especial!!! Nomes: Ian, Ubiratan e Victor Hugo


Saída do colégio e chegada na Aldeia Saímos alegremente no ônibus.

Prestamos muita atenção no pajé, ao chegarmos lá.


FALTA LOCALIZAR E FALAR UM POUCO DOS GUARANIS

16 - Marubo 17 - Matis 18 - Matipu 19 - Mehinako 20 - Rikbaktsa 21 - Suruí 22 - Tembé 23 - Ticuna 24 - Tiriyó 25 - Waiana Apalaí 26 - Waurá 27 - Wai Wai 28 - Waiãpi 29 - Ye'kuana

http://www.arara.fr/BBTRIBOS.html

 Localidade dos indígenas no Brasil:  01 - Arara 02 - Araweté 03 - Ashaninka 04 - Asurini 05 - Bororo 06 - Enawenê Nauê 07 - Guarani 08 - Juruna/Yudja 09 – Kaapor 10 - Kayapó 11 - Kalapalo 12 - Karajá 13 - Kaxinawá 14 - Krahô 15 - Mayoruna 16 - Marubo 17 - Matis 18 - Matipu 19 - Mehinako 20 - Rikbaktsa 21 - Suruí 22 - Tembé 23 - Ticuna 24 - Tiriyó 25 - Waiana Apalaí 26 - Waurá 27 - Wai Wai 28 - Waiãpi 29 - Ye'kuana

Nomes: Lucas S. Victor João Vitor


O Brasil está repleto de índios que ainda vivem segundo a cultura de seus povos. Muitas tribos ainda moram em ocas, sem o uso de qualquer tecnologia que estamos acostumados a ter, e tiram da natureza tudo o que precisam para seu sustento e sobrevivência, desde comida, roupas e objetos, até instrumentos de caça e de diversão.

http://blog.maisestudo.com.br/top-10-2/


Muito antes da chegada dos portugueses ao Brasil em 1500, já viviam por aqui diversos povos indígenas. Como todo bom índio do Brasil vivia da caça, da pesca e da agricultura, com seus costumes, culturas e religiões.A natureza, como um todo, fazia parte da vida do índio e era respeitada por isso. Em número muito reduzido, hoje, muita coisa mudou nos seus traços culturais, costumes e locais de sua origem

http://www.zun.com.br/indios-que-ainda-vivem-no-brasil/


TUPI-GUARANI

Fonte: http://indigena-grupo.blogspot.com.br/2010/06/tupi-guarani.html


Tribos do passado e do presente.

Introdução

Índios De: marianna E Julia


Quantos eram? Quantos serĂŁo?

http://pib.socioambiental.org/pt/c/no-brasilatual/quantos-sao/quantos-eram-quantos-serao

Nomes: Mariana Lopes, JĂşlia , Gabriela


Costumes materiais •

Segundo os costumes das tribos e a sua produção, a arte indígena é marcada por vários elementos. Assim, ela não é uma atividade separada da vida cotidiana de uma tribo, mas é ela que faz com que grupos possam se diferenciar um dos outros.

Um exemplo são os Kayapós onde a pintura geométrica e intrincada, em seus corpos, muitas vezes é usada para identificar a tribo.

Os Karajás usam a pintura como enfeite. Já os adornos são usados muitas vezes em rituais especiais, assim como a arte plumária, com vestimentas cheias de plumas ou na colagem de penas ao corpo ou na decoração de artefatos (eles não matam as aves).

■ Armas e instrumentos de trabalho: arcos, objetos cortantes, canoas, jangadas e remo;

■ Acessórios e objetos ritualísticos: cocares, braceletes, cintos, brincos, trançados, bolsas, máscaras, adornos (de coco, sementes, unhas, conchas, etc), enfeites de pena de aves, cachimbos, instrumentos musicais (toró,flauta de taquara; boré, flauta de osso; mimbi, buzina; uaí, tambor de pele e madeira);

■ Casa e cozinha: Pilão, vasilhas de barro, panelas, bancos, redes, cestos (cestos-tamises, usados para peneirar farinha; cestos-coadores, utilizados para filtrar líquidos e outros), esteiras, cerâmicas, potes.

Cada um desses elementos está ligado diretamente a necessidade dos membros da tribo em querer facilitar a sua sobrevivência e proteger o ambiente em que vivem.


• •

O amplo conhecimento da produção de bebidas fermentadas a partir de tubérculos, raízes, folhas, sementes e frutos como: , cacimacaxera (mandioca), caiçuma (mandioca e frutos), caoi (fruto de acaijba), catimpuera (milho), caxiri (buriti), caviracaru (mandioca), caxiri (mandioca), cauim (nome genérico para várias bebidas fermentadas à base de milho, mandioca, caju, batata, amendoim, banana, ananás etc.), eivir (farinha de milho), giroba (mandioca), guariba (mandiocaba ou mandioca doce), ivir (milho), jetiuy (batata), manavy (ananás), mocororó (arroz ou mandioca), nanaí (abacaxi), oloniti (milho), pacobi (frutos de pacobete e pacobuçu), pacouy (mandioca), pajaurú (beiju), pajuarí (frutos fermentados), tarubá (beiju), tepiocuy (beiju), tiborna (mandioca), tikira (beiju), tipiaci (farinha de mandioca), tucanaíra (mel de abelhas, saburá de favos e água)34


resumo •

• •

A arte como parte da vida diária, encontrada nos potes, nas redes e esteiras, nos bancos para homens e mulheres, e na pintura corporal, sempre presente nos homens[carece de fontes]; A educação das crianças era compartilhada por todos os habitantes da aldeia. A mãe amamentava o filho até aos oito anos, conquanto não tivesse outro no período. A criança era carregada o tempo todo pela mãe ou pelo pai. Se fosse menino, o pai lhe ensinava logo cedo a manejar o arco e a flecha, a construir balaios e outras lidas. Quando menina, a mãe a introduzia no míster de fiar algodão, tecer redes e fabricar enfeites para o cabelo.24 Quanto à família, esta podia ser monogâmica ou poligâmica[carece de fontes]. Deixaram forte herança na culinária brasileira, com pratos à base de mandioca, milho, guaraná e palmito, tais como pamonha e biju; a arte indígena também foi assimilada à brasileira em objetos; uso de redes e jangadas, canoa, armadilhas de caça e pesca; no vocabulário: em topônimos como Curitiba, Piauí etc., em nomes de frutas nativas ou de animais como caju, jacaré, abacaxi, tatu. E deixaram no brasileiro hábitos como o uso do tabaco e o costume do banho diário


A alimentação indígena é saudável e rica em vitaminas, sais minerais e outros nutrientes. Os principais alimentos são: - Frutas - Verduras - Legumes - Raízes - Carne de animais caçados na floresta (capivara, porco-do-mato, macaco, etc). - Peixes - Cereais - Castanhas

Fonte

Nomes: ADRIANE, BIANCA E JOÃO PAULO C.


COMPOTA DE MANDIOCA 8 porções 1 kg de mandioca 500 g de açúcar 1 colher (sopa) de erva-doce 2 cravos 1 pau de canela 1. Descasque, corte e ferva toda a mandioca, cozinhando-a ligeiramente; reserve. 2. Faça uma calda com os outros ingredientes. 3. Adicione a mandioca e cozinhe-a em fogo baixo até que fique macia; tome cuidado para que ela não desmanche. 4. Sirva a compota fria.

CROQUETE DE MILHO COM FRANGO 8 unidades 500 g de peito de frango cozido e triturado 1 l de leite 3 1/2 xícaras de farinha de trigo 1 xícara de chá de farinha de milho 1 tablete de caldo de galinha 1 lata de milho verde Sal e pimenta do reino quanto baste Croquete 1.Derreta a margarina, junte a cebola e refogue. 2.Coloque o caldo de galinha e o frango. 3.Junte o milho verde batido com o leite e o sal a gosto. 4.Deixe ferver e em seguida, junte as duas farinhas de uma só vez. Mexa sempre para não empelotar. 5. Trabalhe a massa, modele os croquetes e passe na clara e na farinha de rosca. 6.Frite e sirva em seguida.


Lendas , mitos indígenas

A figura primária na maioria das lendas guaranis da criação é Iamandu (ou Nhanderu ou Tupã), o deus Sol e realizador de toda a criação. Com a ajuda da deusa lua Araci, Tupã desceu à Terra num lugar descrito como um monte na região do Aregúa, Paraguai, e deste local criou tudo sobre a face da Terra, incluindo o oceano, florestas e animais. Também as estrelas foram colocadas no céu nesse momento. Tupã então criou a humanidade (de acordo com a maioria dos mitos Guaranis, eles foram, naturalmente, a primeira raça criada, com todas as outras civilizações nascidas deles) em uma cerimônia elaborada, formando estátuas de argila do homem e da mulher com uma mistura de vários elementos da natureza. Depois de soprar vida nas formas humanas, deixou-os com os espíritos do bem e do mal e partiu.

Fonte:

http://gospelbrasil.topicboard.net/t1398-a-mitologia-tupiguarani


IndĂ­genas em 1500


Aldeias indígenas – SÉCULO XVI  IAMGEM

Fonte: http://www.cidadaodomundo.org/2005/05/antes-de-1500milhoes-de-indios-viviam-no-brasil/


Aldeias indígenas – SÉCULO XXI Este gráfico mostra a população residente autodeclarada indígena, por situação do domicílio no Brasil em 1991,2000 e 2010.

Matheus S., João Paulo B. e Thiago M.


QUADROS DE Ă?NDIOS Ă?ndios bororos.

http://educacao.uol.com.br/album/2013/04/19/como-as-artes-plasticasviram-os-indios-ao-longo-da-historia-do-brasil.htm#fotoNav=10

Nomes: Bruno, Mariana .M e Leonardo


A PRIMEIRA MISSA BRASILEIRA

Fonte:http://educacao.uol.com.br/album/2013/04/19/como-as-artesplasticas-viram-os-indios-ao-longo-da-historia-do-brasil.htm#fotoNav=1

Nomes: Leonardo, Mariana, Bruno


A CHEGADA DOS PORTUGUESES

http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/historia/historia_ do_brasil/primeiros_povos/indios_brasil

Nomes: Leonardo, Mariana, Bruno


Livro Virtual Aldeia Indígena  

Este livro foi criado a partir do Estudo do Meio realizado na Aldeia Indígena do povo Tupi-Guarani

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you