Issuu on Google+


2

COLEÇÃO MEMÓRIA VIVA e-Livretos Publicados Livreto 1: Paraná Trovadoresco Livreto 2: Paraná Trovadoresco Livreto 1: São Paulo Trovadoresco Livreto 1: Minas Gerais Trovadoresco Livreto 1: Rio Grande do Norte Trovadoresco Livreto 1: Rio de Janeiro Trovadoresco

Santa Catarina Trovadoresca 1


3

Livreto1: Sumário Abel B. Pereira (Florianópolis).................................................................................5 Alaércio José Lopes (Lages).....................................................................................7 Alzira Dall’Agnol (Itapema)......................................................................................9 Ari Santos de Campos (Itajaí).................................................................................13 Artemio Zanon (Florianópolis)..............................................................................19 Clair Fernandes Malty (Itapema)............................................................................21 Cruz e Souza (Desterro/ atual Florianópolis).........................................................23 David José Passerino (Joinville)..............................................................................25 Edla Da Costa Sens (Balneário Camboriú)............................................................27 Edsom Luiz Maurici- Luigi (Balneário Camboriú)................................................29 Eduardo Arthur Pereira (Brusque)........................................................................31 Efigênia Coutinho (Balneário Camboriú)..............................................................33 Eliana Ruiz Jimenez (Balneário Camboriú)...........................................................37 Fabiana Gonçalves da Veiga (Balneário Camboriú)..............................................43 Gislaine Canales (Balneário Camboriú).................................................................45 Gledis Tissot (Balneário Camboriú)......................................................................51 Santa Catarina Trovadoresca 1


4

Glícia Murara Neidert (Rio Negrinho)...................................................................56 Joseane Gili (Brusque)............................................................................................58 Juliana Appel (Brusque).........................................................................................60 Leandro de Souza (Brusque)..................................................................................62 Lucas Barbosa (Rio Negrinho)...............................................................................64 Mafalda Novello Goes (Caçador)...........................................................................66 Marah Teresinha de Souza (Balneário Camboriú)................................................68 Maria Carmen Varejão (Balneário Camboriú)......................................................70 Maria Luiza Walendowsky (Brusque)....................................................................72 Miguel Russowsky (Joaçaba)...................................................................................76 Mirian Lima dos Santos Weber (Rio Negrinho)...................................................82 Moacir Figueiredo (Florianópolis)..........................................................................84 Moacyr Viggiano (Florianópolis)............................................................................86 Roni Antonio Costa (Brusque)...............................................................................88 Tamara Kaufmann (Balneário Camboriú).............................................................90 Túlio de Ayala (Itapema)........................................................................................92 Sobre o Livreto.......................................................................................................94 Direitos Autorais.....................................................................................................95 Biografia de José Feldman......................................................................................96 Santa Catarina Trovadoresca 1


5

Santa Catarina Trovadoresca 1


6

A distância do caminho feriu-me as pernas cansadas. Quero buscar teu carinho sem teu amor não sou nada! Não amar nem ser amado, é o mesmo que não ser nada, é pisar no chão eivado de acúleos pela estrada. O mar é meu companheiro. No convés do meu navio, navego - sou marinheiro chova, vente ou faça frio.

Santa Catarina Trovadoresca 1


7

Santa Catarina Trovadoresca 1


8

Nesta casa, sem tramela, tem um segredo guardado: -Ê na verdade uma cela, este meu crânio fechado.

Santa Catarina Trovadoresca 1


9

Santa Catarina Trovadoresca 1

ALZIRA


10

Miguel, Miguel, onde estás? Diz-me...se estás conversando. Para anjos declamarás? AH! Já sei! Estás poetando! (Homenagem a Miguel Russowsky)

Não venhas me enfeitiçar; Eu, que não sou de ninguém. Tu não me vais alcançar, num sorriso de desdém… Nas estrelas escondi, meu segredo, meu amor! Hoje padeço, aprendi, que ter segredo é temor. Nestas ondas espumantes, onde pesquei meu sonhar, eu sou pescador de instantes, nos encantos que encontrar. Santa Catarina Trovadoresca 1


11

Nos teus lábios encontrei, essa luz do teu sorriso, tão belo que vislumbrei, as portas do paraíso… O teu sorriso menina, tão cheio de encantos mil. A quem ele se destina, deste jeito tão sutil? Ó vento desesperado, que levaste o meu amor. Ficou saudade a meu lado, de versos feitos de dor... Pescador de sete mares... Pescador de sete luas... Se nas ondas tu me achares, levarei saudades tuas! Santa Catarina Trovadoresca 1


12

Quisera ter o sorriso, como o de fada madrinha. No espelho, ent達o, improviso, um falso olhar de rainha. Teu sorriso exuberante, qual canto de rouxinol. Vieste a mim delirante, bem como um raio de sol. Vento da melancolia, leva contigo a tristeza. Deixa comigo a alegria E deste amor... a pureza

Santa Catarina Trovadoresca 1


13

Santa Catarina Trovadoresca 1


14

À noite vou namorar: - Da lua já nem preciso!... Só quero ver teu olhar fascinando o meu sorriso. Ao despertar-me, na aurora, vejo no céu, todo dia, o teu olhar, que namora e a solidão que judia. Bate a chuva na janela, o seu vento me assobia... vou morrer tão longe dela: dessa luz que me alumia!... Chega de tanta desgraça, de tantas chuvas – ouvir!... Nem lua-cheia aqui passa; nem lua-nova quer vir!... Santa Catarina Trovadoresca 1


15

De segredos, sou cativo: desse jeito não aguento!... Já pareço um morto-vivo destroçado num tormento! Dum segredo não contenho, toda noite uma visão: - a mãezinha que não tenho vem ninar-me uma canção... Em nossa casa, de outrora, quem dera o seu riso ouvir ! Em vez de risos, agora, ouço um cão triste ganir... Nenhuma Trova bem feita é feita sem lapidar. E para tê-la perfeita tem muito que meditar!… Santa Catarina Trovadoresca 1


16

Nessa cidade agitada, movida pelo progresso, tem gente pobre e pirada que faz do nada um sucesso Nesta vida meus amores são flores do alvorecer. Quando murcharem as flores, de solidão vou morrer. No mundo eterno da vida entre luzes, num painel, tem uma trova inserida, de nosso mestre Miguel. (Homenagem a Miguel Russowsky)

No sertão, à luz de vela, vou buscar minha rainha: - minha vida, vida bela... Para sempre, toda minha! Santa Catarina Trovadoresca 1


17

Nos picos da serrania têm cabanas e cascatas... E a lua-cheia, vadia, se resplandece nas matas. Quando me for desta vida, não quero choro, senão uma velinha acendida com flores soltas no chão ! Só num futuro atrevido tenho muitas esperanças. - Pois, do passado vivido, só restam mortas lembranças! Uma Trova bem escrita, ao concurso é premiada; ao leitor que não medita, - se confunde - vale nada!... Santa Catarina Trovadoresca 1


18

Vejo uma luz lá no céu, por certo é o teu paraíso!... - Minha vida foi-se ao léu; Acabou-se o meu sorriso. Vou fazer um filme triste, - de saudades - afinal, cada pôr-do-sol existe um cenário desse mal !… Vou remando de partida num mar imenso de paz... Mas as ruínas da vida vão nadando, logo atrás!...

Santa Catarina Trovadoresca 1


19

Santa Catarina Trovadoresca 1


20

Mar, imenso mar selvagem, pequeno eu fico a te olhar; nĂŁo refletes minha imagem porque ĂŠs grande espelho, mar.

Santa Catarina Trovadoresca 1


21

Santa Catarina Trovadoresca 1


22

A magia azul do mar, seus mistérios e beleza, nos convencem a cuidar da nossa mãe natureza. No frescor do amanhecer, pela praia a caminhar, sou levada a enaltecer a Deus, criador do mar. Quando as ondas desta vida ameaçam me tragar, a minha carga sofrida lanço nas águas do mar. Ter o céu azul por teto as águas em calmaria, é do pescador projeto para a boa pescaria. Santa Catarina Trovadoresca 1


23

Santa Catarina Trovadoresca 1


24

Ah! tristeza imponderável, abismo, mistério, aflito, torturante, formidável... ah! tristeza do Infinito! Na copa dos arvoredos, nas orvalhadas verduras, há sonâmbulos segredos e murmuradas ternuras. Tua boca, vivo cravo, sanguíneo, purpúreo, ardente, de certa forma tem travo, embora veladamente.

Santa Catarina Trovadoresca 1


25

Santa Catarina Trovadoresca 1


26

Felicidade, afinal, eu creio que nem existes... - N達o passas de um ideal no desespero dos tristes... N達o tenho medo da morte, nem um pouquinho, meu bem... Para quem n達o teve sorte, a morte 辿 quase que um bem. Sob a luz do teu olhar, dos teus seis ao calor, adormeci ao luar e amanheci trovador!...

Santa Catarina Trovadoresca 1


27

Santa Catarina Trovadoresca 1


28

E tu deste Ă  minha vida, meu sorriso e a alegria, mas quando me vĂŞs sofrida sofres junto todo dia. Um segredo bem guardado ĂŠ uma prova de amor, para quem foi confiado entregar a grande dor.

Santa Catarina Trovadoresca 1


29

Santa Catarina Trovadoresca 1


30

Fiz da mente uma clausura: -mente assim me mete medo... Mas a mente é tão segura que até guardo o meu segredo!... Vou rezar o meu rosário para Deus vir me salvar: pois um segredo ordinário me sufoca sem parar!...

Santa Catarina Trovadoresca 1


31

Santa Catarina Trovadoresca 1


32

O segredo é chama acesa pérola em concha fechada, guardando sua beleza para ser vista e admirada Quando há segredo de amores, como envelopes lacrados, se abertos são como flores e eternos, quando fechados.

Santa Catarina Trovadoresca 1


33

Santa Catarina Trovadoresca 1


34

Acender um cigarro contemplar o vento com seu movimento que murmúrio bizarro! Acreditando em Deus, fui pescando meus sonhos sim, e lá onde o sonho flui, encontrei você em mim! Esse teu sorriso é vida, em teu olhar vejo a luz; quando me beijas querida, tua alma se alegra e reluz! Meu pescador enlaçado quero todo o teu carinho, sonho um abraço apertado, vou me perder no caminho. Santa Catarina Trovadoresca 1


35

Meus cantos já foram tantos, não recordo o que foi feito, sumiram com os encantos. continua a dor no peito! Naquela História da vida foi comum a correria, tiveste a glória devida e nos trouxeste alegria! (Homenagem a Miguel Russowsky)

Nem brincando eu vou contar o nosso grande segredo, vou pôr no fundo do mar onde o guardarei sem medo! Os teus sonhos reluzentes de ternura e emoção, são como enredos fluentes, pescam nosso coração. Santa Catarina Trovadoresca 1


36

Você sabe o meu segredo, mas outros sabem também, que outros saibam, tenho medo, pois ninguém guarda, ninguém! Voltar sonhar, não me peças… perderia a insensatez, creria em tuas promessas p’ra arrepender-me outra vez.

Santa Catarina Trovadoresca 1


37

Santa Catarina Trovadoresca 1


38

Cai de tapa a Januária no traste do maridão, ao saber que a funcionária ficou “gorda” de um serão. Chave de casa perdida por defeito da memória: - Terceira idade assumida, já não há escapatória. Criança muito levada, que corre, chuta e sacode... Que disciplina, que nada: - Casa da vó tudo pode! Em pintura impressionista a primavera desponta: flores a perder de vista, cores de perder-se a conta. Santa Catarina Trovadoresca 1


39

Esse mundo feminino de segredos permeado é um gracejo do destino pelos homens odiado. Estrondo, coisa danada, será trem ou avião? - Barulho na madrugada é o ronco do maridão… Felicidade almejada, no meu futuro eu diviso: - Em teus olhos, a alvorada; no teu corpo, o paraíso. Lua cheia, céu em festa é um momento inspirador, nós na rede, uma seresta, embalando o nosso amor. Santa Catarina Trovadoresca 1


40

Numa empresa não há ócio com um bom empreendedor, mas o lucro do negócio quem o mostra é o contador. Numa profusão de cores vem o outono, sedutor, inspirar os sonhadores num convite para o amor. O futuro do planeta não é segredo a ninguém preserve e se comprometa que a vida assim se mantém. O mar de um azul profundo e as montanhas esverdeadas, são belezas desse mundo, precisam ser preservadas. Santa Catarina Trovadoresca 1


41

O sorriso está escasso nessa tal modernidade, é preciso dar um passo e mudar essa verdade. Pescador mais esportivo deixa seu peixe escapar, melhor solto que cativo, para assim o preservar. Quantas bênçãos recebidas quando se caminha aos pares: um ideal, duas vidas, dois corações similares. Rede que volta vazia traz tristeza ao pescador que apesar da nostalgia leva adiante o seu labor. Santa Catarina Trovadoresca 1


42

Sorriso que é cativante é sincero e iluminado. Precioso como brilhante por todos ambicionado. Triste destino bizarro de um país na contramão: alunos chegam de carro; professor, de lotação. Um casal apaixonado faz da vida um carrossel de emoções, desgovernado, rodopiando rumo ao céu. Um segredo bem guardado para assim permanecer não deve ser partilhado para nunca se perder. Santa Catarina Trovadoresca 1


43

Santa Catarina Trovadoresca 1


44

Eu sinto grande emoção ao ver o mar, e então, canto com amor no coração o mais suave acalanto! Lindo mar, eu te amo tanto! Tu me dás muita alegria. Nessa beleza me encanto, pois iluminas meu dia! Na noite linda e estrelada, vendo o mar pela janela, altas hortas... madrugada... me vejo pensando nela!

Santa Catarina Trovadoresca 1


45

Santa Catarina Trovadoresca 1


46

A minha vida é uma Trova, trova de ilusão perdida, pois a vida é grande prova, que prova a Trova da vida! Amor à primeira vista, foi isso, mar, que eu senti! Ninguém há que te resista, quando está diante de ti! Caminhei pelo infinito, vaguei por milhões de espaços... Até lá estava escrito o meu regresso aos teus braços! É contrastante a ironia, nesta verdade contida: lindo o entardecer do dia, triste o entardecer da vida! Santa Catarina Trovadoresca 1


47

É mais que um deslumbramento ver o sol nascer no mar, é mágico esse momento que vem as águas dourar! Eu gosto de navegar nesse mar de azul infindo formado por teu olhar. Não existe mar mais lindo! Não posso viver em vão, eu preciso um filho ter, plantar em fecundo chão e um livro bom, escrever! Nesta vida tão inquieta, o meu consolo é pescar. Sou pescadora – poeta, que pesca versos no mar! Santa Catarina Trovadoresca 1


48

Numa troca de carinhos, dois sorrisos se irmanaram, e os dois, antes, tão sozinhos, juntos, pra sempre, ficaram ! Olhando o mar, eu diviso, a areia branca a esperar um beijo feito sorriso, que as mansas ondas vêm dar! Olhava o mar com temor, numa espera preocupada: nem peixes...nem pescador! Tão só o vazio do nada! O mais bonito sorriso, que eu ganhei, cheio de afeto, revelar nem é preciso ! Foi do meu primeiro neto! Santa Catarina Trovadoresca 1


49

O meu viver enfadonho, só de amarguras composto, põe as rugas do meu sonho sobre as rugas do meu rosto! O trovador que em verdade, faz da trova uma oração, coloca com amizade “A trova no Coração”! Para mim, não há segredos, meu mar, de infinito azul, nós convivemos sem medos, nas belas praias do Sul! Quero cantar pelo espaço e, nas estrelas, rever todas as trovas que eu faço. Trova é prece em meu viver! Santa Catarina Trovadoresca 1


50

Sou pescador de ilusões, e nesse pescar me ponho, conquistando corações com os anzóis do meu sonho! Sou tão triste e tão sozinha, que o eco do meu lamento, desta saudade tão minha, escuto na voz do vento! Um segredo que me assusta: -Não saber, se após a morte, há uma vida boa e justa, que não dependa da sorte! Vamos a vida encantar com nossa Trova querida, e na Trova, então cantar, um hino de amor à vida! Santa Catarina Trovadoresca 1


51

Santa Catarina Trovadoresca 1


52

A terceira caminhada neste belo Balneário, está sendo coroada com a Paz em seu cenário! A lua espera confiante o eclipse que vai chegar, e o sol está radiante querendo a lua abraçar! A vida é tão passageira, para que tanto segredo? Se você me ama inteira revele ao mundo, sem medo! Com mente privilegiada, transbordante de poesia, Miguel a tua jornada nos trouxe muita alegria. (Homenagem a Miguel Russowsky)

Santa Catarina Trovadoresca 1


53

Com o mais lindo sorriso e aquele olhar de ternura, me levaste ao paraíso quase cheguei à loucura. Com sua fé que engrandece, num milagre, o pescador, a Cristo, então, agradece os seus peixes, com amor! Cristo, o maior pescador, pescou peixes, pescou almas, resgatou do mundo a dor, em manhãs belas e calmas! Enquanto durar o amor você viverá com medo, mas seus olhos têm calor que mostram o seu segredo. Santa Catarina Trovadoresca 1


54

Espalharemos amor para todos os irmãos, com a ternura e o calor que Deus pôs em nossas mãos! Mona Lisa ele pintou com sorriso misterioso, muita atração despertou este quadro tão famoso. Na imensidão desse mar o pescador corajoso, tem sempre que se arriscar em seu trabalho penoso! Porto dos Sonhos, real, tudo a inspirar poesia, és um local magistral, onde Sarah é a energia! Santa Catarina Trovadoresca 1


55

Quero dizer-te um segredo que não confio a ninguém: "eu te amo", e estou com medo! E peço aos anjos amém. Se és veloz no pensamento, no trânsito sê prudente. Usa o cinto, fica atento... Mostra que és inteligente!

Santa Catarina Trovadoresca 1


56

Santa Catarina Trovadoresca 1


57

A perigosa sereia te chamando para amar, se veste de lua cheia com franjas de verde mar. Num recanto abandonado, tecendo rede e lembrando, pescador aposentado afaga o barco, chorando.

Santa Catarina Trovadoresca 1


58

Santa Catarina Trovadoresca 1


59

Vou contar os teus segredos, pintar no muro com giz, hoje já não tenho medos, não te quero como eu quis.

Santa Catarina Trovadoresca 1


60

Santa Catarina Trovadoresca 1


61

Sua boca tem segredos, e assim, vocĂŞ me seduz, revelo entĂŁo, os meus medos que nem a noite reluz!

Santa Catarina Trovadoresca 1


62

Santa Catarina Trovadoresca 1


63

A arte de manter segredo Ê reter velhas lembranças, se contar me faz ter medo e enclausurar esperanças.

Santa Catarina Trovadoresca 1


64

Santa Catarina Trovadoresca 1


65

Este grande coração tem o seu segredo imenso, que, com amor e emoção é a chave do consenso. Foi assim com um sorriso que eu saí da escuridão hoje estou no paraíso mas morrendo de paixão. Lá vai o bom pescador por esses mares desertos, lá vai ele, o sonhador pescando em portos incertos. Lá vai o bom sonhador com o seu segredo enorme. Ele o guarda com amor até mesmo quando dorme. Santa Catarina Trovadoresca 1


66

Santa Catarina Trovadoresca 1


67

A partir daquele dia, minha vida iluminou, passei a fazer poesia, um sorriso me salvou. E um sorriso caprichado, me surgiu de sopetão. E da forma que foi dado, fez bater meu coração. Saudade barco sem volta, singrando os mares da vida. Vem sozinho sem escolta, deixando aberta a ferida.

Santa Catarina Trovadoresca 1


68

Santa Catarina Trovadoresca 1


69

As estrelas sabem bem o segredo do Universo, mas o silêncio mantém, e inspiram o nosso verso. O teu sorriso me encanta em qualquer hora do dia, docemente me acalanta como suave sinfonia. Quem não possui um segredo nesta vida, não viveu, temos guardado, com medo, o que não aconteceu. Sempre que amanhece o dia, teu sorriso me acompanha com suavidade e harmonia, me envolvendo, ele me apanha. Santa Catarina Trovadoresca 1


70

Santa Catarina Trovadoresca 1


71

Por que guardo esse segredo se vivo a me torturar, fazendo dele um enredo que só me leva a chorar? Segredo... Calou no peito um sentimento profundo. Não revelo... Não tem jeito. Selado está para o mundo.

Santa Catarina Trovadoresca 1


72

Santa Catarina Trovadoresca 1


73

Amizades são pedrinhas de brilhantes verde-mar. Conquistadas são rainhas, neste mundo vão reinar. Eu já fui um beija flor em outras vidas passadas: - era segredo em louvor às flores desamparadas. Iluminando meu ser O teu sorriso comprova, Que a cada alvo amanhecer O meu amor se renova. Meu bem chegue aqui pertinho, tenho um segredo a contar: o teu amor e carinho, lamento, não vou guardar! Santa Catarina Trovadoresca 1


74

Nunca mostres apatia diante da luta na vida, mas brinda com simpatia e a inércia será vencida! O teu carinho constante é musica a me embalar, encantando o meu instante e me fazendo te amar. Tal qual brilhantes estrelas, Teu sorriso faz-me curas, Das horas que para tê-las Farias quaisquer loucuras. Volte agora com vontade, ser o amor que me encantou traga consigo a saudade, que ao partir, você deixou. Santa Catarina Trovadoresca 1


75

Vou cumprir a minha sina: -NĂŁo pode ter recaĂ­da... Pois teu sorriso elimina, As mazelas desta vida!

Santa Catarina Trovadoresca 1


76

Santa Catarina Trovadoresca 1


77

A saudade às vezes fala e até grita -- Quem diria! quando a rede, a sós, se embala numa varanda vazia. A vocação de mulher é mesmo ser uma flor e o perfume que tiver devemos chamar de amor. Cupido avisa aos poetas e também aos namorados que seus estoques de setas foram todos renovados! Enquanto a nau Esperança singrar os mares da vida, minha Quimera não cansa e nem se dá por vencida. Santa Catarina Trovadoresca 1


78

Na blusa prendes a rosa à altura do coração. Como pode ser viçosa uma flor sobre um vulcão?! Na trova, às vezes, invento emoções e não as sinto. Mas creia no meu talento, sou sincero quando minto! Nunca cedas às paixões, todas elas têm dois lados. Pescadores de ilusões, sempre acabam machucados. O mar agride o penhasco, mas este, cheio de brio, nem faz conta do carrasco e persiste em desafio. Santa Catarina Trovadoresca 1


79

O mar, hediondo assassino, sem remorso e sem pudor, parece aplaudir o sino, na morte do pescador. Os “Bons- dias!”, quando os digo com sorriso, amor e empenho, acresço mais um amigo no rol de amigos que tenho. O sorriso e a cortesia com simpatia mantidos, são comuns no dia a dia nos homens bem sucedidos. O tempo não traz perigo à verdadeira amizade. Quem não é mais teu amigo, jamais o foi de verdade. Santa Catarina Trovadoresca 1


80

Pescador, ante os perigos de um mar raivoso e contrário, tem dois remos por amigos e entre os dedos, um rosário. Pescador de mãos calosas, mesmo afoito em seu mister, sente um perfume de rosas ao se lembrar da mulher. Quanto mais o tempo avança mais eu fico a perceber. que a saudade é uma lembrança que se esquece de morrer. Se a rede vier vazia, o pescador diz assim: - Amanhã é um novo dia e Deus há de olhar por mim! Santa Catarina Trovadoresca 1


81

Se te serves de mentiras para cresceres em ganho, é bom que logo confiras que encurtaste no tamanho! Tendo à mão uma caneta mais o empenho a manejá-la, vou mesmo a qualquer planeta sem sair daqui da sala. Um sorrizinho à distância quando o namoro começa, nem pode haver discordância: Tem valor de uma promessa. Vai para o mar a jangada, tendo um sonho por escolta. Volta sem peixe, sem nada, nem o sonho traz de volta. Santa Catarina Trovadoresca 1


82

Santa Catarina Trovadoresca 1


83

Chamou-me de bela flor, mexeu na rede emoção, transformou-se em pescador e pescou meu coração. O pescador, sem ter medo de ver seu barco emborcar, do seu amor faz segredo, Não sabe se vai voltar... O que amo é o seu olhar, seu jeito de pouco siso, e a alegria a emoldurar o brilho do seu sorriso. Quem sabe do meu segredo é só o céu, só o mar. Desse fato sou sem medo sei que eles não vão contar. Santa Catarina Trovadoresca 1


84

Santa Catarina Trovadoresca 1


85

Se as abelhas caprichosas soubessem segredos meus, deixavam o mel das rosas pelo mel dos lรกbios teus.

Santa Catarina Trovadoresca 1


86

Santa Catarina Trovadoresca 1


87

Na busca de novas rotas deste mar de ondas bravias, segui bandos de gaivotas que voavam noutras vias. O amor me foi traiรงoeiro quando eu buscava te amar. Sou tristonho timoneiro naufragado no teu mar.

Santa Catarina Trovadoresca 1


88

Santa Catarina Trovadoresca 1


89

Teus olhos e o teu olhar, lembram impuros desejos que n達o posso revelar, s達o os segredos dos beijos!

Santa Catarina Trovadoresca 1


90

Santa Catarina Trovadoresca 1


91

Quando hรก segredo de amores, como envelopes lacrados, se abertos sรฃo como flores e eternos, quando fechados. Sorriso moldura o rosto, mostra o que a pessoa tem, ele estรก sempre disposto a escutar quem perto vem.

Santa Catarina Trovadoresca 1


92

Santa Catarina Trovadoresca 1


93

Que o bom pescador se queixe de sua vida penosa é justo: lidar com peixe é missão bem espinhosa. Seu sorriso é a pitanga que me desperta desejo. E se você não se zanga, vou colhê-la com meu beijo. Tanta beleza sem par no teu mágico sorriso, é um convite a visitar os jardins do paraíso.

Santa Catarina Trovadoresca 1


94

SOBRE O LIVRETO O Livreto Santa Catarina Trovadoresca tem por intuito a divulgação dos trovadores do Estado de Santa Catarina. Este é mais um número, outros se sucederão, periodicamente, mantendo viva a memória destes literatos que são orgulho de seu Estado. As trovas foram obtidas de boletins, jornais, revistas e sites. Grande parte se deve a colaboração da trovadora Amélia Aparecida Silva e da Revista Virtual Trovamar, de Gislaine Canales. Caso possuam trovas, poesias, contos de literatos de sua cidade que não estão em meu blog (http://singrandohorizontes.blogspot.com) ou o Almanaque O Voo da Gralha Azul, enviem para meu e-mail pavilhaoliterario@gmail.com para que não se perca na areia do tempo.

José Feldman

Santa Catarina Trovadoresca 1


95

DIREITOS AUTORAIS O conteúdo deste livreto não pode ser comercializado sem a autorização dos autores ou responsáveis, no caso dos falecidos. Respeite os direitos do autor.

Santa Catarina Trovadoresca 1


96

Feldman é um vencedor um mestre da alegria, um Poeta Trovador, um fazedor de Poesia. Não há em todo universo melhor fazedor de verso pois é um dom que ele traz! Pra Feldman, em nada eu ganho, ele é grande no tamanho e nas Poesias que Faz. José Feldman

(Ademar Macedo – Natal/RN)

Nasce na cidade de São Paulo, no dia 27 de setembro de 1954, terceiro filho de pai rumeno, naturalizado brasileiro, representante de móveis (falecido) e mãe guanabarense. Aos 6 anos de idade aprendeu a jogar xadrez com seu pai.

Santa Catarina Trovadoresca 1


97 Desde os 10 anos mostra aptidão para a escrita, ao escrever pequenos contos baseados em personagens de história em quadrinhos. Nesta época, trabalha com seu pai para ajudar na casa. Com cerca de 13 anos de idade, escreve as suas primeiras poesias. Na época já lia muitos livros e revistas. Primeiros livros foram a coleção de Monteiro Lobato dada por seu pai. Com seu pai, o qual tocava bandolim, também aprendeu o gosto pela música. Aprendeu violão, mas não se deu bem com o instrumento. Com cerca de 15 anos de idade participou de concursos de poesia sem sucesso. Desde 1973, com uma fome enorme de conhecimento, realizou vários cursos, como Filosofia no Instituto Palas Athena, Italiano na Associação de ultura Afro-Brasileira, Inglês no Instituto Roosevelt e Instituto Norte Americano, Leitura Dinâmica e Desinibição e Criatividade, no Instituto Dynamics Cymel, Arte Dramática no Instituto Macunaíma, Filosofia no Centro de Estudos Filosóficos Pró-Vida, além de diversas palestras e encontros de literatura. No ICIB, pertence a diretoria cultural, promovendo diversos eventos musicais, além da Oficina de Trovas, ministrada pelo grande trovador Izo Goldman, e revelando talentos musicais dos jogadores do departamento de xadrez. Neste período começa a dar maior ênfase também à literatura, ao fazer, na Casa Mário de Andrade (Oficina da Palavra) o curso de Poesia Viva, com a poetisa Eunice Arruda, curso de literatura com Mario Amato, Ficção Cientifica na literatura e no cinema com o escritor de renome internacional, André G. Carneiro, além da Oficina de Trovas com Izo Goldman. Criou um boletim enxadristico denominado “J’Adoube” (eu arrumo), direcionado a todos os níveis de jogadores, com partidas, notícias, estudos, piadas enxadrísticas, etc., e com tempo obteve a adesão de colaboradores com desenhos artísticos, poemas, etc. (na época não havia computador, era tudo na máquina de escrever e mimeógrafo). Na literatura continuou tentando ainda concursos de poesia na Livraria Freitas Bastos e Scortecci, mas ainda sem sucesso. Com as trovas, obteve pela primeira vez uma menção honrosa no Concurso de Santa Cruz do Sul (RS). Casou-se em 1995 com a poetisa, escritora e tradutora paranaense Alba Krishna Topan, a qual conhecera no curso de Ficção Científica, na Casa Mario de Andrade. Em Ubiratã/PR, começou a se firmar ao ser eleito em 2001 como vice presidente da diretoria provisória, da Associação dos Literatos de Ubiratã (ALIUBI), tendo contato com poetas da região.

Santa Catarina Trovadoresca 1


98 Registrou-se como representante da Delegacia de Ubiratã, pela União Brasileira de Trovadores do Paraná, auxiliando na elaboração do Boletim Paraná em Trovas com a presidente da UBT Paraná Vânia Ennes, o secretário Nei Garcez e o grande trovador A. A. de Assis. Participou de concursos de contos em Portugal e França. Também participou de torneios de xadrez regionais, sagrandose campeão, terceiro e segundo lugares, respectivamente, em 3 torneios. Percebendo o pouco acesso das pessoas à literatura, e mesmo o baixo nível de leitura, começou a ler muito e se dedicar a literatura, criando deste modo um boletim, de nome Singrando Horizontes, que era feito principalmente em dados obtidos na internet e revistas, que abrangia tudo de literatura (contos, cronicas, artigos, biografias, poesias, curiosidades da lingua, noticias do mundo, estudos de livros, etc.), e começou a distribuir por e-mail para inicialmente amigos, trovadores e associações. Com o tempo foi descobrindo novos endereços e distribuiu em escolas, universidades, academias do Brasil Inteiro, além de Estados Unidos e Portugal. O Boletim foi indicado para ser inserido nos anais da Casa Legislativa Maçonica, que segundo as palavras do magistrado , Mestre Maçom e Deputado da Loja "Os Templários", de Curitiba, PR, Valter Martins de Toledo: "Existem alguns samaritanos da cultura/educação espalhados aqui e acolá, preocupados, sempre, com essa lamentável situação cultural da população brasileira. Eis que, vez por outra, surge em longínquos rincões pátrios, cidadãos de paciência franciscana e de porte intelectual incomum, verdadeiros abnegados, apresentando projetos de primeira qualidade, como é o caso do "Boletim Singrando Horizontes", editado pelo Professor José Feldman, no Paraná, recente, pois veio à lume em 2007 mas já fez publicar, via internet mais de 400 artigos de excelente qualidade literária e bom gosto temático, conforme bem o demonstra o Boletim n. 8, de 2008, nele realçando-se a excelente abordagem sobre Machado de Assis, em comemoração do seu centenário de nascimento. Iniciativa como esta, nos oferta esperança e merece aplausos, não podendo ficar desconhecida ou ser enviada para as prateleiras da história. Merece nosso apoio e gratidão, com votos parabenizatórios, e com a sua inserção nos anais desta casa legislativa maçonica". Criou o Blog Pavilhão Literário Cultural Singrando Horizontes (http://singrandohorizontes.blogspot.com/) seguindo os mesmos moldes do boletim, com muito mais conteúdo, postados diariamente, iniciado ao final de dezembro de 2007. Com

Santa Catarina Trovadoresca 1


99 isto, começou a ficar mais conhecido devido a sua divulgação dos escritores, sendo convidado no mês de junho de 2008 a efetuar uma palestra na Academia de Letras de Maringá, onde discursou sobre o Panorama da Literatura no Brasil. Muitos escritores começaram a enviar seus textos e livros para apreciação crítica. Em novembro de 2008, a convite do escritor Sorocabano Douglas Lara, passou a ser membro da ONE (Ordem Nacional dos Escritores), recebendo o medalhão das mãos do presidente da ONE, José Verdasca, em 19 de dezembro de 2008, no Gabinete de Leitura, em Sorocaba. Nas palavras de Vãnia Maria Souza Ennes, presidente da UBT Estadual do Paraná: É com grata emoção que a diretoria da UBT Estadual do Paraná vem acompanhando seu magnífico trabalho, há mais de 1 ano. Dia após dia, Feldman, você se supera na arte de produzir, criar e disseminar a cultura poética e literária no âmbito nacional e internacional. Cada vez mais, podemos observar a sua sensibilidade que está exposta, claramente, no Pavilhão Literário Cultural Singrando Horizontes, desde dezembro de 2007 a março de 2009 e que muito orgulha o nosso Paraná.É um belíssimo desempenho cultural !!! A oportunidade de poder apreciar seu site, ler, reler, participar, aprender com ele, são atitudes que nos induzem seguir adiante e, nos fazem muito bem. Portanto, receba nossos mais calorosos aplausos com as saudações trovadorescas. Em março de 2009, foi convidado para a Cadeira Vitalícia da Academia de Letras do Brasil, pelo seu presidente, o Dr. Mario Carabajal, assumindo em 12 de agosto de 2009, em Piracicaba, representando o Estado do Paraná, na cadeira n.1, tendo por patrono Paulo Leminski, ocasião em que além de receber o diploma de imortal, recebeu o título de Doutor Honoris Causa das mãos do presidente da ALB. Foi nomeado presidente da ALB/Paraná e Vice-Presidente do Conselho de Ética., gestão de agosto 2009 a janeiro de 2012. Grande incentivador e divulgador da literatura paranaense, reside na cidade de Maringá/PR. Não possui nenhum livro publicado.

Santa Catarina Trovadoresca 1


100 PRODUÇÃO LITERÁRIA Possui participação na apresentação dos livros em papel: Átila José Borges. Matando o Porco, Eu Contos. (Introdução do Livro) Isabel Furini. Passageiros do Espelho. (Apresentação do livro) Isabel Furini. Quero ser escritor: Livro 1 – Cronicas.(Cronica: Filas, filas e mais filas, ou Por que não fiquei dormindo em minha cama?) Isabel Furini. Os Corvos de Van Gogh. (Apresentação do pintor) Vânia Maria Souza Ennes. Paraná em Trovas. (com uma trova). E-books: COLEÇÃO MEMÓRIA VIVA Livreto 1 – Paraná Trovadoresco (121 páginas) Livreto 2 – Paraná Trovadoresco (112 páginas) Livreto 1 – São Paulo Trovadoresco (105 páginas) Livreto 1 – Rio Grande do Norte Trovadoresco (105 páginas) Livreto 1 – Minas Gerais Trovadoresco (101 páginas) Livreto 1 – Rio de Janeiro Trovadoresco (180 páginas) SANTUÁRIO DE TROVAS (Trovas em Imagens) vol. 1 - 58 paginas vol. 2 - 58 páginas vol. 3 – 92 páginas

Santa Catarina Trovadoresca 1


101

ALMANAQUE PARANÁ (Trovadores do Paraná) n.1 - dezembro 2010 (16 paginas) n.2 - janeiro 2011 (18 paginas) n.3 - setembro 2012 - 1a. Quinzena (3 páginas) n.4 - setembro 2012 - 2a. quinzena (3 páginas) – Vânia Maria Souza Ennes (Curitiba) n.5 - outubro 2012 - 1a. quinzena (3 páginas) – Alberto Paco (Maringá) n.6 - outubro 2012 - 2a. quinzena (14 páginas) Edição Especial – A. A. de Assis (Maringá) n.7 - novembro 2012 - 1a. quinzena (3 páginas) – Maria Eliana Palma (Maringá) n.8 - novembro 2012 - 2a. quinzena (6 páginas)- Nei Garcez (Curitiba) n.9 - dezembro 2012 - 1a. quinzena (9 páginas)- Mário A. J. Zamataro (Curitiba) n.10 -dezembro 2012 - 2a. quinzena (8 páginas) – Lairton Trovão de Andrade (Pinhalão) PARANÁ POÉTICO n.1 - nov/dez 2012 (9 páginas) TROVA BRASIL (Trovas de todo o Brasil, exceto Paraná) n.1 - dez/2012 (9 páginas) – Arlindo Tadeu Hagen (MG) n. 2 – dez/2012 – Edição Especial (6 páginas) – Ercy Maria Marques de Faria (SP) ALMANAQUE O VOO DA GRALHA AZUL numero 1 – janeiro 2010 (74 paginas) numero 2 – fevereiro 2010 (95 paginas)

Santa Catarina Trovadoresca 1


102 numero 3 – março abril 2010 (117 paginas) numero 4 – maio junho 2010 (177 paginas) numero 5 – julho agosto 2010 (131 paginas) numero 6 – janeiro – maio 2011 (265 paginas) edição especial numero 7 – junho – agosto 2011 (163 paginas) numero 8 – setembro – novembro 2011 (184 páginas) numero 9 – janeiro – março 2012 (242 páginas) BOLETIM LITERÁRIO SINGRANDO HORIZONTES Numero 1 – março de 2007 (22 paginas) Numero 2 – maio de 2007 (25 paginas) Numero 3 – junho de 2007 (33 paginas) Numero 4 – julho de 2007 (40 paginas) Numero 5 – agosto de 2007 (59 paginas) Numero 6 – setembro de 2007 (60 paginas) Numero 7 – outubro de 2007 (64 paginas) Numero 8 – novembro de 2007 (84 paginas) Numero 9 – dezembro de 2007 (82 paginas) Numero 10 – janeiro de 2008 (93 paginas) Numero 11 – fevereiro de 2008 (88 paginas) Numero 12 – março de 2008 (96 paginas) Numero 13 – abril-maio de 2008 (108 paginas)

Santa Catarina Trovadoresca 1


103

AVULSOS Cavalgada de Trovas do Paraná (171 páginas) Hermoclydes S. Franco - Trovas e Poesias (52 Páginas) Francisco Neves Macedo – Trovas e Poesias (16 Páginas) FELDMAN, José e FELDMAN, Alba Krishna Topan Feldman. Cavalgada de Sonhos. (66 páginas) Poesias, trovas, haicais e cronicas. (filho único em papel sem cópia). Membro de : Academia de Letras do Brasil/ Paraná – Cadeira n.1 Patrono: Paulo Leminski UBT – União Brasileira dos Trovadores/ Seção Maringá ALIUBI – Associação dos Literatos de Ubiratã ONE – Ordem Nacional dos Escritores UHE – União Hispanoamericana de Escritores Casa do Poeta Lampião de Gaz (OCT) Ordem dos Cavaleiros Templários (OSTG) Ordem Sagrada do Templo e do Graal (AMORC) Antiga e Mistíca Ordem Rosae Crucis Pró-Vida: Integração Cósmica Reside em Maringá/PR. E-mail: pavilhaoliterario@gmail.com Residencia: Rua Vereador Arlindo Planas, 901 casa A Cep. 87080-330 - Maringá/PR

Santa Catarina Trovadoresca 1


Santa Catarina trovadoresca